Page 1

A SINERGIA DA

TRANSFORMAÇÃO


A SINERGIA DA TRANSFORMAÇÃO 

Manual de Assinaturas e Convivência de Marcas


sumรกrio

4

Metodologia Roda da Marca



MANUAL DE CONVIVรŠNCIA DE MARCAS


sumário

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS

6

Apresentação

8 10 12 14

CONTExTO HISTÓRICO Cenário das instituições — CNC Cenário das instituições — Sesc Cenário das instituições — Senac



16

Objetivos e desafios

  

20 22 24

Metodologias de projeto Metodologia Roda da Marca Metodologia dos Pilares

26 28 30 32

conceito Essência da CNC Essência do Sesc Essência do Senac

34 38 40

COMÉRCIO SANS: tipografia do sistema Família tipográfica Tipografia de Apoio

40 46 50 160

assinatura conjunta CNC – Sesc – Senac Federações Regionais Federações Nacionais



5


APRESENTAÇÃO 6



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Saúde, cultura, educação, sociedade, economia. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) tem na sua base estes pilares fundamentais que lhe agregam valor, bem como às instituições que estão sob a sua alçada. A CNC foca o seu esforço no desenvolvimento social, político e econômico do país, sua missão é conquistada através do espírito de cooperação em que a CNC se envolve com as federações e sindicatos do comércio. O Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) são as duas entidades que, sob a jurisdição da CNC, se

O Sesc promove o bem-estar social e a qualidade

envolvem diretamente em um conjunto de ações em prol

de vida dos comerciários e das suas famílias, mas

do desenvolvimento social.

também da sociedade, através do apoio às populações carentes, oferecendo-lhes meios para a conquista de melhores condições de vida. O Sesc atua em cinco áreas: Educação, Saúde, Cultura, Lazer e Assistência, e proporciona o acesso a modernos centros culturais, teatros, restaurantes, salas de aula, clínicas odontológicas e hospedagem, entre outros serviços. O Senac possui um dos papéis mais importantes na sociedade brasileira, sendo uma referência no setor do ensino profissional. Há mais de 60 anos, transforma a vida das pessoas, apresentando uma enorme variedade de cursos e oferecendo qualificação técnica, graduação e pós-graduação, especialização e educação a distância. É no progresso de todos estes vetores-chave que será possível dar uma vida melhor para as pessoas, o desejo primordial da CNC.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



7





contexto histórico MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



9


Cenário das instituições – CNC


A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), fundada em 1945, representa a entidade máxima do empresariado comercial brasileiro, destacando-se como um setor primordial para a economia do Brasil, atuando ativamente na defesa dos interesses de cerca de 4,5 milhões de empreendedores, que empregam mais de 20 milhões de pessoas. A CNC desenvolveu uma sinergia laboral com as federações e sindicatos, focando fortalecimento do mercado e da harmonia do setor, representando, neste momento, cerca de 1/4 do Produto Interno Bruto (PIB). São 34 federações estaduais e nacionais que agrupam mais de 900 sindicatos e que trabalham de forma integrada com a CNC, perseguindo um objetivo comum: proteger e apoiar o setor terciário.

A CNC é a garantia institucional de que o comércio estará sempre presente na formulação das políticas públicas, acompanhando as leis que possam ter impacto sobre o setor. Desde o início da sua história, o símbolo utilizado na representação da Confederação Nacional do Comércio é o Mercúrio que, na mitologia romana, é o deus da venda, do lucro e do comércio. No entanto, eram utilizadas várias versões deste símbolo, havendo diferenças entre algumas federações estaduais, o que criava um conflito visual e, até mesmo, de identificação com a própria CNC. Revelouse, então, imperioso criar uma imagem transversal que identificasse a Confederação e respetivas federações e que apresentasse a nova essência da CNC.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



11


Cenário das instituições – SESC


Pouco depois da sua fundação, a CNC criou o Serviço Nacional de Comércio (Sesc), que atua pelo bem-estar social e promoção da cidadania, incidindo em cinco áreas diferenciadas: Educação, Saúde, Cultura, Lazer e Assistência. No que diz respeito à imagem da marca, consideramos três fases marcantes. É importante esta diferenciação para se perceber a evolução da insígnia e se compreender a posição do Sesc na atualidade e sua visão e postura para o futuro. Os primeiros logotipos do Sesc representavam saúde, prevenção e amparo, presentes na filosofia da Carta da Paz Social. Depois de 1958, entrou o conceito de família, compondo a sua identidade visual durante essa fase. O Brasil passava pelo período do desenvolvimentismo, e foi então utilizada a figura da família (pai, mãe e filho) como símbolo de um país que caminhava junto para o progresso, por forma a suprimir as desigualdades. Na sua última fase, após 1998, revelou-se urgente padronizar o uso da marca entre os vários Departamentos Regionais, com o objetivo de fomentar a sua imagem nacional, já que se denotava uma falta de sincronia visual entre os vários departamentos. Manifestou-se a necessidade de criar uma ínsignia-base comum para toda a entidade, sendo a visibilidade e legibilidade fatores importantes na criação. Foi esta identificação transversal da marca que se procurou manter, mas elevando-a para os tempos modernos da atualidade e preparando-a para o futuro.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



13


Cenário das instituições – SENAC


Em 1946, um pouco antes da fundação do Sesc, nasce o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Com uma visão de futuro, o Senac foi criado para oferecer a capacitação profissional a trabalhadores do setor do comércio, proporcionando-lhes a oportunidade de melhorar as suas vidas, com reflexo claro no progresso econômico e social do país.

A sigla Senac foi utilizada desde sempre na imagem da marca. O primeiro logotipo utilizado apresentava a sigla colocada no centro do mapa do Brasil, o que ilustrava o tom nacionalista característico da época. À sua volta, o slogan “Do comércio, pelo comércio, para o progresso” circundava a imagem, fechando-a em si mesma. A partir de 1969, o Senac substituiu o seu símbolo por uma visão mais abstrata, baseando-se no princípio de que qualquer forma, por mais simples que seja, fica imbuída do significado daquilo que representa. Esta premissa é válida, no entanto, apesar de simples, a imagem tem de revelar uma sagacidade no traço visual que complemente e reforce o significado da marca, tornando-a inesquecível.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



15


contexto

16

Metodologia Roda da Marca



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


OBJETIVOS E DESAFIOS MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



17


Apesar de serem instituições reconhecidas no mercado, as marcas CNC — Sesc — Senac não possuíam uma identidade visual transversal, essa fragmentação entre elas não traduzia a força do trio na economia e na sociedade brasileira.

Era necessária a elaboração de um projeto de unificação visual que reforçasse a imagem desses institutos como meios para um único fim: a transformação positiva do país.

Para desenvolver este projeto estimulante, era necessário criar um alinhamento entre as três instituições, delinear um plano que as interligasse e transmitisse a sua força, desassociando-as da imagem das instituições de entidades estatais, um legado gráfico dos anos 60, mas mantendo a essência de cada uma delas. Num primeiro passo, desenvolveu-se um processo de sensibilização entre os três organismos e seus públicos internos, para que juntos pudessem consolidar suas imagens.

18



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


CNC — Baseada na figura do Mercúrio, era uma marca clássica e tradicional, focando a trajetória da CNC, mas que não destacava a sua presença na era digital. Era imperioso preparar a CNC para o futuro em que uma nova geração, que absorve milhares de informações ao mesmo tempo, pudesse ouvir a voz da instituição.

Sesc — O Sesc precisava mostrar seu poder transformador como agente social do Brasil. Os conceitos de proteção e projeção social, comunicados pela nova marca, transmitem em símbolo toda a significação que a instituição queria reforçar junto ao público.

Senac — No Senac, as diversas regiões do Brasil comunicavam através de diferentes marcas, o que produzia um ruído visual, provocando a perda de força da marca Senac como um todo. Era urgente definir um conceito comum que traduzisse a essência do Senac: a transformação de vidas através da educação para o trabalho.

Transformação. Encontrar o fio condutor da essência dos três organismos era fundamental, pois só assim seria possível criar uma identidade visual transversal, respeitando, claro, a individualidade de cada uma. A transformação surgiu, então, como o fio condutor, o âmago das três entidades. A CNC transforma vidas através da sua representatividade junto aos poderes políticos e econômicos. O Sesc transforma pela ampliação de possibilidades como agente social. E o Senac transforma vidas através da educação para o trabalho. Este foi o ponto de partida para delinear e desenvolver uma unificação visual entre as marcas, que reforçasse a sinergia existente entre elas e mostrasse a todos o papel desse sistema para a sociedade brasileira. MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



19


contexto

20



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


metodologiaS DE PROJETO

Revelar a essência da marca é o ponto de partida para a construção da cultura e sua identidade. Ela deve ser atemporal e traduzir o significado e missão de uma instituição. MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



21


Metodologia Roda da Marca — SESC e SENAC


Para Sesc e Senac utilizamos a Metodologia Roda da Marca, na qual a essência é revelada a partir do mapeamento de 4 conceitos-base (público-alvo, diferenciais, benefícios e personalidade da marca). Um dos maiores desafios na construção das marcas Sesc e Senac foi definir suas

Público-alvo: Suas necessidades? Suas motivações?

Modelo de negócio: O que ele tem de novo? De diferente? De melhor?

personalidades. Considerando que o número de usuários é muito grande, usamos a Teoria dos Arquétipos, de

1

2

Carl Jung, para mapear os sentimentos

ESSÊNCIA

e necessidades destes brasileiros. Encontrando o arquétipo mais próximo da personalidade da marca, conseguese atender aos anseios de todos os consumidores que se identificam com ele. Esses arquétipos servem como “personalidades-tipo” sobre as quais monta-se a personalidade da marca com base nas caraterísticas do negócio/produto e nas

3 Benefícios: Quais os benefícios racionais? e emcocionais?

4 Personalidade: Se a marca fosse uma pessoa, como seria?

aspirações e nos motivadores do público-alvo.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



23


Metodologia dos Pilares — CNC


Encontrar a essência da CNC requeria o recurso a outra ferramenta. Uma entidade institucional, por ser mais

ESSÊNCIA

flexível e abrangente, não tem atributos específicos, mas sim uma “alma” moldada pela cultura da empresa. Com o objetivo de destacar o nome e obter credibilidade e respeito à CNC na atualidade e no futuro, adotamos a

empresa, considerando seu público, princípios e pilares.

Pilares

Esta metodologia baseia-se nos principais atributos da

Pilares

da marca e norteiam a sua entrega e a sua postura.

Pilares

Os pilares são proposições que sustentam a proposta

Pilares

Metodologia dos Pilares da Marca.

É tudo isto que sustentará a essência da marca e que a conduzirá a um novo patamar.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



25


conceito

26



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


CONCEITO essência das marcas MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



27


EssĂŞncia da CNC


“Representação que impulsiona a transformação do comércio e do país.” Vivemos um momento de grandes transformações. Na era digital emerge um novo paradigma social de valorização do conhecimento e da informação que interfere diretamente na dinamização das comunicações e do comércio de bens, serviços e turismo. Neste momento histórico de profundas transformações, o Brasil torna-se protagonista no cenário mundial. Hoje somos percebidos como um país de economia estável, forte, com um potencial humano incomparável. O Sistema CNC – SESC – SENAC é um dos grandes agentes impulsionadores dessa transformação no país. Desempenhando um papel decisivo na inserção do Brasil em uma posição de destaque e liderança global. A CNC transforma através da sua representatividade. O símbolo escolhido para a nova marca possui linguagem iconográfica e presença virtual. A asa representa o sonho, o resultado alcançado e a capacidade de realização.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



29


EssĂŞncia do Sesc


“Alimenta de horizontes. Transforma vidas.” O sonho do Sesc é o sonho do Brasil: permitir, através de sua ação, que todos os brasileiros tenham acesso à possibilidade de crescimento para alcançar seus sonhos. O horizonte se forma sobre o logotipo, transmitindo a ideia de que no Sesc há oportunidades para todos. A cor e o movimento ascendente do horizonte fazem uma alusão à abrangência da obra social do Sesc no Brasil. A curva tem presença e suavidade, comunicando a ideia de proteção e projeção: o exercício de constante superação em transformarmos, com alegria, as nossas vidas e das pessoas ao nosso redor.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



31


EssĂŞncia do Senac


“O ensino do futuro do mundo: pessoas inovando pela transformação do Brasil”.

A representação gráfica do pensamento inovador é dada pelo ícone de um avião de papel estilizado. Essa forma concentra o equilíbrio entre uma construção simples e a genialidade e leveza do resultado: trata-se de um voo de liberdade. A junção de triângulos que convergem para o mesmo ponto, criando a forma do avião de papel representa uma trajetória — o movimento positivo que impulsiona em direção ao futuro.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



33


conceito

34

Metodologia Roda da Marca



MANUAL DE CONVIVĂŠNCIA DE MARCAS


conceito

Metodologia Roda da Marca

comércio Sans tipografiaS do sistema MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



35


A tríade CNC – Sesc – Senac forma um todo com uma essência primordial: a transformação da vida das pessoas, da economia e sociedade brasileiras.

No entanto, mesmo tendo um propósito comum enaltecido por ser o foco do seu trabalho, cada instituição tem uma personalidade própria que deve ser respeitada. Foi criada, então, uma tipografia adequada a cada logotipo, mantendo o traço comum entre os três. Pretendia-se respeitar a individualidade de cada marca, mas reforçando a força do conjunto das três como um todo. A marca-mãe CNC foi criada em caixa alta para conferir destaque visual face às outras duas. A letra N possui uma curvatura na sua diagonal. Serviu para lhe dar mais personalidade e para deixá-la mais integrada com o estilo gráfico adotado para a asa. Por ser uma marca mais inovadora, o Senac apresenta cortes verticais retos que evidenciam essa característica. As letras E e A possuem cortes mais radicais para criar pontos de tensão no logotipo e gerar equilíbrio na massa tipográfica. A primeira e última letras do logotipo têm o mesmo tamanho. Esta decisão foi tomada para criar equilíbrio visual na marca, compensado a trajetória do arco do avião de papel estilizado. Já no logotipo do Sesc, a capitular S tem um traço levemente mais espesso e, no lugar de um corte reto, o seu final acompanha o desenho do arco, reforçando a postura protetora da instituição. Os cortes das letras são mais suaves, mantendo a integração visual com as outras marcas do sistema, mas reforçando a sua estabilidade. A última letra do logotipo mantém o mesmo tamanho que as anteriores, já que o grafismo do horizonte protege de igual forma. 36



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Caracteres que se repetem nas 3 marcas, com formas adaptadas para respeitar a personalidade de cada uma. letra C letra S letra E

MANUAL DE CONVIVĂŠNCIA DE MARCAS



37


Família tipográfica Comércio Sans

versão regular

versão negrito

38



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


A uniformização da tipografia é um recurso capaz de conferir unidade e profissionalismo à imagem de uma instituição e, consequentemente, otimizar a experiência da marca nos pontos de contato com os públicos internos e externos. A criação de uma tipografia própria oferece à marca maior aproximação com o público e traduz a personalidade transformadora das entidades, possibilitando uma expressão visual mais adequada e integradora de suas características tão marcantes para seus usuários. A família tipográfica Comércio Sans foi desenhada a partir das características das letras que compõem as três marcas, por sua vez desenvolvidas em base à fonte Gotham. Reconhecida por seus cortes verticais retos na caixa baixa e arredondamentos nas diagonais da caixa alta, a Comércio Sans realça a personalidade marcante e única das instituições. A tipografia desenvolvida deve ser aplicada nas assinaturas de toda a arquitetura de marcas do Sistema do Comércio: CNC, Sesc, Senac, todas as Federações Nacionais, Federações Estaduais, Sindicatos e Institutos ligados às atividades do comércio no país.

A tipografia Comércio Sans é uma fonte display. Portanto, não é recomendada a sua utilização em texto corrido. Sua aplicação é restrita a títulos, subtítulos, aberturas e outras situações de textos em destaque. É aconselhado manter o Kerning original da fonte, utilizando-se, preferencialmente, o alinhamento ótico.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



39


TIPOGRAFIAS DE APOIO

Peças institucionais

Para materiais de caráter institucional (impressos administrativos, diplomas e certificados, documentos corporativos etc.), deve-se utilizar a família Helvetica Neue, nas seguintes variações:

Helvetica Neue LT Pro – Th (thin)

Helvetica Neue LT Pro –ThIt (thin italic)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – Lt (light)

Helvetica Neue LT Pro – LtIt (light italic)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – Roman (roman)

Helvetica Neue LT Pro – It (italic)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – Md (medium)

Helvetica Neue LT Pro – MdIt (medium italic)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – Bd (bold)

Helvetica Neue LT Pro – BdIt (bold italic)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – Hv (heavy)

Helvetica Neue LT Pro – HvIt (heavy italic)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

40



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


TIPOGRAFIAS DE APOIO

Sinalização

Para aplicações em sinalização, identificação de frota e uniformes, podem ser utilizadas as famílias Helvetica Neue Condensed ou Gotham nas seguintes variações:

Helvetica Neue LT Pro – Cn (light condensed)

Helvetica Neue LT Pro – CnO (light condensed oblique)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – MdCn (medium condensed)

Helvetica Neue LT Pro – MdCnO (medium condensed oblique)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – BdCn (bold condensed)

Helvetica Neue LT Pro – BdCnO (bold condensed oblique)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Helvetica Neue LT Pro – HvCn (heavy condensed)

Helvetica Neue LT Pro – HvCn) (heavy condensed oblique)

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Gotham Light

Gotham Light Italic

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Gotham Book

Gotham Book Italic

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Gotham Medium

Gotham Medium Italic

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Gotham Bold

Gotham Bold Italic

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

abcdefghijklmnopqrstuvwxyz

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



41


TIPOGRAFIAS DE APOIO

Peças especiais

Em peças especiais da CNC como diplomas, certificados e convites pode-se utilizar a tipografia Garamond pontualmente em alguns textos, a fim de conferir requinte.

Garamond Regular

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789 Garamond Italic

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789 Garamond Bold

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789 Garamond Bold Italic

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

42



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


TIPOGRAFIAS DE APOIO

Meios eletrônicos

Em meios eletrônicos, as famílias tipográficas que podem ser utilizadas são Verdana e Arial, nas seguintes variações:

Verdana Regular

Arial Regular

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Verdana Bold

Arial Bold

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Verdana Italic

Arial Italic

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

Verdana Bold Italic

Arial Bold Italic

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z  0123456789

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



43


tipografias apoio

44

Metodologia Roda da Marca



MANUAL DE CONVIVĂŠNCIA DE MARCAS


tipografias apoio

Metodologia Roda da Marca

CONVIVÊNCIA ASSINATURAS CONJUNTAS MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



45


CNC – Sesc – Senac

Assinatura horizontal

Para otimizar a convivência das marcas CNC — Sesc — Senac, foram estipuladas as seguintes diretrizes: •  As marcas CNC — Sesc — Senac devem ser aplicadas sempre nesta respectiva ordem; •  Sesc e Senac são escritos por extenso na tipografia Comércio Sans. Para a assinatura conjunta não se deve usar, em nenhuma hipótese, o logotipo como consta nas respectivas marcas; •  CNC é a única sigla que deve ser aplicada juntamente com o símbolo, utilizando-se a assinatura da marca na versão lateral.

46



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


CNC – Sesc – Senac

Assinatura vertical

As assinaturas conjuntas de CNC — Sesc — Senac, tanto na horizontal como na vertical, possuem uma linha que separa e confere o respiro necessário para otimizar a leitura de cada marca. Não é permitido alterar a proporção nem o espacejamento entre os elementos, respeitando sempre os grids representados abaixo.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



47


Fecomércios Sesc – Senac – IFPD

Assinatura horizontal e vertical

Para otimizar a convivência das marcas Fecomércios — Sesc — Senac — Instituto ou Centro, foram estipuladas as seguintes diretrizes: •  As marcas Fecomércio — Sesc — Senac — devem ser aplicadas sempre nesta respectiva ordem; •  Sesc e Senac são escritos por extenso na tipografia Comércio Sans. A sigla do Instituto ou Centro deve vir inteiro em caixa alta, quando a junção de suas letras, não forma foneticamente uma palavra, caso seja formada, poderá ser escrito em caixa alta, na primeira letra e caixa baixa nas demais. Para a assinatura conjunta não se deve usar, em nenhuma hipótese, o símbolo como consta nas respectivas marcas; •  Fecomércio é a única sigla que deve ser aplicada juntamente com o símbolo, utilizando-se a assinatura da marca na versão lateral.

Sesc Senac IFPD 48



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


CNC – Fecomércio Sesc – Senac

Assinatura para TV

Para otimizar a convivência das marcas CNC — Fecomércios — Sesc — Senac, foram estipuladas as seguintes diretrizes: •  A marca CNC deve vir acima, com símbolo na segunda linha Fecomércio — Sesc — Senac — devem ser aplicadas sempre nesta respectiva ordem; •  Essa versão foi desenvolvida unicamente para comerciais televisivos, não sendo aplicada em nenhum outro material gráfico.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



49


50



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

Os estados do Brasil são representados através das suas respectivas federações. Elas possuem assinaturas próprias que identificam o estado de origem através da sigla, as instituições e os sindicatos associados. Para atender à demanda das aplicações regionais, foi desenvolvido um sistema que atende às necessidades particulares de cada estado e, ao mesmo tempo, mantém coerência informacional e visual para reforçar a unidade com a marca CNC. Nas páginas a seguir, estão apresentadas todas as assinaturas possíveis classificadas por região e estado

Algumas regras básicas foram estipuladas: •  O símbolo da ASA deve estar contido em todas as assinaturas, sem excessão, em uma relação de proporção similar à utilizada na versão da marca lateral CNC; •  Os nomes e siglas são aplicados com a tipografia Comércio Sans na versão Negrito, enquanto os descritivos devem constar na tipografia Comércio Sans versão Regular; •  As assinaturas que contemplam a aplicação de institutos e sindicatos devem ter no máximo 3 linhas, respeitando a seguinte ordem: (1) a primeira linha com Fecomércio + Sigla do estado; (2) a segunda linha com assinaturas Sesc + Senac; (3) a terceira linha com os respectivos institutos.

Para maiores detalhamentos em relação a cada estado, deve-se consultar o respectivo Manual de Assinatura Fecomércio.

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



51


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – DISTRITO FEDERAL

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal

1/2 módulo

52

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – DISTRITO FEDERAL

Sesc Senac Instituto Fecomércio

Sesc Senac Instituto Fecomércio

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



53


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – DISTRITO FEDERAL

Sesc Senac

Sesc Senac

54



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – DISTRITO FEDERAL

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



55


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – GOIÁS

Federação do Comércio do Estado de Goiás

Federação do Comércio do Estado de Goiás

56



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – GOIÁS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



57


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – GOIÁS

Sesc Senac

Sesc Senac

58



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – GOIÁS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



59


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso

1/2 módulo

60



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



61


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO

Sesc Senac

Sesc Senac

62



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



63


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO DO SUL

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul

1/2 módulo

64

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO DO SUL

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



65


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO DO SUL

Sesc Senac

Sesc Senac

66



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

CENTRO-OESTE – MATO GROSSO DO SUL

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



67


Federações Regionais

NORDESTE – ALAGOAS

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas

1/2 módulo

68

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – ALAGOAS

Sesc Senac IPF

Sesc Senac IPF

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



69


Federações Regionais

NORDESTE – ALAGOAS

Sesc Senac

Sesc Senac

70



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – ALAGOAS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



71


Federações Regionais

NORDESTE – BAHIA

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia

1/2 módulo

72

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – BAHIA

Sesc Senac Cesec

Sesc Senac Cesec

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



73


Federações Regionais

NORDESTE – BAHIA

Sesc Senac

Sesc Senac

74



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – BAHIA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



75


Federações Regionais

NORDESTE – CEARÁ

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Ceará

Federação do Comércio de Bens, Serviços e turismo do Estado do Ceará

76



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – CEARÁ

Sesc Senac IPDC

Sesc Senac IPDC

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



77


Federações Regionais

NORDESTE – CEARÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

78



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – CEARÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



79


Federações Regionais

NORDESTE – MARANHÃO

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão

80



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – MARANHÃO

Sesc Senac IFPD

Sesc Senac IFPD

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



81


Federações Regionais

NORDESTE – MARANHÃO

Sesc Senac

Sesc Senac

82



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – MARANHÃO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



83


Federações Regionais

NORDESTE – PARAÍBA

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Paraíba

1/2 módulo

84

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Paraíba



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – PARAÍBA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



85


Federações Regionais

NORDESTE – PARAÍBA

Sesc Senac

Sesc Senac

86



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – PARAÍBA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



87


Federações Regionais

NORDESTE – PERNAMBUCO

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco

1/2 módulo

88

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – PERNAMBUCO

Sesc Senac Instituto Fecomércio

Sesc Senac Instituto Fecomércio

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



89


Federações Regionais

NORDESTE – PERNAMBUCO

Sesc Senac

Sesc Senac

90



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – PERNAMBUCO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



91


Federações Regionais

NORDESTE – PIAUÍ

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Piauí

1/2 módulo

92

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Piauí



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – PIAUÍ

Sesc Senac IFPD

Sesc Senac IFPD

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



93


Federações Regionais

NORDESTE – PIAUÍ

Sesc Senac

Sesc Senac

94



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – PIAUÍ

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



95


Federações Regionais

NORDESTE – RIO GRANDE DO NORTE

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte

1/2 módulo

96

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – RIO GRANDE DO NORTE

Sesc Senac IFPD

Sesc Senac IFPD

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



97


Federações Regionais

NORDESTE – RIO GRANDE DO NORTE

Sesc Senac

Sesc Senac

98



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – RIO GRANDE DO NORTE

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



99


Federações Regionais

NORDESTE – SERGIPE

Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do Estado de Sergipe

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Sergipe

100



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – SERGIPE

Sesc Senac IFPD

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



101


Federações Regionais

NORDESTE – SERGIPE

Sesc Senac

Sesc Senac

102



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORDESTE – SERGIPE

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



103


Federações Regionais

NORTE – ACRE

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre

104



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – ACRE

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



105


Federações Regionais

NORTE – ACRE

Sesc Senac

Sesc Senac

106



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – ACRE

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



107


Federações Regionais

NORTE – AMAPÁ

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amapá

1/2 módulo

108

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amapá



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – AMAPÁ

Sesc Senac IPDC

Sesc Senac IPDC

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



109


Federações Regionais

NORTE – AMAPÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

110



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – AMAPÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



111


Federações Regionais

NORTE – AMAZONAS

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas

1/2 módulo

112

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – AMAZONAS

Sesc Senac IFPEAM

Sesc Senac IFPEAM

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



113


Federações Regionais

NORTE – AMAZONAS

Sesc Senac

Sesc Senac

114



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – AMAZONAS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



115


Federações Regionais

NORTE – PARÁ

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Pará

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Pará

116



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – PARÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



117


Federações Regionais

NORTE – PARÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

118



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – PARÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



119


Federações Regionais

NORTE – RONDÔNIA

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia

1/2 módulo

120

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – RONDÔNIA

Sesc Senac Instituto Fecomércio

Sesc Senac Instituto Fecomércio

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



121


Federações Regionais

NORTE – RONDÔNIA

Sesc Senac

Sesc Senac

122



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – RONDÔNIA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



123


Federações Regionais

NORTE – RORAIMA

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Roraima

1/2 módulo

124

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Roraima



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – RORAIMA

Sesc Senac IFPD

Sesc Senac IFPD

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



125


Federações Regionais

NORTE – RORAIMA

Sesc Senac

Sesc Senac

126



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – RORAIMA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



127


Federações Regionais

NORTE – TOCANTINS

Federação do Comércio do Estado de Tocantins

Federação do Comércio do Estado de Tocantins

128



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – TOCANTINS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



129


Federações Regionais

NORTE – TOCANTINS

Sesc Senac

Sesc Senac

130



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

NORTE – TOCANTINS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



131


Federações Regionais

SUDESTE – ESPÍRITO SANTO

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo

1/2 módulo

132

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – ESPÍRITO SANTO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



133


Federações Regionais

SUDESTE – ESPÍRITO SANTO

Sesc Senac

Sesc Senac

134



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – ESPÍRITO SANTO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



135


Federações Regionais

SUDESTE – MINAS GERAIS

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais

1/2 módulo

136

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – MINAS GERAIS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



137


Federações Regionais

SUDESTE – MINAS GERAIS

Sesc Senac

Sesc Senac

138



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – MINAS GERAIS

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



139


Federações Regionais

SUDESTE – RIO DE JANEIRO

Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro

1/2 módulo

140

Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – RIO DE JANEIRO

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



141


Federações Regionais

SUDESTE – RIO DE JANEIRO

Sesc Senac

Sesc Senac

142



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – RIO DE JANEIRO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



143


Federações Regionais

SUDESTE – SÃO PAULO

Federação do Comércio do Estado de São Paulo

1/2 módulo

144

Federação do Comércio do Estado de São Paulo



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – SÃO PAULO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



145


Federações Regionais

SUDESTE – SÃO PAULO

Sesc Senac

Sesc Senac

146



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUDESTE – SÃO PAULO

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



147


Federações Regionais

SUL – SANTA CATARINA

Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina

1/2 módulo

148

Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUL – SANTA CATARINA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



149


Federações Regionais

SUL – SANTA CATARINA

Sesc Senac

Sesc Senac

150



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUL – SANTA CATARINA

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



151


Federações Regionais

SUL – PARANÁ

Federação do Comércio do Paraná

Federação do Comércio do Paraná

152



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUL – PARANÁ

Sesc Senac

IFPD

Sesc Senac IFPD

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



153


Federações Regionais

SUL – PARANÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

154



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUL – PARANÁ

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



155


Federações Regionais

SUL – RIO GRANDE DO SUL

Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul

1/2 módulo

156

Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUL – RIO GRANDE DO SUL

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



157


Federações Regionais

SUL – RIO GRANDE DO SUL

Sesc Senac

Sesc Senac

158



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Federações Regionais

SUL – RIO GRANDE DO SUL

Sesc Senac

Sesc Senac

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



159


Assinatura resumo visual conjunta

Federações Nacionais

FEADUANEIROS

1/2 módulo

160



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


resumo Assinatura visual conjunta

Federações Nacionais

FEBRAC

Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental

1/2 módulo

Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



161


resumo Assinatura visual conjunta

Federações Nacionais

FECOMBUSTÍVEIS

Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes

1/2 módulo

162

Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Assinatura resumo visual conjunta

Federações Nacionais

FENACON

Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas

1/2 módulo

Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



163


resumo Assinatura visual conjunta

Federações Nacionais

FENAVIST

Federação Nacional dos Sindicatos das Empresas de Segurança, Vigilância e de Transporte de Valores

1/2 módulo

164

Federação Nacional dos Sindicatos das Empresas de Segurança, Vigilância e de Transporte de Valores



MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS


Assinatura resumo visual conjunta

Federações Nacionais

FNHRBS

Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares

1/2 módulo

Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares

MANUAL DE CONVIVÊNCIA DE MARCAS



165


Sinergia da transformação  
Sinergia da transformação