Page 1


Don’t sell bananas like oranges! Limited Edition 2013

Nuno NOGUEIRA com Filipa PALMA Marisa FERREIRA Teresa MOTA


FICHA TÉCNICA Edição: Vírgula® (Chancela Sítio do Livro) Título: Don´t sell bananas like oranges! Autor: Nuno Nogueira Capa: Patrícia Andrade Revisão: Ana Domingos Paginação: Nuno Remígio 1.ª Edição Lisboa, 2013 Depósito legal: 358882/13 ISBN: 978-989-8413-93-2 © Nuno Nogueira PUBLICAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Sítio do Livro, Lda. Av. de Roma n.º 11 – 1.º Dt.º | 1000-261 Lisboa www.sitiodolivro.pt


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

Ao Diogo, pelos seus sorrisos contagiantes.

7


8


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

O caminho foi árduo? Sim. Fui à luta e consegui! E ultrapassarei os próximos desafios. Teresa Mota

9


10


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

Sem mais preâmbulos…

11


… Desconcertante. É assim que podemos classificar este novo livro de Nuno Nogueira. Desconcertante. É assim, aliás, a sua escrita. À semelhança do seu primeiro livro – o romance O primeiro-ministro derrotado –, Don’t sell bananas like oranges! é um livro de reflexão. Ajuda-nos a pensar sobre o quão importante é ser-se verdadeiro e sobre o relevo das emoções nesse trabalho (sim, porque refletir dá trabalho…) de “ser verdadeiro”. E o mais importante é sentir. “Racionalizar é inútil quando só importa ‘o sentir’.” É essa atitude que nos conduz à verdade das coisas, mas também à imprevisibilidade e à ausência da monotonia que o Autor também elogia. Nas empresas e nos negócios, nas relações de trabalho e nas relações pessoais, é fundamental preservar a individualidade, algo que nem sempre é fácil por fatores de várias ordens. Ora, a individualidade alcança-se precisamente com “o sentir”. O que cada um sente é único, exclusivamente seu e ninguém lho poderá tirar. O que eu sinto faz de mim

12


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

quem sou, enquanto mãe, esposa, amiga, irmã, tia e, logicamente, profissional. Don’t sell bananas like oranges! não é um livro de autoajuda, como o próprio Autor sublinha. Ainda assim, é um livro que ajuda. Principalmente por nos ajudar a perceber a importância de não olhar para as bananas como se fossem laranjas e, sobretudo, de não “oferecer” aos outros bananas como se estivéssemos a oferecer laranjas. Com os conselhos (ou reflexões, como lhe queiramos chamar) de Nuno Nogueira, apresentados neste livro, a vida poderá ser melhor. Aproveite então, caro leitor!

Manuela Micael Abril de 2013

13


14


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

Do autor

15


16


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

Com um percurso profissional de referência, Nuno

Nogueira apresentou o seu primeiro romance em 2011. O seu primeiro livro “O Primeiro-Ministro Derrotado” aborda os pormenores que, no decurso de uma vida, se entrelaçam e se cruzam,

mudando, muitas vezes, e, por completo, o rumo dos acontecimentos.

Em 2012, foi um dos profissionais convidados a colaborar no livro publicado por Maggie João, sob

o título de ‘Top Question’, sobre as ‘perguntas poderosas’ de coaching de executivos e quadros superiores em Portugal.

Em 2013, apresenta o seu segundo livro - o primeiro na área de gestão - na qual, aliás,

tem desenvolvido a sua atividade, com especial

incidência, recentemente, na área de ‘business

skills’. O seu novo livro ‘Don’t Sell Bananas like Oranges!” é, nas palavras de Manuela Micael, autora do prefácio, “desconcertante”. De acordo com o próprio, um livro “sobre tudo e sobre o nada” que, mais uma vez, nos leva a refletir.

17


Nuno Nogueira nasceu em Matosinhos há 36

anos. Com um filho, formou-se em Economia na Universidade Portucalense, no Porto e, ainda

nesta cidade, estudou Finanças e Fiscalidade na

Faculdade de Economia da Univ. do Porto. Já em Lisboa, estudou Políticas de Desenvolvimento de Recursos Humanos no ISCTE e, ainda nesta escola, na INDEG Business School, o seu Executive MBA.

18


0


20


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

Regressar ao ponto de partida constitui, para muitos de nós, um sinal de derrota. E, no entanto, em muitos contextos económicos e sociais – aliás, em economias com um maior nível de maturidade – é sinónimo de perseverança e determinação. Características personalísticas que potenciam o sucesso pessoal e profissional. Ao longo de vários anos, fui escrevendo sobre isso. Sobre esses desafios do recomeço. Dos pequenos heróis. Dos contributos que damos, em pequenas coisas, ao pular incessante do mundo. Uma revisão de vários desses textos constituiu um desafio pois, em si mesma, levou-me a concluir da razoabilidade de algumas palavras e da menor relevância de outras. Ou seja, algumas das que agora partilho consigo poderão ter, num futuro próximo, idêntica perceção ou destino. Em todo o caso, partilhar constitui um dos primeiros passos do recomeço. Do recomeço. Do reinício. Como diria Miguel Torga – sem angústias e sem pressas – mas sempre em liberdade. Liberdade de pensamento. Liberdade de ação. Liberdade de errar para, a partir do erro, construir patamares de crescimento pessoal e profissional. E, de novo, o sucesso.

21


Pessoas e profissionais que me inspiram são aqueles que não têm medo desse recomeço e, aliás, fazem do mesmo o seu ponto de partida e de chegada. O seu modo de vida. Pessoas como a Teresa que depois de uma vida de estudo e percurso profissional dedicado à gestão, redescobriu a sua paixão na enfermagem. Regressou aos estudos. Conclui-os. Hoje, trabalha no Reino Unido, com uma vida mais prazerosa. Pessoas como a Marisa cujos caminhos profissionais dedicados ao serviço junto e para com os outros, sempre numa perspetiva de excelência, a leva a assumir responsabilidades e desafios de carreira – por vezes inferiores às suas competências – mas que, na verdade a tornam profissionalmente mais completa. Pessoas como a Filipa que desmaterializados os efeitos benéficos ou perniciosos da condição financeira – decidirá o leitor, conforme a sua perspetiva – se dedica a projetos de voluntariado e de paixão na ajuda a organizações, jovens, cidadãos do mundo, que um dia serão melhores. Pessoas como você?

22


D O N ’ T

S E L L

B A N A N A S

L I K E

O R A N G E S

Pessoas como eu? Pessoas que nos inspiram ou não. Ler, de forma descomprometida, este livro, não deixará de lhe constituir um desafio. E isso será bom ou não dependendo da sua perspetiva. Não é um elencar de conselhos. Quem seria eu para o fazer. Não é um role de lugares comuns. É um livro de partilha de responsabilidades e desafios. Para as quais e os quais, estaremos ou não preparados. Afinal, trata-se ‘apenas’ da nossa vida.

23


24

Profile for SitiodoLivro.pt

Don't sell Bananas like oranges!  

Mais do que um livro sobre Liderança o Motivação, “Don´t Sell Bananas Like Oranges!” é um livro que nos desafia a questionar as grandes e pe...

Don't sell Bananas like oranges!  

Mais do que um livro sobre Liderança o Motivação, “Don´t Sell Bananas Like Oranges!” é um livro que nos desafia a questionar as grandes e pe...