Page 1

www.fiepe.org.br

Ano 8 - Número 79 Janeiro/Fevereiro de 2011

Informativo da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco

Divisão Automobilística da FIEPE contribuirá para formação de novo polo industrial no Estado

Nova área da Federação será responsável por iniciativas de apoio ao desenvolvimento do cluster que se forma em Pernambuco com a chegada da montadora da Fiat ao Complexo Industrial Portuário de Suape. IEL, SESI e SENAI também participarão da iniciativa, para atender em conjunto as demandas dos novos empreendimentos, como capacitação de mão de obra, serviços de saúde e qualificação empresarial. Trabalho será realizado em parceria com a companhia italiana. Página 3

Entrevista

Biblioteca do SESI oferece aulas de informática básica

Antônio Carlos Maranhão, titular da recém-criada Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, fala sobre os desafios da nova pasta do Governo Estadual e do cenário de capacitação profissional em Pernambuco. O engenheiro, que ficou à frente do SENAI por 14 anos, relata também como sua experiência no Sistema Indústria vai auxiliar no novo cargo

Serviço vai realizar, a partir de fevereiro, cursos gratuitos em três unidades de Pernambuco: Araripina, Itapissuma e Abreu e Lima. Capacitações incluirão teoria e prática para o uso do sistema operacional Windows e outros programas, além de navegação na internet. Página

7

Negócios

Página

4

Início das obras para a construção da Zona de Processamento de Exportação de Pernambuco, a primeira do Brasil, está previsto para o primeiro semestre. Anúncio foi feito durante o 2º Fórum Brasileiro de ZPEs, em janeiro, na FIEPE. No evento, também foram apresentados os casos de sucesso de empreendimentos desse tipo em países como Colômbia, Chile e Uruguai. Página

5


EDITORIAL

A decisão da Fiat de se instalar em Pernambuco, concretiza, de forma auspiciosa, um antigo e justificado desejo, expresso no antigo Plano Diretor de Suape. A despeito de transcorridos mais de 30 anos, entre o sonho e a realidade, a Fiat chegou na hora certa, até porque não é apenas uma montadora, mas um projeto automotivo do século XXI. A escolha empresarial da Fiat evidencia, perante a comunidade, a força logística e estratégica de Pernambuco, com destaque para Suape. Papel decisivo para essa decisão deve ser creditada ao governador Eduardo Campos, seja pela presteza em disponibilizar um terreno de 440 hectares, como pela oferta de uma cesta de incentivos fiscais, suficientemente atrativos para os empreendedores. É oportuno recordar que, em passado recente, a FIEPE, em convênio com o Sebrae-PE, contratou a elaboração da Matriz Insumo-Produto do Estado de Pernambuco, instrumento vigoroso, que permite conhecer os fluxos de bens e serviços em cada setor produtivo, identificando os diversos graus de suas interligações e os impactos que gera determinado investimento nos demais setores econômicos.

Naquela época, não constava no rol dos setores produtivos de Pernambuco, a refinaria, o polo naval e offshore, nem a indústria de resinas PET. Mesmo assim, foi feita simulação com a inclusão desses três novos setores produtivos e os resultados obtidos foram animadores e orientadores inteligentes para diversos investimentos públicos. Noticia-se que o Condepe finaliza a elaboração de uma nova edição da Matriz Insumo-Produto, o que nos leva a sugerir a feitura de nova simulação, não só com a inclusão dos dados agora bem mais conhecidos e consistentes dos setores novos – naval e offshore, petróleo e gás e PET – mas, também, considerando a indústria automobilística, vez que já são conhecidos os principais dados relativos aos investimentos, número de empregos e a previsão de faturamento, na maturação do empreendimento. O novo empreendimento da montadora Fiat, ensejará um relevante salto econômico para Pernambuco, já que, investindo a vultosa soma de R$ 8 bilhões, gerando 15 mil empregos e produzindo 200 mil veículos/ano, todos os demais setores de nossa economia serão positiva e fortemente impactados. Quando recebemos aqui na federação dirigentes da Fiat para a América Latina, o Sistema FIEPE, se colocou à disposição para prestar todo apoio na preparação da mão de obra que vai ser demandada, não apenas para a montadora, mas, igualmente, para novas as empresas que haverão de atracar aqui em Pernambuco. Jorge Côrte Real Presidente da FIEPE

Agenda Missão

Forind

Gestão

O Centro Internacional de Negócios da FIEPE e Sindratar-PE organizam missão empresarial à Feira ISH 2011, do setor de refrigeração. Além da visita ao evento, a viagem, realizada entre os dias 9 e 17 de março, terá visitas técnicas a empresas do segmento em Hof, Nuremberg e Frankfurt, na Alemanha. Informações pelo telefone (81) 3412-8358 ou pelo e-mail comex@fiepe.org. br.

Entre os dias 12 e 14 de abril, o Centro de Convenções de Pernambuco sedia a Feira de Fornecedores Industriais do Nordeste. Os interessados em participar do evento podem reservar os últimos espaços disponíveis, pelo telefone (16) 2132-8936. Já o credenciamento gratuito para visitar a feira é feito pelo www.forind.com.br/ ne. O evento conta com o apoio da FIEPE e do CIEPE.

Estão abertas as inscrições para a 9ª edição do Prêmio da Qualidade e Gestão Pernambuco (PQGP), considerado o maior reconhecimento público do Estado às entidades que investem em excelência gerencial. Empresas associadas aos sindicatos da FIEPE recebem desconto na inscrição, que pode ser feita pelo www.propeq. org.br. Mais informações: (81) 3412-8468 ou propeq@propeq.org.br.

Diretoria Diretor Presidente Jorge Wicks Côrte Real Diretor 1º. vice-presidente Ricardo Essinger Diretor vice-presidente Oscar Augusto Rache Ferreira Diretor vice-presidente Aurélio Márcio Nogueira Diretor vice-presidente Francisco de Assis Farias de Albuquerque Diretor vice-presidente João Sandoval da Silveira Diretor vice-presidente Fernando Antônio de Araújo Pinheiro Diretor vice-presidente Massimo Giovanni Maschio Cadorin Diretor vice-presidente Carlos Abdenor Neiva Nunes Diretor vice-presidente Josias Inojosa de Oliveira Filho Diretor vice-presidente Valdézio Bezerra de Figueiredo Diretor vice-presidente Ítalo Brasil Renda Filho 1º. Diretor-Administrativo Felipe José Bezerra Coêlho 2º. Diretor-Administrativo Vikentios Kakakis 1º. Diretor-Financeiro Severino Elias Paixão 2º. Diretor-Financeiro Anivaldo Dias de Oliveira Diretores adjuntos Luiz Arnaldo von Beckerath Grimaldi Sebastião Pontes da Silva Filho Airton Tenório de Albuquerque Minarte Figueiredo Barbosa José Cosme da Silva José Carlos Borba de Queiroga Cavalcanti Severino Cândido Carneiro Júnior Fredi de Azevedo Maia Filho José Carlos Araújo da Silva Júnior Rafael Araújo de Souza Coêlho Paulo Gustavo de Araújo Cunha José Guilherme de Azevedo Queiroz Anísio Bezerra Coelho Fernando Carlos de Albuquerque Teixeira Flávio de Carvalho e Mello Hercílio Victor Neto Conselho Fiscal Efetivos: Edgard Wanderley Severino Batista da Costa Gabriel José Dubeux Neves Suplentes: Carlos Wiethaeuper Auvandir Oliveira Pereira Gilberto Duque de Souza Filho Delegados Representantes Junto à Confederação Nacional da Indústria (CNI) Efetivos: Armando de Queiroz Monteiro Neto Jorge Wicks Côrte Real Suplentes: Ricardo Essinger Milton dos Reis Gomes

Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco FIEPE - Avenida Cruz Cabugá, 767, Santo Amaro Recife - PE Fone: (81) 3412-8300 - ascom@fiepe.org.br Assessoria de Imprensa: Diálogo Comunicação e Marketing Jornalista Responsável: Márcia Guenes (DRT/PE - 1637) Projeto Gráfico e Diagramação: SOMOS Design & Branding | somosdesign.com.br Tiragem: três mil exemplares Impressão: Gráfica Flamar

2


FIEPE

Núcleo Industrial da FIEPE terá Divisão Automobilística Por Breno Pessoa

Novo setor da Federação será responsável por iniciativas de apoio à formação do polo automobilístico no Estado

O

Sistema FIEPE será parceiro da Fiat no processo de instalação da montadora que a companhia italiana vai implantar no Complexo Industrial Portuário de Suape, no Litoral Sul de Pernambuco. Para oferecer melhor suporte no atendimento das demandas do novo empreendimento, a Federação irá criar uma Divisão Automobilística dentro de seu Núcleo de Desenvolvimento e Integração Industrial (NDI). “A chegada da Fiat ao Estado não representa apenas a instalação de uma montadora, mas também o início de uma série de outros empreendimentos relacionados ao setor automobilístico”, afirma o presidente da FIEPE, Jorge Côrte Real. “A proposta dessa nova divisão é oferecer condições para esse polo ser consolidado, potencializando a presença de pernambucanos nesses negócios”, completa Côrte Real. A iniciativa segue os moldes da Divisão de Petróleo, Gás, Offshore e Naval, criada pela FIEPE em 2009 para auxiliar na formação do novo cluster resultante da chegada da Refinaria Abreu e Lima, Estaleiro Atlântico Sul e outros investimentos. Federação das Indústrias, IEL, SESI e SENAI trabalharão em conjunto na Divisão Automobilística para atender demandas como formação de mão de obra, capacitação de empresas, serviços de saúde e programas na área de inovação tecnológica. “Será uma atuação sinérgica, para consolidar o setor automobilístico em Pernambuco de

Além dos 3,5 mil empregos diretos, novos postos de trabalho devem surgir com chegada da montadora

forma competitiva e sustentável”, diz Jorge Côrte Real. Segundo o coordenador do NDI, Antonio Sotero, entre as prioridades da Divisão Automobilística está a inclusão de micro, pequenas e médias empresas do Estado nesses novos negócios. “Vamos trabalhar para criar uma cadeia local de fornecedores de bens e serviços para a montadora e outros empreendimentos do setor”, explica Sotero.

Formação de profissionais qualificados é uma das prioridades

Representantes da Fiat e da FIEPE se reuniram para discutir projetos de apoio à instalação do empreendimento

Representantes do Sistema FIEPE (Federação das Indústrias, SESI, SENAI e IEL) e da Fiat iniciaram em janeiro a discussão sobre projetos de apoio à implantação da montadora em Suape. Nesse primeiro contato inicial, foram identificadas as principais demandas do empreendimento, sobretudo na formação de mão de obra qualificada. A montadora deverá empregar até 3,5 mil pessoas e para garantir que esses postos de trabalho sejam preenchidos por pernambucanos, o SENAI vai alinhar com a gerência de RH da Fiat quais os perfis de profissionais desejados pela companhia e adequar os cursos às exigências da empresa, sobretudo nas ares de construção e montagem. O Serviço Nacional de Aprendizagem, aliás, já é parceiro da Fiat para treina-

mento de mão de obra para as revendedoras da marca. O SESI também vai atuar na educação, com ações para a melhoria da escolaridade da mão de obra em cursos do Ebep (ensino básico e profissionalizante) e EJA (Educação de Jovens e Adultos). A entidade ainda deve firmar parcerias nas áreas de responsabilidade social e saúde, esta última com foco em medicina ocupacional. Já o IEL vai operar com projetos voltados à inovação e competitividade, focando na capacitação empresarial tecnológica e parcerias através do programa de estágios. O diretor de Relações Industriais para a América Latina da Fiat, Adauto Duarte, visitou a FIEPE e se disse impressionado com a organização do Sistema Indústria em Pernambuco. “Os serviços estão muito bem adaptados às nossas necessidades e estão preparados não só para atender a Fiat quanto qualquer outra empresa”, afirmou Duarte. 3


ENTREVISTA

Qualificação de trabalhadores deve ser oferecida de forma articulada Para secretário estadual de Trabalho, ensino formal aliado ao profissionalizante facilita acesso ao mercado

A

pós 14 anos à frente do SENAI, Antônio Carlos Maranhão de Aguiar sassume o desafio de comandar a recém-criada Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo do Governo do Estado. Formado em engenharia mecânica e pós-graduado em engenharia de produção, Antônio Carlos foi presidente da Compesa entre 1987 e 1989 e acumula, ainda, a experiência de professor, tendo lecionado por mais de 30 anos na UFPE. Participou e participa, ainda hoje, de diversos conselhos relacionados com a educação, como o Conselho de curadores da UFPE, o Conselho Universitário da UPE e da Facepe e o Conselho Estadual de Educação de Pernambuco. Jornal da Indústria – Quais os principais desafios dessa recém-criada secretaria? Antônio Carlos Maranhão de Aguiar – Pernambuco vive um dos melhores momentos econômicos de sua história. Graças ao sucesso da política de desenvolvimento realizada pelo Governo do Estado em perfeita sintonia com o Governo Federal, novos empreendimentos chegaram por aqui nos últimos anos e a previsão é que muitos outros desembarquem nestas terras. Isso trouxe um grande aumento na oferta de emprego e a exigência de uma qualificação maior e mais específica dos trabalhadores pernambucanos. Daí a necessidade do governo criar a pasta de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, para ampliar o acesso das pessoas a cursos de capacitação profissional. Este é o caminho mais seguro de fazer com que a população usufrua e participe do crescimento econômico que o Estado vive. A geração de emprego bateu recordes consecutivos em Pernambuco. Foram criados mais de 104 mil novos postos de trabalho com carteira assinada em 2010, segundo o Caged. O que precisamos é qualificar a população do Estado para que ela esteja preparada para ocupar essas vagas de trabalho que estão surgindo em grande velocidade. Incentivar o empreendedorismo, com o intuito de criar outras oportunidades de trabalho e geração de renda também é outro grande desafio da Secretaria. JI – Qual a sua avaliação do cenário de capacitação profissional em Pernambuco? AC - Depois de um longo período fora de cena porque a demanda era muito pequena, a questão da capacitação emerge como decisiva no cenário atual. De positivo, temos a convergência de esforços de todas as instituições para vencer esse desafio, que ainda é mais difícil por causa da carência educacional que se veri-

fica na população de jovens adultos no Estado. Importantes entraves já foram vencidos, principalmente pela presença do Sistema S e de sua articulação com os governos em nível federal e estadual, como, por exemplo, para entrada em produção do Estaleiro Atlântico Sul e o desenvolvimento das obras de infraestrutura no Estado. Como todo recomeço é a parte mais difícil e essa etapa já foi vencida, continuo otimista que, cada vez mais, mais pernambucanos estarão aptos a participar e usufruir desse momento que vive Pernambuco. JI - De que forma a sua experiência integrando o Sistema Indústria vai contribuiu para a identificação de soluções nessa área? AC - Acho que nesses 14 anos de SENAI consolidei dois pontos muito importantes para a identificação das soluções para a capacitação. O primeiro é a necessidade de trabalhar para que a ação de todas as entidades de formação se faça de forma articulada e complementar. Não há espaço para sobreposições que geram vazios. O segundo ponto é que de um lado há uma necessidade conjuntural e imediata de inserir os trabalhadores e, especialmente, aqueles que não tiveram educação formal adequada no mundo do trabalho. Isso deve ser feito com a qualificação básica articulada com a elevação da escolaridade. De outro lado, há a necessidade de formar o trabalhador do mundo do conhecimento do século XXI, e aí a estratégia que me parece mais adequada é articular no nível médio a formação profissional com a educação formal, de sorte a que ao chegar à idade de entrada no mundo de trabalho, o jovem possua, no mínimo, o certificado de conclusão do ensino médio e um diploma de técnico.

JI - Como a secretaria vai atuar para fortalecer o ensino profissional voltado ao atendimento das demandas do setor produtivo, principalmente da indústria local? AC - A secretaria pretende continuar operando os programas como o ProJovem, o Chapéu de Palha, PlanSeQ e outros que contam suporte financeiro do Ministério do Trabalho e que têm também um grande papel social. Por outro lado, pretendemos articular programas de qualificação e de habilitação técnica com a Secretaria de Educação, Secretaria de Ciência e Tecnologia, o Sistema S e o IFET-PE, voltados para as necessidades específicas da indústria. Por exemplo, a indústria naval, a indústria metalmecânica e o polo automobilístico, que deve surgir com a chegada da Fiat, têm demandas qualitativas que possibilitarão o acesso dos pernambucanos aos postos de trabalho por eles gerados. JI - Quais segmentos com a maior perspectiva de geração de emprego nos próximos anos? AC – Sem sombra de dúvida, os segmentos que precisarão de atenção prioritária serão o da construção civil e da indústria metalmecânica. O primeiro, por causa das grandes obras de infraestrutura que acontecem no Estado, além da construção da Arena da Copa e as moradias que serão erguidas através do programa federal Minha Casa, Minha Vida. O segundo, pela importância que ele tem para a indústria naval, automobilística e para a montagem dos grandes investimentos estruturadores que estão sendo implantados em Suape. JI - O Governo vai implantar novos centros de capacitação e treinamento ou irá trabalhar em parceria com entidades, entre elas o Sistema Indústria? AC - O Governo do Estado iniciou o projeto de implantação de mais 47 Escolas Técnicas em municípios com mais de 40 mil habitantes. Essas escolas, durante o dia, estarão oferecendo cursos técnicos articulados com o ensino médio da rede pública e à noite serão disponibilizadas para capacitação de trabalhadores. A ideia é maximizar o uso da estrutura tecnológica disponível no Estado, transformando-a numa grande rede de capacitação profissional envolvendo as escolas públicas federais e estaduais e as da iniciativa privada, especialmente do Sistema S, e o Sistema Indústria em particular. O importante é que devemos e podemos agir de forma articulada e complementar de maneira a propiciar formação profissional adequada ao maior número possível de pernambucanos. 4


Artigo Pernambuco: a bola da vez Por José André Freitas, coordenador da Unidade de Pesquisas Técnicas da FIEPE

Pernambuco é a bola da vez! Essa frase vem sendo muito proferida atualmente, inclusive, já começa a ressonar para fora dos limites do Estado. E o melhor é que, analisando a conjuntura atual, essa citação tem muito sentido, por tudo que vem sendo anunciado. O que se vê são empreendimentos dos mais diversos segmentos aportando no Estado, a exemplo da Refinaria, das Petroquímicas (PTA, POY e PET), do Estaleiro Atlântico Sul, da Laminadora de Aço, do Polo Farmacoquímico e da Hemobrás. Ademais, ainda temos os projetos logísticos: Rodovia Transnordestina, Canal do Sertão, duplicação da BR-101, melhoria da Rodovia Corredor Litoral Sul e Terminal Açúcar/ Grãos de Suape. Além de tudo isso, o

Estado vai se beneficiar com a chegada de uma montadora de veículos (Fiat), que deve gerar um cluster automobilístico em Pernambuco. O momento é promissor. A Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (AD Diper) elaborou um estudo dos recursos que serão aportados pelos investimentos estruturadores, incluindo já a Montadora Fiat. Os valores de alguns dos principais empreendimentos somados dão aproximadamente R$ 35 bilhões. A magnitude destes números se torna mais interessante quando avaliada de forma relativa. Por exemplo, o PIB de Pernambuco em 2008, último resultado oficial divulgado pelo Condepe/Fidem, foi algo em torno de R$ 70 bilhões (dados atualizados). Ou seja, o

valor projetado para estes investimentos nos próximos anos equivale à metade de toda riqueza gerada no ano de 2008 no Estado. A conjuntura atual do Estado permite afirmar que a inércia observada da participação do PIB de Pernambuco em relação ao Nordeste e Brasil será modificada nos próximos anos, o que já é observado quando se avaliam as variações do PIB trimestral divulgadas pela Agência Condepe/Fidem, na qual o crescimento do Estado vem ganhando destaque. Portanto, a frase citada no início do texto, a de que “Pernambuco é a bola da vez”, não pode ser considerada como mero entusiasmo dos pernambucanos. Tem, sim, que ser creditada como um cenário irrefutável.

Projetos estruturadores Empresa

Área (Ha)

Refinaria Petroquímica (PTA) Petroquímica (POY) Petroquímica (PET) Estaleiro Atlântico Sul Montadora Fiat Laminadora de Aço (*) TOTAL

630,0 16,0 20,0 19,0 156,0 44,0 300,0 1.185

Investimento (Em US$ x 1000) 13.300.000 1.000.000 442.000 266.000 1.000.000 3.000.000 1.500.000 20.508.000

Empregos na construção 23.300 2.800 1.500 1.000 6.000 ... 3.000 37.600

Empregos na operação diretos (Indiretos) 1.500 (4.500) 500 (1.000) 1.100 (2.200) 200 (400) 5.000 (25.000) 3.500 (10.500) 800 (2.800) 12.600 (46.400)

(*) 1 Milhão de Ton/ano. Fonte: AD Diper

Início das obras da ZPE do Estado previsto para abril A construção da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Pernambuco, sediada em Jaboatão dos Guararapes e parte do Complexo de Suape, terá início ainda neste quadrimestre. O empreendimento, primeiro desse tipo no País, está com as obras de terraplanagem e edificação dos galpões programadas para abril. De acordo com o presidente da ZPE de Pernambuco, Marcos Moura Dubeux, a empresa responsável pela obra e gestão do projeto aguarda apenas o aval da Receita Federal para começar a construção e iniciar a prospecção de investidores. Essa informação e outros detalhes foram apresentados durante o 2º Fórum Brasileiro de ZPEs, em janeiro, na FIEPE. No evento, também foram apresentadas os casos de sucesso de Zonas de Processamento de Exportação de países como Colômbia, Chile e Uruguai. BENEFÍCIOS – As empresas instaladas em ZPEs recebem benefícios fiscais e administrativos para exportarem sua produção com maior competitividade. Essas vantagens são concedidas porque as Zonas de Processamento e Exportação são consideradas como áreas de negócios fora do território nacional.

Fórum sobre Zona de Processamento de Exportação reuniu especialistas

5


SENAI

Novos técnicos formados pelo SENAI incrementam indústria de Pernambuco Por Carol Fleishman

Estado passa a contar com mais 2.193 profissionais qualificados em diversas especialidades para entrar no mercado de trabalho

O

mercado de trabalho de Pernambuco foi incrementado com 2.193 novos técnicos para a indústria formados pelo SENAI, em 2010. A diplomação dos profissionais aconteceu em uma programação de formaturas que envolveu as unidades do SENAI no Agreste, Sertão e Região Metropolitana do Recife (RMR), em dezembro do ano passado. Os alunos das Escolas da RMR tiveram cerimônia de formatura integrada, no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco. O governador do Estado, Eduardo Campos, foi o paraninfo das turmas. Na ocasião, Campos falou sobre as oportunidades de empregos que estão surgindo com empreendimentos como a Ferrovia Transnordestina e a fábrica da Fiat em Suape. O governador destacou também a atuação do SENAI na formação de mão de obra qualificada para os novos negócios que chegam ao Estado. ”Junto com o Sistema S, governo Federal e Estadual mostramos que o Brasil é lugar de empreendedores”, afirmou. Para o presidente da FIEPE, Jorge Côrte Real, o SENAI além de colocar profissionais preparados para o mercado de trabalho, prepara cidadãos. ”O SENAI oferece janelas para atender profissionais qualificados para a indústria”, destacou. O então diretor regional do SENAI, Antônio Carlos Maranhão

Técnicos de Produção de Moda apresentaram desfile na formatura da unidade de Santa Cruz do Capibaribe

Alunos da Escola Técnica de Araripina comemoram recebimento do diploma

de Aguiar, apresentou um panorama da empregabilidade e desenvolvimento da indústria local. “Pernambuco tem evoluído em torno de 25% da massa salarial da indústria e estamos oferecendo a oportunidade de educação e ingresso profissional de jovens no mercado de trabalho”, disse o gestor. HOMENAGEM – O ex-presidente da CNI Armando Monteiro Neto recebeu na ocasião uma homenagem dos alunos do SENAI pela sua contribuição para a expansão do ensino profissionalizante industrial em Pernambuco. Em seu discurso de agradecimento, Monteiro Neto enfocou o crescimento da indústria no Estado. ”Estamos em um momento de relançamento, após um período em que perdíamos espaço na economia nacional”, destacou. Além da formatura na RMR, foram realizadas solenidades no Sertão, nas escolas técnicas do SENAI em Araripina e Petrolina. Já no Agreste, a diplomação ocorreu nas unidades de Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe.

Confira as especialidades dos profissionais formados pelo SENAI: • Eletromecânica • Automobilística • Produção de moda • Vestuário • Administração empresarial • Alimentos

• Refrigeração e climatização • Segurança no trabalho • Eletrotécnica • Química • Têxtil • Edificações

• Automação industrial • Informática • Telecomunicações e rede de computadores • Logística • Sistema de gás e soldagem 6


SESI

Indústria do Conhecimento terá cursos gratuitos de informática básica Por Carla Farias

Projeto vai incentivar o desenvolvimento profissional de 510 trabalhadores pernambucanos

C

riada para ajudar no fortalecimento da base educacional de trabalhadores da indústria e comunidade, a biblioteca Indústria do Conhecimento avança no acesso à inclusão digital e oferece, a partir de fevereiro, cursos de informática básica gratuitos em três unidades de Pernambuco. Araripina e Abreu e Lima serão os primeiros municípios a disponibilizarem a capacitação, no dia 21 daquele mês. Já Itapissuma terá aulas em março, totalizando 510 industriários beneficiados com a ação. O projeto piloto faz parte de iniciativa Educação para a Nova Indústria, formatado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), para contribuir com o aperfeiçoamento profissional de trabalhadores de todo o País, de acordo com as demandas encontradas em cada região fabril. Para a gerente de Recursos Humanos da Fibrasa, Magdalena Moura, onde fica localizada a biblioteca de Abreu e Lima, “o acesso aos cursos é o primeiro passo para o desenvolvimento profissional”. Já o diretor da indústria têxtil Rota do Mar, Arnaldo Xavier, empresa parceira na implantação do 14º centro multimídia em Santa Cruz do Capibaribe, inaugurado no mês de janeiro, ratificou a relevância da capacitação. “Toda a estrutura de livros, CDs, DVDs e computadores, e agora os cursos, ajudam a moldar um novo profissional, alinhado com as tendências do mercado de trabalho”. De acordo com a analista responsável pela implantação dos cursos em Pernambuco, Simone Sodré, a grade de aprendizado dos cursos de informática terá 40 horas/aula teóricas e práticas sobre o sistema Windows 7 e programas Word, Power Point e Excel, além de navegação na internet, com certificado emitido pelo SESI. O presidente da FIEPE e diretor regional do SESI, Jorge Côrte Real, garantiu durante a solenidade que, em uma segunda etapa, a capacitação será expandida para filhos de industriários e comunidade. “Os centros multimídia serão os instrumentos dos jovens de cada região para um crescimento duradouro e sustentado, galgado no conhecimento”, finalizou.

As unidades dos municípios de Araripina e Abreu e Lima serão as primeiras a oferecer o curso

Notas TREINAMENTO

EDUCAÇÃO

COZINHA BRASIL

Três oficinas técnicas serão oferecidas pelo SESI, a partir de fevereiro, a 40 profissionais de educação atuantes no Agreste Meridional do Estado. As capacitações acontecem em Garanhuns e representam um investimento na qualidade do ensino praticado na Região. A iniciativa é promovida em parceria com o MEC, Seduc e Movimento Todos pela Educação, e faz parte do Arranjo Local do Desenvolvimento da Educação (Alde), com participação de 23 municípios.

Retomar os estudos e aprender uma profissão. Essa é a nova realidade de 260 jovens e adultos do Agreste e Sertão do Estado, aprovados na modalidade Ebep/EJA, que articula ensino fundamental e qualificação profissional. As capacitações, oferecidas pelo SESI em parceria com o SENAI, são nas áreas de costureiro industrial, pedreiro, produção de moda/vestuário, administração, eletromecânica e gestão de processos industriais/produção de gesso.

Voltado para o preparo de alimentos de baixo custo utilizando cascas, caules e talos, o curso do Programa Cozinha Brasil, do SESI, é referência em alimentação saudável. Somente em 2010, foram capacitados mais de 3,5 mil pernambucanos. Os treinamentos podem ser oferecidos em parceria com empresas do setor produtivo, voltados tanto para funcionários das empresas quanto para comunidades do entorno. Informações (81) 3412-8342.

7


SINDICAL

Sindipedra atua para viabilizar desenvolvimento setorial Por Rochélle Alves

Sindicato vai realizar cursos para capacitar mão de obra elevar competitividade de empresas

O

ano promete ser bastante movimentado para as empresas do setor de extração e beneficiamento de rochas em Pernambuco. O sindicato que representa as indústrias desse segmento já programou três cursos para qualificar mão de obra e orientar os empresários, a fim de aumentar a competitividade de seus negócios. Além disso, a entidade pretende dar continuidade a eventos e parcerias que marcaram positivamente o ano de 2010. “Nossa meta é viabilizar as condições necessárias para o setor vencer os gargalos e conquistar o destaque merecido”, afirma o presidente do Sindicato da Indústria de Extração e Beneficiamento de Pedras do Estado de Pernambuco (Sindipedra), José Carlos Queiroga. Ele cita a pesquisa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) que apontou o potencial do Estado para dobrar a produção de rochas ornamentais e melhorar seu posicionamento no mercado interno e externo, uma vez que 70% do território é composto por áreas geologicamente favoráveis. O sindicato vai realizar cursos de cortador e acabador de rochas ornamentais, em continuidade ao programa de capacitação de mão de obra setorial iniciado em 2010. As capacitações são gratuitas para as empresas participantes do Programa de Competitividade, que o sindicato realiza em parceria com o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e Sebrae. O conteúdo das capacitações foi elaborado a partir de demandas apresentadas por marmoristas do Estado. Já para os britadores, outro seg-

Estado tem potencial para aumentar a extração de pedras, já que 70% do território é composto por áreas geologicamente favoráveis

mento de grande importância para o setor, o Sindipedra vai oferecer, este ano, curso de gestão tributária, entre outras ações. Os empresários devem ficar atentos ao calendário da entidade, que será definido em fevereiro, para garantir presença nessas ações de benefício ao desenvolvimento do ramo. O cronograma poderá ser consultado pelo telefone (81) 3412.8529, nas reuniões da entidade ou por e-mail: sindipedra@fiepe.org.br.

Rápidas FORNECEDOR

CADASTRO

SINDICATOS

Cerca de 20 empresários do setor plástico do Estado participaram, dia 28 de janeiro, de reunião promovida pelo Sindicato da Indústria de Material Plástico de Pernambuco e a empresa GFR Importação e Distribuição. No evento, foram discutidas a inserção de novos fornecedores de resinas termoplásticas e a relação de custo x benefício do material para ampliar a competitividade das indústrias do parque pernambucano.

A Unidade de Pesquisas Técnicas da FIEPE produz a edição 2010/2011 do Cadastro Industrial de Pernambuco, publicação que reúne informações detalhadas das indústrias do Estado, como endereço, setor de atividade e relação de produtos. Empresas interessadas em incluir, gratuitamente, seus dados no livro devem se informar pelo (81) 3412-8481 ou acessar o formulário disponível em http:// tinyurl.com/cadastrofiepe/.

As indústrias de refrigeração e de móveis elegeram, em janeiro, as novas diretorias dos seus sindicatos. Oséas Omena foi eleito presidente do Sindratar, enquanto Vikentios Kakakis foi reeleito para a presidência do Sindmóveis. Já o Sindocal realizou em dezembro a posse da nova diretoria, encabeçada pelo empresário Bruno Salvador e o Sindusgraf reempossou, em fevereiro, o atual presidente, Valdézio Bezerra.

8


Aconteceu

A indústria do Estado começa 2011 com expectativas otimistas após um ano bastante positivo para a economia pernambucana. Confira o registro de alguns momentos importantes do setor produtivo no final de 2010 e início de 2011.

O presidente da FIEPE, Jorge Côrte Real, e o vice-governador do Estado, João Lyra Neto, na solenidade de entrega do Prêmio da Qualidade e Gestão Pernambuco.

O presidente da Celpe, Luiz Antônio Ciarlini, ao lado do diretor da Federação Oscar Rache.

Os diretores da FIEPE Anivaldo Dias e Francisco Albuquerque, na festa de final de ano da Federação. O diretor superintendente do Sebrae Pernambuco, Roberto Castelo Branco, conversa com Jorge Côrte Real, em reunião na FIEPE.

O vice-presidente da FIEPE, Ricardo Essinger, e Côrte Real, na Jornada de Responsabilidade Social do SESI.

O coordenador do núcleo Caruaru da FIEPE, Marco Casé, o diretor técnico do SENAI, Uaci Matias, e o prefeito do município, José Queiroz, na formatura alunos da unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial no Agreste.


Aconteceu O vice-presidente do Sindratar-PE, Oséas Omena(e), recebe placa em homenagem aos serviços prestados ao sindicato, entregue pelo presidente da entidade, José Carlos Júnior.

Empresários do setor gráfico e de outros segmentos se reúnem na confraternização de final de ano do Sindusgraf-PE.

O presidente do Sinduscon-PE, Gabriel José Dubeux Neves, ao lado de Jorge Côrte Real, na festa de fim de ano do sindicato. Confraternização do Sindicato de Material Plástico de Pernambuco (Simpepe) reuniu empresários e lideranças do setor produtivo.

Diretoria do Sindmóveis-PE eleita para o triênio 2011/2013 se reúne na FIEPE após eleição.

O empresário Severino Batista (de pé), entrega o cargo de presidente do Sindicato da Indústria de Sabão e Velas de Pernambuco (Sindilimpe) a Felipe Coêlho (d), eleito para o triênio 2010/2013.

Jornal da Indústria - Jan/Fev 2011  

Edição de janeiro e fevereiro de 2011 do informativo impresso da FIEPE.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you