Page 1

Direção: Carlos Amaro 2º Período 2012/2013

Número 20

Somos Nós ORGÃO OFICIAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA

SOMOS NÓS a crescer...


Direção: Carlos Amaro 2º Período 2012/2013

Número 20

Somos Nós

FICHA TÉCNICA

ORGÃO OFICIAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA

"Somos Nós"

EDITORIAL A indisciplina, a escola, a família e a sociedade

Orgão Informativo do Agrupamento de Escolas de Samora Correia Número 20 Edição: 2º Período

Qualquer pessoa ligada às práticas escolares contemporâneas, seja como educador, seja como educando, ou público mais geral (pais, comunidade etc.), consegue ter uma razoável clareza quanto

(março de 2013) Diretor: Prof. Carlos Amaro

àquilo que nos acostumámos a reconhecer como a "crise da educação".

Director do Agrupamento de Escolas

Sabemos todos diagnosticar a sua presença, mas não sabemos a sua

de Samora Correia

extensão nem suas razões exatas. De qualquer modo, o indício mais evidente dessa "crise" é que boa parte da população de crianças que ingressam nas escolas não consegue concluir a escolaridade

Coordenação do Projeto: Prof. Elsa Cletodoulou Prof. Teresa Caetano

obrigatória processo este que se designou como "insucesso escolar", que normalmente se traduz em inadequação associada à indisciplina. Como todos os fenómenos culturais, o conceito de indisciplina não é

Redação e Planeamento : E.B. 2,3 Prof. João Fernandes Pratas Bairro das Acácias

imutável. Este conceito está intimamente ligado a valores e

2135-236 SAMORA CORREIA

expectativas, entre as diferentes culturas numa mesma comunidade. A

Tel.263 654 324 / 5

vida social pressupõe o criar e o cumprir regras, normas capazes de

Fax. 263 656 936 E-mail: jornaldoagrupamento@gmail.com

regular, orientar relações, possibilitando o diálogo, a colaboração e a mudança, princípios que devem ser ministrados por quem detém a

Acompanhamento:

formação inicial da criança, ou seja a família. Não se trata de atribuir a

Conselho Pedagógico do Agrupamento

culpa pelo comportamento indisciplinado do aluno, à educação que o

Paginação e Grafismo:

mesmo recebe em casa da família, já que outras influências do meio

Prof. Teresa Caetano

social contribuem para isso, mas seguramente não pode ser atribuída à falta de intervenção da escola, que recebe o seu material humano de

Revisão de Provas: Prof. Elsa Cletodoulou

trabalho já “moldado” e continuamente em mutação independentemente da intervenção da escola. Posso afirmar que a educação é um processo de transformação, contudo, esta parte dos vários meios sociais nos quais os indivíduos

Patrocínios: - Ex Libris Visão - Companhia das Lezirias

convivem. O primeiro é o convívio familiar, onde a criança aprende os primeiros princípios da educação. Em seguida, vem à escola, para "aperfeiçoar" a educação transmitida pela família, fazendo o indivíduo entender que vive numa sociedade e que toda a sociedade tem regras, para as quais, principalmente os seres humanos, por serem dotados de razão, devem ser educados para, pelo menos, tentar cumprir essas mesmas regras. (continuação na página 28)

Todos os artigos de opinião são da responsabilidade de quem os subscreve.


3

JARDIM DE INFÂNCIA DA LEZÍRIA Depois de termos pesquisado muito sobre os vulcões na internet, nos livros, decidimos fazer uma experiência para percebermos um pouco melhor este tema. Foi divertido e aprendemos muito. Começámos por fazer um vulcão em barro, colocámos um boião de vidro lá dentro e a seguir fomos para o exterior procurar folhinhas e ramos para enfeitar o nosso vulcão. Experiência: Bicarbonato de sódio, um pouco de corante alimentar vermelho e a seguir deitámos o vinagre…o nosso vulcão “explodiu” e nós adorámos, quisemos repetir mais vezes. Foi tão divertido!

Já dentro da sala repetimos a experiência e fizemos os nossos registos.

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


4

JARDIM DE INFÂNCIA DA LEZÍRIA O que nós já sabemos sobre os vulcões:

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


5

CENTRO ESCOLAR No dia 14 de fevereiro, a turma do 3º H, do Centro Escolar de Samora Correia assinalou o Dia de São Valentim com o visionamento do conto – “Gosto de Ti “

Depois veio uma reflexão… Para mim, o Dia de São Valentim é o dia em que há mais amizade, carinho e principalmente amor. Eu gosto de todos da minha família, mas com os amigos há uma relação diferente. No dia de São Valentim dá-se muitos beijinhos e abraços. Também não deixam de estar no meu coração as pessoas da minha família que já morreram. Há espaço para todos no meu coração, tais como a família e os amigos que adoro. Gosto muito deste dia porque o amor anda no ar. Eva Paulino – 3º H

Para mim, o amor é uma pessoa gostar de outra. Pode-se gostar de alguém como uma mãe gosta de um filho, um avô gosta de um neto, uma namorada gosta do namorado, um amigo gosta de outro, um dono gosta de um animal… O amor tem várias formas de se sentir. Miguel Justino – 3º H

Para mim, gostar de ti é dar abraços, beijinhos, dançar com a pessoa que gostamos, fazer cócegas, ajudar essa pessoa. O amor está no fundo do coração. Gosto de ti, também pode ser gostar-se de uma pessoa por amizade. Gosto de ti, também pode ser brincar com a pessoa de quem gostamos. Miguel Nunes – 3º H

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


6

CENTRO ESCOLAR

No dia 19 de fevereiro as turmas do 2º/3º F, G e H, do Centro Escolar de Samora Correia realizaram a vista de estudo, ao teatro Politeama, para assistirem ao teatro musical “Peter Pan”.

Na sala de aula foram realizados trabalhos sobre a peça

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


7

CENTRO ESCOLAR

Visita de Estudo No dia 26 de fevereiro de 2013, as três turmas do quarto ano do Centro Escolar de Samora Correia, foram visitar o Palácio de Queluz. Este palácio situa-se em Queluz, perto da Serra de Sintra. À entrada do palácio fomos recebidos pela Carla Ferreira que nos guiou durante toda a visita. Antes de entrarmos no primeiro salão foram-nos explicadas as regras que devíamos cumprir no decorrer do percurso. A primeira sala era a Sala do Trono, onde decorriam os bailes. Foi-nos contada a história do palácio e das personagens históricas que por lá passaram. Enquanto decorria a visita fomos sendo brindados com representações teatrais, musicais e de dança alusivas ao século XVIII. As personagens estavam rigorosamente vestidas com trajes da alta costura francesa. Em redor do palácio passeámos por um grandioso e belo jardim! Na parte da tarde aproveitámos o tempo maravilhoso e fomos passear até Belém. Lá vimos: o Mosteiro dos Jerónimos, o CCB (Centro Cultural de Belém), o Padrão dos Descobrimentos, a Torre de Belém, o Museu e a Homenagem aos Combatentes do Ultramar, passámos pela Doca do Bom Sucesso, pelo Museu da Arte Popular e conseguimos ainda ver, embora mais ao longe, a Ponte 25 de Abril, o Cristo Rei e o Aqueduto das Águas Livres. Tivemos ainda a oportunidade de observar as paisagens maravilhosas junto do rio Tejo. Foi um dia espetacular!!! A turma do 4ºL Do centro Escolar de Samora Correia

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


8

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia

“Livro da Minha Vida”

No dia de 15 de novembro, realizou-se o “Livro da Minha Vida” com a Profª Ana Rola que apresentou o livro Cão como Nós de Manuel Alegre à turma do 7ºG. Numa sessão bastante emotiva, a professora falou dos seus cães e pudemos perceber pela leitura desse livro que, de facto, os nossos animais de estimação são “gente como nós”!

No âmbito da Semana da Leitura, a Profª Sandra Cardoso apresentou o livro O Principezinho de Saint Éxupéry, para as turmas de 6ºE e 7ºC. Esta atividade contou com a presença de alguns professores e a participação de Profª Cristina Louro, Profª Dora Morgado e Prof. Nuno Simões que leram excertos da obra durante a atividade “Livro Andante”.

O Prof. António Raposo apresentou o seu “Livro da Minha Vida” no dia 27 de janeiro, no âmbito do Dia Internacional das Vítimas do Holocausto – O Sangue da Esperança de Samuel Pizarro, para a turma do 8ºC.

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


9

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia ADAPTA/BE Eu estou quase a concluir o programa ADAPTA. Foram 4 anos com aulas diferentes na biblioteca e na jardinagem. Na biblioteca, aprendi a arrumar os livros, a escrever artigos para o jornal Somos Nós e a apresentar livros e poemas. Com o Sr. Manuel aprendi a tratar da relva, cuidar das flores, regar a horta e cortar os troncos das árvores. Na minha opinião, acho que o ADAPTA é bom e os alunos devem experimentar!

Rafael Oliveira, 9ºC

Dia de S. Valentim No dia de São Valentim (14/2), professores e alunos deixaram mensagens de amor/amizade no “Portal das Paixões”, junto à BE…

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


10

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia

SEMANA DA LEITURA De 4 a 8 de março decorreu mais uma edição da Semana da Leitura, iniciativa das Bibliotecas Escolares do Agrupamento, com várias atividades de promoção da leitura e da escrita: encontro com o escritor Vítor Encarnação, “Livro Andante”, “Poemas à Solta”, “Sentir as Palavras”, Feira do Livro (Centro Escolar) e Feira do Livro Usado (BEJFP), entre muitas outras dinamizadas pelos alunos. O nosso agradecimento a todos os alunos, professores, pais e EE e assistentes operacionais que, generosamente, colaboraram connosco, de forma a tornar essa semana variada e intensa. As Professoras Bibliotecárias

A turma do 9ºE teve o privilégio de assistir a tr ês atividades de promoção da leitura e da escrita, dinamizadas pela Sílvia, pela Lara e pela Jacira, no âmbito da Semana da Leitura. A Sílvia apresentou os 6 volumes de Os Imortais de Alyson Noël e conseguiu “contagiar” alguns colegas da turma. A Lara trouxe o tema da violência doméstica com o livro Ferida de Amor de Catarina Fortunato de Almeida. Esta atividade envolveu toda a turma e, inevitavelmente, falou-se de violência a outros níveis, sobretudo na escola.

Para finalizar, a Jacira decidiu fazer uma homenagem à Micaela e, numa apresentação sobre a amizade, surpreendeu toda a turma e nos envolveu a todos de forma emotiva. A Profª Bibliotecária

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


11

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia

Dia Internacional da Língua Materna No dia 21 de fevereiro, Dia Internacional da Língua Materna, decorreram duas atividades na BE numa homenagem às diferentes línguas maternas existentes na nossa escola: português, chinês, romeno, crioulo…

A Profª Dora apresentou à sua turma de 8ºE o livro O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá de Jorge Amado e os alunos Leo, Aline e Chen partilharam connosco alguns aspetos da sua língua materna, criolo da Guiné, romeno e mandarim (chinês), respetivamente.

Alguns alunos da turma do 5ºD leram poemas de poetas lusófonos (Brasil, Moçambique, Angola, entre outros) e fizeram a leitura expressiva de poemas escritos por eles próprios.

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


12

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia «Poemas

à Solta»

com alunos de ADAPTA/BE e outros Durante a Semana da Leitura, os poemas andaram à solta por toda a escola Prof. João Fernandes Pratas. Esta atividade foi da responsabilidade dos alunos do ADAPTA/BE e de todos os outros que quiseram participar. «Poemas» à Solta” no bar!

«Poemas à Solta» na sala de Professores!

«Poemas à Solta» no 1º andar com a Dona Fernanda

«Poemas à Solta» na sala de Professores! «Poemas à Solta» na secretaria!

«Poemas à Solta» na direção!

Agrupamento de Escolas de Samora Correia

«Poemas à Solta» com algumas assistentes operacionais!


13

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia

Concurso de Poesia 2012/2013 Vencedores por escalão 1º escalão/1º ciclo:

2º escalão/2º ciclo:

O Mar

Maravilhas da Natureza

Hoje quando fui à janela, Olhei para o mar e reparei Que ainda estava mais belo, Do que com o que sonhei.

Num belo dia de verão à praia fui correr encontrei um tubarão que me tentou comer.

Na areia batia ligeiro E lindas ondas formava. E hoje até uma gaivota, Por lá poisava.

Também lá encontrei o Sr. Caranguejo Que estava com ar assustador Pois tinha-se engasgado com o queijo Que caiu do bolso do pescador.

O mar, ao bater na areia, Não é o que ele diz. Mas uma certeza tenho, Faz-me sentir realizado e feliz.

Numa prancha a surfar Encontrei a D. Sereia Tinha o corpo a ondular Tapado pelo seu cabelo cor de areia.

Guilherme Neves, 4ºC3 (Eb1 do Porto Alto)

Sentei-me à beira-mar A olhar os areais Comecei a sonhar Com todos os seres divinais. Adoro o azul cristalino do mar De todas as maravilhas da natureza Quando dei por mim estava a chorar De ver tamanha beleza. Francisco Mendonça, 5ºB (EB 2,3 Prof. João Fernandes Pratas)

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


14

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia

Concurso de Poesia 2012/2013 Vencedores por escalão 3º escalão/3º ciclo:

4º escalão/Comunidade educativa:

O brilho do teu olhar através do mar

Tenho um desejo premente: Entrelaçar os meus dedos nos teus cabelos. Imagino-os listados de branco, de largos caracóis, teimosos. Passo a minha mão no teu rosto imaginado. Detenho-me nos teus lábios, que decalco com o polegar.

Gostava de te beijar através do mar Gostava que não estivesses tão longe de mim Gostava de sentir o toque da tua pele Mas neste momento o mar é a única coisa que nos separa Agora vejo nos teus olhos a água da maré O azul dos teus olhos desvaneceu Porque com as tuas lágrimas formaste o único oceano que nos voltou a separar A lua que se refletia no mar passou a refletir-se no teu olhar E ainda não sei se és real Ou se é só a fantasia de um mar espantoso a passar pelos olhos Agora só te posso pedir que não me faças reviver o passado Porque isso é a coisa mais dolorosa que me podem pedir. Lara Seixas, 9ºE (EB 2,3 Prof. João Fernandes Pratas)

Agrupamento de Escolas de Samora Correia

Precisava de reaprendera as tuas formas. Imagino-as enfeitadas de rugas… Sinto-te. E, no entanto, Não te tenho… 25/Setembro de 2005 Profª Dora Morgado (EB 2,3 Prof. João Fernandes Pratas)


15

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia A Carolina e a Cátia apresentaram a Saga Twilight de Stephenie Meyer para a sua turma de 8ºB e contaram com a ajuda da Diana. Para além de terem sido apresentadas as aventuras e desventuras das personagens em cada um dos quatro volumes, os alunos concordaram que há mais vantagens na leitura de livros do que no visionamento da sua adaptação ao cinema. Chegámos todos à conclusão que ler permite-nos uma saborosa liberdade… A Profª Bibliotecária

Entrega dos prémios e certificados No dia 8 de março, decorreu na BE a atividade de encerramento da Semana da Leitura / 2013, com a entrega dos prémios e certificados aos 10 vencedores do Concurso de Poesia e do Concurso Nacional de Leitura, dinamizados pelas Bibliotecas Escolares do nosso Agrupamento de Escolas. Numa sessão muito simples, estiveram presentes alunos, professores, pais e EE dos diferentes anos/ciclos das escolas envolvidas. A Profª Carla Brandão, representante da Comissão Administrativa Provisória, entregou, um a um, todos os certificados e prémios e pudemos deliciarmo-nos com os poemas vencedores. Vencedores do Concurso de Poesia do Agrupamento

1º escalão: Guilherme Neves (4ºC3); 2º escalão: Francisco Mendonça(5ºB); 3º escalão: Lara Seixas (9ºE) 4º escalão: Profª Dora Morgado

Vencedores do Concurso Nacional de Leitura Escola EB Prof. João Fernandes Pratas: Sofia Costa (8ºB), Ana Louro (9ºC) e Sílvia Ribeiro (9ºE) Escola EB do Porto Alto: Delfim Lopes (7ºA), Mª Leonor Lobo (8ºC) e Henrique Ribeiro (7ºB) Estes alunos vão representar as nossas escolas na prova distrital do Concurso Nacional de Leitura, em Torres Novas, dia 30 de abril.

Agradecemos à Câmara Municipal o transporte cedido para que a turma 4ºC3 e os alunos do 3º ciclo do Porto Alto pudessem vir à escola sede receber os prémios e certificados. A Coordenadora da BE

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


16

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3-Samora Correia      Tudo começou na reunião da equipa da biblioteca, quando se planificou a Semana da Leitura e surgiu a hipótese de se convidar Vítor Encarnação para um encontro com alunos do 9.º ano, das turmas B e C. Vítor Encarnação é um escritor de 48 anos, natural de Aldeia de Palheiros, Ourique. Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas e é, desde 1988, professor de Inglês e Alemão na Escola Secundária de Ourique. Cronista de jornais, é atualmente colaborador do semanário "Correio Alentejo".

Entre poesia, compilações de crónicas e de contos, conta com nove obras no seu percurso literário, das quais se destacam, mais recentemente, Maçã de Adão (2010) e Fio de Ariadne (2011). Recebeu o Prémio Casa do Alentejo 2011 – Concurso de Conto, com "Suão", que cruza duas gerações, um avô e um neto e descreve a ponte de afetos que vai unir a referência urbana dos subúrbios de Lisboa e a ruralidade, presente num Alentejo deixado para trás na década de 60. No conto, entrelaçam-se cores e cheiros, que vão vestindo a paisagem, ao sabor das estações do ano. Pela simplicidade do seu caráter e pela qualidade da sua escrita, este seria, certamente, um poeta/escritor a descobrir pelos nossos alunos. No 1.º período letivo, aquando da abordagem do texto poético, os nossos jovens contactaram com os seus livros de poesia e de crónicas pela primeira vez e o entusiasmo foi muito, tendo mesmo alguns deles lido vários.

Assim, quando decorreu a atividade destas turmas com o escritor Vítor Encarnação no auditório do Palácio do Infantado, no dia 6 de março, viveu-se um clima de entusiamo e são convívio, ficando os nossos jovens bastante satisfeitos, o que se manifestou por um comportamento exemplar. Como o escritor-poeta também referiu o seu agrado por tanto (e tão bem!) ter partilhado connosco, consideramos a MISSÃO CUMPRIDA!

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


17

DEPARTAMENTO CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Aula de campo de Ciências Naturais – 8º Anos No dia 18 de janeiro de 2013, os alunos do 8º ano da Escola Prof. João Fernandes Pratas e da Escola de Porto Alto tiveram uma aula no campo. Esta aula consistiu na observação e análise de afloramentos rochosos presentes na área circundante da nossa cidade, assim como a manipulação e recolha de amostras. A apresentação das principais características de cada afloramento esteve a cargo do professor António Antunes. O professor explicou o contexto geológico de Portugal e de Samora Correia, dado que na nossa região encontram-se formações rochosas recentes, pertencentes ao MioPliocénico e aluviões do Quaternário (Carta Geológica de Santo Estevão, 35-A, escala 1:50 000). Estas formações são muito importante para a rizicultura e para o montado. Na opinião dos alunos, esta aula foi importante porque “convivemos com a outra escola e foi uma aula diferente. Descobrimos que o solo tem argila e retém muita água, o que é importante para o arroz.” (Tatiana Fernandes, 8ºE) e porque finalmente compreendi o motivo de haver arroz na Lezíria. É porque o arroz é uma planta higrófila [precisa de muita água].” (Patrícia Gomes, 8ºE). Ana Rola, António Antunes, Maria Rosário Furão, Patrícia Pedro (grupo 520)

A primeira imagem corresponde ao professor a explicar o contexto geológico da região e na segunda os alunos observam a Formação Greso-argilosa de Pegões.

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


18

DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

No passado dia 8 de fevereiro, os alunos do 6º ano, no âmbito da disciplina de Ciências Naturais, deslocaram-se a Lisboa a fim de visitar o Museu da Ciência e o Jardim Botânico. Foi uma experiência única e, no geral, os alunos gostaram.

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


19

DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS VIII Congresso dos Jovens Geocientistas No Clube de Ciências Naturais, oito alunos das turmas A e C do 8º ano realizaram dois projetos com o propósito de os apresentar no VIII Congresso dos Jovens Geocientistas, organizado pelo Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Coimbra. Os projetos tiveram como temas o “Gás de Xisto” (Shale gas) e a construção de base de dados eletrónica das rochas e dos minerais da nossa escola – Rocks in the School of Samora Correia - recolhidos pelo professor António Antunes. Este último projeto não se encontra ainda finalizado. Após pesquisa, seleção e organização da informação, elaborámos resumos, que fazem parte do livro de atas do congresso, disponibilizado no sítio eletrónico do mesmo. Em seguida preparámos os pósteres, que foram apresentados no dia 22 de fevereiro, no polo II da Universidade de Coimbra, dia em que o congresso se realizou. Devido à falta de verbas, não nos foi possível deslocar até Coimbra, mas não deixámos de representar o Agrupamento de Samora Correia. Para além da apresentação dos pósteres, o grupo “Gás de Xisto” apresentou uma comunicação virtual, em PowerPoint, apresentação que abriu a sessão de trabalhos da tarde e que teve boa receção por parte dos professores e alunos presentes. Recebemos certificados e o trabalho científico realizado será importante para o nosso percurso escolar e profissional. Presentemente, os pósteres estão afixados numa vitrina para que a comunidade escolar os possa conhecer. João Bento (8ºC) e Professora Ana Rola (grupo 520)

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


20

DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


21

DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Investigação em Sala de aula: Degelo das Calotes Polares Nos últimos anos, a problemática do aquecimento global/alterações climáticas tem estado, frequentemente, na ordem do dia dos meios sociais, científicos e políticos. Será o aquecimento global um processo natural, consequência de nos encontrarmos num período interglacial (entre glaciações) e, por isso de aquecimento, como defendem alguns? Ou será consequência da incessante busca do Homem pelo progresso e conhecimento científico e tecnológico, conseguido com a queima dos combustíveis fósseis? Uma das consequências do aquecimento global é o degelo das calotes polares. Nas aulas de Ciências Naturais do 8º ano fomos investigar este processo. O nosso problema de investigação foi: O degelo dos polos trará consequências semelhantes? Para resolver o problema, montámos o dispositivo da figura 1. O gobelé invertido corresponde ao polo Sul, dado que por baixo da calote polar encontrase o continente Antártida. O gobelé com água corresponde ao polo Norte. Colocámos a mesma quantidade de cubos de gelo (dois) em cada gobelé e aguardámos. A figura 2 mostra os resultados ao fim de meia hora. Verificámos que no gobelé correspondente ao polo Norte como o gelo estava emerso na água, não houve variação de volume e, por isso, a água não transbordou do copo. No gobelé correspondente ao polo Sul, a água escorreu para fora do copo. Os resultados mostram que o degelo das calotes polares sobre os continentes da Antártida e da Gronelândia será bastante preocupante. Este degelo contribuirá para a subida do nível médio das águas do mar e para a inundação das zonas baixas dos países onde se concentram a maior da população humana, o que provocará uma enorme vaga refugiados ambientais. Países como o Bangladesh deixarão de existir. O degelo de todas as calotes polares, incluindo o polo Norte, conduzirá à perda da biodiversidade marinha e terrestre, importante em termos biológicos, estéticos e económicos.

José Moreira (8º A) e professora Ana Rola (grupo 520).

Antes

Agrupamento de Escolas de Samora Correia

Depois


22

DESPORTO ESCOLAR No dia 30 de janeiro, no pavilhão desportivo de Samora Correia, decorreu o torneio de Boccia entre a nossa equipa de 9 jogadores e a CRIAL de Almeirim. Todos os jogadores foram exemplares! Estiveram presentes alunos, professores, assistentes operacionais, pais e encarregados de educação e amigos. Todos puderam confirmar a alegria no olhar dos nossos atletas! A Profª Alice Luís

Gostei de ter participado no torneio de Boccia. Eu participo nesta atividade há 2 anos e recomendo o Boccia a toda a gente! Rafael Oliveira (9ºC)

Eu gostei de jogar Boccia com os meus colegas e com os jogadores da CRIAL. Foi a primeira vez que participei nesta atividade e gostei muito! João Santos (8ºA)

Gosto do Boccia! Ainda é um pouco difícil, porque é o primeiro ano que estou nesta modalidade. André (3/4L2)

Gosto muito do Boccia! É o segundo ano que participo na atividade. Gosto muito de jogar com o Rafael. Inês Pereira (7ºF)

É o segundo ano em que participo no torneio de Boccia. Gosto muito de jogar com a Inês! Hugo (6ºF)

Adorei a atividade do Boccia! Não é difícil porque sei as regras do Boccia. Diogo (5ºA)

Também gostámos muito de ter participado neste torneio de Boccia!   Catarina (5ºB) e Stefania (3/4L2)

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


23

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3- Porto Alto "O

livro da minha vida" BEPA

Biblioteca Escolar da EB 2,3 de Porto Alto)

O professor António Vidal que exerce funções na Escola EB 2,3 do Prof. J. F. Pratas foi o ilustre convidado! No passado dia 30 de janeiro, com a sua habitual alegria, entusiasmo e vivacidade cativou de imediato o 9º ano, falando-lhes do livro "Os Marginais", de S. F. Hinton. A sessão foi bastante animada e incluiu a participação ativa dos nossos alunos. No final, muitos pretenderam requisitar este excelente livro - mesmo sabendo da existência de um filme baseado na história. Infelizmente não faz parte do nosso espólio e o professor lamentou não poder oferecê-lo por não o possuir e estar esgotado. Mais uma vez, aqui fica o nosso apreço e agradecimento ao colega António Vidal!

O Professor Maurício Chamusca foi o nosso ilustre convidado para a que decorreu no dia 5/3/13. Escolheu o livro O velho e o mar, de Ernest Hemingway – galardoado com o Prémio Nobel da Literatura em 1954. Com a sua tradicional boa disposição e simpatia conseguiu ter a turma C do 8º ano presa à sua comunicação e a participar na atividade. Os alunos afirmaram ter percebido muito bem a mensagem do livro, bem como o que significava para o professor: uma lição de vida, pois não interessa a idade, nem o aspeto físico da pessoa, mas a força de vontade que se tem e a consciência de que existe sempre uma pequena coisa ou alguém ao nosso lado que nos faz continuar quando estamos prestes a desistir. (Escrito com a colaboração de alunos da turma!)

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


24

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3- Porto Alto A Semana da Leitura na BEPA A Semana da Leitura - subordinada à temática O Mar celebrou-se no nosso Agrupamento entre 4 e 8 de Março. Dela constaram diversas atividades com a “prata da casa” e alguns convidados: Leituras de Mar, Encontros com Declamador, Escritores e Ilustradores, Poesia de Abril, O Livro da Minha Vida, O Mito de Drácula, O Livro Andante, Poemas à Solta, Sentir as Palavras e Feira do Livro Usado.

O Livro Andante consiste em trinta 30 minutos de leitura sendo que toda a escola (aulas e os vários serviços) suspende as atividades para ler um livro. Pode fazer-se leitura silenciosa, em pequeno/grande grupo, dramatizada,… Cartaz elaborado pelo nosso colaborador João Pequito

Logotipo do Livro Andante da autoria da nossa colega Maria José Bispo

Leu-se na secretaria…

…na sala de professores…

… nos corredores…

… nas aulas…

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


25

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3- Porto Alto No que se refere aos Poemas à Solta, diversos alunos (cerca de 30), funcionários e professoras disseram poesias – algumas de sua própria autoria - em todas as salas de aula e nos diversos setores da escola, durante toda a semana e em várias linguas. «Poemas à Solta»

Eis dois exemplos de poemas da autoria de duas funcionárias: Mulher

Eu! O pensamento

(A autora dedicou este poema a todas as mulheres no seu dia

internacional!)

Sendo o pensamento tão rebelde como o vento sendo o pensamento tão leve como uma pena porque tenho eu de pensar em coisas que me amarrem que me impedem de seguir pelo meu próprio caminho

Mulher , tu que vieste ao mundo Foi a imitar mãe de Jesus És tu que sofres a dor Só tu sabes dar amor Ao dares teu filho à luz Tu carregas no teu ventre Uma seara em semente Feita com tanto prazer, És tu que com tanta dor Chamas sempre p'lo Senhor Para teu filho nascer.

Sou um pássaro que voa abrindo as asas ao vento encho o meu peito de ar tenho a força do mundo para chegar mais alto

Mulher não te iludas com conversas De quem gostaste ou gostas Porque há para aí tanta gente Que nos gaba pela frente, E apunhala pelas costas.

Sou a flor do mato que resiste à força do vento que bebe da chuva que cai que se banha no sol que brilha que dorme quando cai a noite

Tu que sofres violência De quem um dia na vida Jurou fazer-te feliz Luta com todas as forças Pois ainda estás a tempo, De criares tua raiz

Sou o oceano revolto sou a onda que se estende na praia sou a concha que fica quando a onda se recolhe no regaço desse oceano tão poderoso quanto o pensamento

Mulher por vezes vives sozinha Descontente com o mundo

Sou eu Eu sou todos vós quando o pensamento nos visita.

Porque por mais que tu lutes Não encontras a maneira De teres paz um só segundo

Mariana José

Sabes que no fim de contas O que ainda falta dizer Para que ninguém esqueça mais? É que este mundo é para todos E que os direitos são iguais. Ana Catarro

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


26

BIBLIOTECA DA ESCOLA EB 2/3- Porto Alto Sentir as palavras é uma atividade desenvolvida nas aulas de Português, promovendo também a leitura.

A professora Sílvia Pereira promoveu sessões "Leituras de Mar" com as turmas A, B e C de 5º ano. Os alunos estavam bastante motivados e participaram com empenho. “A história da Menina do Mar é muito bonita.” “A escritora é fantástica!” e “A aula foi gira e engraçada”(*)

A professora Filomena Simões dinamizou a atividade “Poesia de Abril” com as turmas A,B e C de 6ºano, no âmbito de HGP. Utilizou diversos recursos e manteve as 'plateias' atentas, interessadas e muito participativas. “Foi uma aula diferente, melhor, que nos cativou muito a atenção.” “Também ficamos a saber o significado daquelas músicas…” “e a conhecer os autores das letras…" "e aquela época de antigamente que era tão diferente!” "Não havia liberdade…(*). Belíssimas aulas! A mesma docente fez pesquisa de poesias visuais que foram afixadas nas portas das salas de aula. Em Apoio ao Estudo de Português, os seus alunos fizeram diversos poemas visuais, que se encontram expostos na BE.

Exemplos de Poesia Visual dos alunos

Agrupamento de Escolas de Samora Correia


27 JARDIM DE INFÂNCIA DA EB Nº2 DE PORTO ALTO – CENTRO ESCOLAR

Cantar as Janeiras No âmbito da “Comemoração do Dia de Reis“, atividade prevista no Plano Anual de Atividades, as crianças da sala 2 do Jardim de Infância do Centro Escolar de Porto Alto, foram cantar “As Janeiras” a vários estabelecimentos comerciais e de ensino da localidade. No dia 7 de janeiro de 2013, a Escola Básica do segundo e terceiro ciclos de Porto Alto, o polo da Universidade Sénior, a farmácia, a pastelaria Padaria e a Casa das Queijadas foram alguns dos estabelecimentos que receberam estes jovens cantores com muita alegria e carinho. Esta atividade foi realizada com o intuito de desenvolver a capacidade de expressão musical assim como conhecer, valorizar e divulgar o património cultural. A mesma serviu também para promover o convívio e o espírito de solidariedade. Antecipadamente e com a colaboração das suas famílias, as crianças decoraram coroas alusivas ao “Dia de Reis” com as quais se ornamentaram no dia de desejar “Bom Ano” à comunidade local. Agradecemos às famílias que participaram e a todos os que receberam tão amavelmente estas crianças. Obrigada aos proprietários das pastelarias Padaria e Casa das Queijadas que ofereceram rebuçados e chupa-chupas, respetivamente, a todas as crianças que participaram nesta atividade. Turma CP2 Educadora Vitalina Teles Assistente Operacional Filipa

Na EB2,3 de Porto Alto com a participação também de alguns pais (mãe do Dinis e o pai da Raquel)

Os cantores, após a sua atuação, a receberem rebuçados gentilmente oferecidos pela proprietária da Pastelaria Padaria. O convívio e a degustação dos Após a atividade na Universidade Sénior do Porto Alto

Agrupamento de Escolas de Samora Correia

rebuçados que as crianças receberam após a sua atuação.


28

UNIDADE DE ENSINO ESTRUTURADO

Ao longo deste período, os alunos aprenderam e elaboraram algumas receitas de culinária. Também tiveram contacto com outras técnicas como coser e cortar, o que os ajudou a criarem alguns objetos artesanais muito criativos e originais.

Os alunos participaram na «Hora do Conto» no Palácio do Infantado

(continuação da página 1- editorial)

É inegável que os membros da família exercem forte influência no comportamento dos indivíduos em fase de amadurecimento emocional, e este depende, em grande escala, das suas experiências emocionais anteriores, ou seja, aquilo que for experimentado na infância desempenha um importante papel durante os anos de adolescência e até sobre a vida ativa enquanto individuo. Assim, que é a família que transmite, avalia e interpreta a cultura para a criança é impossível negar, portanto, a importância e o impacto que a educação familiar tem (do ponto de vista cognitivo, afetivo e moral) sobre o individuo. É neste ponto de vista, do ambiente familiar que os alunos refletem os seus comportamentos em sala de aula, e é fundamental a participação da família na educação de seus filhos como é importante considerarmos que a disciplina deve ser entendida como uma forma de conscializar a criança dos seus direitos e deveres. Ser educado para ser disciplinado, é ser instruído a cumprir regras que estabelecem o bom funcionamento e garantem a ordem social. Tenho que necessariamente questionar-me como pode a escola resolver os problemas sociais que se adensam, quando demasiadas famílias se demitem do seu papel entregando as suas tarefas a outros, não deixando contudo de reclamar e exigir os valores que a si família cabe incutir. Diretor Carlos Amaro

Agrupamento de Escolas de Samora Correia

somosnos  

jornaldoagrupamentodeescolasdesamoracorreia

Advertisement