Page 1

sofia garcez portf贸lio


experiência profissional Freelancer _ Arquitectura

S+A Colombia - InovContacto* Bogotá DC, Colombia _ Estágio

Jan. 2014 - actualm.

Empresa de arquitectura com sede em Lisboa e com oficinas em 10 países, cuja actividade se desenvolve nas áreas de arquitectura, planeamento urbano, design e design de interiores. * Programa de estágios profissionais considerado o melhor programa europeu para o desenvolvimento profissional internacional apoiado pela União Europeia e gerido pelo Governo Português. - Desenvolvimento de projecto de habitação plurifamiliar e seu projecto de execução. - Num primeiro período nas instalações da S+A Portugal iniciei a concepção de dois projectos: a adaptação de um edifício existente para o acolhimento de crianças em risco, em Lisboa; um edifício que acomoda as áreas de serviço de um resort no Alentejo.

Universidade do Porto Porto, Portugal

Out 2013 – Dez. 2013

Trabalho de investigação coordenado pela Doutora Clara Pimenta do Vale, de cujo trabalho resultou o livro “Avenida dos Aliados e Baixa do Porto. Memória, Realidade e Permanencia”, editado pela SRU, Porto Vivo. - Integrei a equipa de investigação na recolha e análise de informação, assim como na criação de elementos gráficos e revisão e definição do design gráfico. - Versão digital: (PT) http://www.portovivosru.pt/1avenida/publicacoes (EN) http://www.portovivosru.pt/1avenida/publications

Paredes, Portugal

Mai. 2013 – Dez. 2013

- Ante-projecto para a requalificação dos espaços exteriores de uma vivenda unifamiliar, em cooperação com o arquitecto paisagísta Mauro Cardoso. - Apoio e acompanhamento das obras de reabilitação dos paramentos exteriores do edificio Plaza, Paredes, nomeadamente na definição da imagem final do edifício pela inclusão de elementos para contenção solar e selecção de materais de revestimento.

Freelancer _ Design Gráfico Paredes, Portugal

Set. 2012 - Mar. 2013

- Desenvolvimento de elementos gráficos para comunicações da empresa Margem Ideal (Lordelo, Portugal): cartões de visita, catálogos e flyers. - Apoio na área de tradução. Representaçãoda empresa em Missão Internacional de negócios “Creativity Meeting Point” 2013, (Bilbao, España).

Arquitectura Lda. EFCA Paredes, Portugal _ Part-time

Nov. 2005 - Mar. 2006

- Apoio no desenvolvimento de projectos de arquitectura de interiores, através de levantamentos, recolha e seleção de materiais, desenho de mobiliário.


educação

outros

Mestrado Integrado em Arquitectura

Out. 2013

Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto Dissertação: “(re) interpretar uma identidade”. Neste trabalho de investigação procuramos compreender as problemáticas do fachadismo enquanto prática corrente de intervenção sobre o património urbano. Obteve uma classificação de 19/20. Classificação final do curso: 16/20. Unidades curriculares: projecto, construção, sistemas estructuais, desenho, história da arquitectura, teoria da arquitectura, geometria.

Programa de Intercâmbio Universitário Facultad de Arquitectura, Diseño y Urbanismo. Universidad de Buenos Aires

Ago. 2010 Jul. 2011

Unidades Curriculares: área de urbanismo_ Proyecto urbano e Historia Urbana de Buenos Aires; área de modelação tridimensional_ 3d studio max y V-Ray. Arquitectura 4 (proyecto), Diseño de iluminación, Análisis crítico de la arquitectura moderna y pós-moderna, SIUS (desenvolvimento de projectos interdisciplinares para comunidades desfavorecidas).

Inglês Nível B Lancaster College, Paredes, Portugal

Set. 2008 - Jul. 2009

Classificação 19/20

sofia garcez curriculum vitae

Idiomas Português

Nativo

Inglês

Bullats Exams 2013_ Nível C1 Avanzado

Español

Informática Domínio Avançado:

Archicad Graphisoft 2D y 3D; Autocad Autodesk 2D; Google SketchUp; Microsoft Office (Word y Power Point)

Domínio Intermédio:

Adobe Indesign; Adobe Photoshop; 3D Studio Max

Domínio Básico:

Programas de renderização: V-Ray, Artlantis Graphisoft

Características pessoais - Organizada e com sentido de responsabilidade: acumulei as funções de tesoureira, organização de concertos e viagens na Associação Juvenil “Grupo de Música Antiga de Paredes”, desde a sua constituição em 2007 até 2010. Desde a sua fundação como grupo de música, em 1999, fui intérprete de flauta soprano de bisel. - Boa capacidade de adaptação a ambientes multiculturais e a trabalhos em grupo. - Curiosa e com muita vontade de aprender e evoluir. - Principal Interesse: Viajar. O desejo de conhecer novos lugares, suas culturas e reflexos na arquitectura antiga e contemporânea são a principal motivação que sustentam as viagens realizadas. Na América Latina, uma viagem de dois meses permitiu-me visitar o Equador, Perú, Bolívia e Brasil. Além destes visitei o Uruguay, Cuba, viví na Argentina e vivo actualmente na Colômbia. Na Europa conheci: Alemanha, Austria, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Holanda, Hungría, Itália, Reino Unido e Rússia. Em África: Tunísia.

Telemóvel (CO) 320-2846775 Telemóvel (PRT) 00351918614658 Direcção: Bogotá DC, Colombia Email: sofia-garcez@hotmail.com Data de Nascimento: 31-03-1987 Nacionalidade: Portuguesa


corte: AB

planta: piso tĂŠrreo


alçado alçado

residência residênciapara para 33estudantes estudantes Projeto Projeto 1 1 Docente. Docente. José José Manuel Manuel Soares Soares Faculdade Faculdade de de Arquitectura Arquitectura Universidade Universidade do do Porto Porto

planta: planta: 1º piso 1º piso


cais caisdadaalfândega alfândega

residência residênciadedeestudantes.museu.estação estudantes.museu.estaçãodede comboio.zona comboio.zonadederestauração.espaço restauração.espaçopúblico público Projeto Projeto 2 2 Docente Docente Pedro Pedro Alarcão Alarcão Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


cais caisdadaalfândega alfândega

residência residênciadedeestudantes.museu.estação estudantes.museu.estaçãodede comboio.zona comboio.zonadederestauração.espaço restauração.espaçopúblico público Projeto Projeto 2 2 Docente. Docente. Pedro Pedro Alarcão Alarcão Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


cais caisdadaalfândega alfândega

residência residênciadedeestudantes.museu.estação estudantes.museu.estaçãodede restauração.espaçopúblico público comboio.zona comboio.zonadederestauração.espaço Projeto Projeto 2 2 Docente. Docente. Pedro Pedro Alarcão Alarcão Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


# 11


cais caisdadaalfândega alfândega

residência residênciadedeestudantes.museu.estação estudantes.museu.estaçãodede comboio.zona comboio.zonadederestauração.espaço restauração.espaçopúblico público Projeto Projeto 2 2 Docente. Docente. Pedro Pedro Alarcão Alarcão Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


alçado principal: via pública

alçado tardoz: logradouro

alçado lateral: via pública

alçado lateral: acesso ao logradouro

planta: cobertura


a a

b b

c

d d

c

planta módulo: cobertura planta módulo: cobertura

habitação habitaçãocoletiva coletiva acesso acessodireto diretoT2T2. T3 . T3 corte: corte: ab ab

Projeto Projeto 3 3 Docente. Docente. Paula Paula Petiz Petiz Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto a a

b b

c

d d

c

corte: corte: cd cd

planta módulo: 2º piso planta módulo: 2º piso

a a

b b

c

d d

c

planta módulo: 1º piso planta módulo: 1º piso

a a

b b

c

d d

c

planta planta módulo: módulo: piso piso térreo térreo


133 131.45

RUA

Fachada Rua da Constituição RUA

DE

RUA

JARDIM ESCOLA

~ DEUS JOAO DE

~ CONSTITUIC, AO

DE

RUA

EGAS

R.

RUA

DE

CO OL EL A

A RU

DE

O IT BR

LO PE CA

UCA A DA BO , RU

DE

MONIZ

EGAS

Planta de Implantação

Fachada Rua Egas de Moniz


habitação habitaçãocoletiva coletiva galeria galeriainterior interiorT1.T1.T2.T2.T3.T3.T4T4

Projeto Projeto 3 3 Docente: Docente: Paula Paula Petiz Petiz Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


e-learning e-learningcafé café projeto projetoconceptual conceptual AA imagem imagem dede umum binóculo binóculo foifoi o ponto o ponto dede partida partida deste deste projecto. projecto. TalTalcomo comoososbinóculos binóculosnos nospermitem permitemververalém alémdaquilo daquiloque quefisicamente fisicamentealcançamos, alcançamos, também tambémeste esteespaço espaçonos nos proporciona proporcionaessa essavalência, valência,criando criandouma umametáfora metáforaentre entre ververe esaber. saber. AsAsfolhas folhasdedeumumlivro, livro,repletas repletasdede histórias histórias e conhecimento e conhecimento remetem-nos remetem-nos para para mundos mundos fantásticos, fantásticos, para para onde onde a imaginação a imaginação transporta transporta osos nossos nossos corpos corpos inertes. inertes.Por Por outro outro lado lado este este é também é também umum espaço espaço que que privilegia privilegia a internet a internet e as e as novas novas tecnologias. tecnologias. Mais Mais uma umavez vezsomos somosconduzidos conduzidospara paraoutros outroslugares, lugares,remetendo-nos remetendo-nospara pararealidades realidadeslongínquas, longínquas,mundos mundos desconhecidos desconhecidos que que queremos queremos descobrir, descobrir, numa numa experiência experiência quase quase realista realista num num mundo mundo virtual. virtual. Pretende-se Pretende-sea aprocura procuradodosaber sabernum numespaço espaçorepleto repletodedeexperiências experiênciassensoriais, sensoriais,dedecontactos contactosvirtuais virtuaiscom com outras outrasrealidades. realidades.A Aforma formamove-se, move-se,o oespaço espaçotransforma-se, transforma-se,evoluiu, evoluiu,acompanhando acompanhandoo opróprio própriofluir fluirdodo conhecimento. conhecimento.Tudo Tudo é virtual, é virtual, tudo tudo é próximo é próximo mesmo mesmo quando quando está está distante. distante.

CAAD CAAD Docente. Docente. Pedro Pedro Leão Leão Neto Neto Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


planta: piso térreo

planta: 1º piso

planta: 2º piso


e-learning e-learningcafé café projeto projetoconceptual conceptual

CAAD CAAD Docente. Docente. Pedro Pedro Leão Leão Neto Neto Faculdade Faculdade de de Arquitetura Arquitetura Universidade Universidade do do Porto Porto


planta de implantação

alçado principal


planta: suite junior

corte construtivo

planta: suite normal

planta: suite presidencial


corte corte longitudinal: longitudinal: quarto-tipo quarto-tipo

planta: planta: quarto-tipo quarto-tipo


a

a

b

b

NPT + 5.40

NPT + 0.80

NPT + 7.64

a'

a'

NPT - 1.00

b'

b'

planta: piso térreo

planta: 1º piso - acesso principal

NPT + 11.96

NPT + 7.64

NPT + 6.20

NPT + 4.40 NPT + 3.50

NPT + 0.80

corte: a.a'


museu

a

museu nacional de belas artes - Tigre Arquitetura 4 Cátedra: Roca/Sardin Faculdade de Arquitectura, Diseño y Urbanismo Universidad de Buenos Aires

b

NPT + 11.96

a'

b'

planta: 2º piso

corte: b.b'


MANIFIESTO

PREEXISTENCIA

PROYECTO URBANO. UNA EXPANSION DE LA CUIDAD HACE EL AGUA

DARSENA SUR - 1931

CENTRAL ELÉTRICA E RESERVA NATURAL

DENSIDAD

DARSENA SUR - - MARGEM SUL (LA BOCA)

REFERENTES

DARSENA SUR -

DARSENA SUR - MARGEM NORTE

PUERTO MADERO


CORTE CORTE LONGITUDINAL LONGITUDINAL - DARSENA - DARSENA SUR SUR

CORTE CORTE TRANSVERSAL TRANSVERSAL - DARSENA - DARSENA SUR SUR

VSTA DESDE VSTA DESDE A ENTRADA A ENTRADA PARA PARA O PORTO O PORTO (DARSENA (DARSENA SUR), SUR), COM O COM MUSEU O MUSEU NAVALNAVAL EM PRIMEIRO EM PRIMEIRO PLANO PLANO ESQUEMA ESQUEMA ARBOLES ARBOLES Y ESPACIOS Y ESPACIOS VERDES VERDES


planta -1 arrumos / wc

planta 0 receção / posto turismo

planta 1 galeria exposições

planta 2 auditório

planta 3 salas polivalentes

planta cobertura

alçado principal


corte corte


Catálogo para apresentação da empresa MARGEM IDEAL e projeto AUDIRI Creativity Meeting Point . Bilbau 2013


Cartões-de Cartões-de -visiita -visiita . Flyer . Flyer desdobrável desdobrável e montável e montável . Caixa . Caixa arquivadora arquivadora

Flyer Flyer desdobrável desdobrável e montável e montável

ACORDA ACORDA . Instituto . Instituto do do Design Design . Guimarães . Guimarães

[ Atividades [ Atividades e Conversas e Conversas Relacionadas Relacionadas comcom o Design o Design e aeArquitetura a Arquitetura ] ]

Estudo Estudo para para página página de de internet internet


preexistência

estudo prévio - reabilitação de fachadas


maquete estudo

pala de proteção solar em poliestireno extrudido

edifício plaza Paredes, Portugal

2013 Freelancer rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr marquise-tipo

r rrtirrr rr rrr rrrrrrrr rr qrrr rr rrrrrrrrrr rérrrrrr rrr rrrrrrrrr r rrrrrrr rrrrr rrrr r rrrrrrrrr rr rrrrrrrrrr rá rr rrrrrrrrrrr rrérrrrrrrr rrrrrrrrr rrr rrrrrrrrrr rr Crrrórrrrrr r rrrrrrrr rrrrrrtir rr rrrrrrr rr rrrrrrrrr rr rrrrrtirrrrr rrrqrrrrr r rrr rrrrrrr rrrrárrr r rrrrrrrrrrrr r rrrrrrrr rrrârrrr rrrr r rrrrrrrrrrr rr rrrrrrr rr qrrrrrr r rr rrrrrrr rr rrrr r rrrrrrrrrr rrr rrrrrrrr r rrrrrrrr r rrrrr rrrr rrfirrrrr rr rrrrrr rr rrr rrrrr r rrrr rrr rrrrr rrrrrtirrr r rrrrrrr r rrrrrrrrr rrrárrrrrr Drrrr rrrrrrêrrrr rrrrrrrr r rrrrrrrr rrrrrr rrr rrrrrrrr rr rrrrrrrrr rr rrrrrrrrrrr qrrr rrrrrrrrrrrr qrrr rrrrrrrrrrrrrrr rrrrr rrrr r rrrrrr rr rrrrrrrórrr rr rrrrr rr Brrrrr rrrr rr rrrrrrrrr rrrrr rr rrrárrgrr Nr rrrrr rrrtirr rrrrr rrrrrrrrrrrrr rrrrrrrr rrrr rrrqrrrrrrtirr rrrr rrrrtirrrrrr r rrrrrrrrrrrrr rrr rrrrrrrrrrr rrrrrrrr rrrr rrrrrrrrr rr rrrrrrrrr rr rrrrrrrrrrrrrrr rrr rrrrrrrrrrrrrrrr rrrrrrrrrrr rrrrr rrrr rrr rrrrrrrr r rrrrrrrrrrrrrrr rr rrr rrrr rrrr rrrrrrrr rrr rrrrrrr rrr rrrrrrrrrrrrrr rrrrrr


C A S A E VA S O A R E S | P I A S, PA R E D E S PROGRAMA BASE, DEZEMBRO 2013

SETOR NASCENTE - VISTA GERAL

- árvores preexistentes de elevado interesse cénico e em bom estado fitossanitário.

estabelece a ligação e coerência entre as duas áreas da proposta.

- o restante coberto vegetal recai sobre manchas de herbáceas e gramíneas C A Svivazes A E VA S O Ade R E S | caráter P I A S, PA R Eornamental, DES PROGRAMA BASE, DEZEMBRO 2013 intercaladas com sub-arbustivas com desempenhos texturais, cromáticos e florais diversificados.

Este percurso, tratado de forma cénica, pela composição entre luz e formas vegetais, afirma-se como um cenário que enaltece o setor poente, desprovido este de vistas desafogadas pela implantação próxima das habitações vizinhas.

A vegetação e materiais de O remate deste percurso faz-se pela revestimento, elementos primordiais implantação de uma Oliveira transplanta, deste setor, partem de pressupostos que controla assim o fluxo de movimento. de baixa manutenção, assumindo Por sua vez, a plataforma de acesso à como revestimento de solo materiais inorgânicos tais como gravilhas ou godo, e plantas perfeitamente adaptadas ao clima doGaragem local, pouco exigente em águaDistintos Jardim Zen à exposição solar. percursos de e bastante tolerante acesso, com C A S A E VA S O A R E S | P I A S , PA R E D E S PROGRAMA BASE, DEZEMBRO 2013 espaços de Um terceiro momento é marcado pelaclareira e áreas zona de chegada, desenhando-se ode estar Patamar de Entrada, um prolongamento do átrio da habitação, novo espaço de estar e Entrada Nascente configurando este um espaço de contemplação contemplação da paisagem. A ligação entre o setor e o setor poente faz-se a partir de um percurso anexo à casa e que incorporará, doravante, - ACESSO À PROPRIEDADE uma zona com elementos que SETOR habitação é ampliada oferendovegetais, uma trepadeira e NASCENTE com elementos arbóreos maior liberdade de movimentos e a capacidade de receber novos usos. A partir desta acede-se então a duas áreas. A zona norte, oferendo as melhores condições de insolação do terreno, liberta-se para receber o espaço da piscina, concentrando-se na zona oposta, já de si em sombra pelas implantação da habitação vizinha, os espaços encerrados. Uma e outra área, apesar dos programas distintos, leem-se como um todo contínuo, com a ausência de paredes que cortam o espaço, antes aproveitando a largura total do lote dando amplitude ao espaço.

pontuais; - área de chuveiro de apoio à piscina. - áreas técnicas junto à entrada. A permeabilidade visual a partir do exterior é por sua vez reduzida pelo aumento da cota do muro limite da propriedade, assim como pela permanência da Figueira que enquadra a entrada, controla os eixos visuais e oferece uma área de pequena sombra junto à zona da piscina.

O setor poente dispõe então:

As áreas cobertas organizam-se, por sua vez, sob uma pala que confere unidade a todo o conjunto no encontro com a estrutura preexistente, abrigando dois blocos encerrados que, articulados com os espaços vazios, organizam diferentes áreas com programas distintos.

- churrasqueira, sala de estar/refeições, pequena cozinha/kitchenette, arrumos e instalação sanitária.

No espaço vazio central uma ampla área serve como zona de refeições.

- área de relvado; - área de pavimento em deck, que enquadra os elementos naturais; SETOR POENTE - VISTA GERAL

- como pano de fundo de toda a composição, uma parede revestida com

No primeiro bloco o espaço de arrumos permite armazenar todo o mobiliário exterior durante o inverno, garantindo a segurança e manutenção dos bens,

CASA E

PROGRAMA

Sa


casa das pias

VA S O A R E S | P I A S, PA R E D E S

A BASE, DEZEMBRO 2013

Paredes, Portugal

Projecto em cooperação com : Arquitecto Paisagista Mauro Cardoso Cozinha /Kitchenette Instalação Sanitária Churrasqueira

Antigo Lagar convertido num jardim de aromáticas

ala de estar/refeições

O presente projeto previu a reconversão dos espaços exteriores da habitação, situ no lugar das Pias, tomando como premissas algumas questões basilares:

C A S A E VA S O A R E S | P I A S , PA R E D E S

C A S A E VA S O A R E S | P I A S, PA R E D E S

PROGRAMA BASE, DEZEMBRO 2013

Entrada Poente

- o uso sazonal da habitação, manifesto na escolha de materiais e elementos vegetais de baixa manutenção, assim como pelo desenvolvimento de duas estruturas totalmente encerradas que permitem o armazenamento e salvaguarda de O presente projeto prevê a reconversão O acesso desenvolve-se a partir de dos espaços exteriores da habitação, uma nova os entrada, com acesso à todos os elementos móveis durante perÍodos dedireto ausência.

1.3 - PROPOSTA

situ no lugar das Pias, tomando como premissas algumas questões basilares:

garagem, e a partir da qual se acede a uma cota superior.

- a localização da piscina, inserindo-a na área de maior deste espaço desenvolvemexposição solar, evitando-se Aseospartir largos perÍodosdeem sombra e distintos percursos acesso à um maistérmico. formal e direto, com consequentes sensações de habitação, desconforto recurso a lajetas de betão que desenham

- o uso sazonal da habitação, manifesto na escolha de materiais e elementos vegetais de baixa manutenção, assim como pelo desenvolvimento de duas estruturas totalmente encerradas que permitem o armazenamento e salvaguarda de todos os elementos móveis durante os perÍodos de ausência.

uma sucessão de pequenas plataformas

pontuadas por elementos vegetais - o desenvolvimento das áreas de apoio pelo verticais, e um requeridas outro mais informal, que se revela ou escondearrumos no meio dee cliente: churrasqueira, sala de estar/refeições, - a localização da piscina, inserindo-a clareiras que promovem um utilização instalação sanitária. na área de maior exposição solar, efetiva deste espaço, com momentos de evitando-se os largos perÍodos em sombra e consequentes sensações de desconforto térmico.

deambulação, repouso e contemplação.

- requalificação da área de entrada nascente com a inserção de uma garagem e tratamento dos percursos de acesso à cota alta.

se muros de contenção de terras em

A opção por um jardimcom em patamares - requalificação da área de entrada nascente a inserção - o desenvolvimento das áreas de apoio prende-se com a topografia acidentada de uma pelo garagem e tratamentodo dos percursos de acesso requeridas cliente: churrasqueira, terreno, permitindo assim a criação à cota sala de estar/refeições, arrumos e de áreas planas mais propícias à sua alta. instalação sanitária. utilização. Como resultado desenhambetão aparente cuja escala é controlada - o desenvolvimento de espaços dedejardim diversificados como através vegetação pendente. apoio e gerador de novos usos. - o desenvolvimento de espaços de jardim diversificados como apoio e gerador de novos usos.

CORTE LONGITUDINAL

N

Piscina

N

Arrumos

PROGRAMA BASE, DEZEMBRO 2013

SITUAÇÃO EXISTENTE

PROPOSTA

O setor nascente organiza-se assim em três momentos: acesso, percurso e chegada/contemplação.

De um modo geral a vegetação dividese em:

- elementos arbóreos de folha persistente de médio porte que definem uma cortina arbórea nos limites da propriedade, conferindo privacidade ao jardim; - ciprestes usados como elementos pontuais na marcação do percurso;


AVENIDA DOS ALIADOS E BAIXA DO PORTO Mem贸ria, Realidade e Perman锚ncia


w

(RE) INTERPRETAR UMA IDENTIDADE Dissertação de Mestrado em Arquitetura Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto

publicações

(re)interpretar uma identidade (re)interpretar uma identidade

Design Gráfico, Investigação

2014

��

���� � ��� �� ��������� ���� ����� ��������� � �����

PARTE 2 Da preexistência ao projeto de reabilitação. 5. DA SELEÇÃO DOS CASOS DE ESTUDO AOS OBJETIVOS DE ANÁLISE

59

6. DA PREEXISTÊNCIA

79

6.1 A Casa Burguesa Portuense 6.2. Casa do Conto Contextualização histórico-urbana Identificação da preexistência 6.3. Casa para 2 Irmãs Contextualização histórico-urbana Identificação da preexistência

� ���� �� ����� �� ������ �������� ��� ��� ���� �������������� �� ���� ��� � ����������� �� ���� �� ������� � ������ �� ���� � ������ ��������� �� �������������� ��� ����� ��������� �� ��� ��������� � �������� ����������� �� ����� �� ��� ����� �� ������� �������� �������� �� ������� ����������� � ����������� �������� �� ����������� ����� �� ���������� ������� �� ����� � ���������� ����� ������� ����� ������� �� ��� ����� �� ������ �� ������ ���������� �������������� ��� ��� ��������� �������� �� ������ ��������� ��� ��������� ��������� �� ������� �� �������� �������� ��� ������ ��� ��������� ��� ����� ���������������� ����� ���� �� ���������� �� ����� ������ ���� � ���� �� ������� �� ���� �� �������� ��� ������������� ������� ����� ���� �� ��������� ����� ������ ������������� � ������������ ��������� ����������������� ������� ���� ����� �� ������ � �������� ������� � �� �������� � �������������� ��� ����� �������������� ����� �� ������� ������� ��� ������ ���� ���������� ���� ��� ���� ���������� ����������� ���� ������ ������� ��� ��������� ������� ��� ���� ������������� ������������ ����� ��� ������ ���� ��� ������� �� ������������� ����������� ����� �������� �� ������� �� ��������������������� ���� ������� ��� ����� �� �������� ��� ������ ������������ ��������� ���� ������� ��� ���� ��������� ������������� ����� ���� �� ������� ����� �� ���������� ��� �������� ��� ������ ������ � �������� ����� ������� ���������� ������� ��������� � �������� ���� ���������� �� ������� ��� ��������� ������� �� ����� ������ ����������� ���� ���� ������������ �� ������� ��� � ������ �� ���� ������������ �� ���� ������� � ����������� ��� ����������� ���� ������� ������ �� �������� �� ���� �� ���� ����������� ���� � ������� ���������� ����������� � ����� �������� ������� �� �������� ������ ����������� � ������ �� �������� ������� �� ������� ������ �������� ��� ������ ����� � �������� ���� � ���������� ������������� ������� �������� ����� ������� ����� � ������� � ��������

81 87 87 94 109 109 119

7. AO PROJETO DE REABILITAÇÃO

131

7.1 Matriz de organização interna do edifício Casa do Conto Casa para 2 Irmãs

133 137 157

Considerações finais

���� �� �����

175

índice de imagens bibliografia

6

���� � ���� �� ������ ����������� ���������� ��������� �� ��������� �������������

�� � ������������ ��������� ��� ���� �� ������ ��� ��� ���� � ������ ������������ ��� ������ ����� �� � ����������� �� ����������� ������������� ����� ����������� �� �������� �� ������� ���������� �� ����� ����������� ����� ������ ��� � ������� ��� ���������������� �� ���� �� ����� � ��� ���������� ��� � ������� ��� �������� � ���������� �� �������� �������� ���������� ����� ����� ���������� ��� ������ �� ������������� � ������������ ���� ���� ���� �� �����������

1 2 3 4 5 6 7 8

9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

������� ���������� �������� ������� ���������� ���� ���� �� ��������� ������� �� �� ����� ���� �� ������� ������� ���������� �� �� �������� ������� ����� �� �� ����� �������

��

��

��

��

Avenida dos Aliados e Baixa do Porto Memória, Realidade e Permanência versión digital:

����� ����� ���������� ������ ��������� �������� ������ ��������� ������� �� �� ������ ��������� ������ ������ � ������ ������ ������� �� �� ������

����� �� ������� � ������ ������ �� ������ �� ��� �� ��������� ����� �� �������

��

��

�����

������� �������

100

5

http://www.portovivosru.pt/1avenida/publicacoes http://www.portovivosru.pt/1avenida/publications

101

(re)interpretar uma identidade (re)interpretar uma identidade

Autoria

2013 (re) interpretar uma identidade

1. EDIFICADO CORRENTE – IMAGEM E IDENTIDADE ��� � ������ ��������� ��� ��� �������� ������ � ��� � ������ ��������� ��� ��� �������� ������

“Na cidade as arquiteturas parecem ajudar-se umas às outras para sobre�i�erem � incompreens�o e solid�o do edi��cio �nico e irrepet��el� �eparados n�o têm signi�icado se n�o se considerar a sua m�tua compan�ia� As proporções, os materiais e as cores lançam sinais e estabelecem diálogos entre si� � o con�unto destas rela��es que proporcionam a atmos�era e o ambiente que percebemos em cada cidade�� ������ ���� ������� ����� ���

�� ������� � �������� �� ������������ ����� � ��������� �������� ������ ������� ����������� �� ��� �������� ���� ����� ���������� ������� � ��� � ����������� � ���������� ��� ��������� ��������� ������������ �� ����� ������������ ����� ���� �������� �� ���������� ���������� � ��� �� �������� �������� � ��������� ���������� ��������� ���� ���������� ����� � ��������� �������������� ���� �������� � ���� �� ��� ��������� ��� �� �������� �� ��� ����� �� ����������� ������ ������������� �� ������������� ������������ ��� �� ����� �� �� ������� ���� repetição de um modelo e tipologia ���� ���� ���������� ����������� ��� ���� ��������������� ������� � ������������ ���� ���������� ������� ��� ������� ��� � ������� ��� ���� �� ����� ������� ������� ������ � ������ ������� ���������� ������ � ����� �������� ��������� ���������� �� ���������� � �������� ������� ������� ���������� ����� ���� � � ������� ��� ������ ����� ������ ���������� ��������� � ��������� �������� �� ���������� ����� ������ �������� � ���������� ���� �� ������� ��� ���������� ��� � ������ � ������ �������� �� ���� �� ������� �������� ���� � imagem identitária da cidade/lugar. ���� ���� �� ������������ � ��� �� ������������ ������ ������ �� ����� �� �������� �������������� ���� �������� �� ������������� �� ����������� ��������� ��� � �������� �� �������� ����� ���������� 22

� ������� �������� � ������ �� ������� ����� � �������� ������ ���� ����������� �� ��� ����� ����������� ��� ������ ������ �� ������� ����� ���������� �� ������������ ������������ � ���������� ��� ������ ���� ������� � ��������� ������������� �� ��������� ������� ��� ���� ������ �������� ��� ���� ��� ������ �������� ���� ���� ��������� �� �������������� � �������� �� ���� ��������������� ���� ���������� ����������� ��� ��������� �������� � ����������� �� �������� �� ������� �� ��� � ������ ��������� �� ����� �� �� �������� � ������� �� � ��������� �� ������ � ����� ��������� ����� ������ � ������ �� ������ �� �������� �� ��� � ������� � ����������� � �� ��������� �� ����� ��������� � ����� �� ����������� ���������� � ��� ������ �� ������� ������������ ��� ����� ����� � ����� ������������ ��������� �� ���� �� ������ �� � ���� ��� ����� ������������

� � ��������� ����������� ���� �������� ���������� ���� ��� ���������� �� ���������� ����������� �� ������� �� ���� ������ �������� ����� ����� �������� ����� ��� ���� ����� ������� ��� �������������� � ������ ������� �� �� ������ �� ����������� ��������� �������� ��������� �������� � ����� �� ���� �� ������� ����� ���� ������� �� �������� ����� ��� � ��������� ��� � �������� �� ������������� � ���� ����������� �� ������� ����������� ���� ��������� ��������� �� ���� ������ ��� ����������� ��������� ��� ������� ���� �������� ���������� �� ��� �������� � ������������ �� ���������� �� ����� �� �� ������� ���������� ������� �� �� �������� ����������� �� ���������� �������� �� ������� �� ������ �� ���������� �� ���������� � ��� �� ������������ �� ������������ ������������ ��� ������ ���� ����� ��� ���������� ���� �� �������� ������ �� ����������� ������ ���������� ������ ������ ��������� �� ��������� �� ����������� ���������� ��� ����� � �������� ��� ��������� ������� ��� ����������� ��� ������ �������� ��� ������� � ������� �� ������ � ��������������� ������������ ������� ����� �����

���������� �� ����� � �� ����� ���������� ���� ��������� �� ���������� ���������� � �������������� �������� ������� � ���������� �������� �� ����� ���� �� ��������� �������� ������� �������� � ������� ������������� ��� ��������� ������ � � ������ ������������ ������� ������� � �������� ������������ � �������������� ���� ��������� ����������� �� ��������� � �������� ��� ����������������������� ����������� ������� ����� ����� ������ � ��������� ����� ���� �� ���� ��� ������ �� ������ �������� ��� �� composição que resulta da leitura do conjunto como um todo�� �������� ��� ���� ���������� �������� � ������� � ���� ��� ��� ������� �� ��������� ������� � ��������� ��� ���� �� ����� � ������� �������� �� � ����� �� ���������� ��������� � �� �������� ����� �������� � ������� �� ���������� ������� � ����������� ����������� ����� ���� �� ����������� ����� �� ���� ��������� ���������� ������ � ������� �������� �� �������� ��������� �� ������ ������ �� ����� ������������� ��� �������� ���������� ��� ������� �������� ���� ������������ ���������� ����������� �� ������� �� ������� ����������� ���� �� ����� ��������� � �� ������������ ��� � ��������� �������� ��� ��������� � ���� �������� ��������� ������������ ��� ������������� ������ � ����������������� ������������� ��������� �� �������� ������ � ������� ��� ��� �� ������� ��� ������������ ������� � �������������� ���������� �� ������ ������� ���� ������ ��������� ������ � ��������� �� ������ �� ������ �aquilo que une a cidade � ��� ���� ����� �� ����������� ����� � ������ ���� ��� �� ��������� ������� �� ������ �� �� ��� �� ������� �� ������� ���� �������� ������� ���������� ����� ����� ������ ����� ��� � ����� �� ���������� ���� �� ��������� ������������ �� ������ �� ��� ���� ����������� ��� � ����� ������ �� ���� �� �������� ������� � ������� ��� ����� ������������ ����������� �� memória do lugar e da comunidade� �� ��������� �������������� ����������� �� ����������� �������������� �� ����� ��������� ������ � ����������

�� � ��� �� ��� ��������� ����� � ����� �� ������� � �� ���� ���������� ��� ����� ��������� ����������� ��� ������ ������ �� ������� �������� � ��������� ����������� ������������� ����� ������ ��������� � ����� ������ ����������� � ����� �� ������� � ��� �������������� ����������� ��������� ��� ������� ����� ��������� � ����� ������������ �� ���� ��������� ���� �������� �������� ��� ������������� ����� ����� ������ ��� � ��������� ����������� ���������� ��� �������� �������� � ��������� �� �������������� ������ ������� ����������� ��� ����� ���������� �� ���������� ����� ����� �������� ����� ����� �� � �������� ���������� ����� �� ��������� ���� ������ �� ����� � ���� �� � ������������ �� ������ �������� ���� ��� ��� �������������� ������ � ������ �� ����� �� ����� �� ������ ������� ��� �������� ������������ �� ��� ����������� �� ���������� �������� �� �������� ������������ ���� ������ ��������� �� ������ �� ����� �� �������� �� ����� ������ �� ��������� �������� ��� ��� ������������ � �������� �� �� ����� ������ �������� ��� ��� ������� ���������� ������� �� ������� � ���������� ����������� �������� �� ����� �� ���� ��� ��������� ���� � ��������������� �������� �� ������� ������� ��������� ����� �� ������� ���������� � �� ���� ������ �� ����� ������� �� ����� ��� ���� ������� ����������� ������� �� ��� �������� �� ������� ��� ����� ������� � ������� ������ ���� ������ ���� ��������� ������������� � ������ �� ������ ����� ���� ��� �� � ������� �� ����������� �� ��� �� ��� ��������� �� ����������� �� ����� ������� �� �������� �������� ����� ������� ��� � ������� �� ��� ���������� ���� ������� ����������� � �������� �� ��� ���������� �������� �������������� �� �������� ������� �� ������������� ���� ��������� �� ���� �������� ����� �� ���������� ������������ ���� ��� �������� ��������� �� �������������� �� �������� ������� �� ������ �� ����� ��� �� ����� �� ����� � ������ �������� ������� ����� ����������� 144

23

�� ��uase todas as casas, principalmente as modernas, têm os seus quartos interiores ilustrados com altas e grandes clarabóias, que l�es comunicam tanta lu� quanta poderiam receber se �aceassem com a rua� �apud� �������� ����� �����

�������� d� ���������� d� ��� �������

��� ����� d� ����� ������������ ������� 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20

�����d� ������� ���� d� ����d� ������� �����d�� ���� d� �����

�����d� �� �� ���������

���� d�� ������� ������� �� �� d� ������� ���� d� ��������� ����� �� �� �������� �����d����

������ �� �� �����d� ����������� ������� �����

�����d� �������

��

��

��

d

��

145

(re)interpretar uma identidade

142

143

Dissertação de Mestrado em Arquitetura Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto 2013 “A reabilitação, e especificamente a reabilitação do edificado corrente pré-industrial, foi um tema que, desde cedo, captou o nosso interesse, muito devido às sensações vividas nas viagens realizadas, dentro e fora do país, e que se relacionavam com uma noção de proximidade, de acolhimento, de escala humana e da perceção de uma identidade fortemente vincada que reflete nas criações arquitetónicas os próprios traços de uma sociedade e das suas tradições locais. Uma espécie de livro de história, arquitetónica e social, talhada em pedra e madeira. A preservação desta arquitetura e destas estruturas urbanas, designadas como cidades históricas, profundamente relacionadas com um contexto geográfico, económico e social, era, portanto, um tema cujo desenvolvimento se revelava apelativo, no intuito de construir um suporte teórico a uma futura prática profissional.”


Sofia garcez portfolio  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you