Revista da Riviera - Julho 2017

Page 1

REVITALIZAÇÃO Cidades ganham vida com a renovação de seus espaços

Ano 15 Número 25 | Inverno de 2017

CRIANÇA E... CHEF! Culinária, uma brincadeira levada muito a sério!

RIVIERA INSPIRA Uma caminhada de peito aberto para um futuro sustentável


SÃO PAULO | RIO DE JANEIRO | CAMPINAS | SÃO JOSÉ DOS CAMPOS



SÃO PAULO | RIO DE JANEIRO | CAMPINAS | SÃO JOSÉ DOS CAMPOS



EDITORIAL

nossa opinião

EM FAMÍLIA Associar a Riviera de São Lourenço a uma espécie de paraíso na terra já se tornou comum, mas isso não quer dizer que esse bairro de Bertioga, que prima pela qualidade de vida e respeito ao meio ambiente, esteja fechado em si mesmo. Ao contrário, seus limites geográficos são os mesmos dos limites do município ao qual pertence, e desde sua implantação, há mais de 37 anos, tem compartilhado suas experiências, conquistas e benfeitorias com outros bairros – e não poderia ser diferente, pois, na verdade, todos que frequentam a cidade acabam criando vínculos como se fossem de uma mesma família! Isso significa que além de contribuir para o crescimento socioeconômico da cidade, por

Diretor de marketing: Luiz Augusto Pereira de Almeida Editora executiva: Beatriz Pereira de Almeida www.sobloco.com.br

meio de impostos e de criação de postos de trabalho, o bairro da Riviera participa ativamente de eventos e ações empenhadas na formação de cidadãos conscientes. Os exemplos dessa contribuição são muitos, entre eles o Programa Clorofila, que merece destaque nesta edição por estar celebrando 25 anos de um trabalho ímpar de educação ambiental junto às escolas da rede pública do município. Instituído em 1992 pela

Jornalista responsável: Juliana Klein MTb 48.542 Redação: Sheila Mazzolenis Colaboração: Keila Seidel

Sobloco, empresa responsável pelo desenvolvimento da Riviera, o Clorofila orgulha-se de

Revisão: Adriana Giusti

já ter atendido mais de 15 mil crianças e adolescentes e, por meio deles, ter expandido o

Diretor de arte: Angel Fragallo

ideal de sustentabilidade e de responsabilidade socioambiental. Outro trabalho, também

Projeto gráfico: Fullcase

voltado para os jovens da cidade, tem sido feito pela Associação Oficina de Atletas de

Foto de capa: Marcelo Donatelli

Bertioga, que, com a importante parceria de alguns voluntários e o apoio financeiro da Sobloco, aposta no talento dos surfistas da região. A história dessa iniciativa pode ser admirada na matéria A melhor onda. Mas o mundo é bem maior do que nosso município e em recantos os mais diversos do

Fotografia: Mar Franz / Fotonativa, Rodrigo R. Matias e Viviane Oggiano Impressão: Oceano Indústria Gráfica e Editora Ltda.

planeta acontecem fatos que merecem ser contados, pois são exemplos inspiradores de ações que favorecem igualmente o ser humano, o seu habitat urbano e a natureza. Alguns desses exemplos estão na reportagem Cidade Viva, cuja leitura nos enche de esperança:

Realização

é possível, sim, recuperar ruas, bairros, antigas instalações fabris e vias férreas desativadas e fazer delas áreas de lazer e de cultura, graças ao uso de técnicas urbanísticas

São Paulo / (11) 3713-8525

inteligentes... e sustentáveis – é o que a sociedade exige nesta segunda década do século

www.fullcase.com.br

21! E essa exigência aparece em duas outras reportagens desta edição: Marcas do tempo revela que produtos e serviços desatentos à questão sustentável perdem prestígio junto ao público consumidor. E, em Kids fazendo arte na cozinha, uma surpresa: as crianças já sa-

A revista Riviera é uma publicação produzida pela Fullcase Editora, sob

bem bem o que significa culinária orgânica, sustentável, não torcem mais o nariz para ce-

encomenda da Sobloco Construtora

nouras, rabanetes e espinafre, e cozinham como gente grande pratos de dar água na boca.

S.A. Os textos assinados na revista

É por essas e outras que celebramos a vida, a amizade, a família, o bem-estar, seguindo o exemplo dos membros da Turma dos Apaixonados da Riviera (TAR), que 12 anos atrás elegeram a Riviera como cenário ideal para encontros e confraternização. Um exemplo de

são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Tiragem: 15 mil exemplares, auditada por:

joie de vivre, a TAR é retratada na matéria Brinde à amizade e à Riviera. Nós só podemos responder alegremente: tim-tim! Beatriz Almeida, beatriz@sobloco.com.br

6 . R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

w w w.r i v ier ade s aolour enc o.c om


INVERNO 2017

MUNDODOENXOVAL.COM.BR


SUMÁRIO

Revista da Riviera de São Lourenço ano 15 número 25

inverno

Registros Inaugurado no verão de 1986, o Riviera Restaurante foi o primeiro ponto de encontro gastronômico do bairro.

34

SIV

38

Cidade viva

Riviera no Facebook As postagens mais populares dos canais sociais da Riviera.

14

Warmup

16

Aconteceu

Exemplos do que há de melhor entre os imóveis que fazem parte da seletiva agenda do Sistema Integrado de Vendas da Riviera de São Louenço (SIV).

© FERRANTRAITE / ISTOCK.COM

Um resumo dos principais eventos realizados na Riviera no primeiro semestre deste ano, com destaque para atividades culturais, esportivas, ambientais e sociais.

Riviera No Filter

22

Marcas que valem ouro!

Revitalizar áreas degradadas por meio de intervenções urbanísticas competentes e bem planejadas está na ordem do dia. Em nossas páginas, alguns exemplos que comprovam a relevância desse procedimento.

Fotógrafos amadores e profissionais revelam belíssimos ângulos da Riviera!

46

Signos, rótulos e marcas de produtos e serviços que são valorizados e desejados por milhões de pessoas. Quem não sonha com uma bolsa Louis Vuitton ou um Lamborguini?

Culinária kid!

48 © ALEXANDRE CAMPBELL

Elas se interessam por culinária e com frequência cozinham melhor do que muitos adultos: assim é a nova geração de crianças, que abdicam dos fogõezinhos infantis de plástico e assumem os equipamentos sofisticados da cozinha moderna.

8 . R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

Hora do surf

Programa social de cunho esportivo e cultural se empenha no desenvolvimento de novos e talentosos surfistas de Bertioga.

Sugestões de produtos e serviços que carregam a exclusividade que sonhamos experimentar.

20

28

54

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

10

52

O especialista em peixe O tradicional restaurante Jangada, inaugurado em janeiro na Riviera, comemora o sucesso da casa com seu cardápio especializado em peixes e frutos do mar.

56

Compras

58

Gente

62

Guia

Novidades imperdíveis selecionadas nas vitrines do Riviera Shopping!

Um espaço reservado às pessoas que enchem a Riviera de charme e estilo!

Endereços para ter sempre à mão, a qualquer momento.

ARTIGOS

Clorofila, 25 anos!

32

Programa de educação ambiental criado pela Sobloco completa um quarto de século de benefícios à população jovem de Bertioga. Nesse período, atendeu mais de 15 mil estudantes e contribuiu para formar cidadãos comprometidos com a preservação da natureza.

Uma reflexão sobre questões discutidas na última Conferência sobre os Oceanos, realizada pela Organização das Nações Unidas.

Um brinde à amizade! Essa é a proposta da autodenominada Turma de Apaixonados pela Riviera, que elegeu o bairro como cenário ideal para aproveitar a vida e os amigos.

Luiz Augusto Pereira de Almeida

61

Georgeta Gonçalves Com bom humor, a autora questiona nossos hábitos de consumo.



D I G I TA L

A Riviera com você, onde você estiver

FÃS DA RIVIERA! As novidades do bairro chegam antes para quem segue nossos canais digitais. É por isso, que cresce cada dia mais a nossa base de fãs. Hoje já são mais de 160 mil seguidores no Facebook e 7.280 no Instagram. Mas o que mais chama a atenção é o engajamento desse público: entre curtidas e compartilhamentos, a Riviera suscita emoções. Confira alguns dos melhores posts do ano!

Alcance: 163.114 pessoas Engamento: 18 mil curtidas, 33 comentários e 107 compartilhamentos

Facebook www.facebook.com/ RivieradeSaoLourencoOficial

REGISTROS

Alcance:107.085 pessoas Engamento: 2,3 mil curtidas, 191 comentários e 809 compartilhamentos

Site institucional www.rivieradesaolourenco.com

Alcance: 23.114 pessoas Engamento: 2,4 mil curtidas, 21 comentários e 67 compartilhamentos

YouTube www.youtube.com/user/ RivieraSaoLourenco

Instagram @rivieradesaolourencooficial

Fatos que fizeram história

© ACERVO SOBLOCO

SABOR À BEIRA MAR

10 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

1986. Os primeiros moradores já frequentavam a Riviera. Novos interessados vinham conhecer o empreendimento que crescia a olhos vistos. Mas quem visitava o lugar sentia logo a falta de um lugar para comer e desfrutar a vista da linda praia de São Lourenço. Foi com o apoio dos empreendedores da Riviera – Sobloco, Praias Paulistas e Cia Acarau, que foi instalado no Pavilhão de Exposições do SIV o primeiro restaurante do empreendimento, denominado Riviera Restaurante, sob o comando de José Dias Brandão, profissional que já tinha trabalhado no Guarujá, Rio e São Paulo. Mais de 30 anos separam o pioneiro Riviera Restaurante, do novo Maremonti Trattoria & Pizza, de Arri Coser, que hoje ocupa o mesmo local. Enquanto o primeiro – com capacidade para cem pessoas e um menu basicamente composto de pratos de peixes e frutos do mar – enfrentou todas as dificuldades próprias de quem

ousava inovar e desejava contribuir para a consolidação da Riviera como um recanto florescente e com bons serviços, o segundo abriu espaço para 500 pessoas e oferece atualmente um cardápio variado, capaz de atender ao gosto requintado de sua clientela. No entanto, os proprietários do Riviera Restaurante e do Maremonti não foram os únicos que caíram de amores pela localização romântica da área exclusiva que escolheram para montar suas operações. Nas três décadas que separam um do outro por ali passaram três estabelecimentos de qualidade inegável: o St. Malô, de Eneida Gentil e Germino Alves da Silva; o Rufino´s, de Heitor Gonzalez; e o Gaiana, de Ricardo Trevisani – todos, sem exceção, contribuíram para tornar a Riviera um polo gastronômico respeitado em todo o litoral norte! Os gourmands agradecem! Extrato do livro Riviera de São Lourenço, ontem, hoje... registros


20 anos oferecendo qualidade e bom atendimento!

Nosso maior patrimônio é você. Se é sanglass pode confiar!

VIVA O PRAZER DE SUA VARANDA O ANO INTEIRO! SÃO PAULO - SP

RIO DE JANEIRO - RJ

(11)3854.1122

(21) 3349.9969

VALE DO PARAÍBA (12) 3302-3839

www.sanglass.com.br




WARM UP Conecte-se com as novidades que podem transformar a velha forma de viver em uma nova e espetacular experiência!

Amazing world INSPIRAÇÃO © FOTOS: DIVULGAÇÃO

Depois de 17 anos trabalhando juntos e 8 liderando a Valentino, Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Picciolo separaram seus caminhos no ano passado, deixando Picciolo como o único diretor criativo da famosa Maison. Em sua primeira bolsa ocupando a nova função, Picciolo criou uma peça deslumbrante, chamada Valentino Demilune, que já apareceu nos desfiles da marca este ano. Suave e flexível, a nova peça possui detalhes da assinatura de Valentino, como a alça de ombro larga e muita personalidade.

BISTRÔ ON THE ROOF

© LEO FELTRAN / DIVULGAÇÃO

PREÇO: US$ 3.245 WWW.BERGDORFGOODMAN.COM

Na histórica Praça da República – coração de São

One, um aparelho elegante e discreto, mas muito

Localizado na cobertura do Edifício Esther, um

atraente, que será produzido em edição limitada.

dos primeiros prédios modernistas de São Paulo,

Com tela QHD de 5.5", processador Qualcomm

o restaurante foi inaugurado no final de 2016, na

Snapdragon 820, 4GB de RAM, armazenamento de

cobertura onde um dia já residiu Olivier.

64GB, suporte dual SIM e uma bateria de 3250 mAh,

todo especial. Os preços não assustam, variam de R$69,00 a R$79,00. Vale a visita!

PRAÇA DA REPÚBLICA, 80 - 11º ANDAR (EDIFÍCIO ESTHER) SÃO PAULO TELEFONE: (11) 3256-1009

14 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© LEO FELTRAN / DIVULGAÇÃO

Possui ainda um aconchegante bar e uma das mais

orgânicos de pequenos produtores, que dão um toque

Lamborghini – fundador da tradicional marca de de um novo smartphone premium chamado Alpha

e Benoit Maturin, está o suntuoso Esther Rooftop.

Os pratos são elegantes e prezam por ingredientes

Tonino Lamborghini, filho de Ferruccio automotores –, revelou recentemente o lançamento

Paulo! –, sob o comando dos Chefs Olivier Anquier

procuradas vistas do centro da capital paulista.

DIRETO DAS PISTAS

o aparelho equipara-se aos top de linha do mercado. Sua capa traseira, revestida em couro italiano e feita à mão por artesãos, serve de base para o logotipo da Raging Bull em metal, complementado por uma elegante costura dourada, que deixa perceptível o nível de exclusividade do aparelho.

PREÇO SUGERIDO: US$ 2.100 WWW.LAMBORGHINI.COM


AROMAS DE ROCOCÓ A coleção Noble VIII de Clive Christian – criador do perfume mais caro do mundo – foi inspirada pelo charme, lirismo e estilo do movimento Rococó. O VIII Rococo Magnolia abre com notas cítricas frescas, como a bergamota e a mandarina, misturadas com

SIMPLES E FUNCIONAL

folhas de groselha, enquanto o coração do perfume

Reunir os amigos e familiares na área externa da casa é

base é uma mistura fascinante de sândalo e musgo

sempre sinônimo de alegria, agora imagine esse momento

de carvalho. A versão Immortelle apresenta uma

com muita música e iluminação. Melhor ainda! A Galeria das

mistura mágica de citrinos de bergamota e limão,

Lonas apresenta a Luminária Led com caixa de som sem fio

seguida de imortelle no coração e uma base de

para ombrelones de haste lateral e central. O acessório utiliza

papiro, musgo de carvalho e âmbar, que dão a esse

16 lâmpadas LED e 2 alto-falantes centrais de 5W cada, o

aroma um caráter único.

traz a flor de magnólia, buquê de rosas e canela. A

que proporciona um som limpo e potente. Livre de fios, sua

PREÇO SUGERIDO: US$ 550 (50ML) WWW.CLIVECHRISTIAN.COM

conexão é feita através do sistema bluetooth, bastando apenas emparelhar com o dispositivo compatível. Em polipropileno injetado, a Luminária LED acompanha carregador bivolt e permanece com as lâmpadas e som ligados por até sete horas.

PREÇO: R$ 1.140 WWW.GALERIADASLONAS.COM.BR

UNIÃO DE DUAS LENDAS Jim Marshall fez seu nome fazendo imagens de estrelas do rock, e nesse processo tornou-se ele mesmo um astro – pelo menos para aqueles que curtem fotografia. A Leica M 246 Jim Marshall Edition honra esse legado. Este conjunto exclusivo inclui uma câmera Monochrom Typ 246, decorada com componentes de latão fosco e combinada com uma lente Summilux-M 50 mm f / 1.4. Na caixa acompanha uma cinta de couro marrom semelhante à que Marshall usou com o Leica M4, durante o famoso registro do "Thelonious Monk at Monterey Jazz

LONGE DO COMUM Calma e Gesso é uma nova marca de luxo criada por

Festival 1964".

PREÇO: US$ 12.950 WWW.LEICASTORESF.COM/140736

BRINCADEIRA VINTAGE Prepare-se para surpreender seus filhos com o D Throne S Electric, este pequeno carro de brinquedo que encanta todos com seu estilo atemporal –

Gregg Brodarick e Adriano Design, que pretende elevar

inspirado nos carros do início dos anos 1900. O

o significado das palavras estilo e exclusividade.

projeto inaugurou a terceira geração de veículos

Fazendo releituras de objetos clássicos, a marca estava

premium da fabricante D Throne. A cabine possui

bem consciente do desafio quando decidiu assumir a

requintados assentos de couro costurados à mão, que

difícil tarefa de redesenhar uma mesa de pingue-pongue

complementam seu elegante exterior, nas cores preto

e transformá-la em um objeto de design superlativo,

ou branco. Possui motor elétrico, alimentado por

um objeto de desejo tão exclusivo que pudesse ser

uma bateria com autonomia de até dez horas, e duas

inserido em qualquer contexto, com a proposital

posições para adultos – o controlador inteligente e

intenção de tornar-se o centro das atenções. Pelo visto,

o boarder –, que podem ser operados a bordo, pelos

a Calma e Gesso atingiu seu objetivo com louvor com a

pais. Diversão para toda a família!

Lungolinea, uma mesa de pingue-pongue de cristal.

WWW.IMPATIA.COM/COLLECTION/LUNGOLINEA

APROXIMADAMENTE: US$ 3.000 WWW.DTHRONEFAMILY.COM

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

15


ACONTECEU

© ARQUIVO SOBLOCO

Um balanço rápido dos eventos que marcaram o primeiro semestre do ano revela claramente o estilo de vida da Riviera, uma localidade que propicia entretenimento saudável e alta qualidade de vida para seus moradores e frequentadores.

VERÃO ANIMADO

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

O espaço Vila na Praia garantiu a animação do verão da Riviera, atraindo mais de 200 mil pessoas com uma agenda lotada de shows musicais, teatro infantil, brinquedos, Espaço

Boas Compras e um parque de food trucks. Completando o “cardápio”de diversões na Riviera, pista de patinação no gelo, feira de artesanato, corridas, torneio de golfe e atividades esportivas na praia – todas concorridíssimas!

ESPORTE EM FAMÍLIA

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

O golfe está ganhando adeptos na Riviera, o que pode ser comprovado pelo número de pessoas que acompanham as oito etapas do Golf Tour e pelo interesse que as clínicas gratuitas de golfe têm despertado em adultos e crianças– o esporte é ótimo para elas, pois exercita a concentração, desperta a competitividade e cria laços de amizade. As clínicas são dadas por Fernando Padua Soares, o Dino, normalmente nos feriados prolongados. Para acompanhar a programação do Riviera Golf Club consulte o site da Riviera: www.rivieradesaolourenco.com.

VINHO E GASTRONOMIA Amantes da enologia e da gastronomia tiveram a oportunidade de participar de dois grandes eventos na Riviera: o Wine Summer Riviera e o Mesa Praia Riviera. O primeiro, entre os dias 3 e 5 de fevereiro, reuniu, no espaço do antigo Viveiro, dez expositores nacionais e importadores, que ofereceram a degustação de vinhos branco, rosé e espumante. O evento incluiu ainda palestras e som de uma banda de jazz ao vivo. Entre os dias 16 e 18 de março foi a vez do

16 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

Mesa ao Vivo Praia, realizado pela Revista Prazeres da Mesa em parceria com o grupo Maremonti. O evento, realizado no Pavilhão do SIV, teve como tema “Comida caiçara e técnica europeia: quando o melhor das culturas se encontra”, e contou com a presença de oito grandes chefs: Ana Luiza Trajano (Brasil a Gosto - São Paulo), Emmanuel Bassoleil (Unique - São Paulo), Edinho Engel (Manacá - Camburi), Guga Rocha (chef consultor e apresentador de TV), Eudes Assis (Taioba - Camburi), Guilherme Schulze (Maremonti - Riviera de São Lourenço), Alain Uzan e André Ahn. Foi um espetáculo de talento e gostosuras.


© ARQUIVO SOBLOCO

CAPELA REFORMADA Uma ótima notícia: graças à ajuda da comunidade e ao apoio das empresas Sobloco Construtora, Etec Engenharia Elétrica, Rochedo Instalações Elétricas e Hidráulicas, e Prática Instalações e Comércio, terminou a primeira etapa da reforma da Capela Nossa Senhora das Graças. As instalações elétricas foram trocadas, a pintura das partes interna

PARA BERTIOGA Continuam a pleno vapor as obras do novo complexo social, cultural, esportivo e de saúde que a Riviera de São Lourenço está doando ao município de Bertioga, fruto de acordo entre o empreendimento, a Prefeitura Municipal e o Ministério Público Estadual. Para selar esse compromisso, no dia 31 de maio, representantes da Sobloco, Praias Paulistas e Cia Fazenda Acaraú assinaram, com o Prefeito Caio Matheus, a escritura de transferência da propriedade do terreno, localizado no quilometro 216 da Rodovia Rio-Santos, onde está sendo construído o novo complexo. A partir de agora, a propriedade do terreno é da Prefeitura de Bertioga e será de uso coletivo dos moradores do município, que se beneficiarão de uma área ocupada por equipamentos de diferentes secretarias, uma Unidade Básica de Saúde (UBS), um Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), um Centro Comunitário e um complexo esportivo com campo de futebol society, quadra poliesportiva, arquibancada, quadra de vôlei, pista de caminhada, corrida e skate.

e externa foi refeita e preparou-se a infraestrutura para receber equipamentos de ar-condicionado. Localizada no módulo 28, a Capela foi erguida nos anos 1990. As suas atividades religiosas estão a cargo da Paróquia de Bertioga, mas sua manutenção é de responsabilidade da Fundação 10 de Agosto, que prepara, agora, a campanha de arrecadação para a reforma do telhado. Se quiser ajudar, entre em contato pelo e-mail: beatriz@fundacao10agosto.com.

PEDALA

Organizado pelo Projeto Riviera nas 4 Estações, o último Passeio Ciclístico Pedala Riviera reuniu, no dia 23 de abril, mais de 90 participantes. Eles percorreram cerca de 12 km, passando pela praia, jardins, bosques e ruas do bairro.

© ARQUIVO SOBLOCO

Seis quilômetros de ciclovias já estão disponíveis para quem adora pedalar, mas a Associação dos Amigos da Riviera continua a trabalhar na ampliação dessas vias públicas e das calçadas do bairro, sempre com autorização dos órgãos públicos. Em dezembro último foram entregues 418 m de calçadas em

mosaico português, no módulo 26 e na Avenida São Lourenço; 687 m de calçada e ciclovia na Alameda Boa Vista e Av. São Lourenço, atrás do Shopping até o acesso ao módulo 17. E, em abril, foram inaugurados mais 620 m de calçadas e ciclovia, no módulo 22. O setor de Meio Ambiente da Associação realiza ainda o plantio de dezenas de mudas de árvores de espécies nativas para compor a arborização urbana. © ARQUIVO SOBLOCO

MAIS CICLOVIAS

© UCHA ARATANGY

A cargo da Sobloco, as obras devem terminar no segundo semestre deste ano, quando a Riviera também entregará o ecoponto de Boraceia e a Diretoria de Operações Ambientais (DOA), no bairro de Maitinga.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

17


© MAR FRANZ / FOTONATIVA

ACONTECEU

FUNDAÇÃO 10 DE AGOSTO

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

Duas noites de sábado do primeiro semestre foram embaladas por acordes e melodias: era a orquestra da Fundação 10 de Agosto em apresentações na Praça de Alimentação do Riviera Shopping. Nos dias 25 de março e 17 de junho, o público do shopping ficou encantado com a graça e a determinação dos jovens de 12 a 19 anos que estudam na entidade. Mas, atenção, no segundo semestre tem mais. Fique atento ao site da Riviera para a programação.

No final da corrida, um gostoso brunch é servido a todos os participantes, conferindo um ambiente muito amistoso. O Circuito de Corridas é uma iniciativa do bem: além de promover o esporte, a receita das inscrições é revertida para

VISITAS MONITORADAS A Riviera é linda, limpa e bem mantida. Nunca falta água e sua praia ostenta sempre a bandeira verde. Este cenário não existe por acaso, e conhecer o trabalho que está por trás de tanta beleza é, no mínimo, uma curiosidade muito interessante.

18 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

os trabalhos sociais da Fundação 10 de Agosto. Este ano já foram realizadas cinco etapas. Para informações sobre as datas e inscrições das próximas etapas fique atento ao site da Riviera: www. rivieradesaolourenco.com

BRECHÓ Roupas usadas, bolsas, sapatos, artigos para casa, eletrodomésticos... Tudo o que estiver em bom estado pode ser doado para a Fundação 10 de Agosto, que organiza, a cada três meses, aproximadamente, o Brechó da Fundação. Os preços são baixos e a venda gera receita compartilhada entre a Fundação e a Paróquia São João Batista, de Bertioga. O último brechó, em 15 de maio, arrecadou R$7.980,00! Agora, você já sabe: sua doação é importante e ajuda todo mundo, e pode ser feita na sede da Fundação (Viveiro de Mudas) ou no Pavilhão do SIV.

Visitas monitoradas às instalações da Riviera são realizadas regularmente por profissionais da Sobloco e/ou da Associação dos Amigos da Riviera, e incluem breve explanação sobre o projeto da Riviera e visitas às Estações de Tratamento de Água e de Esgoto, Central de Triagem de Recicláveis e Laboratório de Controle Ambiental. Agende sua visita pelo telefone: (13) 3316-5330.

© VALDETE SILVA

Pelo 12º ano consecutivo, o Circuito de Corridas dos Amigos da Riviera reuniu famílias e atletas em um evento alegre e descontraído. O Circuito prevê nove etapas durante o ano, com percursos que variam de 6 km a 10 km.

© ARQUIVO SOBLOCO

CIRCUITO DE CORRIDAS DA RIVIERA



# R I V I E R A N O F I LT E R

Riviera sem filtros

@_bp6

@adrianoleite23

@marischittini @carlinhaecompanhia

@drguilhermenannetti @carolmarantes

@brunopretti7 @joao_paulo_carvalho

@mazinhapetrungaro

@vida_de_caicara

EU AMO E CURTO A RIVIERA

@rachelgiansante_fotografia

@rogeriomoretti

Publique sua foto no Facebook ou no Instagram usando a hashtag #rivieranofilter e junte-se Ă s milhares de pessoas que resgistram e divulgam seus melhores momentos na Riviera.

@carreira_81

@phammps

@renata_bombonato

20 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ăƒ O L O U R E N Ç O

@michellecassis

@brendasmatos


Marcenaria І Persianas Cortinas І Tapeçaria Papel de Parede І Toldos Persianas, Cortinas e Toldos

ESTRATÉGIA E EXPERIÊNCIA Clóvis & Neiliane

ARQUITETURA│DECORAÇÃO

REVENDA AUTORIZADA

À frente da Praiamar.

Siga-nos!

Parceiros:

crisbarbara2

www.grupopraiamar.com.br 13 33132495 / 3313-2496

contato@grupopraiamar.com.br R. dos Jornalistas, 651, Indaiá, Bertioga/SP Email:

barbara& purchio interiordesign

cristinabarbara.com.br


BR ANDING

© GOODLIFESTUDIO / ISTOCK.COM

ESTILO

dade, dos avanços tecnológicos e dos produtos

Madri, Kingston, Hangzhou, São Petersbur-

e benefícios que resultam disso tudo.

go ou uma localidade esquecida do meio oeste norte-americano: não importa a cidade, país ou

– o McDonald’s está instalado em mais de cem

Mas, afinal, o que é uma marca, o que ela de

continente, quando se avista um signo familiar

países – e da Coca-Cola, que se mantém há dé-

fato significa e o que a faz conhecida, preferida,

a gente se sente quase em casa. Todo mundo já

cadas no ranking das marcas mais valiosas do

valorizada? O sócio-diretor da Alma Mater –

vivenciou esta sensação ao descobrir, no meio

planeta. Afinal, elas romperam fronteiras geo-

consultoria nas áreas de estratégia de negócios

de um cenário às vezes estranho, o famoso M

gráficas, culturais e sociais, tornando-se exem-

e de marcas –, Alejandro Pinedo, define marca

amarelo em fundo vermelho do McDonald’s ou

plos marcantes do mundo globalizado – e não

como “um ponto de contato entre uma empresa

as letras cursivas da Coca-Cola. Mesmo o mais

estão sozinhas! Inúmeras marcas disputam o

e seu público”, e completa: “o contato é visual,

perdido dos viajantes respira aliviado! Ali está

valioso espaço da aceitação humana em âmbito

mas remete a outros fatores significativos de um

algo que ele conhece – pode não gostar, mas co-

global, e neste processo algumas morrem, ou-

produto ou serviço, cuja importância ultrapassa

nhece, sabe do que se trata.

tras sobrevivem e se revitalizam, enquanto dia-

os limites de um logotipo. A marca é uma repre-

Bem, isso pode parecer mais uma propa-

riamente nascem novas marcas. Seja como for,

sentação dos ativos intangíveis de uma organi-

ganda de duas marcas conhecidas à exaustão

ao ser observado, esse cenário mutante pode

zação, sua história, cultura e missão, sua estra-

do público mundial, mas não há como negar

revelar aspectos culturais e comportamentais

tégia de negócio, a forma como se relaciona com

a importância comercial, e até mesmo social e

da humanidade. Falar dele é falar da história de

seu público-alvo, a qualidade de seu produto ou

cultural, da maior rede de fast food do mundo

todos nós, dos nossos hábitos, da nossa criativi-

serviço, o que eles agregam ao consumidor.”

22 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O


MARCAS VALOR Apple US$ 178 bilhões Google US$ 133 bilhões Coca-Cola US$ 73 bilhões US$ 72,7 bilhões Microsoft US$ 53, 5 bilhões Toyota IBM US$ 52,5 bilhões Samsung US$ 51,8 bilhões Amazon US$ 50,3 bilhões US$ 43,4 bilhões Mercedes-Benz US$ 43,1 bilhões GE

gundo lugar no ranking das empresas mais sustentáveis do mundo elaborado pela canadense Corporate Knights; dois anos depois, tornou-se a primeira companhia aberta a receber a certificação Benefit Corporation (B Corp), que destacou seus altos padrões de responsabilidade ambiental e social; e, em 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) a indicou como uma das vencedoras do prêmio Campeões da Terra, na categoria visão empresarial. Sem dúvida, merecido, esse reconhecimento é fruto de um trabalho iniciado

© ARQUIVIO PESSOAL

ESTAS MARCAS VALEM OURO!

Esse compromisso já valeu à Natura reconhecimento internacional: em 2012 ocupou o se-

ALEJANDRO PINEDO, sócio-diretor da Alma Mater: “A marca é um ponto de contato entre uma empresa e seu público”.

em 1969, ano de criação da empresa que se transformaria na maior multinacional brasileira de cosméticos e pioneira na produção sustentável.

Vuitton ou um casaco Prada fazem com que as

De fato, a Natura colocou a sustentabilidade

usuá­rias dessas peças icônicas se sintam podero-

no centro de sua estratégia de negócio: reduziu

sas: são admiradas, invejadas! Mas o mesmo não

Nas últimas décadas, a esses fatores signifi-

sua pegada de carbono, pratica um modelo de

acontece se a roupa ou o acessório – por melhor

cativos veio se juntar outro: a responsabilidade

produção baseado no fornecimento responsável

que sejam – não tiverem a etiqueta que os valori-

ambiental por parte da empresa produtora ou

de ingredientes naturais – e neste sentido apoia

za. “Duas bolsas iguais, feitas pelo mesmo arte-

prestadora de serviços. Alejandro Pinedo enfa-

comunidades locais de produtores – e prioriza

são, com o mesmo couro, podem ter preços muito

tiza: “Isto não é mais uma opção. A ação susten-

materiais reciclados e recicláveis em suas emba-

diferentes”, conta Pinedo. “A que vem sem marca

tável é, hoje em dia, uma exigência do mercado

lagens, analisando o impacto ambiental do ciclo

e até de funcionários e colaboradores de uma

de vida dos seus produtos. E seus clientes, hoje

organização, e aquela que não tiver responsabi-

espalhados por sete países (Argentina, Bolívia,

lidade ambiental, não vai em frente! Pesquisas

Chile, México, Peru, Colômbia e França), enten-

realizadas recentemente já deixaram bem claro:

dem e valorizam seu método sustentável e a qua-

as empresas ambientalmente responsáveis e

lidade de seus produtos – tanto que a empresa re-

que aplicam o conceito de sustentabilidade têm

gistrou R$ 7,4 bilhões de receita líquida em 2014!

Marcas e sustentabilidade

crescimento maior do que outras, que mantêm práticas ambientalistas irresponsáveis.”

O valor dos seus objetos de desejo

Portanto, não é por acaso que as ecofriendly

Marcas evocam sentimentos, sensações,

Louis Vuitton e Toyota estão no ranking das

agregam valor ao usuário, mas muitas vezes

marcas mais valiosas do planeta elaborado pela

este valor não é monetário: é bem mais do que

agência Interbrand, que se autodefine como

isso, pois mexe com a emoção, com os sonhos

“consultora global que cria e gerencia valor de

e desejos de cada um – isso sempre foi verdade

marca”. E na edição Brasil deste ranking tam-

e continua a ser!

bém aparece a Natura, empresa nacional mun-

Os produtos de luxo, de alta qualidade e pre-

dialmente conhecida, que merece destaque pelo

ço, exemplificam bem esse fato, pois possuem

seu compromisso com os cuidados ambientais.

forte apelo emocional e social – uma bolsa Louis

AS BRASILEIRAS MAIS VALIOSAS MARCAS VALOR Itaú R$ 26.611 milhões Bradesco R$ 18.734 milhões Skol R$ 14.867 milhões Brahma R$ 10.713 milhões Banco do Brasil R$ 9.981 milhões Natura R$ 6.927 milhões Antártica R$ 3.433 milhões Petrobras R$ 3.433 milhões Vivo R$ 2.429 milhões Cielo R$ 1.832 milhão

FONTE: INTERBRAND, 2016

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

23


ESTILO

BR ANDING

GOOGLE OU GOOGO1? pode custar R$ 500, mas a outra, de marca famosa, frequentemente custa dez vezes mais!” Em consequência, o valor específico da marca – e não do produto – também pode ser altíssimo. De fato, se uma empresa quer comprar a

Mais uma história de sucesso iniciada em uma garagem da Califórnia por dois talentosos e criativos estudantes universitários: Larry Page e

Sergey Brin. O sucesso da dupla é mundialmente reconhecido, mas o que pouca gente sabe é que a palavra Google, que daria nome a uma das marcas mais valorizadas da atualidade, foi fruto de um erro ortográfico! Inicialmente, Page e Brin elegeram a palavra googol, nomenclatura matemática que

marca Louis Vuitton, precisa desembolsar US$ 28,51 bilhões! – e vai levar só a marca, só o direito de usá-la, deixando de lado os ativos tangíveis, ou seja, os bens materiais da empresa vendedora. Essa é a realidade específica dos produtos mais caros e desejados do planeta. De acordo com o instituto de pesquisa Millward Brown, o setor de marcas de luxo é dominado pelo universo da moda, no qual reina, absoluta, a Louis Vuitton, seguida pela Hermès, Gucci, Chanel, Rolex, Cartier, Burberry, Prada, Tiffany e Dior. Mas quando o usuário é do sexo masculino, o ranking dos objetos mais chiques e caros muda radicalmente de produtos e de marcas, surgindo, imbatíveis, os supercarros. Neste setor revela-se um processo interessante de comercialização, no qual a empresa-mãe vende parte ou a totalidade da marca para outra empresa do setor, sem que a mesma marca deixe de ser atraente para o consumidor final: a Volkswagen, por exemplo, tem atualmente em seu portfólio o Audi, o Bentley, o Lamborghini e o Porsche – que lhe custou a bagatela de 4,4 bilhões de euros! Todos esses veículos continuam a ser objeto de desejo dos aficioSede da Google em Mountain View, Califórnia-EUA.

entre nós. Não é por acaso que em um ranking de luxo da preferência brasileira destaca-se, em primeiro lugar, o Audi A4, seguido pela BMW, Mercedes-Benz e Ferrari!

Mas resistir é preciso! Mas a chegada das marcas tecnológicas não está diminuindo a importância de vá-

A invasão das e-marcas

rias outras, que se caracterizam por resistir

Em constante ebulição, o Olimpo imaginário

aos anos – algumas são centenárias! – e

no qual estão as mais famosas e bem-sucedidas

se manter, incólumes, no imaginário (e no

marcas mundiais vem sendo ocupado por novos

gosto!) popular. Suas histórias merecem ser

e poderosos “deuses”: as empresas de tecnolo-

narradas, pois refletem situações curiosas,

gia. “Hoje, cinco das dez empresas mais valiosas

reveladoras de um trabalho persistente, ou

do mundo são do setor tecnológico”, comenta Pi-

fruto de uma boa jogada de marketing ou

nedo. “Em 2012, por exemplo, a Apple ultrapas-

reposicionamento no mercado. Essas par-

sou a toda poderosa Coca-Cola e se colocou em

ticularidades as fizeram chegar, vitoriosas,

primeiro lugar no ranking mundial”. Este avanço

ao século 21, mas como é impossível contar

fica claro na lista das dez mais valiosas empre-

a causa do sucesso de todas elas, selecio-

sas mundiais (ver tabelas Estas marcas valem

namos, para esta reportagem, cinco ótimos

ouro! e As brasileiras mais valiosas) elaborada

exemplos de marcas que tiveram o tempo a

pela Interbrand.

seu favor e não envelheceram.

24 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© LAVENDERTIME / ISTOCK.COM

nados em automobilismo, muitos dos quais estão

designa o número representado por 1 seguido de 100 zeros – queriam, desta forma, indicar a quantidade de informação que o motor de busca podia processar. Mas em 1996, receberam um cheque preenchido erradamente em nome de Google e decidiram aposentar a expressão googol. Novamente acertaram em cheio!


© DIVULGAÇÃO / FABER CASTELL

FABER-CASTELL

VERSÃO ORIGINAL DO COMERCIAL “AQUARELA” DA FABER-CASTELL, DE 1983

Um simples lápis propiciou o nascimento e o crescimento desta empresa familiar alemã que se mantém até hoje como um dos grupos industriais mais antigos e bem-sucedidos do mundo. Nascida em 1761 – portanto, bem antes da independência dos Estados Unidos (1776) e da Revolução Francesa (1789) – na pequena Stein, região norte da Baviera, a empresa iniciou sua busca de espaço no mercado internacional em meados do século 19, um processo que se fortaleceria com o lançamento, em 1905, do lápis Castell 9000, até hoje comercializado, e das primeiras lapiseiras para desenho. Em 1930, a Faber-Castell chegou ao Brasil: abriu uma filial em São Carlos, interior de São Paulo, que hoje é a maior produtora mundial de EcoLápis – 1,9 bilhão de unidades por ano –, produzido com madeira 100% reflorestada e certificada pela Forest Stewardship Council, organização independente, não governamental, sem fins lucrativos, criada para promover o manejo florestal responsável ao redor do mundo.

Obras de Andy Warhol expostas no MoMA, em Nova York.

© DAVE NAKAYAMA

© BENNYMARTY / ISTOCK.COM

Ao som do sucesso do compositor Toquinho, "Aquarela Faber-Castell" é considerado até hoje um dos comerciais mais marcantes e inovadores da publicidade brasileira. Produzido pela Start Anima.

Em 2015, a brasileiríssima Gisele Bündchen começou a estrelar a campanha mundial do Chanel No5.

SOPAS CAMPBELL CHANEL Marilyn Monroe consagrou definitivamente esta marca ao declarar que costumava dormir apenas com algumas gotinhas do perfume da Maison Chanel, de alta costura. Ser eleito desta forma por uma das sexy simbols mais famosas dos anos 1950 garantiu, sem dúvida, o posto eterno entre os produtos mais cobiçados do planeta e da empresa que o lançou, fazendo jus ao desejo da estilista Coco Chanel que, em 1921, pediu ao perfumista Ernest Beaux que criasse “um perfume de mulher que cheirasse como uma mulher”. Deu certo!

Em latas, com rótulos em vermelho e branco, tornaram-se conhecidas fora do território norte­-americano não propriamente por seus sabores, mas por ter inspirado o artista Andy Warhol, um dos mestres da pop art , a marcante manifestação artística dos anos 1960. Coube a Warhol entronizar, por meio de seus trabalhos, alguns ícones da cultura americana. Entre eles, Marilyn Monroe... e as sopas consumidas por milhões de pessoas nos Estados Unidos, desde a criação da empresa Campbell, em 1869! Andy Warhol se apropriou da imagem das latas de sopa e, utilizando a técnica de serigrafia, a reproduziu em uma obra de arte composta de 32 quadros de igual medida (50,8 cm por 40,6 cm), cada um deles dedicado a uma das variedades das sopas enlatadas. Foi um sucesso! A marca Campbell’s se tornou uma das mais valiosas do mercado norte-americano, e a obra de Warhol foi reproduzida em posters amplamente vendidos em todo o mundo.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

25


ESTILO

BR ANDING Uma das novas embalagens, com sistema “abre fácil”.

LEITE MOÇA

© NESTLE.COM.BR/MOCA

Anúncio de 1987, com o slogan mais famoso da história do produto no Brasil.

No início do século XIX, as Folhinhas (calendário) eram distribuídas com o nome ainda não oficial de Leite Moça.

CASAS GRANADO...

real brasileira. Ali podiam ser encontrados o abolicionista José do Patrocínio, o jurista Rui Barbosa e o sanitarista Oswaldo Cruz, que, em 1903, aprovou a fórmula do Polvilho Antisséptico Granado, até hoje o carro­-chefe da empresa ao lado dos sabonetes vegetais de glicerina comercializados a partir de 1915. As décadas seguintes registraram a expansão da rede e o lançamento de novos produtos, sempre fiéis a uma marca associada à qualidade

e à seriedade, mas em 1994 a empresa foi vendida e sua história mudou radicalmente. Seu novo proprietário, o empresário inglês Christopher John Ogle Freeman, soube casar tradição com modernidade e, sem esquecer o que a marca Granado significava, diversificou a linha de produtos e reposicionou a empresa no mercado. Novos postos de venda foram abertos em várias capitais brasileiras e teve início a conquista de mercados internacionais.

© DIVULGAÇÃO / GRANADO

Era em suas instalações no centro do Rio de Janeiro que nomes ilustres da vida política e intelectual do século 19 faziam suas compras. Fã ardoroso dos produtos da casa, D. Pedro II não fez por menos: elegeu o estabelecimento fundado pelo português José Antonio Coxito Granado em 1870 a farmácia oficial da família

© NESTLE.COM.BR/MOCA

os seus tradicionais produtos – que também passaram a ser oferecidos em embalagem Tetra Pak –, lançou novas linhas, entre elas a dos desnatados e a dos docinhos prontos para o consumo. Hoje, o Brasil é o maior mercado mundial de leite condensado.

© ACERVO / GRANADO

Quem nunca experimentou tomar essa delícia direto da latinha? Muitos brasileiros, com certeza, já fizeram isso, esquecendo as regras de boa educação. Mas não foram criticados! Ao contrário, foram copiados por várias gerações desde que o produto – já conhecido no mercado, apesar da dificuldade de ser encontrado – começou a ser industrializado no Brasil pela empresa suíça Nestlé, em 1921. Nessa época, a Nestlé já havia conquistado os países europeus com sua versão da fórmula do leite condensado, patenteada em 1856, e teve uma sacada de gênio ao decidir batizar a marca, no Brasil, com o nome “leite moça”. Afinal, era assim que a população estava acostumada a chamar o produto, pois o identificava com a imagem da camponesa em seu rótulo. O nome pegou e acompanhou o reposicionamento da marca no mercado nacional. Sem deixar de lado

Fachada da Drogaria Granado em 1888.

26 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

Atual linha de sabonetes Phebo.


O MELHOR PROGRAMA PARA DEPOIS DA PRAIA

COMPRAS. LAZER. CONVÍVIO. TUDO O QUE VOCÊ ESPERA DE UM SHOPPING.

AV. DA RIVIERA, 1256 - TEL.: (13) 3316-6033 RIVIERA DE SÃO LOURENÇO


GASTRONOMIA CHEFINHOS

KIDS “fazendo arte” na cozinha

Programas de TV e a abertura de cursos da área gastronômica apontam: cresce o interesse de crianças de ambos os sexos pelo preparo de alimentos por Sheila Mazzolenis

Chega da brincadeira! As crianças estão

te, na hora do almoço – na volta da escola sem-

abandonando seus joguinhos de panelas de

pre passavam por lá. E me acompanhavam nas

plástico e fogão de mentirinha. No lugar de

viagens gastronômicas pelo mundo, na visita a

utensílios mínis e inúteis preferem a realidade

restaurantes dos amigos. Portanto, receberam

de uma cozinha bem equipada e a emoção de

um ensinamento natural, do dia a dia de um

servir comidinhas de verdade! Sim, está no fim

cozinheiro.” E hoje Thomas é também um chef

a época de “lugar de criança é fora da cozinha”

respeitado!

e inicia-se um tempo em que o envolvimento dos

Essa tendência de abrir as portas da cozi-

baixinhos no preparo de pratos é estimulado por

nha para a criançada conta cada vez mais com

programas de TV, projetos sociais e de educação

a adesão dos pais e apresenta vantagens notá-

ambiental, cursos especialmente criados para

veis: os pequenos tornam-se mais cooperativos

eles (veja quadros nesta reportagem) e, sem dú-

nas atividades domésticas, descobrem que isto

vida, um ambiente familiar favorável. Afinal, o

pode ser feito com igual destreza por meninos

velho método do bom exemplo, dado por avós

e meninas, perpetuam tradições culinárias,

e pais, é fundamental para despertar os dotes

aprendem a não desperdiçar alimentos, aceitam

culinários dos pequenos. Assim foi, por exem-

experimentar o que antes recusavam e passam a

plo, com a família do chef Claude Troisgros (ver

comer até aquilo que não suportavam. Pizza de

quadro), que confessa não ter cozinhado com

abobrinha? Delícia! Salada verde? Bom demais,

os filhos Thomas e Carolina quando eles eram

mas também tem de ter cenoura crua ralada e

crianças: “naquela época, eu trabalhava na

rabanete! “É espantoso”, dizem as mães, orgu-

cozinha no almoço e no jantar, todos os dias, e

lhosas: “meu filho agora come bem!” A esta fra-

sobrava pouco tempo para descansar e cuidar

se acrescentaríamos: “e cozinha melhor ainda!

da minha família, mas eles frequentavam a co-

Melhor do que muito adulto” – basta ver progra-

zinha do meu restaurante, Olympe, diariamen-

mas como Que Marravilha! Chefinhos!, produzi-

28 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O


© FOTOHUNTER / ISTOCK.COM © ALEXANDRE CAMPBELL / GNT

“Fiquei muito feliz ao perceber que estamos mudando não só o jeito de preparar os alimentos, mas também incentivando a comer melhor, de maneira mais saudável, e ensinando a comprar os produtos certos, no momento certo, com qualidade certa” CHEF CLAUDE TROISGROS

do aqui mesmo no Brasil e conduzido por Claude Troisgros, Masterchef Kids ou qualquer outro do

QUE MARRAVILHA PARA CRIANÇAS! Muito adulto ficou com inveja quando o bem­-sucedido programa de Claude Troisgros no canal GNT passou a receber competentes aprendizes de arte culinária entre 10 e 15 anos de idade. E o objetivo dessa garotada, como o de outros adeptos do bem comer e cozinhar, era aprender tudo o que pudesse com um dos chefs mais conhecidos e respeitados do universo da gastronomia, membro da terceira geração de chefs franceses de fama internacional – seu pai, Pierre Troisgros, foi um dos criadores da Nouvelle Cuisine Française, uma tendência que revolucionou hábitos alimentares! E não é que a meninada se saiu bem! Muito bem, na verdade, se considerarmos a sofisticação dos pratos que aprenderam com o mestre e reproduziram em seguida. Afinal, não é todo mundo que consegue

preparar, entre outras delícias, uma mousse de vieiras e lagostins com aspargos, um bife a Wellington, um magret de pato ou um civet de coelho com talharim de palmito! “No total, foram três temporadas de 13 programas cada uma”, explica Claude. “Isto significa que 39 crianças participaram! E elas estão cozinhando cada vez mais! Fiquei muito feliz ao perceber que estamos mudando não só o jeito de preparar os alimentos, mas também incentivando a comer melhor, de maneira mais saudável, e ensinando a comprar os produtos certos, no momento certo, com qualidade certa. Hoje recebo, no Que Marravilha!, meninos e meninas com talento e paixão – eles serão os grandes cozinheiros do futuro”. E quando perguntam a Claude o que ele sugere aos pais que desejam introduzir seus filhos na arte culinária, ele não hesita: “eles devem apoiar e ajudar seus filhos a se aprofundar nesse hobby ou nessa profissão, que, com certeza, vai trazer muita alegria para toda a família.”

gênero (são muitos!). A meninada esbanja criatividade, talento, inovação em pratos doces e salgados, e inspiram outros, da mesma idade, a experimentar essa espécie de alquimia que é cozinhar!

Sapatilhas, não! “Hoje, tem meninas que em vez do tradicional balé preferem aprender a cozinhar”, conta Mariana Tebet Dib, proprietária da Chefs e Chefinhos (ver quadro), que aponta outros benefícios deste aprendizado. “As crianças desenvolvem a organização e a capacidade de trabalhar em equipe, aprendem a lidar com os erros e a ter paciência, além, é claro, de experimentar novos alimentos – aliás, este era o principal objetivo dos pais algum tempo atrás: alimentar melhor seus filhos. Hoje já é bem maior o número de mães que contratam aulas para meninas e meninos simplesmente porque, segundo elas, eles gostam de cozinhar!”


© DIVULGAÇÃO / MARIANA DIB

© DIVULGAÇÃO / MARIANA DIB

GASTRONOMIA CHEFINHOS

CHEFS E CHEFINHOS

A ex-designer gráfica e publicitária Mariana Tebet Dib descobriu que, apesar de não ser chef, adora trabalhar com criança e culinária. Por isso, abriu a empresa Chefs e Chefinhos, que tem uma proposta bem diferente dos cursos tradicionais de culinária: as aulas podem ser dadas na casa dos alunos, em empresas, cozinhas gourmets de prédios residenciais, em acampamentos, festas ou workshops – e isto vale para crianças a partir de 7 anos de idade. “Oferecemos programas de aula em formatos diferentes, com atividades e práticas personalizadas, ministradas

© FABIO GALLI

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

A frase do chef Eudes Assis tem fundamento em sua própria história de vida, nos ensinamentos que recebeu e nas escolhas profissionais que fez – a principal delas foi voltar às suas raízes caiçaras, depois de larga experiência culinária no exterior, abrir o restaurante Taioba e ensinar tudo o que sabe a 123 crianças entre 7 e 13 anos que participam do Projeto Buscapé, uma associação sem fins lucrativos com sede em Boiçucanga, litoral norte de São Paulo. O objetivo desse projeto é propiciar novas experiências às crianças e jovens da região, mostrando a eles a importância da disciplina, do respeito ao próximo, da cidadania – e para Eudes, uma aula de gastronomia contribui para isso. “Pode se passar muita coisa em uma aula de culinária”, afirma o chef. “A receita de um prato é o menos importante. A gastronomia nutre relações, nos ensina a compartilhar, revela a cultura dos povos, é uma forma que temos de ampliar nossa visão de mundo. Portanto, isso é tão importante para o crescimento saudável de crianças e adolescentes – e para a formação de cidadãos – quanto aulas de atletismo, judô, natação, música, pintura, artesanato que também são oferecidas pelo Projeto Buscapé.” À frente da oficina de gastronomia do Buscapé, Eudes tem contado com a colaboração voluntária de alguns chefs de renome como Alex Atala, Rodrigo Oliveira, Jefferson Rueda e Renata Vanzetto, todos empenhados em transmitir às novíssimas gerações a importância cultural de hábitos alimentares saudáveis, com o uso de produtos locais, facilmente acessíveis a quem os prepara e consome!

© DIVULGAÇÃO / MARIANA DIB

“GASTRONOMIA É ARTE E CULTURA”

30 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

por chefs treinados”, conta Mariana. “Se a criança preferir, pode fazer aulas individuais ou reunir em sua casa o grupo de amigos mais próximos – o que é muito divertido! – e aprender desde técnicas básicas de confeitaria à culinária caseira cotidiana. Para os pais, esse tipo de aula é interessante, pois ele não precisa se preocupar com a organização: levamos os utensílios necessários – a maioria é de plástico colorido, próprio para os pequenos – e uniformes. E sempre pedimos autorização dos responsáveis para eles usarem faca, fogão ou forno.” WWW.CHEFSECHEFINHOS.COM.BR INSTAGRAM: CHEFSECHEFINHOS FACEBOOK: CHEFS E CHEFINHOS


A COZINHA COLORIDÍSSIMA DE KAPIM

Nutricionista, Gabriela de Mattos Gonçalves – que todos conhecem pelo apelido de infância, Kapim – emplacou dois programas de sucesso na televisão brasileira: Socorro! Meu filho come mal, que antecedeu o atual Cozinha colorida da Kapim, igualmente bem-sucedido. O seu objetivo é sempre o mesmo: melhorar a alimentação das crianças, e

faz isso permitindo que os pequenos participem do preparo das refeições. “Logo após me formar em nutrição trabalhei em uma escola infantil e percebi como as crianças valorizavam a sua participação no preparo dos pratos”, conta Kapim. “As mães me perguntavam o que tinha de diferente na cenoura ou no tomate da escola, porque seus filhos só comiam lá! A resposta era e é simples: quando fazem parte do preparo – seja ralando, descascando ou lavando –, os pequenos se interessam mais por

comer aqueles alimentos. Logo depois, montei uma aula de culinária nessa mesma escola e o resultado foi muito satisfatório. As crianças adoram viver essa experiência da cozinha, que permite que elas sejam criativas e se alimentem melhor. O Cozinha Colorida resgata um pouco dessas raízes: acho importante divulgar amplamente a ideia de que cozinhar pode ser bom e saudável para a criançada.” Para Kapim, os pais devem apoiar os filhos interessados em culinária e supervisionar de perto seus experimentos, mas alerta: “sem pressão!”. E explica: “muitos pais criam expectativas e até pressionam as crianças para que elas tenham um bom resultado na cozinha. Não adianta! O bolo do pequeno não vai ficar igual à receita da foto! E se o bolo solar? A gente come assim mesmo! O importante é a experiência, sem pressionar. A criança precisa entender que aquela receita pode dar errado, ou não, nunca se sabe. O que vale é a tentativa e o momento entre pais e filhos.”

WWW.GABRIELAKAPIM.COM.BR/BLOG

Essa realidade tem sido apontada por mui-

© DIVULGAÇÃO / GNT

tos pais. Ana Rodrigues, por exemplo, acompanhou sua filha, Lina, de 10 anos, a um curso de culinária ministrado recentemente pela chef Bel Coelho em São Paulo, e conta: “Lina adora cozinhar e agora está interessada em culinária orgânica. Incrível, não é?” E Renata Franschetti se orgulha de Pedro, 5 anos, que gosta de ajudá-la

DA HORTA À MESA

A mudança nos hábitos alimentares das crianças – e até de suas famílias – foi notada pelos participantes do Programa Clorofila (ver reportagem nesta edição), projeto de educação ambiental da Sobloco que se destacou com o cultivo, por parte dos alunos, de hortas e jardins em escolas da rede pública de Bertioga. “Ao cuidar dos vegetais que plantou, a criança não só compreende o processo de cultivo e de produção de alimentos, como valoriza o seu esforço e os resultados obtidos”, explica a educadora ambiental Cristina Peres. “Nada mais natural, portanto, do que experimentar o que plantou e levar para casa o fruto do seu trabalho. Mas o aprendizado não para por aí: mostramos também como aproveitar tudo de um alimento – por exemplo, bolos de casca de banana são deliciosos! – e a prepará-lo, sem desperdício. A partir daí, nossos alunos desenvolvem receitas naturais e muito saborosas, como sucos, sanduíches, bolos.”

na cozinha, já sabe preparar os ovos para serem mexidos e come de tudo – “menos kiwi e maracujá, pois sou alérgico”, explica o esperto garoto, degustando a sobremesa de frutas da estação preparada pela chef Bel sob seu olhar atento. Esse tipo de testemunho é dado por outras mães. Em março, durante o evento Mesa ao Vivo Praia, realizado na Riviera, um curso para crianças reuniu, entre outros, Júlia, de 8 anos, e seu irmão, Felipe, de 4. Orgulhosa, a mamãe Patrícia Carvalho diz que o interesse de sua filha mais velha pela culinária foi, sem dúvida, despertado pelo seu marido, que adora cozinhar. E as irmãs Isabela, de 7 anos, e Rafaela, de 5, também “vivem na cozinha, gostam de ajudar a fazer doce, mexer as panelas, trabalhar com massa”, explica a mãe, Carolina Madio Luciano – e falando em massa, as duas meninas prepararam, durante o curso, deliciosas minipizzas!

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

31


ARTIGO

LUIZ AUGUSTO PEREIR A DE ALMEIDA

© CAT_CHAT / ISTOCK.COM

Despoluição dos oceanos não pode morrer na praia Se os cidadãos não cuidam e se orgulham de seu ambiente mais próximo, sua casa e sua escola, de nada adianta pedir-lhes que preservem o Planeta”

A Conferência sobre os Oceanos, realizada pela Organização

o custo da universalização do saneamento para o Brasil seja de

das Nações Unidas na cidade de Nova York, durante a Semana do

R$313,2 bilhões! Trata-se de montante absolutamente inviável

Meio Ambiente, em junho, suscita ampla reflexão sobre as cau-

num país em constante crise fiscal!

sas da poluição e da grande concentração de plásticos e outros

A inexistência de saneamento é também algoz da saúde e edu-

materiais nas águas, apontadas no evento. A questão crucial a

cação, áreas sensibilíssimas para um planeta mais sustentável.

ser enfocada sob o ponto de vista urbanístico refere-se às políti-

Sem condições mínimas de habitabilidade e higiene, diminui-se

cas públicas para o uso e ocupação do solo nas orlas marítimas,

a probabilidade de construirmos uma nação habitada por pes­

em especial nos países em desenvolvimento. Caso esse desafio

soas conscientes de seu papel de protagonistas na conservação

não seja enfrentado com eficácia e determinação pelos governos,

do meio ambiente. É no conforto e segurança do lar que se cons-

o movimento global da ONU pela limpeza dos mares morrerá na

trói a família e a dignidade dos indivíduos. Se os cidadãos não

praia, literalmente.

cuidam e se orgulham de seu ambiente mais próximo, sua casa e

É notório que a ocupação urbana das nações banhadas pe-

sua escola, de nada adianta pedir-lhes que preservem o Planeta.

los oceanos dá-se principalmente em suas regiões costeiras.

Nunca foi tão importante priorizarmos o nosso crescimento

Veja o caso do Brasil, onde 85% dos habitantes vivem ao longo

com o devido planejamento urbano, principalmente em nosso lito-

de seus 8,5 mil quilômetros de costas. Porém, esse adensamen-

ral, região preferida dos brasileiros. Nesse sentido, já existem boas

to populacional não é acompanhado dos necessários investi-

iniciativas, como a inteligente lei do Zoneamento Ecológico-Eco-

mentos em infraestrutura, como drenagem, saneamento básico

nômico da Baixada Santista, que classificou os nove municípios

e gestão de resíduos. Essa omissão e/ou falta de compromisso

dessa Região Metropolitana por tipos de ocupação. Foram anos

de planejamento e investimentos em infraestrutura são fatores

de análise dos órgãos públicos competentes e sociedade civil, das

determinantes no incremento da poluição em todas as suas for-

particularidades urbano/ambientais de cada área, para se concluir

mas, sólidas ou líquidas.

quem, onde e o que se pode fazer em termos de ocupação do solo.

Não é de hoje que o Instituto Trata Brasil vem alertando so-

© FÁBIO H. MENDES

bre os problemas e consequências da inexistência de saneamento

Luiz Augusto Pereira de Almeida é diretor da Fiabci/ Brasil e diretor de marketing da Sobloco Construtora S.A.

32 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

Com a lei, estabeleceu-se um caminho seguro para o desenvolvimento sustentável e a prevenção à degradação ambiental.

em nosso País. Os números falam por si só: somente 42,6% dos

Ao redor do mundo, multiplicam-se numerosos bons exemplos

esgotos são tratados. Mais de 100 milhões de brasileiros não têm

de ocupações planejadas, inúmeras no litoral, que certamente não

acesso a esse serviço. Em termos de volume, as capitais brasilei-

se incluem entre os fatores de poluição dos mares, nem da dete-

ras lançaram 1,2 bilhão de metros cúbicos de esgotos na natureza

rioração ecossistêmica. O Brasil tem milhares de quilômetros de

em 2013. Este problema repete-se ano a ano. Os investimentos,

costa, mas não consegue tirar proveito dessa riqueza natural, pois

embora prioritários, são insuficientes.

projetos ou planos de desenvolvimento urbano sustentáveis são di-

O rápido e gigantesco crescimento urbano constatado no Bra-

ficultados e até impedidos, sob diversas alegações, principalmente

sil nos últimos 50 anos (estima-se que 90% dos habitantes este-

as de cunho ambiental. Porém, o que está poluindo de fato é a ocu-

jam vivendo nas cidades), sem as devidas contrapartidas, pode

pação irracional e desordenada do solo, que é crescente.

ser apontado como o grande responsável pela situação precária

As nações desenvolvidas já têm cidades planejadas, com

de infraestrutura de saneamento em que nos encontramos. As

meio ambiente equilibrado, segurança, educação, saúde, trans-

cidades cresceram, na maioria das vezes, desprovidas de plane-

porte e riqueza. Está na hora de nos juntarmos a elas, incen-

jamento urbano, optando pelo espalhamento ao invés do aden-

tivando e multiplicando iniciativas de projetos e empreendi-

samento, com duplo efeito negativo: oneraram-se imensamente

mentos sustentáveis, sob o risco de legarmos às novas gerações

os custos per capita em saneamento, comprometendo a capaci-

um país carente de infraestrutura, ecologicamente equivocado,

dade de investimentos dos governos nesse setor; e se provocaram

pobre, inseguro e poluidor dos oceanos. Ainda é tempo de re-

imensos danos ao meio ambiente. Resultado: estima-se hoje que

construir o futuro.


RIVIERA DE SÃO LOURENÇO - MÓDULO 7

A praia a seus pés, o verde ao seu redor.

CONCEPÇÃO ARTÍSTICA DA FACHADA

3 DORMS (1 SUÍTE) • 2 OU 3 VAGAS 111 A 139 M DE ÁREA ÚTIL 2

INFRAESTRUTURA COMPLETA DE LAZER EM UM MAGNÍFICO TERRENO COM 2.204 M2

WWW.SOBLOCO.COM.BR/IPANEMA VISITE SHOWROOM NO LOCAL: ALAMEDA DO MONJOLEIRO, 32

TEL: (13) 3316-5330 REALIZAÇÃO:

COORDENAÇÃO DE VENDAS:

Memorial de Incorporação registrado em 17/10/2016, sob o nº 6 da matrícula nº 52.182 do 1º Registro de Santos. As imagens contidas neste material são preliminares, sujeitas a alterações. FOTOMONTAGEM COM A LOCALIZAÇÃO DO EDIFÍCIO IPANEMA


R E A L E S TAT E I M Ó V E I S

Sinta a Riviera

Para comprar ou vender na Riviera, confie no SIV Pavilhão de Vendas: Largo dos Coqueiros, 15 – Módulo 5 Tel.: (13) 3316-8008

As melhores oportunidades de imóveis na Riviera de São Lourenço estão no Sistema Integrado de Vendas (SIV). Confira aqui uma cuidadosa seleção e faça ótimos negócios!

© FOTOS: VIVIANE OGGIANO

Portal de imóveis: www.rivieradesaolourenco.com/siv

CASA DE CINEMA Incrível oportunidade para ser proprietário dessa linda casa de dois pavimentos com 1.194 m2 e os pés literalmente na areia da praia! Toda mobiliada e decorada, possui no térreo uma cozinha planejada e integrada à área gourmet , além de 2 suítes, living para 2 ambientes com varanda, área de serviço e suíte de empregada. No andar de cima, mais 5 suítes completas e uma sala íntima. Na área externa, além de 10 vagas de garagem – sendo 8 cobertas e 2 descobertas –, conta com uma linda piscina e churrasqueira com vista para o mar. Cód.: SC03297

ESPAÇO E CONFORTO Com 934,70 m2 construídos – dentro da área de 2 lotes somados –, esta casa é uma tentação até aos compradores mais exigentes. São dois andares, nos quais estão distribuídas 6 espaçosas suítes, sendo uma com closet e duas masters com hidro. Para o lazer, salão de jogos, sala de cinema com homer theater, jacuzzi, piscina aquecida, sauna, churrasqueira, além de 6 vagas de garagem. Cód.: SC04395

34 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O


UMA PINTURA DE VISTA Com decoração moderna e de extremo bom gosto, este apartamento de 348.79 m2 é todo revestido em porcelanato e possui uma das vistas mais bonitas da praia da Riviera. São 5 suítes com terraço, 1 dormitório, banheiro social, living para 2 ambientes, cozinha americana, área de serviço com dormitório de empregada, churrasqueira e uma piscina encantadora. O condomínio conta ainda com outra piscina, salão de jogos, churrasqueira, quadra de tênis, salão de festas e sauna. Cód.: SA00586

SUA MAIS ALTA CONQUISTA Toda revestida em porcelanato, esta cobertura de 316,25 m2 é uma das grandes oportunidades da Riviera. Novíssima e pronta para morar, possui 5 dormitórios (sendo 4 suítes) com terraço, banheiro social, living para 2 ambientes, lavabo, área de serviço, suíte de empregada, além de churrasqueira e piscina para o lazer ser completo. Na área de lazer do condomínio, uma excelente piscina, salão de jogos, churrasqueira, playground, salão de festas, sauna, entre outros itens que completam a excelente aquisição. Cód.: SA03768

CHARMOSA COBERTURA Cobertura com 230,52 m2 toda mobiliada e bem conservada, que levará conforto e sofisticação aos novos moradores. São 2 suítes e 2 dormitórios com ar­-condicionado, terraço, 1 banheiro, living para 2 ambientes, cozinha americana com copa, área de serviço, 3 vagas de garagem, churrasqueira e uma piscina privativa que é a cereja do bolo. Faça uma visita! Cód.: SA04396

GRANDE OPORTUNIDADE Funcionalidade define este charmoso sobrado de 325 m2. No térreo, uma suíte, living para 2 ambientes com varanda, cozinha americana completa, área de serviço e uma edícula com dormitório e banheiro. No piso superior, 4 suítes com ar-condicionado, sendo uma com terraço, além de uma sala de TV. Na área externa, piscina e churrasqueira para receber a família e os amigos com todo conforto. Cód.: SC04381

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

35


R E A L E S TAT E I M Ó V E I S

PARAÍSO PRÓPRIO Todo decorado, este apartamento de 253 m2 vai realizar seu sonho de ter um refúgio com vista absoluta para o mar! Espaçoso e bem planejado, possui pintura, janelas e pisos novos. São 4 suítes com terraço, living para 2 ambientes e uma cozinha que encanta pela integração com o resto do imóvel. Possui ainda 4 vagas de garagem, área de serviço, suíte de empregada e lazer completo no condomínio, com piscina, salão de jogos, churrasqueira, playground, salão de festas e sauna. Cód.: SA03234

CHEIA DE CHARME Com piso novo e ótimo padrão de acabamento, esta casa de 124,66 m2 – dentro de um charmoso Villágio! – atrai pelo bom gosto. São dois andares, sendo o térreo com banheiro, living para 2 ambientes com varanda, lavabo, cozinha americana com armários e, no pavimento superior, 2 suítes com terraço, 1 quarto e 1 banheiro social. Na área externa, churrasqueira e vaga para 2 carros. Cód.: SV04365

ESPAÇO E ESTILO Não tem como falar desta casa e não pensar em requinte e sofisticação! Com 442 m2 de área muito bem construída, este imóvel mobiliado conta com dois amplos pavimentos. No primeiro, o destaque vai para a suíte e o living para 3 ambientes com varanda. Já no piso superior, além das 3 suítes, existe uma 5a suíte com um amplo terraço e um spa para até 7 pessoas. Na área externa, uma linda piscina e churrasqueira com ducha e 4 vagas de garagem. Cód.: SC04297

36 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

VIZINHO DO MAR Um apartamento diferenciado, para pessoas que sabem valorizar detalhes e apreciar a vida. Com 214,52 m2 muito bem distribuídos, o imóvel oferece 4 suítes com terraço, lavabo, living para 2 ambientes com ar-condicionado, cozinha completa com armários, banheiro social, churrasqueira na sacada, área de serviço com dormitório de empregada e 4 vagas de garagem. Para completar a comodidade, na área de lazer do condomínio, piscina, salão de jogos, playground, quadra de tênis, salão de festas, sauna, entre outros itens. Cód.: SA03952


ESPLÊNDIDA O alto padrão de acabamento e o projeto impecável fazem deste imóvel um excelente investimento! Toda revestida em porcelanato e mármore travertino, é uma casa com 700 m2 de puro bom gosto. São 7 suítes, sendo duas com hidromassagem, living para 4 ambientes com varanda e lareira; sala de cinema com home theater, lavabo, cozinha americana completa e área de serviço com suíte de empregada. Na área de lazer da casa, piscina, sauna e churrasqueira, sem contar as 6 vagas para carro sendo duas cobertas. Cód.: SC01337

EXCLUSIVIDADE MÁXIMA Apenas a linha do horizonte limita esta vista! São 2 suítes e 2 quartos com terraço, generosamente distribuídos em 323,72 m2 de área útil. O imóvel está finamente mobiliado e conta com banheiro social, living para 3 ambientes com terraço e churrasqueira, cozinha americana completa, área de serviço, suíte de empregada, 3 vagas na garagem e, para coroar seu lazer, piscina com uma vista de tirar o fôlego! No condomínio, piscina, quadra poliesportiva, salão de jogos, churrasqueira, playground, quadra de tênis e muito mais. Cód.: SA03764

UM ESPETÁCULO! Com os pés na areia, este lindo apartamento de 510,42 m2 vai ao encontro de quem procura tranquilidade e muito espaço. São 4 suítes (sendo 1 com hidro), terraço, banheiro social e lavabo. Na área social, living para 3 ambientes, cozinha completa com armários, área de serviço com suíte de empregada, churrasqueira, piscina e 4 vagas. O conforto continua com a área de lazer do condomínio, que oferece salão de jogos, churrasqueira, salão de festas, sauna e piscina. Cód.: SA02635

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

37


CID A DES R E V I TA L I Z A Ç Ã O U R B A N A

CIDADE VIVA Intervenções urbanas competentes e bem planejadas podem evitar a decadência dos espaços públicos e restaurar sua beleza e utilidade

Ruas, praças, bairros também envelhe-

mentos de pujança, decadência e recuperação.

cem, alguns até perdem a vida soterrados pelo

Neste processo, ao mesmo tempo em que em

lixo, mato e abandono institucional! Mas é

vários locais foram preservadas representações

sempre possível rejuvenescê-los ou ressusci-

culturais e artísticas do talento humano, em

tá-los e devolver à população um novo e útil

outros, até mesmo das mesmas cidades, nada

espaço urbano.

foi feito. Para algumas pessoas, a solução para

Isso tem sido feito com frequência cada

áreas degradadas seria simplesmente “passar

vez maior por governos, empresas privadas

o trator, derrubar e fazer tudo de novo”. Contra

e pela sociedade, conscientes de que, com o

esta linha de ação agressiva se colocam inú-

aumento da população mundial e o exíguo

meros arquitetos, urbanistas, administradores

espaço disponível em nosso planeta, não se

públicos e setores da sociedade, que apostam

pode desprezar algumas áreas, mesmo que

no reaproveitamento, revitalização e cuidados

elas estejam degradadas ou não tenham valor

constantes dos espaços públicos, procedimen-

histórico e cultural. É preciso reaproveitá-las,

to muitas vezes mais barato e, com certeza, sus-

transformá-las, utilizá-las.

tentável e ambientalmente vantajoso.

Intervenções urbanas desse tipo não são,

O arquiteto Roberto Aflalo Filho, do escritó-

na verdade, uma novidade na história da hu-

rio Aflalo/Gasperini, esteve à frente de um dos

manidade, mas se tornam essenciais em um

mais bem-sucedidos projetos de revitalização

momento de preocupação com o futuro do pla-

do País: a transformação do Complexo Peni-

neta e da população mundial. Todas as cidades

tenciário do Carandiru no Parque da Juventude

nasceram e se desenvolveram alternando mo-

(ver item Carandiru livre, nesta reportagem),

38 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© FERRANTRAITE / ISTOCK.COM

por Sheila Mazzolenis


ERA UMA VEZ UMA FERROVIA... ... elevada, antiga, abandonada, feia! Cortava três bairros diferentes de Nova York – Meatpacking, West Chelsea e Hell’sKitchen/Clinton – e parecia destinada a ser mais uma obra importante do passado que chegou aos anos 1980 sem qualquer utilidade. Destruí-la, até que foi cogitado, mas era uma solução cara, e contra ela se colocaram os moradores da região: “por que não transformá-la em um parque urbano suspenso?”, sugeriram. A prefeitura vacilou, mas acabou aceitando a ideia. No início dos anos 2000, as obras começaram e antes que a década acabasse os novaiorquinos e turistas ganharam o High Line, imediatamente alçado à categoria de um dos pontos mais procurados da cidade. Conduzido por James Corner Field Operations, DillerScofidio, Rentro e PietOudolf, o projeto custou bem menos do que havia sido previsto para demolir a linha de trem e valorizou sensivelmente a área do entorno: velhos galpões e fábricas cederam lugar a galerias de arte, restaurantes, museus, lojas e residências, enquanto no parque elevado – com cerca de oito metros de altura – os trilhos da estrada de ferro foram substituídos por 2,5 quilômetros de áreas livres, com bancos para descanso, jardins e uma vista atraente para os arranha-céus de Nova York e para o Rio Hudson.

ANTES


CID A DES R E V I TA L I Z A Ç Ã O U R B A N A

um presente para a população jovem da capital paulista. “Revitalizar é uma atitude moderna, e revitalização é um pensamento sustentável”, enfatiza Aflalo. “Devemos levar adiante essa atitude e aplicar, na prática, o conceito de sustentabilidade na transformação de nossos núcleos urbanos – e é interessante notar que o dimensionamento do espaço público sempre foi acanhado em nossas cidades. São Paulo, por exemplo, tem um incrível potencial de transformação urbanística em seu próprio centro, que foi gradativamente abandonado enquanto a cidade se expandia para os lados. No entanto, a restauração dessa área central – que seria muito bem-vinda pela população – esbarra no fato de que possui um zoneamento diferenciado do resto da capital e exige a realização de mudanças no sistema viário e de transporte, de custo altíssimo”. O arquiteto e urbanista Robert de Paauw concorda com Aflalo a respeito do potencial de transformação da região central de São importância cultural para a população. Nascido em Barcelona e atualmente radicado no Brasil, ele afirma: “Todos nós queremos cidades mais agradáveis, áreas revitalizadas a partir de conceitos sustentáveis. Para que isso ocorra, qualquer projeto deve ser precedido por pesquisa histórica e sociocultural do espaço a ser transformado, bem como um estudo do seu plano viário e um levantamento de todos os seus atributos, mesmo os escondidos, como rios subterrâneos – ou seja, deve ser feita uma avaliação de suas condições reais e de que forma elas podem contribuir para a revitalização de uma área”.

Um exemplo a ser seguido Nas próximas páginas – e na anterior – podem ser admirados resultados de intervenções urbanas inteligentes em várias partes do mundo – eles avalizam o acerto de processos bem planejados de revitalização com vistas a melhorar o habitat humano, preservar o meio ambiente e garantir a qualidade de vida das futuras gerações.

40 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© GRIMKA / ISTOCK.COM

Paulo, dotada de construções históricas e de

ANTES

PUERTO MADERO Construído em 1887, este porto de Buenos Aires não resistiu ao advento de navios de grande porte e ao crescente aumento do tráfego de mercadoria e de passageiros. No final dos anos 1910, mostrou os sinais de inadequação que acabariam por relegá-lo ao abandono e ao esquecimento durante quase cem anos. Hoje, é considerado exemplo de revitalização da capital argentina, endereço nobre e disputado apesar do alto preço dos seus imóveis: US$ 5 mil o metro quadrado de um apartamento médio! Como isso aconteceu? Dois fatores contribuíram decisivamente para a recuperação dessa área de 170 hectares: aplicação de uma Lei da Reforma do Estado e a criação, em 1989, da Corporação Antiquo Puerto Madero, que seria responsável pelo desenvolvimento do projeto e sua comercialização. Bem planejado e executado, o projeto começou a ser desenvolvido em 1991 e transformou completamente o bairro-ilha, ligado ao

centro de Buenos Aires por cinco pontes. Em menos de 20 anos, os velhos galpões, celeiros e moinhos ganharam novo lay out e utilidade, transformando-se em charmosas galerias, centros culturais, bares, cafés e restaurantes concorridos. O bairro é cortado por bonitas e amplas avenidas – todas com nome de mulheres da história argentina –, calçadões, ciclovias e parques que dividem o espaço com luxuosos edifícios comerciais e residenciais. O resultado é uma mistura muito atraente de construções antigas restauradas, prédios históricos, exemplares interessantes da arquitetura contemporânea e muito verde. Viver ou trabalhar aqui é, definitivamente, um privilégio!


espaço público para a comunidade. Em busca de projetos adequados a essa ideia, o governo lançou um concurso público, que seria vencido, em 1999, pelo escritório de arquitetura Aflalo/Gasperini. “Decidimos nos apropriar das peculiaridades do terreno e do entorno”, conta Roberto Aflalo Filho, “considerando, ainda, que tínhamos a nosso favor uma estação de metrô próxima – o que facilitaria o acesso ao futuro parque – e a possibilidade de preservar algumas edificações do complexo”. No entanto, o projeto só começaria a ser desenvolvido a partir de 2002 – após a transferência de presos e a implosão de alguns pavilhões –, com alterações no projeto original. “Mas acreditávamos que em uma área com carga tão negativa, qualquer coisa que fosse feita seria positiva”, avalia Aflalo. E assim foi! Hoje, no local está o Parque da Juventude, muito frequentado por jovens que vivem e estudam na região, atraídos por uma área esportiva de 35 mil m2, com quadras de esporte, pistas de skate, ciclovias,

playground, pista para caminhada e corrida, estações de ginástica. Aqui estão também duas escolas técnicas estaduais e a Biblioteca de São Paulo –, com acervo de mais de 35 mil obras, incluindo edições em braille, audiolivro, ebooks, kindles, DVDs, CDs e jogos. Disponibiliza ainda mais de 90 computadores para o público acessar a internet (gratuitamente, durante 120 minutos diários). O parque também possui infraestrutura adequada, com restaurante, lanchonete, áreas para piqueniques, estacionamento e sanitários, e se transformou, sem dúvida, em um dos espaços públicos mais procurados da cidade, com um entorno que cresce e se modifica positivamente. ANTES

© GFAE FOTOS AÉREAS

O processo de criação, desenvolvimento, decadência e recuperação de um espaço urbano é exemplificado pela história de uma localidade da zona norte da capital paulista: a Casa de Detenção de São Paulo, o complexo penitenciário que se tornaria conhecido como Carandiru. Inaugurada em 1920, a penitenciária foi inicialmente uma referência na forma como tratava sua população carcerária, chegando a receber elogios de visitantes famosos como o antropólogo e sociólogo Claude-Levy Strauss e o escritor Stefan Zweig, que registrou “a higiene e limpeza exemplares” das suas instalações. No entanto, nas duas décadas seguintes, com o aumento da criminalidade, foi atingida a sua capacidade máxima: 1.200 prisioneiros. Para fazer frente à superlotação foram construídos outros pavilhões, formando o Complexo Penitenciário do Carandiru, que nem de longe lembrava os tempos em que era considerada a maior e mais segura prisão da América Latina. Cercado por altos muros cinzentos, seu território chegou a ser ocupado por 8 mil presos e foi cenário de revoltas, violência, doenças e degradação humana, enquanto a área de seu entorno se deteriorava drasticamente. Diante desse quadro dramático, só restava desativar o complexo prisional – transferindo os presos para unidades a serem construídas em outro local – e transformar a área de 240 mil m2 em um

© DIVULGAÇÃO PMSP / JOSÉ LUIS DA CONCEIÇÃO

CARANDIRU LIVRE

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

41


CIDADES

ANTES

Um cemitério de ferro-velho: este talvez fosse o rótulo menos agressivo para a área de cerca de 2 mil m2 localizada em Duisburg Nord, Alemanha. Ali estavam carcaças de uma usina de produção de carvão e uma planta de fabricação de aço, totalmente abandonadas, feias e cobertas de mato – fazer o que com “aquilo”? Aproveitar a estrutura firme e fazer da área um espaço agradável para a população local, sem destruir esse exemplo da arquitetura industrial do início do século 20: essa foi a resposta da empresa Latz + Partner que, em 1991, concebeu o projeto de recuperação que resultaria no Parque Duisburg e que seria custeado com recursos públicos. As antigas instalações industriais foram transformadas em espaços multifuncionais, abertos a eventos de todos os tipos – de espetáculos teatrais a exposições e apresentações cinematográficas ao ar livre. E ao longo das estruturas de aço e ferro os mais ousados podem praticar o equilibrismo!

© MIKEVANSCHOONDERWALT / ISTOCK.COM

UM PARQUE DE AÇO E FERRO

São cerca de 500 metros de extensão, integrando as funções de iluminação, assentos, interpretação ambiental e orientação.

42 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© TURENSCAPE

FITA VERMELHA MADE IN CHINA Uma solução simples foi capaz de transformar uma área inacessível e perigosa ocupada por lixões, favelas abandonadas e sistemas de irrigação inativos em um espaço de lazer e de contemplação para a população de Qinhuangdao, na China. Trata-se da Fita Vermelha (Red Ribbon) – idealizada pelo escritório de arquitetura paisagística Turenscape –, uma passarela de fibra de vidro vermelha que atravessa um parque linear ao longo do rio Tanghe e integra as funções de assento, orientação e iluminação. Ou seja, ela não só acompanha e orienta os caminhantes em um passeio como ilumina a região à noite e durante os dias escuros de inverno graças a um sistema de luzes internas. Desenvolvido em 2007, o projeto incluiu a recolocação de vegetação nativa, jardins e áreas protegidas de descanso.


PRAÇA COM JEITO DE PARQUE Em uma área quase escondida no bairro de Pinheiros, em São Paulo, encontra-se a Praça Victor Civita, um agradável espaço de 14 mil m2 com jeito de parque e projeto urbanístico surpreendente, a começar pelos decks elevados de madeira, jardim suspenso e horta circular. Este ambiente, agora tranquilo e vicejante, esconde uma história que não deve ser esquecida, pois mostra que até mesmo áreas altamente prejudicadas podem ser recuperadas de maneira sustentável, com sucesso. Ali existiu o Incinerador Pinheiros. Estima-se que, durante 40 anos (1949-1989), ele queimou

diariamente 200 toneladas de lixo, contaminando o solo. Em 2001 foi dado o primeiro passo em direção à revitalização da área com a assinatura de um protocolo de intenções entre a prefeitura e o Grupo Abril, combinando esforços na realização da obra. O projeto, de autoria de Levisky Arquitetos Associados, com a participação da arquiteta convidada Anna Dietzch, foi elaborado e realizado a partir de premissas sustentáveis, visando à redução de entulho, baixo consumo de energia, utilização de materiais reciclados, legalizados e certificados, reúso de água, aquecimento solar,

manutenção da permeabilidade do solo. Mas o que chama mais atenção é a construção de decks elevados, que impedem que os visitantes caminhem em contato direto com o solo. Vencedor do VII Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa na categoria Obras Públicas Green, o projeto ainda contemplou a área com uma oficina de educação ambiental, um Museu da Sustentabilidade e o Centro de Informação, Integração e Preparação para o Envelhecimento (CIIPE), abertos ao público desde 2008, data da inauguração da praça.

© NELSON KON

ANTES

ENDEREÇO: RUA SUMIDOURO, 580 – PINHEIROS, SÃO PAULO © NATHALIE ARTAXO

O BAIRRO ESQUECIDO

© FRESHKILLSPARK.ORG

Assim era chamada a área de Staten Island (Nova York) onde estava localizado o maior aterro sanitário do mundo: Freshkills Landfill. Inaugurado em 1947, chegou a receber 13 mil toneladas de lixo por dia até seu fechamento em março de 2001 – 34 anos após a data prevista para isso! Mas foi reaberto temporariamente em setembro do mesmo ano para receber os escombros produzidos pelo ataque terrorista às Torres Gêmeas. A tragédia de 11 de setembro não impediu, contudo, que fosse colocado em prática um plano de revitalização do aterro, com data de finalização prevista para 2036. No entanto, já em 2011 foi entregue ao público

uma parte recuperada de sua área, oferecendo espaços de convivência, quadras esportivas, jardins e até uma torre para observação de pássaros – a fauna e a flora originais voltaram para esse habitat ! Modelo de sustentabilidade, o projeto também se destaca por utilizar os resíduos de metano do aterro sanitário para fornecer energia para casas da região.

ANTES


CID A DES R E V I TA L I Z A Ç Ã O U R B A N A ANTES

UM NOVO GÁS PARA SEATTLE O que pode haver de interessante nas ruínas de uma fábrica de gaseificação de carvão? Apenas a localização à margem do lago Union, de onde se tem uma bela vista panorâmica da cidade norte-americana de Seattle – é o que responderiam os apressados. Mas tudo muda no momento em que se descobre que essas ruínas são exemplares únicos de um tipo de planta fabril que não existe mais, responsável, durante 50 anos (1906-1956) pelo fornecimento de gás a Seattle. Esta especificidade valeu à área ser incorporada ao Registro Nacional de Lugares Históricos dos EUA e merecer tratamento cuidadoso no processo de revitalização que a transformou no Gas Works Park, um parque público no qual se destacam várias estruturas originais da antiga fábrica, agora com nova utilidade: a caldeira secular abriga um espaço para piquenique com mesas, bancos e churrasqueiras, e o exaustor/compressor foi transformado em um canto de recreação para crianças. Desenvolvido pelo arquiteto paisagista Richard Haag, o projeto realizou o que parecia impossível: recuperar uma área industrial tóxica e abandonada e fazer dela um espaço sadio, que seria aberto ao público em 1975. Por isso, recebeu um prêmio da Sociedade Americana de Paisagistas, entre outras homenagens.

44 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© SEASTOCK / ISTOCK.COM

© ACERVO SOBLOCO / GFAE

ESPAÇO CERÂMICA

ANTES

Aqui está uma prova de que parcerias público-privadas podem dar certo quando contam com o comprometimento de todas as partes em ações bem planejadas e desenvolvidas: é a implantação do maior projeto de revitalização urbana do País, em uma área de 300 mil m2 anteriormente ocupada pela indústria Cerâmica São Caetano, que entre as décadas de 1920 e 1990 contribuiu para o crescimento da região do ABC paulista e especialmente do município São Caetano do Sul, onde estava instalada. A antiga indústria deu lugar a um bairro planejado de uso misto que conta com o maior shopping center da região, prédios de escritório, hotéis, hospital e moradias – por ali circulam diariamente mais de 15 mil pessoas! Seu nome é Espaço Cerâmica e sua história começou em 1998. Planejado e realizado pela Sobloco Construtora – mesma empresa responsável pela realização da Riviera de São Lourenço –, o projeto envolveu não só a demolição da antiga indústria, mas também a melhoria de todo o sistema viário no entorno. Foram realizadas ainda: obras de drenagem para resolver o problema provocado pelas antigas, incômodas e frequentes enchentes que assolavam a região; transposição de um linhão de energia que atravessava o terreno; fiação enterrada em todo o projeto; paisagismo e dois parques públicos; e instalação de completa infraestrutura subterrânea que permite ao bairro receber todo tipo de cabeamento. Uma área antes comprometida e desativada deu lugar a um espaço onde o metro quadrado é o mais valorizado de toda a região. Quem agradece são os moradores da cidade, que ganharam mais espaço, serviços, lazer, empregos e receita.


Queremos que você nos conheça melhor. Com 23 anos de atividades, somos a Fundação 10 de Agosto. Estamos localizados na Riviera, mas abraçamos toda a Bertioga. Nossa missão é oferecer oportunidades para todos. Por meio da música, atendemos centenas de crianças e jovens da cidade, que tem cursos gratuitos, participam da orquestra juvenil e frequentam um ambiente saudável e rico em vínculos. Oferecemos ainda cursos gratuitos de capacitação profissional para jovens e adultos. Venha, estamos esperando a sua visita.

Alameda dos Vagalumes, 100. Riviera de São Lourenço - Bertioga/SP. Tel.: (13) 3316-7344 www.fundacao10agosto.com.br

facebook.com/fundacao10agosto youtube.com/user/Fund10Ag


GASTRONOMIA

JANGADA

Inaugurado em janeiro deste ano, novo restaurante caiu no gosto dos frequentadores da Riviera, atraídos por uma combinação imbatível: pratos saborosos, em um ambiente acolhedor!

© MAR FRANZ / FOTONATIVA

Embarque nesta Jangada

O difícil será escolher em um menu recheado de delícias: truta grelhada, tambaqui na brasa, moqueca de abadejo, bobó de camarão, lulas a dorê, temakis... mas o hit inquestionável é o espeto de pintado à moda da casa, o preferido da

A estrela do UpTown II: ótima comida, ambiente elegante e capacidade para 340 clientes.

maioria dos clientes que frequenta o restaurante Jangada, na Riviera de São Lourenço. Isso não chega a surpreender ninguém, pois esse prato é um dos carros-chefes da unidade-mãe da rede Jangada – aberta há mais de 50 anos na cidade de Mogi Guaçu – e continuou a fazer sucesso nas unidades de Limeira e de Campinas, abertas, respectivamente, em 2013 e 2015. Inaugurado em janeiro último, a unidade

animadora: em janeiro, atendemos aproxima-

quem gosta de comer bem, e a nova casa não só

damente 13 mil pessoas, a maioria moradores e

contribui para a melhoria da infraestrutura lo-

frequentadores do empreendimento. Nos meses

cal, como, nas palavras do diretor de marketing

seguintes, percebemos uma redução na frequ-

da Sobloco, Luiz Augusto Pereira de Almeida,

ência – o que é absolutamente normal se con-

“representa a geração de mais renda e de em-

siderarmos que entramos na baixa estação –,

pregos na região”.

mas notamos também um aumento de clientes

Localizada no Centro Comercial Uptown II

Riviera do Jangada acrescentou diversidade e

Riviera de São Lourenço (no km 212 da rodovia

ainda mais qualidade ao polo gastronômico no qual Bertioga está se transformando. Hoje,

FAMÍLIA LOPES: Felipe, Mário Lucio e Maria Rosa, Antonio e Maristela, Fernando e Natália.

46 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

o município já apresenta ótimas opções para

de outras cidades ou bairros, de passagem pela Rio-Santos.”

Rio-Santos, em Bertioga), o Jangada aposta na

Para manter sempre satisfeita a clientela

soma de aspectos essenciais para o sucesso de

fiel e conquistar novos clientes, o Jangada ino-

seu negócio: ótima comida; ambiente elegante e

vou na criação de um espaço japonês – aberto

acolhedor, apesar de ocupar espaço de 1.300 m2

para almoço e jantar – e de um menu executi-

e ter capacidade para 340 clientes; uma adega

vo na baixa temporada, com três opções: sala-

de 6 metros de altura; e atendimento familiar –

da de folhas e um prato principal, no valor de

ali é possível dividir pratos!

R$42,00; casquinha de siri e o prato principal,

Um dos proprietários da rede, Fernando Lo-

por R$49,00; e o festival japonês, por R$62,90.

pes, explicou que a escolha da Riviera de São

E entre os pratos principais, pode-se escolher:

Lourenço se deu pela afinidade entre o local e

tilápia grelhada com legumes e arroz; tilápia à

o cardápio. “Pratos com peixes e frutos do mar

parmegiana; filé mignon à parmeiana; taglia-

têm tudo a ver com praia. Nós queríamos ofe-

telle com filé mignon em tiras; truta grelhada ao

recer uma opção de qualidade para o pessoal

molho de limão com batatas rústicas. Ou seja,

da Riviera e região e temos tido uma resposta

tem para todo mundo e todos os paladares!


Bife do vazio Swift

Qualidade e variedade COM OS melhores preços TODOS OS DIAS.

Copa lombo

Na Swift, você encontra variedade de carnes bovinas, suínas, aves, cordeiros e pescados, com cortes perfeitos para qualquer receita.

Venha conferir!

Filé de bacalhau Swift

SWIFT RIVIERA SÃO LOURENÇO CENTRO COMERCIAL UPTOWN II – AV. MARGINAL

Receba novidades em primeira mão.

Cadastre-se na loja ou no site swiftevoce.com.br

Imagens meramente ilustrativas.

Ojo de bife Swift

DE SEGUNDA A SÁBADO, DAS 9H ÀS 21H AOS DOMINGOS, DAS 8H ÀS 15H

S W I F T.C O M.B R

Conheça nosso aplicativo em www.swift.com.br/app Disponível como Swift Mercado da Carne:

/swiftmercadodacarne /mercadodacarneswift /swiftmercadodacarne


E D U C A Ç Ã O A MB IE N TA L C L O R O F I L A

25 anos

Programa ímpar de educação ambiental em Bertioga já beneficiou mais de 15 mil jovens, fazendo deles cidadãos comprometidos com a preservação da natureza e o futuro saudável da humanidade por Sheila Mazzolenis

48


Plantar, cultivar, consumir com consciência, reci-

vido pela Sobloco mostrou a que veio: uma campa-

clar, reaproveitar: essas ações adequadas à manuten-

nha batizada Seu lixo vale ouro desafiou alunos das

ção da saúde do planeta e de seus habitantes têm sido

escolas do município a estudar um tema pertinente e

amplamente discutidas atualmente, mas eram pouco

pouco compreendido: o lixo! E nos anos subsequen-

conhecidas em 1992, quando a Sobloco Construtora –

tes, os desafios se mantiveram com novos temas,

responsável pelo desenvolvimento sustentável da Ri-

em concursos anuais – então batizados de Prêmio

viera de São Lourenço – lançou o Programa Clorofila.

Atitude Ambiental –, como o desperdício de água,

Seu objetivo, inovador, era contribuir para a formação

o reaproveitamento de resíduos recicláveis e o con-

de cidadãos conscientes sobre as questões ambientais

sumo consciente, mas sem deixar de lado aspectos

do nosso tempo, atuando ativamente na comunida-

importantes da história do País e de Bertioga – afi-

de em que vivem. E como a educação de crianças e

nal, o conhecimento dos fatos que geraram o mundo

jovens ainda é um dos instrumentos mais poderosos

e a sociedade em que vivemos é de extraordinária

de formação de caráter e de hábitos comportamentais,

importância para a formação do cidadão completo.

o público-alvo não poderia ser outro: estudantes da rede de ensino de Bertioga. Como diz o ditado popu-

Hora de plantar e de colher

lar, com todo o respeito, “é de pequeno que se torce

Depois de cinco anos, o Programa, já consolida-

o pepino”! E é sabido que crianças e jovens são óti-

do, decidiu que era hora de criar outra frente de tra-

mos propagadores de ideias e têm um natural talento

balho, ainda mais prática, sob sua chancela. A ideia

para influenciar pessoas, especialmente familiares e

era despertar no jovem e na criança um sentimento

amigos próximos – ou seja, partindo deles poderia ser

de afetividade com seu ambiente próximo – sua esco-

atingida toda a comunidade!

la, sua casa, seu bairro. Assim, em 1997, com o s­logan

Essa fórmula simples, associada a um programa

“preservando o meu ambiente”, nasceu o Projeto Clo-

educacional voltado para questões práticas relacio-

rofila, levando o mesmo nome do Programa, que pro-

nadas a hábitos mais saudáveis e sustentáveis, foi

punha implantar hortas, jardins e composteiras nas

um dos fatores do sucesso do Programa Clorofila. Já

dependências das escolas municipais, estaduais e

na sua primeira ação, em 1992, o programa desenvol-

particulares de Bertioga, tornando o espaço mais bo-

PARCERIA: GARANTIA DE BOM TRABALHO A importância, abrangência e a consistência do Programa Clorofila, comprovadas por anos de atividades ininterruptas, levou a Prefeitura de Bertioga, em 2009, a formalizar parceria entre ele e a Secretaria de Educação, parceria esta que foi fundamental para o município na obtenção e renovação do Selo Município Verde e Azul, conferido pelo governo do Estado. Por meio dessa parceria, a Prefeitura assumia o papel de incentivadora da comunidade escolar a participar do Programa Clorofila e abriu as portas da rede municipal para o desenvolvimento dos projetos e atividades propostos pelos profissionais da Sobloco. E para ampliar a capacidade de alcance do Programa, a Sobloco passou a fazer parte, ainda, do “Coletivo Educador de Bertioga”, que reúne representantes de diversas instituições e pessoas autônomas, com a missão de educar para a sustentabilidade.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

49


E D U C A Ç Ã O A MB IE N TA L C L O R O F I L A

nito e envolvendo a comunidade escolar na sua

Novos horizontes

manutenção. Em consequência, a formação dos

Nas histórias de Lia, Beatriz e Caio estão

estudantes conheceu um reforço que se revela-

exemplos claros da forma positiva como o ensi-

ria, com o passar do tempo, altamente produtivo

namento adequado e prático influencia positiva-

e transformador da vida de muitos jovens. Esse

mente os jovens e se propaga pela sociedade. Esta

foi o caso exemplar de Lia Becvar, então aluna

constatação certamente levou o Programa Clorofi-

da Emeif José Carlos Buzinaro, em Bertioga, uma

la a abrir outras frentes de trabalho e a propor no-

das escolas que aderiram ao projeto: Lia se apai-

vas atividades, envolvendo alunos e professores,

xonou pela arte de cultivar e produzir vegetais

como cursos de formação, feiras de meio ambien-

orgânicos na escola. Aprendeu técnicas de irri-

te, oficinas de culinária sustentável, passeios eco-

gação, compostagem, plantio e colheita de hor-

lógicos, encontros, comemorações do Dia do Meio

tas, o que lhe foi extremamente útil, anos depois,

Ambiente etc. Interligados, muitos desses eventos

quando finalizou seu projeto sênior na área de

são inspirados na Agenda 21, documento nascido

sustentabilidade de alimento em comunidade,

das discussões sobre as condições socioambien-

na Universidade Portland State, Estados Uni-

tais do planeta ocorridas no encontro internacio-

dos, onde vive atualmente. “A participação no

nal ECO-92, realizado no Rio de Janeiro.

Programa Clorofila despertou em mim a respon-

O estudo do documento produzido na ECO­-

sabilidade pela preservação do meio ambiente.

-92 estimulou a criação do Projeto Agenda 21

Desde então, eu me preocupo com tudo o que

na Escola, promovido e organizado pela Soblo-

envolve natureza e impactos ambientais, e luto

co em 2008 e que começou com um curso para

por melhorias.”

professores, ministrado por especialistas convi-

Mas Lia não é a única a apontar a influência

dados. Esta ação resultou na criação, em 2009,

do Projeto Clorofila em sua vida. Beatriz Martins

das Comissões de Meio Ambiente (CMAs), que

de Souza está no segundo ano do curso univer-

buscam soluções para a melhoria do ambien-

sitário de pedagogia e já trabalha em escola.

te escolar. Neste sentido, os alunos planejam e

“Trouxe para minha vida tudo o que aprendi com

executam ações educativas dentro da própria

o Projeto Clorofila – entre outras coisas, aprendi

escola, sempre sob a coordenação do Programa,

a cuidar das plantas e das hortas, transformar

influenciando seus colegas e mudando compor-

resíduos recicláveis em coisas úteis. Hoje, por

tamentos e hábitos desfavoráveis ao meio am-

exemplo, reutilizo material plástico para culti-

biente e à interação entre as pessoas.

var minha horta caseira, com pés de pimenta,

LIA BECVAR ao lado de Cristina Peres, coordenadora do Programa Clorofila: “A participação no Programa Clorofila despertou em mim a responsabilidade pela preservação do meio ambiente.”

tomate, alface, ervas e temperos – minha família gosta e participa! Sei também que vou levar esses ensinamentos para a minha carreira.”

© ARQUIVO PESSOAL

Outra história marcante da importância do Clorofila na formação dos jovens de Bertioga é contada por Daniella Jorgetti, mãe de Caio, um

QUEM ESTÁ DENTRO DAS CMAs

garotinho para lá de esperto de apenas 5 anos de idade. “Ele é aluno da EM José Ermírio de Moraes, mas no ano passado sua turma não participou das atividades de plantio e cultivo. Ele olhava, a distância, o trabalho dos outros alunos e ficava triste: queria muito plantar e cuidar! Isto nos levou a criar uma horta em casa, para ele, sob a orientação da Elisa, engenheira agrônoma do Projeto Clorofila. Ele participou de tudo: plantou, fez composteira, curtiu muito quando a mangueira, plantada em um vaso, chegou à sua altura. E começou a experimentar alimentos que não consumia anteriormente – atualmente, que comer rabanetes plantados por ele, na hora em que os retira da terra!”

50 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

As Comissões de Meio Ambiente (CMA) são formadas por alunos das 7ª, 8ª, 9ª séries e do Ensino Médio de seis escolas públicas de Bertioga: EE Jardim Vista Linda, EE Praia de Boraceia, EE Jardim Vicente de Carvalho, EE Maria Celeste Pereira Leite, EE Maria Aparecida Pinto de Abreu Magno, EE Professor Armando Belegarde. Esses alunos recebem apoio especial, por meio de cursos de formação oferecidos pela Sobloco e ministrados por psicólogos,

educadores e profissionais especialmente convidados. Esses são momentos de reflexão, aprendizado, exercícios para descobrir capacidades, troca de experiências e frutificação de ideias que os ajudam a organizar projetos e ações dentro das escolas. Hoje, esses jovens são colaboradores dos professores e coordenadores, além de organizarem eventos como a Feira Clorofila e o cultural Sarau da Primavera, inspirado na mais florida estação do ano.


© MAR FRANZ / FOTONATIVA

João Bosco Arantes Braga Guimarães, dirigente regional de ensino na Diretoria de Ensino de Santos.

DANIELLA JORGETTI com o filho CAIO: “Ele participou de tudo: plantou, fez composteira [...] e começou a experimentar alimentos que não consumia anteriormente.”

“Queremos desenvolver o sentimento de © ARQUIVO PESSOAL

protagonismo em nossos jovens, fazer com que

PARCERIA COM P MAIÚSCULO

preendam que têm condições para transformar o meio ambiente” explica Cristina Peres, educadora ambiental da Sobloco e coordenadora do

cotidiano das nossas unidades escolares, não somente no aspecto físico, através das hortas, canteiros e árvores plantadas e cultivadas, mas também pelo comportamento apresentado pelos nossos alunos.” O dirigente também enfatiza a parceria entre os poderes público e privado. “Estas parcerias serão cada vez mais vitais para a realização de um trabalho eficaz, eficiente e efetivo a ser ofertado à população. Em um País como o nosso, onde valores e princípios são quase que inexistentes, onde o valor do trabalho e das ideias é pouco valorizado, onde o que prepondera é o interesse individual sobre o coletivo, encontrar uma Parceria (com P maiúsculo!) que envolva todas as escolas estaduais localizadas em um município é coisa rara. A postura da Sobloco é desbravadora, pioneira e única em uma região que necessita de tal trabalho.”

Programa Clorofila. “E por meio ambiente – é bom enfatizar – não nos referimos apenas ao ambiente natural, mas também às relações entre as pessoas e delas com a cidade onde vivem. Não adianta ter uma natureza perfeita e relações humanas ruins!” Para Beatriz Almeida, diretora da Sobloco Construtora, o Programa Clorofila reflete a consciência e responsabilidade da empresa junto à comunidade e ao meio ambiente. “Manter o Programa durante 25 anos, propondo a cada ano novas atividades, trazendo diferentes profissionais, estando presente em todas as escolas, envolvendo pessoalmente os alunos e educadores, tudo isso reflete o compromisso e a crença de que podemos fazer um mundo melhor. Sabemos que educação é um processo de longo prazo, por isso temos de ser perseverantes”, comenta. A Sobloco tem mantido, em todos esses anos, uma equipe especialmente voltada para o © MAR FRANZ / FOTONATIVA

Sob a supervisão de João Bosco Arantes Braga Guimarães, dirigente regional de ensino na Diretoria de Ensino – Região Santos (que compreende os municípios de Santos, Cubatão, Guarujá e Bertioga) –, estão mais de 80 escolas estaduais da Baixada Santista. O dirigente é um entusiasta do Programa Clorofila e o considera imprescindível para o currículo das escolas. “Não conheço outra ferramenta pedagógica que seja tão completa, que envolva a construção de conhecimentos, que desperte o interesse dos alunos para as diferentes ações que o Programa Clorofila desenvolve e que oferece a oportunidade de enriquecimento curricular em todas as áreas do conhecimento: Linguagens, Códigos e suas tecnologias; Matemática e suas tecnologias; Ciências da Natureza e suas tecnologias; Ciências Humanas e suas tecnologias. A evolução do Programa Clorofila é facilmente perceptível no

eles assumam um papel de liderança e que com-

Programa: uma educadora ambiental e uma engenheira agrônoma, além de especialistas para formação de educadores e de jovens alunos e de uma equipe de apoio para a realização de todos os trabalhos. Segundo Beatriz, o Programa não se limita à proposta de temas. “Nossa equipe trabalha com o envolvimento pessoal, a construção de metodologias, a troca de ideias com os profissionais da educação, a interação respeitosa com diretores, coordenadores, professores, alunos e pais. A dedicação de nossas profissionais ganhou o reconhecimento e o respeito dos

BEATRIZ MARTINS DE SOUZA: “Trouxe para minha vida tudo o que aprendi com o Projeto Clorofila – entre outras coisas, aprendi a transformar resíduos recicláveis em coisas úteis.”

educadores da cidade e, todos juntos, pudemos construir um trabalho maravilhoso de educação ambiental, que já está indo para uma segunda geração de bertioguenses”, comemora.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

51


C O M P O R TA M E N T O TA R

Um brinde à amizade e à Riviera por Sheila Mazzolenis

52 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

É a proposta da Turma dos Apaixonados pela Riviera (TAR), que prioriza a alegria de viver e o convívio com os amigos!


“A amizade que une todos os membros da TAR se consolidou graças à Riviera” ROBERTO HADDAD, UM DOS CRIADORES DO GRUPO

Silvana Genovesi, atual presidente, confessa

de amigos de valor inestimável. Ninguém mais

que sua função é muito prazerosa: “tudo o que

fica sozinho.”

tenho de fazer é controlar o recebimento das

Com ela concordam Pascoal e Luciene Bion-

contribuições e aplicar esse dinheiro na orga-

do, que ingressaram no TAR há nove anos, atraí­

nização de festas especiais, muitas vezes temá-

dos pela ideia de pertencer a um grupo cuja

ticas, com banda, bufê, decoração adequada –

prioridade é manter a amizade e estimular a

tudo que temos direito, de primeira qualidade.”

diversão saudável. E tudo é feito para que isso

Mas o convívio entre os amigos não se limi-

se realize. O empresário Pascoal, que já foi “rei”

ta às grandes festas. Eles se encontram em São

em uma festa à fantasia, diz que a turma ado-

Paulo para idas ao teatro, um jantar gostoso ou

ra eventos temáticos, e sua esposa completa:

uma balada – recentemente se divertiram muito

“chegamos a contratar uma professora de dan-

na tradicional casa noturna Limelight, quando

ça para aprendermos os tradicionais passos da

puderam exercitar seus dotes assumidos de “pé

música country e nos vestimos a caráter para o

de valsa”! Também viajam juntos, planejam as

evento. Foi um sucesso!”

mais diversas atividades e se reúnem religiosamente na Riviera nos fins de semana. “Só

O cenário perfeito

ficamos sozinhos quando queremos, e graças

Segundo Roberto Haddad, grande incenti-

ao WhatsApp nos comunicamos o tempo todo,

vador do grupo e seu presidente quase honorá-

marcamos encontros, bate-papo em um bar, um

rio – já ocupou este cargo oito vezes! –, a TAR

churrasco em casa, uma manhã na praia.”

começou com a turma de Antonio Carvalho, do leilão, e depois ganhou vida própria. “Mas

Televisão sextas à noite? Nem pensar!

a amizade que une todos os membros da TAR se consolidou graças à Riviera. A qualidade de

“A Riviera é ótima, mas fica melhor com

É o que afirma Rose, corretora de imóveis e

vida, a segurança, a organização, a tranquili-

amigos”, garante Sérgio Aragon, um dos mem-

esposa de Sérgio Aragon. E ela se refere à sua

dade e os ótimos serviços que oferece fazem da

bros de um animado grupo que elegeu o bairro

própria experiência. “De repente, os filhos cres-

localidade o cenário perfeito para nós. Sentimos

como sede informal de um “clube” igualmente

ceram e eu percebi que meu marido e eu, sozi-

orgulho do empreendimento, que se mantém

informal que só não tem carteirinha! Mas não

nhos, ficávamos em casa assistindo TV. Lembro

fiel ao projeto inicial. Muitos de nós estão aqui

precisa, pois todos se conhecem e se respeitam, e

as noites de sextas-feiras: quando a música tema

há muito tempo e são testemunhas disso. O que

possuem como base uma sólida amizade e com-

anunciava mais um Globo Repórter, eu ficava

foi prometido, foi feito! Agora, só aguardamos a

panheirismo. Este é o perfil da autodenominada

chateada e pensava... de novo, não! Isto não

marina! Mas isso se justifica, pois estamos pla-

Turma dos Apaixonados pela Riviera, a TAR,

acontece mais. Aderimos ao TAR no seu segun-

nejando comprar ou alugar lanchas. É... o TAR

como preferem chamar, que desperta o interesse

do ano de vida e desde então temos um círculo

também faz planos para o futuro!”

– e, em alguns casos, até certa inveja! – de quem está de fora, mas adoraria entrar. E isso não é difícil: basta conhecer um dos membros, ser aceito pelo grupo e seguir uma regrinha básica: saber divertir-se com equilíbrio e respeito. “Ser amigo, é isto o que interessa”, declara Roberto Haddad, um dos criadores do grupo, que, brincalhão, se apresenta como “ex-empresário, aproveitando a vida!”. Ex-empresário? Bem, só nos finais de semana, dedicados ao lazer, nos outros dias o trabalho ocupa grande parte do tempo! Nesse sentido, Haddad não se diferencia dos outros 23 casais que hoje formam a TAR. Aproveitar a vida, ao lado de amigos, é a “missão”

© FOTOS: MAR FRANZ / FOTONATIVA

pessoal de cada um dos membros, e todos consideram diversão e amizade um assunto muito sério, tanto que elegem um presidente, com mandatos de um ano, renováveis! E mais: fazem contribuições mensais que, na verdade, serão aplicadas em quatro grandes eventos anuais.

LUCIANE BIONDO e MASCI SOUZA: orgulho da Riviera, que se mantém fiel ao projeto inicial.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

53


ESP OR T ES O F I C I N A D E AT L E TA S

A melhor onda por Sheila Mazzolenis

Marcus Vinicius Simão é uma pessoa idea-

acessórios funcionais, como bolas, elásticos e

lista e persistente. Educador, preparador físico

pranchas de equilíbrio. O resultado é a aquisi-

e grande entusiasta do surf, Vini, como é co-

ção de maior consciência corporal, fundamental

nhecido, percebeu a grande vocação de Bertio-

na hora de entrar no mar.

ga para a prática do esporte, mas viu também

A eficiência desse método é reconhecida pe-

a dificuldade de acesso de jovens e crianças do

los alunos, entre eles Samuel Oliveira, 18 anos,

município a um treinamento de qualidade. Com

que há seis participa da Oficina de Atletas e tem

o apoio da prefeitura municipal, de voluntá-

como objetivo se profissionalizar: “Já conquis-

rios parceiros e do apoio financeiro da Sobloco

tei o vice-campeonato do Circuito Municipal

Construtora, Vini criou a Associação Oficina de

de Bertioga e fiquei entre os vinte primeiros no

Atletas de Bertioga, onde atende gratuitamente

Circuito Paulista. Mas aprendi muito mais na

12 jovens e crianças. Ali desenvolve um método

Oficina além de surfar. Fui incentivado a estu-

de treinamento especial para o surf que utiliza

dar, ganhei bolsa para melhorar o meu inglês e

54 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

© FOTOS: MAR FRANZ / FOTONATIVA

Combinar o aprendizado do surf com responsabilidade social e ambiental é a meta de um projeto que coloca Bertioga como fonte de novos e promissores atletas e cidadãos

OLHO NO FUTURO DA GAROTADA: além do treinamento funcional, são oferecidas aulas de inglês, atendimento psicológico e um bom lanche.


“O nosso objetivo não é só treinar atletas e surfistas, mas também formar cidadãos conscientes e saudáveis”

PAI, COM MUITO ORGULHO Lídio Duarte, surfista, acompanha satisfeito os avanços de seu filho Daniel, de 10 anos, que desponta como uma promessa do surf. “Ele tem se destacado em todas as competições que participa – o que nos faz sonhar com o campeonato mundial!”. Mas o que realmente impressiona Lídio é o desenvolvimento geral de Daniel. “Ele começou a treinar na Oficina de Atletas há um ano e vem obtendo 100% de aproveitamento no esporte e nas atividades escolares. Hoje, ao olhar para ele, vejo outro atleta, outro Daniel, e creio que isso se deve ao treinamento funcional e a um ambiente organizado e bem estruturado, com alimentação, equipamentos e bons professores. A equipe da Oficina foca muito na importância de respeitar os pais e as pessoas de um modo geral, bem como de se dedicar aos estudos.”

PROFESSOR VINI

LÍDIO DUARTE, que também é surfista, com seu filho DANIEL.

tenho participado de viagens importantes para

tar bem alimentados para se dedicar melhor às

aquisição de novas experiências – a última,

atividades que propomos! O nosso objetivo não é

para o Peru, foi sensacional. Durante onze dias

só treinar atletas e surfistas, mas também formar

conheci pessoas e uma cultura diferente, e sur-

cidadãos conscientes e saudáveis.”

fei em um mar com ondas também diferentes das que estamos acostumados.”

SAMUEL OLIVEIRA: “Fiquei entre os vinte primeiros [surfistas] no Circuito Paulista. Mas aprendi muito mais na Oficina além de surfar.”

Os alunos são escolhidos em seleção realizada no Circuito Municipal de Surf Bertioga, e

É nessa oferta de experiências e de incentivo

a partir daí os selecionados desfrutam gratuita-

ao esporte e à cidadania que se diferencia a Ofi-

mente de todos os serviços prestados pela Ofici-

cina de Atletas. “Nosso projeto treina atletas de 7

na, inclusive uma avaliação médica. Vini com-

a 18 anos, de diversos bairros de Bertioga, e tem

pleta: “Nosso objetivo é transformar a realidade

como meta educar por meio do esporte”, explica

da cidade através do esporte. Somos uma organi-

Vini. “Acompanhamos o desenvolvimento esco-

zação de voluntários, e o apoio de uma empresa

lar de nossos alunos, exigindo deles comprome-

como a Sobloco e o suporte do bairro Riviera de

timento e disciplina, e oferecemos, além do trei-

São Lourenço para o projeto melhorou a estrutu-

namento funcional, aulas de inglês, atendimento

ra geral do programa e a motivação da equipe.

psicológico e um bom lanche – eles precisam es-

Sem o apoio não haveria a Escola de surf”.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

55


COMPRAS

RIVIER A SHOPPING MARAM MOCASSIM LUIZA BARCELOS Modelo bico redondo em camurça, com aplicação de pedrinhas na gáspea, muito confortável, ideal para o dia a dia. R$389,90

THE AR MANTA PARA SOFÁ ARCO-ÍRIS R$74,00

INCRÍVEIS No Riviera Shopping, as novidades da estação já estão nas vitrines aguardando a sua visita. Confira!

CARMEN STEFFENS BOLSA COLAR BORDADO Feita em couro, possui bordado em tira que se transforma em um colar. Fechamento por meio de fecho giratório, repartição única e bolso interno. R$1.299,90

CHILLI BE ANS ÓCULOS DE SOL ALOK Hastes com linhas perfeitas e arrojadas, seguindo à risca o desenho do headphone que o inspirou, usado pelo DJ Alok. R$279,80

PONTO DA C U LT U R A

© FOTOS: RODRIGO R. MATIAS / PICTASTE

100 VIAGENS INSPIRADORAS Cem fantásticos refúgios, apresentados em textos meditativos com fotos impressionantes, trazendo à tona uma inspiração para viagens reveladoras. R$94,00

56 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O


PA LH AS DA T ERR A CONJUNTO COLAR E BRINCOS Feito em couro natural, cortado a laser, e palha de buriti. R$100,00

RIP CURL

LIT TLE BABIES COLETE INFANTIL VRK R$329,00 TRICOT INFANTIL VRK R$179,00

COQUELUCHE CASA Assinados pela designer Carolina Haveroth, as peças são fabricadas em cerâmica com queima a 1000ºC e pintadas individualmente, o que confere um caráter único às peças.

RELÓGIO SEARCH GPS O primeiro relógio com GPS para surf do mundo. Possui registro do número de ondas surfadas, velocidade máxima atingida, distâncias percorridas nas ondas e na remada, além de praias pré-programadas, com local e a variação de maré, para entrar na água na hora certa. R$1.999,90

EMPÓRIO DAS GER AES MALETA DE MADEIRA COM 10 TEMPEROS Maleta em madeira de lei (peroba-rosa) e couro legítimo, contendo 10 vidros de temperos com especiarias variadas. R$490,00

VASO OSLO URBAN Alto: R$399,90 Baixo: R$299,90

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

57


© FOTOS: RODRIGO R. MATIAS / PICTASTE

GENTE RIVIER A EM MOVIMENTO

Riviera nossa de cada dia Passeando pela Riviera fica fácil entender o motivo de tantos sorrisos

1 2

58 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O

1 Tânia Rengel

2 Rodrigo Costa e

3 O empresário

Neves: “Venho à Riviera há 16 anos e tenho muitos amigos queridos aqui. Vamos sempre à praia para caminhar e tomar sol. Respeito demais a natureza dessa região. Meu local preferido para descanso e lazer.”

Luciane Leite com a filha, Stella: “Adoramos participar das corridas e eventos promovidos na Riviera, além da ótima estrutura, a atmosfera do público também é fantástica. Foi a primeira corrida da família junta, e foi ótimo!” (RODRIGO)

André Zanetti com sua esposa, Meire: “A segurança, a limpeza e a beleza da praia da Riviera impressionam! Além disso, a larga faixa de areia propicia um conforto sem igual, excelente convite para uma boa pedalada.” (ANDRÉ)

3


4

5

6 4 Angelo Augusto

5 Camila Marques Pisani e

6 A médica Adélia

Ferrari, Luiz Filipe Almeida e Fernando José da Costa se divertem no torneio de golf da Riviera.

a amiga Fernanda Valverde: “A Riviera tem ótimas opções de compras, bares e espaços de eventos na época de temporada. Nunca deixo de ir aos meus restaurantes favoritos e, mesmo que o sol não apareça, caminhar pela praia é sempre um prazer!”

Maynart e sua irmã Adriana: “Há seis anos frequento a Riviera aos finais de semana e nunca deixo de ir à praia ou dar uma volta de bike pelo bairro. A segurança nos dá a tranquilidade necessária para isso!”

7 A pequena Valentina

Uyeda Américo frequenta a hípica da Riviera há dois anos com sua avó Maria José. As aulas de equitação da instrutora Sônia lhe ensinam disciplina, coordenação motora e o carinho no trato com os animais.

7

8 Ronaldo Nogueira com sua esposa Andréa e os

filhos, Pedro e Julia: “Não tem como não curtir o pôr-do-sol visto da praia e os passeios de bicicleta em família pela Riviera. Adoramos o Maremonti, com seu atendimento impecável, excelente gastronomia e uma vista maravilhosa!” (RONALDO)

8

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

59


GENTE RIVIER A EM MOVIMENTO

9 9 A empresária Fernanda

10 A engenheira agrônoma

Almeida, com seu marido, Antonio, e o filho, Fernando: “A Riviera é um ótimo lugar para passear e praticar esportes. A natureza e preservação deste lugar são incríveis! Curtimos muito a praia, as delícias do restaurante Maremonti e, nas férias, as atrações do Vila da Praia.” (FERNANDA)

Ana Luiza Skaf (primeira da direita) em companhia de Maria Inez Alves, Leonilda Stanziola e Silvia Helena Borges: “Toda a Riviera me encanta! Quando estou aqui, adoro andar de bicicleta e especialmente jogar tênis. Quando tenho parceiras, não perco a chance de treinar.” (ANA LUIZA)

11 Michel Quesus, com a esposa, Isis Rocha, e seu

cachorro Oliver: “São Paulo é uma cidade bastante caótica, então a Riviera torna-se um refúgio para nós e para o Oliver, que pode explorar à vontade, especialmente quando fazemos trilhas... Ele se diverte!” (MICHEL)

11 10

12

13

12 Beatriz Marinelli

Weisshaupt com a filhinha, Helena, no Restaurante Jangada: “A Riviera nos permite curtir a natureza, abdicar dos automóveis e caminhar com tranquilidade. Tenho as melhores memórias da minha infância e juventude aqui e certamente quero proporcionar o mesmo à minha filha.” 13 João Pedro Nomura

Monteiro exibe orgulhoso sua medalha conquistada no Circuito de Corridas da Riviera.

60 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O


G E O R G E TA G O N Ç A LV E S A R T IGO

Algoritmos Alguém já viu propaganda de pão francês? Não precisa, né? A propaganda só existe para nos fazer desejar o que não precisamos”

Na primeira cena, estou esperando para passar pelo

em dólares. Melhor esperar mais umas rugas. Outra

caixa do mercado um pão integral cheio de grãos. Na

propaganda me oferece uma viagem para um lugar

minha frente uma jovem bonitinha passa um pão quase

que eu nem sabia que existia. Pela insistência e preço

igual ao meu. A diferença? Na embalagem do dela está

ninguém nunca vai ou foi para lá. Pode ser paga em 24

escrito “não contém glúten”. Na do meu, em letras tí-

vezes no cartão e sem juros. Oi? Se fosse para a China

midas, “contém glúten”. Olho a moça, o pão da moça e

eu até iria só para comprar a tal meleca direto do chi-

ambos me parecem jovens e saudáveis como nas propa-

nês que fabrica e voltaria de lá adolescente depois das

gandas. Será que só eu como glúten? Na verdade, nem

eleições de 2018. Ou, a depender do resultado, talvez eu

sei o que é isso... Estaria eu completamente desatualiza-

tentasse a cidadania chinesa.

da da lista de venenos modernos? Um backlight de LED

Mais propagandas? Claro, claro.

gigante aparece piscando em minha mente: “Só dinos-

Produtos orgânicos e veganos. Muitos. Talvez porque

sauras comem pão com glúten!”. Que medo!

um dia eu tenha feito uma micropesquisa sobre Bisfe-

Na cena dois, estou sentada no banco na frente do mer-

nol, um treco que não é nada bacana e está presente nos

cado procurando furiosamente no Google que raio de

potes de plástico onde guardamos, inocentes, nossa

veneno é esse que tenho comido em meus milhares de

cada vez mais cara comidinha. Os algoritmos são seres

cafés da manhã, lanches da tarde e bilhões de pizzas,

espertos e acho que assim que viram a pesquisa deram

desde que nasceram meus dentes. O tal glúten se resu-

de me oferecer produtos isentos de químicas. O proble-

me a grupos de proteínas que habitam desde sempre o

ma está em comprar em poucas quantidades maçãs, al-

endosperma (seja lá o que for!) dos grãos de trigo, ceva-

faces e berinjelas que estão a centenas de quilômetros.

da e centeio. É perigoso? Sim! Mas só para um por cen-

A passagem da maçã até minha fruteira me parece mais

to da população, os doentes celíacos. Ufa... Estou nos

cara do que a improvável viagem minha até a China. De

noventa e nove. Considero que há 300 milhões de anos

primeira classe. Aliás, detesto maçã.

meus ancestrais já se fartavam dessas substâncias e cá

Continuo filtrando e agora a coisa pega. Pílulas com

estou eu, vivinha da silva, em um mercado em 2017. Não

ervas da Amazônia peruana prometem me fazer perder

será o glúten que extinguirá a espécie humana.

muitos quilos em poucos dias. Na minha tosca conta-

Na terceira cena, a moça e eu nos reencontramos. Ela

bilidade descubro que em seis meses estarei pesando

espera alguém que foi buscar o carro. Ataco:

quatro quilos. Não quero. Mas como sabem meu peso?

– Olá! Desculpa, é que sou curiosa e vi que você compra

As fotos na praia? Algoritmos do inferno! E já que não

pão sem glúten. O que é glúten? – Eu não sei não... Mas dizem que engorda... Sempre vejo matérias no feicebuque.

Georgeta Gonçalves é educadora ambiental e coordenadora-geral do Programa de Gerenciamento de Resíduos da Riviera de São Lourenço www.georgeta-escrevivendoemcamburi.blogspot.com

pretendo eliminar um só grama com as suspeitas plantinhas, procuro rapidinho o próximo anúncio. Piorou: lingerie plus size. Não, não vou comprar um su-

– (Hello?) Ah, sim, obrigada! Vou cortar o tal glúten...

tiã azul turquesa cheio de rendinhas pela internet. Não

Na quarta cena, estou passando um pente fino na mi-

preciso disso. Aliás, não preciso de nada do que anun-

nha timeline. Entre fotos de netos, de comidas, orações,

ciam. Ninguém precisa. Nunca. Alguém já viu propa-

selfies de viagens e dezenas de comentários sobre a in-

ganda de pão francês? Não precisa, né? A propaganda

sana e interminável série Jato e seus Jatinhos, ei-las: as

só existe para nos fazer desejar o que não precisamos.

propagandas. Percebo os algoritmos tecendo uma rede

Quinta cena. Fora da rede antes que me ofereçam an-

ao meu redor. Algoritmo eu descobri o que é no Wikipé-

tidepressivos feitos com conchas de raros moluscos da

dia. Não entendi bem, mas também não muda muito. Só

Indonésia e eu, num acesso de tristeza, compre. Afinal,

explica que, se a propaganda de uma meleca chinesa

não convenceram a mocinha da primeira cena que o que

para tirar rugas aparece todos os dias no meu perfil, é

engorda é o glúten e não o pão? Somos tão bobinhos...

que eles sabem (eles quem, meus deuses?) a minha ida-

Na sexta cena sou só uma dinossaura feliz esperando

de. A meleca promete deixar minha pele como era aos

para passar pelo caixa do mercado um pão integral

quinze anos e sem espinhas. Clico em comprar. Preço

cheio de grãos. Com muito glúten.

R E V I S TA D A R I V I E R A D E S Ã O L O U R E N Ç O .

61


RIVIER A E BERTIOGA

GUIA DE PRODUTOS E SERVIÇOS

O melhor do litoral norte! Atrações turísticas, gastronômicas e um guia de serviços na Riviera de São Lourenço e região RIVIER A E BERTIOGA

8h às 20h, na temporada das 8h às 22h. Av. da Orla, s/n - Módulo 18 - Tel.: (13) 3316-9688 / (13) 9 8111-0105 (Eraldo)

ARTE, CULTURA E LAZER

TREINAMENTO FUNCIONAL O espaço localizado no Ilha da Madeira Resort oferece treinamento personalizado nas modalidades: treinamento funcional, pilates com aparelhos, yoga, fisioterapia, massagem, ginástica laboral, treinos de corrida. Aberto de segunda a sextafeira, das 8h às 12h e das 15h às 21h – Domingo e feriados com agendamento – Al. do Remo, 300 – Módulo 2. Tel (13) 99645-6161- E-mail: contato@ surfuncional.com.br

CASA DE CULTURA DE BERTIOGA O espaço abriga projetos culturais de música, cinema, artes plásticas, artesanato e dança, que incluem exposições e cursos. Segunda a Sexta, das 8h às 17h - Av. Thomé de Souza, 130 – Bertioga - Tel.: (13) 3319 – 9150 PARQUE DOS TUPINIQUINS No Parque dos Tupiniquins, criado em 2004, onde está inserido o Forte São João, fica assegurada a integridade do patrimônio histórico e cultural. Aberto para visitas de quarta a domingo, das 8h às 17h. Tel.: (13) 3317-4128. E-mail: saojoaoforte@gmail.com

GASTRONOMIA DELIVERY Beach Burger - Riviera Shopping Tel.: (13) 3316-2020 Maremonti Pizzaria Tel.: (13) 3316-7855 / 3316-7508 Pizzaria Hermon - Riviera Shopping Tel.: (13) 3316-1029 / 3316-8299 Pizza Place - Riviera Shopping Tel.: (13) 3316-8031 Funchal - Ilha da Madeira Delivery de pizzas – tel.: (13) 3316-1555

COMPRAS RIVIERA SHOPPING CENTER Posui 54 lojas e 9 quiosques de roupas e acessórios, esportes, livraria, drogaria, perfumaria, moda feminina e infantil e praça de alimentação. Aberto diariamente. Av. da Riviera, 1256 - Tel.: (13) 3316-6033

RESTAURANTES MAREMONTI TRATTORIA & PIZZA O renomado restaurante oferece um charmoso ambiente tropical integrado à natureza, com vista para o mar. Largo dos Coqueiros, 83 - Tel.: (13) 3316-7508

ESPORTES

RODRIGO R. MATIAS

CENTRO HÍPICO

Passeios a cavalo, aulas para iniciantes, aulas de equoterapia e centro de treinamento para competidores com mais experiência. Rodovia Rio-Santos, km 213 - atrás do Posto da Polícia Militar - Tel.: (13) 3313-0341 RIVIERA GOLF CLUB O belo campo de golfe com 18 buracos de par 3 é aberto ao público durante todo o ano. Fora de temporada abre de quarta a domingo – em dias úteis a partir das 8h, com saída final às 15h30. E aos finais de semana a partir das 7h com última saída às 15h30. Um profissional de golfe está à disposição para aulas aos interessados. O acesso fica em frente ao módulo 2, pela Av. da Orla - Tel.: (13) 3316-1606. Importante: só poderão jogar no campo jogadores que possuam handicap. RIVIERA TÊNIS O Riviera Tênis da Riviera oferece aulas p/ iniciantes e avançado além de locação de quadras. Fica aberto diariamente das

RESTAURANTE FUNCHAL Peixes e carnes - Al. do Remo, 300 - Módulo 2 - Ilha da Madeira Resort Tel.: (13) 3316-1379. (Aberto para não hóspedes) Aberto 7h30 às 10h30 - café da manhã / 12h30 às 17h – almoço / 19h às 22h - jantar. JANGADA RESTAURANTE Especializado em peixes e frutos do mar. Av. Marginal, s/n, Uptown II – Tel.: (13) 3316 6355 RESTAURANTE JERIQUÁ Restaurante variado, com carnes e peixes. Al. das Conchas 241 – módulo 06 – Travel Inn Boulevard Riviera - Tel.: (13) 3319-6010 / Chef Ismael – Fazem eventos sob encomenda. Orçamentos e informações (13) 9 9773-7104. www. chefismael.com.br

HOSPEDAGEM

SERVIÇOS

AMARILIS FLAT SERVICE Al. Guaíra, 19 – Módulo 30 Tel.: (13) 3316-8121 www.amarilisflatservice.com.br

BICICLETAS RIVIBIKE Bicicletas compartilhadas - Postos: Riviera Shopping e ciclovias entre os módulos 20 e 22; e rotatórias entre os módulos 2 e 3, 3 e 4, 5 e 6 e 7 e 8. Quem quiser utilizar o serviço deve se cadastrar no site da Riviera e ativar um passe que pode ser de 30 dias, 6 meses ou 1 ano. Após a ativação do passe, o usuário pode usar as bicicletas por 2 horas, quantas vezes quiser no mesmo dia: www.rivieradesaolourenco. com/rivibike /Tel.: (11) 3596-8027 / Whatsapp: (11) 97386-6736

ILHA DA MADEIRA RESORT Al. do Remo, 300 – Módulo 2. Tel.: (13) 3316-5000 / (13) 3316-5006. www.ilhadamadeiraresort.com.br TRAVEL INN BOULEVARD RIVIERA FLAT Al. das Conchas, 214 – Módulo 6 Tel.: (13) 3319-6000 www.travelinn.com.br

NOITE PUCCI RIVIERA BEACH HOUSE Com dois ambientes, a balada também está disponível para eventos fechados. Av. Marginal, 2.571, Riviera de São Lourenço, Bertioga-SP. Tel.: (11) 31672067. Informações: www.pucci.com.br

SAÚDE CLÍNICAS E HOSPITAIS MEDICAL LINE A UPA São Lourenço atende nos fins de semana, das 21h de 6ª feira às 18h do domingo e possui veículo particular para remoção. NOVO ENDEREÇO: Uptown II - Av. Marginal, Riviera. Tel.: (13) 3222-7678 - Ambulância 24 horas. P.S. MUNICIPAL DE BERTIOGA Praça Vicente Molinari, 95 - Vila Itapanhaú - Tel.: (13) 3319-8800 ou 192 ANA COSTA SAÚDE Rua Rafael Costábile, 716, Centro, Bertioga – Tel.: (13) 3316-2870 / 3317-4225 CLINORT Especialidades e Diagnósticos. Rua Rafael Costabile, 593 – Centro, Bertioga – Tel.: (13) 3317-1063 HANS STADEN – CLÍNICA Rua Rafael Costabile, 442 – Centro, Bertioga – Tel.: (13) 3317-2025 JAB MEDICAL CENTER Serviço de pronto atendimento, urgência e emergência. Ambulância UTI. De segunda a sexta, das 8h às 18h. Rua Rafael Costábile, 775, Centro, Bertioga. Tel.: (13) 3317-7600 / 3317-4666

SP55 BAR E CHOPERIA Av. Marginal à Rodovia Rio-Santos – nº 1.720 - Tel.: (13) 3316-7265 / 3316-7277

DROGARIAS DROGALIS Riviera Shopping - Tel.: (13) 3316-7347

PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO RIVIERA SHOPPING CENTER Diversas opções para um café ou uma refeição completa: lanches, massas, grelhados, doces e sorvetes.

RIVIERA PHARMA Uptown Riviera - Tel.: (13) 3316-2001

62 . R E V I S T A D A R I V I E R A D E S Ã O L O R E N Ç O

FARMA SANTÉ • Uptown II Tel.: (13) 3316-2120

BICICLETARIA RIVIERA Locação, conserto e venda de bicicletas. Rua Aprovada, 329 (Av.Marginal) n.º 2.717, loja 11 – Centro comercial UPTOWN II Tel.: (13) 3316 -8264 PEIXARIA RIVIERA Peixes e frutos do mar. R. Aprovada, 329 (Av.Marginal) n.º 2717, loja 12 – Centro Comercial UPTOWN II – Tel.: (13) 3316-6669 CABELEREIRO JACQUES JANINE Av. Riviera, 1.256 - Riviera Shopping Center – Tel.: (13) 3316-7718

às 19h30, quinta às 19h30, sexta às 17h e domingo às 7h e 19h30. PET SHOP E VETERINÁRIA PET SHOP RIVIERA Banho, tosa, acessórios, ração, veterinário, vacinas. No Centro Comercial Uptown II, Av. Marginal. Tel (13) 3316-6292 / 99745-6888 CLÍNICA VETERINÁRIA IRMÃO SOL Av. Anchieta, 3.572 – Maitinga, Bertioga SP – Tel.: (13) 3317-2515 SUPERMERCADO PÃO DE ACÚCAR Av. Marginal à Rodovia Rio-Santos - Tel.: (13) 3316-2040 MOBILIDADE / TRANSPORTE Serviço de transporte dentro e no entorno da Riviera. Green Cab: (13) 3513-1000. WhatsApp (13) 99650-6984. Funciona através de aplicativo, busque na Apple Store ou Google Play por Riviera Host Greencab.

TELEFONES ÚTEIS

DELEGACIA DE POLÍCIA CIVIL Rua Manuel Gajo, 340, Parque Estoril, Bertioga. Tel.: (13) 3317-1411

CAIXAS AUTOMÁTICOS Rede 24 horas no supermercado Pão de Açúcar, na Av. Marginal.

ECOVIAS Tel.: 0800-197878 / Condições das estradas: www.ecovias.com.br

GÁS Entrega em domicílio Tel.: 0800-109935 / (13) 3317-1576

FUNDAÇÃO 10 DE AGOSTO Al. dos Vagalumes, 100 - Tel.: (13) 33167344 – secretaria@fundacao10agosto. com.br

IGREJAS E CULTOS CAPELA NOSSA SRA. DAS GRAÇAS Alameda do Frevo, 100 – Módulo 28 – Riviera de São Lourenço. Missas aos sábados às 20h e domingos às 9h.

M

Y

CM

MY

CY

AARSL - ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DA RIVIERA DE SÃO LOURENÇO Passeio do Ipê, 52 - Módulo 26 - Tel.: (13) 3319-5000. Plantão de Segurança da AARSL. Atendimento 24 horas - Tel.: (13) 3316- 6699

SALÃO STUDIO SOUZA COUTTO Al. do Remo 300, modulo 02 - Resort Ilha da Madeira – Tel.: (13) 3316-5000 ramal 5060

HELIPONTO Bairro do Indaiá, a 3 km da Riviera, latitude 23°47’52”S; longitude 46°03’.21”W; Designativo SN RI e condições operacionais VFR Diurna/ Noturna. Contato: Helimarte (11) 22213200 ou Global Taxi Aéreo (11) 50706011 / (11) 5070-6003

C

POLÍCIA MILITAR Rod. Dr. Manoel Hipólito Rego, km 213 Tel.: (13) 3313-1317 / 3313-1065 ou 190 POLÍCIA RODOVIÁRIA Rod. Dom Paulo Rolim Loureiro (Antiga SP – 98 Mogi-Bertioga), km 98 Tel.: (13) 3313-1200 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BERTIOGA Rua Luiz Pereira de Campos, 901, Vila Itapanhaú - Tel.: (13) 3319-8000 www.bertioga.sp.gov.br

CULTO EVANGÉLICO No Colégio Metodista, Passeio do Ipê, 99 – Módulo 26, Riviera. Cultos às terças e domingos, às 19h. Tel.: (13) 3316-6586

SITE DA RIVIERA DE SÃO LOURENÇO Informações, novidades e curiosidades - www.rivieradesaolourenco.com

IGREJA MATRIZ SÃO JOÃO BATISTA Rua Julio Prestes, 69 – Centro, Bertioga - Tel.: (13) 3317-1838. Missas: Segunda

SOBLOCO CONSTRUTORA Av. da Riviera, 600 - Tel.: (13) 3316- 5316 - Em São Paulo: (11) 3093-9300

CMY

K



TRABALHAMOS PARA CRIAR COMUNIDADES ONDE AS PESSOAS TÊM ORGULHO DE VIVER Quando planejamos um bairro ou uma cidade pensamos nas pessoas que vão morar ali. Pensamos no seu tempo, na sua mobilidade, no seu espaço de lazer. Pensamos nas suas oportunidades de trabalho e entretenimento, na sua segurança, no seu conforto em um espaço urbano saudável e visualmente agradável. Pensamos na valorização do seu patrimônio. Com 59 anos de atividades, nós nos especializamos em criar espaços urbanos planejados e sustentáveis que geram dividendos econômicos, sociais e ambientais, e onde as pessoas têm orgulho de viver.


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.