Page 1

Informativo da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Dezembro de 2016 | Edição 460

Comece 2017 com o melhor conteúdo científico Em fevereiro, serão apresentados dois Cursos Avançados da SPR: o European Course of Diagnostic and Interventional Neuroradiology in Latin America e o VII Curso Temático Anual do GERME. As inscrições estão abertas – confira detalhes e agende-se para dar um grande impulso em sua carreira! • Páginas 8 a 10

JPR’2017

Coordenadores apresentam módulos Os responsáveis pela programação da 47ª Jornada Paulista de Radiologia começam a apresentar o que foi planejado para o evento. Até 14/12, as inscrições estão abertas exclusivamente aos membros da SPR. • Páginas 11 a 13

twitter.com/spradiologia facebook.com/sociedadepaulistaderadiologia @spradiologia

JPR’2017

Balanço e renovação Todo fim de ano nos convida a analisar o que foi feito para que possamos iniciar o novo período com objetivos renovados, buscando mais acerto e crescimento. Fizemos um grande balanço do ano com participantes, professores e coordenadores dos nossos eventos – confira! Página 7

APLICATIVO DO JORNAL DA IMAGEM Esta edição também está disponível em versão digital. Baixe o aplicativo na app store do seu dispositivo (versões para Android e iOS)


2 • PALAVRA DO PRESIDENTE

Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Av. Paulista, 491 – 3º andar CEP 01311-909 – São Paulo – SP Tel. (11) 5053-6363 – Fax (11) 5053-6364 www.spr.org.br

O ano da pós-verdade

Filiada ao Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) • Departamento de Diagnóstico por Imagem da Associação Paulista de Medicina (APM)

DIRETORIA PARA O BIÊNIO 2015/2017 Presidente Dr. Antônio Soares Souza Vice-Presidente Dr. Carlos Homsi Secretário-Geral Dr. Mauro José Brandão da Costa

1º Secretário Dr. César Higa Nomura

2º Secretário Dr. Henrique Simão Trad

Tesoureiro-Geral Dr. Décio Roveda Jr.

1º Tesoureiro Dr. Gustavo Kalaf

2º Tesoureiro Dr. Douglas Jorge Racy

Diretor Científico Dr. Renato Adam Mendonça

Diretor de Defesa Dr. Jaime Ribeiro Barbosa Profissional

Dr. Antônio Soares Souza, presidente da Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR)

Diretor de Patrimônio Dr. Cyro Padilha Balsimelli Diretora de Assuntos Dra. Eloísa de Mello Gebrim Culturais Diretor de Tecnologia Dr. Marcelo de Maria Félix da Informação Presidente do Clube Dr. Pablo Rydz Pinheiro Santana Roentgen Presidente do Clube Dr. Nelson Gomes Caserta Manoel de Abreu

Presidente SPR Jr. Dr. Renato Hoffmann Nunes

Presidente do Dr. Antônio José da Rocha Conselho Consultivo CONSELHO CONSULTIVO

Dr. Antônio José da Rocha Dr. Ricardo Emile Baaklini Dr. Tufik Bauab Jr. Dr. Marcelo D’Andrea Rossi Dr. André Scatigno Dr. Adelson André Martins Dr. Renato Adam Mendonça Dr. Celso Hiram de Araújo Freitas Dr. Aldemir Humberto Soares Dr. Nestor de Barros Dr. Jaime Ribeiro Barbosa Dr. Luiz Antônio Nunes de Oliveira Dr. Giovanni Guido Cerri Dr. José Michel Kalaf

Comissão Editorial

Dr. Aldemir Humberto Soares Dr. Carlos Homsi Dr. Celso Hiram de A. Freitas Dr. Cássio Ruas de Moraes Dr. Tufik Bauab Jr.

Edição Lilian Mallagoli MTb. 30.443-SP Comunicação Tatiana Gentina – tatiana@spr.org.br Marketing Mayra Leal – mayra@spr.org.br

Cuidado, mundo, com suas pós-verdades. Estamos caminhando para lados obscuros. Mas saiba que tem gente que não desiste de trabalhar, de progredir, de apostar em suas autenticidades. E é isso que nos dá a esperança de que 2017 será um ano de verdades estabelecidas!

Ao findar-se um processo, sempre nos cabe fazer um balanço. Chegamos ao fim deste ano completamente inusitado de 2016 e resta-nos, então, olhar para o que houve em uma tentativa de aprender com erros e não deixar que eles se repitam. Essa é a roda da história. Mas o que é que foi este ano exatamente? Crise migratória; Lava Jato; Olimpíadas no Rio de Janeiro; o mesmo Rio de Janeiro falido e prendendo seus ex-governadores; Brexit; Temer escrevendo carta para Dilma; Zika e microcefalia; crise política derrubando a economia; Temer assumindo a presidência no que uns chamam de “golpe” e outros celebram com um “tchau, querida”; estudantes ocupando escolas; eleições municipais; Donald Trump como presidente eleito nos Estados Unidos... E se precisássemos definir 2016 em uma palavra? Bem, o Dicionário Oxford não exatamente define o ano com uma palavra, mas elege aquela que parece o melhor representar. E, no fim de novembro, saiu o veredito: a palavra de 2016 é “pós-verdade”. É um adjetivo. Quer dizer: “relativo a ou que denota circunstâncias nas quais fatos objetivos são menos influentes na formação da opinião pública do que apelos à emoção e à crença pessoal”. Segundo a empresa, o termo ganhou popularidade nas campanhas do plebiscito do Brexit e da eleição americana, marcadas pela disseminação de notícias falsas nas mídias sociais e de mentiras por candidatos ou figuras-chave de campanha. 2016 foi tão surreal que a mentira virou “pós-verdade”. Sendo menos generalista, é realmente assustador que a emoção e a crença pessoal nos levem a tomar decisões, ditando rumos dos quais não conseguimos ter segurança sobre o futuro de nossas cidades, nossas vidas e nossas famílias. Olhando para o nosso mundo, o de nossa especialidade e para a nossa SPR, muito trabalho foi feito. Amadurecemos nosso Curso Online de Radiologia; disponibilizamos definitivamente a biblioteca STATdx a nossos membros; realizamos mais uma Jornada Paulista de Radiologia com a importante parceria da Sociedade Radiológica Norte-Americana (RSNA); lançamos, em conjunto com demais países da América Latina, o programa Latin Safe, de proteção de dose; participamos de muitos congressos, fizemos inúmeras reuniões, fechamos novas parcerias: conquistamos novos colegas de trabalho e novos amigos. Nesta edição, você terá a oportunidade de ler isso não apenas de mim, que sou parte da Diretoria, mas de quem viveu esse cenário: de professores, de coordenadores, de residentes, de participantes dos nossos eventos. Sim, houve atualização científica de qualidade! Sim, houve crescimento pessoal e profissional! Sim, apesar de 2016 ser 2016, nós crescemos! Então, fica aqui o nosso recado: cuidado, mundo, com suas pós-verdades. Estamos caminhando para lados obscuros. Mas saiba que tem gente que não desiste de trabalhar, de progredir, de apostar em suas autenticidades. E é isso que nos dá a esperança de que 2017 será um ano de verdades estabelecidas! Muito obrigado pela colaboração e por nos ajudar a construir mais um ano forte para a nossa SPR! Tenha um Natal harmonioso e um Ano Novo... Verdadeiro!

Design Gráfico Marco Murta – Farol Editora farol@faroleditora.com.br

Impressão  Hawaií Gráfica e Editora São Caetano do Sul, SP

Canal do leitor O Jornal da Imagem é um espaço aberto aos membros da SPR. Todos podem enviar sugestões, críticas quanto ao jornal, artigos científicos e crônicas para o e-mail da redação do veículo – jornaldaimagem@spr.org.br.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião da SPR.


DEFESA PROFISSIONAL • 3

Edição 460 – Dezembro de 2016

Justiça Federal abraça defesa do Ato Médico A defesa do Ato Médico, representada pelas atividades previstas na Lei nº 12.842/2013, começa a vencer batalhas, contando com um importante agente: a Justiça Federal. A instituição do Distrito Federal acatou pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM) e, em 6 de outubro, proibiu biomédicos de fazer procedimentos dermatológicos e cirúrgicos: foi decretada a ilegalidade de medidas cometidas pelo Conselho Federal de Biomedicina (CFBM). O texto pode ser lido na íntegra em https://goo.gl/djpvR5. Para tanto, ela contou com o apoio da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e do grupo de juristas da Associação Médica Brasileira (AMB) e dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs). Foram, assim, anulados em todo o território nacional os efeitos das Resoluções CFBM nº 197/2011, nº 200/2011 e nº 214/2012, além da sua Resolução normativa nº 01/2012. Os biomédicos ficaram proibidos de executar procedimentos dermatológicos e cirúrgicos, considerados invasivos. Pela Lei nº 12.842/2013,

apenas os médicos podem realizar essas atividades. O CFM conseguiu provar que o CFBM não obedeceu ao Princípio da Legalidade ao editar este conjunto de Resoluções, induzindo os profissionais daquela categoria a expor a população a situações de risco por conta de possível atendimento por pessoas sem a devida qualificação e sem competência legal. A juíza Maria Cecília de Marco Rocha ainda deixou claro que os procedimentos listados nos normativos da CFBM são atos privativos de médicos, inclusive pelos riscos de danos e pela exigência de qualificação técnica de seus responsáveis. Ela explica que não se desmerece o conhecimento dos biomédicos, mas que não se pode substituir o médico com especialização em dermatologia ou cirurgia plástica pelo biomédico com especialização em estética. No fim do mesmo mês, em 28 de outubro, uma nova decisão da Justiça (disponível em https://goo.gl/ IY96TL) declarou legal a Resolução do CFM nº 2.074/2014, que disciplina responsabilidades dos médicos

Foram, assim, anulados em todo o território nacional os efeitos das Resoluções CFBM nº 197/2011, nº 200/2011 e nº 214/2012, além da sua Resolução normativa nº 01/2012 e laboratórios de Patologia. Ela enfatizou que cabe exclusivamente ao médico o diagnóstico e a prescrição de tratamentos de doenças. A sentença foi proferida pelo juiz Renato Borelli, da 20ª Vara Federal do Distrito Federal, e passou a proibir os profissionais da biomedicina de elaborar laudo com diagnóstico médico em exames citopatológicos positivos. Assim, os médicos podem recusar laudos citopatológicos subscritos por biomédicos. O juiz frisou que a atuação do biomédico na elaboração de diagnósticos se restringe ao campo da assessoria técnica e não conclusiva/finalista, e isso não lhes permite subscreverem unilateralmente laudos citopatológicos ou anatomopatológicos.

Agora, o Jornal da Imagem também é digital! Conteúdo pode ser acessado por dispositivos móveis com os sistemas Android e iOS.

Faça o download gratuitamente na loja de aplicativos do seu aparelho e fique bem informado!

Precedentes Em 26 de setembro, a Justiça Federal do Rio Grande do Norte já havia tomado atitude semelhante: acolhera pedido de liminar contra resoluções do Conselho Federal de Farmácia (CFF), suspendendo judicialmente a Resolução CFF 585/2013 e proibindo farmacêuticos de receberem pacientes com o intuito de prestar atendimento clínico. Tal iniciativa representava insegurança e risco para os pacientes. Diante de tantas ameaças, momentaneamente amparadas em lei, contra as atividades médicas, o CFM havia criado, em julho, uma Comissão Jurídica de Defesa ao Ato Médico. A comissão é orientada pelos médicos conselheiros federais Carlos Vital (presidente do CFM) e Aldemir Soares (indicado pela AMB). Ela é composta por advogados responsáveis pela Coordenação Jurídica do CFM, da AMB e de CRMs e sociedades de especialidades médicas. O grupo atua com o objetivo de propor ações em defesa dos interesses dos médicos, da medicina e, consequentemente, da população. Os primeiros resultados começam a aparecer.


4 • ENTREVISTA

Neurorradiologia: um currículo para chamar de seu Pela primeira vez, a Sociedade Europeia de Neurorradiologia (ESNR) trará à América do Sul o seu principal curso (European Course of Diagnostic and Interventional Neuroradiology), preparatório para a obtenção do Diploma de Neurorradiologia emitido pelo Conselho Europeu de Neurorradiologia (EBNR). Ele chega ao nosso continente graças a uma parceria inédita da entidade europeia com a SPR, e será realizado em fevereiro, em São Paulo (veja mais informações na página 9). Dr. Antônio José da Rocha, presidente do Conselho Consultivo da SPR e, desde 6 de novembro último, presidente da Sociedade Brasileira de Neurorradiologia (SBNR), cargo que ocupará pelos próximos dois anos, participou das negociações para trazer o curso à América do Sul. Aqui, conta sobre essa parceria e os benefícios que ela trará a médicos, pacientes, sociedades médicas e à neurorradiologia como um todo.

Como surgiu a oportunidade de trazer o curso europeu para a América do Sul? Há alguns anos, a SPR optou por estratificar os eventos de acordo com a necessidade, a expectativa e o perfil de formação dos médicos radiologistas. Alguns exemplos serão úteis para entendermos o caminho percorrido até aqui. A JPR atingiu o nosso patamar mais alto, de excelência, mas isoladamente não esgota toda a extensão das diversas subespecialidades da Radiologia. O Curso de Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf) cumpre seu papel, renovando seu compromisso com o radiologista generalista e o residente. Da mesma forma, o Curso de Radiologia Online contribui muito para formação teórica do residente. Estes são exemplos de estratos bem definidos da atuação da SPR, para citar apenas três. Todavia, quando analisamos as subespecialidades, também há modelos de sucesso, como os Cursos Avançados – de Radiologia Cardíaca e de Musculoesquelético –, criando a necessidade de construir outros modelos em educação continuada. Quando nosso colega Dr. Alex Rovira assumiu a presidência da ESNR, uma oportunidade floresceu. Ele já esteve em diversos

Tendo a garantia de que fazer o curso aqui não significará prejuízo científico, por se tratar do mesmo conteúdo oferecido na Europa, sob a égide dos mesmos organizadores, apresentado pelos mesmos professores e com o mesmo formato já consagrado, resta concluir que a equação resulta em larga vantagem para os inscritos na América do Sul. eventos em São Paulo e conhece o primor com que a SPR executa suas tarefas e atua na organização de seus cursos. Dr. Rovira nos procurou, visando estreitar os laços da ESNR com a América do Sul e nos oferecendo esse curso de grande sucesso na Europa. Assim, a mesma grade educativa que a ESNR já oferece a seus membros e a muitos sul-americanos que vão à Europa buscar este curso será agora disponibilizada no nosso continente. Quais as vantagens de ter o curso realizado aqui no nosso continente? As principais vantagens para o radiologista sul-americano baseiam-se na relação entre investimentos x benefícios. Na Europa, a inscrição para cada módulo desse curso custa cerca de 1.100 euros, e aqui ele chega por praticamente a metade deste valor. Além das inscrições, na

Europa, há ainda os elevados custos (em euros) com passagem, hospedagem e alimentação, além do tempo necessário para o deslocamento. Tendo a garantia de que fazer o curso aqui não significará prejuízo científico, por se tratar do mesmo conteúdo oferecido na Europa, sob a égide dos mesmos organizadores, apresentado pelos mesmos professores e com o mesmo formato já consagrado, resta concluir que a equação resulta em larga vantagem para os inscritos na América do Sul. Além disso, a cooperação de professores sul-americanos na apresentação dos workshops dará um toque local às discussões, adequando os temas à nossa realidade, e promovendo o intercâmbio entre professores de diferentes países. Ao término de cada módulo, os inscritos poderão submeter-se a uma prova, e aqueles aprovados nos quatro módulos terão o direi-

to de, indo ao congresso na Europa, prestar uma prova final para a obtenção final do Diploma Europeu de Neurorradiologia. Não se trata de um título de especialista que permita exercer a profissão na Europa, mas de um certificado de qualificação com amplo reconhecimento internacional. E para a Neurorradiologia como um todo? A radiologia tem uma história conhecida de formação: na maioria dos países sul-americanos você começa no R1, termina no R3 e passa a exercer a profissão como especialista – ou com o Certificado de Conclusão de Residência Médica, ou com o Título de Especialista da Associação Médica Brasileira (AMB), aplicado no Brasil com muito zelo pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR). E os neurorradiologistas, como se formam? Não há ainda um padrão definido para o Brasil. Essa discussão está posta há 20 anos, desde que foi criada a SBNR. O especialista, para interpretação de imagem diagnóstica ou para a terapêutica (neurorradiologia intervencionista), pode ser radiologista, neurocirurgião ou neurologista, conforme estabelecido desde a criação da SBNR, prescin-


NOTÍCIAS • 5

Edição 460 – Dezembro de 2016

A SPR promove, organiza e patrocina o curso, e a SBNR, que não teria como custear toda esta empreitada, entra com o selo da especialidade no Brasil. Aprenderemos com o processo que poderá ser adaptado à necessidade local para a definição de um currículo mínimo em neurorradiologia diagnóstica dindo, todavia, de um currículo específico para a área. Basear-se na experiência comprovada, que vem dando certo e é sacramentada – no caso, a europeia – nos parece uma das opções mais apropriadas. Assim, o European Course of Diagnostic and Interventional Neuroradiology poderá vir a ser a base daquilo que se tornará o nosso padrão. Parece-me que esse deva ser um ponto de partida; vamos fazer o trabalho a quatro mãos: a SPR promove, organiza e patrocina o curso, e a SBNR, que não teria como custear toda esta empreitada, entra com o selo da especialidade no Brasil. Aprenderemos com o processo que poderá ser adaptado à necessidade local para a definição de um currículo mínimo em neurorradiologia diagnóstica. Quais os principais planos para sua gestão na SBNR? Nesses próximos dois anos, pretendemos realizar o credenciamento de centros formadores, nas áreas diagnóstica e terapêutica – reconhecer quais os centros treinam e formam especialistas para o mercado, padronizar esse processo nas diferentes cidades e informar àqueles que querem ser neurorradiologistas onde podem buscar essa formação e como ela deve ser feita. Trabalharemos também pela definição do currículo mínimo; há a premissa de se espelhar no currículo europeu, como já mencionado, mas a realidade do Brasil terá que ser considerada. Há nove anos, o Grupo de Estudos de Neurorradiologia (Gene) é organizado em parceria pela SPR e a SBNR. É um grupo que hoje congrega pessoas de todo o Brasil e

também conta com a participação de profissionais de outros países – Chile, Argentina e Portugal, que já participaram através da internet. Queremos incrementar o Gene, uma atividade muito reconhecida e valorizada pelos neurorradiologistas e residentes. Ao aprimorar sua abrangência com a transmissão online e a incorporação de diversos centros, contribuiremos para o enriquecimento das discussões, elevando o nível da neurorradiologia e compartilhando experiências e conhecimento. Quais são as características da SBNR? A SBNR é o departamento de neurorradiologia do CBR, e tem com ele uma ligação umbilical. Sua diretoria reflete a composição entre diagnóstico e intervenção em neurorradiologia. Congrega radiologistas e profissionais oriundos das especialidades afins, e também tem em seu escopo a certificação, através da prova específica, para a obtenção de um Certificado de Área de Atuação em Neurorradiologia – equivalente ao título de especialista. O candidato é submetido a uma prova anual, teórica e prática, no mesmo modelo da prova do CBR, com o selo da Associação Médica Brasileira (AMB). Fui a primeira pessoa a prestar essa prova, há onze anos, como neurorradiologista na área de diagnóstico – até então, a procura maior era de intervencionistas. Hoje, esse número vem aumentando em neurorradiologia diagnóstica também e temos uma média entre 15 e 20 postulantes/ano para cada uma das áreas (diagnóstica e terapêutica). Nosso mercado está exigindo dos profissionais uma certificação; a SBNR se organizou ao longo de duas décadas para se apresentar neste momento e ofertar ao mercado a certificação específica para os médicos especialistas nesta área. Nossa sociedade adquiriu o respeito dos postulantes e hoje emite este certificado com muito reconhecimento. A SBNR também atua fortemente em Defesa Profissional e a recomendação de protocolos e guidelines pelos órgãos governamentais, principalmente na área terapêutica, tem sido cada vez maior. A SBNR e o CBR atuarão em conjunto nos próximos anos, como já vem ocorrendo, visando resguardar o melhor atendimento aos pacientes e oferecer à sociedade o melhor na prática da neurorradiologia.

CFM celebra 65 anos de existência Em 26 de outubro, o Conselho Federal de Medicina (CFM) comemorou 65 anos de existência. Para celebrar, houve uma sessão no Plenário Ulysses Guimarães, da Câmara dos Deputados. O evento foi requerido pelo deputado Dr. Hiran Gonçalves (PP-RR). Conselheiros do CFM, deputados, representantes de entidades médicas e estudantes estiveram presentes – representando a Radiologia, estava o Dr. Aldemir Humberto Soares. Dr. Hiran falou da importância do CFM na proteção das boas práticas médicas e que se decidiu

pela sessão para enfatizar a importância do Conselho dentro das lutas da classe, como o melhor financiamento do SUS e criação da Carreira Médica de Estado. O Presidente do CFM, Carlos Vital Tavares, agradeceu a todos os médicos do País, principalmente aos conselheiros e representantes dos conselhos regionais de todos os Estados que, segundo ele, têm sido grandes aliados na luta da melhoria da saúde. Ele comentou, ainda, que qualquer esfera do poder público não pode ser indiferente à saúde pública.


6 • OPINIÃO

Foto: Murilo Castro

Impacto da Crise no Sistema de Saúde Suplementar e Público no Brasil

Carlos Moura é responsável pela Assessoria Econômica do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR)

Desde nosso melhor momento, temos caído em média -0,62% a cada trimestre, sendo que tivemos o ápice da queda em março de 2016 (-1,33%), mas continuamos caindo

Nestes últimos meses, com o agravamento da crise econômica, política e a troca do presidente no Brasil, todos os segmentos do mercado têm sido afetados mais com diferentes impactos. Nos segmentos de supérfluos, o impacto foi maior e mais rápido, mas com a duração da crise este efeito também tem atingindo o segmento da saúde. No segmento de saúde suplementar, as perguntas que tenho mais ouvido são: ‘Quando a crise vai parar ou atenuar?’ e ‘De quanto tem sido o impacto?’. Pelas informações de mercado e levantamento de vidas da Agência Nacional de Saúde (ANS), continuamos em queda! Colhemos as informações no ponto histórico mais elevado de vidas da Saúde Suplementar no Brasil, que foi em dezembro de 2014, quando tínhamos alcançado 50.4 milhões de vidas e analisamos até a última publicação trimestral que foi em setembro de 2016. Conforme o quadro, desde nosso melhor momento, temos caído em média -0,62% a cada trimestre, sendo que tivemos o ápice da queda em março de 2016 (-1,33%), mas continuamos caindo, junho de 2016 (-0,44%) e setembro de 2016 (-0,48%). A queda de vidas na ANS nos últimos dois trimestres mostra que continuamos caindo! Existem várias operadoras em situação financeira delicada; so-

Sugiro muita cautela em novos investimentos, manter todos os esforços em projetos de melhoria de gestão focando em automação e entender quais operadoras e exames deixam a melhor margem em sua clínica para diminuir, assim, sua perda financeira mente como exemplo, temos uma grande operadora no Rio de Janeiro que detém 826 mil vidas (10/2016) e está sob direção fiscal da ANS. Corre o risco de fechar as portas a qualquer momento e deixar um rastro de clínicas quebradas e beneficiários sem assistência. Parte das vidas desta operadora pode conseguir se realocar em outros planos que possuam interesse, mas parte destas vidas volta a depender do Sistema Único de Saúde (SUS). Nos últimos anos temos tido uma forte consolidação no mercado de operadoras de saúde, eram 1.242 operadoras em 2005, em 2016 são somente 806 operados, uma queda de 35,1%. Entre os principais motivos estão o aumento de exigências da ANS para proteger o sistema da saúde suplementar

e seus beneficiários e o aumento da sinistralidade média que em 2005 era 80,78% e em 2015 chegou a 83,80%, aumentando 3,01%. Estamos falando de dezembro de 2014 a setembro de 2016 em 2.14 milhões de vidas que saíram da saúde suplementar e que voltaram a depender exclusivamente do SUS. Lembrando que a crise no setor público está tão ou mais severa que no setor privado, as prefeituras não têm conseguido honrar com seus compromissos e não têm atendido mais a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), porque gastam acima do que poderiam conforme estipulado na Lei. Esta retração do mercado de saúde suplementar tem causado alguns impactos perigosos nas clínicas de diagnóstico por imagem – redução na demanda de exames e dificuldade em negociar os reajustes, ambos impactos atingem diretamente a sustentabilidade financeira da clínica, porque os custos continuam subindo ora atrelados a inflação e ora atrelados ao dólar. Neste momento sugiro muita cautela em novos investimentos, manter todos os esforços em projetos de melhoria de gestão focando em automação e entender quais operadoras e exames deixam a melhor margem em sua clínica para diminuir, assim, sua perda financeira provocada pelo aumento de custos que não conseguimos repassar para operadoras.


CONEXÃO DIGITAL • 7

Edição 460 – Dezembro de 2016

Oportunidades e desafios da Informática em nossas mãos

Dr. Thiago Julio é Radiologista Intervencionista, pós-graduado em Informática Médica, Coordenador de Tecnologia e Inovação no SírioLibanês, Medical Officer na Healfies, Diretor no IHE Brasil e responsável pela página de Conexão Digital do Jornal da Imagem.

O grupo já existe informalmente desde 2015, quando foi criado durante uma JPR entre participantes do curso de Informática em Radiologia, primeiro no WhatsApp, e depois no Telegram, hoje com cerca de 70 participantes

A radiologia foi uma das primeiras especialidades médicas a se informatizar. Do agendamento à realização dos exames, da interpretação à entrega dos resultados, hoje podemos dizer que é uma das únicas especialidades médicas que tem todo seu processo clínico realizado dentro de ambientes digitais e sistemas de informação. Fomos pioneiros na adoção de padrões de informação; o DICOM é considerado o principal case de sucesso de implementação de um padrão em Informática Médica, com quase 50 anos de uso. Os sistemas RIS e PACS disponíveis atualmente são sólidos e robustos, tecnicamente complexos e clinicamente bastante completos. Hoje, parte da educação dos residentes em radiologia consiste em treinamento nessas ferramentas de trabalho. Não é mais possível se formar um radiologista sem que esse domine o RIS/PACS. Por esses motivos, a Informática em Radiologia tem se consolidado como subespecialidade radiológica. Países norte-americanos, europeus e asiáticos já possuem treinamento específico em informática e tecnologia para radiologistas (fellows e pós-graduação). Muitos já começam a inserir temas básicos de Informática na grade curricular dos residentes em radiologia, como parte da formação básica obrigatória. Serviços de ponta possuem radiologistas informatas em posições de liderança na gestão clínica e de TI. Nos EUA,

existe uma sociedade específica de Informática em Imagens Médicas (SIIM), e as principais sociedades mundiais de radiologia, como o RSNA, ACR e ESR possuem comitês, grupos de estudos e de governança em Informática em Radiologia. Vale mencionar também que a Informática Médica já é reconhecida como especialidade, com residência e prova de título. Com esse cenário e perspectiva em mente, realizamos no dia 17 de novembro, com o apoio da Diretoria e dos colaboradores da SPR, um encontro piloto do novo grupo de estudos da SPR: o GET, Grupo de Estudos de Tecnologia e Informática em Radiologia. Nesta primeira reunião, realizada na sede da SPR, cerca de 15 participantes discutiram, presencialmente ou pela web, as oportunidades e desafios

Objetivos do GET Discutir temas de tecnologia pertinentes ao avanço da especialidade, da medicina diagnóstica e ao setor de saúde como um todo; Formar novas gerações de radiologistas com conhecimento técnico em RIS, PACS e demais sistemas clínicos e radiológicos; Fomentar a Informática como subespecialidade radiológica, a exemplo de países europeus, asiáticos e norte-americanos; Ajudar na geração e divulgação de conhecimento técnico, servindo como suporte e referência para a diretoria da SPR, membros da sociedade,

prestadores de serviço de diagnóstico por imagem e da comunidade radiológica em geral; Incentivar a produção acadêmica em Informática; Unir radiologistas informatas com demais profissionais da área (administradores de PACS, desenvolvedores, engenheiros clínicos, profissionais de TI e de Informática Médica); Envolver a SPR, através da Diretoria de Tecnologia, em projetos de inovação e empreendedorismo com startups, incubadoras, aceleradoras e ecossistema de saúde digital.

da Informática em Radiologia, compartilharam um pouco das suas experiências e projetos e definiram uma agenda para 2017. A partir de fevereiro, teremos encontros toda primeira terça-feira do mês, sempre na sede da SPR, com transmissão online (fornecida pela nossa parceira Pixeon). O grupo já existe informalmente desde 2015, quando foi criado durante uma JPR entre participantes do curso de Informática em Radiologia, primeiro no WhatsApp, e depois no Telegram, hoje com cerca de 70 participantes. Para participar acesse: https://goo.gl/6zt3zT. Os membros não só discutem novidades e notícias de tecnologia, mas também tiram dúvidas entre si sobre implantações, rotinas e sistemas, além de compartilhar material de estudo em um acervo online (Google Drive).


8 • EVENTOS SPR

CURSOS AVANÇADOS:

comece 2017 impulsionando sua carreira

Em fevereiro de 2011, a SPR deu início a uma série de Cursos Avançados que apresentam como principal característica um programa científico multidisciplinar, aulas de nível avançado e discussões conduzidas por ra-

diologistas e especialistas renomados. Além de radiologistas, esses eventos têm como público outros médicos especialistas atuantes nas áreas correlacionadas, como pediatras, ortopedistas, cardiologistas e pneumologistas.

No início de 2017, serão apresentados dois desses cursos: o European Course of Diagnostic and Interventional Neuroradiology in Latin America, realizado pela primeira vez, e a sétima edição do Curso Te-

mático Anual do Grupo de Estudos de Radiologia Musculoesquelética (GERME). Confira detalhes desses eventos e agende-se para dar um grande impulso em sua carreira!

VII Curso Temático Anual do GERME As inscrições estão abertas – 1º de dezembro a 12 de janeiro é o último período de pré-inscrição com desconto, e ela pode ser feita no site do evento: https://goo.gl/kTmxcw. A sétima edição do curso será realizada nos dias 11 e 12 de fevereiro de 2017, no Maksoud Plaza Hotel, em São Paulo, trazendo Quadril como tema principal. Coordenado pelos Drs. Marcelo Novelino Simão, Fabiano Nassar e Felipe Ferreira de Souza, também atuais coordenadores do Germe (Grupo de Estudos de Radiologia Musculoesquelética), o Curso apresenta um programa dividido em seis módulos: •  Módulo 1 – Impacto e Lábio; •  Módulo 2 – Próteses e Técnica; •  Módulo 3 – Tendões; •  Módulo 4 – Displasia e Fraturas; •  Módulo 5 – Neuropatias e Outras Patologias; •  Módulo 6 – Tumores e Alterações Inflamatórias. O curso mantém o formato de aulas curtas e específicas, com palestrantes radiologistas, clínicos e cirurgiões. O objetivo é que os participantes consigam obter uma visão ampla e objetiva sobre os aspectos anatômicos, funcionais e patológicos do quadril. O aprendizado a partir da análise crítica e direta dos palestrantes

também é outra expectativa dos organizadores, e justamente por isso foram convidados grandes especialistas no tema. Pela primeira vez, dentre os professores convidados, há um nome estrangeiro – o Dr. Bruce Forster, Professor e Chefe do Departamento de Radiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de British Columbia e Chefe Regional de Imagem Diagnóstica do Vancouver Coastal Health e do Providence Health Care, no Canadá. Ele conduzirá três aulas: •  Dia 11, às 8h45: Impacto Femoroacetabular: Clínica e Imagem-Pontos Principais; •  Dia 11, às 9h: Artro-RM do Quadril: Além do Lábio; •  Dia 12, às 9h: Dor no Quadril do Atleta: O que é a Hérnia do Esportista e quais são os Achados de Imagem? Dr. Forster concedeu uma rápida entrevista ao Jornal da Imagem: Quais são suas expectativas com este Curso Avançado? Dr. Bruce Forster – Esta é a minha primeira viagem ao Brasil, por isso estou muito ansioso para encontrar pessoalmente meus colegas brasileiros de imagens musculoesquelética e de outras áreas. Em particular, o Dr. Sergio Ajzen e eu

fizemos treinamento no mesmo hospital há muitos anos, por isso vai ser ótimo para recuperar o contato com velhos amigos. Do ponto de vista acadêmico, estou ansioso para ouvir apresentações de vanguarda sobre uma variedade de tópicos em musculoesquelético, e aprender com meus colegas novas perspectivas de imagem para nos permitir um melhor atendimento aos nossos pacientes. O sr. conduzirá três palestras. Poderia fornecer um resumo do que os participantes podem esperar de cada uma? Dr. Bruce Forster – Os participantes podem esperar, em primeiro lugar, uma visão geral dos achados radiográficos e de RM no impacto femoral-acetabular, uma entidade relativamente nova e um tanto controversa que provavelmente predispõe

pacientes à osteoartrite do quadril. Vou rever as conclusões necessárias para fazer um diagnóstico confiável desta síndrome. Em segundo lugar, vou discutir a importância de olhar para fora da articulação do quadril ao realizar tais estudos, a fim de não perder diagnósticos relacionados ou não relacionados em pts com dor no quadril/virilha. Finalmente, vou apresentar os achados de imagem em hérnias esportivas, ou o que é mais bem denominado de “pubalgia atlética”, que é uma sintomatologia bastante comum em atletas, incluindo jogadores de futebol. O sr. acredita que o campo da medicina esportiva já está bem desenvolvido ou ainda precisa amadurecer? Dr. Bruce Forster – A imagem esportiva é uma subespecialidade emergente na formação de imagens musculoesqueléticas, e os radiologistas estão desempenhando um papel cada vez mais importante no cuidado de atletas de elite e amadores. Talvez a maneira mais eficiente de comunicar meus pensamentos seja ler meu editorial na revista Radiology, de fevereiro de 2016, intitulado: Radiologistas como líderes de equipe no cuidado do atleta [em inglês: Radiologists as team leaders in care of the athlete – assinantes da publicação podem ler a íntegra em https://goo.gl/IFWdPe].


EVENTOS SPR • 9 europeus, brasileiros ou dos demais países da América do Sul. Ao fim do curso, será dado certificado de participação àqueles que atingirem a frequência necessária, também endossado pela SBNR. Haverá, ainda, uma prova sobre o conteúdo apresentado para treinamento dos participantes, e os aprovados receberão um certificado à parte da EBNR. Aqueles que cursarem os quatro módulos em São Paulo e realizarem a prova final poderão prestar a prova do EdiNR (Título de Especialista Europeu em Neurorradiologia) na Europa. Mais informações sobre o título podem ser encontradas em https://goo.gl/3aUEZg. Dr. Alex Rovira, presidente da ESNR, concedeu breve entrevista ao Jornal da Imagem:

 uropean Course of Diagnostic E and Interventional Neuroradiology O curso é realizado na Europa e, pela primeira vez, a Sociedade Europeia de Neurorradiologia (ESNR) e o Conselho Europeu de Neurorradiologia (EBNR) o trarão à América Latina. As inscrições estão abertas e podem ser feitas até 20 de janeiro; após essa data, serão permitidas apenas no local do evento se houver vaga – veja mais em https:// goo.gl/7RH5hv. Trata-se de um curso obrigatório para os neurorradiologistas europeus e pré-requisito para a realização da prova do EdiNR (Título de

Especialista Europeu em Neurorradiologia). Ele chega ao Brasil graças a uma parceria inédita das entidades europeias com a SPR para beneficiar os profissionais da América Latina – veja outras informações na entrevista concedida pelo Dr. Antônio Rocha, na página 3 desta edição. Este módulo é denominado: st 1 Cycle - Module 1: Anatomy and Embryology, e será realizado pela SPR de 8 a 11 de fevereiro de 2017, no Maksoud Plaza Hotel, em São Paulo. Oferecerá um programa científico intensivo de quatro dias, com aulas teóricas pela

manhã e workshops à tarde. À frente do programa, haverá professores enviados pela ESNR e palestrantes do Brasil e da América Latina, que terão a missão de apresentar o conteúdo básico de neurorradiologia que todo profissional formado ou em treinamento dessa área deve saber. As aulas teóricas serão dadas em sua maioria pelos professores estrangeiros, com tradução para o português e espanhol. As aulas práticas acontecerão sob a forma de workshops, sendo coordenadas simultaneamente por dois professores

Confira os professores confirmados para o evento: Alex Rovira (Espanha)

Eloísa S. Gebrim (Brasil)

Luiz A. P. Portela (Brasil)

Andrea Rossi (Itália)

Emerson L. Gaspareto (Brasil)

Marcelo Galvez (Chile)

Andrés Arbelaez (Colômbia)

Fabrício G. Gonçalves (Brasil)

Nelson P. F. D. Ferreira (Brasil)

Antonio J. da Rocha (Brasil)

Feliza Restrepo (Colômbia)

Rainer G. Haetinger (Brasil)

Bernard Schuknecht (Zurique)

Gustavo N. Simão (Brasil)

Renato A. Mendonça (Brasil)

Carlos Eduardo Baccin (Brasil)

José P. Caldas (Brasil)

Renato H. Nunes (Brasil)

Carlos Rugilo (Argentina)

Juan Pablo Cruz (Chile)

Sérgio Moguillanski (Argentina)

Christiane de S. Campos (Brasil)

Lázaro L. F. do Amaral (Brasil)

Tarek Yousry (Inglaterra)

Cláudia Costa Leite (Brasil)

Leandro T. Lucato (Brasil)

Vitor Mendes Pereira (EUA)

Edson Amaro (Brasil)

Leonardo M. Vedolin (Brasil)

Como o sr. avalia a decisão de trazer o curso para a América Latina? Dr. Alex Rovira – O Curso Europeu de Neurorradiologia (ECNR) foi fundado em 1983 sob a égide da Sociedade Europeia de Neuroradiologia (ESNR), 15 anos após a sua fundação, em 1969. Além do principal objetivo de educar os jovens médicos para se tornar neurorradiologistas, este curso foi também necessário para se aderir tanto quanto possível aos regulamentos europeus para os programas de formação acadêmica com o objetivo preciso de ser reconhecido como uma (sub)especialidade dentro da União Europeia de Médicos Especialistas (UEMS), objetivo que foi finalmente atingido em 2008. Em outubro de 2016, iniciamos em Dubrovnik (Croácia) o 14º ciclo do ECNR, sob a presidência dos Drs. Majda Thurner e Johan van Goethem. Mais de 320 estudantes de 51 países (88 estudantes de 23 países não europeus) participaram do primeiro módulo deste 14º ciclo. Oito países da América Latina foram representados, refletindo o interesse do radiologista/neurorradiologista da região neste programa educacional, como demonstrado também nos ciclos anteriores do ECNR. No entanto, a ESNR percebeu que participar do ECNR e completar um ciclo completo (quatro módulos, cada um organizado duas vezes por ano), que é um dos requisitos necessários para se tornar elegível para se candidatar aos exames para se tornar certificado pelo European Board


10 • EVENTOS SPR Certified Fellow in Neuroradiology, são um enorme esforço para os participantes da América Latina, devido a viagem, alojamento e taxa de curso, e uma limitação para muitos potenciais participantes. Portanto, a ESNR, considerou ser uma boa opção criar um LATAM-ECNR na América do Sul, o que diminuirá os esforços necessários para participar do ECNR na Europa. A ESNR, então, analisou quem e onde o LATAM-ECNR poderia ser organizado, considerando que a seleção da localização precisa do curso deveria levar em conta seu fácil acesso e baixo custo, e que sua organização local deveria ser da responsabilidade de uma prestigiada sociedade científica sociedade da América Latina. Após várias conversas com a SPR, a ESNR a considerou uma excelente opção para organizar este primeiro Ciclo LATAM-ECNR em São Paulo, uma vez que esta combinação cumpre claramente os requisitos mencionados. Um Memorando de Entendimento foi assinado pela ESNR e SPR que estabelece que a SPR organizará um ciclo completo do LATAM-ECNR. Foi também acordado que o conteúdo científico do ciclo terá de ter em conta o currículo incluído na Carta Europeia de Educação e Formação em Neurorradiologia, e os conteúdos incluídos no ECNR e, portanto, deve conter todos os aspectos de Neurorradiologia, diagnóstico e intervenção. A seleção dos palestrantes, da América Latina e dos países europeus, foi baseada exclusivamente em sua formação científica e habilidades educacionais para assegurar palestras de alta qualidade e discussões de casos interativos.

estruturado em Neurorradiologia, o que facilitará a harmonização do treinamento e prática de neurorradiologia na América Latina e dará também a possibilidade aos participantes de realizar o exame final do EDiNR. Embora este diploma não tenha um valor legal, terá um valor agregado importante para o currículo do radiologista certificado pelo Conselho na América Latina.

O que os participantes podem esperar do curso? Dr. Alex Rovira – O conteúdo científico do ciclo fornecerá ao participante material único e terá em conta as normas e diretrizes para a formação em residência em Neurorradiologia Clínica (Diagnóstico e Intervencionismo) incluídas na Carta Europeia de Formação de Médicos Especialistas na UE, documento exigido pela Comissão Europeia, com o objetivo principal de normalizar os programas de formação nos países da UE/EFTA e nos Estados-Membros associados. Este primeiro ciclo LATAM-ECNR é dirigido principalmente aos radiologistas gerais e aos neurorradiologistas em treinamento ou estabelecidos, e tem os seguintes objetivos e características científicas principais: comunicar por meio de palestrantes e workshops, em vez de realizar conferências do tipo aca-

dêmicas, que transmitem ao invés de fornecer informações; fornecer aos alunos conferências conceituais “culturais”, que dificilmente obterão em seus próprios países, em cursos gerais de radiologia ou em livros didáticos; adquirir conhecimentos básicos de neurociência; fornecer bases teóricas das práticas clínicas atuais e futuras e pesquisa em neurorradiologia diagnóstica e intervencionista; oferecer workshops neurorradiológicos de diagnóstico altamente interativos, intervencionistas e mistos. Este ciclo LATAM-ECNR está estruturado em quatro módulos realizados uma vez por ano. No fim de cada módulo é emitido um certificado após a conclusão de um teste. O LATAM-ECNR é aceito no programa da Escola Europeia de Neurorradiologia (ESONR) como um de seus cursos, cujo conteúdo científico e exames relacionados permanecem inteiramente sob a responsabilidade da ESNR e do Conselho Europeu de Neurorradiologia (EBNR). Os participantes que frequentarem o ciclo completo, passarem nos quatro exames escritos e preencherem os requisitos de elegibilidade estabelecidos pelo EBNR terão o direito de se inscrever para o exame final do Diploma Europeu em Neurorradiologia (EDiNR), organizado anualmente durante o Congresso Anual da ESNR. As inscrições para este exame final devem ser enviadas através do website do EBNR (www.ebnr.org). Portanto, o LATAM-ECNR é uma grande oportunidade para que os participantes recebam um programa educacional completo e bem

Quais são suas expectativas com o curso? Dr. Alex Rovira – A ESNR espera um grande sucesso neste primeiro ciclo do LATAM-ECNR, e tem dedicado muito entusiasmo e esforço para organizá-lo. No entanto, o resultado esperado e bem-sucedido desse evento seria impossível sem o excelente e árduo trabalho de nossos colegas da SPR, em particular os Drs. Antonio Soares Souza, Antônio José da Rocha e Renato Adam Mendonça, além do profissionalismo e eficiência do secretariado local, liderado pela Priscila Z. Figueiredo. O custo relativamente baixo do curso, o excelente programa científico e o local selecionado pela SPR irão atrair muitos participantes, não apenas do Brasil, mas também de outros países da região. O objetivo principal deste curso é oferecer um programa educacional completo e bem estruturado em Neurorradiologia, que facilite a harmonização do treinamento e prática desta subespecialidade radiológica na América Latina. Ainda, este curso facilitará a interação e as futuras relações entre os participantes e os palestrantes, bem como a promoção do Congresso Anual da ESNR entre neurorradiologistas latino-americanos. Temos de ter em mente que a ESNR, como sociedade científica, tem objetivos diferentes, e entre eles eu enfatizo: desenvolver métodos unificados de ensino de neurorradiologia e padrões de treinamento e certificação; apoiar as oportunidades de educação e ensino; participar ativamente na coordenação de iniciativas em matéria de educação, investigação, formação e prática; promover a ligação com outras organizações relacionadas em escala mundial. Sem dúvida, este primeiro LATAM-ECNR facilitará a realização destes objetivos e deve ser considerado um evento positivo a todos os lados, com benefícios para a América Latina e para a neurorradiologia europeia.


11

Edição 460 – Dezembro de 2016

JPR’2017: inscrições exclusivas a membros SPR Realizada há quase 50 anos, a Jornada Paulista de Radiologia (JPR) é considerada o maior encontro da área na América Latina e o quarto maior no mundo. Em sua última edição, em abril de 2016, contou com a participação de 15 mil pessoas, entre congressistas, professores, coordenadores, convidados, expositores, visitantes e equipes de apoio. Vinte e sete cursos foram ministrados por 500 professores brasileiros e 60 estrangeiros, e mais de 100 empresas apresentaram seus portfólios aos visitantes da exposição técnica. Em 2017, será apresentada a 47ª Jornada Paulista de Radiologia / II Congresso França-Brasil-América Latina de Radiologia (JPR’2017), que

trará como tema central “Radiologia Francesa: As Relações Humanas e a Boa Prática Médica”. O evento será realizado pela SPR em parceria com a Sociedade Francesa de Radiologia (SFR). Essa é a segunda vez que as duas entidades trabalham juntas – o primeiro encontro foi realizado em 2009, durante a JPR’2009, e foi chamado de I Congresso França-Brasil-América Latina de Radiologia. Antes disso, a SPR já tinha tido outra parceria com a SFR em 2001, oportunidade em que o Grupo de Estudos de Radiologia Musculoesquelética da SPR realizou um curso específico, também na JPR, com o grupo GETROA da França.

As inscrições para a JPR’2017 estão abertas exclusivamente aos membros da SPR até 14 de dezembro. A partir do dia 15, participantes de demais categorias poderão se registrar, e terão como primeiro prazo de desconto até 1º de fevereiro. O benefício de isenção de pagamento da inscrição é garantido ao membro SPR em dia com o pagamento da anuidade de 2017 e para aqueles que a realizarem no período de pré-inscrição. Os membros da SPR que não efetuarem o pagamento de sua anuidade até 5 de abril de 2017 perderão o benefício de isenção. Nesse caso, terão que realizar novamente sua inscrição no local do evento.

Coordenadores exploram conteúdo A partir desta edição, publicamos o posicionamento dos coordenadores dos módulos sobre o que será apresentado na JPR’2017, e o que os congressistas podem esperar de cada conteúdo. Informe-se e garanta sua vaga nos módulos de interesse! Cardiovascular Dr. Henrique Simão Trad Coordenador do módulo com os Drs. Andrei Skromov de Albuquerque, César Higa Nomura, Jean Nicolas Dacher e Walther Yoshiharu Ishikawa.

Trabalhamos novamente com uma grande equipe de especialistas nacionais, alguns deles já conhecidos do público; porém, sempre buscando colocar palestrantes para temas diferentes e recentes, além de palestrantes novos, primando por variar as mensagens e opiniões ao público.

Pela participação conjunta da França na Jornada, teremos o prazer de receber o Dr. Jean-Nicolas Dacher, professor de radiodiagnóstico e imagem médica da Universidade de Rouen, com área de pesquisa em imagem não invasiva cardíaca e imagem funcional renal. Além das aulas básicas do curso de revisão, teremos uma sessão específica para avaliação do uso prático dos últimos avanços em diagnóstico cardiovascular, uma sessão muito interessante para o radiologista cardiovascular saber se posicionar corretamente sobre essas ferramentas. Além disso, chama a atenção uma sessão inteira de discussão entre diferentes métodos de diagnóstico cardíaco, colocando lado a lado os melhores especialistas de cada área, falando das


12 • EVENTOS SPR

vantagens e desvantagens de cada método na análise funcional, anatômica e de isquemia. Por último, não se pode deixar de salientar as sessões de apresentação de casos, com sessões interativas e leitura de casos com o especialista. Enfim, um curso abrangente, com a cooperação de radiologistas, cardiologistas e médicos nucleares discutindo o que há de melhor e mais avançado no diagnóstico cardiovascular.

Enfermagem em Radiologia

A temática Relações Humanas abordará palestras como, Transparência das informações – Disclosure, pois uma das premissas para o alcance da cultura de segurança é a existência de uma comunicação transparente entre os serviços de saúde e os pacientes. Assim, esperamos que as expectativas com o módulo de enfermagem sejam atendidas, pois trabalhamos em prol da enfermagem em radiologia na disseminação das melhores práticas para que sejam utilizadas no seu dia a dia.

FLAUS

Enfermeira Eliana Porfírio Coordenadora do módulo com a enfermeira Rosemeire Keiko Hangai.

O saber da enfermagem no mundo contemporâneo vem desde seus primórdios, que era o cuidar, socorrer o doente utilizando a luz de uma lamparina como subsídio, pois há séculos a enfermagem utiliza da tecnologia e com o avanço do homem nas ciências humanas, exatas e biológicas a evolução da máquina foi e é imprescindível para o processo do cuidado. Dentro deste contexto de evolução, surgiram num brainstorming os eixos que serão trabalhados no curso da Enfermagem durante a JPR’2017, que englobam: Tecnologia, Segurança do Paciente, Educação e Humanização. Citar um desses eixos como principal é conflituoso, pois, para a prática do processo da assistência de enfermagem, todos são fundamentais. Por isso, nosso grande desafio é provocar nos participantes deste grandioso evento a vontade de trazer para o seu cotidiano uma assistência holística no olhar ao paciente. A grade foi elaborada para trabalhar os temas de forma transversal e construtiva, em que pudemos ter como referência a Segurança do Paciente e, dentro deste tema, não podíamos deixar de destacar a Assistência de Enfermagem na Administração do Contraste e suas complicações bem como as Reações Alérgicas e assistência à criança submetida a exames sob anestesia. No eixo ensino, as apresentações sobre o tema Simulação Realística propõem aos profissionais da saúde uma ferramenta de aprendizado, em que, em um cenário em tempo real, traz para as estações de trabalho o saber, conhecer, fazer, conviver e ser, que favorece aos participantes o desenvolvimento das competências necessárias para atuar nos centros de diagnósticos e nas diferentes áreas da saúde.

Dra. M. Cristina Chammas Coordenadora do módulo com o Dr. Jorge Rabat.

em Radiologia. Também, temas relacionados ao uso de tecnologia como base para a pesquisa científica e análise crítica dos periódicos disponíveis para publicação. Além disso, serão abordados assuntos sobre a Educação em Radiologia e Mentoria. Dentre os professores, teremos o Dr. Alfredo Buzzi, da Universidade de Buenos Aires, que falará sobre educação em radiologia, trazendo sua ampla experiência. Acho que os participantes podem esperar uma abordagem dos temas básicos de pesquisa e sua interação com a tecnologia. Na educação, uma visão ampla deste tema, com destaque para o papel das relações humanas no ensino com a aula de mentoria.

Mama Dr. José Michel Kalaf

Abordaremos temas de atualização em tópicos de emergência – será algo vasto, incluindo desde assuntos de musculoesquelético até abdominais. Toda a parte de emergência é sempre muito interessante. Destaco a parte de ECO FAST e ecocardiografia para não cardiologista. Esses são temas muito importantes para qualquer radiologista que milite na área de pronto-socorro e, portanto, é essencial estar atualizado e familiarizado com o tópico. Dr. Jorge Rabat, coordenador comigo nesse módulo, é o presidente eleito da FLAUS e será o presidente no biênio 2017-2019, além de ser também um dos professores da programação, o qual aqui destaco. Os participantes podem esperar por um curso atualizado e diversificado, no qual a ultrassonografia pode atuar na área de emergência, possibilitando de forma rápida e dinâmica se integrar nesse contexto.

 ducação e Introdução E à Pesquisa

Profª Dra. M. Claudia da Costa Leite Coordenadora do módulo.

A programação do curso apresentará desde temas básicos, como o desenho de uma pergunta científica, como escrever e publicar um artigo de Radiologia ou como fazer uma apresentação oral

Coordenador do módulo com os Drs. Luciano Fernandes Chala, Maria Helena Siqueira Mendonça e Selma di Pace Bauab.

Na evolução constante do conhecimento, a programação de Mama compreende congregação multidisciplinar com a colaboração de renomados especialistas nacionais: radiologistas, patologistas e cirurgiões, incluindo aspectos importantes da oncoplástica. Ressaltamos aspectos relevantes desta programação: Rastreamento com atualização da metodologia utilizada, Diagnóstico precoce com compreensão Multimodalidade, Atualização dos conceitos sobre Biologia do CDIS e como evitar exageros em sua terapêutica, Mamografia Digital, Tomossíntese Mamária e aplicações práticas, Ressonância Magnética Mamária e sua contribuição ao Diagnóstico Mamário com relação ao diagnóstico precoce e planejamento pré-operatório. Na área de ultrassonografia, revisão dos conceitos em diagnóstico diferencial de lesões benignas e malignas e atualização sobre modernas técnicas disponíveis. Com a marcante contribuição dos nossos colegas especialistas em patologia e mastologia, poderemos apreciar a importância das modernas técnicas cirúrgicas com relação a margens livres e reconstrução imediata com oncoplástica. Ao longo de anos, a coordenação de Mama da SPR consolidou, graças à colaboração de ilustres conferencistas nacionais, acervo importante de aulas, palestras e hot topics, possibilitando avaliação dinâmica da marcante evolução em Diagnóstico Mamário.


EVENTOS SPR • 13

Edição 460 – Dezembro de 2016

Para mais informações sobre o evento escaneie o código QR ao lado ou acesse o site www.jpr2017.org.br

Nossos colegas coordenadores, os Drs. Maria Helena Mendonça, Selma de Pace Bauab e Luciano F. Chala, foram muito felizes em ordenar esta programação de tal forma a nos brindar com competência em vários aspectos diagnósticos: • Revisão atualizada em rastreamento e diagnóstico precoce; • Tomossíntese, revisão da metodologia, situação atual e aplicações práticas; • Ultrassonografia e suas aplicações em rastreamento, diagnóstico e intervenção. Atualização sobre os sistemas automatizados de rastreamento; • Apresentação de casos difíceis e qual a melhor orientação prática para o diagnóstico definitivo. Como evitar erros diagnósticos; • Densidade Mamária, um dilema constante a ser detalhadamente avaliado; • Ressonância Magnética Mamária, descrição de técnicas, interpretação de imagens; realmente uma formidável ferramenta diagnóstica a ser devidamente explorada; • Multimodalidade diagnóstica com correlação clínico-patológica, cada vez mais significativa para adequada compreensão da localização, da extensão e da morbidade das lesões malignas, consolidando sua importância para planejamento pré-operatório; • BI-RADS® – conceitos fundamentais, avaliação sistematizada, atualização. Todos estes aspectos constituem o desejo constante em oferecer aos nossos colegas participantes não só a apresentação do que é possível em diagnóstico mamário, mas principalmente um enorme respeito pela marcante contribuição que todos os especialistas nesta área proporcionam em nosso País para redução da mortalidade do câncer de mama; sua integração

e interação com nossos conferencistas é nosso maior objetivo e motivação. A evolução da mamografia, desde a simples radiografia de specimen cirúrgico até os dias atuais como método proeminente de rastreamento de câncer mamário, proporciona a análise de um brilhante capítulo na história da medicina, contemplando a visão, dedicação, entusiasmo e ousadia científica de numerosos especialistas e sua contribuição para o desenvolvimento de uma nova especialidade médica. Sejam muito bem-vindos à grade de Mama da JPR’2017!

Tórax Dra. Gustavo de Souza Portes Meirelles Coordenador do módulo com os Drs. Arthur Soares Souza Jr., Gilbert Ferretti e Pablo Rydz Pinheiro Santana.

A grade abordará diversos temas, incluindo uma revisão sobre a radiografia de tórax, com principais sinais e erros na análise, avaliação do nódulo pulmonar por TC, RM e PET/CT, com protocolos de acompanhamento, atualizações

sobre neoplasias pulmonares, alterações vasculares torácicas e doenças pulmonares intersticiais, um curso básico de TC de alta resolução, com os principais padrões encontrados, doenças das vias aéreas e relacionadas ao tabagismo, e tópicos bem atuais como rastreamento de câncer de pulmão por TC, fenótipos da DPOC, otimização de protocolos e redução da dose em TC de tórax, TC de tórax com dupla energia e empregos da RM na avaliação torácica. Destacamos sessões interativas sobre radiografia de tórax, infecções pulmonares e doenças intersticiais, além de uma sessão que tem tido grande procura no domingo de manhã, denominada Como eu laudo, em que radiologistas torácicos compartilharão a sua experiência prática em temas diversos como infecções pulmonares, nódulos, neoplasias e doenças intersticiais. Teremos a participação de dois colegas franceses (Drs. Gilbert Ferretti e PIerre Yves Brillet) e dois colegas brasileiros atualmente residindo no exterior – no Canadá (Dra. Isabela Silva Muller) e nos Estados Unidos (Dr. Eduardo Mortani Barbosa). Esperamos um módulo muito didático e com possibilidade de grande interação entre plateia e palestrantes, com tempo após todas as sessões para discussão entre professores e audiência.

Já conhece o Programa de Relacionamento da SPR? Acesse o site da SPR e conheça os benefícios específicos para cada categoria de asssociação Valorização

Confiança

Conteúdo

Relacionamento

O membro é prioridade na SPR. Os associados têm direito a um período exclusivo de inscrição na JPR e no Curso de Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf) e estão isentos das taxas de inscrição.

O que nos une é uma relação de confiança mútua, renovada e ampliada nesse novo modelo de relacionamento mais inclusivo e próximo.

Nossa missão é promover excelência em Radiologia e Diagnóstico por Imagem, e isso inclui o associado como figura central desse cenário.

Queremos reforçar a parceria firmada e a confiança construída nestes anos de atuação da entidade e valorizar os esforços em promover o conhecimento na área da Radiologia.

Programa de Relacionamento da SPR Um jeito novo de conectá-lo ao que a Radiologia tem de melhor

www.spr.org.br


14 • EVENTOS SPR

CMA 2016: Ribeirão Preto foi destino final

Com o fim do ano, encerram-se as atividades científicas da SPR, e a acolhedora e já tradicional cidade no calendário do evento, Ribeirão Preto, foi o último destino do Clube Manoel de Abreu – nos dias 21 a 23 de outubro, no Hotel JP. A coordenação do evento foi dos Drs. Henrique Trad, Mário Muller Lorenzato, Mauro Brandão (anfitriões) e Nelson Caserta (presidente do Clube). Os participantes se dividiram em duas salas: uma para os temas Coluna Vertebral e Medicina Esportiva e outra para Complicações, Inflamações e Infecções. Foi a primeira vez que houve uma sala exclusiva para a temática; foram apresentadas aulas sobre doenças inflamatórias, infecções, abscessos, complicações de doenças e intervenções. As atividades científicas foram ladeadas pelos eventos sociais, reforçando a característica do Clube de não apenas informar, mas promover a integração entre profissionais de cidades diferentes. No domingo, houve a apresentação de casos – confira os temas selecionados como destaque pela comissão avaliadora do local e os respectivos prêmios que os autores receberam, patrocinados por empresas do setor e pela própria SPR.

Colocação

Nome

Caso

Instituição

Prêmio

Empresa

Melhor Caso Residente

Dra. Katia Pinheiro de Souza

Doença de Wolman

HC – FMRP – Ribeirão Preto, SP

Estágio em São Paulo

Mallinckrodt

Melhor Caso Geral

Dra. Isabel Curcio Felix Louza

Pseudotumor Inflamatório de Vias Biliares

UNESP – Botucatu, SP

Tablet

Konimagem

2º Melhor Caso Geral

Dr. Marcos Vilela Lauar Filho

Tumor de Células Germinativas - Yolk Sac

Medimagem – Hospital Beneficência Portuguesa – São Paulo, SP

Mala de Viagem

Shimadzu

3º Melhor Caso Geral

Dra. Leonor Garbin Savarese Hernandes

Persistência do Canal Notocordal

HC – FMRP – Ribeirão Preto, SP

Livro: Radiologia 101 – Bases e Fundamentos

SPR

4º Melhor Caso Geral

Dr. Caio Barros Figueiredo

Síndrome Poems

Medimagem – Hospital Beneficência Portuguesa – São Paulo, SP

Livro: Tomografia Computadorizada – Manual Prático de Ensino

SPR

5º Melhor Caso Geral

Dra. Marianna Angelo Palmejani

LEMP Isolada de Fossa Posterior com IRIS

HC – FMRP – Bálsamo, SP

Livro: Doenças Inflamatórias Intestinais – Aspectos Radiológicos na Doença de Crohn

SPR


EVENTOS SPR • 15

Edição 460 – Dezembro de 2016

O EVENTO EM IMAGENS

SORTEIO Brindes oferecidos pela Konimagem

Veja outras fotos do Clubme Manoel de Abreu no Instagram da SPR (http://instagram.com/spradiologia)

GANHADORES DOS PRÊMIOS

Dra. Katia Pinheiro de Souza

Dra. Isabel Curcio Felix Louza

Dr. Marcos Vilela Lauar Filho

Dra. Leonor Garbin S. Hernandes

Dr. Caio Barros Figueiredo

Dra. Marianna Angelo Palmejani


EVENTOS SPR • 17

Edição 460 – Dezembro de 2016

CMA fecha 2016 com saldo positivo!

Dr. Nelson Caserta, presidente do Clube Manoel de Abreu

Tivemos um ano com muito sucesso nos nossos cinco encontros, graças a todos os anfitriões, professores, empresas patrocinadoras e profissionais participantes – a todos, nosso muito obrigado! De maneira geral, a programação científica apresentada foi de alto nível e muito elogiada em todas as cidades. Iniciamos em março com a cidade de Marília, que ofereceu aulas em três salas simultaneamente. A frequência foi muito boa, e tivemos diversos palestrantes, como os Dr. Hugo Guerra e Sergio Moguillansky, da Argentina, além do Dr. Adilson Prando – discutiram temas muito atuais que despertaram o interesse dos participantes. Dentre os tópicos de Mama, por exemplo, tivemos a discussão da nova edição do BI-RADS®, o uso de ressonância magnética e as calcificações, assuntos que geralmente dão dúvidas e atraem público. Em maio, foi a vez de Campos do Jordão, evento realizado em parceria com a Sociedade do Rio de Janeiro e já tradicional pela participação dos membros do interior. Lá, pela segunda vez, fizemos a gincana, com ampla ajuda dos coordenadores e dos anfitriões da cidade.

Para o ano que vem, as cidades já estão definidas e serão, em breve, divulgadas. Vamos incentivar que cada anfitrião acione as cidades vizinhas, para que elas também frequentem e usufruam do encontro, tragam palestrantes, apresentem casos e sugiram temas, para que possamos nos programar para o futuro Junho levou o Clube Manoel de Abreu a Maringá, em uma parceria com os profissionais da região e com a Sociedade do Paraná. Esse encontro apresentou um programa científico bastante variado, passando por urgências, também ginecológicas, pediatria, abdome superior, tórax e traumatismo cranioencefálico, entre outros. Essa diversidade de múltiplos temas em uma sala atende bastante o perfil do frequentador dos encontros do interior, interessado no que enfrenta no dia a dia em seus serviços.

Bauru foi a sede de setembro, e os anfitriões não mediram esforços para receber todos. Na parte científica, houve uma sala de ultrassonografia e outra de oncologia, e contamos com vários palestrantes renomados, como os Drs. Sergio Kobayashi e Décio Prando, entre muitos outros, apresentando temas de relevância para a nossa rotina. E, em outubro, fechamos as reuniões em Ribeirão Preto, cidade que tradicionalmente tem altíssima frequência. Dividimos os temas em duas salas – uma para Coluna e Medicina Esportiva e outra para Complicações, Inflamações e Infecções, tema muito elogiado. Os anfitriões trabalharam muito para nos receber, e muitos palestrantes eram da cidade, que oferece grandes centros e alto nível científico. Para o ano que vem, as cidades já estão definidas e serão, em breve, divulgadas. Vamos incentivar que cada anfitrião acione as cidades vizinhas, para que elas também frequentem e usufruam do encontro, tragam palestrantes, apresentem casos e sugiram temas, para que possamos nos programar para o futuro e atender os participantes em suas reais necessidades. 2016 foi um bom ano, e temos certeza de que 2017 será ainda melhor!

EMPRESAS PARCEIRAS

Confira os contatos destas empresas na página 30 desta edição.


18 • NOTÍCIAS SPR

Dois Grupos de Estudos encerram as reuniões de 2016 Em dezembro, com a natural desaceleração dos eventos por conta das férias e festas de fim de ano, apenas dois Grupos de Estudos da SPR realizarão seus encontros: Dia 8: Grupo de Estudos de Neurorradiologia (Gene); Dia 14: Grupo de Estudos de Meios de Contraste (Gemcr). Reserve sua agenda para participar e prestigiar os últimos encontros do ano – o Gene terá transmissão online, o que facilita a participação daqueles que estão mais distantes do centro de São Paulo. Trata-se de uma grande oportunidade para atualizar conceitos científicos e entender a propedêutica de outros profissionais e serviços por meio da discussão de casos. Para verificar todas as informações sobre os grupos e sua agenda, acesse http://spr.org.br/grupos-de-estudos/. Veja como participar das reuniões que são transmitidas pela web em parceria com a Pixeon, em http:// spr.org.br/cursos-via-web/.

Gene seleciona casos de outubro Confira os dois casos apresentados em outubro que receberam as melhores classificações dos coordenadores: • 1  º LUGAR Dr. Felipe Lourenço Fandino Landeira – caso: Linfona Espinhal; • 2º LUGAR Dra. Anne Carine de Lima – caso: Cordoma Extraósseo Intradural.

Qualidade das discussões e da transmissão online é elogiada O Jornal da Imagem convidou alguns dos participantes mais assíduos dos Grupos de Estudos para opinar sobre as atividades e fazer um balanço do ano. Confira!  ra. Daphine D Grassi Participante do Grupo de Estudos de Pediatria (Geped)

“Por estar cursando o R4 em radiologia pediátrica na UNIFESP, considero fundamental para a minha formação a participação no Geped, principalmente apresentando casos ativamente, pois serve como estudo pessoal, e também acompanhando as reuniões – sempre são levados casos com diagnósticos pertinentes à prática diária, não só do especialista em pediatria mas para o radiologista geral. A transmissão online é determinante para o acompanhamento das reuniões para aqueles que não podem estar presentes por algum motivo.” Dr. Francisco Barbosa de Araújo Neto Participante do Grupo de Estudos do Tórax (Geto)

“As reuniões são muito boas para a dinamização do aprendizado e para a troca de informações entre serviços diferentes. A repetição consolida o aprendizado. Quanto mais casos vemos e discutimos nas reuniões, mais conhecimento é adquirido e maior é a capacidade de desenvolvimento de raciocínio clínico-radiológico. As reuniões online são boas e têm todo o conforto de estar em

casa, mas acredito que as reuniões presenciais têm mais interação pessoal e informacional.” Dr. Marcio Sawamura Participante do Grupo de Estudos do Tórax (Geto)

“As reuniões do Geto são uma ótima oportunidade de aprendizado em radiologia torácica. São discutidos casos interessantes, propedêutica radiológica e diagnósticos diferenciais. Além disso, os residentes e radiologistas de diferentes serviços podem interagir e trocar suas experiências.” Dr. Rodrigo Regacini Participante e colaborador do Grupo de Estudos de Pediatria (Geped)

“Em relação às reuniões, entendo que o formato de discussão de casos do dia a dia é bastante proveitoso, pois temos a oportunidade de discutir casos clínico-radiológicos que vão desde os mais simples até os mais complexos e difíceis, com a contribuição de todos que estão participando da reunião, resolvendo dúvidas que só surgem durante discussões como essas. Os casos selecionados são da UNIFESP ou da USP e ilustram os desafios que o radiologista pode enfrentar na

sua prática. Além disso, ao final de cada caso, sempre vem uma revisão da literatura, a qual também é discutida de forma crítica. Esta revisão crítica da literatura agrega bastante valor ao aprendizado. A transmissão online é fundamental para que pessoas que estejam distantes possam participar da reunião. Temos tido um bom número de participantes online, com uma boa interação destes durante as discussões de casos. Já recebemos algumas pessoas para estágio optativo na UNIFESP que nos procuraram por causa da reunião do Geped. Dr. Alan Araujo Participante do Grupo de Estudos de Neurorradiologia (Gene)

“As reuniões do Gene contribuem para uma maior interação entre os profissionais da área, promovem troca de conhecimento e aprendizado com os casos apresentados. As discussões de propedêutica radiológica são muito ricas, já que contam com a participação de neurorradiologistas que são referência em suas instituições. Além da interação com os colegas e do aprendizado compartilhado, a apresentação de casos auxilia no processo de crescimento acadêmico do residente. A elaboração de um caso exige estudo do assunto, desde os conceitos mais básicos, até as atualizações referentes ao tema. Isso faz com que o residente/apre-

Veja as fotos dos Grupos de Estudos no Instagram da SPR (http://instagram.com/spradiologia) e na versão digital do Jornal da Imagem


NOTÍCIAS SPR • 19

Edição 460 – Dezembro de 2016

sentador aprimore não somente seus conhecimentos como também sua maneira de apresentar. Antes de iniciar a residência na neurorradiologia, enquanto ainda era residente na radiologia na UNESP Botucatu, a SPR já transmitia online algumas das reuniões dos Grupos de Estudos. Mesmo a distância, tive acesso a várias reuniões que contribuíram sobremaneira na minha educação médica. O que tenho notado é que cada vez mais a qualidade das transmissões tem melhorado, atraindo mais radiologistas interessados. Desta forma, é possível manter uma educação continuada a distância ou até mesmo opinar nos casos, o que enriquece as reuniões. Dr. André Ricardo Girardi Participante do Grupo de Estudos de Neurorradiologia (Gene)

“Todas as reuniões do ano foram muito proveitosas, afinal, através delas tivemos a oportunidade de apreciar muitos casos interessantes e bem preparados, assim como presenciar excelentes discussões acerca dos mesmos com renomados colegas da Neurorradiologia. O que é mais fascinante ao participar destas reuniões é a chance de conhecer casos desafiadores, o que nos instiga a aprimorar nossa linha de raciocínio frente a estes, ainda mais diante das discussões que presenciamos. Isso certamente contribui e muito para o nosso aprendizado, e nos incentiva a sempre buscarmos desenvolvimento constante tanto no âmbito científico/acadêmico quanto na vida profissional, frente aos desafios que esta nos impõe. As transmissões online impressionam pela ótima qualidade de imagem e som. Sendo assim, constituem uma excelente ferramenta para que aqueles que moram longe, ou que eventualmente não têm a disponibilidade de participar presencialmente, possam também vivenciar e até mesmo contribuir com a dinâmica dos encontros, que certamente são engrandecedores para todos.

STATdx®: o diferencial na decisão clínica A SPR fez um grande investimento e, no fim do ano passado, tornou o STATdx® disponível gratuitamente a todos os seus membros adimplentes. Trata-se do mais completo e confiável recurso para fornecer suporte à radiologia na decisão clínica, em qualquer lugar – na sala de laudos ou em casa. Escrito por radiologistas de renome em cada especialidade abordada, fornece conteúdo abrangente e confiável, sendo a maior biblioteca digital da especialidade no mundo: 4.300 diagnósticos escritos pelos principais especialistas do mundo em radiologia; 200 mil imagens, de raios X, tomografia computadorizada, ressonância magnética e ultrassonografia; 1.300 módulos de diagnóstico diferencial são baseados em anatomia, padrões de imagem, apresentação clínica ou achados específicos da modalidade;

300 módulos de anatomia com gráficos coloridos, várias modalidades e planos, todos amplamente rotulados; 20 mil casos de pacientes individuais de suporte: cada um contém dados demográficos, história, descrição do caso, e o autor/colaborador. A Descrição inclui notas e anotações dos casos feitas por renomados especialistas. Todos incluem diversas imagens rotuladas; 195 procedimentos que permitem rever informações concisas e detalhadas para procedimentos radiológicos simples e de intervenção. A ferramenta traz orientações passo a passo, imagens, dicas para o pré, intra e pósprocedimento e problemas e complicações possíveis comuns;

40 mil referências-chaves aparecem no fim de cada diagnóstico, selecionados por especialistas. “O STATdx® já tem sua qualidade técnica bem conhecida no meio radiológico, especialmente pela coletânea de livros. A possibilidade de contar com essa ferramenta também através da internet tem tornado muito mais prática a consulta, principalmente durante a rotina de trabalho diária, permitindo que o aprendizado também se estenda aos demais colegas. Além disso, a ferramenta disponibiliza diversas imagens que podem ser utilizadas na montagem de apresentação de casos clínicos e aulas”, afirma Dr. Augusto Kreling Medeiros, usuário da ferramenta. Ainda não conhece o STATdx®? Torne-se membro da SPR e desfrute desta ferramenta única!

Videoteca amplia oferta Avançado do GERME Em novembro, as de 2016. As aulas do aulas da 46ª Jornada Curso Feres Secaf de Paulista de Radiologia 2016 estão previstas (JPR’2016) foram disVIDEOTECA para entrar no acervo na ponibilizadas na Videoteca Digital da SPR, ferramenta segunda quinzena deste mês. Para assistir a apenas uma aula, o exclusiva para os membros da Sociedade. Assim, o acervo atual passa membro SPR paga apenas R$ 4,99, a contar com mais de 780 aulas va- sendo que esse pagamento permiriadas, apresentadas nas Jornadas de tirá que ele assista à aula quantas 2014, 2015 e 2016, além do Curso vezes quiser, durante três dias. Há, também, planos diferenciade Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf) de 2015 e do Curso dos de acesso, para que profissio-

nais com rotinas e hábitos diversos tenham o melhor serviço, onde e quando acharem adequado: • P  lano Anual: R$ 478,80 180 aulas por 12 meses pelo preço de 95 aulas; • Plano Semestral: R$ 269 90 aulas por seis meses pelo preço de 54; • P  lano + de 10 aulas: R$ 3,99 por aula (30 dias para assisti-las) 10 aulas por 30 dias pelo preço de oito.

Confira as cinco aulas mais assistidas deste ano 1º LUGAR 186 visualizações

 ltrassonografia: Critérios de Interpretação e novo ACR BIRADS – apresentada por Dra. Bruna Thompson U Jacinto, no Curso de Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf) 2015, módulo de Mama.

2º LUGAR 108 visualizações Avaliação por US Doppler – apresentada por Dra. M. Cristina Chammas na Jornada Paulista de Radiologia de 2014, módulo de Ultrassonografia. 3º LUGAR 93 visualizações  Neuroimagem nas Síndromes Parkinsonianas – apresentada por Dr. Antônio José da Rocha na Jornada Paulista de Radiologia de 2015, módulo de Neurorradiologia. 4º LUGAR 87 visualizações  Introdução / Radiologia Osteoarticular: Aprendendo com Casos Clínicos Didáticos – apresentada por Dr. Mauro José Brandão da Costa na Jornada Paulista de Radiologia de 2014, módulo de Radiologia Geral. 5º LUGAR 74 visualizações US-Doppler Obstétrico: Sistematização do Exame – apresentada por Dr. Sérgio Kobayashi no Curso de Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf) 2015, módulo de Ultrassonografia.


20 • EVENTOS SPR

Abdome e Mama são últimos módulos de 2016 do Curso Online As atividades de 2016 do Curso Online de Radiologia se aproximam do fim, e há duas turmas que se encerram em este mês: • Turma 6 (Abdome/Trato Digestório) – 30 de agosto a 5 de dezembro; • Turma 8 (Mama) – 7 de outubro a 9 de dezembro. O curso, coordenado pelos Drs. Pablo Rydz e Antônio Rocha, representou uma inovação no sistema de ensino da SPR. Apresenta nove módulos, divididos por subespecialidade. Confira a seguir o balanço que os coordenadores de alguns módulos fizeram do que foi apresentado este ano e dos benefícios que enxergam no formato do curso.

Cabeça e Pescoço A programação de cabeça e pescoço engloba os principais temas da área, abrangendo os conceitos que achamos importantes na formação do radiologista geral, enfatizando a

Módulo

Coordenadores

Neurorradiologia

Dr. Antônio Rocha

Cabeça e Pescoço

Drs. Antônio Rocha e Eloísa Gebrim

Radiologia Musculoesquelética

Drs. Fabiano Nassar Cardoso, Felipe Ferreira de Souza e Marcelo Novelino Simão

Imagem da Mulher

Dra. Patrícia Prando

Mama

Dra. Paula de Camargo Moraes

Tórax

Dr. Pablo Rydz

Radiologia Cardiovascular

Dr. Andrei Skromov de Albuquerque

Abdome/Trato Digestório Abdome/Trato Geniturinário Neuropediatria

Drs. Douglas J. Racy e Antonio Soares Souza Dr. Antonio Soares Souza

apresentação dessas doenças nos métodos de imagem. O curso é também importante na preparação do residente para a prova de título de especialista em radiologia. Tem se tornado um instrumento não apenas aos residentes, mas também aos radiologistas, que estão utilizando o curso como forma de atualização. Inicialmente, apenas os residentes participavam do curso, mas temos observados que, nos últimos cursos, radiologistas que já terminaram a sua formação estão também participando.

É uma tendência atual a busca progressiva por cursos online, nos quais o aluno inscrito pode realizar o curso no horário que for mais conveniente para ele, no ritmo mais adequado para aquisição do conhecimento. Além disso, há redução de custo para o aluno, não havendo necessidade do deslocamento até o local do curso, com as despesas decorrentes disso. Numa cidade como São Paulo, que tem um trânsito muitas vezes caótico, o fato do

aluno não precisar se deslocar até o local do curso torna-se uma grande vantagem. O Curso Online permite difusão maior do conhecimento, tornando-o acessível a um número maior de pessoas, inclusive a radiologistas que não residem em grandes centros, e que teriam dificuldade no acesso a esse treinamento. Dra. Eloísa Gebrim, coordenadora do módulo com o Dr. Antônio José da Rocha.

Casos da Unicamp encerram Clube As reuniões do Clube Roentgen são realizadas na segunda quartafeira de cada mês, às 20 horas, no Hotel Paulista Plaza (Al. Santos, nº 85), em São Paulo. O formato da reunião, presidida pelo Dr. Pablo Rydz Pinheiro Santana, consiste de uma aula expositiva, seguida de uma mini CCRP, na qual são discutidos quatro casos de áreas diferentes. A participação nessa atividade é livre. Em 7 dezembro, a aula de abertura será apresentada pelo Dr. Henrique Trad: Conceitos Básicos na Avaliação da Aorta Torácica.

“É uma aula inicial, introduzindo o tema e montando as bases que serão necessárias para aprofundar no assunto, seja em outras aulas ou pelo estudo individual com artigos específicos e especializados”, ele afirma. Segundo explica, é dividida numa fase inicial por uma revisão do uso dos métodos de TC e RM, com aspectos técnicos da aquisição dos exames, seguida por uma revisão da anatomia, centrada na discussão da definição dos valores normais dos diâmetros da aorta torácica, com ênfase na raiz da aorta, local de ana-

tomia singular e que merece atenção redobrada do radiologista. “Seguem-se algumas dicas para avaliação das imagens, e por último, faz-se uma visão geral das principais patologias e alguns aspectos de pós-operatório”, finaliza. Em seguida, será apresentada a mini CCRP com casos da Unicamp, sob coordenação da Dra. Elisa Maria de Brito Pacheco. Em novembro, a aula inicial foi apresentada pelo Dr. Sergio Kobayashi, intitulada Ultrassonografia Morfológica do Primeiro Trimestre da Gestação.


EVENTOS SPR • 21

Edição 460 – Dezembro de 2016

 adiologia R Musculoesquelética Acredito que todas as aulas foram de altíssimo nível e se prestaram ao que foi proposto, como fornecer informações úteis tanto para o residente em início de formação, quanto para especializandos em radiologia musculoesquelética, já com um nível de conhecimento mais avançado sobre os temas. Cabe salientar também a praticidade deste curso online, tanto para nós, coordenadores, quanto para os alunos. A facilidade de poder escolher quando, onde e quantas vezes assistir a uma determinada aula é excepcional. Particularmente em uma cidade como São Paulo, com seus já notórios e apregoados problemas de transporte e mobilidade urbana, onde mesmo pequenos deslocamentos podem se traduzir em horas perdidas no trânsito, dispor de um curso online, sem a necessidade do comparecimento presencial, é singular, e provavelmente representa um caminho sem retorno. Dr. Fabiano Nassar Cardoso, coordenador do módulo com os Drs. Felipe Ferreira de Souza e Marcelo Novelino Simão.

Neurorradiologia A SPR definiu uma baliza para esse curso, que é garantir a formação mínima naquela área para oferecer

a todos os membros residentes. Em qualquer lugar que você fizer sua residência, há um conteúdo teórico mínimo garantido de alto nível, considerando-se que ele passou por um crivo de vários profissionais especialistas das áreas. A grande vantagem do formato é você não se prender ao calendário; o curso antigo oferecia aulas nas quartas à noite. Isso restringia muito, pois determinadas áreas tinham que falar muita coisa em pouco tempo, e se perde a objetividade. Com esse formato, discute-se o conteúdo mínimo, dividido em aulas, e pode-se oferecer mais de uma aula por lançamento, pois o aluno pode assistir à aula quando quiser. Ele não perde tempo no trânsito, não gasta com condução, tem o conforto de assistir de onde quiser, no mecanismo de que ele dispõe. A SPR investiu muito em uma plataforma específica. Este não é um curso na internet; é oferecida uma plataforma que todas as grandes universidades usam para educação a distância. Apresenta parâmetros muito bem definidos para garantir a qualidade da transmissão. Os alunos têm um assento virtual individual que permite ao gerenciamento do curso acompanhar a dedicação e evolução do aluno. Isso é importante para que possamos proporcionar aos alunos o que mais os interessa, e pode ser oferecido mais de uma vez por ano, permitindo adequar às necessidades da residência. Os módulos de uma residência oferecem os cursos em determinadas épocas. Então, o

curso oferecido em uma época do ano pode não atender a necessidade daquele residente específico. O grande diferencial é a associação de conteúdo de alto nível em um formato específico de educação a distância com um gerenciamento muito dedicado, garantindo a qualidade. Como coordenador, a experiência foi muito enriquecedora, pude aprender muito com esse formato. Sempre converso com os residentes para entender as necessidades dos diferentes serviços e regiões. A educação a distância (EaD) permite que você adéque o conteúdo às necessidades das pessoas, e você acaba descobrindo outras ferramentas e modalidades de ensino. A SPR cresceu porque conseguiu conversar com seus associados, oferecer o que necessitam, garantindo alta qualidade. Essa geração é diferente da minha geração. Para mim, é natural sentar para assistir a uma aula magistral; já essa geração cresceu com a internet, com novos movimentos de aprendizado, aprende de diversas fontes o tempo todo. A fonte preferencial dela é a online. Portanto, você levar o curso para a realidade dessa geração coloca a SPR na vanguarda do ensino de radiologia – o Curso Online caminha para seus dois anos com números exponenciais e está crescendo de maneira significativa, o que reflete sua adequação à geração e à vida moderna. Antes, o curso atendia 200 pessoas por ano. Hoje, são mais de 1 mil pessoas ao ano, em diferentes regiões do Brasil. Oferecemos todos

os cursos ao mesmo tempo, então o curso amadureceu, seu formato tem crescido para atender as necessidades das pessoas. O modelo de EaD está se encaminhando para novidades. Queremos oferecer cursos que sejam teórico-práticos – vamos colocar as pessoas dentro dos cursos online com treinamento teórico e recebê-las depois para um formato prático, otimizando os custos e garantindo a qualidade. Pretendemos começar com o curso de imagem cardiovascular, que nunca foi oferecido para este nível de formação. Queremos disponibilizar para mais pessoas, que estão começando a sua profissão, para que se interessem por uma área que tem crescido muito. Então, elas fariam o curso introdutório por meio das aulas teóricas online, prestariam as provas e fariam o modo prático em workshops dentro do Curso Avançado da SPR. Outros cursos a distância e híbridos (que mesclam atividades a distância e presenciais) fazem parte do planejamento da SPR, com a proposta de levar o ensino de qualidade com a marca da Sociedade a um número cada vez maior de radiologistas. Em 2017, já pretendemos renovar o conteúdo disponível dos cursos de neurorradiologia e de cabeça e pescoço – eles serão reeditados, haverá uma revisão de conteúdo e uma nova formatação de aulas, pois o processo do Curso Online é muito dinâmico. Dr. Antônio José da Rocha, coordenador do módulo.

Roentgen de 2016 Após sua exposição, os debatedores Drs. André Ricardo Girardi (Neurorradiologia), Antônio Fernando Lins de Paiva (Tórax), Fabio Lewin (Abdome) e Henrique Bortot Zuppani (Cabeça e Pescoço) discutiram a propedêutica dos casos preparados pelo Hospital Servidor Público Estadual, sob a coordenação do Dr. Gladstone Mattar.

História

A primeira reunião do Clube Roentgen foi realizada em 1958, num bar localizado na Avenida

Brigadeiro Luis Antônio. “Combinamos o modo como iríamos fazer os encontros. Sempre haveria discussão de casos e jantar. Na segunda reunião já levamos radiologistas e alguns colegas fizeram exposição de temas”, escreveu um dos fundadores do Clube, o Dr. Francisco Lanari do Val, há algum tempo no Jornal da Imagem. “O saldo mais positivo do Clube, além de uma maior aproximação dos radiologistas, foi a cobrança de uma prática ética da profissão”, completou o radiologista.


Fotos: Leandro Taques

22 • NOTÍCIAS

Confira destaques do CBR 16 O 45º Congresso Brasileiro de Radiologia (CBR 16), organizado pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR), foi realizado em Curitiba (PR), de 13 a 15 de outubro. O evento contou com 15 professores internacionais, salas cheias e recebeu congressistas de todo o País. Confira aqui alguns destaques.

Palestra de Sergio Moro reúne 2 mil pessoas O juiz Sergio Moro foi recebido por 2 mil pessoas na solenidade de abertura do Congresso. Falando sobre Corrupção sistêmica e reformas por 60 minutos, a palestra do coordenador da Operação Lava Jato foi acompanhada silenciosa e atentamente por todos. Em sua fala, citou o ex-presidente dos Estados Unidos Theodore Roosevelt: “A exposição e a punição da corrupção pública são uma honra para uma nação, não uma desgraça”. Afirmou que a corrupção sistêmica não é uma “doença tropical” e deve ser extirpada. “O Brasil está enfrentando seus problemas, o que tem, inclusive, resultado em uma imagem positiva no exterior”. Lembrou que as recentes manifestações populares de grande impacto tiveram como bandeira

Homenagem ao

Dr. Domingos Correia da Rocha

comum o apoio às investigações e o repúdio à corrupção. Ao fim da palestra, ele recebeu uma medalha da Sociedade de Radiologia e Diagnóstico do Paraná

(SRP), entregue pelo presidente Dr. Oscar Adolfo Fonzar, e uma placa de homenagem do CBR das mãos do presidente Dr. Antonio Carlos Matteoni de Athayde.

A palestra integral pode ser conferida em https://youtu.be/J8XmYIYXwvE.

A mais alta honra conferida pelo CBR aos profissionais, a Medalha de Ouro, homenageou este ano o Dr. Domingos José Correia da Rocha, de Alagoas. A premiação foi entregue durante a sessão solene de abertura.


NOTÍCIAS • 23

Edição 460 – Dezembro de 2016

Dra. Anne Osborn encanta congressistas Mais uma vez no Brasil, Dra. Anne Osborn lotou a plateia do módulo de Neurorradiologia. Um dos maiores nomes da especialidade em todo o mundo, Dra. Osborn ministrou seis aulas no último dia do Congresso. Autora de livros e artigos científicos de referência, e uma das criadoras da biblioteca STATdx®, é reconhecida mundialmente por ajudar a estabelecer a Neurorradiologia.

Painéis eletrônicos são premiados Dentre 829 resumos recebidos para o evento, os seis melhores selecionados pela comissão avaliadora foram: 1º LUGAR  Câncer de mama em pacientes muito jovens (abaixo de 35 anos): apresentação nos métodos de imagem.

 Autores: Mateos Bogoni; Maria Helena Louveira; Tiago Monti Braga; João Vitor Bacarin; Guilherme Rodrigo Lobo Cherubini; Kassia Mahfouz; Lucas Daniel Carstens; Marina Portiolli Hoffmann - Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, Curitiba (PR)

 Autores: Fabricio Henrique Beltrani; Daniel Padilha Rodrigues; Rayssa Araruna Bezerra de Melo; Julia Noschang; Almir Galvão Vieira Bitencourt – A. C. Camargo Cancer Center, São Paulo (SP)

2º LUGAR Ensaio pictórico: patologias orbitárias e periorbitárias em pediatria.  Autores: Diogo Cunha de Medeiros; Carlos Toyama; Cristina Hiromi Kuniyoshi; Rodrigo Watanabe Murakoshi; Marcio Ricardo Taveira Garcia; Regina Lucia Elia Gomes; Eloisa Maria Mello Santiago Gebrim – Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InRad HCFMUSP), São Paulo (SP)

Maratona de residentes

A primeira Maratona dos Residentes de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (MBR 16) foi idealizada pelo diretor científico do Colégio, Dr. Manoel de Souza Rocha, e apoiada pela Bayer. Perguntas sobre imagens radiológicas foram exibidas uma após a outra, sem intervalo, com 40 segundos para responder cada uma. Os participantes foram agrupados em 29 equipes e, para interagir entre si, deveriam comunicar-se por escrito ou por gestos, mantendo o silêncio. Foram simuladas situações de tensão encontradas no dia a dia do radiologista. Os vencedores foram os Drs. Pedro Henrique Tarter Nunes (R3), Renan Fernandes Ribeiro de Oliveira (R3) e Samara Oliveira Dias (R2), do Hospital Universitário de Brasília. Eles ganharam inscrição, passagens aéreas e hospedagem para participar do Encontro Anual da American Ro-

3º LUGAR Biópsia percutânea guiada por tomografia computadorizada de nódulos pulmonares subcentimétricos.

4º LUGAR Novos esportes, novas lesões: lesões musculoesqueléticas não usuais relacionadas à prática de esportes.  Autores: Luciana Carmen Zattar; Renata Vidal Leão; Marcelo Bordalo Rodrigues; Hugo Pereira Costa; Paulo Victor Partezani Helito; Conrado Furtado de Albuquerque Cavalcanti; Claudia da Costa Leite; Giovanni Guido Cerri – Hospital Sírio-Libanês, São Paulo (SP)

5º LUGAR Ressonância magnética nas patologias da articulação temporomandibular (ATM): ensaio iconográfico.  Autores: Stephano Raydan Ramalho Rocha; Davi dos Santos Romão; Luis Gustavo Palhiari Duarte; Tatiana Goyanna Lyra; Maira de Oliveira Sarpi; Lucas Nunes da Silva; Claudia da Costa Leite; Eloisa Maria Mello Santiago Gebrim – Hospital Sírio-Libanês, São Paulo (SP) 6º LUGAR  O desafio diagnóstico do câncer de mama associado à gestação: ensaio pictórico.  Autores: Marina Portiolli Hoffmann; Maria Helena Louveira; Guilberto Minguetti – CETAC, Curitiba (PR). Os prêmios variaram entre viagem e participação no Congresso Europeu de Radiologia e inscrição gratuita para o CBR 17.

entgen Ray Society (ARRS 2017), em New Orleans, Estados Unidos, de 30 de abril a 5 de maio do próximo ano.

Aproximação com

estudantes de Medicina

Pela primeira vez, o CBR apresentou um curso voltado para os estudantes de Medicina no Congresso, iniciativa muito bem recebida pelos acadêmicos. A atividade aconteceu nos três dias do evento, no horário do almoço, e contou com grande público de diversos Estados do país. Dr. Matteoni apresentou o CBR, programas de qualidade e acreditação, formação dos radiologistas, titulação e defesa profissional. O Dr. Danny Warszawiak fez uma análise da radiografia de tórax e o Dr. Dante Luiz Escuissato abordou a Radiologia das urgências torácicas. O segundo dia teve aulas do Dr. Manoel Rocha sobre anatomia do abdome por métodos de imagem e Radiologia das urgências abdominais.

Nova diretoria eleita Durante a Assembleia Geral Ordinária (AGO) dos associados, em 14 de outubro, foi eleita por aclamação a diretoria da entidade para o biênio 2017-2018, que tomará posse em 1º de janeiro de 2017. O presidente eleito, Dr. Manoel de Souza Rocha, diretor científico da atual gestão (2015-2016) e da anterior (2013-2014), resumiu as propostas de trabalho, abrangendo Educação; Defesa Profissional; Representatividade Internacional; Relacionamento com as demais especialidades médicas; Programas de Qualidade; Relacionamento com as Sociedades Estaduais; Titulação; Serviços aos associados; e Relação com a Comunidade.


24 • SPR GLOBAL

SPR leva residentes a congressos internacionais Uma das grandes bandeiras da SPR é incentivar a atualização científica e propiciar meios para que os profissionais, com mais ou menos anos de atuação na especialidade, possam renovar seus conceitos, integrando-se com médicos de outros serviços e regiões. Por meio das parcerias que a entidade firma com sociedades de diversos países, torna-se possível incentivar a troca internacional de conheci-

mento. A SPR consegue, por meio de programas, campanhas e concursos, selecionar profissionais para patrocinar sua ida a eventos diversos, levando seus conhecimentos e abrindo-se para a possibilidade de conquistar experiências e sabedoria. Em 2016, quatro especialistas tiveram essa oportunidade após apresentação de seus casos no 2º Encontro de Residentes e Aperfeiçoandos da

Dr. Augusto Lio da Mota Gonçalves Filho

Dra. Paula Nardocci

 Santa Casa de São Paulo – 1º colocado no 2º Encontro

 FAMERP – São José do Rio Preto – 2ª colocada no

de Residentes e Aperfeiçoandos

2º Encontro de Residentes e Aperfeiçoandos

Prêmio: Participação no Congresso Internacional de Radiologia (ICR 2016) em Buenos Aires, Argentina

“A participação no ICR 2016 em Buenos Aires foi uma experiência muito enriquecedora. Pude participar de todas as aulas e ler os trabalhos expostos; porém, optei por dar maior enfoque nas aulas dos módulos de neurorradiologia e cabeça e pescoço, em que pude assistir a apresentações de professores renomados mundialmente. A oportunidade de estabelecer contato com professores e colegas de outras nacionalidades foi um dos fatores mais interessantes deste congresso. Através desse contato, pude conhecer radiologistas dos países da América Latina, norte-americanos e europeus. Foi muito positiva a troca de experiências e relatos da prática diária, através da qual descobrimos que muitos desafios e interesses são compartilhados, independente de onde estamos. Um dos pontos de destaque foi a participação no Encontro de Residentes, em que acontece a apresentação de casos trazidos por médicos residentes de diversos países. Nesta sessão pudemos participar ativamente e treinar o raciocínio radiológico durante a discussão dos casos. A vivência

Prêmio: Participação no Congresso Internacional de Radiologia (ICR 2016) em Buenos Aires, Argentina

foi bastante didática e nos permitiu aprender com os próprios erros, com uma condução bem descontraída, além de conhecer casos muito bem selecionados por outros residentes. Acredito ser muito importante todos nós, residentes, participarmos de eventos internacionais para que possamos desde cedo integrar e contribuir com a comunidade radiológica. Vale ressaltar que a literatura médica hoje em dia tem acesso facilitado pela internet, trazendo o conteúdo teórico facilmente até nós, mas a relação interpessoal com a comunidade radiológica traz consigo um intercâmbio de conhecimento que ultrapassa o conteúdo dos artigos científicos. Todos os maiores eventos têm atividades dedicadas aos residentes, e sempre somos muito bem recebidos como representantes do Brasil; desse modo, estaremos sempre acompanhando os avanços da radiologia na linha de frente.”

Dra. Rayssa Araruna Bezerra de Melo  Hospital A. C. Camargo – São Paulo – 4ª colocada no 2º Encontro de Residentes e Aperfeiçoandos Prêmio: Participação no Congresso Chileno de Radiologia 2016, em Santiago

“Achei a experiência bem positiva, para conhecer o formato dos congressos nos países vizinhos, o que há de atualidades lá, o que se valoriza e a quantidade de especialistas participantes. Gostei bastante do módulo de tórax que, inclusive, contou com especialistas que são referência do Brasil, e de intervenção. Houve oportunidade de interação com os demais residentes e professores baseada principalmente na troca informações sobre os casos; também, discussão sobre os mercados de trabalho em cada um dos países. O ponto alto foi conhecer a realidade da especialidade em outros países e o treinamento de apre-

SPR, realizado durante o XX Curso de Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf). Além de viajar e participar dos eventos como congressistas, todos apresentaram seus casos nos respectivos eventos – uma experiência única que fortalece o âmbito científico do profissional. Conheça as vivências que tiveram e inspire-se – em 2017, pode ser você!

sentação em um público completamente diferente. A experiência foi ótima. Acho que como o residente aprende a se expressar para um público não habitual, não só pelo idioma, mas também de diferentes modos de apresentação. Aprende-se também nuances da especialidade que usualmente não enxergamos por estarmos imersos em uma única realidade. Realmente vale muito a pena a participação.”

“Participei do ICR em Buenos Aires de 21 a 24 de setembro, assisti e participei do encontro de residentes que é muito bem organizado, com casos interessantes e conteúdo importante para a residência, e assisti a aulas nos módulos de pediatria, neurorradiologia, tórax e musculoesquelético, todas muito bem elaboradas, com professores brasileiros e estrangeiros e com conteúdos que acrescentaram conhecimentos relevantes para minha prática diária, como ultrassonografia musculoesquelética, tórax e neuropediatria. Conheci diversos professores de São Paulo, Rio de Janeiro, Estados Unidos e argentinos durante o congresso e nos eventos, e assim, pude saber mais sobre a radiologia em outros lugares, como funcionam outros serviços, estabelecer contatos para futuros estágios e, claro, fazer amizades. O Encontro de Residentes também me permitiu contato com residentes de São Paulo e até da Itália! Acredito que conhecer pessoas novas foi um dos pontos mais positivos desse congresso, mas também gostaria de destacar a apresentação em si que realizei no congresso, uma experiência pessoal muito significativa. É uma vivência incrível; agradeço imensamente a SPR e a Sociedade Argentina de Radiologia por me proporcionarem essa experiência única, de conhecer um novo país, aprender mais e estabelecer contato com a radiologia de uma forma e local diferentes. Foi uma viagem de extremo crescimento profissional e também pessoal! Esse congresso foi, sem dúvida, minha melhor experiência como residente de radiologia e recomendo a todos os residentes que participem dos eventos proporcionados pela SPR.”


SPR GLOBAL • 25

Edição 460 – Dezembro de 2016

Conheça os selecionados do Progetto Diventerò Dr. Rodolfo Mendes Queiroz  Documenta – Ribeirão Preto – 3º colocado no 2º Encontro de Residentes e Aperfeiçoandos Prêmio: Inscrição em um módulo do Curso Online de Radiologia e participação no Congresso Chileno de Radiologia, em Santiago

“Visto a reputação de todas as instituições participantes no 2º Encontro de Residentes e Aperfeiçoandos da SPR, me esforcei muito para corresponder a expectativas na apresentação do meu caso clínico-radiológico, me surpreendendo ao ser contemplado com a 3ª colocação em tal evento e convidado a participar do 4º Encontro Nacional de Residentes no Congresso Chileno de Radiologia 2016, em Santiago. Fui muito bem recebido pelos membros da Sociedade Chilena de Radiologia (SOCHRADI). O evento era muito bem organizado com salas simultâneas de palestras, exposição de equipamentos radiológicos e exibição de pôsteres de trabalhos científicos. Assisti a ótimas aulas ministradas por professores renomados chilenos, brasileiros e outros, além de ver diversos casos de alta qualidade das instituições do Chile e da colega brasileira Dra. Rayssa Araruna Bezerra de Melo. Dentre os temas abordados, estavam aspectos nos exames de imagem de patologias pélvicas femininas, enfermidades focais e difusas hepáticas, infecções no trato urinário em crianças, encefalopatias tóxicas, moléstias mediastinais e pulmonares, terapias ablativas e radiocirurgia de tumores hepáticos, avaliação e tratamento de aneurismas intracranianos, entre outras. A comunidade médica no evento aparentou ser muito interessada e aberta ao aprendizado e troca de informações. A interação entre grupos diferentes e de outras nacionalidades me ajudou a diversificar meus conceitos e, ao mesmo tempo, observar que, independente da região, os desafios na especialidade de radiologia e diagnóstico por imagem estarão presentes. Espero que eu tenha contribuído com um bom intercâmbio de experiências por meio da minha apresentação. Agradeço os cumprimentos feitos pessoalmente pelo diretor do congresso, Dr. Álvaro Burdiles, e ajuda da Dra. Alejandra Pizarro e da Sra. Carmen Salgado. Não irei me esquecer também de Santiago, uma cidade maravilhosa que me chamou muito a atenção. Sou grato à Documenta, à SPR e à SOCHRADI, tanto aos médicos orientadores quanto à equipe técnica, que me concederam a oportunidade e apoio para enriquecer meu conhecimento e experiência.”

O Progetto Diventerò 2016, resultado de uma parceria entre a SPR e a Fundação Bracco, selecionou três radiologistas que irão à Itália em 2017. Os inscritos foram pré-selecionados e 13 deles foram convidados a passar por uma entrevista. Em 10 de novembro, foram divulgados os finalistas: •  1º lugar – Dr. Augusto Lio da Mota Gonçalves Filho – área de atividade: Neurorradiologia; •  2º lugar – Dra. Lais Uyeda Aivazoglou – área de atividade: Radiologia Musculoesquelética;

•  3º lugar – Dra. Fernanda Lopez Mazzucato – área de atividade: Abdome e Geniturinário.

Eles receberão uma bolsa de estudos de seis semanas em uma instituição de excelência na Itália em áreas que serão definidas no processo de seleção. Para cada fellow será atribuído um mentor, que irá fornecer orientação, pareceres científicos e técnicos durante o período de estágio na Itália. Durante o período em que o profissional permanecer no centro de estudos da Itália, não haverá avaliações, mas ele receberá um Certificate of attendance. A viagem deve ser realizada no início de março, e o retorno será em 45 dias.

Interesse pelo programa cresce 30% A primeira edição do Progetto Diventerò foi realizada em 2015, e os selecionados viajaram no início de 2016. Nesta segunda edição, que será concluída com a viagem em 2017, houve 30% mais inscritos do que no ano passado.

Confira, ainda, as áreas de atuação e, de interesse para o estágio, dos inscritos deste ano:


26 • SPR GLOBAL

Congresso Chileno: foco na radioproteção No fim de outubro, a SPR participou do Congresso da Sociedade Chilena de Radiologia (Sochradi 2016), em Santiago. O evento contou com módulos diversos que analisaram o estado da especialidade e os desafios que devem surgir. Foi simultâneo ao IV Curso de Tecnólogos Médicos e ao IV Encontro Nacional de Residentes de Radiologia. A radioproteção foi tema constante, presente de forma transversal em diferentes módulos. “Tivemos a oportunidade de assistir a aulas de mais de cem professores chilenos e oito professores internacionais, mostrando avanços científicos e tecnológicos nas diferentes subespecialidades, além de revisão de temas de interesse para radiologistas gerais e em formação. Também tivemos a exposição de muitos trabalhos científicos”, afirmou Dr. Álvaro Burdiles.

Dra. Glória Soto explicou que a proteção radiológica do paciente se baseia em um princípio básico: a justificação e otimização dos exames. “A justificação se refere apenas à realização de exames que são necessários para o paciente, que oferecem informação necessária para o seu manejo. Uma correta justificação também implica eleger sempre aquele exame que fornece menor dose de radiação. Já a otimização dos exames radiológicos implica em

sua realização com a menor dose de radiação possível para a obtenção das imagens radiológicas”, afirmou. Ela também reforçou que as crianças requerem menor dose de radiação para a obtenção das imagens, mas que se tem visto, mundialmente, que com frequência se usam nelas doses de radiação correspondentes a de pacientes adultos: “É por isso que um dos objetivos do Latin Safe é conscientizar os operadores de equipamentos, que devem ajustar as doses de acordo com a idade e o tamanho dos pacientes”. Ao que Dr. Pablo Soffia somou: “A novidade do Latin Safe é que se trata de uma aliança de médicos radiologistas, também aberta a outros profissionais, que busca influenciar diretamente os centros e unidades de radiologia de forma positiva, advogando por uma prática mais segura, por meio da educação”.

ção com perguntas para que possamos responder. As perguntas mais frequentes serão publicadas no site e também haverá dicas para ajudar os nossos membros a fazer progresso dentro dessa área”, finalizou. Dr. Donald P. Frush, dos Estados Unidos, falou sobre o Image Wisely (programa de conscientização do Colégio Americano de Radiologia – ACR) e o Image Gently (aliança para segurança de radiação na pediatria), além de citar exemplos de como utilizar a comunicação, a imprensa e as mídias sociais a favor das ações de proteção relacionadas à radiação. “Recebemos diversos questionamentos por parte dos pacientes; um exemplo foi o email de um pai que estava preocupado se o filho poderia ingressar na faculdade porque ele teve que fazer um raio X. Esse tipo de questão surge no pú-

blico e nós precisamos responder. E isso acontece também porque os radiologistas não defendem bem a tecnologia. Temos que defender o valor do que fazemos, isso precisa ser mencionado quando falamos de radiação”, alertou. Dr. Frush destacou a importância do Latin Safe para o mundo e a rapidez com que foi concebido. “Estamos fazendo diversas campanhas, há necessidade de informação que vai além da radiologia, e por isso precisamos estar ligados a uma aliança internacional. As parcerias são importantes e temos desafios e metas em comum. O mundo comemora com vocês esse lançamento, por isso agradecemos o esforço. Em breve esses agradecimentos virão dos pacientes”, concluiu. O site oficial do programa é www.latinsafe.org.

da Espanha e Portugal, é chileno. O intercâmbio científico com o Brasil, Argentina, Colômbia e México é habitual já há alguns anos”, disse Dr. Alex Wash, presidente da Sochradi. Ele estima que há 1 mil radiologistas no Chile, e que haveria um déficit de 15% de profissionais para atender toda a população.

Proteção radiológica

“A radiologia chilena está bem posicionada na América Latina, e é também reconhecida pelas sociedades da Europa e dos Estados Unidos. O presidente do Colégio Interamericano de Radiologia, que reúne mais de 22 sociedades do continente americano, além

Sobre o Latin Safe Concebido durante a JPR’2015, o Latin Safe foi lançado oficialmente na edição deste ano do evento, marcando 2016 como um novo momento para a área de radiologia na América Latina. Trata-se de uma aliança para promover, por meio da educação, o diagnóstico por imagens seguro, com ênfase na proteção radiológica. Na ocasião, Dr. Antônio Soares Souza, presidente da SPR, anunciou: “A semente desse projeto foi plantada na JPR há um ano por um grupo de radiologistas preocupados com os pacientes no que diz respeito à dose de radiação. Hoje essa semente floresceu, é uma planta muito frágil que precisa da ajuda de todos para ela crescer forte, com boas raízes, e assim melhorar a vida dos nossos pacientes”. Dr. Luis Donoso, da Espanha, presidente da Sociedade Europeia de

Radiologia (ESR), lembrou a trajetória da EuroSafe. Entre os diversos aspectos abordados, deu exemplos de ações de comunicação e interação com os pacientes que ajudam esse projeto a crescer cada vez mais. “Quando a Eurosafe foi criada, estabelecemos conceitos para nortear essa aliança, como o de manter a equipe sempre informada e envolver o paciente em todos os eventos. É importante lembrar que o ambiente de colaboração entre as diversas áreas e a união de todas as forças na proteção radiológica é o principal objetivo.” Entre os diversos trabalhos idealizados, Dr. Luis deu ênfase à campanha “Pergunte ao EuroSafe”, que tem como foco o esclarecimento direto de dúvidas sobre o assunto. “Estabelecemos uma ideia de comunicação direta entre qualquer pessoa que tenha interesse em radioprote-

RSNA 2016

O 102º Congresso Anual da Sociedade Radiológica da América do Norte (RSNA) acontece de 27 de novembro a 2 de dezembro, em Chicago, Estados Unidos. A cobertura do evento será reportada na edição de janeiro do Jornal da Imagem – não perca!


CRÔNICA • 27

Edição 460 – Dezembro de 2016

Inflação

Dr. Cássio Ruas de Moraes é membro da Comissão Editorial do Jornal da Imagem

O Brasil acabou de completar um círculo de 360 graus em 27 anos e caiu na mesma m... de situação! Não sem antes passar por um período esperançoso de que as coisas poderiam dar certo (FHC) e depois sofrer incrível desconstrução no último decênio por governantes que premeditadamente assaltaram o poder e quebraram o País.

Já passava da meia idade quando tive a honra de presidir, durante dois anos de mandato, o Centro Médico de Ribeirão Preto. Naquele tempo, os médicos eram relativamente poucos nesta cidade, quando comparados aos números atuais. Por isso mesmo, o Centro Médico tinha importância muito maior do que tem hoje, como local de reunião para lazer, jogos, cafezinho e eventos científicos. Desde sua criação, encontrava-se na região central da cidade, cujo progresso causava cada vez mais dificuldades para a frequência da sede e para o convívio da classe médica. Para isso, nova sede havia sido iniciada num grande terreno doado pela Prefeitura nas margens da cidade de então. E, em continuação aos planos, algumas semanas antes de eu assumir o cargo, deliberou-se vender a sede antiga e investir na construção da nova.

Previ dificuldades para o meu primeiro ano. Causava-me tristeza a alienação do prédio antigo. Era lá que encontrávamos os colegas quase que diariamente numa pausa no meio do dia, sempre havendo com quem conversar, um jornal ou um café. Isso iria desaparecer com a sede nova, tão fora de mão. Os mais ressentidos,

como não podia deixar de ser, eram os colegas mais velhos. Na minha gestão, já para contrapor eventuais críticas, decidi levar tudo muito transparente utilizando-me do jornal mensal da entidade, onde descrevia com o detalhamento possível, o andamento daquela empreitada. Funcionou, e por isso tenho ainda guardados muitos números do Centro Médico Notícias daquela época. Outro dia, separei um deles que resumia o que foi vender aquele patrimônio numa época de hiperinflação. Chama-se o texto Fim de Novela cujos pontos principais transcrevo:

“... Tivemos que enfrentar todos os percalços armados pela conjuntura que vive este infeliz país. Após a posse, a Diretoria avaliou o imóvel e estabeleceu um preço. Era a época do Plano Bresser e compradores não apareceram. No entanto, após o estouro da bolha de sabão que era o referido plano, com a volta da inflação reprimida, bastou cerca de 15 dias para que o preço ficasse incrivelmente defasado. Apareceram então três diferentes compradores. O Conselho Deliberativo e Fiscal teve que obstar a venda e, para que tal não se repetisse, foi estabelecido novo preço, desta vez em OTN, para acompanhar a inflação. Durante alguns meses não apareceram candidatos à compra. Eis que o governo lança o novo fracasso chamado Plano Verão, congelando a OTN no valor de 15 de janeiro. Como os preços dos imóveis subiram doidamente após aquela data, em mais 15 dias o preço estabelecido estava outra vez defasado e aí apareceu comprador. Nova reunião do Conselho e novo não, tendo a Diretoria recebido a incumbência de fazer uma avaliação oficial do prédio, com estabelecimento do seu valor real no mercado imobiliário da ocasião. Tal foi feito por um “expert” e o valor foi fixado em cruzados novos com conversão para o valor em dólar oficial, para servir de parâmetro anti-inflacionário. Mais alguns meses, até aparecer novo candidato à compra, concordando com o valor arbitrado. Reunido o Conselho, veio o sinal verde. Combinada a venda, marcou-se o dia para a transação. Contudo, coincidência que mostra a instabilidade econômica em que vivemos, na véspera daquele dia foi decretada a desvalorização do cruzado em 12%! Diante desse acréscimo súbito ao preço do imóvel, o candidato recuou, mas fez uma proposta conciliatória: concordaria em pagar 6% apenas do acréscimo e, enquanto não se chegasse a uma definição, manteria essa oferta com correção diária pela taxa de Open Market. Seguiu-se nova reunião do Conselho, que tinha que ratificar, o que foi feito pelos conselheiros já enfadados de tantas idas e vindas. Torcendo para que o governo não atrapalhasse uma vez mais até o último momento, o negócio foi concretizado e o prédio da rua Tibiriçá mudou de mãos pela primeira vez. Isso tudo faz-nos pensar que enorme quantidade de energia e fosfato o brasileiro gasta para contornar os problemas de uma economia pavorosamente anarquizada e de um Estado que quer se intrometer nos mínimos detalhes da vida de seus cidadãos, sempre para atrapalhar, obstaculizar, dificultar o andamento natural das coisas.” (Centro Médico Notícias, setembro, 1989). A leitura desse texto me despertou para o fato de que o Brasil acabou de completar um círculo de 360 graus em 27 anos e caiu na

mesma m... de situação! Não sem antes passar por um período esperançoso de que as coisas poderiam dar certo (FHC) e depois sofrer

incrível desconstrução no último decênio por governantes que premeditadamente assaltaram o poder e quebraram o País.


28 • LEITURA DINÂMICA

Livro ensina posicionamento radiográfico com material multimídia A Editora Guanabara Koogan disponibiliza o livro Posicionamento Radiográfico, assinado pelos especialistas Anderson Moraes e André Siqueira. Os autores prometem uma obra prática e objetiva, com um material de alta qualidade sobre técnicas de posicionamento radiográfico, imprescindível à formação e à boa prática de técnicos e tecnólogos em radiologia. O livro conta com elementos para tornar a consulta rápida e dinâmica; é ilustrado e dividido por regiões do corpo humano. Provê um resumo da anatomia da área abordada, seguido por seções que contêm a descrição

dos seguintes tópicos: posicionamento, raio central, cassete/chassi, distância foco-filme, áreas de interesse e indicação. A editora explica que seu grande diferencial é o material multimídia – há vídeos com os principais posicionamentos preparados pelos autores para aprimorar a compreensão das técnicas utilizadas e explicadas nas páginas. Anderson Moraes é Especialista em Imagenologia, Tecnólogo e Técnico em Radiologia. Supervisor de Aplicações Técnicas no Centro de Diagnóstico em Medicina Nuclear – Cedimen – é também docente dos cursos de Tecnologia em Radiologia,

de Pós-graduação em Diagnóstico por Imagem do Centro Universitário FMU. É Tutor do curso EAD em Medicina Nuclear na Faculdade Método de São Paulo – Famesp. André Siqueira é coordenador geral dos cursos de Pós-graduação a distância da Faculdade Método de São Paulo – Famesp e CEO de E-learning da Famesp. Também atua como docente do curso de Tecnologia em Radiologia e Coordenador do curso de Especialização em Mamografia e Tomografia Computadorizada da Famesp. É, ainda, Técnico em Radiologia no Hospital Albert Einstein.

Gostaria de ver um livro recém-lançado da área de Radiologia e Diagnóstico por Imagem nesta seção? Envie sua sugestão para jornaldaimagem@spr.org.br


TÚNEL DO TEMPO • 29

Edição 460 – Dezembro de 2016

HÁ 30 ANOS Em dezembro de 1986, o Jornal da Imagem chegava à sua 100ª edição – para comparação, esta é a de número 460. Nota na capa comemorava: “Foi o Jornal da Imagem mola propulsora das atividades e iniciativas dos médicos de São Paulo, divulgando e informando sobre suas realizações. Se não foi o fim em si mesmo, foi o meio que faltava para levar a mensagem e os fatos”. A capa também dava destaque à homenagem feita aos membros fundadores do Clube Manoel de Abreu. No encerramento da reunião de São Carlos, a última daquele ano, o Clube prestou uma homenagem aos Drs. Aparicio de Mello, Romeu Santini e Seth-Ur Cardoso. A edição celebrava, ainda, a presença de mais de 500 médicos no IV Curso de Diagnóstico por Imagem, que havia contado com cinco professores estrangeiros vindos sob a coordenação do Prof. Rogelio Moncada. A abertura do evento foi conduzida pelo Prof. Feres Secaf, então presidente da Comissão Organizadora do evento. Alguns anos depois, em 1994, a pedido do próprio

Prof. Feres, a SPR assumiu a realização do curso e, a partir desta data, o evento passou a se chamar “Curso de Diagnóstico por Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf)”.


30 • NEGÓCIOS & OPORTUNIDADES

Equipamentos Vendem-se ou alugam-se equipamentos de cintilografia óssea GE (modelo Discovery NM 630, lacrado, na caixa e com garantia de 36 meses no contrato com a GE) e tubo de mamógrafo GE - DMR. Contato com Romero Garcia: (11) 98284-7059 / romerogarcia10@gmail.com.br. (2) Vende-se aparelho de US Philips Envisor com três sondas (convexa, endovaginal e linear), pouquíssimo uso e em perfeitas condições. R$ 25 mil. Contato com Dr. Carlos Alexandre: (21) 99729-2209 / calerx@hotmail.com. (3) Vende-se mamógrafo digital (DR) Fuji Amulet 2012 com todos os opcionais, pouco usado e sempre com contrato de manutenção. Aceita-se como parte do pagamento raios X analógico, mamografia analógica ou CR. Contato: administracao@digimaxdiagnostico. com.br. (3)

Oportunidade Contrata-se radiologista para atuação em ressonância magnética, tomografia, ultrassonografia e raios X, com especialização em musculoesquelético, para atuar em clínica anexada a hospital, em Londrina (PR). Remuneração conforme a produtividade. Interessados entrar em contato no com Patrícia: (43) 3027-8313 / adm@mpdiagnosticos.com.br. (1) O Hospital Universitário da UFES oferece quatro vagas de Aperfeiçoamento nível 4 em Radiologia e DI (reconhecido pelo CBR), englobando as áreas de RM, TC e US em geral, em Vitória (ES). Pré-requisito: conclusão de residência médica em Radiologia e DI credenciado pelo MEC e/ou CBR. Carga horária: 42h semanais (sem remuneração). Inscrições: de 1º/11/16 a 6/2/2017. Informações: (27) 3335-

7177 (Sandra Littig), (27) 3335-7430 (Enf. Armelinda Pedrini) ou pelo email r4hucam@gmail.com. (2) Aperfeiçoamento nível 4 (A4), reconhecido pelo CBR, em RM de alto campo, com bolsa e plantões remunerados, discussões de casos incluindo TC multislice e PET-CT e pré-laudos. A DIIMAGEM oferece duas vagas para 2017, equivalentes ao 4º ano de residência médica. Local: Campo Grande (MS). Pré-requisito: três anos de residência médica em serviço credenciado pelo CBR. Médico responsável: Sérgio Augusto Maksoud. Informações com Sandra: (67) 3316-4529 | (67) 99221-2326 / sandra@diimagem.com.br. (3)

A Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem não se responsabiliza, nem cível, nem criminalmente, pelas informações inseridas nesta seção, sendo estas única e exclusivamente responsabilidade do anunciante. A SPR também não possui qualquer participação ou interesse econômico nos negócios efetuados em decorrência dos anúncios.

Radiologistas com Título de Especialista pelo CBR para atuar em Hospital de São Paulo duas vezes por semana, nove horas por dia (ultrassonografia e tomografia). R$ 12 mil + R$ 2 mil (chefia) + produtividade. Contato com: Ricardo (11) 99601-1487 – ricardogomiero@hotmail.com. (3) Vendo minha parte da sociedade de uma clínica de imagem há 18 anos no mercado, excelente reputação, carteira com mais de 20 convênios e seguradoras, com cinco aparelhos de ultrassonografia, um mamógrafo e uma densitometria óssea, no centro de Taubaté (SP). Contato com Hernani: (12) 997215313 – hernanimoreira@uol.com.br. (2)

Como ANUNCIAR Os membros da SPR que estiverem em dia com a anuidade poderão publicar seus anúncios nesta seção gratuitamente. Os radiologistas que não forem associados devem pagar uma taxa. Para sócios em dia do CBR, o ônus por publicação é de R$ 250. Já para os radiologistas que não forem membros nem da SPR nem do CBR, o ônus por anúncio é de R$ 300. O anúncio deve ser enviado até o dia 10 de cada mês, para publicação no mês subsequente. Outras informações: jornaldaimagem@spr.org.br.

SERVIÇO Bird Solution (11) 5016-5509 / www.birdsolution.com.br • Carestream 0800 891 7554 / www.carestream.com.br • Cryo Service (19) 3828-3400 / www. cryoservice.com.br • Digitalmed (11) 2376-0515 / www.digitalmed.com.br • E-people (11) 3562-2970 / www.epeople.com.br • Fujifilm (11) 5091-4000 / 50914999 • IBF (11) 2103-2000 / www.ibf.com.br • Imagem Sistemas Médicos (11) 4133-0053 / www.imagem.med.br • Konica Minolta www.konicaminolta.com.br • Konimagem (11) 2950-1971 / www.konimagem.com.br • Macsym (11) 2957-7735 / www.macsymtec.com.br • Mallinckrodt 0800 178 017 • Penta Médica (11) 5181 5555 / 5694 0555 / www.pentamedica.com.br • Pixeon (48) 3205-6000 / www.pixeon.com / (11) 2146-1300 • Shimadzu (11) 2134-1643 / www. shimadzu.com.br • Sul Imagem www.sul-imagem.com.br • Toshiba (11) 4134-0000 / www.toshibamedical.com.br.

Jornal da Imagem digital A SPR produz o Jornal da Imagem há 38 anos, veículo mensal que reúne informações sobre ela, entidades parceiras e assuntos de interesse para os profissionais da área. Nos últimos anos, a tecnologia passou a permitir que as mensagens fossem compartilhadas com pessoas do mundo inteiro e, pensando nisso, a SPR decidiu investir em versões digitais do jornal, para que mais pessoas tenham acesso a seu conteúdo. O Jornal da Imagem pode ser visualizado por todos pelo site da SPR ou por meio do aplicativo desenvolvido especialmente para smartphones e tablets, disponível para sistemas Android e iOS.

Sendo assim, visando reduzir o desperdício da versão impressa, queremos saber de você, caro(a) leitor(a), se deseja manter o recebimento desse exemplar via correio. Pedimos a gentileza de nos informar via e-mail (jornaldaimagem@spr.org.br) ou pelo site da SPR. Obrigado!


AGENDA • 31

Edição 460 – Dezembro de 2016

Eventos da SPR

2016

DEZ

Data

Evento

Local

7

Clube Roentgen* Mini CCRP Unicamp

Hotel Golden Tulip Paulista Plaza

8

Grupo de Estudos de Neurorradiologia (Gene)*

Hotel Golden Tulip Paulista Plaza

Grupo de Estudos de Meios de Contraste (GEMCR)

Sede da SPR

14

Eventos da SPR

2017

JAN

Outros eventos

Data 29

Evento

Local

Avaliação Anual dos Residentes e Aperfeiçoandos em Radiologia e Diagnóstico por Imagem e Avaliação Anual dos Aperfeiçoandos em Ultrassonografia Geral https://goo. gl/7lHgIS

Várias cidades

Agende-se para os principais eventos de European Course of Diagnostic and Interventional Neuroradiology in Latin America.......................................................................8 a 11 de fevereiro Curso temático anual do GERME.......................................11 e 12 de fevereiro CMA São José do Rio Preto..................................................Março JPR'2017.....................................................................................4 a 7 de maio CMA Campos do Jordão.........................................................Maio CMA Araçatuba.........................................................................Junho Curso de Atualização em Imagem (Prof. Dr. Feres Secaf)............................................................Julho Encontro Nacional de Radiologia Cardíaca...................Setembro CMA Botucatu...........................................................................Setembro CMA Ribeirão Preto.................................................................Outubro

www.spr.org.br Informações sobre eventos da SPR: www.spr.org.br ou (11) 5053-6363. Sede da SPR: Av. Paulista, 491, cj. 41, São Paulo. Hotel Golden Tulip Paulista Plaza: Al. Santos, 85, São Paulo. *Evento com transmissão via web em parceria com a Pixeon. ** Evento com transmissão via Skype; agenda completa das transmissões em: www.spr.org.br/cursos-via-web.

Outros eventos


JI 460 dezembro 2016