Issuu on Google+

Ano VI • nº 63 •

setembro • 2012

Evelyn Lima/FIEAM

Publicação do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas

FIEAM63i.indd 1

PESQUISA REVELA

PIM ainda desconhece prata da casa 29/10/2012 10:30:23


11

Samaúma abre as portas do Mundo SENAI

4

Pesquisa mostra realidade do emprego no PIM

15

IEL comemora mais de 1 milhão de estágios em 42 anos

17

Ginástica laboral do SESI recebe Top Seven Marca Brasil

21

Festival SESI Música consagra artistas trabalhadores do PIM

Sistema Indústria do Amazonas na web www.fieam.org.br

2 FIEAM63i.indd 2

29/10/2012 10:30:35


Miguel Ângelo/CNI

Editorial

É

significativo o resultado da pesquisa que encomendamos, junto com o CIEAM, sobre o aproveitamento da mão de obra local pelo Polo Industrial de Manaus. Ficou patente que uma boa parte desses trabalhadores é oriunda de outros Estados. Pelo menos 36% dos profissionais de nível técnico, 33% dos engenheiros e 31% dos trabalhadores de nível superior, em atividade no nosso polo, vieram de fora. Primeiro, foram selecionadas 102 empresas, das quais 35 responderam efetivamente à pesquisa, o que equivale a 33% dos postos de trabalho existentes atualmente no PIM. A sondagem foi realizada de julho a setembro sob a supervisão da Coordenadoria de Relações do Trabalho e Emprego da FIEAM. Não foi outra nossa intenção, com a pesquisa, senão identificar lacunas e buscar alternativas para minimizar o problema atual e futuro da falta de profissionais qualificados para atender às demandas da nossa indústria. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) possui um canal de relacionamento com a indústria com a finalidade de adequar os conteúdos

programáticos de acordo com as necessidades das empresas, mas a utilização dessa mão de obra formada pela instituição, como vimos na pesquisa, é mínima. A Coordenadoria de Relações do Trabalho e Emprego da FIEAM realizou a pesquisa como ponto de partida para alinhar esforços e iniciativas dos agentes de formação, instituições de ensino públicas e privadas de todos os níveis educacionais, em curto, médio e longo prazo, além de consolidar a cultura industrial junto à sociedade com o propósito de atrair e reter talentos para a in-

O SENAI Amazonas possui um canal de relacionamento com a indústria com a finalidade de adequar os conteúdos programáticos de seus cursos de acordo com as necessidades das empresas, mas sua utilização por indústrias do PIM ainda é mínima

Presidente do Sistema FiEAM

dústria amazonense. Um novo universo se descortina para o futuro das relações da indústria com o SENAI. Conforme o Mapa do Trabalho Industrial 2012, elaborado pela instituição, o Brasil terá que formar 7,2 milhões de trabalhadores de nível técnico e de média qualificação para atuarem na indústria até 2015. Essa necessidade produzirá oportunidades em 177 ocupações que vão de cozinheiros industriais a supervisores de produção de indústrias petroquímicas. Ao mesmo tempo em que oferecem apoio aos jovens brasileiros na escolha da profissão, aumentando suas chances de ingresso no mercado de trabalho, as pesquisas e estudos envolvendo mercado de trabalho são fundamentais para que a indústria brasileira saiba onde encontrar profissionais preparados para atender às suas necessidades, atuais e futuras.

Expediente

Diretoria Presidente: ANTONIO CARLOS DA SILVA 1º Vice-Presidente: ATHAYDES MARIANO FÉLIX 2º Vice-Presidente: AMÉRICO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES Vice-Presidentes: NELSON AZEVEDO DOS SANTOS, TEREZA CRISTINA CALDERARO CORRÊA, NEILSON DA CRUZ CAVALCANTE, ROBERTO DE LIMA CAMINHA FILHO, ALDIMAR JOSÉ DIGER PAES, WILSON LUIZ BUZATO PÉRICO, CARLOS ALBERTO ROSAS MONTEIRO, EDUARDO JORGE DE OLIVEIRA LOPES, AMAURI CARLOS BLANCO, HYRLENE BATALHA FERREIRA 1º Secretário: ENGELS LOMAS DE MEDEIROS 2º Secretário: ORLANDO GUALBERTO CIDADE FILHO 1º Tesoureiro: JONAS MARTINS NEVES 2º Tesoureiro: AUGUSTO CÉSAR COSTA DA SILVA Diretores: SÓCRATES BOMFIM NETO, FRANK BENZECRY, AGOSTINHO DE OLIVEIRA FREITAS

Antonio Carlos da Silva

JÚNIOR, CARLOS ALBERTO MARQUES DE AZEVEDO, ROBERTO BENEDITO DE ALMEIDA, LUIZ CARVALHO CRUZ, CELSO ZILVES, MAURÍCIO QUINTINO DA SILVA, JOAQUIM AUZIER DE ALMEIDA, PAULO SHUITI TAKEUCHI, ANTONIO JULIÃO DE SOUSA, MÁRIO JORGE MEDEIROS DE MORAES, DAVID CUNHA NÓVOA, GENOIR PIEROSAN, CRISTIANO IUKIO MORIKIO, CLEONICE DA ROCHA SANTOS, ARIOVALDO FRANCISCHINI DE SOUZA Conselho Fiscal: Titulares: MOYSES BENARROS ISRAEL, RENATO DE PAULA SIMÕES, JOSÉ NASSER Suplentes: ALCY HAGGE CAVALCANTE, CARLOS ALBERTO SOUTO MAIOR CONDE, DAVID NÓVOA GONZALES Delegados representantes junto ao Conselho da CNI Titulares: ANTONIO CARLOS DA SILVA, ATHAYDES MARIANO FÉLIX Suplentes: AMÉRICO AUGUSTO SOUTO RODRIGUES ESTEVES e FRANCISCO RITTA BERNARDINO

Revista editada pelo Sistema FIEAM COORDENADORIA GERAL DO CENTRO DE SERVIÇO COMPARTILHADO Luiz Alberto Monteiro Medeiros DIRETORIA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING Paulo Roberto Gomes Pereira GERÊNCIA DE COMUNICAÇÃO Idelzuita Araújo - MTE 049/ AM REDAÇÃO Ademar Medeiros - MTE 289/ AM Evelyn Lima - MTE 151/AM Mário Freire - MTE 092/AM

COLABORAÇÃO Cássia Guterres Vanessa Damasceno DIAGRAMAÇÃO/CAPA Herivaldo da Matta - MTE 111/AM PUBLICIDADES Andrea Ribeiro e Andressa Sobreira FOTOGRAFIAS Comunicação O conteúdo dos artigos e textos assinados é de inteira responsabilidade de seus autores. Av. Joaquim Nabuco, 1919 Centro CEP 69020-031 Manaus/AM Fone: (92) 3186-6576 Fax: (92) 3233-5594 - acs@fieam.org.br

3 FIEAM63i.indd 3

29/10/2012 10:30:44


Pesquisa

Mão de obra local é sub P Aluno de soldagem da Escola SENAI Waldemiro Lustoza, uma das unidades da instituição especializada em formar mão de obra para a indústria

FIEAM e CIEAM lançam pesquisa para identificar o problema atual e futuro da falta de profissionais qualificados para atender às demandas do Polo Industrial de Manaus

esquisa realizada pela Federação das Indústrias e Centro da Indústria do Estado do Amazonas revela que 36% dos profissionais de nível técnico, 33% dos engenheiros e 31% dos trabalhadores de nível superior, em atividade no Polo Industrial de Manaus (PIM), são oriundos de outros Estados. Trinta e quatro por cento de 102 empresas selecionadas estatisticamente pela FIEAM e CIEAM responderam à pesquisa, percentual que equivale a aproximadamente 33% dos postos de trabalho hoje existentes no PIM. Realizada de julho a setembro, a sondagem foi supervisionada pela Coordenadoria de Relações do Trabalho e Emprego da FIEAM, liderada pelos executivos Genoir Pierosan e Ocimar Melloni. O estudo tem por objetivo identificar lacunas e buscar alternativas para minimizar o

problema atual e futuro da falta de profissionais qualificados para atender às demandas da indústria amazonense. A pesquisa mostra que há recursos disponíveis para qualificação profissional nas instituições ligadas às indústrias, com algumas deficiências, mas, segundo Genoir Pierosan, falta maior interesse e participação dos empresários em conhecer e contribuir com as atividades realizadas pelas instituições para adequação dos cursos às reais demandas da indústria. Pierosan destaca, por exemplo, que o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas) possui um canal de relacionamento com a indústria com a finalidade de adequar os conteúdos programáticos de acordo com as necessidades das empresas, mas a utilização, segundo ele, é mínima. A Coordenadoria de Relações do Traba-

4 FIEAM63i.indd 4

29/10/2012 10:30:46


Demanda atual e dos próximos 5 anos De acordo com a pesquisa, a demanda atual e para os próximos cinco anos por profissionais de nível médio será em automação, contabilidade e manutenção, e para nível superior, as mais solicitadas serão eletrônica e produção.

SENAI entra para reduzir as lacunas Por conta dos resultados da pesquisa e pelo alinhamento com a missão do SENAI, de promover a educação e a transferência de tecnologias industriais, as lacunas identificadas na pesquisa serão inicialmente tratadas com a instituição que faz parte do Sistema FIEAM, como uma espécie de teste-piloto da metodologia proposta para sistematização da estratégia de ação. O diretor regional do SENAI/AM, Aldemurpe Barros, diz que a instituição vai procurar desenvolver um trabalho conjunto para adequar cursos, contribuir com a melhoria da formação profissional, bem como reduzir as lacunas de competência, oferecendo mais

profissionais qualificados no mercado e promover a inovação e competitividade da indústria amazonense. “O SENAI tem experiência em educação profissional e dissemina esse conhecimento há mais de cinco décadas no Amazonas”, disse ele.

ubaproveitada no PIM DEMANDA DE PROFISSIONAIS

ATUAL E DOS PRÓXIMOS 5 ANOS

O que precisamos está disponibilizado no SENAI, porém nós, da indústria, estamos falhando em utilizar melhor a instituição que nos apoia e oferece a formação industrial OCIMAR MELLONI

lho e Emprego da FIEAM realizou a pesquisa como ponto de partida para alinhar esforços e iniciativas dos agentes de formação, instituições de ensino públicas e privadas de todos os níveis educacionais, em curto, médio e longo prazo, além de consolidar a cultura industrial junto à sociedade com o propósito de atrair e reter talentos para a indústria do Estado. Segundo Ocimar Melloni, a deficiência do contato entre indústrias e instituições de ensino se reflete negativamente na contratação de mão de obra local. “O que precisamos está disponibilizado no SENAI, porém nós, da indústria, estamos falhando em utilizar melhor a instituição que nos apoia e oferece a formação industrial. Devemos estar alinhados com as instituições e prover melhor capacitação aos profissionais amazonenses, promovendo uma formação atualizada e de alto nível aqui no Amazonas”, destacou. A carência de profissionais qualificados

é predominante nos setores de mecânica, eletroeletrônica, elétrica, ferramentaria, automação, processo e qualidade. De acordo com a pesquisa, a demanda atual e para os próximos cinco anos por profissionais de nível médio será em automação, contabilidade e manutenção, e para nível superior, as áreas mais solicitadas serão eletrônica e produção. O questionário aplicado na pesquisa levantou, segundo a opinião dos respondentes, as melhores instituições locais de formação de nível médio, com destaque para o SENAI e Fucapi, seguidas da Fundação Nokia de Ensino e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifam). Quanto à formação de nível superior, as quatro primeiras instituições acadêmicas apontadas foram Universidade Federal (Ufam), Universidade Estadual (UEA), Fundação de Análise, Pesquisa e Inovação (Fucapi) e Centro Universitário de Ensino Superior do Amazonas (Ciesa).

5 FIEAM63i.indd 5

29/10/2012 10:30:49


Destaques Destaques

Visita de Gracie agita Escola de Jiujítsu do SESI O Amazonas é o 2º polo de jiu-jítsu do Brasil, atrás apenas do Rio de Janeiro. A informação foi passada pelo mestre do esporte, Reyson Gracie, em visita à Academia de Jiu-Jítsu do SESI, em 18 de setembro. Aos alunos, Gracie disse que a nova geração deve dar continuidade ao trabalho de divulgação do jiu-jítsu iniciado pela família dele há 60 anos, ressaltando que a Federação Amazonense de Jiu-Jítsu Esportivo (Fajje) foi a segunda a ser implantada no Brasil. Segundo a Fajje, cerca de 10 mil pessoas frequentam regularmente 200 academias em Manaus.

Reyson Gracie (centro) é cercado por alunos e instrutores na visita à Academia do SESI

Reyson, 70, filho de Carlos Gracie, é uma figura lendária que sempre viu a evolução do jiu-jítsu no mundo e tem como proposta a inclusão do esporte em escolas públicas e particulares no Brasil. Ele foi o responsável pela introdução do jiu-jítsu no Amazonas, em 1977, hoje considerado o maior polo de formação de lutadores de jiu-jítsu e MMA, com

Educação do SESI recebe certificação O Serviço Social da Indústria (SESI/ AM) recebeu, no final de agosto, a certificação na ISO 9001/2008 em sua área de Educação. O SESI presta serviços de educação infantil e ensino fundamental, além de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Educação Continuada. A IS0 9001/2008 estabelece um modelo de gestão da qualidade que auxilia as empresas na melhoria de seus processos internos e serviços, com base em normas técnicas internacionais. A certificadora de origem alemã, TÜV Rheinland, foi a responsável pelas auditorias e certificação. Coube ao gerente de contas da TÜV Rheinland, Evander Bravim, a missão de entregar ao superintendente do SESI/ AM, Luiz Medeiros, o certificado de qualidade. Segundo Medeiros, o SESI tem uma forte atuação na área de educação e construiu esta história de qualidade ao longo dos seus 63 anos de atuação. “A certificação, hoje, nos enche de orgulho e foi uma

Gerentes de Educação do SESI Amazonas na solenidade de certificação em agosto

conquista de todos os nossos funcionários da educação e das áreas meio. Nosso objetivo é certificar, ainda em 2012, também a área da Saúde e, em 2013, o Lazer e a Responsabilidade Social”, disse.

prestígio internacional. Gracie disse que acompanha o avanço da modalidade no Amazonas, que hoje é superior ao futebol, ressaltando que o jiu-jítsu defendido pela família não tem como foco apenas o combate, mas a parte educacional, para crianças e adolescentes, visando principalmente a formação do caráter da pessoa.

SESI começa a implantar Projeto ViraVida no AM O SESI Amazonas anunciou, em 19 de setembro, o início dos trabalhos para implantação do Projeto ViraVida em Manaus. O projeto vai oferecer oportunidades, por meio de capacitação profissional, a jovens e adolescentes de 16 a 21 anos em situação de abuso e exploração sexual. O anúncio foi feito ao lado de representantes da rede de enfrentamento à exploração sexual, e representantes do Governo do Estado, Prefeitura Municipal, Conselhos Tutelares, Ministério Público, ONG´s, entre outras. Presente em 16 estados, o ViraVida prevê atender, inicialmente, 100 jovens de Manaus. Além de proporcionar capacitação profissional, oferecerá assistência psicossocial e pedagógica para jovens de famílias de baixa renda.

6 FIEAM63i.indd 6

29/10/2012 10:30:52


Eco Exportação é tema de curso no CIN/AM A FIEAM, por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN), promoveu, em 11 de setembro, o curso Eco Exportação, direcionado a profissionais de comércio exterior, relações internacionais e demais interessados na área de exportação. O professor Luiz Roberto de Oliveira passou uma visão geral de como as questões ambientais repercutem sobre as atividades exportadoras. “É importante sairmos da exportação única e exclusiva de commodities e sensibilizar o empresário para aproveitar todo o potencial ambiental que existe no Brasil”, sugeriu Oliveira. Segundo ele, é preciso pensar de forma estratégica nas matérias-primas como o primeiro passo a ser

empresas, habilitação em comércio exterior e relações e negócios internacionais pela Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos), deu como exemplo bemsucedido o segmento cosmético desenvolvido pela Natura e do açúcar orgânico exportado por empresa paulistana. O curso Eco Exportação foi a terceira capacitação de 2012 promovida pelo CIN como parte do Programa de Capacitação O professor Luiz Roberto de Oliveira deu aula de Eco Exportação Empresarial desendado para transformar o cenário exporta- volvido pela Confederação Nacional da dor do país. Oliveira, que é profissional Indústria (CNI) com apoio da Rede CIN e da área há mais de 13 anos, com gradua- da Agência Brasileira de Promoção de Exção e pós-graduação em administração de portação e Investimentos (Apex-Brasil).

Amazonas leva 22 alunos à Olimpíada O Amazonas levará sua maior dele- (Dangles Oliveira); eletroeletrônico (ele- ck de Souza; tecnologia da informação gação, composta por 22 alunos-compe- trônica industrial, com Carlos Santos Jr.; para deficiente visual, com Ana Carolitidores do Serviço Nacional de Apren- eletricidade predial, com Ulisses Cha- na Pereira; e web design, com André dos dizagem Industrial (SENAI) e Serviço gas Jr.; eletricidade industrial, com Ga- Santos. No segmento da construção civil, os Nacional de Aprendizagem Comercial briel Teixeira; mecatrônica, com a dupla (Senac) à Olimpíada do Conhecimento Paulo Santiago e Elton Freitas; mecâni- alunos Francisco Ermesson da Silva e 2012, que será realizada de 12 a 18 de ca de refrigeração, com José Duarte Jr.; Salomão Margarido disputarão na ocunovembro, em São Paulo. Os alunos tecnologia da informação, com Frederi- pação sistema de construção drywall, nas etapas nacional e interdisputarão em 20 ocupanacional (Worldskills Améções, sendo 18 industriais rica). A marcenaria será e duas de serviços. representada por Elielso As ocupações indusRodrigues, e marcenaria de triais são dos segmentos estruturas, por Adriano dos metalmecânico (construSantos. ção de moldes, com HerDo Senac, vai disputar meklay Almeida; desenho em CAD, com Wandrewna ocupação cozinha, o aluNay Pereira; fresagem a no Josenildo Silva Solidão, CNC, com Hyan da Roe na ocupação cabeleireiro, cha; ferramentaria, com Mayara Lopes Trindade. Jonatas Silva; tornearia A Olimpíada do Conhea CNC, com Jorleylson cimento 2012 terá mais de Freitas, e desenvolvimen600 alunos-competidores disputando em 54 ocupato ambiental, com Marcos ções. Blenner); corte e costura Gestores do SENAI posam com os alunos-competidores do Amazonas

7 FIEAM63i.indd 7

29/10/2012 10:30:53


Apresentação do Comando da 12ª Região Militar na Mostra do PQA

C

om a implantação do projeto “Redução do Consumo de Água no Setor de Produção Geral 03”, a Yamaha Motor da Amazônia conseguiu diminuir 29,9% a quantidade de litros necessários para produzir uma moto, o que gerou uma economia de R$ 163 mil na tarifa da água. O projeto foi um dos vencedores do “Troféu Ouro”, na modalidade Processo, categoria Grande Indústria, no Prêmio Qualidade Amazonas (PQA 2012). O resultado, depois de dois dias de exposições dos projetos, na 13ª Mostra de Gestão e Melhorias para a Qualidade, foi anunciado em 14 de setembro, pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas. Além da Yamaha Motor, foram contempladas com o “Troféu Ouro”, na categoria Grande Indústria, modalidade Processo, a Panasonic do Brasil, a Honda Componentes, a Moto Honda da Amazônia e a Yamaha Componentes da Amazônia. Ainda na modalidade Processo, a HTA Indústria e Comércio conquistou o ouro na categoria Média Indústria, e a Dexyí Automação Pneumática, na categoria Serviços/Comércio. Na modalidade “Gestão”, categoria até 250 pontos, o Comando da 12ª Região Militar ganhou “Troféu Destaque”, na categoria Administração Pública. Os vencedores da categoria 500 pontos foram o 4º Centro de Telemática de Área (Troféu Prata) e 1ª Cia de Comunicações de Selva (Troféu Bronze). As organizações Centro Automotivo Platinado, 1ª Cia de Comunicações de Selva, Oiram Sabores, Technos da Amazônia Indústria e Comércio, Tutiplast Indústria e Comércio e Showa do Brasil foram vencedoras do Troféu Prata, modalidade Processo, em suas respectivas categorias.

FIEAM63i.indd 8

Apresentadores da HTA Indústria e Comércio, empresa ganhadora do Troféu Ouro

Qualidade p O Departamento de Assistência à Média e Pequena Indústria (DAMPI) anunciou os 16 ganhadores do Prêmio Qualidade Amazonas (PQA), dividido em duas modalidades, Gestão e Processo

Equipe da Yamaha Motor da Amazônia, Troféu Ouro, modalidade processo, grande indústria

A entrega dos troféus vai acontecer em 19 de outubro, na festa “Qualishow”. Nesta edição, 21 organizações apresentaram seus “cases” de sucesso na busca contínua pela qualidade em serviços, produtos, processos e gestão. Segundo a gerente-executiva do PQA, Maria Salete Amoedo, a iniciativa, coordenada pelo Departamento de Assistência à

Média e Pequena Indústria (DAMPI), visa promover a qualidade, produtividade e competitividade nas ações desenvolvidas pelas organizações amazonenses. “O programa auxilia no sucesso das organizações, contribuindo com a disseminação de conhecimentos sobre práticas produtivas de excelência em gestão e processos”, disse Salete Amoedo.

29/10/2012 10:30:54


uro

Apresentação do 4º Centro de Telemática de Área, Troféu Prata

Os juízes da Mostra de Gestão

e premiada

Organizações vencedoras MODALIDADE GESTÃO/ TROFÉU PRATA 500 pontos/Adm. direta •4º Centro de Telemática de Área TROFÉU BRONZE 500 pontos/Adm. direta • 1ª Cia. de Comunicação de Selva

Apresentador do relatório da Dexyí, Luiz Ribeiro, e demais colaboradores da empresa

MODALIDADE PROCESSO/ TROFÉU OURO/Grande Indústria •Yamaha Motor da Amazônia • Panasonic do Brasil • Honda Componentes da Amazônia • Moto Honda da Amazônia • Yamaha Componentes da Amazônia TROFÉU OURO/Média Indústria •HTA Indústria e Comércio TROFÉU OURO/Serviço/Comércio •Dexyí Automação TROFÉU PRATA/Grande Indústria •Showa do Brasil • Tutiplast Indústria e Comércio TROFÉU PRATA/Média Indústria •Technos da Amazônia Ind. e Com. TROFÉU PRATA/Micro e Pequena Indústria •Oiram Sabores TROFÉU PRATA/Serviço/Comércio • Centro Automotivo Platinado TROFÉU PRATA/Governamental • 1ª Cia. de Comunicações de Selva

Panasonic do Brasil apresentou processo de diminuição do índice de defeitos em placa de áudio

FIEAM63i.indd 9

29/10/2012 10:30:58


Micro empresa Menção Honrosa

Mário Fogaça e Adélia Menezes, da Oiram Sabores, durante apresentação na Mostra do PQA

Os bons frutos do Procompi

D

etentora do “Troféu Prata” na modalidade “Processo”, categoria Micro e Pequena Indústria, no Prêmio Qualidade Amazonas (veja matéria nas páginas 8 e 9), a indústria Oiram Sabores colhe os frutos da sua participação no Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias, o Procompi. O Programa, resultado do convênio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional), Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM) e Sebrae/AM, busca elevar a competitividade das indústrias de menor porte, por meio do estímulo à organização do setor, à melhoria da qualidade, ao aumento da produtividade, à absorção de tecnologias e ao respeito pelo meio ambiente. O próprio diretor administrativo da Oiram, Mário Fogaça, reconhece que o avanço da empresa vem da elevação da qualidade

proporcionada pelo Procompi. “Todos os colaboradores estão envolvidos na transformação de cultura e procedimentos sugeridos pelo programa. Neste ano, queremos nos preparar para a certificação ISO 9000 e para isto nos inscrevemos em mais uma edição do Procompi”, diz Fogaça. O processo de excelência apresentado na 13ª Mostra de Gestão e Melhorias para Qualidade, do PQA, pela Oiram Sabores, foi a Big Bala, uma nova embalagem feita com sobras de PVC que comporta 30 unidades de balas. O material plástico usado anteriormente era frágil, além de não proteger o produto comercializado quanto ao seu tradicional formato. “Por conta da embalagem, a empresa era prejudicada com a perda de balas, impactando negativamente nas vendas, marketing e exposição do produto na loja”, declarou a gerente comercial da empresa, Adélia Menezes. Segundo ela, o padrão da Big Bala tornou o produto mais apresentável e robusto.

A Panificadora Nego Bom, localizada na Rua Leonardo Malcher, no Centro, é outra participante do Procompi a se destacar como finalista do PQA. A empresa foi agraciada com menção honrosa por sua participação no prêmio. Na apresentação que fez na Mostra do PQA, o sócio da Nego Bom, Rodrigo Souza, destacou o aumento de 25% no faturamento da panificadora com as melhorias implantadas. “Desde 2010, quando iniciamos a participação no Procompi, tivemos uma nova visão de mercado e realizamos diversas mudanças para adequar a panificadora aos padrões de qualidade, aceitação e satisfação dos clientes”, disse Rodrigo. Uma das primeiras medidas foi a mudança do nome da empresa, que passou de RN Panificadora para Nego Bom Padaria e Confeitaria, seguida da aquisição de novas máquinas, reforma na área de produção e treinamento de funcionários. “Os módulos de capacitação e consultoria nos proporcionaram mudança de postura, permitindo que evoluíssemos de empresa meramente familiar para uma empresa familiar com moldes bem estruturados e de alto padrão”, declarou Souza. Desde o início do Procompi, no Amazonas, em 1998, já foram beneficiadas indústrias de embalagens, construção civil, moveleira, gráfica e bebidas. Só para o setor de alimentos e panificação, o Procompi já promoveu mais de 100 horas de capacitação e beneficiou cerca de 450 colaboradores de 30 indústrias, além de 2.000 horas de consultoria para o setor.

Rodrigo Souza, da Panificadora Nego Bom

10 FIEAM63i.indd 10

29/10/2012 10:30:59


Interior

Portas abertas para MUNDO SENAI

Ancorado no porto de Maués e enfeitado com balões, o Samaúma recebe visitantes na programação do Mundo SENAI no Amazonas

O barco-escola Samaúma também participou do Mundo SENAI, abrindo seus laboratórios e oficinas para visitação dos moradores de Maués, onde estava ancorado

A

ncorado em Maués, a 356 quilômetros de Manaus, o barcoescola Samaúma foi a porta de entrada para o Mundo SENAI no Amazonas. A sensibilização do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, realizada de 27 a 29 de setembro nas unidades do SENAI de todo o país, cumpriu, no Estado, o objetivo de mostrar à população as oportunidades da educação profissional e o universo da inovação e da tecnologia industrial. Cerca de 4 mil pessoas conheceram, além da embarcação, em Maués, as quatro escolas do SENAI em Manaus, onde tiveram visitas guiadas, palestras, minicursos, oficinas e exposições (leia nas pág. 12 e 13). Quinto município a receber a visita do Samaúma neste ano, Maués aproveitou a oportunidade para conhecer melhor o funcionamento do barco-escola, única unidade

fluvial da Rede SENAI, há 33 anos levando educação profissional para a população dos municípios do Amazonas e entorno. Segundo o coordenador do barco, Saulo Ramos, pelo menos 600 pessoas visitaram o Samaúma no município. Os 14 cursos em andamento nas áreas de alimentos, mecânica, informática, confecção do vestuário e construção civil são ministrados por oito instrutores do SENAI/ AM para 22 turmas, em três turnos, com cerca de 400 alunos. Os cursos são embarcados e desembarcados, estes em pontos indicados pela prefeitura local. Damásio da Silva, de 44 anos, foi um dos alunos do Samaúma a participar da mos-

tra de trabalhos na praça próxima ao local onde o barco-escola está ancorado. Damásio é aluno de três cursos do segmento da construção civil: pedreiro, eletricista e instalador hidráulico. “A realização do Mundo SENAI é importante porque apresenta o que a escola oferece. Acredito que quando o Samaúma retornar a Maués todos terão a noção dos cursos, da infraestrutura e da capacidade dos instrutores do barco-escola Samaúma”, avalia Damásio da Silva. O borracheiro Raimundo Souza, 47, visitou o barco e se arrependeu por não ter se matriculado no curso de mecânica de motores a diesel e de popa. “Já estou na expectativa da volta do Samaúma a Maués. Na próxima vez serei o primeiro aluno a se inscrever”, disse ele. A programação do Mundo SENAI no Samaúma foi até as 20h de sábado, 28, com exposição de trabalhos realizados pelos alunos, degustação dos salgados e doces dos cursos de padeiro e confeiteiro, bandas musicais e danças típicas da cidade, como a Lenda do Guaraná. Saulo Ramos entrega brinde ao visitante Raimundo Souza

11 FIEAM63i.indd 11

29/10/2012 10:30:59


Mundo SENAI

Um mundo de oportun A s quatro escolas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas), localizadas em Manaus, abriram as portas ao público em 28 de setembro durante o evento Mundo SENAI, oportunidade para a sociedade conhecer as profissões industriais e os laboratórios da instituição, além de ter acesso gratuito a minicursos, palestras e oficinas. No Centro Integrado do Trabalhador Dolores Garcia, no bairro Alvorada, os visitantes tiveram acesso às oficinas de confecção de roupas infantis com retalhos e customização de camisetas na técnica patch apliquê. A instrutora Graciete Silva ensinou às participantes da oficina de roupas infantis a fazer um vestido com retalhos de tecidos. “Quem trabalha em fábrica ou pequenos ateliês sabe que sempre há desperdício de tecido. É possível aproveitar estes retalhos sem perder em beleza e qualidade”, disse. Para a estudante Vaneza Ferreira, 32, a oficina foi proveitosa. “Tenho três filhas e vou treinar o que aprendi aqui costurando vestidos para elas. A oficina foi excelente, principalmente para as mulheres que precisam ajudar na renda de casa com a costura”, disse. Na Escola SENAI Waldemiro Lustoza, especializada no segmento de metalmecânica, o movimento foi grande durante todo o dia. Alunos das escolas estaduais Francisco Albuquerque, D.Pedro II e Marcio Nery prestigiaram a programação que contou com demonstrações práticas nas oficinas de injeção plástica, usinagem a CNC, hidráulica, além dos minicursos de libras, soldagem e língua portuguesa. Segundo o gestor da Escola Estadual Francisco Albuquerque, Ricardo Soares, a iniciativa do SENAI de abrir as portas para a sociedade é louvável. “Muitos alunos nossos achavam que estudar no SENAI era algo muito distante. Hoje eles puderam conhecer a realidade e quem sabe o evento possa despertar aptidões

nos nossos jovens”, disse, acrescentando que vários alunos da escola já estudam no SENAI por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Os alunos do 3° ano do ensino médio da Escola Francisco Albuquerque, Lucas Carvalho, 17, e Pedro Reginaldo, 19, ficaram empolgados ao visitar o laboratório de mecânica automotiva do SENAI. Segundo Lucas, ele pretende cursar informática, mas também gosta de mecânica porque seu pai é da área. O estudante Pedro pretende ingressar na Aeronáutica e quer, antes, cursar mecânica ou informática no SENAI para chegar lá bem preparado. O hall da Escola SENAI Waldemiro Lustoza foi espaço para apresentações culturais e exposição dos estandes das empresas Tramontina e Eco-Recicla. Segundo a secretária da Eco-Recicla, Lúcia Obando, a associação é composta de 154 pessoas que transformam garrafas pet em vassouras sustentáveis. “O SENAI automatizou nossas máquinas de desfiar a pet. Estamos na grande expectativa de começar a usar essas máquinas fruto da parceria com o SENAI”, disse.

Visitantes participaram de minicurso de confecção de roupas infantis na unidade do Alvorada

12 FIEAM63i.indd 12

29/10/2012 10:31:04


unidades profissionais Exposições, palestras, cursos e lições de cidadania Um dos projeto em exposição no Mundo SENAI foi o elevador desenvolvido para o barco-escola Samaúma II, pela equipe de instrutores das áreas de usinagem e soldagem da Escola SENAI Waldemiro Lustoza. Segundo o instrutor Carlos Orlando, o elevador possui baixo peso e baixo custo, além de ser revestido de material sintético antichama. Outro destaque foram as palestras inseridas na programação. O técnico judiciário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Jorge Collyer, ministrou a palestra “O Eleitor do Futuro”, onde procurou conscientizar os jovens para não desperdiçarem a chance de votar, segundo ele, um exercício de cidadania. O tribunal aproveitou para fazer uma simulação da votação com direito a urnas eletrônicas oficiais. Alex Ramos, 32, aluno do curso de eletricista do SENAI, disse que a programação desenvolvida no Mundo SENAI o ajudou a conhecer melhor a área da construção civil. A aluna Dorimar

Equipe de instrutores das áreas de usinagem e soldagem da Escola Waldemiro Lustoza, responsável pelo desenvolvimento do elevador do Samaúma II

Marques, 40, do curso de revestimento em argamassa, destacou a exposição do programa Autocad, que, por meio de computação gráfica, permite a elaboração de projetos na área da construção civil. Para a coordenadora de Educação e Tecnologia da Escola Demóstenes Travessa, Maria do Carmo Teixeira, o Mundo SENAI possibilitou mostrar aos alunos e visitantes todos os serviços oferecidos pelas escolas da instituição. Ela destacou a visita de alunos da Fucapi, Fametro, Escola Estadual Dorval Porto e Unip. A programação deu ainda aos visitantes oportunidades de acesso a outros assuntos em palestras, como “Perspectiva de Mercado na Construção Civil” e “Coleta Seletiva”, além da oficina de material reciclável de jornal. Também houve apresentação da Orquestra de Flauta Doce, composta por alunos do programa de Formação da Cidadania da Polícia Militar do Estado.

Muitos alunos nossos achavam que estudar no SENAI era algo muito distante. Hoje, eles puderam conhecer a realidade e quem sabe o evento possa despertar aptidões nos nossos jovens RICARDO SOARES

O sistema de energia solar (esquerda) atraiu a atenção do público, assim como a simulação de votação feita pelo TRE

13 FIEAM63i.indd 13

29/10/2012 10:31:11


SENAI

Os dados fazem parte do Mapa do Trabalho Industrial 2012, que vai subsidiar o planejamento do SENAI

O

Brasil terá de formar 7,2 milhões de trabalhadores em nível técnico e em áreas de média qualificação para atuarem em profissões industriais até 2015. Essa necessidade produzirá oportunidades em 177 ocupações, que vão desde trabalhadores da indústria de alimentos (cozinheiros industriais) e padeiros até supervisores de produção de indústrias químicas e petroquímicas. A demanda por profissionais de nível técnico para os próximos três anos é 24% maior que a registrada para o período 20082011, quando a necessidade de profissionais ficou em 5,8 milhões. O maior número

José Paulo Lacerda/CNI

Mais 7,2 milhões de técnicos até 2015 Na Escola SENAI Waldemiro Lustoza são formados soldadores, ferramenteiros e mecânicos

de oportunidades se concentra nas regiões Sul e Sudeste, especialmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná. Os dados fazem parte do Mapa do Trabalho Industrial 2012, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para subsidiar o planejamento da oferta de formação profissional da instituição. A pesquisa inédita também pode apoiar os jovens brasileiros na escolha da profissão e, com isso, aumentar suas chances de ingresso no mercado de trabalho. Do total da demanda, 1,1 milhão será por trabalhadores para ingressarem em novas oportunidades no mercado. O

restante já está trabalhando e precisa manter-se qualificado para acompanhar os avanços tecnológicos da indústria. “Apenas 6,6% dos brasileiros entre 15 e 19 anos estão em cursos de educação profissional. Na Alemanha, esse índice é de 53%. Nossos jovens precisam ver a formação profissional como uma excelente oportunidade para o mercado de trabalho”, afirma o diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi. O Mapa do Trabalho Industrial foi apresentado durante o lançamento da Olimpíada do Conhecimento, em 20 de setembro, em São Paulo. A Olimpíada coloca em disputa os melhores alunos das escolas SENAI de todo o país como forma de avaliar a qualidade de cursos profissionalizantes para mais de 50 ocupações. Os profissionais preparados nessas escolas atenderão à demanda da indústria apontada no estudo. As informações são da CNI.

14 FIEAM63i.indd 14

29/10/2012 10:31:17


Aniversário

José Paulo Lacerda/CNI

IEL/AM renova compromisso com gestão empresarial

E

m 42 anos de atuação, completados em setembro, o Instituto Euvaldo Lodi (IEL/M) já atendeu mais de 10 mil empresas amazonenses e capacitou mais de 77 mil pessoas. Durante a cerimônia de comemoração, a superintendente em exercício do IEL/AM, Kátia Meirielle, anunciou 20% de desconto em todos os treinamentos da instituição como promoção de aniversário. Criado em 1970, o IEL integra o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Amazonas e tem como missão atuar diretamente na “interação entre empresas e centros de conhecimento, por meio do aperfeiçoamento da gestão, capacitação empresarial, pesquisa e inovação”. O IEL promove programas voltados à gestão de talentos com foco em estágios e desenvolvimento empresarial por meio de educação executiva; além de oferecer serviços para qualificação de

A superintendente do IEL/AM, Kátia Meirielle

fornecedores (PQF). Apoia empresas na criação de ambientes favoráveis à inovação por meio da Rede de Tecnologia (Retec) e incentiva o empreendedorismo, por meio do Programa Conselheiros Master, além de prestar assessoria prática aos negócios e a inserção de profissionais com habilidades específicas para a atividade industrial.

Programação de Cursos Com duas escolas em Manaus, uma de negócios e outra de aperfeiçoamento, o IEL oferece cursos nas áreas de Gestão Empresarial (cursos abertos), Gestão Administrativa e Gestão Tecnológica. Na primeira, são oferecidos cursos, como Liderança, Qualidade no Atendimento, Comunicação Empreendedora, Jogos e Dinâmicas de Grupo, Conhecendo Práticas de Negociação, Conhecendo Marketing e Vendas e Gestão da Qualidade. Na área de Gestão Administrativa, são oferecidos Departamento de Pessoal Informatizado, Práticas de Contabilidade e Escrita Fiscal, Práticas de Almoxarifado e Estoque, Programa de Profissionalização e Inclusão ao Mercado de Trabalho (PPIMT). E na área de Gestão Tecnológica, Informática Essencial, Informática Avançada, Excel Avançado, Corel Draw e Photo Shop (também com turmas aos sábados), Informática Essencial, Informática Avançada, Excel Avançado (Intensivo). Recrutamento Currículos devem ser enviados para recrutamento@iel-am.org.br, informando o assunto do curso que deseja fazer.

15 FIEAM63i.indd 15

29/10/2012 10:31:20


Economia

Indústria e PIB em queda A

Confederação Nacional da In- peração da atividade industrial, detectadústria (CNI) reviu para baixo dos desde agosto, mas não é o suficiente, suas estimativas de crescimento nestes meses que restam até o final do ano, do PIB (Produto Interno Bruto) para compensar a estagnação no primeiro e do setor industrial para este ano. O In- semestre”, diagnostica o gerente-executivo forme Conjuntural do terceiro trimestre, da Unidade de Pesquisa e Competitividadivulgado em 27 de setembro, previu uma de da CNI, Renato da Fonseca. elevação do PIB de 1,5%, contra 2,1% no esO Informe Conjuntural destaca que só tudo do trimestre anterior, e estagnação da em 2013 terão efeitos concretos as medidas indústria como um todo, quando o Infor- de redução dos custos das empresas recenme passado previra evolução de 1,6%. A temente anunciadas pelo governo, como indústria de transformação, calcula a CNI, ampliação das desonerações da folha de registrará queda de 1,9% em 2012. pessoal, diminuição da tarifa de energia A CNI atribui à queda dos investimen- elétrica e um novo modelo de melhoria tos uma das principais causas do tímido da infraestrutura, baseado nas concessões comportamento do PIB. “O fraà iniciativa privada. Lembra co desempenho do investimento, que tais medidas indicam muque será 1,5% menor do que no dança na percepção da equipe ano passado, está na raiz do baieconômica do governo sobre xo ritmo de expansão do PIB”, Essa é a a estratégia de reativação da assinala o Informe Conjuntural. previsão de economia, antes centralizada O estudo diz que a estagnação elevação do no estímulo ao consumo. “A da atividade industrial, aliada a PIB, contra crescente importância que estoques elevados, é a razão para 2,1% no vem sendo dada ao esforço de o declínio dos investimentos. Na estudo do redução do custo de produzir composição do PIB, a CNI prevê trimestre no Brasil é um reconhecimento crescimento de 2% tanto para a anterior, de do problema da competitiviindústria extrativa quanto para acordo com dade dos produtos nacionais”, o Informe a indústria da construção. atesta o Informe Conjuntural. “Há de fato sinais de recu- Conjuntural De acordo com a CNI, tais

1,5%

medidas “são primordiais para a recuperação da confiança do empresário, em especial da indústria, com impactos diretos na propensão de investir”, que vê como “variável macroeconômica crítica” para o crescimento da economia do país. “A atual taxa de investimento (estimativa de 18,7% do PIB para 2012) é insuficiente para gerar um ritmo médio de crescimento entre 4% e 5%. Esse é o desafio para a economia brasileira”, enfatiza o Informe Conjuntural. Consumidor otimista A CNI divulgou ainda, no final de setembro, o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC), que, pelo terceiro mês consecutivo se manteve estável, demonstrando que o consumidor brasileiro continua otimista. Na comparação com setembro de 2011, o INEC teve alta de 0,7%. A pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 141 municípios de todo o Brasil, entre os dias 17 e 21 de setembro. Entre os componentes do INEC, o de expectativa de inflação caiu 2,1% em setembro ante agosto, o de intenção de compra de bens de maior valor cresceu 1,9% no mês.

16 FIEAM63i.indd 16

29/10/2012 10:31:23


Laboral

Ginástica poderosa O Serviço Social da Indústria (SESI) recebeu, em 18 de setembro, em São Paulo, o prêmio Top Seven Marca Brasil na categoria Melhor Marca de Ginástica Laboral. O SESI foi, pelo sétimo ano consecutivo, a marca mais lembrada da categoria por gestores de recursos humanos de 48 mil empresas consultadas em todo o País. O Prêmio Marca Brasil é promovido pela revista Cipa, especializada em Segurança e Saúde no Trabalho (SST), e está na 13ª edição. “O prêmio é um reconhecimento muito significativo do trabalho do SESI, uma vez que a escolha é por meio de uma abrangente pesquisa nacional de qualidade dos serviços”, afirmou o gerente de Estilo de Vida Saudável do SESI, Antonio Eduardo Muzzi, que recebeu a premiação. “E o reconhecimento nos traz a confiança na qualidade do trabalho prestado”, completou. Muzzi lembrou que uma pesquisa feita pelo SESI em 2009 mostrou que 34,2% das indústrias do país oferecem serviços de ginástica laboral e que, dessas, 57,6% contratam o SESI.

750.000

Esse é o número de trabalhadores, em 2,5 mil indústrias de todo o País, atendidos diariamente pelo programa SESI Ginástica na Empresa

Em todo o país, o SESI Ginástica na Empresa atende diariamente 750 mil trabalhadores de 2,5 mil indústrias. “O prêmio traz um maior reconhecimento da inserção do SESI na indústria brasileira à medida que o mercado de prestadores de serviços de ginástica laboral tem aumentado nos últimos anos”, afirma a analista de negócios sociais do SESI, Manuela Bailão. Saúde e Segurança no Trabalho

SAIBA MAIS Para contratar o Programa SESI Ginástica na Empresa do SESI Amazonas entrar em contato com: Clube do Trabalhador do Amazonas, na Alameda Cosme Ferreira, 7.399, São José Tel. (92) 3216-1035 e 32480117/0742

O SESI também conquistou, pela primeira vez no Prêmio Marca Brasil, a premiação na categoria Melhor Marca de Serviços para Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho (Sipat). “É um prêmio especial porque denota a flexibilidade do SESI para cumprir com o atendimento esperado pelas empresas. Cada indústria desenvolve a sua própria Sipat, com temas e motivos diferentes, e conta com o SESI para executar”, explicou Antonio Muzzi. O Prêmio Marca Brasil 2012 reconheceu 168 marcas em 228 categorias. Participaram desta edição 679 marcas de 14 setores dos segmentos industriais, de serviços e agrícola. O SESI já havia recebido outra premiação na área de segurança e saúde no trabalho no mês de agosto: o Top of Mind na categoria Prestador de Serviços em SST, da revista Proteção, também especializada na área. que ouviu 1.219 profissionais do setor.

17 FIEAM63i.indd 17

29/10/2012 10:31:24


Esportes

SESI traz 22 medalhas do Open Ativa

Atletas usaram lanterna especial para percorrer as trilhas em mata fechada do bosque

Clube abre para ‘Jungle Man Night’

O

bosque do Clube do Trabalhador do Amazonas, na zona Leste, foi palco, no sábado, 29 de setembro, da 2ª edição da Jungle Man Night Run, que reuniu cerca de 400 competidores, entre trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM) e público em geral. O atleta Dionísio Cardoso conquistou o bicampeonato na prova de 10 quilômetros, no masculino. Destaque na competição, que é a versão noturna do tradicional Circuito Jungle Man, o SESI Amazonas conquistou duas medalhas, nos 10 quilômetros, no feminino, uma de ouro com a atleta Fátima Pinto, e uma de bronze com a atleta Maria das Dores de Lima. Segundo Fátima, a prova, disputada na trilha do bosque do SESI, exigiu muito esforço para superar os obstáculos naturais nesse fragmento de floresta de 543 mil metros quadrados. O terreno, segundo ela, é arenoso e, à noite, fica ainda mais difícil, exigindo um bom condicionamento físico. Assim mesmo, a atleta destacou a beleza da paisagem do bosque do SESI.

Para Dionísio Cardoso, participar da prova é para quem não tem medo de enfrentar seus principais obstáculos, que são as curvas numerosas e a escuridão. Dionísio venceu a primeira edição da Jungle Man Night Run, disputada no ano passado no mesmo bosque do SESI. A prova de 5 quilômetros (masculino) classificou em 1º lugar, o representante da Polícia Militar do Amazonas, Emerson Guimarães, com o tempo de 16min46. De acordo com Emerson, é preciso estar com a musculatura bem preparada para fazer o percurso, que tem várias inclinações que dificultam o desempenho, além da falta de iluminação. Para o coordenador da competição, Kleist Mendonça, é mais difícil correr numa trilha como a do bosque do SESI, onde o terreno é desnivelado, com muitas subidas e descidas, além da escuridão da mata quase fechada. De acordo com Mendonça, a prova alcançou os seus objetivos com 100% a mais de competidores em relação ao ano passado, ressaltando que cada competidor recebeu uma lanterna para ajudar na iluminação das trilhas.

O SESI Amazonas conquistou 22 medalhas, sendo oito de ouro, sete de prata e sete de bronze no 1º Open Ativa de Jiu-Jitsu, realizado nos dias 22 e 23 de setembro, no Ginásio Poliesportivo José Nasser, no Clube do Trabalhador. A competição promovida pela Academia Chiquinho Top Team, com apoio do SESI, reuniu 800 atletas de 44 academias de Manaus. O SESI foi representado por 40 atletas. Conquistaram ouro para a Academia de Jiu-Jítsu do SESI os atletas Carlos Alberto, categoria galo, faixa amarela, Danilo Jatson (superpesado), faixa branca, Tayana Souza (pena) faixa azul, Agnaldo Couto (leve) faixa preta, Pablo Oliveira (médio-pesado) faixa branca, André Hardy (médio) faixa roxa, José Cláudio (pena) faixa roxa, e o faixa preta, Agostinho Soares, na categoria leve. O presidente da Federação Amazonense de Jiu-Jítsu Esportivo, Luiz Neto, disse que a modalidade vem crescendo dia a dia em Manaus e conta com cerca de 200 academias espalhadas em todos os bairros da cidade. De acordo com Neto, cerca de 10 mil alunos frequentam as academias de Manaus.

As mulheres ainda são minoria no jiu-jítsu

18 FIEAM63i.indd 18

29/10/2012 10:31:26


Esportes

Os recordistas da natação, Amanda (Philco) e Arionilson (Jabil)

Os vencedores na sinuca numerada, Edilson (Honda) e Bárbara (Salcomp)

Jogos SESI encerrados

C

om a vitória da Mitsuba sobre a Brasil Norte Bebidas, por 2 a 0, no futebol de campo, foram encerrados ofcialmente, em 19 de setembro, os quatro meses de disputas dos Jogos SESI, na etapa estadual. A competição, iniciada em 7 de maio, reuniu cerca de 6 mil trabalhadores-atletas de 132 empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM), disputando 17 modalidades esportivas. Entre agosto e setembro, foram disputadas as modalidades com maior número de equipes ou atletas: futebol, natação, queimada,

sinuca numerada e tênis de campo. O futebol de campo reuniu 58 equipes; na sinuca numerada foram 73 trabalhadores-atletas no masculino e 43 no feminino; na queimada, a disputa foi entre 13 equipes, e na natação, 132 trabalhadores-atletas de 24 empresas disputaram 50 provas. Moto Honda e Philips conquistaram o primeiro lugar na natação, nos naipes masculino e feminino, respectivamente, com novas marcas alcançadas. Na pontuação geral, por empresa, o 1º lugar ficou com a Petrobras. A atleta Amanda Xavier, da Philco, na

O time da Mitsuba conquistou a medalha de ouro no futebol de campo nos Jogos SESI 2012

categoria absoluto, conquistou três medalhas de ouro e quebrou o recorde da competição em duas provas, nos 50m livre, com o tempo de 35se62, e nos 100m peito, com o tempo de 1min42seg74. Arionilson Silva, da Jabil, também conquistou três medalhas de ouro, uma delas, nos 100m livre, com a nova marca da competição: 1min03seg48. Na modalidade queimada, as jogadoras da Unicoba ficaram com o ouro na disputa acirrada com a Siemens. A medalha de bronze ficou com o time da Salcomp. No tênis de mesa masculino, sagraramse campeões Rafael Souza (Manaus Ambiental), na categoria A, Marcelo Frederick (Moto Honda), na categoria B, e Ivanildo Belém (Dumont), na categoria C. As partidas de sinuca, com 116 trabalhadores-atletas, foram disputadas no Sinucão, casa especializada no esporte, localizada no centro de Manaus. No masculino, a final foi disputada por dois atletas da Moto Honda, Edilson Antunes e João Araújo, com vitória do primeiro. No feminino, a atleta Bárbara Barbosa, da Salcomp, venceu Solange Mendes, da Moto Honda, na final. Pelo menos 100 trabalhadores-atletas classificados na etapa estadual devem compor a delegação do SESI Amazonas para a etapa regional, que tem previsão para ser disputada em Porto Velho (RO), de 31 de outubro a 4 de novembro, e em Macapá (AP), de 14 a 18 de novembro.

19 FIEAM63i.indd 19

29/10/2012 10:31:42


Festival

SESI consagra música que vem da indústria

C

om a música “Amor Sem Preconceito”, um xote no melhor estilo pé de serra, o trabalhador Luiz Nunes, representante da Masa da Amazônia e estreante no festival, foi o grande vencedor do SESI Música na categoria Composição Inédita. Na categoria interpretação, o veterano Rodrigo Costa, da Itautinga/Cimento Nassau, teve a sua segunda vitória no evento com a música “Palavra e Som”, de Altay Veloso. Cada um recebeu prêmio de R$ 3 mil. O festival, que reuniu nas duas categorias 26 trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM), foi realizado nos dias 21 e 22 de setembro, e atraiu ao Clube do Trabalhador do Amazonas um público de cerca de 700 pessoas entre industriários, seus familiares e público em geral. O próprio Luiz Nunes, de acordeon em punho, defendeu sua composição, agitando a plateia e tornando-se a gran-

de revelação do festival. Segundo ele, a música “Amor Sem Preconceito” estava na gaveta havia uns dois anos esperando o momento para acontecer. No SESI Música deste ano, a oportunidade chegou e ele se inscreveu como dependente da mulher que é funcionária da Masa da Amazônia. Com a torcida mais numerosa e animada, a Itautinga vibrou muito com mais esta vitória de Rodrigo Costa, que venceu o festival nessa mesma categoria em 2010, com a música “Cinco Pães e Dois Peixinhos”. Desta vez, o cantor escolheu uma música para proclamar “Deus me fez palavra e som / Deu-me a voz, deume esse dom / E a missão de um sabiá”. E conquistou os jurados. Aos 31 anos de idade, Rodrigo trabalha na função de analista de sistema sênior e diz que ainda sonha com a carreira de cantor profissional, embora esteja vivendo um ótimo momento na empresa onde está há mais de dez anos.

Neste ano, as duas categorias do SESI Música reuniram muitos veteranos, mas a maioria dos dez premiados era estreante no evento. Foi o caso do trabalhador Roberval Mendonça, da TPV do Brasil, que conquistou o 2º lugar na categoria Interpretação com “Azul da Cor do Mar”, sucesso na voz de Tim Maia. O festival, em sua quinta edição, ofereceu R$15.200,00 em prêmios (R$ 3 mil para os dois primeiros lugares, R$ 2 mil para os dois segundos, R$ 1 mil para os terceiros e R$ 800 para os quartos e quintos lugares. Além disso, os participantes tiveram direito, como sempre, a tratamento vip, com sessões de massoterapia, aquecimento vocal e maquiagem antes das apresentações. O cantor Lucivan Santos, do Coral do Amazonas, ficou responsável pela preparação vocal dos cantores e intérpretes. A maquiagem ficou a cargo de Fabiana Ribeiro, profissional do Instituto Embelleze.

O coordenador do festival, Alfredo Rocha (esquerda), entrega trofeu a Luiz Nunes, 1º lugar na categoria composição inédita; à direita, o diretor da Itautinga, Alamy Pere

FIEAM63i.indd 20

29/10/2012 10:31:46


Resultado Interpretação 1º lugar – Rodrigo Costa (Itautinga/ Cimento Nassau), com a música “Palavra e Som” 2º lugar – Roberval Mendonça (TPV do Brasil), com “Azul da Cor do Mar” 3º lugar – Randerson Ferreira (Moto Honda), com “Final Feliz” 4º lugar – Alcydia Campos (Correios), com “O Poder do teu Amor” 5º lugar – Valéria Cantuária (Palladium), com “Quebra as Cadeias” Composição Inédita 1º lugar - “Amor Sem Preconceito”, de Luiz Nunes (Masa da Amazônia) 2º “Teu Canto Encanta os Cantos de Lá”, de Iran Maquiné (Sonopress) 3º. “Um Sentimento”, de Michel Fernandes (Procter & Gamble) 4º. “Cartão Postal”, de J. Mendonça (Petrobras) 5º. “Nasci Para te Adorar”, de Auriberto Vital (Moto Honda) À esquerda, os cinco vencedores da categoria Interpretação; à direita, os autores da cinco composições inéditas premiadas no festival

Simone Ávila e Cabocrioulo entre as atrações da final A comissão julgadora, formada pelas cantoras Lucilene Castro e Simone Ávila, a dupla Candinho e Inês, e pelo poeta Marcos Gomes, acabou tendo participação especial também como atração do SESI Música. A pedidos, Simone Ávila deu uma canja cantando duas músicas, uma delas a “Brasileira”, em homenagem à autora

Lucinha Cabral. O casal Candinho e Inês não deixou de entoar seu maior hit, “Renovação”, que foi vencedora do Festival Universitário de Música, da Ufam, nos anos 1980. No encerramento, a banda Cabocrioulo apresentou um repertório com clássicos da MPB retrabalhados para o seu estilo de “mistura de ritmos”.

, Alamy Pereira entrega prêmio a Rodrigo Costa

FIEAM63i.indd 21

29/10/2012 10:31:55


Lazer

Terceira Idade brilha nas pistas

O

Grupo da Terceira Idade, do SESI Amazonas, brilhou nas pistas de dança e nas arenas esportivas, em duas programações dedicadas ao idoso em Manaus, em agosto e setembro. Na 3ª Mostra de Dança, realizada nos dias 28 e 29 de agosto, no Centro de Lazer do Idoso, no bairro Aparecida, zona Sul, o grupo ficou entre os finalistas, com a coreografia “As Frenéticas”, e venceu na categoria solo, com a dançarina Glicéria Lopes, 68, que levantou a galera com samba no pé na música “Assim Você Mata o Papai”. Modesta, Glicéria, que é carioca e tem muita intimidade com o samba, disse que o bom mesmo do grupo são as amizades que você faz. Na área do esporte, o grupo do SESI conquistou 12 medalhas na 14ª Olimpíada da Terceira Idade, promovida pela Secretaria Municipal de Esporte e da Juventude (Semdej) e encerrada em 28 de setembro, no Parque Municipal do Idoso, no bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul. De acordo com o gerente de Atividades

SESI participou da Olimpíada com 50 idosos e conquistou 7 medalhas de ouro, uma de prata e 4 de bronze. O ouro veio do futpênalti (uma), lance livre na cesta (quatro), natação (uma) e atletismo (uma); a medalha de prata veio do futpênalti, e as quatro de bronze vieram Os atletas da 3ª Idade do SESI com a coordenadora Fabíola Santana do jogo de argolas, Especiais da Semdej, Reinaldo Durante, a boliche, atletismo e concurso de dança. A Terceira Idade do SESI atende a cerca Olimpíada reuniu cerca de 2,5 mil idosos de Manaus e do município de Novo Airão, de 100 idosos, entre industriários e público na disputa de 20 modalidades esportivas, em geral, com atividades de natação, hino masculino e feminino, entre as quais, na- droginástica, caminhada, academia, dança, tação, atletismo, voleibol, xadrez, dominó, teatro e coral, passeios turísticos e jogos de tênis de mesa, boliche, dominó, lançamen- salão, de segunda a sexta, com uma hora de to ao cesto, arremesso de argolas, bola ao atividade por dia. A dança é gratuita para qualquer públicesto, além de concurso de dança. Segundo a coordenadora do Grupo da co, basta ter acima de 60 anos. Informações: Terceira Idade do SESI, Fabíola Santana, o 3216-1037/39.

Os integrantes do Grupo da 3ª Idade do SESI ficaram entre os finalistas da Mostra de Dança, com a coreografia “As Frenéticas”

22 FIEAM63i.indd 22

29/10/2012 10:31:58


23 FIEAM63i.indd 23

29/10/2012 10:32:00


24 FIEAM63i.indd 24

29/10/2012 10:32:02


FIEAM Notícias Ed. 63