Issuu on Google+

Ano V • nº 45•

mar/abr • 2010

Publicação bimestral do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas

NEGÓCIOS DA CHINA

1


índice

5 6 7 8 9

FIEAM prepara festa dos seus 50 anos

SENAI assina contrato para Samaúma II SESI investiga qualidade de vida do trabalhador do PIM

IEL chama especialista para ensinar “beabá” dos eventos

17

SENAI/AM festeja bronze na OC2010

Otimista, indústria dá largada para 2010

11

China demonstra interesse no PIM

13 21 22 29 31

Equador avança na rota Manta-Manaus

FIEAM lança edital do PQA 2010 Sebrae lança programa “Empresas Avançadas”

24

AM traz ouro, prata e bronze da Serra Gaúcha

2

28

Profª Emina volta à escola

MegaBazar aquece reduto de moda em Manaus

Fito encanta público de todas as idades em Manaus

34

ZFM, idade madura em pleno sucesso


Miguel Ângelo/CNI

editorial

A

cerimônia de abertura do SESI Jogos Estaduais 2010, na sexta-feira, 30 de abril de 2010, no Clube do Trabalhador do Amazonas “João de Mendonça Furtado”, foi o momento que estávamos esperando para o lançamento das comemorações dos 50 anos de fundação da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM). Primeiro por termos reunido, neste ano, um número ainda mais expressivo de empresas do Pólo Industrial de Manaus (PIM) em torno de um evento que tem entre seus objetivos levar ao trabalhador da indústria (e seus dependentes) práticas saudáveis que contribuem para elevação da qualidade de vida e produtividade. Depois, tem o simbolismo de estarmos na véspera do 1º de Maio, Dia do Trabalho, o que reforça em nós o que está preconizado em nossa missão institucional de “propugnar pelo tratamento humanitário aos trabalhadores estimulando a educação profissional e o bem-estar social. buscando mantêlos em constante processo de adaptação às transformações sociais e econômicas”. A Federação tem sabido honrar este compromisso ao longo da sua história.

Como sexto presidente desta organização, cabe à nossa gestão a honra de conduzir os festejos dessa importante data, que tem seu primeiro grande momento agora em maio com a programação do “Mês da Indústria”, a qual dividimos com o CIEAM (Centro da Indústria do Estado do Amazonas) e Sebrae Amazonas. Além dos festejos a que têm direito, os 50 anos se apresentam como oportunidade para refletirmos sobre o papel que temos exercido ao longo das últimas décadas na defesa dos interesses do segmento empresarial industrial do

Os 50 anos da FIEAM se apresentam como oportunidade de reflexão sobre o papel que temos exercido ao longo das últimas décadas na defesa dos interesses do segmento industrial no Amazonas

Antonio Carlos da Silva Presidente do Sistema FiEAM

Estado do Amazonas, e contribuindo efetivamente para o seu desenvolvimento em condições sustentáveis. Nos últimos anos, é inegável esse papel da FIEAM como protagonista desse trabalho, com destaque para o acompanhamento da atuação dos nossos parlamentares, especialmente no Congresso Nacional, municiando-os com informações essenciais para fazer frente aos eventuais ataques em forma de projetos contra os interesses do PIM. O exercício do cargo, muitas vezes, nos impõe desafios na defesa dos interesses da indústria, desafios estes que continuaremos aceitando e enfrentando desde que contemos com a adesão da classe industrial amazonense a qual conclamamos a se manter unida em torno dos interesses maiores do setor e em nome do desenvolvimento da região. Feliz aniversário para todos nós.

diretoria Presidente: ANTONIO CARLOS DA SILVA 1º Vice-Presidente: ATHAYDES MARIANO FÉLIX 2º Vice-Presidente: AMÉRICO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES Vice-Presidentes: TEREZA CRISTINA CALDERARO CORRÊA, FRANCISCO RITTA BERNARDINO, ROBERTO DE LIMA CAMINHA FILHO, NELSON AZEVEDO DOS SANTOS, NEILSON DA CRUZ CAVALCANTE, ALDIMAR JOSÉ DIGER PAES, WILSON LUIZ BUZATO PÉRICO, CARLOS ALBERTO ROSAS MONTEIRO, JOAQUIM AUZIER DE ALMEIDA, AGOSTINHO DE OLIVEIRA FREITAS 1º Secretário: AUGUSTO CÉSAR COSTA DA SILVA 2º Secretário: ORLANDO GUALBERTO CIDADE FILHO 1º Tesoureiro: JONAS MARTINS NEVES 2º Tesoureiro: AMAURI CARLOS BLANCO Diretores Suplentes: PAULO SHUITI TAKEUCHI, FRANK BENZECRY, ENGELS LOMAS

DE MEDEIROS, MÁRIO JORGE MEDEIROS DE MORAES, SÓCRATES BOMFIM NETO, LUIZ CARVALHO CRUZ, JOSÉ AUGUSTO PINTO CARDOSO, RONALDO GALL, CARLOS ALBERTO MONTEIRO, JAIME TERUO MATSUI, FRANCISCO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES, JOSÉ MIGUEL DA SILVA NASSER, DAVID CUNHA NÓVOA, ARIOVALDO FRANCISCHINI DE SOUZA, CARLOS ALBERTO MARQUES DE AZEVEDO Conselho Fiscal: TITULARES: MOYSES BENARROS ISRAEL, RENATO DE PAULA SIMÕES, ALCY HAGGE CAVALCANTE SUPLENTES: FERNANDO BRANDÃO DE ALBUQUERQUE, CARLOS ALBERTO SOUTO MAIOR CONDE, DAVID NÓVOA GONZALES Delegados Representantes junto ao Conselho da CNI TITULARES: JOSÉ NASSER, ANTONIO CARLOS DA SILVA SUPLENTES: ATHAYDES MARIANO FÉLIX, AMÉRICO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES

expediente

Revista editada pelo Sistema FIEAM COORDENADORIA GERAL DO CENTRO DE SERVIÇO COMPARTILHADO Luiz Alberto Monteiro Medeiros DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING Paulo Roberto Gomes Pereira

GERÊNCIA DE COMUNICAÇÃO Idelzuita Araújo - MTb 049/AM REDAÇÃO Ademar Medeiros - MTb 289/AM Evelyn Lima - MTb 151/AM Irinéia Coelho - MTb 343/AM Mário Freire - MTb 092/AM

COLABORAÇÃO Cássia Guterres Márcio Vieira - MTb/AM 0189 Vanessa Damasceno Diagramação Herivaldo da Matta - MTb 111/AM Capa e Publicidade Mary Martins

FOTOGRAFIAS Comunicação Os conteúdos dos artigos e textos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores. Av. Joaquim Nabuco, 1919 Centro CEP 69020-031 Manaus/AM Fone: (0xx92) 3186-6576 Fax: (0xx92) 3233-5594 - acs@fieam.org.br

3


Reprodução

pec 231

Empresas do Polo Industrial de Manaus estão preocupadas com a proposta de redução da jornada de trabalho e aumento de 25% no valor da hora extra trabalhada

Indústria faz frente à redução da jornada Para os empresários, PEC 231/95 terá impacto negativo, principalmente, sobre micro e pequenas empresas

M

arço foi mês de mobilização da indústria brasileira diante da pressão das centrais sindicais pela aprovação imediata, pela Câmara Federal, da proposta de emenda constitucional (PEC) 231/95, que prevê a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais e o aumento do adicional de 50% para 75% do valor da hora extra trabalhada. Para os empresários, a proposta não passa de eleitoreira. Desde o final de fevereiro, tendo à frente a Confederação Nacional da Indústria (CNI), presidentes de algumas federações de indústrias dos estados têm visitado os líderes dos partidos políticos, em Brasília, e se reunido

4

com o próprio presidente da Câmara, deputado Michel Temer, para apresentar o ponto de vista do empresariado brasileiro que considera inoportuna a votação da PEC, especialmente num ano eleitoral, sem levar em conta conseqüências, como a elevação dos custos e a diminuição da competitividade das empresas, além da ampliação da informalidade. Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado Amazonas (FIEAM), Antonio Silva, enquanto as centrais sindicais tentam iludir os trabalhadores falando dos benefícios que a redução da jornada de trabalho trará, a indústria sentirá as conseqüências. “Com menos horas de trabalho a indústria, que vive da produção em série, perde produção, torna os serviços e produtos mais caros e com isso perde espaço para a concorrência”, explica. O presidente do Sindicato da Indústria Relojoeira do Amazonas, Nelson Azevedo, disse que a classe patronal está preocupada com o impacto da medida principalmente sobre as

micro e pequenas empresas que, segundo ele, não terão como repassar o aumento do custo do trabalho. Azevedo, que é vice-presidente da FIEAM e membro do Conselho de Integração Nacional da CNI, disse que, num mercado globalizado onde a concorrência é acirrada, o aumento nos custos de produção pode excluir essas empresas do mercado, extinguindo com isso muitos empregos. “Para evitar a sua morte prematura, elas tenderão a adotar outras opções que compensem o aumento dos custos, como a redução do seu contingente de empregados e o investimento em mecanização e automação”. No segmento, segundo ele, o trabalho participa com parcela expressiva do custo de produção. A PEC 231/95 ainda não tem data para ir à votação. Em busca do consenso, o deputado Michel Temer apresentou uma proposta intermediária, de redução de 44 horas para 42, mantendo o aumento do adicional da hora extra.

.


aniversário

FIEAM prepara festa dos 50 anos Entidade maior do Sistema Indústria no Amazonas completa meio século em defesa dos interesses regionais

C

Detalhe da fachada do prédio atual da FIEAM, inaugurado em 1987 e reformado em 2009

om a marca dos seus 50 anos de fundação em destaque, a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas será o centro das atenções, ao longo de 2010, na programação do Sistema FIEAM (composto ainda pelo SENAI/AM, SESI/AM e IEL/AM). Além do lançamento de um livro contando a trajetória da organização, a comemoração marcará eventos, como “Mês da Indústria” e “Industrial do Ano”, em maio, e a entrega do Prêmio Professor Samuel Benchimol, previsto para o mês de agosto, entre outros. Fundada no dia 3 de agosto de 1960, com a missão de “defender a livre iniciativa, sobretudo os interesses do segmento empresarial industrial do Estado do Amazonas”, a FIEAM é uma “entidade de grau superior integrante do Sistema Confederativo da CNI (Confederação Nacional da Indústria)”. Desde sua fundação, seis empresários do segmento industrial assumiram a presidência da organização. À frente das comemorações como sexto presidente, o empresário Antonio Silva, eleito para o quadriênio 2007-2011, assume, em junho deste ano, a 2ª vice-presidência da CNI. A chapa única para a sucessão do deputado Armando Monteiro Neto é encabeçada pelo empresário mineiro Robson Braga de Andrade, atual vice-presidente da entidade maior do Sistema Indústria e presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). O 1º vice-presidente é Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). Na abertura do SESI Jogos Estaduais 2010, no último dia 30 de abril, no Clube do Trabalhador do Amazonas, Antonio Silva exaltou os 50 anos da FIEAM como mais um momento para as entidades que formam a organização se unirem em defesa dos interesses regionais. O aniversário foi um dos pontos altos da festa de abertura dos Jogos SESI 2010, sendo lembrado no desfile de várias empresas que participam da competição e no show pirotécnico. A programação completa das comemorações será divulgada em maio, durante a programação do Mês da Indústria 2010.

.

5


destaques

IEL/AM e Sebrae dão capacitação a sindicatos

SENAI assina contrato para Samaúma II

O diretor regional do SENAI, Aldemurpe Oliveira de Barros, assina contrato com o diretor da Braccon, José Cláudio da Silva

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/AM) assinou no início de março contrato de prestação de serviço com a Braccom – Engenharia e Consultoria Ltda, responsável pelo projeto executivo e fiscalização da construção do barco-escola Samaúma II. O documento foi assinado pelo diretor regional do SENAI, Aldemurpe Barros, e pelo sócio-diretor da empresa, José Claudio Braga da Silva. A unidade fluvial é conhecida por levar educação profissional às comunidades ribeirinhas do Estado. O segundo barco terá 40,5 metros de comprimento por 10m de largura, para oferecer conforto e tecnologia aos tripulantes e alunos do

barco. Segundo o diretor regional do SENAI Amazonas, o foco deste novo trabalho será a questão ambiental. “Teremos um sistema de tratamento das águas consumidas e usadas no barco, a utilização de energia solar e de internet on-line 24 horas destinada ao entretenimento e cursos de atualização para instrutores, conferências e inclusão digital”, revela Aldemurpe Barros. A Braccom vai desenvolver projeto executivo para posterior licitação de uma empresa para a construção do Samaúma II. “Esse projeto duplicará as atividades desenvolvidas nos últimos 30 anos não só no Amazonas, mas também em outros Estados da região”, afirma Barros.

Curso de Projetos Sociais no SESI Trabalhadores da indústria e seus dependentes participaram de 1º a 9 de março, do Curso Básico de Elaboração de Projetos Sociais promovido pelo Núcleo SESI de Responsabilidade Social Empresarial. O curso foi ministrado pelo doutor em engenharia de produção Jonas da Silva, que tem mais de dez anos de experiência na área. O curso tratou dos fundamentos básicos do Terceiro Setor, metodologias participativas e elaboração de um projeto social básico para comunidade. Segundo a coordenadora de Educação Continuada do Núcleo de SER, Silvane Almeida, foram capacitados 55 profissionais. Além de industriários, participa-

6

Silvane Almeida acompanha o instrutor Jonas da Silva na apresentação do curso

ram também colaboradores do SESI e pessoas da comunidade. “Esse curso de Educação Continuada tem como objetivo capacitar profissionais para conduzir um projeto social. Cada vez mais

as organizações necessitam relacionar- se com as comunidades nas quais estão inseridas, por isso, é importante ter profissionais capacitados para essa atividade”, disse Silvane.

O Instituto Euvaldo Lodi (IEL/AM) e o Serviço de Apoio à Micro e Pequena Empresa do Amazonas (Sebrae-AM) firmaram parceira para implementar o projeto de Gerenciamento Estratégico Orientado para Resultados (GEOR) que objetiva fortalecer o relacionamento dos sindicatos patronais com seus filiados. O ato foi assinado em 24 de março no auditório do Sebrae pelo diretor do IEL, Américo Augusto Esteves, e o gerente da Unidade de Desenvolvimento Territorial do Sebrae/AM, Marcus Lima. O projeto irá oferecer aos sindicatos patronais e seus associados capacitação em Gestão Empresarial, treinamento em Tecnologia e Inovação, consultorias em Tecnologia, Acesso a Mercado e a Finanças. Um dos objetivos da parceria é elevar em 30%, até 2012, o número de associados dos sindicatos. “Esse é um projeto excelente para o IEL, para a Federação das Indústrias e para o Amazonas. Contamos com adesão de todos para o sucesso da parceria”, diz Esteves. O encontro reuniu representantes dos sindicatos que irão compor o primeiro ano do projeto: Sindicato da Indústria da Construção Naval, Sindicato de Panificação, Sindicato da Construção Civil, Sindicato de Confecção, Sindicato de Olaria, Sindicato de Higiene e Beleza e Sindicato Plástico. Na oportunidade, firmou-se o contrato entre o Sebrae e seus parceiros: FFIEAM, por meio do IEL, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas e os Sindicatos.


Ação Global espera 45 mil pessoas Pelo menos 45 mil pessoas atendidas e o dobro desse número em atendimentos. Essa é a meta definida pelo Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas) para a próxima edição do programa Ação Global, que acontece dia 22 de maio no Clube do Trabalhador do Amazonas “João de Mendonça Furtado”, no São José I, zona Leste. Em reunião com instituições parceiras, dia 24 de março, a gerente do Núcleo SESI de Responsabilidade Social Empresarial, Simônica Sidrim, disse que a Ação Global, que vem sendo realizada há 15 anos em

parceria do SESI com a Rede Globo, está evoluindo para se tornar o Investimento social privado (ISP), o repasse voluntário que as empresas fazem para projetos sociais. O SESI Amazonas espera contar com cerca de 90 organizações no evento deste ano. No dia 7 de abril, o Núcleo promoveu a segunda reunião preparatória, utilizando a metodologia “Investigação Apreciativa” para definir estratégias e ações a serem implementadas até o dia do evento. De acordo com o calendário, a reunião geral com todos os participantes está prevista para 5 de maio. Solenidade de inauguração da sala

CRF ganha nova sala de sessões na Sefaz Representantes dos parceiros do SESI participam da segunda reunião preparatória para definir ações da Ação Global 2010

SESI investiga qualidade de vida do trabalhador Os trabalhadores de 20 indústrias do Polo Industrial de Manaus (PIM) estão sendo entrevistados para a pesquisa “Qualidade de Vida do Trabalhador da Indústria” do Serviço Social da Indústria (SESI/Amazonas). Segundo a analista de Comunicação em Responsabilidade Social do SESI, Etienne Lopes, a pesquisa vai entrevistar cerca de 6 mil trabalhadores em 80 indústrias. Portanto, as indústrias contribuintes do SESI que queiram participar da pesquisa podem procurar a instituição. A pesquisa é realizada durante um dia nas depen-

dências da fábrica, geralmente nos horários de almoço e nas trocas de turno. As empresas participantes receberão, gratuitamente, o relatório individual e confidencial da pesquisa que funcionará como um instrumento de gestão, além de contribuir com o SESI na pesquisa que vai revelar como está a qualidade de vida do trabalhador da indústria amazonense. A empresa Action Pesquisa de Mercado é a responsável pela pesquisa que está sendo coordenada pelo Núcleo de Responsabilidade Social do SESI/AM. Informações: 3186-6573/6558.

SENAI/AM passa por sensibilização para MEG O SENAI Amazonas deu início, em fevereiro, à implantação do Modelo de Excelência em Gestão (MEG). O Departamento Regional é o segundo da instituição nacional a adotar os onze fundamentos e oito critérios de melhores práticas administrativas. O responsável por essa sensibilização e acompanhamento é o consultor do SENAI de Santa Catarina, Sandro Bassani. “O SENAI/AM tem o desafio de adotar essas técnicas, oferecendo serviços e produtos com excelência e desenvolver contínua prática de melhorias”, disse o diretor Aldemurpe de Barros.

O 1º vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), Athaydes Mariano Félix, esteve à frente, junto com o secretário de Estado de Fazenda, Isper Abrahim Lima, da solenidade de inauguração da Sala de Sessões “Eurípedes Ferreira Lins” do Conselho de Recursos Fiscais (CRF), que funciona no Edifício Ozias Monteiro, anexo da sede da Sefaz. A inauguração ocorreu no dia 9 de abril. Com a função de dirimir conflitos entre Estado e contribuinte, o CRF tem representantes da Agricultura, Comércio e Indústria. O presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas do Amazonas, Roberto Caminha, é o outro representante da FIEAM, no Conselho. Para o presidente do (CRF), Alísio Cláudio Barbosa Ribeiro, é importante a participação do contribuinte nas sessões de julgamento, onde tem oportunidade de apresentar sua defesa e alcançar a justiça fiscal. O Conselho é composto pela 1ª e 2ª Câmaras de Julgamento, além do Conselho Pleno, que é a reunião das duas Câmaras.

7


cursos

IEL ensina ‘bê-a-bá’ dos eventos Especialista contratado pelo instituto ministra dois cursos voltados para a gestão e recepção de eventos

O

Instituto Euvaldo Lodi (IEL Amazonas) promoveu, de 11 a 13 de março, dois cursos com o especialista em eventos Paulo Celso de Bruin. Nos dois primeiros dias, Bruin ministrou “Gestão de Eventos”, e no terceiro, “Formação Profissional para Recepção de Eventos”. Os dois cursos reuniram 90 alunos. Segundo a sinopse do curso, o conteúdo aplicado por Bruin contribui para fixar um sentido de direção na captação de novos clientes, incluindo as fases de promoção, marketing, abordagem comercial, proposta e preços de serviços. Organizações, como o Tribunal Regional do Trabalho (TRT - 11° região), Fundação Municipal de Cultura e Turismo - ManausCult, e Amazonas Energia tiveram representantes para a capacitação. A assessora de comunicação do TRT, Verena Frota, que participou do curso de Gestão de Eventos, afirmou que o conhecimento vai agregar muito ao seu trabalho.

8

.

O especialista Paulo Celso de Bruin durante o curso de Gestão de Eventos

ENTREVISTA Revista FIEAM - Em sua opinião, o mercado de gestão de eventos é promissor? Paulo Celson de Bruin - No Brasil, a quantidade de eventos cresce de 10 a 20% todo ano, gerando cerca de 170 mil empregos diretos e 550 mil indiretos. A movimentação gerada com um grande evento beneficia a rede hoteleira, os taxistas, restaurantes e a economia da cidade. Por tudo isso investir na carreira de gestor de eventos é um caminho promissor. RF - Quais os itens mais importantes quando se idealiza um evento? Bruin - O cronograma de atividades e a previsão orçamentária. Esse cronograma deve conter todas as atividades a serem realizadas e seu respectivo prazo e responsável. Um cronograma nunca deve conter apenas as responsabilidades da equipe organizadora, é necessário que as responsabilidades do cliente também sejam detalhadas. Já a previsão orçamentária deve ser feita com um alto grau de detalhamento. É ideal solicitar três orçamentos para cada serviço, com descrição igual, e inserir a média dos orçamentos na previsão orçamentária. A verdadeira previsão orçamentária mostra a receita, as despesas e os resultados que o evento irá gerar. RF - Qual o perfil ideal para um profissional

da área de eventos? Bruin - É necessário primeiro gostar da profissão, mas é imprescindível saber trabalhar em equipe, ser criativo, paciente e um bom negociador. Também é importante ser autodidata, porque existem poucos cursos que conseguem formar esse profissional. RF - Quais os principais fatores que levam o público a um evento? Bruin - Existem três fatores básicos. O primeiro é o programa de atividades. O público se interessa ou não pelo tema, pelos palestrantes, pela forma de apresentação. O segundo fator é o preço e a forma de pagamento. O consumidor sempre procura por um custo x benefício positivo. Por fim, a infraestrutura do local e as facilidades de traslado, hospedagem, passagem aérea. RF - Quais são suas dicas para divulgar um evento? Bruin - Tudo depende para qual público você quer comunicar. No caso de eventos científicos ou de áreas segmentadas (profissionais de saúde, atletas, ambientalistas) é interessante divulgar nas revistas especializadas e a alma desse tipo de evento é usar um cadastro especializado de médicos, arquitetos, entre outros.


economia

Otimista, indústria dá a largada para 2010 Na primeira reunião do ano, Câmara Setorial da Indústria dá destaque ao Projeto Copa 2014, que aquecerá setor nos próximos anos

E

m clima de Copa 2014 e ainda comemorando o faturamento recorde registrado em janeiro deste ano pelo Polo Industrial de Manaus (PIM), a Câmara Setorial da Indústria fez sua primeira reunião do ano, dia 25 de março, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), traçando projeções otimistas para o setor nos próximos meses. Durante a reunião, o secretário de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Marcelo Lima Filho, além de trazer os indicadores econômicos atualizados do Amazonas, apresentou as novidades sobre os projetos da Copa do Mundo, entre elas, a definição, por meio de licitação, da constru-

O secretário Marcelo Lima Filho, da Seplan, na reunião

tora Andrade Gutierrez para construir a Nova Arena Multiuso da Amazônia, que substituirá o Estádio Vivaldo Lima como palco dos jogos da Copa do Mundo em Manaus em 2014. A obra está orçada em R$ 499.508.704,17 e, segundo o secretário, vai gerar 1.500 empregos diretos e 4.500 indiretos. A previsão é de que a Arena esteja concluída em 30 de dezembro de 2012, prazo dado pela Fifa (Federação Internacional de Futebol) para a conclusão das

obras dos novos estádios, conforme o portal Copa 2014. Durante a apresentação, Marcelo Lima Filho mostrou o projeto base do Complexo Esportivo do Amazonas, que integrará, no futuro, a Arena da Amazônia ao ginásio poliesportivo Amadeu Teixeira e o Centro de Convenções de Manaus, o Sambódromo. No complexo, a ser financiado por investidores privados, haverá ainda cinemas, teatro, galeria, biblioteca e lojas de conveniência. Na reunião, os membros da Câmara Setorial da Indústria debateram outros importantes assuntos diretamente ligados ao setor, como o tipo de tributo recolhido atualmente pelas indústrias gráficas e a Missão Unido, que trouxe a Manaus grupo de empresários chineses interessados em expandir parcerias e associações estratégicas com o Brasil por meio do Plano de Cooperação China-América Latina (leia matéria na pág. 5). Os membros também discutiram as pendências da Câmara Setorial do ano passado e apresentaram os prognósticos para 2010. (continua na pág. 10).

Projeto base da Nova Arena Multiuso da Amazônia, que integra o Projeto Copa 2014, apresentado na primeira reunião da Câmara Setorial da Indústria, em março

9


Membros da Câmara Setorial da Indústria com o vice-presidente da FIEAM, Athaydes Mariano Félix (2º à esq.) e o secretário Marcelo Lima Filho, da Seplan

Câmara revê pendências A partir da 11ª rodada de negócios, sobre o setor naval no Amazonas, prevista para acontecer ainda neste primeiro semestre, a Câmara Setorial da Indústria quer estabelecer um calendário para as rodadas seguintes a serem apresentadas pelas subcâmeras da indústria madeireira, fotográfica, ótica, da construção civil e bebidas. Essa foi uma das pendências de 2009 discutidas na primeira reunião da Câmara, em 25 de março. Entre os prognósticos para 2010, a Câmara deve acompanhar o desenvolvimento da implantação dos serviços de distribuição do gás no PIM pela Cigás, além de dar continuidade às discussões quanto aos reflexos da crise econômica mundial nas empresas do polo. O faturamento histórico das empresas do PIM, em janeiro, na casa do US$ 2,3 bilhões (R$ 4 bilhões) foi saudado como a melhor marca no mês de janeiro desde 1988. “O mês de março demonstra as projeções otimistas para a indústria este ano”, disse o secretário Marcelo Lima Filho. Indicadores positivos O titular da Seplan ressaltou ainda, durante a reunião, a retomada da produção de celulares pela empresa Samsung no Polo Industrial de Manaus como um dado vantajoso. Segundo Marcelo Lima, está pre-

10

50%

Esse é o percentual da produção de aparelhos celulares no Brasil que deve ficar concentrado com as empresas do Polo Industrial de Manaus, de acordo com estimativa do secretário Marcelo Lima Filho, que comemorou a retomada da produção pela Samsung

visto um retorno para o PIM de pelo menos 50% da produção de celulares no Brasil. Os indicadores mostram um crescimento de 23,8% na produção dos aparelhos em janeiro de 2010 em relação ao mesmo mês de 2009. Quanto à polêmica sobre qual tributo as indústrias gráficas devem recolher, se o ISS (Imposto Sobre Serviço, de âmbito municipal) ou o ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, estadual), o secretário manifestou receio de haver perda de emprego e competitividade, principalmente para o mercado paulista, caso prevaleça o entendimento dos tribunais sobre a natureza do produto que sai dessas empresas, o que favorece o recolhimento do tributo municipal. Marcelo Lima Filho comentou ainda que nenhum representante da Prefeitura de Manaus esteve presente nessa primeira reunião para discussão do assunto e que uma nova reunião, com a presença dos envolvidos, estava prevista para o mês de abril. Ainda na reunião, o secretário anunciou que o interesse dos empresários chineses que visitaram Manaus, na “Missão Unido”, dias 22 e 23 de março, também se voltou para os projetos do monotrilho, do polo petroquímico, mineração e infraestrutura. “Estou muito otimista quanto a estes investimentos e quero encorajar vocês, empresários, a apostarem ideias e novas possibilidades de investimento”, disse.

.


economia

O 1º vice-presidente da FIEAM, Athaydes Mariano Félix, recebe a comitiva de chineses da Missão Unido interessados em associações estratégicas no Amazonas

China quer negociar projetos no PIM Missão chinesa busca detalhes dos projetos estratégicos desenvolvidos pelo Amazonas

U

m plano de negócios entre a China e países latino-americanos trouxe a Manaus, em março, uma comitiva composta por empresários chineses e representantes da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido). Pelo menos 500 das maiores empresas daquele país estão envolvidas no Plano de Cooperação China-América Latina, que prevê a expansão das parcerias e associações estratégicas pelo menos com Brasil e Venezuela. O plano envolve investimentos da ordem de US$ 6 bilhões. No dia 22 de março, a comitiva de empre-

sários e representantes da Unido foi recebida na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), e no dia 23, na sede da Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan). De acordo com a assessoria da Seplan, além do interesse na expansão dos negócios no Estado, os chineses buscaram detalhes dos projetos estratégicos desenvolvidos pelo Governo do Amazonas nas áreas de desenvolvimento industrial, sustentável e infraestrutura com vistas à Copa de 2014. Seplan e Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) vão realizar um mapeamento dos setores com maiores oportunidades de negócios no Amazonas. Junto com FIEAM, Suframa e Seplan, o comitê que vai acompanhar a prospecção dos chineses no Amazonas é integrado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Secretaria Municipal de Economia e Finanças (Semef), Banco da Amazônia, Câ-

mara de Comércio e Indústria Brasil-China e Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica) O gerente do projeto e representante da Unido, Carlos Chanduvi, esclareceu que a visita foi para conhecer projetos interessantes no Estado e que os interessados devem preencher um formulário com a síntese do projeto e os valores necessários para investimento. Segundo ele, os projetos podem ser de associações estratégicas com empresas chinesas, transferência de tecnologias, financiamento ou projetos de infraestrutura. Dando o exemplo do projeto de cooperação com a Tailândia, o gerente mencionou um montante de até 6 bilhões de dólares para o projeto. “Temos capital e tecnologia, mas não conhecemos o mercado brasileiro”, disse o membro da comitiva Tan Weiwen. Os interessados em sugerir projetos devem procurar a FIEAM pelo 3186-6517 ou pelo e-mail fieam@fieam.org.br

.

11


cursos

Certificação de competência Convênio entre SENAI/ AM e Petrobras garante capacitação de 100 trabalhadores em cursos da Abraman

O

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/AM) promoveu em 1º de março, no Auditório Prof. Arivaldo da Silveira Fontes, sede da instituição, na Avenida Rodrigo Otávio, Distrito Industrial, a aula inaugural de quatro cursos preparatórios para certificação de competência da Associação Brasileira de Manutenção (Abraman). Os cursos, oferecidos por meio de convênio do SENAI/AM e Petrobras, beneficiam 100 trabalhadores das áreas de caldeiraria, mecânica de manutenção industrial, eletricista de manutenção e instrumentação. De acordo com o diretor regional do SENAI/AM, Aldemurpe Oliveira de Barros, a proposta dos cursos é elevar o índice de aprovação dos profissionais que procuram esse selo de qualidade mas que acabam não passando na complexa avaliação técnica e de habilidades exigidas pela Abraman. “Com a formação de excelência dos alunos teremos trabalhadores valorizados e uma indústria mais segura e competitiva”, disse Barros. A programação faz parte dos projetos prioritários da Petrobras que, de acordo com o gerente de Comunicação da Refinaria Isaac Sabbá, José Hidelbrando, somarão um investimento de US$ 228 milhões até 2015. O atual convênio com o SENAI/ AM teve subsídio da ordem de R$ 150 mil. Com a parceria, os 100 alunos iniciais estudarão gratuitamente por quase um ano. A duração do curso vai de 328 a 460 horas. “Dei um passo importante na minha vida profissional ao iniciar o curso para conquistar o certificado de mecânico de manutenção”, disse João Miranda, mecânico industrial que atualmente está desempregado.

12

.

Trabalhadores fazem curso preparatório para certificação da Abraman em laboratórios do SENAI Amazonas

Processo de seleção dos alunos A seleção dos primeiros 100 candidatos para as vagas disponibilizadas passou pela aprovação de documentos comprovando idade superior a 18 anos e experiência de no mínimo dois anos na ocupação através do registro na carteira de trabalho. O técnico do SENAI/AM, Eduardo Menezes, destaca a importância do convênio para os profissionais que durante o decorrer deste ano terão a oportunidade de aprofundar-se nos conhecimentos específicos, bem como passar por simulações da rotina industrial na área de manutenção. De acordo com Menezes, os testes da Abraman são complexos e exigem o domínio do profissional tanto na avaliação teórica quanto na avaliação de habilidades

O técnico Eduardo Menezes acompanha o programa

e comportamento do trabalhador. Os exames são realizados em Centros de Exame de Qualificação (Cequal).


saúde

INVESTIMENTO

1,2 bi Jorge Acosta (esquerda), Nelson Azevedo, Ronalto Mota e Isaac Alves Jr., durante a reunião na sede da FIEAM

Equador avança na Rota Manta-Manaus Representantes do país promovem mais uma rodada de discussões sobre a ligação estratégica

R

epresentantes do governo do Equador, empresários e outras autoridades daquele país apresentaram, em reunião na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), uma versão atualizada do Corredor Multimodal Bioceânico Manta-Manaus, projeto que prevê a ligação dessa estratégica cidade equatoriana à capital amazonense. Do encontro participaram representantes do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM), Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan) e Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). No projeto, o governo equatoriano promete investir US$ 1,2 bilhão em infraestrutura e logística – incluindo a construção do porto e do aeroporto de Manta, além da draga-

gem de rios. O subsecretário de Comércio do Ministério de Relações Exteriores, Comércio e Integração do Equador, Jorge Acosta, garantiu que seu país está interessado em estabelecer conexão na tripla fronteira Brasil, Colômbia e Peru, com base nos eixos de integração e desenvolvimento da IIRSA (Iniciativa para Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana). O representante da Seplan, Isaac Alves Jr., disse que o Equador demonstra, com a visita, que está interessado em concretizar a parceria com o governo do Amazonas, tanto no valor do investimento anunciado e nos projetos definidos quanto numa aliança estratégica com Cingapura, em estágio avançado de negociação, o que, segundo ele, sinaliza um avanço no estabelecimento da

Em dólares, esse é o montante que o governo do Equador pretende investir em infraestrutura e logística, principalmente no porto e aeroporto de Manta, no Pacífico (no mapa), ponta de lança para chegar à Ásia rota Ásia-Manta-Manaus. De acordo com o gerente executivo do Centro Internacional de Negócios (CIN), da FIEAM, Marcelo Lima, o Polo Industrial de Manaus tem uma boa relação comercial com o Equador. Em 2008, segundo ele, as exportações do Polo para o país somaram US$ 65 milhões, enquanto em 2009, apesar da crise econômica mundial, o montante chegou a US$ 25 milhões. Os produtos mais vendidos para os equatorianos foram aparelhos celulares e motocicletas. Da sede da FIEAM, a comitiva seguiu para visita às fábricas da Nokia, Brastemp e Dafra, dado o interesse dos equatorianos em verificar a logística utilizada pelas empresas do PIM, especialmente as que mais exportam para o país. O grande interesse dos equatorianos estava no modal que essas empresas usam para escoamento de seus produtos. Fizeram parte do encontro o vice-presidente da FIEAM, Nelson Azevedo, o diretorexecutivo do CIEAM, Ronaldo Mota, a analista técnica da Suframa, Sandra Almeida, e a gerente de Promoção Comercial, da Seplan, Juliane Melo.

.

13


prêmio

‘Prefeito Empreendedor’ sai para Bi Garcia

Márcio Vieira

Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor foi disputado por 19 prefeitos municipais do Amazonas

O

prefeito de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus), Bi Garcia, venceu a etapa estadual do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor 2009. Bi Garcia concorreu com outros 18 prefeitos e, segundo os avaliadores do Prêmio, obteve o primeiro lugar em virtude dos projetos e ações desenvolvidos nas áreas de planejamento urbano, capacitação e formalização de empreendedores e disponibilização de internet gratuita para a população. Bi Garcia vai concorrer com os demais prefeitos empreendedores vencedores da etapa estadual da região Norte. Em solenidade a ser realizada em maio deste ano, em Brasília, durante a Marcha dos Prefeitos, o Sebrae Nacional divulgará o nome dos vencedores de cada região brasileira. A entrega de troféu e diploma ao prefeito Bi Garcia ocorreu no final do mês de março, durante o VIII Encontro de Prefeitos e Prefeitas do Amazonas, um evento realizado pela Associação Amazonense de Esse prêmio é Municípios (AAM) e Se- mais uma forma brae no Amazonas. de o Sebrae Outros três prefeitos estimular o do Amazonas foram desenvolvimento homenageados como local, uma vez Destaque Temático. O que tem por prefeito de Manaus, objetivo mostrar Amazonino Mendes, exemplos de como destaque na cate- geração de goria ‘Médios e Grandes emprego e renda Municípios’; o prefeito nas cidades de São Sebastião do Uatumã (a 329 quilôme- BI GARCIA, tros de Manaus), Carlos prefeito de Parintins Amora, na categoria ‘Educação Empreendedora e Inovação’; e o prefeito de Humaitá (a

14

Bi Garcia (centro), com o diretor Nelson Rocha (direita) e o presidente da AAM, Jair Souto, na entrega do troféu

700 quilômetros de Manaus), Dedei Lobo, foi premiado na categoria ‘Compras Governamentais’, em virtude da regulamentação da LC 123/2006, a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, e aumento da carteira de fornecedores da prefeitura pertencentes ao segmento dos pequenos negócios. De acordo com o diretor-superintendente do Sebrae/AM, Nelson Rocha, o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor foi criado para dar visibilidade e reconhecimento às ações e projetos exitosos implementados por prefeitos em todo o Brasil. “Esse Prêmio é mais uma forma de o Sebrae estimular o desenvolvimento local, uma vez que tem por objetivo mostrar exemplos de geração de emprego e renda nas cidades”, disse o diretor. Para o prefeito Bi Garcia, o Prêmio é um reconhecimento ao protagonismo dos municípios no processo de desenvolvimento do País. “Essa premiação do Sebrae vem justamente mostrar o que está sendo feito em todo o Brasil em termos de desenvolvimento local, que, na prática, significa a geração de riquezas para o País e a perspectiva de melhor qualidade de vida à população. Obrigado ao Sebrae por este reconhecimento”, finalizou Bi Garcia.

.

DESTAQUES PREFEITOS HOMENAGEADOS COM O “DESTAQUE TEMÁTICO” • Amazonino Mendes, prefeito de Manaus, categoria “Médios e Grandes Municípios” • Carlos Amora, prefeito de São Sebastião do Uatumã, categoria “Educação Empreendedora e Inovação” • Dedei Lobo, prefeito de Humaitá, categoria “Compras Governamentais”


competitividade

Premiados no MPE Brasil 2009 Empresa incubada no CIDE, da área de serviços de tecnologia da informação, recebe premiação nacional

Presidente Antonio Silva (dir.) e Ricardo Leite

Gollog mostra serviços em reunião na FIEAM

J

ovens com talento e espírito empreendedor. Esse é o perfil dos empresários da Hexágono Soluções em Tecnologia da Informação (Hexágono STI) que conquistaram o Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas (MPE Brasil 2009). O quarteto de cientistas da computação, composto por Arthur Batista, de 23 anos, Diego Falcão, 26, Magnoluz Silva, 25, e Vander Areosa, 29, conquistou o prêmio na categoria Serviços de Tecnologia da Informação do Estado do Amazonas. O prêmio saiu para mais três empresas do Estado em outras categorias. Empresa incubada há dois anos no Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (CIDE), localizado na Avenida General Rodrigo Otávio, 1866 - Distrito Industrial, a Hexágono STI fornece serviços na área de desenvolvimento de software para as plataformas web e mobile e também presta consultorias. Empresas como o Instituto Nokia de Tecnologia (INdt), Envision e a Federação das Unimeds da Amazônia (Fama) integram o portfólio de clientes. Atualmente, a empresa emprega dez colaboradores que trabalham principalmente em sistemas de grande porte. A premiação O Prêmio MPE Brasil 2009 é promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), e

negócio

Os empresários da Hexágono STI exibem o troféu conquistado por serviços de tecnologia da informação

tem como objetivo reconhecer tanto estadual quanto nacionalmente as micro e pequenas empresas que promovem o aumento de qualidade, produtividade e competitividade por meio de práticas de gestão eficazes. No Amazonas, 127 empresas se inscreveram e 57 foram selecionadas. Em âmbito nacional, as inscrições chegaram a 57 mil empresas, mas apenas 151 foram premiadas. As quatro empresas premiadas do Amazonas foram a Hexágono STI (Serviços de Tecnologia da Informação), Mr.Pizzo (Serviços de Turismo), Bombons Finos da Amazônia (Indústria) e Dexyi (Comércio). As empresas do Amazonas receberam a premiação em 19 de março, no auditório do Sebrae/Am, e, no dia 23, participaram da cerimônia de premiação em Brasília. Para o diretor de Tecnologia e Produtos da Hexágono STI, Diego Falcão, o prêmio reflete a qualidade dos produtos e serviços da empresa que ficou ainda mais motivada na busca pela excelência. Informações sobre a empresa vencedora: (92)3237-6997.

.

A Gollog, responsável pelo serviço de cargas da Gol Linhas Aéreas, ganhou destaque na reunião de diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), em 15 de abril. Segundo o representante da Gollog, Ricardo Leite, a Gol Linhas Aéreas possui mais de 100 aeronaves do tipo 737-700 e 737-800 e opera a maior quantidade de voos diários do país, um total de 829. Um total de 1.200 municípios podem se beneficiar das entregas de cargas de pequeno porte, que são transportados via Gollog. A empresa oferece seis modalidades para o transporte, entre essas, o Voo Certo, onde o destinatário retira a mercadoria no aeroporto, no prazo máximo de 2h após a chegada do vôo. Ricardo comentou ainda que a Gol é a única empresa de baixo custo do mundo que conquistou o Certificado de Qualidade Internacional do setor aéreo (IOSA). “Tudo isso torna a Gollog uma ótima opção para transporte de cargas”, argumentou.

.

15


tecnologia

SENAI Amazonas recebe investimentos de R$ 130 mil para aquisição de máquinas e capacitação

A

Escola SENAI Waldemiro Lustoza, localizada no bairro Cachoeirinha, zona Sul, recebeu, no primeiro bimestre de 2010, mais de 15 máquinas, ferramentas e acessórios de solda, manutenção e de técnicas preditivas. As aquisições representam o investimento de mais de R$ 130 mil do Departamento Nacional para integrar o Amazonas, junto com outros 20 Departamentos Regionais, ao Programa SENAI de Modernização Tecnológica. No SENAI Amazonas, o investimento contemplou, além do aparelhamento dos laboratórios e oficinas de mecânica de manutenção e usinagem, a capacitação dos profissionais de metalmecânica, realizada entre os dias 22 e 24 de fevereiro deste ano em Manaus. De acordo com o gerente de Tecnologia e Inovação do SENAI/AM, José Nabir, o DN disponibilizou linhas de créditos aos distritos que apontaram algumas carências tecnológicas. Nabir ressalta que a instituição deu preferência aos departamentos do Norte e Nordeste, já que há um desfavorecimento logístico e de intercâmbio tecnológico em comparação aos grandes polos industriais do Sul e Sudeste. “A proposta é igualar as diferenças tecnológicas entre os regionais do SENAI e suprir todas as demandas da indústria brasileira”, disse Nabir. Para ministrar as 16 horas do primeiro treinamento de modernização, o DN disponibilizou uma equipe do SENAI do Rio Grande do Sul, formada pelos técnicos em educação profissional de nível básico, Hugo Gerhardt e Fernando Moreira, e os supervisores de capacitação do programa, Sandro Berniere e Alexandra Teixeira. Doze colaboradores do SENAI Amazonas participaram do treinamento, sendo que a meta de capacitação do Programa SENAI de Modernização é capacitar 210 técnicos até junho. O grupo apresentou a metodologia das atividades de serviços técnicos e tecnológicos nas áreas de usinagem e mecânica de manutenção aplicada no DR do Rio Grande do Sul por técnicos, instrutores e alunos do SENAI. Segundo Hugo Gerhardt, o conteúdo teórico do treinamento abordou a crescente

16

Instrutor de Tecnologia e Inovação do SENAI/AM testa novos equipamentos no laboratório

A caminho da modernização

demanda de serviços na área de metalmecânica, principalmente com o uso da tecnologia de usinagem e fresagem a CNC, e a experiência do SENAI/RS em desenvolver tarefas industriais por docentes, técnicos e alunos da instituição. “A metodologia que integra tarefas reais como recurso didático permite que o aluno saia do SENAI com uma formação aprimorada e consciente da demanda da indústria e dos serviços a serem desenvolvidos”, apontou Gerhardt. Na segunda fase do programa, o Departamento Nacional já sinalizou novos investimentos no segmento eletroeletrônico. Os

cursos técnicos, de aprendizagem, qualificação e aperfeiçoamento neste segmento são ministrados na Escola SENAI Antonio Simões, unidade do bairro Distrito Industrial. Conforme Alexandra Teixeira, as aquisições de novos equipamentos eletroeletrônicos para o SENAI/AM devem ocorrer a partir de maio deste ano. A gerente de apoio técnico do SENAI/RS destacou ainda a importância desse acompanhamento para também identificar ações que devem ser desenvolvidas na próxima etapa, como compra de máquinas, capacitação para uso dos equipamentos e a prospecção de consultorias ao SENAI/AM.

.


olimpíada do conhecimento

O diretor regional do SENAI, Aldemurpe de Barros (centro), posa com instrutores e com os alunos vencedores Rayson Marinho (direita) e Silas Ferreira (esquerda)

Ferramentaria dá bronze ao Amazonas

O aluno Rayson Marinho sobe ao pódio ao conquistar 3º lugar na 6ª edição da Olimpíada do Conhecimento

O

aluno Rayson Marinho, 21, da ocupação Ferramentaria, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), conquistou a medalha de bronze na 6ª edição da Olimpíada do Conhecimento, evento realizado no período de 9 a 14 de março no Rio de Janeiro. Neste ano, a instituição local participou da competição com 11 alunos em 10 ocupações industriais, e ainda levou dois alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/AM), que representaram duas ocupações de co-

mércio e serviços. Segundo o diretor do SENAI/AM, Aldemurpe Barros, participar de um evento grandioso como a Olimpíada do Conhecimento é mais um exemplo de que o departamento regional desenvolve a sua missão de formar mão-de-obra qualificada e construir um Brasil mais competitivo e fomentador de tecnologia para a indústria nacional e internacional. “Fazemos a educação profissional com responsabilidade e estamos aqui para validar e ratificar a responsabilidade do SENAI Amazonas”, disse. O Amazonas esteve presente nas ocupações de Ferramentaria, Eletricidade Predial, Mecânica de Refrigeração, Tecnologia da Informação, Eletrônica Industrial, Mecatrônica, Desenho Mecânico em CAD, Fresagem CNC, Tornearia CNC, Tornearia Mecânica, Cabelo e Cozinha. Uma novidade na edição de 2010 foi o

primeiro Worldskills Americas, com a participação de 12 países da América competindo em 24 das 46 ocupações disputadas por alunos dos 27 departamentos regionais do SENAI e SENAC. Realizada no Riocentro, o maior centro de convenções da América Latina, a 6ª edição da Olimp��ada do Conhecimento reuniu 562 competidores. Além de Rayson Marinho, que subiu ao pódio pelo terceiro lugar conquistado em Ferramentaria, o SENAI Amazonas teve como destaque, no evento, o aluno da ocupação de Tornearia, Silas Ferreira, que recebeu o troféu “Estrela Prisioneira”, como o competidor que alcançou a maior pontuação da delegação. Nas ocupações Mecatrônica, com a dupla José Maria e José Celson, e Tornearia a CNC, com Marcos Efraim, o SENAI Amazonas conquistou o certificado de excelência.

17


Desde a seleção estadual, no SENAI/ AM, em 2009, o aluno Rayson Marinho dedicou metade do seu tempo aos treinamentos. Para ele, a competição trouxe experiências que serão importantes no dia-a-dia de trabalho a partir de agora. “A Olimpíada do Conhecimento é um diferencial que levarei para o resto da minha vida. Logo no primeiro dia, na ambientação, conheci ferramentas que até então só tinha visto em catálogo”, disse Rayson. O instrutor Geraldo Galvão, responsável pela capacitação de Rayson, disse que a decisão da ocupação ocorreu no último dia de avaliação quando as peças desenvolvidas pelos alunos foram montadas e analisadas metodicamente pelos avaliadores de ferramentaria. “Tivemos alguns problemas, mas treinamos inclusive para superar os desafios e Rayson conseguiu gerenciar as dificuldades da competição e conquistar a medalha de bronze”, apontou Galvão. Para o instrutor, a vitória na ocupação de ferramentaria teve tanta importância quanto a da Olimpíada de 2008, quando conquistou o ouro em Tecnologia do Plástico. “Sou instrutor do SENAI há 13 anos e durante este tempo tento cumprir o meu dever de educador e instrutor de jovens e adultos para que sejam profissionais preparados para desenvolver serviços de qualidade para a indústria ou para os seus próprios clientes”, disse o instrutor. O encerramento da Olimpíada, depois da cerimônia de entrega de medalhas, ocorreu no dia 14, no Cais do Porto, no centro do Rio de Janeiro. Depois dos dias de tensão e expectativas, Rayson vibrou ao ser chamado para compor o pódio na premiação da ocupação de Ferramentaria. O aluno alcançou média de 65.17. O primeiro colocado foi de São Paulo, e o segundo, de Minas Gerais. Ao receber a medalha de bronze das mãos da diretora de Operações do SENAI Nacional, Regina Torres, Rayson soltou o grito de guerra do Estado: “Pelo Amazonas, selva!” “O SENAI/AM mostrou que oferece qualificação profissional de excelência e a medalha que conquistei é a prova desse compromisso. A conquista do bronze é mais uma prova de que a instituição está em condições de competir de igual para igual com os demais departamentos regionais’, disse Rayson Marinho.

18

.

Rayson Marinho (esquerda) e o instrutor Geraldo Galvão num momento de prova da ocupação Ferramentaria, que rendeu ao aluno a medalha de bronze

A aluna Fabíola Rodrigues (esquerda) e o instrutor Francisco Sávio no estante do SENAI/AM na mostra


A Olimpíada do Conhecimento é um aprendizado para alunos, instrutores, técnicos, observadores e visitantes. Nossos alunos do SENAI/AM estão de parabéns pelo desempenho e participação neste evento ALDEMURPE DE BARROS, diretor regional do SENAI/AM

Os alunos José Celson (esquerda) e José Maria, da ocupação Mecatrônica, durante a finalização da prova na 6ª edição da Olimpíada, no Rio

Amazonas participa do ‘Inova SENAI’ Além de abrigar, em seus cinco pavilhões, etapa nacional do programa, e sendo, nesta fizeram parte do projeto do SENAI/AM. Para as 41 ocupações da maior competição de edição, o único representante da região Nor- Fabíola, a oportunidade de participar do Inoeducação profissional do continente, o Rio- te. Segundo Sávio, o projeto sócioambiental va expandiu sua visão em promover soluções centro, localizado na Barra da Tijuca, no Rio, propõe a utilização de sobras de várias espé- industriais, bem como está promovendo o inacomodou também, entre os eventos parale- cies de madeiras e a diminuição dos riscos de tercâmbio de informações tecnológicas para a los, o WorldSkills Américas, uma mostra dos acidentes de trabalho, além de evitar o uso da sua vida profissional. serviços do Sistema Indústria, espaço para mão-de-obra infantil na produção do espeto “É um privilégio contribuir para a diminuibiblioteca, workshops, palestras e a expoção do desmatamento sição dos 41 projetos do programa Inova da nossa floresta. Para SENAI, etapa nacional. a produção manual de Os projetos do Inova SENAI estão volespetos são derrubados tados à busca de soluções inovadoras ao Esse é o número de espetos fabricados por dia com a mais de 6 mil árvores por processo produtivo e de gestão da indústria inovadora máquina de trefilar madeira apresentado pelo ano, apenas da espécie brasileira. No Amazonas, o instrutor de fer- SENAI Amazonas, único representante da região Norte, ripeira. Com a máquina ramentaria, Francisco Sávio, acompanhou o na Mostra Inova SENAI 2010 de trefilar madeira reaplanejamento dos alunos da Escola SENAI proveitamos as sobras Waldemiro Lustoza com a máquina de trefilar para churrasco. “O projeto é inovador porque de madeira similar à ripeira para ter o mesmo madeira, apresentada no evento. A concepção agiliza a produção de espetos de forma segu- produto, porém com o diferencial de utilizar reda máquina exigiu cinco meses de trabalho ra, econômica e ecologicamente viável”, disse síduos de marcenarias. O equipamento pode por parte de quatro alunos dos cursos de dese- o instrutor. produzir 12 mil espetos por dia, enquanto no nho técnico CAD, ferramentaria e usinagem. A aluna Fabíola Rodrigues foi ao Rio de processo tradicional é de mil por dia”, explicou Pela primeira vez, o SENAI/AM chega à Janeiro representando os outros colegas que Fabíola Rodrigues.

12 mil

19


curso

SENAI forma novos mecânicos para CMA Escola SENAI forma mais 20 soldados do Exército Brasileiro no curso de mecânica de motores a diesel

O

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) concluiu no início de março mais um curso de aprendizagem, fruto de parceria com o Exército Brasileiro. Desta vez, 20 soldados do Parque Regional de Manutenção da 12ª Região Militar receberam certificação no curso de mecânica de motores a diesel. Iniciado no último dia 8 de fevereiro, o curso, que teve carga horária de 160 horas, foi ministrado na unidade móvel da Escola SENAI de Ações Móveis e Comunitárias (ESAMC), do SENAI Amazonas, uma carreta dotada de estrutura para oferecer, com todo conforto, aulas teóricas e práticas. Durante a realização do curso, a carreta permaneceu estacionada na área interna do Parque Regional de Manutenção, pertencente ao Comando Militar da Amazônia (CMA), na Estrada da Ponta Negra, na zona Oeste. De acordo com o instrutor Charles Rodrigues, o SENAI Amazonas atende às necessidades do Exército Brasileiro, tanto as pontuais, como foi o caso desse curso de mecânica, quanto as do programa Soldado Cidadão, por meio do qual, são oferecidas várias modalidades de cursos ao longo do ano. Em 2009, o programa certificou 325 militares de patentes variadas em cinco cursos oferecidos nas bases militares de Ma-

naus e de outros municípios amazonenses. O diretor do Parque de Manutenção, coronel Robson da Silva Fontes, disse que, por meio da parceria com o SENAI, o Exército Brasileiro vem aperfeiçoando seus quadros. “Nós agradecemos ao SENAI por mais essa oportunidade”, disse. A entrega dos certificados aos novos mecânicos aconteceu no dia 12 de março, como parte de uma solenidade de condecorações a um grupo de seis oficiais que se destacaram no cumprimento de suas funções no Exército. Resultado animador Depois de mais de um mês, numa rotina de 8 horas diárias à frente do curso de mecâ-

nica a diesel, o instrutor da ESAMC, Charles Rodrigues, disse que o resultado é sempre animador porque a maioria dos soldados que acompanharam as aulas nunca teve intimidade com a mecânica a diesel. Na prova final, os alunos tiveram que desmontar, montar e fazer funcionar perfeitamente um motor a diesel, como manda o figurino.

O instrutor da ESAMC, Charles Rodrigues (à esq. com os formandos) e a unidade móvel instalada no CMA

20

.


prêmio

A meta é aumentar 10% o número de inscrições neste ano (...) Estamos disseminando a excelência dos modelos sistêmicos em gerenciamento e processo de gestão

O engenheiro Manuel Augusto Cardoso (esquerda) fala sobre “Inovação Tecnológica” no lançamento do edital do PQA 2010, no auditório do SENAI Amazonas

FIEAM lança edital do PQA

A

Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), por meio do Departamento de Assistência à Média e Pequena Indústria (DAMPI), lançou em 31 de março o edital de inscrição do Prêmio Qualidade Amazonas 2010. O PQA, realizado em parceria com o Sebrae Amazonas, está na 17ª edição e tem a finalidade de propagar e incentivar a qualidade organizacional. De acordo com a coordenadora do programa, Erlen Montefusco, o PQA vem ganhando espaço dentro das fábricas e em diversas instituições governamentais, não-governamentais, educacionais, entre outras. Na última edição, o DAMPI registrou 50 inscrições nas modalidades Processo e Gestão. “A meta é aumentar 10% o número de inscrições neste ano. Com a adesão das organizações públicas e privadas estamos disseminando a excelência dos modelos sistêmicos em gerenciamento e processo de gestão”, disse Erlen. No lançamento, o engenheiro eletricista Manuel Augusto Pinto Cardoso, ministrou palestra “Inovação tecnológica”, tema de grande importância, segundo Erlen, visto que a expectativa é divulgar as boas práticas desenvolvidas em produtos, mas, principalmente, nos processos inovadores. Segundo Manuel Cardoso, a qualidade está em evidência internacional, pois a competitividade do mercado a exige. O engenhei-

Inscrições para o Prêmio Qualidade Amazonas podem ser feitas até 7 de junho na sede da organização

ro enfatizou a importância dos profissionais aptos a superarem desafios nos processos e gerenciamento industrial. Para ele, somente as organizações dotadas de programas de qualidade, com envolvimento de todos, dos trabalhadores à alta diretoria, conquistam espaço econômico e social e conseguem manter ascensão no mercado. Na sua avaliação, o capital humano e seu valor intelectual devem receber mais atenção dos empresários, pois é o trabalhador que desenvolve e cultiva a qualidade nos processos industriais. “Um funcionário competente tem discernimento das atividades da empresa e o que sua ação propõe para atender o mercado. Consciente do foco institucional, o trabalhador alinha as idéias inovadoras com a qualidade de serviços, produtos e processos para manter a sustentabilidade da empresa que é a rentabilidade da mesma”, explica o engenheiro. Erlen ressaltou ainda que para facilitar o entendimento das empresas, o DAMPI ofe-

ERLEN MONTEFUSCO Coordenadora do PQA recerá cursos, em abril, para que os participantes aprendam a apresentar os projetos e cumprir os critérios principais para que sejam classificados na mostra da qualidade. A novidade deste ano é a apresentação de um questionário na modalidade processo, descrita no regulamento do ciclo de 2010. Segundo a coordenadora do PQA, a nova formulação da divulgação do programa facilita o entendimento das metodologias solicitadas. As inscrições estão abertas até 7 de junho, na secretaria do PQA, sede da FIEAM, na Avenida Joaquim Nabuco, 1919, Centro, 1º andar, ou pelo site www.pqa.org.br. As organizações podem se inscrever nas modalidades Gestão e Processo, sendo esta última dividida nas categorias Grande, Média, Micro e Pequena Indústria, Serviço/Comércio, Governamental, Organização com fins não-lucrativos, Educação e Saúde. Na modalide Gestão, as categorias são Grande, Média, Micro e Pequenas Organizações, Organizações com fins não lucrativos, Administração direta, Administração indireta, Educação e Saúde.

.

21


programa

O diretor-técnico do Sebrae/AM, Maurício Seffair, fala para micro e pequenos empresários durante o lançamento do programa “Empresas Avançadas” no Amazonas

Soluções estratégicas para microempresas Sebrae/AM lança programa “Empresas Avançadas” para atender e capacitar micro e pequenas empresas

O

Sebrae no Amazonas lançou, em março, o programa ‘Empresas Avançadas’, uma metodologia de atendimento e capacitação voltada para microempresas (MEs) e empresas de pequeno porte (EPPs) com mais de dois anos de existência interessadas em aprimorar sistemas e processos de gestão. O lançamento ocorreu durante a Aula Inaugural do projeto do Sebrae/AM ‘Adensamento da Cadeia Produtiva do Petróleo, Gás e Energia do Estado do Amazonas’, evento que reuniu cerca de 80 pessoas, entre empresários, dirigentes e representantes do Sebrae e da Petrobras. Daniela Cristina Mendes Batista, membro da Unidade de Capacitação Empresarial do

22

Sebrae Nacional, participou do lançamento são o aumento da competitividade e maior do programa. participação das empresas no mercado. “O De acordo com o diretor-técnico do Se- programa Empresas Avançadas foi criado brae/AM, Maurício Seffair, “as perspectivas para oferecer soluções estratégicas capazes de crescimento do setor de petróleo, gás e de permitir a ampliação contínua das empreenergia no Brasil são promissoras, por isso sas”, explicou. é importante que as micro e pequenas emAinda de acordo com Maria José, o propresas estejam preparadas, e o programa grama Empresas Avançadas é composto de Empresas Avançadas vai apoiá-las nesse sete soluções, ou módulos de treinamentos, processo”. tais como Gestão Financeira, Encontros Na ocasião, empreEmpresariais, Decisão na Visão Sistêmica sas que participam do e Gestão Financeira. projeto de petróleo e gás No Amazonas, a meta do programa, aderiram ao programa Esse é o número até dezembro deste ano, é atingir 170 Empresas Avanças e de- de micro e empresas. As empresas interessadas em verão receber treinamen- pequenas participar do Programa devem procurar a to de acordo com a meto- empresas que Unidade de Capacitação Empresarial do dologia. o Sebrae/AM Sebrae/AM, na sede da entidade, rua LeA gerente de capaci- pretende atingir onardo Malcher, 924, Centro. Informações tação empresarial do Se- até dezembro pelos telefones 0800 970 0800, ou (92) brae/AM, Maria José Al- deste ano com 2121-4948. As empresas precisam ter ves da Silva, apresentou o programa mais de dois anos de atuação no mercado os benefícios e vantagens Empresas e ter consolidado, ou em fase de consolido Programa e disse que Avançadas no dação, uma estrutura mínima de departaos resultados esperados Estado mentos administrativos e operacional.

170

.


saúde

‘Saúde da Mulher’ colhe bons frutos

Depois de um ano de atividade, Programa do SESI se firma ao disponibilizar preventivo para trabalhadoras

C

erca de 250 novos casos de câncer de mama são detectados anualmente no Amazonas. É a segunda maior incidência da doença no Estado (18%), entre as mulheres, superada apenas pelo câncer de colo de útero (52%). Os dados foram revelados pelo mastologista e cirurgião oncoplástico do SESI Amazonas, Luciano Brandão, na primeira quinzena de abril, durante campanha de sensibilização de mulheres trabalhadoras na construtora Andrade Gutierrez, na Avenida Djalma Batista, 3637, em Flores. A campanha faz parte do Programa SESI Saúde da Mulher, coordenado por Brandão, que há exatamente um ano realiza ações de prevenção e diagnóstico de câncer de colo de útero e mama no próprio local de trabalho das mulheres industriárias do Amazonas. Segundo Brandão, o número de diagnósticos dos dois tipos de câncer aumenta a cada ano, mas essa não é uma notícia ruim. “O crescimento significa que os diagnósticos estão sendo realizados com eficácia. Quanto antes se fizer o diagnóstico, maiores são as chances de tratamento”, afirma. Brandão diz que o melhor tratamento é a prevenção. A enfermeira do trabalho da construtora, Eliana Brígida, disse que a empresa hoje emprega cerca de 50 mulheres. “O programa do SESI atende nossas necessidades, pois além de cuidar da saúde de nossas colaboradoras faz isso na própria empresa”, diz. O programa foi concebido para funcionar numa unidade móvel, por meio da qual oferece às empresas do Pólo Industrial de Manaus (PIM) a possibilidade de exames no próprio local de trabalho. Mais informações no SESISAÚDE (Avenida Getúlio Vargas, 1.116 – Centro) ou pelos telefones 3186-6621/6614.

.

O médico Luciano Brandão e as enfermeiras Dagmar Silva e Alessandra Júnia durante palestra

Busca ativa por trabalhadoras Lançado em 27 de abril de 2009, como projeto-piloto, o Programa SESI Saúde da Mulher, a bordo de uma unidade móvel, vem realizando a busca ativa da mulher trabalhadora da indústria amazonense. Nesse período, o programa coletou 135 preventivos em cinco locais da cidade, a maioria empresas do PIM. De acordo com a enfermeira Dagmar da Silva, a unidade móvel fica em média 10 dias na empresa que solicitou atendimento. As atividades começam com uma palestra de sensibilização para as trabalhadoras com a equipe do programa: um médico mastologista, duas enfermeiras, duas assistentes sociais e uma coordena-

dora administrativa. Em seguida à palestra, o serviço social aplica o questionário sobre o estado de saúde (anamnese) da trabalhadora e é iniciada a coleta do preventivo. Após 20 dias, a equipe retorna à empresa para entrega dos exames e aplicação da pesquisa de satisfação. Dagmar diz que a equipe do SESI retorna uma vez mais à empresa para apresentar o relatório com o diagnóstico da trabalhadora. O Programa SESI Saúde da Mulher atende em média 25 mulheres trabalhadoras em cada empresa visitada. Em 6 de maio, o programa inicia o mesmo trabalho na empresa Brady Brasil.

23


jogos nacionais

O superintendente do SESI/AM, Luiz Medeiros

O

Amazonas conquistou oito medalhas na 6ª edição do SESI Jogos Nacionais, de 21 a 25 de abril, em Bento Gonçalves (RS). Foram duas de ouro, duas de prata e quatro de bronze, no melhor resultado obtido pelo Estado em competição nacional. Os jogos reuniram 1.020 trabalhadores-atletas de 224 empresas industriais do País. Mesmo reclamando do frio de 8ºC em pleno outono gaúcho, a trabalhadora-atleta Valéria Gama, da Moto Honda, conquistou o 1º lugar no arremesso de peso, com a marca de 9m70. A outra medalha de ouro veio da natação, com Fernanda Barbosa, da Nokia, na prova de 50m borboleta, com o tempo de 30seg97. As duas medalhas de prata também vieram do atletismo: Jackson Mendes, da Steck, nos 3.000m, com o tempo de 8min57seg90, e Deise Rodrigues, da Jabil, nos 1.500m, com o tempo de 5min41seg32. Deise acabou conquistando também a medalha de bronze no revezamento 4x100, junto com Greiciany Brasil, Elisângela da Silva e Cleise Soares, da Jabil. Duas das medalhas de bronze foram conquistadas na natação: Fernanda Barbosa, da Nokia, na prova de 50m peito para atletas acima de 16 anos, e Daniele Silva, da Honda, nos 50m peito na categoria acima de 25 anos. A oitava medalha veio do tênis de quadra com Ivanildo Belém, da Samsung, da categoria C, acima de 45 anos. A representação amazonense composta por 110 trabalhadores-atletas de 16 empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) disputou nove das dez modalidades oferecidas

24

A trabalhadora-atleta Valéria Gama exibe a medalha que conquistou no arremesso de peso no Rio Grande do Sul

AM traz ouro, prata e bronze da Serra Gaúcha na edição nacional: futsal, futebol sete master, tênis de mesa e de quadra, atletismo, natação, futebol de campo, vôlei de praia e de quadra. O Amazonas só não teve representante no xadrez. Encontro de superintendentes O superintendente do SESI/AM, Luiz

Alberto Medeiros, que se encontrava em Bento Gonçalves para participar do Encontro de Superintendentes do SESI, destacou a participação da delegação do Amazonas nos Jogos pelo empenho e conquistas das medalhas. Para ele, o SESI/AM cumpre a sua missão de levar ao trabalhador práticas saudáveis que contribuem para a elevação da qualidade de vida e produtividade.


Deise Rodrigues, da Jabil (segunda à direita) era a favorita nos 400m mas acabou ficando em quarto lugar no SESI Jogos Nacionais, em abril, em Bento Gonçalves

Brasil quer ser potência olímpica

Marcus Vinícius Freire, do COB, esteve nos Jogos

Mais resultados A delegação amazonense conquistou outros resultados expressivos nos Jogos Nacionais. O time de futebol da Moto Honda ficou em 4º lugar; na natação, o revezamento 4x50 feminino, acima de 25 anos, da PST, ficou em 4º, e o revezamento 4x50 masculino, da Philips, ficou em 5º. No atletismo, o revezamento 4X100 masculino, da Jabil, ficou em 5º, e a atleta Jocelma de Freitas, da Salcomp, ficou em 4º lugar nas provas de 100m e 200m. A medalhista Valéria Gama disse que a marca conquistada por ela nos Jogos poderia ter sido melhor se não fosse o frio, que dificultou os movimentos travando sua musculatura. Valéria trabalha há dez anos como oficial de produção na Moto Honda e garantiu vaga para os Jogos Mundiais do Trabalhador, de 1º a 7 de julho deste ano, em Tallin, na Estônia, Europa. Os atletas Jackson Mendes, da Steck, Deise Rodrigues (Jabil) e os de tênis de quadra Ivanildo Belém (Samsung) e Wladimir Conde (Panasonic), também asseguraram vaga para o Mundial.

.

Enquanto os trabalhadores-atletas se digladiavam no Centro de Esportes do SESI, principal arena onde os Jogos Nacionais foram disputados, os superintendentes dos 27 departamentos regionais da organização se reuniam no Spa do Vinho Hotel, no Vale do Vinhedo, em Bento Gonçalves. Na condição de convidado, o superintendente-executivo de Esportes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Marcus Vinicius Freire, fez palestra sobre os Jogos Olímpicos e disse que, depois de conseguir o

direito de sediar a competição, em 2016, o Brasil leva adiante o sonho de tornar-se uma potência olímpica. Segundo Venícius, o programa Atleta do Futuro, lançado pelo SESI Nacional (em Manaus, 2008), vai dar grande contribuição aos esportes e poderá revelar valores para a Olimpíada. Ele disse que o trabalho para se formar um atleta de ponta leva pelo menos oito anos. O projeto do SESI hoje beneficia cerca de 150 mil crianças e adolescentes em dez estados brasileiros.

QUADRO DE MEDALHAS Resultado da participação amazonense no 6º SESI Jogos Nacionais MEDALHA OURO

ATLETA/EQUIPE Valéria Gama Fernanda Barbosa

PRATA

Deise Rodrigues Jackson Mendes

BRONZE

Fernanda Barbosa Daniele Silva Equipe Ivanildo Belém

MODALIDADE Atletismo (arremesso de peso) Natação 50m borboleta Atletismo (1.500m) Atletismo (3.000m) Natação (50m peito*) Natação (50m peito**) Atletismo (revezamento 4x100) Tênis de Quadra (categoria C***)

EMPRESA M.Honda Nokia Jabil Steck Nokia M.Honda Jabil Samsung

*Acima de 16 anos / **Acima de 25 anos / ***Acima de 45 anos

25


esporte

Amazonas fica em 1º na Copa Norte de Karatê

‘Peixinhos’ do SESI ganham mérito aquático Premiação da FADA contemplou, em março, 18 atletas de várias categorias da Escolinha de Natação do SESI Amazonas

D

ezoito atletas de várias categorias e modalidades da natação do Clube do Trabalhador do Amazonas (CTAM) “João de Mendonça Furtado” foram premiados com o Mérito Aquático “Waldir de Oliveira”, entregue no dia 12 de março, em cerimônia no Atlético Rio Negro Clube. No evento, que é iniciativa da Federação Amazonense de Desportos Aquáticos (FADA), foram premiados os três melhores atletas amazonenses de cada categoria. A Escolinha de Natação do SESI, que funciona no CTAM, conquistou quatro pri-

26

meiros lugares na premiação: na categoria Aspirantes, com o atleta Luiz Queiroz (infantil–masculino), e na categoria Estreantes, com os atletas Monick Soares (petiz-feminino) e Caio Borda (infantil– masculino). A Escolinha do SESI também faturou o primeiro lugar no Circuito Masters, com o atleta João Ribeiro (Master C-masculino). Pelo SESI também receberam o Mérito Aquático sete atletas do Circuito de Aspirantes, um no Circuito de Águas Abertas, três no Circuito de Estreantes e três no Circuito de Masters. Segundo a instrutora de natação do SESI, Maria da Conceição Botelho, a premiação é uma forma de incentivo para os atletas. “Eles dedicam-se o ano inteiro para a modalidade. Ter reconhecimento do seu esforço é importante. Nossa participação foi positiva devido à disciplina e dedicação de nossos atletas”, diz a instrutora.

.

O Amazonas conquistou o 1º lugar na 9ª Copa Karatê Interestilos realizada dia 10 de abril, no ginásio de esportes Domício Velloso, do Clube do Trabalhador do Amazonas. A segunda colocação ficou com estado de Roraima, e a terceira com o Pará. Por associação, a Olímpico Star (Roraima) ficou em 1º lugar, a Shotokan (SESI Amazonas), ficou em segundo e a Tekikan em terceiro lugar. A competição reuniu 190 atletas de 10 associações desportivas dos Estados Amazonas, Pará e Roraima. O Amazonas participou com uma delegação de 100 atletas, 40 deles alunos do SESI.

SESI fatura ouro no Amazon Open de Jiu-Jítsu A equipe de jiu-jitsu do SESI Amazonas levou quatro prêmios no 8° Amazon Open de Jiu-Jitsu Esportivo 2010. Iniciativa da Federação Amazonense de Jiu-Jitsu e Esporte (FAJJE), o evento foi realizado em 6 e 7 de março no Centro de Esporte e Lazer Ninimberg Guerra, no bairro São Jorge, zona Oeste. A competição reuniu atletas de 40 academias de Manaus. O SESI participou com cinco atletas e faturou três medalhas de ouro e uma de prata. Os faixas branca Lucas Rizi e Sarah Bezerra conquistaram, respectivamente, 1º e 2º lugares na categoria juvenil (meio pesado). Ennio Luzeiro (categoria master, peso médio) e André Hardy (categoria adulto, peso médio) também faturaram a medalha de ouro.


memória

Profª Emina é sinônimo de Educação no SESI

Q

uando visitamos as instalações da Unidade de Educação 3, denominada “Dra. Emina Barbosa Mustafa”, não imaginamos a importância desse nome para o Serviço Social da Indústria (SESI Amazonas). A educadora Emina iniciou sua carreira no SESI em 1951, quando a instituição tinha apenas dois anos de existência. Na época, o SESI/AM funcionava como delegacia regional e era comandada por Francisco de Oliveira Régis. A então estudante da Faculdade de Direito do Amazonas entrou no SESI como datilógrafa e chegou ao cargo de superintendente. Emina acompanhou o desenvolvimento do SESI durante os quase 40 anos em que integrou o quadro funcional da organização.

Professora que dá nome a uma das Unidades de Educação do SESI é homenageada nos 50 anos da FIEAM “Quando entrei no SESI, a sede era na Rua Monsenhor Coutinho, 529 (Praça do Congresso) e nós éramos uma família”, relembra, contando que a equipe, em 1951, totalizava 18 pessoas. Os médicos José Rayol dos Santos (pediatra), Comte Telles de Souza (clínico geral), Waldir Vieiralves (cirurgião) e Waldir Medeiros (obstetra) são lembrados com cari-

nho, assim como os assistentes sociais Icléa Barauna, Luci Cordovil e Bismarck Barauna. A recepcionista Almerinda Soares Prudente, o “seu” Alceu (serviços gerais) e dona Nazaré (copeira) também fizeram parte daquela equipe pioneira do SESI. Depois de formada em direito, Emina passou a gerenciar a carteira jurídica do SESI que na época orientava trabalhadores e emitia registro de nascimento. Porém, a paixão pela educação sempre foi marca registrada de Mustafa. Como foi educada em internatos, como o Progresso e o São Francisco de Assis, a rotina de uma escola era bastante familiar para a jovem que, logo após terminar os estudos, começou a lecionar. Em 1964, ela foi selecionada entre 12

A professora Emina Barbosa Mustafa posa com funcionários e alunos do SESI durante a visita que fez à Unidade de Educação que leva seu nome

27


professoras para fazer um curso em São Paulo. Foi lá que ela formou-se em Especialista em Educação para a América Latina e também Especialista em Recursos Audiovisuais. Nessa época, Emina passou por cerca de 50 estabelecimentos de São Paulo, da escola de chão batido ao Jóquei Clube, cujas aulas eram freqüentadas por filhos de diplomatas. Retornando ao SESI, Emina Mustafa foi responsável pela instalação da primeira creche da instituição, a Unidade de Educação “Dr. Adalberto Ferreira do Vale”, localizada no Conjunto Ica Paraíba e que até hoje atende crianças entre 2 e 10 anos, principalmente filhos de industriários. A professora fez o projeto de transformação da Unidade de Educação “Dioclécio de Miranda Corrêa”, localizada no bairro São Jorge, e instalou, em 1989, na gestão do empresário João de Mendonça Furtado à frente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), a Unidade que recebeu seu nome, localizada na Alameda Cosme Ferreira, no São José I, ao lado do Clube do Trabalhador do Amazonas. Ao ser lembrada sobre as comemorações dos 50 anos da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), ela relembra que trabalhou com quatro dos seis presidentes da instituição: Abrahão Sabbá, Antônio Simões, João de Mendonça Furtado e Francisco Garcia. Sobre Antonio Simões, ela diz: “Era um homem educado, de visão. Dizia que não tinha grandes instruções, imagina se tivesse. Ele nos ouvia e elogiava os bons trabalhos”.

.

Vista da Unidade de Educação Dra. Emina Barbosa Mustafa, cujo nome homenageia ex-professora do SESI

28

PERFIL Nascida em 30 de novembro de 1926, Emina Barbosa Mustafa é filha de pai libanês e mãe amazonense. Seu nome é de origem árabe. Ela nasceu na região do rio Purus, no seringal de seu pai, denominado Mamoriá. Veio a Manaus pela primeira vez aos 6 anos, a bordo de navio da empresa J.Leite, mas acabou voltando para o seringal. Aos 9 anos de idade, acompanhada de suas irmãs Eleonora, Elba e Fátima, entrou para o colégio interno Progresso, coordenado por Julia Barjona Labre, chamada carinhosamente de Dona Julita. Nessa escola, Emina permaneceu até os 16 anos e fez importantes amizades que se eternizaram, entre elas com o empresário Philippe Daou. Cursou a escola normal onde hoje funciona o Palacete Provincial, na Praça da Polícia, e mudou-se para seu segundo lar, o Colégio São Francisco de Assis, do casal Fueth Paulo Mourão e Leonor Santiago Mourão. Emina e suas irmãs frequentavam os cinemas Guarani e Polytheama. Sempre muito protegida, ela lembra que “seu” Vasco, gerente do cinema, ia pegá-las em casa, as sentava nas cadeiras e distribuía balas para cada uma. Ao final da sessão, as quatro irmãs permaneciam sentadas até que “seu” Vasco as levasse de volta para casa na maior segurança.

Muito bem relacionada, Emina conhece as tradicionais famílias manauaras, já que teve entre seus professores os governadores Enoch Reis e Plínio Coelho, além de cultivar amizade com um seleto grupo de amigas da alta sociedade amazonense. Em seu histórico de viagem, as cidades mais visitadas são Paris, Roma e Jerusalém. Emina comenta que a melhor viagem realizada foi à terra de seu pai, o Libano, quando foi acompanhada de Philippe Daou e a família dele. Hoje com 83 anos de idade, resume assim sua formação: “Nossa educação e vida com qualidade foi fruto do seringal, da borracha e da lenha”.


negócios

MegaBazar aquece reduto da moda Empresas incubadas no Centro “Dolores Garcia” criam evento para apresentar Polo de Moda ao público local

A

s nove fábricas do Polo de Moda do Amazonas abriram as portas, entre 11 e 13 de março, para mostrar suas últimas coleções, no 1º MegaBazar, evento cujo objetivo era aquecer as vendas do setor. O 1º MegaBazar aconteceu na sede do Polo, o Centro Integrado do Trabalhador “Dolores Rodrigues Garcia”, na Avenida Vivaldo Lima, 361, Alvorada 1, onde as nove

A empresária Flor Vieira mostra suas criações

empresas estão incubadas. Para a diretora-executiva do Polo, Allexsandra Ebrahim, depois das capacitações e das coleções finalizadas chegou o momento de mostrar o Polo de Moda. “O MegaBazar é o primeiro de uma série de eventos que pretendemos realizar. O objetivo é fazer com que as empresas locais entrem nos planos de consumo do público amazonense”, vislumbrou a diretora. Inaugurado em maio de 2009, a partir da reunião de nove indústrias no Centro Integrado Dolores Garcia, o Polo de Moda foi criado por meio de parceria entre a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) e o Sindicato da Indústria de Confecções (Sindconf) para funcionar como incubadora de empresas.

Em três dias, o MegaBazar ajudou a divulgar a produção das nove empresas incubadas no Centro Integrado do Trabalhador “Dolores Garcia”, da FIEAM

29


As nove indústrias reunidas no Polo de Moda do Amazonas produzem moda praia em larga escala, moda feminina, moda infantil e acessórios, como bijuterias, biojóiasm bolsas, cintos e chapéus. As roupas acompanham as últimas tendências da moda, já que a internet, as revistas e a televisão são as grandes aliadas dos produtores locais no momento de criar as peças. O diferencial de algumas peças, principalmente das biojóias, é o conceito amazônico. Os fabricantes produzem e vendem os produtos no próprio Polo e tem como clientes, principalmente, os lojistas da cidade, que compram a mercadoria com descontos. As fábricas também vendem diretamente para os consumidores, basta visitar o Polo localizado na Avenida Vivaldo Lima, 361- Alvorada 1 (Centro Integrado do Trabalhador “Dolores Rodrigues Garcia”).

.

Estilistas e costureiros têm espaço para desenvolver suas próprias ideias nas nove empresas incubadas

Preços acessíveis, além da qualidade das peças, também ajudaram a atrair um público expressivo durante os três dias do MegaBazar, no Centro do Alvorada

Moda praia, roupa infantil e biojóias sofisticadas As irmãs Kelly e Kássia Maia são donas da marca Chá de Verão, especializada em moda praia. Os ‘looks’ criados pela dupla são fruto da experiência de Kássia como costureira e dos estudos de Kelly que se formou em Gestão da Moda. Juntas, elas criam peças bonitas a preços acessíveis e empregam um total de oito pessoas. Inspirada nas netas Juliana e Giovana, a empresária Maria do Carmo criou a marca de moda infantil Kurumins & Kuiantãs.

30

“Apostei, principalmente, nos vestidos que resgatam a verdadeira essência da criança”, disse a empresária. Muita estampa, laços, e produções angelicais marcam a moda produzida para as ‘kuiantãs’. Em breve, a marca lançará os modelos para meninos. Exemplo de empreendedora de sucesso, a proprietária da indústria Amazônia Empório Sustentável, Flor Vieira, produz biojóias sofisticadas com matéria-prima regional, além de aviamentos para roupas e bolsas,

tiaras e colares de tecido. No ramo do artesanato há mais de dez anos, Flor não para de estudar e se aperfeiçoar para crescer como empresária da indústria da moda do Amazonas. Além das marcas Chá de Verão, Kurumins & Kuiantãns e Amazônia Empório Sustentável, o polo reúne as marcas de Nicca Moda Feminina, Tammy Pezzi, Moda Flor Amazônia, Top da Amazônia, Terrakota e Pérolas da Amazônia.

.


teatro

Fito agita Manaus Festival Internacional de Teatro de Objetos, promovido pela FIEAM e SESI, levou mais de 23 mil pessoas ao Studio 5 em abril

D

epois da distribuição de ingressos, formação de filas e plateia instalada, começa o espetáculo e entra em cena o personagem principal: um palito de fósforo, uma torneira ou um par de sapato. Este é o conceito do Festival Internacional de Teatro de Objetos (FITO), evento inédito e gratuito, promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) e Serviço Social da Indústria (SESI), que marcou o calendário cultural de Manaus entre 15 e 18 de abril. Pelo menos 23 mil pessoas, de acordo com os organizadores, passaram pelo Studio 5 Centro de Convenções, na zona Sul, onde 10 companhias de teatro do Brasil e de países como França, Itália, Bélgica e Argentina, apresentaram 11 espetáculos totalizando mais de 60 sessões em quatro salas-teatro. Pelo segundo ano consecutivo, o FITO saiu em turnê pelo País, depois da estréia, em março, em Porto Alegre (RS). De Manaus o festival seguiu para Belo Horizonte (MG). O evento foi idealizado pela artista pernambucana Lina Rosa Vieira, também idealizadora do Festival Bonecos do Mundo que o SESI trouxe a Manaus em 2007. Além dos espetáculos teatrais nada convencionais, com média de duração de 50 minutos, o festival contou com programação paralela, incluindo as FitoMostras, com performances instantâneas, desfile de objetos gigantes, exibição de curtas-metragens, duas oficinas (uma de vídeo com objetos) e outra de introdução ao teatro de objetos), exposição de “cacarecos” (objetos antigos e raros) e show do grupo mineiro Uakti, de música instrumental.

Entre os espetáculos, a companhia argentina Fernán Cardama apresentou a peça “Histórias de Meia Sola”; da Espanha, a Companhia La Chana Teatro trouxe “O Pequeno Vulgar” e “Entre Dilúvios”; da Bélgica, a companhia Gare Central apresentou “Klikli”, que narra a história de um garoto que, na solidão do seu quarto, torna-se o rei de uma cidade mágica habitada pelos objetos que o rodeiam. A maior curiosidade do festival foi a montagem da peça clássica “O Avarento”, do francês Molière (1622-1673),

pelo grupo Tábola Rassa, vindo de Barcelona, na Espanha, e voltada para o público adulto. Em cena, dois atores manipulam objetos, como torneiras, tubos e mangueiras, numa versão atípica deste clássico do teatro mundial. O casal Ena Naftali, 21, estudante, e Clendson Ferreira, 31, fazendário, assistiu, num dia, ‘Klikli’, e, no dia seguinte, “O avarento”. Para Clendson a criatividade foi o grande diferencial do festival. “Essas apresentações são de primeiro mundo. Isso é inédito em Manaus”, disse o fazendário.

O ator Jaime Santos Mateos em cena da peça “O Pequeno Vulgar” apresentada no festival

31

31


Hall do pavilhão do Fito, no Studio 5, recebeu apresentações avulsas de artistas do grupo paulista XPTO manipulando os mais variados tipos de objetos

Objetos cheios de vida Depois da pré-estréia, dia 14, para pacientes da Fundação Centro de Controle e Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), o Fito entrou em cartaz no dia 15 com eventos para todos os gostos e públicos. Às 16h30, todos os dias, começava o desfile de objetos gigantes no hall do pavilhão onde se concentraram as atividades do festival. Um par de botas acompanhado do desodorante para pés Xulex, disputava a atenção do público com mouses e suas ratoeiras gigantes, ferro de passar e secadores de cabelo. A criançada adorou o revólver que atirava serpentina e fumaça. Os desfiles foram realizados nos quatros dias de evento, acompanhados por uma banda ao vivo. As Unidades de Educação (UE) do SESI organizaram excursões de alunos ao Fito nos dias 15 e 16. A turma do segundo ano da UE “Dr. Dioclécio de Miranda Corrêa”, localizada no São Jorge, foi acompanhada da professora Marcelânia Carvalho e interagiu na FitoMostra “Evacuação Mundial”, com o ator Alex Bartelli, da Companhia XPTO (São Paulo). Os alunos testaram o conhecimento adivinhando os personagens representados por objetos. Para a aluna Gabriela Freira, 8, um livro era um passarinho, e para Charles Júnior, 6, um objeto de metal se transformou em fantasma e escorpião. Uma das atrações que mais chamou a atenção do público foi o trabalho da companhia italiana La Voce Delle Cose (a voz das coisas, em tradução literal), com “Máquinas para o Teatro Inconsciente”, em que dois participantes, ambos com fones de ouvido, ficam frente a frente numa cabine. Enquanto um recebe instruções para usar determinados objetos, o outro ouve a historinha que aqueles objetos estão contando. Depois, os participantes trocam as posições e conhecem o outro lado da brincadeira.

32

No alto, alunos do SESI interagem com ator do XPTO; acima, revólver de ar é acionado


Cena do espetáculo “Histórias de Meia-Sola”, da companhia argentina Fernán Cardama, que teve sessão especial para os empregados do SESI Amazonas no dia 16

Água é tesouro em ‘O Avarento’ A clássica comédia francesa “O Avarento”, de Moliére, foi apresentada no Fito de forma ainda mais divertida, graças à produção da companhia espanhola Tabola Rassa. Como no original, a trama envolve um núcleo familiar só que os personagens são torneiras cheias de personalidade. O pai, personagem central (torneira dourada) é muito rabugento e tem como tesouro a água que esconde num cofre. Sua filha Elisa apaixona-se pelo funcionário Valério, mas a intenção do avarento é casá-la com o Senhor Anselmo, um idoso muito rico, ou melhor, muito molhado. Durante a trama pai e filho disputam a mesma mulher, Marina, e o filho rouba o tesouro do pai. No fim da trama, o filho pede que o pai escolha entre a mulher e o tesouro e o avarento prefere a água. Os filhos se juntam aos seus pares e o pai permanece apaixonado por seus 450 mililitros. A releitura é um alerta, já que o uso inadequado do recurso tornará a água mais valiosa que dinheiro daqui a alguns anos. O espetáculo, com duração de 75 minutos, foi aplaudido de pé pela plateia que prestigiava o Festival.

Era uma vez ‘o pequeno vulgar’

Grupo francês faz ‘A Criação’

O espetáculo espanhol “O Pequeno Vulgar” (“Vulgarcito”) interpretado pelo ator e fundador da Chana Teatro, Jaime Santos Mateos, foi uma das apresentações que mais envolveu a plateia do Fito. A peça retrata um mundo feito de peças de xadrez e objetos em miniatura manipulados unicamente por Mateos. Por meio de muita música, rima e interação, a encenação conta a história do pequeno João, um pobre menino que não consegue seguir corretamente os conselhos de seu “vozinho”. Tudo o que faz é de maneira atrapalhada, até que ele conhece uma princesinha que mora num reino triste. O espetáculo tem duração de 45 minutos de puro encantamento. E o momento que certamente ficou na memória de todos que assistiram foi a cantiga entoada pelo diretor a cada mudança de cena: “leitinho, leitinho, minha mãe dá no peitinho, na cadeira, na cadeira, na cadeira, minha mãe me dá mamadeira”.

O grupo francês La Balestra precisou de 20 minutos para criar e destruir o mundo na peça “A Criação”. Dessa vez, os personagens são representados por palitos de fósforo. Do nada, três atores criam o mundo sobre uma velha tábua de passar, as pernas amarradas para não desabar. A aventura humana no planeta é contada assim, nessa forma precária. O mundo é criado a partir de um balde de terra despejado sobre a tábua. Surge o primeiro casal, do Gênesis. E os palitos são consumidos no fogo do amor. A terra é ocupada numa rapidez impressionante. Aí os palitos-homens inventam Babel e a guerra vira o principal passatempo. Exércitos de palito marcham para serem queimados, chorados, novamente erguidos até a última batalha, que é feita ao som da “Cavalgada das Valquírias”, de Wagner, numa cena que remete ao “Apocalipse Now”. Bombas, helicópteros, rajadas de metralhadoras, tudo na voz dos atores. No final, a terra em miniatura arde em chamas enquanto a luz baixa em resistência. Os atores prendem a atenção da platéia - a maioria crianças - sem usar uma palavra reconhecível em qualquer idioma. Mágica que só o teatro pode fazer.

33


artigo

ZFM, idade madura com pleno sucesso

Reprodução

Raimundo Lopes Filho* Ao completar quarenta e três anos de sua criação através do Decreto- Lei n°. 288, de 28 de fevereiro de 1967, a Zona Franca de Manaus - ZFM atinge a chamada idade madura com pleno sucesso. O modelo ZFM inicialmente foi concebido para vigir por um período de vinte e cinco anos, em uma área restrita de dez mil quilômetros quadrados, incluindo a cidade de Manaus e seus arredores. Posteriormente, a vigência do modelo foi prorrogada por duas vezes e, na hipótese de não haver nova postergação, sua data fatal ocorrerá no ano 2023. Da mesma forma, sua área de atuação foi ampliada para a chamada Amazônia Ocidental, composta pelos estados do Amazonas, Acre, Roraima e Rondônia, além do estado do Amapá que, apesar de estar localizado na parte oriental da região, também usufrui dos benefícios do modelo com a implantação das Áreas de Livre Comércio. A ZFM teve como pressuposto básico a criação, no interior da Amazônia, de um centro industrial, comercial e agropecuário dotado de condições econômicas que permitissem o seu desenvolvimento, em face dos fatores locacionais e logísticos da região. O segmento industrial, que em seu apogeu gerou mais de 100.000 empregos diretos, além de inúmeros indiretos decorrentes dos serviços terceirizados demandados na praça local, está representado por mais de 370 empreendimentos em operação, com faturamento anual da ordem de US$ 30 bilhões. A atividade comercial teve sua época áurea no início da década de setenta quando, em face às dificuldades cambiais então vividas pelo país, apenas a ZFM podia importar mercadorias do exterior para comercialização. Embora sem vigor inicial, o comércio local hoje emprega cerca de 190.000 pessoas em uma forte rede varejista, sustentada pela massa salarial gerada pela indústria. O Distrito Agropecuário implantado na Zona Rural de Manaus ao longo do eixo da

34

A ZFM teve como pressuposto básico a criação, no interior da Amazônia, de um centro industrial, comercial e agropecuário dotado de condições econômicas que permitissem o seu desenvolvimento

Rodovia BR -174, se não alcançou o sucesso do Distrito Industrial, responde por grande parte da produção do setor primário local. O quadragésimo terceiro aniversário do modelo ZFM teria sido comemorado com mais euforia, se o ato legal de nomeação da nova composição do CAS – Conselho de Administração da Suframa tivesse ocorrido até o dia 26/02/2010, permitindo que a 243ª Reunião do Colegiado realizada naquela data tivesse sido deliberativa, não apenas comemorativa, para julgar a extensa pauta de novos empreendimentos industriais que a equipe técnica da SUFRAMA, sob a liderança da Superintendente da Autarquia, Dra. Flávia S. Grosso, tão bem elaborou. *Engenheiro,

diretor de Projetos e Consultoria Ltda (PROJEC) projec@argo.com.br


35


36


revistafieam-marabr10