Issuu on Google+

Universidade  de  Aveiro  

 

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

1  


Universidade  de  Aveiro  

Índice       Introdução  ............................................................................................................................  3   1.1.  Teste  de  funcionalidade  ..........................................................................................  4   1.1.1.   Objectivos  do  teste  ......................................................................................................  4   1.1.2.   Técnicas  utilizadas  ......................................................................................................  4  

1.2.  Teste  de  usabilidade  .................................................................................................  4   1.2.1.  Objectivos  do  teste  ..........................................................................................................  5   1.2.2.  Funcionalidades  ..............................................................................................................  6   1.2.3.  Guião  de  teste  ...................................................................................................................  7   1.2.4.  Participantes  ....................................................................................................................  8   1.2.5.  Contextualização  dos  testes  ........................................................................................  8   1.2.6.  Técnicas  de  teste  .............................................................................................................  8   1.2.7.  Técnicas  de  recolha  de  dados  .....................................................................................  9   1.2.8.  Calendarização  dos  testes  ............................................................................................  9   1.2.9.  Instrumentos  a  construir  e  definição  de  prioridades  das  correcções  .......  10  

1.3.  Teste  de  compatibilidade  ....................................................................................  10   Conclusão  e  reflexão  final  ............................................................................................  11   Anexos  ................................................................................................................................  13  

                 

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

2  


Universidade  de  Aveiro  

  Introdução     Após   o   desenvolvimento   da   versão   beta   do   projecto   Museu   Virtual   de   Design   Português,   é   necessário   compreender   a   forma   como   o   utilizador   final   interage   com   a   plataforma,   perceber   se   as   funcionalidades   encontram-­‐se   bem   desenvolvidas   e   se   são   compatíveis   em   todos   os   suportes   tecnológicos.   Sendo   este  projecto  um  website  de  partilha  /  pesquisa  de  informação  para  utilizadores   interessados  na  área  do  design  português  é  importante  serem  feitos  testes,  para   que  o  grupo  consiga  perceber  quais  os  problemas  mais  relevantes  da  plataforma.     Este   documento   tem   como   objectivo   descrever   os   passos   dados   para   o   desenvolvimento  da  fase  de  testes  do  projecto.  A  equipa  de  trabalho  optou  pelo   uso   dos   teste   de   funcionalidade,   usabilidade   e   compatibilidade.   O   documento   encontra-­‐se  subdividido  pelas  seguintes  etapas:     -­‐

Teste  de  funcionalidade   o Objectivos  do  teste  de  funcionalidade   o Técnicas  utilizadas  

-­‐

Teste  de  usabilidade   o Objectivos  do  teste   o Funcionalidades   o Guião  de  teste   o Participantes   o Contextualização  dos  testes   o Técnicas  de  teste   o Técnicas  de  recolha  de  dados   o Calendarização  dos  testes   o Instrumentos  a  construir  e  definição  de  prioridades  das  correções  

-­‐

Teste  de  compatibilidade  

-­‐

Conclusão  e  reflexão  final  

-­‐

Anexos  

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

3  


Universidade  de  Aveiro  

1.1.  Teste  de  funcionalidade     1.1.1. Objectivos  do  teste         O  teste  de  funcionalidade  tem  como  objectivo  verificar  se  as  funções  do  sistema   são   executadas   correctamente   e/ou   as   regras   de   negócio   estão   aplicadas.   Este   teste   é   deveras   importante   porque   é   através   dele   que   a   equipa   de   trabalho   consegue  encontrar  eventuais  falhas  ao  nível  do  funcionamento  da  plataforma.  

  1.1.2. Técnicas  utilizadas  

 

Este   teste   é   realizado   de   acordo   com   certas   técnicas,   o   teste   integrado   e   o   de   regresso.   A   primeira   caracteriza-­‐se   como   um   teste   que   é   desenvolvido   simultâneamente   em   diferentes   módulos,   já   o   último   é   um   teste   onde   os   problemas  testados  são  corrigidos  em  fases  anteriores.     Este   teste   teve   início   na   fase   da   implementação   das   funcionalidades   e   irá   continuar  a  ser  realizado  até  à  fase  final  do  projecto.  

    1.2.  Teste  de  usabilidade     A  usabilidade  é  o  conceito  usado  para  descrever  a  qualidade  da  interação  de  uma   interface  diante  dos  seus  utilizadores  (público-­‐alvo).  Este  conceito  de  qualidade   está   associada   à   facilidade   de   aprendizagem,   de   memorização   de   tarefas,   de   produtividade   dos   utilizadores   na   execução   de   tarefas,   da   satisfação   subjectiva   do  utilizador  e  principalmente  pela  redução  de  erros.     Sendo   assim,   podemos   caracterizar   os   testes   de   usabilidade   como   um   processo   no  qual  os  participantes  avaliam  o  grau  que  um  produto  se  encontra  em  relação  a   critérios  específicos  de  usabilidade.  

 

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

4  


Universidade  de  Aveiro  

 

1.2.1.  Objectivos  do  teste  

Através   deste   tipo   de   teste,   o   grupo   pretende   verificar   se   está   a   utilizar   a   melhor   forma  de  interacção  do  utilizador  com  a  plataforma  e  encontrar  eventuais  erros  e   soluções.   Ou   seja,   o   teste   de   usabilidade   serve   para   diferentes   propósitos   que   envolvem   tipos   de   tarefas   ou   acções,   encontrando   problemas   de   usabilidade   e   fazendo   recomendações   no   sentido   de   eliminar   os   problemas   e   melhorar   a   usabilidade  do  produto.       Eficiência,   eficácia   e   satisfação   são   os   valores   que   se   quer   passar   para   os   utilizadores  do  website.    

                                                   

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

5  


Universidade  de  Aveiro  

1.2.2.  Funcionalidades       Na   tabela   apresentada   encontram-­‐se   as   funcionalidades   testadas   pelos   utilizadores  durante  os  testes  de    usabilidade.    

  Figura  1  –  Módulos  alvos  de  estudo  

   

             

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

6  


Universidade  de  Aveiro  

1.2.3.  Guião  de  teste     Para   que   seja   possivel   a   realização   do   teste   de   usabilidade,   é   necessário   o   uso   de   um  pequeno  guião  com  um  conjunto  de  passos  a  seguir:    

  Figura  2  –  Guião  de  teste  

   

     

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

7  


Universidade  de  Aveiro  

1.2.4.  Participantes     Para   a   realização   dos   testes   de   usabilidade,   o   grupo   recorreu   a   cinco   participantes  com  idades  entre  os  20  e  os  30  anos,  com  experiência  na  área  do   design  e/ou  novas  tecnologias.  Sendo  esta  uma  plataforma  direccionada  para  um   público   específico   e   com   interesses   na   área   em   questão,   estes   participantes   foram  os  mais  indicados.  

    1.2.5.  Contextualização  dos  testes     Os   testes   são   realizados   num   ambiente   descontraído   e   sem   formalidades,   onde   o   participante  pode  estar  à  vontade,  não  ficando  intimidado  com  as  pessoas  que  o   rodeiam.   O   ambiente   tem   que   possuir   todos   as   condições   favoráveis   para   a   realização   do   teste,   como   por   exemplo,   rede   wireless   para   que   o   acesso   à   web   seja  possivel.    

  1.2.6.  Técnicas  de  teste    

-­‐  Cognitive  Walkthrough     Esta   técnica   diz   respeito   ao   caminho   que   os   utilizadores   têm   que   percorrer   durante   o   teste,   realizando   um   conjunto   de   tarefas   específicas   do   módulo   proposto   (exemplo,   registar-­‐se   na   plataforma,   procurar   por   obras,   efectuar   login/lougout,  entre  outros).     -­‐  Observação     Durante  a  realização  do  teste,  o  utilizador  é   acompanhado  por  uma  pessoa  que   através   da   técnica   de   observação,   encontra-­‐se   de   forma   participativa   e   directa   intervir   sempre   que   é   necessário.   Os   outros   observadores   encontravam-­‐se   perto   do  participante,  criando  um  clima  mais  social  do  que  de  tensão.      

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

8  


Universidade  de  Aveiro  

-­‐  Thinking-­‐Aloud  Protocol  (“pensar-­‐alto”)     Nesta   técnica,   o   participante   é   convidado   a   verbalizar   tudo   o   que   vai   no   seu   pensamento   enquanto   realiza   o   teste,   de   forma   a   que   os   responsáveis   possam   tirar  apontamentos  úteis  para  a  resolução  de  problemas.  

    1.2.7.  Técnicas  de  recolha  de  dados  

   

 

Para   recolher   os   dados   durante   os   testes,   o   grupo   recorreu   a   algumas   técnicas,   como:     -­‐

Grelha  de  observação;  

-­‐

Questionários    

  As   grelhas   de   observação   servem   para   anotar   as   várias   dificuldades   que   o   utilizador  encontrou  ao  realizar  o  seu  teste.     Os  questionários  são  preenchidos  pelos  participantes  no  início  e  no  final  do  teste.   Estes   são   realizados   com   o   objectivo   de   conhecer   um   pouco   o   utilizador   e     perceber   se   este   ficou   satisfeito   com   as   funcionalidades   da   plataforma.   São   constituídos  por  perguntas  de  resposta  fechada  e  aberta  (Figura  3).    

  1.2.8.  Calendarização  dos  testes  

  Os  testes  deste  projecto  foram  realizados  durante  o  dia  7  e  8  de  Junho  de  2012.   Após   o   grupo   ter   detectado   alguns   erros   enquanto   se   encontravam   em   reunião   com  os  orientadores,  houve  um  adiamento  da  fase  de  testes.    

     

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

9  


Universidade  de  Aveiro  

1.2.9.  Instrumentos  a  construir  e  definição  de  prioridades   das  correcções     Após  a  realização  dos  testes,  é  criada  uma  lista  com  os  erros  e  suas  descrições.   De  acordo  com  o  seu  grau  de  importância,  estes  são  maiortariamente  corrigidos   e  testados  novamente  pelo  grupo.  

    1.3.  Teste  de  compatibilidade     Os   testes   de   compatibilidade   tem   como   principal   objectivo   verificar   a   consistência   e   compatibilidade   da   plataforma   entre   os   diferentes   sistemas   operativos,  browsers  e  resoluções.       O   projecto   Museu   Virtual   de   Design   Português   tem   como   objectivo   ser   usado   em   computadores,   tablets   e   smartphones.   Logo,   dando   prioridade   às   maiores   resoluções  de  ecrã,  o  website  foi  desenvolvido  com  uma  largura  de  960  píxels.  De   seguida   construíu-­‐se   a   adaptação   para   dispositivos   móveis,   onde   as   resoluções   encontram-­‐se  entre  os  480  x  640  píxels  de  largura.     Esta  adaptação  consiste  na  alteração  da  folha  de  estilos,  onde  alguns  elementos   são   modificados   a   nível   de   tamanho   e   disposição.   Foram   também   omitidos   outros   elementos   e   funcionalidades,   como   o   login,   registo   a   inserção   de   novas   obras.    

             

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

10  


Universidade  de  Aveiro  

Conclusão  e  reflexão  final     Após   a   realização   destes   três   tipos   de   testes,   o   grupo   chegou   a   algumas   conclusões.  Relativamente  aos  testes  de  funcionalidades,  este  ajuda  bastante  na   realização  das  funcionalidades,  visto  que  se  iniciou  na  fase  de  implementação  e   irá   continuar   a   ser   usado   até   à   entrega   final.   Mas   mesmo   assim,   algumas   funcionalidades  ainda  não  estão  100%  completas,  como  é  o  caso  da  timeline.     No  que  diz  respeito  aos  testes  de  usabilidade  dos  diferentes  participantes  pode-­‐ se  tirar  as  seguintes  conclusões:     -­‐

Alguns   participantes   tiveram   dificuldades   na   página   da   timeline,   visto   que   demoravam  a  perceber  que  podiam  arrastar  o  slider  e  ver  o  resto  das  datas   que   se   encontram   na   base   de   dados.   Logo,   neste   ponto   perderam   algum   tempo.    

-­‐

Ao   registarem-­‐se   na   plataforma   demoravam   algum   tempo   a   inseriam   informação   nos   campos   com   caracteres   limitados,   visto   que   só   o   podiam   validar  se  estivessem  preenchidos  correctamente.  A  questão  do  CAPTCHA,  é   outro  problema,  visto  que  muitos  dos  participantes  não  conseguiam  acertar   à   primeira   nas   palavras   que   aparecem   aleatóriamente   na   imagem.   Ao   errarem,  estas  são  direccionadas  para  uma  página  externa  e  só  depois  é  que   podem  voltar  a  tentar.  

  -­‐

No   formulário   de   inserção   de   autor/obra,   alguns   participantes   demoraram   algum   tempo   a   perceber   como   iam   adicionar   um   novo   autor,   visto   que   a   opção  aparece  só  no  final    da  drop  down.  A  ordem  de  inserção  de  informação   foi   outro   dos   problemas   que   foram   levantados,   ou   seja,   primeiro   é   adicionado   o   autor   e   só   depois   a   obra,   mas   se   o   autor   já   existir   na   base   de   dados  é  só  preciso  seleciona-­‐lo.  

 

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

11  


Universidade  de  Aveiro  

Relativamente   aos   teste   de   compatibilidade,   ainda   é   necessário   trabalhar   um   mais   neste   campo.   No   website,   só   o   dragg   da   timeline   é   que   não   funciona   no   browser  IE.  No  mobile  e  versões  tablets/iPad  ainda  é  necessário  ajustar  um  pouco   mais  a  folha  de  estilos.     Disto   conclui-­‐se   que   a   equipa   do   projecto   Museu   Virtual   de   Design   Português   irá   dar   mais   atenção   aos   erros   que   foram   encontrados   durante   estes   testes.   As   funcionalidades   incompletas   e   as   não   implementadas   são   o   passo   que   o   irá   realizar  a  seguir.    

                                         

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

12  


Universidade  de  Aveiro  

Anexos     Questionários  

 

Figura  3  –  Questionário  

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

13  


Universidade  de  Aveiro  

Grelha  de  compatibilidade  com  os  browsers    (versão  web)  

 

Figura  4  –  Grelha  de  compatibilidade  nos  Browsers  

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

14  


Universidade  de  Aveiro  

                                 

  Figura  5  –  Grelha  de  compatibilidade  da  adaptação  mobile  

 

Helder  |  Lorenzo  |  Sofia                                                                

 

 

15  


entrega06_ testes mvdp