Page 1

PRÉ-ENEM SOCIOLOGIA VOLUME 1

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS PALAVRA DO AUTOR


CiĂŞncias humanas e sociais aplicadas: Matriz de ReferĂŞncia C1

Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H4

Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura.


C

1

O

L TU

A

COMPETÊNCIAS:

C1

Introdução à Sociologia HABILIDADES:

H4

APRESENTAÇÃO Neste capítulo, estudaremos o surgimento da Sociologia e suas contribuições para uma melhor compreensão da sociedade. Veremos que, além da Sociologia, existem outras ciências sociais, como a Antropologia, a Ciência Política e a Economia, que também ajudam no entendimento dos fenômenos humanos em sociedade. Faremos uma análise de como a crescente urbanização, decorrente das revoluções burguesas e da Revolução Industrial, modificou de forma profunda o cenário social da Europa do século XVIII, impulsionando, com isso, o nascimento da Sociologia. Nesse sentido, o seu surgimento não se dá apenas com o objetivo de entender o funcionamento da sociedade. A Sociologia surge também para preservá-la, pois a sociedade industrial da época é entendida como o modelo social mais desenvolvido da história humana e, portanto, deve ser conservado. Abordaremos, também, as teorias dos primeiros sociólogos franceses, como Auguste Comte (pai da Sociologia) e o seu continuador Émile Durkheim. Veremos ainda os alemães Karl Marx e Max Weber, também considerados clássicos do pensamento social, bem como as diferenças de abordagem existentes entre eles. Em seguida, veremos como as teorias sociológicas chegaram ao Brasil e ajudaram a fundar o primeiro curso de Sociologia em terras nacionais, na Universidade de São Paulo, e quem são os seus principais representantes.


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

TÓPICO 1 • As ciências sociais

Reprodução

A sociologia é o estudo científico das formas culturalmente padronizadas de interação humana. Ela estuda os seres humanos enquanto seres sociais, observando suas instituições, normas, leis, linguagens e valores. Alguns autores também definem a sociologia como um campo de conhecimento que estuda objetivamente as relações sociais, sejam elas conscientes ou inconscientes, entre os humanos. A partir das relações sociais é que a sociedade é constituída e formada. A interação coletiva entre os diversos grupos sociais compõe a sociedade.

gia e a ciência política. De todo modo, tal divisão é, em grande medida, em nível epistemológico, ou seja, consiste em uma divisão criada para se produzir conhecimento especializado. Já falamos um pouco da sociologia. No que tange à antropologia, essa ciência social é entendida como o estudo das muitas e diferentes experiências humanas existentes, procurando compreendê-las e compará-las. O ser humano é seu principal objeto de estudo e suas maneiras de se manifestar culturalmente nas diversas sociedades. Essas maneiras são expressas pelos costumes, os hábitos, as crenças religiosas, bem como os aspectos físicos, os rituais e as linguagens, ou seja, toda e qualquer expressão cultural. A ciência política, por sua vez, analisa os sistemas políticos, as forças que atuam sobre elas e as relações poder. Igualmente aos sociólogos e aos antropólogos, os cientistas políticos analisam documentos, fazem pesquisa qualitativa e quantitativa, avaliam estatísticas, descrevem e analisam dados de diversas fontes. A ciência política se divide em diversos campos, como a teoria política, a filosofia política e a geopolítica. Já a antropologia, de modo geral, tem na antropologia física e na antropologia cultural ou social os principais campos dessa disciplina. A sociologia, por sua vez, tende a ser mais homogênea seus campos geralmente são dois, a sociologia teórica e a sociologia aplicada. A primeira consistindo numa sociologia que busca desenvolver teorias sobre a sociedade, e a segunda, uma sociologia mais voltada pela análise empírica dos problemas sociais da vida cotidiana. Shutterstock.com

Imagem 1.1. Interações sociais e suas consequências são interesses comuns na Sociologia

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Nesse sentido, é comum dizer que a sociologia se ocupa dos fenômenos oriundos da interação entre as pessoas. Tem-se como exemplos de fenômenos sociais a concepção de família, de religião, de nacionalidade, de idioma, de cultura, de justiça, de cidadania... Enfim, uma infinidade de significados, normas e construtos sociais desenvolvidos e compartilhados coletivamente entre as pessoas. Mas o que é a sociedade? Como a sociologia responde a essa questão? Os humanos são seres sociais. Em outras palavras, quer dizer que desenvolver relações sociais e viver em sociedade é uma característica de espécie humana. A partir dessa ideia, a sociologia entende a sociedade como um sistema inter-relacional de símbolos, significados, valores e normas. A sociedade e a cultura são os principais objetos das ciências sociais, tendo em vista que cada sociedade desenvolve símbolos, valores e significados diversos para a realidade, constituindo a cultura particular de cada grupo. Para dar conta da diversidade humana, de modo geral, as ciências sociais são divididas em três: a sociologia, a antropolo-

290

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

Imagem 1.2.

O vídeo a seguir explica a Antropologia.

Link sugerido • https://goo.gl/An2xo8


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

EXERCITANDO EM AULA 01. Marque a alternativa abaixo que apresenta a ciência social que estuda as diferentes maneiras de manifestação cultural do ser humano, como seus costumes, hábitos, crenças religiosas, rituais, linguagens e toda e qualquer expressão cultural. a) Ciência Política b) Psicologia c) Antropologia d) Economia e) Arqueologia

TÓPICO 2 • O surgimento da Sociologia

A sociologia acabou herdando os métodos que já existiam na ciência, usando-os para a investigação acerca das relações sociais. Ela usou, em especial, o método indutivo.

SAIBA MAIS Sebastião Vila Nova explica que estudar a sociedade é estudar relações sociais, e as relações sociais não constituem uma realidade física imediatamente perceptível. Podemos ver as ações, o comportamento dos homens, mas não podemos ver as relações sociais.

ESCLARECENDO Segundo o sociólogo Peter Berger, o conhecimento sociológico também funciona, mais do que como ciência, como uma disciplina humanística. A sociologia é, de acordo com ele, um meio de possível aperfeiçoamento do espírito.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

A palavra sociologia foi criada por Auguste Comte na primeira metade do século XIX, embora isso não signifique que não houve tentativas de explicar as relações entre os seres humanos antes de Comte. As primeiras reflexões mais sistemáticas acerca da sociedade foram formuladas no momento em que houve uma diversificação nunca antes vista, resultante da Revolução Industrial iniciada na Inglaterra, em 1750. Além da Revolução Industrial, também teve particular importância no desenvolvimento da sociologia enquanto ciência a Revolução Francesa de 1789, que concorreu para a ascensão da burguesia e também para dar mais visibilidade aos problemas e conflitos sociais da época. Por isso, é correto dizer que, embora a sociologia como ciência tenha surgido no século XIX, a reflexão sobre os problemas sociais está vinculada ao século XVIII e resultou da tentativa de compreender e explicar os problemas relacionados aos fenômenos sociais e à crescente urbanização das cidades europeias. Além disso, os pensadores do século XIX acreditavam que se a ciência tinha sucesso na explicação da natureza, poderia também explicar a sociedade. E a sociedade, como a natureza, poderia ser conhecida e transformada.

02. Marque a alternativa abaixo que não representa uma das subdivisões das Ciências Sociais. a) Sociologia b) Ciência Política c) Antropologia d) Economia e) Psicologia

EXERCITANDO EM AULA 03. As primeiras reflexões mais sistemáticas acerca da sociedade foram formuladas no momento em que houve uma diversificação nunca antes vista, resultante de dois importantes processos revolucionários. Marque a alternativa abaixo que contém essas duas revoluções.

a) b) c) d) e)

Revolução Americana e Primavera dos Povos Revolução Industrial e Revolução Francesa Revolução Russa e Revolução Iraniana Revolução Inglesa e Unificação Alemã Revolução Francesa e Unificação Italiana

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

291


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

04. A sociologia, nos seus primórdios no século XIX, acabou herdando os métodos que já existiam na ciência, usando-os para a investigação acerca das relações sociais. Ela usou, em especial:

Domínio Público

TÓPICO 3 • Os clássicos da Sociologia

Imagem 1.3.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Auguste Comte (1798-1857) é considerado o pai da sociologia, palavra por ele usada pela primeira vez em 1839, além de ser o mentor da filosofia positivista. Comte atribuiu particular importância ao conceito de consenso, ideias e crenças comuns partilhadas por todas as pessoas de determinada sociedade que seriam responsáveis por manter a ordem social. Ele foi o primeiro a formular as leis gerais que regem a sociedade. Acreditava que, da mesma forma que a natureza é regida por leis naturais, a sociedade é regida por leis sociais. Comte formulou, ainda, a chamada Lei dos Três Estados (teológico, metafísico e positivo), em que identificou três momentos específicos do esforço humano para compreender o mundo à sua volta.

APROFUNDAMENTO A lei dos três estágios Auguste Comte (1798-1857) foi discípulo de Saint-Simon, um racionalista francês que também é lembrado nos livros de história como socialista utópico.

292

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

a) b) c) d) e)

o método dedutivo o método indutivo o método geométrico o método aristotélico o método filosófico

Aliás, tal e qual Hegel e Kant, Comte imaginou a história em uma perspectiva teológica e afirmou que são as ideias e o conhecimento humano que transformam a realidade e o mundo. Baseado nessa percepção da história, Comte viu na ciência o fio condutor do desenvolvimento humano. O apreço de Auguste Comte pela ciência se pode perceber na chamada Lei dos três estágios. Em um primeiro momento, que ele chamou de estágio teológico ou fictício, as explicações acerca da realidade são de cunho religioso. Ele afirmava que a Europa estava nesse estágio durante a Idade Média (V-XV). Segundo Auguste Comte, nesse estágio o homem atribuiu às entidades sobrenaturais os acontecimentos ao seu redor. Um fenômeno natural (seca, geada...), nessa perspectiva, seria atribuído a Deus ou aos deuses. O segundo estágio foi chamado por ele de metafísico. Nesse estágio, não são mais os deuses que agem, mas a própria natureza é “personificada”. Trata-se de uma explicação mais natural e filosófica do mundo. De acordo com Comte, a Europa estava nesse segundo estágio no século XVII. Essa fase da evolução do pensamento é uma espécie de meio do caminho entre o período anterior (religioso) e o próximo (positivo, ou científico). Os alquimistas seriam representantes desse segundo momento. O terceiro e último estágio foi chamado por Comte de positivo. Esse é o estágio científico. Nele, o que prevalece é a observação dos fenômenos, o levantamento de hipóteses, o uso de métodos de estudo e os experimentos. Trata-se do primado das explicações científicas do mundo. A Lei dos três estágios foi abandonada nos dias atuais, uma vez que ela pressupõe a ideia de evolução e consequentemente de superioridade de um estágio em relação ao anterior. Por exemplo, o estágio positivo seria superior ao estágio teológico, no qual prevalecem as narrativas mítico-religiosas. Aliás, a ideia de progresso e evolução que subjaz à teoria de Comte e que postula a superioridade do pensamento científico (positivo) europeu do século XIX sobre as sociedades ditas “primitivas” foi um dos elementos motivadores do imperialismo e das ideias neocolonialistas.


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

Auguste Comte aplicou o método científico ao estudo da sociedade, processo que consistia na identificação e observação do objeto de estudo, além da quantificação e comparação dos dados colhidos que seriam posteriormente analisados. As ideias de Comte foram desenvolvidas, sobretudo, em sua obra Curso de Filosofia positiva, publicada em seis volumes, de 1830 a 1842. O positivismo de Comte afirmava o “amor por princípio”, a “ordem por base” e o “progresso por fim”. Domínio Público

Émile Durkheim (18581917), em seu livro As Regras do Método Sociológico, explica que a sociedade não é uma simples soma de indivíduos, e sim um sistema formado pela associação, que representa uma realidade específica com os seus caracteres próprios. Alguns estudiosos consideram Durkheim um funcionalista pelo fato de ele ter se preocupado com o bom funcionamento da sociedade. Ele dizia que as instituições sociais são essenciais para o bom funcionamento da relação entre os indivíduos.

Imagem 1.4.

instituições sociais: são formadas pelo conjunto compartilhado de crenças, normas e valores, que juntos formam padrões sociais. A religião, a educação, a família, a economia, o governo, as leis, entre outras, são exemplos de instituições sociais que podem ser encontradas nas diversas sociedades.

A sociedade harmônica é aquela em que ocorre um consenso entre os indivíduos, enquanto em uma sociedade doente ocorre uma patologia social, que provoca a sua desestruturação, gerando a anomia.

A visão funcionalista da sociedade em Émile Durkheim Quando a sociologia surgiu com Auguste Comte, as outras ciências já estavam relativamente desenvolvidas. Por esse motivo, a sociologia fez uso de uma série de conceitos e expressões anteriormente usadas pelas ciências naturais, como a física e a biologia.

Em sua obra O Suicídio, Durkheim demonstrou a relação existente entre a ocorrência do consenso entre os indivíduos e e a anomia. Nesse trabalho sociológico, ele identificou três tipos de suicídio: o egoísta (resulta do individualismo extremado e do isolamento social nas sociedades modernas), o altruísta (em que o indivíduo é levado a cometê-lo por força da coerção coletiva) e o anômico (ocorre em períodos de crise e transformação social). Para Durkheim, só é possível existir sociedade se as consciências individuais estiverem associadas. Ele explica que a sociologia deve estudar os fatos sociais, e estes consistem em maneiras de agir, de pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotados de um poder de coerção, em virtude do qual se impõe como obrigação. Em suma, para ele os fatos sociais são realidades objetivas (“coisas”) e possuem o poder de coerção. Enfim, para Durkheim os fatos sociais possuem três características: Generalidade (devem ocorrer em qualquer sociedade), são coercitivos (se impõem sobre os indivíduos) e são exteriores ao indivíduo (estando além de suas consciências individuais).

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

SAIBA MAIS

Durkheim, por exemplo, comparou as sociedades humanas a um organismo vivo como aqueles que são estudados na biologia. Daí ele ter chamado a sociedade de organismo social. Segundo Émile Durkheim, que tinha uma visão funcionalista da sociedade, assim como um organismo vivo, a sociedade mantém a sua ordem e estrutura à medida que cada parte executa as suas devidas funções em benefício do todo. Entretanto, esse equilíbrio pode ser rompido e a sociedade entrar em estado de anomia, isto é, desestruturação social. Literalmente, a palavra anomia significa ausência de normas ou leis. Para Durkheim, as transformações ocorridas nas sociedades modernas urbano-industriais promoviam a desintegração do sistema de normas coletivas que são responsáveis por manter a sociedade organizada e coesa. Portanto, a falta de organização produz comportamentos desregrados ou anômicos. Durkheim comparou as sociedades a organismos vivos que podem ser mais simples (sociedades arcaicas pré-capitalistas) ou mais complexas (sociedades urbano-industriais capitalistas). Nas sociedades mais “simples”, o que une os homens e produz a coesão social é aquilo que Durkheim chamou de solidariedade mecânica. Nesse tipo de sociedade, as pessoas nutrem os mesmos valores e crenças religiosas; os costumes e as tradições prevalecem. Já nas sociedades capitalistas modernas, predomina a solidariedade orgânica. Nesse tipo de sociedade, as pessoas adotam uma postura mais individualista e o que produz a coesão social é a interdependência funcional e a existência de leis e constituições comuns.

293


Já Karl Marx (1818-1883) procura compreender a sociedade a partir das relações de produção. Estas, por sua vez, correspondem a um determinado grau de desenvolvimento das suas forças produtivas e materiais.

É o modo de produção de uma sociedade que determina e domina o desenvolvimento da vida social, política e intelectual. Nesse sentido, é a existência social que determina a consciência dos homens. Marx explica ainda que, de acordo com as relações de propriedade ou não propriedade, os homens são diferenciados em classes sociais. Baseado nisso, estudou a sociedade de sua época tendo como parâmetro a luta de classes entre proprietários e proletariado (operários urbanos e trabalhadores rurais). Para Marx, a história e a organização da sociedade resultam do processo dialético que permeia as relações entre patrões e trabalhadores. A opinião de Marx ficou conhecida no meio sociológico como corrente do conflito, porque enfatizava os embates entre a burguesia e o proletariado. Em sua obra A ideologia alemã, escrita em conjunto com Friedrich Engels, Marx explica que “a estrutura social e o Estado nascem constantemente do processo de vida de indivíduos determinados, mas destes indivíduos não como podem aparecer na imaginação própria ou alheia, mas tal e como atuam e produzem materialmente”. Karl Marx afirma que a ideologia serve para mascarar os conflitos sociais. O Estado burguês de direito político, também chamado por ele de superestrutura, propaga as ideias dos grupos dominantes, a fim de manter o sistema de exploração já estabelecido. É sobre essa base, diz Karl Marx, que se ergue a cultura, a organização política e as ideologias (inclusive as religiões). Existem, portanto, dois níveis na concepção política da sociedade Imagem 1.5.

em Karl Marx: infraestrututra (relações de produção e força produtiva) e superestrutura (Estado, igreja, cultura, etc.). Além de ter sido advogado e militante político, Marx produziu uma vasta obra teórica nos campos filosófico, sociológico, econômico e político. Entre os seus principais trabalhos, destacam-se: Crítica da Filosofia do Direito de Hegel (1843), O Capital (1867) e, junto com Engels, publicou A Sagrada Família (1845) e A Ideologia Alemã (1845). versobooks.com

Shutterstock.com

Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

Max Weber (1864-1920) foi um dos principais estudiosos da sociedade moderna. Para ele, o estudo da sociologia não demanda apenas a simples apreensão dos fenômenos sociais por meio da observação, mas também a sua compreensão através da participação. Weber explicou que o sociólogo, como ser social que é, torna-se parte Imagem 1.6. do objeto que ele estuda. Nesse sentido, o sociólogo não só apreende os fatos pela observação, mas também os compreende pela participação. Em seu livro Economia e Sociedade, Weber desenvolve o conceito de ação social, ou seja, uma ação cujo significado atribuído pelos sujeitos tem como referência a conduta dos outros e orienta-se por esta em seu desenvolvimento. Em outras palavras, toda ação social consiste numa conduta dotada de sentido e é um comportamento planejado. Enfim, é algo intencional, que tem o seu significado relacionado com as outras pessoas. Weber explica, ainda, que a conduta humana pode ser tradicional (que não é contestada), afetiva (motivada pelas emoções) e racional (pensada com antecedência). Ele salienta a função da subjetividade no desenvolvimento da ação social e explica que a compreensão das causas das ações sociais reclama a compreensão dos seus significados subjetivamente.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

EXERCITANDO EM AULA 05. O autor considerado “pai” da sociologia, Augusto Comte, acreditava que a nova ciência das sociedades deveria igualar-se às demais ciências da natureza que se pautavam pelos fenômenos observáveis e mensuráveis para que, assim, fosse possível apreender as regras gerais que regem o mundo social do indivíduo. Essa perspectiva ideológica é chamada de: a) Iluminismo. b) Darwinismo. c) Dadaísmo. d) Positivismo. e) Puritanismo

294

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

06. Como Max Weber conceituou a ideia de “ação social”? a) Uma ação social é toda ação tomada de forma coordenada e com outros sujeitos. b) Uma ação social é toda ação voltada para a remediação de problemas sociais. c) Uma ação social é toda ação que se configura em meio coletivo e sempre com um sentido político. d) Uma ação social é qualquer ação realizada por um sujeito em um meio social que possua um sentido determinado por seu autor. e) Uma ação social é um fenômeno coercitivo que atua sobre o indivíduo.


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

Domínio Público

TÓPICO 4 • A Sociologia no Brasil

Imagem 1.7.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

A sociologia brasileira se inicia com um período pré-científico, que se desenrola entre 1880 e 1930. Nessa primeira fase da literatura sociológica brasileira, o que vemos é a predominância da atividade de intelectuais não especializados, sobretudo juristas que escrevem influenciados pelo direito e pelas ideias evolucionistas. Esse primeiro período é marcado pela ausência de pesquisas empíricas propriamente ditas e uma ênfase em questões raciais e de cunho naturalista. Fazem parte desse primeiro grupo de intelectuais que escrevem sobre temas sociais Euclides da Cunha, Alberto Torres, Sílvio Romero e Oliveira Viana. Euclides da Cunha (1866-1909) é considerado um dos precursores da sociologia brasileira por causa da sua preciosa análise do homem sertanejo e da denúncia que fez da existência de um Brasil do Sertão bem diferente do Brasil das capitais litorâneas em sua obra Os sertões (1902). A importância de Euclides da Cunha se deve ao fato de ter sido um dos primeiros a descrever os tipos sociais. A sua análise do sertanejo parte das relações existentes entre o homem e o meio. Outro nome importante desse período é Alberto Torres (18651917). Jurista, político e jornalista, era um nacionalista que defendia a abolição da escravatura e o republicanismo em seus escritos. Como político, propôs uma reforma na Constituição que era parte de uma reforma maior, que pretendia transformar o próprio Estado. Ele ficou conhecido pelo seu nacionalismo étnico-racial ao combater a teoria de superioridade dos povos nórdicos europeus sobre os meridionais (sul), entre os quais se conta o povo brasileiro. Analisando os caracteres da população brasileira, concluiu que nós temos a população adequada para o meio natural no qual estamos inseridos. Entretanto, apesar de combater as teorias que afirmavam a superioridade dos povos europeus, desaconselhou a mestiçagem. Ele acreditava, como muitos outros intelectuais da sua época, que o cruzamento de grupos distintos enfraquecia as qualidades das raças originais. A sua principal obra foi A organização nacional e o problema nacional (1912). Quanto a Sílvio Romero (1851-1914), investigou o sentido da evolução cultural e institucional do Brasil em sua obra Introdução à história da literatura, publicada em 1882. Segundo Sílvio Romero, que também foi um grande folclorista, o nosso povo é caracterizado pela mestiçagem física e espiritual (religiosa).

É de suma importância também, neste período, a obra de Oliveira Viana (1883-1951), definida por muitos como elitista e conservadora, sobretudo por ignorar a importância do negro na formação do Brasil. Viana estudou a formação social do Brasil e analisou a estratificação social brasileira como sendo dividida em três grandes grupos: em cima, os senhores rurais de origem germânica; no meio, os morenos de origem portuguesa e, na base, os mestiços e “homens de cor”, que constituíam a plebe rural. Contudo, não devemos exagerar nem nos apressar a criticar Oliveira Viana; embora ele seja um produto do seu tempo, fez uma pesquisa social abrangente e analisou os tipos sociais, definindo-os com base na economia das diversas regiões do país. A sua mais importante obra é Populações meridionais do Brasil, publicada em 1919, na qual ele faz uma análise dos tipos humanos de Minas Gerais, São Paulo, do Rio de janeiro e Rio Grande do Sul. O estudo da obra em questão pressupõe que, para Oliveira Viana, a grande diversidade regional do Brasil justificaria a existência de um Estado forte, capaz de garantir a unidade territorial e a construção da nação. O nome de Oliveira Viana também está vinculado às chamadas teses de branqueamento. Entre as décadas de 1920 e 1930, o Brasil entrou em um período de transição e transformação nos âmbitos político, artístico e social. No campo literário, surgem nomes como Rachel de Queiroz, José Lins do Rêgo e Graciliano Ramos. Na sociologia, uma série de esforços empreendida pelos mais diversos intelectuais objetivava descobrir a “realidade brasileira”, o Brasil real. Gilberto Freyre, Caio Prado Júnior e Sérgio Buarque de Holanda se aventuraram nesse empreendimento. É com a chamada Geração de 30 que a sociologia brasileira passa a ter o status de uma ciência social na acepção mais plena da palavra. Nessa década, surgem os primeiros sociólogos brasileiros propriamente ditos. Uma das evidências disso é a adoção da sociologia no ensino acadêmico e uma total mudança na forma de apreender a realidade nacional, que passou de uma teoria geral da sociologia para uma pesquisa empírica assentada em métodos científicos. Com a fundação da Escola livre de Sociologia e Política (1933) e da Universidade de São Paulo (USP-1934) foi possível também a vinda para o Brasil de sociólogos e antropólogos estrangeiros, como o belga Claude Lévi-Strauss, fundador da antropologia estruturalista, e o francês Roger Bastide.

Link sugerido • https://bit.ly/2NK2DGe

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

295


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

SAIBA MAIS Antropologia estruturalista Chamamos de antropologia estruturalista uma corrente antropológica que tem em Claude Lévi-Strauss o seu principal nome e que dá ênfase à teoria e análise estrutural, ao se voltar para o estudo das chamadas sociedades primitivas, também conhecidas como arcaicas. Como o próprio nome indica, a antropologia se volta para a compreensão da relação entre as partes daquilo que estuda, e não a uma análise isolada dessas mesmas partes. Outra característica da antropologia estruturalista é que, rompendo com as perspectivas racionalistas e positivistas da ciência do século XIX, considera a análise dos mitos, rituais e religiões totêmicas imprescindíveis à compreensão das sociedades humanas. Em suma, para os antropólogos estruturalistas como Strauss, o que interessa é a análise dos elementos culturais, étnicos e sociais que se relacionam entre si em um sistema. Em suma: são importantes as estruturas subjacentes aos fenômenos antropológicos.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Foi também a partir da década de 1930 que surgiram os manuais e compêndios de ciências sociais utilizados no âmbito acadêmico e nas escolas voltadas para o que hoje chamamos de ensino médio. Um dos nomes mais importantes desse período é o de Gilberto Freyre (1900-1987). O pernambucano foi um dos primeiros estudiosos brasileiros a enaltecer a miscigenação. Para ele, era exatamente a mistura étnica que fazia da cultura brasileira diversificada e rica. Freyre manteve em seus escritos uma linha de pesquisa e uma linguagem que não se submete ao rigor formal do ambiente acadêmico universitário. Na sua obra, percebemos uma orientação mais para a antropologia do que para a sociologia. A maior influência na obra de Freyre vem principalmente de Franz Boas, de quem apreende o conceito de cultura em contraposição à ideia de determinismo. É a influência de Boas que se deve o uso do termo cultura em lugar de raça. Em sua principal obra, Casa-grande e senzala, publicada em 1933, ele analisa a estrutura e a fundação da família de modelo patriarcal como protótipo da própria estrutura social do século XIX. A sua linguagem “viva e insinuante”, vista como não acadêmica por alguns, parece ser mais literária do que propriamente científica, explica João Cândido, professor da USP. Ao que tudo indica, Gilberto Freyre objetivava mais se fazer entender do que seguir paradigmas do meio acadêmico. Outro importante nome da Geração de 30 é Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982). Jornalista, crítico literário e político, ele foi também um dos grandes historiadores brasileiros e con-

296

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

tribuiu com as suas pesquisas para uma melhor compreensão da identidade nacional. A sua obra considerada mais importante é Raízes do Brasil (1936). Um dos objetivos de Sérgio Buarque ao escrever esse livro era desvelar o ethos nacional, ou seja, o modo de ser do brasileiro. Partindo da herança portuguesa, explicou uma série de comportamentos do homem nacional. Nessa mesma obra, contrapôs o mundo rural ao mundo urbano brasileiro e, usando os tipos ideais de Max Weber, concluiu que o brasileiro é o “homem cordial”, um tipo personalista e patrimonialista que é indiferente à lei quando esta contraria as suas inclinações e afinidades emotivas. Ao contrário do que alguns imaginam, a cordialidade não é uma virtude; pelo contrário, trata-se de um comportamento superficial que deveria ser superado no momento em que o Brasil se modernizasse e certos “vícios e arcaísmos” fossem ultrapassados. Outro grande nome da sociologia brasileira é Florestan Fernandes (1920-1995), pai da sociologia crítica brasileira. Florestan foi professor da USP, escritor e político. Ele questionou a realidade social brasileira analisando de forma crítica temas como a educação e a situação do negro e do índio. Em sua obra Integração do negro na sociedade de classe (1965), analisou o fim do regime escravista no final do século XIX e a transição malfeita para a sociedade livre e competitiva, que manteve o negro excluído das relações de produção e perpetuou a postura racista. Um dos temas que despertou o seu interesse foi a educação pública de qualidade, com a qual tentou contribuir elaborando leis enquanto parlamentar. Para Florestan, no Brasil, a educação ainda se constituía em um privilégio social de poucos. Acreditava que os povos modernos cresciam à medida que promoviam uma educação de qualidade. Em sua opinião, a educação brasileira refletia uma sociedade tradicional e patriarcal, quando deveria ser um mecanismo de ascensão e inclusão social. Florestan Fernandes foi o principal representante da chamada “Escola Paulista de Sociologia” e criou um importante grupo de estudos na USP que tinha ainda como membros Fernando Henrique Cardoso, que veio a ser presidente do Brasil de 1995 a 2002, e Octavio Ianni. Com o estabelecimento do regime militar em 1964, uma série de mudanças ocorreu no currículo das universidades e nas escolas brasileiras. Em 1971, a Lei 5.692 estabeleceu uma reforma no ensino que tinha como prioridade objetivos profissionalizantes. Disciplinas como filosofia e sociologia deram lugar a outras “correlatas”, como Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política Brasileira (OSPB), nas escolas, e Estudo dos Problemas Brasileiros (EPB), no ensino superior. Em 2 de junho de 2008, a Lei Nº 11.684 incluiu a obrigatoriedade do ensino da sociologia no ensino médio. Apesar de todo este histórico de exclusões e inclusões da disciplina no currículo das escolas, o problema ainda não está inteiramente resolvido. No dia 22 de novembro de 2016, o Governo Federal apresentou uma MP (medida provisória) que propõe uma grande reforma no ensino médio. A MP tem como um dos seus objetivos “enxugar” o currículo escolar e promover uma série de outras mudanças no ensino médio.


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

O texto da MP 746 de 2016 inicialmente propôs a retirada das garantias explícitas da manutenção de disciplinas como sociologia, filosofia, artes e educação física na LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira).

Depois de uma série de reações negativas de alguns segmentos da sociedade, o governo voltou atrás e afirmou que o currículo final seria definido pela BNCC (Base Nacional e Comum Curricular).

EXERCITANDO EM AULA 07. É considerado um dos precursores da sociologia brasileira por causa da sua preciosa análise do homem sertanejo e da denúncia que fez da existência de um Brasil do Sertão bem diferente do Brasil das capitais litorâneas em sua obra Os sertões (1902). De quem o texto está falando? a) Gilberto Freyre b) Euclides da Cunha c) Oswald de Andrade d) Mário de Andrade e) Celso Furtado

08.

Um importante nome da sociologia brasileira é Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982). Jornalista, crítico literário e político, ele foi também um dos grandes historiadores brasileiros e contribuiu com as suas pesquisas para uma melhor compreensão da identidade nacional. Marque a alternativa abaixo que contém um importante conceito criado por Holanda na sua interpretação da identidade nacional. a) Democracia racial b) Darwinismo Social c) Homem Cordial d) Racismo estrutural e) Revolução proletária

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO TÓPICO 1: As ciências sociais

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA. a) V - V - V - V - F. b) F - V - V - F - V. c) F - V - F - V - V. d) F - F - V - V - V. e) F - F - V - F - V.

03. Indivíduos de culturas diferentes podem ser facilmen-

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

01. Coloque V para verdadeiro e F para falso nas afirmativas abaixo, referentes ao estudo sociológico. ( ) A sociologia é o estudo científico das formas culturalmente padronizadas de interação humana e enfatiza o aspecto individual do homem. ( ) A palavra sociologia foi inventada por Émile Durkheim na primeira metade do século XIX. ( ) O planejamento social e o estabelecimento de políticas públicas podem utilizar a sociologia como instrumento de intervenção social. ( ) O método indutivo é o mais utilizado pelos sociólogos porque permite um maior controle sobre o objeto de estudo ao partir dos fatos gerais para as situações particulares. ( ) A sociologia estuda os fatos que apresentam alguma regularidade, e, ao fazer isso, não emite juízos de valor acerca do objeto estudado.

02. Marque a alternativa que define corretamente o conceito de Antropologia. a) Ciência que estuda o funcionamento dos meios de produção, distribuição e consumo de bens. b) Ciência que estuda os sistemas políticos e as forças que atuam sobre eles. c) Ciência que tem como objeto de estudo o ser humano e as suas diversas manifestações culturais. d) Ciência que estuda os ecossistemas em degradação. e) Ciência que estuda a ontologia humana. te identificados por uma série de características, tais como o modo de agir, vestir, caminhar, comer etc. Com base nessa realidade, podemos afirmar que o modo de ver o mundo, as apreciações de ordem moral e valorativa, os diferentes comportamentos sociais e até mesmo as posturas corporais são: a) Características das sociedades orientais b) Características específicas dos povos indígenas c) Inatos ao homem. d) Características das sociedades ocidentais e) Produtos de uma herança cultural

04. A Antropologia, por ser uma ciência com um vasto campo de investigação, está dividida em diferentes áreas e subcampos. Inicialmente, a Antropologia foi divida em duas principais áreas de estudo. São elas: PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

297


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

a) b) c) d) e)

época não conseguiram explicar (...). Assim, com o social tornando-se um problema de dimensões nunca vistas, estavam dadas as condições que geraram a necessidade de criar uma nova disciplina científica.

Social e Cultural Social e Humana Biológica e Humana Humana Física e Cultural

DIAS, Reinaldo. Introdução à Sociologia. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010, p. 19. (Adaptado).

05. A Antropologia Sóciocultural também é denominada como Antropologia Social, Antropologia Cultural ou Etnologia. Aponte o objetivo principal dessa área da Antropologia. a) Estudar a arte produzida pelos seres humanos b) Estudar grupos humanos que não possuíam escrita c) Compreender as artes e manifestações políticas d) Compreender as relações sociais e econômicas e) Compreender o homem enquanto ser cultural e social TÓPICO 2: O surgimento da Sociologia

06. “Como bem lembrou o sociólogo estadunidense Charles Wright Mills, a sociologia contribuiu, também, para desenvolver a nossa imaginação sociológica, isto é, a capacidade de analisar nossas vivências cotidianas e estabelecer as relações entre elas e as situações mais amplas que nos condicionam e nos limitam, mas que também explicam o que acontece com nossa vida.” TOMAZI. Nelson Dacio. CONECTE. p.8

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Sobre a emergência da sociologia como ciência, marque a alternativa INCORRETA. a) A sociologia nasceu em resposta à necessidade de explicar e entender as transformações que ocorreram no mundo ocidental entre o final do século XVIII e o início do século XIX, decorrentes do desenvolvimento da sociedade capitalista. b) Na época em que nasceu a sociologia, a produção de alimentos e de objetos artesanais, que se concentrava no campo, passou a se deslocar para as cidades, onde começavam a se desenvolver as indústrias. c) Por ocasião do surgimento da sociologia, as relações familiares e de trabalho permaneceram inalteradas, e o modo de vida dos grupos sociais basicamente reproduzia as normas e valores tradicionais. d) Movimentos como a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos contribuíram para compor o ambiente social e cultural no qual surgiu a sociologia como ciência. e) Procurando entender o curso dos acontecimentos e mostrar caminhos para a resolução dos problemas por elas gerados, muitos pensadores escreveram e divulgaram suas teorias sobre a constituição da nova sociedade europeia do século XIX.

07. (UPE-SSA ) Leia o texto a seguir: A Sociologia surgiu como decorrência de um processo histórico, que culminou com a Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra, e a Revolução Francesa de 1789. Esses dois acontecimentos geraram problemas sociais que os pensadores da

298

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

Sobre o assunto tratado no texto, é INCORRETO afirmar que: a) a Sociologia buscou explicar os problemas sociais decorrentes da rápida urbanização, provocada pelas novas tecnologias de produção em massa. b) a divisão do trabalho industrial se tornou um importante tema de estudo da Sociologia, pois as tarefas repetitivas e altamente especializadas tiveram como consequência o aumento da desigualdade social. c) os primeiros pensadores da ciência sociológica tinham a tarefa de racionalizar a nova ordem social, encontrando soluções para a “desorganização” por meio do conhecimento das leis que regem as relações entre os indivíduos. d) os novos papéis sociais, que surgem nesse período, marcam a interdependência entre operários e empresário. Isso será um fator fundamental para se compreenderem as desigualdades produzidas pela relação entre instrumentos de produção (do empresário) e a força de trabalho (do operário), a qual fundamentou a organização social da época. e) as novas formas de pensar a sociedade sofreram influência das ciências biológicas. Estas explicavam a sociedade como um conjunto de ações individuais independentes, sendo esses estudos considerados uma referência teórica importante para a Sociologia.

08. Sobre a relação entre a revolução industrial e o surgimento da sociologia como ciência, assinale o que for correto. a) A consolidação do modelo econômico baseado na indústria conduziu a uma grande concentração da população no ambiente urbano, o qual acabou se constituindo em laboratório para o trabalho de intelectuais interessados no estudo dos problemas que essa nova realidade social gerava. b) A migração de grandes contingentes populacionais do campo para as cidades gerou uma série de problemas modernos, que passaram a demandar investigações visando à sua resolução ou minimização. c) Os primeiros intelectuais interessados no estudo dos fenômenos provocados pela revolução industrial compartilhavam uma perspectiva positiva sobre os efeitos do desenvolvimento econômico baseado no modelo capitalista. d) Os conflitos entre capital e trabalho, potencializados pela concentração dos operários nas fábricas, foram tema de pesquisa dos precursores da sociologia e continuam inspirando debates científicos relevantes na atualidade. e) A necessidade de controle da força de trabalho fez com que as fábricas e indústrias do século XIX inserissem sociólogos em seus quadros profissionais, para atuarem no desenvolvimento de modelos de gestão mais eficientes e produtivos.


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

09. Considerando-se as grandes mudanças que ocorreram na história da humanidade, aquelas que aconteceram no século XVIII — e que se estenderam no século XIX — só foram superadas pelas grandes transformações do final do século XX. As mudanças provocadas pela revolução científico-tecnológica, que denominamos Revolução Industrial, marcaram profundamente a organização social, alterando-a por completo, criando novas formas de organização e causando modificações culturais duradouras, que perduram até os dias atuais. DIAS, Reinaldo. Introdução à sociologia. São Paulo: Persons Prentice Hall, 2004.

Sobre o surgimento da Sociologia e as mudanças ocorridas na modernidade, é correto afirmar: a) A intensificação da economia agrária em larga escala nas metrópoles gerou o êxodo para o campo. b) O aparecimento das fábricas e o seu desenvolvimento levou ao crescimento das cidades rurais. c) O aumento do trabalho humano nas fábricas ocasionou a diminuição da divisão do trabalho. d) A agricultura familiar desse período foi o objeto de estudo que fez surgir as ciências sociais. e) A antiga forma de ver o mundo não podia mais solucionar os novos problemas sociais.

Domínio Público

10. Uma série de mudanças políticas e econômicas ocorreu na Europa, a partir do fim da Idade Média. O quadro A liberdade guiando o povo (1830), de Eugène Delacroix, alude a um dos mais importantes acontecimentos decorrentes desse período na história europeia, a Revolução Francesa.

TÓPICO 3: Os clássicos da Sociologia

11. “Através do método incorporado das ciências matemáticas e naturais, o sociólogo em questão chegou à conclusão de que o espírito humano passa por uma transformação progressiva no que diz respeito à capacidade de investigação da realidade ao seu redor, partindo de explicações que recorrem a entidades divinas até chegar a um conceito pensado e teorizado a partir das relações de causa e efeito que fundamentam o cientificismo”. O texto acima se refere a: a) Émile Durkheim e a sociologia descritiva. b) Auguste Comte e a Lei dos Três Estágios. c) Max Weber e o estudo das ações sociais. d) Karl Marx e o conceito de alienação. e) René Descartes e o paralelismo psicofísico.

12. Émile Durkheim (1858-1917) não poupou críticas a Auguste Comte ao afirmar que aquele praticava uma investigação sociológica despojada do verdadeiro espírito científico e que ainda flertava com ideias vagas e especulativas. Sobre a teoria de Émile Durkheim, analise as proposições abaixo. I. Tendo sido discípulo de Saint Simon, Durkheim pregou os ideais iluministas e a aplicação incondicional da razão às questões humanas. II. Em sua obra Curso de Filosofia Positiva, publicada em seis volumes, de 1830 a 1842, Émile Durkheim ensinou os fundamentos da “Religião da Humanidade”, também conhecida como “Religião Positiva”. III. Em um dos seus livros mais famosos, As regras do método sociológico, Durkheim atribui à sociologia um efetivo estatuto científico, dando-lhe status de ciência. IV. Segundo Durkheim, os fatos sociais são coercitivos em relação aos indivíduos, pressionando estes a se comportarem e agirem de acordo com as maneiras convencionadas pela sociedade. V. A análise de Émile Durkheim acerca dos fatos sociais, objeto de estudo da sociologia, parte da coletividade para o indivíduo.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Sobre a ligação entre as mudanças referidas no texto e o surgimento da Sociologia, é correto afirmar: a) O desenvolvimento da indústria se opunha à formação do processo de instalação da sociedade moderna. b) A credibilidade da vida social, nas cidades, passa a ser buscada na coerência dos textos sagrados e na adoração religiosa. c) A vida religiosa foi adquirindo cada vez mais importância, o que fez com que a história do cotidiano fosse concebida por um olhar sagrado.

d) A arte renascentista, ao apresentar a forte ligação entre Deus e os homens, expressou as transformações sociais de forma contundente. e) O desenvolvimento tecnológico e a nova postura do homem ocidental decorrentes das transformações desse período histórico propiciaram o interesse pelo entendimento da vida social.

São verdadeiras: a) I, II e III. b) II, III e IV. c) III, IV e V.

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

299


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

d) Apenas III e IV. e) Apenas IV e V.

13. O

sociólogo alemão Max Weber (1864-1920) também demonstrou interesse no desenvolvimento do sistema e da sociedade capitalista. Mas, ao contrário de Karl Marx e Émile Durkheim, ele acreditava que as estruturas, apesar de importantes, não eram determinantes para a formação e o desenvolvimento da sociedade. Para tanto, seria necessário voltar-se para o elemento que originariamente dá forma à estrutura: o indivíduo.

Sobre Max Weber, marque a alternativa INCORRETA. a) Elaborou o conceito de ação social, a ação que um indivíduo exerce em relação a outro e que possui um sentido a ser compreendido pelo sociólogo. b) Em uma de suas obras mais célebres, A ética protestante e o espírito do capitalismo, afirmou que a ética calvinista contribuiu para o desenvolvimento do sistema capitalista. c) Desenvolveu o conceito de superestrutura, conjunto das instituições que fazem parte de uma sociedade nas esferas política, social, cultural e religiosa. d) Afirmou que a sociedade não está acima das pessoas e, embora exista concretamente, corresponde ao conjunto das ações dos indivíduos relacionando-se reciprocamente. e) Foi considerado representante da sociologia interpretativa.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

14. A ordem e o progresso constituem partes fundamentais da sociologia de Auguste Comte. Com base nas ideias comteanas, assinale a alternativa correta. a) A ordem social total se estabelece de acordo com as leis da natureza, e as possíveis deficiências existentes podem ser retificadas mediante a intervenção racional dos seres humanos. b) A liberdade de opinião e a diferença entre os indivíduos são fundamentos da solidariedade na formação da estática social; essa diversidade produz vantagens para a evolução, em comparação com a homogeneidade. c) O desenvolvimento das forças produtivas é a base para o progresso e segue uma linha reta, sem oscilações e, portanto, a interferência humana é incapaz de alterar sua direção ou velocidade. d) O progresso da sociedade, em conformidade com as leis naturais, é resultado da competição entre os indivíduos, com base no princípio de justiça de que os mais aptos recebem as maiores recompensas. e) O progresso da sociedade é a lei natural da dinâmica social e, considerado em sua fase intelectual, é expresso pela evolução de três estados básicos e sucessivos: o doméstico, o coletivo e o universal. 15. Marque a alternativa que não apresenta uma contribuição de Karl Marx para as Ciências Sociais. a) Defesa do Materialismo Histórico b) Tese da Luta de Classes 300

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

c) Releitura do método dialético d) Uso do conceito de ideologia e) Criou o conceito de Solidariedade Orgância

TÓPICO 4: A Sociologia no Brasil

16. (ENEM) “Formou-se, na América tropical, uma sociedade agrária na estrutura, escravocrata na técnica de exploração econômica, híbrida de índio — e mais tarde de negro — na composição. Sociedade que se desenvolveria defendida menos pela consciência de raça, do que pelo exclusivismo religioso desdobrado em sistema de profilaxia social e política. Menos pela ação oficial do que pelo braço e pela espada do particular. Mas tudo isso subordinado ao espírito político e de realismo econômico e jurídico que, aqui, como em Portugal, foi, desde o primeiro século, elemento decisivo de formação nacional; sendo que entre nós através das grandes famílias proprietárias e autônomas; senhores de engenho com altar e capelão dentro de casa e índios de arco e flecha ou negros armados de arcabuzes às suas ordens”. De acordo com a abordagem de Gilberto Freyre sobre a formação da sociedade brasileira, é correto afirmar que a) colonização na América tropical era obra, sobretudo, da iniciativa particular. b) o caráter da colonização portuguesa no Brasil era exclusivamente mercantil. c) a constituição da população brasileira esteve isenta de mestiçagem racial e cultural. d) a Metrópole ditava as regras e governava as terras brasileiras com punhos de ferro e) os engenhos constituíam um sistema econômico e político, mas sem implicações sociais. 17. Analise a crítica de Gilberto Freyre ao racismo científico, no fragmento abaixo. Foi se formando, durante a segunda metade do século XIX a ideia de que o Brasil seria um país incompatível com o progresso. O seu principal problema, para muitos, era a nossa condição racial. O racismo tomava as suas cores mais fortes, carimbando a interdição e impossibilidade de o Brasil tornar-se uma nação livre e próspera para todos. Foi com a preocupação de “melhorar” a nação brasileira que, no início do século XX, o Brasil recebeu ondas migratórias da Europa. Tentavam branquear a nação. Quando o racismo era lugar comum mesmo entre intelectuais, Gilberto Freyre escreve Casa Grande & Senzala. Este livro teve um impacto profundo em nossa cultura. Uma das razões desse impacto pode ser lido no texto que segue. “De modo geral, em toda parte onde vingou a agricultura, dominou no Brasil escravocrata o latifúndio, sistema que viria privar a população colonial do suprimento equilibrado e constante de alimentação sadia e fresca. Muito da inferioridade física de brasileiro, em geral atribuída toda à raça, ou vaga e muçulmanamente ao clima, deriva-se do mau aproveitamento dos nos-


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

sos recursos naturais de nutrição. Os quais, sem serem dos mais ricos, teriam dado para um regime alimentar mais variado e sadio que o seguido pelos primeiros colonos e por seus descendentes, dentro da organização latifundiária e escravocrata”. Tendo em vista o texto lido, assinale a alternativa que melhor completa a seguinte frase: Em Casa Grande e Senzala, Gilberto Freyre atribui os males do Brasil não à raça, mas à , que seria uma das consequências do sistema de . a) Nutrição – capitalista. b) Maldade – confrarias. c) Condições climáticas – exploração dos trópicos. d) Desnutrição – latifúndio. e) Falta de acesso a medicamentos e cuidados médicos em geral – escravismo.

18. Os primeiros estudos sociológicos do Brasil buscavam: Compreender a formação sóciocultural do povo brasileiro. Compreender os problemas políticos da Revolução de 30. Compreender os problemas sociais do regime militar de 64. Compreender os problemas sociais brasileiros à partir da implantação de medidas neoliberais pelo presidente Collor. e) Estudar os impactos ambientais das primeiras indústrias a) b) c) d)

19. É considerada a obra precursora da sociologia brasileira, publicada ainda no início do século XX : a) Casa Grande & senzala ,de Gilberto Freyre. b) Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda. c) O povo Brasileiro, de Darcy Ribeiro. d) Os Sertões, de Euclides da Cunha. e) Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

20. Na obra Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda, é traçado um perfil do brasileiro que: a) demonstra o caráter personalista e patrimonialista do brasileiro. b) mostra a religiosidade brasileira, que faz com que o indivíduo se mostre cordial e solidário. c) mostra o respeito que o brasileiro tem com a questão pública d) mostra o caráter polido e calculista do brasileiro. e) demonstra o caráter não passional do homem brasileiro.

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

301


Ciências humanas e sociais aplicadas: Matriz de Referência C1

Compreender os elementos culturais que constituem as identidades. H2

Analisar a produção da memória pelas sociedades humanas.

H3

Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos.

H4

Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura.


C

2 C1

O

L TU

A

COMPETÊNCIAS:

Direitos e cidadania HABILIDADES:

H2, H3, H4

APRESENTAÇÃO Neste capítulo, estudaremos a relação existente entre a conquista de direitos, a cidadania e os movimentos sociais. O aluno perceberá que a cidadania, por ser um status adquirido, é construída a partir das lutas sociais; trata-se de uma conquista, e não de algo que é recebido naturalmente, algo dado. Você será conduzido através da história e verá como os direitos fundamentais do ser humano, entre eles os direitos civis, políticos e sociais, foram conquistados ao fim de séculos de luta e resistência aos regimes opressores. Você será conduzido ao universo dos grandes pensadores que formularam teorias para o pleno exercício da cidadania. Nesse sentido, será possível identificar os valores que o exercício da cidadania pode proporcionar ao cidadão na transformação do seu cotidiano. Quanto aos movimentos sociais, tão frequentes na história da humanidade,serão estudados os vários tipos existentes e as funções específicas de cada um.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

TÓPICO 1 • Definindo direitos e cidadania

Shutterstock.com

Shutterstock.com

Os conceitos de cidadania e direito não podem ser separados um do outro. A cidadania é um status adquirido, ou seja, é conquistada, e não recebida naturalmente. Portanto, a história da cidadania é também a história da luta pelos direitos do homem. Aliás, é importante lembrar que esses dois conceitos (direito e cidadania) se renovam e assumem novos significados diante das transformações que acontecem historicamente nas sociedades. Dessa forma, podemos dizer que estamos diante de conceitos dinâmicos, e não estáticos. Analisando a evolução do conceito de cidadania, percebemos que houve uma mudança significativa na sua ideia se fizermos uma comparação entre o uso do termo no mundo moderno atual e aquilo que designava no mundo antigo. A palavra cidadania se originou do termo latino civitatem (=cidade). Portanto, na Antiguidade, o conceito de cidadania era excludente e designava os direitos apenas dos grupos socialmente privilegiados, em geral os moradores da cidade que participavam das decisões políticas.

O documento inspirado nas ideias iluministas e na Revolução Americana de 1776 afirma que os homens nascem livres e iguais em direitos, além de afirmar que o objetivo último de toda associação política é garantir os direitos naturais e imprescindíveis dos homens. A declaração enfatiza os direitos civis e políticos e afirma também que a liberdade consiste em poder fazer tudo aquilo que não prejudique o próximo. Dessa forma, os limites dos direitos de um indivíduo têm como referência a possibilidade do outro de exercer os mesmos direitos garantidos por lei. Alguns filósofos, como John Locke (1632-1704) e Jean-Jacques Rousseau (1717-1778), foram extremamente importantes para a consolidação dos direitos do homem e do conceito de cidadania.

Imagem 2.2. John Locke

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Imagem 2.1. Roma Antiga

Na Roma Antiga, os indivíduos que não eram oriundos da nobreza estiveram excluídos da participação nos negócios políticos. Em Atenas, berço da cidadania e da democracia no mundo antigo, mulheres, escravos e estrangeiros também não eram considerados cidadãos. Foi só a partir da modernidade que o conceito de cidadania atrelado ao ideal de igualdade entre todos os cidadãos começou a se desenvolver. Contribuiu para esse desenvolvimento o iluminismo e o desenvolvimento da democracia liberal em oposição ao direito divino. A Revolução Francesa de 1789 foi imprescindível para a conquista de uma série de direitos contidos em um documento intitulado Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, aprovado pela Assembleia Nacional Constituinte francesa em 26 de agosto de 1789.

304

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

John Locke foi um pensador inglês pré-iluminista que afirmou que o homem possui certos direitos naturais anteriores ao aparecimento do Estado e da sociedade civil. Esses direitos são os seguintes: direito à vida, direito à liberdade e direito à propriedade privada.

ESCLARECENDO O termo sociedade civil é usado no mundo contemporâneo para se referir a um meio de discurso público dinâmico no qual as pessoas politicamente ativas representadas por organizações voluntárias, entidades de classes e empresas privadas discutem com o Estado aquilo que é melhor para a sociedade de uma forma geral.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

Shutterstock.com

Embora Locke tenha sido considerado um pensador burguês por defender o direito à propriedade da terra, em momento algum ele afirma que a terra é um objeto de especulação financeira; pelo contrário, vê na propriedade privada da terra um direito de todo homem que possibilite o seu usufruto e o sustento próprio. Outro nome importante no contexto do desenvolvimento dos direitos e da cidadania no mundo moderno é o do filósofo francês Jean-Jacques Rousseau. Rousseau foi um filósofo enciclopedista e autor da obra Do contrato social (1762).

Imagem 2.3. Jean-Jacques Rousseau

Na ótica de Rousseau, a cidadania pressupõe a participação nas discussões e deliberações políticas. Dessa forma, o povo

deve fiscalizar o governo para que ele faça valer as leis criadas para atender às necessidades e aos direitos do próprio povo. Rousseau destacou o princípio da igualdade, que a seu ver só tem sentido se for baseado na liberdade. Daí ele ter afirmado em sua obra máxima, Do contrato social, que “se indagarmos em que consiste precisamente o maior de todos os bens, que deve ser o fim de qualquer sistema de legislação, chegaremos à conclusão de que ele se reduz a estes dois objetivos principais: a liberdade e a igualdade”. Quanto à cidadania, podemos defini-la como o exercício dos direitos e das responsabilidades (deveres) constitucionais. Portanto, no sentido aqui discutido, a cidadania envolve usufruir os direitos civis, políticos e sociais previstos na Constituição, mas também agir de forma responsável para que o direito dos outros cidadãos possa ser exercido plenamente. O indivíduo que tem consciência da sua condição de cidadão sabe que, além dos seus direitos garantidos pelo Estado, tem também obrigações para com a sociedade. A cidadania é, portanto, uma “via de mão dupla” que provê direitos, mas exige, em contrapartida, deveres. Em sentido político mais amplo, a cidadania plena é o desfecho de um longo processo histórico, uma vez que a cidadania não é dada, e sim conquistada. Ninguém nasce naturalmente cidadão; a cidadania é uma condição adquirida. Nesse sentido, podemos afirmar que a conquista da cidadania é o resultado de uma luta diária que passa por todas as nossas ações enquanto cidadãos inseridos no contexto social. Ser cidadão é agir como cidadão, é exigir os seus direitos, mas também investir-se de altruísmo e agir movido pelo desejo de construir uma sociedade mais justa. Fala-se em cidadania formal e cidadania substancial. A cidadania formal é aquela que está nas leis, sobretudo na Constituição de um país; trata-se de uma referência que permite ao indivíduo ter uma base para lutar pelos seus direitos. Já a cidadania substancial é aquela que vivemos no dia a dia (na prática) e que expressa a desigualdade existente em todas as sociedades.

01. Esse termo é usado no mundo contemporâneo para se referir a um meio de discurso público dinâmico no qual as pessoas politicamente ativas, representadas por organizações voluntárias, entidades de classes e empresas privadas, discutem com o Estado aquilo que é melhor para a sociedade de uma forma geral. De qual termo o texto está falando? a) Luta de classes b) Sociedade civil c) Contrato social d) Altruísmo e) Revolução

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

EXERCITANDO EM AULA 02. Essa forma de cidadania é aquela que está nas leis, sobretudo na Constituição de um país; trata-se de uma referência que permite ao indivíduo ter uma base para lutar pelos seus direitos. De qual tipo de cidadania o texto se refere? a) Cidadania formal b) Cidadania substancial c) Cidadania virtual d) Cidadania superficial e) Cidadania hereditária

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

305


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

Shutterstock.com

TÓPICO 2 • Os tipos de direito

os direitos foram sendo conquistados paulatinamente. Segundo o sociólogo britânico Thomas Humphrey Marshal, que proferiu em 1949 a palestra “Cidadania e classe social”, os principais tipos de direito foram conquistados em momentos históricos distintos como dispostos a seguir: •

• Imagem 2.4.

A palavra direito tem uma gama de significados que podem ser aplicados às mais diversas situações. Literalmente, o termo significa aquilo que está de acordo com os costumes ou com o que é justo, honesto e correto. O termo também pode ser usado no sentido correspondente a uma faculdade pertencente a uma pessoa, individualmente, ou a um grupo (coletividade). Pode-se pensar ainda no termo em sua relação com a justiça. Nesse último sentido, os direitos corresponderiam à distribuição de poderes garantidos por lei aos componentes de uma sociedade conforme aquilo que é justo. Historicamente,

Direitos civis (século XVIII): são instituídos para garantir as liberdades individuais como a liberdade de palavra, de pensamento, de ir e vir, de contrato... Direitos políticos (século XIX): estão diretamente relacionados ao aparecimento dos estados democráticos e se promovem à participação do cidadão no governo, nas decisões políticas e no poder. O direito de votar e ser votado, de protestar, etc. Direitos sociais (século XX): objetivam garantir uma melhor qualidade de vida para a coletividade. São direitos sociais o direito à saúde, ao trabalho, à educação, ao lazer, etc.

Nas sociedades modernas atuais, uma nova configuração social está fazendo surgir novos grupos de direitos, entre eles os chamados direitos de terceira geração, também chamados de direitos da solidariedade ou fraternidade, e estão relacionados ao desenvolvimento e ao progresso social. São exemplos desse tipo de direito o direito à paz, à comunicação, ao meio ambiente preservado, direitos do consumidor, direitos relacionados aos grupos mais vulneráveis (crianças, idosos, etc.), ou seja, são direitos destinados à proteção do gênero humano.

EXERCITANDO EM AULA 03. Esses direitos são instituídos para garantir as liberdades

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

individuais, como a liberdade de palavra, de pensamento, de ir e vir, de contrato. A quais direitos o texto se refere? a) Direitos políticos b) Direitos eleitorais c) Direitos sociais d) Direitos civis e) Direitos clássicos

TÓPICO 3 • A Constituição Brasileira de 1988 Quanto aos direitos e deveres do cidadão brasileiro, um grande avanço foi possível graças à Constituição Brasileira de 1988 (conhecida como Constituição Cidadã), por ter sido uma reação à suspensão de uma série de direitos do cidadão durante o regime militar, vigente entre 1964 e 1985.

306

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

04. São exemplos desse tipo de direito o direito à paz, à comunicação, ao meio ambiente preservado, direitos do consumidor, direitos relacionados aos grupos mais vulneráveis (crianças, idosos, etc.); ou seja, são direitos destinados à proteção do gênero humano. A quais direitos o texto se refere? a) Direitos básicos b) Direitos primários c) Direitos de terceira geração d) Direitos eclesiásticos e) Direitos alienáveis

A atual Constituição brasileira foi promulgada em 5 de outubro de 1988 pelo parlamento brasileiro, representado por Ulysses Guimarães, que presidia a Assembleia Nacional Constituinte, instalada em 1/1/1987 e composta por 559 membros, sendo 487 deputados e 72 senadores. A Constituição brasileira possui 250 artigos e 80 emendas. Contudo, existem mais de 1000 propostas de emenda parlamentar em trâmite no Congresso Nacional que objetivam complementar ou alterar partes da Constituição atual.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

Os artigos da Constituição federal estão divididos em vários grupos que versam sobre os direitos, as garantias constitucionais, a organização do Estado, a defesa do Estado e das instituições, tributos, ordem econômica, social e outros temas. Entre as principais determinações dessa Constituição podemos listar:

• • • •

Eleições diretas para presidente, governador e prefeito. Sistema pluripartidário. Voto facultativo para jovens entre 16 e 18 anos. Redução da jornada de trabalho semanal de 48 para 44 horas.

ACESSE O LINK! Link sugerido • https://bit.ly/2qShiWX

EXERCITANDO EM AULA 05. Marque a alternativa abaixo que não apresenta uma das determinações da Constituição Federal de 1988. a) Eleições diretas para presidente, governador e prefeito. b) Sistema pluripartidário. c) Voto facultativo para jovens entre 16 e 18 anos. d) Redução da jornada de trabalho semanal de 48 para 44 horas. e) Censura prévia aos meios de comunicação

TÓPICO 4 • Mudanças e movimentos sociais

Shutterstock.com

4.1 • As mudanças sociais

06. Por ter sido uma reação à suspensão de uma série de direitos do cidadão durante o regime militar, vigente entre 1964 e 1985, como ficou conhecida a Constituição Federal de 1988? a) Constituição da Mandioca b) Constituição Polaca c) Constituição Parlamentar d) Constituição Cidadã e) Constituição Orgânica

As mudanças sociais alteram as relações sociais e, consequentemente, as estruturas da sociedade. Entretanto, até as rupturas são acompanhadas de permanência. O moderno e o arcaico convivem. O ritmo das mudanças sociais varia de sociedade para sociedade. Nas sociedades simples, o ritmo das mudanças sociais é lento; nas sociedades complexas, as mudanças são mais rápidas. Em geral, o ritmo das mudanças sociais depende do maior ou do menor número de contatos sociais feito por uma sociedade com outras sociedades. Sendo assim, fala-se em mudança social e evolução social.

Imagem 2.5.

Mudança social é o processo por meio do qual as formas de organização de uma sociedade são alteradas. A sociedade é dinâmica, está em movimento, daí se falar em mudança social. Com o tempo e dependendo da conjuntura social e política, a sociedade muda e, com ela, mudam as suas instituições. Por esse motivo, os sociólogos afirmam que as formas de organização social podem ser substancialmente alteradas e assumir formas específicas. Os movimentos sociais, como o promovido pelo MST, são, em geral, responsáveis pelas mudanças sociais. Uma das principais características da sociedade moderna é a sua capacidade de produzir e absorver mudanças sociais. Cada mudança, entretanto, corresponde a uma ruptura com a tradição, e, paulatinamente, o “moderno substitui o arcaico”.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

4.1.1 • Evolução social É o conjunto das transformações sofridas por uma sociedade durante um longo período. Diz respeito às tendências seculares ou gerais na marcha da história.

4.1.2 • Mudança social Consiste em transformações observáveis e verificáveis em períodos mais curtos. A mudança social está mais localizada geográfica e sociologicamente. De maneira geral, é possível observá-la numa área geográfica ou num quadro sociocultural mais limitado. As principais características das mudanças sociais são quatro: 1. Trata-se de um fenômeno coletivo, de modo a implicar uma coletividade ou um setor apreciável desta; 2. É uma mudança estrutural (modificação da totalidade ou de certos componentes da organização social);

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

307


3. Supõe a possibilidade de sua identificação no tempo (diz-se que a mudança ocorre a partir de determinado ponto); 4. As mudanças dão sinal de permanência (não devem ser efêmeras).

Shutterstock.com

Shutterstock.com

As atitudes individuais e sociais favorecem ou rejeitam a mudança. As atitudes sociais podem ser: • Conservadoras: são aquelas que se mostram contrárias às mudanças ou temerosas em relação a elas. O tradicionalismo (respeito às tradições) é uma manifestação da atitude conservadora. • Reacionárias: são o mesmo que conservadorismo extremado. Não admitem nem mesmo a discussão acerca da mudança. • Reformistas ou progressistas: os reformistas veem com agrado as mudanças moderadas e gradativas. • Revolucionárias: defendem mudanças profundas, imediatas e radicais.

Shutterstock.com

Shutterstock.com

Imagem 2.9. Revolução Industrial

Reprodução

4.1.4 • Mudança social no Brasil

308

Reprodução

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Auguste Comte acreditava que a mudança social estava situada na mente, na qualidade e na quantidade de conhecimentos sobre as sociedades. Com base nisso, ele afirmou que a humanidade percorreu três estágios (teológico, metafísico e positivo) no processo Imagem 2.10. de evolução do conhecimento. Ainda segundo Comte, toda mudança (progresso) deveria estar condicionada pela manutenção da ordem social.

Imagem 2.11.

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

Max Weber analisou a mudança social relacionada ao nascimento da sociedade capitalista. Além das condições econômicas, procurou centrar sua análise no plano das ideias, das crenças e dos valores que permitiram a mudança.

4.1.3 • Mudança social e atitudes individuais

Imagem 2.7. Revolução Francesa

Para Karl Marx, a transformação e, consequentemente, a mudança social, é sempre o resultado da luta de classes. No capitalismo, essas classes são a burguesia e o proletariado. E só o proletariado pode transformar a sociedade, uma vez que uma revolução deve ser promovida por quem é maioria na sociedade.

Imagem 2.12.

Imagem 2.13.

Imagem 2.6. Seca no Nordeste

Imagem 2.8. Imperio Romano

Émile Durkheim observou que, na história das sociedades, houve uma evolução da solidariedade mecânica para a orgânica por causa da crescente divisão de trabalho resultante de fatores demográficos como o crescimento populacional. Reprodução

As mudanças sociais são causadas pela ação de diversos fatores, como: • Geográficos Exemplo: seca do Nordeste. • Sociais Exemplo: Revolução Francesa de 1789. • Culturais Exemplo: surgimento do cristianismo no Império Romano. • Econômicos Exemplo: Revolução Industrial do século XVIII.

Reprodução

Capítulo 2 | Direitos e cidadania

Quando se fala sobre mudança social no Brasil, um termo comumente empregado é modernização. Esse uso é antigo, porque se considerava que nossa sociedade era de tal forma tradicional que precisava se modernizar para chegar a algum lugar. Um dos momentos da história do Brasil no qual deveriam ter ocorrido mudanças sociais significativas foi a instalação da República. A transformação, entretanto, não ocorreu porque não houve mudanças significativas nas condições de vida do povo. Quando analisamos a proclamação da República, percebemos que houve somente uma mudança nas estruturas políticas e na organização do poder, mas os que dominavam o Império continuaram dominando na República. No século XX, o Brasil conviveu com muitos movimentos políticos localizados, mas dois foram mais duradouros e tiveram repercussões significativas na vida dos brasileiros: a revolução de 1930 e a ditadura de 1964. As tentativas de promover mudanças sociais no Brasil historicamente sofreram entraves por parte daqueles que possuíam posição de mando. Aliás, o passado colonial do Brasil e as suas reminiscências ideológicas representam um grande empecilho às tentativas de promover mudanças sociais.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

Economicamente, a partir de 1920, houve uma alteração substancial por causa da ampliação da inserção do Brasil no mundo. Foram necessárias mudanças internas para que o país pudesse se adequar ao novo padrão internacional de relações políticas e econômicas. Nas últimas décadas do século XX, houve também uma mudança no consumo e nas relações entre os indivíduos. O aumento do consumo, o uso de telefones celulares, internet e a inserção do Brasil no processo de globalização são indicativos de transformações em curso.

Dimínio público

4.2 • Os movimentos sociais

Imagem 2.14.

O Movimento Feminista Brasileiro O movimento feminista no Brasil tem raízes históricas e representa um longo processo de incessantes lutas da mulher para garantir os direitos que lhe permitem a autodeterminação. Durante os primeiros períodos da história brasileira, as mulheres praticamente estiveram excluídas da participação política e foram tolhidas socialmente por uma estrutura social desigual de inspiração patriarcal. Foi somente durante o Império (1822 a 1889) que a mulher passou a ter direito à educação. Mesmo assim, uma educação voltada para as tarefas domésticas e com o fim de legitimar certo estereótipo vigente que perpetuava a desigualdade e o preconceito. No início do século XX, em 1922, foi fundada a Federação Brasileira para o Progresso Feminino por Bertha Lutz, cientista e feminista que lutou pelo direito feminino ao voto e também pelo livre acesso da mulher ao trabalho. Em 1932, por meio de um decreto-lei do presidente Getúlio Vargas, as mulheres adquiriram o direito ao voto. Em 1985, foi criado o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, órgão vinculado ao Ministério da Justiça, com a finalidade de estabelecer em parceria com a Administração Pública e a sociedade civil ações que visam combater a discriminação e assegurar a participação da mulher nos âmbitos político, econômico e cultural. Outra importante conquista na luta da mulher brasileira foi a Lei Maria da Penha (11.340 / 2016), que criou mecanismos de combate à violência doméstica e familiar. Segundo dados do IPEA, a lei fez regredir o número de assassinatos de mulheres em 10%.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Os movimentos sociais são ações coletivas com o objetivo de manter ou mudar uma situação. Eles podem ser locais, regionais, nacionais e internacionais. De forma geral, os movimentos sociais são organizados por grupos que se sentem prejudicados nos seus direitos e interesses. São exemplos de movimentos sociais as greves trabalhistas, os movimentos por melhores condições de transporte, habitação, educação, saúde, os movimentos étnicos, feministas, ambiental, estudantil, gay, entre outros. Além desses movimentos organizados, existem outros que podem ser chamados de conjunturais. São aqueles movimentos que duram alguns dias e desaparecem, para depois surgir em outro momento, com novas formas de expressão.

SAIBA MAIS

ESCLARECENDO Link sugerido • https://bit.ly/33NDmkh

Os movimentos sociais não são predeterminados, mas dependem sempre das condições nas quais se desenvolvem. Quanto aos movimentos que duram muito tempo, estes tendem a se institucionalizar ou perder o vigor.

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

309


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

EXERCITANDO EM AULA 07. É o conjunto das transformações sofridas por uma sociedade durante um longo período. Diz respeito às tendências seculares ou gerais na marcha da história. Qual o nome desse fenômeno? a) Evolução social b) Mudança social c) Luta de classes d) Movimentos sociais e) Declínio social

08. São ações coletivas com o objetivo de manter ou mudar uma situação. Eles podem ser locais, regionais, nacionais e internacionais. Qual o nome desse fenômeno? a) Coexistência pacífica b) Movimentos sociais c) Solidariedade orgânica d) Solidariedade mecânica e) Anomia social

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO TÓPICO 1: Definindo direitos e cidadania

01. (ENEM) A cidadania exige um elo de natureza diferente, um sentimento direto de participação numa comunidade baseado numa lealdade a uma civilização que é um patrimônio comum. Compreende a lealdade de homens livres, imbuídos de direitos e protegidos por uma lei comum. MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

A vigência do pacto político mencionado está vinculada à a) crença em valores ortodoxos. b) garantia da igualdade jurídica. c) amplitude do território nacional. d) fluência no idioma predominante. e) nivelação do campo socioeconômico.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

02. (UNIOESTE) De acordo com o sociólogo inglês T. S. Marshall, a cidadania moderna se define em um longo processo histórico que envolve o reconhecimento do cidadão como portador de Direitos Civis, Direitos Políticos e Direitos Sociais. Com base nas reflexões propostas por Marshall, é CORRETO afirmar que a) no Brasil, não existe cidadania porque o voto é obrigatório. b) cidadania é algo que só existe na Europa e nos Estados Unidos da América. c) a liberdade e a participação política dos cidadãos são fundamentais para a contínua geração de novos direitos. d) a conquista de direitos de cidadania no Brasil foi um processo que se encerrou com a promulgação da Constituição em 1988. e) a cidadania no Brasil foi imposta por Getúlio Vargas durante a vigência do Estado Novo.

310

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

03. (UNIMONTES) Em termos legais, a ideia de cidadania diz respeito às regras segundo as quais é conferida a pertença nacional. Essas regras podem ser baseadas na linguagem, no território, ou na combinação de ambos. O sociólogo inglês Thomas Humphrey Marshall problematiza o conceito de cidadania, colocando-o em oposição ao fenômeno da exclusão. Portanto, é INCORRETO afirmar: a) Cidadania se estabelece não só a partir dos deveres de cada indivíduo para com o Estado, mas também pelos direitos que esse Estado lhe garante. b) Um indivíduo que desfruta da condição de cidadão é aquele autorizado a exercer sua liberdade sem restrições sociais e muito menos sem ser constrangido com as normas e regulação do Poder Público. c) Historicamente, o usufruto dos direitos civis permitiu a demanda e obtenção dos direitos políticos, e estes teriam aberto o caminho para a conquista, pela via democrática, dos direitos sociais. d) A evolução do conceito de cidadania possibilitou a afirmação das particularidades de gênero, cultura, raça e sexualidade e, notadamente, de classe social no Brasil contemporâneo.

04. (ENEM) Tenho 44 anos e presenciei uma transformação impressionante na condição de homens e mulheres gays nos Estados Unidos. Quando nasci, relações homossexuais eram ilegais em todos os Estados Unidos, menos Illinois. Gays e lésbicas não podiam trabalhar no governo federal. Não havia nenhum político abertamente gay. Alguns homossexuais não assumidos ocupavam posições de poder, mas a tendência era eles tornarem as coisas ainda piores para seus semelhantes. ROSS, A. “Na máquina do tempo”. Época, ed. 766, 28 jan. 2013.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

A dimensão política da transformação sugerida no texto teve como condição necessária a a) ampliação da noção de cidadania. b) reformulação de concepções religiosas. c) manutenção de ideologias conservadoras. d) implantação de cotas nas listas partidárias. e) alteração da composição étnica da população.

05. (UPE) Tomando por base os conceitos essenciais da Sociologia, caracterizamos a cidadania como a) condição através da qual o indivíduo tem consciência de seus direitos, deveres e de que participa ativamente de todas as questões da sociedade. b) a ação de contestação da democracia. c) a rede de solidariedade entre os diversos membros de um grupo social específico. d) a equivalência social da tirania política. e) a aplicação do orçamento participativo nos governos teocráticos. TÓPICO 2: Os tipos de direito

06. (INTERBITS) Art. 6º São a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. CONSTITUIÇÃO Brasileira de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ constituicao/constituicao.htm> Acesso em 18 mai. 2015.

Assinale a alternativa que completa, de maneira correta, a lacuna do texto acima: a) Direitos civis. b) Direitos políticos. c) Direitos sociais. d) Direitos do homem. e) Direitos naturais.

CAPÍTULO VI DO MEIO AMBIENTE Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Fonte: Constituição Federal. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em 16 nov. 2012.

Atualmente, há uma demanda por direitos ambientais, tal como está expresso na Constituição da República Federativa do Brasil. Os direitos de meio ambiente podem ser classificados como:

Direitos de primeira geração, tais como os direitos civis. Direitos de segunda geração, tais como os direitos políticos. Direitos de terceira geração, como os direitos coletivos. Direitos de quarta geração, como os direitos mundiais.

08.

(INTERBITS) Não que eu não esteja feliz com meu novo status de consumidor, não deve ser isso. (Agora mesmo escrevo em um notebook, minha TV tem cem canais de esporte e minha mãe prepara a comida num fogão novo; se isso não for felicidade, do que se trata, então?) O problema é que me esforço, juro, mas o ceticismo ainda é minha perdição: levo 2h30 para chegar ao trabalho porque o trem quebra todos os dias, meu plano de saúde não cobre minha doença no intestino e morro de medo das enchentes do bairro. Ou seja, ao mesmo tempo em que todos querem me atingir por meu razoável poder de consumo, passo por perrengues do século passado. Eu e mais de 30 milhões de pessoas — não somos pobres, mas classe C. MACHADO, L. De repente, classe C. Folha de S. Paulo, São Paulo, 15 jul., 2012. Adaptado. Disponível online em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/54594-de-repente-classe-c.shtml>. Acesso em 16 jul. 2012.

O autor do texto acima afirma, ironicamente, que apesar de ter direito ao consumo, sua maior demanda não é por determinadas mercadorias, mas por acesso a alguns direitos que lhe são negados. Que direitos são esses? a) Direitos políticos. b) Direitos ambientais. c) Direitos civis. d) Direitos sociais. e) Direitos trabalhistas.

09. (UNIOESTE) O conceito de cidadania é considerado um dos mais importantes nas Ciências Sociais. Diz respeito à participação de um cidadão na comunidade, e no compartilhamento de valores comuns. Pode-se dizer que, nos últimos anos, a construção da cidadania diz respeito à própria construção da nacionalidade. Para que ela se realize plenamente, o cidadão pleno seria aquele titular de três direitos fundamentais: os direitos civis, os direitos políticos e os direitos sociais. Entre as questões abaixo, assinale a alternativa referente às características dos direitos civis. a) Diz respeito à participação no governo da sociedade, de fazer demonstrações políticas. Através dele podemos discutir problemas do governo, de organizar partidos, de votar, de ser votado. b) Diz respeito à vida em sociedade que garante a participação das pessoas no governo; garante a participação na distribuição da riqueza coletiva; incluem o direito à saúde, a um salário justo, ao trabalho, à aposentadoria, enfim, um mínimo bem-estar para todos.

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

07. (INTERBITS) Leia:

a) b) c) d)

311


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

c) Diz respeito aos direitos essenciais à vida, ao direito de propriedade e à igualdade perante a lei. Trata-se de um direito que se desdobra na garantir de ir e vir, de escolher o seu próprio trabalho, de liberdade de expressão, de não ser condenado sem processo legal regular, de garantias da liberdade individual. d) Diz respeito aos elementos que garantem a existência de uma máquina burocrática administrativa do Poder Executivo. A ideia central desse direito é a justiça social. e) Diz respeito à participação de poucos indivíduos no governo da sociedade. Está mais voltado para pessoas vinculadas a partidos políticos que elaboram projetos sociais.

10. (UFU) Um sistema político democrático contemporâneo é aquele que a) estabelece o direito ao voto como única forma de participação política. b) controla e limita a participação política de determinados grupos da sociedade civil. c) garante apenas aos cidadãos letrados o acesso aos debates no espaço público. d) permite a elaboração de direitos políticos universalizáveis. e) não leva em consideração o princípio do direito à privacidade. TÓPICO 3: A Constituição brasileira de 1988

11. .(ENEM) Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens. BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: www.planalto.gov. br. Acesso em: 27 abr. 2017.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

A persistência das reivindicações relativas à aplicação desse preceito normativo tem em vista a vinculação histórica fundamental entre a) etnia e miscigenação racial. b) sociedade e igualdade jurídica. c) espaço e sobrevivência cultural. d) progresso e educação ambiental. e) bem-estar e modernização econômica.

12. (INTERBITS) Considerando o regime político brasileiro após a Constituição de 1988, pode-se dizer que o Brasil é um/uma: a) República democrática parlamentarista. b) Ditadura democrática nacionalista. c) República democrática presidencialista. d) Parlamentarismo republicano. e) Monarquia republicana democrática.

13. (UPE) O Brasil é um país que possui um regime democrático assegurado pela Constituição de 1988. Essa mesma Constituição, que deve ser respeitada e obedecida por todos, estabelece 312

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

uma série de direitos e garantias aos brasileiros e aos estrangeiros. Identifique-os entre os que são mencionados a seguir: 1. É livre a manifestação de pensamento, sendo, no entanto, vedado o anonimato. 2. Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa, ou mesmo, de convicção filosófica e política, a não ser, se as invocar, para se eximir de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada pela lei. 3. É livre a expressão da atividade artística, científica e de comunicação, mas a utilização de charges humorísticas que envolvam políticos ou líderes religiosos terá que ser submetida à apreciação e liberação ou não das autoridades policiais do Estado. 4. As associações para fins lícitos têm liberdade plena, inclusive as de caráter paramilitar, desde que não utilizem símbolos político-ideológicos. 5. O direito à propriedade privada dos meios de produção é assegurado, mas a que objetiva um lucro exorbitante poderá ser confiscada, passando a ser dirigida pelos sindicatos dos trabalhadores que nela exercem atividades. Estão corretas apenas a) 1 e 5. b) 1 e 2. c) 2 e 5. d) 1, 3 e 4. e) 2, 3, 4 e 5.

14.

(UERJ) Preâmbulo da Constituição da República Federativa do Brasil (1988) Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembleia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte Constituição da República Federativa do Brasil. planalto.gov.br

A Constituição brasileira vigente promoveu mudanças que visam a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, como menciona seu preâmbulo. A premissa de garantir e valorizar esses direitos está relacionada ao seguinte aspecto naquela conjuntura do país: a) atendimento de pressões externas pela abertura do regime b) aumento do extremismo ideológico pelos partidos políticos c) crise da economia nacional causada pela escalada da inflação


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

d) crítica da repressão política instituída pelos governos autoritários

15. (UFPR) Em 5 de outubro de 1988 foi promulgada a Constituição que se encontra em vigência no Brasil. A respeito da história da construção e da aplicação dessa Constituição, considere as seguintes afirmativas: 1. Essa Constituição ampliou os direitos civis, políticos e sociais, tais como a previdência social, a proteção à maternidade e à infância e a garantia ao acesso universal à educação e à saúde. 2. Após 30 anos da promulgação dessa constituição, comemora-se o cumprimento do item III do artigo 3º da Constituição: “erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais”. 3. Essa Constituição foi elaborada por uma Assembleia Nacional Constituinte eleita por voto indireto em colégio eleitoral, por conta da rejeição da emenda das “Diretas Já” pelo Congresso Nacional. 4. Essa Constituição foi elaborada com a finalidade de romper com o período da ditadura civil-militar (1964-1985) e atender ao processo de redemocratização. Assinale a alternativa correta. a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira. b) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras. c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras. d) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras. e) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

TÓPICO 4: Mudanças e movimentos sociais

16. Entendemos por mudanças sociais as transformações na vida e no funcionamento da sociedade. Toda mudança social é resultado de processos pelos quais a sociedade inteira, ou apenas alguns aspectos dela, passa de um estado a outro.

São verdadeiras:

I e II. I, II e III. III, IV e V. I, III e V. Todas as proposições.

17. O conceito de Movimentos Sociais se define, exceto, por : a) movimentos que se caracterizam por diferentes reivindicações. b) movimentos que se caracterizam por serem coletivos. c) movimentos que priorizam interesses individuais e isolados. d) movimentos que têm como objetivo mudar ou manter uma situação social. e) movimentos que podem ser locais, regionais, nacionais e internacionais.

18. (UEG) No pensamento sociológico clássico há uma permanente preocupação com as mudanças sociais. A esse respeito, verifica-se que a) para Marx, a mudança social é produto da luta de classes. b) para Durkheim, a mudança social é gerada pela ação social. c) para Weber, não existe mudança social, mas tão somente fato social. d) tanto para Marx quanto para Weber, a mudança social tem sua origem no Estado. e) para Marx, a mudança social surge a partir da harmonia entre as diferentes classes sociais.

19. Sobre os novos movimentos sociais que eclodiram na segunda metade do século XX, assinale a alternativa INCORRETA. a) As alterações na estrutura social que conduziram à crescente presença das mulheres na vida econômica, política e cultural contribuíram para o surgimento do movimento feminista que defende, dentre outras causas, o direito à isonomia. b) O ambientalismo se caracteriza como um novo movimento social ao questionar o modelo de desenvolvimento autodestrutivo do capitalismo em sua fase monopolista avançada. c) Uma das novidades apresentadas pelos novos movimentos sociais foi a denúncia das contradições da sociedade capitalista em diferentes padrões de relações e não apenas na dimensão produtiva. d) Apesar de serem organizados por grupos bastante diversos, os novos movimentos sociais se orientam pelo mesmo dogmatismo revolucionário característico do movimento operário tradicional. e) Os movimentos ecológico e pacifista estendiam suas críticas também ao bloco de países do chamado socialismo real.

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Sobre o processo de mudança social e as suas características, analise as proposições que se seguem. I. O termo mudança social em alguns casos é usado para falar da passagem das sociedades tradicionais à sociedade industrial moderna. II. O significado de mudança social é bastante amplo e pode ser aplicado a praticamente todos os processos históricos e sociais. III. As mudanças sociais podem ocorrer no nível das instituições sociais, embora não ocorra no nível cultural e dos costumes. IV. O conceito de mudança social é semelhante ao de evolução cultural. V. Algumas sociedades permanecem iguais a si mesmas em momentos diferentes da própria história.

a) b) c) d) e)

20. (UNCISAL) Leia o texto abaixo. Como valor universal, os direitos humanos justificam ações políticas e intervenções militares internacionais e, pa-

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

313


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

radoxalmente, influenciam movimentos sociais de dimensão universal ou regional e local. Os movimentos sociais produzem conflitos, ampliam os espaços de participação e procuram novas formas de organização social. Sólon Eduardo Viola. Movimentos Sociais e Direito

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Com referência aos novos movimentos sociais, qual opção se apresenta como INCORRETA? a) As questões ambientais se inserem efetivamente no conjunto de temas abordados pelos novos movimentos sociais, assim como questões relativas à situação das mulheres, os direitos dos homossexuais e as questões étnicas e raciais. b) Os novos movimentos sociais refletem a complexidade das relações existentes no mundo globalizado, considerando as diversidades e evitando assumir posições políticas contestatórias e/ou polêmicas. c) Os atuais movimentos sociais lutam por uma cidadania universal por meio da extensão dos direitos de cidadania a todos os indivíduos que compõem a sociedade. d) A busca de reconhecimento identitário é uma das marcas mais visíveis dos novos movimentos sociais. e) Os avanços tecnológicos e o barateamento dos meios de transporte potencializam as ações dos movimentos sociais. As redes sociais ampliaram os fóruns de discussão, unindo ativistas de vários segmentos com ideias semelhantes e tornando mais visível a conexão entre os problemas locais e suas fontes globais.

314

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

ANOTAÇÕES

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1

315


GABARITOS

GABARITOS Capítulo 2

EXERCITANDO EM AULA 01. (c) 02. (e) 03. (b) 04. (b) 05. (d) 06. (d) 07. (b) 08. (c)

EXERCITANDO EM AULA 01. (b) 02. (a) 03. (d) 04. (c) 05. (e) 06. (d) 07. (a) 08. (b)

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 01. (d) 02. (c) 03. (c) 04. (e) 05. (e) 06. (c) 07. (e) 08. (a) 09. (e) 10. (e) 11. (b) 12. (c) 13. (c) 14. (a) 15. (e) 16. (a) 17. (d) 18. (a) 19. (d) 20. (a)

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 01. (b) 02. (c) 03. (b) 04. (a) 05. (a) 06. (c) 07. (c) 08. (d) 09. (c) 10. (d) 11. (c) 12. (c) 13. (b) 14. (d) 15. (b) 16. (a) 17. (c) 18. (a) 19. (d) 20. (b)

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS

Capítulo 1

316

PRÉ-ENEM - SOCIOLOGIA | VOLUME 1


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

EXERCÍCIOS PROPOSTOS - CAPÍTULO 1 TÓPICO 1: As ciências sociais

01. Como ciência, a Antropologia possui paradigmas e referenciais teóricos próprios. Marque a opção que NÃO está de acordo com esses paradigmas e referenciais teóricos. a) É a ciência que estuda o homem, suas produções e seu comportamento. b) O seu interesse está no homem como um todo, o ser biológico e o ser cultural. c) Preocupa-se em revelar os fatos da natureza e da cultura. d) Seus métodos de trabalho adotam os pressupostos das Ciências Naturais. e) Preocupa-se em revelar os aspectos sócio-culturais.

Cada indivíduo recebe influências do meio em que vive, forma-se de determinada maneira e age no contexto social de acordo com a sua formação”. SANTOS, Pérsio. Introdução à sociologia.

Sobre a sociedade humana, podemos dizer que: a) As interações sociais podem ser plenamente explicadas pela biologia e pela física. b) O estudo do ser humano, pelas ciências sociais, prescinde do método científico. c) O objeto de estudo das Ciências Sociais são os seres humanos no contexto de suas relações sociais. d) A economia, a antropologia e a ciência política não podem ser consideradas ciências sociais. e) As relações humanas são fixas e imutáveis.

04. Os discursos ou as teorias científicas são desenvolvidos por meio de um conjunto de técnicas e de experimentos no intuito de compreender ou resolver um problema anteriormente apresentado. As Ciências Sociais, por exemplo, possuem, entre as suas diferentes missões, o objetivo de investigar os problemas sociais que vivenciamos durante o nosso cotidiano. Levando isso em consideração, qual das respostas abaixo é a correta? a) O senso comum corresponde à popularização e à massificação das descobertas científicas após uma ampla divulgação. b) O senso comum corresponde aos conhecimentos produzidos individualmente e que ainda não passaram por uma validação científica. c) O senso comum pode ser considerado um sinônimo da ignorância da população e uma justificativa para o atraso econômico. d) O senso comum corresponde a um conhecimento não científico utilizado como solução para os problemas cotidianos, geralmente ele é pouco elaborado e sem um conhecimento profundo. e) O senso comum e o conhecimento científico correspondem a duas formas de entendimento excludentes e possuidoras de fronteiras intransponíveis.

Ciências humanas e sociais aplicadas

02. A respeito da produção de conhecimento humano sobre o mundo, destaca-se o conhecimento científico. Este pode ser dividido em duas grandes áreas: as ciências naturais e as ciências sociais. Sobre essas formas de conhecimento científico é correto afirmar que: a) a matéria-prima das Ciências Sociais são eventos com determinações complicadas e que podem ocorrer em ambientes diferenciados, por causa disso, a possibilidade de mudar seu significado de acordo com o ator, as relações existentes num dado momento e, ainda, com sua posição numa cadeia de eventos anteriores e posteriores. b) a matéria-prima das Ciências Naturais são eventos com determinações complicadas e que podem ocorrer em ambientes diferenciados, por causa disso, a possibilidade de mudar seu significado de acordo com o ator, as relações existentes num dado momento e, ainda, com sua posição numa cadeia de eventos anteriores e posteriores. c) a matéria-prima das Ciências Naturais são eventos com determinações simples e que não podem ocorrer em ambientes diferenciados, por causa disso, a possibilidade de mudar seu significado de acordo com o ator, as relações existentes num dado momento e, ainda, com sua posição numa cadeia de eventos anteriores e posteriores. d) a matéria-prima das Ciências Sociais são eventos com determinações complicadas e que não podem ocorrer em ambientes diferenciados, por causa disso, a possibilidade de mudar seu significado de acordo com o ator, as relações existentes num dado momento e, ainda, com sua posição numa cadeia de eventos anteriores e posteriores. e) a matéria-prima das Ciências Naturais são eventos com determinações complicadas e que não podem ocorrer em ambientes diferenciados, por causa disso, a possibilidade de mudar seu significado de acordo com o ator, as relações existentes num dado momento e, ainda, com sua posição numa cadeia de eventos anteriores e posteriores.

03. “O comportamento humano é complexo e diversificado.

05. A elaboração e a realização do projeto de pesquisa em Ciências Sociais, particularmente na Sociologia, a) é o mais barato e mais prático meio de se conhecer a realidade social. b) é o meio mais eficaz e científico de se conhecer a realidade social. c) é o meio mais adequado para se reconhecer o outro. d) é o melhor meio para se conhecer e controlar grupos sociais antagônicos. PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

95


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

e) é o melhor e mais caro processo de constituição de mecanismos sociais de segregação social.

06. Marque a única alternativa que não apresenta um dos objetos de estudo da Antropologia Cultural: a) a produção cultural b) a origem, evolução, variações e constituição física do homem. c) os agrupamentos e relações sociais. d) a diversidade cultural humana. e) as adaptações sócio-culturais dos grupos humanos diante da natureza TÓPICO 2: O surgimento da Sociologia

07. Selecione as afirmativas que indicam o contexto histórico, social e filosófico que possibilitou a gênese da Sociologia. I. A Sociologia é um produto das revoluções francesa e industrial e foi uma resposta às novas situações colocadas por estas revoluções. II. Com o desenvolvimento do industrialismo, o sistema social passou da produção de guerra para a produção das coisas úteis, através da organização da ciência e das artes. III. O pensamento filosófico dos séculos XVII e XVIII contribuiu para popularizar os avanços científicos, sendo a Teologia a forma norteadora desse pensamento. IV. A formação de uma sociedade, que se industrializava e se urbanizava em ritmo crescente, propiciou o fortalecimento da servidão e da família patriarcal. Assinale a alternativa correta: a) III e IV. b) I, II e III. c) II, III e IV. d) I e II. e) Todas as alternativas estão corretas

08. Sobre o surgimento da Sociologia, podemos afirmar que: Ciências humanas e sociais aplicadas

I. A consolidação do sistema capitalista na Europa, no século XIX, forneceu os elementos que serviram de base para o surgimento da Sociologia enquanto ciência particular. II. O homem passou a ser visto, do ponto de vista sociológico, a partir de sua inserção na sociedade e nos grupos sociais que a constituem. III. Aquilo que a Sociologia estuda constitui-se, historicamente, como o conjunto de relacionamentos que os homens estabelecem entre si na vida em sociedade. IV. Interessam, para a Sociologia, não indivíduos isolados, mas inter-relacionados com os diferentes grupos sociais dos quais fazem parte, como a escola, a família, as classes sociais e etc. a) II e III estão corretas. b) Todas as afirmativas estão corretas.

96

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

c) I e IV estão corretas. d) I, III e IV estão corretas. e) II, III e IV estão corretas

09. A Sociologia é uma ciência moderna que surge e se desenvolve juntamente com o avanço do capitalismo. Nesse sentido, reflete suas principais transformações e procura desvendar os dilemas sociais por ele produzidos. Sobre a emergência da sociologia, considere as afirmativas a seguir: I. A Sociologia tem como principal referência a explicação teológica sobre os problemas sociais decorrentes da industrialização, tais como a pobreza, a desigualdade social e a concentração populacional nos centros urbanos. II. A Sociologia é produto da Revolução Industrial, sendo chamada de “ciência da crise”, por refletir sobre a transformação de formas tradicionais de existência social e as mudanças decorrentes da urbanização e da industrialização. III. A emergência da Sociologia só pode ser compreendida se for observada sua correspondência com o cientificismo europeu e com a crença no poder da razão e da observação, enquanto recursos de produção do conhecimento. IV. A Sociologia surge como uma tentativa de romper com as técnicas e métodos das ciências naturais, na análise dos problemas sociais decorrentes das reminiscências do modo de produção feudal. Estão corretas apenas as afirmativas: a) I e III. b) II e III. c) II e IV. d) I, II e IV. e) I, III e IV.

10. A respeito do contexto histórico de emergência da Sociologia, marque a alternativa correta. a) A crescente legitimidade científica do saber sociológico, produzido por autores como Auguste Comte e Émile Durkheim, deveu-se à sua forte crítica ao Iluminismo. b) A Sociologia consolidou-se, disciplinarmente, em resposta aos novos problemas e desafios desencadeados por transformações sociais, políticas, econômicas e culturais, cujos marcos históricos principais foram a Revolução Industrial e a Revolução Francesa. c) Um dos principais legados do Iluminismo foi a crítica severa às concepções científicas da realidade social, combinada com a reafirmação de princípios e interpretações de cunho religioso. d) Herdeira direta das transformações sociais desencadeadas pela Revolução Industrial e pela Revolução Francesa, a Sociologia ignorou os métodos racionais de investigação em favor do conhecimento produzido pelo senso-comum. e) A Sociologia surgiu como negação das conquistas do movimento iluminista, defendendo a recuperação da escolástica e do pensamento tomista.


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

11. A sociologia corresponde a uma ciência da modernidade. Assinale as alternativas que estejam relacionadas ao surgimento dessa ciência social. ( ) O homem moderno sente a necessidade de compreender o mundo em que vive, dadas as transformações decorrentes da Revolução Industrial. ( ) A modernidade diz respeito, sobretudo, à forma como o homem se relaciona com a natureza. A evolução biológica faz com que o homem cada vez mais evolua seu pensamento. É por isso que as sociedades indígenas são mais atrasadas que as europeias. ( ) A sociologia, em sua origem, esteve relacionada com o positivismo, que procurou trazer os métodos científicos das ciências naturais para as ciências do homem. ( ) A sociologia nasce de mãos dadas com a psicologia. Émile Durkheim é o grande exemplo de sociólogo que pensa a sociedade a partir das relações individuais. Em sua obra principal, O Suicídio, ele argumenta que o egoísmo é o principal problema moderno. a) b) c) d) e)

V–V–F–F V–F–F–F F–F–V–V V–F–V–F F–V–V–V

12. O surgimento da Sociologia foi propiciado pela necessi-

a) b) c) d) e)

II, III e IV estão corretas. I, II e III estão corretas. I, II e IV estão corretas. I e III estão corretas. Todas as afirmativas estão corretas

14. Émile Durkheim dedicou-se a um vasto repertório de temas que vão da emergência do indivíduo à origem da ordem social, da moral ao estudo da religião, da vida econômica à análise da divisão social do trabalho. Sobre Émile Durkheim, é incorreto afirmar que: a) A sua obra mais importante foi “As regras do método sociológico”, na qual procurou instituir a fronteira entre a sociologia e as demais ciências, dando-lhe autonomia e objetividade. b) Para Durkheim, o objeto de estudo da sociologia são os fatos sociais que se diferenciam dos fatos orgânicos ou psicológicos por se imporem ao indivíduo como força coercitiva a qual ele deve submeter-se. c) A coercitividade dos fatos sociais se manifesta por meio das sanções legais e espontâneas. d) Criou a lei dos três estágios para explicar a evolução do pensamento humano até o estágio positivo ou científico. e) Afirmou que os fatos sociais, por serem exteriores, existem e atuam independentemente da vontade ou adesão consciente dos indivíduos. 15. De acordo com o pensamento weberiano, é correto afirmar que: a) Os juízos de valor do pesquisador não interferem em nenhuma fase do processo de investigação científica. b) A sociologia de Weber é um esforço de explicação da sociedade enquanto totalidade social. c) O objetivo da Sociologia é estabelecer leis gerais explicativas da realidade social; d) A Sociologia compreensiva busca apreender o sentido da ação social e de seus nexos causais. e) O objetivo da sociologia é estudar os fatos sociais.

TÓPICO 3: Os clássicos da Sociologia

16. O modo de vestir determina a identidade de grupos sociais, simboliza o poder e comunica o status dos indivíduos. Seu caráter institucional assume grande importância à medida que inclui ou exclui indivíduos de categorias ou estratos sociais. Ele exemplifica bem aquilo que Durkheim afirmava ser o objeto de estudo dos sociólogos: uma representação coletiva que além de ser válida para todos os indivíduos que fazem parte de um determinado grupo, expressa a exterioridade e a coercitividade.

13. Sobre o positivismo, como uma das formas de pensamento social, podemos afirmar que: I. É a primeira corrente teórica do pensamento sociológico preocupada em definir o objeto, estabelecer conceitos e definir uma metodologia. II. Derivou-se da crença no poder absoluto e exclusivo da razão humana em conhecer a realidade e traduzi-la sob a forma de leis naturais. III. Foi um pensamento predominante na Alemanha no século XIX, nascido, principalmente, de correntes filosóficas da Ilustração. IV. Nele, a sociedade foi concebida como organismo constituído de partes integradas e coisas que funcionam harmoniosamente, segundo um modelo físico ou mecânico.

Ciências humanas e sociais aplicadas

dade de: a) Manter a interpretação mágica da realidade como patrimônio de um restrito círculo sacerdotal. b) Manter uma estrutura de pensamento mítica para a explicação do mundo. c) Condicionar o indivíduo, por meio dos rituais, a agir e pensar conforme os ensinamentos transmitidos pelos deuses. d) Considerar os fenômenos sociais como propriedade exclusiva de forças transcendentais. e) Observar, medir e comprovar as regras que tornassem possível, através da razão, prever os fenômenos sociais.

Assinale nas opções a seguir aquela que apresenta o objeto de estudo da Sociologia segundo Durkheim. a) Fatos sociais. b) Expressões culturais. c) Ações sociais. d) Estruturas políticas. e) Relações sociais.

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

97


Capítulo 1 | Introdução à Sociologia

17. O conceito de ação social desempenha papel fundamental no conjunto teórico construído por Max Weber. Sobre este conceito utilizado por Max Weber, considere as afirmativas a seguir: I. A ação social foca o agente individual, pois este é o único capaz de agir e de atribuir sentido à sua ação. II. Interpretar a reciprocidade entre as ações sociais possibilita ao cientista social a compreensão sobre as regularidades nas relações sociais. III. A imitação e as ações condicionadas pelas massas são exemplos típicos de ação social, pois são motivadas pela consciência racional da importância de viver em sociedade. IV. O que permite compreender o agir humano enquanto ação social é o fato de ele possuir um sentido único e objetivo para todos os agentes envolvidos. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I e II são corretas. b) Somente as afirmativas II e IV são corretas. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas. e) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.

18. As sociedades modernas são complexas e multifacetadas. Mas é com o capitalismo que as divisões sociais se tornam mais desiguais e excludentes. Marx já observara que só o conflito entre as classes pode mover a história. Assim sendo, para o referido autor, em qual das opções se evidencia uma característica de classe social? a) O status social e cultural dos indivíduos. b) A função social exercida pelos indivíduos na sociedade. c) A ação política dos indivíduos nas sociedades hierarquizadas. d) A identidade social, cultural e coletiva. e) A posição que os indivíduos ocupam nas relações de produção.

TÓPICO 4: A Sociologia no Brasil

19. A obra de Gilberto Freyre foi pioneira na abordagem cultural Ciências humanas e sociais aplicadas

no estudo da formação da sociedade brasileira. Nesta perspectiva, é CORRETO citar como exemplo desta contribuição a(o) a) utilização do materialismo histórico como base teórica para a compreensão da sociedade brasileira. b) estudo sobre a família patriarcal no Brasil em sua obra Casa-Grande & Senzala. c) negação da Antropologia, em especial, a norte-americana, como influência na sua obra. d) pioneirismo nos estudos sobre o operariado e sua contribuição na formação da sociedade urbana brasileira. e) diálogo constante com a obra e as contribuições teóricas de Florestan Fernandes.

20. No pensamento sociológico dos anos 1930, despontam os nomes de Gilberto Freyre e Sérgio Buarque de Holanda, autores dos clássicos Casa Grande & Senzala e Raízes do Brasil, respectivamente. Essas obras têm como foco temático comum: a) a luta de classes na sociedade rural. 98

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

b) c) d) e)

a formação do Estado nacional. a democratização do ensino. a escravidão do negro. a estrutura patriarcal brasileira.

21. A importância da obra de Gilberto Freyre, Casa Grande & Senzala, para a análise do comportamento dos diferentes grupos raciais na sociedade brasileira, consiste na a) a afirmação de que a mestiçagem seria um mal para o Brasil. b) substituição de uma explicação biológica das diferenças raciais por uma interpretação cultural. c) elaboração de uma interpretação biológica das diferenças raciais por oposição a uma ênfase nos elementos culturais. d) ênfase nas diferenças socioestruturais por oposição às diferenças culturais. e) afirmação da pureza racial do povo brasileiro 22. O processo que superaria a divisão da nação em raças e promoveria alguma democracia social é chamado por Gilberto Freyre de a) eugenia. b) resgate da cidadania. c) mestiçagem. d) xenofobia. e) darwinismo social

23. Foi o principal representante da chamada “Escola Paulista de Sociologia” e criou um importante grupo de estudos na USP que tinha como membros Fernando Henrique Cardoso e Octavio Ianni. Qual o nome desse pensador? a) Celso Furtado b) Gilberto Freyre c) Caio Prado Júnior d) Florestan Fernandes e) Euclides da Cunha 24. Um dos temas que despertou o interesse de Florestan Fernandes foi a educação pública de qualidade, com a qual tentou contribuir elaborando leis enquanto parlamentar. Para Florestan, como era a educação no Brasil no seu tempo? a) Plural e multicultura b) Inclusiva e construtivista c) Democrática e acessível d) Ainda se constituía em um privilégio social de poucos e) Tolerante e cidadã.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

EXERCÍCIOS PROPOSTOS - CAPÍTULO 2 TÓPICO 1: Definindo direitos e cidadania

e) campanha de extensão da cidadania.

01. (UFMA)

04. (ENEM) Procuramos demonstrar que o desenvolvimento

02. (UERJ) A origem operária do 8 de março

pode ser visto como um processo de expansão das liberdades reais que as pessoas desfrutam. O enfoque nas liberdades humanas contrasta com visões mais restritas de desenvolvimento, como as que identificam desenvolvimento com crescimento do Produto Nacional Bruto, ou industrialização. O crescimento do PNB pode ser muito importante como um meio de expandir as liberdades. Mas as liberdades dependem também de outros determinantes, como os serviços de educação e saúde e os direitos civis.

A afirmação segundo a qual o indivíduo tem consciência de seus direitos, deveres e de que participa ativamente de todas as questões da sociedade refere-se a: a) tirania. b) plutocracia. c) cidadania. d) bonapartismo. e) monarquia.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Cia. das Letras, 2010.

Para muitos, o 8 de março é apenas um dia para dar flores e fazer homenagens às mulheres. Mas, diferentemente de outras datas comemorativas, esta não foi criada pelo comércio. Oficializado pela Organização das Nações Unidas em 1975, o chamado Dia Internacional da Mulher era celebrado muito tempo antes, desde o início do século XX. E se hoje a data é lembrada como um pedido de igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo, no passado nasceu principalmente de uma raiz trabalhista. Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos – as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época. Adaptado de bbc.com.

Com base na reportagem, a criação do Dia Internacional da Mulher tem origem nas manifestações sociais em defesa de: a) ampliação da cidadania b) expansão da liberdade c) promoção da diversidade d) valorização da pluralidade

torno do direito do voto feminino são os debates que antecederam a Constituição de 1824, que não trazia qualquer impedimento ao exercício dos direitos políticos por mulheres, mas, por outro lado, também não era explícita quanto à possibilidade desse exercício. Foi somente em 1932, dois anos antes de estabelecido o voto aos 18 anos, que as mulheres obtiveram o direito de votar, o que veio a se concretizar no ano seguinte. Isso ocorreu a partir da aprovação do Código Eleitoral de 1932. Disponível em: http://tse.jusbrasil.com.br.Acesso em: 14 maio 2018.

Um dos fatores que contribuíram para a efetivação da medida mencionada no texto foi a a) superação da cultura patriarcal. b) influência de igrejas protestantes. c) pressão do governo revolucionário. d) fragilidade das oligarquias regionais.

05. (ENEM PPL)

A teoria da democracia participativa é construída em torno da afirmação central de que os indivíduos e suas instituições não podem ser considerados isoladamente. A existência de instituições representativas em nível nacional não basta para a democracia; pois o máximo de participação de todas as pessoas, a socialização ou “treinamento social” precisa ocorrer em outras esferas, de modo que as atitudes e as qualidades psicológicas necessárias possam se desenvolver. Esse desenvolvimento ocorre por meio do próprio processo de participação. A principal função da participação na teoria democrática participativa é, portanto, educativa. PATEMAN, C. Participação e teoria democrática. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

Ciências humanas e sociais aplicadas

03. (ENEM) O marco inicial das discussões parlamentares em

A concepção de desenvolvimento proposta no texto fundamenta-se no vínculo entre a) incremento da indústria e atuação no mercado financeiro. b) criação de programas assistencialistas e controle de preços. c) elevação da renda média e arrecadação de impostos. d) garantia da cidadania e ascensão econômica. e) ajuste de políticas econômicas e incentivos fiscais.

Nessa teoria, a associação entre participação e educação tem como fundamento a a) ascensão das camadas populares. b) organização do sistema partidário. c) eficiência da gestão pública. d) ampliação da cidadania ativa. e) legitimidade do processo legislativo.

06. (UEMA) Cidadania diz respeito a direitos e a deveres dos membros do Estado. É um termo polissêmico, perceptível nos fragmentos da letra da música “Pacato cidadão”. Oh! Pacato cidadão! Eu te chamei atenção Não foi à toa, não C’est fini la utopia Mas a guerra todo dia

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

99


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

Dia a dia, não... [...] Pra que tanta TV Tanto tempo pra perder Qualquer coisa que se queira Saber querer Tudo bem, dissipação... [...] Pacato cidadão! É o pacato da civilização Pacato cidadão! É o pacato da civilização [...] Samuel Rosa e Chico Amaral. “Pacato cidadão”. In: Calango, Skank. Brasil: SM Publishing-Edições Musicais Ltda, 1994.

Estes fragmentos expressam a cidadania como um dos vários direitos civis, os quais têm seus sentidos e seus significados interpretados, de acordo com o contexto em que se aplica. O conceito de Cidadania é a) identidades pessoal e civil que possibilitam o autodesenvolvimento em relação ao mundo circundante. b) processo humano e seus múltiplos valores que permeiam o modo de vida característico de um determinado grupo social. c) Status concedido àqueles que são membros integrais de uma comunidade. Todos são iguais com respeito aos direitos e às obrigações pertinentes ao status. d) classe social que assegura direitos especiais a seus membros constituintes e não admite pertencimento a qualquer outro indivíduo de outra estirpe. e) categoria política que expressa as singularidades de um determinado grupo social identificado a partir de seu nascimento.

TÓPICO 2: Os tipos de direito

direta pela primeira vez na Declaração da Independência americana de 1776 e na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789. Embora se referisse aos “antigos direitos e liberdades” estabelecidos pela lei inglesa e derivados da história inglesa, a Bill of Rights inglesa de 1689 não declarava a igualdade, a universalidade ou o caráter natural dos direitos. Os direitos são humanos não apenas por se oporem a direitos divinos ou de animais, mas por serem os direitos de humanos em relação uns aos outros. HUNT, Lynn. A invenção dos direitos humanos: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 2009, p. 19. (Adaptado)

Assinale a alternativa correta. a) A prática jurídica da igualdade foi expressa na Declaração de Independência dos EUA e assegurada nos países independentes do continente americano após 1776. b) A lei inglesa, ao referir-se aos antigos direitos, preservava a hierarquia, os privilégios exclusivos da nobreza sobre a propriedade e os castigos corporais como procedimento jurídico. c) No contexto da Revolução Francesa, a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão significou o fim do Antigo Regime, ainda que tenham sido mantidos os direitos tradicionais da nobreza. d) Os direitos do homem, por serem direitos dos humanos em relação uns aos outros, significam que não pode haver privilégios, nem direitos divinos, mas devem prevalecer os princípios da igualdade e universalidade dos direitos entre os humanos.

09. (ENEM PPL) Os direitos civis, surgidos na luta contra o Absolutismo real, ao se inscreverem nas primeiras constituições modernas, aparecem como se fossem conquistas definitivas de toda a humanidade. Por isso, ainda hoje invocamos esses velhos “direitos naturais” nas batalhas contra os regimes autoritários que subsistem. QUIRINO, C. G.; MONTES, M. L. Constituições. São Paulo: Ática, 1992 (adaptado).

07. (ENEM)

Ciências humanas e sociais aplicadas

Muitos países se caracterizam por terem populações multiétnicas. Com frequência, evoluíram desse modo ao longo de séculos. Outras sociedades se tornaram multiétnicas mais rapidamente, como resultado de políticas incentivando a migração, ou por conta de legados coloniais e imperiais. GIDDENS. A. Sociologia. Porto Alegre: Penso, 2012 (adaptado).

Do ponto de vista do funcionamento das democracias contemporâneas, o modelo de sociedade descrito demanda, simultaneamente, a) defesa do patriotismo e rejeição ao hibridismo. b) universalização de direitos e respeito à diversidade. c) segregação do território e estímulo ao autogoverno. d) políticas de compensação e homogeneização do idioma. e) padronização da cultura e repressão aos particularismos.

08. (UNICAMP)

A igualdade, a universalidade e o caráter natural dos direitos humanos ganharam uma expressão política

100

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

O conjunto de direitos ao qual o texto se refere inclui a) voto secreto e candidatura em eleições. b) moradia digna e vagas em universidade. c) previdência social e saúde de qualidade. d) igualdade jurídica e liberdade de expressão. e) filiação partidária e participação em sindicatos.

10. Relacione as colunas corretamente: (A) (B) (C) (D)

Direitos humanos Direitos civis Direitos políticos Direitos sociais

A alternativa correta é: a) A4, B1, C2, D3 b) A1, B4, C3, D2

1. 2. 3. 4.

liberdade de expressão direito de votar direito a um emprego direito à vida, à liberdade


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

c) A3, B2, C1, D4 d) A4, B2, C1, D3 e) A2, B3, C1, D4

11. Em relação especificamente aos direitos civis, assinale a alternativa correta: a) Referem-se às liberdades individuais, o direito de ir e vir, liberdade de expressão, opinião, etc. b) Referem-se aos direitos eleitorais, direitos de participar de partidos e sindicatos, etc. c) O direito de votar e ser votado, de protestar, etc. d) Referem-se aos direitos autorais. e) Objetivam garantir uma melhor qualidade de vida para a coletividade. 12. Objetivam garantir uma melhor qualidade de vida para a coletividade, como o direito à saúde, ao trabalho, à educação, ao lazer, etc. Quais direitos são esses? a) Direitos Civis b) Direitos Parlamentares c) Direitos Sociais d) Direitos Internacionais e) Direitos Políticos TÓPICO 3: A Constituição Brasileira de 1988

13. (IMED)

Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras. b) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. c) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras. d) Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras. e) Somente a afirmativa I é verdadeira.

15. (ACAFE)

Sobre os princípios estabelecidos pela Constituição do Brasil em 1988 é correto afirmar, exceto: a) A tortura e o racismo passaram a ser crimes inafiançáveis e imprescritíveis. b) Foi estendido o voto aos analfabetos e aos adolescentes entre 16 e 18 anos. c) Estabeleceu-se a jornada de trabalho de 44 horas semanais e o direito de greve. d) A Constituição permitia a reeleição para presidente da república e criava a Sudene (Superintendência para o Desenvolvimento do Nordeste).

16. (FEEVALE) Em 1985, o processo de redemocratização consolidava-se, com a chegada ao poder do primeiro Presidente civil depois de mais de duas décadas. A partir de então, a democracia foi reforçada, com a promulgação da nova Constituição. A Constituição de 1988 assegurou, pela primeira vez, os direitos de minorias, apesar de não resolver todos os conflitos e as desigualdades do Brasil.

14. (UDESC) A Constituição de 1988, conhecida como “Constituição Cidadã”, foi elaborada por meio de uma assembleia nacional constituinte e marca o período que se convencionou chamar “Nova República”.

Sobre a atual Constituição brasileira, marque a alternativa incorreta. a) Garantiu os direitos de indígenas e grupos descendentes de quilombolas de terem suas escolas e de reivindicarem terras ocupadas historicamente. b) Tornou o voto obrigatório aos 16 anos, idade em que todo cidadão já pode se candidatar a cargos públicos. c) O Estado brasileiro foi definido como laico e defensor da liberdade de expressão. d) Avançou em relação à defesa do regime democrático e aos direitos civis, mas não tanto em questões econômicas e sociais, como a reforma agrária. e) A Constituição brasileira pode sofrer alterações com a aprovação, no Congresso Nacional, das Propostas de Emenda à Constituição, as PEC – expressão que tem sido muito comum nos noticiários nos últimos tempos.

Analise as proposições, segundo este Texto Constitucional. I. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios estabelecer cultos religiosos ou igrejas ou

17. (UECE) No dia 05 de outubro de 1988, foi promulgada a nova Constituição brasileira. No que tange a algumas disposições do novo texto constitucional, é correto afirmar que PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

Ciências humanas e sociais aplicadas

A respeito da Constituição Federal de 1988 (CF/88), marque a alternativa INCORRETA: a) Trata-se da primeira constituição brasileira em que não há religião oficial, pois todas as anteriores declaravam o Brasil como um país oficialmente católico. b) Além de reafirmar a função social da terra e a realização da reforma agrária como um objetivo, assegurou aos povos indígenas e quilombolas a demarcação de áreas tradicionalmente ocupada por eles. c) Estabeleceu o meio-ambiente saudável como um direito fundamental dos cidadãos brasileiros, bem como definiu o Brasil como uma República Federativa. d) Assegurou o voto secreto como um direito fundamental, assim como concedeu o direito ao voto, pela primeira vez na história do País, aos analfabetos. e) Ao longo da história brasileira, a Constituição Federal de 1937 é uma da que apresenta características mais diferentes daquelas da CF/88, pois a primeira legitimava um Estado autoritário, enquanto a segunda estabeleceu o Estado Democrático de Direito no Brasil.

manter com eles, ou com seus representantes, relações de dependência ou aliança. II. São reconhecidos quatro poderes: Executivo, Legislativo, Judiciário e Moderador. III. Homens e mulheres são iguais, em direitos e obrigações. IV. Ninguém será submetido à tortura, ao tratamento desumano ou degradante.

101


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

I. foi estendido o direito de voto aos analfabetos e aos adolescentes a partir dos 16 anos de idade. II. a tortura e o racismo foram reconhecidos como crimes inafiançáveis. III. foram determinadas medidas de proteção ao meio ambiente e aos grupos indígenas. Estão corretas as complementações contidas em a) I e II apenas. b) II e III apenas. c) I, II e III. d) I e III apenas.

18. (G1 - IFCE)

A expressiva votação do candidato eleito pelo Estado de São Paulo, “Tiririca”, humorista cearense, nas eleições de outubro de 2010, mereceu grande destaque dos meios de comunicação, no entanto sua candidatura está sendo questionada. O argumento levantado relaciona-se à questão de o candidato ser ou não analfabeto.

A respeito dos direitos assegurados pela Constituição de 1988, é falso afirmar-se que a) garantiu a isonomia política a todos os cidadãos, inclusive aos analfabetos que passaram a ter o direito de votar e de se candidatar a qualquer cargo político. b) estabeleceu o pluripartidarismo e garantiu ao povo o poder político a ser exercido por meio de representantes eleitos pelo voto popular. c) determinou que o racismo seria punido como crime inafiançável e não beneficiável por anistia. d) instituiu o hábeas data, direito reconhecido ao cidadão de ter acesso às informações sobre sua pessoa, constantes de órgãos públicos. e) estendeu aos trabalhadores domésticos todos os direitos trabalhistas.

TÓPICO 4: Mudanças e movimentos sociais Ciências humanas e sociais aplicadas

19. (ENEM PPL) De alcance nacional, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) representa a incorporação à vida política de parcela importante da população, tradicionalmente excluída pela força do latifúndio. Milhares de trabalhadores rurais se organizaram e pressionaram o governo em busca de terra para cultivar e de financiamento de safras. Seus métodos – a invasão de terras públicas ou não cultivadas – tangenciam a ilegalidade, mas, tendo em vista a opressão secular de que foram vítimas e a extrema lentidão dos governos em resolver o problema agrário, podem ser considerados legítimos. CARVALHO, J. M. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006 (adaptado).

Argumenta-se que as reivindicações apresentadas por movimentos sociais, como o descrito no texto, têm como objetivo contribuir para o processo de a) inovação instituição.

102

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

b) c) d) e)

organização partidária. renovação parlamentar. estatização da propriedade. democratização do sistema.

20. (UFU) Até a noite de 28 de junho, lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) eram, sistematicamente, acuados e sofriam todo tipo de preconceitos, agressões e represálias por parte do departamento de polícia de Nova Iorque. Mas nesta noite, a população LGBT, presente no bar Stonewall Inn, se revoltou contra as provocações e investidas da polícia e, munida de coragem, deu um basta àquela triste realidade de opressão. Por três dias e por três noites, pessoas LGBT, e aliadas, resistiram ao cerco policial e a data ficou conhecida como a Revolta de Stonewall. Surgiu o Gay Pride e a resistência conseguiu a atenção de muitos países, em especial a do governo estadunidense, para os seus problemas. Disponível em: <http://www.cepac.org.br/agentesdacidadania/?page_id=185>.

Considerando o texto, é correto afirmar que os novos movimentos sociais: a) São definidos por sua associação às organizações de classe e defesa da população marginalizada. b) Ampliam e redefinem as formas de participação política em regimes democráticos. c) Lutam exclusivamente em defesa de seus interesses econômicos a partir de estruturas partidárias. d) Reivindicam a extensão de direitos sociais, civis e políticos, necessariamente universalizáveis.

21. (ENEM) Não nos resta a menor dúvida de que a principal contribuição dos diferentes tipos de movimentos sociais brasileiros nos últimos vinte anos foi no plano da reconstrução do processo de democratização do país. E não se trata apenas da reconstrução do regime político, da retomada da democracia e do fim do Regime Militar. Trata-se da reconstrução ou construção de novos rumos para a cultura do país, do preenchimento de vazios na condução da luta pela redemocratização, constituindo-se como agentes interlocutores que dialogam diretamente com a população e com o Estado. GOHN, M. G. M. Os sem-terras, ONGs e cidadania. São Paulo: Cortez, 2003 (adaptado).

No processo da redemocratização brasileira, os novos movimentos sociais contribuíram para a) diminuir a legitimidade dos novos partidos políticos então criados. b) tornar a democracia um valor social que ultrapassa os momentos eleitorais. c) difundir a democracia representativa como objetivo fundamental da luta política. d) ampliar as disputas pela hegemonia das entidades de trabalhadores com os sindicatos. e) fragmentar as lutas políticas dos diversos atores sociais frente ao Estado.


Capítulo 2 | Direitos e cidadania

22. (ENEM PPL) Os movimentos sociais do século XXI, ações coletivas deliberadas que visam à transformação de valores e instituições da sociedade, manifestam-se na e pela internet. O mesmo pode ser dito do movimento ambiental, o movimento das mulheres, vários movimentos pelos direitos humanos, movimentos de identidade étnica, movimentos religiosos, movimentos nacionalistas e dos defensores/proponentes de uma lista infindável de projetos culturais e causas políticas. CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

De acordo com o texto, a população engajada em processos políticos pode utilizar a rede mundial de computadores como recurso para mobilização, pois a internet caracteriza-se por a) diminuir a insegurança do sistema eleitoral. b) reforçar a possibilidade de maior participação qualificada. c) garantir o controle das informações geradas nas mobilizações. d) incrementar o engajamento cívico para além das fronteiras locais. e) ampliar a participação pela solução da escassez de tempo dos cidadãos.

23. Sobre os Movimentos Sociais, assinale qual das alternativas abaixo é CORRETA. a) Os movimentos sociais deveriam ser proibidos porque provocam tumultos e depredações. b) Os movimentos sociais são movimentos de oposição aos governos.

c) Os movimentos sociais só acontecem em épocas de crise. d) Os movimentos sociais são importantes instrumentos na luta pelo reconhecimento de novos direitos. e) Os movimentos sociais têm como objetivo a conquista do Estado.

24. Ao longo das três últimas décadas, houve uma explosão de movimentos sociais pelo mundo. Essa diversidade de movimentos — que vão desde os movimentos por direitos civis e os movimentos feministas dos anos de 1960 e 1970, até os movimentos antinucleares e ecológicos dos anos de 1980 e a campanha pelos direitos homossexuais da década de 1990 — é normalmente denominada pelos comentadores do tema como novos movimentos sociais. GIDDENS, A. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005 (adaptado).

Uma explicação para a expansão dos chamados novos movimentos sociais, nas últimas três décadas, é a: a) fragilidade das redes globais comunicacionais, como internet e telefonia. b) garantia dos direitos sociais constitucionais, como educação e previdência. c) crise das organizações representativas tradicionais, como partidos e sindicatos. d) instabilidade das instituições políticas democráticas, como eleições e parlamentos. e) consolidação das corporações transnacionais monopolistas, como petrolíferas e mineradoras.

ANOTAÇÕES

Ciências humanas e sociais aplicadas

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

103


GABARITOS

GABARITOS Capítulo 1

Capítulo 2

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

(d) (a) (c) (d) (b) (b) (d) (b) (b) (b) (d) (e) (c) (d) (d) (a) (a) (e) (b) (e) (b) (c) (d) (d)

Ciências humanas e sociais aplicadas

01. 02. 03. 04. 05. 06. 07. 08. 09. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24.

104

PRÉ-ENEM - Sociologia | VOLUME 1

01. 02. 03. 04. 05. 06. 07. 08. 09. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24.

(c) (a) (e) (d) (d) (c) (b) (d) (d) (a) (a) (c) (a) (a) (d) (b) (c) (a) (e) (b) (b) (d) (d) (c)

Profile for Sistema GGE

SEPARATA 3º ANO SOCIOLOGIA  

SEPARATA 3º ANO SOCIOLOGIA  

Advertisement