Page 1

JORNAL DO

Número 45

Abril de 2017

Categoria avança com conquistas históricas Na Campanha Salarial 2017 não foi preciso fazer greve para ter a reposição da inflação. Categoria deixa a negociação com a palavra do prefeito Ulisses Maia de que o ganho real estará previsto no orçamento de 2018. Entre outros avanços, servidor(a) conquistou o vale-alimentação, a Lei Contra o Assédio Moral e a devolução dos dias descontados na Greve de 2016. Página 2 LUIZ FERNANDO CARDOSO/ARQUIVO/SISMMAR

X CONGRESSO DO SISMMAR Trabalhador(a) É hora de unir forças!

26 e 27 de maio de 2017 No congresso, servidores(as) vão definir plano de ação do sindicato e alteração estatutária. Evento terá quatro palestrantes. Página 7

Leia também nesta edição Eleições em escolas e CMEIs Chá dos Aposentados Greve geral em 28 de abril Eleições da Maringá Previdência Devolução do Imposto Sindical

Mês da Mulher Posse dos novos RLTs

Na luta contra as maldades do governo do ex-prefeito Pupin, a categoria se uniu na Greve de 2016, nas eleições e em várias lutas sindicais. Avanços vieram, como o pagamento do vale-alimentação e a garantia de eleições diretas para diretoras(es) de escolas e CMEIs

VITÓRIAS NO PRIMEIRO ANO DA GESTÃO NOVOS RUMOS Páginas 2 a 4


2

JORNAL DO S ISMMAR

ABRIL DE 2017

Cartão será entregue a partir do dia 12 VALTER BAPTISTONI/SISMMAR

Campanha Salarial 2017. Vale-alimentação foi uma das várias conquistas da categoria. Com diálogo e união, servidor(a) não precisou fazer greve

Conquistas da categoria na Campanha Salarial 2017 Reajuste de 5,13%*, correspondente à reposição da inflação (sem a necessidade de fazer greve pelo direito); Vale-alimentação de R$ 250 (com contrapartida de R$ 50 do servidor); PCCR: acordada a criação de comissão para discutir a revisão do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração;

A

partir de 12 de abril – segundo a administração – os mais de 12 mil servidores(as) municipais terão realizado um sonho de 12 anos de luta: o pagamento do vale-alimentação. Essa foi uma conquista histórica da Campanha Salarial 2017, porém, foi uma entre várias vitórias. Graças ao diálogo franco entre a gestão Novos Rumos e o prefeito Ulisses Maia (PDT), e também ao engajamento de milhares de trabalhadores(as) nas assembleias e outras mobilizações, este tem tudo para ficar marcado como um ano de muitos avanços. Depois de tanta perseguição nas gestões anteriores, a categoria deixa a Campanha Salarial 2017 com a garantia da votação da Lei Contra o Assédio Moral. Comissões foram (ou ainda serão) formadas para discutir, ao longo do ano, outras importantes conquistas, como o Estatuto da Guarda Municipal, a revisão do PCCR, a adoção da jornada de 30 horas da Saúde, entre outros (veja no quatro ao lado). Não foi desta vez que a categoria teve ganho real. Contudo, em comparação com os anos anteriores, de total desvalorização dos servidores de carreira, a reposição da inflação foi sim uma conquista. Este ano, os servidores já terão a inflação reposta no salário de março. Com o ex-prefeito Carlos Roberto Pupin (PP), em 2016, a categoria adentrou abril em greve pela reposição da inflação. Se os jornais servem como registro histórico, nunca é demais lembrar que, no ano passado, o sindicato pressionou Pupin por uma proposta por mais de 40 dias, com plantão e marmitaço em frente ao gabinete (relembre na página 3). Tudo isso para ver Pupin propor vergonhosos 4% de

EXPEDIENTE JORNAL DO

Informativo do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá Avenida Paissandu, 465, Vila Operária - Maringá-PR Presidenta: Iraídes Baptistoni Editor: Luiz Fernando Cardoso Jornalista (DRT-PR 5684) Contatos: 44 3269-1782 www.sismmarmaringa.com.br www.facebook.com/sismmar Impressão: Grafinorte S.A Tiragem: 7.000 exemplares

Assédio Moral: acordada a aprovação de lei contra essa prática criminosa; 30h da Saúde: haverá coleta de dados para discussão da pauta, a partir de junho; Momento histórico. Presidenta do SISMMAR, Iraídes Baptistoni participou da assinatura da lei que concedeu vale-alimentação após 12 anos de luta pelo benefício. Lei foi sancionada em 9 de janeiro reajuste (7,08% abaixo da inflação). Pressionado por uma greve que teve a adesão de mais de 5 mil servidores e sem apoio da opinião pública, Pupin acabou concedendo o reajuste parcelado da inflação de 11,08%. Vingativo, após a derrota na greve, mandou descontar os cinco dias da greve. Uma injustiça que, em parte, será corrigida graças à luta da categoria nas negociações com o atual prefeito. Na Campanha Salarial, a categoria pediu e Ulisses aceitou devolver os cinco dias descontados dos grevistas injustamente por Pupin: pagando dois dias em dinheiro, nas férias, e outros três em folga. A moral da história é que as lutas de 2016 serviram para consolidar a lideran-

ça da gestão Novos Rumos, sob a presidência de Iraídes Baptistoni, para unir a categoria e para garantir a manutenção de direitos. Essa unidade pôde ser notada nas urnas, com o apoio maciço da categoria a Ulisses em detrimento do ex-prefeito Silvio Barros (PP), que é um dos líderes políticos do grupo de Pupin. A gestão Novos Rumos apoia um governo justo e que valorize os servidores(as) de carreira, apoio que persistirá somente enquanto houver diálogo e respeito aos trabalhadores. E isso inclui o cumprimento dos acordos firmados nesta Campanha Salarial, entre eles a previsão orçamentária de ganho real nos salários para 2018. DIVULGAÇÃO/SISMMAR

LEIA MAIS SOBRE MAIS SOBRE AS CONQUISTAS DA CATEGORIA NO SITE DO SISMMAR

Regime Contratual Único: também será discutido a partir de junho; Estatuto da GM: acordada a elaboração do estatuto, com criação de comissão para apresentação de proposta; Greve 2016: administração aceitou pagar dois dias descontados e devolver outros três dias nas férias. Também haverá exclusão da ficha funcional de qualquer registro sobre a participação dos servidores na greve.

* Reajuste de 5,13% foi aceito pela 3ª Assembleia

da Campanha Salarial com ressalvas. A categoria aceitou a proposta sob a condição de que o prefeito Ulisses Maia discuta no orçamento deste ano o retroativo das perdas da Greve de 2016 e a previsão orçamentária para o concessão de ganho real aos servidores na data-base de 2018.

VALTER BAPTISTONI/SISMMAR

Força do diálogo. Campanha Salarial foi marcada por reuniões entre o sindicato a administração (foto acima) e três assembleias realizadas na Câmara (ao lado a primeira delas, em 8 de fevereiro)

Sindicato tem cobrado o cumprimento de promessas Eleito com 118.635 votos, a maior votação já recebida por um prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT) sabe que o apoio maciço servidores(as) foi fundamental para sua vitória as urnas. Ulisses assumiu muitos compromissos com a categoria, e o papel do sindicato, agora, tem sido de cobrar o que foi prometido para garantir avanços aos servidores de carreira. Enquanto candidato, Ulisses participou de todas as atividades organizadas

pelo SISMMAR, como a sabatina no site do sindicato e a entrega da Plataforma dos Servidores. Elaborada pela diretoria da gestão Novos Rumos e por representantes por local de trabalho (RLTs), a plataforma contemplava reivindicações históricas, como a Lei Contra o Assédio Moral e o pagamento do vale-alimentação. Até agora, Ulisses tem cumprido sua palavra. Não há exemplo melhor do que cortar centenas de cargos comissionados

(CCs) para investir o dinheiro no vale-alimentação; atender à reivindicação dos servidores para eleições diretas das diretoras de escolas e CMEIs (leia na página 4); e colocar gente concursada em postos de chefia que outrora eram ocupados por CCs. Depois de tanto tempo de desvalorização dos servidores de carreira, há muito a avançar. E a gestão Novos Rumos aposta que, com diálogo e boa vontade política, muitas vitórias estão a caminho.


JORNAL DO S ISMMAR

ABRIL DE 2017

3

Um ano repleto de trabalho e vitórias A

gestão Novos Rumos tomou posse em 29 de fevereiro de 2016, em solenidade na sede do sindicato. A vitória veio em uma eleição conturbada, na qual a chapa derrotada no primeiro turno – indisposta a reconhecer o resultado das urnas – conseguiu anular o pleito para realizar uma nova eleição. Novamente, a chapa liderada pela presidenta Iraídes Baptistoni venceu, assumindo o sindicato num momento desafiador. Em seu primeiro ano, a gestão Novos Rumos teve uma campanha salarial na qual a administração se negava a negociar. Foram mais de 40 dias de protestos contra o ex-prefeito Carlos Roberto Pupin (PP), que se negava a encaminhar uma proposta. Quando o fez, ofereceu vergonhosos 4% (7,08% abaixo da inflação). Naquele momento, acredidanto na liderança de uma gestão eleita democraticamente, os servidores(as) se abraçaram numa greve histórica, que teve mais de 5 mil adesões e que garantiu a reposição da inflação. Nesta edição especial, o Jornal do SISMMAR relembra em fotos essa e outras importantes conquistas ocorridas no primero ano da gestão Novos Rumos. LUIZ FERNANDO CARDOSO/SISMMAR

LUIZ FERNANDO CARDOSO/ARQUIVO/SISMMAR

Greve. Servidores(as) foram às ruas, em março de 2016, em uma justa paralisação pela reposição da inflação de 11,08%. Ao oferecer só 4% de reajuste, Pupin não deu outra alternativa à categoria senão fazer uma greve legal e justa

VALTER BAPTIST ONI/ ARQUIVO/SISM MAR

ARQUIVO/SISMMAR

Campanha Salaria l 2016. Realizada de 3 de fevereiro a 3 de abril, teve ao todo oi assembleias, cinco to dias de greve, mais de 5m adesões. Derrotad il o, sem apoio da opin iã pública, Pupin teve o de recuar e condecer a reposição de 11,0 8%

Luta. Foram mais de 40 dias à espera de uma proposta de Pupin. Servidores(as) precisaram fazer plantão e comer marmita em frente ao gabinete do prefeito para serem atendidos.

ARQUIVO/SISMMAR

Retrospectiva. Gestão Novos Rumos completa um ano de desafios, lutas e conquistas. A maior delas foi a união da categoria!

União. As dirigentes Célia Vilela e Iraídes Baptistoni com as fichas das filiações registradas no início de 2017

UNIÃO

Número de servidores filiados(as) cresce 20% na gestão Novos Rumos Um fato a ser comemorado é o aumento de 20% no número de filiações ao SISMMAR em pouco mais de um ano. O crescimento corresponde ao período da gestão Novos Rumos, que assumiu com 4.058 filiados(as). No balanço de 31 de março, esse número havia saltado para 4.851. Parte desse crescimento ocorreu durante a Greve de 2016, que uniu a categoria em um paralisação legal e justa pela reposição da inflação. O aumento das filiações é de extrema importância porque fortalece a categoria para os momentos de luta pela manutenção de direitos já conquistados e por avanços, como ocorre este ano com o vale-alimentação (leia mais na página 2). O número crescente de filiados também revela a credibilidade da gestão Novos Rumos, que tem promovido mudanças constantes mudanças para bem atender os mais de 12 mil servidores(as) municipais.

VALTER BAPTISTONI/ARQUIVO/SISMMAR

sição e mandou descontar Retaliação à greve. Pupin não aceitou a repo trabalhadores(as). dos a os dias parados, tirando comida da mes s básicas e teve apoio cesta por a Gestão Novos Rumos fez campanh para ajudar os servidores que da Igreja Católica, imprensa e entidades ldade ganham menos. A compaixão venceu a crue VALTER BAPTISTONI/SIS

MMAR

Eleições 2016. No primeiro turno, seis dos oito prefeituráveis assinaram a plataforma com as principais reivindicações da categoria. No segundo turno, os mais de 12 mil servidores puderam escolher entre Ulisses Maia (à esq.), que assinou, e o ex-prefeito Silvio Barros, que não assinou o documento. Nas urnas, outra vitória da categoria

Diálogo. Na Campanha Salarial 2017, foi necessário apenas um mês de negociações entre sindicato e administração. Proposta do governo, com importantes avanços, foi aceita pela categoria na assembleia de 9 de março (veja os detalhes na página 2)

O trabalho não para. Em março, a direção do sindicato deu posse aos novos RLTs (veja na página 6) e realizou assembleia (foto) para definir os preparativos para o X Congresso do SISMMAR (saiba mais na página 7)

DIVULGAÇÃO/SISMMAR


4 JORNAL DO SISMMAR ABRIL DE 2017

Com sindicato forte, Educação avança DIVULGAÇÃO/SISMMAR

Eleições. Servidores(as) voltarão a escolher as diretoras(es) dos CMEIs e escolas; união da categoria tem viabilizado conquistas históricas

O

ano de 2017 ficará marcado por uma importante conquista dos servidores(as) municipais da Educação: a volta das eleições diretas para diretoras(es) das escolas e centros de educação infantil (CMEIs). Esse direito democrático de escolha – que era garantindo na gestão José Cláudio/João Ivo (PT) e foi retirado pelo ex-prefeito Silvio Barros (PP) – será devolvido à categoria pelo prefeito Ulisses Maia (PDT). A retomada das eleições diretas foi uma promessa de Ulisses que, antes mesmo assumir o cargo, pediu para que os servidoresda área, por meio do sindicato, definissem os critérios para as eleições. A primeira reunião ocorreu em 9 de novembro, no auditório do SISMMAR, com representantes por local de trabalho (RLTs). Depois disso, várias outras reuniões

Gabinete. As dirigentes do SISMMAR Iraídes Baptistoni e Célia Vilela em reunião com o Ulisses Maia para tratar da eleição das diretoras(es) de escolas e CMEIs; prefeito tem mantido diálogo com o sindicato foram realizadas pela gestão Novos Rumos, que mantém diálogo aberto com a atual administração sobre as eleições. O SISMMAR formulou um documento com propostas sugeridas pela maioria dos servidores(as) para a escolha da diretoras. Os critérios serão definidos por meio de audiências públicas, a serem realizadas este ano. Esta será uma importante conquista dos professores e demais funcionários da educação, mas não será a única.

Conquistas Graças à união da categoria, fortalecida após a vitoriosa Greve de 2016, os profissionais da Educação também vão contar com outros avanços que valerão a todos os servidores(as) municipais e que foram garantidos na Campanha Salarial deste ano. A lista de avanços inclui a votação da Lei Contra o Assédio Moral, o pagamento dos descontos indevidos dos dias parados

da Greve de 2016, o vale-alimentação, entre outros (leia mais na página 2). O SISMMAR tem certeza de que parte dessas conquistas não teria sido possível sem o engajamento dos servidores(as) de todas as secretarias. Sem essa unidade não teria sido possível sequer a reposição da inflação em 2016. Se a greve não tivesse levado mais de 5 mil servidores às ruas em protestos contra Pupin, por exemplo, o ex-prefeito provavelmente teria alcançado êxito em seu intuito de conceder vergonhosos 4% de reajuste (7,08% abaixo da inflação) à categoria. Hoje, a categoria se depara com uma meia dúzia de servidores(as) da Educação, a maior parte deles gente de confiança dos ex-prefeitos Pupin e Silvio Barros, propondo a criação de um sindicato da Educação. O SISMMAR entende que: 1) Quem foi FG de Pupin e se escondeu durante a Greve de 2016 não tem legitimidade para representar a categoria nas lutas; 2) A fragmentação da classe resultaria na perda de poder de fogo nas negociações por avanços e manutenção de direitos; 3) O momento atual, com um prefeito que aceita dialogar com o sindicato e que respeita os trabalhadores(as), não é para divisão de forças, mas sim para fortalecer a categoria para avançar ainda mais nas conquistas.

REIVINDICAÇÃO ANTIGA

Comissão criada pelo SISMMAR elabora proposta para jornada de 30h da Saúde No primeiro bimestre, uma comissão criada pelo SISMMAR discutiu a implantação da jornada de 30 horas semanais para todos os servidores(as) da Saúde. A definição dos membros da comissão ocorreu em assembleia dos servidores da saúde, realizada em 21 de janeiro no auditório do sindicato. Entre outras ações debatidas, a comissão estudou a possibilidade seguir o exemplo bem-sucedido de outros municípios, onde a jornada de 30 horas da Saúde já é uma realidade. No entendimento do SISMMAR, a reivindicação é justa e só não foi debatida anteriormen-

te por falta de vontade política das administrações anteriores – que valorizavam mais os cargos comissionados do que os servidores de carreira. A proposta tirada pela comissão foi apresentada pela diretoria do SISMMAR à administração nas mesas de negociação da Campanha Salarial 2017. O atual prefeito concordou em discutir a alteração da jornada. Ficou definido que a adminsitração fará coleta de dados para a discussão do tema, a partir de junho deste ano (veja outras conquistas da Campanha Salarial na página 2).

DIVULGAÇÃO/SISMMAR

30 horas. Membros da comissão, que foi eleita em assembleia realizada em janeiro no SISMMAR

NOTINHAS...

VÍDEO Imposto Sindical de 2017

Inscrições abertas! A pedido dos servidores(as), o Curso de Dança do SISMMAR está sendo reeditado, com aulas toda quinta-feira, às 19h30. As inscrições podem ser feitas pelo fone 44 3269-1782.

O SISMMAR tem a expectativa de fazer em maio a devolução do Imposto Sindical deste ano aos servidores(as) filiados. A restituição da parte da contribuições que cabe ao sindicato será feita assim que a Prefeitura de Maringá fizer o repasse dos valores. Ao contrário do ocorrido no ano passado (veja ao lado), este ano o prefeito Ulisses Maia (PDT) já sinalizou ao sindicato que fará o depósito.

Terceirização total LEIA MAIS acesse o qr code

Imposto Sindical 2016 Depositado em juízo pelo ex-prefeito Pupin, o dinheiro referente à contribuição do ano passado ainda depende de liberação da Justiça para ser devolvido aos servidores(as) filiados.

O governo Temer já sancionou projeto de lei que permite a terceirização total, inclusive da atividade-fim. Veja no vídeo por que essa mudança é tão nociva aos trabalhadores(as).


JORNAL DO S ISMMAR

ABRIL DE 2017

5

FAAAALA PRESIDENTA!

O momento é de união para garantir direitos, e não de divisão Iraídes Baptistoni presidenta do SISMMAR

Esta edição do jornal é especial. Depois de anos de administrações valorizavam os CCs e perseguiam os servidores(as) de carreira, a gestão Novos Rumos do SISMMAR pode se alegrar de comemorar um ano à frente do sindicato com uma série de avanços, entre os quais estão conquistas históricas. Contudo, estamos vivendo momentos difíceis, de ataques aos direitos da classe trabalhadora pelo

GUERREIRAS

Sindicato presta justa homenagem às servidoras LUIZ FERNANDO CARDOSO/SISMMAR

governo federal. Esse momento requer, mais do que nunca, a união de todas as categorias de trabalhadores, e isso inclui os servidores municipais de Maringá, que se organizam por meio do SISMMAR. Tudo o que o governo golpista quer é dividir para enfraquecer a classe trabalhadora. É nesse contexto que um pequeno grupo de pessoas (que preferiram um FG no governo Pupin a lutar pela categoria na Greve de 2016) propõe a criação de um sindicato só dos servidores Educação, com a alegação inverídica de que isso fortaleceria a classe.

Sou servidora da Educação há 27 anos e filiada ao sindicato há 26. Sei bem que a divisão de um sindicato forte vai apenas prejudicar os servidores(as) para favorecer pessoas que, quando estiveram no poder (com seus FGs), cometeram assédio moral e ficaram do lado do prefeito quando toda a categoria fazia greve pela justa reposição da inflação. Com que moral essas pessoas pedem divisão? Vamos nos unir para que as eleições diretas de escolas e CMEIs e o vale-alimentação sejam apenas as primeiras de muitas conquistas. Juntas(os) somos fortes!

Março / Mês da Mulher

dia internacional da mulher O SISMMAR parabeniza todas as mulheres pela garra e força na árdua e constante luta por direitos iguais. Elas são gerreiras, que não desistem da luta mesmo já tendo uma exaustiva dupla jornada de trabalho. Um bom exemplo são as mais de 6 mil servidoras municipais de Maringá, sempre maioria nas assembleias e nos momentos de luta, como a greve de 2016 – realizada para garantir a justa reposição da inflação para a categoria. Juntas somos fortes!

Lembrancinha. SISMMAR presenteou as servidoras com um porta-bolsa na Semana da Mulher No Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, o SISMMAR prestou justa homenagem a todas as mulheres, em especial às mais de 6 mil servidoras municipais, que são verdadeiras guerreiras, sempre presente nas lutas por avanços e manutenção dos direitos dos trabalhadores(as). Apesar de se desdobrarem numa árdua dupla jornada – no trabalho em casa e em seus empregos –, as servidoras são sempre maioria nas lutas da categoria. Um bom exemplo ocorreu na Greve de 2006, deflagrada para garantir a reposição da inflação de 11,08% aos servidores municipais. Foram mais de 5 mil adesões aos cinco dias de paralisação, e elas eram maioria entre os grevistas. Entre as homenagens prestadas, o SISMMAR publicou anúncio (semelhante a este, reproduzido ao lado) no jornal O Diário no Dia Internacional da Mulher. O sindicato entregou ainda uma lembrancinha às servidoras: todas estão recebendo um porta-bolsa referente à Semana da Mulher. A data também foi lembrada na posse dos representantes por local de trabalho (RLTs), que ocorreu dia 10 de março na sede do sindicato (leia mais sobre a posse dos RLTs na página 6). Ainda que muitas outras manifestações de carinho fossem feitas, isso não teria sido suficiente para agradecer por tudo o que as mulheres fazem por seus filhos e filhas, por seus familiares e amigos, em suas atividades profissionais, pela nossa Maringá. Uma coisa é certa, sem as servidoras municipal, a cidade para!

Quem não se movimenta não sente as correntes que o prendem.” Rosa Luxemburgo

SISMMAR - Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá Avenida Paissandu, 465, Vila Operária | 44 3269-1782 www.sismmarmaringa.com.br


6 JORNAL DO SISMMAR ABRIL DE 2017

SISMMAR dá posse a novos RLTs FOTOS VALTER BAPTISTONI/SISMMAR

Representatividade. Servidores(as) que ocupam a função ajudam o sindicato a informar os locais de trabalho sobre as lutas da categoria

1

E

m evento realizado na sede do SISMMAR, em 10 de março, foram empossados 200 novos representantes por local de trabalho (RLTs), de várias secretarias. Após a solenidade de posse, no auditório do sindicato, os RLTs tiveram um momento de confraternização, com coquetel, música ao vivo e sorteio de brindes. Esses servidores(as) se juntarão a outros RLTs numa função de suma importância: eles e elas vão representar o sindicato junto aos demais servidores em seus locais de trabalho, ajudando a levar informações das lutas sindicais e de outras atividades do SISMMAR. A gestão Novos Rumos aproveitou o evento para prestar homenagem às servidoras pela ocasião do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março (Leia mais na página 5).

2

3 RLTs. Em 10 de março, a diretoria do SISMMAR deu posse aos novos representantes por local de trabalho (1); a solenidade foi seguida de homenagem às mulheres pelo seu dia (2) e de coquetel de confraternização (3)

NOTINHAS... QR Codes

Isenção para os aposentados

Chá dos Aposentados No dia 12 (quarta), véspera do feriado prolongado de Páscoa, o SISMMAR realiza, na sede do sindicato, o tradicional Chá dos Aposentados(as). O evento, sempre presente no calendário do SISMMAR, promove a confraternização entre aqueles(as) que deram valoroza contribuição ao município enquanto estiveram na ativa. Na foto, a edição do ano passado do chá.

***

A novidade no chá deste ano é que os aposentados(as) irão eleger seus representantes para o X Congresso do SISMMAR, que será realizado em 26 e 27 de maio (veja os detalhes na página ao lado).

A particiçação dos aposentados(as) no X Congresso do SISMMAR, em maio, é de grande importância. Estará na pauta do congresso a isenção da mensalidade dos aposentados filiados(as). A medida é um compromisso de campanha da gestão Novos Rumos com aqueles(as) que tanto fizeram pela cidade.

Palavra cumprida Há vários compromissos de campanha já cumpridos pela gestão Novos Rumos, entre eles está a renovação e ampliação do Jurídico e a abertura do sindicato durante o horário do almoço – desde março de 2016 a sede fica aberta das 8h às 18h, de segunda à sexta-feira. Quanto ao jurídico, o SISMMAR conta com uma competente equipe de profissionais, composta pelos advogados Silvio Luiz Januário, Ewerson Alberto Stadler e João Carlos Chaves, e pelos estagiários Eloisa Beatriz Pereira Maciel e Michel Vieira de Vasconcelos.

Maringá Previdência tem eleição dia 25 Em 25 de abril, os servidores(as) municipais segurados da Maringá Previdência irão votar para escolher seus representantes na entidade. A categoria terá a responsabilidade de escolher bem três dos sete membros do Conselho de Administração e dois dos cinco membros do Conselho Fiscal da entidade. O SISMMAR entende que este momento é de grande importância, por isso, a categoria deve votar em pessoas que sempre estiveram engajados nas lutas em defesa dos servidores. O regulamento da eleições está disponível no site www.maringaprevidencia.com.br.

Desde a edição de maio dde 2016, o Jornal do SISMMAR traz QR Codes para remeter o servidor(a) a mais informações no site do sindicato. Baixe em seu celular um aplicativo para ler os códigos e acesse as informações extras. É importante!

Trimestralidade em discussão Dia 12 de maio, às 8h30, haverá nova tentativa de conciliação para o pagamento da Trimestralidade, dinheiro que os servidores(as) têm para receber da Prefeitura de Maringá desde a gestão do ex-prefeito Ricardo Barros (PP). Houve má vontade política das últimas administrações, mas o SISMMAR acredita que agora, com o novo governo, as chances de um acordo são boas. Se isso ocorrer, o sindicato vai trabalhar pela garantia de recursos no orçamento de 2018 para o pagamento dessa dívida.


JORNAL DO S ISMMAR

ABRIL DE 2017

7

Sindicato realiza congresso em maio Pautas. Servidores(as) vão definir plano de ação do sindicato e alteração estaturária; CCs ficam de fora

A

gestão Novos Rumos já está preparando o X Congresso do SISMMAR, que será realizado em 26 e 27 de maio na Escola Municipal Osvaldo Cruz. Entre as pautas está a definição do plano de ação do sindicato para os próximos anos e a alteração estatutária. Quatro palestrantes abrilhantarão o evento, abordando temas importantes para a classe trabalhadora. A divulgação para o congresso começou em 22 de fevereiro, com a publicação do edital de em O Diário. Feita dentro do prazo legal, a publicação no jornal respeita uma das exigências para a realização do congresso. Outra exigência foi cumprida em 2 de março, em assembleia realizada no sindicato, com a eleição dos três representantes dos servidores(as) municipais para a organização congresso. A assembleia deliberou pela não participação de CCs (comissionados) e FGs (funções gratificadas). Nos vemos no Congresso. Juntos somos fortes!

PALESTRANTES FOTOS/REPRODUÇÃO

Roni Anderson Barbosa

Márcio Kieller

Enio Verri

Irene Rodrigues

Secretário nacional de Comunicação da CUT

Vice-presidente da CUT/PR

Deputado federal pelo PT

Coordenadora geral do Sismuc (Curitiba)

ASSUNTO:

ASSUNTO:

ASSUNTO:

“Análise de Conjuntura Internacional e Nacional”

“Análise de Conjuntura do Paraná”

“Lutas da Classe Trabalhadora no Brasil”

ASSUNTO:

“Luta dos servidores(as) municipais no Paraná”

X CONGRESSO DO SISMMAR ificado com cert

Trabalhador(a) É hora de unir forças!

DATA LOCAL

Escola Mun. Osvaldo Cruz Rua Octavio Periotto, 176, Centro

26 e 27 de maio de 2017 ABERTURA

às 19 horas (sexta)


8 JORNAL DO SISMMAR ABRIL DE 2017

Rumo à greve geral do dia 28 LUIZ FERNANDO CARDOSO/SISMMAR

Fora Temer. Em protestos contra o governo, dias 15 e 31, servidores(as) se uniram à luta por nenhum direito a menos

Advogado do SISMMAR

O

LUIZ FERNANDO CARDOSO/SISMMAR

Dia 15. Trabalhadores(as) de várias categorias se uniram se reuniram na avenida XV de Novembro na paralisação contra a reforma da Previdência Paralisação. SISMMAR mobilizou ou servidores, que comparaceram em peso à paralisação de 15 de março

VALTER BAPTISTONI/SISMMAR

Acesse o site do SISMMAR (via QR Code) para saber mais sobre as lutas contra a reforma da Previdência

Dia 31. SISMMAR marcou presença também na manifestação realizada no Terminal Urbano

NOTINHAS...

Diante de uma realidade de achatamento dos salários da classe trabalhadora, o SISMMAR tem investido na ampliação dos convênios para permitir um maior poder de compra aos filiados(as). “Procuramos atender às expectativas dos servidores por meio dos convênios, que permitem descontos e formas de pagamento mais vantajosas”, diz a presidenta do SISMMAR, Iraídes Baptistoni. Mais informações ligue: 44 3269-1782 (com Vanessa).

O cruel ataque de um governo ilegítimo aos direitos sociais Silvio Januário

s servidores(as) municipais se uniram a duas importantes mobilizações nacionais, dias 15 e 31 de março, contra ataques aos direitos dos trabalhadores propostos pelo governo Michel Temer (PMDB). Os protestos foram contra as reformas da Previdência e trabalhista e contra a terceirização total – que inclui a atividade-fim das empresas. A maior adesão ocorreu na paralisação do dia 15. Os servidores se concentraram no Paço Municipal, às 8 horas, e no meio da manhã se uniram em frente ao prédio do INSS, na Avenida XV de Novembro, aos demais trabalhadores. Houve passeata no Centro com repetidos gritos de “Fora Temer”. Antes mesmo da paralisação, as dirigentes do SISMMAR Iraídes Baptistoni e Célia Vilela se reuniram com o prefeito Ulisses Maia (PDT) para negociar a reposição do dia de paralisação. Houve a compreensão do prefeito de que os servidores precisam se unir, neste momento de luta, contra os ataques proposos por Temer aos direitos dos trabalhadores. Já no dia 31, também com apoio do SISMMAR, os protestos também foram contra a aprovação da terceirização total, que praticamente sepulta a CLT e retira direitos. O ato, realizado no Terminal Urbano, serviu como chamamento para a greve geral de 28 de abril. Esta é hora de os trabalhadores mostrarem sua força, por nenhum direito a menos.

Novos convênios I

PALAVRA DO JURÍDICO

VÍDEO Novos convênios II

PEC da Previdência

Já estão conveniados ao SISMMAR: Odonto Exellence Odonto Prev

Couro.com

Restaura Jeans

Star Clin – Odontologia Cinthia de Carlo – Nutricionista Zacarias Veículos MA Studio Hair Medicamento Barato (Farmácia) ND Núcleo Diagnóstico

A classe trabalhadora precisa se unir à luta contra a reforma da Previdência, que retira direitos. O advogado Ludimar Rafanhim explica o que está em curso e faz alerta aos servidores(as).

Michel Temer foi eleito e reeleito vice-presidente de Dilma Rousseff com base num programa de governo que defendia a continuidade e a ampliação do projeto de inclusão social iniciado em 2002. A derrubada de Dilma, com base nas mesmas “pedaladas fiscais” que boa parte dos governadores cometeram, foi ardilosamente arquitetada pelo próprio Temer. A pecha de traidor já não o incomoda, como não lhe causa constrangimento a execução de um programa de governo totalmente antagônico àquele que o elegeu e reelegeu vice-presidente. As “profundas reformas” que ele se comprometeu a fazer, logo após o golpe que derrubou Dilma, são exatamente aquelas defendidas pela grande mídia e organizações bancárias e empresariais, corporações que sustentam a todo custo o (des)governo Temer e, hipocritamente, abafam as mazelas de sua equipe majoritariamente corrupta. O desmonte do Estado de Bem-Estar Social que Temer realiza não encontra precedentes na história do País. As políticas públicas progressivas, a geração de emprego, o aumento da renda e a proteção dos direitos trabalhistas e previdenciários estão sendo celeremente atacados. A reforma da previdência de Temer prevê 49 anos de carteira registrada e idade mínima de 65 anos para quem quiser se aposentar, a despeito de a expectativa de vida em muitas regiões do País ser inferior à idade mínima da aposentadoria, e de ele mesmo, Temer, ter se aposentado, de forma precoce, há mais de vinte anos. Se a ampla resistência do povo brasileiro à reforma previdenciária fez o ilegítimo Temer “piscar”, outras medidas não tiveram a mesma sorte e foram aprovadas por um Congresso enlameado pela corrupção. A reforma trabalhista golpeou de morte as garantias mínimas previstas na CLT. A terceirização ampla, geral e irrestrita é seguramente a forma mais selvagem de precarização da relação de trabalho. Nada mais grave foi praticado contra as relações de trabalho institucionalizadas desde o fim da escravidão. Com a terceirização, verbas salariais elementares nos dias de hoje (férias, 13° salário e FGTS, por exemplo) passarão a ser um “privilégio” de poucos. Os propósitos políticos e econômicos da terceirização são todos nocivos aos trabalhadores, pois, se por um lado implicará na redução salarial e no aumento da jornada dos terceirizados (em média, rebaixamento salarial de 25% e aumento de 3 horas semanais), por outro lado permitirá aos patrões a diminuição de custos com a exploração da mão de obra e dividirá os trabalhadores, fragmentando-os em sua representações sindicais. Muitos outros ataques gestados por Temer estão em andamento. Aproveitando-se da passividade de boa parte da população, ele tenta aprová-los a toque de caixa. A resistência a eles não cabe apenas àqueles que foram apeados do Poder pelo golpe. A luta deve ser de todos. E já! A ganância do capital e seu desprezo às garantias sociais mínimas nunca teve, como tem hoje, um terreno tão fértil para avançar sobre conquistas que, imaginavam os trabalhadores, já compunham os seus inalienáveis direitos.

Jornal do SISMMAR n 45  

Destaques: Conquistas da Campanha Salarial; Um ano da Gestão Novos Rumos; e X Congresso do SISMMAR.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you