Issuu on Google+

O TRABALHADOR Jornal do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó (SITRACARNES) Edição 04 - Ano 03 - 1o Trimestre de 2014

BRF/Sadia novamente perde ação na Justiça Os trabalhadores(as) lembram daquela assembleia que ocorreu na frente da BRF/Sadia dia 14 de junho de 2012, quando se discutia a campanha salarial daquele ano. Naquela época a BRF/Sadia entrou com uma ação judicial contra o presidente do Sitracarnes, Jenir Ponciano de Paula, por causa das coisas que ele falou para defender os trabalhadores(as) na assembleia e em reunião na frente da empresa no dia 07 de junho. Mas novamente a BRF/Sadia perdeu! A

Justiça deu ganho de causa para o Jenir, dizendo que não tem crime nenhum! Nos dois dias, da assembleia e da reunião, o nosso presidente falou coisas para defender os trabalhadores(as). O juiz entendeu que as falas são próprias de um dirigente sindical que defende sua categoria. Não era motivo para a empresa entrar na Justiça, nem para demitir o Jenir. A decisão saiu dia 06 de fevereiro desse ano e mostra que esta direção está no caminho certo na luta pelos direitos dos trabalhadores(as).

A Justiça julgou que as palavras usadas por Jenir foram para defender os trabalhadores(as) e que não teve crime

Trabalhadora da BRF/Sadia e dirigentes do sindicato ganham ações na Justiça Também por causa da assembleia do dia 14 de junho de 2012 a BRF/Sadia demitiu a trabalhadora Marcia Mara Bassotto, porque ela havia se posicionado a favor da proposta do sindicato durante as

manifestações e apoiado a campanha salarial. Ela entrou com uma ação contra a empresa por danos morais. A Justiça deu ganho de causa para a Marcia, dizendo que a empresa não pode demitir os

Página 2

Categoria aprova prestação de contas

trabalhadores que fazem campanha salarial para garantir seus direitos. Isso é conduta antissindical, ou seja, a empresa perdeu por ter ficado totalmente contra os trabalhadores(as). Esta foi a primeira

vez que a BRF-Sadia de Chapecó foi condenada a pagar indenização de R$ 15 mil por prática antissindical.

contra a BRF/Sadia de Chapecó foi o vice-presidente do sindicato, Aldemar Danelli, por doença ocupacional. Devido ao trabalho, ele teve proDoença ocupacional tusão discal lombar, incaQuem também ga- pacitando ele totalmente nhou uma ação judicial para o trabalho que fazia.

Página 3

Página 4

Participe da Campanha Salarial de 2014

112 trabalhadores abriram CAT no sindicato


Página 2

O Trabalhador, Chapecó, 1o Trimestre de 2014

Categoria aprova prestação de contas do exercício de 2013

Todos os presentes aprovaram a prestação de contas

No dia 08 de fevereiro foi realizada assembleia de prestação de contas, momento em que a direção do sindicato apresentou todo o dinheiro que entrou e no que foi gasto, detalhadamente. Como sempre é feito, todas as decisões do sindicato são aprovadas em assembleia. No caso da prestação de contas, todos os presentes aprovaram os números apresentados. Mesmo assim, colocamos aqui no informativo para que todos possam ter conhecimento. Esta direção está fazendo o possível para

diminuir a contribuição sindical dos trabalhadores(as), mas tendo o cuidado para manter o sindicato. O trabalhador(a) contribui com 3% ao ano de contribuição sindical; um dia de trabalho e com a mensalidade sindical. O planejamento do sindicato é que no futuro não tenha mais os 3% ao ano, mas para isso acontecer todos os trabalhadores(as) da base terão que ser sócios. Aqui está a prestação de contas. Acima, você pode conferir os números. Neste ano, como o trabalhador(a) pode ver, tivemos um

déficit financeiro, que quer dizer que faltou dinheiro. Entretanto, todos que estiveram na assembleia do ano passado lembram que tivemos superávit, isto é, no exercício

de 2012 sobrou dinheiro. Essa sobra do ano anterior cobriu os gastos a mais do exercício do ano passado. Se tiver dúvidas, o trabalhador(a) pode ir ao

sindicato e conversar com os diretores. Participar das assembleias também é muito importante, porque nelas sempre são esclarecidas todas as dúvidas.

Sindicato homenageia mulheres O Sitracarnes homenageou as mulheres pela passagem do seu dia, 8 de Março, entregando uma lembrancinha às trabalhadoras. Nossa categoria é composta por 65% de mulheres, e precisamos valorizar seu trabalho. Elas costumam fazer dupla jornada: depois do trabalho da empresa, ainda tem os afazeres domésticos. São lutadoras e pre-

cisam ser reconhecidas. Para valorizarmos mais o trabalho da mulher conseguimos o auxílio creche, mas precisamos melhorar. Convidamos todas e todos para participar das assembleias de construção da pauta de reivindicações desse ano. As mulheres também estão presentes na diretoria do sindicato, mas a participação feminina pode ser ainda maior. Mulher, associe-

se e venha fazer parte do nosso sindicato! O Dia da Mulher O Dia Internacional da Mulher foi proposto pela jornalista e política alemã Clara Zetkin, em 1910, no 2º Congresso Internacional de Mulheres Socialistas, em Copenhagen, mas ela não sugeriu uma data específica. Na década de 1970, o dia passou a ser associado a um incêndio que aconteceu em uma fábri-

Diretoras do sindicato em reunião da direção

ca têxtil de Nova Iorque, em 25 de março de 1911, que vitimou 146 pessoas, das quais 125 eram mulheres. Mas foi somente

em 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.

Expediente: O Trabalhador é o informativo trimestral do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó. Redação: Rua Benjamin Constant, 440-D, Centro, Chapecó, SC. Telefone: 3322-4324; e-mail: secretaria@sitracarnes.com.br. Redação e diagramação: Mariane Kerbes. Fotografia: Sitracarnes e Mariane Kerbes. Ilustrações: Reprodução. Tiragem: 3.000. Distribuição dirigida aos trabalhadores em agroindústrias da base do Sindicato.


o

3 Página

O Trabalhador, Chapecó, 1 Trimestre de 2014

Esteja junto com o sindicato na campanha salarial desse ano Este ano teremos nova campanha salarial, em dois momentos: uma em maio, que é a data base das agroindústrias de pequeno porte; e outra em junho, que é a data base dos trabalhadores(as) da BRF/Sadia. No entanto, a organização e as assembleias para definir a pauta de reivindicações já vão começar.

É muito importante que todos participem, opinem, levem para as assembleias as dificuldades e as reivindicações, para que assim a pauta desse ano possa ser feita com itens que contemplem as necessidades dos trabalhadores(as). Depois de trabalhar um ano inteiro, de se esforçar e até adoecer pa-

É hora de repartir os lucros que os trabalhadores(as) ajudaram a conquistar dando aumento salarial

ra atingir as metas, a participação dos lucros que a BRF/Sadia dá aos trabalhadores(as) é uma vergonha: apenas R$ 300,00. No mês de março os setores que atingiram a meta também receberam 40% a mais sobre o salário. Já os que não atingiram as metas, receberam 36%. Porém, isso é muito pouco, além de receber apenas uma vez. Importante Se você quiser se mento na subsede em mesmo é garantir aumento real de salário na nossa associar, pode procurar o frente da empresa nas data base, que vale para o dirigentes na sede, todos terças e sextas-feiras, das os dias da semana, em 13h às 16h. ano inteiro! horário comercial. Para Para se associar é O Sindicato con- os trabalhadores da BRF- preciso levar o crachá e os vida sócios e quem ain- Sadia também há atendi- documentos pessoais. da não é sócio para vir junto e fortalecer a nosVenha junto fazer a luta por melhores sa luta por melhores salários e melhores condições de trabalho! salários e condições de Nossa força vem da nossa união! trabalho.

Sitracarnes presente na luta dos agricultores(as) O Sindicato se relaciona com todos os movimentos sociais de luta da classe trabalhadora, e o MST (Movimento dos Sem Terra) também é formado por trabalhadores(as). Assim, o Sindicato apoia a luta deles, e eles também nos apoiam. A realidade da pequena agricultura afeta a agroindústria, é lá que começa nosso trabalho. Os agricultores são tão explorados como nós pelas empresas. E como somos todos trabalhadores(as),

precisamos nos unir. Por isso, o Sindicato participou do 6º Congresso Nacional do MST, que aconteceu em Brasília de 10 a 14 de fevereiro. Além de dar força

aos trabalhadores(as) que buscam sua terra, a direção também foi aprender com eles, que têm mais de 30 anos de história na luta da defesa dos direitos da classe trabalhadora.

O Congresso O 6º Congresso Nacional do MST reuniu mais de 15 mil pessoas de todo o país. Uma de suas principais lutas é a reforma agrária. Hoje 50 mil proprietários rurais têm 46% de todas as terras do

Brasil. São cerca de 400 milhões de hectares de propriedade privada. Destes, apenas 60 milhões de hectares são usados para a lavoura. Somente isso legitima a luta pela terra, que deve ser melhor distri-

buída em nosso país. O próprio Incra (Instituto de Colonização e Reforma Agrária) admitiu que há 100 milhões de hectares de terras sem uso no Brasil e, em contrapartida, há cerca de 4,8 milhões de famílias sem terra.

Para refletir Tr a b a l h a dor(a), venha com esta direção que democratizou o nosso sindicato. Nós mudamos o estatuto, que era antidemocrático, totalmente contra o trabalhador(a). Na direção anterior, o sindicato tinha até um posto de atendimento dentro da BRF/Sadia, que era dirigido junto com a própria empresa. Não podemos esquecer de tudo o que fizeram contra a categoria. Ano que vem teremos eleição e você trabalhador(a) sabe da transparência e honestidade desta direção, da luta que estamos fazendo. Quem vai decidir a continuidade desse trabalho são vocês.


Página 4

o

O Trabalhador, Chapecó, 1 Trimestre de 2014

Secretaria de Saúde:

O sindicato emitiu 112 CATs no ano passado Um dos grandes problemas enfrentados pelos trabalhadores nos frigoríficos é a sub-notificação, isto é, trabalhadores que adoeceram por causa do trabalho são encaminhados ao INSS como portadores de doenças não relacionadas ao trabalho. Ou, ainda, as empresas agem de forma pior, nem sequer encaminhando o trabalhador à previdência social, ou seja, não aceita o adoecimento e deixa que o trabalhador continue na linha de produção sob medicação. Muitos trabalhadores(as) relatam que os médicos e técnicos de segurança das empresas dizem que a doença foi ocasionada pelo trabalho doméstico, como lavar roupa, lavar louça, lavar carro ou carregar filhos no colo, entre

Registro do primeiro grupo que recebeu as CATs, no mês de maio de 2013

tantas outras justificativas absurdas. Entretanto, doenças como tendinite, bursite ou síndrome do túnel do carpo surgem devido ao trabalho repetitivo e sem pausas para descanso dentro do frigorifico. Diante dessa situação, o Sitracarnes contratou o médico do trabalho Dr. Roberto Ruiz, para promover o cuidado com a saúde, uma das promessas de cam-

panha da atual diretoria. O Dr. Roberto começou a atuar no sindicato em janeiro de 2013, e até o final do ano foram abertas 112 CATs (Comunicação de Acidente de Trabalho). Todas essas CATs abertas através do sindicato foram negadas pelas empresas aos trabalhadores. A maioria delas é proveniente de trabalhadores(as) da BRFSadia.

Benefícios Quando o afastamento do trabalhador acontece por motivo de doença ocupacional reconhecido, isto gera alguns benefícios aos trabalhadores, como: um ano de estabilidade no emprego após receber alta do INSS e o depósito do fundo de

garantia durante o tempo que estiver afastado. Isso está previsto na a lei 8.213, de 1991. Porém, se o afastamento acontecer por doença considerada comum, ou seja, não relacionada ao trabalho, o trabalhador não tem direito aos benefícios.

Procure o sindicato Se você está adoecendo e a empresa não reconhece, procure o sindicato. O Dr. Roberto Ruiz promove mutirões em finais de semana e avalia os casos clínicos. O trabalhador deve levar possíveis exames que já tenha feito. Se o trabalhador for portador de doença e o

Na entrega das CATs aos trabalhdores, a direção do sindicato e o Dr. Roberto Ruiz também conversam com os trabalhadores, explicando diversos assuntos e respondendo perguntas. Esta foto é do terceiro grupo que recebeu as CATs, em outubro.

médico constatar exposição a riscos ocupacionais, o Sindicato emitirá a CAT. Mais informações no sindicato, pelos telefones (49) 3322-4324 e 3322-5660, ou diretamente na sede, na Rua Benjamin Constant (calçadão), 440-D.

Cuide de sua saúde! Ela é fundamental para que você possa continuar trabalhando. Qualquer dúvida consulte os diretores do sindicato, que estão todas as terças e sextas-feiras em frente à BRF/Sadia para conversar com você.

No sindicato, você tem assessoria jurídica e dentista - Dentista: Atendimento de segunda a sexta-feira no horário comercial, na sede do sindicato.

- Atendimento na subsede: O atendimento na subsede, em frente da BRF/Sadia, é nas terças e sextas-feiras, das 13h às 16h. O trabalhador(a) que quiser se associar ou esclarecer dúvidas pode procurar os diretores lá nesses dias, ou então em qualquer dia na sede. Também pode conversar com os diretores do sindicato na fábrica.

- Convênio Médico: O Sindicato disponibiliza convênio com diversos profissionais da saúde, que oferecem descontos para os sindicalizados. Entre em contato para saber mais detalhes de como usar. Ligue para: 3322-4324 ou 33225660.

- Sede campestre: O uso da sede campestre é gratuito para os sócios do sindicato e seus dependentes. Não precisa reservar, mas é necessário pegar autorização de consulta para uso da piscina, que é gratuita para os sócios e seus dependentes. Já para usar o clube é necessário reservar a data pelo telefone 3322-4324.

- Advogado: O advogado atende no sindicato todos os dias na sexta-feira à tarde, na subsede.


O trabalhador 1 trimestre 2014