Issuu on Google+

Classificação dos seres vivos Os protistas também são seres unicelulares, que possuem como representantes os protozoários, as amebas e as algas unicelulares.

OBJETIVOS PROPOSTOS . Compreender a importância da classificação dos seres vivos; . Entender a nomenclatura científica dada para classificar os seres vivos; . Classificar os seres vivos.

A classificação dos seres vivos surgiu pela necessidade do homem em organizar os seres em grupos. Há milhões e milhões de seres vivos, desde seres microscópicos até seres gigantescos. No início, os seres vivos eram agrupados de acordo com o ambiente em que viviam. Então os animais marinhos eram agrupados em um grupo e os terrestres em outro. As baleias e os tubarões, por exemplo, eram agrupados em um mesmo grupo, os peixes.

Euglema (alga unicelular)

Protozoários

A classificação científica e a nomenclatura binominal que nós conhecemos hoje foi criada por Lineu, considerado o "pai da taxonomia moderna”.

Os fungos são representados, por exemplo, pelos cogumelos, pelo mofo e pelo bolor do pão. shutterstock

A nomenclatura binominal é uma nomenclatura latina, que designa a espécie e o gênero do ser vivo. Lineu escolheu o latim, porque há centenas de línguas no mundo e dessa forma em todos os lugares a descrição do nome dos seres vivos seria a mesma. Como por exemplo, Canis familiaris e Canis lupus, nomes dados ao cão e ao lobo respectivamente, designando que estes seres pertencem a espécies diferentes, mas ao mesmo gênero: Canis. Seu sistema de classificação reúne espécies semelhantes em um grupo maior chamado gênero. Hoje, os seres vivos são divididos em cinco reinos: animal, vegetal, fungi, monera e protista. O sistema de classificação em cinco reinos, usa como critério o grau de complexidade e as formas de nutrição dos seres. Amanita muscaria

Os moneras são seres unicelulares, representados pelas bactérias e cianobactérias. shutterstock

Os animais são seres pluricelulares e compreende uma variedade enorme de espécies.

shutterstock

Bactérias ampliadas

211


CIÊNCIAS

As plantas também são seres pluricelulares que produzem seu próprio alimento. shutterstock

Espécies

Panthera onca

Felis pardalis Felis catus Nos capítulos seguintes você irá conhecer com detalhes cada um desses reinos. E como os seres são divididos nesses grupos? Não é tão simples! Para que isso ocorra é necessário o estudo dos fósseis, dos embriões, da genética e da distribuição geográfica desses animais.

Gênero: felis

Família: Felidae

Ordem: Carnívora

Classe: Mammalia

Filo: Chordata

Reino: Animalia

espécie Canis familiaris

gênero Canis

Nomenclatura científica Para designar a classificação dos seres vivos, existem algumas regras. A seguir, iremos conhecer essas regras.

familia Canidae

1° Cada espécie é designada por dois nomes em latim (nomenclatura binominal); 2° O primeiro nome representa o gênero e deve iniciar com letra maiúscula. O segundo nome designa a espécie e é escrito com minúscula. Exemplo: Feliz catus (gato selvagem).; 3°Quando se designa a espécie, devem-se citar os dois nomes, que devem ser sublinhados, em itálico ou negrito. Os reinos são divididos em grupos menores, os filos. Estes são divididos em classes, que são divididas em ordens. As ordens são divididas em famílias, as famílias em gêneros, e por fim, os gêneros reúnem várias espécies. Veja:

C 212

ordem Carnívora

classe Mammalia filo Chordata reino Animalia

arolus Linnaeus (1707- 1778) Era botânico, zoólogo e médico sueco, criador da nomenclatura binominal.


Biologia 7° ano