Issuu on Google+

Começa campanha das operadoras CAMILA PALMARES

Queremos reajuste igual para todos, ganho real de fato e PPR verdadeira, compatível com os lucros das empresas. Mobilize-se e se sindicalize!

Todo apoio às manifestações O país foi sacudido nos últimos 7 dias por manifestações populares que tiveram como mote a redução das passagens de transportes públicos (trens, ônibus e metrôs). A violência, o abuso de autoridade e a truculência policial contra os manifestantes foi o estopim para que o protesto que já era forte ganhasse a adesão de todos os segmentos da sociedade, inclusive de brasileiros que vivem no exterior. O ponto alto das manifestações ocorreu dia 17, quando o povo comovido pelo grito dos jovens ocupou as ruas de 11 capitais do país para engrossar o protesto e pedir a redução dos preços das tarifas, a melhoria dos serviços e o fim a repressão policial aos protestos pacíficos. O ponto alto dessa manifestação foi no Rio de Janeiro onde os manifestantes inundaram a Av. Rio Branco desde a Candelária até a Cinelândia como uma onda humana formada por 100 mil pessoas. A cena nos remeteu a Passeata dos Cem Mil, quando jovens enfrentavam os canhões da ditadura para defender a liberdade de expressão e manifestação. O fim da passeata de 68 foi trágico e triste, terminou com o assassinato do estudante Edson Luís. Mas na passeata de segunda-feira foi só o marco e um novo começo na nossa democracia que prescinde de manifestações e de vozes dissonantes. Liberdade de expressão e de pensamento são as únicas palavras de ordem possíveis. Acostumados aos protestos, somos absolutamente favoráveis às manifestações como forma de reivindicação. Por isso, condenamos toda e qualquer forma de repressão a estes movimentos, especialmente o uso de violência e brutalidade que testemunhamos nestes dias no Rio de Janeiro e em São Paulo. O governador e o prefeito do Rio, ao invés de mandarem reprimir os manifestantes deveriam ouvir e refletir sobre o que estamos cobrando. O sentimento que moveu todas essas pessoas país a fora são os mesmos: o alto custo de vida, representado pelo recente aumento das passagens; a falta de serviços públicos básicos como saúde, educação, segurança e transportes. Até agora não houve qualquer resposta à população. Um novo ato está marcado para amanhã, (20). Paes e Cabral vão continuar se omitindo? A presidente Dilma já divulgou nota apoiando as manifestações, mas é preciso mais que apoio. O Movimento Passe Livre já ultrapassou as fronteira. É inaceitável o que se paga por um bilhete de metrô, barca ou ônibus no Rio, ainda mais considerando a precariedade dos serviços. A DIRETORIA

O Sinttel-Rio dá a largada para uma das maiores campanhas salariais do ano, a negociação nacional dos acordos coletivos dos trabalhadores das operadoras de telefonia fixa e móvel Oi, Embratel, Claro, Vivo, Tim, Intelig, GVT, Algar e Nextel. Essa campanha envolve quase 100 mil trabalhadores em todo país e mais de 20 mil no Rio e Janeiro. O primeiro passo é a distribuição de uma pesquisa aos trabalhadores de todas essas operadoras para que estes apontem os principais itens a constarem na Pauta de Reivindicações a ser encaminhada às empresas. Os trabalhadores podem responder a pesquisa impressa distribuída nos locais de trabalho e entregá-la aos diretores de base, ou irem direto ao portal do Sindicato (www.sinttelrio.org.com) e responder a pesquisa on line. O Sindicato e a Federação cobram a antecipação imediata da data da Oi, Claro, Embratel, Tim e Intelig para 1º de setembro junto a Vivo, Algar, GVT e Nextel que já têm data base nesta data. As negociações serão nacionais e

coordenadas pela federação, visto que todas as empresas têm atuação em todo o território nacional. Serão formadas comissões nacionais por empresa com representantes sindicais de todos os estados e regiões envolvidas. LUCROS X GANHO REAL

De acordo com a diretora e negociação coletiva do Sinttel, Virgínia Berriel, uma das grandes bandeiras da campanha é o ganho real. “Não estamos falando dessa ninharia que temos recebido até agora, queremos um percentual compatível com os lucros

das empresas”, observou. Todas as empresas tiveram vultosos lucros, mas na mesa de negociação o discurso é um só: choradeira e prejuízos. Vamos cobrar um ganho real de fato e uma PPR verdadeira com base nos seus lucros. Empresas como a Oi, por exemplo, que nas negociações só fala de prejuízos e que sequer paga a PPR para os empregados, chegou a ter seus lucros de 2012 revistos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ao invés de 837 milhões anunciados, a Oi faturou a bagatela de 1,7 milhões.

Fusão entre Claro e Embratel preocupa Infelizmente, na semana passada a Embratel e a Claro aceleraram o processo de integração entre as empresas em direção a uma futura fusão, ou unificação das empresas. Se até então haviam sido unificadas atividades nas áreas de finanças, jurídico ou contratações, a junção agora já está chegando ao núcleo de negócio das empresas, como engenharia e operações. Desde a última sexta feira, a área de engenharia da Embratel passou a ser subordinada à Diretoria Executiva de Engenharia da Claro. Por outro lado, a operação da Claro passou a se reportar à Diretoria Executiva

Vivo paga em julho antecipação da PPR Conforme negociado no Acordo em vigor, a Vivo pagará aos seus empregados em julho um salário nominal a título de antecipação da PPR 2013. Terão direito todos os trabalhadores com contrato ativo na empresa até o dia 30 desse mês. Deixam de receber essa antecipação os afastados por auxílio doença. Já com relação à segunda parcela, ou seja, o restante da PPR 13, será paga até 30 de março de 2014. Os valores a serem distribuídos variam de acordo com o alcance de metas estabelecidas pela Vivo. Quem ficar abaixo da meta mínima não receberá nada, quem atingir a meta mínima receberá 1, 76 salários e quem conseguir a máxima ganhará 2,75 salários. O target será 2,2 salários.

de Operações da Embratel. As duas áreas, antes unificadas na Embratel, se separaram. A empresa não divulgou ainda nenhuma informação mais detalhada sobre como se dará este processo de integração daqui para a frente. Não se falou também em impactos sobre pessoal e os gerentes alegam que não há definições. O Sinttel já expressou anteriormente às empresas sua posição de que este processo de fusão não pode resultar em resultados negativos para os empregados da Claro e da Embratel. Seja em relação ao nível de emprego, ou de benefícios, só

para citar alguns itens. Fica mais uma vez o alerta. Vamos acompanhar de perto este processo para que os direitos e interesses dos trabalhadores sejam respeitados. É em momentos como esses que um dos maiores desafios do Sinttel-Rio para a resistência e articulação sobre possíveis demissões é o baixo índice de sindicalização dos trabalhadores da Claro e da Embratel. O Sindicato está preocupado com essas fusões que historicamente sempre geram perdas. Por isso é extremamente importante que os trabalhadores mantenham-se informados e participativos.

Sindicato cobra migração integral da Nokia (MPI)/OI Desde o início do processo de migração dos trabalhadores da Nokia (Manutenção de Planta Interna) para a Oi, o Sinttel-Rio tem sido procurado por muitos trabalhadores da Nokia que até hoje não foram admitidos pela Oi, embora tenha prometido a efetivação da grande maioria destes funcionários. O Sindicato tem cobrado incessantemente esclarecimentos da empresa acerca desta situação e encaminhou uma correspondência oficial para a mesma que segue ignorando nossos questionamentos. O máximo que a Oi fez foi entrar em contato com o Sinttel-Rio e alegar que algumas funções existentes na Nokia

não puderam ser aproveitadas pela empresa, pois já estavam preenchidas pelos funcionários mais antigos. O Sindicato vai continuar cobrando uma resposta da Oi, assim como uma listagem com os nomes de todos estes trabalhadores e um quadro com os cargos ocupados e vagos da empresa. Abono Oi/ Accenture

Depois de tantas idas e vindas, finalmente o Sinttel-Rio conseguiu que a direção da Oi entendesse que os companheiros que trabalharam na Oi e foram para a Accenture tinham direito a receber os seus abonos. Vitória para o trabalhador. O sindicato divulgará mais informações em breve.

AMERICA MOVIL

O grupo mexicano America Movil, do bilionário Carlos Slim, dono da Embratel e da Claro teve um lucro líquido de U$ 2,5 bilhões. Mas na hora das negociações de reajuste de salários e PPR é só miséria. O Sindicato e a federação vão lutar para conquistar as principais reivindicações, garantir melhores salários e benefícios, ganho real e PPR verdadeira, mas é preciso que os trabalhadores se engajem na luta e se mantenham desde já mobilizados e sindicalizados.

REDE

PPR: Serede/ Telemont cancela reunião mais uma vez Lamentalvelmente, a empresa Serede/Telemont cancelou pela terceira vez consecutiva a reunião para discutir a PPR de 2012 e a nova proposta para acordo da PPR de 2013 marcada para hoje. Os trabalhadores já estão cansados de enrolação. A cara de pau da empresa é tanta que ela não só desmarca em cima da hora os encontros agendados com o Sindicato, como ainda por cima adia o próximo para daqui a duas semanas. Desta vez a data agendada ficou somente para o dia 02/07. Chega de enrolação! O diretor Marcelo Lopes convoca todos os trabalhadores para a mobilização. "A Serede/ Telemont já deixou claro que não tem a menor consideração pelos seus trabalhadores. O Sindicato estará em todos os locais de trabalho da empresa para fazer atos, mobilização e paralisações setoriais até que ela apresente a proposta devida e volte a tratar o seu trabalhador com o respeito que ele merece", afirmou o sindicalista. Para mais informações é só contatar Lopes através do telefone: 2204-9300

Procisa PPR/2012

Empresa que presta serviços para a Embratel, a Procisa, desrespeita sumariamente os seus trabalhadores e se nega a negociar a PPR/ 2012.Finalmente, depois que o Sindicato fez uma paralisação na porta da empresa, ela fez uma proposta de PPR no valor de R$300 (proporcional ao tempo de trabalho no ano de 2012). Isso foi rejeitado em assembleia pelos trabalhadores e o Sindicato. A Procisa fez uma nova proposta de apenas R$350 que novamente foi rejeitada. Diante disso, o Sinttel-Rio, fez uma contraproposta de no mínimo R$680,00. Até agora estamos aguardando a resposta da empresa que não se manifesta desde semana passada. Convocamos a todos para se prepararem para a paralisação, caso a empresa continue se fazendo de morta.


Operadoras poderão ser punidas na Copa Problemas de telefonia celular foram grande motivo de reclamação por torcedores na abertura da Copa das Confederações No último sábado (15), no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília foram constatados problemas no serviço de telefonia celular. A informação foi divulgada nesta última segundafeira (17) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). De acordo com a agência, o serviço funcionou de forma intermitente. Torcedores relataram dificuldades em usar os serviços de telefonia móvel, especialmente a internet 3G. Os problemas serão informados à Superintendência de Acompanhamento e Controle, que tomará as providências cabíveis. A Anatel informou que disponibilizou 22 fiscais em ação na Copa das Confederações para fiscalizar o desempenho e o tratamento das ocorrências nas redes nos estádios e imediações. Segundo as empresas, para que o sistema de telefonia e internet móvel funcionasse de forma adequada nos estádios, cinco operadoras de telefonia móvel - Vivo, Claro, TIM, Oi e Nextel

instalaram uma infraestrutura conjunta de equipamentos e antenas para suportar um grande número de acessos ao mesmo tempo. No entanto, pelo o que foi constatado, a estrutura ainda não está em pleno funcionamento. O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil) informou que ainda espera receber mais informações das operadoras para se manifestar sobre o funcionamento dos serviços nos três jogos já realizados pela Copa das Confederações. Em nota a Anatel declarou que “tem realizado encontros frequentes com os responsáveis pelas redes de telecomunicações para garantir que seu funcionamento seja o melhor possível durante os grandes eventos, como é o caso da Copa das Confederações. Se forem constatadas irregularidades tecnicamente não justificáveis por parte das prestadoras dos serviços, com impacto sobre seus indicadores de qualidade, há possibilidade de

Inscrição para Cipa é só até sexta, dia 21 A Vivo realiza no período de 27 a 28 de junho eleições para composição da sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). O Sindicato convoca todos os trabalhadores a participarem desse processo se inscrevendo para concorrer a uma vaga como representante dos empregados ou votando, escolhendo e elegendo os companheiros identificados com a luta diária por melhores salários, condições de trabalho e organização sindical. Se você está interessado não perca tempo. As inscrições terminam nesta asexta, dia 21, na Vivo (Av. Ayrton Senna, 2200 – Barra da Tijuca). A Cipa é muito importante e precisa ser mais valorizada pelos trabalhadores. Se não participamos, a

empresa inscreve aqueles que lhe interessam e o resultado disso são Cipas omissas e indiferentes aos problemas dos ambientes de trabalho. Para mudar isso temos que participar. ESTABILIDADE

O papel prioritário da Cipa é a prevenção de acidentes e a garantia de segurança para o exercício da atividade profissional dentro e fora dos ambientes de trabalho. A lei que regulamenta a Cipa garante estabilidade provisória de dois anos para os seus membros efetivos e suplentes. O Sinttel não só reforça a importância da participação dos trabalhadores nas Cipas como dá total apoio aos cipeiros.

instauração de processos administrativos, com aplicação de sanções", afirmou a agência. Desde o ano passado, a orientação

Arraiá "na Turquia" O Sinttel-Rio tem uma dica imperdível para quem gosta de aproveitar as festividades de junho e julho. Em comemoração ao dia 29 de junho, dia da telefonista, haverá uma festa julina especialmente para estas profissionais, no dia 5 de julho às 18h, na sede do Sinttel-Rio. O tema deste ano é “Arraiá da Turquia”. Convidamos a todos para vestirem o seu personagem e irem aproveitar a música ao vivo, as comidas típicas e a famosa barraca do beijo! Quem quiser participar deverá entrar em contato com o Sindicato através do telefone 2204-9300 (ramal 210) e deixar seu nome. Lembrando que a Turquia é a temática desta e é indispensável vir a caráter. O ingresso da festa será um brinquedo que será doado a menores carentes.

passada pela própria presidente Dilma Rousseff foi a de que não serão tolerados problemas técnicos de telefonia durante os jogos mundiais.

Ciranda da Alegria: aproveite que ainda há vagas No período de 22 a 27 de julho será realizada na Colônia de Graham Bell a Colônia de Férias “Ciranda da Alegria” para crianças de 6 a 12 anos. Não perca esta oportunidade. Incentive seus filhos a tirar notas boas prometa inscrevê-los na Colônia de Férias. E não se preocupem. As crianças contarão com o cuidado e a assistência de profissionais especializados. A pedagoga Ana Maria Martins será responsável pela coordenação pedagógica, já a parte recreativa e cultural ficará a cargo do Tio Markão, como já ficou conhecido pelas crianças nas colônias anteriores. Além desses dois profissionais com

larga experiência com crianças e adolescentes, temos também diversos profissionais de educação física. Os organizadores do evento garantem que as crianças vão adorar e que os pais podem ficar tranquilos que eles serão bem cuidados. Confira os pacotes e preços no Portal do Sinttel (www.sinttelrio.org. br) e faça a inscrição dos seus filhos. Eles vão amar.

Campeonato de Futebol: aumenta a disputa pelo título A chuva fina que caiu ao longo de toda tarde do último sábado, dia 15, não foi suficiente para impedir que a terceira rodada do campeonato de futebol do Sinttel-Rio acontecesse na Vila Olímpica do Salgueiro. A maioria das equipes compareceu. Não faltou animação por parte dos amantes do futebol que vão à quadra e promovem a animação do evento. Os diversos times não só estavam dispostos a jogar como empenhados em buscar a vitória. Isso ficou visível nas entrevistas feitas pela repórter do Jornal do Sinttel, Camila Palmares. Marcos Carvalho, jogador do Real Mackenzie, que perdeu o jogo e ainda continua na disputa,

reconheceu que a disputa está acirrada, mas não perde a esperança de levar o troféu esse ano. Para ele, a iniciativa do Sindicato de promover o campeonato é excelente. Além do evento ser bem organizado, imparcial e sem violência, estimula os trabalhadores a manterem um estilo de vida saudável. Já a equipe do Canalhas, formada pelos trabalhadores da Contax, continua no páreo e pode até não levar o troféu do campeão, mas certamente já é um forte candidato ao título de maior torcida. A galera não deixou a peteca cair e era só animação na tarde fria de sábado. O campeonato de futebol do

Sinttel tem esse objetivo reunir as pessoas para praticar o esporte mais popular do país. Afinal, o Sindicato é um espaço de luta, mas também de confraternização.“A gente não quer só comida. A gente quer comida, diversão e arte”, como já dizia Titãs. O campeonato envolve mais de 400 trabalhadores de rede, call center, administrativo, entre outros. É importante que os demais trabalhadores organizem suas torcidas por equipes e participem indo ao campo. Os familiares também são bem-vindos. O jogo começa às 13h aos sábados, no campo da Vila Olímpica do Salgueiro. Veja as tabelas do campeonato no Portal do Sinttel: www.sinttelrio.org.br

DIRETOR DE IMPRENSA Marcello Miranda marcellomiranda@sinttelrio.org.br EDIÇÃO Socorro Andrade Reg. 460 DRT/PB socorroandrade@sinttelrio.org.br REDAÇÃO Socorro Andrade Luana Laux ILUSTRAÇÃO Alexandre Bersot http://www.behance.net/alexandrebersot

DIAGRAMAÇÃO L&B Comunicação Ltda ESTAGIÁRIA Camila Palmares IMPRESSÃO Gráfica do SINTTEL-Rio: Jorge Motta Reg 17.924 DRT /RJ (prod. gráfica) Valdir Tedesco (impressor) CIRCULAÇÃO Semanal TIRAGEM 12 mil exemplares

Rua Morais e Silva, 94 - Maracanã - RJ - CEP 20271-030 - Tel.: 2204-9300 E-mail Geral sinttelrio@sinttelrio.org.br - Site http://www.sinttelrio.org.br E-mail Jurídico juridico@sinttelrio.org.br - E-mail Imprensa imprensa@sinttelrio.org.br

bersot

humor

CAMILA PALMARES

Licença única só com regime público Na semana passada, em palestra na Abrint (Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações) o conselheiro da Anatel Marcelo Bechara, ao falar sobre o novo regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) enfatizou que "a regulação não pode ser máxima, nem mínima, tem de ser a necessária. A agência precisa saber tirar a regulação, regular o que precisa ser regulado, e não atrapalhar". Segundo ele, o país está "caminhando para uma licença única, ou ao menos um mundo de licenças simplificadas." Esta é uma afirmação preocupante. O que pensa o Conselho Diretor da Anatel sobre a preservação do único serviço prestado em regime público, o STFC? Ao falar em licença única, Bechara estará no mesmo caminho do conselheiro Jarbas Valente, que defendeu que todos os serviços caminham para ser prestados preferencialmente em regime privado? O Instituto Telecom avalia que a agência, 16 anos após a sua criação, ainda não aprendeu que competição e universalização são conceitos antagônicos. No próprio relatório da agência é possível observar que mesmo na telefonia celular há uma grande concentração na região Sudeste - 44,45 %. E dos 27 estados da federação, 17 deles estão abaixo da densidade nacional. O mesmo ocorre com o Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), cerca de 80% dos acessos se concentram em duas regiões brasileiras sul e sudeste. O acesso individual de classe especial (Aice), telefone popular destinado a cerca de 11 milhões de famílias (com renda de até um salário mínimo) havia alcançado apenas 53,6 mil famílias no final de 2012. Uma demonstração clara do desinteresse das operadoras em oferecer o serviço. O Instituto Telecom considera que a discussão da licença única não pode vir dissociada da prestação do serviço de banda larga em regime público, pois corre o risco de inviabilizar a universalização da banda larga, da telefonia celular, da TV por assinatura e de todos os serviços fundamentais para fomentar o desenvolvimento político, econômico, cultural e social do Brasil. (Fonte Instituto Telecom)

CUT debate direitos das domésticas A CUT Rio fará no dia 21, a partir das 18h, no seu auditório (Av. Presidente Vargas, - Centro) um grande debate sobre o tema "Domésticas e a Igualdade de Direitos". O evento contará com a participação das dirigentes dos Sindicatos das Domésticas do Rio de Janeiro, Nova Iguaçu, Niterói, Volta Redonda e Petrópolis. Na ocasião será lançada a cartilha "Trabalho Doméstico: a conquista de direitos e cidadania" publicada pela CUT com o apoio do Sinttel-Rio. Além das dirigentes sindicais domésticas são convidados para esse debate a deputada federal Benedita da Silva, relatora do PEC das Domésticas, o vereador Reimont e o deputado estadual Gilberto Palmares, ambos vindos da luta sindicas e identificados com a luta dos trabalhadores das diversas categorias.

1.369


Js1369