Issuu on Google+

FGTS: Ação do Sinttel cobrará novos expurgos MST completa 30 anos de luta Seguia o ano de 1984, com o povo nas ruas a exigir o fim da Ditadura. É neste contexto que surge uma das mais importantes organizações populares: o Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST). Em meio a este contexto, foi realizado, de 20 a 22 de janeiro daquele ano, o 1º encontro Nacional dos Sem Terra, tido como o marco zero do MST. Embora algumas conquistas já tenham sido alcançadas pelos trabalhadores rurais, ainda há muito a ser feito. Segundo dados do próprio MST, atualmente 150 mil famílias estão acampadas Brasil afora, comprovando a necessidade de uma reforma agrária pra valer. Por conta da enorme importância do MST para o desenvolvimento do país, diversas entidades e personalidades enviaram mensagens parabenizando os 30 anos da combativa entidade. Abaixo, confira alguns deles: Fábio Konder Comparato, professor emérito da Faculdade de Direito da USP  A partir do surgimento do MST, começou-se a compreender no Brasil que a terra agrícola não deve ser objeto de propriedade privada a ser explorada por outrem, mas sim do direito de uso exclusivo por parte dos que a lavram diretamente. Pedro Casaldáliga, bispo emérito da prelazia de São Félix do Araguaia (MT) Sabemos que devemos contar com a luz e com a força do Espírito, que renova todas as coisas. Somos um movimento de rebelião e utopia. Lutamos com a enxada, plantamos sementes limpas, fazemos a Reforma Agrária popular possível no cada dia. Alongaremos este processo no congresso maior convocado pelas instâncias de luta e de organização que sonham e plantam a mesma utopia. Por muitos 30 anos de caminhada até libertar a terra e tornando “com terra” todo o povo. Frei Betto, escritor e religioso dominicano brasileiro Salve o MST! 30 anos de luta pela Reforma Agrária, de conquista da terra através de ocupações, de assentamentos e acampamentos pelo Brasil afora. Ao comemorar 30 anos, o MST chora seus mortos e assassinados, celebra suas marchas e caminhadas, renova seu compromisso de buscar outros mundos possíveis como alternativa ao capitalismo neoliberal. Viva o MST! Deus encoraje cada militante a prosseguir na luta pelos próximos 30 anos! Meu abraço fraterno. Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) parabeniza o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que completa nesta semana três décadas de resistência e de luta pela terra, por dignidade e pela vida.

O Sinttel-Rio entrará com ação coletiva em favor de todos os trabalhadores, estejam eles nas empresas de teleatendimento prestadoras de serviços de telecomunicações ou nas grandes operadoras (Oi, Embratel, Vivo, Claro, Tim, GVT, Algar, Intelig, etc), para cobrar os novos expurgos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A ação será ajuizada pelo Departamento Jurídico do Sinttel-Rio e terá por finalidade cobrar a reposição da defasagem do saldo das contas do FGTS iniciadas a partir de 1999, quando a TR começou a ser reduzida gradativamente pelo governo federal até chegar a zero, em setembro de 2012. Os interessados em aderir a essa ação coletiva devem procurar o Departamento Jurídico, no anexo à sede do Sinttel (Rua morais e Silva, 94 - Maracanã), de segunda a sexta-feira, no horário das 9 às 18, munidos de cópias dos seguintes documentos: carteira de identidade, CPF, comprovante de residência, PIS, carteira de trabalho (cópia das páginas da foto, da qualificação e do contrato de trabalho de 1999 até os dias atuais) e do extrato analítico do FGTS (de 1999 até hoje). A ação abrange toda a categoria representada

pelo Sinttel-Rio, portanto, quem trabalha nas operadoras, nos call centers, nas redes externa e interna de telecomunicações e instaladores de TV por assinatura. Todos os custos da ação, durante o processo, serão integralmente arcados pelo Sindicato. Ao final, em caso de êxito, os beneficiados pela ação

pagarão uma pequena taxa sobre o valor ganho: se sindicalizados, 8%, se não, 15%. Para o Sindicato, os trabalhadores devem subscrever a ação, porque não têm nada a perder. Pelo contrário, só têm a ganhar, pois a ação tem grande possibilidade de êxito. Então não perca tempo. Junte a sua documentação e vá ao Jurídico do Sinttel.

DEMISSÃO

Sinttel tem reunião dia 30 com Embratel A direção da Embratel marcou reunião com o Sinttel-Rio para quinta-feira, dia 30. A reunião foi solicitada pela direção do Sinttel há cerca de duas semanas quando da demissão arbitrária e injustificada de Carlos Augusto, ex-dirigente do Sinttel-Rio por diversas gestões e membro do Conselho Administrativo da Telos, eleito pelos empregados da Embratel. Carlos Augusto é engenheiro. Estava na Embratel há quase 40 anos, com uma folha de serviços irreparável. Foi demitido no início do mês, sob a alegação de que o corte era

resultado da reestruturação na empresa. Um argumento não convence ninguém, já que esse corte atingiu seletivamente um antigo dirigente sindical que acabara de perder sua estabilidade. Na reunião com a empresa o Sindicato vai exigir o cancelamento da demissão de Carlos Augusto e o seu retorno imediato aos quadros funcionais da empresa. Mesmo não sendo mais dirigente sindical ele é representante legítimo dos trabalhadores da Embratel no Conselho da Telos. O Sindicato quer reverter a demissão do companheiro.

Telos: empresa mantém mudanças A Comissão Nacional de Negociação em reunião com a direção Embratel, dia 16, questionou as modificações feitas nos planos da Telos, prejudiciais aos trabalhadores e cobrou mudanças. A empresa se limitou a justificar as mudanças e não aceitou nenhuma reivindicação da Comissão, como por exemplo, o fim a diferenciação entre gerente e empregados, a não contribuição da empresa para empregados com salários inferiores a R$ 3 mil e a manutenção de aposentadorias na Telos a partir de 50 anos. PCD – Quem ainda não se inscreveu no PCD e está interessado em fazê-lo, terá pelo menos até o dia 7 de fevereiro para se inscrever, pois até esta data o fechamento do plano estará sob consulta pública.

SOCORRO ANDRADE

Em ato, trabalhadores cobraram o retorno de Carlos Augusto

Trabalhadores de DG’s sofrem com falta d’água O Sinttel-Rio tem recebido diversas denúncias dos trabalhadores dos DG’s (ligadores) e mini estações da OI, em função da falta d’água em diversos desses locais, acarretado pelo não pagamento das contas. Com isso, os trabalhadores têm sido obrigados a exercerem suas atividades em locais sem condições de trabalho. Como não há água para beber e nem mesmo para a higiene pessoal, utilizar o banheiro se transformou em tarefa difícil para estes ligadores.

Os DG’s de Santa Margarida, em Campo Grande, de Sepetiba/Palmares, de Santa Cruz, do Recreio, de Barra Bonita, entre outros, estão sem água, mais as cobranças para que os ligadores atendam os técnicos e os OSC não param. O Sindicato fez contato com a direção da empresa Serede para cobrar uma solução. Segundo a direção, eles comprarão caminhões pipas para abastecer os DG’s e galões de água potável para consumo dos trabalhadores destes locais. A direção da Serede e da

Telemont informaram que a manutenção do espaço físico desses prédios é de responsabilidade da operadora OI, que é quem terá de pagar as contas de água atrasadas. Enquanto isso, quem sofre no meio desse jogo de empurra são os trabalhadores. O sindicato orienta os companheiros dessas mini estações e DG’s que liguem para o Sindicato ao perceberem a falta e que não permaneçam no local, exigindo que sejam realocados em um DG que tenha infraestrutura.


Apenas 1% da população detém metade da riqueza mundial ALEXANDRE BERSOT

Porta voz da Globalização, o Fórum Mundial de Davos, promovido por uma fundação suíça com status de consultora das Organizações das Nações Unidas (ONU), reúne líderes da economia mundial, como empresários, ministros da Economia e presidentes de bancos centrais, diretores do FMI, do Banco Mundial e de organismos internacionais. O fórum tem como objetivo encontrar saídas para os problemas econômicos do planeta. Embora a intenção seja das melhores, o resultado é insignificante, tendo em vista o fato de a concentração de renda só aumentar mundo afora. Segundo relatório da Fundação britânica Oxfram, publicado na semana anterior à abertura do Fórum de Davos, que acontece de 25 a 30 deste mês, metade de toda a riqueza do planeta está concentrada nas mãos de apenas 1% da população mundial. No estudo intitulado “Trabalhando para Poucos”, a entidade aponta que este 1% detém 110 trilhões de dólares, valor 65 vezes superior à

riqueza total dos outros 99% da população da Terra. “Esta concentração maciça de recursos econômicos nas mãos de poucas pessoas representa uma ameaça significativa para os sistemas políticos e econômicos, inclusive. Em vez de avançar juntas, as pessoas estão cada vez mais separadas pelo poder econômico e político, aumentando, inevitavelmente, as tensões sociais e o risco de a sociedade entrar

CALL CENTER

Provider: ‘Tô nem aí, to nem aí...’ "Tô nem aí", música da cantora gaúcha Luka, bem que poderia ser a melô da Provider. A empresa, literalmente, não está nem aí para a situação dos empregados, que têm data base em 1º de janeiro, e até agora não tiveram seus salários e benefícios reajustados. A empresa participou apenas de uma das inúmeras reuniões de negociações da campanha nacional e depois disso Sumiu. A direção do Sinttel-Rio resolveu dar um basta nessa enrolação. Deu num prazo até a próxima sexta-feira, dia 1º de fevereiro, para a empresa se reunir com a entidade e definir o acordo coletivo, o pagamento da PPR/2013 e a negociação dos parâmetros para a PPR/2014. Se a reunião não acontecer, o Sindicato vai fazer muito barulho com o carro de som na porta da Provider. Vamos ver se com o Sindicato agindo assim a empresa vai continuar no ritmo do "tô nem aí"? RH DE FÉRIAS

Dirigentes do Sinttel-Rio não têm conseguido contatar os dirigentes da empresa. Há informação de que os setores de Recursos Humanos (RH) do Rio de Janeiro e da matriz estariam fechados, com o pessoal de férias. Um absurdo! Nada contra as férias do pessoal, mas fechar o setor e deixar toda categoria sem acordo e com outros problemas é demais... O clima na Provider é de revolta. Também não é pra menos. Já houve, inclusive, ameaça de paralisação. Além de estar sem reajuste,

a categoria enfrenta outros problemas como atraso no pagamento de salários e férias, suspensão temporária do plano de saúde etc. É grande o número de reclamações que chegam diariamente ao Sindicato. Agora chega. Queremos reunião até sexta-feira, dia 1º de fevereiro, ou vamos nos fazer ouvir. TIVIT

Depois de várias cobranças, a Tivit finalmente se reuniu com o Sinttel na semana passada. Na ocasião, a empresa prometeu formalizar a proposta para o termo de adesão à Convenção Coletiva. Entretanto, até o fechamento desta edição a empresa não havia formalizado nada. Na reunião com a Tivit, o Sindicato cobrou da empresa, entre outras questões, a antecipação da PPR/2013 e o reajuste do tíquete-refeição, no mínimo, para R$ 6,00. O Sinttel-Rio também pediu uma explicação sobre a cobrança exercida sobre pessoal do produto CEG para que trabalhe mais horas do que a jornada legal. O Sindicato exige o cumprimento da Lei. OSESP

O Sindicato convoca as telefonistas da Osesp, que prestavam serviços para o HSBC e que agora estão terceirizadas pela Vitória, para comparecerem à sede da entidade (Rua Morais e Silva, 94 - Maracanã), nos dias 4, 5, 6 e 7 de fevereiro, para homologar suas rescisões de contrato.

Hemorio faz campanha com jovens No Brasil, segundo dados disponíveis no site do Hemorio, menos de 2% da população doa sangue com certa regularidade. Para conseguir atender toda a demanda, seria necessário que entre 3% e 5% dos brasileiros adotassem tal prática. Para diminuir o défcit, o Hemorio faz campanha com os jovens entre 16 e 17 anos, que agora podem doar sangue, com a autorização dos pais. Para participar, o adolescente, além de pesar mais de 50 kg, estar bem de saúde, portar um documento de identidade oficial com foto, precisa levar também um termo de autorização assinado por seu responsável legal, que se encontra na página oficial do Hemorio (http://www.hemorio.rj.gov.br/) ou no facebook (https://www.facebook.com/hemoriodoesangue/app_137541772984354).

DIRETOR DE IMPRENSA Marcello Miranda marcellomiranda@sinttelrio.org.br EDIÇÃO Socorro Andrade Reg. 460 DRT/PB socorroandradde@gmail.com REDAÇÃO Carlos Monteiro e Socorro Andrade ILUSTRAÇÃO Alexandre Bersot http://www.behance.net/alexandrebersot

DIAGRAMAÇÃO L&B Comunicação Ltda IMPRESSÃO Gráfica do SINTTEL-Rio: Jorge Motta Reg. 17.924 DRT /RJ (prod. gráfica) Valdir Tedesco (impressor) CIRCULAÇÃO Semanal TIRAGEM 12 mil exemplares

Rua Morais e Silva, 94 - Maracanã - RJ - CEP 20271-030 - Tel.: 2204-9300 E-mail Geral sinttelrio@sinttelrio.org.br - Site http://www.sinttelrio.org.br E-mail Jurídico juridico@sinttelrio.org.br - E-mail Imprensa imprensa@sinttelrio.org.br

bersot

humor

em colapso “, alerta o relatório da Oxfram. Nick Galasso , um dos autores do estudo, aponta que, nos últimos 30 anos, sete em cada dez pessoas têm vivido em países onde a desigualdade econômica aumenta. Ele enfatiza ainda que esta tendência tem-se desenrolado globalmente nas três últimas décadas, sem que haja vontade política para coibi-la.

GVT: assembleia aprova Em assembleia realizada dia 23 de janeiro, em Gamboa , Botafogo, Niterói e Caxias, os trabalhadores da GVT no Rio de Janeiro decidiram aceitar a proposta negociada com a empresa. Vale lembrar que essa proposta só foi possível após muita insistência dos sindicatos e da Federação para que a GVT retomasse as negociações suspensas desde que sua proposta inicial de acordo foi rejeitada pelos trabalhadores, em todo o país. Ao aceitar a proposta, os trabalhadores deram um crédito de confiança à empresa que assumiu o compromisso com a Federação de voltar a negociar as demais pendências, entre elas a questão do piso/banco de horas, a partir de fevereiro. Em março, a empresa se reunirá com uma comissão, trimestralmente, para tratar de

alterações no sistema de PPR (PAD/ PIV) e outros itens relatados em todas as negociações. Todos os itens econômicos serão pagos em uma parcela, retroativa à datas base Veja os principais itens da proposta: Data Base – Manutenção da data base em setembro Salários – Reajuste de 7,07%, sendo o INPC acumulado de setembro a agosto de 2013, mais ganho real de 1%. Exceto para os empregados ocupantes presidência, vice-presidência e diretoria Benefícios – O mês de reajuste é setembro de 2013. O aumento abrangerá os seguintes benefícios:vale refeição, vale alimentação, cesta básica, auxílio creche, auxílio excepcional e auxílio condutor Locação de veículos – Aumento de 5%, retroativo à data base.

Acidente de trabalho vitima operador O operador de fibra ótica Robson Luiz Bastos, de 30 anos, da Serede, foi vítima de acidente no último dia 8. A rede onde ele trabalhava estava erradamente energizada, como constatou a Ligth. Ele recebeu forte descarga elétrica e morreu. Após ação dos diretores Marcelo Lopes e Valdo Leite, do Sinttel-Rio, que estiveram no local, no dia do acidente, a empresa tem tomado todas as providências necessárias. Robson deixa mulher e três filhos.

Convênio com escola dá desconto a sindicalizados Surge mais uma opção para os trabalhadores que querem alcançar o registro de técnico no CREA. O Sinttel-Rio fechou convênio com a Escola Técnica Electra, instituição com 76 anos no mercado de ensino, que oferece cursos técnicos de nível médio e pós-médio técnico nas áreas de telecomunicações, eletrônica e mecatrônica, entre outros. O convênio oferece 30% de desconto nas mensalidades para os trabalhadores sindicalizados. As aulas para técnico nível médio começarão dia 10 de fevereiro. Para quem já possui

o nível médio (antigo 2º grau), as aulas começarão no dia 10 de março. Os interessados devem entrar em contato com o sindicato, nos telefones 2204-9300, 2204-9345 e 2204-9346 ou com a secretaria da Escola Electra: 2158-1899. Quem não é sindicalizado ainda pode fazê-lo e, assim, desfrutar do desconto. Para tanto, basta se dirigir à sede do Sinttel-Rio ou acessar o site da entidade (www.sinttelrio.com.br) e preencher a ficha on-line. O trabalhador sindicalizado contribui com uma mensalidade de 1% sobre o salário base da categoria, descontado em folha.

A telefonia fixa que a sociedade quer A qualidade da telefonia fixa vem diminuindo acentuadamente, tanto em termos dos indicadores de qualidade quanto do atendimento pelos call centers. A terceirização e a negligência no cumprimento das normas de qualidade por parte das operadoras, sem a devida fiscalização da Anatel, são algumas das causas dessa queda. Na tentativa de mudar esse quadro, o Instituto Telecom e o Clube de Engenharia elaboraram algumas considerações e sugestões que serão encaminhadas à Anatel na forma de respostas às 31 perguntas da pré-consulta sobre a renovação dos contratos de concessão da telefonia fixa. As duas entidades já formalizaram, também, a solicitação de prorrogação do prazo da pré-consulta, marcada para se encerrar dia 31 de janeiro. O STFC (Serviço de Telefonia Fixo Comutado) tem no Brasil atualmente um indicador de 22,5 telefones por 100 habitantes, baixo para níveis mundiais. Esse indicador, aliado à falta de demanda para aumento desse número, evidencia uma séria distorção no serviço, comparado a outros países, devido principalmente ao alto valor da assinatura básica que hoje está em cerca de 45 reais. O telefone popular (Aice), mais barato, não vem atingindo o seu objetivo de alcançar as parcelas mais pobres da população porque carece de divulgação pelas concessionárias e também pela Anatel. Os orelhões precisam ser recuperados e modernizados. A possibilidade de se tornarem pontos de acesso gratuito de wifi deve ser considerada. Campanhas de esclarecimento sobre as vantagens tarifárias do orelhão precisam ser colocadas, assim como a disseminação de pontos de venda de cartão, hoje com dificuldades de ser encontrado. Na realidade, em algumas cidades do país os telefones públicos praticamente desapareceram. A larga utilização dos serviços em combos deveria vir acompanhada de campanhas de esclarecimento pelas operadoras dos serviços disponíveis e suas respectivas tarifas individuais. Hoje em dia é praticamente impossível comparar planos de diferentes operadoras. Além disso, segundo consultorias, no Brasil, mais de 90% dos usuários está assinando um plano de tarifa inadequado às suas necessidades. Apesar da concorrência que a telefonia fixa vem sofrendo de outros serviços, sua infraestrutura básica é utilizada por todos esses outros serviços. Nesse sentido, várias entidades da sociedade civil - Instituto Telecom e Clube de Engenharia incluídos -, levaram ao Ministério das Comunicações uma proposta de instituição da banda larga no atacado como serviço em regime público, devido à sua essencialidade para a população, tal como foi colocada a telefonia fixa em 1998. Acreditamos que, dessa maneira, o poder público poderia melhor controlar um segmento que vem se mostrando bastante resistente em colocar serviços minimamente aceitáveis aos usuários. E já que o PIB de um país, como se sabe, está diretamente ligado à penetração de sua banda larga, estaríamos ainda associando benefícios sociais da inclusão digital ao nosso desenvolvimento econômico. Leia mais no site do Instituto: www.institutotelecom.com.br

1.399


Jornal Sinttel-Rio nº 1.399