Page 1

Publicação mensal do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas Ano III nº 30 Outubro/2008

Indústria define

Agenda emergencial


EDITORIAL

01

IEL apresenta nova Lei do Estágio

02

Robô do SENAI ‘rouba’ cena Semana de Ciência & Tecnologia

03

Indústria define agenda emergencial

04

SENAI orienta empresas sobre Produção mais Limpa

12

Caman oferece assessoria gratuita em conflitos jurídicos

14

Sebrae/AM leva caravana de produtores à Expoagro

15

Prêmio Qualidade Amazonas em noite de festa

16

Samaúma encerra atividades de 2008 em Amaturá

18

Crianças recebem orientação bucal no SESI Duas alunas são campeãs de Soletração do SESI SESI Lazer comemora Dia da Criança

04 04

CIN promove curso de Assistente de Exportação

05

Moyses Israel é homenageado com Medalha do Conhecimento

05

Gestores do Sistema FIEAM participam de Congresso de Gestão de Pessoas

05

SESI Indústria Saudável: atenção ao estilo de vida do trabalhador

06

SESI faz prevenção de DST e AIDS na indústria

08

Nokia festeja vitória entre as grandes empresas no PSQT 2008

09 10

Capacitação do SENAI promove ressocialização de interno do Compaj

19

CNI e SESI lançam 3ª edição do Prêmio Marcantonio Vilaça

20


ia Saudável vida do trabalhador

Teatro Popular do SESI levou à cena os cinco pilares do Lazer Ativo em forma de teatro de revista

CAPACITAÇÃO EM LAZER ATIVO Cerca de 50 profissionais do SESI das áreas de Lazer, Cultura, Relações com o Mercado, Saúde, Cozinha Brasil, além de professores de educação física foram capacitados para desenvolver ações do Lazer Ativo nas empresas do Pólo Industrial de Manaus (PIM). A capacitação foi realizada por técnicos do Departamento Nacional e por especialistas e consultores nas áreas de lazer e planejamento. Durante a capacitação, o especialista em lazer e professor da Universidade de Pernambuco (UPE), Mauro Barros, disse, que a pesquisa realizada em Manaus para identificar o perfil do trabalhador da indústria do Amazonas tem componentes importantes que vão possibilitar desenvolver ações visando a promoção de estilos de vida mais saudáveis para o trabalhador. De acordo com Barros, a constatação de que somente 1% dos trabalhadores utiliza os espaços do Clube do Trabalhador para atividades de lazer está dentro da média dos departamentos regionais do SESI. A capacitação teve ainda a participação da técnica em Lazer do Departamento Nacional, Maria Aparecida Venâncio, que

abordou o tema “Alinhamento do SESI ao Lazer Ativo”, e do consultor em Administração Empresarial, Fernando de Paula, que desenvolveu oficina de elaboração de projetos. Na solenidade de lançamento do programa, o grupo Teatro Popular do SESI apresentou a peça socioeducativa “As Folias no Lazer Ativo”, de Wagner Melo, que, através da linguagem do teatro de revista apresenta os cinco princípios básicos do Lazer Ativo.


SESI faz prevenção de DST e Aids na indústria Pelo menos 5 mil trabalhadores da indústria local terão acesso à rede de serviços criada pelo SESI Amazonas para prevenir casos de HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST) no Pólo Industrial de Manaus (PIM). A rede faz parte do projeto “Proteção: Atitude Certa”, lançado no dia 22 de outubro e que inclui a instalação de máquinas de preservativos nas empresas, além de ações educativas sobre atitudes e práticas do sexo seguro. Inicialmente, as atividades serão desenvolvidas para os trabalhadores da Hermasa, Nokia, Consórcio Rio Negro, Itam e Semp-Toshiba, as cinco empresas que vão receber o projetopiloto montado pelo SESI como parte do programa SESI Indústria Saudável (leia nas páginas 6 e 7). Durante seis meses, cada empresa vai manter duas máquinas de camisinhas instaladas de preferência nos banheiros masculino e feminino das fábricas. A máquina, que é acionada por moedas de 25 centavos de real (R$ 0,25), deve facilitar o

Jarilza Rocha, do Núcleo de Segurança Social do SESI, está à frente da implantação do projeto no Amazonas

da segunda, a empresa passa a adquirir o produto junto a fornecedores credenciados a R$0,18 a unidade. O SESI também se compromete com as ações educativas e com a capacitação de técnicos de segurança e cipeiros (da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, Cipa) para fazer a manutenção das máquinas. Durante a apresentação do projeto, em Manaus, a representante do SESI Nacional, Marta Carvalho, disse que foram escolhidos cinco Estados para implantação do projeto, um em cada região do país – Amazonas, no Norte, Sergipe, no Nordeste, Paraná, no Sul, Minas Gerais, no Sudeste, e Tocantins, no Centro-Oeste. Depois dessa primeira fase, segundo Jarilza Souza, o SESI deve abrir para a participação de mais empresas no projeto, porque a meta é chegar a todos os trabalhadores da indústria. A analista de Recursos Humanos da Hermasa (Grupo André Maggi), Geane Cristina Nunes, disse que a empresa se sente

Martha Carvalho, do SESI Nacional, veio apresentar o projeto “Proteção: Atitude Certa” em Manaus

acesso do trabalhador ao preservativo, disponível nos sabores menta, tangerina e uva. De acordo com a assistente social Jarilza Rocha de Souza, da coordenação do projeto no Amazonas, o SESI espera ampliar o comprometimento das empresas com a responsabilidade social. Sem falar que estarão participando de um projeto-piloto 'case' mundial, envolvendo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde. O projeto prevê cessão, implantação e manutenção gratuita das duas máquinas de preservativos por seis meses. A primeira carga, com 90 camisinhas, também é gratuita. A partir

A gerente da Itam, Leda Almeida, confirmou assiduidade da empresa como parceira do SESI

privilegiada de participar do projeto-piloto e que todos os projetos lançados pelo grupo, no país, começam a funcionar a partir de Itacoatiara, a 175 quilômetros de Manaus, onde estão instaladas as três empresas do Grupo Maggi no Amazonas. Na Itam, as atividades do projeto-piloto começaram durante a semana interna de prevenção de acidentes, a Sipat. Segundo Leda Almeida, gerente da empresa, o “Projeto Proteção: Atitude Certa” vai trazer mais qualidade de vida aos 130 empregados da Indústria de Transformadores da Amazônia. “Somos parceiros do SESI há 18 anos. Já implantamos muitos projetos juntos”, disse a gerente.


O vice-presidente da FIEAM, Athaydes Felix (direita) posa com grupo de ganhadores do Prêmio SESI Qualidade no Trabalho 2008

Nokia festeja vitória entre as grandes Quatro empresas do Pólo Industrial de Manaus (PIM) – Nokia do Brasil, Impressora Amazonense, Arosuco Aromas & Sucos e Amazon Etiquetas – foram aclamadas, no dia 2 de outubro, como as vencedoras da fase estadual do Prêmio SESI Qualidade no Trabalho (PSQT 2008), nas respectivas categorias (grande, média, pequena e micro empresa). O prêmio busca reconhecer as indústrias que adotam as melhores práticas em responsabilidade social empresarial. Na entrega dos prêmios, no salão de festas do Clube do Trabalhador, no bairro São José, na Zona Leste, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Antonio Silva, disse que é importante exaltar o empenho das empresas que, considerando o equilíbrio entre os aspectos econômicos, sociais e ambientais nas suas ações, adotam uma gestão voltada para a sustentabilidade, no cuidado constante com a qualidade dos relacionamentos com clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores e a sociedade em geral. Antonio Silva disse ainda que a cerimônia de aclamação do PSQT é uma oportunidade para o Sistema FIEAM homenagear as organizações que agem com responsabilidade corporativa e valorizam os seus colaboradores. “As empresas vencedoras sabem que, além de encantar o cliente, é preciso fazer o mesmo com seus colaboradores. E o SESI, ao valorizar a cidadania empresarial, demonstra a real dimensão do ser humano, do capital social para o processo produtivo”, destacou o presidente da FIEAM. Segundo a coordenadora do PSQT no Amazonas, Nelsi Luniére, as campeãs desta 13ª edição do prêmio foram selecionadas entre 50 empresas concorrentes, avaliadas nas práticas de gestão de pessoas, educação e desenvolvimento, qualidade de vida e desenvolvimento socioambiental. “O PSQT fortalece o alinhamento que a empresa vem mantendo com as transformações globais, principalmente, no sentido de avaliar o conjunto da organização pelos benefícios que assegura aos seus colaboradores no contexto da responsabilidade social empresarial”, disse Nelsi. O gerente de produção da Nokia do Brasil, Ricardo Lopes, não escondeu seu contentamento quando a empresa foi anunciada como campeã na categoria Grande Empresa do PSQT 2008. “Fico muito feliz com o reconhecimento do SESI à Nokia, mas o mais importante para a nossa equipe é que fazemos parte de um time que acredita num mundo melhor para nossos filhos, netos e bisnetos. Trabalhamos para que a responsabilidade social seja parte integrada da cultura da nossa sociedade”, disse. O senador Jefferson Praia, que prestigiou o evento, dirigiu-se aos representantes da classe industrial presentes, com palavras de estímulo, para que continuem desenvolvendo a difícil profissão de ser empresário neste país. “Não é fácil ser empresário no Brasil, mas é com iniciativas como essa do Sistema FIEAM, através do SESI Amazonas, que podemos construir um país melhor, com grandes empreendedores que transformam a rotina desestimulante do trabalhador em atividades baseadas em valores e princípios”, disse o senador.

Nokia, Impressora Amazonense, Arosuco Aromas & Sucos e Amazon Etiquetas ainda vão concorrer, em suas respectivas categorias, ao PSQT nas etapas regional e nacional. As empresas vencedoras na etapa nacional também recebem a medalha da Ordem ao Mérito do Trabalho, concedida pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Presidente da FIEAM, Antonio Silva, entrega troféu ao gerente da Nokia, Ricardo Lopes, empresa vencedora na categoria grande indústria

Superintendente do SESI, Luiz Medeiros, entrega prêmio ao gerente da Amazon Etiquetas, Jessé Valente, vencedora na categoria micro

Colaboradores da Nokia festejam prêmio conquistado pela empresa durante a festa do PSQT no Clube do Trabalhador


ampliar a representatividade e garantir a sustentabilidade do

Depois de quatro meses

Sistema Indústria. Desse primeiro encontro saiu o documento

de discussões nos

“Crescimento, a Visão da Indústria”, onde foram colocadas as

stria brasileira, reunida

prioridades para o país no período 2007-2010.

dias 28 e 29 de outubro,

Agora em sua terceira edição, o ENAI confirmou sua

stria (ENAI), definiu uma

importância como maior evento anual da indústria brasileira,

co medidas para fazer

promovendo a integração da base de representação sindical

mercado financeiro,

speito ao aumento da

patronal e desta com as entidades que compõem o Sistema. da FIEAM, apresentou o posicionamento da indústria

trecho ao lado), os

amazonense tirado do encontro estadual. Os temas

ada da agenda de longo

apresentados às lideranças do Amazonas, no Encontro Estadual, foram definidos em pesquisa da Action Marketing e

s reunidos em Brasília,

Pesquisa de Mercado.

s de federações, de do Amazonas (FIEAM),

z das propostas tiradas

Foto José Paulo

utária.

ais, o presidente da

O Brasil e o n

Antonio Silva, acompanhado de outros membros da diretoria

a “Carta da Indústria”,

Carta d

AGENDA EMERGENCIAL

azonenses no Encontro

1º de outubro. ENAI, a Confederação

obilizando o setor para

de atuação, capaz de

Foto Miguel Ângelo

ao lado do Presidente da CNI, es industriais amazonenses, o e o ministro do Trabalho e

A partir da convicção do que a indústria pode fazer para ajudar o país a enfrentar as dificuldades criadas pela crise financeira global, conforme expressou o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, o 3º ENAI foi encerrado com propostas de medidas emergenciais (veja quadro) que vão da ampliação do prazo para o recolhimento de impostos à redução do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Na outra ponta, a Carta da Indústria trata como prioridade absoluta a reforma tributária, em tramitação no Congresso, que, segundo os participantes, deve simplificar o sistema de arrecadação de impostos e desonerar as exportações e os investimentos. O documento sugere ainda o corte de gastos correntes do governo e a ampliação dos investimentos em infra-estrutura, a redução dos encargos trabalhistas, incentivos à inovação e aperfeiçoamento dos marcos regulatórios do meio ambiente. Essas sugestões estão na Carta da Indústria mas são apresentados com mais detalhes nas “Conclusões do 3º Encontro Nacional da Indústria”, documento de 74 páginas, que traz as “Recomendações e Propostas” nas áreas de tributação, inserção internacional das indústrias, infra-estrutura, inovação, produtividade, legislação trabalhista e seus impactos na competitividade industrial e meio ambiente. No encerramento do 3º ENAI, o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, repassou os dois documentos ao vice-presidente da República, José Alencar, aos ministros Fernando Haddad e Carlos Luppi, da Educação e do Trabalho, respectivamente, e aos presidentes da Câmara e do Senado, Arlindo Chinaglia e Garibaldi Alves.

O 3º Encontro Nacio marcado pela celebra vendas, renda, empre um ano de 2008 excep O mundo, no enta internacional impõe r Brasil é minimizar os im reforce as forças esta do processo de transfo O 3º ENAI, que reuni encerra um processo meses, sobre como fa Federações estaduais associações seto recomendações para e para o desenvolvime Há muito que fazer Há muito que fazer pa pode aumentar a sua turbulências avançan problemas identificado A indústria pede urg Congresso preparar o ambiente.

AGEND 1. Prazo de impostos

2. Compensação de créditos tributários

3. IOF

AÇÃO COLETIVA Minimizar os efeitos da crise financeira e fortalecer a capacidade de crescimento potencial do Brasil depende de uma ação coletiva. É um desafio para a sociedade

4. Financiamento e Reservas Internacionais


SENAI orienta empresas sobre O SENAI Amazonas começou a apresentar, em outubro, a empresas do Pólo Industrial de Manaus (PIM), a metodologia que dará suporte ao Núcleo de Produção Mais Limpa (P+L) que a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) pretende implantar no ano que vem. Com participação do coordenador do Centro Nacional de Tecnologias Limpas (CNTL) do SENAI Rio Grande do Sul, Paulo Rosas, e do analista de meio ambiente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Wanderley Coelho Baptista, o seminário esclareceu os objetivos e a forma de atuação dos Núcleos, que vão integrar a Rede CNI de P+L. Produção mais limpa consiste na aplicação contínua de uma “estratégia econômica, ambiental e tecnológica a fim de aumentar a eficiência no uso de matérias-primas, água e energia, através da não-geração, minimização ou reciclagem de resíduos gerados em um processo produtivo”, como explicou Rosas na abertura do seminário. De acordo com Wanderley Coelho Baptista, a CNI já conseguiu instalar sete núcleos e tem a expectativa de levar a rede a todas as unidades da federação, seja dentro do próprio Sistema Indústria, seja por meio de parceria, como a que tem com o Sebrae. “O nosso foco principal está na prevenção. Em qualquer área, é sempre melhor prevenir que remediar, e na área

ambiental não é diferente. Então, a indústria está usando o que tem de melhor e de mais fácil aplicação em tecnologia no mundo tanto para a melhoria de processo quanto melhoria de práticas que induzem a economia de recursos e a ganhos ambientais, e uma delas é a Produção Mais Limpa”, disse Baptista. Para Paulo Rosas, a CNI e as Federações das Indústrias nos Estados estão, mais uma vez, saindo na frente do próprio governo federal em relação às políticas voltadas para o meio ambiente. “Os órgãos que tratam da questão ambiental têm muitas dificuldades em absorver esse tipo de metodologia. Ainda adotam a política de fiscalizar e multar porque é mais fácil”, disse. O coordenador do Núcleo no Amazonas, Delfino Pereira de Souza Filho, disse que a primeira etapa desse processo é formalizar a iniciativa, depois capacitar o pessoal do PIM, principalmente o que atua junto à produção, na metodologia. “A decisão de instalar o núcleo está tomada. Agora, deveremos apresentar um projeto à FIEAM com objetivos, ações, metas e o resultado que esperamos com a instalação do Núcleo”, esclareceu Delfino. O professor do curso de engenharia florestal da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Eduardo Mafra, que participou do seminário, disse que na indústria madeireira, onde ele atua, os desperdícios são uma coisa fabulosa. “De um modo geral, os rendimentos de uma serraria vêm de 40% do que é produzido; o resto é desperdício. Se essa metodologia for empregada em cada etapa do processo, muito provavelmente a gente vai conseguir reduzir esse desperdício tão alto”, disse ele. O engenheiro agrônomo Luciano Gomes, que representou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no evento, disse que o material das palestras permite que as pessoas façam uma comparação com a realidade no próprio local de trabalho. Quanto menos resíduos a gente puder produzir, melhor”, disse. Segundo Delfino, a metodologia do programa é simples: 50% são procedimentos internos, adotados pelas empresas, sem custo algum. “É claro que quando você trabalha em cima de um processo, você vai buscar tecnologias pra resolver problemas, aí sim, vamos ter que buscar parcerias. Agora, dentro do SENAI, nós temos laboratórios montados de automação, mecatrônica, de mecânica, entre outros. Esses laboratórios serão utilizados como apoio. É um processo integrado de todo o sistema. Vamos trabalhar a questão ambiental junto com a responsabilidade social e as soluções técnicas”, disse. O coordenador do CNTL do SENAI Rio Grande do Sul, Paulo Rosas, apresentou a metodologia para implantação do Núcleo de P+L no Amazonas


Produção Mais Limpa

A coordenadora do Núcleo Tecnológico de Informação do CNTL/RS, Joseane Machado de Oliveira

Consuma menos, gere menos resíduos Gasolina ou álcool, copo descartável ou de vidro, produtos de reciclagem difícil, embalagens inadequadas e aumento na geração de resíduos foram alguns do temas polêmicos discutidos no seminário de Produção Mais Limpa. Joseane Machado de Oliveira, coordenadora do Núcleo Tecnológico de Informação do CNTL/SENAI/RS, dividiu os participantes em dois grupos, um formado por consultores das regiões Norte e Nordeste já capacitados na metodologia da Produção Mais Limpa, e outro, formado por representantes de empresas do PIM que nunca tinham ouvido falar do assunto. Com o segundo grupo, Joseane passou por todas as etapas da metodologia, mas de forma simulada, já que o curso real, segundo ela, é extenso e tem uma aplicação prática dentro das empresas. Na simulação, os participantes discutiram os indicadores de Produção Mais Limpa em relação, por exemplo, às fontes de energia de menor impacto no meio ambiente, levando em consideração a origem e a incidência sobre o efeito estufa. “Consuma menos, gere menos resíduos, essa é a máxima da Produção Mais Limpa”, disse a coordenadora.


Camam oferece assessoria gratuita em conflitos jurídicos para ME e EPP Crédito: Fábio Nascimento/Sebrae AM Os dirigentes de Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) já dispõem de um serviço gratuito de assessoria e esclarecimentos sobre conflitos, pendências e controvérsias de natureza jurídica, inclusive nos conflitos em que as ME e EPP estão envolvidas com órgãos da administração pública direta, fundos especiais, autarquias, fundações públicas, sociedades de economia mista e demais entidades. No início do mês de novembro, o Sebrae no Amazonas e Câmara de Mediação e Arbitragem do Amazonas (Camam) firmaram parceria para que a Camam ofereça gratuitamente o serviços de assessoria em mediação e arbitragem. “O serviço de assessoria A juíza Alvarina Miranda de Almeida, presidente da Camam, que está oferecendo assessoria jurídica é gratuito. Daí em diante, caso o gratuita às micro e pequenas empresas dirigente queira iniciar o processo, a como os demais serviços oferecidos a preços diferenciados Camam passa a cobrar os honorários, porém com desconto constituem uma oportunidade de economia de recurso e de 50% para as empresas enquadradas como ME ou EPP”, tempo para os dirigentes de ME e EPP. “A assessoria gratuita esclareceu a gerente de Políticas Públicas do Sebrae/AM, vai estimular a que cada vez mais as ME e EPP busquem o Socorro Corrêa. sistema de mediação e da arbitragem para a solução de seus A parceria ratifica aspectos da Lei Complementar 123/2006, conflitos, evitando a necessidade de recorrer à justiça a Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno comum, ampliando as possibilidades de agilização e Porte que, entre outras coisas, determina que as ME e EPP redução de custos na solução dos problemas”, esclarece. devem ser estimuladas a obter tratamento diferenciado nos Para obter a assessoria na Camam, o interessado deve se serviços de mediação e arbitragem. dirigir à sede da entidade, na avenida Japurá, 281, Centro, no A juíza e presidente da Camam, Alvarina Miranda de horário de 14h às 18h, de segunda a sexta-feira. Almeida, explica que o serviço de assessoria gratuito, assim

Entenda o que é mediação e arbitragem A mediação é uma técnica de prevenção, solução e gerenciamento de controvérsias, na qual duas ou mais partes conflitantes unem-se contra um problema comum, passando de adversárias a parceiras. Já a arbitragem é considerada a maneira mais moderna para a resolução de conflitos fora do Poder Judiciário. O árbitro, que tem os mesmos poderes que um juiz, é escolhido pelas partes e decide a questão entre elas. Sua sentença tem os mesmos efeitos de uma sentença judicial.

Para encaminhar um litígio à Camam, o interessado dever reunir todos os documentos relacionados com a sua controvérsia (recibos, duplicatas, faturas, cheques devolvidos pelo banco, contratos com cláusulas descumpridas ou dúbias, certidões, etc.); em seguida, encaminhar-se à Camam, com uma petição redigida contendo nome, sobrenome, nacionalidade, estado civil, profissão, documento de identidade e CPF, endereços residencial e comercial e telefones.


Sebrae/AM leva caravana de

produtores à Expoagro

Leite, flores, frutas, peixes, madeira, móveis, brinquedos,

fizeram parte do estande do Sebrae/AM. Eles fazem parte de 16

artesanato, cosméticos e vassouras em PET (garafas de

projetos de desenvolvimento local implementados pela entidade

plástico) foram alguns dos produtos expostos e comercializados

em 16 municípios do interior, entre eles Maués, Autazes, Careiro

no estande do Sebrae no Amazonas durante a XXXV Exposição

Castanho, Manaquiri, Itacoatiara, entre outros.

Agropecuária do Amazonas (Expoagro), que aconteceu entre os

“O Sebrae desenvolve projetos na área de produção agrícola em

dias 9 e 16 de novembro, no Parque de Exposições

mais de 30 municípios do Amazonas. Desta forma, quando

Agropecuárias do Amazonas, no quilômetro 11 da rodovia AM-

temos eventos de agronegócios como este, montamos uma

010 (Manaus-Itacoatiara). O evento, que aconteceu em conjunto

grande caravana de produtores rurais vindos do interior e, na

com VI Feira de Agronegócios Sustentáveis do Programa Zona

capital, eles vendem e fecham negócios futuros”, explica a

Franca Verde e II Segunda Semana de Produtos Orgânicos, foi

diretora-técnica do Sebrae/AM, Maria José Alves da Silva.

promovido pelo Governo do Estado.

A XXXV Expoagro teve programação voltada para o setor rural e

Os produtos foram vendidos, de acordo com a líder da Unidade

incluiu shows, rodeios, vaquejadas, cursos, palestras e

de Atendimento Coletivo Agronegócio I do Sebrae/AM,

exposições de produtos agrícolas orgânicos e de agricultura

Wanderléia Oliveira, a preços que variavam entre 10% e 20%

familiar, equipamentos, artesanato, entre outras atrações.

abaixo dos praticados no mercado. Ao todo, 25 expositores


PrêmioQualidade Qualidade Prêmio Emnoite noite Em Pelo 15º ano consecutivo, a Federação das Indústrias do Estado Amazonas (FIEAM) e o Serviço Pelo 15ºdo ano consecutivo, a Federação das Brasileiro Indústriasde do Apoio às e Pequenas Amazonas Estado do Micro Amazonas (FIEAM) Empresas e o ServiçodoBrasileiro de (Sebrae-AM) reuniram empresários e colaboradores da Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas indústria amazonense para a entrega dos troféus e meda(Sebrae-AM) reuniram empresários e colaboradores da lhas do Prêmio Qualidade Amazonas (PQA). Apresentado indústria amazonense para a entrega dos troféus e pelo grupo paulista Santa Gente, o “Qualishow” deste ano medalhas do Prêmio Qualidade Amazonas (PQA). aconteceu no dia 30 de outubro, no Diamond Convention Apresentado pelo grupo paulista Santa Gente, o “QualisCenter, no Tarumã, Zona Norte. how” deste ano aconteceu no dia 30 de outubro, no Foram 18 as organizações que tiveram projetos premiados, Diamond Convention Center, no Tarumã, Zona Norte. quatro delas na modalidade Gestão e as outras 14 na Foram 18 asProcesso. organizações que tiveram premiamodalidade O presidente da projetos FIEAM, Antonio dos, delas na modalidadeeste Gestão asmais outras na Silva,quatro comemorou o crescimento, ano,eem de14 50% modalidade Processo. O presidente da FIEAM, Antonio no número de organizações inscritas nesta edição, em Silva, comemorou o crescimento, mais às de comparação à de 2007, e disse queeste essaano, é a em resposta 50% número de organizações nesta edição, açõesno desenvolvidas pelo programa,inscritas o que demonstra total em comparação à de 2007, e disse que essa a resposta comprometimento da Federação, por é meio do Departamento de Apoio pelo à Média e Pequena Indústria às ações desenvolvidas programa, o que demonstra (DAMPI), com o desenvolvimento do Estado. por meio do total comprometimento da Federação, A mais pontuada na modalidade Departamento de Apoio à Média eProcesso, Pequena categoria Indústria Grande Indústria, a Panasonic do Brasil Ltda recebeu (DAMPI), com o desenvolvimento do Estado.

A mais pontuada na modalidade Processo, categoria Grande Indústria, a Panasonic do Brasil Ltda recebeu

medalha de ouro pelo projeto “Custos de fabricação”. A empresa buscou para redução do valor do produto A medalha de alternativas ouro pelo projeto “Custos de fabricação”. final, eliminando, reduzindo e unificando custos em as do empresa buscou alternativas paraosredução dotodas valor fases do processo industrial. O método foi colocado em prática produto final, eliminando, reduzindo e unificando os custos por uma equipe formada por 1.013 colaboradores. em todas as fases do processo industrial. O método foi Ainda na modalidade Processo, categoria Grande Indústria, colocado em prática por uma equipe formada por 1.013 receberam medalha de ouro as empresas Thomson Multimídia, colaboradores. Brasil Norte Bebidas e Yamaha Motor da Amazônia.

Ainda na modalidade Processo, categoria Grande Indústria, receberam medalha de ouro as empresas Thomson Outras premiações Multimídia, Brasil Norte Bebidas e Yamaha Motor da Amazônia. Exemplo de ação simples, mas com grande retorno para a sociedade, foi o projeto que deu a medalha de prata na Outras premiações modalidade Processo, categoria Organização Governamental, Exemplodede açãoesimples, com grande para a ao Instituto Pesos Medidas mas (IPEM). Graças aoretorno uso de uma sociedade, o projeto que deu a medalha prata na unidade móvel,foidotada de equipamentos, como de balanças, m o d ade l i d avolume, d e P r computador o c e s s o , cea timpressora, e g o r i a O rog ainstituto nização medidas conseguiu acelerar em menos o tempo do controle Governamental, ao pelo Instituto de60% Pesos e Medidas (IPEM). metrológico emuso Manaus. Graças ao de uma unidade móvel, dotada de equipa-

mentos, como balanças, medidas de volume, computador e impressora, o instituto conseguiu acelerar em pelo menos 60% o tempo do controle metrológico em Manaus.

Nokia fatura troféu ouro em Gestão

A Nokia do Brasil Ltda conquistou o troféu de ouro do PQA

somente usufruindo. “Somos e queremos trabalhar pensando

2008 na modalidade Gestão, categoria Grande

sempre no lado social, na cidade, onde estamos, não somente

Organização. Nessa mesma modalidade, a Caixa

no Brasil, mas em todo o mundo”, destacou.

Econômica Federal ficou com o troféu de prata na

“A preocupação com a preservação ambiental está

modalidade Média Organização, enquanto a Yamaha Motor

diretamente ligada à estratégia de negócios da Nokia. Isso se

da Amazônia conquistou o troféu de bronze como Grande

reflete em todos os processos e produtos, na disseminação de

Organização. A Escola Estadual Pedro dos Santos faturou o

conceitos de sustentabilidade aos seus funcionários e a

troféu de prata na modalidade Educação.

sociedade, no atendimento a todas as legislações pertinentes”,

Segundo o gerente de Qualidade e Meio Ambiente da Nokia do Brasil Ltda, Uamaury Ribeiro, a empresa participa ativamente na sociedade contribuindo e não

garante Uamaury Ribeiro. Para os colaboradores, o gerente assegura que os investimentos são muitos. Ele cita como exemplo o Programa de Melhoria Contínua (PMC), implantado em 2004, que


Amazonas 2008 de festa incentiva funcionários do processo produtivo a sugerirem

necessidades especiais, além de parcerias, como a mantida

melhorias em todos os campos, como ergonomia, redução

com a Fundação Paulo Feitoza, que operacionaliza cinco

de desperdícios, qualidade e produtividade, sempre

centros de treinamento de informática em áreas pobres de

atuando em equipe. O PMC hoje evoluiu para Programa de

Manaus.

Sugestões, em equipe ou individualmente. Mensalmente, funcionários que apresentam a melhor idéia e o maior número de sugestões são reconhecidos publicamente e recompensados. Para o público externo, Ribeiro citou a participação da Nokia em projetos como “MC Dia Feliz”, promovido pela rede MC Donald's para ajudar instituições brasileiras que assistem crianças com câncer, instituições beneficentes, como o Abrigo São Vicente de Paula, que recebe idosos, e o abrigo Moacir Alves, que atende crianças portadoras de

O desembargador David Melo posa entre premiados do PQA 2008, entre eles, o diretor da Panasonic, Iuquio Ashibe (centro).

OS VENCEDORES MODALIDADE GESTÃO

O presidente da FIEAM, Antonio Silva, entrega prêmio ao gerente da Nokia, Uamaury Ribeiro

TROFÉU Ouro Prata Prata Bronze

CATEGORIA Grande Organização Média Organização Educação Grande Organização

EMPRESA Nokia do Brasil Ltda CEF EE Pedro dos Santos Yamaha Motor


Samaúma encerra atividades de 2008 em Amaturá A unidade fluvial do SENAI Amazonas, Barco-Escola Samaúma, aportou, na segunda quinzena de outubro, no município de Amaturá, no Alto Solimões, a 1.046 quilômetros de Manaus, para mais uma temporada de cursos. O barco permanecerá no município até a formatura dos 489 alunos, em 12 de dezembro. Durante esse período, devem ser ministrados 17 cursos, dentro e fora do barco, em salas e espaços cedidos pela prefeitura municipal de Amaturá. De acordo com as previsões do gerente do Centro de Ações Móveis e Comunitárias (CAMC/SENAI), Teodório Filho, o barco deve retornar para Manaus em 17 de dezembro, quando entrará em manutenção, com previsão de voltar à ativa em fevereiro, mês em que o Samaúma estará completando 30 anos de sua inauguração. Inaugurado em 17 de fevereiro de 1979, o Barco-Escola Samaúma teve a sua aula inaugural em 20 de junho do mesmo ano, no município de Tefé, a 521 quilômetros de Manaus. Amaturá foi o sexto município amazonense atendido pelo Samaúma, em 2008, no Alto Solimões. A unidade móvel iniciou suas atividades em Carauari, a 780 quilômetros de Manaus, passou por Uarini, a 560 quilômetros, Atalaia do Norte, a 1.325 quilômetros, Benjamin Constant, a 1.621 quilômetros, onde aportou em 28 de agosto, Tabatinga, a 1.105 quilômetros, e finalmente Amaturá. Segundo Teodório Filho, a programação para 2009 ainda não foi definida, mas a preferência é que os próximos municípios atendidos estejam na calha do gasoduto Coari/Manaus, entre eles, Codajás, a 240 quilômetros de Manaus, à margem esquerda do rio Solimões.

Equipe do Barco-Escola Samaúma ao aportar no município de Benjamin Constant


Capacitação do SENAI promove ressocialização de internos do Compaj Depois de 80 horas de aulas, o SENAI Amazonas, concluiu, no dia 10 de outubro, o curso de Mecânica de Motocicleta para uma turma de 21 internos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no km 5 da BR-174 (Manaus - Boa Vista). Resultado de parceria do Centro de Ações Móveis e Comunitárias (CAMC), unidade do SENAI, com a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus), o curso faz parte do trabalho interno da secretaria de ressocialização de detentos do regime fechado. Durante 12 dias, o instrutor de Mecânica de Motocicleta do CAMC/SENAI, Adrião Rabelo, cruzou os portões do Compaj para desenvolver junto aos internos o trabalho de educação profissional por meio de aulas práticas e teóricas. Na avaliação de Rabelo, atividades como essa são a oportunidade que os internos têm para abraçar uma nova profissão ao cumprir a pena e deixar a prisão. O número de vagas, que a princípio seria de 16, teve que subir para 21, tal o interesse despertado pelo curso entre os detentos. “Estamos dando nossa contribuição para esses cidadãos que continuam tendo direito à educação. Por isso, o SENAI vem até o Compaj para oferecer a qualificação aos detentos na expectativa de melhorar as probabilidades de serem inseridos e aceitos no mercado de trabalho”, disse o instrutor. De acordo com o coordenador de Relações com o Mercado do CAMC/SENAI, Sérgio Furtado, a instituição desenvolve uma programação na área de responsabilidade social oferecendo cursos para comunidades carentes, adolescentes em situação de risco e internos do sistema prisional do Estado. Neste ano, o CAMC já disponibilizou 47 cursos com o foco na responsabilidade social em áreas como Panificação, Confecção de Roupa, Mecânica, Construção Civil e Informática, certificando 818 alunos com objetivo de capacitar essa parcela da sociedade que necessita desenvolver habilidades e aprender uma profissão. Segundo o diretor do Compaj no regime fechado, Josenir da Silva Araújo, a parceria com SENAI é de grande importância para o Sistema Penitenciário do Amazonas, pois ataca a questão da ociosidade dos internos com educação profissional, aumentando as chances de ressocialização após o cumprimento de penas. “Inserir cursos profissionalizantes nas atividades dos reeducandos do regime fechado do Compaj traz esperança de uma vida melhor para eles, além das duas instituições estarem dando sua parcela positiva para a humanização do tratamento O instrutor do SENAI, Adrião Rabelo, com o interno Gustavo Batista e o diretor do Compaj, Josenir Araújo

penal prevista nos artigos 17 e 19 da Lei de Execuções Penais que trata da educação e qualificação profissional dos internos”, destacou Araújo, diretor do Compaj.

Turma de Mecânica de Motocicleta do Compaj com o instrutor do SENAI,Adrião Rabelo, a colaboradora do SENAI, Cristina, e o diretor do Compaj, Josenir Araújo

O detento Gustavo Batista, de 27 anos, disse que o curso do SENAI veio em boa hora, pois está prestes a entrar na progressão de pena do regime fechado para o semi-aberto. Ansioso para ir em busca de um trabalho, Gustavo sabe que, para conquistar um emprego digno, deverá superar algumas barreiras e, para isso, ele tem consciência de que o caminho é a dedicação na educação básica e profissional. “Não será fácil ser aceito no mercado de trabalho, mas com o diploma do SENAI e mostrando o meu interesse em querer trabalhar honestamente e continuar buscando as minhas melhoras vou conseguir realizar os meus sonhos”, ressaltou Gustavo Batista. Além de atender aos internos do regime fechado do Compaj, o SENAI também disponibiliza duas vagas em todos os cursos ministrados nas suas quatro unidades, para reeducandos de livramento condicional, albergados, egressos e familiares. As vagas destinadas à Sejus fazem parte do convênio firmado entre o órgão do governo do Estado e o SENAI em 2006 com a finalidade de investir na ressocialização dos detentos dos regimes fechado, semi-aberto, em condicional e egresso.


Coleção de trabalhos da edição 2006-2008 ficou em exposição no Centro de Artes Chaminé, de fevereiro a abril deste ano.

CNI e SESI lançam 3ª edição do Prêmio Marcantonio Vilaça Terminou no dia 22 de outubro o prazo de inscrições

fundamental de cada cidade visitada.

para a seletiva do Prêmio CNI SESI Marcantonio Vilaça

Entre fevereiro e abril deste ano, o público de Manaus

para as Artes Plásticas. Essa será a terceira edição

teve o privilégio de saber como funciona o prêmio e

(2008-2010) do prêmio, lançado em 2004 pela

conhecer de perto o alto nível dos trabalhos premiados,

Confederação Nacional da Indústria (CNI) e SESI

quando a cidade foi incluída no roteiro itinerante da

Nacional como “estímulo ao desenvolvimento de

mostra da sua segunda edição (2006/2008), que contou

carreiras nas artes plásticas do país”. Nenhum artista

com obras dos artistas Carlos Mélo, de Pernambuco,

amazonense se inscreveu.

Lúcia Laguna, do Rio de Janeiro, Sara Ramo, de Minas

O prêmio do Sistema Indústria é considerado uma

Gerais, e o casal Gisela Mota e Leandro Lima, de São

iniciativa de vanguarda por oferecer ao premiado

Paulo. Os dois últimos foram sorteado para

acompanhamento por um crítico de arte durante o

acompanhar a abertura da exposição, no Centro de

primeiro ano de trabalho, além do apoio financeiro no

Artes Chaminé.

valor de R$ 30 mil. A cada ano são escolhidos projetos

Nas duas edições anteriores do prêmio também não

de cinco artistas. No segundo ano, os artistas ainda

houve candidatos do Amazonas. Na primeira edição

participam de uma mostra itinerante, com catálogo

(2004/2006) inscreveram-se 927 artistas; na edição

bilíngüe. A exposição é acompanhada de trabalho

seguinte, 744.

pedagógico dirigido a professores e alunos do ensino


RESULTADOS 2008 AMAZONAS Meta

Matrículas

%

8.209

10.354

126,1

26.923

25.729

95,6

revistafieam-out08  

Indústria define Publicação mensal do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas Ano III nº 30 Outubro/2008