Issuu on Google+


Capítulo 1 Primeiras Impressões

Uma coisa que eu sei, com certeza, e cheguei a um acordo é: Eu sou a cadela da escola. Eu odeio essa palavra, mas às vezes é o que é, ou na minha situação, sou o que sou. Eu gosto de caras, de todos os tipos, e muitos deles! Faculdade está sendo o cenário perfeito para ser capaz de encontrar vários e muitos. Desde que eu não tenha desejo por nenhum relacionamento que seja, eu durmo por ai. Dormir com um cara só constantemente é muito permanente. Isso constrói uma fachada de que eu quero mais do que realmente quero. Eu, definitivamente, não quero um cara agarrado em mim ou em qualquer tipo de relação estável. Eu seria uma terrível namorada de qualquer jeito. Não me entenda mal, eu não sou uma daquelas garotas que sai por ai dormindo com qualquer cara, sem cuidado com os sentimentos de ninguém. Eu tenho 3 regras: Nunca durmo com alguém que algum amigo meu goste; Nunca durmo com alguém que esteja em uma relação conhecida (Quando está, e não é divulgado para mim, não é minha culpa!!); Finalmente, nunca dormir com alguém mais de três vezes. Eu tive que adicionar essa última depois de Devon Ryan. Cara, foi uma pena também, porque ele era fantástico na cama e nos dávamos realmente bem. Quando nós estávamos perigosamente perto do território relacionamento, depois de 4 noites juntos, eu adicionei a regra nº 3. Ele não ficou feliz sobre isso, mas eu não quero ser namorada de ninguém. Desse jeito, se eu vier a cruzar com alguém que saiba o que faz, eu posso ficar tempo suficiente para aproveitar, mas não tempo suficiente para que eles se apeguem. Essas regras tem ajudado a me tornar a garota mais odiada do campus. Ah! E não durmo com os namorados de ninguém, e tento meu melhor para não dormir com qualquer dos ex


namorados das minhas amigas também, mas às vezes isso é inevitável, no entanto, eu não posso agradar a todos. Eu sou muito aberta sobre quem eu sou. Eu não finjo que não dormi com um cara e eu não nego quando faço exatamente isso. Eu aceito ser quem sou, a garota que nunca vai se tornar séria sobre ninguém, que aproveitará a vida, vai se divertir com os caras ao longo do caminho e nunca ter seu coração partido. A única coisa que as outras garotas acreditam em mim, é que eu nunca me apegarei a um cara só, porque, mais cedo ou mais tarde eu vou passar para o próximo. É por isso que eu espero que Sophia entenda quando ela souber que eu dormi com Micah na noite passada. Eu não planejo realmente mantê-lo. Eu não tinha ideia de que ela estava esperando que ele a convidasse para sair até Quinn me mandar uma mensagem com o código vermelho; Quinn: Para sua informação!!! Sophia estava fofocando esta manhã sobre Micah na academia. Bem, merda! Isso era novidade para mim. Ultima vez que ouvi, ela estava interessada em Mason Lee. E por isso que a regra nº 1 é quebrada muitas vezes. Garotas nunca podem mudar suas malditas ideias!! Quando o alerta de texto para o meu telefone chegou nesta manhã, eu rolei para agarrálo, somente para ser atingida pelo peito sólido que pertencia a Micah Woods. Ele estava roncando na minha cara com um cheiro ainda forte de whisky no hálito dele. Ontem foi a primeira noite de inauguração da fraternidade Sigma Alpha na semana. Eu amo quando um ano escolar começa, isso trás um monte de novos caras. Micah é um Sigma Alpha e vive na casa. Eu geralmente tento não passar a noite em qualquer casa grega, porque eu odeio acordar nela na manhã seguinte. A magia da festa se esgotou e tudo que é deixado são latas de cerveja, vômito, e um cara dormindo na banheira. Por alguma razão, sempre há um cara dormindo na banheira. Eu nunca posso entender como eles se colocam lá. Essa manhã foi definitivamente um sinal de que nunca deveria passar a noite novamente. Eu não tinha ideia de onde estavam minhas roupas e parece que todas as roupas de Micah estão sujas e nojentas em pilhas no chão. Eu mandei uma mensagem para Quinn para ver se ela tinha alguma ideia de onde estavam minhas roupas e ela me disse para verificar pela piscina. Então aparentemente, eu estava na piscina noite passada. Eu acho que isso poderia explicar porque eu


estava somente vestindo sutiã e calcinha. Na verdade era o sutiã de Quinn e a minha calcinha. Eu estou supondo que nós pensamos que seria uma brilhante ideia trocarmos na noite passada. Não tão brilhante agora, vendo que Quinn é dois tamanhos menor e eu estou tendo dificuldade de manter tudo isso guardado. Eu agarrei meu telefone e minha bolsa, felizmente eu tinha tido discernimento suficiente para trazer isso comigo noite passada e calmamente caminhei em direção à porta. Antes que eu pudesse encontrar a maçaneta, pisei numa tampa de garrafa e gritei. Micah sentou num acesso de raiva saindo das cobertas. “O quê? Você está bem, Em?” Ele me perguntou numa voz áspera e profunda de sono e muito whisky. Os olhos dele estavam apertados pelo brilho da manhã, ele era atraente com uma superfície lisa, peito largo e olhos castanhos brilhantes. Ele era divertido noite passada, mas tristemente essa era a noite número 3 com ele. “Merda, desculpa Micah! Eu não queria te acordar, eu só pisei em uma tampa de garrafa e cortei meu pé.” Eu disse pulando em um pé só enquanto me mantinha no outro. “Volte a dormir, eu só estou caindo fora.” Ele riu um pouco baixo e me olhou de cima a baixo. “Você vai deixar a Fraternidade sem roupas? Você está praticamente saindo fora do sutiã da Quinn.” Ele levantou e andou até mim e ajoelhou-se para examinar a sola do meu pé. “Eu acho que você vai ficar bem, não esta nem sangrando.” Ele deu um beijo rápido na sola do meu pé e em seguida começou a esfregar as mãos para cima das minhas pernas vagarosamente, antes que ele deslizasse mais para cima das minhas coxas, eu recuei. “Micah.. Eu tenho aula”, Eu avisei a ele enquanto se movia em minha direção. “Por favor não siga essa estúpida regra de ‘só 3 vezes’ que você tem. Nós somos bons juntos, Em. Você nem tem que ser minha namorada, somente volte hoje à noite e vou te lembrar o que nós fazemos bem.” Disse ele, ainda de joelhos no chão e olhando para mim com os dedos em volta da minha cintura. “Micah, eu não quebro minhas regras. Eu as fiz por uma razão.” Eu disse em um sussurro quase inaudível. Seria bom voltar para Micah, mas eu não tinha a intenção de levar ele a sério e é ai que


isso levaria. É sempre assim, é a maneira gradual com que os seres humanos ficam confortáveis uns com os outros e em seguida, estão casados e um acaba traindo o outro. Eu estou simplesmente tentando evitar que isso sempre aconteça. Ele deu um pequeno aperto em minha cintura, acenou com a cabeça derrotado e lentamente baixou o olhar. “Bem, foi divertido e você é bem-vinda na minha cama a qualquer hora, querida. Por favor, leve uma das minhas camisas antes de ir embora. A caminhada da vergonha é uma coisa, mas a caminhada da vergonha nisso, Em? “Micah, sua camisa esta nojenta, eu não posso nem sair daqui com uma dessas sem ficar enjoada com essa ressaca. Eu ficarei bem. Além de que Quinn acha que minhas roupas estão à beira da piscina de qualquer forma. Eu só vou correr até lá e colocá-las. Você sabe que nenhum dos caras estão nem sequer perto de acordar por agora. Até mais!” Micah encolheu os ombros nem mesmo tentando defender sua enorme pilha de roupas e já estava puxando as cobertas de volta para cabeça na cama, grunhindo um adeus. Deve ser bom só ter aulas mais tarde nesse dia. Eu sorrateiramente desci as antigas escadas rangentes tão silenciosamente quanto pude, mas esta casa era realmente velha e teve mais rangido do que um velho de 90 anos. Além disso, meu mancar de uma perna só não estava ajudando com a minha fuga furtiva, já que meu pé ainda está latejando. Felizmente, ninguém acordou para me ver cruzando a casa. Quando eu consegui escapar, decidi que ia matar alguém hoje, só não sabia quem ia ser ainda. Minhas roupas estavam definitivamente aqui fora, mas elas estavam penduradas em um galho de árvore e não havia nenhuma maldita maneira de eu conseguir descê-las. Mesmo se eu encontrasse uma escada, eu não seria alta suficiente. Meus chinelos estavam flutuando no meio da piscina. Fantástico! Felizmente, eu lembrei que tinha uma muda de roupas em meu carro, então só precisaria chegar lá e eu não teria que chegar em casa praticamente pelada. Por favor, por favor, por favor, não deixe ninguém sair na rua. O que eu quero dizer é que essa era Frat Row*. Ninguém deveria estar de pé antes das 7 A.M, especialmente depois de uma

*

FRAT ROW – Rua ou lugar onde estão localizadas as fraternidades.


noite de festa. Eu andei me rastejando em volta da casa, na ponta dos pés passando pelos corpos desmaiados pelo chão, a maioria deles estavam vestindo camisas Sig Alpha, embora eu tenha percebido que haviam muitas outras fraternidades presentes. Deus, esse lugar está um desastre! Eu sinto muito pelos calouros, porque provavelmente serão eles os responsáveis por limpar essa sujeira. Essa é uma razão pela qual eu nunca participei de uma fraternidade, não tinha nenhum interesse em estar na parte inferior da cadeia alimentar, só queria curtir as festas deles. Eu pisei para fora da varanda e virei para puxar a velha pesada porta de madeira quando eu ouvi uma voz familiar rindo. Maldição. Eu baixei minha cabeça e gemi. Respirei fundo e fechei a porta enquanto expirava, me virei para dar de cara com a minha humilhação, que é o meu amigo Cole, mas não era somente Cole, era Cole e Mason falando com outro cara de moto que eu nunca tinha visto antes. OK! Então eu ia ter que lidar com isso, eu não ia ser humilhada. Boa parte de Frat Row já tinha me visto de sutiã e calcinha antes. Isso era diferente de quando eu estava bêbada para agora sóbria, a camisa desagradável manchada de suor de Micah estava parecendo melhor e melhor agora. Encolhi meus ombros e tentei o melhor que pude para esconder meu mancar. Meu carro estava estacionado em frente ao menino da moto, então eu não tinha escolha, só caminhar até eles. “Bom Dia para você também, engraçadinho. Isso é jeito de cumprimentar uma senhora?” Eu perguntei a Cole, cutucando-o no estômago com o cotovelo, enquanto ele ainda estava tentando recuperar seu fôlego de tanto rir de mim. Eu olhei para Mason que também estava rindo, o garoto da motocicleta só estava sorrindo para mim e eu sorri para os três docemente, rezando para que minhas bochechas não estivessem vermelhas como o sutiã de Quinn. “Me desculpe, amor. Eu já tinha visto você fazer a caminhada da vergonha antes, mas nunca vestindo tão pouca roupa. Se mais meninas saírem de suas fraternidades como você está nessa manhã, eu garanto que nenhum dos caras ficaria atrasado para aula mais.” Afirmou Cole, me envolvendo em seus braços e me dando um beijo rápido no rosto e me apertando contra ele. Quinn e eu escolhemos Cole na orientação do nosso primeiro ano. Quinn achou que seu cabelo loiro bagunçado e corpo de jogador de futebol era quente. Quando ela se expressou um pouco alto demais atrás dele no auditório da escola, ele virou-se com um sorriso enorme no rosto. “Bem, bem, bem, olá pra você também, senhoras.” Ele disse em seu agradável sotaque


texano. Acho que Quinn e eu suspiramos alto. Sendo do sul da Califórnia, não temos qualquer tipo de sotaque e nenhum dos caras, normalmente. Ele está conosco desde então, nenhum de nós nunca nos envolvemos e provavelmente foi o melhor, pois eu duvido que ficaríamos tão próximos de Cole se tivéssemos nos envolvido. Eu amo Cole como um irmão e ele é um tanto protetor comigo e com Quinn, embora claramente ele não tenha escrúpulos mostrando os meus bens para completos estranhos ou idiotas babões como Mason. Atualmente, Cole vive na casa Sigma, mas seus melhores amigos do Texas estavam se mudando para cá para se juntar a ele na faculdade, então ele está se mudando para um apartamento ao meu lado e de Quinn. Nós ficamos muito animadas quando o apartamento bem próximo de nós ficou disponível durante o verão. Ele estava tão lento que só foi mudar suas coisas na última semana, estamos tentando convencê-lo a sair da fraternidade desde que ele se mudou, é irritante ir visitá-lo sem ser em um dia de festa. Esses caras são divertidos para se ter na cama e para beber com eles, mas quando você tem que estudar ou ter qualquer tipo de conversa civilizada é basicamente impossível naquela casa. Alguém está sempre gritando, bebendo ou quebrando alguma coisa. “Bem, eu pensei que gostaria de tentar uma coisa nova hoje. Apimentar um pouco suas vidas; mantê-los aos meus pés. Além disso, alguém pensou que era uma ideia genial jogar minhas roupas na árvore de trás. Todas as roupas de Micah cheiram a suor, areia e eu não quero nem pensar nas demais. Então, aqui estou, tentando pegar meu carro para ter minhas roupas com minha dignidade intacta. Obviamente esse é um bom presságio para mim.” Eu indiquei e apontei tudo isso para os 3 caras. Mason e Cole continuaram rindo enquanto o cara da moto continuava com aquele sorriso frustrante dele. “Droga, Em. Você está me matando, por favor venha me visitar essa noite, eu comprarei sua cerveja favorita.” Mason disse enquanto admirava meu pequeno sutiã. Mason e eu nos pegamos no início do segundo ano. Foi o pior um minuto e meio que já tive. Certamente, eu não tinha que me preocupar sobre a minha regra nº3 com ele, isso não estava acontecendo com a gente novamente e eu costumo ignorar suas investidas. Mason empurrou Cole e Cole o empurrou de volta dando-lhe um pescotapa. “Emy, esse é Jaxon Riley um dos caras que venho te dizendo, ele foi transferido para cá. Eu


tenho certeza que você conhecerá seu irmão Jace mais tarde. Ambos estão se mudando para o apartamento comigo.” Ótimo... Então nós seremos vizinhos. Uou, eu sei como fazer primeiras impressões. Eu começava a ficar desconfortável sob os olhos azuis penetrantes dessa cara lindo, ele era de longe a pessoa mais atraente que eu já tinha visto na minha vida. Eu raramente ficava envergonhada, mas, de repente, eu queria estar em qualquer outro lugar a não estar conhecendo Jaxon Riley de calcinha e usando o sutiã de Quinn. No dentista, no ginecologista, pegando uma prova final de estatística avançada que não estudei e que foi escrita em alemão, em qualquer lugar menos onde eu estava agora. Me movi com o pé doendo. “Ok, bem, foi bom conhecê-lo, mas espero que você possa esquecer sua primeira impressão de mim e possamos nos encontrar de novo enquanto estou vestida. Vendo que nós seremos vizinhos e tudo.” Cara, meu pé estava realmente incomodando nesse chão. Dobrei meu joelho e trouxe meu pé para trás esfregando a parte inferior do mesmo e Jaxon assistia meu pé subir e minha mão esfregando sobre ele. Seu olhar penetrante parecia perfurar através de mim, da forma como ele tinha focado no meu pé. “Com certeza eu nunca vou esquecer esse momento, conhecê-la assim. É bom saber que terei uma vizinha quente.” Eu corei não só ele tem esse fascinante sotaque sulista como Cole tem, mas ele me chamou de quente e disse tudo isso enquanto estava se balançando em sua moto, esse era o meu sinal para sair daqui. “Certo, bem, Cole, não esqueça que nós temos aula de jornalismo em 30 minutos. Não se atrase e se você chegar antes de mim, por favor guarde um lugar para mim e não para as piriguetes dessa vez.” Eu insisti com ele. Eu geralmente sou uma pessoa extrovertida quando se trata de conhecer novas pessoas, mas eu odiava essa desajeitada dança das cadeiras que você faz quando não tem ideia de onde sentar em uma nova aula. Isso me deixa de fora e me faz sentir que não estou no controle. Cole e eu somos ambos graduandos de jornalismo, então nós normalmente temos a maioria das nossas aulas juntos. Ele me entende e tenta guardar um lugar para mim, mas um rostinho bonito o destrói facilmente. Acenei para eles e fui mancando para meu carro, andando na ponta dos pés ferido.


Quando eu cheguei no meu porta-malas, consegui abrir e agradeci aos céus por haver um vestido de verão lá que eu apressadamente vesti. Suspirei aliviada ao me sentir confortável de novo. Dei a volta no meu carro para abrir a porta do motorista e olhei para trás, para os caras. Cole e Mason já estavam andando para varanda, entrando em casa e Jaxon ainda estava balançando em sua moto e olhando para mim. Cruz credo, o cara era sexy, eu não poderia dizer quão alto ele era porque não tinha saído da sua moto ainda. Suas pernas pareciam longas e eu podia ver seus músculos ajustados perfeitamente nas suas calças jeans. A jaqueta de couro preta parecia manteiga em seus ombros e sua pele bronzeada apenas o suficiente para fazer com que seus olhos azuis sobressaíssem, seu cabelo era castanho escuro quente com alguns reflexos naturais espalhados pelo cabelo que pedia para que passasse os dedos pelos fios, parecia que ele fazia isso regularmente. Cada fio parecia ter vontade própria e iam do jeito que eles queriam. As partes dianteiras eram longas e eu poderia dizer que ficariam em seus olhos, mas obviamente ele empurrava para o lado. Seu rosto tinha algumas expressões brutas que só contribuía para o visual bruto, ele definitivamente não era um garoto da Califórnia. Quando eu percebi o quanto eu estava checando ele, meus olhos foram até ele e ele conscientemente sorriu para mim. Oh, isso esta indo para ser um problema, eu precisava dessa bola de volta no meu campo, então joguei meu cabelo por cima do ombro, levantei meu peito e dei-lhe a minha piscadela mais sexy. Antes de eu voltar a sentar no lado do motorista, eu vi o queixo dele cair um pouco. Ponto para mim. Está certo motoqueiro! Eu estou no controle aqui.


Capítulo Dois Primeira Aula

Corri pelo nosso apartamento para tomar banho e trocar de roupa. Eu escorreguei em um par de shorts jeans, uma camiseta de uma banda local do campus e uma sandália rasteira qualquer. Quinn tinha cortado um V na minha camiseta, para mostrar o meu decote. Ela disse: "Nós não podemos deixar os meninos esquecerem que você é uma menina, e isso vai acontecer se você insistir em usar aquela camiseta horrível”. Como eles podiam esquecer, eu tinha peitos, pelo amor de Deus. Eu não tinha tempo para a maquiagem ou para enrolar meu cabelo. Eu nunca entendi porque acordar mais cedo para me vestir para a aula, mas eu também não estava na caça de um marido como uma dessas meninas. Mal tive tempo para dizer oi e tchau para Quinn na minha corrida pelo apartamento. Eu lhe dei um beijo rápido na bochecha e a fiz prometer que ela estaria no refeitório para o almoço. Eu cheguei na aula de Jornalismo antes do nosso professor, isso era uma boa notícia. Quando corri para a sala de aula, procurei por Cole na sala lotada. Quando finalmente o vi, ele tinha duas meninas da Chi Ômega inclinando-se em cada lado para falar com ele. Foi muito conveniente a forma como elas se inclinaram para ele exibindo seus seios perfeitamente. No entanto, não estou julgando. Não posso dizer que nunca fiz isso antes, eu estou apenas chateada que elas roubaram o meu lugar. Ele olhou para mim e imediatamente articulou um pedido de desculpas, eu revirei os olhos para ele e lhe dei um olhar no qual eu esperava transmitir o quanto ele pagaria por isso mais tarde. Desci os degraus laterais em busca de um assento disponível quando ouvi alguém chamar meu nome. Eu olhei para o corredor que eu tinha parado e vi Jaxon no outro lado, acenando para o assento livre ao lado dele. Ele tinha uma mochila preta no banco, mas quando eu andei pelo corredor, eu o vi pegá-la e colocá-la embaixo de sua cadeira. "Eu vi duas piriguetes do grêmio, como você disse antes, em volta de Cole, então lhe guardei um lugar", disse ele olhando para mim e dando de ombros, como se não fosse grande coisa.


"Uau... obrigado. Eu estou surpresa que elas não estão penduradas em você, não vai demorar muito até que elas descubram seus lindos olhos azuis", eu disse, rindo. Eu não posso acreditar que ele realmente prestou atenção ao que eu disse antes. É como se ele soubesse que eu estaria desconfortável chegando aqui com nenhum lugar para sentar. "Não, piriguetes realmente não são meu tipo", disse ele em seu baixo sotaque do sul. Eu imediatamente me perguntei se eu era o tipo dele. Quero dizer, ele guardou uma cadeira para mim e não para outra pessoa. "Elas tentaram, mas ele as assustou”, Tobias Reed interrompeu. Tobias estava sentado do outro lado de Jaxon. Ele era muito bonito para um “sabe tudo”. Ele sabia a respeito de todo mundo, mas ele é inteligente como o inferno, então é útil sentar junto com ele na sala de aula. Jaxon deu de ombros vagamente “Não é grande coisa, eu ouvi você dizer a Cole para lhe guardar um lugar e percebi que eu poderia ajudá-la.” Ele começou a tirar a jaqueta de couro e eu podia ver que ele estava usando uma Henley* cinza escuro por baixo que mostrava a grande extensão de seu peito. Me lembrei de Cole dizendo que ele jogou futebol com esses caras em casa e me perguntei se ele jogaria pela Universidade. Antes que eu pudesse perguntar, o Professor Patterson entrou pela porta dos funcionários e colocou a maleta sobre a mesa. Todo mundo começou a se acalmar quando nós o vimos tirar os papéis da bolsa. Eu tive aula com o Professor Patterson todos os anos desde que eu entrei aqui, e eu sempre gostei de vir para as suas aulas. Ele é mais descontraído do que outros professores, ele exige muito trabalho, mas ele não é um daqueles pau no cú que vai lhe chamar para fora e fazer você se sentir desconfortável na frente de todos os outros alunos. Não há nada que deixe meus joelhos travados e as palmas das mãos suadas como estar na frente de uma multidão de pessoas pra falar. Quinn foi a peças desde que estávamos no ensino médio e ela podia comandar um teatro inteiro, mas eu acho que vomitaria em todos os lugares se eu tivesse que trocar de lugar com ela. “Bem-vindo ao Jornalismo 359: Jornalismo Investigativo. Espero que estejam todos na aula certa. Meu assistente está distribuindo o plano de estudo, por favor, pegue um e passe o restante para trás. Vocês todos sabem ler, vocês não teriam chegado tão longe se vocês não soubessem. Vocês não precisam de mim para ler sobre cada ponto do plano, é de sua

*

Henley – Marcar de camisetas


responsabilidade ler e fazer o que é exigido de você.” Outra razão, porque eu gosto de Patterson tanto, ele vai direto ao ponto. Nós não temos que perder uma hora inteira lendo exatamente o que vamos fazer em todas as nossas outras aulas nos próximos dias. “Com jornalismo investigativo, você será jogado em uma situação com pessoas que você não conhece e você vai ser obrigado a voltar com as melhores respostas que você pode ter a partir deles. Você precisa aprender a fazer perguntas, boas perguntas, no local. Nós vamos fazer um pequeno exercício hoje e praticar com ele”, propôs, enquanto caminhava para trás e para frente. “Todo mundo vire e escolha um parceiro, não atravesse a sala, basta escolher alguém próximo a você. Faça perguntas que você possa pensar para manter a conversa rolando. Você precisa ser capaz de manter um diálogo e obter informações cruciais das pessoas. Eu não preciso que você escreva tudo isso, porque eu não teria tempo para lê-lo. Eu só quero que você fique confortável falando com alguém que você não conhece, e faça perguntas que você não teria de perguntar se você não estivesse trabalhando. Comecem.” Jaxon virou o corpo para enfrentar o meu em seu assento. “Parceiro?”, ele perguntou e eu assenti com a cabeça. Eu não tinha certeza se eu queria que esse cara lindo me fizesse um monte de perguntas pessoais, ele parecia muito observador. Por outro lado, eu estava interessada em saber mais sobre ele. “Uh, desculpe-me, Jaxon, você deve ser o meu parceiro, já que eu não tenho ninguém do meu outro lado. Em pode ser sua parceira.” Tobias disse, apontando para a garota à minha esquerda, que já estava claramente em uma conversa profunda com o cara na frente dela. “Não, desculpe cara. Eu definitivamente vou sentar aqui e aproveitar para conhecer Em.” Ele disse meu nome como se ele não tivesse certeza de como pronunciá-lo. Meu verdadeiro nome é Emerson, mas ninguém me chama assim. Quinn disse que soa como o nome de um homem. Eu nunca me importei, apenas sou grata que eu não acabei sendo uma Ashley ou Sarah...Blech. Tobias ficou claramente chateado que ele não podia começar a sua “missão”. “Cara, se você quiser entrar em suas calças, não é difícil. Você não precisa sentar aqui e conhecê-la. Ela vai dar pra você sem as vinte perguntas.” Ele começou a se levantar para encontrar um parceiro quando Jaxon colocou o braço no ombro de Tobias para impedir que ele levantasse. "Tobias, cara, relaxa, isso não é mesmo uma tarefa gradual”. Jaxon apertou seu ombro e aquilo parecia totalmente inocente até que eu notei a


careta de Tobias, e percebi que talvez Jaxon estivesse apertando um pouco forte. Jaxon não parecia estar com raiva, a única coisa que eu podia ver que demonstrava a sua ira com as palavras de Tobias foi a tensão em sua mandíbula e o olhar de aço que ele lhe deu. “Agora, se desculpe com Em,” ele disse calmamente. O quê? Ele estava apontando para mim? Eu provavelmente deveria impedi-lo porque não é como se Tobias tivesse falado uma mentira. Para ser honesta, o seu comentário nem sequer me perturbou. Eu aprendi a bloquear qualquer irritação na direção “observações sobre a vagabunda” no ano de caloura. As únicas pessoas que nunca me disseram nada eram Quinn e Cole, um completo estranho na época. Não é como se ele soubesse que eu realmente sou uma vagabunda e que sua defesa era desnecessária. “Está tudo bem, Jaxon. Não se preocupe com isso. Tob, sem ressentimentos, mas vai procurar outro parceiro”, eu sussurrei para ambos, tentando não puxar qualquer outra atenção para nós. Jaxon continuou olhando para ele. Exasperado, Tobias soltou um suspiro irritado antes de falar. "Desculpe, Emerson, eu não deveria ter dito isso.” Então ele se virou para Jaxon e tirou a mão agora com nódulos brancos de seu ombro. “Relaxa, cara, você não sabe quem ela é”, disse ele em voz baixa, enquanto caminhava rapidamente. Eu não sei se ele quis dizer para eu não ouvir, mas eu ouvi. Jaxon se voltou para mim na cadeira e me olhou nos olhos por um par de segundos. Eu não sei o que ele estava procurando, talvez para ver se eu estava chateada com o Tob, eu disse. “Obrigado por me defender, mas realmente não era necessário.” Eu fiquei nervosa, enquanto ele ainda estava olhando para mim. “Não é bom para qualquer cara falar com uma garota assim. Eu não me importo se o que ele disse é verdade ou mentira.” “O que ele disse é verdade. Tenho certeza de que uma vez que você falou comigo, metade dessas meninas vão pular em você depois da aula apenas para que você saiba a minha reputação”, eu disse a ele. “Não me importa como é a sua reputação, a maioria de nós não são bons de qualquer maneira. Isso é o que faz uma reputação”, disse ele olhando para o seu notebook em vez de olhar para mim. Então ele sacudiu a cabeça um pouco como se estivesse limpando-a e virou-se para olhar para mim de novo. “Então, Emerson, né?" “Sim, embora, ninguém me chame assim. Tobias só usa ocasionalmente e a única razão


pela qual ele sabe o meu nome é porque estudamos para as provas finais do ano passado juntos e ele viu em meus papéis. Quinn só me chama assim quando ela está realmente chateada comigo”. Me inclinei na mesa, girando a minha caneta entre os meus dedos, e rindo da imagem na minha cabeça de Quinn sendo louca. “Ser bobo, ser honesto e ser gentil”, ele citou em uma voz rouca. Engoli em seco. Meu coração afundou no chão e comecei a sentir as lágrimas em meus olhos. Emerson, por favor, não faça isso aqui, você vai parecer uma idiota. Eu me acalmei com um profundo suspiro. Eu poderia dizer que Jaxon estava assistindo a minha reação com cuidado. “Você sabe quem é Ralph Waldo Emerson?” Eu perguntei. “Sim, ele é um grande poeta. Tivemos que estudar um ano na iluminada América e eu escolhi o nome dele. Desculpe se isso te fez ficar chateada ou qualquer coisa. Sempre gostei dessa frase. Seu nome me fez pensar sobre isso”, acrescentou. “Está tudo bem. Eu acho que apenas faz muito tempo desde que eu ouvi isso. Minha mãe dizia o tempo todo para mim quando eu era criança. Apenas nostalgia.” Eu tentei soar leve e rir dele. Eu queria parecer como se uma pequena frase não tivesse virado meu mundo de cabeça para baixo. “Você sabe que algumas pessoas dizem que ele não pode mesmo ter citado realmente isso. Que talvez fosse apenas algo que foi ligado ao seu nome ao longo do caminho”, ele interrompeu: “Minha mãe me disse uma vez, embora, não acho que ela se importava. É uma citação agradável de viver por, quem o criou”. Minha mãe se formou em literatura, me apaixonei pela simples citação de Ralph Waldo Emerson, e sempre me disse para viver a minha vida sendo boba, honesta e gentil. Isto é, obviamente, o meu xará. Eu sou apenas grata por ela não me chamar de Ralph Waldo de vez. Ela dizia essa frase para mim todas as noites na cama, mesmo quando eu tinha quinze anos. Eu costumava revirar os meus olhos por ela ser tão brega, mas agora eu mataria para ouvi-la dizer essas palavras. Prometo que se eu pudesse, eu não iria revirar os olhos, eu gostaria de pedir para ouvi-los novamente. “Então, você está pensando em tentar entrar para o time de futebol para jogar com Cole?” Eu perguntei a ele, esperando que ele entendesse que eu não estava gostando do rumo da nossa conversa.


“Bem, já que eu estou aqui com uma bolsa integral para o futebol, algo me diz que não vou realmente ter que tentar”, disse ele com um meio sorriso sexy. “Uau, uma transferência de juniores com uma bolsa de estudos integral. Eu aposto que o Treinador Chase desejou ter te encontrado antes do primeiro ano, se você é tão bom.” “Oh, ele me encontrou no meu primeiro ano do ensino médio, junto com Jace e Cole. Nós éramos três amigos, dentro e fora do campo. O Treinador Chase queria nós três. Eu cometi um erro no meu último ano e o Treinador Chase tirou minha bolsa de estudos por dois anos para que eu pudesse trabalhar algumas coisas fora. Então... sim, dois anos depois eu finalmente estou aqui. Felizmente, não perdi minhas habilidades por não estar em uma equipe por tanto tempo.” Eu queria perguntar o que tinha feito para perder sua bolsa de estudos, mas a maneira como ele estava mexendo os dedos quando contou isso, me disse que ele estava desconfortável. Eu tinha certeza que teria muito tempo para perguntar mais tarde. Esse cara só ficava cada vez mais interessante para mim. Faz um bom tempo desde que alguém me chamou a atenção e realmente a manteve. É tão fácil conversar com ele. Sua voz é profunda e hipnotizante. Eu, literalmente, pagaria apenas para ouvi-lo falar comigo todos os dias. Levei um tempo para perceber que eu estava inclinada em sua direção com a minha cabeça apoiada na mão. Eu lentamente me afastei para não parecer surpresa ao me pegar olhando estupidamente para ele. Ele ainda me deu um sorriso. “Sua voz é um pouco como a cocaína. Você poderia engarrafar esse material e vendê-lo. Você faria uma matança, especialmente com as piriguetes do grêmio. Posso lhe pagar apenas para falar comigo o dia todo?” Eu disse rindo, assim ele não iria pensar que eu estava falando sério. Embora, eu tenho certeza que eu estava. Ele jogou a cabeça para trás e gargalhou. Felizmente, este lugar estava tão lotado de estudantes falando que não chamou a atenção de muita gente, apenas alguns confusos olhares aqui e ali. Olhando desse ângulo, eu admirava o seu sorriso. Seus dentes eram realmente brancos e, principalmente, retos, exceto por um de seus dentes da frente que era um pouco torto para estragar o bom fluxo em toda a sua superfície. Eu amei essa imperfeição, que significava que este homem bonito não era inatingível. Tenho quase certeza de que três noites com Jaxon seria incrível. “Bem, a taxa é de cerca de vinte dólares por hora”, disse ele interrompendo meus pensamentos sobre minha língua em seus dentes e lábios, o que me deixou um pouco


incomodada. “Ã?” Eu pisquei para ele. Uau, Emerson, grande resposta e maneira de manter o diálogo. Ele riu um pouco. “Eu só tenho um trabalho na estação de rádio local como um DJ à noite, duas noites por semana. Bem, na verdade é um estágio remunerado, por isso vou principalmente levar os recados para o DJ principal. Eu acho que vou ser pago para falar, mesmo que raramente me coloquem no ar.” “Esse é provavelmente um dos melhores trabalhos que eu já ouvi um estudante universitário ter. Ele certamente ocupa o segundo lugar após o trabalho de Operadora de Balão de Ar Quente na Parada de Ação de Graças da Macy’s no ano passado”, eu respondi. “Não brinca, Operadora de balão de ar quente? Eles confiam um estudante universitário para operar essas coisas? Isso daria uma explosão”, disse ele, rindo. "Bem, eu acho que eles aprenderam a lição em contratá-la. Ouvi dizer que eles descobriram que ela estava levando o namorado para um pouco de iniciação no Mile High Club, se você sabe o que quero dizer”, eu disse piscando para ele. "Oh, eu acho que posso adivinhar o que você quer dizer." Ele me devolveu uma piscada igualmente sexy que era de molhar a calcinha de qualquer garota viva. Droga, a tensão sexual entre nós era pesada. Três vezes com Jaxon Riley seria fenomenal. Ou devo dizer, será fenomenal, porque neste momento, eu tenho certeza que isso vai acontecer. Como posso viver ao lado desta pessoa linda e não me divertir um pouco nesse meio tempo? "Você já assistiu os jogos de Cole?" Ele parecia gostar de interromper meus pensamentos sujos a seu respeito, e gostava de me pegar desprevenida. "Claro, Quinn e eu nunca perdemos um, mesmo longe dos jogos. Até agora, nós sempre fomos capaz de sair do trabalho ou da escola. Meu chefe não gosta muito de mim durante a temporada porque eu peço para sair o tempo todo, mas eu faço as pazes com ele depois”, eu respondi. Ele me deu um olhar confuso. Então eu percebi que a minha resposta soou sexual e, neste caso, absolutamente não era. Eu nunca iria para lá com Ed. Ele era um grande chefe, com uma 

O termo Mile High Club (ou MHC) é um termo aplicado coletivamente aos indivíduos que tem relações sexuais a bordo de uma aeronave;


exceção para a camisa que ele me obrigava a usar e que beirava o assédio sexual. No entanto, fiz boas gorjetas, e ele me permitiu ficar com todas e tirar algum tempo quando eu queria. Mas nada aconteceria entre nós, ele me dá calafrios até mesmo só em pensar nisso. "Bom, então eu já tenho as minhas próprias líderes de torcida. Não que isso seria difícil de ganhar depois que elas me vejam jogar", respondeu descaradamente, esfregando as mãos. "Uau, deixe-me adivinhar, você é um recebedor, porque só esses caras são tão arrogantes quanto você. A propósito, nós apenas não torcemos por ninguém, você vai ter que nos ganhar”, eu disse, revirando os olhos para ele. "Puta merda, uma garota que sabe de futebol!", Disse ele me dando um sorriso cheio de malícia. "Sim, senhora, eu era o melhor recebedor do Texas no meu ano júnior e sênior. Eu vou receber, tudo certo. Aposto que vou marcar pelo menos um touchdown no nosso primeiro jogo em algumas semanas.” "É uma aposta que eu estou ansiosa para pegar, o seu ego está fora de controle. Além disso, Dalton Fisher, o quarterback, é um esnobe. Ele provavelmente não vai passar para você, pelo menos nos três primeiros jogos.” "Não se preocupe com Fisher, eu me entendo com ele. Embora, vá ser difícil jogar sem meu irmão, Jace, sendo o quarterback", disse ele um pouco desanimado. "Eu pensei que você disse que o Treinador Chase queria vocês três?" Eu perguntei a ele, querendo desesperadamente animá-lo e obter aquele sorriso torto de volta em seu rosto. "Ele quis. Apesar disso, Jace nunca aproveitará. Ele não quer mais jogar. Ele é um louco brilhante estudando para entrar em medicina aqui. Se há uma cura para o câncer, Jace vai encontrá-la. Esse cara é incrível", disse ele em um tom quase reverente. Eu adorava ver a adoração por seu irmão. "É incrível que vocês estejam indo para a faculdade ao mesmo tempo. Eu amo que Quinn e eu começamos a fazer tudo juntas.” "Sim, estamos realmente perto em idade", ele riu um pouco baixinho, e eu senti como se estivesse perdendo uma piada interna. Eu me pergunto se Jaxon é o irmão mais velho ou o irmão  

Touchdown (TD) é uma pontuação do futebol americano. Quarterback (QB) é uma posição do futebol americano.


mais novo. Ele realmente parece olhar para ele como um irmão mais novo, e ainda assim ele parece orgulhoso como um irmão mais velho faria. Fomos interrompidos pelos sons de todos se levantando e guardando as coisas. Eu acho que a aula acabou, uma hora e meia passou rápido, conversando com Jaxon. "Eu não sei se o professor Patterson aprovaria o nosso diálogo de vozes de cocaína, como, sexo em balões de ar quente, e meu impressionante conhecimento de futebol", eu disse enquanto ria. Ele riu comigo enquanto pegou minha bolsa do chão e me entregou. "Sim, talvez nós devêssemos ir perguntar a ele se é isso que ele tinha em mente. Oh, hey, já que somos vizinhos e tudo, provavelmente seremos parceiros de estudo, assim você deve ter o meu número.” Ele agarrou minha mão e escreveu seu número na minha palma lentamente com tinta preta. Sabendo que ia ser de curta duração, gostei muito de sentir a minha mão na sua. A ponta metálica da caneta fazia cócegas que ficaram gravadas em minha pele. Eu assisti cada traço que ele fez. Foi apenas uma série de números, mas eu podia dizer que ele tinha boa caligrafia. "Não lave sua mão até você salvá-lo.” Ele bateu a ponta contra a palma da minha mão algumas vezes. "Obrigado, vou enviar uma mensagem mais tarde com o meu número", falei, enquanto sorria para ele. Ele se levantou e eu o segui para o corredor para que pudéssemos sair da sala de aula, percebi pela primeira vez o quão alto ele realmente era. Meus olhos seguiram as longas pernas, o abdômen duro e plano, em seguida, seu peito largo para ver que ele estava a alguns centímetros de ter quase dois metros, pelo menos. Ele era provavelmente, uma polegada mais alto do que Cole, que sempre me fez sentir pequena ao lado dele, já que eu quase não alcançava o seu peito. Tendo um metro e sessenta e cinco, eu pensei que eu estava na média, mas de pé ao lado dele, me senti uma miniatura. Ele definitivamente tinha um corpo atlético com direito a um playground de músculo debaixo daquelas roupas. Percebi que ele estava ali diante de mim, quando ele precisou se virar e sair primeiro. Parecia que ele ia me levar, assim levantando o canto de sua boca sexy. Arrumei minhas costas e empurrei meus seios apenas um pouco para fora e seus olhos se arregalaram com a visão completa de mim. Eu silenciosamente agradeci a Quinn por cortar a minha camiseta favorita. Estendi a mão para colocar em seu peito e esfreguei apenas uma polegada, enquanto assistia ele inspirar. Então eu levantei a minha mão e dei uns dois tapinhas em seu peito. "Tudo bem, vamos nos mexer e sair, garoto da moto", disse, apontando para a porta.


Ele retrucou voltando à Terra com isso e arqueou uma sobrancelha, enquanto começamos a andar lentamente. "garoto da moto?" "Eu não sabia que você era de fora da casa da Fraternidade, então é assim que eu te chamei." "Hmm, acho que você precisa me arranjar um novo apelido, 'garoto' não funciona para mim", disse ele enquanto batia seus longos dedos em seu queixo, perdido em pensamentos. Posso imaginá-lo tentando pensar no que ele gostaria que eu o chamasse. Quando estávamos saindo da sala de aula para o clima quente da Califórnia, eu estava prestes a dizer que o "garoto" certamente não funciona para ele e qual seria. Mas, Tatum, Sophia, e Ashley, todas as meninas Alpha Beta nos atacaram. Por nós, quero dizer Jaxon, porque pararam na minha frente e começaram a puxar o saco dele. "Não diga que eu não avisei!" Eu gritei para Jaxon quando comecei a andar para longe deles. Ele estava rindo e não se importou com a atenção. Eu realmente não quero ouvir o que elas tinham a dizer para ele. Eu só podia adivinhar que era algo próximo a "fique longe da puta da escola”. Eu virei à esquina e caminhei para Biologia Ambiental, a minha última aula do dia. Um braço veio ao redor dos meus ombros e eu peguei um cheiro de colônia Tom Ford. Micah. Olhei para cima para confirmar a minha observação. "Você tem um cheiro agradável, Micah. Você está vestindo roupas limpas?” Eu brinquei com ele. "Ah, vamos lá, Emmy, eu não sou tão ruim assim. Além disso, ouvi dizer que temos Biologia juntos. Venha, sente comigo, por favor?", ele implorou, enquanto olhava para mim com seu rosto doce de cachorrinho. Continuamos através do edifício de ciência e ele manteve seu braço ao redor do meu ombro. Eu ouvi alguém chamando meu nome por trás, então eu me virei para ver quem era. Jaxon estava correndo até nós e Micah instintivamente me apertou. Jaxon parou na minha frente, mas não tirava os olhos de Micah. Eu sempre gostei da altura de Micah, mas vendo Jaxon ficar ao lado dele era impressionante, ele era pelo menos dois centímetros mais alto do que Micah. Eu geralmente não me importo de receber um carinho de um cara em público, é por isso que Micah não soube, mas eu estava começando a me sentir desconfortável com seu braço em volta de mim possessivamente, sob o olhar atento de Jaxon.


Jaxon tirou os olhos de Micah e olhou para mim, embora parecesse ter algum esforço da sua parte. Ele provavelmente está se perguntando se nós éramos um casal. A suposição seria tão chocante que eu nem me incomodei em responder para ele. Ele logo vai aprender sobre mim, alguém neste campus vai falar, tenho certeza. Em algum momento, depois que saiu da aula, ele tinha colocado um boné preto, desgastado e sujo. Antes de falar, ele virou o boné para trás e eu estava grata porque agora eu podia ver seus lindos olhos azuis. "Desculpe, Emerson, foi rude da minha parte. Eu não queria te cortar. Eu não esperava aquilo do lado de fora da sala de aula", disse ele, apontando o polegar para trás. Ele tinha a mochila pendurada em um ombro e sua jaqueta de couro estava amarrada em volta do quadril. "É, realmente não há..." Eu comecei a dizer. "Emerson? “Em” é um apelido? Como diabos eu não sabia disso? "Micah interrompeu asperamente, olhando chateado porque esse cara novo sabia mais do que ele. Encolhi os ombros para sair do seu abraço, então eu poderia enfrentar os dois ao mesmo tempo. "Gente, é Em, me chamem de Em. Eu não sou Emerson já faz muito tempo", eu frisei olhando para trás e para frente entre os dois. "A propósito, Jaxon, Micah. Micah, Jaxon. Ele e seu irmão estão se mudando para o apartamento com Cole.” Ambos fizeram um aceno de cabeça para o outro. Micah parecia estar avaliando Jaxon. Parece que as meninas não eram as únicas bizarras por aqui, eles viravam homens das cavernas, às vezes. Eu comecei a andar para a minha aula em vez de continuar olhando estranho. Tal como esperado, ambos me seguiram. Me virei e continuei andando de costas os últimos dois passos. "Será que nós não temos outra aula juntos, Jax? "Essa foi a primeira vez que eu o chamei de Jax e ele sorriu para seu apelido. Gostaria de saber se Micah ficaria desconfortável se eu apenas pegasse Jaxon agora e chupasse seu exuberante lábio inferior em minha boca. Eu parei de andar ainda do lado de fora do laboratório de biologia. Jaxon deu um passo em frente e respondeu: "Não, eu já tive meio ambiente, estou no fim do corredor em física. Mas eu gostaria que nós tivéssemos”. "Ok, bem, eu te vejo em casa, então. Obrigado pelo "diálogo" hoje na sala de aula", eu disse fazendo aspas no ar, ganhei um sorriso por isso. Ele começou a andar passando por mim, mas parou e inclinou a cabeça para baixo. Ele


sussurrou em meu ouvido enquanto passava, "Mais tarde, Emerson." Quando ele se afastou, eu o vi deslizar seu boné para frente. Eu me virei para entrar na aula e Jaxon gritou de volta: "Oh, hey, não se esqueça que precisamos terminar de falar sobre a nossa aposta. Eu já sei o que eu vou querer quando eu ganhar!” "Oh, sim, Sr. confiante, e o que será?" Joguei de volta. "A porra do passeio de balão de ar quente", ele gritou antes de entrar em sua sala de aula, sem esperar por minha reação. Eu fiquei lá com a minha boca escancarada. Esse cara era corajoso e ele era muito parecido comigo. Eu precisava pensar em uma aposta para deixá-lo sem palavras, também.


Capítulo 3 Regras e Surpresas

Na hora do almoço, fiquei pensando em um passeio de balão com Jaxon, e só de pensar nisso me sentia ansiosa e feliz ao mesmo tempo. Cole me encontrou do lado de fora do refeitório e então fomos nos servir juntos. Como um cavalheiro, ele levou a minha bandeja até a nossa mesa. Desde que Cole entrou para a fraternidade e para o time de futebol, muitos amigos dele costumam se juntar a nossa mesa. Quando se aproximaram da mesa, Manson e Garrett deram simultaneamente um tapinha no assento ao lado deles, para eu me sentar. Eu até gostava de sentar entre eles, mas estava mais acostumada a sentar entre Quinn e Cole. Passei pelos garotos já sentados batendo nas cabeças deles cantando “Pato...Pato...Pato”, fazendo alguns deles rirem. De repente, eu fui agarrada e jogada no colo de Micah. Ele me sentou no seu colo de frente para a mesa. “Ganso”, ele sussurrou no meu ouvido. “Eu gostei de ter você na minha cama esta manhã” Ele disse colocando as mãos na minha cintura por baixo da camiseta. “Micah...” Eu avisei. Cole passou por nós rindo e colocando a minha bandeja na minha frente. “Obrigado Cole, você é sempre um cavalheiro, ao contrário de algumas pessoas que eu conheço.” Eu disse, cutucando as costelas de Micah com meu cotovelo. Ele colocou a bandeja dele ao lado de Quinn, que estava rindo das táticas de Micah. “Oh Deus, Em por favor, pare de me chamar assim” Cole gemeu, dando uma estremecida. Eu comecei a comer meu macarrão, enquanto Micah pareceu pensar que aquilo era um OK para ele ir adiante e explorar meu corpo. Pelo menos ele era discreto, eu acho que ninguém percebeu. Quando ele afastou meu cabelo do meu pescoço e começou a beijar levemente minha orelha, eu notei Jaxon entrar e sentar-se em frente a Quinn. Ele tirou seu boné e guardou na mochila. Ele estava olhando diretamente para mim e Micah. A linha reta que se formou na mandíbula dele me deixou confusa, e de repente a última coisa que eu queria estar fazendo era estar sentada no colo de Micah com a mão dele vagando perigosamente na minha coxa. “Micah, fica difícil comer assim” Eu disse, frustrada, tentando sair do colo dele e me


sentar no lugar ao lado. Eu olhava diretamente para Jaxon, mas ele estava concentrado em sua conversa com Cole, a respeito dos móveis que seriam entregues mais tarde. Micah se inclinou e cochichou no meu ouvido “Pare de olhar para ele, ouvi dizer que ele é sua versão masculina, ele também não sossega. Embora eu ainda tenha esperanças de mudar isso em você.” E isso foi exatamente o que eu precisava para fazer Micah parar de me tocar, ele pensa que pode me convencer a mudar minhas regras, mas ninguém vai me convencer disso. Olhei para o lugar ao lado de Cole “Hey, Quinn, eu vou indo para casa na frente!”, Eu disse, esperando que ela entendesse que eu precisava ir para longe de Micah, seu comportamento estava me assustando. Eu não gosto de estar nessa situação, onde as pessoas começam a pensar que você está em um relacionamento e esperam isso de você. “Emmy, eu não posso deixar o carro com você, eu ainda tenho aula e prometi ir ao grupo de estudos mais tarde” Ela respondeu. Quinn é minha meio-irmã, mas nós nunca nos referimos uma a outra assim, isso faz parecer que ela é menos do que ela realmente é. Ela é minha irmã, e eu sou irmã dela. Meus pais se separaram quando eu tinha nove anos, logo ele se casou de novo. Felizmente, ele se casou com Ellie. Ela é a pessoa mais incrível que eu já conheci, ela salvou minha vida. Quando eles se casaram, eu ganhei uma irmã, Quinn, que é exatamente 34 dias mais velha que eu, nos tornamos inseparáveis desde o início. O pai de Quinn nunca foi presente, ela nunca teve um pai em casa, ela só o visitava por causa das determinações da justiça. Na maioria das vezes que eu tive que visitar minha mãe, Quinn ia comigo. Eu amava minha mãe, mas amava ainda mais os momentos na casa do meu pai. Então, quando eu tinha quinze anos, eu estava na minha aula de Inglês quando o Senhor Smith, diretor da escola, entrou e perguntou se podia falar comigo. Saí na sala e encontrei Quinn e Ellie encostadas na parede do corredor, chorando. Eu, imediatamente, corri para elas e perguntei o que havia acontecido, pronta para partir pra cima de quem quer que tivesse machucado elas. Em um borrão, do qual eu mal me lembro, eu descobri que meu pai e minha mãe haviam morrido em um acidente de carro. Aparentemente, uma motorista acabou dormindo no transito porque estava cansada pois trabalhava no turno da tarde em um hospital, os carros bateram de frente. Ela sobreviveu, meus pais não. No começo, eu fiquei confusa e tentei negar a situação, afinal, meus pais nunca estariam em um carro juntos, eles tinham que ter cometido um erro. Quando Ellie me falou que não havia erro, eu fiquei devastada. Foi o pior dia da minha vida. Naquele dia eu aprendi


a nunca me aproximar demais das pessoas. Com Ellie e Quinn já não havia nada a ser feito, já estávamos apegadas demais. Mas jurei que isso não aconteceria novamente. Não há vantagem em ter um relacionamento, porque se não estão te enganando, estão mortos. Ambos, no caso dos meus pais. Minha família tentou lutar pela minha guarda, já que minha tia achou que seria melhor para mim, estar com a minha família de sangue. Não importava que eu não os visse desde os sete anos de idade. Certa vez, eu expliquei para ela, muito calmamente, que eu fugiria todos os dias para a casa da Ellie, e então ela me deixou ir, percebeu que não valia a pena lutar. Ellie ficou radiante quando eu me mudei. Eu agradeço a ela todos os dias por ela nunca ter jogado o caso dos meus pais contra mim. Ela nunca falou sobre isso comigo ou com a Quinn. Nós três nos mudados da casa do meu pai para uma nova casa de três quartos. Um dos quartos era pra ser meu, mas eu basicamente me mudei para o quarto da Quinn, ninguém reclamou. Um ano e meio depois da morte dos meus pais, Ellie se casou com Charlie, ele é incrível, nos ama e nos mima. Eu e Quinn temos que trabalhar enquanto estamos na faculdade, porque Ellie e Charles sentem que era importante para sabermos o real valor da faculdade. Mas eles nos ajudam com a maior parte das nossas despesas. Quando estamos em casa, cada uma tem seu carro, mas resolvemos trazer apenas um deles para a faculdade. Funciona bem, já que estamos juntas na maior parte do tempo e quando não estamos uma de nós recebe carona do Cole. Eu costumo deixar o carro com a Quinn, eu prefiro ficar sem ele, se for pra ela ter. “Não se preocupe, Quinn. Eu vou ficar bem, não me importo de ir andando, além disso, se eu desistir de ir andando, o campus acrescentou uma nova linha de ônibus que para em frente ao apartamento. Eu só preciso ir em casa.” Ela levantou como se precisasse se tranquilizar de que eu estava bem, ou se precisava de alguém para conversar. Eu balancei minha cabeça e disse: “Nos falamos a noite, quando eu chegar em casa depois do trabalho, ok?” “Tudo bem...” Disse ela hesitante, ao sentar-se ao lado de Cole. “Me manda uma mensagem mais tarde”. Eu balancei a cabeça e ela acenou. Joguei todo o meu almoço fora no caminho para a porta. Eu ainda não sabia se iria para casa a pé ou de ônibus, tinha que atravessar o campus ainda, acho que decidiria quando chegasse lá. Eu não andei mais do que vinte passos antes de ouvir alguém correndo atrás de mim. Se for Micah, eu realmente vou ficar louca com ele e perder minhas boas maneiras. Felizmente, não era Micah.


“Emerson, espere,” Jaxon disse se aproximando de mim. “Então você está mesmo levando a sério essa história de me chamar pelo nome, hein?” Eu provoquei, andando em direção a outra extremidade do campus. O final de Agosto estava sendo muito quente no Sul da Califórnia, mas os calouros não se importavam. Haviam meninas deitadas na grama, tentando se bronzear, e garotos jogando a bola uns para os outros. “Que seja, estou indo para casa, quer uma carona?” Ele perguntou, se esquivando da minha pergunta, ele puxou a mochila e abriu o zíper, tirando o seu boné de lá, colocando tranquilamente em sua cabeça. “Se você não se importar. Embora eu ache que você deveria ir terminar seu almoço, sua bandeja estava cheia.” Eu brinquei com ele. “Eu preferia que nós dois tivéssemos terminado nossos almoços, mas você parecia chateada, e já que você estava indo pra casa, e eu iria logo em seguida, não fez sentido esperar.” Ele disse me olhando. “Obrigado, eu só precisava ficar longe do Micah.”. “Então, vocês estão juntos?” Ele perguntou parecendo confuso. “Nunca”. “Vocês pareciam estar bem quando eu subi.” É, ele estava observando. “Isso é tudo que eu quero agora...Estar bem. Micah está começando a pensar que eu vou mudar as regras pra ele.”. Ele parou por uma fração de segundos e se virou para mim. “Você tem regras?” Ele riu levantando umas das sobrancelhas. Sexy. “Só três, mas elas são muito importantes para mim.” Eu disse, me sentindo um pouco boba por falar sobre isso. “Por favor, compartilhe, fiquei intrigado”, ele tirou as chaves do bolso, e eu fiquei animada, afinal, nunca tinha andado de moto antes. Mas ao invés disso, ele apontou suas chaves para uma enorme caminhonete preta de quatro portas e apertou o botão para destravar. Ele me guiou para o lado do passageiro e abriu a porta para mim. Eu fiquei boquiaberta, “Que tal a moto? Eu estava animada com a ideia de andar nela.”.


“Nada de motos para você, querida. Além disso, Jace está com ela hoje.”. O que ele quis dizer com nada de motos para mim? “Você está dizendo que nunca vai me deixar andar nela?” Ele se abaixou e colocou suas mãos na minha cintura. Isso me pegou desprevenida. Havia uma tensão entre nós. Minha mente não queria corresponder a essa tensão, mas meu corpo não estava escutando. Ele se inclinou em direção ao meu ouvido e eu prendi a respiração. Eu desviei o olhar, para não ficar presa naqueles olhos azuis. “As motocicletas são perigosas. Eu jamais colocaria você em perigo”, ele sussurrou. Então ele me levantou para o banco da caminhonete. Sua voz voltou para o seu tom profundo habitual. “Além disso, Cole iria me matar. Ele ameaçou Jace e eu, caso um de nós tente colocá-las na moto. Eu poderia andar com ele, mas estou tentando não despertar o seu lado ruim.” Ele piscou, e eu sabia que ele estava brincando. “Eu vou ter que ter uma conversa com Coley”. Ele começou a rir, enquanto fechava a porta e eu pude ver ele rindo enquanto dava a volta pela caminhonete até o lado do motorista. Quando ele abriu a porta ele disse “Por favor, me diga que você vai chamá-lo na frente dos irmãos bundões da fraternidade.” Ele tinha um sorriso enorme no rosto. “Claro que sim, eu não sou envergonhada.” “Oh, eu tenho certeza que não. Quero dizer, ele deve amar isso.”, afirmou sarcasticamente. “Então, e essa caminhonete gigante? Quer dizer, ele é necessário para a faculdade no Sul da Califórnia?”, eu perguntei, tentando provocá-lo. De repente, seu rosto adotou um tom um pouco triste, mas ele logo empurrou isso para longe e voltou a sorrir. “Costumava ser do meu pai, mas agora eu e o Jace que dirigimos. Foi útil para podermos sair com todas as nossas coisas e ainda colocar a moto atrás.” Ele saiu do estacionamento e seguiu em direção aos nossos apartamentos. “Você está tentando desviar do assunto, mas eu ainda quero saber das suas regras.” Ele disse dando dois tapinhas na minha coxa. “Ok, tudo bem”, eu disse irritada. “Resumindo, eu não planejo ficar com ninguém permanentemente, meus pais me ensinaram que isso só traz desgosto e frustração. Eu gosto de me divertir, mas não sei se sou forte o suficiente pra aguentar um coração partido. Então, minhas


regras são: Eu não durmo com ninguém que eu saiba que meus amigos gostem, não durmo com o namorado de ninguém e não durmo com ninguém mais de três vezes.” Depois de alguns segundos de um silencio desconfortável, ele falou: “Você sabe que eu acho que você está errada.” “Eu não acho que estou errada, só estou protegendo todos os envolvidos. Assim, ninguém pensa que eu posso dar mais do que eu realmente tenho pra oferecer. Além disso, eu também não quero fazer inimigos dormindo com o namorado de alguém”, eu disse baixinho. “Não, não estou falando sobre as regras, estou falando sobre você ser forte o suficiente. Eu diria que é.” Eu fiquei sentada lá, planejando não dizer nada. Ele não me conhece, não sabe o que meus pais fizeram pra mim, para eles mesmos e para a Ellie. Pessoas quebram o coração das outras. Era difícil de acreditar que eu conhecia Jax a poucas horas. Eu sentia como se nós soubéssemos tantas coisas um do outro, talvez até demais. “Bom, tudo o que eu sei é que eu não quero ninguém me ligando todo dia, não quero cartinhas de amor, buquê de flores e muito menos dormir de conchinha toda noite.” “Uma garota que não dá prejuízos. Eu poderia lidar com isso”, ele riu. Paramos em frente ao nosso prédio, ele soltou o cinto de segurança e saltou da caminhonete. Eu me sentia nua perto dele. Ele via e parecia saber demais sobre mim, eu só não conseguia saber como. Eu só queria chegar no meu apartamento, tomar um banho e tirar uma soneca antes do meu turno esta noite. Eu dei a volta na caminhonete para subir as escadas e encontrei Jax com a sua mochila. Ele me deixou subir na frente e me seguiu até a minha porta. Nossos apartamentos eram bem decentes. Eu acredito que mais ninguém da faculdade more aqui. Quinn e eu trabalhos para pagar o aluguel e as contas, mas Ellie e Charles nos ajudam com a maior parte delas. Eu não sei nada sobre a família de Jace e Jaxon, mas sei que o pai de Cole paga basicamente tudo contando que ele permaneça na fraternidade e no time de futebol. O pai dele é um político, então para ele é importante manter as boas aparências. Todos os apartamentos desse prédio possuem três quartos. Enquanto meninos usam todos os quartos para algo chato e sem graça como dormir, eu e Quinn transformamos o nosso terceiro quarto em um Closet, mais pra Quinn do que para mim. Eu não tenho muito o que colocar dentro de um Closet, além disso, eu


e ela usamos o mesmo número para roupas, então eu acabo usando as roupas dela na maior parte do tempo. Eu parei em frente a minha porta e Jaxon passou por mim em direção ao apartamento dele. “Obrigado pela carona, foi bem melhor do que andar tudo isso no sol”, eu falei para ele. Ele colocou a chave na porta e girou para destrancar. “Sem problemas, acho que os nossos horários são bastante parecidos, na próxima a gente almoça antes de vir embora.” Ele sorriu e abriu a porta para entrar no seu apartamento. “Hey, você não quer almoçar aqui? Eu cozinho! É o mínimo que eu posso fazer depois de ter feito você jogar o seu almoço fora.” “Eu nunca digo não para uma refeição caseira”, ele disse sorrindo. “Bom, eu não sou nenhuma chefe de cozinha, mas consigo fazer um almoço para nós.” Depois de comer as asas de frango que eu fiz, ele me ajudou a limpar todos os pratos antes de colocar na máquina de lavar louça. Nós nos sentamos no sofá e ficamos assistindo televisão. “Droga! Você cozinha bem, estava uma delicia. Acho que devemos comer aqui todos os dias a partir de agora.” Ele riu e eu agradeci. Sentei no sofá me encostando nele, então ele me agarrou pela cintura e me sentou do outro lado do sofá, me fazendo ficar com as pernas em cima dele. Ele pegou o pé que eu havia machucado esta manhã. “Sente cócegas?”, ele perguntou gentilmente. “Não.” Então ele começou a percorrer os dedos carinhosamente por baixo do meu pé, ele parecia procurar algo. Ele logo descobriu o local onde a tampa de cerveja deixou sua marca e lentamente começou a fazer círculos em volta da marca e, em seguida, sobre ela. Os movimentos eram hipnotizantes. “Eu percebi que você estava mancando hoje, e hoje de manhã você ficava esfregando-o,” ele sussurrou.


Eu não tinha a menor vontade de dizer a ele que eu havia me machucado enquanto saia da cama de Micah. Tenho certeza de que ele sabe exatamente o que eu estava fazendo saindo da casa da fraternidade esta manhã. “Isso é maravilho”, eu suspirei preguiçosamente. Foi muito difícil me concentrar na televisão depois que ele começou a fazer isso, eu me perdi nos círculos suaves que ele fazia em volta e em cima, em volta e em cima. *.*.*.*.*

Mais tarde naquela semana, Jax e eu estávamos no meu quarto comparando as anotações de Jornalismo, e eu descobri que nós também tínhamos a matéria de Direito de Mídia juntos. Estudar com ele era divertido, nos geralmente desviávamos da matéria e começávamos a brincar, deixando os livros de lado. “Você e os garotos vão fazer algo hoje a noite? Eu e a Quinn ainda não temos planos.” “Eu vou ter que trabalhar, mas eu não sei o que o Jace e o Cole vão fazer,” ele respondeu, parecendo chateado. “Então você conseguiu o estágio na rádio?” Eu perguntei. “Sim! No começo, eu estava bem decidido sobre jornalismo, então eu procurei esse estágio. Mas as aulas tem me mostrado várias outras áreas, então agora eu já não tenho mais certeza se é realmente nisso que eu quero me formar.” Ele respondeu. “Eu queria ter feito meu estágio esse ano, mas eu estou bem ansiosa pra fazer isso no verão.” Ele largou a caneta e olhou para mim. “Onde vai fazer o seu estágio?” “Eu quero me formar em Jornalismo Humanitário, então meu estágio é fora do país nesse verão.” “Não me diga! Então está indo para Praga, Salzburgo ou alguma outra cidade Europeia maravilhosa?” “Nada muito glamouroso. Na verdade, estou indo para África.” Eu estava realmente


nervosa, mas eu sabia que essa era uma grande oportunidade. Ele ficou boquiaberto. “África? Mas não é muito perigoso?” “Eu acho que essa é a ideia. Ir para um lugar e conseguir uma história que precisa ser contada, sobre pessoas que foram esquecidas.” Ele fez uma longa pausa. “Uau, Você é incrível.” O comentário dele me fez ficar desconfortável. “Não, eu não sou, eu não fiz nada ainda.” “Mas você vai. Você vai fazer grandes coisas. Um dia, nós vamos ouvir falar sobre a grande Emerson Moore: Jornalista Humanitária.” *.*.*.*.*

Um dia, quando cheguei em casa, eu sentei no sofá e percebi que Quinn não estava em casa. Ela geralmente grita quando me ouve andar dentro de casa. Exatamente na hora em que peguei meu celular ela me mandou uma mensagem, Quinn: Estou na casa dos meninos. Venha para cá quando chegar, estamos vendo filmes. Eu estava exausta, tudo o que eu queria era um banho e a minha cama. Mas, eu sabia que deveria pelo menos ir lá e dar um oi para todo mundo. Eu tirei meus sapatos e andei descalça pelo corredor. Quando eu entrei, todos eles estavam sentados no escuro, mas eu não consegui ver os rostos deles. Cole havia comprado um enorme sofá onde cabiam facilmente dez pessoas. “Ei, Emmy,” Quinn e Cole disseram ao mesmo tempo. Eu me virei na direção das vozes dele e vi Quinn com a cabeça deitada no colo de Cole. Eu caminhei na direção dela e dei um “meio” abraço nela, já que não consegui abraçar ela direito porque estava deitada. Jaxon estava sentado embaixo dos pés da Quinn. E eu pensei que se fosse sentar abraçada em alguém, eu queria estar sentada perto do corpão dele. Eu sentei perto dele, e me inclinei colocando a cabeça no seu ombro. “Hey, bonitão, quanto tempo. Aliás, obrigado por me ajudar a conseguir aquelas notas. Ah, e pelas caronas também.” Eu falei dando um soquinho no seu abdome definido, demorando


um pouquinho antes de afastar a minha mão. “Olá pra você também, linda. Eu adoraria ver você com frequência, mas acredite em mim, eu me lembraria se tivesse te dado uma carona e isso é uma coisa que eu realmente não lembro de ter feito.” Seu tom era divertido e extremamente sedutor. Me sentei e dei a ele um olhar perplexo. Do que ele estava falando? Eu estava olhando para os seus olhos azuis, quando ouvi alguém limpar a garganta do outro lado do sofá, “Eu acho que você está procurando por mim?”, era aquela voz que eu estava desejando ouvir o dia inteiro. Eu me virei e vi Jaxon com um brilho azul no rosto por causa do reflexo do filme. Eu pulei e corri até o interruptor e acendi a luz. Quando eu me virei fiquei boquiaberta. Esse definitivamente não era o meu melhor momento. Gêmeos. Gêmeos idênticos. Gêmeos idênticos muito gostosos. Ah, eu vou matar Cole depois por não ter me contado isso antes. “O que? Como? Porque você não me contou que existia uma cópia gostosa de você? Como a gente mora no mesmo corredor e eu nunca soube que tinha dois de você?” Eu gritei para Jaxon enquanto alternava o olhar entre ele e Jace. Jace tinha um sorriso satisfeito no rosto, parecia orgulhoso de si mesmo. Eu não podia acreditar em como eles eram parecidos. Jace tinha as mesmas imperfeições que eu amava em Jaxon; o mesmo dente para frente. A única diferença que eu podia notar a distância é que Jace não tinha aquela voz sexy com a qual Jaxon foi abençoado por Deus. Todo mundo estava tampando os olhos com a mão tentando se adaptar com a luz. “Emmy, então, eles são gêmeos, mas isso não é grande coisa. Apague a luz, estávamos vendo um filme,” Cole disse impaciente, e vi Quinn se endireitando no sofá. “Minha vida acaba de ficar um pouco mais interessante agora, Coley. Quinn, um pequeno aviso na próxima vez seria ótimo. Você sabe, uma mensagenzinha dizendo, "ah, só pra avisar, quando você chegar em casa, assim que entrar na porta, terão dois seres extremamente idênticos. Só isso, nada demais." Eu gritei para ela apontando meu dedo para o telefone. Quinn tinha um sorriso enorme no rosto. “E perder essa sua reação, nunca! Além do mais, foi uma ótima forma de você se apresentar ao Jace.” “Acredite, o nosso jeito de se apresentar foi mil vezes melhor.” Jaxon disse para ela com um sorriso no rosto.


Quinn estava preste a perguntar o que ele queria dizer com aquilo quando eu apaguei as luzes e sentei no sofá entre Jaxon e Cole. Quinn voltou a se deitar no colo de Cole, mas eu sabia que ela ia fazer perguntas mais tarde. Eu deixei um espaço entre mim e os garotos. “Em, você é mais que bem vinda para voltar a se sentar aqui. Eu acho que estava bem aconchegante,” Jace sussurrou para mim. Eu comecei a rir, mas Jaxon respondeu por mim, “Ela está bem aqui, cara”. Assim que todos se acomodaram, eu encostei a cabeça na almofada atrás de mim. Logo senti um braço passando ao redor de mim me puxando para o seu peito definido. “Você cheira a fumaça e cerveja,” Jaxon sussurrou no meu ouvido. “Acontece quando você trabalha em um bar como bartender, desculpa,” Eu murmurei contra o seu peito. Diferente de mim, o cheiro dele era delicioso, era um cheiro de quem acabou de sair do banho, um cheiro viril. Eu tentei sentir sem que ele percebesse, mas como ele estava me segurando pelos ombros eu imaginei que ele fosse perceber o que eu estava fazendo. Minha cabeça foi caindo lentamente até o colo dele, eu não fazia ideia de que filme estávamos assistindo. Quando minha cabeça alcançou o colo dele, ele começou a percorrer a mão pelo meu cabelo. Ele desfez o meu rabo de cavalo e quando meu cabelo se soltou e começou a passar os dedos pelo meu couro cabeludo. Eu dormi com os dedos dele brincando com os meus cabelos.


Capítulo 4

Inícios e Flertes

O alarme do meu celular começou a tocar na manhã seguinte e, sem abrir os olhos, eu cegamente o peguei do meu criado-mudo. Eu percebi que estava na minha própria cama quando senti o tampo de vidro, mas não me lembro de como vim parar no meu apartamento depois da noite passada. A última coisa que lembro eram das mãos de Jaxon nos meus cabelos, fazendo aqueles movimentos hipnotizantes. Se ele pudesse fazer aquilo todas as noites eu nunca mais teria uma noite se quer sem dormir. Eu levantei rápido da minha cama e tomei um banho quente, eu tinha aula em duas horas. Quando estava no banho, notei uma mancha preta na minha mão. Tirei a mão da água antes de molhar. Você é linda, mesmo quando ronca. Eu conhecia aquela letra, eu havia visto em várias anotações todos os dias. Jaxon havia escrito na minha mão na noite passada enquanto eu dormia. Agora eu conseguia lembrar de cochilar no colo dele na noite passada. Ai Deus, ele havia me visto roncar? Eu tenho certeza de que eu não ronco, geralmente as pessoas dizem essas coisas quando dormem umas com as outras. Eu observei aquela linda caligrafia mais um pouco antes de lavar. Quando terminei de passar a chapinha no meu cabelo para controlar o frizz, andei até a cozinha e vi Quinn com seu cabelo de quem acabou de sair da cama. Não importa o quão estranho esteja o cabelo de Quinn agora, logo ela terá seu cabelo marrom brilhante, elegante e perfeito, e isso antes de sair de casa. Ela estava fazendo café para nós duas. Comecei a arrumar as coisas para fazer o café da manhã. “Deus, Quinn, eu apaguei ontem. Eu nem lembro de ter andado de volta até o apartamento. Obrigado por arrumar o despertador para mim,” Eu disse para ela. “Você não lembra porque você não andou, querida. Jax carregou você até aqui e colocou


você na cama. Ele cobriu você e tudo. Ele até perguntou que horas você precisava estar de pé, para que ele pudesse arrumar seu despertador. Eu fiquei impressionada. Ele é tão fofo. Você também não pareceu se importar, colocou as mãos em volta do pescoço dele e o rosto no ombro dele.” Ela sorriu maliciosamente. “Ah não, eu babei nele? Por favor, me diz que não. Você não me ouviu roncando, ouviu?” Eu bati a palma da mão na testa. Eu não deveria ter ficado tão confortável nos braços dele ontem. “Não, eu acho que não. Ele parecia feliz em fazer aquilo. Ele é muito gostoso, né?” Ela disse enquanto pegava as canecas no armário. “Tão lindo, Quinn! Eu não consigo acreditar que existem dois dele.” “Você viu que ele te chamou de Emerson? Como ele sabe seu nome?” Ela me perguntou. “Ele descobriu na aula de Jornalismo, nós tivemos que manter um dialogo durante todo um período da aula. Como você sabe que ele me chama assim?” Eu perguntei. “Ah, eu esqueci, quando ele te trouxe pra sua cama, ele viu um livro na sua mesa e disse que pegaria para estudar. Ele disse, 'você pode avisar para a Emerson que eu peguei?' Eu nem percebi que ele tinha te chamado assim até ele ir embora.” Ela falou. “Merda, eu espero que eu não tenha deixado de estudar nada que a gente deveria estudar,” eu reclamei. “Sabe, Cole está preocupado que você durma com eles,” ela falou calmamente. “Porque ele está preocupado, ele nunca se preocupou com quem eu durmo. E não é como se eles fossem se mudar porque eu dormi com um deles.” “Ele não está preocupado sobre eles se mudarem, ele está preocupado que isso possa nos afastar.” Ela disse dando de ombros. “Eu vou tranquilizá-lo, nós não estamos fazendo nada.” Cole nunca havia se preocupado com qual dos seus amigos eu dormia. Eu não me apegava a eles e não os deixava se apegarem a mim. E depois, nós sempre continuávamos sendo amigos depois das três vezes. Ele estava sendo bobo. “Então, você e o Cole tiveram essa conversa enquanto você estava no colo dele, ou depois que todo mundo foi para a cama?” Eu brinquei com ela.


Ela lavou mais um pouco da louça antes de se virar e pegar o creme de baunilha na geladeira. Em algum momento do ano passado, eu percebi que Quinn e Cole começaram a agir diferente um com o outro. Ela começou a se preocupar se a maquiagem estava boa antes dele se aproximar e ele começou a desaprovar todo garoto com quem ela saia. Eu tenho uma forte suspeita de que eles realmente gostam um do outro mais do que como amigos. Quinn continuava ficando com outros caras e Cole continuava dormindo fora às vezes, então eu realmente não sei o que pensar. Eu nunca havia brincado sobre isso com a Quinn antes, só tentado fazê-la falar sobre isso. Eu não entendo, se eles se gostam, por que não ficam juntos? Eles são completamente normais, não fadados ao insucesso, como eu. “Não diga uma coisa dessas, Emmy, nós somos amigos. Você também está com Cole o tempo todo,” ela disse na defensiva enquanto rolava os olhos. “A diferença é que quando eu saio do colo dele, Cole não fica frustrado e ele definitivamente não fica fazendo carinho nas minhas costas como estava fazendo em você ontem à noite.” Eu pisquei para ela. “Você está delirando, eu vou me arrumar. Tenho que dar monitoria para três estudantes hoje às nove e meia. Fique pronta rápido, assim poderemos ir juntas.” Boa reflexão, Quinn. “Eu já estou pronta, vou até a casa dos meninos, passe ali quando estiver indo,” Eu disse para ela enquanto saia pela porta com o meu café. Quando entrei no apartamento, Jaxon, ou Jace, estava sentado no sofá somente de boxers verde-escuro comendo uma tigela de cereais. Oh merda, ele tem uma tatuagem sexy nos ombros. Uma intrigante linha preta que saia de perto da clavícula e percorria todo o seu braço até chegar no bíceps. Eu queria percorrer aquele caminho com os meus dedos, ou a língua, o que chegasse primeiro. “Olá, bom dia, linda, entre! E não se preocupe em bater na porta.” Jaxon. Se eu pudesse fazer eles falarem, eu poderia identificar facilmente quem é quem. Obviamente ele está sendo sarcástico a respeito de não bater na porta, mas agora que Jaxon e Jace se mudaram para lá, eu realmente devo reconsiderar a respeito de ir apenas entrando. “Desculpa, eu estava acostumada com somente o Cole por aqui,” Eu me desculpei. “Mas


por outro lado, parece que você estava me esperando, de qualquer forma. Obrigado por usar o meu traje favorito. Espero te ver desse jeito toda vez que eu entrar aqui.” Eu pisquei. Seu abdome estava em dia e tudo o que eu queria era deslizar minhas mãos pelo seu peito. Eu estava concentrada no seu abdome, eu estava hipnotizada quando ouvi sua risada. Ele interrompeu minha análise e disse, “Eu acho que isso é uma via de mão dupla, eu posso simplesmente ir entrando no seu apartamento a hora que eu quiser?” Ele disse fazendo um gesto com o dedo entre nós. “Claro! Eu geralmente estou nua das duas as três, então venha, quanto mais melhor.” Eu falei provocando ele. Então, Jace entrou na sala, “Hey, Em, a garota mais sexy que eu conheci na Califórnia. Eu estarei lá por voltas dás duas e meia, espero que você esteja preparada.” Ele me deu um sorriso sexy. Ele seguiu andando em direção a cozinha e começou a preparar seu próprio cereal. “Você não é de todo o ruim, Jace.” Eu andei em direção ao sofá e me sentei ao lado de Jaxon e pude notar que ele estava encarando o seu irmão. Jace começou a rir quando viu o rosto do seu irmão. Estendi a mão na direção de Jaxon, “Alias, eu NÃO ronco!” Eu mostrei minha mão limpa para mostrar que tinha visto o que ele escreveu. Ele não confirmou apenas riu e continuou comendo seu café da manhã. Sentei na sala de estar, conversando com Jaxon e Cole sobre nossos horários esse semestre, enquanto esperávamos por Quinn. Jaxon não foi se vestir, eu não me importei. Ele disse que só tinha aula perto do almoço. Quinn finalmente ficou pronta e chegou. Ela estava vestindo um vestido coral com uma pequena abertura nas costas e uma faixa marrom na barra. As pernas longas dela a faziam parecer incrível e eu assistia Cole de boca aberta. “Por que você está tão bem-arrumada assim hoje?” Ele franziu a testa e perguntou. “Eu não estou 'tão bem-arrumada', só percebi que não preciso me vestir como se estivesse na favela,” Ela disse enquanto arrumava a barra do vestido. Quinn se veste bem todos os dias, ela nunca entenderia que eu preciso usar shorts e camiseta para ir para a faculdade. Geralmente, eu não olharia duas vezes para a roupa dela, mas ela parecia estar mais focada na sua aparência do que normalmente. Seus cachos estavam ainda


mais perfeitos e havia uma camada ainda mais grossa de rímel delineando seus olhos verdes. Nossos olhos eram a única coisa que nós tínhamos em comum na nossa aparência. Enquanto os cabelos dela eram um marrom quente, eu sentia que os meus eram um loiro sujo. Ela tinha pernas longas, que eu mataria pra ter, embora eu tenha sido mais abençoada do que ela no que diz respeito aos peitos. “Isso tudo é porque você vai ensinar aquele idiota do Bryce hoje?” Cole perguntou da cozinha, parecendo contrariado. Como ele sabia para quem ela daria monitoria esse semestre? “Ele pode ter sido um incentivo para parecer um pouco melhor.” Ela falou e sorriu para mim. Eu não pude evitar rolar os olhos. Era obvio que eles se gostavam. “Quinn, ele é um babaca. Semana passada ele levou uma menina da Chi Ômega no cinema, viu Rachel Morgan no corredor e simplesmente deixou a menina no cinema sozinha pra voltar pro quarto da fraternidade com a Rachel.” Ele fez uma careta para Quinn. Jaxon e eu ficamos sentados assistindo os dois, estávamos ficando um pouco desconfortáveis. Eu terminei meu café e coloquei em cima da mesa na minha frente. Jaxon se inclinou para frente se sentando no sofá e colocou sua tigela ao lado do meu copo. “Bom, então que bom que eu não estou tentando namorar com você né, Cole.” Ela sorriu timidamente. Cole tencionou a mandíbula e bateu quase silenciosamente com o seu punho na bancada e saiu andando pelo corredor em direção ao seu quarto. “Bom, vejo vocês depois. Em, eu acho que eu vou ao bar hoje a noite jogar sinuca com Jace e Jax. Você estará trabalhando? “Claro que sim!” Eu disse colocando minha mochila no meu ombro, feliz por sair daquele momento de tensão que se instalou na sala. “Tchau meninos.” Eu andei em direção a porta indo ao encontro de Quinn. “Vejo você mais tarde, Jace!” Eu gritei na direção do corredor, mas pisquei para Jaxon. Ele piscou os olhos e olhou para mim. Era engraçado brincar com ele, ele obviamente não estava tão louco com os flertes do irmão dele, mas eu gostava daquilo. Mais tarde, naquela noite, eu estava preparando as bebidas no bar quando vi Jace e Cole andando em direção a porta. Eu acenei para o nosso segurança Mark, para deixar eles entrarem. Eu gostava de trabalhar em um bar, mesmo que eu não pudesse estar fazendo isso. Eu ainda tinha só vinte anos, mas Ed, meu chefe, não trabalhava totalmente de acordo com as leis, então ele me


aceitou como bartender, sabendo que logo eu faria vinte e um. Eu era muito boa nisso, esse foi outro motivo para eu ter me dado bem aqui. Eu acho que ele só queria uma bartender menina para atrair os clientes e eu me tornei especialista nisso. “Hey garotos, eu guardei a mesa doze para vocês.” Eu apontei para a mesa de sinuca perto do bar. “Quinn não veio com vocês?” Cole bateu levemente com o punho no balcão do bar, o que eu estava percebendo que era um sinal de frustração com Quinn. “Ela está ensinando.” “E onde está o Jaxon?” Eu perguntei enquanto enchia o copo de Cole com seu whiky favorito. Eu não queria deixá-lo mais chateado falando sobre Quinn, que provavelmente passaria a noite fora com Bryce. “Aqui, linda.” Ele sorriu para mim. “Estava lá fora falando com a minha mãe no telefone. Aliás, Jace, ela disse que você não pode usar a desculpa de estar estudando para não ligar para ela, bundão.” Eu sorri do fato de ele gostar de ligar para a sua mãe e de não sentir vergonha disso. Eu já tinha ouvido ele falando com ela no telefone outras vezes. Eu continuava de costas para ele. Quando terminei o drinque de Cole, eu me virei para perguntar o que ele queria e ele não tirou os olhos da minha camiseta. Era apenas uma camiseta preta apertada que dizia, 'Nice Rack' no peito, que era o nome do local. Mas Ed teve a fantástica ideia de fazer um decote em V na minha camiseta. Meus peitos ficavam em exibição no bar toda noite. Eu aprendi logo a usar um sutiã apertado, uma vez que eu tinha que me abaixar milhões de vezes por noite. Eu tentei obrigar os outros funcionários a usarem um decote em V também, mas como eles eram todos homens, só eu estava usando. “Gostei da camiseta,” Ele disse enquanto sorria. Jace chegou perto dele com um sorriso malicioso e disse, “Eu também, Emmy.” Jaxon deu um tapa na sua cabeça e o empurrou para a mesa de sinuca. Era divertido assistir eles jogando sinuca, eles eram realmente muito amigos. Cole parecia muito feliz em ter os seus dois melhores amigos de volta com ele, e eu estava muito feliz que eles decidiram se juntar ao nosso pequeno grupo. Cole jogava decentemente, mas isso era porque ele veio muito aqui com Quinn quando ela queria ficar comigo enquanto eu trabalhava. Jace e Jaxon sabiam como jogar, e eram extremamente competitivos um com o outro. Houve muitos palavrões, brincadeiras e soquinhos.


*.*.*.*.* Jaxon: Nós temos prova de Direito de Mídia hoje. Vem aqui estudar comigo? Pooor favoor. Eu: Estarei ai em 5 minutos. Mas é legal te ver implorando. ;-) Jaxon: Traga o café da manha. Estou com fome ;-) Eu: O que você pensa que eu sou...uma empregada? Jaxon: Você tem alguma daquelas fantasias? Se tiver, eu vou ai agora. *.*.*.*.*

As próximas duas semanas na faculdade e no trabalho passaram muito rápido. Eu mudei meus horários desde que soube que amanhã será o primeiro jogo da temporada e peguei folga todas as sextas e alguns sábados, até a temporada acabar. Ed reclamou dizendo que iria me demitir, mas como eu sou a única bartender mulher, e eu trago muitos clientes, eu sei que ele não vai fazer isso. Eu geralmente só pego folgas durante a semana e os outros bartenders me cobrem. Eu encontrei o pessoal algumas vezes em algumas festas da fraternidade depois do trabalho. Jace geralmente não ia, Cole disse que ele está muito ocupado com os testes para medicina. De vez em quando, eu encontrava com ele pelo campus e toda vez ele tinha um novo grupo de garotas ao lado dele. Eu não podia culpá-las, afinal os Riley eram realmente gatos. Eu ouvia rumores o tempo todo de alguma nova garota dizendo que ficou com Jaxon, mas eu nunca perguntei para ele se isso era verdade. Micah havia dito que ele era uma versão masculina de mim. Eu sempre via Rachel Morgan sentando perto dele no refeitório, mas eu sabia que eles não estavam namorando ou algo assim. Ainda não. Algumas garotas vinham e sentavam no colo dele. Ele geralmente as deixava lá por alguns segundos e eu sempre ria dele tentando tirá-las de lá. Nós continuamos flertando, mas não aconteceu nada além disso entre nós. Sr. Patterson nós deu um enorme projeto para ser feito a médio prazo que deveria ser feito em dupla, então eu e Jaxon nos encontrávamos nos nossos apartamentos. Enquanto nós caminhávamos em direção a caminhonete depois do almoço, eu perguntei para ele se ele estava nervoso por causa do jogo de amanhã, já que ele não jogava há alguns anos. “Não, eu venho praticando bastante. Eu trabalhei meu corpo nos últimos dois anos para


que eu pudesse estar apto. Eu acordava todo dia às cinco horas da manhã para me exercitar e também fazia isso depois das aulas no ginásio. Eu costumava arrastar o Jace comigo. Ele batia na minha cabeça para me fazer acordar e jogava a bola para mim.” Ele disse enquanto andávamos para o meu lado da caminhonete. Ele abriu a minha porta e me levantou pela cintura. Essa sempre era a minha parte favorita. Eu disse para ele uma vez que eu era totalmente capaz de entrar na caminhonete sozinha, mas ele simplesmente ignorou isso e continuou me levantando. Ele me levantou em direção ao banco olhando dentro dos meus olhos. Eu juro, toda vez que ele faz isso o rosto dele fica muito próximo do meu e eu quase me inclinei para beijá-lo hoje. Mas na hora em que eu decidi fazer isso ele já tinha me colocado no meu banco e fechado a porta. Ele deu a volta para o lado do motorista. O jeans escuro dele fez um pequeno ruído como se estivesse arranhando todo o banco de couro. Eu percebi que não tinha respondido ele ainda. “Você tem um irmão muito legal, para se levantar todos os dias às cinco da manhã, por dois anos, para jogar uma bola.” “Eu não disse que ele gostava de fazer isso,” ele respondeu. “Se ele não gostasse, ele nunca teria feito, Jaxon. Ele ama você, além disso, você mesmo disse que ele resolveu ir para a faculdade pública com você quando ganhou bolsa de quatro anos para estudar medicina em uma universidade particular.” “Hmm...eu acho que você está certa.” Ele disse isso como se nunca tivesse considerado que o seu próprio irmão o amava antes. “Acho que depois de um tempo ele simplesmente se acostumou a acordar cedo também, porque tinha vezes que eu não tinha vontade de ir e mesmo assim ele me acordava. Quer dizer, a gente fazia isso todas as manhãs todos os dias da semana, até nos finais de semana. Jace sempre estava lá, batendo na minha cabeça para eu acordar.” Ele riu da sua lembrança e eu o deixei pensar sobre isso durante o resto da viajem. Enquanto nós subíamos as escadas em direção aos apartamentos, eu olhei para ele e disse, “Hey, eu acho que você deveria pensar em fazer algo realmente bom para agradecer o Jace por ajudar você.” “Eu vou pensar sobre isso. Eu não tenho ideia do que, mas vou pensar em algo. Vejo você mais tarde, linda.” Ele disse dando um tapinha na minha bunda ao passar em direção a porta dele. Ele entrou antes que eu tivesse pego minhas chaves. Eu coloquei minha mochila na minha


frente para que pudesse procurar as chaves. Eu tenho certeza que isso viola as leis de autodefesa, estar preparado e sempre ter as chaves sempre em mãos. Bem, eu tenho certeza de que se alguém tentasse me atacar, eu poderia gritar alto o suficiente para um dos caras ouvirem ou a senhora de setenta anos do corredor. Com certeza ela ajudaria. Eu continuei vasculhando na minha mochila, mas não ouvia o barulho familiar das chaves. Eu virei minha mochila de cabeça para baixo e despejei todo o conteúdo. Nada de chaves. Eu verifiquei no bolso interno da mochila, mas continuei sem sorte. Merda, eu devo ter esquecido de pegar quando sai com a Quinn hoje de manhã. Ultimamente, já que eu tenho trabalhado muito, eu venho tirando um cochilo antes de ir para o trabalho. Eu não tinha que trabalhar hoje, mas eu estava realmente desejando poder descansar antes da festa que nós íamos hoje à noite. Talvez eu pudesse dormir um pouco na cama do Cole. Quando ele morava na fraternidade, Quinn e eu costumávamos dormir por lá quando bebíamos demais nas festas. Ele dormia no chão, em vez de descer e dormir no sofá, porque não queria que nenhum garoto bêbado entrasse e mexesse com a gente enquanto dormíamos. Eu andei pelo corredor até o apartamento e bati na porta. Demorou um tempo, mas Jaxon finalmente atendeu, vestindo só uma toalha azul-marinho enrolada na cintura. Sexy. Ele arqueou a sobrancelha para mim erguendo o braço e se apoiando no batente da porta. Ele não era alto o suficiente para alcançar o topo do batente, mas o modo como ele fez aquilo, fez as minhas pernas tremerem. Garotos não deveriam ter essa aparência, especialmente os que moram perto de você. Realmente não é justo com os garotos de aparência mediana. Eu olhei para as suas pernas musculosas, subindo para os gomos do seu abdome até o seu peito largo. Eu tive que fazer uma pausa por causa de algumas batidas mais fortes do coração quando eu olhei os recuos que formavam um V na sua cintura aparecendo acima da toalha. “Vejo que você atualizou seu traje de ficar em casa. Eu gostei,” Eu disse baixinho. Minha voz soava áspera. “Eu estou sem as minhas chaves. Eu só vim aqui para tirar uma soneca na cama do Cole até a Quinn chegar e me deixar entrar.” Ele acenou com a cabeça, mas não disse nada e não mudou de posição, então eu me aproximei. Havia algo diferente nos seus olhos. Eles estavam ardendo e exalavam sexo. Eu não tenho certeza do que mudou entre agora e quando a gente se viu dois minutos atrás, mas eu não ia questioná-lo. Se eu olhasse para frente tudo o que estava na minha linha de visão era seu


abdome musculoso. Eu estendi a minha mão e coloquei a palma no seu abdome. Minha mão tinha vida própria e se moveu sozinha até seu peito. Ele estava olhando para mim com um olhar quente. Eu fiquei na ponta dos pés, e pude passar a mão pela sua clavícula, pela tatuagem sexy no seu ombro, pela sua nuca. Seus lábios estavam entreabertos e eu ouvi a sua respiração acelerada. As pontas dos meus dedos encontraram as pontas do seu cabelo na nuca. Ele ainda estava com a mão no batente da porta. Ele roçou levemente a ponta dos seus dedos pelo meu braço enquanto descia a sua mão. Eu subi a minha outra mão para se juntar a outra que já estava no seu pescoço, então segurei os seus cabelos com as minhas mãos. Sua voz era apenas um sussurro, “Emerson...” Assim que eu ouvi meu tom de voz preferido, com todo aquele desejo, meu controle foi embora. Ainda nas pontas dos pés, eu trouxe o seu rosto para perto e pressionei meus lábios contra os dele. As mãos dele continuavam ao lado do seu corpo. Eu colei meu corpo no dele e podia ver que ele estava reagindo a mim, então eu não entendia por que ele não estava se movendo para fazer algo além de me beijar. Eu queria pedir para ele me tocar. Eu deslizei uma mão para baixo e o acariciei por cima da toalha, esperando obter minha mensagem para ir adiante. Ele gemeu entre os meus lábios. “Emerson, se você continuar, eu juro que não vou ser capaz de parar,” ele disse quase dolorosamente. “Não se atreva a me pedir pra parar,” Eu disse rapidamente voltando para a ponta dos dedos e beijando seu peito. Antes de eu terminar de dizer “parar” ele me levantou sem esforço até a sua boca. Minhas pernas instintivamente se fecharam em torno da cintura dele e meus dedos puxaram seu cabelo. Finalmente. Isso vai finalmente acontecer. Nós andamos pelo corredor em direção ao seu quarto, que era na frente do quarto de Jace. Agradeci pelos outros garotos não estarem em casa ainda. Eu já estive nesse quarto milhões de vezes para estudar, mas isso parecia diferente desta vez. Hoje não haveriam nenhum livro envolvido. Ele sempre manteve o quarto perfeitamente limpo. Eu também notei que sempre que eu sentava na sua cama para estudar os lençóis estavam limpos e cheirosos. Ele subiu na cama ainda me segurando. Quando nós chegamos no meio dela, ele me deitou sobre os lençóis. As mãos dele continuavam nos meus cabelos e os nossos lábios continuavam colados. Eu sentia como se ele estivesse me devorando, como se ainda não tivesse sido o suficiente para ele. Eu rezava para que


esse fosse o caso, porque eu sei que eu não conseguia parar, eu estive esperando por isso por muito tempo. Eu mantive minhas pernas em torno da sua cintura e ele se inclinou sobre mim roçando seu corpo no meu. Um longo gemido escapou da minha boca antes que eu pudesse conter. Ele fazia eu me sentir como se nunca tivesse feito isso antes, era quase constrangedor. Abaixei a minha mão e puxei a sua toalha, jogando ela longe. Puta merda, ele é lindo. Eu percorri minha língua pelo seu pescoço e o chupei. Sem afastar seu pescoço da minha boca, ele sussurrou no meu ouvido, “Eu estou em desvantagem, isso não é justo.” Ao longo da minha descoberta pelo seu corpo, eu me esqueci de que ainda estava completamente vestida. No entanto, ele não deixou que isso durasse muito. Ele segurou a barra da minha camiseta e a puxou para cima e jogando atrás de mim. Em um piscar de olhos, ele agarrou meu short e calcinha e a desceu pelas minhas pernas. Eu me sentei e ele colocou as mãos nas minhas costas para soltar o sutiã. Ele o deslizou pelos meus braços percorrendo o mesmo caminho com os seus lábios. “Porra, seu corpo é incrível.” ele rosnou. Ele abaixou a cabeça para beijar meus seios e eu me deitei na cama. Ele se deitou comigo e passei a mão pelas suas costas para trazê-lo mais perto. Ele abaixou uma de suas mãos para ver se eu estava pronta e eu ouvi o seu gemido abafado contra a minha pele, os movimentos da sua mão abalaram todo o meu corpo. Eu nunca estive mais pronta na minha vida. Minha respiração vinha em pequenos suspiros de antecipação. De repente, ele se sentou, fazendo um calafrio passar por mim. Eu segui seus movimentos com os olhos enquanto ele abria o seu criado-mudo e pegava um pacote prateado. Quando ele voltou a se sentar entre as minhas pernas eu peguei o pacote da mão dele. Eu rasguei o pacote e o vi fechando os olhos enquanto eu deslizava lentamente a camisinha nele. Quando eu finalmente o senti dentro de mim, eu não consegui manter os meus olhos abertos. O nome dele era um sussurro entre os meus lábios. “Emerson, você é tão linda, eu preciso ver os seus olhos.” Ele continuava se movimento dentro de mim quando eu abri meus olhos e olhei para ele. A vista aqui de baixo não poderia ser melhor. “Eu quis estar assim com você desde o primeiro momento em que te vi.” Segurei suas costas mais apertado para trazê-lo mais perto. “Eu estava quase nua, com


certeza você quis,” Eu tentei rir mais um gemido escapou. “Eu não vou mentir, você estava incrivelmente gostosa se esgueirando naquela casa. Mas isso não tem nada a ver com o seu corpo lindo. Foi a maneira como você endireitou os ombros quando viu que tinha sido pega e decidiu que não ia ficar envergonhada. Ah, e o jeito como você mancava...Estranhamente adorável.” Ele sorriu para mim. Eu nunca conheci um cara que conseguisse manter tão bem uma conversa durante o sexo. Ninguém me disse nada parecido com aquilo antes. Eu não queria gostar daquilo, mas ultimamente eu só tenho conhecido babacas que ficam tão excitados com os meus peitos que há essa hora já teriam terminado. As palavras de Jaxon eram boas de ouvir, mas, ao mesmo tempo, me aterrorizaram profundamente. “Cala a boca,” Eu disse pressionando meu corpo contra o dele e colando nossos lábios novamente. Ele ergueu as minhas pernas ao mesmo tempo em que eu gritei o nome dele. Os movimentos dele ficaram mais rápidos e curtos e ele enterrou seu rosto no meu pescoço. Eu amei o som do seu gemido quando ele entrou mais uma vez em mim. Então eu senti o seu peso sobre o meu corpo. Quando ele se sentou me levou junto com ele, então eu apoiei minha cabeça no seu ombro e as nossas pernas se misturaram. “Eu tenho que me levantar, tenho treino em quinze minutos. Mas eu quero que você deite um pouco na minha cama, sempre que quiser. Sério, só não vá para a cama do Cole nem para a do Jace. Essa é a minha regra.” Ele piscou para mim. “Você entende que não estamos namorando, certo?” Eu parecia uma vadia falando aquilo, mas o seu tom possessivo estava me assustando. Eu não precisava de outro Micah. “Ah sim, entendo, claro como cristal.” Ele se levantou e se abaixou para encostar seus lábios nos meus. Eu fechei meus olhos e inalei seu cheiro. Eu amei o jeito como o seu cheiro estava misturado com o meu na cama. Ele finalmente pressionou seus lábios contra os meus e pediu passagem com a língua. O beijo se tornou ansioso e eu o queria de novo. Eu não conseguia fazer os meus dedos pararem de mexer nos seus cabelos e de tentar trazê-lo mais perto.


Eu ouvi ele gemer e dizer, “Você está tentando me ter de volta. Eu queria poder ficar, mas o treinador vai me colocar no banco amanhã se eu me atrasar, e eu tenho uma aposta pra ganhar.” Ele se abaixou para me beijar de novo e se levantou para pegar suas roupas e se vestir. “Você e a Quinn vão na festa com a gente hoje à noite?” “Sim, Cole disse que nós podemos ir todos juntos depois do treino de vocês,” Eu respondi enquanto sorria para ele. Eu o vi colocar seu shorts de corrida enquanto me enfiava debaixo do edredom. Ele sorriu mais ainda para mim para me deixar confortável em sua cama. Ele vestiu a camisa do time de futebol sobre os seus músculos enquanto dizia, “Bom, pego você mais tarde então, linda.” Ele fechou a porta e eu já estava quase dormindo antes de ele sair do apartamento. Depois de dormir por algumas horas na cama do Jaxon, eu finalmente me levantei quando sabia que Quinn já estaria em casa. Jace saiu do seu quarto na mesma hora que saia do quarto do Jaxon vestindo uma das camisetas dele. Eu congelei e apontei para o quarto atrás de mim, “Jaxon...estava aqui. Mais cedo. Mas ele teve...que sair,” Eu parecia uma criança que tinha sido pega com a boca na botija. Por que eu estava tão nervosa sobre o Jace me ver saindo do quarto do irmão dele, não era como se eu fosse dar de cara com a mãe deles. Ele desatou a rir da minha cara. “Você é tão fofa, Em. Não se preocupe, eu estava esperando isso acontecer. Talvez agora ele pare de falar de você.” “Ok, bom, obrigada...Te vejo hoje à noite?” Quando ele acenou com a cabeça, eu disse, “Diga a ele que eu devolvo a camiseta depois.” Quando entramos na festa a noite nós ouvimos conversas vindo da cozinha. A casa estava cheia de pessoas com os corpos colados e eles estavam todos bêbados. A música estava tão alta que eu podia sentir as batidas no meu peito no ritmo da música. Jaxon e Jace fizeram uma barreira para nos ajudar a passar enquanto Cole ficou atrás para ter certeza de que ninguém nos empurraria. Eu nunca andei de mão dadas com ninguém, era uma pequena regra. Mas quando Jaxon segurou a minha mão enquanto entravamos na casa e não me deixou ir, eu não tentei resistir por muito tempo. Por alguma razão, era bom ter uma mão grande em volta de mim. Esses garotos eram realmente protetores. Eu e Quinn já fomos a muitas festas sozinha e sobrevivemos. Quando nós entramos na festa, haviam caras com doses em frente ao Garrett.


Aparentemente era seu aniversário e ele devia beber todas aquelas doses. Quando acabou eu entrei no meio dos garotos, peguei cinco copos e a garrafa de tequila. “Vamos, Garrett, faça outro brinde com a gente!” Eu gritei. Quinn e eu estávamos encostadas no bar enquanto os garotos continuavam atrás de nós. Eu senti a ponta dos dedos de Jaxon na minha pele embaixo da camiseta ao redor da cintura. Me movi apenas um centímetro para trás para me apoiar melhor nele. Como ele não se moveu, me inclinei um pouco mais contra o bar para que a minha bunda encostasse na sua virilha. No momento em que eu encostei nele, ele se atirou para cima de mim e gemeu. Quinn cerrou os olhos para ele, pensando que ele havia esbarrado em mim. “Alguém me empurrou,” ele disse apontando para trás. Ele se sentou um pouco mais reto, mas não deixando de me tocar. Eu tentei segurá-lo, mas não conseguia parar de rir da cara de assustado que ele fez para Quinn, e ele me beliscou na cintura. Isso só me fez rir mais. Nessa hora, Garrett alinhou os copos em volta dele. “Eu só vou fazer isso por você, Em, porque eu estou quase caindo de bêbado! E também porque eu te devo uma por ter colocado as suas roupas na árvore, no entanto eu ouvi que alguns garotos foram presenteados naquela manhã.” Ele disse e o meu queixo caiu. “VOCÊ FEZ AQUILO?” Eu gritei. Quando ele acenou com a cabeça, Jaxon passou por mim e bateu a mão na de Garrett no ar. “Obrigado cara, foi o melhor dia da minha vida!” A voz dele explodiu na multidão. Todos ao redor começaram a rir e eu dei uma cotovelada nas costelas de Jaxon, com um gemido de dor ele sussurrou no meu ouvido, “O que? Eu não podia deixar de agradecer o cara.” “Ok, vamos lá garotos!” Micah interrompeu gritando. “E garotas.” Ele sorriu para mim e Quinn. “Espere, eu acho que Jax deve fazer o discurso, ele sempre foi bom nisso no ensino médio.” Cole gritou acima do barulho. Jace começou a rir como se soubesse exatamente do que Cole estava falando. “Certo, levantem os copos!” Jaxon gritou com um sotaque mais sulista do que o normal. Eu derreti contra o seu corpo quando ouvi aquilo. De repente, senti ele inclinar seu corpo ainda


mais contra o meu. Seu peito colado nas minhas costas. Por um segundo, me lembrei de como é passar as mãos por aquele peito e perdi o folego. Ele era terrivelmente sexy e agora que eu sabia o que ele era capaz de fazer, eu estava a apenas alguns segundos de puxá-lo pela camisa e fazer uma cena para todos ao redor verem. Eu senti sua boca perto da minha orelha. “Não fique ofendida com isso,” Ele sussurrou, então o calor do seu corpo sumiu e eu gemi pela falta. A mão que não estava segurando o seu copo desceu e agarrou a minha cintura para me deixar saber que ele ouviu. “Aqui está. Ganhe ela. Fique com ela. Se você perder. Volte para ela. Se você não puder gozar dentro dela. Goze nela! Feliz aniversário cara!” Jaxon gritou com a sua voz profunda. Todo mundo estava rindo tanto que não conseguiam tomar as suas doses. Quando eles finalmente se acalmaram pude ver todos virando a cabeça e tomando a tequila. Cole levou Quinn para a pista de dança logo depois e Jace achou uma baixinha morena muito bonita para dançar com ele. “Você não tomou o seu. Não gostou do brinde?” Eu me virei e encarei Jaxon. Ele estava muito próximo de mim, então estávamos quase nos tocando quando eu virei. Ele tinha um sorriso sexy no canto dos lábios. Não era justo com todos os outros homens, que Jaxon tivesse tantas qualidades sensuais. Isso sem falar do fato de que ele tinha uma versão idêntica a apenas vinte passos de nós. “O brinde estava ótimo. Eu só quero tomar o meu com você,” Eu respondi, sorrindo. A sedução em seus olhos era embriagante. Eu poderia ficar bêbada só de olhar para ele, sem a tequila. Eu levantei meu copo para ele e ele me segurou pela cintura. Eu mantive meus olhos nos dele o tempo todo. Foi quando eu tive uma ideia, eu baixei meu copo e ele fez uma expressão confusa. Eu me virei, mas sem deixar ele me soltar. “Ei, Gar, você tem limão e sal?” Ele acenou com a cabeça e deslizou o sal e o limão pelo balcão. Jaxon me olhou arqueando a sobrancelha. “Eu quero beber o meu com sal e limão,” eu respondi a sua pergunta ainda não formulada. Eu puxei o colarinho da sua camisa para baixo e sua boca se abriu um pouco. Eu peguei o limão e passei lentamente pela sua clavícula. Ainda olhando


nos seus olhos eu coloquei o sal na sua pele. Eu ouvi a sua respiração passar entre os seus dentes e aproximei a minha boca da sua pele. Ele era muito mais alto, então eu tive que ficar na ponta dos pés e ele se abaixou um pouco para a minha boca alcançar. Minha língua lentamente alcançou a sua pele e pude sentir a mistura do seu gosto com o gosto do sal. Eu passei os meus lábios pela sua clavícula em um beijo calmo. Quando eu terminei, os olhos dele estavam fechados. Quando finalmente se abriram, eles estavam cheios de desejo. Eu ergui meu copo e virei lentamente na minha boca. Eu ergui minha sobrancelha para ele. Ele me puxou pela cintura para perto dele e eu podia sentir a necessidade dele crescendo, aquilo me fez gemer. “Beba tudo, linda.” Ele sussurrou com a voz rouca e grossa. Nossos rostos estavam tão próximos que mal havia espaço para o copo entre nós. Eu inclinei a minha cabeça e deixei o liquido descer pela minha boca. Quando o copo estava vazio, eu deixei o liquido escorrer pela minha garganta e queimar pelo caminho. Eu voltei o meu rosto para ele e mordi o limão. “Você é quente como o inferno, baby. Eu mataria pra ter você todas as noites na minha cama.” Ele se inclinou trilhando beijos e passando a língua pelo meu pescoço. Inclinei-me e deixei a sua deliciosa tortura continuar. “Desculpa, mas isso não pode acontecer, mas eu sem dúvida vou me divertir com você mais algumas vezes.” Ele segurou minha mão e me levou para a pista de dança com o resto dos nossos amigos. Ele me fez rir durante toda a noite e não tentou mais falar sobre o assunto relacionamentos.


Capítulo Cinco Ele é diferente

Eu não tinha visto Jaxon desde que chegamos em casa da festa de ontem à noite. Todo mundo havia ido embora quando acordei pela manhã. Eu não sei o porquê mas eu ainda não contei a Quinn que Jaxon e eu dormimos juntos. Eu tenho certeza de que não quero que Cole fique sabendo ainda e sei que a Quinn não consegue deixar a boca fechada perto dele. Eu sabia que ele estava preocupado com qualquer contratempo que pudesse acontecer entre Jaxon e eu. E só queria dar a ele, eu mesma, certeza de que não aconteceria, antes que alguém fale alguma coisa. Eu não tenho aula nas sextas, então eu sempre tento pegar o turno mais cedo no bar, principalmente na temporada do futebol. O Ed não precisou de mim hoje, então fiquei em casa e resolvi limpar o apartamento. Coloquei para lavar a minha roupa e a da Quinn. Sendo essa maravilhosa irmã que eu sou, eu até dobrei e guardei as nossas roupas. Eu limpei a bancada e lavei a cozinha. Na hora do almoço eu estava terrivelmente entediada. Fazia muito tempo que eu não tinha o que fazer. Até Quinn tinha ido, dando monitoria até o final da tarde. Eu ia ter um piripaque ficando nesse lugar sozinha. Eu decidi sair e me exercitar. Meu pai era um corredor; eu me lembro como ele costumava levantar cedo antes do trabalho, toda manhã, para fazer uma corrida. E se por alguma razão não conseguisse ir pela manhã ele vinha pra casa e ia depois do jantar. Eu não gostava de levantar pela manha, mas depois do jantar eu ia. Quinn e Ellie olhavam para mim como se eu fosse louca por querer correr no calor. Para mim, correr é relaxante. Chega a um certo ponto que você não percebe o calor (ou o frio) e você simplesmente chega no ponto certo de correr. Além do mais, eu odeio a academia então eu precisava fazer exercício em algum lugar. Demorou um bom tempo para eu voltar a correr depois que ele morreu. Ellie percebeu que eu havia parado e tentou fazer-me sair inúmeras vezes, ela até se ofereceu para ir comigo. Eu a adorava por isso, mas eu apenas não estava preparada ainda. Faz pouco tempo que eu saí para correr de novo algumas vezes na semana. Depois da minha segunda vez, saindo para correr de novo, Quinn comprou novos


acessórios de corrida para celebrar. Ela comprou vários shorts para correr e tops que combinavam. Eu disse a ela que não era necessário, mas mais uma vez ela odiava quando eu fazia “pouco-caso”, e ela queria me ver bonita, mesmo quando estou realmente suando. Eu não tento argumentar com ela, não tem motivo. Quando ela comprou todas as coisas pra mim ela jogou fora todas as minhas velhas coisas enquanto eu estava em aula. Eu deixei o apartamento e corri pela frente da universidade e pela praia. Correr na areia era muito mais difícil do que no concreto. Para mim, a areia seca é mais difícil ainda por que meu pé afunda cada passo que eu dou, mas é um ótimo exercício. Corri todo o caminho até a água, eu fiz 6 quilômetros, segundo o meu cinto. Eu estava muito cansada para voltar ainda, então eu decidi deitar na areia e mergulhar na vitamina D. Eu deitei de costas e fechei meus olhos. Eu não tenho certeza quanto tempo eu cochilei até que eu me toquei que o sol não estava mais em mim e que eu tinha perdido todo meu calor. Eu abri lentamente meus olhos para poder me ajustar à luz e vi Cole levantado olhando para mim e bloqueando os raios solares. “Ei, Emmy, você devia ter me falado que ia sair para correr, a gente podia ter vindo juntos”, ele disse sentando. Ele sentou bem do meu lado e jogou seu braço suado em volta do meu ombro. Bom que eu já estava suada, se não eu teria tirado fora. “Você sabe que eu não gosto de correr com você, Cole, você pega muito pesado para mim.” Eu dei um soco nele rindo. Eu acho que fui umas duas vezes correr com o Cole e nas duas vezes ele me deixou arquejando e sem ar na areia. Nós ficamos olhando para água, sentados juntos. Depois de um tempo ele suspirou e disse, “Por que você dormiu com ele, Em?”, ele perguntou em um sussurro, quase como se ele não quisesse que eu escutasse sua pergunta. “Ele te disse?” Eu gaguejei. Eu sabia que não ia ser um segredo, mas eu pensei que ele não ia contar para os meninos tão cedo. Eu não deveria estar surpresa na verdade, meninos são todos iguais. “Não, não se preocupe, ele não contou. Ele não é do tipo que beija e sai contando. Mas ele não precisou me contar. Eu o conheço, Em; eu o conheço toda a minha vida. Eu sabia que tinha alguma coisa acontecendo com vocês ontem à noite na festa. Eu não perguntei a ele sobre isso, mas você acabou de me confirmar.” Ele passou os dedos pelo seu cabelo macio e marrom. “Que


merda Em, vocês vão estragar tudo. Se vocês brigarem ou se ele te chatear, a Quinn vai ficar do seu lado, e ela vai embora se isso te chatear demais. Eu sei que ela vai. Eu me virei e me movi para ficar de joelhos entre suas pernas estendidas, encarando ele. Ele tinha um olhar triste em seu rosto. Eu tinha certeza absoluta que isso tinha mais a ver com a possibilidade de Quinn não morar mais do seu lado do que uma potencial briga minha e do Jaxon. Como um dos seus melhores amigos, tudo o que eu queria era fazer ele feliz de novo. “Jaxon e eu somos adultos. Ele sabe sobre mim, e sabe das minhas regras. Ele sabia de tudo isso semanas atrás. Ele sabe que eu não planejo ser esposa ou namorada dele ou de ninguém mais, só para constar. Isso tudo é diversão”, eu disse levantando minhas mãos no ar. “Ems, você realmente acredita nisso. Você acha realmente que nunca vai casar com ninguém?” “Com certeza.” Ele sussurrou. “Você realmente deveria deixar alguém se aproximar algum dia.” Eu precisava parar para onde estava indo essa conversa. Eu agarrei seu rosto e olhei para seus olhos castanhos. “O ponto é que eu e Jaxon estamos bem. Nós não estamos brigando, ninguém está se mudando. Você está brincando comigo, a gente suplicou para você vir morar perto da gente. A gente não vai para nenhum lugar agora que finalmente temos você.” Nós fomos interrompidos por uma voz familiar. “Cara, que merda é essa, achei que a gente ia se encontrar no posto de salva-vidas?” Jaxon estava parado em cima de nós, olhando para mim e falando com o Cole. Ele franziu a testa para a minha posição na frente do Cole e devagar tirei as minhas mãos do seu rosto. Eu odiei que eu me senti estranha com a proximidade da minha amizade com o Cole na frente dele. Eu me movi para sentar do lado de Cole de novo. “Relaxa ai, idiota, eu me deparei com a Bela Adormecida aqui, e parei para conversar,” Cole respondeu golpeando as pernas de Jaxon. Eu o empurrei e disse, “Eu não estava dormindo, estava apenas aproveitando o sol.”. Jaxon me deu um olhar brabo e confuso. “Dormindo? Emerson, você não pode dormir assim na praia sozinha.” A sua voz era dura assim como ele se sentou do meu lado esticando suas pernas.


“Não se preocupe. Na próxima vez que eu sentir vontade de dormir na praia te convido para vir junto.” Eu respondi e pisquei para ele. Ele pareceu chocado que eu falei isso na frente do Cole. “Ele sabe Jaxon. Aparentemente, você foi bem obvio ontem à noite”. Eu bati no braço dele. Ele pegou a minha mão que deu o soco nele e me puxou para um quentíssimo beijo. “Eca, ok pessoal, nojento. Sério, eu não preciso ver os “amigos com benefícios” de vocês em ação. Vejo vocês no jogo hoje à noite.” Ele se levantou e começou a correr de volta pela praia. Eu nem estava prestando atenção no Cole, porque os lábios de Jaxon não tinham deixado os meus ainda. Eventualmente, eu parei o beijo e falei “Você não pode simplesmente me beijar em qualquer lugar! Eu tenho regras,” eu disse nervosa. “Eu sei das suas regras, e beijar não estava nelas. Beijar não significa que estamos namorando, não estressa,” ele me provocou sem preocupação. “Além do mais, você não pareceu se preocupar quando fiz isso ontem à noite.” Ele começou a passar sua língua no meu pescoço abaixo do meu maxilar. Eu nunca havia pensado em alguém me beijando fora do sexo. Na verdade, isso nunca aconteceu. Tipo, ocasionalmente, eu deixava alguns meninos beijarem meu pescoço, mas nunca deixava beijarem meus lábios a não ser se estivéssemos em um quarto. Eu nunca tive a oportunidade de fazer uma regra para isso. “Você está ok com isso, mesmo sabendo que em algum momento eu dormirei com outra pessoa?” Eu senti que beijando em alguma ocasião ele poderia ter sentimentos por mim, e daí eu teria que parar de vê-lo. Eu não queria fazer isso. Eu gostava muito do Jaxon para parar de vê-lo, mas eu não podia arriscar e quebrar o coração dele no processo. Então isso é o que eu faria se eu sentisse que estava indo nessa direção. “Se essa outra pessoa não for meu melhor amigo ou meu irmão gêmeo, eu posso tentar lidar com isso,” ele finalmente disse, mas eu senti como se tivesse muita coisa que ele não estava me dizendo. “Caramba, e eu aqui pensando que quando meu tempo acabasse com você eu teria a minha diversão com o outro gostoso irmão Riley,” o provoquei. Instantaneamente, ele me tinha deitada na praia com a sua boca sobre a minha, “Não é engraçado.” Eu ri para a sua seriedade até que ele beijou meu sorriso. Eu penteie seu cabelo com os meus dedos, do jeito que eu sempre o vi fazendo. Ele me afastou e olhou nos meus olhos.


“Quando você diz que vai tentar ficar ok com isso, o que você quer dizer?” Eu não sei por que eu faço perguntas que eu não quero saber as respostas. Ele me soltou e se deitou na areia com as palmas das mãos nos olhos e os dedos no cabelo. “Eu acho que você sabe a resposta disso.” Eu sentei lá esperando para ver se falaria mais alguma coisa. De repente ele tirou as mãos dos olhos e rolou de lado para olhar diretamente para mim. “Você gosta de mim, não gosta?” ele perguntou e eu congelei sem jeito de responder sua aclamada pergunta. “É uma pergunta segura, apenas responda sinceramente. Eu prometo que não vou pedir para namorar você. Você gosta de mim, não é?” ele repetiu. Eu balancei a minha cabeça e ele sorriu para mim. Eu nunca admiti gostar de ninguém antes. Eu acho que eu nunca gostei o bastante de alguém para pensar em admitir a alguém. Eu senti que tudo estaria arruinado agora; a gente estava se divertindo tanto e eu não estava pronta para parar ainda. Como a gente conseguiria deixar isso uma coisa casual e ninguém sair ferido? Notando minha expressão cruel e de pânico, ele rapidamente me colocou em cima de seu colo com as minhas pernas em volta de seu quadril. “Ei, ei, para de pensar no que você está pensando agora. Tudo que estamos fazendo é nos divertir. Eu só quero que você saiba que gosto de você também. Eu gosto de sair com você e com certeza de beijar você. Não tem mais nada acontecendo aqui.” Eu balancei minha cabeça e deitei-a no seu ombro. Eu senti ele se abaixar e beijar o topo da minha cabeça. “Você entende que estará com outras pessoas e eu também, né?” Com um pesado suspiro ele respondeu, “Emerson, acho que você deixou bem alto e claro isso. Eu posso lidar com isso, ok? Eu sou um garoto crescido.” Eu poderia dizer que ele estava ficando irritado comigo, mas eu tinha que ter certeza que ele sabia o que estava acontecendo aqui. Só porque gostávamos um do outro, isso não significava que eu iria só beijar ele. Eu sou uma vadia; eu queria que eu não fosse assim. “Desculpa-me, eu só não posso machucar você. Eu nunca me importei com isso antes, eu apenas não queria ninguém grudado em mim. Com você isso não pode acontecer, eu não posso ser responsável por isso. E também não posso ter relacionamentos.” Sem perceber eu estava traçando com meu dedo seus lábios, delineando o farto lábio de baixo e correndo meu dedo


diretamente para o de cima. Eu realmente não queria machucar ele, mas eu acho que vou gostar de ter a liberdade de tocar nele. “Eu espero que um dia você possa me contar o porquê disso,” ele falou. Eu apenas continuei minha exploração dos lábios dele não querendo dar uma resposta a essa pergunta. Suas mãos começaram a fazer círculos nas minhas costas. Já que eu estava apenas usando um top e um short de corrida, ele estava acariciando uma grande quantidade de pele. “Eu ainda estou irritado que você dormiu aqui sozinha, praticamente pelada.” Ele me puxou para me encarar. “Por favor, isso cobre muito mais que um biquíni, e como eu disse antes, eu não estava dormindo.” “Você não deveria ficar assim sozinha de biquíni também, só posso imaginar.” Ele balançou sua cabeça. Eu deitei minha cabeça no seu ombro aproveitando o som da sua voz. “Você e Cole são apenas amigos ou eu estou perdendo alguma coisa aqui?” Ele estava ainda se perguntando o que ele tinha visto quando ele chegou e nós estávamos sentados bem perto na praia. Com a minha reputação, eu não poderia culpar ele de ter esse pensamento sobre mim. “Nós somos apenas bons amigos, nada mais. Nunca teve nada entre nós e nunca terá. Eu estava apenas dando certeza a ele que nada vai mudar por que dormimos juntos. Eu tenho quase certeza que ele ficou com medo de que a Quinn vá partir. Esses dois... são complicados...”. “Ele está apaixonado por ela, você sabe. Ele não disse nada a respeito disso para mim, mas eu posso perceber.” Eu não sei se eu deveria estar chocada por escutar isso ou aliviada que alguém perceba isso também. “Tenho certeza de que o sentimento é recíproco, mas eles não agem como, não sei por quê.” “Quando ele chegava em casa nos verões ele falava de vocês o tempo todo. Jace e eu jurávamos que ele estava pegando uma de vocês ou se não as duas. Ele sempre falava que não iria fazer isso, vocês eram diferentes e ele não poderia arriscar estragar tudo. Mas o jeito que ele falava da Quinn era diferente,” ele adicionou.


“Aham, eu não sei como falar com a Quinn sobre isso. Ela é teimosa igual ao Cole.” Eu estendi a mão e toquei os lados do seu rosto. “Falando em teimoso, então quando vou poder andar com você na sua moto?” “Isso vai ser nunca,” ele falou. “Eu não entendo por quê. Eu já vi Jace andar por ai com algumas gurias.” Eu contrariei. “Eu não me importo; não é você na garupa. Eu não posso suportar a ideia de você se machucando.” Eu me levantei para que eu pudesse beijá-lo no pescoço e ele gemeu. Ele deslizou sua mão entre nós e começou a passar seus dedos contra a minha área mais intima. O elastano do meu short não era uma boa barreira contra seus rápidos golpes. Eu me deitei para trás com os olhos fechados e coloquei minhas mãos em suas pernas para me preparar. Logo quando ele estava começando a trabalhar suas mãos em mim me deixando quente ele pareceu perceber onde estávamos e tirou sua mão. Meus olhos abriram com a minha frustração. “Ok, eu acho que tenho que tirar você do meu colo. Se não sair, a gente vai se meter em encrenca por indecência pública.” Eu me mexi com um gemido e me sentei ao seu lado e minha mão desceu até sua, a que estava antes trabalhando em mim. “Se você quer que eu segure sua mão, tudo que você tem que fazer é me pedir.” Ele piscou para mim. “Uh...eu não seguro mãos” Eu trouxe a minha de volta para o meu colo. “Bom, eu estou faminta.” Eu me levantei e comecei a alongar as minhas pernas e tirar a areia de mim. “Você quer correr de volta?” “Claro, você vai comer fumaça e não vai ser justo, mas eu sou um menino então amo uma competição.” Ele sorriu enquanto tentava alcançar suas costas para tirar a areia. “Sempre tão convencido. Eu acho que você devia pelo menos me dar alguns segundos na frente, vendo que eu não sou uma super estrela do esporte.” Sorri para ele. Ele me abraçou em seu peito e inclinou minha cabeça para trás então eu estava olhando diretamente para ele. Meu queixo estava contra o seu peito e ele correu seus dedos pelo meu


cabelo. “Para você, linda, eu darei um minuto inteiro.” “Ok, o primeiro que chegar ganha?” Eu perguntei e ele balançou a cabeça, olhando para mim. Eu me virei, sai dos seus braços e comecei a correr. Olhei para trás em sua direção e gritei, “O perdedor não pode fazer sexo por duas semanas!” Eu vi sua boca cair. “O jogo começou!” ele gritou de volta com um arrogante sorriso. Eu tinha grande certeza que eu sabia como Jaxon correria para casa. O nosso apartamento era basicamente uma reta para o leste e depois teria que cortar um pouco para o norte da praia com a Universidade no meio. Era certo que ele pegaria esse caminho. Mas eu sei de uma ruela que vai por um ângulo que perde menos tempo. Eu sabia sem dúvidas que ele era mais rápido do que eu, mas se eu tivesse uma distancia menor, eu poderia vencer. Enquanto eu estava correndo eu podia ver os lados de cada casa da rua principal e até agora nada do Jaxon. Eu cheguei aos apartamentos e subi as escadas dois degraus de cada vez. Assim que eu cheguei ao nosso corredor, eu me joguei nas nossas portas. Quinn estava vindo na outra direção e se inclinou contra a parede, olhando para mim confusa. “O que está acontecendo com vocês pessoal? Por que vocês dois estão correndo pelo corredor?” “O que? Por que você diz ‘vocês pessoal’ assim?” eu perguntei rápido e quase sem ar. “Jax acabou de passar pelo corredor como um morcego do inferno.” “Merda! Como que ele conseguiu?” Eu gritei. Bem nessa hora eu escutei sua profunda risada vindo da sua porta. Eu me virei com os braços cruzados no peito olhando para ele. Andei na sua direção e parei na frente dele. Ele estava bebendo água gelada no copo, com suor caindo da sua cabeça. “Como você conseguiu? Eu até peguei um caminho menor... você pegou um taxi?” Eu me aproximei dele. Ele me entregou seu copo de agua pela metade e eu graciosamente bebi. Então ele se inclinou para baixo e me pegou, minha pernas automaticamente se enrolando em sua cintura. Ele riu da minha acusação. “Não, eu sou apenas mais rápido.” Ele riu. Nossos corpos suados estavam se misturando. Ele era um pouco intoxicante quando cheirava assim. “Você precisa


de um banho, quer se juntar a mim?” Ele sorriu para mim, se virando para entrar no apartamento. Eu me inclinei em direção a sua boca e quase disse sim, mas eu escutei a Quinn tossir lá atrás. Merda, como eu me esqueci de que ela estava logo ali atrás? Eu estava encrencada agora, porque eu não falei nada com ela sobre Jaxon ainda. Eu gemi quando desci do corpo do Jaxon para o chão. Ele respirou profundamente ao toque de nossos corpos deslizando. Eu bebi o resto da agua e entreguei o copo para ele. “Eu irei ver as senhoritas no jogo hoje à noite?” ele perguntou para nós, entrando no apartamento. “Eu verei o Cole lá, mas acho que não quero ver você!” Quinn olhou para ele. Eu sabia que ela estava brincando um pouco. Cole colocou sua cabeça para fora do apartamento, alegre. “Aw, obrigado baby.” Ela olhou para nós três e apontou para mim. “Você, siga-me.” “Jesus obrigada, Jax, você me deixou com problemas com a mamãe.” Eu provoquei. “Hey, Bonita, não se esqueça... sem sexo por duas semanas!” ele me lembrou. Eu resmunguei para ele enquanto seguia a Quinn para o nosso apartamento e depois para o banheiro. Ela ligou o chuveiro e checou a temperatura. “Entra ai e seja rápida, você tem muito que explicar.” Ela apontou para o chuveiro. Eu saí das minhas roupas e entrei no banho quente. “Desculpa-me, Quinny, tudo aconteceu tão rápido. Mas ao mesmo tempo não é nada de demais.” “Nada de demais! Em, ele te pegou e quase te beijou na frente de todo mundo. Você pareceu totalmente bem com isso. Isso não é nada demais mesmo.” Ela gritou de volta. “Ok, ontem nós fizemos sexo...” Eu a escutei tossir. “Porque isso te surpreende, você sabia que ia acontecer. Eu só ando falando de como ele é maravilhoso faz semanas.” “Você nunca me disse. Você sempre me diz, e às vezes você até me fala antes de


acontecer.” “Eu não tinha ideia que ia acontecer. E depois a gente estava na festa a noite toda, e você tinha saído quando acordei de manhã. Me desculpa, eu devia ter te mandado uma mensagem. Na próxima vez eu vou mandar uma foto.” “Promete?” “Com certeza, só que eu perdi uma aposta, e agora nada vai acontecer com ninguém por duas semanas.” Sem pensar no fato de que ele está livre para sair com qualquer outra. Mas isso não me importava. Nem um pouquinho. Eu terminei de me lavar e peguei a toalha para me secar. Quando sai do chuveiro, Quinn estava na frente do espelho fazendo chapinha no cabelo. Eu coloquei o roupão e fui para o “closet”. Nós sempre nos arrumamos aqui. Quinn trouxe a chapinha e meu baby-liss e colocou-os na tomada. Sentamos no chão juntas, em frente ao espelho e terminamos nossos cabelos. “Por que você concordaria com essa aposta, Em?” Eu gemi, “Porque foi minha a ideia. Eu achei que tinha alguma chance de ganhar. Aparentemente foi um pensamento idiota, porque eu tentei ganhar de um astro de futebol.” Eu pude sentir o seu cérebro trabalhando enquanto pensava em tudo que eu havia falado para ela. Então de repente do nada ela olha para mim pelo espelho e diz, “Eu sinto que ele é diferente.” Eu respondi, “Ele é diferente, mas o resultado é o mesmo.” “Não precisa ser assim. Não é todo mundo que trai.” “Quinn, não é só pelo fato de que ele possa fazer isso. Eu apenas não posso machucar ele, e eu vou se eu fingir que posso lidar com uma relação,” Eu disse. “Apenas pelo fato de você se importar o suficiente para não machucar ele me parece que você pode lidar com uma.” Ela se levantou para pegar a nossa maquiagem. “Eu não quero ter que lidar com uma. Se estamos falando sobre relacionamentos aqui, o que você me diz sobre você e Cole?”


Eu assisti ela vacilar pelo reflexo do espelho. Quando ela voltou, se sentou e ainda não havia falado nada, eu continuei, “Está bem você gostar dele, Quinn, ele é um ótimo garoto.” “Não está bem eu gostar dele se ele não sente o mesmo, eu vou estragar tudo. Vai doer muito ser rejeitada por ele.” Ela disse quase num suspiro. “Se é com isso que você está preocupada, pare. Eu vejo o jeito que ele olha para você, o jeito que ele se preocupa com você e com o que você pensa sobre cada situação. Acredite em mim, não tem nenhum problema aqui.” Ela deu uma pequena afirmação, mas não disse mais nada sobre esse assunto. Eu decidi dar a ela um tempo porque ela me deixou distraí-la sobre o interrogatório do Jax. Nós terminamos de ficar prontas rápido para que pudéssemos chegar no estádio a tempo de pegar bons lugares.


Capítulo Seis

Touchdowns e frustrações

Quando chegamos no estádio, pegamos nossos bilhetes com os nossos nomes. Cole sempre tem a certeza de que há bilhetes lá para Quinn e eu em cada jogo. Geralmente nossos ingressos eram juntos porque eram ambos de Cole. Hoje, a atendente entregou um a Quinn e depois continuei procurando o meu. Finalmente, ela encontrou e entregou-me com uma nota anexada. Ela olhou para mim de cima a baixo, como se estivesse me verificando. Aposto que ela estava se perguntando se um cara lindo de morrer que tinha deixado isso para mim. Aprecie meu touchdown, linda. Grita meu nome bem alto, assim como ontem. - J "O que significa isso?" Quinn perguntou ao ler a nota sobre o meu ombro. Quando ela leu a segunda metade, ela começou a rir. Agora eu entendo porque a atendente estava olhando tanto. "Isso significa que esse cara precisa urgentemente de um corte no seu ego," eu respondi, ainda rindo. "É doce, ele deixou um bilhete." Quinn tem me pedido para namorar com alguém durante anos, ela sempre quis um encontro duplo. "Nós fizemos uma aposta no primeiro dia que nos conhecemos. Ele disse que sabia que ele marcaria um touchdown no primeiro jogo. Bem, todos nós sabemos o quão esnobe Dalton é, e que ele nunca joga com os caras novos no primeiro. Isto será divertido", eu disse enquanto caminhava até os nossos lugares. "O que você apostou desta vez?" "Ele quer um passeio de balão de ar quente" eu ri.


"Isso é...um pedido estranho. O que você ganha se você ganhar? "Ela estava olhando para mim como se eu fosse louca. "Eu não decidi nada. Eu estou esperando que ele pontue, mas ele precisa esvaziar seu ego tão logo quanto possível." sorri. Já que a gente sempre chega cedo o suficiente, somos capazes de sentar-se no mesmo local em frente ao banco da equipe. Hoje havia duas meninas já sentadas em nossos lugares habituais. Tivemos que sentar em uma outra seção acima porque queríamos a primeira fila, mas ainda est��vamos perto de onde os caras estavam sentados. O estádio encheu rápido e todo mundo estava animado para a nova temporada começar. Toda a metade do estádio foi decorado em nossas cores da escola. Jace nos encontrou e veio sentar-se ao lado de mim. Não demorou muito para o assento ao seu lado oposto ser preenchido com outra garota, que se inclinou para ele, descaradamente mostrando os seios. Jace apareceu aproveitar o show. Com a alegria da torcida, as equipes saíram correndo e se alinharam em frente do seu lado do banco no campo. Vimos Cole primeiro que já estava olhando para as arquibancadas, nos procurando, ele sabia onde sempre estávamos. Quando ele olhou nos nossos lugares de costume, ele fez uma cara de nojo. Quinn e eu começamos a rir da sua expressão. As meninas dos nossos lugares notaram ele olhando para elas, então elas começaram a acenar e sorrir para ele. Ele rapidamente começou a andar em volta da linha dos assentos do estádio. Quinn finalmente tirou ele da sua tristeza e assobiou para ele. Na segunda ele ouviu, ele sacudiu a cabeça na nossa direção e eu juro que vi o flash de alívio em seu rosto. Sim, não havia como negar os sentimentos desse menino pela minha irmã. "Você só está torturando-o mais com essa demora para ficarem juntos.” "Emmy, não é só comigo, ele não fez nada também" disse ela frustrada. Jace interrompeu-nos: "Os sentimentos são mútuos, Quinn. Ele está apenas com medo de estragar a sua amizade.". Eu vi sua mandíbula bater no chão quando ela olhou para Jace. Eu sorri, estendi a mão, segurei seu rosto e lhe dei um grande beijo na bochecha. Isto era exatamente o que ela precisava


ouvir. Eu nunca poderia convencê-la sozinha. De repente, ouvi um grande estrondo que me fez saltar para trás. Eu olhei para Jace, que estava balançando a cabeça para trás e para a frente com um pequeno sorriso no rosto. Olhei para o campo e Jaxon estava do outro lado da barreira que separa os assentos do campo. "Hey!", Ele gritou. "Você percebe que você está fazendo isso com o gêmeo errado, certo? "Ele se virou e olhou para Jace, que apenas começou a rir. Oh meu Deus, ele parecia tão sexy em seu uniforme. Ficou apertado em todos os lugares incrivelmente certos. Eu estava quase com inveja que qualquer outra garota aqui poderia ver o quão bem definidos os seus músculos estavam, mas eu não ia ficar com ciúmes. "Oh, eu sei exatamente qual dos gêmeos eu tenho entre as mãos." Eu rachei. "Emerson, eu vou puxá-la sobre essa barreira e fazê-la sentar-se aqui comigo." Ele ainda parecia um pouco irritado. Percebi que talvez toda essa coisa de 'não quero você com o meu irmão ou meu melhor amigo' fosse mais grave do que eu pensava. Me levantei, caminhei até o parapeito, e agachei-me para que eu pudesse estar cara-a-cara com ele através das grades. "Eu só beijei sua bochecha, e eu só fiz isso porque ele só me ajudou a dar um grande passo com a Quinn." Eu senti que precisava de ter uma conversa doce com ele. "Eu estou sendo um idiota, eu sei. Eu estou tentando realmente não ser possessivo com você, mas por favor, não meu irmão, ok?” "Você está certo, você está sendo um idiota. Você também não tem permissão para ser possessivo sobre mim, mas eu prometi, nenhum irmão ou melhor amigo." Inclinei-me e lhe dei um sonoro beijo nos lábios. Um sorriso enorme estava estampado em seu rosto quando ele recuou, em direção a sua equipe, olhando para mim. Ele virou-se e ouviu o que o treinador estava contando ao resto deles. Ele ficou ao lado de Cole, que tinha um grande sorriso no rosto. Ambos sorriram e se cutucavam mutuamente nos braços. Eu poderia dizer que eles estavam emocionados de jogar juntos novamente, mas foi divertido de assistir suas interações. Virei-me para Jace para ver sua reação a seu irmão e melhor amigo de uniforme juntos


novamente. "Você sente falta?” Eu perguntei a ele. "Não de verdade. Era divertido jogar com os dois, mas eu nunca levei tão a sério como eles fazem." Ele parecia feliz por vê-los bem. "Você é um grande irmão, você sabe disso. Eu gostaria de ter um irmão como você. Jaxon me contou como você o ajudou a ficar em forma para voltar e jogar novamente." Ele deu de ombros, como eu previ que ele faria. "Ele é meu irmão, é o que irmãos fazem." Nós assistimos os caras em campo e eles reunidos em torno de si. Jace colocou o braço em torno de meus ombros e apertou. "Você está brincando com fogo", eu murmurei para ele tentando me libertar. Jax colocou a cabeça para fora da aproximação, apontou o dedo diretamente para Jace e olhou com severidade. Jace levantou as mãos em sinal de rendição rindo e alguém bateu em Jaxon na cabeça para fazê-lo se concentrar. A multidão riu do drama dos gêmeos Riley. Até o intervalo, a outra equipe chegou aos quatorze pontos. Os caras saíram do campo de cabeça baixa para os vestiários. Cole parecia frustrado e Jaxon apenas olhou irritado. Como eu suspeitava, Dalton não estava jogando para Jaxon e Cole estava constantemente em desvantagem, por isso foi difícil para ele para se conectar com a bola. Jace tinha parado de prestar atenção nas meninas em torno dele e se inclinou para frente em seu assento na maior parte do jogo. Mesmo ele dizendo que não sentia falta, eu podia ver as jogadas passando em sua cabeça. Sua mão se movia de vez em quando para indicar um lance ou lutar fora de um bloco. "Eu estou supondo que se você estivesse lá fora, como quarterback, você teria lidado com isso de forma diferente?" Eu perguntei. "Absolutamente. Ou Dalton é cego ou ele é apenas um idiota", ele grunhiu. "É o último." Quinn levantou-se em sua cadeira e puxou suas calças. "Vamos lá, pessoal, vamos pegar alguma coisa para beber.”


Nós dois nos levantamos e seguimos para fora. Como nós andamos debaixo das arquibancadas, podíamos ouvir o treinador gritando nos vestiários durante todo o caminho. Eu não queria ser algum desses caras agora, nem se me pagassem. Jace comprou para Quinn e eu um refrigerante e uma água. Nós saímos sob as arquibancadas conversando com outras colegas. Quinn e eu tínhamos encontrado Sophia e algumas das outras meninas que trabalham com Quinn. Algumas pessoas estavam falando sobre onde seriam as festas depois do jogo. Todas as casas das fraternidades estavam em uma proibição de três semanas. A universidade queria provar que eles poderiam estudar e manter GPAs decentes. Eu não entendi a lógica disso. Então, eles se comportariam bem por algumas semanas e em seguida, voltam a ter festas todas as noites? Quinn começou a dizer que talvez pudéssemos convidar algumas pessoas ao nosso apartamento. Eu apenas dei de ombros. De vez em quando, nós convidávamos o pessoal, mas sempre aparece gente demais e alguém está sempre tentando entrar em nossos quartos para fazer sexo. "Eu não me importo, mas estou bloqueando minha porta." "Você pode trancar a porta com você e comigo dentro dela, querida," Micah disse, colocando o braço em volta dos meus ombros e vi como os olhos de Sophia focaram em seu braço. "Sem chance, a menos que você queira assistir ao novo filme de Channing Tatum comigo", eu ri. Ele se inclinou para sussurrar no meu ouvido: "Vamos, Em, eu poderia fazer aquela coisa que faz você gritar bem alto" Ele pareceu frustrado, mas eu não poderia ajudá-lo. Micah era bom, mas isso não aconteceria. Eu comecei a sacudir a cabeça. Jace deslizou as mãos, seguido pelo resto do seu corpo, entre nós dois, forçando Micah a dar um grande passo para trás longe dele. "Vamos lá, Em e Q, vamos voltar para nossos lugares." Ele cutucou meu braço com o cotovelo e saiu com Quinn na sequência do outro lado dele. "Ok cavalheiro. Eu não preciso de alguém intervindo pelo Jaxon, ele faz isso o suficiente. Você sabe que nós não estamos juntos, né? Eu posso falar com quem eu quiser sobre o que quiser." Embora eu estava feliz por ele me levar para longe de Micah, eu não queria que ele pensasse que eu era de Jaxon. Eu não preciso de alguém tentando me manobrar para longe dos


caras quando Jaxon não estava por perto para fazê-lo sozinho. "Eu sei que Jax se preocupa muito com você." "Isso não importa. Nós nunca estaremos juntos, desta forma." Ele me deu um olhar confuso. "Por que não?", Ele perguntou. "Vocês são perfeitos um para o outro." Quinn deu um passo ao nosso lado com um sorriso radiante, olhando vitoriosa. "Eu não namoro. Ninguém. Nunca." Seu olhar me disse que ele não tinha ouvido falar sobre as minhas regras. "Você é uma garota estranha, Em." "Ele sabe tudo isso sobre mim. Eu disse a ele, basicamente, a minha história de vida no primeiro dia que nos conhecemos," Eu defendi. "Só não machuca ele, ele não precisa disso de novo." Ele olhou para mim quando disse aquilo e meu coração começou a bater mais forte no meu peito. O que ele quis dizer com 'de novo'? Não era isso que eu estava tentando prevenir? Como é que ninguém me entendia, e mais importante, como é que eu estava começando a não me entender? "Isso é exatamente o que eu estou tentando evitar!" Eu falei em troca. Eu respirei fundo e dei um passo para trás me afastando dos dois: "Eu estou indo para o banheiro, e eu vejo vocês nos bancos mais tarde." Jace me deu uma cara de desculpas. Quinn tentou me seguir, mas eu balancei a cabeça para ela, e lhe disse que estaria de volta logo. Em vez de ir para o banheiro, eu andei todo o caminho para o nosso carro. Deitando no banco de trás, eu olhava para o tecido no teto. O que diabos eu estava fazendo com o Jaxon, afinal? Por que eu me preocupava de estar perto de alguém assim. Sem quebrar as minhas regras, eu estava de alguma forma quebrando-as. Cada vez que Jax estava perto de mim, era como se tudo o que eu tinha tentado afastar no passado estava correndo para mim a toda à velocidade. O problema é que eu gostava de cada segundo que eu estava com ele. Nós conversamos sobre isso e sobre as minhas condições. Ele parecia entender e ele sempre me disse que ele poderia lidar com isso. Eu só precisava parar de ouvir todo mundo ao nosso redor.


No momento que eu voltei ao estádio, já tinham passado 10 minutos do terceiro tempo. As filas e a passarela das arquibancadas estavam completamente vazias, além de poucos retardatários tentando finalizar seus cigarros antes de eles voltaram para os seus lugares. Daqui de baixo dava para sentir o barulho da torcida acima. Alguns estavam pulando e a maioria estava torcendo em voz alta. Subi as escadas do estádio para onde Quinn e Jace estavam sentados. Ouvi Jaxon imediatamente, mesmo antes que eu pudesse vê-lo. "Bem, onde diabos ela está, e se algo aconteceu com ela?" Ele parecia em pânico e irritado com quem ele estava falando. "Você disse que ela foi ao banheiro 15 minutos atrás." Fazia realmente tanto tempo? Jace respondeu: "Cara, calma, logo ela estará de volta." Quando entrei para nossos lugares, eu vi Jax inclinando-se sobre as barreiras para falar com eles. Ele estava com o seu capacete como se ele pudesse estar no campo a qualquer momento. Seu último nome foi chamado e, com um suspiro frustrado, ele se virou e empurrou para o campo antes que ele pudesse ver que eu estava logo atrás. "Onde diabos você esteve? Eu tentei te ligar!" Quinn gritou comigo quando me sentei entre ela e Jace. "Eu precisava de uma pausa, eu devo ter deixado o meu telefone no carro." "O carro? Você devia estar no banheiro!" Quinn gritou para mim. "Jax estava pirando", começou Jace. "Eu não tive a intenção de deixá-la louca, eu sinto muito." "Está tudo bem Jace. Você não fez nada de errado. Proteger o seu irmão é o que a família faz." "Mas eu não deveria ter sequer aberto a boca sobre vocês. Ele vai chutar a minha bunda pela intromissão." "Vamos esquecer isso, ok?" Eu implorei. Ele acenou com a cabeça e deu um tapinha na minha perna. "Cara, eu queria que ele tivesse te visto antes dele voltar. Agora, ele vai ficar distraído,"


Jace reclamou. Com isso, eu me levantei com as minhas mãos acima da cabeça batendo palmas e gritei: "WOOO VAI JAXON" Ele estava do lado oposto do campo, mas ele virou sua cabeça da posição de prontidão instantaneamente e olhou diretamente para mim. De todo o caminho até aqui, pude ver seus penetrantes olhos azuis. Ele me deu o sinal de "ok" com os dedos, perguntando se estava tudo bem comigo. Dei-lhe o sinal de volta e ele acenou com a cabeça e sorriu, depois voltou para sua posição pronta. "Acho que ele vai se concentrar agora," eu disse para aqueles que estavam ocupados com os olhos arregalados para mim. Dez minutos depois, Cole marcou um touchdown muito necessário. Quinn e eu pulamos para cima e para baixo. Jace bateu, mas ele deu um olhar determinado para Jax. Eu vi como ele acenou de volta a seu irmão. Esta comunicação de gêmeo foi bizarro de assistir. Quando a nossa equipe conseguiu a bola de volta, todo o time incluindo Cole e Jax foram de volta para o campo. A bola foi jogava de volta para Dalton e ele lançou-a em direção a Cole quase que instantaneamente. Cole pegou-a entre as mãos e a colocou em seu peito protegendo. Ele começou a batalhar tentando descer da linha. Ele não o viu chegando, mas um dos defensores veio dar cobertura para ele do seu lado direito. Eu ouvi Quinn prender o ar imediatamente antes do acidente. Quando o cara bateu no lado de Cole, a bola voou alto no ar e Cole bateu no chão duro, direto em suas costas. De repente, Jaxon estava no ar, e ele pegou a bola tão rápido que quase nenhum dos defensores notou. No momento em que eles perceberam que a bola não desceu com Cole, Jaxon estava meio caminho no campo. Todo mundo se levantou nas arquibancadas, gritando para ele correr mais rápido. Jaxon passou a zona final sem esforço, mesmo sem ser tocado. Ele deixou a bola escapar por entre os dedos e apontou diretamente para mim com um sorriso enorme no rosto. Eu apontei para trás para ele e bati palmas. Eu tenho que admitir a este homem sexy, ele era bom. Ele chegou na última jarda mas não comemorou. Quando eu olhei para Quinn, meu sorriso caiu. Ela ainda estava olhando para o campo. Quando eu segui seu olhar, notei que Cole ainda estava deitado no chão. Durante sua queda, seu capacete deve ter sido derrubado. Jace, Quinn, e eu imediatamente corremos contra a grade.


Jaxon estava correndo de volta para o lado de Cole. Na pressa, ele deslizou no chão de joelhos para inclinar para a direita ao lado de Cole e puxou o capacete também. Todos nós vimos como Jaxon segurou o rosto de Cole e praticamente gritou com ele em frustração óbvia. Quinn respirou com um soluço e eu acho que Jace estava prestes a saltar para o lado e sair correndo, seus dedos estavam pálidos segurando o corrimão. O treinador e os médicos da equipe já estavam correndo pelo campo. Então Jaxon estendeu a palma da mão e Cole agarrou. Quando Jaxon puxou-o para ficar em pé e todos nós o vimos andar normalmente de volta para o nosso lado do campo, todo mundo pulou e aplaudiu. Quinn soltou um longo suspiro de alívio. Eu olhei para ela e notei uma lágrima deslizar pelo seu rosto, mas ela rapidamente a golpeou para longe antes que alguém pudesse ver. Quando Cole chegou ao banco, ele se sentou com a cabeça baixa e bebeu água de uma garrafa de plástico maleável. Jaxon passou, deu um tapinha em suas costas, e sentou-se ao lado dele. Jace, obviamente, não aguentava mais, ele balançou as pernas por cima da grade e foi sentar-se no lado oposto do Cole. Vimos como eles conversavam entre si. Cole balançou a cabeça para algo que Jace disse, e tanto ele como Jaxon deram uma gargalhada. Foi um alívio assistir ele rir, isso significava que Cole estava bem. Quinn e eu sentamos em nossos lugares para continuar a ver o resto do jogo, que recomeçou enquanto estávamos colados na barreira para assistir Cole se recuperar do seu nocaute. Eu estava um pouco desapontada dos caras não terem vindo falar com a gente sobre o que tinha acontecido. Eles nem mesmo olharam para trás na nossa direção. Eles realmente eram apenas melhores amigos sentados em seu próprio pequeno mundo, conversando e brincando. O placar estava empatado e o outro time tinha a bola. Seu quarterback foi quase que imediatamente saqueado e a bola foi devolvida para nós. Fiquei surpresa ao ver Cole se arrumando para voltar ao campo. "Não deve ter sido tão ruim, Quinny," eu disse a ela enquanto apontava para ele. "Eu ainda acho que ele não deveria voltar." Nos próximos dois tempos, Dalton jogou várias vezes para Jaxon e ele correu pelo campo cada vez mais perto e mais perto das últimas jardas. Ele deve ter considerado Jaxon apto para pegar seus lances preciosos, após o último touchdown. Eu não sei por que eu estava


extremamente desconfortável vendo Jaxon em 'combate'. Eu tinha visto Cole fazendo isso várias vezes. Isto é futebol e é isso que se espera. Cada vez que eu o observava cair, meu estômago revirava um pouco mais e, sem perceber, eu agarrei a mão de Quinn em um lance particularmente difícil. "Não é tão fácil quando você se preocupa com eles não é?" Quinn apertou minha mão de volta. "Eu não sei o que você está falando" eu disse evitando seus olhos. "Seja como for, o seu coração sabe o que eu estou falando, e um dia o seu cérebro vai saber." "Meu coração é para o bombeamento de sangue e não para se preocupar com um rapaz e se ele vai se machucar ou não." Eu percebi o quão convincente eu devo ter soado quando Quinn apenas revirou os olhos com a minha resposta. Em um lance, vimos Dalton entregar a bola para Jaxon. Ele decolou em uma corrida mortal em direção a ultima jarda para o seu segundo touchdown do jogo. Espero que ele não ache que ele vá ganhar mais do que um passeio de balão de ar quente pelo touchdown adicional. Um dos defensores perseguindo Jaxon não conseguiu parar sua corrida e caiu direito sobre ele, derrubando-o ao chão. Levantei-me e impulsivamente gritei: "Hey!" Isso apenas escapou da minha boca. Jace voltou do seu lugar no banco e sorriu com perspicácia para mim. Revirei os olhos para ele, enquanto Quinn cobriu uma risada com as mãos. Estes dois estavam me dando nos nervos. Jaxon foi o primeiro a se levantar. Ele surpreendeu a todos quando ele estendeu a mão e ajudou o outro que estava caído em seus pés. Muitos desses caras teriam gritado ou mesmo começado uma briga com esse cara para batê-los mais. Não Jaxon, porém, ele ia ajudá-lo e rir junto com ele. O jogo terminou pouco depois e tínhamos vencido graças à última aterrissagem de Jaxon. Por razões óbvias, eu adorava quando ganhávamos os jogos, mas na maioria eu adorava, porque os caras ficavam com um humor melhor depois. No ano passado, perdemos dois jogos, e Quinn e eu evitamos Cole como uma praga pelo resto do fim de semana. Normalmente na segunda-feira, ele


estava mais calmo. Aprendemos da maneira mais difícil no primeiro ano porém, quando ele brigou com a gente por absolutamente nada. Demorou um tempo para perceber que a sua atitude foi relacionada ao futebol. A equipe estava andando o campo após o jogo apertando as mãos dos jogadores adversários. Quinn e eu achamos as escadas e descemos para nos encontrar com eles. Ela estava andando em um ritmo muito mais rápido do que eu, e eu tive que dar passos mais longos para me manter com ela. Eu sorri enquanto olhava ela se esquivar através dos outros jogadores para chegar ao Cole. Quando chegamos a ele, ela foi até ele e colocou as mãos em cada lado do rosto. Eu não ouvi o que ela falou, porque eu ainda estava a alguns passos atrás. Seu rosto tornou-se sério instantaneamente e ele acenou com a cabeça olhando diretamente para os olhos dela. Eles olharam um para o outro um pouco, até que, surpreendentemente, Quinn tomou a iniciativa e colou seus lábios nos dele. Eu congelei nos meus passos. Aproveitando a oportunidade, Cole estendeu o braço para trás e entregou o capacete para quem quisesse levá-lo. Jace pegou de sua mão. Ele levou as mãos à cintura de Quinn e caminhou com ela para trás, nunca quebrando o beijo. Quando a parte de trás de suas pernas bateu no banco, a sentou enquanto ele se abaixou no chão na frente dela, com os joelhos no chão. Ele a separou de sua boca e todos assistiram, enquanto ele falava com ela em voz baixa. Parecia que ele estava pedindo a ela perguntas, enquanto ela acenava com a cabeça um "sim" ou agitá-lo para um “não”. Comecei a dar um passo adiante para que eu pudesse ouvir o que eles estavam falando. Estes foram os meus dois melhores amigos em todo o mundo, tendo este salto monumental, e eu só queria estar lá para ver tudo acontecer. Jaxon agarrou a barra de trás da minha camisa e puxoume para trás, até que eu colidi com o seu peito. "Deixe-os fazer isso, linda." Fiquei tranquila e acenei com a cabeça, enquanto eu mantive meus olhos grudados neles. De trás, ouvi Jaxon pedir a seu irmão se ele tinha uma caneta, em seguida, ele chegou perto de mim, agarrou minha mão e começou a escrever sobre ela. Tirei meus olhos longe dos meus dois amigos no banco que estavam concentrados na conversa, e assisti Jaxon gravar letras em minha pele. Suas mãos estavam suadas e quentes do jogo, mas eu não me importava. Quando


ele terminou, ele sorriu para mim e soltou a minha mão. Eu a trouxe para perto para ler. Você é a minha líder de torcida favorita. Eu ri com a sua mensagem e divertidamente lhe dei uma cotovelada. Eu sabia que não o tinha machucado, porque meu cotovelo bateu em seu colete, mas isso não o impediu de fazer um grunhido. Quando eu finalmente ouvi Cole animadamente gritar: "Sério?" Eu puxei meu rosto longe do Jaxon. Quinn assentiu com a cabeça um "sim", e então ambos pegaram um ao outro e começaram a se beijar apaixonadamente. Alguns minutos depois, eles finalmente pararam para respirar, mas continuavam olhando um para o outro sorrindo. Eu não podia mais esperar. Corri para eles e passei meus braços ao redor de ambos. Cole riu e passou os braços ao redor de nós e nós três ficamos sentados num abraço em grupo. Quando eu estava pronta para dar-lhes espaço novamente, eu me virei para Cole, "Você está bem, daquilo mais cedo?". Eu perguntei, apontando para o campo onde eu ainda podia imaginá-lo deitado no chão sem se mover. "Eu estou bem, Emmy, eu só fui nocauteado. Quando voltei a mim, Jax estava gritando na minha maldita cara que ele iria me matar se eu não acordasse", ele riu. Eu me virei para olhar para Jaxon que encolheu os ombros timidamente. Olhei para Cole novamente e fiz uma cara séria. "Se você machucá-la, eu vou castrá-lo, Cole West". "Você está brincando comigo? Eu tenho sonhado com isso desde a orientação no primeiro ano, quando ela deixou todo mundo em uma vizinhança de cinco jardas saber que eu era um deus do sexo", ele respondeu com um tom arrogante e eu observei Quinn corar em um escarlate profundo. Nós todos esperamos fora do vestiário os meninos entrarem para tirar seus uniformes. Quinn apenas inclinou-se contra a parede com os dedos sobre os lábios, sorrindo e olhando para


longe. Eu poderia dar um palpite a respeito de onde sua mente estava. "Isso não significa que você começará a se mover para longe de mim", eu disse, enquanto olhava para ela com os meus braços cruzados. "De jeito nenhum. Eu não sou do tipo que casa durante a faculdade". "Graças a Deus." Abracei-a com força, esperando que não mudasse tão cedo. Os caras saíram, de banho tomado com o cabelo molhado escorrendo em suas camisas limpas. Cole passou direto por nós, agarrou a mão de Quinn, e continuou andando. "Ei, pessoal, espere um segundo. Quinn, você não vai me abandonar hoje à noite para ir buscar o seu show de amor. Você convidou a todo mundo, você tem uma hora e meia, e então é melhor você estar de volta! Isso não foi ideia minha!" Quinn franziu a testa, esquecendo-se que ela havia sugerido o nosso lugar para a festa. "Tudo bem, nós estaremos lá." Então, eles foram embora, fora em seu próprio mundinho. Saímos para a caminhonete com a motocicleta estacionada bem próxima a ele. "Cara, eu vou levar a caminhonete”, Jaxon disse ao seu irmão e eles trocaram as chaves. "Hey, Jace, posso ir com você?" Eu tentei dizer isso em voz baixa para que só ele pudesse ouvir. Ele me deu um olhar estranho e disse: "Se você quiser. Tenho certeza que você se divertiria mais indo embora com Jax." "Cale a boca, Jace. Entre na caminhonete, Emerson". Jaxon entrou entre nós e abriu a porta do passageiro para mim. Inclinei-me para ver Jace por trás do corpo de Jaxon e disse: "Ele nunca vai me levar na moto, mas eu vi você andar por aí com as meninas. Por favor." Eu sabia que eu estava implorando, mas eu realmente queria saber qual era a sensação de estar em uma moto. "O quê? Jax leva meninas nessa coisa o tempo todo,” Jace disse chocado. "Cala a boca, cara!" Jaxon gritou. "Eu não tenho levado nenhuma menina nesta moto,


desde que chegamos na Califórnia." Eu vi como Jace encolheu os ombros, subiu na moto e comecei a virar-me e dei um passo para dentro da caminhonete. Jaxon tentou me ajudar, mas eu entrei antes que ele pudesse até mesmo me tocar. "Emerson, eu não vou levá-la na moto, porque a ideia de você se machucar faz fisicamente mal ao meu estômago. Eu preciso de você aqui." Ele deu um tapinha no banco de couro. "Segura, e não na parte de trás de uma motocicleta onde um erro pode acabar com você. Você é tão pequena. Eu me preocupo mesmo só de pensar em você voltar para lá." Ele virou meu corpo para encará-lo e suas mãos estavam nas minhas coxas. "Eu não preciso de um protetor, ok?" Eu respirei. "Eu estou tentando o meu melhor, linda." Ele deu um passo para dentro da caminhonete e se inclinou sobre mim. Seus lábios estavam pairando levemente sobre os meus. Eu não pude resistir quando ele estava tão perto. Eu passei meus braços ao redor de seu pescoço e o puxei para baixo em cima de mim enquanto eu deitava no couro. Eu sabia que alguém andando poderia ver as pernas de fora pela porta aberta, mas eu realmente não me importava agora. Ele beijou-me forte e rápido. Corri minhas mãos pelo seu peito e cravei as unhas através de sua camiseta. Ele gemeu contra minha boca, enquanto eu podia sentir como ele estava pronto para mim através de seus jeans. Ele colocou as mãos no banco de cada lado da minha cabeça e começou a empurrar-me longe. "Emerson, não." Eu olhei para ele, sem palavras. "Você não tem permissão para fazer sexo por duas semanas, se você continuar assim, eu não vou ser capaz de dizer "não" em breve". Bem, isso foi fácil. Peguei uma parte de sua camisa e o puxei de volta para mim. Ele abanou a cabeça diante de nossos lábios e saiu de cima de mim para fora da caminhonete. Ele deu a volta ao do lado do motorista, e começou a subir na caminhonete. "Sério?" Eu perguntei a ele. "Isso nunca aconteceu comigo antes." Na verdade, eu não podia acreditar que isso estava acontecendo, que rapaz nega sexo? Especialmente com uma garota que ele estava obviamente atraído. "Oh, acredite em mim, eu estou chamando-me de idiota em cerca de dez línguas diferentes, no momento." Ele evitou o meu olhar.


A viagem de volta para o apartamento foi longa e silenciosa. Tinha música country tocando em alto volume enquanto muito suavemente, ele cantou junto. Eu adorava ouvir a sua voz e derreti em uma poça ao ouvi-lo cantar pela primeira vez. Eu queria que ele fosse tão ruim. Eu precisava pensar em uma maneira de mudar de ideia. Eu sabia como seduzir rapazes, eu estava fazendo isso há anos. Não há nenhuma razão para que eu não fosse ser capaz de seduzir Jaxon Riley. Nós seguimos até o apartamento e ele estacionou a caminhonete em sua garagem. Quando ele desligou a ignição, eu rapidamente puxei minha camisa sobre a minha cabeça. Eu sabia que ele apreciaria o meu sutiã preto. "Foda-se..." Ele imediatamente colocou as mãos sobre os olhos. Subi mais em seu colo e o montei. Ele ainda tinha os cotovelos no ar, com as palmas das mãos empurrando os olhos. "Emerson, você está trapaceando", ele falou com uma voz sussurrante. Inclinei-me bem perto de seus lábios e sussurrei: "Não, eu não estou." Ele soltou um longo gemido frustrado. A cabine da caminhonete ficou em silêncio enquanto ele esperava para o meu próximo passo, ou sair. Cheguei para trás e soltei meu sutiã. Peguei as mãos de seus olhos. Quando eu os removi de seu rosto, seus olhos se fecharam. Puxei suas mãos até meu peito e segurou cada mão em mim. Ele gentilmente apertou e moveu as mãos em volta lentamente. Sorri quando vi seus olhos abertos olhando diretamente para mim. Ele trouxe um gemido de mim como a forma de dizer como era bom tê-lo me tocando novamente. A segunda vez que ele ouviu o meu gemido, porém, ele ergueu as mãos para longe de mim e as colocou atrás da cabeça. Com um sorriso arrogante, ele disse, "Não, você não vai me pegar dessa vez. Eu vou fazer você esperar duas semanas, e então você estará morrendo para mim.". Só então, ouvimos o barulho de um puxão de moto na garagem ao lado da caminhonete. Jace estacionado no lado do passageiro. Quando percebi que Jaxon não estava brincando, eu estendi a mão e puxei a alavanca da porta. Antes que ele pudesse me parar, eu escorreguei de seu colo para o chão. Eu andei para o lado enquanto Jace estava do lado oposto da cabine da caminhonete. Só


meus ombros e a cabeça eram visíveis para ele. Ele olhou para mim e levantou uma sobrancelha. "Hum, Em, você não esqueceu nada?” ele perguntou. Ao mesmo tempo, Jaxon estava pulando do seu banco, em pé atrás de mim, cobrindo os meus seios com as mãos. Eu tentei o meu melhor para não fechar os olhos naquele momento e fazer Jace ficar desconfortável. "Não é engraçado, Emerson," ele rosnou em meu ouvido. "Continue caminhando, Jace." "Eu levantei a minha camisa para tentar seduzir o seu irmão, mas ele se recusa a transar comigo", eu descaradamente disse fazendo beicinho para Jace. Jace se inclinou, rindo histericamente. "Oh, amigo, há algo errado com você, Jax. Eu tinha cuidado de você num piscar de olhos, Emmy." Mesmo que eu saiba que ele estava brincando, eu ainda sorri para ele. Quando me animei, Jaxon gritou: "Deixe ela. Porra, Jace!" Jace subiu as escadas para os apartamentos rindo. Eu me virei para enfrentar Jaxon. Ainda de pé na minha frente, ele se inclinou e agarrou minha camisa da caminhonete. Ele colocou-a sobre a minha cabeça e puxou meus braços através dos buracos como se eu fosse uma criança. "Você não é divertido." Eu fiz beicinho para ele. Ele se inclinou e mordeu-o entre os dentes: "Eu acho você divertida o suficiente por nós dois.". Subimos as escadas para nossos apartamentos. Quando cheguei a minha porta, ele se inclinou e beijou meu rosto antes de continuar até a sua. Antes de entrar, ele perguntou, "Jace e eu vamos buscar a cerveja, algum pedido?". "Sexo na praia? Mamilo escorregadio? Gritando um orgasmo?" Seus olhos ficaram escuros quando ele olhou para mim. "Você serve estes muitas vezes, Miss Bartender?" Muito lentamente, eu respondi, "Todas as noites." Seus olhos se arregalaram quando eu entrei e fechei a porta antes que ele pudesse acrescentar mais alguma coisa. Deixando ele pensar


naquilo por um tempo! Ótimo, agora eu estava sexualmente frustrada e não havia nenhuma maneira que eu poderia resolver isso. Bem, tecnicamente, eu sei que eu poderia sair e resolver e Jaxon nunca saberia. Por alguma razão, porém, eu sabia que eu não podia quebrar a nossa aposta, especialmente tendo sido minha ideia. Eu não duvido que ele teria realizado a sua parte do acordo se ele tivesse perdido. Isso foram duas apostas que eu tinha perdido para ele em seguida. Eu precisava melhorar meu jogo, ou parar de apostar com caipiras sexys.


Capítulo Sete

Primeira briga

Pelas dez em ponto, as pessoas começaram a chegar à nossa casa, animados pela vitória. Quinn ainda não tinha voltado para casa. Eu tinha enviado mensagens de texto pelos últimos trinta minutos, sem resposta. Jaxon ainda estava fora, comprando cervejas. Jace, que eu imaginei que não viria, tinha vindo para me ajudar a arrumar os móveis e colocar todas as coisas quebráveis em um armário trancado. Nós empurramos cadeiras e mesas contra a parede para permitir mais espaço. Eu coloquei latas de lixo no pátio para os fumantes e para as latas de cerveja que iriam sem dúvida se acumular. Eu andei pelo corredor até o quarto dos garotos. Como eu já esperava, a porta do Cole estava fechada. “Quinn! Eu estou contando até três e depois vou arrastar sua bunda para fora daqui. Você prometeu!” Eu escutei uma confusão e muitas gargalhadas. “Um... Dois... Tr-” Eu fui interrompida por Cole abrindo a porta na minha frente com um enorme sorriso escancarado na sua cara. “Emmy, dá um tempo,” ele riu. Ele estava vestindo só uma cueca azul marinho. Eu o empurrei e encontrei Quinn abotoando sua camisa. Eu caminhei e agarrei seu braço enquanto ela abotoava o último botão. “Você já teve a sua diversão; e você vai ter bastante tempo depois para esses negócios. Nós estamos em cinco e Jace foi o único que veio me ajudar até agora. Isso nem sequer era minha ideia.” Eu desci com ela pelo corredor para sair pela porta. Ela não estava dizendo nada, somente tinha um sorriso de satisfação em seu rosto. Embora eu estivesse frustrada que eu fui abandonada para cuidar da festa, eu ainda assim estava realmente feliz por ela e Cole. Eu amava vê-la tão cheia de paz e feliz. “Ei, eu fiquei ofendido,” eu ouvi a voz do Jaxon vindo da porta. “Eu só estou abastecendo a sua festa inteira com álcool.” Ele apontou para o fim do corredor. Eu empurrei a Quinn rápido em direção a porta para ter certeza que ela não voltaria para mais “Sr. Cole amor do oeste”.


“Obrigada, Jax, foi muito legal da sua parte,” Quinn disse, enquanto ia passando. Ele ainda estava olhando fixamente para mim. Antes que eu pudesse fazer um comentário espertinho para ele, um cara bateu na porta de entrada. “Vocês conhecem o pessoal aqui do lado, eu tenho uma entrega e eles não estão em casa?” Ele estava vestindo uma camiseta de uma floricultura local, mas estava segurando uma caixa gigante de chocolates. “Nós moramos aqui do lado.” Eu falei para ele, apontado para mim e Quinn. “Legal, então isto é para Quinn Montgomery.” Ela caminhou até ele com um olhar confuso e pegou a caixa. “Me desculpe, eu não tenho grana para uma gorjeta,” ela falou para ele. “Sem problemas, eu fui bem pago para esta entrega tarde da noite. Ele disse que você não estaria em casa até agora. Uma ótima noite para vocês.” Ele fechou a porta ao sair. “Que inferno, Quinn?” Cole caminhou rapidamente, agora completamente vestido. “Não me infernize, eu não tinha ideia.” Ela retirou o pequeno cartão para fora do minúsculo envelope e leu. “Isto é somente de um dos meus estudantes que sou tutora. Aqui, Emmy, vá em frente e pegue o pedaço que só você come.” Ela me deu uma monstruosidade de chocolate. “Você é tão estranha com isso Em,” Cole mencionou isso enquanto tentava espiar o cartãozinho que Quinn estava segurando. “Quem precisa de tanto chocolate?” Eu perguntei isso enquanto separava o único que exista em todas as caixas. “O que ela quis dizer com o pedaço que só você come?” Jaxon apareceu atrás de mim para perguntar. “Eles geralmente colocam uma trufa de chocolate de framboesa nessa caixa, e é o único que eu me importo. Porque eles enviariam essa caixa gigante e somente uma trufa de framboesa


está além da minha compreensão.” Eu finalmente achei e o puxei para meus lábios. Quando eu dei uma mordida, meus olhos se reviraram. Eu nunca comprava doces, mas de vez em quando, alguém dá para Quinn ou para mim uma caixa e eu espero somente por esse pedaço. Quando abri meus olhos, Jaxon estava me olhando atentamente agarrando a bancada. “Porra, você não pode continuar fazendo isso na minha frente. Pelo menos não pelas próximas duas semanas,” ele suspirou. Eu coloquei minha língua para saborear o restinho de chocolate nos meus dedos e o escutei resmungando enquanto inclinava-se mais perto de mim. A voz profunda do Cole me sacudiu para fora da minha sedução do Jaxon, “BRYCE?!?! Isso é daquele babaca, Quinn?” “Bebê, nos literalmente ficamos juntos há duas horas, ninguém sabe. Dá um tempo,” ela falou enquanto abraçava ele ao redor da cintura. Ele começou a empurrá-la em direção a porta de entrada. “É melhor você acreditar que todo mundo vai saber dessa droga na segunda,” ele resmungou e ela fez um carinho no peito dele. “Obrigada de novo, Jax, pelas bebidas,” ela cantou enquanto se encaminhava para nosso apartamento. Ele olhou diretamente para mim depois que ela falou aquilo. “Não me olhe, não estou te agradecendo. Tinha uma coisa que eu precisava que você tomasse conta mais cedo, e você negou me causando vergonha,” eu falei, passando por ele. Ele agarrou meu braço antes que eu pudesse entrar no corredor. “Espera, eu te envergonhei?” ele perguntou honestamente com inquietação em seus olhos. Ele me encostou, e apoiou sua mão na parede em ambos os lados da minha cabeça. “Não, realmente não, mas eu fui rejeitada enquanto eu tinha os meus seios em suas mãos. Eu posso definitivamente dizer que aquilo não aconteceu.” “Me pergunta de novo em duas semanas essa porra e eu prometo, eu nunca vou dizer ‘não’ de novo.” “Eu não tenho tido duas semanas desde meu ano de caloura,” divulguei nervosamente.


“Uau, sério? Bem, isso vai ser bom para você então.” “Você não precisa me julgar tão alto,” Eu me queixei tentando sair por baixo dos seus braços e o escutei gemendo. Eu deveria saber que não faria isso ir longe. Ele me pegou em seus braços e me carregou de volta para seu apartamento. Ele nos levou para seu quarto e fechou a porta com um chute. Nós sentamos contra a cabeceira da cama comigo em seu colo. “Emerson, eu não queria julgar você. Eu, de todas as pessoas, não estou em posição de julgar. Eu não me importo com o que você fez,” ele falou, olhando dentro dos meus olhos. “Está bem, todo mundo faz. Eu entendo o que as pessoas pensam de mim.” “Se eles pensam que você é bonita, mal-humorada, e brilhante, então eu concordo com eles. Algo além disso, não me importa.” Eu precisava afastar ele agora, isso era a coisa mais esperta a se fazer. Quanto mais eu o deixava ficar próximo de mim assim, mais eu sei que vou deixá-lo pra baixo. Ele ficava se arrastando ao redor dos meus obstáculos e eu estava ficando na margem assistindo isso acontecer. Eu falei para ele que inicialmente eu não poderia ter relacionamentos; Eu torcia que ele compreendesse que ainda era o caso. Eu não tenho certeza se ele tem um motivo oculto para ser assim comigo. Ele interrompeu meus medos passando seus dedos pelos meus cabelos e puxando minha cabeça contra ele e nossos lábios se encontraram. Seu beijo era agressivo e sua língua encontrou ligeiramente a minha. “Puta merda, você tem um gosto bom.” Eu poderia contar que ele provou o chocolate de mais cedo, então eu ri. Eu não estava nem pensando sobre os meus medos neste exato momento. O jeito que ele estava me beijando era tão irresistível, que eu não conseguia pensar em nada mais. Eu arranquei a camisa pela sua cabeça e ele não lutou contra mim. Para minha surpresa, ele arrancou a minha também. Nós estávamos nos agarrando como se precisássemos estar dentro um do outro, como se nós precisássemos da respiração um do outro.


Meu sutiã ainda estava em seu lugar, então quando ele se curvou e começou a beijar os meus seios inchados, eu estava surpresa pelo contato imediato. Abruptamente nós ouvimos uma forte batida no outro lado da porta dele. De repente, Cole entrou, me surpreendendo. Jaxon me puxou contra seu peito e colocou sua camiseta sobre as minhas costas nuas. “Porra, porque nós somos sempre pegos sem sua camisa?” Resmungou Jaxon. “Não, inferno, vão tirando a bunda daí. De nenhuma maneira vocês vão interromper o primeiro dia meu e da Quinn juntos, então vocês podem ir se virando e fazer alguma coisa.” Gritou Cole. “Ok, ponto feito, saia.” Jaxon disse com uma voz áspera. “Eu vou esperar: para ter certeza que você não se perca pelo caminho.” Respondeu Cole descaradamente. “Inferno, se vire para ela poder colocar sua blusa, idiota.” Ele revirou seus olhos. “Confie em mim, eu já vi tudo da Em.” Eu senti Jaxon tenso com aquilo e ele deixou cair as mãos atrás de mim. Não importava o quão legal ele tentava ser, quão compreensível ele queria ser, iria sempre o irritar o fato de eu dormir por aí. Mesmo que eu tivesse assegurado ele que eu nunca estive com Cole, ele ainda parecia perturbado pelo fato que ele tinha visto meu corpo antes. Cole correu atrás de mim muitas vezes: era um perigo no meu caminho. Seus olhos não encontravam os meus e ele não se moveu. “Ei, nada aconteceu entre mim e ele. Você sabe disso, certo?” Eu perguntei enquanto agarrava seu rosto. Ele não se mexeu e sua mente ainda estava em algum lugar distante, então eu o ajudei a voltar. Eu saí do seu colo e coloquei minha camiseta de volta. Ele ainda não tinha se movido. Eu caminhei para fora do quarto. No meu caminho, eu escutei Jaxon falando com Cole, mas eu não fiquei por perto para ver o que eles estavam dizendo sobre mim. Quando voltei ao apartamento, ele estava cheio de jogadores de futebol, líderes de torcida, caras da fraternidade e demais pessoas. Corri até o armário e peguei um minivestido da Quinn de um ombro só. Ele era um vermelho-escuro e uma vez que era da Quinn, era um pouco apertado nos seios... perfeito. Como eu estava puxando meu cabelo para cima, percebi a mensagem de Jaxon ainda na minha mão. Eu duvido que eu fosse sua favorita neste momento.


Uma hora mais tarde, eu tinha tomado três margaritas e não havia nenhum sinal de Jaxon. Eu estava na cozinha brincando de bartender, como de costume, com um cara gostoso que eu nunca tinha visto, Gage. Ele era muito disposto e não me importava, já que ele estava me ajudando a não pensar sobre o fato de que Jaxon não conseguia sequer olhar para mim. Havia um monte de caras na mesa de jantar brincando um jogo de beber. De vez em quando, alguém da mesa gritava comigo por mais cerveja ou licor. Depois do terceiro grito, Gage gritou de volta, "Cala essa maldita boca e pegue sua própria cerveja, seus idiotas!" Ele sorriu para mim. "Obrigada, eu sempre fico de saco cheio de ser a bartender." Eu sorri de volta. Notei que ele tomou o último gole da sua cerveja, então eu abri outra para ele. Velhos hábitos custam a morrer. Eu também decidi mudar para cerveja, porque a tequila estava indo direto para minha cabeça. "Você vai para nossa faculdade, Gage? Nunca vi você por lá." Eu tinha certeza que lembraria, embora ele me parecesse vagamente familiar. "Não, eu vou para a Universidade de Columbia. Só estou aqui visitar meu irmão mais novo." "Uau, Columbia, isso que é uma maneira de esvaziar a conta bancária dos pais." Ele deu de ombros como se não fosse grande coisa. Eu entendo que ir para a faculdade no sul da Califórnia não estava perto de ser barato, mas eu tentei trabalhar tanto quanto eu podia para compensar essas despesas. "Então, quem é seu irmão, provavelmente eu conheço." "Micah Woods, ele é um Alpha Sig." É claro que ele era. Alguns rapazes na mesa começaram a rir e Garrett abriu sua boca grande. "Oh sim, ela conhece Micah, muito bem", ele provocou. "Oh, Garrett, não vamos falar sobre o momento em que ‘conhecemos’ alguém. Eu sei que quarenta e cinco segundos foi, provavelmente, um recorde histórico para você, mas confia em mim, a maioria das meninas preferem, pelo menos um minuto," eu repreendi. Todos na mesa, incluindo Gage começaram a rir. Todos eles tinham suas cabeças jogadas


para trás e bateram as garrafas em cima da mesa. Houve um coro de palavrões e tapinhas nas costas de Garrett. "Sim, sim, Em, isso foi no meu ano de calouro. Me experimente de novo”, Garret riu, exaltando os nervos. Virei-me puxando mais garrafas e latas das caixas colocando na geladeira, para mais tarde. Quando eu voltei, Gage veio perto de mim. "Vamos dançar", ele sussurrou em meu ouvido. Eu pensei que ele era gostoso, mas eu realmente não queria fazer nada com ele. Honestamente, eu queria saber por que Jaxon nunca vinha. Eu quase estava tentada a ir pelo corredor e perguntar-lhe. Quase. Eu odiava o fato de estar sentindo falta dele. Foi por causa desse pensamento que eu agarrei a mão e puxei Gage para fora da pista de dança improvisada na nossa sala de estar. Eu não podia permitir pensamentos como esse. Essa é quem eu sou, aqui nessa pista de dança com Gage. Quando chegamos ao meio de todos dançando, eu me virei para Gage e levantei minhas mãos acima da minha cabeça. Eu comecei a dançar em suas mãos distraídas com a batida rápida da música. Quando virei para a esquerda, notei Quinn e Cole bem próximos a nós. Eu me inclinei e bati nela com meu quadril. Quando ela virou e olhou para mim, ela tinha um olhar feliz vidrado em seus olhos. Cole nem olhou em minha direção, seu rosto estava preso no lado do pescoço de Quinn. Eles estavam repugnantemente fofos. Quando Quinn finalmente percebeu com quem eu estava dançando, ela me lançou um olhar confuso: "Onde está Jax?". Dei de ombros para ela. "Não aqui," eu disse, e me virei para Gage. Ele se inclinou e perguntou: "Quem é o Jax?". A última pessoa com quem eu queria falar sobre Jaxon era esse cara. Virei em seus braços rebolando contra ele. Eu o ouvi gemer quando agarrou meus quadris para me puxar para mais perto. Eu sabia que a questão estava perdida em cada movimento dos meus quadris. Isto era no que eu era boa, isso é o que eu faço, não me surpreendendo com um cara de sotaque sulista sexy. Ele me virou e mergulhou para trilhar seus lábios na linha da minha mandíbula apenas, até atrás da minha orelha.


Ele endireitou-se e disse: "Quer sair daqui? Meu carro está lá fora." Olhei em seus olhos por um longo momento, tentando descobrir o que eu queria fazer. "Sim, isso não vai acontecer." Assustada, me virei para ver Jaxon em pé junto de nós olhando para baixo. Ele era bem mais alto que Gage e tinha cerca de quarenta quilos a mais de músculo. O contraste entre os dois era impressionante, eu não tinha percebido o quão grande era Jaxon. Eu sempre o via ao lado de seu irmão gêmeo idêntico e Cole, que é igualmente grande. Fiquei tão chocada com a minha comparação que eu me esqueci de responder a declaração de Jaxon. Gage passou as mãos ao redor da minha cintura, "Desculpe, cara, não sabia que ela já estava com alguém.". Eu deveria ter ficado com raiva pelo fato de que ele pensou que tão facilmente eu poderia trair o meu namorado, se é o que Jaxon tinha sido. Mas ele não tinha sido. Esperei por Jaxon para corrigi-lo. Diga alguma coisa, porque não dizer absolutamente nada estava me irritando. Eu não era de ninguém. "ELA não está com ninguém, muito obrigada!" Gritei por cima da música para ambos. Quando eu comecei a fazer o meu caminho no meio do pessoal dançando, Jaxon pegou meu braço. Eu me virei para encará-lo. Gage já tinha puxado uma garota sem sal da irmandade. Típico. "Desculpe, Emerson." Ele me puxou contra seu peito. "Eu não deveria ter deixado as coisas tão inacabadas.” Gostei da sensação do seu peito contra o meu rosto; seu cheiro quente me atiçava o tempo todo. Quando ele se abaixou e me puxou para um beijo ardente, notei que a sala estava um pouco mais silenciosa. Eu me afastei dele quando percebi que o silêncio era porque eles estavam olhando estupidamente para nós. "Não! Cai fora, Jaxon!" Eu gritei. Eu estava com medo. Eu não queria que as pessoas pensassem que eu pertencia a alguém. Isso nunca aconteceria. Eu também estava brava com ele pelo fora que levei mais cedo. No instante em que as palavras saíram da minha boca, eu percebi quão vadia eu tinha sido com ele. Vi o seu rosto cair e suas mãos se afastaram de mim. Levou segundos para ele se recompor, e depois seu rosto endureceu e ele acenou com a cabeça enquanto se afastava. Fui até a cozinha


para abrir outra cerveja. Quando encostei no balcão olhando para a sala, notei que Jaxon ainda estava na "pista de dança". Ele caminhou até Rachel Morgan, que estava sentada em uma das cadeiras que foi empurrada contra a parede. Ela olhou para ele com a sedução em seus olhos. Eu me perguntava que tipo de olhar ele estava dando a ela, se era o mesmo olhar que fez minhas pernas ficarem bambas, o mesmo olhar que ele tinha acabado de me dar na sua cama antes que nós tivéssemos essa maldita festa. Eu vi como ele empurrou os cabelos dela para longe da orelha e ele lentamente se inclinou para sussurrar algo nela. Seu rosto se iluminou e ela acenou com a cabeça para cima e para baixo. Ela se levantou e ele estendeu a mão para ajudá-la. Quando ela pegou a mão, ele a conduziu até a porta, foi então que eu percebi que ele estava saindo com ela e meu estômago ficou nauseado. Jace se aproximou e os parou na porta, "Não faça isso, cara.". "Fazer o quê? Sair com uma garota que realmente quer ficar comigo?", ele questionou retoricamente, enquanto ele saía pela porta rebocando Rachel. Eu me desequilibrei um pouco contra o balcão. Jace, Cole e Quinn se aproximaram de mim na cozinha. "Em, vá impedi-lo. Peça desculpas!" Quinn me implorou. "Desculpas para quê? Por ser completamente honesta? É melhor eu aborrecê-lo agora do que destruí-lo depois, se isso ainda for longe. Eu não posso ficar com ninguém. Não funciona. Até Jace tinha me avisado para não machuca-lo." Eu virei para as garrafas de bebidas no balcão e comecei a procurar. Como eu não havia encontrado o que eu queria, virei para olhar no armário acima do refrigerador. Mesmo estando na ponta dos pés, ainda faltavam centímetros de distância para alcançar dentro do gabinete. "O que você está procurando, Em? Eu alcanço," Jace falou do meu lado. "Não, eu preciso encontrar." Eu fui até o balcão para ficar em pé em cima, mas Jace me levantou pela cintura para que eu pudesse alcançar. Procurei em todas as outras garrafas, os vidros das garrafas tilintavam alto, até que encontrei a tequila que eu queria. Jace me colocou de volta no chão.


"De jeito nenhum! Coloque essa coisa de volta," disse Quinn, apontando para a tequila, como se ela fosse saltar para fora e mordê-la. Era uma velha garrafa que pertencia ao meu pai, eu tenho certeza que foi um presente, porque ele raramente bebia. Ignorando-a, peguei um copo limpo do armário. Eu sabia que não devia beber a tequila cara, mas eu precisava disso em mim o mais rápido possível. Eu queria esquecer para onde Jaxon podia ter levado Rachel e esquecer o que eles poderiam estar fazendo agora, possivelmente, no apartamento ao lado. Eu não tinha sido a única a dizer para ele que nós poderíamos dormir com outras pessoas? Eu deveria estar feliz que ele estava lidando com isso no fim de tudo. Eu precisava lavar Emerson e ser Em novamente. Eu levantei a velha garrafa e derramei o líquido dourado no copo com "Cancun, México" impresso na lateral. Eu lembro de comprar este copo em uma viagem que fiz com o meu pai, Ellie, e Quinn, quando eu tinha quatorze anos de idade, no verão antes de ele morrer. Eu acho que foi o copo apropriado para derramar essa bebida. "Alguém se junta a mim?" Olhei para os três rostos mal-encarados olhando pra mim. Eu não poderia dizer se sentiam mal por mim, já que Jaxon saiu com Raquel, ou se eles ficaram desapontados comigo por ser a razão pela qual ele foi embora no primeiro momento. Ninguém se aproximou. "Que se dane". "Eu vou te acompanhar, Emmy!" Micah explodiu enquanto veio para a entrada da cozinha. No mesmo momento, Jace e Cole estenderam os braços para impedi-lo de vir "Tudo bem, idiotas. Você sabe que eu estou realmente cansado de você e seu irmão pé no saco", falou, apontando para Jace enquanto ele se virou e saiu para o pátio. Dei de ombros, não tendo energia para ficar chateada ainda com outra pessoa por tomar decisões por mim novamente. "Aqui, para perder Emerson, e encontrar Em outra vez!" Eu levantei o copo no ar. Levei de volta para os meus lábios e derramei o líquido em minha boca. Para compensar que estava tomando uma tequila cara, eu segurei na minha língua por alguns segundos para saborear. O gosto bom queimou minha garganta e me fez bater com o copo na bancada de granito. "Eu estava gostando da Emerson," Quinn disse com um olhar triste no rosto. "Ok, você está pronta agora?" Cole me perguntou com uma expressão preocupada.


"Cole, eu sei que tudo que você quer fazer agora é levar Quinn de volta para a sua casa. Eu não preciso de babá. Vocês podem ir", eu respondi, ao derramar mais uma dose. Ele se adiantou e pegou a garrafa da minha mão enquanto tirava minha dose com a outra. "Agora, tudo que me importa é ter certeza de que uma das minhas melhores amigas não vai se embebedar e parar num hospital hoje à noite. Você estar chateada tudo bem, só, por favor, não seja idiota." Cheguei perto dele e tomei a segunda dose. Eu tomei três delas e fui para o meio da pista de dança. Eu me perdi na batida da música, o cheiro de suor rolando dos corpos ao meu redor, e a sensação do meu corpo dançando ao som da música. Eu precisava sair do caminho traiçoeiro em que eu me encontrava. Eu não tinha certeza de quanto tempo passou, mas eu sei que quando eu cambaleei para a cozinha, mais tarde naquela noite, eu estava mais algumas doses bêbada. Tenho certeza de que a frase “eu não estava mais bêbada”, foi desperdiçada. Quinn, Cole e Jace tinham ficado na cozinha para me vigiar, mesmo dizendo a eles para sair; eu era uma menina grande. Quando cheguei e vi Jace, eu sabia que era Jace, mas ele se parecia tanto com Jaxon. Eu perguntei que tipo de olhar que eu estava dando a ele porque ele parecia um pouco preocupado. Eu não conseguia me controlar em ir até ele e colocar minhas mãos em seu pescoço. A única coisa que me fez parar de tentar beijá-lo logo em seguida foi o fato de que ele não tinha o mesmo cheiro de Jaxon. Eu não sei que tipo de perfume Jaxon usava, mas permanecia em todas as suas roupas e eu o cheirava em meus sonhos. Eu adorava quando ele vinha estudar, pois quando ele se sentava na minha cama, juro que eu podia sentir seu perfume por alguns dias. "Por que você tem que se parecer tanto com ele?" Eu me esfreguei em seu peito. Ele esfregou minhas costas. "Você está brincando comigo, eu sou o bonitão." Eu tentei rir de sua tentativa de piada. "Eu gosto muito dele. Eu gosto tanto dele que dói" Eu admiti bêbada. Ele se inclinou para sussurrar no meu ouvido, para que pudesse dar a nossa conversa um pouco de privacidade, "Eu sei que ele sente o mesmo por você. Você tem que deixá-lo se aproximar". "Eu queria poder. Eu gostaria de ser esse tipo de garota." Uma lágrima escorreu pelo meu


rosto e Jace enxugou com o polegar. "Me desculpe, estou bêbada e falando besteira. Agora, eu estou chorando na frente do seu irmão gêmeo como uma idiota." "Ei, não diga isso. Eu preferiria que você falasse besteira para mim do que para qualquer outra pessoa. A menos que fosse Jaxon." Eu despejei mais do meu peso sobre seu corpo, assim que comecei a ficar cansada com todo aquele álcool no meu organismo. "Em, vamos te levar pra cama, antes que você desmaie," Quinn veio para me dizer. "Por favor, não. Jaxon e eu compartilhamos uma parede do quarto e, agora, eu simplesmente não consigo lidar com isso. Quando todo mundo sair, eu vou desabar no sofá", disse incoerentemente, tenho certeza. "Merda, eu esqueci isso", Cole disse: "Bem, o som é muito alto aqui de qualquer maneira. Você e Quinn podem ficar com minha cama." "Eu não quero ouvir nada, Cole. Eu não posso ir lá." "Você tem que dormir em algum lugar, e não vai estar sozinha. Venha", ele falou, gentilmente. "Eu vou encerrar a festa," Jace disse, enquanto me passava para Cole. Cole e Quinn me ajudaram a descer o corredor até o apartamento dos rapazes. Eu temia a ideia de correr atrás de Jax ou Rachel. Quando chegamos ao apartamento, ele estava abençoadamente silencioso e escuro. Eu não queria pensar sobre onde eles teriam ido. Caminhamos para o quarto de Cole e ele entregou para mim e Quinn algumas camisetas grandes que poderíamos usar para dormir. Quinn me ajudou a sair de meu vestido e o jogou no chão. "Foda-se, eu estou vivendo o sonho de todo o cara agora. Duas meninas no meu quarto, ajudando uma a outra tirar suas roupas," Cole riu. "Sim, exceto que não há nenhuma maneira de você interagir conosco essa noite." Quinn piscou para ele. "... E a minha bolha é estourada", ele lamentou, sarcasticamente. Eu resmunguei. "Gente, estou estragando a primeira noite de vocês juntos. Por favor, me


deixa dormir no sofá, eu não posso fazer isso. Eu amo que vocês estão finalmente juntos." Cole veio e me envolveu em um abraço de urso. "Quinn não é apenas uma aventura para mim, eu estou nessa há longo prazo com ela. O que significa que temos mais um milhão de noites. Agora, precisamos fazer com que a nossa melhor amiga, que está podre de bêbada, fique segura." Quinn pegou minha mão e me puxou para a grande cama king-size de Cole. Ela me empurrou para baixo e deitou ao meu lado. Cole veio e deitou-se ao lado de Quinn. Lembro-me murmurar um 'obrigada' aos meus melhores amigos antes de desmaiar. Eu não sei quanto tempo eu havia dormido antes de eu ser empurrada e acordada por mãos quentes e sussurros irritados. "Cara, deixa ela aqui, e volta pra cama. Você pode falar com ela amanhã. Foi uma noite difícil pra ela." "Eu sei. Jace me disse e é exatamente por isso que eu vou levar ela de volta para o meu quarto." "Jax, estou sendo completamente sério, não foda com ela." "Eu preciso dela ao meu lado agora." "Ela vai ficar tão chateada." "Ela vai me perdoar." "Ela está tão bêbada, por favor, tenha certeza de vigiá-la." Eu estava sendo levantada para fora da cama em um peito nu quente. Me aconcheguei mais perto, cheirando meu perfume favorito. Fechei minhas mãos em volta do pescoço dele e suspirei. Pouco tempo depois de eu ter sido pega, eu senti um colchão macio debaixo de mim novamente. Mãos fortes vieram por trás e me puxaram contra um corpo forte. A colcha foi puxada para cima de mim. "Eu sinto muito, linda," a voz de um anjo sussurrou antes de eu desmaiar novamente em uma neblina alcoolizada.


Capítulo Oito

Fugindo para casa

Quando acordei na manhã seguinte, meu rosto estava esmagado contra a pele quente e meu corpo estava superaquecido. Comecei a sentir as coisas ao meu redor e percebi o corpo forte do Jaxon deitado em volta de mim, com o meu rosto em seu peito. Ele tinha o queixo apoiado no topo da minha cabeça e uma perna estendida sobre meu quadril. Sua respiração lenta, expirando e aspirando estavam soprando mechas do meu cabelo para trás e para frente. Quando eu adormeci na última noite, eu tinha certeza que eu estava na cama de Cole com ele e Quinn. Eu comecei a lembrar os sussurros irritados e Jaxon me pegando e me trazendo para sua cama. Ontem não tinha sido uma boa noite para mim. Eu era uma vagabunda para ele porque ele fez as pessoas pensarem que estávamos juntos. Eu o feri e ele saiu com Rachel. Eu bebi cerveja e tequila demais. Graças a Deus, eu não era do tipo de ficar bêbada o suficiente para vomitar, porque se eu tivesse, teria sido história muito pior. Eu me lembro de balbuciar para Jace sobre seu irmão. Eu tenho certeza que eu chorei na frente dele. Então isso me abalou, Jaxon saiu com a Rachel na noite passada e quando ele finalmente voltou, ele me trouxe para a cama com ele? Isso foi errado em tantos níveis. Eu sou a rainha de dormir por aí, mas eu gostaria de nunca dormir com um cara e ir para a cama com outro na mesma noite. Isso era brega. Eu precisava ficar longe dele. Eu estava muito perto de sua pele com um cheiro delicioso, mas eu sei que Rachel estava inteiramente com ele ontem à noite. Quem poderia culpá-la? Eu lentamente levantei o braço dele de cima de mim, o colocando ao seu lado e depois, gradualmente, rolei para a beira da cama. Senti Jaxon me procurar em seu sono, então eu corri para longe de suas mãos curiosas. Ele murmurou algo sobre "linda" e rolou de barriga pra baixo. Graças a Deus, ele tinha um sono pesado. Eu não queria ter a conversa que eu tenho certeza que ele estava antecipando esta manhã. Eu só tinha o blusão do Cole e um par de cuecas, e sou grata pela altura do Cole porque a camisa estava abaixo dos joelhos.


Quando saí para o corredor, fiz uma careta, porque eu podia ouvir Quinn e Cole tirando o atraso da noite passada. Eu estava feliz por meus melhores amigos, mas eu absolutamente não queria ouvir isso. Corri para o banheiro e quando terminei, lavei minhas mãos com o sabonete que estava na bancada. Não ajudou em nada. Eu precisava chegar até meu apartamento para escovar o gosto de tequila, cerveja, e sono. Passei a caminhar para a porta da cozinha, quando notei o relógio na sala que apontava apenas sete da manhã. "Fugindo?" Eu pulei com o som da voz. "Caramba, Jace. Por que você está acordado?" Ele estava puxando os fones de ouvido de seu iPod para fora das suas orelhas e apontou para os quatro livros deitados abertos na frente dele. "Droga, esses dois ainda estão ali?" Ele apontou para o quarto de Cole e fez uma careta para o barulho. "Sim, é por isso que eu preciso sair daqui." Eu só estava mentindo um pouquinho. "Certo... isso não tem nada a ver com um certo cara que pode me lembrar, não é?" Ele sorriu. "Eu não estou escapulindo. Obrigado por dizer a ele sobre ontem à noite a propósito." "Em, ele veio para cá com um humor puto ontem à noite e tudo o que eu disse foi que não era um piquenique para você aqui também. Eu juro. "Eu concordei com ele." Ah, e se você realmente está fugindo, eu iria depressa. Ele nunca perde a hora.". Com isso, sai sem fazer barulho e desci para o nosso apartamento. Eu decidi que precisava dar uma corrida antes de ir trabalhar. Fiz um rápido café da manhã para o meu estômago vazio e coloquei um top e shorts de corrida. No instante que estava amarrando meus tênis, eu ouvi o sinal de aviso de mensagem no meu celular. Jaxon: Você escapou. Posso ir aí? Eu decidi que eu não tinha tempo para responder. Eu precisava de ar imediatamente. Saí do apartamento e corri pelo corredor. Indo para fora descendo as escadas, fui para a rua e ouvi meu nome ser chamado do outro lado do estacionamento. Fingi que não ouvi e virei para a estrada.


Eu costumo correr em direção à praia, era uma boa maneira para eu saber o quanto eu tinha corrido. A praia era também um bom local para parar no meio do caminho e descansar. Hoje eu decidi correr na direção oposta para uma mudança de ritmo. Eu não tinha certeza do que eu deveria fazer sobre Jaxon. Eu gostava de estar com ele, e não era somente do sexo. Gostei da maneira como ele me fazia sentir que eu não precisava dormir com mais ninguém. Inferno, eu não queria aquilo. Pensei que duas semanas seriam difíceis sem sexo, mas a única razão que seria difícil é porque eu não conseguia dormir com ele por duas semanas. Eu amava o jeito que ele me fazia sentir tão segura quando estava próxima a ele, como se ele fosse me proteger, não importasse do que, mesmo que eu não precisasse. Por que eu não poderia deixá-lo proteger meu coração também? Por que não podia apenas viver o momento, tendo relacionamentos típicos como todos os outros na faculdade? Quinn e Cole estavam finalmente fazendo isso. Estava preocupada com o futuro, sobre perdas e enganos. Eu não posso lidar com ser deixada para trás novamente como meus pais me deixaram, ferindo um monte de pessoas com suas partidas. Eu só preciso de certa distância dele para ganhar alguma perspectiva. Uma vez que eu não estou com ele o tempo todo, vou lembrar das razões originais que eu tinha para não entrar em um relacionamento. Eu estava facilmente distraída por uma voz intensamente sexy, com quilômetros de músculos em um corpo enorme, e olhos azuis que podiam ler sua alma. Correndo em direção ao leste, havia mais morros do que eu estava acostumada em correr. Era bom empurrar o meu corpo com mais dificuldade. Hoje eu precisava ser empurrada. Eu desejava ser uma corredora e eu só poderia sentir um pouco dessa euforia colocando os meus pés na estrada. Eu não sabia quanto tempo eu tinha corrido até passar por um banco e ver que eram quase nove e quarenta e cinco. Merda, eu tinha corrido por mais de uma hora e meia. Eu precisava me apressar para voltar caso eu quisesse ir para casa tomar banho e me preparar para o trabalho a tempo. Quando eu comecei a dar meia volta, pisei na areia solta na calçada e caí de cara no chão. Felizmente, eu só raspei meu lábio na areia antes de minhas mãos finalmente pegarem o resto do meu rosto de forma violenta. Beleza, agora meu lábio estava sangrando e minhas mãos estavam arranhadas. Levei o mesmo tempo para voltar para o apartamento, se não mais, porque eu tinha que limpar o sangue do meu rosto. Quando entrei pela porta, eu estava encharcado de suor. Quinn estava sentada no sofá com o telefone na mão. Quando ela me viu, ela levantou e correu em


minha direção. Ela esbarrou em mim e me abraçou tão forte que eu mal podia respirar. "Quinn, pare. Estou suada, sangrando, e não posso respirar," falei sufocada. "IDIOTA, onde você estava?", Ela gritou. "Eu estava correndo e, além disso, eu deixei um recado na geladeira." "Jaxon disse que viu você saindo há três horas, e você NUNCA corre por mais de uma hora." "Eu sinto muito, eu tinha muita coisa na cabeça e fui mais longe do que eu pensava. Além disso, você e Cole estavam ocupados nesta manhã de qualquer maneira." Ela começou a me dar um olhar triste quando eu a interrompi: "Oh, não, não fique chateada. Eu arruinei sua noite juntos, não fique triste, porque você estava com o seu namorado.". "Que diabos aconteceu com você?" Ela apontou para o meu lábio inchado. "Eu caí em um pouco de cascalho solto, tenho certeza que isso vai ficar melhor depois que eu lavar." "Merda! Cole e Jax foram procurar você, eu preciso chamar eles," ela disse isso enquanto discava em seu telefone. "Vocês são tão ridículos." Eu caminhei pro banheiro para tomar um banho e a ouvi dizendo que eu tinha chego em casa. Lavei meu cabelo e raspei minhas pernas. Eu fiquei parada sob o jato da água ligado o mais quente quanto eu poderia suportar. Havia ainda pequenos pedaços de cascalho cravados em minhas mãos que eu removi gentilmente. Quando eu saí, penteei meus cabelos e escovei os dentes, até que os senti limpos novamente. Meu lábio inferior estava tão inchado que parecia que eu tinha levado um soco. Quando eu saí do banheiro, Cole olhou para o corredor e me viu caminhando em direção a minha porta. Ele me encontrou no meio caminho. "Em, por que você está me assustando tanto ultimamente?" "Eu estou bem. Eu não queria assustar ninguém." "Jax vai pirar quando ver seu lábio."


"Só não conte a ele sobre isso, tenho certeza que o inchaço vai passar em breve," eu respondi. Entrei no meu quarto e fechei a porta. Sentada na beira da cama com uma toalha enrolada em volta de mim, eu pensei em tudo o que vinha acontecendo recentemente. Eu me senti uma bagunça. Eu geralmente estava tão no controle, agora eu sentia como se não tivesse um pingo dele. Não me surpreendi quando a porta se abriu e Jaxon entrou. Eu caí na minha cama, olhando para o teto. "Jaxon, eu não posso fazer isso agora," falei, frustrada. Ele subiu na cama, e olhou para mim. Correu a ponta de seu polegar sobre meu lábio inchado. "Emerson, o que aconteceu?" "Eu caí. Estou bem, mas eu vou me atrasar para o trabalho, se não me apressar." Embora meu argumento fosse um pouco fraco, considerando, que eu não estava tentando me mover da cama. Tendo seu corpo lindo inclinando-se sobre mim de novo fiquei congelada de desejo. "Por favor, para de correr de mim," ele sussurrou. "Por favor, pare de tentar me pegar," eu disse levantando-me para sair. Ele agarrou minha mão e apertou. "Eu não dormi com ela. Tudo que fiz foi levá-la para casa. Ela ficou chateada, mas isso é tudo o que aconteceu." "Não há nenhuma razão para me dizer isso-" "Porra, Emerson, pare!", ele gritou, "Pare de fingir que não se importa. Por que você não deixa eu me aproximar? Por que não me deixa cuidar de você? Porque, por algum motivo enlouquecedor, eu quero!". "Eu avisei desde o início. Não me faça ser a pessoa ruim, aqui." "Emerson, eu sei que seríamos ótimos juntos. Você está com medo, e eu entendo isso. Eu juro que não vou ficar seriamente louco. Basta dar uma chance." Ele estava começando a me derrubar quanto mais tempo eu ficasse aqui. Eu precisava sair. "Estamos apenas nos divertido, Jaxon, é isso."


Ele abaixou a cabeça em suas mãos e beliscou a parte de cima do seu nariz. Eu ouvi ele inspirar e expirar lentamente enquanto silenciosamente estava em guerra consigo mesmo. Quando ele levantou a cabeça para me olhar nos olhos durante alguns segundos, eu não disse nada, então ele se virou e saiu do meu quarto. Ouvi Quinn e Cole falar com ele antes que a porta abrisse e fechasse. Por que cada vez que eu queria evitar machucá-lo, tudo o que eu fazia era machucá-lo mais? Quando eu tinha acabado de me vestir, voltei para a sala para pegar minha bolsa e as chaves. Cole e Quinn estavam deitados no sofá juntos e Jaxon tinha ido embora. "Vocês dois não olhem para mim desse jeito. Estou super feliz que vocês finalmente abriram os olhos e agora tem um ao outro, mas isso não quer dizer que seja o mesmo para todo mundo". Quinn me deu um olhar simpático e Cole parecia que estava morrendo de vontade de dizer alguma coisa. "Desembucha, Coley". "Você podia pelo menos explicar para ele por que você é do jeito que é. Ele é louco por você e eu sei que você também é por ele." Quando eu revirei os olhos, ele revidou: "Não me olhe assim, porque você está mentindo para si mesma se você pensa que não é verdade. Estamos todos aqui esperando VOCÊ abrir os olhos, lindinha." Normalmente o termo carinhoso era dito no tom de irmão mais velho amável, agora ele só parecia paternalista. "Eu fui honesta desde o início. EU NÃO TENHO RELACIONAMENTOS! Não é algo que vai mudar só porque um menino lindo entrou na minha vida." Quando eu virei a maçaneta para sair, Quinn sentou-se e disse: "Eu te amo, Emmy." *.*.*.*.*

Foi uma noite difícil no trabalho para mim. Eu não estava tão sedutora e agradável para os clientes como eu normalmente era. Até Ed veio e me perguntou o que estava errado e quando eu lhe disse que estava bem, ele deu de ombros e voltou para o seu escritório. Um dos frequentadores, Joe, veio até o bar para conversar comigo. "Ei, Em, seu namorado


bateu em você ou algo assim, o que está aconteceu nesse lábio inchado?" "Não, isso é minha estúpida culpa, eu caí," eu disse, apontando para o meu lábio. "Tudo bem, bem, se você precisar de mim para chutar o traseiro de algum idiota, é só me avisar", disse ele, enquanto erguia o punho para cima como se estivesse em um ringue de boxe. Joe tinha cerca de 75 anos de idade e mais magro do que a minha prima de doze anos de idade. Mas ele sempre me fazia companhia nas noites lentas no bar. Uma vez, ele me contou que sua esposa morreu de câncer há cerca de dez anos atrás. Eles ficaram juntos quarenta e cinco anos. Eu não sei como ele poderia ser tão feliz quando sua outra metade apenas o deixou aqui sozinho. "Hey, Joe, posso lhe fazer uma pergunta pessoal?" "Nenhuma pergunta é uma questão pessoal para mim. Pergunte," ele respondeu de volta, enquanto eu lhe servia uma Sprite, sua bebida de sempre. "Como você está tão feliz depois de sua esposa, sua melhor amiga, morrer? Eu não acho que poderia superar algo parecido. Eu sei que eu não poderia ser tão feliz como você é." "Você não me disse uma vez que você perdeu sua mãe e seu pai há alguns anos atrás, garota", ele perguntou. "Sim, senhor, eu perdi", eu respondi solenemente. "E, no entanto, você funciona perfeitamente bem. Eu vi você com aqueles três rapazes e aquela menina bonita Quinn aqui, você está sempre tão feliz quando eles estão por perto. Só porque alguém que você amou morre, não significa que o mundo acaba também." Quando ele percebeu que sua resposta não parecia ajudar, ele deu um longo suspiro e continuou: "O primeiro ano após a morte de Violet, me senti paralisado, como se ela tivesse congelado o tempo em torno de mim, quando ela partiu. Depois eu percebi que eu ainda estou aqui e posso continuar, ou permanecer no mesmo lugar para sempre e ser infeliz. Eu decidi continuar e viver a minha vida plenamente, porque eu faria Violeta fazer a mesma coisa se os papéis fossem invertidos.". "Parece tão fácil quando você fala assim," Eu suspirei. "Uma vez que você pensa sobre isso, é assim fácil." Ele sorriu para mim.


Ele acariciou minha mão e voltou para sua mesa de bilhar com sua bebida na mão. Eu me senti como um frango medroso. Eu estava com medo apenas de namorar com alguém, porque a ideia de perdê-lo no futuro era muito dolorosa. Eu não estava delirando completamente. Eu sabia que se eu permitisse, Jaxon e eu poderíamos ter algo formidável. Eu tinha tido provas disso já. Eu também sabia quão facilmente eu poderia estragar tudo e ele iria embora, me deixando abalada. No entanto, Joe ainda pode ser feliz depois de perder sua esposa de mais de quarenta anos. Em tempos como estes, eu ansiava o conselho da minha mãe. Ellie sempre me fez saber que eu podia me aproximar dela para qualquer coisa, e ao longo dos anos, ela tornou-se a minha mãe, de certa forma. Peguei meu celular e mandei uma mensagem para ela. Eu: Posso ir para casa por alguns dias? Ellie: Venha para casa hoje à noite, Eu vou ter chocolate pronto. Ninguém tem um madrasta melhor do que a minha. Ellie nunca tentou me forçar a falar sobre qualquer uma das minhas dúvidas. Ela estava sempre lá quando você precisava dela, a qualquer hora do dia ou da noite. Antes de sair, perguntei para Ed se teria problema eu tirar o restante da semana. Ele deu uma olhada no meu lábio inchado e assentiu. Eu quase disse a ele que meu lábio não tinha nada a ver com isso, mas eu decidi não forçar a minha sorte. Eu nem sequer iria voltar para o apartamento. Eu ainda tinha uma tonelada de roupas em casa que eu poderia usar quando eu chegasse lá. Eu: Quinny, eu estou indo para casa por uns dias, provavelmente durante toda a semana. Aproveite o apartamento sozinha com Cole. Beijinhos. Quinn: Venha me pegar, eu vou também. Eu: Não, eu sei que você tem um teste esta semana, você já me contou. Quinn: Se você precisa ir para casa, eu preciso estar com você. Eu: Ellie vai cuidar de mim. Não é nada sério eu só preciso me reanimar. Quinn: eu te amo. Eu: Beijos.


Eu cheguei em casa tarde naquela noite. Ellie e Charles viviam cerca de uma hora de distância do campus. Ela me disse que Charles estava fora em uma reunião de negócios, então ela ficou animada que eu decidi voltar para casa e fazer-lhe companhia. Ellie não tinha que trabalhar mais, porque Charles fazia mais do que suficiente para sustentar todos nós. Ela tinha que participar de um grupo de captação de recursos e jantares especiais com seu marido, assim isso era quase um trabalho em tempo integral por si só. Já estava escuro quando eu entrei na casa. Andei na ponta dos pés até as escadas e olhei para o quarto principal. Ela estava deitada na cama e quando ela me viu chegando, levantou as cobertas gesticulando para eu entrar. Eu imediatamente corri ao lado dela, ao mesmo tempo chutei meus sapatos. Eu adorava voltar aqui, porque era um lar para mim. Ellie sempre me fez sentir completamente confortável. "É bom ver você menininha", ela disse com uma voz cansada. "É bom estar de volta." Eu bocejei. Ela me acolheu e eu cai no sono rapidamente depois. *.*.*.*.*

Os primeiros dias em que estive lá, nós ficamos à beira da piscina, fizemos compras e comemos deliciosas refeições do centro da cidade. Ela adorava estragar Quinn e eu quando vínhamos para casa. Em certo ponto, Jace começou a enviar mensagens de texto para perguntar se eu estava bem. Eu sempre sorri para suas preocupadas mensagens. Quinn me ligava todos os dias para perguntar quando eu ia voltar e até mesmo Cole pegava o telefone para perguntar se ele poderia vir me buscar. Eu não ouvi falar sobre Jaxon, mas quem poderia culpá-lo. Eu não falaria comigo também depois de como eu tinha agido com ele. No sábado, eu sabia que tinha que voltar para o apartamento e para as aulas logo. Eu tinha faltado nas aulas durante toda a semana, e se eu não quisesse ser abandonada pelos meus professores, eu precisava comparecer em todas as aulas pelo resto do semestre. Eu também tinha que estudar um monte para compensar a semana que passou. Cole estava chateado que eu tinha perdido o jogo deles ontem, mas ligou na última noite para me descrever cada lance. Eu não tive coragem de dizer a ele que eu não queria ouvir sobre Jaxon marcando o tochdown vencedor de novo.


"Tudo bem, menina, é hora de confessar. Não que eu não ame um tempo sozinha com você, mas eu sei que você tinha aulas na semana passada. Desvenda o segredo", Ellie me disse à beira da piscina. "Eu sou apenas uma pessoa muito confusa. Eu não sei como lidar com a vida normalmente, como qualquer outra estudante universitária," eu suspirei. "Eu duvido muito disso, Emerson". Ellie nunca tinha realmente viajado no trem da Em ainda. "Sim, eu sou. Eu fiz todas estas regras para manter as pessoas distantes. Eu só queria me divertir com os caras. Eu não queria que nenhum deles chegasse perto e se tornasse algo sério. Eu não poderia ser deixada para trás mais uma vez como eu fiquei com a mamãe e o papai. Não só ambos foram embora e morreram ao mesmo tempo, mas pior ainda, eles estavam se traindo também." Eu nunca, nunca, cheguei e disse a palavra "traição" quando falava de meus pais para Ellie. Ela suspirou, "Eu gostaria de ter sabido tudo isso, Emerson. Eu supostamente tinha que ser capaz de ajudar você a ir em frente com sua vida. Talvez por não forçá-la a falar mais comigo, eu lhe permiti que você ficasse com isso. Primeiro de tudo, nós não podemos fazer nada sobre o fato de que eles morreram. Em segundo lugar, é claro que eu tenho sempre me perguntado por que eles estavam no carro juntos, mas não podemos simplesmente assumir que eles estavam tendo

um

caso.". Eu comecei a exibir minha opinião e dizer a ela, não poderia haver outro motivo. Ela me interrompeu. "O que é que tem se eles tinham. A vida pode machucar algumas vezes, mas você sabe o quê? Eu não teria trocado um único segundo que eu tive com o seu pai. Eu era feliz e ele me deu uma família maior do que eu tinha antes de conhecê-lo. Não reprima a sua vida por causa das escolhas que outra pessoa fez. Agora, pare de enrolar e me conta sobre o rapaz." Ela disse, enquanto sorria. "Cole tem uns amigos do Texas que se mudaram para seu apartamento com ele. Eles são irmãos gêmeos. Ellie, eles são tão gostosos!" Ela riu da minha empolgação. "Bem, qual deles chamou sua atenção, e por favor, não diga os dois ... eu não posso lidar


com isso", ela perguntou. "É claro que os dois chamaram minha atenção! Eu mencionei que eles são irmãos gêmeos idênticos?” Ela balançou a cabeça e sorriu para mim. "Qual deles fez você correr de volta para casa?" "Ok, ok. Jaxon é o que parece estar virando meu mundo de cabeça para baixo. Eu nunca me importei de machucar alguém. Com ele, eu sinto que estou fazendo de tudo para evitar machucá-lo, mas então isso é tudo o que eu acabei fazendo." "Bem, isso é fácil. É só não machucá-lo mais", ela riu. Deitei com as minhas mãos sobre os olhos e gemi, "Eu já fiz muitos danos agora. Ele não me disse nada durante toda a semana, e até mesmo seu irmão, Jace tem me mandado mensagens todos os dias para verificar se está tudo bem. Eu não gostaria de falar comigo também depois de como eu o tratei." "Querida, você já pensou que o irmão dele, está verificando você para o Jaxon?" Eu pensei sobre isso por um segundo. "É possível, mas Jace também é um cara muito legal." "Você só precisa ir para lá e deixa-lo saber que você está realmente arrependida, e quer dar-lhe uma chance." "Eu não posso fazer uma relação funcionar. Eu não sei como agir ou o que fazer. Eu sei que vou acabar arruinando isso de alguma forma." "Se esse cara te conhece, então eu tenho certeza que ele estará disposto a te dar uma chance", disse ela, enquanto piscava para mim. "Um relacionamento me assusta até a morte." "Eu sei, mas vai valer a pena. Eu prometo," ela respondeu, deslizando seus óculos de sol de volta para baixo e deitando de volta na espreguiçadeira. Peguei meu telefone e enviei uma mensagem para Quinn.


Eu: Estou voltando hoje à noite. Eu preciso fazer as coisas direito com Jaxon. Quinn: Err ... Me chama antes de fazer qualquer coisa relacionada ao Jaxon. Eu: Ok? Eu só vou falar com você quando eu chegar em casa. Quinn: Dirija com cuidado. Beijos.


Capítulo 9

Quem é ela?

Eu fui até os apartamentos e estacionei o carro. Estava tirando minha mala do bagageiro e vi o Jace descendo os degraus em direção a mim. “Ei, estanha, eu senti sua falta” Ele sorriu e me puxou para um abraço bem apertado. “Eu até acho que senti sua falta também” Eu confessei. Ele pegou minha mala e jogou sobre os ombros. “O Jaxon tá aqui?” “Sim, está, mas eu acho que ele tá ocupado no momento.” Ele respondeu estranhamente e subiu as escadas comigo para o meu apartamento. “Por que está todo mundo sendo tão estranho comigo quando eu menciono Jaxon?” Quando entramos no corredor, uma morena alta, em um curto e bonito pijama saiu do apartamento do Cole e eu ouvi o suspiro sob a respiração de Jace. “Ela está aqui por você?” Eu perguntei em um sussurro. “O inferno que não.” Ele respondeu irritado. “Ah” Foi tudo o que eu pude dizer Isso só podia significar uma coisa, porque eu sabia com certeza que ela não estava aqui pelo Cole. Meu estômago bateu no chão, junto com o meu coração. Imagine só, bem quando eu decido que talvez eu possa tentar um relacionamento deste tamanho, a pessoa que eu quero já está comprometida. Isso serve para aprender por ter sido tão chata com o Jaxon em primeiro lugar. Ele saiu e encontrou alguém que finalmente o queria. “Você deve ser uma garota de ouro, Em, todos os meus garotos falam de você” ela disse friamente para mim quando a abordamos.


“Audrey, nós não somos seus garotos, então dê meia volta e entre.” Jace disse a ela. Antes que algum de nós pudesse falar alguma coisa. Quinn apareceu na nossa porta, abriu e me puxou para dentro. Jace esgueirou-se atrás de mim antes que ela pudesse o expulsar. “ugh! Eu estava esperando que você chegasse sem encontrar “A diaba” disse Quinn. “Quem é ela? Eu perguntei calmamente, sem bem saber se queria a resposta. “Audrey” Respondeu Quinn em sua voz aguda cantada, que eu sei que significa que ela não gosta de alguém. “Bem, isso eu já entendi, mas o que está acontecendo?” Eu perguntei. Jace colocou minha mala na mesa de jantar e foi se juntar ao Cole no sofá. Eles dois olharam para mim de forma apocalíptica, foi ai que eu soube que algo não estava bem. “Esses caras não vão ajudar, acredite-me, eu venho os interrogando a semana inteira.” “Isso não é da nossa conta. É problema do Jaxon, baby”. Cole afirmou parecendo derrotado. Ela os ignorou e me puxou pelo corredor direto para meu quarto. Eu coloquei minha mala na cama e decide desfazê-la. Decidi trazer umas roupas que eu havia me esquecido em casa, e algumas mais que Ellie me deu enquanto estávamos fora fazendo compras. Ir para casa foi tão relaxante e eu sou grata de que eu pude ter Ellie só para mim. Eu só voltei para cá tem dois minutos, e eu já sinto como se todo relaxamento e segurança estivessem voando pela janela mais rápido do que eu podia pegar. Quinn sentou-se em uma cadeira azul que eu mantinha junto a minha mesa, enquanto eu me sentei na beira da minha cama. “Ela é a pior, Emmy. Eu me recuso até a ir ao apartamento deles enquanto ela estiver lá.” “Eu estou tão confusa. Eu não tenho nem ideia do que está acontecendo. Você deve se lembrar que quando eu viajei, Jaxon ainda estava afim de mim!” Eu respondi. “Eu não sei quem ela é, ela apareceu no inicio da semana. Cole disse que ela frequentou o ensino médio inteiro com todos eles, e que ela tem um passado com o Jaxon. Esse código de amigo idiota impede que eles falem alguma coisa. Eu não consegui segurar Jaxon o suficiente para


perguntar. É tão frustrante. Eu mal falei com o Cole a semana inteira. “ok, primeiro de tudo Quinn, era para você ter aproveitado esse final de semana com o apartamento livre, só você e Cole.” Eu gritei para ela. “Eu não me importo em que tipo de drama Jaxon se encontra, você precisa fazer as pazes com o Cole,”. Eu pulei para fora da cama a gritei a Cole pelo corredor. Eu ouvi Quinn gemer atrás de mim, mas eu sabia que era para o seu bem. Cole veio até o meu quarto, ele parecia muito sobrecarregado. Quinn não estava sendo fácil com ele. “Venha até aqui. Bonitão”. Eu bati no canto perto de mim na minha cama e ele pulou bem ao meu lado. Eu agradeci quando ele tirou os sapatos, para que não estivessem em meu tapete branco. Cole ficou encarando a porta, “Ems, eu já disse isso para Quinn umas mil vezes, não é minha função te contar todos os problemas de Jaxon, e eu não tenho nem ideia porque ela está aqui agora.”. “Vamos ser diretos. Eu vou entender o que aconteceu quando eu finalmente falar com o Jaxon. Mas, agora, eu não posso me preocupar com nada disso. Você e a Quinn estão sendo estúpidos. Quinn, não fique brava sobre o que está acontecendo com Jaxon e respeite que Cole não vai fofocar.” Eu implorei a ela. “Tudo bem...” Ela falou quieta. Cole sorriu como se eu tivesse tirado um grande peso de seus ombros. Ele veio até a Quinn, a pegou e a colocou em seu colo na cadeira. Eu caí de costas na minha cama e suspirei. Jace deslizou para trás, deitando ao meu lado e olhando para mim com as mãos apoiando a cabeça para cima. Cole tinha começado a percorrer o corpo de Quinn com suas mãos. Claro, ele não devia ter tido muito disso essa semana, com uma Quinn toda estressada. Eu estalei os dedos para que eles parassem com isso. “De jeito nenhum, isso não vai acontecer na minha frente.” Eu apontei para a porta. “Desculpa, Emma, conversamos mais tarde.” Ela sorriu para mim e eu assenti.


“Eu te amo loucamente, Ems. Eu sabia que tinha que ter ido e te trazido de volta.” Falou Cole, saindo pela porta com Quinn. “Meu Deus, você teve que escutar “isso” durante a semana inteira?” Eu olhei para Jace, dando a ele meu melhor olhar de compaixão. “Não, estava pior. Eu tive que escutar eles brigando e ficando sexualmente frustrados um com o outro. Mas era melhor do que ficar na porta ao lado.” Ele gemeu. Eu não sabia como responder essa última parte. O que estava acontecendo na porta ao lado? Será que esses dois passam a semana inteira sozinhos naquele apartamento? Se este era alguém do passado de Jaxon e ele estava a deixando ficar com ele a semana inteira, eu não podia competir com um amor do passado. Do jeito que Jace estava deitado na minha cama, eu podia ver debaixo da sua camisa através de sua clavícula, uma familiar linha preta a tocando. Eu deslizei meu dedo em sua clavícula e puxei sua camisa até seu ombro. “Você tem a mesma tatuagem que Jaxon? Isso é uma regra? Se um dos gêmeos faz uma tatuagem o outro tem que fazer também, para que eles permaneçam idênticos?” Eu perguntei, chocada. Ele ria do meu rosto em choque “Não, Em, não penso que é uma regra. Nós só a fizemos juntos depois que nosso pai morreu. Se você olhar de perto, elas não são exatamente idênticas, mas de longe, elas se parecem iguais. “Eu não tinha a menor ideia que o pai de vocês tinha morrido.” Esse era um território difícil para mim. “Eu supunha que você não sabia. Jaxon nunca fala sobre isso.” “Quando aconteceu?” “Quando tínhamos dezessete anos, ele foi a uma viagem de negócios no Colorado, e seu avião teve falha na engenharia do motor e caiu. Jaxon ficou meio selvagem depois disso. Nossa mãe meio que o deixou sair, porque ela sabia que ele estava de luto. Ele vem melhorando muito, desde então. Ele parecia bem feliz quando chegou aqui, muito mais feliz do que eu jamais havia o


visto. Eu não posso evitar de pensar que tenha algo relacionado a uma certa loira frustrante.” Ele riu e me cutucou. “Meus pais morreram quando eu tinha quinze anos. Eu posso entender o que é ficar selvagem depois de algo como isso acontecer.” Eu respondi tristemente. “Você contou ao Jax?” Eu balancei a cabeça e continuei encarando o teto. “Vocês realmente precisam conversar mais.” Ele replicou. “Ela está ficando aqui?” Eu sabia que eu não precisava dizer sobre quem eu estava falando. Não era da minha conta, mas eu esperava que Jace pudesse me ajudar. “Em, mais cedo você disse que tinha algumas dúvidas quando você chegou aqui e elas obviamente não arrasaram você.” Ele falou, ignorando minha pergunta. “Você voltou para fazer as pazes com Jaxon?” A sua voz se tornou séria, mas seu rosto não parecia chateado. Eu rolei sobre meu estômago para esconder meu rosto com o braço. Eu só queria esquecer essa coisa toda que tinha acontecido com o Jaxon. Eu desejei que eu pudesse ignorar o fato que eu desenvolvi todos esses sentimentos por ele, que eu decidi baixar minha guarda e agora a porta estava sendo batida na minha cara. Eu sabia que Jace não deixaria a perguntar passar. “Está tudo bem se você veio.” Ele falou, interrompendo meus pensamentos. “Eu acho que você deve conversar com ele, ele realmente precisa escutar o que você tem para dizer.” “Como você disse mais cedo, ele está ocupado.” Eu respondi em um tom cortado. “Ligue para ele, mande mensagem, encontre com ele em algum lugar. Por favor, só diga a ele. Eu não sei por que Audrey está aqui, mas ela é ruim, e ele não precisa dela em sua vida de novo”. “Nós somos vizinhos, nós assistimos aula juntos. Eu tenho certeza que eu vou encontrar com ele em algum momento. Enquanto isso, prometa que você não vai dizer a ele que eu voltei. Isso se ele souber que eu fui, em primeiro lugar.” “Oh, ele sabia.” Ele virou de costas com os braços parados no ar. “Eu não entendo vocês


garotas. Eu pensei que entendia, mas garotas da Califórnia parecem que estão em outro nível de entendimento.” Ele resmungou. “Eu acho que nós não nos entendemos também. Eu tenho certeza como o inferno que não sei o que fazer comigo.” Eu afaguei seu peito e me sentei. “Ele pergunta por você todos os dias.” Eu assenti com a cabeça, “Eu pensei que é por isso que você me enviou uma mensagem.”. “Eu te enviei uma mensagem porque você é minha amiga, Em, mas ele também precisa de paz.” Eu acariciei sua perna, “Tudo bem, Jace.”. “Se importa se eu ficar aqui mais um pouco? Eu preciso estudar e a voz da Audrey é para mim como unhas arranhando o quadro-negro.” “Claro, nós não nos importamos. Durma no sofá se quiser.” Eu não gostava da ideia de Jaxon ter o apartamento inteiro para ficar sozinho com ela, mas eu não podia jogar Jace para os lobos. “Que doce, obrigada, Em.” Ele sorriu.


Capítulo 10

Soltando uma bomba

De alguma maneira eu consegui evitar o Jaxon por mais três dias. Eu não sabia se era porque eu sabia ser evasiva, ou era porque ele estava ocupado com a Audrey. Eu esperava ser a opção número um. Eu aparecia atrasada para nossa aula e dava um jeito de sentar sempre nos fundos. Sempre tinha minha mochila nas costas pronta para ir embora antes da aula acabar, então eu poderia sair sem que ele me visse. Eu não fazia ideia se ele sabia que eu estava sentada nos fundos da sala ou não. Jace nunca me falou se ele o perguntou. Eu estava atravessando o pátio rumo à lanchonete na quarta-feira depois da aula de biologia. Eu percebi que Jaxon estava sentando sozinho debaixo da árvore de carvalho. Ver ele só confirmou como eu senti sua falta nessa uma semana e meia que se passou. Ele estava tão concentrado deitado na sombra da árvore. Vestindo um jeans azul e uma camisa de manga longa vermelha que dava a aparência de sua pele estar bronzeada. Seu cabelo escuro estava debaixo de um boné preto todo bagunçado no topo. Ele não tinha reparado em mim porque estava lendo um livro. Aproximei-me dele debaixo da sombra. Eu vi que ele finalmente me percebeu quando ele passava a página do livro. Seus olhos trilharam minhas pernas para minha saia de brim, e eu jurei que ele deixou um trilho de arrepio enquanto ele direcionava seu olhar para meu rosto. O seu sorriso sexy afetado em seu rosto estava quase me desfazendo. “Eu estava imaginando se você nuca falaria comigo de novo, Em.” ele finalmente falou. Ouch. “Não faça isso. Não me chame de Em como todos fazem, você nunca me chamou assim antes.” Eu falei calmamente. “E eu não sou exatamente como os outros para você?” Ele não me deixaria escapar dessa facilmente. Eu havia o machucado com a minha


rejeição e eu precisava consertar isso. Ele merecia saber que ele estava certo o tempo todo, que eu só estava com medo. Quando ele me chamou para sair e eu fugi dele e de nós, ele foi preciso, e eu não gostava disso. Eu me ajoelhei na grama mais graciosamente que consegui com minha saia. Eu queria olhar em seus olhos azuis e me desculpar. “Jax-” “Aí está você!” Eu escutei uma garota interrompendo-me enquanto caminhava pelo pátio. Eu virei para ver que era Audrey com seus cachos castanhos desde o começo da sua cabeça. Jaxon praguejou por baixo de sua respiração e fechou seu livro. Merda, agora ela frequenta a nossa escola ou algo assim? Eu olhei para ver o rosto do Jaxon, dando a ele um olhar interrogatório. Ele estava muito ocupado dando a ela um olhar questionador. “Eu estava procurando o tempo todo você, Jaxy.” Eca, eu odiei imediatamente o apelido. Eu não sabia se era porque saia da boca dela, ou era porque era ruim em seu todo, mas eu não queria ouvir isso. Eu me levantei e peguei minha mochila da grama atrás de mim. “O que você está fazendo aqui, Audrey? Eu disse que eu voltaria para encontrar você no apartamento depois da aula.” Ele pareceu frustrado. Eu percebi que ele virou seu boné para traz e se levantou. Eu acho que seu quieto consolo estava sendo interrompido agora. “O que? Eu não posso passar um tempo com o meu marido? Além disso, não me parece que você está na aula de qualquer maneira.” Ela falou olhando diretamente para mim. O que diabos ela acabou de chamar ele? “Marido”? Eu engasguei olhando para o Jaxon. Ele casou? Ele estaria casado quando dormimos juntos? Eu comecei a me afastar de ambos. “Audrey, cala a porra da sua boca!” Jaxon gritou. Ele apertou a ponta de seu nariz e quando ele trouxe a mão através de mim, eu balancei minha cabeça e continuei andando. “Emerson, por favor”. Eu não olhei para trás e muito menos respondi, mas eu podia escutar a distancia ele conversando em tom áspero com a Audrey. Eu não podia acreditar no que estava acontecendo. Quem diabos se casa na faculdade ou isso aconteceu antes da faculdade? Como Jaxon podia caçar outras garotas enquanto estava casado?


Corri até o estacionamento, com a intenção de ir direto para casa ou pegar um ônibus se houvesse algum a espera. Aqui eu estava mais uma vez fugindo de Jaxon. Quando eu saí do estacionamento, Jace estava sentando na caçamba de sua caminhonete lendo quatro livros diferentes. Quando ele olhou para cima e viu meu rosto, ele pulou dos fundos da caminhonete e correu até mim. Ele agarrou meus ombros e me endireitou para olhar diretamente nos meus olhos. “Ele é casado?” Eu gritei para ele. Suas mãos caíram e ele se afastou “Merda...”. “Eu não me importo com o tipo de código de amigos que vocês têm, mas você acha que algo deveria ser feito agora?” Eu comecei a andar novamente. Meu corpo estava impaciente, como se eu não pudesse controlar essa dor que estava me consumindo. “Eu não me importo mais. A situação toda desse relacionamento já machuca demais e olha que nem começou. É exatamente por isso que eu não queria ir por esse caminho, por isso que fiz regras. Eu desisto.” Eu gritei. “Pare por apenas um segundo, Em. Deixe-me pelo menos levar você em casa, e podemos conversar sobre isso. “Ele suplicou “Esqueça, Jace. Depois a gente se vê. Eu prefiro ir andando agora.” Eu continuei .andando para fora do estacionamento e ele não me seguiu. Na minha volta eu decidi ligar para Quinn, esperando que ela estivesse disponível para me atender. Ela atendeu ao terceiro toque e pude perceber que eu a interrompi, porque ela me pediu para esperar em um sussurro. “E aí, Emmy?” “Audrey chamou Jaxon de seu marido.” “O QUE??? Ela guinchou. “Emmy ela é uma vadia maluca, fale com o Jaxon.” “Quinn. E se ele for casado?” “Eu vou matar o Cole. Eu tenho que ir, mas eu vou te ver em casa mais tarde.” “Até mais.”


Eu devia me sentir mal pelo Cole, mas dessa vez não me senti. Ele devia ser meu melhor amigo, ele não devia cuidar dos meus interesses? Um quilômetro que andava de volta para o meu apartamento estava mais longo do que devia estar. Eu só queria deitar na minha cama e lastimar por algumas horas. Então eu secaria meus olhos e seguiria adiante. Isso não era eu, eu não fico chateada com ninguém, mas por agora, eu só precisava de algumas horas para sentir pena de mim mesma. É legal ter amigos próximos. Eu amo, eu realmente amo, mas você fica totalmente sem privacidade ou momentos de solidão. As pessoas se sentem confortáveis vindo até mim a qualquer hora. Especialmente Jaxon. Eu estava deitada na minha cama com meus fones de ouvido e olhos fechados, escutando um rock enraivado, porque isso sempre me tira do meu mau humor, quando eu escutei minha porta batendo. Meus olhos pularam para ver Jaxon em pé diante da minha porta fechada. Parecendo extremamente lívido. Todo lado direito de seu rosto estava vermelho como chamas e ele tinha um enorme corte acima de sua sobrancelha direita que estava pingando sangue por seu rosto. Já estava se espalhando por sua camisa. Eu também percebi que suas mãos estavam como se estivessem em uma briga. Eu pulei da cama para procurar uma toalha para colocar em seu rosto. “Oh meu Deus, o que aconteceu com seu rosto?” Eu chorei, arrancando os fones de ouvido das minhas orelhas. Eu tirei uma toalha do meu guarda-roupa e voltei para ajudar ele a se limpar. Ele me agarrou e colocou sua boca junto a minha. Por um momento eu esqueci a rejeição, sua “mulher”, e até seu rosto ensanguentado. Só existia ele e eu, e nada entre nós. Eu sentia tanta falta dele. Eu sentia falta do seu corpo debaixo de minhas mãos. Antes que eu estivesse preparada ele me empurrou e parou o beijo. “Você está pronta para me escutar agora?” ele me perguntou em uma voz rouca e eu podia dizer que o beijou fez o mesmo efeito que fez a mim. “Deixe-me pegar alguns curativos para te limpar antes.” Eu saí do meu quarto antes que meu rosto pudesse ficar mais vermelho do que o dele. Eu peguei todo o quite de primeiros socorros que Quinn tinha no banheiro. Quando eu voltei para o meu quarto, ele estava sentando na cadeira junto a minha mesa e


eu peguei sua camisa. “Tire-a.” Seu ombro machucado estalou com meu pedido, contudo ele sorriu com minha demanda. “Sua camisa está sendo arruinada pela sua cara estúpida sangrando por todo lugar.” Eu respondi para seu olhar chocado. “Ela já é vermelha, quem se importa?” Ele perguntou, mas ele a tirou pelo pescoço de qualquer maneira. Eu amo a maneira que ele tira sua camisa pela cabeça. Demorei um tempo para me conter de percorrer minhas mãos por seu abdômen até o seu pescoço. Eu queria colocar meus lábios na sua tatuagem, bem no seu ombro direito. “Você vai me contar como a metade da sua cara foi arruinada?” “Você vai falar comigo ou vai fugir?” “Touché. Eu vou falar com você.” Respondi, limpando quietamente sua sobrancelha. “Você provavelmente deveria levar pontos.”. “O inferno que não. Eu não preciso de pontos, só coloque um curativo ai.” Ele pegou meus quadris e me colocou em seu colo com minhas pernas em volta dele. Eu instintivamente peguei seus ombros para me segurar. Quando eu dei a ele um olhar questionador, ele encolheu os ombros. “Só para que você possa olhar mais de perto, enfermeira Emerson.” O jogador Jaxon era difícil de resistir. Eu tapei seu corte acima de sua sobrancelha enquanto lembrava a ele que ele tinha algumas explicações para dar. “Eu estava indo pelo estacionamento para encontrar você, quando aquele idiota do Cole veio furioso gritando comigo. E ele começou a socar minha cara. Ele estava puto.” Ele deixou escapar um sorrisinho. “Eu sabia que ele tinha o direito de estar com raiva, então eu não parei ele. Jace pulou para me dar uns socos também. Eu percebi que ele estava com raiva de mim também. “Cole fez isso?” Eu o interroguei.


O corte estava realmente fundo, eu não tinha duvidas que precisava de pontos. Uma vez eu havia aberto o armário da cozinha e um copo de vidrou voou ate meu rosto do topo do armário. Fez um corte através da minha bochecha bem debaixo do meu olho. O médico do pronto socorro não queria dar pontos tão perto do meu olho, então ele me mandou para casa com um curativo em forma de borboleta. Eu ainda tenho uns guardados para que eu possa usar em sua sobrancelha para segurar o corte bem próximo para cicatrização. Tenho esperança que não acabe com uma cicatriz ou uma infecção. “Bem, eu acho que ele finalmente ficou cansando de tanto a Quinn encher a cabeça sobre mim, porque ela ficou puta com ele também por ele não ter lhe falado sobre Audrey. Cara, não se meta entre o garoto e sua garota.” Eu gruni. “Eles mal começaram e nós continuamos ferrando para eles. Eu sou uma péssima amiga.” Eu continuei enxugando o sangue e tentando gentilmente tirar a parte que já estava seca na pele. Quando já estava tudo limpo, eu passei suavemente pomada pelo corte. Ele continuou sentado e quieto, observando meu rosto enquanto eu trabalhava. De vez em quando ele fazia contato visual e eu tinha que me forçar a quebrar o olhar antes que começasse algo e eu não fosse capaz de parar. Eu precisava saber quem era Audrey e ele ainda não tinha me dito. Ele ainda estava me encarando nos olhos enquanto eu puxava seu corte bem junto e colocava o curativo para que pudesse firmar bem a pele no lugar certo. Quando estava pronto, eu larguei minha mão em meu colo. “Eu não sou casado, Emerson”. Eu lentamente soltei o ar que nem percebi que estava segurando. “Eu era casado.” O ar que tinha soltado foi sugado novamente de volta. Ele deitou sua cabeça em meu ombro. Eu presumo que ele não viu meu rosto em choque. “Eu já te disse que eu não tenho direito de julgar ninguém. Eu fui um idiota.” Ele levantou sua cabeça para olhar para mim. Sua expressão parecia triste e culpada. Eu tracei as linhas do seu rosto gentilmente, tomando cuidado com os cortes. “Eu fiquei um pouco louco no ensino médio e comecei a namorar Audrey. No meu último ano, logo depois de completar dezoito anos, ela engravidou. Ela estava tão puta comigo e me pressionou a consertar o que fiz. Eu não pude dizer a ninguém. Eu estava decepcionado comigo mesmo. Eu não disse a minha mãe e muito menos para


o Jace. Eu fugi com ela para me casar, já que nós dois tínhamos dezoito anos. Eu achei que essa era coisa certa a fazer já que ela ir ter meu filho.” Ele deitou novamente sua cabeça em meu ombro. “Uou, um filho” Eu suspirei, eu não conseguia imagina ter um filho aos trinta, imagina aos dezoito. “Se você não está mais casado, o que aconteceu?” Perguntei. “Bem, depois que voltamos do casamento, eu disse a minha mãe. Ela soprou uma maldição, me chamou de idiota de várias maneiras diferentes que ela pode imaginar. Depois ela se acalmou e me perguntou se eu tinha certeza que o bebê era meu. Eu nunca havia pensado sobre isso. Nunca me passou a ideia de que Audrey me trairia. Santa merda, eu fui um idiota.” Essa história toda estava uma bagunça. Eu odiava a Audrey mais ainda por pensar onde essa história estava indo. Eu queria achar ela agora e dar um soco ou dois na sua cara. Ou doze. Quem em sua sã consciência trairia esse carinhoso e lindo homem sentado na minha frente? Ele levantou sua cabeça. “Depois de muita relutância por parte da Audrey, nós finalmente concordamos em fazer um exame de paternidade, e se comprovou que o filho era do seu casado professor de física e não meu. Ela meteu todo mundo nessa confusão. Não que nosso professor não fosse igualmente culpado, e eu, por alguma razão. Minha mãe achou um advogado para anular meu casamento alegando fraude da parte da Audrey. Depois de ter meu casamento anulado, o treinador Chase jogou ao vento tudo e foi quando ele tirou minha bolsa escolar e me colocou fora do time por dois anos. Ele me disse que se eu colocasse minha vida em ordem antes do meu primeiro ano, eu poderia voltar aqui. Minha mãe fez seu melhor. Ela tinha tomado conta de tudo antes de eu me formar, mas o treinador não se arrependeu da decisão sobre minha bolsa escolar para meu primeiro ano.”. Ele soltou uma respiração de alívio, e seus ombros relaxaram, como se ele se sentisse bem depois de contar tudo. Cole devia estar mais feliz com ele por agora também. “Estou feliz de que você não é realmente casado.” Eu lhe dei um pequeno sorriso. “E por que é isso?” Ele falou em um suspiro na minha orelha. “Porque a ideia de dormir com alguém casado me assusta muito.” Eu respondi quase sem folego. “Bem, então é muito bom que eu não seja casado, hein?” Ele começou a me beijar por de


traz da minha orelha descendo pelo meu pescoço. Minhas pernas impulsivamente apertaram em volta de seus quadris. Eu senti suas mãos subindo em torno das minhas pernas, movendo minha saia para cima enquanto parava em volta da minha cintura, e ele me apertou por traz. Ele finalmente moveu sua boca na frente da minha e alcançou meu lábio prendendo-os entre seus dentes. O espaço entre minhas pernas tremeram quando eu o escutei gemer. De repente, ele apertou minha cabeça mais forte para trás e enfiou a língua através da minha me deixando sem ar. Enquanto continuávamos nos apressando, eu empurrei para trás. “Calma, pare.” Eu engasguei. Ele colocou sua cabeça no vão do meu pescoço a amaldiçoou. “Você só vai me deixar aqui e depois vai para a cama da Audrey depois disso, isso meio que mata o clima para mim.” “O que diabos? Não, eu nunca faria isso. Eu nunca faria isso com você, e eu nunca tocaria nela novamente.” Suas sobrancelhas se levantaram em um olhar de nojo. Sua expressão me fez gargalhar. “E por que ela estaria vivendo em seu apartamento, então?” eu perguntei ainda mais confusa. Ele disse frustrado. “Ai, já faz três anos e essa garota continua estragando tudo. Ela apareceu aqui esperando que eu a aceitasse de volta. Eu supostamente tenho que esquecer que ela tem um filho com outro cara, que ela me traiu, e pensar o quanto ela é nojenta. Eu tentei a semana inteira a tirar daqui. Ela finalmente comprou uma passagem de avião, mas só sai amanha pela manhã.” Com isso meus dedos dançaram através da sua cintura para o cos da sua calça. Eu podia o sentir através do brim do seu jeans e eu estava finalmente cansada de falar sobre essa garota. Ele se levantou para capturar minha boca. “Humm, Emerson, eu senti sua falta.” Ele disse em um gemido. Ele levantou minha blusa sobre minha cabeça “Eu também senti sua falta” eu disse entre


os seus lábios. Ele me levantou com uma mão, enquanto tirava seu cinto com a outra e puxava sua calça e sua cueca para baixo. No momento em que senti sua ereção entre minhas pernas, eu deixei escapar um suspiro. Quando eu me inclinei para abrir a gaveta na minha mesa, ele alcançou meus dedos e me manteve em meu lugar. Eu continuei alcançando a gaveta e quando eu a abri, eu peguei um pequeno pacote. Ele rapidamente tomou de mim e o rasgou. Ele alcançou minha calcinha e a rasgou em dois pedaços e ela caiu no chão. “Eu sei que tudo o que você quer é que sejamos amigo. Eu prefiro ser isso do quer ter você fugindo o tempo todo.” Ele sussurrou em meu ouvido, enquanto deslizava dentro de mim. Merda, isso não estava indo onde eu esperava que fosse, eu passei meu tempo inteiro dando a certeza que nós seriamos apenas amigos, como ele saberia que seria diferente agora? Eu sabia que eu não poderia ter esse tipo de conversa agora, ou se eu soubesse seria o fim. Eu nunca fui a namorada de ninguém, e nunca fui pedida para ser. Como eu podia deixar ele várias vezes e esperar que ele fizesse o oposto? Eu senti seu braço puxando meu queixo para cima para olhar nos meus olhos. “ei, nunca ninguém te disse como você pode estragar o ego de um cara quando a garota fica olhando para o espaço durante o sexo?” Eu fiquei em meus joelhos para o esmagar de novo, e me inclinei para o beijar e disse. “Eu estou aqui.” Trinta minutos depois, eu estava tendo um colapso no peito de Jaxon, deitando minha cabeça em seu ombro, arqueando. Ele estava com a cabeça jogada para trás na cadeira, igualmente desgastado e sem ar. Ele estava deslizando seus dedos logo atrás da minha nuca. “Ei, então por que você veio até mim no pátio nessa tarde?” “Hum, eu só precisava pegar meu livro de jornalismo de volta, eu estou muito atrasada.” Eu disse, amarelando. “Eu vou pegar ele para você.” Ele disse inclinando-se para mim e olhando sobre meu ombro. “Merda, em algum momento devíamos ter nos mudado para cama, devia ter sido mais fácil para suas pernas.” Ele disse com um ar pesaroso.


“A hora que você quiser.” Eu disse me acomodando em seu peito. Ele de repente me levantou, nos mudou para a cama e me empurrou de costas. Ele caiu de costas na cama comigo por cima e me virou. Quando ele se posicionou em cima de mim, eu gargalhei. Eu não quis dizer naquele momento, mas a maneira que ele estava olhando para mim, me deixou pronta para ir novamente. Ele puxou minha saia para que ela saísse pelas minhas pernas, ele a jogou no chão e começou a beijar meu pescoço.


Capítulo 11 Apenas eu?

O próximo mês e meio se passou irritantemente normal. Eu estava sendo uma grande covarde. Eu só não tive a coragem de confessar para Jaxon que eu tinha verdadeiros sentimentos por ele, e que eu queria dar uma chance para o relacionamento. Então, nós apenas continuamos sendo amigos, não importando o quão irritante era para mim. Eu tive que fazer uma tonelada de milhas sexualmente frustradas no mês passado. Eu estava esperando que a alta da minha corrida fizesse compensar a falta de outros altos. Mas eu não poderia mesmo chegar a esse momento recentemente, enquanto batia o pavimento. Eu corri mais e mais rápido, fazendo qualquer coisa para ter essa sensação, mas eu acho que a minha corrida alta e meu desempenho sexual foram conectados de alguma forma. Eu encontrei prazer nas noites em que eu não estava trabalhando e Jaxon estava. Eu sempre ficava em casa para escutá-lo no rádio. Ele não recebia muitas chances para falar, porque o DJ principal da rádio fazia a maior parte do bate-papo, enquanto ele corria ao redor do escritório fazendo recados. Mas quando o fazia, eu aconchegava mais perto, ouvindo aquela voz magnífica. Foi reconfortante, mesmo que ele não estivesse realmente falando comigo. Jaxon e eu ainda saiamos antes e após as aulas, e ele vinha para estudar algumas vezes por semana. Eu fazia o almoço no nosso curto dia juntos, e às vezes eu ia mesmo fazer o jantar para todos os cinco se eu não estivesse trabalhando. Nós paquerávamos muitas vezes na parte da tarde, enquanto todos estavam na escola, mas não tivemos relações sexuais novamente. Eu não tinha certeza do por que era assim, nós apenas nunca chegamos tão longe. Acabei perdendo mais um jogo para fazer as pazes com Ed por ter sumido por uma semana inesperadamente. Eu consegui ver todos os que vieram depois disso. Atualmente, estávamos invictos e era divertido ver como Dalton pensava que Jaxon era seu melhor amigo agora. Tenho certeza de que não tinha nada a ver com o quão bom Jaxon fez parecer. Toda festa que nós fomos, Dalton o puxava para ser uma espécie de ala para ele.


Quinn e eu tínhamos ido de volta para casa para os curtos, quatro dias de pausa de Ação de Graças. Foi bom ter esse tempo com Ellie e Charles. Eu estava realmente ansiosa para passar um tempo sozinha com Quinn, mas ela chorava o tempo todo, deprimida com a falta de Cole. Ele tinha ido para casa com Jace e Jaxon ver suas famílias. Eu não sei por que nenhum deles se preocupou de ir para casa, porque eles passavam a maior parte do seu tempo ao telefone juntos. Eu ligava para Jaxon ocasionalmente, quando eles foram embora e ele parecia estar ocupado quando ele atendeu então eu o deixei ir logo em seguida. Ele me mandou mensagens algumas vezes, mas, em geral, nada estava acontecendo entre nós. Tínhamos ido a um monte de festas de fraternidade ao longo dos últimos meses. Cole e Quinn normalmente dançavam juntos o tempo todo que eles estavam lá. Jaxon saia sorrateiramente pela multidão dançando e conversando com todos. Jace aparecia e desaparecia, ele não era um grande festeiro. Era uma segunda natureza para eu ir encontrar algum garoto fraterno e subir com ele para se divertir. Uma parte de mim queria ter de volta a velha eu, que pudesse me acertar com um cara gostoso e em seguida, voltar a apreciar a minha noite. Desde Jaxon, eu simplesmente não conseguia seguir em frente e isto foi além de frustrante. Eu iria para o andar de cima com eles e começaria a dar uns amassos. Mas por alguma razão, eu não conseguia fazer com que meu corpo fosse mais longe. Normalmente, após cerca de dez minutos tentando fazer algum progresso que não era recíproco, ou quando eles se cansavam do meu período de rejeição, eles se levantavam e me deixavam lá. As primeiras vezes que isso aconteceu, eu tentei mover-me sorrateiramente ao descer as escadas sem que as pessoas me vejam fazer a minha caminhada da vergonha. Mesmo que eu realmente não tinha feito nada, todo mundo aqui sabia da minha reputação. Eu estava principalmente tentando evitar Jaxon, isto parecia errado, ele ficar sabendo que eu estava com outro alguém. Depois que eu tinha finalmente conseguido voltar para baixo, ele acabaria sempre vindo me procurar para certificar-se de que eu estava bem. Eventualmente, eu parei de me importar se ele me via descer ou não. Seus olhos sempre me seguiam quando eu estava descendo as escadas e ele me dava o sinal de "ok" com os dedos. Eu sempre devolvia, gesticulando que eu estava bem. Eu


sou uma grande mentirosa. Depois do feriado de Ação de Graças, eu estava muito frustrada, tinha se passado muito tempo desde que eu tive relações sexuais. Eu estava determinada que, se eu não ia tomar coragem e falar com Jaxon, eu precisava ir para a cama com alguém. Estávamos todos no Sig Alpha, "Bem-vindo de volta de Ação de Graças, vamos ter uma festa da fraternidade”. Sério, qualquer motivo para beber, dançar e fazer sexo, esses caras viriam com uma festa para isto. Eu tinha ido lá em cima com Easton, um dos caras do futebol/fraternidade e ele tirou a camisa no instante em que entrou na sala. Eu não tenho certeza o que eu estava pensando, Easton e eu tínhamos ficado antes. Eu não me lembro de ele ter uma tatuagem em seu bíceps, mas talvez eu estivesse bêbada demais para perceber da última vez ou era nova. Eu estava determinada a seguir adiante, mas no segundo em que eu peguei um vislumbre da tatuagem eu não conseguia tirar os olhos dela. Isso me lembrou muito de Jaxon, só que Jaxon era dez vezes mais gostoso. Então eu comecei a pensar em tudo que faltava em Easton em comparação com Jaxon. Eu estava sentada na beira da cama e ele veio com os braços em cada lado de mim, prendendo-me ao beijar meu pescoço. Eu o deixei ir por um tempo, na esperança de que o meu desejo sexual fosse aflorar. Por favor, apenas volte ao normal novamente, Emerson. Depois do que pareceram cinco horas, embora provavelmente fosse apenas cinco minutos de avanços mais difíceis, eu finalmente consegui que ele saísse de cima de mim com um soprar frustrado de ar. "Foda-se, todos. O que está acontecendo de errado com você?" Easton rosnou. "Eu não faço ideia." Ele sentou-se, puxando sua camisa de volta em cima da cabeça. "Costumava ser tão fácil com você. Você não era uma daquelas garotas que precisavam de melação.” Eu não sei por que ele parecia tão frustrado. Eu não era a única com quem ele poderia ter relações sexuais. Eu sabia que ele ia pegar outra garota antes que a noite terminasse. Eu? Eu ia continuar mais uma noite insatisfeita. Passei por ele e bati a porta do quarto no


caminho da saída. No corredor, Jace estava de costas contra a parede com uma loira inclinando-se para ele, beijando seu pescoço. Quando ele viu meu rosto, levantou-se ereto e balançou quem estava agarrado ao seu pescoço com as mãos em seus ombros. "Está tudo bem, Emmy", ele perguntou preocupado. "Eu estou bem, Jace, não pare por minha causa." Fiz um gesto para a sua paquera. Quando desci as escadas, não havia Jaxon à vista. Esse foi provavelmente o melhor porque se ele tivesse me dado o sinal de "ok", eu provavelmente teria lhe dado o sinal do "dedo do meio" de volta por me xingar. Eu fui para a cozinha para encontrar a tequila e um copo. Quando você dorme com um cara fraternal, eles geralmente acabam mostrando onde eles guardam as coisas boas, ou talvez eu só soubesse pedir. Os Sig Alphas mantém os deles escondidos na máquina de lavar, porque quem diabos precisa de um daqueles enquanto você só come fora de caixas de pizza e bebe em copos de plástico vermelho. Eu estava jogando de volta o meu primeiro tiro quando Easton veio batendo até a cozinha passou por mim para ir direto para o pátio. Olhei pela janela da cozinha e notei que tinha um grupo de rapazes sentados lá fora, bebendo, fumando e conversando. Vi Cole e Jaxon com garrafas de cerveja nas mãos. Easton não tinha fechado a porta toda quando ele passou, para que eu pudesse ouvi-los rindo de alguma piada que Garret tinha acabado de fazer. Como Easton tinha saído, eu ouvi a voz de Jaxon. "Que diabos está errado com você, que porra você fez para o Emerson?" Ele se levantou de seu assento. “Fique calmo, Riley, sua preciosa Emerson está bem e intocado. Você não precisa correr lá e verificar se ela está bem.” Ele estava definitivamente frustrado. Todos eles riram de Jaxon por sempre me verificar. "Você percebe que costumávamos foder muito bem antes de você chegar aqui. Ela estava sempre bem depois, ela não precisa de você para ver como ela esta”, Easton o provocou. Eu ouvi uma briga e, em seguida, uma forte explosão seguida pelo som de Easton gemendo.


"Que diabos está errado com você, Jax?" Easton gritou. "Cale a boca, East, você merece cerca de vinte golpes mais por dizer esta merda. Mantenha sua boca fechada ou eu vou chutar o seu traseiro ao lado dele”, eu ouvi Cole rosnar. Senti as mãos pequenas nas minhas costas. "O que estamos ouvindo?" Quinn sussurrou por cima do meu ombro. "Nada", eu bati e puxei a janela. Ela aproximou-se para olhar para fora e sorriu para mim conscientemente. Dei um suspiro por ter sido apanhado às escutas sobre os caras. "Tenho quase certeza de que Jaxon acabou de dar um soco em Easton". "Ele fez alguma coisa com você?" Ela exigiu, em uma voz irritada. Nada além de falar a verdade. “Eu acho que Jaxon não gosta desse lado de mim.” "Ele é protetor, Em." "Só o que eu preciso, outro amigo de proteção," eu resmunguei. Ela estava prestes a comentar sobre isso, quando ouvimos os caras começarem a falar em voz alta novamente. "Cara, Em não é mais divertida de qualquer maneira", Easton reclamou. "Sim, eu juro que eu tenho levado ela para o meu quarto quatro vezes neste semestre e ela apenas fica voada enquanto nós estamos dando uns amassos, e então me empurra para longe. No ano passado, ela era muito mais legal", eu ouvi o Blake dizer. "Talvez seja seus movimentos, cara. Eu não gostaria de ficar com sua bunda feia", brincou Cole. "Cheguei a porra do limite de três vezes, então eu não sei como ela tem estado, ultimamente," Micah reclamou. Os outros caras fizeram um coro com a mesma queixa, que o Blake. Traidores, todos eles. Os caras não deveriam se reunir e conversar sobre essas coisas. Também foi meio constrangedor ouvir sobre com quantas pessoas eu já tinha ido lá para cima ultimamente. Se tivesse sido no ano passado, eu já teria dormido com todos eles. Jaxon pensava que era isso o que eu vinha fazendo.


"Espere, o que vocês estão dizendo? Nenhum de vocês já dormiu com ela todo este semestre?" Um sotaque sulista familiar soou de dentro. Porcaria. Ele estava colocando os pedaços juntos. Quando eu ouvi uma rodada de 'nãos', eu bebi uma dose e sai da cozinha em direção a a porta da frente. Eu sabia que ele ia querer saber o porquê, e eu ainda estava com medo de dizer a ele que era a única pessoa com eu gostaria de estar. Que eu nunca me senti tão perto e segura com alguém antes de conhecê-lo. Eu também estava com medo de explicar-lhe que mesmo que eu o quisesse, eu sabia que seria terrível em um relacionamento. Eu iria estragar tudo e eu iria irritálo. Ao mesmo tempo, ele parecia continuar tocando para frente, talvez por isso toda essa preocupação tenha sido para nada. Assim como eu estava batendo na porta da frente, ouvi a porta dos fundos abrir e Jaxon gritou: "Emerson!". Eu continuei e sabia que ele não tinha me visto, porque, mesmo antes de eu sair, ouvi ele perguntar a Quinn se ela sabia onde eu estava. E fiquei esperando que a minha melhor amiga e irmã tenha algum senso de solidariedade. Quando cheguei na garagem, percebi que não poderia dirigir para casa. Eu não tinha as chaves do carro e eu estava muito embriagada. Cheguei a caminhonete de Jaxon, que estava estacionado algumas casas na rua de baixo e eu coloquei a tampa traseira para baixo para sentar nele. Como era novembro, estava um pouco frio na rua. O Sul da Califórnia não tem muito inverno, mas a brisa soprando do oceano estava me dando arrepios nas minhas pernas nuas. Outra razão pela qual eu nunca conseguiria morar no norte; Eu amava usar shorts e chinelos durante todo o ano. Quando você tem que calçar luvas, chapéus, cachecóis e botas em qualquer época do ano, que é quando eu desistiria. Eu tenho uma avó que vive em Nova York que visitamos uma vez no Natal. Eu estava infeliz no frio, fiquei dentro de casa a semana toda que estávamos lá. De repente, ouvi botas batendo na calçada em um ritmo rápido. Eu sabia que tinha que ser Jaxon porque ele não gosta de deixar nada passar. Ele ainda estava muito longe, e eu percebi que ele não seria capaz de me ver, já que a caminhonete estava de frente para ele, e eu estava sentada na porta do bagageiro. "EMERSON", ele gritou, soando um pouco em pânico. Ele continuou correndo pela rua e


vi quando ele passou direto por mim. Seu corpo congelou e ele virou o rosto para mim. Eu fiz contato visual com ele enquanto ele caminhava em minha direção com um olhar determinado em seu rosto. O ar ao meu redor ficou mais quente e havia uma corrente de carga entre nós. Ele veio até minhas pernas e colocou as mãos sobre os meus joelhos. Engoli em seco quando ele empurrava minhas pernas para que ele pudesse chegar ainda mais perto de mim enquanto suas mãos repousavam sobre minhas coxas. Com sua voz inebriante em um tom baixo, ele perguntou: "Por que você está aqui sozinha garota imprudente, frustrantemente linda? Você não sabe que não é seguro ficar nesta rua sozinha com todos esses bêbados, idiotas, imbecis fraternais?”. "Eu estava me escondendo", eu admiti timidamente. "Por que você estava me torturando, me fazendo pensar que você estava dormindo com todos aqueles caras?” Ele apontou de volta para a casa. "Porque eu queria dormir com todos aqueles caras." Eu o vi estremecer, e sabia que eu precisava esclarecer. "Quero dizer, eu gostaria de querer dormir com eles. Eu não gosto da Emerson, ela é muito confusa e complicada. Eu só queria ser Em novamente. Mas cada vez que eu fui lá em cima com um deles, eu sempre fui covarde", eu disse a última parte quase num sussurro. Senti suas mãos em minhas coxas. Imaginei como seria sentir aquelas mãos a me levantar como ele sempre faz. Como seria sentir as minhas pernas em volta da cintura dele. Eu me aninhava para a frente chegando mais perto dele assim ele estaria ainda mais junto as minhas coxas. Ele trouxe seu rosto para baixo ao lado do meu e com a seu nariz moveu o meu cabelo para o lado para que ele pudesse enterrá-lo no meu pescoço. Eu respirei na sua proximidade. Novamente, um mês e meio tem sido muito longo para mim. Em um gemido, ele disse, "Você está me deixando louco. A única razão que tenho para ir a cada uma dessas festas é porque o meu lado maluco masoquista precisa saber quando você sai dos quartos se você ainda está bem. Mas cada vez que eu vejo você caminhar até aquelas escadas com um novo babaca, eu imploro Cole para me impedir de ir até lá, arrebentar aquele cara e jogá-lo por cima do meu ombro, porque eu sei que você ficaria chateada comigo", ele exalou em um longo suspiro. "Emerson, me diga o que você quer." Cada palavra foi dita num


tom curto, cortado. Agarrei o cós da calça jeans tão firmemente quanto pude e falei diretamente para o seu peito. "Eu não sei como." Eu virei minha cabeça para correr com os meus lábios em toda a borda da mandíbula. Ele parecia estar inconscientemente apertando minhas coxas agora, eu tenho certeza que vou ter contusões lá amanhã. Eu vou receber eles, se isso significa que eu posso ficar com ele esta noite. "Diga-me que você me quer", ele sussurrou. "Eu quero você". Sempre. "Só eu?" "Só você". Já teve mais alguém? Ele se arrastou em volta, sentindo-se em seus bolsos. Quando ele encontrou o que queria, ele estendeu a mão e tirou uma caneta. Assim que eu vi, eu sabia o que ele queria, então eu estendi a minha mão em sua direção com a palma da mão voltada para cima. Ele sorriu para o meu atrevimento e agarrou meu pulso para que ele pudesse virá-lo. Eu fechei os meus olhos e deixei que as cócegas do esferográfico me consumisse. Neste momento, eu não estava ligando para o que ele escrevia desde que ele continuasse acariciando minha pele. Ele terminou rapidamente, fechou os meus dedos até a palma da minha mão e beijou-os. Eu lentamente os desenrolei para ler a sua mensagem, que foi escrita com ousadia em toda a extensão da minha palma. Uma palavra que gritava muito mais. Minha Ergui os olhos para ele e balancei a cabeça. Rapidamente, ele deslizou suas mãos debaixo de mim e me levantou em torno de sua cintura. Ele bateu a porta traseira e deu a volta até o lado do motorista. Eu não sei quem se inclinou primeiro, mas nossos lábios foram entrelaçados e eu me senti segura novamente em seus braços. Segura de mim mesma. "Você tem as chaves?" Eu perguntei através de seus lábios. "Não, eu não preciso delas." Eu vi quando ele pressionou uma série de números no sistema de entrada sem chave logo acima da maçaneta da porta. Eu estava confusa sobre como


iríamos para casa sem as chaves, mas neste momento eu não conseguia encontrar uma razão para me importar também. Ele não abriu a porta da frente, em vez disso abriu a porta para o banco de trás e me colocou para dentro ainda me abraçando. Ele fechou a porta atrás de nós e as janelas muito escuras, juntamente com o céu da noite, forneceu-nos com total privacidade. Quando eu dei-lhe um olhar confuso, ele disse, "eu não posso dirigir, eu bebi demais, mas eu não posso esperar até que todo mundo esteja pronto para ir para casa também." Ele colou os lábios de volta com os meus. Eu me afastei e olhei para seus olhos lindos. Ele tinha uma leve cicatriz acima da sobrancelha, onde Cole tinha batido, então eu levantei e beijei-a suavemente e seus olhos se fecharam. Eu empurrei seu peito e ajoelhei no assoalho entre suas pernas. Ele olhou para mim sob seus longos cílios e o olhar que ele me deu estimulou-me. Estendi a mão, desabotoei e abri o zíper de sua calça. "Sem cueca?" Eu sorri para ele enquanto eu tirava. Ele gemeu quando eu envolvi minhas mãos em torno dele. Quando eu abaixei minha cabeça, eu ouvi sua cabeça bater na janela de vidro atrás dele. Eu continuei a olhar para ele durante todo o tempo que a minha boca estava trabalhando para cima e para baixo, porque as emoções que atravessaram seu rosto era o bastante para me deixar excitada. Seu olhos azuis pareciam incrivelmente cor de prata à luz da lua. "Foda-se, baby, isso esta tão incrível." Eu amava o termo carinhoso que saia de sua boca. "Mas você não tem que fazer isso, volte aqui." Ele puxou meus braços. "Você tem camisinha?" "Merda ..." Ele fechou os olhos em frustração. "Deixe-me fazer isso. Eu quero." Era verdade, eu queria. Se não eu poderia dizer-lhe como eu me sentia, eu queria pelo menos tentar mostrar. Depois que eu tinha colocado de volta em suas calças, eu voltei para sentar em seu colo e me aninhei em seu pescoço. Ele estava tão quente e tinha um leve brilho de suor em seu corpo de seu esforço. O cheiro da sua colônia misturada com seu suor era uma mistura inebriante. Apenas ficamos ali, por quem sabe quanto tempo, seus dedos correndo pelo meu cabelo enquanto eu ouvia o barulho do seu coração voltando lentamente para um ritmo constantemente normal.


"Que diabos está errado com a minha caminhonete?" Nós imediatamente sentamos quando ouvimos a voz de Jace lá fora. "As janelas estão todas embaçadas!" Ouvi as risadas irritantes do Cole sair imediatamente depois. "Cinquenta dólares que Jax foi certificar se Em estava bem." Eu ouvi o tom de zombaria em sua voz quando ele disse a palavra 'estava bem'. "Gente, devemos voltar. Espere até que ... eles tenham .... feito .... você sabe. "Eu ouvi Quinn dizer desconfortavelmente. Enfiei Jaxon um pouco para conseguir sua atenção, que devemos dizer-lhes que estávamos decentes e nós queríamos absolutamente chegar em casa. Eu não precisei dizer nada, porque eu sabia que ele sentia o mesmo. Ele prontamente abriu a porta de trás. "Entrem aqui, idiotas." "Hey! Não chame a minha garota de idiota", Cole gritou e passou o braço em torno dos ombros de Quinn. Eu assisti enquanto ele deu-lhe um beijo na têmpora. "O quê? Não! Quinn, eu juro que eu não estava dizendo isto para você. "Ele deu-lhe um olhar de desculpas. Seu olhos de cachorrinho eram tão doces. Se ele dirigisse eles para mim, eu lhe daria qualquer coisa que ele quisesse. "Não se preocupe, Jax, eu sei que você não estava falando de mim", respondeu Quinn enquanto ela esbarrava no peito do Cole. "Deixe ele em paz, Coley". Cole fez uma careta para sua namorada usando meu apelido favorito para ele. Sarcasticamente, ele olhou para mim. "Ems, alguma vez lhe agradeci por esse apelido? Porque sério, é o melhor...” Podíamos ouvir o sarcasmo escorrendo de sua voz, o que fez com que todos além de Cole caíssem na risada. Jace levou todos para casa, eu nunca o vi beber. Se ele realmente saísse para uma festa com a gente, ele era bom o suficiente para ser o nosso motorista da rodada. Eu estava tão feliz neste momento, com todas essas quatro pessoas, e foi incrível o quão unidos nós tínhamos nos tornado em apenas poucos meses. Eu senti como se pudesse compartilhar quase tudo com eles.


Como eu poderia estar na pior perto deles e eles ainda estariam lá por mim. Eu sei que eu faria isso por qualquer um deles. Aparentemente, quando você começa a abrir o portão emocional, todos eles correm. "Seu sorriso é de tirar o fôlego agora. O que você está pensando e, por favor, me diga como posso mantê-lo ai?" Jax se inclinou para sussurrar no meu ouvido. Eu balancei minha cabeça, porque eu não sabia como descrever o que eu estava sentindo. Inclinei-me e coloquei minha cabeça em seu ombro. Ele deitou sua cabeça em cima da minha e beijou meu cabelo. Quando voltamos para os nossos apartamentos, todos nós só ficamos no corredor olhando um para o outro. Eu acho que tentando descobrir quem ia com quem e em qual apartamento. Jace passou empurrando nós quatro. "Vocês estão nauseantes", disse ele antes de entrar em seu apartamento. "Emerson vai estar na minha cama", Jaxon disse enquanto me arrastava atrás de si. Eu ri de sua atitude de homem das cavernas. "Amo você, Emmy!" Quinn gritou antes de ir para dentro do nosso apartamento com Cole.


Capítulo 12

Volte, por favor

Na manhã seguinte, acordei imersa no aroma de Jaxon. Eu estava deitada de barriga para baixo com a meus braços esticados por baixo do meu travesseiro. Ele estava deitado com a cabeça em minhas costas nuas e tinha uma mão segurando meu peito. Eu senti como se tivéssemos acabado de dormir quando eu comecei a acordar. Nós dois tínhamos ficado até tarde na noite passada para conhecermos um ao outro neste novo jeito, foi a melhor noite da minha vida. Eu comecei a flexionar os meus dedos debaixo do travesseiro para levá-los a acordar. Comichão foi correndo para cima e para baixo dos meus braços. Jaxon deve ter percebido que eu estava acordada, porque ele começou a beijar a linha da minha espinha. Comecei a pensar sobre a noite passada e que eu tinha ultrapassado o limite da regra três com ele. Eu sabia que ia acontecer, mas o pensamento chocava e me assustava ao mesmo tempo. Meu corpo se enrijeceu com o meu terror. "Shh, baby, relaxe. Não se desespere. "De alguma forma, ele sabia que eu ia começar a entrar em pânico neste momento, e ele estava tentando amenizar o meu medo com seus beijos suaves. "Apenas fique aqui comigo, não surta", ele repetiu. Minha respiração nivelou e minha frequência cardíaca voltou ao normal a cada vez que seus lábios tocavam minha pele. Quando ele estava satisfeito com a minha calma, ele agarrou meus quadris e virou-me sobre minhas costas, e eu não conseguia parar o grito de sair para fora da minha boca. Ele tinha um sorriso sexy, culpado em seu rosto. "Eu sempre pensei que fosse a coisa mais sexy do mundo vê-la nua na minha cama." Oh Deus, sua voz só ficou melhor com a aspereza do sono adicionado a ela. Eu comecei a contorcer debaixo dele, precisando dele entre as minhas coxas. "Mas eu estava errado." Eu comecei a sair de debaixo dele. "Bem, você sabe como estragar um dos melhores


momentos", Eu resmunguei. Suas mãos desceram para me manter no lugar. "Eu estava errado, porque você acordando nua na minha cama é ainda mais incrível e sexy. Eu quero que você acorde aqui todas as manhãs.” Ele se inclinou para começar a beijar meu pescoço. "E eu estou contente que você acha que isso é um dos melhores momentos, a propósito." "Eu não posso mudar para cá", eu disse, entre respirações pesadas. "Você não tem que se mudar apenas dormir aqui toda noite", ele respondeu com um sorriso enorme no rosto. "Se isso faz você se sentir melhor, podemos dormir na sua cama de vez em quando, mas eu gosto de vê-la aqui com seus cabelos espalhados em meu travesseiro." Quando ele mergulhou os quadris para baixo para mover contra mim, fechei os olhos com uma sensação maravilhosa. Com Jaxon, não precisava de muita iniciativa para que o meu desejo sexual aflorasse. Tudo o que ele tinha a fazer era olhar para mim com aqueles olhos azuis e eu estava em pleno funcionamento, pronta para ir. Corri minhas mãos sobre o peito dele e notei uma mancha negra que normalmente não estava lá. Olhando mais de perto, percebi que era o reflexo da escrita na minha mão. Eu ri do "Meu" contrário em sua pele enquanto eu corria meus dedos nele. Devo ter dormido com a minha mão aqui na noite passada. Ele baixou o queixo para ver do que eu estava rindo e ele abriu um largo sorriso quando percebeu o que era. "Eu meio que gosto disso." Eu estava hipnotizada, traçando as letras contrárias. Quando ele olhou para os meus olhos com orgulho, eu sussurrei, "É como se você fosse meu também.". Depois de um segundo, eu percebi que o sol já estava de pé, então eu me virei para olhar para o relógio na mesa de cabeceira. "Merda! Temos que estar em sala de aula em 30 minutos.” Comecei saindo depressa de debaixo dele. "Então, o que, vamos matar", ele riu de mim. "Fique na cama comigo hoje." "Jaxon, eu não posso, eu já perdi muitas aulas. Patterson vai me deixar se eu perder mais neste semestre, e então eu vou perder o meu estágio.”


"Tudo bem, não é grande coisa, nós vamos. Você é extremamente adorável quando fica nervosa assim sabe”, ele riu. Quando me levantei, eu notei que ele ficou na cama, sem intenção de sair. Eu dei-lhe um olhar interrogativo. "Sim, vá em frente. Eu... meio que tenho uma situação... Eu preciso esperar. "Ele apontou para si mesmo sob os lençóis. "Eu estarei a postos no momento em que você estiver pronta para sair." Eu me inclinei para a frente com as mãos na cama e sabia que ele estava apreciando a vista do meu corpo nu. "Junte-se a mim no chuveiro e eu vou aliviar... a sua situação." Eu pisquei para ele. Eu nunca tinha visto ele se mover tão rápido quando ele pulou da cama. Saltei para fora de sua porta rindo, completamente nua e corri direto para o banheiro. Eu sabia que ninguém tinha me visto, mas, ao mesmo tempo, nem sequer me ocorreu saber se eles tinham. Quando cheguei ao chuveiro e abri a torneira, eu senti grandes mãos por trás em meus quadris. "Emerson, eu vou ser honesto, agora, eu não vou saber lidar muito bem com caras vendo minha namorada nua”, ele rosnou em meu ouvido. Eu me virei para olhar em seus olhos. "Namorada?" Engoli em seco, nervosamente. "Eu não me importo com o rótulo que você colocou sobre isso, mas você é minha de qualquer maneira. Eu não vou compartilhar.” Quando eu estava lá, com uma expressão de choque no meu rosto não respondendo, eu vi um pouco de preocupação no seu. Ele baixou a voz e falou lentamente, "Baby, quando eu perguntei se você queria apenas eu, ontem à noite, eu não estava falando de apenas uma noite. Você estava?”, ele perguntou, nervosamente segurando meus quadris com mais força, como se eu pudesse fugir se ele me deixasse. O vapor do chuveiro começou engolindo o quarto. O espelho já estava embaçado e tudo que eu conseguia prestar atenção eram seus olhos azuis contrastando contra o vapor branco. Eu balancei minha cabeça negativamente e vi o alívio lavar a preocupação para longe de seus olhos. "Eu não posso ser uma namorada, no entanto. Eu vou ser terrível nisto. Eu


simplesmente não posso... Eu vou te machucar... Eu só não posso... "Eu comecei a balançar minha cabeça para trás e para a frente com o meu pânico crescente e incoerente. Ele gentilmente me empurrou para trás, para o chuveiro e fechou a porta de vidro atrás de nós. A água derramava sobre nós dois e eu lentamente comecei a me acalmar com as mãos dele passando pelos meus cabelos. Ele suavemente inclinou minha cabeça para trás para encharcar o meu cabelo sob o jato de água quente. Sem dizer uma palavra, ele foi espantando meu pânico, sem dizer uma palavra, fazendo-me sentir segura e cuidada. Virei o rosto para o lado. "Você merece alguém melhor do que eu", eu sussurrei em seu braço. "Você merece saber o quão ótimo pode ser alguém se preocupar com você." "Eu não sei mesmo o que é um bom relacionamento." "Eu meio que reuni isto, e um dia, você vai me dizer por que você tem tanto medo deles." Ele inclinou meu rosto para enfrentar o dele. "Eu vou te mostrar quão ótimos, vamos ser. Porque você é a garota mais bonita que eu já conheci, e eu não estou falando de seu rosto lindo, seu cabelo deslumbrante ou corpo sexy que é de matar. Eu nunca soube que era possível ser tão atraído por seu melhor amigo." Minha respiração ficou presa em suas palavras. Eu nunca tinha pensado nisso assim antes, mas aos poucos, ele se tornou meu melhor amigo nisto tudo. Eu gostaria de ter as palavras para revidar, mas não o fiz. Então, eu apenas inclinei na ponta dos pés e envolvi minhas mãos em seu pescoço e o beijei com tudo o que eu gostaria de dizer. Corremos para tomar nosso banho e corremos para a escola. Antes de entrar na sala de aula, meus saltos ficaram trancados na calçada. Eu queria ser o que ele precisava que eu fosse, mas estar na frente de todos, eu estava começando a congelar. Ele inclinou-se por trás de mim, sobre o meu ombro para falar em meu ouvido: "Ei, se torna mais fácil para você, eu não vou chamá-la de minha namorada, negócio?”. Meus ombros relaxaram sua tensão e exalei em alivio: "Obrigado, Jaxon." Direto antes que eu pudesse entrar na sala, ele agarrou meu ombro e me virou.


"Isso não significa que você vai começar a ficar com mais alguém, entendeu? Ninguém mais vai tocar em você. Existe só você e eu, ninguém mais”, ele falou em um tom sério mortal. Eu adorava quando sua voz tinha um tom áspero e sério. Em seguida, ele pegou minha mão e bateu o interior da palma da minha mão onde tinha escrito ontem à noite. "Minha", ele sussurrou. Eu deslizei meus dedos no cós da calça dele e puxei-o ainda mais perto de mim. "Eu só quero você." Eu subi e mordi seu lábio inferior com os dentes. Eu ouvi um grunhido rolar através de seu peito. "Será que realmente precisamos fazer isso hoje?" Ele inclinou a cabeça em direção à porta da sala de aula. "Infelizmente", eu disse enquanto puxei-o para a sala de aula. Quando terminei com Biologia mais tarde, eu saí da minha sala de aula e Jaxon não estava lá fora. Eu realmente não sei qual classe no edifício de ciência ele estava então eu decidi descer para o refeitório, onde sempre me encontrava com o pessoal de qualquer maneira. Todo este "namoro" era um território estranho para mim. Eu deveria ligar para ele ou enviar uma mensagem para lhe dizer que nos veríamos? Ou eu deveria apenas agir como eu sempre fiz? Eu decidi ir com o último, porque eu não tinha ideia de como fazer qualquer outra coisa. Eu não sabia se Jaxon gostaria de ficar para almoçar aqui ou voltar para o apartamento. Então eu decidi sentar com todos em vez de ir para a fila de almoço pegar uma bandeja. Quinn e Cole não tinha feito isso aqui ainda. Quando cheguei à nossa mesa de costume, eu acenei para Garrett, Mason e Micah. Sentei-me em um lugar vazio e, lentamente, mais pessoas começaram a se juntar a nós. Bem quando eu me sentei para baixo, Micah deslizou perto de mim e colocou um braço em volta dos meus ombros. Eu tentei com indiferença, me afastar de seu abraço. Eu não queria fazer essa nova mudança óbvia, mas eu também sabia quão chateado Jaxon ficaria se ele entrasse aqui e visse o braço de Micah em torno de mim. Surpreendentemente, Jace deslizou no lado oposto de mim, olhando para Micah. Ele nunca almoçava com a gente, eu geralmente o via sentado com um par de outros estudantes prémed. Aproveitei sua aparição. "Hey Jace, como foi à aula?" Eu perguntei, deslizando mais perto dele e soltando o braço de Micah. "Obrigado por me salvar", eu sussurrei em seu ouvido.


"Só estou tentando evitar uma briga." Ele acenou com a cabeça em direção à fila do almoço e depois se inclinou para comer o seu alimento. Jaxon estava empurrando a bandeja através da linha de trás de um casal de meninas, olhando diretamente para mim. Ele parecia irritado. "Merda, merda, merda", eu continuei sussurrando baixinho. "Eu sabia que seria terrível para isso." Quando fiz um gesto para me levantar e sair, Jace fechou a mão para baixo na minha perna para me manter sentada. "Não fuja Ems. Ele vai ficar bem. Apenas relaxe," a voz tranquilizadora de Jace me manteve em meu lugar. Jaxon andou atrás de mim e colocou a bandeja na minha frente. Ele tinha o suficiente para nós dois. "Mova-se, cara de pau, você está no meu lugar", disse a Micah. "Cara, da última vez que chequei, não tinha nome nos acentos", ele respondeu, chegando mais perto de mim. "Micah, basta se mover... por favor,", eu disse, tentando afastar-me dele e esbarrar em Jace. Micah empurrou a bandeja para o lado oposto na frente de mim e se levantou para andar todo o caminho em torno da mesa e bancos. Quando ele chegou de volta e sentou-se, ele me olhou com curiosidade. Jaxon sentou no seu lugar desocupado e, com o braço atrás das minhas costas ele agarrou meu quadril e me aproximou a ele. Em seguida, ele levou o braço para trás e começou a comer como se nada tivesse acontecido. Quinn e Cole finalmente, vieram se juntar a nós na mesa, bem como, movendo-se para o lado de Micah. Eu me inclinei para Jaxon. "Eu não sabia se você queria ficar por aqui ou comer em casa, então, eu não levei nenhum alimento”, disse para ele. "Você quer sair?", Ele perguntou, apontando para levantar. "Você acabou de comprar toda essa comida. Devemos pelo menos comê-la.” Ele sentou-se em sua cadeira e deu de ombros evasivamente. Eu não gostei do que eu senti como se eu estivesse com problemas em alguma coisa, como se eu precisasse explicar


minhas ações. Eu ainda não tinha feito nada de errado. Eu coloquei minhas mãos em cima da mesa para que eu pudesse parecer mais alta. Eu dei em Jaxon um rápido beijo nos lábios e vi como a tensão deixou seu rosto. Ele olhou para mim e sorriu, depois fez um gesto para eu comer também. Com a boca cheia de comida, Micah apontou o garfo para nós dois. "O que está acontecendo com você, Emmsie? Você nunca distribui afeto." Aparentemente, a extensão dos meus apelidos na escola era interminável, eu não tinha ouvido esse ainda. Eu não era um fã. "Não para você, Micah", eu respondi vagamente. "Não chame de Emmsie", Jaxon lançou um olhar duro para Micah enquanto falava. "O que, você é o único que pode chamá-la de algo especial?" "Esquece isso", eu disse para os dois. Notei Jace endurecendo ao meu lado. "Eu chamo pelo nome, seu burro. Não por algum apelido engraçadinho”, Jaxon respondeu de qualquer maneira. "Emerson soa como o nome de um cara", Micah respondeu, e então um sorriso arrogante apareceu em seu rosto enquanto ele teve uma ideia. Uh-oh Eu não gostava daquele rosto. "Quando eu estou metendo nela, eu gosto de chamar de um nome de garota”. Minha boca se abriu com o que acabara de dizer. Em primeiro lugar, eu notei o punho apertado de Jace, e então senti a pressa de ar passado minha cabeça enquanto o corpo de Jaxon voou sobre a mesa. Ele tomou Micah com ele durante o vôo. Ambos grunhiram com o impacto no chão, apesar de Micah tomar o peso dele com Jaxon em cima dele. Sentei-me para olhar os dois sobre a borda da mesa lá em baixo. Jaxon estava esmurrando-o no rosto com os punhos repetidamente. Micah estava tentando trazer os braços para cima para bloquear os golpes. Jace rapidamente passou por cima dos pés de mesa primeiro e agarrou Jaxon pelo colarinho de sua camisa. Eu percebi que Jace tinha antecipado isto, porque ele o pegou de maneira muito rápida para ter sido pego de surpresa. Cole saltou e ajudou Jace a mover Jaxon para longe de Micah. Cole pisou na mão de Micah e torceu o pé para moê-lo no chão em seu caminho para fora. Micah não disse nada, mas eu o vi estremecer de dor. Quinn balançou a cabeça para todos eles. Enquanto os três foram saindo do refeitório, Jace e Cole tiveram seus braços em volta de


Jaxon. "Foda-se, Riley!" Micah gritou de seu lugar no chão. Eu vi quando os braços de Jace e Cole flexionaram da breve luta que Jaxon começou. Em seguida, eles continuaram ao lado da porta em direção ao estacionamento, sem sequer olhar para trás. Tudo aconteceu tão rápido que muitas pessoas não notaram no barulho do refeitório. Acho que as únicas pessoas que viram foram aqueles em nossa mesa, e uma das outras mesas que Jaxon e Mica caíram entre. A comida de Mica estava metade na mesa e metade no chão. Ele se levantou com o banco e sentou novamente na minha frente. Seu rosto não parecia tão ruim, estava na maior parte apenas vermelho. Eu sabia que se Jaxon quisesse, ele poderia ter feito algum dano real. Ele tinha a cabeça inclinada para a frente, olhando para sua comida. Seus olhos irritados olharam para mim: "Você deveria ficar longe dele, Em. Ele é louco.”. "Só com idiotas, Micah," Quinn disse ao meu lado, olhando para ele. "Eu não disse nada, que eu não diria qualquer outro dia!" Ele ergueu as mãos em frustração. Garrett e alguns dos outros caras da fraternidade vieram em nossa direção. "Você sabe o que disse patife, só soltá-lo." Ele olhou para Micah. Olhei para a minha comida nos próximos minutos e peguei meu sanduíche de peru e presunto. Micah pode ter sido um idiota pelo que ele disse, mas no final do dia, ele estava certo. Eu permiti todos os tipos de brincadeira abertamente sobre nossos momentos juntos, inferno, eu era quem geralmente fazia as piadas. Eles não conhecem nada melhor. Eu queria acreditar que Micah não teria dito algo deste tipo, se ele soubesse que eu estava com Jaxon agora. "Sinto muito, Micah, foi minha culpa. Você não sabia." Seus olhos duros eram lançados em minha direção. "Não sabia o quê, Em?", Ele respondeu com raiva. Ele sabia e estava tentando me fazer dizer isso em voz alta, mas a covarde dentro de mim não poderia mesmo fazer isso. "Você só não sabia", eu suspirei. Todo mundo tinha terminado o seu almoço e desocupou o prédio cerca de quinze minutos


depois. Quinn sentou fielmente ao meu lado o tempo todo, oferecendo seu apoio silencioso. "Eu não acho que posso fazer isso, Quinny." "Você pode e você vai." Ela olhou para mim com uma expressão séria. "Quinn, você não pode me obrigar a estar em um relacionamento," Eu falei com uma risada. "Eu posso e vou." "Engraçado...", eu respondi secamente. "Em, eu nunca vi nenhum desses caras olhando para você do jeito que ele faz. Eu nunca vi você olhar qualquer um desses caras em tudo, na verdade. Você olha para Jaxon, e você o deixa entrar. Não desista agora”. Suspirei em derrota. Ela estava certa. O fato é que, eu não queria deixar Jaxon ir ou até mesmo ser afastada dele, ponto final. "Jaxon nunca vai ficar bem com o fato de que eu dormi com praticamente todos.", Disse. "Ele vai ter que aprender, não vai? Além disso, você não dormiu com todo mundo. Você não dormiu com Jace ou Cole”, ela piscou para mim. "Vamos manter assim, ok?" "Sim, senhora." Eu coloquei minha cabeça em seu ombro. Quinn foi boa para o meu espírito. Ela sabia o que eu estava pensando antes mesmo que eu dissesse, e ela sabia como me socorrer quando eu estava me tornando um risco de fuga. Saímos para o estacionamento para entrar em nosso carro quando percebemos Jace e Cole de pé em volta da caminhonete conversando. Não houve Jaxon à vista. "Onde ele está?" Eu perguntei a eles, ansiosamente. "Ele pulou na moto e saiu, logo que chegamos aqui," Jace disse com um encolher de ombros, mas eu podia dizer que ele estava preocupado com seu irmão. "Você acha que foi a coisa mais inteligente a deixá-lo fazer quando ele está chateado?" "Eu só acho que ele esta chateado com ele mesmo", disse Cole.


"Com ele mesmo, por quê? Eu imaginei que ele estava com raiva de mim. "Fiquei chocada. "Ele acha que amedronta você," Jace disse, olhando um pouco desamparado. "A única coisa que eu tenho medo dele esta lá fora, escondendo essa coisa enquanto ele tem muito na sua cabeça.” Eu puxei o meu celular do bolso e busquei seu nome em meus contatos. Eu: Volte, por favor? Jace puxou a porta do bagageiro e nós sentamos em cima dela um ao lado do outro. Cole puxou Quinn para a cama da caminhonete e colocou-a em seu colo. Eu o ouvi sussurrando em seu ouvido, mas eu não sabia o que ele estava dizendo. Eu sentei lá balançando as pernas para trás e para frente, na esperança de que Jaxon estava bem e que ele iria voltar por aqui em breve. "Em, eu tenho que ir para a aula," A voz de Jace parecia insegura. Eu sabia que ele estava me perguntando se ele devia ficar ao redor para certificar-se de que Jaxon estava bem. "Vá em frente, Jace. Eu mando uma mensagem quando ele voltar. "Eu dei um tapinha na sua perna. "Obrigada, Em." Ele se inclinou e me beijou na minha bochecha direita antes de saltar para fora da porta traseira. "Vá devagar com ele, ok?" Eu balancei a cabeça para ele. Depois que Jace se despediu, Quinn deslizou para fora da caminhonete. "Eu tenho que estar na minha sessão de monitoria em cinco minutos, eu vou ver você em casa?”, ela perguntou. "Cara, eu não consegui terminar meu almoço. Meu estômago ficou rosnando o tempo todo, Quinn”, Cole reclamou. "Você sabe que você não tem que ficar esperando as sessões dela, certo?" Eu provoquei. "Enquanto Bryce for aluno, eu fico." "Vocês são os homens das cavernas, excesso de proteção", eu reclamei. "Fala sério baby, que você pode comer no café do salão de monitoria," Quinn disse, enquanto agarrava sua mão. "Em, você pode pegar o carro, você deve ir para casa. Cole tem o


carro dele.” "Ele vai voltar aqui. Eu vou esperar." Eu vi como eles deram de ombros e foram embora. Fiquei sozinha na cama da caminhonete. É irônico que eu estava aqui ontem me escondendo de Jaxon, e agora estou aqui, esperando encontrá-lo. Eu deslizei mais para a cama e deitei reta em minhas costas. O tempo estava excepcionalmente quente hoje e senti o sol bem na minha pele. Notei uma camisa enrolada no canto, então eu estendi a mão para agarrá-la. Era do Jaxon e eu me perguntava quando tinha colocado de volta aqui. Usei-a como um travesseiro debaixo da minha cabeça para ajudar a aliviar o desconforto dos sulcos no chão da caminhonete. O aroma de seu perfume me ajudou a cochilar no conforto do sol. Acordei com um susto quando ouvi o forte estrondo de um motor de motocicleta. Jaxon estava estacionando a moto ao lado da caminhonete e tirou o capacete. Seus olhos já estavam em mim antes que o capacete tivesse sido tirado da cabeça a caminho. Ele prendeu as tiras de capacete no guidão da moto. Sua mochila virou-se ao lado de seu corpo e ele chegou para pegar um boné de lona preto. Sentei-me em meus cotovelos para vê-lo. Eu adorava quando ele usava o boné, ele parecia ainda mais sexy do que o habitual. "Eu amo quando você usa isso", eu decidi contar a ele. "A tampa", ele perguntou, parecendo surpreso e eu acenei para ele. Então, como ele pensou em alguma coisa, ele franziu a testa para mim, "Você vai se queimar, se você ficar deitada aqui o tempo todo.". "Eu sabia que você ia voltar. Eu queria estar aqui”, eu disse calmamente. "Pronto para ir para casa?" Eu deslizei para fora da caminhonete. Ele me deu um olhar confuso e, em seguida, acenou com a cabeça. Levantei-me e fui para o lado do passageiro da caminhonete. Eu não iria perguntar se poderíamos montar na moto, já que eu sabia a resposta para essa pergunta. Jace e Jaxon agora têm dois conjuntos de chaves com eles em todos os momentos. Eles estavam sempre trocando, sem contar o outro. Acho que agora, Jace sabia que se eu estava com Jax, a caminhonete seria ocupada. Jaxon sentou e levantou-me no assento. Ele olhou nos meus olhos como se quisesse me perguntar algo ou que ele estava esperando que eu dissesse alguma coisa. Inclinei-me e o beijei suavemente.


A volta para casa foi tranquila. Eu não poderia lê-lo. Eu ainda não sei se ele estava com raiva de si mesmo ou de mim. Suas emoções estavam por todo o lugar em seu rosto. Peguei sua mão quando estávamos subindo as escadas para o apartamento. Ele tirou as chaves e nos deixou entrar. Ele me puxou para o quarto e me deitei na cama. Comecei respirando pesadamente enquanto ele subia em cima de mim. Fiquei instantaneamente ligada por sua proximidade. Seu corpo era o melhor tipo de afrodisíaco. O único problema era que seu rosto ainda tinha muita preocupação quando ele olhou nos meus olhos. Estendi a mão para suavizar as linhas sob os olhos. "Linda, por favor, acabe logo com isso. Grite para mim, me diga como eu sou louco, então eu vou me sentir um pouco melhor. É o que eu mereço”, disse ele em um tom áspero batido. "Ã? Por que eu iria gritar com você?" Eu questionei. Ele inclinou a cabeça para baixo na curva do meu pescoço enquanto ele falava. "Porque eu agi como um idiota." Tirei o boné de sua cabeça e corri os dedos pelos seus cabelos macios. "Jaxon, tudo isso teria sido evitado se eu não fosse tão covarde." "Não querida, eu não deveria ter perdido a cabeça." "Mas você fez e faz parte ser sua... só sua", eu quase tinha dito a palavra 'namorada': "Eu preciso encontrar uma maneira de acabar com minhas inseguranças e fazer você se sentir mais confortável." Eu senti o lado de seu rosto puxar para cima em um sorriso quando ele me pegou gaguejando na parte que eu disse "só sua". "Não, eu não quero fazer um movimento tão rápido que assuste você de novo. Eu posso lidar com isso da próxima vez, prometo. Eu odeio que eles sentem que podem tocar em você sempre que quiserem e dizer o que querem”. "Eu não odiaria se você me tocasse, sempre que você quisesse." Eu me mexia contra ele. "Hmm ... caramba, eu nunca vou ficar cansado de você me dizendo isso", disse ele, ao levantar minha camisa para cima. Sua cabeça inclinou-se para me levar em sua boca e eu gemia, contorcendo contra ele para encontrar alívio. Seu doce tormento ia ser a morte para mim.


Antes que eu percebesse, estávamos ambos completamente nus e ele estava empurrando para dentro de mim febrilmente. Era estranho ser capaz de fazer isso com ele sempre que eu quisesse. Eu não tinha que me preocupar com as minhas regras estúpidas. Eu não tinha que me preocupar se ele estava com outra pessoa, porque ele estava comigo. Eu não me importo se ninguém gostava dele, porque ele era meu. Por causa dessas coisas, eu tenho que repassar a minha regra de três limites repetidamente. Ele agarrou meus pulsos com uma das mãos e segurou-os firmemente em cima da minha cabeça. Ele estava se movendo tão forte e rápido que era quase impossível de se concentrar em qualquer coisa além da euforia que ele estava construindo dentro de mim. Eu puxei minhas pernas para que elas subissem sobre seus ombros e ele virou a cabeça para trilhar beijos até o interior de uma das minhas pernas. O contraste entre os movimentos rápidos e duros, contra esse lado doce dele, começou a me empurrar sobre a borda. Ele se moveu com força dentro de mim e eu o ouvi gemer enquanto sua mão agarrou-me com mais força. "Foda-se, baby, faça isso de novo", ele arquejou. Quando o fiz, ele soltou um longo gemido. "Beije-me," eu engasguei. Seus lábios se bateram contra os meus com paixão. Eu não podia mais aguentar e gritei o nome dele tão alto que se alguém estivesse em casa, eu teria ficado envergonhada. Jaxon foi capaz de segurar por mais alguns minutos, lentamente me envolvendo novamente. Ninguém nunca tinha me acelerado tanto. Até o momento que ele me deixou sair, tive a certeza que os meus olhos estavam abertos para ver o êxtase em seu rosto. O puro prazer em seus olhos me enviou sobre o penhasco mais uma vez. Ele tinha deixado minhas mãos livres para que eu agarrasse suas costas, afundando minhas unhas em sua pele com minhas costas arqueadas para ele enquanto meu corpo se movia em ondas. Ele finalmente caiu no lugar certo ao meu lado. Eu rolei para colocar minha cabeça em seu peito, enquanto nós dois estávamos ofegantes pelo esforço. Sua mão correu para cima e para baixo em minhas costas suavemente. O movimento suave fez meus olhos ficarem pesados. Sentei-me e olhei para o relógio, porque eu tinha trabalho esta noite e Jaxon me puxou de volta para seu peito.


“Shh durma, Linda... eu vou acordĂĄ-la a tempo." Ele se inclinou para beijar minha testa.


Capítulo 13 Namorado?

As semanas até as férias de inverno voaram. Eu pensei que seria melhor se eu ficasse longe das festas pelo resto do semestre. Jaxon não discutiu comigo. Eu acho que ele sentiu como se não pudesse se controlar de socar os caras que ficassem muito perto de mim. Era bem legal ser capaz de sair sem o drama adicional das outras pessoas. Eu também não estava apta a admitir que nós estávamos num relacionamento real, então se nós não saíssemos com outras pessoas, eu não teria que definir isto. Jaxon também nunca tocou no assunto. Nós tivemos muito tempo de nos abrirmos um com o outro e ele finalmente me contou sobre a morte de seu pai e como foi difícil pra ele lidar depois. Parecia um bom momento para lhe dizer sobre meus pais, mas eu simplesmente não consegui fazer isto. Nós não nos vimos muito esta semana, além das noites de um ou outro sair do trabalho. Nós entramos nas semanas de provas finais e eu imaginei que seria muito difícil estudar perto de Jaxon, então eu o proibi de vir e me distrair. Isto parecia funcionar para o melhor porque nós dois sentíamos extremamente confiantes sobre nossas notas. Na quinta feira após nossa prova final, nós cinco saímos para o apartamento dos rapazes, assistimos filmes e comemos lanches. Nós planejamos sair para uma festa juntos mais tarde, mas ainda tínhamos muito tempo até lá. Quinn nos convenceu para finalmente sair e comemorar o fim do semestre. “Você está animada para passar as férias com sua mãe e pai, Emerson?” Jaxon perguntou. Quinn levantou a cabeça e olhou diretamente pra mim. Eu sabia que ela estava chocada que eu não tinha dito a ele ainda. Ela tentou agir naturalmente, indo pra cozinha como se fosse pegar alguma coisa, mas era óbvio que algo a incomodava. Cole levantou sem jeito para se juntar a ela. “Uh...não, não na verdade. Eu realmente não gosto de férias.” Na realidade, férias são absolutamente a pior época do ano, inclusive dia 2 de fevereiro, data que ambos foram mortos. Coincidentemente, é também meu aniversário. Sim, feliz aniversário pra mim. Eu nunca comemoro. É proibido. Quinn nem sequer menciona mais meu aniversário.


Completamente alheio às nossas reações peculiares, Jaxon riu um pouco e disse: “O que? Quem não gosta de férias?” Ele estava segurando minha mão e eu tive que soltá-lo. Eu olhei ao redor da nossa plateia: Quinn, Cole e Jace, todos sabiam. Eu olhei pra eles procurando socorro, para alguém distraí-lo do assunto. Ninguém se pronunciou e eu estava sozinha. Eu apertei minhas mãos com força e murmurei: “Umm...alguém que...não tem seus pais.” Foi difícil sair da minha boca mas eu não poderia mentir pra ele. Ele se virou pra me olhar, um pouco mais preocupado agora, mas eu não poderia dizer se ele ainda pensava que eu estava fazendo algum tipo de piada estranha. “O que você está dizendo, linda, claro que você tem. Você me contou toneladas de histórias sobre como você cresceu.” “Todas estas histórias pararam antes de eu completar quinze anos. Eles foram ambos mortos num acidente de carro”, eu sussurrei, comprimindo o sangue das minhas mãos pálidas. “Que porra é esta, Emerson? Por que você nunca me disse isto antes?” ele se levantou e gritou. “Cara, é hora de se acalmar e a deixar sozinha”, Jace disse, olhando pra ele do seu canto no sofá. Jaxon olhou pra seu irmão e sua expressão se tornou assassina. “VOCÊ sabia sobre os pais dela?” Ele bateu seus dedos em Jace. Então ele tornou a me olhar de novo. “PORRA, JACE SABIA?” Sua voz estava ficando mais alta agora. “Eu sinto muito, Jaxon.” Eu disse numa voz calma, esperando que isto o atingisse. “Jax, sério, pare com isto. Foi um momento de fraqueza. Vocês dois nem estavam juntos ainda. Ela tinha acabado de voltar de casa para te ver quando viu que Audrey estava lá. Ela estava triste e isto veio à tona.” Ótimo, outro detalhe de informação que eu ainda não tinha dito a ele. Namorada do ano bem aqui. Contudo, acho que ainda não tenho este título. Cole finalmente reforçou “Jax, porra, você precisa se afastar dela ou eu a estou tirando daqui, longe de você, você pode voltar a vê-la quando der um tempo.” O protetor irmão mais velho estava aparecendo e eu o amava por isto. Mas isto era inteiramente minha culpa, ele merecia saber isto por mim. Quando Cole falou sobre me levar pra longe dele, eu vi que sua expressão passou de furioso para apavorado. Ele rapidamente veio até mim e ajoelhou entre minhas pernas. Jace se levantou e saiu. Uma vez que Cole e Quinn estavam satisfeitos que Jaxon não ia gritar comigo mais,


eles saíram da sala também. “Baby...” Ele deitou sua testa na minha perna. “Não me deixe, me desculpa se eu gritei,” ele levantou sua cabeça e se desculpou. “Eu não vou a lugar nenhum, Jax.” Eu esfreguei minhas mãos em seu rosto desalinhado. “Por que você não me disse? Eu lhe contei sobre meu pai.” “Quando você me contou sobre seu pai, parecia como o seu momento. Eu senti que se eu lhe contasse sobre meus pais naquela hora, eu competiria com você.” Oh você perdeu um pai, eu perdi os dois. “Você precisava de um tempo privado para me contar sobre seu pai e eu honestamente nunca falei dos meus pais antes, por causa do jeito como tudo aconteceu. Eu nem falo mais com Quinn sobre isto.” Ele veio pra cima do sofá ao meu lado e me puxou em seu colo. Eu passei minhas mãos em torno dele e beijei seu pescoço. “O que aconteceu quando eles morreram?” Eu instantaneamente endureci com a pergunta. “Diga-me”, sua voz era gentil, mas firme. Sem mais rodeios. Todo este evento é basicamente o porquê eu me tornei do jeito que eu sou. Minha vida desde então se passou em torno deste momento em um círculo vicioso. Eu nunca fui capaz de me afastar disto. E é por isto que eu criei minhas regras, é por isto que eu tenho sido capaz de me entregar completamente a Jaxon, e é por isto que coisas como estas continuam a vir entre nós. “Meus pais eram divorciados. Meu pai casou novamente com Ellie, mãe da Quinn. É assim que somos irmãs.” Ele assentiu com a cabeça porque ele sabia que nós éramos irmãs adotivas e não de sangue. “Tudo estava perfeito. Meus pais não brigavam mais, e eu tinha Ellie e Quinn no negócio. Então um dia, nosso diretor me tirou da sala de aula e disse que meus pais tinham morrido. Juntos. No mesmo carro. Meus pais não podiam se suportar, a última vez que eu tinha verificado e eles certamente não andavam de carros juntos.” Eu respirei fundo e esfreguei círculos ao longo de minhas mãos. “Este foi o dia que eu aprendi que as pessoas sempre vão embora. Se elas não estão lhe enganando, elas estão morrendo. Meus pais fizeram ambas as coisas no mesmo dia. Isto machuca demais, chegar perto das pessoas. Eu não poderia arriscar de sentir este tipo de solidão


de novo. Eu quase não me mantive viva e se isto acontecesse de novo eu sei que eu não conseguiria.” Eu falei tudo isto por cima dos seus ombros, com muito medo de ver o julgamento em seus olhos. Ele colocou sua mão embaixo do meu queixo e o levantou. Eu não tenho certeza se gostei do que eu vi no seu rosto, mas foi melhor que um julgamento. Ele me olhou como se tudo que eu disse fizesse sentido, como se agora ele entendesse porque eu sempre ajo desta forma. “Emerson, eu nunca enganaria você. Você tem que saber que nenhuma garota se compara a você. Não há razão pra eu precisar de outra coisa, de outra pessoa quando tudo que eu quero está aqui com você.” Eu assenti mesmo sabendo que ele não poderia estar 100% certo. Ele não tinha vindo depois de cada menina. Um dia, ele se cansaria das minhas baboseiras. “Você tem que parar de se preocupar que você vai me perder. Não há outro lugar no mundo onde eu queira estar. Eu te amo, linda menina.” Eu engasguei com a sua afirmação. Amor? Quando nós começamos a amar? Como eu poderia falar isto de volta pra ele? Eu nunca disse estas palavras a ninguém depois da morte dos meus pais. Nem mesmo para Quinn ou Ellie. Estas palavras são permanentes. Ele segurou ambos os lados do meu rosto e olhou em meus olhos. “Relaxe, eu não direi isto de novo por enquanto. Eu apenas quero ter dito pelo fato de um dia, quando você estiver confortável com isto, eu lhe direi todos os dias, muitas vezes. Eu quero que você saiba quanto eu amo você cada maldito dia, mas por agora, eu vou deixar você absorver.” Ele beijou minhas pálpebras, nariz e cada uma de minhas bochechas. “Além disto, eu sei que você se sente do mesmo jeito, mesmo que você não possa dizer. Não é possível para nós sentirmos esta profunda conexão sem que você sinta também. Eu não posso ser o único a sentir isto.” Eu o empurrei de volta para o sofá e comecei a beijá-lo avidamente e ele correspondeu ao meu desejo. “Você é o mais incrível namorado que uma garota poderia pedir.” Debaixo de mim, eu vi seus olhos arregalados e selvagens, abertos em puro deleite. “NAMORADO?” ele gritou animadamente. “Sim, eu posso pelo menos admitir isto agora. Você será meu namorado, Jaxon Riley?” Eu sorri pra ele sendo ridícula.


Seu rosto relaxou com um olhar feliz e contente e ele calmamente respondeu “Baby, eu pensei que você nunca pediria.” Ele me virou debaixo dele com uma mão em meu cabelo e continuou a me beijar. Nossas mãos começaram a percorrer nossos corpos aproveitando este novo passo pra mim. Para nós. “Em, nós podemos sair agora? Eu realmente gostaria de ver se Emma Stone e Ryan Gosling transaram!” Quinn gritou do corredor. Ainda sem deixar a boca de Jaxon, eu gritei de volta “Não, vá embora!” Contudo eu não sabia se eles realmente me entenderam. Jaxon riu em nosso beijo. Eu agarrei em suas calças. Ele imediatamente perdeu o sorriso e o desejo consumiu sua expressão. Ele escorregou pra baixo contra mim e nós dois gememos em nossas bocas. “Ei, gente, pare com isto. Não no sofá.” Quinn estava próxima de nós, me tirando de perto de Jaxon. “Oh, como se se nós não tivéssemos plantado fluidos neste sofá ainda, querida,” Cole riu atrás dela. “Todos vocês são nojentos, calem a boca. Mantenham os fluidos para vocês mesmos,” Jace completou. “Vocês todos não poderiam ter aparecido num pior momento.” Jaxon resmungou. “Quinn, você nem se importa com Ryan Gosling. Você apenas quer assistir ao filme porque você acha a Emma Stone quente,” eu completei. “Inferno sim, é minha garota!” Cole gritou orgulhosamente. Quinn riu e beijou Cole no rosto enquanto mostrou a língua pra mim. “Hey Quinn, adivinha?” Jaxon disse olhando Cole ao redor dela. “Emerson me pediu para ser seu namorado.” Ele estava me provocando, mas com um grande sorriso em seu rosto. Eu não percebi como era fácil fazê-lo feliz. Quinn começou a aplaudir e pular. “Emmy, você finalmente tirou o pobre garoto de sua miséria!”


Eu imediatamente virei para Jaxon. Eu sabia que Quinn estava brincando comigo, mas havia alguma verdade em sua declaração. Eu fiz beicinho pra ele. “Miséria?” Eu perguntei. “Baby, não houve um Segundo de sofrimento pra mim desde que você disse que era minha e apenas minha”. Ele se inclinou para baixo, chupou meu beicinho em sua boca e mordeu entre seus dentes. Eu comecei a correr minhas mãos por seu cabelo de novo. Jace acendeu de volta as luzes e resumiu o filme. Jaxon e eu sossegamos em nosso canto mas eu ainda estava irritada e minha necessidade não ia embora. “Baby, eu não acho que eu possa sentar aqui...” eu comecei a dizer. Ele já estava de pé comigo em seus braços. “Oh, graças a Deus”! ele gritou. “Vocês dois são tão terrivelmente irritantes às vezes. Pelo menos vão para seu lugar.” Jace resmungou. Ele certamente estava muito mais frustrado recentemente. “Boa ideia, irmão,” Jax disse enquanto ele se virava no corredor e saiu pela porta. “Oh, e eu juro por Deus, vamos te colocar no seu lugar quando chegarmos em casa. Você é um mau humorado!” Ele apontou diretamente para Jace. Cole soltou uma risada com a carranca que Jace fez. Assim que andamos pelo corredor, eu fiz uma careta pra ele. “Você está indo para paquerar as meninas quando chegar em casa?” Ele andou entre o Quinn e meu sofá. “Oh linda, é ciúme que eu ouço?” Ele se aninhou em meu pescoço. “O que? Não. Eu não tenho ciúmes.” E era verdade. Eu nunca tinha ficado com ciúme de todas as garotas. Eu poderia ter ciúme da ideia de outra garota com Jaxon enquanto eu estava do outro lado do país? Esta ideia nunca passou pela minha cabeça antes. Eu nunca pensei sobre ele ir pra casa um par de dias e passando seu tempo com todos os seus amigos. Audrey deveria estar lá, sem dúvidas. “Bem talvez...um pouco. Mas apenas porque eu vi como fabulosa uma das suas ex é. Eu posso apenas imaginar como as outras se parecem.”


“Confie em mim, nada de paquerar da minha parte. Eu provavelmente vou passar a maior parte do meu tempo deprimido porque eu vou sentir falta da minha namorada.” Ele mostrou todos os dentes brilhantes pra mim. Ele estava aproveitando esta palavra um pouco demais, já. “Você vai sentir minha falta?” Eu perguntei surpresa. “Emerson, eu sinto sua falta quando você vai ao banheiro e agora eu supostamente vou passar semanas sem você?” As férias de inverno eram um mês inteiro. Nós todos prometemos voltar antes do mês acabar, porque era um tempo muito grande pra ficarmos separados. Mas a maior parte do tempo, seria gasto nas casas das nossas próprias famílias. “Eu sei que vou sentir sua falta também.” Eu sussurrei em seu pescoço. E era ainda difícil pra eu tomar a frente e expor meus sentimentos. “Venha para casa comigo. Por favor. Você pode conhecer minha mãe. Ela é ótima e eu sei que ela deve estar morrendo de vontade de te conhecer.” “Eu não posso Jax. Eu preciso ir e ver Ellie. Eu convidaria você pra vir comigo, mas eu sei o quanto você sente falta da sua mãe.” “Sim, eu não posso a deixar durante as festas...” ele disse triste “Ei, eu entendo.” Eu agarrei seu rosto. “São apenas algumas semanas, então nós vamos voltar pra cá e nos trancar num quarto e não sair até que sejamos forçados a ir para as aulas.” Eu sorri. “Promete?” ele perguntou triste “Prometo.” Eu me inclinei em busca dos seus lábios. Nós vamos aproveitar alguns dias juntos


Capítulo 14

Férias de Inverno

Jaxon e eu nos enfurnamos em seu quarto pelo resto do final de semana. Estou certa que Cole e Quinn fizeram a mesma coisa em seu quarto, porque Cole estava voltando com os caras pra casa também. Eu não vi Jace por três dias desde que eu e Jaxon estivemos juntos, ele deve ter ido para ficar na casa de um amigo porque nós estávamos tão “repugnantes” como ele tinha repetidamente nos lembrado. Eu estava começando a me sentir mal por ter deixado Jace tanto tempo fora. Ele deve estar ansioso para ter um tempo sozinho com seu irmão e melhor amigo de volta em casa. Quinn e eu deixamos os caras no aeroporto antes de partir para casa. Jaxon me deu as chaves da sua caminhonete, caso eu precisasse por alguma razão. Eu aceitei sabendo que não existe uma maneira no inferno de eu sequer tirar aquela coisa da garagem, e muito menos dirigir sozinha pela rua. Eu poderia apenas imaginar esmagando algum pobre e pequeno carro. Ele apenas riu pra mim. Eu perguntei se eu poderia dirigir a moto aos arredores. “Absolutamente não.” Todo seu bom humor saiu de seu rosto. Ele agarrou as chaves de volta das minhas mãos e tirou as chaves da moto do chaveiro, apenas para garantir. Eu nunca realmente planejei dirigir aquilo. Eu apenas queria irritá-lo antes dele partir. Missão cumprida. Eu nunca vou esquecer o olhar em seu rosto enquanto ele estava dizendo adeus. Eu juro que se ele tivesse ficado diante de mim naquela entrada de segurança por mais tempo, eu teria visto uma lágrima descer em seu rosto. Eu tentei tranquilizá-lo que o tempo voaria, mas eu estava igualmente triste com esta separação. Eu senti que nós ainda tínhamos um monte de obstáculos na nossa recente relação, e isto seria um tempo inconveniente para estar separados. Abracei-o com força e fiquei na ponta dos pés para beijar seus lábios.


“Tchau, bebê” eu sussurrei em seus lábios “Tchau, linda, eu te a...” ele parou e suspirou. “Vejo você em breve.” Eu dei a ele um olhar triste, quando eu disse adeus. Eu odiava que ele tivesse que segurar seus sentimentos por mim, mas eu ainda não estava pronta para dizer aquelas palavras pra ele, não importa o que meus sentimentos fossem. *.*.*.*.*

As próximas duas semanas andaram a passos de lesma. Ellie e Charles tinham planejado muitos eventos pra mim e Quinn. Não era do tipo diversão. O tipo maçante de negócio, que nós tivemos que nos vestir, sorrir bonito e manter educadas conversas. Eu tentei agir como se estivesse gostando porque isto era bom negócio para o Charles e isto era o mínimo que eu poderia fazer por ele depois de tudo que ele tem feito por mim. Jace e Jaxon têm acordado extremamente cedo todas as manhãs para ajudar a mãe deles com a terra enquanto eles estavam lá. Era realmente muito difícil pegar Jax no telefone. A diferença de duas horas de fuso horário usualmente não era um grande negócio mas Jaxon estava indo pra cama realmente cedo enquanto eu estava chegando tarde das funções e então dormindo tarde. Eu estava ficando frustrada com a falta de comunicação que estávamos tendo. Nós originalmente planejamos conversas por vídeo todo dia mas nós não fomos capazes de pegar um ao outro ainda nenhuma vez. O mais divertido que tivemos até agora foi mandar fotos pra ele de mim toda vestida para os eventos. Toda vez que eu tivesse uma chance eu checava meu telefone tarde da noite ele sempre me mandava uma mensagem sexy de volta dizendo o quanto ele estava curtindo minhas fotos. Eu sei que os caras tinham saído algumas vezes para encontrar com seus amigos na sua cidade. Quinn sempre ficava nervosa quando Cole iria sair para as festas com eles. Sendo amigos próximos de Cole antes dele começar a namorar com ela, nós tivemos que ouvir sobre todas as garotas que ele transou quando ele voltava pra casa pra visitas. Eu acho que Quinn estava preocupada por causa destas garotas. Cole era absolutamente louco por ela. Recentemente ele teve uma festa e acabou ficando tão bêbado que acabou caindo no sofá por lá.


Quando Quinn não teve notícias dele até a manhã seguinte, ela estava doida. Todo mundo na casa pôde ouvir seus gritos ao telefone. Eu percebi que ele estava explicando o que aconteceu e estava tentando tranquilizar Quinn que não havia nenhuma menina em sua vizinhança quando ele caiu. Ela aparentemente não se importava e desligou na cara dele. Isto foi há quatro dias e nem um dos dois tentou entrar em contato um com o outro. No início eu não estava preocupada porque Quinn estava reclamando comigo enquanto Cole estava reclamando com Jaxon, então eu sabia que eles logo acabariam com isto. Depois de quatro dias no entanto, eu estava começando a ficar preocupada que o orgulho aumentasse e eles não fossem capazes de passar por isto. Quinn estava andando ao redor chorando. Eu a estava consolando no seu sofá na grande sala de estar quando a campainha tocou. Ellie e Charles tinham ido tomar café juntos, então eu sabia que eu precisava levantar e abrir. Eu abri a porta, completamente surpresa por Cole que estava lá de pé parecendo triste e deprimido assim como Quinn se sentia. Ele tinha bolsas embaixo de seus olhos vermelhos como se ele não tivesse nem piscado. “Cole! É uma longa viagem do Texas para uma visita de surpresa!” eu falei chocada. Eu ouvi Quinn suspirar ao fundo. “O que?” “Desculpa, Emmy.” Ele me empurrou passando, quase nem notando o que eu tinha dito. Ele já tinha seus olhos em Quinn na sala. Ele a alcançou no sofá e a puxou por cima do ombro, sua cabeça batendo em suas costas fortes. “QUE INFERNO É ISTO, COLE?” Ela gritou. “Você não pode simplesmente vir aqui cobrando!” “CHEGA, QUINN! Você tem sido ridícula o bastante.” Ele encontrou a escada e começou a subir com Quinn se debatendo em seu ombro. Segui atrás rindo do show. “Onde é o quarto dela?” Ele perguntou pra mim. “Pegue o corredor da esquerda. É o último à direita.” Eu disse a ele. Quando ela percebeu onde ele a estava levando, ela parou de lutar com ele. “Obrigada, Em,” ele falou de volta, voltando ao corredor no topo da escada. Graças a Deus ele tinha vindo


para resolver as coisas. Eu andei até meu quarto para tomar um banho. Eu tirei minhas roupas e procurei outras para usar durante o dia. Meu telefone começou a tocar, mas o som era diferente do meu toque normal. Quando eu o encontrei, eu percebi que não era o que estava tocando e então eu lembrei que eu tinha deixado meu laptop aberto no caso de Jaxon e eu realmente nos pegarmos online. Eu posicionei a tela e então apenas exibiria meu rosto e meus ombros, já que eu estava nua para meu banho. Eu respondi entusiasmada, “Ei, baby!”. “Droga, linda, você é um colírio para meus olhos.” Ele parecia cansado, mas ele também parecia realmente bronzeado e se fosse possível um pouco mais musculoso. Como se tudo que ele tivesse feito neste tempo todo foi trabalhar ao sol. O que era, provavelmente o que ele estava fazendo. “Uau, você não parece tão mau,” eu pisquei pra ele. “Então...eu estou quase certa que Quinn e Cole finalmente se acertaram” Eu disse a ele. “Ah é? Por que está dizendo isto? Eu pensei que eu nunca ouviria o final por parte deles, se isto viesse a acontecer finalmente.” “Ele apareceu aqui e a arrastou para cima.” Eu ri. “O que? Ele voou de volta? Aquele bastardo.” Ele resmungou, parecendo chateado. “Por que você diz isto? Eu estou honestamente feliz que eu não tenha que ouvir mais choros da Quinn por aqui.” “Não, eu estou feliz que eles se acertaram. Eu só estou com ciúme que ele pegou e foi ver sua namorada. Eu estou a apenas dois segundos de pular em um avião eu mesmo, especialmente vendo seu lindo rosto de novo.” Ele sorriu pra mim através da tela. Eu amava aquele pequeno sorriso pelo canto dos lábios. “Eu estou feliz que você me chamou, eu estava entrando no banho.”


“Sim, Jace e eu estamos atarefados. Mamãe tem um milhão de coisas pra nós fazermos. Nós acabamos de chegar para o almoço.” Ele sorriu pra mim e então observei a realização lhe bater. “Baby, você tem uma camisa?” Eu balancei minha cabeça pra ele. “Eu estava prestes a entrar no chuveiro,” eu lembrei timidamente. “Então, você não tem nenhuma neste momento?” Quando eu balancei minha cabeça, ele se inclinou pra frente e gemeu. “Apenas mova a câmera pra baixo um pouco.” Ele apontou para baixo. Eu decidi fazer algo melhor pra ele e afastei pra trás minha cadeira, então ele poderia ver meu rosto enquanto ele poderia ter um show do meu peito. Eu amei a luxuria que isto causou em seus olhos azuis. Quando eu toquei meus seios com as duas mãos e empurrei ambos juntos pra ele, eu juro que ouvi ele rosnar. Eu estava quase pedindo pra ele me mostrar algo, quando eu ouvi Jace andando pelo quarto atrás dele. Seus olhos se arregalaram quando ele viu numa posição comprometedora na tela de seu irmão. Eu rolei a câmera de volta apenas para meus ombros e rosto. Jaxon projetou um sorriso nos lábios de uma maneira doce. Eu quase retornei para minha sedução, quando eu lembrei o quanto ele ficaria bravo quando percebesse que Jace estava atrás dele. Que por sinal, ainda estava lá parado com um sorriso de gato Cheshire em seu rosto. “Uh, Jax?” Eu disse “Sim, linda?” ele respondeu sem fôlego. “Da próxima vez você poderia fazer isto com sua porta do quarto fechada.” Eu apontei atrás dele. Sua cabeça virou para trás para olhar seu irmão. “Maldição, Emi, eu sabia que você tinha uma bela frente, mas uau...” Jace inclinou-se para olhar pra mim, atrás de seu irmão, que agora estava de pé. Jaxon não parecia feliz. Eu vi sua mão para cima e agarrar a tela do laptop. Antes de bater, eu o ouvi dizer, “Eu sinto sua falta, boneca!” Então a tela ficou preta. 

O Gato de Cheshire é um gato fictício, personagem do livro Alice no País das Maravilhas de Lewis Carrol. Ele se caracteriza por seu sorriso pronunciado e sua capacidade de aparecer e desaparecer.


Eu levantei par ir ao meu banho, rindo da imagem daqueles dois, que provavelmente estavam lutando um com o outro neste momento. Eu sentia tremendamente a falta de Jaxon, mas eu percebi que sentia falta de Jace também. Ele havia se tornado como um irmão pra mim. Bem, não como um irmão, uma vez que irmãos nãos lhe falariam quão quente seu peito é, mas definitivamente mais do que apenas um amigo. Quando eu saí do banho, eu percebi que havia uma mensagem de texto esperando por mim. Jaxon: não fique brava comigo, mas veja seu e-mail. Eu odeio quando pessoas começam comentários como este, minha mente sempre pensa que o pior está por vir. O que ele poderia ter possivelmente feito nos últimos 24 minutos que poderiam ter me deixado brava? Quando eu abri meu e-mail, eu percebi que havia uma confirmação de voo para o Texas e meu voo partiria amanhã. Eu: Você me comprou uma passagem aérea? Jaxon: Você não precisa usar, mas eu espero que use. Eu sinto sua falta como louco. Eu: É melhor você estar naquele aeroporto carregando presentes para que eu faça isto! Jaxon: VOCÊ VIRÁ? Eu: Haverá um pedaço lindo do outro lado desta passagem, com certeza eu irei. Jaxon: Eu traria o mundo pra você se eu pudesse. Ellie e Charles ficariam tristes por me ver partir tão cedo, mas eu acho que Ellie estaria mais feliz que tinha alguém lá fora que valeria a pena pra eu ir visitar. Eu ri de Quinn, que mal poderia me dizer tchau por estar tão grudada em Cole. Nós voltaríamos juntas ao nosso apartamento de qualquer modo. Quando eu cheguei ao terminal, eu peguei uma escada rolante até a esteira de bagagem. Jaxon era a primeira pessoa na fila dos recepcionistas na parte inferior. Eu comecei a rir no instante que o vi por causa do seu olhar como uma pequena criança no Natal. Seu entusiasmo era


contagiante e eu percebi que as outras pessoas em volta dele, riram com minha aparição. Eu tenho certeza que meu rosto, espelhava o seu de qualquer modo. Ele agarrou tanto a mim como minha mala antes mesmo de eu dar os últimos dois passos. Eu envolvi minhas pernas em volta de sua cintura e puxei seu rosto pare meus lábios. Ele caminhou até um banco me beijando quando eu ouvi uma senhora dizer, “Cara, posso ter um “Bem-vindo” como aquele?” Eu ri em sua boca. Ele me sentou no banco e me entregou uma caixa prata embrulhada que eu não tinha notado que ele estava segurando em suas costas. “Jax, eu estava brincando sobre isto”, eu disse enquanto tirava de suas mãos “Não é nada demais. Apenas abra.” Eu enfiei meu dedo sobre a aba prata e abri o embrulho. Quando eu abri a caixa, eu imediatamente percebi o que era. Uma caixa cheia de trufas de framboesa. Eu não sei como ele achou isto, mas este homem era fora do comum. “Você lembrou?” Eu engoli seco num sussurro. “Eu me lembro de tudo sobre você, Emerson.” “Uau, eu estou apaixonada pelo Texas já.” Isto o fez jogar a cabeça pra trás e rir. Nós andamos para fora do estacionamento e eu percebi que não tinha ideia que tipo de carro estava procurando, com Jaxon, isto poderia ser qualquer um. Para meu choque total, ele andou direto para um velho carro que parecia em perfeitas condições. Eu congelei. “Este. Não. É. O. Seu. Carro.” Eu poderia imaginar ele dirigindo isto e já estava ligado. “Uh...sim, meu pai reconstruiu comigo,” ele disse, conscientemente. “Por que diabos você não trouxe isto para Califórnia? Isto é tão quente!” Alívio atravessou em seu rosto. “Minha mãe disse que eu poderia ter problemas com isto. Mal ela sabia que eu poderia virar a próxima porta a direita por problemas.” Ele piscou pra mim.


“Oh, eu posso lhe mostrar todos os tipos de problemas com isto.” Eu esfreguei o capô em seu preto brilhante “Por favor, Deus, não.” Ele veio à minha volta e me empurrou para trás contra ele. “Que tipo de carro é este?” Eu perguntei, enquanto ele movia seu corpo contra o meu. “Tudo que eu sei é que ele é quente.” Ele inclinou sua cabeça pra baixo e sussurrou em meu ouvido. “É um Camaro 67, 470 cavalos de potência.” “Eu não faço ideia que tipo de coisa isto significava, mas não posso esperar pra vê-lo dirigir.” Ele riu enquanto abria a porta pra mim e me ajudava a sentar. Eu não sei como é ver um cara dirigir um câmbio manual. Talvez este seja o jeito de puxar a alavanca de cada marcha, o jeito que os músculos do antebraço flexionam com cada movimento, ou talvez seja o sorriso arrogante que Jax tem em seu rosto enquanto dirige, mas eu estava completamente ligada nos movimentos até quando chegamos na casa. Eu estava ainda encarando ele, quando ele estacionou. “Eu não penso que posso encontrar sua mãe assim.” “Assim como?” ele perguntou, sorrindo. “Como se eu fosse pular em seus ossos, desta forma.” Eu mexi no meu assento desconfortável. “Ah, linda, haverá tempo de sobra pra isto.” Ele piscou. Antes que eu dissesse que não poderia esperar, Jace veio mal descendo os degraus. Havia uma linda e surpreendentemente jovem, que era a versão feminina de seus filhos, logo atrás dele. Quando eu abri minha porta, Jace me tirou pra fora do carro, me dando um abraço de urso. “Emmy! Eu senti sua falta,” ele disse sorrindo. Alguém estava finalmente de bom humor.


Talvez ele precisasse de férias. Sorrindo de seu entusiasmo, eu devolvi o abraço. “Eu senti sua falta também, Jace.” “Desculpe por andar atrás de você e Jax ontem. Eu ganhei um chute na bunda por isto.” Ele me deu um olhar de cachorrinho que se assemelhava muito a seu irmão. “Nem tente empurrar este olhar doce pra ela depois de você ter violado sua privacidade.” Sua mãe o empurrou. Ela sabia disto? Ótimo. “Oh.” Eu disse, mortificada Ela me puxou num abraço uma vez que Jace me soltou. “Oh desculpe, eu não quis lhe embaraçar. Estes garotos me contam tudo. Eu ouvi tudo, acredite, isto não me incomoda.” Eu sorri pra ela com ternura. “Eu sou Julie, a propósito.” “Eu sou Em, obrigada por me deixar ficar em sua casa.” “Não foi nada. Então você gosta que lhe chamem Em?” ela perguntou. “Jaxon te chama de Emerson.” Jaxon deu a volta no carro e estava sorrindo para nós duas. “Sim, Jax é o único que me chama assim. Eu tentei pará-lo.” Eu dei de ombro. “Vamos lá meninas, eu estou faminto.” Jaxon disse enquanto ele colocava seus braços ao meu redor e ambas direcionamos para as escadas da varanda. “Você é um terrível engraçadinho, filho.” Julie sorriu pra ele. “Eu tenho minhas duas garotas preferidas no mesmo lugar, o que poderia ser melhor?” “Oh, me amordace, por favor. Quando você se tornou tão maricas?” Jace perguntou, enquanto apertava o braço de Jax e puxava sua mãe para longe de nós. Estes dois eram tão adoráveis com sua mãe. A mãe de Jaxon não ligava que eu fosse dormir em seu quarto e ela não batia os cílios a algumas das histórias que eles contavam a ela das festas da faculdade. Eu entendi que ela ficou gravida deles quando tinha dezessete, por isto ela parecia tão jovem. Seu pai parecia ser louco de


amor por ela e ele trabalhou duro para construir uma magnífica vida para sua família. Eu não tinha ideia como Jace e Jaxon estavam bem. Aparentemente seu pai tinha sido CEO da própria companhia, então ele morreu, eles foram deixados pelo menos com uma vida confortável por muitos e muitos anos. Eu não perguntava por detalhes, eu apenas estava desfrutando de ouvir todas as histórias de família. Eles pareciam ser muitos unidos. Eu havia ouvido Jax conversado com sua mãe no telefone alguns dias, mas era bom ver todos juntos pessoalmente. Eu ficaria aqui por um curto tempo, antes de nós três voltarmos para Califórnia. Nós passamos nosso tempo juntos, Jace e Julie incluídos. Surpreendentemente, não era chato ter sua mãe o tempo todo conosco em tempo integral. Ela era incrível, e ela poderia brincar com seus filhos. Eu podia ver que eles tinham o seu charme. Eu apenas poderia imaginar como devastadoramente lindo deveria ser seu pai. Esta foi a primeira vez desde que conheci Quinn que eu não passaria o aniversário dela com ela, mas eu estava feliz que Cole estava lá. Eu conversei com ela pelo telefone a maior parte do dia, nenhuma de nós gostando do fato de não estarmos juntos. Eu talvez odeio celebrar meu aniversário mas eu amo estar com Quinn no dela, Jaxon e eu fizemos com que um bolo de chocolate e flores fossem entregues pra ela e ela me fez prometer que levaria pra ela algo do Texas. Jaxon e eu também fomos a algumas festas na cidade. Era legal encontrar um grande número de pessoa que ele cresceu junto. Suas festas eram mais calmas e discretas que as festas que eu conheci da Fraternidade. Na véspera de Ano Novo, nós fomos para uma fogueira na propriedade de seu amigo. Eu nunca realmente estive numa real fogueira antes, então era legal a experiência com ele e sua família. Eu poderia olhar para os olhos azuis de Jaxon iluminados pelo fogo pelo resto da minha vida. Pela primeira vez, eu beijei alguém a meia noite e estava agradecida que foi Jaxon que eu estava beijando. Sua família me mostrou a sua cidade. Jaxon terminou me comprando um par de botas de cowboy que ele disse que parecia quente em mim com um vestido, Julie me comprou um vestido que ela disse que pareceria legal com as botas. Em uma das lojas acabamos nos distraindo e nos perdemos de Jace, eu eventualmente voltei atrás dele pela loja. Eu fiquei surpresa de o ver conversando com Audrey. Ele estava falando em um tom duro e ela parecia incrivelmente triste.


“Ei Jace, você está pronto pra ir?” Eu disse através do corredor até ele, receosa de ir até lá e ficar entre eles. Ela olhou pra mim com uma expressão de choque. “O que ela está fazendo aqui?” ela exigiu levantando a voz pra ele. “Ela é a namorada do Jax, isto é o que ela está fazendo aqui, Audrey.” Ele respondeu bruscamente se afastando. Audrey ficou chateada com a notícia. Eu realmente não gosto da garota mas eu me senti mal pela expressão miserável em seu rosto. Ele veio, colocou os braços pelo meu ombro e se afastou dela, “Você está bem?” Eu perguntei olhando pra ele. “Totalmente bem, Em. Ela apenas estava me encurralando.” Ele deu de ombros e andou de volta para a loja para encontrar meu namorado e sua mãe. Em nossa última noite lá, Jaxon estava preparando o jantar pra todos. Eu estava emocionada de ver como veio à tona, pois ele nunca cozinhou em casa antes. Ele tinha deixado o som de música country tocando pela casa. Jace, sua mãe e eu estávamos todos sentados no sofá com bebidas e conversando. Quando um novo som começou a tocar, Julie bateu palmas. “Oh, eu amo Blantley Gilbert!” Ela exclamou. Jaxon veio até mim com seu avental e procurou por minha mão. “Dança comigo?” ele perguntou. Eu sorri, passei minhas mãos nas suas e puxei para um abraço. Eu coloquei minha mão em seu ombro e uma na palma estendida. Eu olhei Jace puxando sua mãe pra dançar com ele também. Jaxon me girou em torno da sala. Cara, estes garotos sabem dançar; sua mãe os ensinou bem. Não havia uma polegada da sala que Jace e Jax não haviam coberto conosco. Jace trocou sua mãe comigo. Jaxon não permitiu que dançasse com Jace por muito tempo antes dele me roubar de volta, Jace e sua mãe estavam rindo histericamente como ele mantinha girando por círculos repetidamente tão rápido quanto ele podia.


Ao longo de toda a música, Jaxon estava cantando bem no meu ouvido. Eu fechei meus olhos e deixei sua voz fluir através de mim. O cantor cantou como ninguém conhecia sua menina, como ele. Quando ele cantou que ela era sua melhor amiga, eu derreti em Jaxon. Esta foi a canção mais doce. Eu não tive nenhuma dúvida em minha mente que ele estava cantando isso para mim de propósito e de uma forma que ninguém sabia como ele fazia. Segurei com mais força enquanto cantava as últimas palavras da canção com a sua voz inebriante. Eu abri meus olhos quando a música terminou e percebi que ele tinha nos levado para fora da sala de estar longe de sua família. Ficamos olhando um para o outro avidamente. Em seguida, ele deu um passo para trás e gritou: "Mãe, você pode terminar o jantar para mim?" Ele tirou o avental apressadamente em torno de sua cintura jogando-o no chão. "Sim, querido, vejo vocês mais tarde", ela gritou de volta da sala de estar. Ele me arrastou para fora da porta da frente para a noite mais rápido do que as minhas pernas curtas poderiam segurar. Seguimos todo caminho até o carro, ele abriu a porta e sentou-me no interior. Quando ele tinha o cinto de segurança afivelado, ele foi para o lado do motorista. Eu alinhei meu lábio inferior, "Eu estava ansiosa para comer um jantar que você realmente fez." "Mamãe provavelmente vai jogá-lo fora agora e começar tudo de novo. Você não vai perder nada, eu prometo", ele riu. Eu gostava de vê-lo enquanto ele dirigia. Ele não saiu de sua propriedade. Em vez disso, ele partiu para a estrada de terra que levava aos campos. Fiquei surpresa ao ver este carro pegando os obstáculos tão bem. Quando estava escuro como breu e parecia que estávamos no meio do nada, ele estacionou o carro. Seus dedos trocaram os faróis altos para iluminar uma bela lagoa. Era bastante grande com pedras e grama alta em torno dela como um tesouro escondido. Durante a noite, a superfície da água parecia de vidro preto. "Eu tinha mais uma coisa para lhe mostrar", disse ele calmamente. "Jace costumamos viver aqui nos verões. Ela pode ser um pouco fria agora porque é janeiro, mas isso não vai ser tão ruim.” "É muito bonito."


Eu saí do carro e andei na frente dos faróis. Jaxon deu a volta no lado oposto ao meu encontro. Aproveitando o nosso momento de solidão, eu puxei minha camisa sobre a minha cabeça e depois escorreguei meu jeans para baixo sobre meus tornozelos. Eu sorri para Jax, que estava me olhando com os olhos arregalados. Depois eu tirei minha calcinha. Quando cheguei por trás e desabotoei meu sutiã, eu joguei para cima do capô do carro. O olhar em seus olhos gritava que ele queria me possuir e não sabia como compreender esse olhar. Eu andei, parei em frente de sua capô, e estendi sobre ele. "Eu acho que eu lhe prometi todos os tipos de problemas com isso." Eu bati no capô, enquanto olhava para ele sedutoramente. Eu levantei minhas mãos acima da minha cabeça, quase atingindo o para-brisa. Ele deu um passo entre minhas coxas, estendeu a mão para os meus seios, e passou a língua entre eles. Minhas costas se levantaram com seu toque. “Foda-se baby, você está deitada neste carro...Eu estou certo que eu tive sonhos molhados sobre este tipo de coisa quando eu tinha dezesseis anos.” Ele sussurrou sobre minha pele. Ele beliscou seu caminho até meu estômago até ele acertar o local que ele estava procurando. Eu estava tão excitada de ouvi-lo cantar para mim, de estar envolvida em seus braços enquanto dançávamos, e de vê-lo dirigir o carro mais cedo, mas só levou um par de minutos até que eu estava gritando o nome dele, grata que estávamos no meio do nada. Ele rapidamente foi tirando todas as suas roupas e, em seguida, deslizou as mãos até minhas costas, me pegando. Ele caminhou conosco até a água. Eu dei-lhe um olhar preocupado quando ele se levantou em uma rocha alta acima da água. Meus dedos se fecharam em seus ombros nus. "Pronta", ele perguntou. "Não!" Eu rugi. "Muito ruim, linda", disse ele, pouco antes de pular na água comigo em seus braços. Esta lagoa era mais profunda do que parecia. Nós afundamos abaixo da superfície e levou um segundo para nadar de volta até o topo. Foi absolutamente congelante. Quando saí da água, eu corri minhas mãos sobre meu rosto e cabelo para tirar a água dos


meus olhos. "JAXON, ESTÁ CONGELANDO", gritei. Ele veio rindo. "Ah, querida, não é tão ruim assim." Nadei até ele para enrolar em torno de seu corpo para me aquecer. "Eu vou aquecê-la", disse ele, mordendo minha orelha. Com um impulso rápido, ele estava dentro de mim, e eu gritei imediatamente. Se eu tivesse mais tempo para pensar sobre isso, eu teria ficado impressionada com a sua precisão na água, mas antes que eu pudesse ser surpreendida, ele foi me empurrando para cima e para baixo sobre ele. A água tinha me tirado pra fora do meu eixo, e eu não tinha controle sobre nossos movimentos. Decidi, então, apenas saborear este momento com ele e todo o poder que ele tem sobre mim. Eu joguei minha cabeça para trás com o meu cabelo na água, desfrutando de seus impulsos. Seus antebraços estavam embalando minhas costas e suas mãos estavam segurando meu cabelo, me deixando tão perto quanto ele queria. Ele chupou do meu pescoço até meus seios. De repente, ele começou a empurrar para dentro de mim e depois parou. Ele lentamente puxou meu corpo de volta e rapidamente empurrou para trás eu cavei minhas unhas nas costas dele com esse novo ritmo delicioso. Eu precisava ouvir esse gemido que eu amo tanto, então eu comecei a empurrar em torno dele. Comecei a empurrar e liberar. "Eu amo quando você faz isso, baby", ele gemeu no meu ouvido e eu o fiz temporariamente perder seu ritmo. "Eu amo tudo o que você está fazendo comigo agora." A água entre nossos corpos e seus movimentos estavam criando uma maravilhosa fricção que foram crescendo sobre minhas pernas. Eu queria manter isto comigo o mais tempo possível e nunca queria que este movimento acabasse. "Emerson, você é incrível. Eu ainda não posso acreditar que eu encontrei você. Promete que vai ficar.” "Eu prometo", eu respirei. "Prometa que você vai ser paciente comigo." Eu tracei alguns beijos para baixo em sua mandíbula.


"Eu prometo", ele respondeu. "Eu preciso de você na minha vida." "Você me tem." "Eu te amo." Quando eu fiquei tensa, ele começou a se movimentar para proporcionar conforto para mim. Eu coloquei minha testa para baixo em seu ombro, em silêncio, dizendo-lhe que eu me sentia da mesma maneira. Eu estava com medo de que se eu dissesse isso em voz alta, eu estaria me azarando. Eu me sinto como se eu estivesse indo tão bem, desde que me tornei sua namorada real. Se eu tomar o próximo passo muito cedo, de alguma forma eu vou acabar falhando com ele. Eu preciso encontrar uma maneira de dizer a ele. Eu só preciso de mais tempo. Pouco tempo depois, ele começou a acelerar seus movimentos. Eu nunca senti isso antes e foi profundo e celestial. Eu não podia deixar de me concentrar em seu belo rosto. As luzes do carro estavam brilhando sobre nós na lagoa. As sombras contrastando com suas altas maçãs do rosto perfeitamente. Eu não podia acreditar que um cara lindo como este poderia ser tão atencioso e compreensivo. Eu comecei a sentir essa maravilhosa sensação de realização através de mim. Quando eu chamei o nome dele, ele seguiu atrás de mim, dois segundos depois. Quando finalmente entramos pela porta da frente de sua casa, meus dentes batiam. Nós não tínhamos uma toalha para nos secarmos e com isso tivemos que colocar nossas roupas em nossos corpos molhados e meu cabelo tinha encharcado tudo o que meu corpo não tinha. "Jaxon Riley! Diga-me você não a levou na lagoa?" Julie gritou para ele assim que nós entramos. "Olhe para ela, ela está congelando!" "Não se preocupe, mãe, eu a mantive quente", ele riu. Virei-me e lhe bati na barriga. "Ops!" "Já para cima, vocês dois", ela riu e bateu Jaxon na parte de trás da cabeça em seu caminho para cima. “Credo, garotas, peguem leve comigo!” Ele brincou. No dia seguinte nós fomos para o aeroporto e foi uma despedida muito tristes com a Julie. Eu me senti em casa aqui e eu senti que não queria partir. Agora eu entendo porque eles querem


sempre voltar pra casa nas férias. Quando os rapazes foram para fazer check-in de sua mala, Julie veio até mim e me abraçou e eu tinha lágrimas em meus olhos. “Não chore, querida.” Ela me abraçou forte. “Desculpe-me, eu não posso evitar. Eu gostei muito daqui.” “Por favor, volte, eu nunca vi Jaxon tão feliz.” “Eu realmente espero não estragar tudo.” Eu sussurrei em seu cabelo. Ela se afastou e manteve um aperto em cada braço. “Sabe de uma coisa, querida, você vai. E ele vai também. É o que fazemos estragar, uma vez que realmente vale a pena.” Ela sorriu pra mim. “Obrigada.” Era só o que eu podia dizer. Ela segurou meu telefone de minha mão. “Aqui está meu número, ligue-me toda vez que você precisar conversar. Jaxon me disse que seus pais faleceram. Não hesite em me ligar se precisar de um ouvido de mãe. Eu não estarei do lado dele, eu prometo.” Então ela me deu mais um longo abraço que realmente fez escorregar lágrimas em meu rosto. Apesar de Ellie, eu nunca encontrei alguém tão aberta e amável. Eu a balancei de volta muito apertado. “Que diabos é isto mãe, eu as deixo por dois segundos e você a faz chorar?” Suas palavras eram duras mas seu tom era brincalhão. Ele estendeu a mão e me puxou junto ao seu corpo enquanto beijava minha testa. Jaxon e Jace cada um lhe deram um beijo na bochecha e um abraço e juntos caminhamos através da área de segurança para voltar ao mundo real.


Capítulo 15

O Colapso

Nossas aulas tinham voltado quando tudo começou. Eu tinha duas aulas com Jaxon, uma aula com Cole, e surpreendentemente uma aula com Jace. Nós tínhamos aulas que ambos estávamos adiando. Eu estava animada sobre, eu nunca tinha saído com Jace por eu mesma, então essa aula tinha me provido a oportunidade perfeita, nós saíamos tarde e estudávamos juntos. Também foi bom ter alguém para guardar meu lugar. A escola estava ficando maluca pelo último jogo do campeonato. O campus estava literalmente no espírito, colando cartazes e todos usavam as cores da escola diariamente. Jaxon e Cole estavam praticando com o time duas vezes ao dia agora para se preparar para o grande jogo. Ambos vinham para casa exaustos e irritados a cada noite. Quinn e eu sempre tentávamos ter comida pronta para eles quando terminavam o treino. Não demorou muito tempo para fazermos a conexão entre estar com fome e a extrema irritabilidade. Eu estava animada por eles, mas eu ficaria contente quando esse jogo acabasse. Honestamente, eu ia ficar quando essa semana acabar. Dois de fevereiro é amanhã, aniversário de seis anos de morte dos meus pais e meu vigésimo primeiro aniversário. Quanto mais à data se aproximava mais eu ficava ansiosa por tudo e por nada. Eu tenho tentado esconder meu comportamento inquieto de todos, mas eu não sei o quão bem eu tenho feito isso. Imaginei que Jaxon e Cole estavam ocupados com os treinos até agora, Quinn aprendeu a não trazer o assunto do meu aniversário e há alguns anos atrás eu acredito que ela honestamente esqueceu, eu acho que isso é o melhor. Todos os jogadores de futebol decidiram fazer uma festa esta noite. Alegando precisarem extravasar um pouco, mesmo em uma terça. Aparentemente, o treinador está sendo muito duro com eles no treino. Desde que a metade dos jogadores estão na fraternidade, a festa acabou sendo na Frat Row. Eu realmente não queria ir, isso honestamente soava como uma má ideia com o meu humor. Por outro lado, talvez eu pudesse extravasar minha ansiedade/excitação também.


Quando nós retornamos das férias de inverno, Quinn reclamou com Jaxon e eu que estávamos nos tornando um velho casal casado, não íamos mais a festas. Eu fiquei assustada quando ela disse isso e desde então estamos indo para a maioria delas. É bom ir e ter um bom tempo com o meu namorado. Originalmente, pensei que seria estressante, com os outros caras pensando que poderiam me tocar ou com a forma que as meninas estão sempre dando em cima de Jaxon. Nós finalmente encontramos nosso ritmo e temos bons momentos. No momento em que Quinn e eu tínhamos acabado de ficar pronta, eu estava completamente nervosa e inquieta. Por alguma razão, eu só não podia parar de pensar sobre como amanhã seria. Eu ouvi o último barulhinho do meu telefone tocando da cozinha, mas percebi que já tinha perdido a chamada, então eu verificaria isso quando começássemos a sair. “Você está agindo tão estranha, sente aqui e respire Emmy”. Quinn procurou meu olhar pelo espelho enquanto ela reaplicava seu delineador. “Eu não estou agindo estranho. Só acho que estou realmente precisando beber essa noite”. Eu disse enquanto agitava minhas mãos. “Uh-oh, O que está errado? Você e Jaxon tiveram uma briga?”. Ela se virou para mim. “Quinn, ele não está perto o suficiente ultimamente para brigarmos. Além disso, não há nada de errado com estudantes universitários apenas querendo sair para beber”. Eu dei de ombros para ela. “Você está chateada que ele não tenha estado por perto? Está quase acabando.” Ela respondeu calmamente. “Não, honestamente não me incomoda. Eu estou bem, Quinn.” Eu disse a última parte deliberadamente lento para ela entender e, no mínimo, reconhecer que eu não ia falar sobre isso. Eu realmente estava bem, mas a última coisa que eu queria ter era uma sessão de terapia. Tequila não pergunta sobre seus problemas. Tequila e eu sempre nos demos bem. Quando eu ouvi seu suspiro, sabia que ela não estava feliz com a minha resposta, mas também sabia que havia conseguido afastá-la por um longo tempo.


Houve uma pequena batida na porta da frente e, em seguida abriu e fechou. Tinha que ser um dos caras, embora eles geralmente nem se preocupam em bater. Ouvi botas arrastando no carpete da sala de estar. “Garotas!” Jace chamou do corredor. “No quarto” eu chamei de volta. Quando Jace entrou no quarto, ele estava vestido para sair em uma camisa de manga curta preta e de botão, seus jeans escuros desbotados cabiam-lhe perfeitamente. Seu cabelo estava assinado no estilo “Riley Boy” bagunçado e ele estava carregando sua jaqueta de couro, o que significava que ele estava pilotando a moto para ir à festa esta noite. Acho que ele gostou da opção de poder escapar se quisesse, em vez de ir com a gente. “Nossa, Em, pare de checar ele descaradamente.” Quinn me deu uma cotovelada. Vi como as bochechas de Jace tornavam-se vermelhas. Ops! “Desculpe! Isso é tão difícil. Quero dizer ele é gêmeo idêntico do meu namorado. Obviamente gosto dessa marca.” Fiz um gesto com a mão para cima e para baixo indicando Jace. Jace e Quinn começaram a rir de mim. “De qualquer forma”, ele começou com um sorriso tímido no rosto. “Eu acabei de deixar o campo e o treinador ainda estava treinando com alguns deles. Aparentemente alguns dos caras entraram em problemas, então estão sendo punidos. Jax e Cole inclusive. Quando eles pararam para beber água, eles disseram que só poderiam nos encontrar na festa mais tarde, eu tenho certeza que metade do time já está em casa.” Jace encolheu seus ombros. “Eu acho que eles só não estavam treinando corretamente. O treinador é um pau no cu com isso.” “Ótimo, agora eles estarão num humor delicioso. Provavelmente é melhor encontrá-los lá.” Ela respondeu. Na verdade achei esse plano melhor, eu poderia pegar algumas doses antes de Jax chegar lá sem ter que explicar por que estava bebendo. Então esperançosamente poderia trocar essa maluca energia negativa da minha veia em tempo, para agir normal perto do meu namorado. Eu


esperava que isso funcionasse, pois precisava dessas memórias fora da minha cabeça. Na noite passada tive um sonho sobre a última vez que passei com os dois, mamãe e papai, antes do divórcio. Nós tínhamos ido a um pequeno parque de diversões a algumas horas de distância e eu tinha me apaixonado pela montanha-russa de lá. Eu juro que eles foram um milhão de vezes no brinquedo comigo naquele dia, eu só guardava essa lembrança de como meu pai ria quando nós passávamos de cabeça para baixo pelos loops. Precisava abafar aquela risada. Deus, como você para de sentir falta de alguém? Especialmente alguém que você estava com raiva. “Estou indo de moto para lá, está bem? Ou as senhoras precisam de mim para levá-las?” Jace perguntou enquanto caminhava para porta. Eu ainda estava presa nas minhas lembranças então Quinn respondeu por nós. “Vá em frente, Jace, nós estaremos bem atrás de você”. Quando ele fechou a porta, ela se virou e me olhou. “Você tem certeza que está bem, sua cara está pálida.” “Estou bem, Quinn, para de agir como minha mãe. Vamos.” Eu não deveria ter dito aquilo, foi cruel. Ela sempre foi meu apoio para tudo, mas só hoje e amanhã eu não preciso de nenhum curioso. Agarrei meu telefone da bancada e percebi que eu realmente tinha perdido duas chamadas, uma era de Jaxon, uma vinha de um número que eu não reconhecia e as duas tinham deixado mensagem de voz. Entrei no meu correio de voz e ouvi o que eles tinham a dizer. A primeira era do Jax: “Ei querida, nós fodemos o treino hoje, o treinador está nos mantendo até mais tarde. Te encontro lá essa noite. Te amo.” Isso ainda era estranho para mim como ele só ia jogar e avisar no último instante. Sua voz parecia estressada, parecia como se ele estivesse numa multidão e gostaria de extravasar alguma energia essa noite. A segunda mensagem era de uma voz que eu não conhecia: “Sim, estou ligando para Emerson Moore. É Willian Gordon ligando do escritório de advocacia de Gordon, Simon & Bates. Eu tenho uma urgente questão relacionada a um material confidencial de Robert e Michelle Moore. Se você puder me ligar de volta o mais cedo possível, apreciaria isso”. Graças a Deus, Quinn estava no banheiro e tinha me deixado sozinha aqui. Tenho certeza que se meu rosto estava pálido antes, agora ele estava incolor. Meu estômago tinha batido no chão


quando escutei o nome dos meus pais, ninguém havia dito esse nome em anos. O que poderia, possivelmente, ter este advogado para me dizer? Não é como se meus pais estivessem lá agitando novas situações. Eles estavam mortos. Senhor Gordon teria que esperar até amanhã, esta noite estava sendo para ficar perdida. Há duas coisas erradas com essa festa já. O primeiro é que não tinha qualquer tequila lá, só cerveja. Eu poderia ficar bêbada com cerveja, mas levaria tempo. O segundo problema foi Devon Ryan estar aqui, o único outro cara que eu cheguei perto de namorar. Eu nunca esperei vêlo novamente depois dele ser transferido para alguma escola depois do primeiro ano. Se eu fosse esperta teria saído depois de ter descoberto o primeiro problema. Quando eu cheguei fui direto para a cozinha para achar o licor escondido que para minha decepção todas estavam vazias. Quando bati em frustração no último armário em cima da geladeira, senti mãos alcançarem em torno da minha cintura e me ajudar a sair da bancada. A misteriosa mão me pôs no chão e eu me virei para enfrentar Devon. “Devon?” Engoli em seco quando vi seus olhos castanhos dourados e seu cabelo loiro, ele parecia bonito como sempre. Ele tinha um longo corpo magro como de um nadador que eu tinha apreciado no primeiro ano. Agora eu tinha o corpo de Jaxon, porém, não podia comparar. “Ei, mocinha. Como a vida está tratando você?” Ele sorriu para mim, assumindo que eu estava o checando. Não estava, embora eu estava surpresa de vê-lo. “Bem, eu planejo passar hoje e amanhã bêbada, mas depois de tudo eu voltarei a ficar bem.” Ele parecia abrir uma cerveja. “Uh, ok. Que dia é hoje e amanhã?” Merda, porque eu acabei de dizer isso alto, especialmente para ele? Nós precisamos mudar de assunto. “Você não tem um primo aqui?” Ele riu da minha esquiva, “Sim, é por isso que estou aqui. Bem, isso e por causa do campeonato. Os caras daqui têm sorte por terem Jaxon Riley, ele está matando por aqui.”. “É, meu namorado é muito bom”. Terminei a cerveja e fui para outra. “É disso que vocês estão chamando esses pobres otários nos dias de hoje?” Ele riu.


“Não, eu sou mulher de um homem só nos dias de hoje, Devon.” “Puta merda, esse cara deve andar sobre as águas para que se estabeleça com Em Moore.” Ele me beliscou de um lado e eu ri. Em uma hora e meia depois eu tinha finalmente encontrado o ‘status perdida’ e estava na pista de dança tentando botar para fora essa energia frenética que ainda estava dentro de mim, estava esperando que pudesse bebê-la, mas eu juro que alguém nesta sala tinha exatamente a mesma risada do meu pai ou talvez eu estava somente ouvindo coisas. Devon estava dançando próximo de mim no meio da pista de dança, eu não diria que estávamos dançando juntos, só dançando na mesma vizinhança. Eu não tinha vontade de dançar com ninguém, só precisava que esse sentimento fosse embora. Saí da pista para pegar outra bebida na cozinha quando fui pega em braços familiares, ele começou uma chuva de beijos em minhas pálpebras, nariz e finalmente na minha boca. Eu sorri em seus beijos e aproveitei o cheiro limpo de Jaxon. “Saudades, linda. Desculpe levar tanto tempo para chegar aqui” Ele sorriu para mim, embora ele ainda estivesse com alguma tensão no canto dos olhos. “Está bem.” Droga, eu estava quebrada e sabia que estava enrolando. “Você está bêbada?” ele perguntou chocado. Eu não poderia dizer se ele estava chateado com isso ou não, então só encolhi os ombros. De repente, Quinn me pegou e agarrou meus braços para me levar para cozinha. Jaxon seguiu arás, acompanhado de Cole. “Emmy, me diga que não vi você lá fora dançando com Devon Ryan?” ela gritou para mim. “Ok, primeiro de tudo, eu não estava dançando com ninguém.” Eu espero que eles não possam dizer o quão mal eu estava pronunciando. Na minha cabeça eu não me sentia bêbada, mas minhas ações diziam que eu estava. “Mas era ele.” Eu coloquei meus antebraços sob o balcão para me equilibrar, essa sala estava girando mais rápido do que eu gostava. “Merda, Em, você esta chapada?” Cole disse rindo para mim.


“Quem diabos é Devon Ryan?” Jaxon entrou para perguntar a Quinn. “Ninguém”, eu disse. “O único cara além de você que chegou perto de ser namorado dela”, ela decidiu contar. “Cala a porra da boca, Quinn. Eu nunca tive um namorado antes de Jax.” Ele continuou dando a Quinn um olhar questionador, julgando-me muito bêbada para ser responsável, então ela continuou, “Ele era a razão dela ter criado a regra dos 3.”. Eu gemia como eles falavam como se eu nem mesmo estivesse aqui. Eles também estavam começando a me deixar sóbria com essa conversa, eu realmente não conseguia lidar com eles agora. Eu não tinha feito nada de errado aqui. Levantei-me para deixar a cozinha em busca de outro jeito de ter essas memórias fora da minha cabeça quando Rachel e um par de meninas entraram na cozinha sorrindo para Jaxon. Ela aproximou-se dele e colocou sua mão em seu ombro com um olhar de desgosto. “Você realmente está namorando com ela exclusivamente agora?” Ela disse ‘ela’ como se estivesse enjoada com a ideia. Eu percebi que ela estava tramando alguma coisa, porque até agora, eu não tinha dúvida de que ela sabia muito bem que estávamos namorando. Ele removeu a mão dela e deu um passo para trás. “Claro que estou, desculpe Rachel”. Eu não tinha certeza se eu deveria estar feliz que ele usou seu apelido ou não. Parecia muito pessoal, mas novamente, ele nunca me chamou pelo meu apelido e nós estávamos tão pessoal como eu sabia estar com alguém. Sua mania de beicinho foi me tirando do sério quando ela continuou, “Ah amorzinho, e isso significa que não posso mais ter um passeio de moto? É tão gostoso o jeito como posso me prender a sua cintura, como nós pegamos as curvas.” E... eu estava sóbria. Muito obrigada, vadia. Estava tentando encontrar minhas palavras enquanto olhava para os dois, Rachel ficou ali sorrindo para mim, sabendo exatamente o que tinha acabado de dizer. Quinn entrou em cena antes que Jaxon pudesse comentar, “Você já esteve na moto com Jaxon? Você tem certeza que não era Jace?” ela engasgou.


Ela voltou com seu sorriso açucarado para Quinn. “Oh, eu sei quem eu tenho entre minhas pernas e era definitivamente esse cara bonitão aqui.” Ela bateu no peito dele, enquanto ouvi-o gemer e eu estava quase arrancando seu braço fora à base de soco, mas estava completamente congelada. Quando isso tinha acontecido? Se ela estava trazendo isso só agora, foi enquanto nós estávamos namorando? Mesmo se não tivéssemos namorando ainda, eu pedia para ir nessa moto desde o primeiro dia de escola e ele sempre me dizia ‘não’. Porque ele iria levá-la? “Você se lembra, bobo, foi naquela noite depois do jogo.” Ela se virou para Jaxon. “Quando foi até o apartamento de Quinn e Em, você veio até mim e perguntou para ir com você, nós tivemos um bom momento”. Ela sorriu enquanto fingia olhar para uma apaixonada memória. Eu estava ficando doente. Por um lado, eu não tinha direito de ficar louca, eu tinha dito para ele se afastar de mim naquela noite e me lembro dele saindo com Rachel. Ele me disse que só a tinha levado para casa. Rachel fazia isso soar como se houvesse acontecido mais. Por que levar de moto, embora? “Cala a boca, Rachel, eu a levei para casa e foi isso”, Jaxon rosnou para ela. Ela deu de ombros e saiu com sua turma a seguindo. Seu dano já tinha sido feito e ela sabia disso, eu comecei a recuar da cozinha em direção a porta do pátio. “Não faça isso, Emerson. Não se atreva a começar a correr de mim. Deixa eu pelo menos explicar a situação.” Ele olhou para mim com raiva. “O que há para explicar? Eu acho que entendo muito claramente. Eu disse para você se afastar de mim naquela noite e nada aconteceu depois daquilo, eu merecia.” Ele não entendia que isso era minha culpa e não dele. Eu continuei minha retirada lentamente, ele deu um passo em torno de mim para bloquear a porta do pátio. “Quando eu saí com ela naquela noite, fiz todo caminho para garagem e só tinha a chave da moto. Eu estava tão irritado comigo mesmo e com você, eu precisava sair de lá o mais rápido possível, então eu fui de moto com ela. Sinto muito, querida.” Eu não podia olhar para ele, mesmo que não houvesse nenhuma razão para ele se desculpar. Quando eu não respondi ele continuou. “Vamos para casa, então nós podemos conversar, por favor!” Poderia dizer que ele estava tentando deliberadamente acalmar sua voz.


“Oh, eu definitivamente não posso ir para casa ainda, eu tenho muito álcool para consumir antes dessa noite terminar e ver a Rachel só me deixou sóbria e não estou nada feliz de ter que começar do zero agora.” Ficar longe de todos antes de arrumar tudo era minha prioridade. Se todos eles pudessem me deixar sozinha somente até depois de amanhã, eu juro que voltarei ao normal. Eu só precisava deles para me deixar sozinha até então, mas não podia explicar isso a eles. Olhei para todos os 3 induzindo a me entenderem sem me fazerem dizer isto. “Eu não estou brava com você, Jaxon.” Ele precisava saber que mesmo que odiasse ele ter a levado em sua moto, eu realmente estava com raiva de mim mesma. “Claro que você está querida, porque mais você tentaria fugir de mim agora? Você está sempre fugindo, quando nós devíamos estar conversando!” Ele entrou em pânico e alcançou-me e dei outro passo de volta para sala de estar. “Eu não estou brava. Eu só... eu só preciso ficar sozinha. Eu juro que depois de amanhã ficarei bem, só não posso lidar com isso nos próximos dois dias.” Eu implorei. “Por favor, só confia em mim. Faça isso por mim.” “Que diabos isso significa?” ele gritou. Eu me virei e corri quando ele estava distraído, olhando para Quinn por orientação. Quando eu cheguei à sala, ouvi Quinn dizer, “Oh Meu Deus que dia é hoje?” Deixei Quinn juntar isso por causa da minha boca grande. Corri mais rápido para a porta da frente, ela vai explicar a coisa toda para Jaxon e ele vai me pressionar para falar sobre isso. Senti como se estivesse hiperventilando. Nunca quis ninguém para me perguntar sobre isso, eu sei que Quinn não fará, mas Jaxon sabe como puxar cada barreira que tenho. Só quero tratar da única maneira que sei depois voltar ao normal quando acabar, todo mundo sempre acha que devemos falar sobre nossos sentimentos como se isso fosse fazer isso melhorar. Adivinha o quê? Isso não trará meus pais de volta e isso não muda que meu pai traiu Ellie com minha mãe. Cheguei ao lado da casa, pois obviamente eu não poderia dirigir então eu me esconderia nas sombras da grande casa. Ouvi passos seguindo-me por todos os lados, fechei meus olhos e ignorei eles, enquanto tentava controlar minha respiração, então não teria um ataque de


pânico. Por favor, deixe-os apenas ir. Eu senti, no entanto que eles estavam na casa perto de mim. “Shh, apenas respire fundo e para fora.” Era Devon. Não sei se deveria estar feliz ou triste sobre isso. “Você quer sair daqui, ir para outro lugar?” Ele perguntou em uma voz calma. “Eu não quero dormir com você, Devon. Eu estou com Jaxon” Eu disse com os meus olhos ainda fechados. “Bem, isso é uma coisa boa já que eu não pedi para você dormir comigo então, heim? E eu tenho uma noiva em casa que eu amo. Eu só estou tentando ajudá-la. Me chame de louco, mas você parece não querer estar aqui.” “Eufemismo do ano” Eu suspirei. “Realmente apreciaria se você pudesse me tirar daqui.” Finalmente olhei para ele. “Legal, eu vou correr lá embaixo e pegar meu carro, encontre-me lá em 5.” Fiquei nas sombras me escondendo de todos, enquanto eu observava Devon correr na direção do seu carro. Espero que Jaxon não me veja sair daqui com ele, mas ele entenderia mais tarde. Especialmente quando eu disser para ele que nada aconteceu. Eu estava comprometida com ele e Devon com sua noiva, eu só precisava respirar. Depois de encontrar o carro sem ser parado por ninguém ele começou a dirigir pela rodovia que corria ao longo da costa. “Quer que eu te leve para casa?”, disse ele depois de um tempo. “Não quero, mas se você quiser sair, entenderei.” Encostei minha cabeça contra o encosto. “Você quer ir a um bar ou algo assim? Você tem uma identidade falsa para entrar?” ele perguntou. “Na verdade, desde que seja depois de meia noite eu posso legalmente entrar sem uma identidade falsa.” Ele se virou para me olhar e com aquele sorriso eu sabia que ele estava prestes a dizer a temida declaração ‘Feliz Aniversário’.


"Não faça isso. Esqueça que eu disse isso, por favor. Não mencione nada a ninguém sobre o aniversário”. Sua boca se fechou e ele encolheu os ombros. O primeiro bar em que entramos estava muito calmo, portanto fomos capazes de agarrar um lugar no bar. Eu pedi minhas próprias bebidas e ele pediu as dele. Comandas separadas fez saber que não estávamos juntos. Eu vi como ele mandou uma mensagem em seu telefone por um tempo. “Mensagem para a noiva?” Perguntei. "Sim, eu percebi que eu deveria dizer a Ally o que está acontecendo antes que ela ouça de alguém que eu estava com Em Moore.” Ele riu um pouco. "Ela sabe quem eu sou?" Fiquei chocada. "A menina que quebrou meu coração? Ahh, ela sabe." "Quebrou seu coração? Não brinque com esse tipo de coisa”, eu ri. "Tudo o que você quiser pensar, Em," ele respondeu. "Ally é legal, porém, ela entende." Eu realmente poderia ter quebrado seu coração? Eu não tinha pensado que era tão grave. "Isso é bom para você deixar que ela saiba o que está acontecendo." Exatamente o que eu deveria fazer agora com o Jaxon, mas eu tinha deixado meu celular no carro, uma vez que não pararia de tocar. Ele vai entender muito quando eu explicar tudo a ele em alguns dias. Jaxon é a pessoa mais compreensiva que eu conheço e eu sou louca por ele. Ele vai entender quando eu finalmente tiver a coragem de dizer a ele o que o amanhã é. Mas, por agora, eu bebo. Acabamos indo para mais três bares depois daquele e eu era capaz de dançar para tentar esquecer tanto quanto possível. Devon ficou perto o suficiente para me manter segura. Um par de vezes ele tentou me perguntar se havia alguma coisa acontecendo que ele poderia ajudar, mas eu apenas balancei a cabeça e continuei a destruição do meu fígado. No nosso segundo bar, olhei para minha mão e vi os coraçõezinhos que Jaxon tinha desenhado na palma da minha mão esta manhã, quando estávamos deitados na cama. Lembro-me de relaxar em seu peito enquanto ele desenhava cada um dos corações. Alguns eram grandes e alguns eram tão pequenos que mal podia distinguir que eram corações. Todos juntos, ele fez uma bela colagem sobre minha mão. Esta manhã parecia anos-luz atrás.


Finalmente, pouco antes de o sol nascer, Devon me deixou no apartamento. Ele teve de me ajudar a subir as escadas e abrir minha porta, porque eu mal podia funcionar sozinha. Eu inseri a minha chave mais silenciosamente possível na fechadura e entrei imediatamente, notei que Jaxon tinha desmaiado no nosso sofá. Ele deve ter ficado esperando eu chegar em casa. Eu tinha cerca de trinta chamadas perdidas entre ele e Quinn no meu telefone. Eles não seriam fáceis para mim, uma vez que finalmente começassem. Fui na ponta dos pés direto para minha cama. Fiz questão de trancar a porta antes de ir dormir. A última coisa que me lembro é meu rosto batendo no travesseiro antes de eu cair dura.


Capítulo 16

O Fundo de poupança

No dia seguinte, quando eu comecei a voltar dos mortos, eu rolei para olhar para o relógio do meu telefone. Já passava das três da tarde, não daria tempo para nenhuma das minhas aulas hoje. Pelo menos este dia já estava quase no fim. Quanto menos deste dia eu tiver de suportar, melhor. Eu tinha uma ressaca do inferno e a única coisa que eu ia fazer sobre isso era beber um pouco mais para aliviar a dor. Eu percebi que só tinha duas chamadas não atendidas, uma de Jace e outro de Devon. Eu teria que chamá-los de volta amanhã. Eu não tenho mais chamadas não atendidas de Jaxon ou Quinn desde que eu tinha chegado em casa na última noite, então eles deviam saber que eu estava aqui agora. Eu caminhei até a minha porta e calmamente a abri. Meu plano era cavar um buraco no meu quarto e beber até este dia acabar, já que eu ainda não queria falar com ninguém. Eu precisava ir ao banheiro e pegar alguns mantimentos da cozinha. Assim que eu saí para o corredor, percebi que não havia ninguém aqui. Jaxon devia ter decidido ir para a aula, e eu sei que ele ainda tinha futebol para praticar esta tarde. Quando voltei para o meu quarto, meu telefone estava tocando. Eu atendi, quando notei que não era Jaxon, Quinn, Cole, ou Jace. "Olá?" "Sim, é Emerson Moore?" "Sim senhor, posso perguntar quem está chamando?" "Aqui é William Gordon chamando do Escritório de Advocacia de Gordon, Simon &


Bates." "Hum, tudo bem." Eu tinha esquecido de chamá-lo de volta e agora eu estava desejando que eu não tivesse respondido meu telefone em tudo. "Desculpe, esta chamada parece fora de hora. Seus pais, na verdade, criaram um fundo de poupança para você quando você nasceu. Seis anos atrás, eles vieram a mim para controlá-la e eu deveria entrar em contato com você em seu vigésimo primeiro aniversário e dar os fundos para você. Eles têm crescido drasticamente desde que seus pais iniciaram a criação". "Me desculpe, eu estou realmente confusa sobre o que você está dizendo agora." "Eu posso entender a confusão. Eu tentei continuar com o Sr. ou Sra. Moore em primeiro lugar, mas eu não tenho sido capaz de localizar um número do trabalho deles.” "Hum... meus pais realmente faleceram há seis anos, no meu aniversário de quinze anos, Sr. Gordon." Eu não posso acreditar que eu tinha que falar sobre isso, hoje de todos os dias. A razão que eu fugi das pessoas que eu irei amar, e agora eu estava sendo forçado a enfrentá-lo de qualquer maneira. "O quê? Eles estavam no meu escritório naquela manhã para criar esta conta para você, como é possível?" Bem caramba, eu não sei, por que você não pergunta à senhora que achava que era certo dirigir enquanto apenas fosse capaz de manter os olhos abertos. Eu não podia sentir meus dedos mais, e eu tenho certeza que todo o sangue estava correndo para fora do meu corpo. "O que quer dizer é que eles estavam com você naquela manhã, Sr. Gordon? Meus pais tinham um caso e morreram em um acidente de carro quando eles estavam voltando para casa." "Oh, isso não é possível. Não havia maneira de Robert e Michelle estarem tendo um caso de qualquer tipo. Lembro-me que mal podiam suportar estar na mesma sala juntos, quando eles entraram eu o ouvi ficar bravo com ela por ser irresponsável com seu carro, que era a razão pela qual ele teve que buscá-la naquela manhã." "Eu acho que eu tenho que ir, Sr. Gordon, eu.... tenho que estar em algum lugar...mais." Eu


também estou enlouquecendo, mas você não precisa saber disso. "Eu realmente sinto muito se eu disse alguma coisa que te magoou. Por favor, venha ao meu escritório a qualquer hora e eu vou levá-la para assinar a papelada da conta. É uma quantidade bastante significativa de dinheiro." A única coisa que me lembro no resto do dia é desligar o telefone e tomar dose após dose até que eu desmaiei na minha cama. *. *. *. *. *

Eu estava acordada sendo empurrada e eu estava prestes a perfurar a pessoa responsável por fazê-lo. Meu estômago não estava apreciando o movimento também. Lembro-me, finalmente, de acordar doente em um ponto da noite passada. Eu nunca tinha estado tão bêbada, então descobri que era a hora de pagar o preço. Quando eu me tornei mais e mais consciente dos meus arredores, eu percebi que eu estava abraçando o banheiro. Sim, agora me lembro da longa noite no calmante, piso frio. "Se isso é você Quinn, se afaste, eu não quero ter que te dar um soco. Se isso é você, Jaxon, você tem três segundo até que eu te de um soco" eu gemia dentro do vaso. "Sim, e há uma possibilidade de Jaxon nunca mais falar com você de novo" disse Quinn. "Cale a boca Quinn, vá embora para que eu possa tomar banho." "Está agindo feito uma cadela colossal? Você terminou de se embebedar sua estúpida?" Ela estava chateada comigo. Eu tinha que agradecê-la mais tarde e pedir desculpas. "Nossa, Quinn, desisto. Tenho certeza que você já sabe o que aconteceu." Mudei-me para sentar-se contra a parede com minhas mãos sobre meus olhos. "Tome um banho, Emerson, você está fedendo." Ela bateu a porta ao sair. Ela me chamou pelo nome, ela estava realmente chateada. Eu tentei tirar o tempo que eu poderia possivelmente no chuveiro. Eu odiava quando Quinn ficava chateada, mas ficar em pé por muito tempo tinha provado ser muito difícil. As


paredes do chuveiro estavam girando em torno de mim, então eu tinha que sair. Eu escovei meus dentes e sai para a sala para me sentar no sofá. Cole estava encostado nele quando eu entrei. "Ah ótimo, você veio para ver como eu estou, ou você vai se juntar a mim, Cole?" Notei que Quinn estava na cozinha mexendo panelas e frigideiras ao redor. "Eu estou aqui porque eu estou preocupado com você, Emmy", disse ele, olhando para mim com sinceridade. "É só um solavanco na estrada. Está tudo bem agora, eu prometo." Quinn entrou e bateu um prato de bacon e ovos na mesa de café na minha frente. Eu estava morrendo de fome, já que eu não tinha comido em um dia e meio. "Obrigado, Quinn" eu murmurei. "Nem tudo está bem, EMERSON" ela gritou comigo quando cheguei para o prato. "Claro que está. Estou melhor agora, eu prometo. Esses são apenas dias ruins para mim e você sabe disso. Agora eu vou voltar ao normal. Acho que finalmente estou me sentindo melhor para me abrir mais para Jaxon." Comecei a comer meu café da manhã e então me lembrei daquele telefonema do Sr. Gordon, ontem, antes de eu beber e ficar em um mini coma. "Merda, eu esqueci ..." "O quê?" Perguntou Cole. "Eu descobri que meus pais não estavam tendo um caso há seis anos." "Em, as pessoas pensam que a tequila lhes diz coisas o tempo todo. Sinto muito, mas tudo ainda é o mesmo com seus pais." Quinn ainda soava agitada comigo. "Eu estou falando sério, Quinn, pare de me fazer sentir infantil. Um advogado me ligou ontem, dizendo que há seis anos, meus pais estavam em seu escritório, realizando a transferência de um fundo de poupança que eles montaram para eu ter quando eu completasse vinte e um. Ele disse que eles estavam discutindo o tempo todo, e meu pai estava com raiva que ele tinha que dar a minha mãe uma carona para lá. Ele não sabia que os meus pais tinham morrido."


Ouvi Quinn suspirar e levar a mão à boca. Lágrimas encheram os olhos instantaneamente. "Porque você não me contou que isso estava acontecendo?" "Quinn, eu entendo que você quer que eu fale sobre essas coisas, mas tem sido muito difícil. O meu mundo abalou-se ontem. Tudo o que eu pensava sobre o que aconteceu foi uma mentira. Meus pais não estavam tendo um caso. Meu pai não estava traindo a Ellie. Cada parede que construí foi por causa do que eu pensei que eles tinham feito. Eu não tenho nenhuma ideia do que fazer agora. Tudo o que eu sei é que eu só quero encontrar Jaxon e dizer-lhe como lamento pela forma como agi, e o quanto eu me preocupo com ele. Eu sou tão idiota para continuar agindo assim." Quinn e Cole apenas me deram um olhar triste. "Emmy, Jax estava realmente ferido por aquilo que você fez...". "Eu sei, mas agora eu vou pedir desculpas." disse eu, olhando para os dois. "Eu não sei se ele vai entender desta vez. Ele parecia completamente derrotado na outra noite." "Nós vamos ficar bem, Quinn, para de ser tão dramática. Depois que eu falar com ele, ele vai entender o que aconteceu." "Eu concordo Em, você só precisa encontrá-lo e pedir desculpas. Ele realmente ama você." "Eu realmente amo ele." No segundo que as palavras saltaram da minha boca, minha mão subiu para cobri-la e os meus olhos se abriram para ver se eles tinham realmente ouvido isso. Eles tinham, porque ambos estavam olhando para mim como se eu tivesse acabado de dar a resposta da questão de um milhão de dólares. "O QUÊ? Isto é tão maravilhoso, Em! Você tem que dizer a ele. Ele definitivamente vai voltar depois" Quinn gritou. "Voltar? Você diz isso como se nós tivéssemos terminado." Eu fiz uma careta para ela. "Em, eu estou lhe dizendo, ele estava muito chateado com você e então, quando ele descobriu que você saiu com Devon... Eu nunca o vi tão ferido" ela respondeu.


Olhei para Cole para ver se isso era verdade e ele acenou com a cabeça. "Merda. Bem, eu vou pensar em algo realmente bom. Ele vai me perdoar, ele me ama." Eu sorri e me levantei para ir para o meu quarto. Eu decidi que eu precisava de algo realmente bom para chamar a atenção dele e deixá-lo saber que eu o amava e muito, além de simplesmente caminhar até ele e dizer isso. Eu abri meu laptop e comecei a criação de um CD misto para ele. Ele ama a música. Ele canta junto com cada canção no rádio. Ele até trabalhou em uma estação de rádio no último semestre de seu estágio e minha melhor memória de tudo é quando ele dançou comigo na casa de sua mãe aquela música country. Comecei o CD com uma música de "Of Monsters and Men", sobre um cara que amava a menina, mesmo embora ela não pudesse amá-lo de volta. Pareceu-me apropriado para começar essa história de canções para ele assim. O CD fluiu para outras músicas sobre como eu não seria a mesma sem ele e, finalmente, o último par de canções falou sobre o quanto eu o amava. Eu planejava contar a ele que eu o amava em pessoa antes que ele a ouvisse. Ele merecia isso. Quanto mais músicas eu separava, mais animada eu ficava para vê-lo. Decidi chamá-lo para saber quando ele estaria em casa. Eu sabia que ele tinha que trabalhar em breve, então eu tive que esperar até mais tarde à noite. O telefone tocou duas vezes e foi direto para o correio de voz. Isso foi estranho, então eu mandei-lhe um texto. Eu: Hey, eu sei que você se aborreceu no outro dia. Eu quero fazer algo para você ;-) À meia-noite, ainda não havia resposta de Jaxon. Nem ele, nem Jace estavam respondendo ao seus telefones ou voltando para casa. Eu tinha ido para o estacionamento inúmeras vezes para verificar se a moto ou a caminhonete estavam de volta. Eu estava começando a parecer uma daquelas namoradas ciumentas enlouquecidas. Quinn me disse que tinha falado com Cole, mas ele não estava com os rapazes. Eu esperava que eles estivessem bem. Tentei chamar mais duas vezes antes de ir para a cama, mas depois os meus telefonemas só começaram a ir diretamente para o correio de voz algum tempo depois das dez horas. Eu vou ter que pegá-lo amanhã entre as classes, uma vez que nós temos algumas juntos naquele dia.


Capítulo 17

Não faça isso

Na manhã seguinte eu acordei e decidi enrolar meu cabelo em ondas soltas e deixar tudo solto. Eu apliquei um pouco de rímel e gloss. Eu não vou mentir, eu estava tentando ser uma boa visão para Jaxon. Nem ele, nem Jace voltaram ontem à noite, por isso estou apenas esperando que ele realmente esteja na escola hoje. Lembrei-me então de Jaxon dizendo que se eles ainda perdessem uma classe, eles estariam no banco de reservas no jogo do campeonato amanhã. Eu sabia que ele não arriscaria algo assim. Eu não o vi até perto do fim da minha pausa para o almoço. Eu estava sentada à mesa com o nosso grupo normal. Quinn estava dizendo a Cole sobre os novos alunos de que foi tutora neste semestre, o que não surpreendentemente eram todos do sexo feminino. Eu tinha quase desistido da ideia de vê-lo na escola hoje em tudo. Quando eu o vi através das janelas do refeitório cruzando o pátio, eu decidi ir e falar com ele. Ele estava andando com duas meninas que eu só tinha visto algumas vezes antes. Elas pareciam estar animadamente conversando com ele, enquanto ele apenas acenou com a cabeça. Eu poderia dizer que ele não estava prestando atenção no que elas estavam realmente dizendo. Virei-me e sorri para Quinn, "Eu vou falar com ele, ok?". Ela assentiu com a cabeça, mas parecia insegura. Ela não seria tão estranha se fosse Cole lá fora e ela precisasse se desculpar. Eu estava uma pilha de nervos, eu ia dizer a ele que eu o amava. Corri para o pátio e me encontrei com ele. "Ei, eu tenho tentado falar com você" eu sorri para ele.


Ele não sorriu apenas acenou com a cabeça para trás para mim, "eu notei.". Olhei para as duas groupies e disse: "Ok, as senhoras podem ir andando agora, eu gostaria de falar com o meu namorado." Elas bufaram e olharam para Jaxon para dizer algo diferente, mas não o fez, então elas afastaram-se amuadas. "Em, eu não acho que nós deveríamos ficar juntos" ele finalmente falou. "Por que você tem que fazer isso? Por que você tem que me chamar de Em propositadamente sempre que estiver mal? Não seja infantil, Jaxon" eu respondi, irritada. Isto não era como eu queria começar essa conversa. Ele tomou uma respiração profunda. "Emerson, eu não acho que nós deveríamos ficar juntos", sua voz parecia plana e sem vida. Decidi ignorar sua declaração absurda. "Jaxon, eu venho tentando obter um momento com você, para poder dizer-lhe o quanto estou triste. Eu sempre fico assustada e estranha perto desse dia. Tentei não me afastar, mas foi me corroendo, e eu não sabia como lidar. Eu realmente sinto muito. Percebo agora quão ridícula eu estava sendo." Eu agarrei o cós da sua calça jeans, enquanto eu olhava para ele. Eu agarrei como o segurando firme o bastante, para ele nem sequer pensar em sair. Ele tentou dar um passo atrás para sair do meu alcance, mas eu me aproximei dele, dando-lhe um olhar perplexo. "Eu fiz um CD mix, apenas ouça, por favor." Abaixei-me para puxar o CD da minha bolsa, quando ele finalmente falou de novo: "Emerson, eu tentei falar com você há quatro dias. Pedi-lhe para não fugir de mim e você fez de qualquer maneira... de novo. Eu não posso lidar com isso mais. Eu tentei ser forte o suficiente para você, mas... eu não sou." Ele pegou o CD de mim, mas segurou-o como se ele realmente não quisesse. "Jaxon, para de dizer tudo isso, não é necessário." Agarrei sua cintura novamente. "Eu vou ser melhor agora, eu juro. Deixa eu me desculpar. "Eu respirei fundo e disse: "Eu te amo." Eu vi como ele fez uma careta de dor com as minhas palavras. Isso definitivamente não era a reação que eu esperava. Só então a gravidade da situação, começou a bater, então eu abaixei minha voz para um sussurro quando eu olhei para ele. "Não faz isso, eu te amo." "Eu pedi para não me deixar na outra noite, e você fez de qualquer maneira."


"Você prometeu que seria paciente comigo" minha voz se elevou a um nível de pânico. "E você prometeu que ficaria." O fato de que o tom sem vida de sua voz não tinha mudado em tudo, estava me assustando. "Eu nunca sai, Jaxon, eu só precisava de um respirar para a minha vida. Não foi você, foi a morte dos meus pais" eu quase gritava agora. Eu precisava tranquilizá-lo de que o que tinha acontecido não aconteceria novamente. "Olha, eu sei que nunca fez sentido para você gostar de mim, eu nunca fui concebida para estar em um relacionamento com ninguém. Mas você forçou seu caminho, empurrando todas as barreiras que eu tinha. Não desista de mim agora!" Eu podia sentir as rugas de dor em seu rosto. "Eu não acho que nós deveríamos ficar juntos", ele repetiu uma terceira vez. Dei um passo para frente enquanto ele recuou e gritei: "NÃO! Eu te amo, eu estou aqui! APENAS ME PERDOE!" Lágrimas escorriam pelo meu rosto agora e eu sabia que estava sendo uma completa idiota fora de mim no meio do pátio, mas ele precisava saber. "Você não pode fazer isso!" Ele não tinha movido um músculo de sua posição, ele apenas manteve seu rosto duramente inflexível. Quando eu estendi a mão para ele novamente, ele deu um passo para trás de mim. De repente, havia braços fortes envolvendo em torno de meu corpo, levantando-me longe de Jaxon "Shh, Em, pare. Não faça isso aqui. Isso não é você" Cole sussurrou em meu ouvido. "Cole, você disse tudo o que eu tinha a fazer era pedir desculpas, você disse que me amava!" Eu gritei para ele. Então eu finalmente vi, não importa o quão minúsculo, eu vi Jaxon dar um passo adiante em direção a mim. Eu quase tomei um enorme suspiro de alívio, mas depois ele se conteve e deu dois passos para trás. Meu rosto se contorceu com a dor que eu senti por todo meu corpo. Cole começou a me levar para longe quando eu gritei novamente. "JAXON, NÃO FAÇA ISSO!" Eu estava lutando com Cole para descer e minhas pernas estavam se debatendo violentamente. Se eu pudesse levá-lo em meus braços novamente, ele perceberia o grande erro que ele estava cometendo. "Você prometeu! Eu disse que não sobreviveria a esse tipo de desgosto novamente! JAXON, olhe para mim!" Meus gritos frenéticos estavam causando uma cena e ele estava ali parado


olhando para o chão com as mãos em punhos apertados. Antes de sairmos do alcance da voz dele, Cole voltou-se um segundo para enfrentá-lo. "Eu disse porra, que isso ia acontecer, seu idiota. Esta é a porra do momento exato em que lhe falei, e você prometeu que você poderia lidar com isso. Se você for esperto, você vai ficar longe dela" ele rosnou. Fui sem vida em seus braços, não havia razão para lutar mais. Jaxon nem sequer tentou me manter lá com ele. Isto foi totalmente minha culpa de tantas maneiras que eu perdi a conta. Fiquei decepcionada comigo por jogar as minhas regras para fora da janela com ele. Desde o início, eu disse que eu não seria capaz de lidar em ser uma namorada e então ele me convenceu do contrário. Lição aprendida, sempre siga sua intuição. Mas eu estava mais decepcionada comigo mesma por deixar esse dia chegar e arruinar a melhor coisa que já me aconteceu. Eu nunca imaginei que as relações eram assim. Eu nunca imaginei a alegria extrema que você podia experimentar. O que eu sabia era como se sentia quando alguém que você ama é arrancado de você, como doloroso um aperto em seu interior poderia ser. Eu deveria ter ficado longe de qualquer possibilidade de nunca sentir isso de novo. Cole teve que me levar até o apartamento. Quando eu caí no travesseiro na minha cama, eu imediatamente puxei meus joelhos até meu peito e deixar toda a dor que eu sentia. Eu chorei por perder a minha relação com Jaxon, por perder um melhor amigo, e, finalmente, pela minha perda. Quinn disse uma vez como ela gostava de Emerson e agora percebo que eu tinha começado a amá-la também. Agora eu precisava aprender a apenas ser Em. Em não deixou seu coração ser quebrado. Deitei na minha cama olhando para o teto por horas incontáveis. Eventualmente, naquela noite, Cole e Quinn vieram se juntar a mim. Cada um deles estava em lados opostos de mim. Eu adorava ter o seu conforto e apoio, mas eu também queria pensar em meus próprios erros, sozinha. "Emmy, você ainda está vindo para o meu jogo de amanhã, né?" Cole sussurrou no escuro.


"Você sabe que eu não posso fazer isso, Cole." "Você tem que vir. Daqui a cinquenta anos, quando as pessoas falarem sobre como a nossa escola foi para o campeonato e seu melhor amigo, marcou o touchdown da vitória" ele me cutucou com o cotovelo e eu sabia que ele estava falando de si mesmo: "Você vai se arrepender de não ter ido." "Bem, eu vou estar com 71 anos de idade e depois, estarei louca." "Por favor, Em, você estava falando sobre o quão excitante um jogo do campeonato seria com Cole desde o primeiro ano. Eu sei que você vai ficar triste se você perder" Quinn disse, apertando minha mão. "Eu vou pensar sobre isso." Por alguma razão, eu teria crises de choro nos momentos mais aleatórios. Eu poderia estar lá conversando com os dois, quando, de repente, uma onda de imensa dor me pegava e eu não era capaz de respirar. Enquanto estávamos deitados na calma e na escuridão, uma onda atingiu-me e eu engasguei com um rosto cheio de lágrimas. Cole pegou minha mão enquanto Quinn esfregou meu braço e aconchegou–me mais perto. Eu iria passar por isso. Não poderia ser a mesma do outro lado, mas estas pessoas iriam me ajudar a passar por isso. Em seguida, a constatação de que eu tinha acabado de perder Jace como um amigo também me atingiu com uma nova rodada fresca de lágrimas, por que como eu seria capaz de olhar para ele e não ver Jaxon? *. *. *. *. *

Eu tive que trabalhar no turno da manhã no bar no dia seguinte, mas Ed prometeu que eu poderia sair em tempo para o segundo tempo. Na semana passada, eu fiquei arrasada que eu perderia um pouco do jogo, esta semana eu estava devastada, então eu realmente estava me importando menos do que antes. Quinn me fez jurar que eu viria, e ela ainda fez uma mala com uma roupa, sapatos e maquiagem para mim. Eu nem sequer pensei sobre o que eu usaria, mas é melhor não aparecer para um estádio lotado com homens, vestindo uma camisa demasiada apertada que dizia 'Nice Rack' no peito. Quando finalmente cheguei, estava em cerca de dez minutos do segundo tempo, então eu


não tinha perdido muito. Para meu espanto, Quinn tinha levado o vestido e botas que eu tinha comprado no Texas. Eu sabia o que ela estava fazendo e eu não apreciava. Eu só queria ser invisível, sentar-me em algum canto da arquibancada, e sair sem ninguém me ver. Quinn sabia que eu tentaria isso também, então ela me fez jurar que eu viria me sentar com ela. Enquanto eu subia as escadas para as arquibancadas, ouvi Quinn, Jace, e as vozes de Jaxon. Eu congelei e respirei fundo e sai. Eu poderia fazer isso, eu precisava superar o fato de que eu iria vê-lo. Eu continuei andando até quando notei que Jaxon estava encostado na barreira conversando com os dois. O que eles estavam falando, não foi uma conversa agradável. Jace e Quinn olharam bravos para Jaxon e ele não parecia feliz com eles também. Hoje, a multidão era muito animada e barulhenta para eu ouvir o que eles estavam dizendo. Quando subi a etapa final, Jaxon virou a cabeça e olhou diretamente para mim. Vi ele dando um passo vacilante para trás e prendendo o ar entre os dentes. Pelo menos eu ainda o afetava, mesmo que ele não me queira mais. Eu sabia que esse vestido e essas botas pareciam bons para mim. Jaxon tinha gostado como o vestido empurrava para cima os meus seios e mergulhava para baixo um pouco para mostrar o meu decote. Eu sabia por que ele estava olhando para a direita então. Eu virei meus olhos para longe dele e me dirigi a Quinn. Quando me aproximei, notei que o único assento vazio disponível era do outro lado de Jace. Não havia nenhuma maneira que eu poderia me sentar ao lado do gêmeo idêntico do meu ex-namorado. Eu estava tão carente e necessitada de Jaxon agora que eu não tinha certeza se seria capaz de controlar minhas ações em torno de um cara que parecia exatamente como ele. Eu não conseguia nem olhar para ele. Foi muito doloroso. Eu sabia que Jace estava procurando o meu rosto para eu reconhecê-lo, e eu não deveria me afastar dele, mas eu só precisava de tempo. Eu andei até a garota sentada ao lado de Quinn e ajoelhei-me para falar no ouvido dela já que ela era alta. "Ei, você gostaria de trocar de lugar? Você pode sentar-se ao lado do galã ali” eu disse, apontando para Jace. Ela olhou e eu vi seus olhos se iluminam. "Claro!"


Levantou-se e escorregou em direção a Jace e sentou-se com o máximo de sedução que eu nunca tinha visto uma garota colocar para sentar-se em uma cadeira. Ela virou o corpo para encará-lo e estendeu seu peito. Sentei-me em sua cadeira ao lado de Quinn, e Jace virou-se para mim, se colocando de costas para a nova garota. "Em, por favor, não me ignore." "Eu não estou ignorando você, Jace, só dói demais neste momento vê-lo", eu disse, olhando para frente. Ele suspirou e recostou-se na cadeira. Notei que Jaxon já tinha voltado para o banco e estava de costas para nós. Ele estava inclinado para frente com os antebraços apoiados no topo de suas pernas, assistindo ao jogo. Eu procurei Cole e finalmente o vi no lado oposto da bancada do Jax, olhando para ele. "Ele me perguntou sobre você. Se você estava bem" Eu ouvi Jace dizer sobre Quinn. "Sim, e eu disse a ele para enfiar sua preocupação no rabo. Eu não vou lhe dizer nada sobre você" Quinn disse, soando frustrada. Isso me fez rir. "Quinn, o seu humor é tão confuso. Ontem, você estava com raiva de mim, agora, você está com raiva de Jaxon." "Sim, isso foi antes de Cole e eu estarmos com você toda a noite, enquanto você chorava durante toda a noite por muito tempo." Ela pegou minha mão e apertou. "Você chorou a noite toda, Ems?" Jace olhou para mim com aqueles olhos de cachorrinho e eu não podia olhar para longe. "Eu nunca estive tão bravo com ele, nem mesmo quando ele tentou roubar a minha namorada na sexta série fingindo ser eu." Eu gostaria que eles pudessem parar de fazer-me rir. "Ele não fez isso!" Eu disse, enquanto Jace acenava com a cabeça. "Jace lhe deu um soco no pátio depois que Cole a arrastou para fora", Quinn falou. "Quinn, não diga a ela que" ele disse, parecendo envergonhado. "Gente, vocês não podem ficar bravos com ele. Isso foi a minha culpa, desde o início.


Deixei ele me convencer que eu poderia lidar com um relacionamento quando eu sabia o tempo todo que eu seria terrível para ele. Eu só me comprovei certa no final. Pelo menos não foram anos de estrada. Estou apenas tentando sobreviver a isso da melhor maneira que eu sei", eu disse com firmeza. "Por favor, não beba e quase fique em um coma de novo, Ems," Quinn choramingou. "Eu tenho certeza que eu nunca vou beber de novo, não se preocupe com isso. Em primeiro lugar, na outra noite se eu não tivesse bebido, eu estaria sentada aqui torcendo para o meu namorado agora. Em vez disso," eu apontei atrás de mim "Elas estão torcendo por ele." Quinn e Jace olharam para trás para ver Rachel e sua equipe irritante gritando o nome de Jax. "Aparentemente, a notícia se espalha rápido." Jace se levantou e me pegou, ele levantou-me em um abraço de urso gigante na frente de todos. Meus pés só pendiam para baixo ao longo de suas pernas. Foi estranho, porque seu corpo parecia o de Jax. Eu tinha que ficar me lembrando a não colocar minhas pernas em volta de sua cintura e apertar de volta. "Não é só culpa sua, Emmy. Nem sequer se deixe pensar isso. Por favor, não deixe que isso faça você se fechar novamente. Você é a melhor amiga menina que eu conheci. Se Jaxon não vê seus malditos sentidos, então um cara de sorte lá fora vai ser grato por ser amado por você um dia", ele sussurrou em meu ouvido. Esses meninos eram muito charmosos para o seu próprio bem. "Obrigado, Jace, mas eu sei que não posso fazer isso de novo." Ele me deu outro aperto e olhou tristemente nos meus olhos. Quando alguém gritou para nós para nos sentar, ele me colocou de volta no meu lugar. Olhei para o campo para ver Jaxon olhando diretamente para nós. Seus olhos ameaçaram: "Minha. Ela é minha e eu vou matar quem a tocar." Mas suas ações, disseram "Pode levá-la, eu não quero mais." Eu me virei para olhar para outro lugar, eu não conseguia me concentrar no que ele estava pensando. Eu precisava me lembrar que eu não poderia pensar sobre ele. Concentrei-me em assistir Cole e aplaudi-lo, quando ele pegou a bola. Veja, eu poderia ser perfeitamente normal. Até o final do jogo, que haviam vencido e, surpreendentemente, Cole tinha marcado o


touchdown da vitória. Eu nunca tinha visto Quinn saltar para cima e para baixo com tanta força. Quando soou o apito final, Cole veio rápido em direção às arquibancadas. Ele pulou a barreira com facilidade e pegou Quinn em seus braços. Seus rostos estariam ligados um ao outro pelos próximos minutos, sem qualquer um vir à tona para respirar. Quando ele finalmente a colocou para baixo, ele veio e me abraçou tão forte quando podia. Sua excitação era infecciosa e eu tentei absorvê-la. "Parabéns, Cole, eu vou lembrar-me disso por pelo menos os próximos 50 anos. Obrigado por fazer valer a pena que eu tenha vindo!" Eu gritei mais aplausos na multidão. Ele virou-se e deu a Jace um abraço fraternal de irmão. Eu não pude deixar de olhar para o campo uma última vez procurando Jaxon. Ele não estava celebrando ou falando com ninguém. Eu vi como ele caminhou lentamente em direção ao vestiário. Pela aparência dele, pensei que tinha perdido o jogo. Cole pediu a todos nós para esperar por ele, enquanto ele tomava banho e mudava de roupa. Eu realmente só queria chegar em casa e voltar para a minha cama. Eu senti como se eu tivesse feito o meu dever de amigo, então, agora eu precisava ir chorar mais um pouco na privacidade de meu quarto. Eu tinha visto Jaxon muitas vezes hoje já. Eu podia sentir as ondas de dor ficando cada vez mais perto rompendo. Quando Cole veio para fora do vestiário, Jaxon estava andando bem atrás dele. Ambos pareciam incrivelmente bonitos, de banho tomado e vestindo suas camisas polo da equipe. Jaxon havia jogado seu boné preto sobre o cabelo molhado. Ele sabia que eu amava esse boné nele. Eu não podia ficar aqui por mais tempo. "Eu estou fora, não tenho planos. Vejo você mais tarde, Quinny. Parabéns caras", eu disse, enquanto me afastava. "Emerson, só fique, eu vou embora. Ninguém aqui quer falar comigo de qualquer maneira", Ele disse com aquela voz inebriante. Eu me virei para enfrentar o grupo, continuei, andando para trás. "Como eu disse a eles anteriormente, isso foi tudo culpa minha, eles não tem nenhuma razão para ficar com raiva de você. Espero que vocês tenham uma boa noite." "Está tudo bem, se sairmos no mesmo grupo. Éramos amigos em primeiro lugar, você


sabe." "Pode ser fácil para você, mas é quase impossível para mim." Eu continuei a minha retirada e, em seguida, virou-me para gritar uma última coisa a ele, "É Em, alias, Emerson não existe mais." Antes de eu me virar vi seu boné e sua boca aberta de surpresa com as minhas palavras. Eu andei o mais rápido que pude, ainda parecendo normal. Quando desapareci na multidão e sabia que não podiam me ver mais, eu saí correndo para o meu carro. Quando cheguei a ele e me joguei no banco do motorista, eu coloquei minha cabeça para baixo sobre o volante. Tirei minhas estúpidas botas e joguei-as no banco de trás. Toda a dor de vê-lo começou a fluir de meus olhos. Momentos depois, houve uma batida suave na minha janela. Pela segunda vez esta semana, eu me encontrei desejando que Jaxon não tivesse vindo para ver a minha miséria, e, em seguida, abri os olhos para encontrar Devon. Abri a porta do carro para que ele não tivesse que falar comigo através da minha janela. Ele se agachou e sentou-se no estribo do meu carro, de frente para mim. "Ainda chateada como na outra noite, quando saímos, Ems" ele perguntou. "Não, eu só tinha jogado realidade na minha cara, desde então, isso é tudo." "Quer falar sobre isso?" Ele perguntou gentilmente. "Eu acho que eu já tive danos demais por fugir com você uma vez, Devon. Mas eu queria agradecer por cuidar de mim, naquela noite, e ter certeza que eu cheguei em casa com segurança. Isso foi generoso da sua parte." "Onde está o namorado astro", ele perguntou, olhando ao redor. Quando eu estremeci de dor, seus olhos alargaram um pouco. "Espera...ele não rompeu com você por sair comigo, não é?" "Essa não foi a única razão, foi principalmente uma compilação de todos os meus problemas. Aparentemente correr dos meus problemas não é a resposta certa." Eu coloquei minha testa de volta na direção. "Estou surpresa que você não ouviu falar sobre 'A grande cena de Em no pátio'. Pelo menos é o que eu chamo. Eu fiz uma idiotice mesmo. Por um cara. Quem teria imaginado?"


"Ouvi dizer que vocês tiveram uma briga muito feia, mas eu não sabia..." Ele ficou em silêncio por alguns instantes. "Bem, ele é apenas um idiota e o maior idiota que eu nunca queria ter conhecido." Naquele exato momento eu localizei Jaxon e Jace caminhando pelo estacionamento em direção à caminhonete e ambos estavam olhando diretamente para nós. Eu coloquei minha cabeça no volante e gemi. Perfeito, perfeito e em pânico. Quando olhei para trás, ambos já estavam dentro da cabine da caminhonete e saíram. "Obrigado, Devon." Eu ofereci-lhe um sorriso fraco. "Eu acho que estou indo para casa embora." "Tudo bem. Bem, você tem meu número, se você precisar desabafar. Estou indo de volta para o norte amanhã. Foi bom vê-la, mesmo sob essas circunstâncias." Com as minhas despedidas, fechei minha porta e dirigi até minha casa para cama.


Capítulo 18

O bilhete

Eu estava orgulhosa de mim mesma por não matar todas as minhas aulas. Se havia algo que eu não iria me perdoar por fazer, seria falhar no meu primeiro ano de faculdade, porque eu tinha terminado com meu primeiro namorado. Eu era capaz de sentar na parte de trás da sala, longe de Jaxon nas aulas que eu tinha com ele. Eu não me encontrei mais com Jace depois de Inglês, nem me juntei a eles no refeitório depois que notei Jaxon sentado com eles no dia após o jogo do campeonato. Esse foi um momento estranho, porque logo que eu o vi, eu voltei para fora da sala o mais rápido que pude e sei que todos eles me viram fazer isso. Acabei encontrando esta grande árvore à beira do campus, que era um lugar ideal para almoçar. Ou no meu caso, apenas ficar olhando para o nada e evitar qualquer contato humano e um ocasional choro, embora eu não esteja muito orgulhosa por isso. Julie, mãe de Jaxon, tentou entrar em contato comigo algumas vezes depois que ela descobriu o que tinha acontecido. Eu tentei ser educada e falar com ela, mas era muito difícil, então eu sempre achei uma desculpa para desligar o telefone. Ellie e Charles acabaram indo comigo para o escritório do advogado, para reler o contrato da conta que meus pais tinham criado em meu nome. Charles não acreditava que era real e, portanto, exigiu que ele participasse na reunião para que ele pudesse ler as pequenas letras. A conta acabou sendo legítima, e eu estava basicamente estabelecida para o resto da minha vida. Eu acho que tinha que agradecer meus pais por isso. Eu ainda estava tendo dificuldade em lidar com o fato de que eu tinha acabado de passar os últimos seis anos da minha vida louca, sendo que os meus próprios pais fizeram de tudo para tornar a minha vida melhor. Minha mãe sempre me disse que eu deveria tentar uma carreira que me fizesse feliz, e não aquela que seria só pelo dinheiro. Quando eu comecei a me interessar em jornalismo humanitário, eu sabia que eu não estaria o fazendo para viver melhor. Graças aos meus


pais, eu não teria que me preocupar com o meu aluguel ou quaisquer outros pagamentos enquanto eu estivesse fora viajando pelo mundo. Quase um mês se passou e eu ainda estava sobrevivendo. Eu estava quase de volta a um estado suportável, eu não chorei tantas vezes quanto eu costumava fazer. Embora, ele nunca estaria fora do meu coração. Eu sempre penso nele como a pessoa mais forte para realmente quebrar minhas barreiras. Por que eu tinha sido tão estúpida? Como eu poderia ter pensado que estava tudo bem em deixar Jaxon, naquela noite, pelo Devon de todas as pessoas? Ele foi a melhor coisa que tinha acontecido comigo nos últimos anos, e eu tinha acabado de me afastar dele, mesmo que apenas por um momento. Eu me tornei uma especialista em evitar Jaxon em todos os lugares que eu sabia que ele estaria. Surpreendentemente, nunca esbarramos em casa também. Quinn ficava com os rapazes no seu apartamento e, de vez em quando, Jace e Cole vinham para ficar no nosso. Eu estava triste com o nosso pequeno grupo, que tinha estado tão perto e então eu tinha que ir e estragar tudo. Agora, nós não podíamos mesmo sair juntos, todos ao mesmo tempo. Eu nunca perguntei sobre Jaxon e eu nunca o procurei entre as multidões. Eu sabia que não seria capaz de lidar em vê-lo com uma nova namorada, quando ele finalmente começasse a namorar novamente. Enquanto isso, eu também estava tendo uma eterna luta comigo mesma. Eu não poderia ser mais a Emerson porque ela sempre pertenceu a Jaxon. Eu também não poderia voltar a dormir por aí com cada indivíduo como Em fazia. Eu precisava estar no meio. Quinn e Cole tinham finalmente conseguido me levar de novo para algumas festas. Uma vez que todos os rapazes descobriram que Jaxon e eu já não estávamos juntos, eles levaram umas boas duas semanas para perceber que eu não andaria com eles. Honestamente, eu não podia ver-me ficando com alguém assim, eu já tive o melhor, e o resto seria de segunda categoria. Eu estava grata que eu nunca o vi nessas festas, porque eu não seria capaz de lidar com ele, se ele tivesse ido. Foi duro o suficiente ficar olhando para a parte de trás de sua cabeça em nossos cursos de jornalismo. Os alunos vinham e falavam com ele, ele ainda tinha duas meninas novas que se sentaram em cada lado dele, mas eu nunca o vi se envolver ativamente com eles. Um dia, o professor estava se despedindo e tentou adicionar mais material de leitura, eu assisti como Tatum Johnson se levantou em seu assento ao lado dele e o beijou na bochecha. Logo


em seguida, eu pensei que ia vomitar por toda a minha mesa. Eu rabisquei e empurrei os meus papéis e livros na minha bolsa. Quando me levantei, vi que Jaxon estava olhando diretamente para mim. Bati minha cadeira e corri para a porta. Corri pelo campus. Eu não podia sair porque eu ainda tinha outra aula e Quinn tinha o carro hoje, então eu não poderia ir me esconder lá dentro. Eu percebi que estava indo inconscientemente, a minha árvore. Eu gostaria de ter encontrado esta árvore mais cedo no meu tempo aqui na escola. Era tranquilo para se deitar embaixo e apenas olhar para os ramos entrelaçados e folhas girando. Ela era tão densa que o sol não poderia se infiltrar através, e criou este lindo brilho em volta das folhas. Este foi o lugar perfeito para esconder e me acalmar para que eu não vomitasse na frente de todos os meus colegas de aula. A circunferência do tronco da árvore era grande, eu poderia me sentar contra ela de um lado e ninguém seria capaz de me ver. Eu sempre me sentei no lado oposto do campus, eu não queria que ninguém viesse me incomodar. Algumas vezes Quinn e Cole perguntaram onde eu almoçava e se eles poderiam vir se juntar a mim, mas eu dizia que tinha ido estudar na sala. Tenho certeza de que Quinn foi me verificar um dia, porque mais tarde, ela perguntou em que sala de estudo que eu estava e eu finalmente disse a ela que tinha encontrado um lugar para me esconder, mas eu não tinha sido capaz de lhe dizer aonde eu ia, porque este era o meu lugar feliz. Eu gostava de vir aqui sozinha. Me sentei sobre as raízes da árvore com os meus joelhos puxados até meu peito e meu rosto no meio deles. Fechei os olhos, puxei longas e profundas respirações, e as soltei lentamente, disposta a não chorar. Eu sabia que isso ia acontecer, eu disse a mim mesma que iria, eventualmente, ele arrumaria uma namorada novamente. Me adverti sobre algo e então realmente acontecer são coisas totalmente diferentes. Pelo menos eu não a vi o enchendo de beijos, tinha sido apenas um beijo na bochecha. Poderia ter sido muito pior. "Hey Emers...uh ... Em." Assustada, eu levantei a cabeça rápido demais e a bati no tronco da árvore, mais uma vez me envergonhando na frente de Jaxon. Eu coloquei minha cabeça de volta para baixo em meus joelhos. Talvez se eu mantivesse meus olhos fechados com força, ele iria embora. "Oh merda, desculpe! Sua cabeça está bem?” Ele colocou sua mão quente e forte na parte de trás da minha cabeça. Eu estremeci e sai de seu controle. "Jaxon, por favor, não. Eu não sei nem


como você me encontrou aqui", eu disse em minhas pernas. "Eu sei que você sempre se senta aqui", respondeu ele, agachando-se na minha frente. Quando eu finalmente olhei para ele confusa, ele continuou: "Eu estive sentado debaixo daquela árvore ali", ele apontou para o gramado para outra árvore cerca de cinquenta metros de distância, “por algum tempo agora. Um dia eu percebi você andando por aqui e se escondendo atrás dessa. Eu comecei a vir aqui todos os dias para ver você sentar aqui. Eu só precisava saber se você estava bem. Eu odeio quando eu vejo você chorando aqui sozinha. Eu quase disse a Quinn, uma vez, para que ela pudesse consolá-la, mas depois percebi que você provavelmente vinha aqui para ficar sozinha”. Todo esse tempo, eu vim aqui para libertar alguns dos meus pensamentos mais íntimos, frustrações e tristezas. Eu chorei e eu gritei. Tudo, com ele a cinquenta metros de distância me observando. Isso foi cerca de uma centena de vezes mais mortificante do que o meu espetáculo no pátio há um mês. Eu me levantei e peguei minha bolsa. "Bem, eu estou feliz que eu estive aqui dando um show para você. Espero que você tenha gostado da minha humilhação, mas eu acho que agora é hora de fechar a cortina.” Eu comecei a andar para longe dele. "Emerson, espere..." Ele veio correndo até mim. "É EM, VOCÊ NÃO PODE ME CHAMAR MAIS ASSIM!" Eu gritei para ele. Eu estava grata que estávamos tão longe da passagem principal do campus, porque eu realmente não tinha vontade de ter uma audiência para outra cena com Jaxon. "Em, eu não tive a intenção de parecer como se eu estivesse desfrutando da sua dor. Eu vim aqui para ter certeza que você saiba que eu não estou com Tatum. Eu não sei por que ela me beijou na bochecha. Eu acho que ela só queria que você achasse que algo estava acontecendo. Eu disse a ela para não fazer mais isso.” "Você não precisa fazer qualquer coisa por mim. Eu não tenho qualquer controle sobre você ou suas ações.” Eu continuei a andar para longe dele. O que ele estava fazendo? Será que ele não entende o quanto doía falar com ele? Isso deve ter feito algum sentido finalmente, porque ele gritou de volta para mim no


campo vazio. "Você acha que eu não estou com dor? Você acha que o meu coração não foi arrancado da porra do meu peito até que eu não consiga mais respirar? Você acha que isso é fácil para mim?” "Não é? Quero dizer, isso foi ideia sua. Eu certamente não escolhi isso para mim", eu disse calmamente, virando-me para ele. Tentando jogar as minhas palavras de volta, ele disse: "Você não, embora? Quando você decidiu fugir de mim para ir de bar em bar com Devon e ficou perdida, você não poderia ter atendido o celular?”. "Como você sabia que eu estava em um bar com Devon?" "Oh, ele não te disse?", Ele falou com gelo em suas palavras. "Cerca de três horas, ele atendeu o seu celular para permitir que todos os seus amigos e seu namorado, que tinha ligado para você a noite toda, soubessem que você estava com ele", gritou. "Eu tive que ouvir de outro cara que a minha namorada estava a salvo. Que ele cuidaria de você!”. "Se Devon respondeu meu telefone, então você sabe que nada aconteceu com a gente e que ele tem uma noiva que ele ama." Sua cara de surpresa me mostrou que ele tinha dúvidas se eu tinha feito qualquer coisa com Devon. Não importa o que ele disse, ele ainda mantinha a minha reputação anterior contra mim. "Você é sempre tão frustrante! Você não entende? Não é que eu pensei que você estava me traindo. É que você era minha! Não dele. MINHA, EMERSON! Mas, na hora que você mais precisa, você escolhe outra pessoa em vez de mim. Eu senti como se tivesse levado um tapa. Um tapa que eu merecia, no entanto. A coisa era que eu não tinha escolhido ninguém. Eu só fui com Devon, porque eu sabia que ele não iria me fazer falar. Ele apenas ficou lá a noite toda em silêncio, enquanto eu estava fora do ar em meu próprio mundo e problemas. Realmente não importa se eu esclareci isso para Jaxon, o dano já havia sido feito. Eu me virei e fui embora. "Não me siga, Jaxon."


*.*.*.*.*

Este semestre eu tive que tomar uma aula de preparação para o meu estágio de verão. Era tudo sobre o que se esperar e ter certeza que nós sabíamos exatamente no que estávamos entrando. Eu aprendi que eu ia precisar de uma quantidade insana de vacinas. Quinn ia ter que vir, caso eu pudesse desistir. Nós também descobrimos que precisávamos obter recursos para uma quantidade significativa de dinheiro, havia uma grande quantidade de material e a escola ofereceuse com algum recurso, mas atualmente o programa não tem fundos suficientes para fazer tudo. Professor Patterson estava no comando do estágio. Desde que eu me sentia relativamente confortável com ele agora, eu pedi para falar com ele um dia depois da aula. Eu disse a ele que tinha entrado algum dinheiro ultimamente que eu realmente não precisava, e eu não me importaria em ajudar no programa. Ele estava chocado e muito grato com a minha oferta. Ele disse que queria experimentar algumas técnicas de captação de recursos em todo o resto do primeiro semestre, para ver se poderíamos levantar o dinheiro. Se não chegasse ao nosso objetivo, eu poderia voltar e falar com ele novamente sobre ajudar. Espero que ele não ache que eu estava tentando puxar o saco dele, porque isso certamente não era a minha intenção. Toda vez que minha mãe passava por um jarro de coleta para uma instituição de caridade, ou por uma pessoa sem-teto na rua, não importa o que, ela sempre dava dinheiro. Uma vez eu perguntei por que ela não apenas guardava esse dinheiro para ela, já que poderia comprar algo de bom ou apenas se divertir. Ela simplesmente respondeu que ela não precisava de nada agradável se ainda havia pessoas lá fora que necessitavam de comida ou água. Todos os dias ela me ensinou a ser humilde e como devemos apreciar cada pequena coisa que nos foi dado. Eu acho que ela era a pessoa que havia inspirado minha futura escolha de carreira. Eu estava começando a entender por que eu nunca soube como meus pais eram bem de vida. Assim era o meu desconforto em ter a quantidade de dinheiro que eu tinha na minha conta bancária. Eu sabia que havia pessoas lá fora que precisavam e eu não tinha ideia de como começar a ajudá-los. Perguntei ao Professor Patterson quais eram as suas ideias para angariação de fundos. Quando ele me disse poucas delas, percebi que, enquanto eles trariam uma quantidade razoável de dinheiro, nunca traria o suficiente para sermos capazes de sobreviver na África. Sugeri que


tivéssemos um Dia do Leilão. No qual encontraríamos um monte de caras ou garotas e os leiloaríamos no dia. Eu tinha ouvido falar de outras faculdades que já tinham feito. Ele adorou a ideia e a trouxe em sala de aula no dia seguinte. Os alunos ficaram instantaneamente animados com a ideia. A primeira coisa que eu fiz depois dessa aula, foi solicitar uma reunião com o Presidente do Conselho entre as fraternidades da nossa escola. Expliquei-lhe a nossa ideia e como isso divulgaria sobre as fraternidades e sua generosidade para ajudar outras áreas da universidade. Ele adorou a ideia, mas me disse que algumas das fraternidades haviam tido problemas com muita frequência ultimamente. Ele não queria que as pessoas pensassem que eles estavam vendendo sexo. Eu pensei que era uma suposição grosseira, mas eu entendi onde ele queria chegar. Professor Patterson sugeriu que eu perguntasse ao Treinador Chase se pudéssemos leiloar seus jogadores, agora que eles não estavam atolados com as práticas do campeonato. Embora, quanto mais eu pensava nisso, mais eu percebia que os caras pagariam mais dinheiro para as meninas do que as meninas pagariam nos rapazes. Então eu decidi perguntar ao Treinador Chase se pudéssemos ter todos os seus jogadores para ir ao Dia do Leilão arrecadar dinheiro para a viagem de Jornalismo. Treinador Chase gostou da ideia do Leilão, e desde que o time de futebol promovesse, ele iria se certificar de que todos os seus jogadores estivessem presentes. Acabei encontrando vinte garotas dispostas a serem leiloadas. Realmente não foi difícil. Quando você publica “Você quer que um jogador de futebol lhe compre para um Dia?” em todo o campus, você tem que começar a fugir das meninas. Originalmente, Patterson sugeriu usar o ginásio para o evento, mas eu convenci um hotel local para doar seu belo salão de festas para a noite. O evento estava explodindo e eu ouvi as pessoas falando sobre ele em todo campus. Eu não tenho certeza em que ponto eu me tornei a coordenadora de todo o evento, mas foi bom para ser capaz de me jogar em algo que exigiu toda a minha atenção. Ele tinha ajudado a manter minha mente fora de todo o resto, ou seja, de Jaxon. Mais tarde naquela noite, eu peguei o meu texto para me preparar para as provas semestrais na próxima semana. Normalmente, eu iria me jogar em um grupo de estudo, mas hoje eu não tinha vontade de ser social. Professor Patterson sempre tentou torná-lo mais fácil para nós


estudantes universitários quando podia. Em uma das aulas de jornalismo que tenho neste semestre, ele vai usar o mesmo texto que foi utilizado na aula de pré-requisito, que eu tive no último semestre com Jaxon. Ele e eu compartilhamos esse texto da última vez, mas eu assumo agora que ele tenha comprado seu próprio livro para a aula ou que ele está compartilhando com alguém. Por que meus pensamentos sempre iam em direção a ele, não importa o assunto? A única coisa irritante sobre livros da faculdade é que, quando você compra os usados, muitas vezes eles já vêm com algo escrito e com marcações neles. É muito perturbador quando você está tentando estudar. Este texto em particular, não tinha rima ou razão para todas as marcações nele. Uma palavra estava circulada em uma página e, em seguida, você poderia ir até a página vinte para encontrar mais uma ou duas palavras circuladas. Comecei a me distrair com as palavras circuladas. Comecei no início e escrevi cada palavra que encontrei. Levei duas horas para encontrar cada palavra. Comecei a pensar sobre quanto tempo eu tinha acabado desperdiçando quando eu poderia ter estudado, até que eu percebi que todas as palavras juntas significavam algo. Acabei de te conhecer e já estou impressionado com você. Sua beleza me tem cego para todas as outras. Meus olhos sempre vão encontrá-la no meio da multidão. Minha parte favorita do dia é quando eu começo a ouvir sua risada. Um dia você irá deixar alguém ser um bastardo sortudo. Um dia você vai descobrir o quão bonita e forte você é. Espero que eu esteja de pé ao seu lado segurando sua mão quando você fizer. Meu primeiro pensamento foi que eu fiquei impressionada que ele tinha encontrado a palavra "bastardo", em nosso livro. Meu pensamento seguinte foi de tristeza inimaginável. Eu não podia acreditar o que ele tinha feito no meu livro. Me lembro de como ele pegou emprestado na noite em que eu fui para a casa deles depois do trabalho. Eu tinha adormecido em cima dele e ele me levou para minha cama. Então, ele tinha levado meu livro, o mesmo que eu tinha estudado


inúmeras vezes depois, e ele tinha escrito o bilhete de amor mais incrível que eu já tinha lido. Eu achei que nunca na minha vida eu receberia algo assim. Ele havia escrito que esperava estar ao meu lado quando eu percebesse o quão bonita e forte eu era. Houve um momento em que eu pensei essas coisas sobre mim, trouxe-os para fora e me lembrava diariamente. De certa forma, ele estava ao meu lado quando eu compreendi. Ele só não ficou por aqui depois. Joguei todas as minhas anotações e livros fora da minha cama e debaixo das cobertas. Alcancei embaixo do meu travesseiro e peguei a camiseta que eu tinha levado da sala de Jaxon na primeira vez que dormimos juntos. Ele sabia que estava aqui, mas ele nunca pediu de volta. Eu puxei meus joelhos até meu peito e tentei lutar contra as lágrimas. Só para cavar a faca ainda mais fundo, eu ouvi uma música começar a tocar através da parede do quarto de Jaxon. Levei alguns minutos para reconhecer o CD misto que eu tinha feito, que eu nunca tinha o ouvido tocar antes. Na verdade, ele ainda não tinha mencionado isso desde que eu tinha dado a ele, não que nós tínhamos discutido muita coisa desde então. Por que agora, depois de todo esse tempo, ele tinha puxado para fora? Para minha tortura, ele tocou o disco quatro vezes seguidas naquela noite. Quando finalmente desligou, eu sucumbi a um sono agitado.


Capítulo 19

Minhas Regras Ainda Estão de Pé

No meio da semana, Cole e Jace convidaram eu e Quinn para bebermos um pouco na casa deles. Eu não bebia mais, mas poderia ser legal apenas estar com eles em um lugar mais calmo do que em uma festa. Jace me assegurou de que Jaxon não estaria. Eu tentei não pensar onde ele passaria a noite. Eu não posso dizer que a ideia de ele passar a noite na casa de qualquer garota não passou pela minha cabeça uma dúzia de vezes, mas eu fui forte o suficiente para não perguntar. Todos nós estávamos com os nossos livros para pelo menos fingir que estávamos estudando. Jace era o único que estava realmente estudando; ele parecia um pouco mais preocupado com as provas do que nós. Eu tentei ajudá-lo fazendo algumas perguntas e testes que estava no livro. Ele era inacreditavelmente esperto, eu não conseguia entender como ele podia lembrar metade da matéria. Após horas tropeçando sobre vários termos médicos e partes do corpo que eu não conseguia pronunciar, ele me deixou parar com um sorriso. Eu tinha apenas uma prova, e era Inglês, então eu não estava muito preocupada em ficar acordada até tarde. Perto da meia-noite, estávamos todos bocejando. “Vamos. Quinny, vamos dormir” Disse Cole, quase bocejando. “Ah, eu não tenho conseguido passar tempo suficiente com Em ultimamente. Em alguns meses, ela estará indo para África. Eu acho que vou ficar mais um tempo aqui com ela” Ela queixou-se. Ultimamente ela tem falado sobre a minha viajem mais e mais. O máximo que já ficamos longe uma da outra foi uma semana, então três meses ia ser uma tortura para nós duas. “Está tudo bem Quinn, todos nós estamos indo dormir. Eu vejo você amanha de manha” Falei para ela.


“Vamos Em, venha para cama com nós também. Eu nunca diria 'não' para duas mulheres me querendo na cama” Brincou Cole, enquanto Jace começou a rir. “Eu acho que nunca disse que queria estar na sua cama” Eu o cutuquei na costela. “Pegue ela Cole” Disse Quinn. Antes que eu pudesse protestar, Cole me jogou em seus ombros e pegou a mão de Quinn. Ele deitou nós duas na cama, se levantou, pegou duas camisetas grandes do seu armário, e nos entregou. “Se troquem, eu preciso ir ao banheiro” Ele disse. Após nossas calças e camisetas serem jogadas no chão e nós estávamos de 'pijama', nos deitamos e Quinn segurou minha mão. “Boa noite Ems, eu te amo.” “Eu também te amo Quinn” Eu sussurrei de volta. Quando eu a escutei arfar e se sentar me olhando. “Você nunca disse de volta para mim” Eu a puxei de volta. “Eu sei, e me desculpa, não foi certo da minha parte, mas eu sempre a amei.” Ela se aconchegou perto de mim e não muito depois, eu escutei Cole voltando do banheiro e se deitando ao lado de Quinn. Ele a beijou e nos desejou boa noite. Na manha seguinte, antes que eu abrisse meus olhos, tudo o que eu podia sentir era o cheiro de Jaxon. Eu não queria abrir meus olhos com medo de que o cheiro desaparecesse. Eu podia ficar neste sonho para sempre. Eu me acomodei no travesseiro e inquestionavelmente eu podia sentir seu cheiro e colônia. Parecia o melhor sonho e um pesadelo, tudo amarrado em um só. Eu estendi a mão e sabia que não estava na cama com ele, já que o espaço ao meu lado estava vazio, mas também sabia que não estava na cama com Quinn e Cole. Com os meus olhos ainda fechados, eu passei a minha mão pelo edredom e senti a costura que era da sua cama cinza e branca. Para o meu último teste eu procurei no canto do lençol e senti o buraco que o meu brinco havia feito uma vez.


Finalmente abri meus olhos e eu estava certa. Eu estava na cama de Jaxon, mas ele não estava comigo. Como eu cheguei aqui? Eu acordei no meio da noite e fui para a cama dele? Se sim. Eu precisava sair antes que ele chegasse em casa. Nada seria mais vergonhoso do que ser a exnamorada que não te deixa mais e também que ia para a sua cama no meio da noite. Eu me espreguicei e vi uma escrita familiar na minha palma. Eu aproximei minha mão já que meus olhos ainda não se ajustaram a luz do dia. Minhas regras ainda estão valendo. Minha cama. Nem a do Cole e nem a do Jace. Isso realmente estava acontecendo? Ele foi até o quarto do Cole, me tirou da cama dele só para me deitar na sua cama sozinha. Porque diabos ele se preocupa onde eu durmo agora? “Minhas regras ainda estão valendo” Quem ele pensa que é? Ele não tem nenhum direito de fazer regras para mim. É melhor ele não estar nesse apartamento porque se ele estiver eu vou arrancar a cabeça dele. Que direito ele tem de me tirar de perto dos meus amigos? Mais tarde eu vou tirar uma soneca na cama de Jace só para irritá-lo. Par meu desgosto, eu estava com a camisa de Cole e calcinha, o que significa que ele me carregou quase sem roupa. Eu sei que isso não devia me incomodar porque ele conhece cada parte do meu corpo, mas eu acho que merecia estar acordada se ele fosse me tocar novamente. Eu olhei em volta do quarto e não vi minhas roupas em nenhum lugar, então devem estar ainda no quarto de Cole. Ele pelo menos podia ter trazido minhas roupas quando ele me sequestrou. Enquanto eu procurei minhas roupas pelo quarto dele eu vi mais fotos do que eu lembrava da última vez que estive aqui. Tinha uma foto na sua mesa, na cabeceira, e alinhadas na parede. Eu cheguei mais perto de cada uma, percebendo que eu estava em quase todas elas. Tinha fotos minhas e da mãe dele, eu e Jace, eu e alguns dos amigos deles que eu conheci em algumas festas, eu, Cole e Quinn, e finalmente, eu e ele. Minha foto favorita de nós dois estava pendurada na cabeceira. Era na noite da festa de aniversário do Garret, quando nós nem estávamos juntos ainda. Eu lembro de estar em pé ao lado do balcão da cozinha depois de ter tomado um copo de tequila na frente dele. Eu estava olhando para ele como se ele fosse a única pessoa no mundo. Eu estava perplexa de que eu poderia dar esse olhar tão profundo para alguém. Minhas mãos estavam como sempre no cós da calça.


Eu lembro que Mason, que é formado em fotografia, tirou esta foto. Como sempre ele estava tirando fotos em qualquer evento. Naquela hora, nós não percebemos que ele estava tirando uma foto nossa, não até escutar o inconfundível barulho da câmera, e depois ele veio e nos mostrou a foto. Eu lembro que nós dois sorrimos para a foto, mas eu não tinha visto a foto desde então. Eu me pergunto se Jaxon pediu a foto para ele, ou se Mason deu para ele. Se ele deu para Jaxon, por que ele não me deu uma também? Eu tentei pensar na última vez que eu estive no quarto de Jaxon. Foi no dia daquela festa horrível, onde eu enlouqueci e fugi dele com Devon. Eu lembro que ele tinha uma foto de nós cinco sentados no sofá que eu tirei botando no temporizador. Mas todas essas outras fotos com certeza não estiveram aqui. Porque ele emoldaria todas essas fotos de mim e penduraria pelo quarto? Quanto mais eu me sentava e pensava sobre suas ações, mais brava eu ficava. Isso era doloroso. Ele precisava parar de olhar fotos minhas e escutar meu CD toda noite, onde eu basicamente demostrei tudo que sentia através de canções. Ele quis esse término. Eu não. Eu deixei o quarto dele e fui para o quarto de Cole. A porta estava fechada, então eu esperei e escutei do lado de fora para ter certeza que eu não estava prestes a entrar em algo que não devia ver. Quando tudo estava silencioso, eu entrei no quarto escuro. Eu percebi que Quinn ainda estava dormindo aconchegada perto de Cole. Quando a luz do corredor entrou no quarto, eles começaram a se mexer. “Em?” Perguntou Cole com uma voz áspera. “Desculpa Coley, eu só precisava pegar as minhas roupas.” “Emmy, aonde você foi? Quando eu acordei ontem à noite você não estava aqui, eu pensei que você tinha ido para casa” Perguntou Quinn, levantando a cabeça. “O babaca do Jaxon veio aqui, me pegou quando eu estava dormindo, e me jogou na cama dele!” Eu mostrei a minha palma para ela para que ela pudesse ler o que ele tinha escrito. “Do que você está falando? Por que ele faria isso?” Cole se sentou para tentar ler a minha palma também.


“Alguns meses atrás, ele me pediu que não dormisse na sua cama ou na de Jace. E ele deixou essa nota na minha mão dizendo que 'as regras dele ainda estão valendo.' Eu não sei quem ele pensa que é. Agora tudo o que eu quero é dormir na sua cama ou na de Jace toda noite.” Eu andei de um lado para o outro. Balançando a sua cabeça, “Wow, ele tá mal”. “Ele está prestes a ficar mal” Eu peguei minhas roupas e saí do quarto. Eu realmente estava esperando que ele estivesse na sala, porque eu estava prestes a acabar com ele. Ter falado com Cole e Quinn me irritou mais ainda. Jaxon não tinha nenhum direito de terminar comigo, e em público menos ainda, e depois tentar controlar onde eu durmo à noite. Isso só me fez querer dormir com todos os caras com quem ele já falou nessa escola. Eu sei que eu não era capaz de fazer isso, mas ele com certeza me fez ter vontade. Eu cheguei no final do corredor com a minhas mãos em punhos. Quando eu cheguei na sala, Jaxon estava no sofá. Por que ele me botaria na sua cama se ele ia terminar dormindo no sofá? Ele estava dormindo de bruços, com os braços estendidos debaixo do seu travesseiro. Nas ocasiões raras onde eu acordava antes dele, eu sempre o via assim. Se tornou um jogo para mim, para ver quanto tempo eu podia beijar as costas dele antes de ele acordar. Algumas vezes eu podia beijar uma linha de cima a baixo três vezes antes de ele começar a se mexer. Eu tinha amado aquele tempo ininterrupto para explorar os músculos de suas costas. Com os meus dedos, eu gostava de traçar as linhas da tatuagem dele que se espalhava no canto de trás do seu ombro. Eu perdi noção de quanto tempo eu estava ali olhando ele dormir. Eu não tinha me permitido olhar realmente para ele durante esse mês. A qualquer hora que eu começava, ele me pegava olhando, então eu me forcei a parar. Minha raiva passou enquanto eu ouvia o ritmo da respiração dele. Eu ficaria furiosa com


ele mais tarde. Ele não parecia que estava dormindo calmamente de qualquer maneira, ele tinha uma expressão seria que eu queria tirá-la de lá. Enquanto eu estava na entrada do corredor para a sala vendo ele, mãos quentes deslizaram sobre os meus ombros. “O que você está fazendo garotinha?” Jace sussurrou no meu ouvido. Eu me assustei com o som da voz dele. “Eu só estou indo” Eu sussurrei de volta, mas não me movendo. “Você estava aqui quando eu fui no banheiro a cinco minutos atrás” “Uhm... acho que eu só viajei um pouquinho. Eu ainda estou cansada” Menti. “Vocês parecem dois cachorrinhos tristes. Eu não entendo,” ele continuou sussurrando para não acordar ele. “Não foi minha escolha.” “Acho que também não foi dele” Eu não queria falar sobre isso com o irmão de Jaxon, não importa o quanto bom amigo ele era. “Ei, você quer fazer um estudo rápido comigo para inglês?” “Claro, quer fazer agora?” Ele perguntou. “Eu preciso tomar banho primeiro, mas eu já volto.” “Te vejo daqui a pouco, baby” Eu corri para o meu apartamento e tirei a camisa sobre minha cabeça. Eu enrolei e cheirei. Ela nem cheirava mais a Cole. Ela tinha o cheiro de Jaxon e eu juntos. Eu rapidamente a enfiei debaixo do meu travesseiro junto com a outra camiseta que eu nunca devolvi. Cole não vai receber essa de volta por um tempo também. E tomei banho rapidamente e enrolei meu cabelo molhado em um coque bagunçado. Eu


tinha um dia ocupado a minha frente; não tinha tempo para secar e arruma-lo. Eu precisava fazer uma revisão para a prova de Inglês, e depois da aula, eu tinha que correr para o hotel e me certificar que tudo estava pronto para o leilão amanha à noite. Eu andei até o apartamento dos garotos e debati entre bater ou entrar direto. Eu estava acostumada a entrar sem bater quando eu e Jax estávamos juntos. E antes de ontem à noite eu não estive aqui desde o nosso término. Se Jax ainda estava dormindo, a minha batida iria acordar ele, e eu não queria interagir com ele agora. Eu girei a maçaneta silenciosamente e entrei. O sofá estava vazio e Jace estava na cozinha fazendo o café da manha. “Ei, Ems, isso foi rápido. Eu achava que garotas podiam ficar no banho por horas?” Ele perguntou, rindo. “Como eu queria. Eu não tenho tempo hoje. Você se importa se nós estudarmos no seu quarto?” Perguntei. Ele deu de ombros e me entregou um prato de ovos com bacon. “Claro. Este prato é seu com desagradáveis cebolas picadas nele.” “Você botou cebola nos meus ovos?” Perguntei, surpresa. “Como você sabia que eu gostava assim?” “Um palpite. Ele veio aqui, as cortou, e as jogou aqui sem perguntar. Ele se importa que eu odeie cebola? Não. Eu tive que começar tudo de novo e refazer o meu prato,” Ele resmungou. “Jaxon fez isso?” Ele acenou com a cabeça e continuou andando para o quarto dele. “Ele não faz nenhum sentido,” Eu disse. Ele entrou no quarto dele e eu fechei a porta atrás de nós. “Você está tentando fazer com que eu seja espancado, não está?” Ele acenou em direção a porta fechada. “Por que você não vai falar com ele, Em? Ele nunca mais está feliz...” “Ele quis isso. Eu errei e agora eu estou pagando por isso.” “Você está apenas fazendo tanto você como ele miseráveis. Não tivemos essa conversa com Quinn antes?”


Quando eu não respondi, ele continuou, “Ele vai ficar irritado que a porta está fechada...” “Nós não estamos mais juntos, Jace. Se eu quiser ir ao quarto de algum garoto, eu posso. Ele pode superar isso; é isso que acontece quando se termina.” Eu sentei na ponta da cama dele. O quarto de Jace era tão limpo quanto o de Jaxon sempre foi. A mãe deles os ensinou bem. Onde o quarto de Jaxon era claro com cinza e branco, o quarto de Jace era mais escuro com uma cabeceira preto-e-branco e fotos preto-e-branco nas paredes. Eu notei um par de luvas de box usadas penduradas no teto, no canto acima de sua cabeça. Na sua escrivaninha tinha um modelo de carro que era uma cópia exata do carro que Jaxon dirigia pelo Texas. Perto do carro havia uma foto com ele, Jaxon, a linda mãe deles e um pai incrivelmente lindo, todos juntos na frente do celeiro deles. Interrompendo minha inspeção pelo seu quarto, Jace perguntou, “Você não tem ido em muito quartos, tem?” Eu fiquei olhando para ele, pensando se eu deveria responder aquela pergunta, enquanto ele veio e se sentou ao meu lado na cama. Eu decidi que não. Ele apenas contaria tudo para o seu irmão e eu me sentiria mais patética do que já era. Ao invés disso, eu tirei o meu texto de Inglês e comecei a ler cada assunto que eu deveria saber. Eu rapidamente percebi que Jace não precisava estudar. Ele sabia tudo de cor; ele estava apenas fazendo isso para me ajudar. Eu me peguei viajando enquanto ele lia do livro dele para mim. Eu assisti as suas expressões faciais e sua boca que se movia com as palavras que fluíam dos seus lábios, lábios que eram do mesmo tamanho que os de Jaxon. Eu espiei aquele maldito dente ligeiramente torto, que uma vez eu disse a Jaxon que era minha parte favorita do seu rosto. Meu coração começou a doer a partir da visão dele. Ele era parecido demais com o seu irmão e era doloroso. Antes que eu pudesse me pegar, eu comecei a inclinar sobre os lábios deles. Na minha cabeça, ele tinha virado Jaxon sentado na cama dele lendo para mim, não Jace. Ele imediatamente foi para trás longe de mim, antes que eu pudesse fazer contato. “Que


diabos, Em?” Ele me olhou com uma expressão atordoada. Eu finalmente voltei para a Terra e percebi o que eu quase fiz, quando não era a voz melódica e profunda de Jaxon que eu estava ouvindo, mas a de Jace. Minha mão foi para o meus lábios cobrindo-os. “Meu Deus Jace! Desculpa!” Eu gritei. De repente, lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto. O que estava acontecendo comigo? Eu parei de chorar semanas atrás e essa semana eu não conseguia parar. “Você realmente está tentando com que eu seja espancado,” Ele disse, tentando melhorar o humor e eu o amei por isso. “Não, não, não, Deus, isto não era para ter acontecido, Eu viajei. Você estava...” Eu não conseguia dizer. Era humilhante o bastante. Como eu poderia dizer a ele que eu pensei que ele era o irmão dele e foi por isso que eu quase o beijei? “Está tudo bem, eu entendo.” Ele me deu um olhar triste e penoso e eu não poderia mais estar nesse quarto com ele mais um segundo. Eu rapidamente peguei os meus papeis e livros e botei de volta na minha mochila e pulei para a porta. “Em, espere! Está tudo bem!” Ele gritou. Quando eu corri pela porta, eu tropecei sobre o corpo de Jaxon que estava sentado no chão encostado na parede. Simultaneamente, minhas mãos voaram para me pegar, mas meu rosto foi junto e minha boca atingiu minhas juntas. Eu trouce minhas pernas para junto do meu corpo e me agachei no chão naquela posição por alguns segundos. Se eu esperava conseguir a minha dignidade de volta na frente dele, aparentemente não ia acontecer tão cedo. “Baby, você está bem?” Jaxon perguntou, pairando sobre mim nervosamente. “Que diabos você fez cara?' Eu ouvi a voz de Jace mais atrás. “Não idiota, que diabos VOCÊ fez?” Ele gritou para seu irmão. “Eu a escutei gritando lá


dentro. Por que ela gritaria quando você me disse que vocês dois só iam estudar?” Eu não podia deixar Jace ficar com a culpa pelo meu constrangedor erro. Eu me levantei e os encareis. “Pare de gritar com ele Jaxon, ele não fez nada de errado,” Repreendi. Os dois me olharam com os olhos arregalados. Então Jaxon se abaixou, me pegou, e começou a andar em direção ao banheiro antes que eu pudesse protestar. “Jaxon, você não pode me pegar qualquer hora que você quiser, me bote no chão,” Eu disse com raiva. Ele me ignorou e continuou indo para o banheiro. Ele me sentou no balcão do banheiro e abriu a porta do armário. Eu fiquei olhando enquanto ele pegava uma toalha de rosto no armário e levou para a pia para molhá-la. Quando ele pareceu contente com a temperatura da água, ele torceu a toalha para tirar o excesso. Eu fiquei sentada apenas olhando ele, sem ideia nenhuma do que ele estava fazendo. Ele finalmente me olhou nos olhos e eu congelei; Eu senti falta desses olhos. Ele botou a toalha nos meus lábios e gentilmente pressionou. Eu estremeci com a dor. Com a outra ponta ele limpou meu queixo. Eu olhei para a toalha na sua mão e percebi que estava manchada de sangue. Meu sangue. Eu não tinha a mínima ideia de que estava sangrando. “Você está bem?” ele perguntou, com muita preocupação nos olhos. Eu peguei a toalha das mãos dele e sai do balcão, segurando contra o meu lábio. “Eu estou bem. Na próxima vez, tente não escutar por trás da porta e talvez eu não caia sobre você.” Eu sabia que o meu tom estava seco, mas odiava que ele estava tentando ser amigável do nada. Eu estendi minha mão para a maçaneta e ele bateu a sua palma contra a porta para continuar fechada. Eu nem me incomodei em tentar abrir a porta sendo que ele era mil vezes mais forte que eu. Eu apenas fiquei olhando para a porta, esperando ele se arrepender. Ele veio para perto de mim, sem me tocar, mas eu podia sentir o calor do corpo dele. “O que você está fazendo comigo? Você está me arruinando. Isto não sou eu. Eu não babo


atrás de mulheres, mas eu não consigo tirar você da minha cabeça! Pior de tudo, nós não somos mais amigos. Você era a minha melhor amiga, Emerson. E agora você me fez pular na garganta do meu próprio irmão só porque você estava no quarto dele. Você me fez tirar você da cama de outro cara só para eu ver você na minha cama... só mais uma vez.” “Jaxon, você deu um fim para nós,” Eu sussurrei. “Pelo menos por que nós não podemos ser amigos? Toda vez que eu tento falar com você vira um jogo de gritos.” “É impossível. Eu não posso ser sua amiga. Machuca demais. Se eu estou te arruinando, então você me destruiu. Eu finalmente confiei em alguém suficiente para amar e você provou que o tempo todo não valeu a pena.” Lágrimas estavam escorrendo de novo, eu esperava que um dia essas lágrimas fossem secar. “Por favor, linda, só venha para o meu quarto e fale comigo.” Eu estremeci com o termo carinhoso para mim. O braço dele saiu da porta e eu fui na oportunidade de abri-la. “Apenas pare Jaxon. Pare de tocar o meu CD à noite, pare de botar fotos minhas no seu quarto, pare de me tirar da cama de Cole, e pare de ter certeza que eu terei a minha comida favorita. Você não me quer mais; todas essas coisas me confundem!” Eu continuei pelo corredor para sair. “Emerson, não é isso...” “Deixa ela, Jax.” Eu escutei a voz áspera de Cole interromper do final do corredor. Eu saí do apartamento dele eu fui direto para o meu carro para ir para a escola. *.*.*.*.*

Tudo estava quase pronto para o leilão amanhã à noite. Micah tem sido uma grande ajuda para mim. Eu estava surpresa que ele tinha se inscrito para o estágio no começo do semestre. Eu não tinha ideia alguma que ele estava interessado nessa área de Jornalismo. Pelo menos eu vou ter um amigo próximo na África comigo. Eu ainda estava conhecendo os outros no grupo. Quando ele viu o meu lábio, ele enlouqueceu porque definitivamente parecia que eu


tinha levado um soco. Me levou um tempo para explicar para ele que consegui me socar. Depois da minha história ridícula, ele riu e disse que só eu poderia fazer isso. Surpreendentemente, ele não deu em cima de mim se quer uma vez desde que eu e Jaxon terminamos. Mais cedo, eu tive que ligar para todas as garotas que iam participar do leilão para ter certeza de que elas estariam aqui na hora, e Micah se voluntariou para ligar para as vinte delas. Eu não me importo se ele queria só o número de vinte garotas gostosas; ele me salvou muito tempo. Enquanto nós estávamos terminando o salão, eu me virei para ele do outro lado de uma mesa, “Obrigado de novo, Micah. Você me ajudou muito. Se não fosse por você, eu teria que vir aqui às três da manhã depois de sair do trabalho só para ter esse lugar terminado a tempo.”. “Sem problema, Ems. Eu sei que eu te incomodei no último semestre sobre toda essa coisa de namoro, mas eu penso em você como uma boa amiga. Eu sei que você preferia ter Jax aqui para ajudar, mas eu estou grato que eu pude.” “Agora, eu estou feliz que é você,” Eu sorri para ele. “Nossa, obrigado.” “Ei, eu tenho que ir trabalhar, mas você deveria passar aqui à noite. Eu vou te dar algumas bebidas grátis pela ajuda.” “Talvez eu possa aceitar essa oferta.” Ele piscou para mim e me acompanhou até o meu carro. Mais tarde naquela noite, eu estava limpando o bar e conversando com Micah sobre a ordem dos eventos que nós precisávamos ter certeza que ia acontecer amanhã. Eu fiquei olhando enquanto Mark checava as identidades de Cole, Jace, Quinn, e Jaxon. Todos eles sorriram quando entraram, exceto Jaxon, que só ficou olhando para parte de trás de Micah. Eu apontei para a mesa da piscina mais perto do bar que eu geralmente tentava salvar para amigos. Cole e Quinn vinham mais frequentemente, Jace vinha de vez em quando, mas Jaxon não esteve aqui durante um mês. Eu queria não ter vindo hoje à noite, não importasse o quanto eu gostava de olhar para ele. Do jeito que ele estava olhando para Micah me deu uma boa ideia de que tudo que ele ia fazer era me dar dor de cabeça essa noite. “O que vocês vão querer?” Eu perguntei quando eles se aproximaram. Micah se virou para


ver quem estava atrás dele. Ele cumprimentou Cole e Jace, mas só ficou olhando para Jaxon. Todos eles fizeram seus pedidos. “Eu vou trazer pra vocês.” Quando eles foram para a mesa, eu comecei a preparar os copos para as bebidas deles e abri as garrafas. Micah continuou falando sobre o leilão de amanhã, e eu ri alto quando ele fez uma piada sobre uma das garotas do leilão. Ele até mesmo fez a voz fina e irritante que ela faz quando ela está triste. Então eu percebi Jaxon vindo para o bar. “É melhor se cuidar, Em. Se você não cuidar, você provavelmente vai quebrar as suas regras com ele.” Ele zombou. “Qual é o seu problema cara?” Micah se virou no seu banco para franzir para ele. “Saia cara, antes que eu te espanque de novo,” a voz dele mal era um sussurro, mas eu sabia o que ele tinha dito. “Se eu me lembro corretamente, vocês terminaram. Eu tenho certeza que eu vi você fazer no meio do pátio da escola para que todos pudessem ver.” Micah falou para ele. “E se é por isso, você não tem nenhum direito sobre ela. Ela é minha amiga e eu vou sentar aqui e conversar com ela o quanto eu quiser.” “Você amentou o seu limite, Emerson; voltou para o antigo com esse cara?” Ele pode muito bem ter me chamado de prostituta bem no meio do bar. Eu virei os meus olhos frios para ele e assisti o rosto dele cair em horror enquanto o peso das palavras o atingia. “Merda! Eu não devia ter dito isso. Eu não quis dizer isso, eu juro por Deus.” “Saia agora mesmo antes que eu peça para Mark escoltá-lo para fora.” Eu percebi que o tom da minha voz estava fazendo ele entrar em pânico então eu decidi ir para a sala de trás. Antes que eu pudesse fechar a porta, eu estava sendo empurrada para trás. A forma gigante de Jaxon preencheu a porta toda enquanto ele entrou na sala. Ele me pegou pelo quadril, me levantou, e sem pensar, minhas pernas traidoras se agarraram na sua cintura como se elas tivessem uma mente própria. Elas sabiam onde queriam estar, mesmo a minha cabeça não concordando. Meu peito estava pesado de raiva pelo que ele tinha dito antes e ele apenas ficava olhando para os meus olhos.


Antes mesmo de saber o que estava acontecendo, ele puxou a minha cabeça em direção a dele e os seus lábios estavam esmagando os meus, atacando eles impiedosamente. Meu corpo instantaneamente respondeu a sua paixão ardente e o calor eminente do seu corpo. Eu o apertei mais forte com as minhas pernas e enfiei meus dedos no seu cabelo bruscamente. Eu precisava disso. Eu precisava libertar a minha raiva e ódio nele da única maneira que eu sabia. Ele andou para frente até as minhas costas atingirem a parede da despensa. Ele parou muito cedo a ficou olhando os meus olhos de novo. “Fale comigo, Emerson.” “Não,” foi a minha única resposta. Então eu puxei a cabeça dele para a minha. “Eu odeio que eu machuquei o seu lábio, baby.” Ele puxou de volta e deu pequenos beijos no meu lábio inferior. Minha boca se abriu para permitir a ternura. Sem deixá-lo parar a deliciosa sensação do seu corpo contra o meu, eu peguei a barra de sua blusa. Eu precisava sentir a pele dele e contra a minha. Ele não resistiu, invés disso ele me ajudou agarrando a parte de trás de sua gola com uma mão a puxando pela sua cabeça. Minhas mãos estavam instantaneamente no seu peito sentindo os seus músculos. A sua pele estava em fogo e eu corei. Eu o queria e ele me queria tanto quanto eu. A sua sede estava rolando dele e teria me sufocado se eu não tivesse sentindo a mesma coisa. Ele pode não mais me querer em seu coração, mas por agora, eu podia lidar com o fato de que ele queria o meu corpo. Eu podia sentir a sua necessidade crescendo entre as minhas pernas. Eu queria que ele tirasse todas as minhas roupas e retirasse a sua calça. Eu queria esquecer tudo que ele já fez para mim que rasgou o meu coração. Eu só queria aproveitar o único corpo que realmente tinha me dado prazer. Ele começou a se mover de novo e dessa vez eu senti algo bater atrás das minhas coxas. Eu percebi que ele nos moveu para o congelador grande, ele me levantou um pouquinho então eu estava sentada na ponta. “Emerson, pare. Eu não vou fazer isso enquanto nós não conversarmos.” “Não tem nada para ser conversado além do fato de que eu quero e preciso de você dentro de mim.” Ele gemeu com as minhas palavras. O que ele poderia ter para me dizer? Eu sei o que era isso. Era um momento de fraqueza. Nós dois sabíamos como nós éramos bons juntos no quarto e que só agora, nós queríamos de volta.


Eu podia sentir o quanto ele estava excitado e eu não conseguia me parar de mover para frente e para trás. Quando eu olhei para ele, seus olhos estavam revirados para trás e sua boca estava aberta. Um pequeno suspiro saiu entre seus dentes. Eu amava este homem com tudo o que eu tinha; isso vai me aniquilar depois de terminarmos. Não haveria nada, mas de novo, eu não sei se tinha havido qualquer coisa em primeiro lugar. Quando ele começou o seu próprio ritmo de tortura em mim, minhas cortas arquearam e eu levantei meu peito em direção a ele. A gola da minha camiseta já estava baixa, então ele a puxou mais ainda. “Você tem outra blusa aqui?” Ele perguntou asperamente. “Ahn... Eu acho que não tenho uma como essa, mas eu provavelmente podia achar uma camisa. Por quê? “Que bom, você não devia usar isso para que cada idiota lá fora olhe para os seus seios a noite toda.” E nisso ele rasgou a minha blusa até que meus peitos estivessem totalmente à mostra. Ele puxou o meu sutiã e me levou em sua boca. “Jaxon!” Gemi. Ele se puxou contra mim de novo e eu apreciei o gemido que saiu de sua boca. Eu estava tão perto, mas eu não queria terminar assim. Eu alcancei os cós de sua calça e puxei para deixá-lo sabendo o que eu queria. Ele foi para trás e eu quase chorei pela perda de contato. Ele rapidamente tirou meu shorts e calcinha e as jogou no chão. Ele desabotoou sua calça e pegou na sua carteira uma camisinha antes de tirá-la. Agarrando meus quadris com as pontas dos dedos, ele instantaneamente estava dentro de mim. Oh. Meu. Deus... sim. Como eu tinha esquecido como ele maravilhosamente me completava. Como ele completava cada necessidade que eu tinha. “Por favor, fale comigo,” Ele disse de novo. Quem iria querer conversar durante este momento? Eu não acho que poderia expressar pensamentos coerentes agora. “Eu sei o que é isso, Jaxon. Eu não vou esperar nada de você depois disso. Eu sou uma menina grande. Por favor, apenas continue. Mais rápido. Eu necessito de você.” “Droga, baby, não diga merda como essa ou eu não vou durar muito.” Ele arrancou o rabo de cavalo do meu cabelo, enrolou o meu cabelo em seu pulso duas vezes e puxou, então eu fui forçada a olhar para ele. Sua boca veio na minha e sua língua


imediatamente entrou. Eu senti falta dos seus lábios em mim, em qualquer lugar que eles quisessem estar em mim, enquanto eles estivessem em mim. A sua outra mão foi descendo devagar sobre o meu corpo. O contraste da mão bruta e a carinhosa da outra era revigorante. Ele sabia que eu amava um pouco das duas. Quando eu mordi o seu lábio inferior, ele pegou o ritmo novamente, indo mais rápido dentro de mim. Eu soltei o lábio dele e ele moveu a boca dele para o ponto embaixo da minha orelha. “Me mata vê-la se contorcendo embaixo de mim. Eu nunca vi algo tão lindo,” A voz dele foi para um tom que eu sabia que ia me fazer chegar lá se ele continuasse a falar. “Eu te amo muito mesmo.” Com isso, meu corpo se entregou e eu gemi o nome dele novamente. A cabeça dele abaixou para o meu pescoço enquanto ele rapidamente me seguiu. Nós ficamos ali por mais alguns minutos, respirando pesadamente. “Enquanto eu viver, eu nunca vou esquecer como o seu coração bate contra o meu peito,” Ele sussurrou. Essa declaração me trouxe de volta à realidade. Eu deslizei pelo freezer, peguei minhas roupas, botei meu shorts de volta. Eu tirei a minha camisa arruinada e encontrei as prateleiras que continham as camisetas extras. Eu achei uma perto do meu tamanho e botei rapidamente. Quando eu comecei a ir para a porta, ele chamou. “Emerson, fale comigo.” “Eu provavelmente vou ser despedida por deixar o bar sem ninguém. Eu preciso voltar para lá.” “Nós não vamos nem falar sobre o que aconteceu aqui?” “Não há nada para falar. Nós tiramos um desejo dos nossos sistemas.” Com aquilo, eu voltei para o bar, deixando o meu coração partido com ele na despensa. Por trás do bar, eu vi Cole olhando para a porta da despensa de uma banqueta. Eu peguei um pano e comecei a limpar a mesa do bar. Eu olhei para o bar inteiro para ver se eu conseguia ver Ed em algum lugar, graças a deus ele devia estar no escritório ainda. “Já estava na hora Em, eu tive que cobrir você por um tempo.” Disse Cole com raiva. “Você está bem, ou eu preciso ir lá e cuidar dele?” Eu dei a volta no balcão do bar e colidi em Cole com um abraço. “Eu acho que você nunca vai entender como eu aprecio a seu protecionismo ou como eu sou agradecida por você amar


Quinn tanto, Coley.” Ele me abraçou de volta e apertou forte. Eu senti ele encostar a sua bochecha no topo da minha cabeça. “Você é como minha irmã, Em. Eu vou bater em qualquer cara que mexer com você, mesmo se ele for o meu melhor amigo.” Falando no diabo, Jaxon saiu da despensa na mesma hora. “Acho que eu não preciso adivinhar o que vocês estavam fazendo lá trás. Só agradeça Jace que foi aumentar a Jukebox depois que ele te seguiu ou nós provavelmente teríamos escutado tudo. Vendo a cara de vocês, você acha que foi uma boa ideia?” Ele sussurrou, ainda me segurando. “Não, eu não acho. Mas eu senti tanta falta dele.” As lágrimas começaram a vir então eu comecei a me afastar, mas ele só me segurou mais forte. “Eu odeio ver você machucada, Emmy.” “Eu vou aprender a ficar bem.” “Tire as mãos dela e vamos.” Jaxon falou atrás de nós. Eu me afastei de Cole, limpei meus olhos e ele suspirou frustrado. Eu fui para trás do balcão e comecei a limpar tudo para a noite. “Pare de ser um babaca,” Disse Cole, dando um tapa na parte de trás da cabeça de Jaxon. “E não ache que eu não vou te bater pelo que você disse para ela antes.” Jaxon se virou e olhou para Cole com os olhos arregalados. “Isso mesmo, idiota, eu escutei. Eu quase ataquei você no chão ali, mas eu queria que Em cuidasse disso primeiro.” E olhe que grande trabalho que eu fiz. “Não se preocupe, eu já disse a mãe, ela vai fazer isso por nós.” Jace riu. “Merda...eu sou um grande babaca.” Ele se virou para mim com os olhos tristes e arrependidos. Eu rapidamente me virei para dar tchau a Quinn e dar a ela um abraço. Ele começou a vir para mim de novo, quando Jace o interrompeu, “Vamos Romeo, você já fez o suficiente por essa noite.” Ele o pegou pelo bíceps e o carregou porta a fora. “Te vejo mais tarde, Emy.” Jace gritou.


Capítulo 20

O Leilão

Nós tínhamos tudo pronto para o leilão começar. Micah me ajudou a montar o palco com a passarela vindo do meio. Cole concordou em ser o “leiloeiro.” Eu pedi para ele ser porque ele sabia como falar alto e chamar atenção das pessoas. Cole e Jace chegaram cedo para montar as coisas e ajudar com as coisas pesadas. Quinn estava lá trás ajudando todas as garotas a terminarem de se arrumar. Eu levei uma pilha de três cadeiras para as mesas que ainda precisavam delas quando elas inesperadamente foram tiradas da minha mão. Jaxon as empilhou com mais quatro cadeiras e levou as sete atrás de mim enquanto eu mostrava para ele onde elas iam ficar. Eu não tinha nada para dizer para ele, então ele me seguiu silenciosamente. Nós ficamos com esse silêncio por mais quatro mesas e vinte e quatro cadeiras. Ele não disse uma palavra e eu também não. Eu apontei para o banner que dizia que o time de futebol estava patrocinando o evento e ele pendurou acima do palco. Ele olhou para mim da escada para eu checar o trabalho dele e eu só fiz um gesto com a mão dizendo que o lado esquerdo precisava estar um pouco para cima. Depois dele arrumar, ele olhou para mim para uma aprovação e eu me virei para procurar algo para fazer. Eu escutei o pé dele batendo no palco enquanto ele pulou os últimos degraus da escada. Ele veio direto atrás de mim e me seguiu levantando tudo que ele achava que era pesado, embora eu não achasse que uma caixa de guardanapos pesasse muito. “Está ótimo pessoal, obrigado,” Eu falei do meio do salão. “Que tal eu pegar algumas bebidas do bar antes de todo mundo chegar.” Eu apontei para o bar montado no final do salão. “Quer alguma coisa, Emerson? Eu pego para você.” Eu balancei minha cabeça para ele. “Tequila? Cerveja? Eu tenho certeza que eu posso achar algo que você goste.” “Eu não bebo,” Eu respondi, saindo do salão de dança. Eu não deveria estar surpresa em


vê-lo correndo atrás de mim. “Como assim você não bebe?” Exigiu. “Significa que tudo que contém álcool não entra na minha boca.” Eu retorqui, irritada com a sua pergunta idiota. “Eu entendi essa parte, é o 'porque' que eu estou curioso.” Eu continuei andando pelo corredor do hotel procurando pelo banheiro mais perto. “Eu não bebo desde que eu arruinei a melhor coisa que eu já tive.” Com aquilo, eu finalmente achei um banheiro e entrei, deixando ele para trás. Graças a Deus não tinha ninguém aqui. Sem perder tempo, Jaxon veio atrás de mim e trancou a porta atrás dele. Ele se abaixou procurando por sapatos embaixo dos banheiros e quando ele não viu nenhum, ele começou a chegar perto de mim. Eu continuei andando até chegar ao último banheiro. “Jaxon, este banheiro é só para mulheres. Eu tenho certeza que você viu a placa.” Ele me pegou pela cintura antes que eu pudesse entrar no banheiro e me empurrou contra a parede ao lado do distribuidor de papel toalha. Ele me olhou, inspecionando meu rosto. Eu precisava ficar forte. Eu não podia deixá-lo pensar que ele podia me seduzir quando ele quisesse, como agora. Ontem foi algo de só uma vez para liberar os nossos sistemas, não importa o quanto eu esteja mentindo para mim. Ele passou o seu dedo no meu lábio machucado, a fricção me fez estremecer um pouco. “Desculpa,” Sussurrou. “Parece melhor hoje. Por que você só machuca seus lábios?” A voz dele estava alcançando aquele nível perigosamente baixo que me faz fazer coisas que eu iria me arrepender depois, mas eu estava congelada contra a parede. “Esse são os meus favoritos; você devia cuidar deles.” Ele abaixou e começou os seus fascinantes beijos carinhosos nos meus lábios. Tudo o que eu podia fazer era abrir a minha boca e o deixar. “Você preferia que eu machucasse outra coisa?” Arquejei. Os seus lábios se moveram para a minha mandíbula entre o começo do meu pescoço. “Claro que não. Eu preferia que você não estivesse machucada, mas eu amo lhe beijar para


melhorar.” Na palavra 'machucada', eu o empurrei de mim. “Pare de fazer isso comigo. Eu não gosto de ser provocada.” “Eu tenho certeza de que não tinha nada de provocação ontem à noite.” Ele me olhou com malícia. “Você sabe o que eu quero dizer. Você não pode ficar me beijando...” Ah droga, as lágrimas. Eu tentei aspirar e limpar meus olhos discretamente, me afastando dele. “Por favor, pare de tentar 'falar' comigo.” Eu falei usando aspas no ar. “Você acha que quando eu te beijo ou... faço amor com você, é o que eu quero dizer com 'nós precisamos conversar'?” Ele me agarrou e me virou para ele. “Merda, você está chorando.” Ele me puxou para o seu peito e mexeu no meu cabelo. “Por favor, linda. Por favor, não chore. Eu realmente quero falar com você.” Eu não podia fazer isso. Eu precisava sair desse banheiro. Ele se abaixou, me pegou pela cintura e me levantou. Eu deixei a minhas pernas retas, não importasse o quanto elas quisessem ficar na cintura dele. Ele pegou uma perna e botou na sua cintura e quando ele foi pegar a outra, eu deixei aquela cair. “Por favor, Emerson, bote as suas pernas em volta de mim,” Ele implorou. Eu fiquei assim, em seus braços com os meus pés balançando. “Por favor, não faça isso,” Ele sussurrou. As suas palavras familiares me atingiram e eu saí dos seus braços. “Eu me lembro de dizer, na verdade berrando, implorando, essas mesmas palavras para você há um mês. Deixe-me responder do mesmo jeito que você respondeu...” Eu o vi hesitar antes de eu me virar e sair do banheiro. Na metade do corredor perto do banheiro eu escutei Micah dizer, “Cara, esse é o banheiro das meninas. O dos meninos é para aquele lado.” Jaxon não respondeu. O salão de dança encheu rapidamente. O Professor Patterson estava radiante de orelha a orelha para todos os participantes. Até o reitor apareceu para doar para a nossa viagem, embora


obviamente ele não participaria do leilão. Acenei através das pessoas, agradecendo a elas por terem vindo, quando a voz de Cole veio através das caixas de som para receber todo mundo. Ele deu o microfone para o Professor Patterson para que ele pudesse deixar todo mundo saber para o que era esse evento. Ele explicou a nossa viagem para África e o que nós vamos aprender. Eu vi Jaxon entrar e sentar em uma cadeira a algumas mesas do palco. Quando Patterson começou a falar sobre os perigos da África e de como nós precisávamos estar preparados, eu percebi o estresse no seu rosto e a suas mãos agarrando a toalha da mesa. Ele olhou para mim com uma expressão nervosa e eu virei a minha atenção para o palco. “Okay pessoal, eu espero que vocês tenham enchido as suas carteiras porque nós temos vinte lindas mulheres lá atrás prontas para vocês darem lances nelas. Apenas dinheiro vivo, pague antes de sair ou eu a venderei para outra pessoa. Trate-as com respeito ou eu e Jace vamos o fazer uma visita.” Ele apontou para Jace no fundo do salão. Eu nunca pensei em Jace além de um ursinho, mas ele parecia diferente com o seu corpo alto contra a parede. Ele tinha os seus musculosos braços cruzados sobre o seu grande peito. Ele parecia perigoso e mau, parado lá encarando todo mundo. Eu queria rir dos olhares apreensivos que os outros caras estavam dando a ele. “Tudo bem, peguem as suas carteiras e levantem alto as suas placas. Se eu não ver a sua placa, então você não está trabalhando duro o suficiente por essas gatinhas. Desculpa Quinn, você é ainda a minha gatinha número um!” Alguém do pessoal gritou, perguntando se Quinn seria leiloada e eu comecei a rir da cara que Cole deu a ele. “Eu te vejo depois, McAdams,” Ele rosnou em um tom baixo. Cole começou a introduzir as garotas, um a uma, e as chamando para serem leiloadas. Cada garota tinha um admirador e esses caras vieram preparados para brigar com as suas carteiras. Nós estávamos todos rindo e tendo um bom momento assistindo os caras ficando extremamente competitivos pelas garotas, que eram perfeitas. Elas estavam chamando a atenção e estavam provocando os caras do palco. Eu estava certa de ter escolhido Cole como leiloeiro porque ele sabia exatamente como ganhar dos caras. Ele sabia os seus pontos fracos e como conseguir mais dinheiro deles. Quando veio a vez de Tatum, eu a vi olhando Jaxon do palco, silenciosamente


implorando para ele apostar nela. Eu estava agradecida que ele não fez uma proposta em nenhuma delas; Eu não seria capaz de assistir a isso. Cada garota foi de duzentos dólares para quatrocentos dólares. Como vinte garotas, nós estávamos fazendo uma boa quantia para a nossa viagem, mais as doações que nós ganhamos. Depois da última garota leiloada para Garrett por $250, Cole agradeceu a todos por terem participado. “Eu tenho uma surpresa para todos. Não fechem as suas carteiras ainda. Eu tenho mais uma linda garota para ser leiloada para vocês cavaleiros.” Eu sussurrei para ele. “Cole, são apenas vinte garotas!” “Não, não são, Emmy, porque eu vou leiloar você! Emmerson Moore, cavaleiros!” Ele gritou no microfone. “O QUE?” Eu sussurrei-gritei. Jaxon empurrou sua cadeira para trás e caminhou direto para o palco onde Cole estava, “Que diabos vocês está pensando, cara?” Ele estalou em um tom perigoso. Cole o ignorou e sorriu. “Eu apresento a indescritível, Em. É melhor vocês aproveitarem esta oportunidade, pois eu tenho certeza que vocês não terão outra. Em não vai à encontros, mas eu tenho certeza de que por um bom preço, ela irá em um cinema com você. Ela é bonita e muita divertida!” Cole fez um gesto para eu subir no palco e eu balancei a minha cabeça para o lado e para o outro. Micha veio atrás de mim e me levantou para o palco. “Traidor!” Eu sussurrei para ele. Os meninos começaram a se levantar das cadeiras e começaram a bater as suas mãos. Jaxon estava fumegante. Eu decidi brincar com isso, pois era bom ver ele ficar irritado pelo menos uma vez. “Eu escutei que ela está esperando por uma volta de moto se algum motoqueiro estiver interessado,” Cole provocou, sabendo que era um ponto fraco para Jax. Dalton Fisher, o quarterback, veio direto para o palco. Coincidentemente, eu sabia que ele tinha uma motocicleta. Os dentes de Jaxon agora estavam amostra. Dalton era um cara sexy e ele sabia. Ele era quase do mesmo tamanho como os garotos Riley.


Cole começou a berrar por lances, e eles estavam vindo de todos os cantos do salão. “$250!” Disse Jaxon. “$300,” Dalton retorquiu. Cole esfregou as suas mãos com o crescimento dos valores. Eu arfei com a quantidade de dinheiro que nós tínhamos alcançado em menos de dez segundos. “Cara, eu vou te bater de novo se você não se afastar,” Ele zombou para Dalton. O que ele quis dizer com aquilo? Parece-me que Jax entrou em mais lutas do que eu sabia. “$400, Cole pode fechar,” Jax disse, parecendo mais irritado a cada segundo. “Pare, Jaxon!” Eu gritei para ele em um sussurro. Ele continuou olhando para Cole. $450” Dalton contrapôs, levantando a sua placa e sorrindo para mim. Eu o presenteei com um sorriso brilhante em retorno. “Fisher, se vocês não se afastar desse palco agora, eu vou arrancar a sua garganta.” “$500,” Uma voz berrou do fundo. Jaxon bateu o seu punho no palco em frustração. “1.000, Cole é melhor você fechar.” “Meu olhos se arregalaram com o seu lance. Cole riu, “Tudo bem, vamos deixar o pobre bastardo a sua miséria. Dou lhe uma... Dou lhe duas...” Dalton foi um passo a frente para levantar a sua plaqueta e Jaxon e arrancou de suas mãos. Dalton se inclinou rindo da sua travessura. “Vendida! Para o possessivo, Jaxon Riley.” Cole curvou-se e entregou a Jax o seu ticket para que ele pudesse pagar mais tarde. Eu assisti enquanto ele sussurrava para ele, “Eu vou ter certeza de que você nunca chegue perto dela dentro de 50 pés se você a machucá-la novamente” Jax assentiu uma vez. Instantaneamente, ele se virou para mim e me botou sobre o seu ombro, então assim as minhas mãos e meu rosto bateram contra a suas costas. Eu o mataria. Isto não poderia ser mais vergonhoso. Eu estava a encargo desse evento e ele estava me carregando sobre o seu ombro. Eu


não lutei, pois eu não queria criar mais uma cena na frente de todos. Graças a Deus eu não estava usando saia hoje. Ele não parou até ele chegar a sua caminhonete no estacionamento onde ele me sentou no banco do passageiro e fechou a porta e andou até o outro lado. Quando ele botou as chaves na ignição eu finalmente falei. “Eu não vou embora, Jaxon. Este evento é minha responsabilidade.” Ele tirou o seu celular do bolso e começou a ligar para alguém. “Woods, sim... você pode cobrir o resto do evento pela Emerson?... Sim...Eu sei porra... Eu entendo... Okay, obrigado, eu te devo uma.” Eu tenho certeza que eu entrei na zona Crepúsculo. “Você acabou de ligar para o Micah?” Eu disse chocada. “Por que você teria o número dele?” “Eu tive que ligar par ele para conversar com ele sobre coisas,” Ele respondeu, mas eu podia dizer que ele não queria falar sobre isso. Ele dirigiu e passou nossos apartamentos e eu não tinha ideia nenhuma onde ele estava indo. “Porque você precisaria ligar para ele hoje?” “Emerson, eu não quero falar sobre Micah.” “Ele é meu amigo, portanto eu quero. Porque você precisaria falar com ele?” “Eu liguei para pedir desculpa, feliz?” Ele resmungou. “Você se desculpou?” Minha voz chocada subiu. “Se ele realmente é seu amigo, e ele vai para a África com você, eu precisava me desculpar. Eu vou precisar de alguém para cuidar de você quando eu não puder. Me irrita, mas eu não posso fazer nada sobre isso, o estágio estava cheio.” “Você tentou entrar no estágio da África?” Era uma surpresa atrás da outra com ele. Ele acenou com a cabeça. “Por que você precisa de alguém para cuidar de mim?” “Não é obvio? Porque eu vou precisar de pelo menos um pingo de paz enquanto você está longe de mim por três meses. Porque eu te amo demais. Porque se alguma coisa acontecer com você. Eu não vou sobreviver.”


“Por que você diz essas coisas para mim? Só me machuca sabe,” Eu sussurrei. Ele parou a caminhonete em um estacionamento vazio na praia e botou em ponto morto. “Eu não posso viver sem você. Eu parei de tentar,” Ele disse, olhando nos meus olhos enquanto me puxava para mais perto dele. Ele me sentou no seu colo de frente para ele com as minhas costas encostadas no volante. Eu fiquei quieta, não sabendo como continuar esse assunto. “Eu terminei as coisas entre a gente, Emerson, porque eu achei que eu não era forte o suficiente para ficar com você. Quando você foi ao fundo do poço naquela noite antes... do seu aniversário, Quinn me disse que você geralmente ficava triste e reclusa durante aquele tempo. Quando ela disse que você nunca agiu do jeito que você agiu naquela noite, eu sabia que era por causa de mim. Eu estava te machucando, de alguma forma lhe fazendo pior. Eu sabia que você merecia achar alguém que podia te ajudar, não piorar. Quando você fugiu com Devon, eu descobri que era aquilo que você estava procurando.” “Jaxon... isso não é tudo. Eu recebi um correio de voz antes daquela festa de um advogado que falou da minha mãe e pai. Escutar os nomes deles tão perto do aniversário da morte deles me desestabilizou... eu sei que eu não deveria ter ido embora.” Ele acenou a sua cabeça, “Quinn me contou sobre o advogado. Desculpe-me por não estar lá durante esse tempo; Eu me bati todo dia. Depois de ela ter me contado isso, já tinha feito uma semana que nós tínhamos terminado. Você parecia triste primeiro, mas depois pareceu que você estava me superando, e eu não queria te machucar mais, te pedindo de volta. Eu comecei a ir a festas que você estava porque eu tinha que saber se você tinha achado alguém. Parece terrível, mas eu ficava exaltado quando via você sentada conversando com Cole, Jace ou Quinn a noite toda. Você nunca saiu com outros caras. Eu achei que rapidamente você seguiria em frente. Mas semana após semana, você ainda ia para aquela árvore sozinha e eu comecei a pensar se você sentia falta de mim como eu sentia de você.” “Uma senhora inteligente,” Ele continuou, “uma vez me disse que eu ia fazer besteira, nós dois íamos, foi como eu lidei, já que importava. Eu não lidei de um jeito certo; eu nunca deveria ter deixado Cole te levar naquele dia,” Ele e eu sorri para as palavras da mãe dele. “Jax... tem sido um mês difícil para mim. Aquele dia no pátio é um dos mais dolorosos na minha lista. Acho que eu não posso me botar na posição de ser machucada daquele jeito de novo.”


“Desde o dia que você saiu da casa da fraternidade quase sem roupas. Eu tenho te chamado de minha. Antes de eu ter te conhecido, eu sabia que tinha que fazer você ser minha. E só piora a cada vez que nós nos aproximamos. Quando Cole te levou longe de mim naquele dia, eu percebi que você não era minha totalmente. EU. SOU. SEU.” Ele declarou, enquanto batia no seu peito. “Quando eu acordei de manhã, meu primeiro pensamento foi você e cada minuto do resto do dia eu gastei pensando em você de um jeito ou de outro.” “Jax...” Eu não sabia como responder. “Eu sou seu, Emerson.” “Como eu vou saber se eu entrar em pânico de novo e precisar de espaço, você não vai me deixar? Eu entendo como é difícil estar comigo. Eu ainda tenho uma lista enorme de problemas com a morte dos meus pais, e eu tenho certeza que eu não terminei de ficar louca.” Ele pegou cada lado do meu rosto e olhou nos meus olhos. Eu amava estar perto de novo daqueles olhos azuis brilhantes. “Você me deixou o seu coração.” Eu peguei a sua camiseta e o trouxe para perto de mim. Ele parou os seus lábios de encostarem-se aos meus; ao invés, ele os parou bem contra mim. Nós ficamos sentados ali esperando um pelo outro, nossas respirações misturando-se. Eu podia sentir a maciez dos lábios dele nos meus, mas ele não estava se movendo. “Por favor, Jaxon...” Eu sussurrei contra a sua boca. Sem mover a sua boca, ele trouxa as mãos deles para cima e vagarosamente foi desabotoando cada pequeno botão da minha blusa. Quando ele finalmente a tinha aberta, ele lentamente a removeu dos meus ombros e jogou no banco de trás. Eu olhei pelas janelas para ver se tinha alguém por perto. Ele me pegou procurando. “Confie em mim, linda. Eu não vou deixa ninguém te ver.” Com as suas palavras tranquilizadoras, eu fechei os meus olhos e o deixei assumir o comando. Eu percebi que há cinco meses, eu não me importaria se alguém me visse. Agora eu entendia que eu queria salvar tudo o que eu tinha para este homem. Eu não conseguiria imaginar partilhando qualquer parte de mim com alguém além dele. Por isso, eu vou ser sempre grata a ele.


“Você me faz mais forte.” Eu abri meus olhos para olhar para ele que estava me livrando do meu sutiã. “Que?” Ele me perguntou tentando ficar focado nos meus olhos. Eu peguei as duas mãos deles e juntando os meus dedos com os dele. “Você disse que pensou que você me faz fraca e isso não é verdade. Você me faz ficar forte. Você me faz apreciar as coisas que eu tenho e querer ser uma pessoa melhor para você.” Eu finalmente movi as suas mãos para os meus peitos e ele gemeu. Eu não podia mais me segurar então eu o beijei ferozmente. Meus dedos se moveram para mexer no seu cabelo, que estava mais longo do que há um mês atrás. Eu sei que nós estávamos juntos ontem, mas eu não pude apreciar. Tinha sido cheio de angústia e necessidade, e eu estava ocupada demais pensando em como eu ia me sentir destruída depois de tudo. Desta vez, eu podia revelar as mudanças que aconteceram em um mês, como o tamanho do cabelo dele. Eu tirei a sua camisa pela sua cabeça, necessitando pressionar a minha pele contra a dele. Eu me abaixei e comecei a beijar as linhas da tatuagem dele, da sua clavícula até o seu bíceps. Se eu não estivesse admirando tão perto eu não teria notado, mas definitivamente tinha algo diferente. Eu senti ele congelar quando ele soube o que eu achei. Em volta das linhas já existentes tinha um coração preto com um “E” esculpido no meio. Era incrível como o artista conseguiu fazer com que o coração estivesse lá o tempo todo. Estava perfeitamente escondido atrás de uma ampla linha. Eu tracei o contorno dela. “Você é o meu coração. Você não deixa o seu coração,” Ele sussurrou na minha orelha. Eu o olhei com admiração. Isto era permanente. Isto significava que ele me queria na sua vida permanentemente. Eu não conseguia para de beijá-lo, era libertador ser capaz de fazer quando eu quisesse novamente. “Jace também fez uma?” Eu sorri enquanto ele me beliscou com uma falsa brava expressão. O seu rosto se tornou sério de novo, “Emerson, você esteve...com outra pessoa?” Ele me perguntou nervosamente. Eu dei a ele uma cara de nojo e ele suspirou em alívio com uma risada. “Absolutamente


não. Você esteve?” Eu perguntei. Ele segurou os meus seios e os levantou para que ele pudesse beijá-los. “Não, linda, você me arruinou. Ninguém se compara a você.” “Você ainda me quer ao seu lado segurando a sua mão?” As suas sobrancelhas se ergueram. “Finalmente achou?” Eu assenti. “Não na melhor hora. Foi quando nós tivemos aquela briga perto da árvore.” “Aquela noite que eu comecei a tocar o seu CD para você, em vez de tocar nós meus fones de ouvido?” Agora isto fez as minhas sobrancelhas levantarem. “Você o escutava antes aquela noite?” “Toda noite. Eu o escutei toda noite desde que você o me deu.” *.*.*.*.*

Mais tarde naquela semana, nós tivemos o nosso encontro oficial que ele pagou no leilão. Ele veio no meu quarto enquanto eu estava me preparando, me entregando um grande presente enrolado em um papel azul-claro com um gigante laço preto em cima. “Um laço preto?” Eu ri. “Combina com o presente, abra,” Ele disse nervosamente. Primeiramente tudo o que eu vi foi preto. Quando eu peguei e tirei tudo pra fora, eu percebi que era uma jaqueta de couro preta e um capacete que combinava com o que Jaxon usava para dirigir a sua moto, apenas menor. Eu o olhei com olhos esbugalhados, considerando o que ele estava me dizendo com o presente. “Você vai me levar na moto?” Eu perguntei excitadamente. “Eu posso ser capaz de fazer isso uma vez. Mas você vai usar todas essas coisas. Eu não quero um pedaço seu exposto. Provavelmente não vai ser divertido porque eu vou dirigir a vinte quilômetros por hora. Mas sim... eu vou te levar.” Ele disse, respirando fundo.


“Vamos agora mesmo!” Eu gritei. Nós fomos até a sua moto e ele imediatamente entrou no modo de educação. “Nunca bota as suas pernas para baixo totalmente. Nunca toque nisso,” Ele apontou para algumas peças de metais, “Fica muito quente. Toque no meu ombro uma vez para ir mais devagar e duas vezes para eu parar. Sempre segure na minha cintura e tente não inclinar contra, nas curvas, vai fazer mais difícil para mim.” Ele estava ficando nervoso. “Jaxon, eu confio em você,” Eu toquei em cada lado do seu rosto. “Não sou eu que eu estou preocupado sobre. Eu sou um ótimo motoqueiro, eu nunca te botaria em perigo. Eu me preocupo com os idiotas na estrada.” “Jaxon eu confio em você,” Eu repeti e fiquei nas pontas do pé para beijá-lo. Ele montou na moto e eu botei a minha perna para o outro lado para ficar atrás dele. Eu sabia que eu ia amar isso. Do jeito que eu estava moldada atrás das costas dele já era sexy o suficiente. Ele ligou a ignição e eu pude sentir a vibração embaixo de mim. Ele correu as minhas mãos pelos seus lados sobre o estômago até que os meus braços se entrelaçaram. Eu me abracei ainda mais perto das costas dele. O passeio foi emocionante, ele iria para cima e para baixo na estrada depois paralelo com a praia. Cada curva que ele fazia com o seu corpo me tinha mais perto. Eventualmente, eu me desliguei do passeio e me foquei no corpo que eu estava me segurando. Minhas mãos começaram a vaguear pelo estômago e peito, e ele rapidamente parou próximo do oceano em uma área de piquenique e desligou o motor. Eu desci e ele me seguiu. Ele abriu o seu capacete e fez o mesmo com o meu. “As suas mãos são uma distração.” Ele se aninhou em meu pescoço enquanto ele me pegou e me levou até uma mesa de piquenique. Ele se sentou na mesa com os pés no banco. Eu deitei a minha cabeça em seu ombro. Nós ficamos sentados lá, envolvidos em um silêncio pacífico enquanto ele massageava as minhas costas suavemente. “Eu te amo, Jaxon.”


“Eu te amo, linda, mais do que você pode imaginar.” A sensação dos lábios dele nos meus era o céu. “Acho que nós precisamos volta para casa agora...” Eu sussurrei para ele com um sorriso culpado no rosto. Ele se inclinou de volta para me olhar confuso, até que ele viu o desejo e a vontade nos meus olhos. Fortemente atingiu ele e eu vi as mesmas chamas nos dele. Ele me agarrou e quase correu para a moto e eu ri o caminho todo de volta.


Epílogo

Cinco meses mais tarde...

Os três meses mais longos da minha vida estavam finalmente chegando ao fim. Se eu tivesse algo a dizer, eu nunca deixaria Emerson ficar longe de mim por tanto tempo novamente. Mas vamos ser honestos, aquela agora me tem na palma da mão, eu faria qualquer coisa que ela queira. Eu sabia que seria difícil não acordar perto dela todas as manhãs, vendo aquele cabelo loiro espalhado em meus travesseiros ou o jeito que ela começava a sorrir um pouco em seu sono. Ela começou a fazer aquilo depois que a levei ao túmulo de seus pais antes dela partir. Aquele dia foi tão difícil para mim; eu odiava vê-la com tanta dor. Mas ela tinha que dizer o que deveria ter dito para seus pais há muito tempo e posso dizer que quando ela foi, ela teve um pouco mais de paz. Maldição, eu perdi aquele pequeno sorriso pacífico, mas eu nunca teria imaginado o quão doloroso seria estar longe dela por tanto tempo. O fato de que eu não poderia conversar com ela quando eu quisesse fez isso ainda mais difícil. Tantas vezes eu acordava em uma poça de suor só precisando ligar para ela para ter certeza de que ela estava segura e bem. Eu nunca conseguia voltar a dormir depois desses momentos, então eu levantava e ia correr. Eu corri quase todas as noites esse verão, pelo menos o Treinador ficaria feliz. Nos três meses inteiros, ela só pôde ligar duas vezes porque eles sempre estavam muito distantes de qualquer civilização. Professor Patterson levou um telefone via satélite com ele, mas ele só os deixava usarem em raras ocasiões porque era muito caro. Um mês e meio depois de ela ir, Ellie, a madrasta de Emerson, recebeu um telefonema de que eles haviam sido detidos com uma arma durante a travessia da fronteira de Uganda uma noite. Eles não deveriam viajar depois que escurecesse, mas eles acabaram tendo que esperar em um posto de gasolina por três horas apenas para encher. Eventualmente, tudo se esclareceu quando a polícia de Uganda apareceu, mas a segunda coisa que eu ouvi me fez começar a procurar passagens para chegar à África. Eu tinha uma cola de como achá-la, mas eu iria. Minha mãe me tirou desse pânico. Aquela foi a segunda vez que ela ligou. Era um maldito alívio ouvir a voz dela. Ela disse que sabia que eu faria algo


maluco então ela subornou todo mundo com balinhas para deixarem-na usar o telefone primeiro. Eu tinha dificuldade em acreditar que alguém negaria com seu belo rosto, mesmo sem as balinhas. Ela me disse que quando eles perceberam o que estava acontecendo, Micah a fez deitar no chão do ônibus e não a deixava sequer tentar levantar-se até que eles estavam a uma milha de distância dos ladrões. Tanto quanto eu odiava isso, eu estava em débito com ele. Agora tem um mês e meio desde que eu ouvi sua voz e três meses desde eu que deixei seu belo rosto manchado de lágrimas no aeroporto. Jace me chamou de menina por chorar quando ela se foi. Inferno, eu não ligo do que ele me chama, aquela garota me levou. Eu tentei ficar ocupado o máximo que pude nesse verão. Eu pulei em um avião de volta para casa com Cole e Jace logo depois que o avião de Emerson partiu. Quinn passou a maior parte do verão no Texas também. Todas as vezes que sai para visitar Cole, Senhora West, sua mãe, estava tratando Quinn como uma princesa e enchendo-a de presentes. Ela parecia como se estivesse no paraíso. Eu também notei que a mãe de Cole estava ensinando-a como fazer suas comidas favoritas. Eu ri de como ela ainda estava preparando Quinn para se casar em breve. Era bom ver Quinn, mas sempre que ia, eu esperava que Emerson aparecesse saltando atrás dela. Às vezes eu pegava Quinn me olhando com uma expressão triste e sabia que ela estava pensando a mesma coisa quando eu entrava. O lado positivo, quanto mais Quinn aproveitava o Texas, mais fácil seria para Cole levá-la daqui depois da formatura, o que praticamente levaria a um acordo para eu levar Emerson daqui. Mas se ela não quisesse o Texas eu iria para qualquer lugar. Inferno, me mande para qualquer merda de buraco desde que eu esteja ao lado dela. Eu já tinha o diamante que colocaria em seu dedo um dia. Embora eu sabia que provavelmente levaria um ano até ela que ela estivesse pronta para algo assim. Nesse meio tempo eu estarei em alfinetes e agulhas, até eu consiga colocar aquilo em sua bela mão. Embora, caso a oportunidade apareça, eu o tinha comigo na Califórnia. Nesse verão Jace me ajudou a colocar um novo telhado e um tapume no celeiro da mamãe. Ela se queixou de que poderíamos ter contratado alguém para fazer isso. Eu sabia que podíamos dispor disso, mas Jace e eu construímos esse celeiro com papai quando tínhamos quatorze anos. Se alguém fosse trabalhar nisso, seríamos nós. Foi um trabalho difícil e eu admirei meu pai ainda mais por lidar com o stress de construir essa coisa do chão para cima enquanto tinha que ensinar dois garotos de quatorze anos, que não sabiam nada de construção e estavam


mais preocupados com seus hormônios em fúria. Jace e eu entramos em algumas brigas sobre esse celeiro todo o verão, mas eu acho que isso nos aproximou ainda mais. Quando terminávamos de brigar, mamãe saia para fora da casa com uma jarra de limonada e olhava para nós, cobertos de sujeira e deitados no chão, ofegando. Ela nos dizia algo como, “Vocês dois andaram sendo idiotas? Vocês tiraram isso de seus sistemas? Se não, sintam-se livres para continuar com isso, mas se certifiquem de que farão as pazes depois”. Depois ela se virava e andava para dentro de casa, como ela fazia quando tínhamos oito anos. Depois dos primeiros pares de briga, eu notei que os movimentos de Jace estavam ficando estranhos. Ele costumava conseguir bater minhas malditas luzes fora, porém isso nunca me impediu de foder com ele todos os dias. Ele era muito fácil de provocar. Um dia, eu falei isso para ele e ele encolheu os ombros desconfortavelmente. Papai e Jace costumavam boxear quase todos os dias. Quando trabalhávamos no Camaro, era nossa hora, boxear com meu pai era trabalho do Jace. Depois de alguns pares de semanas, eu finalmente o fiz voltar para as luvas e brigávamos até depois de o sol se pôr. Eu via o quão feliz ele estava; boxear o fazia feliz. Eu tinha que lembrar de ajudá-lo a achar uma academia quando voltarmos para Califórnia. O dia antes de voar de volta, eu achei Jace na garagem, polindo o Camaro mais uma vez antes que tivéssemos fora mais alguns meses. Eu lhe atirei as chaves e ele as pegou no ar. “Quer dar uma volta ou algo?” “Não, acho que terminei com ele.” Eu esfreguei o capô. “Você deveria levá-lo agora.” “Levá-lo onde?” Ele continuava confuso. “Onde quiser, ele é seu.” Eu sorri. Ele rolou seus olhos e eu não pude deixar de rir pra caramba dele. “Do que você está falando, Jax, isso era a sua coisa com o papai.” “Construir e arrumar era nossa coisa, mas eu nunca o apreciei como você,” eu respondi, pensando sobre aquele modelo de carro, isso tomou todo seu verão para fazer quando ele tinha dezesseis anos.


“Você está brincando comigo, não está?” quando eu sacudi minha mão, sua boca caiu aberta e seus olhos ficaram úmidos. Eu comecei a ir para fora da garagem para dar-lhe um momento, mas ele gritou atrás de mim no caminho, “Quem é a bichinha agora?” Eu ouvi seu cacarejar de trás, dentro da garagem. Agora, estou no portão vendo seu avião pousar, usando seu boné preto favorito. A escola pegou todos os passes de segurança dos membros da família e amigos próximos para esperarem por eles no portão já que eles ficaram tanto tempo fora. Charles, Ellie, Quinn e Cole estavam todos esperando em frente da porta no corredor para que eles pudessem pegá-la no segundo que ela saísse. Eu decidi ficar ainda mais para trás após a multidão de outras famílias à espera, então eles poderiam ter seu momento com ela. No momento em que colocar minhas mãos nela eu não ia querer dividir ela com ninguém. Jace estava chateado por não estar aqui quando ela chegasse, mas ele decidiu dirigir seu Camaro fora de Califórnia. Mamãe nos convenceu de mandar a moto de volta para o Texas dizendo que não precisávamos de tantos veículos, eu não me importei, pois ainda me assustava levar Emerson naquilo, não importa o quanto ela fica sexy em seu couro agarrando-me por trás. Mamãe também estava pilotando com Jace aqui fora para que ela pudesse ver Emerson bem e, em seguida, ela voaria de volta na próxima semana. Eu rapidamente mandeilhes uma mensagem para saberem que ela pousou em segurança e eu a deixaria ligar para eles assim que a deixasse respirar. Eu sempre pensei que eu tinha a mãe mais bacana, mas nunca tive uma namorada que se desse tão bem com ela antes. Emerson logo se entrosou em minha vida como se ela fosse feita para estar lá. Lentamente os estudantes começaram a se mover para fora do avião. Todos eles pareciam bronzeados e cansados, mas felizes por estarem de volta. Comecei a ficar impaciente com a expectativa de vê-la novamente. Não importa o quão feliz eu estava para vê-la, eu estava extremamente orgulhoso dela ao mesmo tempo. Uma de suas atribuições enquanto estava na África era escrever um artigo que relatava a viagem. Eles já tinham que se submeterem ao Professor Patterson um par de semanas atrás. Ellie ligou para me dizer que a escola estava publicando o artigo dela no jornal da escola na primeira semana de retorno às aulas. O reitor ligou para contar-lhe sobre isso e, também, disse à Ellie que Emerson não sabia sobre isso ainda já que a comunicação era tão limitada. Eu estava animado para ela descobrir, mas acho que vou me segurar e surpreende-la com isso na primeira semana de aula, mostrando-a o


jornal do dia. Uma vez eu lhe disse que um dia ouviríamos sobre a ótima Emerson Moore: Jornalista Humanitária e eu não estava mentindo. Outra razão para eu estar animado para levá-la para casa era porque eu tive a liberdade para ir em frente e pegar todos os livros que ela precisaria esse semestre. Eu achei um jeito de esconder um bilhete em cada um. Esperançosamente, eu tornei isso mais difícil para ela dessa vez, mas eu não tinha dúvida de que ela conseguiria decodificá-los. Eu espero que ela não pense que eu só estou muito meloso, mas eu acho que o amor faz isso com um cara. Eu vi Micah primeiro e reconheci a garota das minhas aulas de economia o abraçando forte envolta da cintura, eu acho que seu nome é Sophia. Eles começaram a dar uns amassos no meio da multidão. Ele finalmente começou a se mover para fora do portão em direção à esteira de bagagens. Isso fez eu me sentir dez vezes mais leve, ele tinha uma garota, esperançosamente, isso ajudaria a mantê-lo longe da minha. Enquanto ele estava passando por mim, alheio a todos ao seu redor menos à garota em seu braço, eu o parei, “Hey cara, bem-vindo de volta.” “Eu estava me perguntando onde você estava, ela está falando em nossos malditos ouvidos sobre você. Se eu não ouvir o seu nome para o resto da minha vida, vai ser muito em breve.” Eu não pude conter meu sorriso idiota, eu só rezava para não estar fodidamente corando. “Eu queria lhe agradecer por cuidar dela por mim. Ela me disse o que você fez aquela noite. Eu não me importo com o quão irritada ela estava, eu com certeza lhe devo uma.” “Eu não fiz isso por você,” ele respondeu. “Você fez isso, então obrigado, cara. Desculpe por toda a merda que eu te fiz passar quando você só estava tentando ser um amigo para ela.” “Sem preocupações. Eu vou tirar minha garota daqui agora.” Ele acenou com a cabeça em direção à saída. Sophia continuava rindo para ele como se ele fosse o Super Homem. Nos colidimos, mas antes dele sequer terminar sua frase, eu senti ela andando para fora do portão. Ela estava ainda mais bonita do que eu me lembrava. Seu cabelo estava maior e claro por estar ao sol todo o verão e sua pele tinha um tom dourado que eu me divertiria passando


minhas mãos mais tarde. Ela parecia bem cansada, entretanto. Eu só queria agarrá-la e levá-la para minha cama onde ela pertencia e deixá-la dormir por quanto tempo ela quisesse, tanto que ela poderia me deixar morrer ao seu lado. Ellie e Quinn a enforcaram com abraços no segundo que ela pisou fora. Eu poderia dizer que ela estava feliz em ver sua família, mas ri quando a vi procurando por alguém sobre seus ombros. Rezei para Deus para que fosse eu. Depois que Charles e Cole tiveram a chance de abraçá-la eu assisti enquanto ela se virava e conversava com os quatro. Todos eles se viraram e apontaram o dedo para mim. Ela se virou e deixou suas mochilas caírem de seus ombros quando ela me viu. Ela atirou em uma velocidade lenta e correu para os meus braços. Deus, isso era o paraíso. Isso era aonde ela pertencia sempre. Eu inspirei seu distinto cheiro de sabão e xampu, mas eu ainda podia sentir seu cheiro reconfortante... o que era único para ela. Suas pernas estavam espremendo a vida em volta da minha cintura e nunca queria que ela parasse. Eu nunca pensei que receberia esse ataque de uma garota durante a faculdade ou em qualquer época. Eu vim para a Califórnia para obter um diploma para que eu pudesse deixar a minha mãe orgulhosa e jogar futebol. De volta em casa eu estava em uma briga toda semana com alguém diferente, eu roubei as namoradas de garotos sem me importar e eu estava a dois segundos de fazer algo que pudesse me colocar na cadeia. Eu nunca imaginei que na manhã que me encontrei com Cole fora da sua casa de fraternidade para pegar a chave de nossa casa, eu iria, literalmente, ter meus olhos fora de minha cabeça na garota mais bonita que eu já pus os olhos. Vestida ou não. O jeito que ela se aproximou de nós como se ela estivesse envergonhada por não ter roupas, mas ela não queria que soubéssemos me matou. Eu nem a conhecia e eu quase a agarrei e joguei-a na minha moto para que ninguém pudesse tê-la. Eu queria bater em meu peito como um homem da caverna, gritando que ela era minha. Para minha sorte absoluta, ela morava ao meu lado. Cole ainda me lembrou do tempo duro sobre como eu fiz ele fazer algumas meninas aleatórias do grêmio sentar ao lado dele na sala de aula no primeiro dia para que pudesse tê-la sentada perto de mim. Eu nunca imaginei como ela poderia balançar meu mundo fora de seu eixo só naquela hora e meia. Quase que instantaneamente, ela me fez uma pessoa melhor apenas pelo piscar daquele sorriso travesso e paquerador para mim, porque eu queria ser digno dela. Em sala de aula no primeiro dia, eu peguei sua mão e escrevi meu número nela. A


sensação de sua pele contra a minha descarregou energia imediatamente sobre meu corpo. Eu me tornei completamente consciente do quão bela ela era por fora e por dentro. Eu sempre tentei escrever na palma de sua mão porque eu aproveitava aquele momento de só tocá-la. Eu também gostava de ter minha marca nela de um jeito ou de outro, eu não conseguia evitar, sou tão possessivo com ela. Eu tentei em todas as oportunidades que tive para que pudesse chegar perto dela a partir de então, eu nunca vou me arrepender. Nós não conversamos ou nos mexemos daquela posição por horas, mas eu acho que só se passaram cinco minutos. Eu só queria absorver a batida de seu coração no meu e reassegurar que ela estava de volta em meus braços. Eu tive que ter certeza de que não estava sonhando. Eu esfreguei minhas mãos para cima e para baixo em seus braços que estavam enrolados em meu pescoço, só precisando sentir sua pele macia em meus dedos. Eu lentamente atei meus dedos em seu cabelo inalando mais o cheiro. Seu eu pudesse fazer isso do meu jeito eu a carregaria para fora desse aeroporto então eu não teria que colocá-la no chão. Eu sabia que logo teria que fazer isso, então eu aproveitei o momento o quanto pude. Seu rosto estava enterrado em meu pescoço e eu sentia a umidade em minha pele. Quando ela finalmente se afastou um pouco, ver seus olhos cheios de lágrimas fez meu coração cair no chão. “Não, não, não, baby, o que está errado? Eu pensei que estaria feliz em me ver,” eu perguntei nervosamente. “Isso são lágrimas de felicidade, Jax. Eu não consigo acreditar que finalmente estou de volta aqui com você. Faz tanto tempo desde que falei com você... qualquer coisa poderia ter acontecido. Eu não sabia se... estaria aqui,” ela admitiu, nervosamente. Quando percebi que ela pensou que eu poderia deixá-la enquanto ela estava fora eu a abracei apertado. É difícil para eu lembrar que ainda estava insegura com pessoas a deixando. Eu nunca vou me perdoar pelo jeito que eu lidei com nosso relacionamento na primavera passada. “Nada poderia me deixar longe de estar aqui.” Eu puxei seus lábios para o meu e tentei beijá-la como se minha vida dependesse disso. Eu nunca me cansaria desses lábios. Eu ainda não conseguia acreditar que ela era minha, e ainda, que eu era dela. Eu sussurrei em seu ouvido o quanto eu senti sua falta e a amava. Ela aliviou minha dor de cabeça dizendo o mesmo para mim. Eu mal podia esperar para lhe dizer sobre os


ingressos para os balões de ar quente que tinha em meu bolso. Eu sabia que ela ficaria animada, mesmo que fosse, tecnicamente, o meu presente por ganhar a sua primeira aposta. “Me leve para casa”, ela sussurrou em meu ouvido. Calafrios correram pelo meu corpo com a possibilidade de tê-la toda para mim de novo. “Linda, eu te levarei para qualquer lugar.”


Beautiful 1-Broken Rules_Kimberly Lauren