Page 1

Jornal da

Filiado à CNM/CUT FIEM/RJ-ES/CUT Leia também:

- Convenção Coletiva garante benefícios sociais pg.4 -"Espaço Cidadão"de portas abertas pg.3 - 16 convênios para os associados pgs.3 e 4 Acompanhe o índice de INFLAÇÃO 201 1 Agosto - 0,42 Setembro - 0,45 Outubro - 0,32 Novembro - 0,57 Dezembro - 0,51 ACUMULADO - 2,29

Janeiro 2012

40

LUTA METALÚRGICA

SINDICATO DOS TRABALHADORES METALÚRGICOS DE PETRÓPOLIS

Assédio moral no Trabalho

Saiba se você está sofrendo, e o que fazer O Assédio Moral é considerado uma forma de violência psicológica, que diferentemente da violência física não deixa traços visíveis na vítima, mas também causa dor e danos ao indivíduo. Especificamente no ambiente de trabalho, o Assédio Moral é caracterizado por atitudes abusivas com o intuito de atingir a dignidade do trabalhador, colocando-o em situações constrangedoras e principalmente humilhantes. Também chamado de “terror psicológico”, podemos exemplificar o Assédio Moral com condutas impróprias manifestadas por palavras, atos, gestos e escritos capazes de causar ofensa à personalidade, à dignidade ou à integridade de uma pessoa.

O Assédio Moral no Trabalho está caracterizado principalmente pela repetição dessas atitudes e vem sendo observado com mais freqüência nas relações hierárquicas, partindo principalmente dos chefes para os seus subordinados diretos. No entanto, há também casos de Assédio Moral ocorridos entre empregados entre si com a finalidade de se excluir alguém do grupo de trabalho por motivos de competição ou por discriminação pura e simples. Mais raros, porém já registrados, são os casos de Assédio Moral onde a vítima é um superior e os agressores são seus subalternos. Segundo Ângelo Soares, pesquisador e professor da Universidade de Quebec em Montral (Canadá), em entrevista ao Instituto Observatório Social, os principais efeitos do Assédio Moral sobre as vítimas são os problemas relacionados à saúde mental, como o estresse elevado; desenvolvimento de sintomas de estresse pós-traumáticos e sintomas depressivos.

As 15 condutas mais comuns que caracterizam o Assédio Moral segundo o Ministério do Trabalho:

1 instruções confusas e imprecisas ao(à) trabalhador(a); 2 dificultar o trabalho; 3 atribuir erros imaginários ao(à) trabalhador(a); 4 exigir, sem necessidade, trabalhos urgentes; 5 sobrecarga de tarefas; 6 ignorar

a presença do(a) trabalhador(a), ou não cumprimentálo(a) ou, ainda, não lhe dirigir a palavra na frente dos outros, deliberadamente; 7 fazer críticas ou brincadeiras de mau gosto ao(à) trabalhador(a) em público; 8 impor horários injustificados; 9 retirar-lhe, injustificadamente, os instrumentos de trabalho; 10 agressão física ou verbal, quando estão sós o(a) assediador(a) e a vítima; 11 revista vexatória; 12 restrição ao uso de sanitários; 13 ameaças; 14 insultos; 15 isolamento. Segue na pg. 2


JORNAL DA LUTA METALÚRGICA N o 40 - JANEIRO 201 2

Assédio moral no Trabalho

SINDICATO DOS TRABALHADORES METALÚRGICOS DE PETRÓPOLIS

O ATENDIMENTO DENTÁRIO em 2011 teve média mensal de 300 consultas, somando cerca de 3.600 atendimentos com a dentista profissional contratada pelo Sindicato. A ASSISTÊNCIA MÉDICA teve média mensal de 280 consultas, atingindo cerca de 3.300 em 2011.

continuação

O que a vítima deve fazer? Resistir: anotar com detalhes toda as humilhações sofridas

(dia, mês, ano, hora, local ou setor, nome do agressor, colegas que testemunharam, conteúdo da conversa e o que mais você achar necessário) ; Dar visibilidade, procurando a ajuda dos colegas, principalmente daqueles que testemunharam o fato ou que já sofreram humilhações do agressor; Organizar - O apoio é fundamental dentro e fora da empresa ; Evitar conversar com o agressor, sem testemunhas. Ir sempre com colega de trabalho ou representante sindical. Exigir por escrito explicações do ato agressor e permanecer com cópia da carta enviada ao D.P. ou R.H e da eventual

UNIÃO DOS APOSENTADOS DA CELMA

Atendimento no Sindicato de segunda à quinta-feira, das 14:00 às 17:00. Tel. 2231-1312 com Hamilton. O Jornalda Luta Metalúrgica é o informativo do SINDICATO

DOS TRABALHADORES METALÚRGICOS DE PETRÓPOLIS Filiado à FIEM/CUT

Presidente - Carlos José Machado Vice-presidente - Gilmar Neumanm 1o Secretário - Carlos Eduardo Sixel Tesoureiro - Carlos Alberto Rosa Sede - Rua Floriano Peixoto, 93 -

Centro - Petrópolis RJ Tel. (24) 2246-6743 Fax. (24) 2231 -2443 e-mail - smetal@veloxmail.com.br Internet - issuu.com/smetal Edição - Paulo de Carvalho (marajoando@gmail.com) Impressão - Arteg (24) 2237-9759

Tiragem - 2 mil exemplares

resposta do agressor. Se possível mandar sua carta registrada, por correio, guardando o recibo ; Procurar seu sindicato e relatar o acontecido;

Recorrer ao Centro de Referencia em Saúde dos Trabalhadores e contar a humilhação sofrida ao médico, assistente social ou psicólogo ; Buscar apoio junto a familiares, amigos e colegas, pois o afeto e a solidariedade são fundamentais para recuperação da auto-estima, dignidade, identidade e cidadania.

IMPORTANTE

Se você é testemunha de cena(s) de humilhação no

trabalho supere seu medo, seja solidário com seu colega. Você poderá ser "a próxima vítima" e nesta hora o apoio dos seus colegas também será precioso. Não esqueça que o medo reforça o poder do agressor!

Casos comprovados de Assédio Moral geram indenização às vítimas O Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Petrópolis escolheu como destaque desta edição de seu informativo o tema “Assédio Moral” com a finalidade de fazer um alerta aos seus associados e às empresas. Nos casos comprovados, as empresas vêm sendo responsabilizadas juridicamente, já que o Assédio Moral pode ser enquadrado em “Dano Moral” ou “Discriminação”. Recentemente, uma empresa situada em Petrópolis foi condenada a pagar R$ 60 mil de indenização a um funcionário da categoria vítima de assédio moral por parte de seu chefe imediato. Segundo o presidente do Sindicato, Carlos José Machado, este caso foi denunciado por meio do Sindicato os Metalúrgicos. “Outros casos de Assédio Moral vem sendo comunicados ao sindicato. É importante que os trabalhadores tenham esclarecimento sobre o que é o Assédio Moral e que as empresas fiquem atentas”, afirmou.

Ações preventivas da empresa

Não só os trabalhadores perdem ao serem vitimados de Assédio Moral. As empresas também perdem, com a queda de produtividade; imagem negativa perante seus consumidores e mercado de trabalho; empregados afastados devidos às doenças resultantes do assédio; troca constante de empregados e o aumento das ações trabalhistas e pedidos de reparação de danos com indenizações. Os problemas de relacionamento dentro do trabalho e os prejuízos que resultam desta situação aumentam quanto mais desorganizada for a empresa e maior a tolerância do empregador em relação às práticas de Assédio Moral. Para evitar o Assédio Moral, as empresas devem criar códigos de ética que proíbam todas as formas de discriminação e assédio e que promovam a dignidade e a cidadania do trabalhador.

Fontes de pesquisa: www.mte.gov.br; www.assediomoral.org; Cartilha Assédio Sexual e Moral no Trabalho – Plural Editora e Gráfica Ltda (2005)

Em 2011, o convênio do Sindicato com os Cursos Profissionalizantes Progresso teve média de 130 bols


SINDICATO DOS TRABALHADORES METALÚRGICOS DE PETRÓPOLIS

APOSENTADORIA - o Sindicato soma o tempo de serviço. Se você quer saber se já tem tempo de serviço suficiente para se aposentar, procure-nos que faremos o cálculo. Este serviço está disponível para todos os nossos associados.

Espaço Cidadão Durante o ano de 201 1 , o auditório do Sindicato dos Metalúrgicos ficou bastante movimentado. Além das atividades promovidas pelo próprio sindicato, a parceria com outras entidades e instituições vem garantindo a democratização do auditório, que está sendo chamado de “Espaço Cidadão”. Várias atividades sociais vêm acontecendo no “Espaço Cidadão”. Entre os usuários está o Coral de Petrópolis, que faz seus ensaios no local todas as sextas-feiras, às 1 7h30, sob a regência do maestro Julio Siqueira. Em contrapartida, o coral se colocou à disposição do sindicato para abrilhantar suas atividades.

O “Espaço Cidadão” também esteve de portas abertas a outros sindicatos de classe, que realizaram durante o ano suas convenções no local. Em 201 2, o Sindicato dos Metalúrgicos promete não só manter, mas ampliar as parcerias, falou o presidente Carlos José Machado. “Além das atividades sociais, estamos disponibilizando o auditório para as ações de utilidade pública. Em janeiro começa a se reunir aqui um grupo de ajuda de pais de dependentes químicos”, contou. O presidente ressalta que não é cobrado nenhum valor das entidades para a utilização do “Espaço Cidadão”.

Nar-Anon - reuniões de pais de dependentes químicos. Toda segunda-feira, 1 9h00.

JORNAL DA LUTA METALÚRGICA N o 40 - JANEIRO 201 2

Convênios ATENDIMENTO DENTÁRIO Dra. Miriam Vanzan

2 a feira - 1 3:30 às 1 7:45 3 a feira - 08:00 às 1 1 :1 5 4a feira - 1 3:30 às 1 6:45 5 a feira - 08:00 às 1 1 :1 5 6 a feira - 1 6:00 às 1 8:45 Sáb. alternados - 08:00 às 1 1 :45 Marcar consulta no Sindicato

APARELHOS ORTODÔNTICOS Dra. Angeline Dias

Rua 1 6 de Março, 1 58/ 501 Centro - Tel. 2242-3248

OFTALMOLOGISTA Dr. LuizCarlos Macedo Soares de Sá

Rua Alencar Lima, 35/ 51 2 - Centro - Tel. 2242-2592 Pegar requisição no Sindicato

LABORATÓRIO Salomão e Pardelhas

Rua 1 6 de Março, 1 1 4/ 307-308 Centro - Tel. 2231 -5445

ATENDIMENTO JURÍDICO Dr. SidineyPildervassere Dr. Venilson Jacinto Beligolli

Rua Dr. Nelson de Sá Earp, 95/ 51 0 Tels. 2241 -0648 e 2231 -4968

AUTO-ESCOLA Educar

Rua do Imperador, 6/slj. 4 - Centro - Tel. 2247-0550

UNIVERSIDADE Estácio de Sá

Campus I (Bingen) - Tel. 2233-5500 Campus II (Barão do Rio Branco) Tel. 2292-9850

CURSOS PROFISSIONALIZANTES Progresso

Rua do Imperador, 550 - Centro Tels. 2237-2073 (Porciúncula) e 2237-0053 (Centro) - Desconto de 50% p/ associados e dependentes

CLIMEP

Ed. Imperador - Praça Dr. Alcindo Sodré, 6/ 208 - Centro Tel. 2246-5200 Pegar requisição no Sindicato

O "Espaço Cidadão"foiinaugurado em 28 de maio de 2010. Na ocasião o auditório do sindicato recebeu o nome do ex-diretore companheiro metalúrgico Afrânio Antônio Vanzan. Na foto ao lado o presidente Carlos José Machado, entrega a Vanzan a placa comemorativa em homenagem ao ex-diretor. O evento teve apresentação do Coral de Petrópolis.

FISIOTERAPIA E REABILITAÇÃO Instituto Santa Júlia

Rua Prof. Cardoso Fontes, 47 Castelânea - Tels. 2243-7944 e 2242-9624 Pegar requisição no Sindicato

CLÍNICA Ponte Fones

Rua Mal. Deodoro, 46/ 301 Centro - Tel. 2243-9477 Pegar requisição no Sindicato

CENTRO HOSPITALAR Cidade Imperial

Rua Cel. Veiga, 222 - Centro Tels. 2231 -6654 e 2231 -5850 Pegar requisição no Sindicato (mais convênios na pg. 4)

sas de estudo pormês - cerca de 1.500 em 2011. O desconto é de 50%, para associados e dependentes.


JORNAL DA LUTA METALÚRGICA N o 40 - JANEIRO 201 2

Convênios (continuação da pg. 3)

FONOAUDIOLOGIA

Ed. Gemini - Rua do Imperador, 6/ slj. 5 - Centro - Tels. 22922629 e 8828-0888 Pegar requisição no Sindicato

INFORMÁTICA S.O.S. Computadores

Rua do Imperador, 1 034 Centro - Tels. 2245-1 050 e 22439301 Pegar requisição no Sindicato

CENTRO MÉDICO DIAGNÓSTICO São Vicente de Paula

Rua Dr. Porciúncula, 24/ sls. 1 1 3 a 1 1 8 - Centro Pegar requisição no Sindicato

PROTÉTICO Dr. Eduardo Martins

Marcar consulta pelos tels. 2248-5558 e 81 1 8-1 306

SINDICATO DOS TRABALHADORES METALÚRGICOS DE PETRÓPOLIS

Conveção Coletiva garante benefícios importantes para os metalúrgicos de Petrópolis Em sua última convenção coletiva, realizada em agosto de 201 1 , o Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Petrópolis conquistou para a categoria reajuste salarial de 7%. Mas além do reajuste anual, a convenção também estabeleceu as “cláusulas sociais”, que garantem benefícios de suma importância para a vida do trabalhador. Algumas delas também têm reflexo no bolso do metalúrgico, como por exemplo, a Cláusula Oitava, que trata do Vale-Transporte. O Sindicato garantiu, mais uma vez, um desconto de apenas 2% de auxílio transporte, diferentemente de ou-

tras categorias cujo desconto gira em torno de 6% sobre o salário do trabalhador. O presidente do Sindicato, Carlos José Machado, informa que as “cláusulas sociais” têm validade para o biênio de 201 1 – 201 3. Uma cartilha da convenção coletiva foi preparada pelo Sindicato e entregue aos associados. Nela estão todas as cláusulas que regem as condições de trabalho dos metalúrgicos de Petrópolis. Quem ainda não possui a cartilha pode buscar um exemplar na sede do sindicato (Rua Floriano Peixoto, 93). A cartilha tem distribuição gratuita.

Confira algumas das principais “Cláusulas Sociais” da Convenção Coletiva de Trabalho 2011/2013: Cláusula Décima – Hora Extra

a) As horas extras realizadas entre segunda e sexta-feira terão adicional de 90% em relação à hora normal de trabalho; b) As horas extras realizadas nos sábados compensados terão adicional de 1 00% em relação à hora normal; c) As horas extras realizadas nos domingos e feriados serão remuneradas com adicional de 1 20% em relação à hora normal.

Cláusula Décima Terceira – 1 3° salário

As empresas procederão ao pagamento da primeira parcela da gratificação natalina referente ao ano de 201 2 até o dia 30 de junho de 201 2.

Cláusula Décima Sexta – Ticket Alimentação

As empresas da categoria econômica, representadas pelo Sindicato Patronal signatário desta Convenção Coletiva que não concederem nenhum “benefício alimentação”, passarão a fornecer aos seus empregados um Vale ou Ticket Alimentação no valor de R$ 60,00 mensais.

Cláusula Vigésima Quarta – Estabilidade para alcançar a aposentadoria

Aos empregados que possuem 1 0 anos ou mais de trabalho na mesma empresa e que faltarem 1 2 meses para atingir o direito à aposentadoria pelo prazo mínimo da Previdência Social, será garantido o emprego ou salário durante os 1 2 meses acima mencionados.

Cláusula Trigésima Terceira – Licença Remunerada

As empresas concederão licença remunerada aos empregados representados pelo sindicato, observando-se o que segue: a) 05 dias para os empregados que, a partir de agosto de 1 985, completarem na mesma empresa 05 anos de serviço; 07 dias para aqueles que, nas mesmas condições, completarem 1 0 ou 1 5 anos de serviço; 1 2 dias para aqueles que, nas mesmas condições, completarem 20 ou 25 anos de serviço; 1 5 dias para aqueles que, nas mesmas condições, completarem 30 ou 35 anos de serviço. b) As licenças objeto do item anterior deverão ser concedidas no qüinqüênio seguinte ao de referência e não no respectivo que serviu de base para a contagem; c) Serão descontados no tempo de casa os dias em que o empregado esteve licenciado por qualquer motivo ou faltou ao serviço sem justificativa; d) Perderão o direito ao gozo do benefício os empregados que faltarem mais de 1 0 dias de consecutivos ou não durante o qüinqüênio (faltas não justificadas); e) Os dias desta licença prêmio poderão, ou não, ser anexados às férias regulamentares devendo o empregado solicitar a concessão 1 5 dias antes do início da fruição das férias; f) Não cabe proporcionalidade em caso de rescisão de contrato de trabalho; g) Em nenhuma hipótese esta licença poderá ser negociada.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Petrópolis deseja à todos(as) um 201 2 com muita paz e saúde, e novas conquistas na construção de uma sociedade mais justa.

Luta Metalúrgica 40 Jan/012  

Informativo do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas de Petrópolis e Região