Page 50

MEGA: Qual a diferença de Marketing Político e Marketing Eleitoral? GIBA: O Marketing Político trata de assuntos relativos à imagem do candidato, suas ações no governo ou não, nos partidos, sindicatos de classe e tudo o que trata de um líder junto à sociedade. Visa formar uma imagem positiva e gerar forte notoriedade e, após iniciado na carreira de um candidato, não há um prazo final, o acompanhará durante toda sua carreira. O Marketing Eleitoral é aquele desenvolvido frente ao “mercado” de eleitores, começa um pouco antes da eleição e se concretiza no último dia da campanha eleitoral, visando então desenvolver ações do candidato para atingir os eleitores em massa, por intermédio da propaganda, desenvolvida pelas estratégias de marketing. MEGA: É preciso um consultor de marketing político em uma campanha? GIBA: Após Nixon e Kennedy efetivarem o primeiro debate na TV, nos anos 60, a importância da imagem do político ganhou um espaço nas campanhas que não há como entrar para uma disputa eleitoral, sem um profissional de marketing assessorando e planejando as estratégias voltadas ao que o público entende como “necessidades básicas e benefícios diretos”. Um consultor político tem uma visão

independente da situação local como os que estão diretamente ligados à campanha, estes vivenciam diariamente, não conseguindo argumentos técnicos e diferenciados sobre as expectativas dos eleitores, por fazerem parte de seu cotidiano, achando assim que conhecem tudo sobre todos e a cidade em detalhes. MEGA: Quais as chances de se ganhar uma eleição com um acompanhamento profissional de um consultor? GIBA: Em primeiro lugar, as chances de sucesso com um acompanhamento de marketing é muito maior do que fazer o trabalho eleitoral pela experiência que você e sua equipe possuem de longos anos atuando no mesmo local. Você seria rapidamente atropelado pelo seu adversário se ele contar com uma empresa de marketing montando diferentes estratégias para surpreendê-lo no que você e sua equipe parece conhecer há anos. Collor, surpreendeu Lula, Leonel Brizola, Mário Covas, Paulo Maluf, Guilherme Afif Domingos e Ulysses Guimarães, ao vir com a proposta de ser o “Caçador de Marajás”. MEGA: O que é estratégia de campanha? GIBA: É o ato de organizar ideias, mensagens e ações que façam com que aquilo que o povo está ansiando seja objeto da campanha eleitoral, sendo o candidato o mais identifica-

do em relação ao que irá solucionar tais expectativas. Quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve. MEGA: Quando se deve iniciar o trabalho de marketing político? GIBA: O mês de abril é a fase de apurar dados, produzir diagnósticos e estudar o ambiente eleitoral para diferentes situações que os candidatos vão encontrar pela frente. Fazemos um trabalho quantitativo para recuperar anseios represados de uma população, outro trabalho qualitativo junto as pessoas do convívio do candidato, assessores, amigos familiares e, posteriormente, montamos um diagnóstico em que contamos com oportunidades e riscos, para definitivamente se montarem as primeiras estratégias de campanha e imagem do candidato.

GIBA

MEGA: Qual o perfil de quem trabalha na área hoje? GIBA: Acho que para todas as áreas a especialização, experiência em eleições no exterior, acompanharmos avanços da tecnologia que nos inspiram em novas formas de comunicação de massa, e ser plugado rápido, decidido e muito veloz nos sinais que os eleitores emitem enquanto estão envolvidos no processo eleitoral. Estes sinais nos fazem mudar de estratégia imediatamente e poder, dali, ter o mote perfeito que nos levará a vitória.

“Um consultor político tem uma visão independente da situação local como os que estão diretamente ligados à campanha”

sistemamega.com

Revista MEGA  

Edição 134 Janeiro 2012

Revista MEGA  

Edição 134 Janeiro 2012

Advertisement