Page 1

Publicação mensal do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas Ano II nº 15 Julho/2007


EDITORIAL Indústria e governadores do Norte debatem Reforma Tributária

Sonae Sierra lança Manauara Shopping

DESTAQUES Claudino explica Super Receita Formação de publicadores sobre SST Faturamento do PIM atinge US$ 11,5 bilhões SENAI recebe motocicleta da Kasinski DAMPI inscreve para norma NR-10 e conscientização ambiental 2ª Edição do Prêmio Construindo a Nação PSQT 2007 tem 19 concorrentes NOTÍCIAS É preciso investir em energias renováveis

CIN leva empresas para a Feira de Anuga CIET a serviço da indústria da construção civil Seminário aborda importância da cerâmica vermelha Sebrae lança unidade de beneficiamento de óleos essenciais amazônicos SENAI tem projeto de curso técnico em plástico Parceria para novas tecnologias em soldagem

PQA tem 42 organizações inscritas

SESI Educação do Trabalhador beneficia moradores de Carauari

Setor gráfico busca qualidade

Campeão recebe troféu no SESI

CNI, Prefeitura e FIEAM inauguram Espaço Indústria do Conhecimento no Parque dos Bilhares

Colônia de Férias do SESI diverte pais e filhos


editorial EDITORIAL

D I R E T O R I A Presidente: JOSÉ NASSER 1º Vice-Presidente: ANTÔNIO CARLOS DA SILVA 2º Vice-Presidente: ATHAYDES MARIANO FÉLIX Vice-Presidentes: FRANCISCO RITTA BERNARDINO, TEREZA CRISTINA CALDERARO CORRÊA, AMÉRICO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES, ROBERTO DE LIMA CAMINHA FILHO, ALDIMAR JOSÉ DIGER PAES, NELSON AZEVEDO DOS SANTOS, NEILSON DA CRUZ CAVALCANTE, PAUDERLEY TOMAZ AVELINO, RAIMAR DA SILVA AGUIAR (in memoriam) ORLANDO GUALBERTO CIDADE FILHO. 1º Secretário: AUGUSTO CÉSAR COSTA DA SILVA 2º Secretário: AGOSTINHO DE OLIVEIRA FREITAS 1º Tesoureiro: ERNANI LEÃO DE FREITAS 2º Tesoureiro: FRANCISCO ORLANDO TRINDADE DA ROCHA Diretores Suplentes: JOSÉ CARLOS PETRY DA SILVA, MÁRIO JORGE MEDEIROS DE MORAES, LUIZ CARVALHO CRUZ, FLORO FLORÊNCIO DA SILVA, EUDES RICARDO MORAES MARTINS, FRANCISCO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES, JOSÉ AUGUSTO PINTO CARDOSO, RONALDO GALL, ELLEN RITTA HONORATO, GENOIR PIEROSAN, LUÍS OTÁVIO BASTOS BASTOS, ROBÉRIO LINHARES ARRUDA, ARIOVALDO FRANCISCHINI DE SOUZA, MARCUS ANTÔNIO MORAES FERREIRA, RICARDO MOTTA DA ROCHA LOPES, RONALDO DE LIMA MELLO CONSELHO FISCAL: MOYSÉS BENARRÓS ISRAEL, RENATO DE PAULA SIMÕES, ALCY HAGGE CAVALCANTE Suplentes: FERNANDO BRANDÃO DE ALBUQUERQUE, CARLOS ALBERTO SOUTO MAIOR CONDE, JOSÉ PORFÍRIO CHAGAS SALDANHA REPRESENTANTES JUNTO A CNI: JOSÉ NASSER, FRANCISCO RITTA BERNARDINO Suplentes: ANTÔNIO CARLOS DA SILVA, ATHAYDES MARIANO FÉLIX

Eng.º José Nasser Educação básica de qualidade e a inclusão digital vão permitir ao País elevar o capital humano com efeitos diretos nas estratégias da indústria de melhorar a produtividade, a qualidade e de estimular a atividade de inovação na empresa. Estudos da Confederação Nacional da Indústria e do Serviço Social da Indústria confirmam que a indústria conta com contingente de trabalhadores com escolaridade média abaixo de cinco anos. Sem investimento consistente na melhoria das condições educacionais, os cidadãos brasileiros continuarão impossibilitados de experimentar o desenvolvimento. O Projeto SESI Indústria do Conhecimento quer contribuir para melhorar o quadro. No dia 19 de julho, a CNI, FIEAM e

das ção

ema do Sist sal 007 men o/2 ção Julh lica Pub II nº 15 Ano

ias ústr Ind

stad do E

Ama o do

zona

a Prefeitura de Manaus inauguraram uma das 100

s

era Fed

ha gan ESI aus do S Man teca io l b bi

Revista editada pelo Sistema FIEAM

unidades do estande-biblioteca que o SESI pretende instalar no território nacional.

SUPERINTENDÊNCIA CORPORATIVA Maurício de Andrade Marsiglia

COORDENADORIA DE MARKETING E COMUNICAÇÃO Rizo da Silva Ribeiro

COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO Idelzuita Araújo - Mtb 049/AM

REDAÇÃO Idalina Lasmar - Mtb 137/AM Ademar Medeiros - Mtb 289/AM Irinéia Coelho - Mtb 343/AM Evelyn Lima - Mtb 151/AM Flávio Guimarães (Sebrae-AM) - Mtb 134/AM COLABORAÇÃO Etienne Lopes

PROGRAMAÇÃO VISUAL Mary Martins Andrea Abitbol Ribeiro Andressa Sobreira

FOTOGRAFIAS Arquivo Comunicação Os conteúdos dos artigos e textos são de inteira responsabilidade de seus autores.

Aberto ao público, o espaço instalado na Praça Parque Ponte dos Bilhares, na Chapada, dispõe, além de biblioteca, de 10 computadores com acesso à Internet, DVs, CDs e jornais. É uma ação do segmento industrial voltada para o estímulo à leitura e a inclusão digital. Resultado de ampla parceria, em âmbito nacional e local, o projeto tem o SESI como responsável pela edificação das unidades; o Ministério da Educação pela cessão dos equipamentos de Informática e parte dos livros; o Ministério das Comunicações pelo acesso a Internet; SENAI, OIT e Unesco pela doação de acervos; SESI/AM pela gestão do módulo e a Prefeitura de Manaus que cedeu o terreno e será responsável pela manutenção. De nossa parte, fica o ensejo de que o espaço seja aproveitado como fonte de lazer e de conhecimento e preservado para que possa beneficiar o maior número possível de usuários.

Av. Joaquim Nabuco, 1919 Centro CEP: 69020-031 Manaus Amazonas Fone: (0xx92) 3186-6576 Fax: (0xx92) 3186-6578 acs@fieam.org.br


Indústria e governadores do Norte debatem reforma tributária Os governadores e representantes das Federações das Indústrias da Região Norte reuniram-se no dia 17 de julho com o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto, no Centro Cultural Palácio Rio Negro (AM) para discutir a reforma tributária. Representantes de classes também estavam no encontro, bem como o presidente do grupo Gerdau, empresário Jorge Gerdau Jonhanpeter, que defendeu a agilização da simplificação tributária. A pauta se deve às altas cargas de tributos praticadas no País que acarretam enfraquecimento da indústria e a instabilidade do setor. Outro tema bastante discutido foi a preservação do modelo industrial do Amazonas. Para Monteiro, o momento é oportuno para debater e indicar alternativas viáveis ao governo federal. A iniciativa da CNI é um trabalho desenvolvido juntamente com os governadores na busca de contribuições mais justas e menos pesadas aos bolsos da classe empresarial. “A integração dos governadores com o setor industrial do País pode contribuir para melhor estruturação de um novo pacto federativo. Sem essa união entre classe política e setor produtivo, não acredito que haja reforma eficaz”, declarou. Na abertura do encontro, o governador do Amazonas, Eduardo Braga, agradeceu a ação da CNI em reunir os representantes dos estados amazônicos, dando a oportunidade a todos de ouvir e defender os Estados de acordo com suas necessidades. A preocupação com a desigualdade entre regiões do Brasil foi motivo da elaboração de uma carta durante o encontro-

almoço. O texto do documento visa o contínuo incentivo ao crescimento da economia, além da manutenção compatível da competitividade entre os Estados brasileiros. Eduardo Braga não mediu palavras ao defender a Zona Franca de Manaus e mostrou-se preocupado com as conseqüências de uma reforma não planejada. “O que me preocupa é que a reforma pode penalizar o Pólo Industrial de Manaus e, conseqüentemente, sacrificar os empregos de milhares de pessoas. Há questões que devem ser resolvidas, como os critérios de exportação e a questão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) ser descontado no destino do produto e não na origem”, ponderou. O governador também citou que não há necessidade da ZFM, instalada no Norte, distante das grandes metrópoles, sofrer perseguição de Estados desenvolvidos que possuem economia firme como São Paulo. “O Norte precisa estar unido e coeso para defender a Amazônia e evitar a guerra fiscal, principalmente a política discriminatória que o Estado de São Paulo faz com a gente, quebrando o pacto republicano”, declarou Braga. O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), José Nasser, em defesa dos interesses do segmento empresarial industrial do Estado do Amazonas, chamou a atenção para o modelo Zona Franca de Manaus que precisa ser observado com cautela na proposta da reforma tributária. “Somos diferenciados do País. Promovemos aqui incentivo aos investimentos de indústrias que vieram para cá com essa regra. Não

podemos quebrar isso de uma hora para outra e sim proteger os investimentos que foram feitos na região”, disse. O presidente da CNI também sinalizou a importância de salvaguardar a Zona Franca de Manaus que, defendeu, é um modelo que deu certo. “Essa é uma experiência bemsucedida que tem que ser preservada na formulação da reforma fiscal para o benefício do Amazonas e de todo o Brasil”, concluiu Armando Monteiro Neto. A carta assinada pelos presentes na reunião reconhece a necessidade da reforma, mas que assegure os contratos existentes, recepcione programas estaduais de atração de investimentos e a manutenção de políticas exitosas e instrumentos de desenvolvimento.

Houve o reconhecimento de que a oportunidade de se avançar no aperfeiçoamento do sistema tributário não deve ser perdida e que todos os esforços devem ser orientados para que o Brasil avance na direção da modernização do seu sistema tributário, uma condição importante para a garantia de um ciclo de crescimento sustentável da economia brasileira”. (Trecho da carta).


destaques DESTAQUES

FORMAÇÃO DE PUBLICADORES SOBRE SST

Especialistas em Saúde e Segurança no Trabalho (SST) e jornalistas de 27 departamentos regionais do SESI participaram no período de 10 a 12 de julho, na cidade de Recife(PE), da capacitação “Formação de Publicadores para o site Pro – SST.” O site www.sesi.org.br/pro-sst será lançado em todo o país no dia 18 de setembro e os DR's serão responsáveis pela atualização do conteúdo, com artigos, publicações, legislações, notícias sobre prevenção de acidentes, entre outros. A técnica do Núcleo de Saúde, Segurança no Trabalho e Meio Ambiente do SESI Amazonas, Conceição Amorim e o jornalista Ademar Medeiros participaram do encontro. Conceição explica que o objetivo do Pro-SST é reunir e organizar as informações úteis e confiáveis sobre SST para apoiar a indústria brasileira na implementação de programas e ações da área. A iniciativa do Departamento Nacional, em parceria com a Cooperação Internacional Brasil – Canadá, oferecerá também os serviços Fale Conosco, canal de comunicação, para empresários, trabalhadores, estudantes e sociedade em geral poderão tirar suas dúvidas com os consultores do SESI. “Essa nova ferramenta de gestão consolida a marca SESI, que prioriza a qualidade de vida do trabalhador, com mais esse serviço de informação, destacou a técnica do SESI Amazonas”.

Técnica do Núcleo de Saúde, Segurança no Trabalho e Meio Ambiente do SESI Amazonas, Conceição Amorim participou do encontro

FATURAMENTO DO PIM ATINGE US$ 11,5 BILHÕES

Setor eletroeletrônico contribuiu para resultado

As empresas do pólo industrial da Zona Franca de Manaus (PIM) fecharam o primeiro semestre com faturamento de US$ 11,5 bilhões, volume 3,35% maior que o registrado no mesmo período do ano passado (US$ 11,1 bilhões). O resultado foi estimulado pelo aumento das vendas de diversos produtos, a maioria composta por eletroeletrônicos, inclusive bens de informática, como televisores com tela de cristal líquido (LCD), home teathers, monitores com tela de LCD para uso em informática, auto-rádios, fornos microondas, condicionadores de ar e motocicletas. Para o diretor executivo da FIEAM, Flávio Dutra, o resultado não atingiu a expectativa da Federação, mas também não foi negativo. Segundo ele, produtos como motocicletas, televisores com tela LCD, apresentaram maior crescimento de produção (238,19%), mas alguns itens não apresentaram o crescimento esperado. “No balanço geral tivemos um bom resultado”, afirma. A expectativa do diretor é que a partir de agosto e setembro haja aumento na produção das empresas do PIM para atender pedidos do comércio no período natalino e do AnoNovo.

SENAI RECEBE MOTOCICLETA DA KASINSKI O SENAI Amazonas recebeu no dia 27 de julho motocicleta de 125 cilindradas da Kasinski. A entrega foi realizada no Centro de Formação Profissional Waldemiro Lustoza, onde a moto ficará disponível para aulas práticas do curso de Mecânico de Motocicletas. O veículo, modelo seta, é o carro chefe de produção da Kasinski, com valor estimado em R$ 5 mil para revenda. O gerente geral da fábrica instalada no Pólo Industrial de Manaus, Elias Ayres, ressaltou a importância da parceria com SENAI. “Acredito que a aliança que estamos desenvolvendo com o SENAI

nos aproximará dos clientes, pois vamos ganhar mão-de-obra no mercado que conhece os nossos produtos”, destacou Elias. Para a gerente do CFP-WL, Ivana Ayrton, o maior beneficiado será o aluno que poderá ter rendimentos melhores, observando pessoalmente a motocicleta e suas peculiaridades. “Ganhamos mais uma motocicleta que será manipulada pelos alunos na oficina. A indústria de duas rodas é muito forte no PIM e o aluno do SENAI tem oportunidade de aprender com vários

Elias Ayres entrega motocicleta à Ivana Ayrton

modelos e marcas, pois nossas parcerias nos permitem essa chance mediante doações como a da Kasinski”, disse.


destaques

DESTAQUES

DAMPI INSCREVE PARA NORMA NR-10 E CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL O Departamento de Assistência à Média e Pequena Indústria (DAMPI) está com inscrições abertas para palestra sobre Conscientização Ambiental e o Curso de Interpretação e Implementação da Norma NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade). A palestra será realizada no dia 13 de setembro, de 18h30 às 20h30min, no auditório Auton Furtado Jr. (Av. Joaquim Nabuco, 1919 , 1º andar, Centro) pela química Danielle Saraiva Gomes Corrêa, especialista em Química Ambiental, com atuação na coordenação do Sistema de Gestão Integrada (ISO 9001 e ISO 14001) em planejamento ambiental, levantamento de aspectos e impactos e implementação de planos de monitoramento, entre outras atividades. O curso de Interpretação e Implementação da Norma NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade) será aplicado pelo engenheiro Sanderson Maciel de Souza, de 17 a 28 de setembro, direcionado a engenheiros eletricistas, eletricistas, técnicos de segurança do trabalho, engenheiros de segurança do trabalho, gestores de manutenção, empresas com atividade fim em eletricidade e todos os interessados na atualização da Norma regulamentadora NR10. Informações e reservas para os dois eventos podem ser feitas pelos telefones (92) 3233-1013 / 3233-5395 / 3233-1619 Fax: (92) 3233-1160 ou E-mail: danielle.brandao@fieam.org.br silvanamelo@fieam.org.br- dampi@fieam.org.br

2ª EDIÇÃO DO PRÊMIO CONSTRUINDO A NAÇÃO As inscrições para 2ª edição do Prêmio Construindo a Nação no Amazonas foram prorrogadas até 31 de agosto. As escolas interessadas podem participar de forma gratuita pelo site www.institutocidadania.org.br ou pelo telefone (11) 50422242/5543-6530. Realizado pelo Sistema FIEAM, por intermédio do Serviço Social da Indústria (SESI), em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Instituto da Cidadania do Brasil, o prêmio visa estimular as escolas de ensino da rede pública e particular a desenvolverem projetos de melhoria das condições das comunidades onde estão inseridas. Para tirar dúvidas sobre como implantar projeto de cidadania, as escolas devem entrar em contato com a coordenadora do

prêmio no Amazonas, Simônica Sidrim, pelo telefone: (92) 31866573 ou e-mail: premio.nacao@fieam.org.br. Não serão aceitos projetos via e-mail. As informações do projeto e documentação deverão ser entregues no SESI (Avenida Getúlio Vargas, 1116, sala 512, 5° andar - Centro). A premiação será em março de 2008 e os melhores projetos vão compor edição especial da Revista da Cidadania. O prêmio vai contemplar os melhores projetos inscritos em cada categoria: com troféus, duas bolsas de pós-graduação com 50% no Uninorte para o diretor e professor responsável pela coordenação do projeto e três bolsas de cursos profissionalizantes do SENAI, sorteados entre os alunos envolvidos no projeto.

PSQT 2007 tem 19 concorrentes Dezenove empresas divididas nas categorias micro, pequena, média e grande porte concorrem ao Premio SESI Qualidade no Trabalho 2007 (PSQT). Criado em 1996, o prêmio tem incentivado a classe empresarial a reconhecer a realidade de sua empresa e a estabelecer políticas que melhorem a qualidade de vida no ambiente de trabalho. A solenidade de aclamação, cujo objetivo é o reconhecimento público às empresas industriais por suas práticas de gestão e valorização dos seus colaboradores, será realizada, às 19 horas, do dia 23 de agosto no Elegance Festas & Convenções – Rua Salvador, 232 – Adrianópolis.


É preciso investir em energias renováveis do País na produção da matéria-prima, promovendo assim a inclusão social Em seu pronunciamento, o secretário de Ciência e Tecnologia, José Aldemir de Oliveira, destacou que o Programa Estadual do Biodiesel foi criado em 2004 com objetivo de contribuir para o desenvolvimento de tecnologias alternativas de produção e de uso do biodiesel, visando à auto-sustentabilidade energética nas cidades interioranas como mecanismo de inclusão social e desenvolvimento regional. "Num Estado com as dimensões como o nosso, temos que criar condições e projetos que nos possibilitem levar luz às comunidades, sem que seja necessário desmatar novas áreas”, destaca. Ao lembrar que o Amazonas tem 1,5 mil comunidades isoladas, o secretário disse ser necessário que, junto com as novas tecnologias e com a viabilidade econômica, sejam discutidas também as questões sociais. Representantes da Florestal Norte, Sérgio Silva de Souza e Francisco Orlando Jordão

Instituições governamentais de pesquisa e desenvolvimento tecnológico, universidades, empresas privadas e organizações não governamentais que desenvolvem projetos de opções de energias renováveis participaram em 16 e 17 de julho do II Seminário Estadual de Energias Renováveis: Biodiesel e Sustentabilidade. O evento promovido pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (SECT), em parceria com a FIEAM, no Auditório Gilberto Mendes Azevedo (SESI), reuniu experiências aplicadas por pesquisadores para o fortalecimento das cadeias produtivas do biodiesel e demais biocombustíveis para a consolidação do Programa Estadual do Biodiesel. Ao abrir o seminário, o diretor executivo da FIEAM, Flávio Dutra, destacou a parceria entre o Governo e o empresariado, para lembrar que a adoção de sistema de energia renovável é o caminho para o Amazonas. "Chegamos ao momento decisivo para o Estado, quando temos pesquisas, projetos que indicam a viabilidade do biodiesel e a determinação por parte do empresariado em investir, portanto não podemos parar, temos que iniciar logo a produção", sugeriu Flávio. Para Dutra, existem empresários com a visão de investir no setor, mas o que tem dificultado é a falta de projetos mais sólidos por parte do governo federal, quanto a infraestrutura: setor energético, estradas e portos, principalmente. O secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), Leonardo Hamú, acredita que o problema hoje no Amazonas e no restante do Brasil não está em produzir o biodiesel, mas na matéria-prima a ser utilizada. “Existem mais de cem variedades de oleaginosas. Para cada região é necessário identificar a matéria-prima certa”, afirma. Dentro de sua área de atuação, diz que a proposta do governo federal é envolver os agricultores de várias regiões

Amazonas apresenta experiência da Florestal Norte A experiência da empresa Florestal Norte, localizada no município de Itacoatiara, distante 270 quilômetros de Manaus, de propriedade do empresário Moysés Israel, foi um dos projetos apresentados durante o seminário pelos biólogos Sérgio Silva de Souza e Francisco Orlando Jordão. Iniciado em novembro de 2006, o projeto cultiva em dois campos total de 20 hectares de pinhão manso para geração de biodiesel. Jordão explica que a empresa optou por trabalhar com o pinhão manso como matéria-prima pelas vantagens apresentadas frente ao dendê. “O pinhão manso tem

-

-

Secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), Leonardo Hamú

-

-

Reunir grupo executivo para eleger conjunto de municípios para o programa de produção do biodiesel no Amazonas - prazo de 90 dias. Projetos de plantio de dendê em assentamentos nas áreas que sofreram desmatamento para agricultura familiar itinerante - Presidente Figueiredo, Apuí, Rio Preto da Eva. Não existe modelo consensual para Amazônia. Será necessário o desenvolvimento de projetos diferenciados de longo prazo para a região. Mamona foi a planta escolhida pelo governo em 2004, mas não deu certo. Assim, cada região tem que encontrar a planta oleaginosa mais adequada. É necessário buscar primeiramente solução no campo, antes de pensar na usina.

desenvolvimento precoce, com produção já no primeiro ano de vida, com estabilidade de três anos para uma planta de seis quilos. O dendê, no entanto, leva de quatro a cinco anos para produzir com estabilidade somente no oitavo ano”, ressalta. Outra vantagem destacada pelos pesquisadores é a oportunidade de se trabalhar conjuntamente com outras culturas de subsistência e a pequenos animais como caprinos e ovinos.

Carta de Manaus Ao final do seminário foi divulgada a carta com sugestões e recomendações de procedimentos a serem adotados sobre o tema com as propostas:

-

Importância da participação da iniciativa privada.

-

Produção, qualificação, capacitação.

-

Necessidade de uma parcela de áreas degradadas para produção de dendê.

-

Política de investimentos financeiros para o programa.

-

Inserir as comunidades do interior na capacitação.

-

O governo precisa manter viabilidade do processo no caso do biodiesel. Essa é uma política para comunidades isoladas e para agricultura familiar – para pessoas fora do processo produtivo nacional.

-

Para tudo que se desenvolve no país, é preciso investimento em educação.

-

A importância de se instalar cursos de química e pós-graduação com foco nas necessidades do Distrito Industrial e do biodiesel nas universidades instaladas no Estado.

-

O que falta na região é elaborar projetos, considerando que já existe muito estudo sobre o dendê. Faltam pessoas capacitadas para elaborar os projetos.

-

A aquisição da matéria-prima (41%) é um dos gargalos do projeto devido ao problema da logística.

-

Problemas em relação à energia elétrica e ao transporte.

-

Há resistência das empresas em adotar o biodiesel.

-

A Amazônia apresenta vulnerabilidade climática, com possi bi l i dades de i sol amento das comunidades e comprometimento do transporte do biodiesel.

-

Falta curso de gestão no Estado.

-

Parcerias com empresários, outras universidades, associações, cooperativas etc;

-

Aproveitamento de cinzas e resíduos agrícolas.

-

-

O extrativismo não poderá manter a demanda de produção de biodiesel.

Planejamento para a produção de biodiesel em comunidades isoladas.

-

-

Legislação ambiental – necessidade da criação de um marco regulatório.

Planejamento para produção do biodiesel a partir do aproveitamento do óleo de cozinha descartado nas cidades.

-

Fortalecimento das nove unidades extratoras já existentes de modo que elas possam operar de forma contínua no interior.

-

Convênios com o Terceiro desenvolvimento do setor.

-

Exploração do biocombustível com preservação da floresta e, prioritariamente, com ocupação de áreas impactadas (degradadas).

-

Incentivar a vinda de empresas para produção local de equipamentos para a cadeia produtiva do biodiesel.

Setor

para

o

-

Dificuldade de aproveitar áreas degradadas, devido a dispersão dessas áreas.

-

Necessidade de maior parceria com os demais países do Pacto Amazônico - OTCA etc.

-

O grosso da produção de biodiesel deve ser usado para abastecer o mercado local e estadual.

-

Incentivar a produção do biocombustivel e as energias renováveis.

-

Óleo vegetal puro – alternativa viável para o problema energético das comunidades isoladas da Amazônia.

-

Incentivar, desenvolver e aplicar tecnologias sociais (empreendedorismo social) de base sustentável.


PQA tem 42

organizações inscritas O Prêmio Qualidade Amazonas (PQA) neste ano terá participação de 42 organizações que irão concorrer nas modalidades Processo e Gestão. Coordenado pela FIEAM, por meio do Departamento de Assistência à Média e Pequena Indústria, e do Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa no Amazonas, o PQA destaca as ações desenvolvidas pelos programas estaduais e setoriais de qualidade, produtividade e competitividade.

Segundo a coordenadora do PQA, Erlen Lúcia Oliveira Montefusco, a partir do encerramento das inscrições e da seleção dos pré-classificados, as organizações irão receber até 4 de setembro visitas técnicas de especialistas da área. Nos dias 26 e 27 de setembro será realizada a VIII Mostra de Gestão e Melhoria para a Qualidade pelas organizações classificadas.

ORGANIZAÇÕES CANDIDATAS

EXAMINADORES DO PQA 2007

Action Marketing e Pesquisa de Mercado Ltda Amazon Couros Comércio Ltda Centro Automotivo Manaus Ltda Colégio Brasileiro Pedro Silvestre Colégio Militar de Manaus Colortech da Amazônia Ltda Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos Escola Estadual Daisaku Ikeda Escola Estadual Deputado Josué Cláudio de Souza Escola Estadual Djalma da Cunha Batista Escola Estadual Ernesto de Melo Batista Escola Estadual Francelina Assis Dantas Escola Estadual Frei Silvio Vagueggi Escola Estadual Marta da Luz Calderaro Escola Estadual Olavo Bilac Escola Estadual Octávio Mourão Escola Estadual Pedro dos Santos Escola Estadual Professor Diofanto Vieira Monteiro Escola Estadual Professor Juracy Batista Gomes Escola Estadual Professor Ruy Alencar Escola Estadual Waldocke Frike de Lira Gráfica Estrela Greif Embalagens Industriais do Amazonas Ltda Honda Componentes da Amazônia Ltda HTA Indústria e Comércio Ltda Incotokyo Indústria e Comércio Tokyo Ltda Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Amazonas Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas - Hemoam LG Electronics da Amazônia Ltda Manausprev MASA da Amazônia Ltda Menezes e Pena Comércio de Produtos Artesanais Ltda Mineração Taboca S.A. Moto Honda da Amazônia Ltda Nokia do Brasil Tecnologia Ltda Panasonic do Brasil Limitada Petrobras Reman Printec Impressões e Tecnologia Ltda Processamento de Dados Amazônia S.A. – Prodam Showa do Brasil Ltda Springer Plásticos da Amazônia Ltda Yamaha Motor da Amazônia Ltda

Abraham David de Carvalho Bensadon Adilson Nascimento Barroso Alcilene Souza de Oliveira Aycha Frota Sampaio Bergson Benjamin de Melo Júnior Camila Cristina Menegaldo Rizzo Egger Celso Roberto de Oliveira Sales Clairton Fontoura Ferret Dahlson Bisker de Abreu Daniela Ferreira Cavalcante Eduardo Figueiredo Elias Moraes de Araújo Eraldo Boechat Leal Evandro Nadler Flávio Augusto C. Montenegro Gilbert Queiroz dos Santos Gilvandro Farias de Miranda Filho Gláucia Vanessa Ferreira Iremar Bezerra da Luz Jean Paul Dantas Cavalcante Jefferson de Araújo Torres Joacy Gomes da Silva Jorge Alberto Pizarro de Menezes Jorge Miguel Werkauser Luiz Felipe Matos da Conceição Major Paulo Henrique Maier Marcelo Augusto de Oliveira Justa Marcelo de Souza Bezerra Maria das Graças Caldeira Lopes Maria José Reis Silva Messias Tadeu Gouvêa Michelle Costa Marques dos Santos Nara Daybbie Carvalho Nazaré Nivaldo Garcez Orlem Pinheiro de Lima Patrícia Sério Dias Paulo César Diniz de Araújo Raimundo Ribeiro Passos Ranniery Mazzilly Silva de Souza Renzo Nobre Monteiro Risoney da Silva Monteiro Robson Santos da Silva Sargento Paulo César Heliodoro de Menezes Soraia Lima da Silva Telma Regina de Menezes Leão Valdemir de Carvalho


Setor gráfico

busca qualidade Na busca pela qualidade, 66 colaboradores do setor gráfico de Manaus participaram no dia 3 de julho de palestra sobre a qualidade nas indústrias gráficas. A palestra que faz parte do projeto Procompi, coordenado em Manaus pelo Departamento de Assistência à Media e Pequena Indústria (DAMPI), foi proferida pela doutoranda em Biotecnologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marlene Araújo Faria. A professora enfatizou a importância da qualidade em um cenário mercadológico extremamente competitivo, destacando sua relação com a obtenção de maior desempenho e gerenciamento mais eficaz dos processos industriais e administrativos das organizações. Foram abordados também os conceitos básicos da qualidade, política da qualidade das empresas, o lado humano da qualidade, a importância da qualidade pessoal, os sensos da qualidade, certificação da ISO 9001:2000 – Conceitos e benefícios e o futuro das organizações.

Marlene Araújo falou sobre a importância da qualidade nas indústrias gráficas

Procompi e competitividade O Procompi é um programa de apoio à competitividade das micro e pequenas indústrias, resultante de parceria entre a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Nacional. Foi iniciado em 1998 e teve três fases de apoio a projetos: 1998, 2000 e 2004-2005. O programa objetiva elevar a competitividade das empresas industriais de menor porte, por meio do estímulo à cooperação entre as empresas e à organização do setor, à melhoria da qualidade, ao aumento da produtividade, à inserção do design, à absorção de tecnologias e ao respeito pelo meio ambiente.

Sessenta e seis colaboradores participaram do treinamento


CNI, Prefeitura e FIEAM inauguram Espaço

Indústria do Conhecimento no Parque dos Bilhares Três equipamentos

fzpoc“ Cadum adrult”. áesom Com esta declaração, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), José Nasser, inaugurou no dia 19 de julho o Espaço Indústria do Conhecimento, no complexo de lazer Parque Ponte dos Bilhares, na Avenida Constantino Nery, Chapada, construído pela Prefeitura Municipal de Manaus. No ato, Nasser estava acompanhado do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Armando Monteiro Neto e do prefeito de Manaus, Serafim Correa, entre outras autoridades O estande biblioteca foi especialmente projetado para disponibilizar livros, jornais, revistas e 10 computadores com acesso à Internet em locais e horários adequados aos usuários. A cerimônia de inauguração foi aberta pelos alunos do coral da Unidade 3 do SESI que cantaram o Hino Nacional Brasileiro. Na ocasião, também estavam, entre os presentes, os senadores Jefferson Péres e João Pedro, presidentes das Federações de Indústrias de Minas Gerais, Robson Andrade; do Pará, José Conrado; de Tocantins, Eduardo Machado; de Rondônia, Euzébio Guareschi; do Acre, João Salomão; de Roraima, Rivaldo Neves; da gerente executiva de Educação do SESI Nacional, Mariana Raposo, e do secretário Municipal de Cultura, Sebastião Assante Colares, que terá sob a sua responsabilidade a administração da biblioteca.

Parque dos Bilhares na noite de inauguração do espaço

Construído em área interna de 81 metros quadrados e área externa de 130 metros quadrados, incluindo banheiro e depósito, a arquitetura da unidade remete à idéia de educação apresentada de uma forma lúdica que atrai tanto crianças quanto os adultos. A estrutura foi idealizada pelo SESI com a finalidade de atender qualquer tipo de público, independente de nível escolar, sexo, idade, religião ou etnia. Duas outras unidades semelhantes estão em fase de construção nos municípios de Itacoatiara e Iranduba.

Para o presidente da FIEAM, José Nasser, o momento é especial por ser a primeira vez que o SESI/Amazonas doa ao município equipamento com projeção social tão grande, graças a um projeto que foi dimensionado em nível nacional e aos recursos liberados pela CNI para o Regional do Amazonas, que tornaram possível construir três equipamentos como esse em Manaus,Itacoatiara e Iranduba (este dois últimos em fase de construção). Em seu pronunciamento, o prefeito Serafim Correa destacou duas palavras que para ele são chaves no 3º milênio, a primeira delas é parceria, sem a qual não se chega a lugar algum, por isso a alegria do município em firmar com a CNI a que possibilitou a construção da biblioteca padrão, para atender ao público a qual se destina. “A outra é Internet, pois essa biblioteca está dentro de todos os padrões, permitindo a garotada já se iniciar no mundo digital, possibilitando acesso a todas as informações”, destacou. Ao final da programação, o prefeito homenageou o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, com o Brasão da Prefeitura e uma placa alusiva à data.

Presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, destaca importância do espaço

Inclusão Digital Para o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto, o Projeto SESI Indústria do Conhecimento tem como objetivo possibilitar à população o acesso ao conhecimento, estimulando a leitura e a inclusão digital “Esse é o entendimento da indústria brasileira que, em seu mapa estratégico, considera como condição para o desenvolvimento do Brasil a educação básica de qualidade com a inclusão digital”. Armando Monteiro, mais de 100 unidades iguais serão instaladas no Brasil, principalmente em comunidades onde não existem equipamentos sociais dessa natureza. Monteiro destacou as parcerias que possibilitam a construção das bibliotecas: o Ministério da Educação, pela cessão dos equipamentos de informática e parte dos livros: o Ministério das Comunicações pelo acesso a Internet; o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Unesco que contribuíram para a complementação dos acervos, e a Unidade de Manaus, que teve a parceria da FIEAM e SESI Amazonas, responsável pela gestão do módulo, e da Prefeitura de Manaus que cedeu o terreno e se responsabilizará pela manutenção.

Prefeito Serafim Correa homenageia Armando Monteiro com brasão da Prefeitura de Manaus e uma placa alusiva à ocasião

Serafim Correa, José Nasser, Armando Monteiro e o senador Jefferson Péres na inauguração


Sonae Sierra lança

Manauara Shopping “O shopping, para ter sucesso, tem que estar integrado com a sociedade”, disse o presidente da Sonae Sierra Brasil, João Pessoa Jorge, em visita a FIEAM no dia 25 de julho.

O encontro teve por objetivo apresentar aos diretores da entidade o mais novo empreendimento do grupo português no Brasil, o Manauara Shopping, que deve ser inaugurado em março de 2009. O diretor executivo da FIEAM, Flávio Dutra, disse que instituição aprecia a vinda do investimento do grupo multinacional para Manaus, o que reafirma a importância da Amazônia no contexto da economia nacional e regional. Entre os presentes estava o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas

(CIEAM), Maurício Loureiro, que demonstrou total apoio à obra. O shopping temático ficará localizado entre as avenidas Jornalista Umberto Calderaro Filho (Paraíba) e Mário Ypiranga Monteiro (Recife), no bairro de Adrianópolis, Zona Centro-Sul. Segundo João Pessoa, o grupo Sonae vai investir R$ 175 milhões na construção do shopping terá 140 mil metros de área construída, divididos em três pisos, com 255 lojas e restaurante, além de 10 âncoras, 10 salas de cinemas e 2,7 mil vagas de estacionamento, com a geração de três mil novos empregos diretos. O lançamento oficial da construção do Manauara Shopping foi anunciado para 27 de setembro. Uma grande tenda será montada no espaço físico do shopping e irá reunir os clientes que terão lojas no empreendimento.

Maurício Loureiro e Flávio Dutra receberam João Pessoa Jorge (à esq.)

Claudino explica Super Receita Em reunião com empresários na sede da FIEAM, o delegado da Receita Federal (RF) no Amazonas, Airton Claudino, destacou que o objetivo do órgão não é apenas arrecadar impostos, mas prover o Estado de recursos para garantir o bem-estar social, prestando serviços de excelência à sociedade, que na sua avaliação atualmente ainda não estão satisfatórios. Outro ponto que a RF tem procurado atender, segundo o delegado, é prover o contribuinte de segurança, confiança e facilitação para o comércio internacional. Airton Claudino fala a empresários na FIEAM

Sobre os primeiros procedimentos da junção da Secretaria da Receita Federal e a Secretaria da Receita Previdenciária, mediante a Lei nº 11.457, a da Receita Federal, denominada popularmente como Super Receita, Claudino esclareceu que o objetivo do órgão é estabelecer maior controle da arrecadação, redução do custo da burocracia, otimização dos recursos humanos, tecnológicos e financeiros, maior equilíbrio no regime geral de Previdência Social. A previsão da conclusão da unificação dos dois órgãos está prevista para maio de 2008.


CIN leva empresas para a Feira de Anuga As empresas Agrorisa Produtos Naturais Ltda, Andirá Indústria e Comércio, Bombons Finos da Amazônia e a empresa PRB, que trabalha com frutas desidratadas, já confirmaram presenças na Feira de Alimentos e Bebidas

da Alemanha

(Anuga), que ocorre de 13 a 17 de outubro em Koelnmesse, na cidade de Colônia. Para a consultora do Centro Internacional de Negócios (CIN), Ludmila Lima Cunha, a presença das empresas no evento é resposta da parceria entre FIEAM, via CIN, Suframa, Sebrae e Governo do Estado do Amazonas. Segundo Ludmila Cunha, a feira realizada bienalmente reúne expositores de alimentos e bebidas de quase todo o mundo, e em sua última edição, em 2005, recebeu aproximadamente 161 mil visitantes. Nesta edição, o Brasil teve participação de 100 empresas do segmento de alimentos e bebidas, que rendeu negócios no valor de aproximadamente de R$ 30 milhões e expectativa de geração de negócios para os 12 meses seguintes de US$ 343 milhões. Para a consultora, a expectativa de novos mercados e clientes para os produtos regionais do Amazonas é grande. Em 2006, as exportações dos itens (excluindo madeira) atingiram US$ 1.586.200,36, alcançando os mercados da Colômbia, Argentina, França, Espanha, Suíça, Alemanha, Peru, Índia, China, Itália e Estados Unidos.

Inscrições abertas para Rodadas de Negócios Até 3 de setembro o Centro Internacional de Negócios (CIN) está com inscrições abertas para participação de empresas em Rodadas de Negócios que serão realizadas nos dias 26 a 29 de setembro na Feira Internacional de Santa Cruz (Expocruz) na Bolívia. Segundo a técnica de Comércio Exterior do CIN Amazonas, Teresa Oliveira, são mais de 50 setores, desde madeira, máquinas e equipamentos, papelaria, implementos agrícolas etc, que podem participar do evento na Bolívia que deve atrair empresas de toda a Região Norte, por intermédio dos Centros de Negócios. Para a técnica, será excelente oportunidade para as empresas ampliarem seus mercados e contatarem novos compradores. A taxa de inscrição é de US$ 130 dólares. Os interessados podem obter mais informações no CIN Amazonas pelos telefones (92) 3631-0907 ou 3631-0899 ou pelo e-mail www.cin@fieam.org.br

Técnica de Comércio Exterior do CIN, Teresa Oliveira

Sócio-proprietário da Agrorisa, Rivaldo Araújo, participante assíduo das feiras internacionais


CIET a serviço da indústria

da construção civil

O CIET atende principalmente o operário primário da construção com os cursos de pedreiro, metrologia, instalador hidráulico, eletricista, pintor, entre outros, que são de fundamental importância na base de uma obra segura. A duração dos cursos varia entre 15 dias a dois meses, com investimentos a partir de R$ 20,00, no curso de Técnicas de Construção a Seco (gesso acartonado), até R$ 300,00, no

Escola desenvolvida para atender a demanda da indústria da

curso de Autocad.

construção civil, o Centro Integrado de Educação do

Outro benefício para o setor, realizado pelo CIET, é a

Trabalhador (CIET) começa o segundo semestre de 2007

educação básica da mão-de-obra que ainda carece da

com oferta de 17 cursos para os próximos três meses, que

alfabetização com o ensino fundamental e médio. A escola

contemplam desde informática básica e autocad até pedreiro

conta com turmas voltadas para a educação de adulto e firma

e cursos de gestão da qualidade.

parceria com construtoras, disponibilizando cursos do SESI

O CIET foi a primeira escola que aderiu a unificação do

aos trabalhadores nos turnos matutino, vespertino e noturno.

Sistema FIEAM, disseminando educação convencional pelo

No dia 28 de maio, no terceiro aniversário da escola, foram

Serviço Social da Industria (SESI) e educação

inauguradas a Biblioteca do CIET, a sala de Gerência e

profissionalizante pelo Serviço Nacional de Aprendizagem

Projetos Especiais, e a nova Central de Matrículas. Mas os

Industrial (SENAI).

investimentos em prol da melhoria da infra-estrutura da

A programação é divulgada para as empresas e,

unidade não param por aí. Até o final do ano será inaugurado

posteriormente, são abertas as inscrições à comunidade. Entre os cursos que utilizam tecnologia de ponta está o

Aula prática do curso de Eletricista no CIET

elaboração de peças de desenho técnico em duas dimensões (2D) e para criação de modelos tridimensionais (3D). A maior

o prédio anexo do CIET. A obra de dois andares está em fase de conclusão. O local deve ser ocupado pelos novos

Autocad 2007 Plataforma. O autocad é um software do tipo CAD, criado e comercializado pela Autodesk, utilizado para

Um dos cursos mais procurados no CIET: Autocad

laboratórios de serralheria, pinturas metálicas, cerâmica, procura por este tipo de qualificação e aperfeiçoamento é feita por profissionais de arquitetura, design, engenharia e estudantes de áreas afins.

ferreiro armador, telhadista, marcenaria e carpintaria. “Até dezembro vamos inaugurar este prédio. A demanda da indústria da construção civil e toda a sociedade amazonense que desejar qualificar-se nos segmentos da construção podem procurar o CIET, escola referencial de formação profissional”, avisa o gerente, engenheiro Rizo Ribeiro. “Estamos afinados com o crescimento do setor e por isto dedicamos nossos investimentos estruturais em laboratórios, aquisição de equipamentos e instrutores para melhor atender o mercado amazonense”, anuncia. Obra do prédio anexo do CIET. Ao lado, aula prática do curso de pintor (à direita)

Curso de Pedreiro


Seminário aborda importância

da cerâmica vermelha Com objetivo de estreitar as relações empresariais entre empreendedores do setor oleiro e cerâmico na Região Norte, especialmente no Amazonas, o Sebrae realizou em 18 de julho no auditório Eurípedes Ferreira Lins o seminário “A Importância da Indústria de Cerâmica Vermelha na Economia do País e o Trabalho da Anicer para o setor”. Os palestrantes foram o presidente da Associação Nacional da Indústria Cerâmica (Anicer), Luís Lima e o assessor técnico Emerson Dias. Luís Lima abordou a importância da qualidade da alvenaria estrutural na construção civil e o assessor técnico falou dos programas setoriais da qualidade como meios de alcançar a conformidade. O evento foi promovido pelo Sebrae/AM, em parceria com a Associação dos Ceramistas de Iranduba e Manacapuru (Acerim) e Anicer, além das prefeituras municipais de Iranduba e Manacapuru. Na avaliação do presidente Luis Lima, é importante que a Amazônia tenha prédios construídos de forma estrutural, pois as vantagens são inúmeras, principalmente a térmica. “Há uma economia de materiais, como fôrmas de madeira, aço e revestimentos; mão-de-obra diversificada, instalações sem rasgos na parede, maior segurança do operário e redução de custos”, explicou. Conforme Lima, o uso de alvenaria como elemento estrutural apenas comprimido é uma das antigas formas de construção empregadas pelo homem na construção. “A igreja de Notre Dame e o Taj Mahal são exemplos dessa alvenaria, no caso, obras com

mais de mil anos que se encontram em pé, com sua estrutura sólida”, exemplificou. O Programa Setorial de Qualidade (PSQ), como meio de alcançar a conformidade técnica, foi o tema abordado por Emerson Dias, que dentre outros assuntos, relatou as maiores dificuldades encontradas pelos ceramistas atendidos pelo projeto. “As ameaças de novos participantes e os serviços e produtos substitutos, além barganha de forças com fornecedores e compradores, tudo isso desgasta bastante o empresário. E para que esses problemas sejam amenizados devem ser feitas parcerias com sindicatos, associações e empresas renomadas como o SEBRAE, SENAI e FIEAM”, detalhou. Na ocasião, foram premiadas quatro empresas atendidas pelo projeto que concluíram o primeiro Módulo do Programa Sebrae de Gestão da Qualidade (PSGQ). As empresas foram a Montemar Cerâmicas, Rondônia Cerâmicas e Fabrício Cerâmicas, de Iranduba, além da Litiara Cerâmicas, de Itacoatiara. Todas elas foram homenageadas com o troféu de Honra ao Mérito, que tem caráter itinerante. Prestigiaram o evento, o diretor administrativo e financeiro do Sebrae Amazonas, Nelson Rocha, gerente da Unidade de Acesso à Tecnologia e Gestão Tecnológica, Célio Picanço, a gerente da Carteira de Projetos do Setor Oleiro e Cerâmico do Sebrae Nacional, Helena Oliveto Greco, além de empresários e representantes de instituições do setor na região.

Representantes do Sebrae Amazonas e Sebrae Nacional, gerentes e empresários atendidos pelo Projeto no evento


Sebrae lança unidade de beneficiamento

de óleos essenciais amazônicos Com o objetivo de estimular a produção de óleos essenciais de plantas medicinais, o Sebrae Amazonas lançou no dia 7 de julho a pedra fundamental da Agroindústria de Fitoterápicos e Fitocomésticos de Manaquiri, distante 60 quilômetros em linha reta de Manaus. A estimativa para conclusão da obra é de aproximadamente 20 dias e o início do funcionamento está previsto para novembro. O município participa do Projeto Geor Desenvolvimento Setorial de Fitoterápicos e Fitocosméticos do Sebrae Amazonas, executado em conjunto com a Prefeitura local, Inpa, Idam, Ibama, Coopfitos e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Manaquiri. Prestigiaram o lançamento da obra a diretora técnica do Sebrae Amazonas, Maria José Alves da Silva, gerente da Unidade de Agronegócios (Uagro I), Wanderléia Teixeira, prefeito Jair Souto, representantes dos parceiros e produtores rurais das comunidades Cai N´Agua e Bom Intento, atendidas pelo projeto. A diretora técnica Maria José, em seu discurso, destacou a importância da obra para a melhoria da qualidade de vida da população local e para a geração de emprego e renda. Ela destacou a atuação dos técnicos do Sebrae que trabalham nas comunidades visando atender as suas necessidades. “Com essa iniciativa, nós estamos não somente ensinando a comunidade a cuidar adequadamente da natureza, mas a utilizar os recursos disponíveis e transformá-los em renda”, explicou. Ela agradeceu a presença dos parceiros e o poder público local, em nome do diretor superintendente, José Carlos Reston e do diretor

Representantes do Sebrae e entidades participantes do projeto do município de Manaquiri

administrativo e financeiro, Nelson Rocha, e a acolhida dos comunitários ao projeto, enfatizando que “a ação representa um grande salto de responsabilidade para a comunidade e para o seu desenvolvimento econômico”. O prefeito Jair Souto afirmou que a parceria do Sebrae foi fundamental para o início desta fase de evolução do projeto. “O Sebrae está nos proporcionando esse êxito, que vai gerar emprego e renda para as comunidades rurais, com vistas ao desenvolvimento do nosso município”, assinalou. Jair anunciou durante o evento que Manaquiri vai participar do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor. “Essa iniciativa é parte do trabalho de políticas públicas para atender a minoria e o distrito é o caminho do desenvolvimento”, apontou. A gerente da Unidade de Agronegócios I, Wanderléia Teixeira, destacou o interesse dos jovens que atuam dentro do projeto. O estudante Leoni Santa Rita da Silva, afirma que a expectativa com a instalação da unidade é a geração de emprego e o aumento da renda familiar. “Esperamos ganhar mais qualidade de vida e termos melhores condições de vida e moradia”, acredita. Ele pretende ser técnico agrícola e seguir a profissão do pai que é agricultor. De acordo com Wanderléia, o projeto de fitoterápicos e fitocosméticos envolve 39 famílias de duas comunidades rurais, Cai N'água e Bom Intento. A unidade vai beneficiar óleos e essências de espécies como tucumã, andiroba, castanha, bacaba, açaí, entre outros, e proporcionar aos produtores e ao município de Manaquiri o desenvolvimento econômico e social.


SENAI tem projeto de

curso técnico em plástico O SENAI Amazonas apresentou em 26 de junho no auditório do Centro de Formação Profissional Waldemiro Lustosa (CFP-WL) projeto de implantação do curso técnico em plástico. Segundo o diretor regional, Adercy Itiú Maruoka, as empresas do Pólo Industrial de Manaus (PIM) solicitam com freqüência cursos voltados para tecnologia do plástico. “Temos demanda no mercado local e precisamos atendê-la”, disse. Segundo Maruoka, o pólo termoplástico possuía há sete anos duas mil pessoas trabalhando diretamente. Em 2006 foram contabilizados 8.424 mil. “É um aumento de 187% ao longo desses anos. Essa mãode-obra precisa de capacitação para atuar no mercado”, destacou. A gerente do CFP-WL, Ivana Ayrton, disse que o SENAI Amazonas comprou uma máquina injetora de plástico, da indústria HOMI, série prática, com 130 toneladas de força de fechamento. A máquina será utilizada nos cursos de qualificação e aprendizagem. Ivana informa que as primeiras aulas serão ministradas a partir de setembro, por técnicos do SENAI Mario Amato, de São Paulo, instituição referência nacional e na América do Sul na área do plástico. O técnico especialista em plástico, Gilberto Lodi, ministrou palestra para os participantes do evento. Explicou como funciona a estrutura do SENAI em São

Paulo e os benefícios que as empresas do PIM vão ganhar com a implantação do curso em Manaus. “Por falta de profissionais qualificados na região, as empresas vão até o Mário Amato recrutar estagiários para trabalharem aqui. Com a implantação dos cursos no SENAI/AM, será oportunidade para os profissionais do Estado se destacarem no mercado de trabalho e se tornarem competitivos.” Gilberto Lodi realizou duas visitas ao longo do ano em Manaus para diagnosticar em dez empresas da área de transformação de termoplástico a necessidade da criação de curso técnico, com duração de dois anos, além dos cursos profissionalizantes de curta duração. Segundo o diretor executivo do Sindicato das Indústrias de Material Plástico de Manaus (Sinplast), Paulo Abreu, o Estado possui 83 empresas que atuam no processo de transformação termoplástica, sendo que 40 são associadas ao sindicato. “As pessoas vão aprendendo a trabalhar na área de plástico de forma inadequada. Com a qualificação dos operários, melhora o desempenho e a produtividade no PIM”. O gerente comercial da Amaplast, Rodrigo Oppermann, explica que todos os anos a empresa traz um profissional de outro Estado para treinar os funcionários da empresa. “Temos dificuldade de contratar pessoas com experiência e cursos na área

Diretor executivo da Lincoln Electric, Rogério Casa Nova

Técnico do SENAI Mário Amato, Gilberto Lodi

Na primeira fila, Adercy Maruoka e Paulo Abreu

de plástico. Com a implantação dos cursos no SENAI, podemos capacitar nossos funcionários na própria cidade, reduziremos custos e conseqüentemente teremos aumento da produtividade e qualidade dos nossos produtos”. A empresa produz embalagens flexíveis (sacolas, copos, bobinas técnicas para empacotamento, entre outros).

Parceria para novas

tecnologias em soldagem A parceria entre SENAI Amazonas e Lincoln Electric, firmada desde 2005, está cada vez melhor. O seminário Novas Tecnologias em Soldagem, realizado no auditório Arivaldo Fontes (SENAI), que contou com participação de dois técnicos da empresa, teve por finalidade informar sobre o avanço tecnológico na área e apresentar os produtos disponíveis no mercado. Segundo a técnica em soldagem, Ilde Moraes, o Amazonas é um estado que deverá crescer em consumo de materiais de soldagem devido aos novos investimentos na região. “Esse é o primeiro seminário realizado fora de nossas sedes. Manaus foi escolhida devido à quantidade de clientes e demanda local”, destacou. Os palestrantes chamaram atenção para a mão-de-obra qualificada que trabalha com os produtos da Lincoln que, segundo diretor executivo da empresa, Rogério Casa Nova, o consumidor diminua o retrabalho e aumente a produtividade.

“A Lincoln possui uma tradição em soluções inovadoras, liderança tecnológica e comprometimento com seus clientes. Atuamos no mercado aquecido com a visão de aumentar a competitividade e desenvolver a indústria, estimulando o treinamento e qualificação no setor de soldas para obter resultado satisfatório”, avaliou Rogério. Durante o evento, a empresa disponibilizou duas máquinas eletrônicas de soldas nos processos MIG/MAG e TIG no valor de aproximadamente R$ 65 mil que serão utilizadas nos cursos ministrados no Centro de Formação Profissional “Waldemiro Lustoza” (CFPWL). A parceria também visa o desenvolvimento dos recursos humanos do SENAI, além de fornecer 811 quilos de consumíveis (eletrodos e arames de soldas) semestralmente. A meta do SENAI Amazonas, por meio da unidade operacional do CFPWL, é formar 860 soldadores por ano nos cursos de qualificação e aperfeiçoamento. A maior parte das aulas são realizadas no Laboratório de Soldas, inaugurado em 2006, projeto de parceria entre SENAI Nacional e Regional, Lincoln e Governo Japonês.


SESI Educação do Trabalhador

beneficia moradores de Carauari Cerca de 444 alunos de 22 comunidades rurais e de seis áreas urbanas do município de Carauari, distante 702 quilômetros de Manaus, estão sendo beneficiados com a elevação do nível de escolaridade por meio do Programa SESI Educação do Trabalhador. De 21 a 31 de maio, a supervisora do programa, Lenimar Cardoso, foi ao município para acompanhamento pedagógico das 28 turmas do Telecurso 2000 e do ensino fundamental de 5ª a 8ª série iniciadas em março. Entre os locais visitados, a supervisora destaca a Comunidade do Roque, onde estão 31 alunos matriculados no programa, dos quais dez são trabalhadores da Cooperativa da Usina de Óleo Vegetal, que extrai e vende óleo da semente de andiroba e do murumuru para a empresa de cosméticos, produtos de higiene e perfumaria Natura. “Eles estão bastante entusiasmados, apesar da jornada diária. Alguns trabalham no processo de limpeza das sementes e outros na colheita. Durante a noite, os operários ficam motivados em aprender, é um verdadeiro exemplo de vida”, revela a educadora. Lenimar explica que um dos requisitos adotados pela indústria de óleo na contratação é que o funcionário possua o ensino fundamental completo ou esteja cursando. “É uma forma de incentivar o desenvolvimento social da comunidade, que passa a ter visão ampla da importância do trabalho que realizam”. Implantado desde 1997 no município, o programa de educação atende alunos de 14 a 40 anos de idade que aprendem, com a metodologia Telecurso 2000, um conjunto de recursos pedagógicos, composto de 17 livros, tele-aulas com uso de 52 fitas de vídeo, que facilitam a compreensão, fixação e aplicação dos conteúdos programáticos ao mundo do trabalhador. O curso tem duração de 18 meses, com duas horas diárias de aula, de segunda a sexta-feira, durante a noite.

Ao centro, pedagoga Lenimar Cardoso com alunas/trabalhadoras que limpam sementes

Ribeirinho, aluno do Telecurso 2000

Campeão recebe troféu no SESI O atleta da empresa Samsung SDI, Ivanildo Belém, recebeu em 10 de julho da superintendente do Serviço Social da Indústria (SESI), Dorinha Mourão Tuer, o troféu de campeão dos Jogos SESI 2007, na modalidade tênis de quadra, categoria acima de 35 anos. Ivanildo conquistou o campeonato no dia 5 de maio ao derrotar Hermínio Chagas, da Petrobras, na Academia de Tênis na Ponta Negra. O campeão dos Jogos SESI começou a praticar tênis aos 25 anos. “A cada ano as empresas apresentam nível técnico melhor”, reconhece o atleta participante das competições e circuitos. O representante da Samsung é um dos pré-classificados para disputar os Jogos Regionais do SESI, que ocorrerão em outubro em Porto Velho (RO), com a participação de empresas da Região Norte. Superintendente Dorinha Mourão, atleta Ivanildo Belém, assistente social da Samsung SDI, Sílvia Brandão e o coordenador dos Jogos, Paulo Edson


Brincadeiras, sessão de teat

ro e banhos de piscina divertiram pais e filhos, como Ernandes e Kar

in e

Colônia de Férias do SESI diverte pais e filhos Com objetivo de proporcionar ações educativas e de lazer para as crianças, o SESI realizou nos dias 2 a 7 de julho no Clube do Trabalhador a 5ª edição da Colônia de Férias. O evento este ano incluiu participação dos pais no último dia das atividades recreativas. “Inovamos para satisfazer as crianças e aos pais. Percebíamos que eles vinham deixar os filhos na Colônia de Férias e ficavam ociosos enquanto as crianças se divertiam”, disse a coordenadora do evento, Irinéia Oliveira. Caça ao tesouro, apresentação da peça “A viagem encantada ao mundo do livro”, com o grupo de Teatro Popular do SESI, distribuição de livros educativos, brindes, lanches variados, bingo recreativo e banho de piscina fizeram a alegria de toda a família. O professor universitário, Ernandes Borges do Amaral, 57 anos, pai de Karine Alice, de oito anos, explica que a filha já havia participado de outras recreações de férias, mas no SESI as atividades são bem mais lúdicas e dinâmicas. “Gostei muito de participar com minha filha. A iniciativa é muito boa porque no dia-a-dia não temos tempo para brincar com nossos filhos”. Uma programação diversificada foi desenvolvida ao longo da semana: oficinas de pintura, recorte e colagem, excursão ao Zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), gincana esportiva e cultural, oficina de jiu-jitsu, torneios de futebol e futsal, jogos e brincadeiras populares, rapel com a participação do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, oficina de pipa, projeção de filmes, oficina educativa pedagógica realizada pelo Instituto Municipal de Trânsito (Imtrans), visita ao Sapien Circus e

Professora do Lazer do SESI, Maria Leula, se diverte com a filha Laura Esther

videokaraokê. A estudante da Unidade 3 do SESI, Laura Esther, de sete anos, disse que é um dos momentos mais esperados durante o ano. “Gosto muito de fazer novas amizades e a Colônia de Férias me dá essa oportunidade”, observou. Para a mãe de Laura Esther, a professora do Lazer do SESI, Maria Leula Melo Dias, o evento é uma oportunidade de socialização entre as crianças. “Através das atividades desenvolvidas, elas passam a se unir nos trabalhos em equipe, respeitando o próximo e as diferentes faixas etárias”. O funcionário público, Paulo Moreira Neto, 48, pai de Paula Thayna, 12 anos, comparou a Colônia de Férias do SESI a um evento social e esportivo, com lazer diferenciado, que proporciona divertimento também aos pais. Paula disse que nunca havia participado de Colônia de Férias e não imaginava que fosse tão dinâmico e alegre. “Foi a melhor férias escolar que tive em minha vida”.

Esporte radical com ajuda dos bombeiros militares


CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE

SEMED

rev-julho07  

Publicação mensal do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas Ano II nº 15 Julho/2007

Advertisement