Issuu on Google+

8 de Março

Contra a violência doméstica. Igualdade e autonomia para as mulheres Assembleia da Brasil Center amanhã, 7 Às 12h no prédio Sede e às 13h em Mackenzie. Vamos discutir a proposta da empresa para o Acordo Coletivo 2013. A BrasilCenter participou da negociação feita pelo Sinttel-Rio com as empresas de call center do estado, na qual foram definidos parâmetros gerais para os Acordos Coletivos de todas as empresas. Na reunião específica do Sindicato com a BrasilCenter, realizada dia 21/02, a empresa só aceitou discutir dois itens: o tíquete para jornada de 7h12 e o auxílio educação especial. Para os demais itens, insistiu em que os parâmetros da negociação já haviam sido definidos na reunião conjunta e não aceitou avanços. A diretoria do Sindicato considera que a proposta não atende às necessidades dos trabalhadores, principalmente porque o piso salarial dos operadores ainda está muito abaixo do reivindicado pela categoria e os salários e os principais benefícios estão sendo corrigidos apenas pela inflação do período - INPC de 6,20% e não de 6,02% como saiu erroneamente no boletim distribuído ontem, dia 5. Convocamos todos os trabalhadores da BrasilCenter a participar da assembléia nesta quinta-feira, pois a decisão do rumo das negociações vai ser definido pela base da categoria. Sem luta não há conquista.

Essas são as principais bandeiras dos movimentos de mulheres em todo o mundo, e das brasileiras em especial, neste mês que marca o Dia Internacional da Mulher. Uma data criada para lembrar a luta das mulheres por igualdade e respeito. O Sinttel-Rio, como faz todos os anos, montou uma programação especial para as trabalhadoras em telecomunicações/ teleatendentes. A programação começa na sexta-feira, dia 8, às 14h30, com uma esquete da Companhia Emergencial de Teatro. Será o momento, também, da apresentação dos resultados finais da pesquisa “As mulheres e o mundo do trabalho nas telecomunicações”, realizada em 2011 pelo Departamento de Formação do Sindicato em parceria com o Arquivo de Memória Operária do Rio de Janeiro/Universidade Federal do Rio de Janeiro. A pesquisa ouviu 1.644 trabalhadoras de diversas empresas terceirizadas (Rede e Call Center) e das operadoras. O encerramento da atividade será dançante, embalado pelo grupo musical Moça Prosa, formado por vários trabalhadores da categoria. CENTRAL DO BRASIL

Ainda na sexta-feira, dia 1º de março, o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim) promove uma panfletagem na Central do Brasil, de 14 às 17h, com a participação de trabalhadoras de todas as categorias cujos sindicatos são filiados à CUT. Além da panfletagem haverá apresentação do grupo

de percussão Fina Batucada, formado por mulheres da Escola de Música Villa-Lobos. A atividade contará com três tendas, sendo que uma focará na saúde, com distribuição de informativos e preservativos pela Rede Nacional Feminista de Saúde. INTERATIVA Nº 3

Também para marcar o Dia Internacional da Mulher, o Sindicato vai distribuir o nº 3 da revista Interativa. A revista, que circulou durante a década de 1990, foi suspensa depois da privatização das telecomunicações. Voltou a circular no ano passado, desta vez

No dia 15, Festa da Mulher e entrega de troféus A tradicional festa que reúne as mulheres - e os homens - da categoria será no dia 15 de março, a partir das 18h. Para participar da festa, este ano batizada de “Igualdade no Mundo do Trabalho”, os trabalhadores têm que ser sindicalizados. Como o espaço na sede do Sindicato é restrito, é necessário se inscrever previamente. A inscrição vai até as 18h do dia 14, pelo telefone 2204.9300. No dia da festa cada participante deve trazer

uma lata de leite em pó, que será doada ao Hospital Gaffrèe e Guinle. Pela primeira vez, o Sindicato vai entregar o Troféu Sinttel Mulher para homenagear mulheres que se destacaram em suas atividades. As homenageadas de 2013, as primeiras do que se pretende seja uma série, são a deputada federal Benedita da Silva, a delegada Martha Rocha e a atriz Dira Paes. A entrega dos troféus será durante a festa.

em edição digital e apenas uma pequena tiragem impressa. Neste número, a revista publica um encarte com os resultados da pesquisa sobre as Mulheres e o Mundo de Trabalho nas Telecomunicações e lembra os 80 anos da eleição da primeira mulher - Carlota Pereira de Queirós, eleita deputada constituinte por São Paulo no dia 3 de maio de 1933. E numa categoria majoritariamente jovem, a revista fala do ritmo que mexe com o corpo e a cabeça da moçada - o funk. Confira a partir de sexta-feira, dia 8, no nosso portal - www.sinttelrio.org.br.

Almoço na Avete

O tradicional almoço da Avete (Associação dos Veteranos Telefônicos) este mês será comemorativo ao Dia da Mulher. O almoço será no dia 13, com bingo e tarde dançante. A Avete fica na Rua Gregório Neves, 22, Engenho Novo. Reservas para o almoço devem ser feitas pelos telefones 2501.9934/2204.9326.


História da fotografia no Brasil

Orlando Brito, Pátria Amada, Brasília, 1991

De retratos de famílias de elite no século 19 até o registro de grandes manifestações como as passeatas das Diretas Já, nos anos 80, estão reunidos na mostra Um Olhar sobre o Brasil: A Fotografia na Construção da Imagem da Nação. A mostra, inaugurada no dia 1º de março, reúne no CCBB mais de 300 imagens, vindas de acervos públicos e coleções privadas, que percorrem 170 anos de História. A realização é da Fundación Mapfre, com organização do Instituto Tomie Ohtake. Por abranger um período de mais de 100 anos, a mostra é dividida em arcos temáticos (política, sociedade, cultura/ artes e cenários) e períodos históricos. São eles: 1833-1889: Luzes sobre o Império; 1889-1930: Urbanidade, conflitos, modernidade; 1930-1937: Ideologias, revoluções, nacionalismo; 1937-1945: Autoritarismo, repressão, resistência; 1945-1964: Industrialização, desenvolvimento, anos dourados; 1964-1985: Tempos sombrios;

Ângela Costa Leite

1985-2003: O reacender das luzes. Entre os autores das imagens, estão grandes nomes da fotografia brasileira de ontem e hoje, como Augusto Malta, Geraldo de Barros, Sebastião Salgado, Evandro Teixeira, entre outros. Entre as fotos, registros de revoltas populares como a de Canudos (1896-1897), a participação da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial ou a construção de Brasília. Cada fotografia é

Oficina gratuita de grafite na Maré Crianças a partir de 12 anos podem se inscrever na oficina de grafite da Redes da Maré. As aulas ministradas pelo grafiteiro Felipe Reis começaram na segunda-feira, dia 4, mas as inscrições seguem até 22 de março. Felipe tem trabalhos espalhados pela cidade, entre eles a passarela da Linha Amarela, na altura da Vila do Pinheiro, na Maré. O curso gratuito faz parte do programa Criança Petrobrás e acontece às segundas

e quartas, das 18h às 19h30, e aos sábados, das 9h às 12h, com duração de dez meses. Para se inscrever basta comparecer a sede da Redes da Maré com comprovante de residência, declaração escolar, identidade e uma foto 3X4, das 08h as 21h. Não precisa ser morador da comunidade para participar. O programa ainda oferece oficinas de break, cordas dedilhadas, maracatu, artes visuais e contação de histórias. Mais informações no telefone: 3105-5531.

Circo de graça no Museu da República

Inspirada nos números de circo antigos, que se apresentavam ao ar livre, a dupla de artistas do Circo Dux, formada por Lucas Moreira e Fabrício Dorneles se apresenta, nas manhãs de sábado. O espetáculo “Museus de Excentricidades” tem até a versão de um fortão arrebentador de correntes - número que costumava agradar às plateias circenses no passado. Aos domingos, é a vez do Coletivo Nopok, com “No pocket - Um espetáculo para todos os bolsos”, com esquetes cômicas embaladas por música ao vivo. Malabares e acrobacias prometem divertir as crianças. As apresentações acontecem sempre às 10h30. O Museu da República fica na Rua do Catete, bem em frente à estação Catete do Metrô.

9º Campeonato de Futebol O Departamento Sócio Cultural do Sinttel-Rio orienta os trabalhadores de telecomunicações, sejam das operadoras ou prestadoras de serviços (call center, rede, TV por assinatura, etc) especialmente os amantes de esportes e de futebol, para começarem a organizar os seus times para o campeonato do nosso Sindicato. Na próxima semana, os diretores Ricardo Pereira e Alan Dias vão convocar os capitães de equipes para a primeira reunião de organização. O Campeonato De Futebol do Sinttel é o maior na categoria sindical. Junte seus colegas, forme seu time e participe.

acompanhada de um texto. Esta preocupação em apresentar um contexto é importante para evidenciar um caráter às vezes pouco observado na fotografia: seu componente ficcional. A imagem se revela como um meio para a preservação da memória do indivíduo, da família, da comunidade; um meio para o conhecimento sobre cenários de épocas passadas. O CCBB fica na Rua 1º de Março e a mostra está aberta de terça a domingo, das

100 anos de Dona Zica

A cultura carioca e brasileira foi encarnada por uma personagem: Euzébia Silva de Oliveira,a dona Zica, baluarte da Estação Primeira de Mangueira. Dona Zica nasceu num domingo de Carnaval, 6 de fevereiro de 1913, no bairro carioca de Piedade. Aos quatro anos foi morar no Buraco Quente, no Morro da Mangueira, onde conheceu e conviveu com Cartola, ícone da música nacional. Sua trajetória e luta, além da história da própria Mangueira, pode ser conferida no Centro Cultural Cartola (CCC) na exposição Dona Zica - Da Mangueira e do Brasil, até 29 de abril de 2013. O Centro Cultural Carioca fica R. do Teatro, 37 – Centro, próximo ao Largo de São Francisco. Reprodução

Na semana que marca o Dia Internacional da Mulher, o Jornal do Sinttel homenageia a mulher que é a figura símbolo do nascimento do Sinttel. Telefonista da Companhia Telefônica Brasileira (CTB), Ângela Costa Leite não havia completado 15 anos quando entrou na Companhia, em 1921. Foi ela quem liderou as primeiras lutas da categoria e quem presidiu a Associação Profissional dos Trabalhadores em Empresas Telefônicas que deu origem ao Sindicato dos Telefônicos do Rio de Janeiro. No livro “Sinttel/RJ 19852009: uma fotobiografia de 25 anos de ação”, editado pelo Sinttel-Rio, há a transcrição de uma entrevista de Ângela a Maria Cristina Rodrigues, assessora de Formação do Sindicato, em 1990. Já velhinha, Ângela lembrou os primeiros tempos: “Em 30 não havia como fazer luta. Como? Apelar pra quem? O Ministério do Trabalho não existia. Depois é que começamos a questão das lutas, então ganhamos as 6 horas porque também vieram os sindicatos. Sem sindicato podia lutar? Sem Ministério do Trabalho? O patrão mandava empregado embora. Quantos foram embora só porque tiraram a carteira profissional? Antes da lei da estabilidade, o empregado era um escravo! Antes de 30 ninguém tinha filho nenhum, porque ficou grávida mandava embora. Solteira, se casasse ocultamente era demitida também. Comecei depois de 30, mas ali eu já tinha fama de respondona, que eu respondia na altura qualquer coisa que eu visse que não estava certo. Creio que fui a primeira telefonista que se sindicalizou.” Embora fundadora, Ângela nunca chegou a presidir o Sindicato por causa do boicote da CTB. Mas seu lugar como a primeira mulher líder da categoria, jamais será tirado.


IMPOSTO DE RENDA

É hora do acerto de contas do IR o contribuinte que em 2012: . enquadrar-se apenas na hipótese prevista no item 5 (possuir bens acima de R$ 300 mil) e que, se viver em sociedade conjugal ou união estável, tenha os bens comuns declarados pelo outro cônjuge ou companheiro, desde que o valor total dos seus bens privativos não passe de R$ 300 mil; . que se enquadrar em uma ou mais das hipóteses dos itens 1 a 7, caso conste como dependente em declaração de outra pessoa física, na qual tenham sido informados seus rendimentos, bens e direitos.

A declaração deve ser entregue pela internet e, apesar de estar em desuso, a Receita Federal permite também o envio por disquete, que deve ser entregue nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. O prazo para envio da declaração teve início dia 1º de março e termina em 30 de abril. Pela internet, a entrega pode ser feita até as 23h59min59seg de 30 de abril. Por disquete, fica limitada ao horário de expediente das agências bancárias. A multa para quem entrega a declaração fora do prazo é de 1% ao mês. O valor mínimo é de R$ 165,74 e o máximo é de 20% do imposto devido. QUEM É OBRIGADO A DECLARAR

Está obrigado a declarar em 2013 o contribuinte que, em 2012: 1. recebeu rendimentos tributáveis (salários, por exemplo) acima de R$ 24.556,65; 2. recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte (indenizações, por exemplo), acima de R$ 40.000,00;

3. obteve ganho de capital ao vender bens ou direitos ou investiu em Bolsas; 5. teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300 mil; 6. passou a morar no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontrava em 31 de dezembro; 7. optou pela isenção do IR do ganho de capital na venda de imóveis residenciais, por ter aplicado o dinheiro na compra de outro imóvel residencial, em até 180 dias a partir venda do imóvel original QUEM ESTÁ ISENTO

Fica dispensado de fazer o ajuste anual

Marcha vai avermelhar Brasília . . .. . . . A CUT e demais centrais sindicais fazem hoje, dia 6, em Brasília, a maior manifestação de trabalhadores brasileiros do campo e da cidade. É 7ª Marcha da Classe Trabalhadora que promete avermelhar a capital federal e c cobrar da presidente Dilma entre outras coisas: Fim do fator previdenciário e contra o aumento da idade mínima Redução da jornada de tra-

balho sem redução de salários Ratificação da Convenção 158 e Regulamentação da Convenção 151, ambas da OIT 10% do PIB para a Educação 10% do PIB para a Saúde Reforma Agrária Valorização das aposentadorias Todas essas são bandeiras de luta históricas dos trabalhadores e que não podem mais esperar.

Audiência Vidax, Claro e Tellus

A Audiência será amanhã, dia 7, Na ação que abrange apenas os ex-empregados da Vidax que migraram para a Tellus e visa, entre outros pedidos, a declaração de nulidade do pedido de demissão que muitos foram obrigados a formular. O resultado da audiência estará no nosso portal - www.sinttelrio.org.br. Os que desejarem subscrever a ação devem comparecer ao Depto. Jurídico munidos de: CTPS (qualificação e contratos de trabalho com a Vidax e também com a Tellus), RG, CPF, PIS, comprovante de residência, extrato do FGTS (relativo ao contrato da Vidax e também da Tellus) e extrato do CNIS (obtido nas agências da Previdência Social ou pelo endereço eletrônico www.mpas.gov.br).

Faça sua declaração no Sinttel A exemplo de outros anos, o Sindicato disponibiliza atendimento para quem tem dificuldade em fazer a sua declaração de ajuste anual. O atendimento começou dia 1º e vai até o dia 30 de abril, de segunda a sexta-feira, no horário de 9 às 17h, no setor de atividades sindicais com Beth Cattói. É importante que o interessado ligue antes para o telefone 2204 9305 e fale com a Beth para saber qual a documentação necessária. Não deixe para fazer sua declaração na última hora.

Alarme de incêndio em Arcos Um incidente no sábado, dia 2, no prédio de Arcos, deixou os trabalhadores tensos e inseguros. Segundo informação destes à Cipa local, houve um alarme de incêndio por volta das 19h. Até o momento, ninguém sabe oficialmente o que aconteceu. Diante da situação, a Cipa encaminhou solicitação de esclarecimento à segurança do trabalho da empresa e ainda não obteve nenhuma resposta. A Cipa quer saber: o que levou o alarme a disparar? Que providências

foram tomadas para garantir a segurança dos empregados que estão preocupados com as causas desse alarme? DG Tiradentes às escuras

A segurança no trabalho está deixando a desejar nos prédios da Oi. No DG Tiradentes, por exemplo, a iluminação é precária e a escada está quebrada há meses. Houve uma troca parcial das lâmpadas, mas não foi suficiente. A circulação no local é difícil.

Ações judiciais contra Plansul e Worktime O Departamento Jurídico do Sinttel-Rio vai ajuizar esta semana a ação coletiva contra a Plansul reivindicando a imediata aplicação do reajuste salarial previsto na Convenção Coletiva e pagamento das diferenças retroativas. Para subscrever a ação, é necessário comparecer ao Depto. Jurídico munido de CTPS, identidade, CPF, comprovante de residência e contracheques de maio de 2012 até o atual. WORKTIME “20 MINUTOS”

Esta é a última convocação para subscrever a ação. O Depto. Jurídico está aceitando até o dia 20 de março habilitações na ação coletiva que determinou o pagamento dos 20 minutos acrescidos à jornada em agosto de 2007 como horas extras. A execução já foi iniciada e a perícia contábil está em vias de ser iniciada. Concluída a perícia, o Departamento Jurídico procederá a habilitação do crédito total junto a Recuperação Judicial da empresa que tramita na cidade de Salvador.

Brasil investe pouco, e mal, em TICs

Na semana passada, durante o Mobile World Congress, em Barcelona, representantes da Comissão Europeia anunciaram investimentos de 50 milhões de euros (US$ 65 milhões) até 2020 para pesquisas e desenvolvimento de tecnologia 5G. Mesmo com esta decisão, a Europa está bem atrás do Japão que já realiza testes para móveis com taxas de 10 Gbps. E o Brasil? Segundo o estudo Indicador da Sociedade da Informação (ISI), divulgado em 2011, o Brasil teve um crescimento tecnológico menor que o de outros países latino-americanos. Em uma escala de 0 a 10, o Brasil obteve 4,66 pontos. Nota menor que a dos vizinhos Argentina (5,00), Chile (6,15), México (4,68) e Peru (4,82). Em relação a maioria dos países chamados desenvolvidos, o país teve um atraso de quase 40 anos na aprovação da sua primeira legislação para as comunicações. O Código Brasileiro de Telecomunicações (CBT), criado em 1962, ainda está em vigor e apesar desse cenário, há poucos dias o governo declarou oficialmente que não debateria o Marco Regulatório das Comunicações este ano. A privatização das telecomunicações também trouxe um enorme prejuízo para áreas essenciais como Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). O Centro de Pesquisas da Telebrás (CPqD), considerado de excelência, foi destruído. Mesmo no histórico recente da produção de tecnologia nacional, o tão elogiado internacionalmente Ginga - middleware opensource cuja função seria gerenciar a interatividade na televisão digital - já não é sequer lembrado pelo governo. Na semana passada, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação anunciou para o final de março um programa de subvenção à inovação - o Start-UP* Brasil (*empresas pioneiras em novos modelos de negócio). Cada start-up selecionada receberá até R$ 200 mil do governo. O Instituto Telecom tem afirmado que medidas isoladas do governo, ainda que bem intencionadas, não aumentarão a produção e desenvolvimento de produtos nacionais. Poderão, inclusive, acentuar o déficit da nossa balança comercial. O Brasil precisa parar de criar políticas isoladas para cada tema das comunicações. É preciso fazer um único debate sobre a qualidade, o nível tecnológico e a produção nacional do setor. E esse debate deve estar inserido também no Marco Regulatório das Comunicações, que deveria deixar de ser uma abstração para se tornar uma política pública forte e capaz de assistir toda a cadeia política, econômica e tecnológica do país.


VELOX

Vitória dos técnicos da ADSL

Socorro Andrade

Depois de parar no dia 19 e deflagrar estado de greve em assembleia realizada dia 21, os trabalhadores finalmente conseguiram fazer as prestadoras de serviços Serede e Telemont reconhecerem os técnicos de ADSL/Velox como técnicos de telecom. A partir de março esses técnicos passam a receber o salário a que têm direito, o piso de R$ 1.357,00. Também ficou garantido que o dia parado não será descontado. A vitória dos técnicos de ADSL é a vitória de trabalhadores conscientes de sua força e da importância da sua organização no Sindicato. A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), em vigor desde set/12, fixa o piso dos técnicos de telecomunicações em R$ 1.357,00 a partir de jan/13. As empresas, por sua vez, se recusavam a reconhecer os técnicos de ADSL como técnicos de telecom, mesmo esses profissionais tendo registro no Crea. Um contrasenso. A luta do Sindicato para garantir o piso de R$ 1.357,00 se arrastava desde dezembro do ano passado. As empresas insistiam em não reconhecer e iam empurrando o problema com a barriga. Foi aí que os trabalhadores decidiram dar um basta na enrolação e exigir respeito.

PARALISAÇÃO DIA 19/02 - No dia 19, ao invés de seguir para os seus postos de trabalho, os técnicos de ADSL decidiram ir ao Sindicato para, junto com a diretoria da entidade, decidir o que fazer. No início do dia eram cerca de 160 técnicos no auditório do Sinttel-Rio. No final do dia, já passava de 300. Depois de obter o compromisso das empresas de negociar no dia 20/02, os trabalhadores reuniram-se e marcaram nova assembleia para as 15h do dia 21/02, em Hanibal Porto. No dia 20, as negociações não avançaram. As empresas marcaram nova reunião para o dia 1º de março. Na assembleia do dia 21 a categoria aprovou estado de greve. 6 HORAS DE NEGOCIAÇÃO - No dia 1º, o clima era de muita apreensão. Só

depois de mais de 6 horas de negociação, sem sequer pausa para o almoço, finalmente o Sinttel-Rio fez as empresas garantirem o pagamento do piso de R$ 1.357,00 a partir de março/13. Também ficou garantido que não haverá retaliação aos trabalhadores nem desconto do dia parado. ASSEMBLEIA DIA 7 - Conforme havia

sido deliberado na assembleia do dia 21, o Sindicato esteve ontem, dia 5, em Hanibal Porto para informar os trabalhadores sobre a suspensão da greve devido à conquista do piso. Todos estão convocados a participar da assembleia dia 7, às 18h, no auditório da sede do Sinttel (Rua Morais e Silva, 94) quando serão dadas todas as informações.

Emenda na Lei dos Pisos beneficia teleatendentes A partir de agora todas as empresas que vencerem as licitações para prestar serviços aos órgãos da administração estadual direta e indireta (como Cedae, Detran, Secretarias), vão ter que pagar, no mínimo, o piso salarial regional. A emenda foi proposta pelo deputado Gilberto Palmares, ex-presidente do Sinttel-Rio e aprovada na votação dos novos Pisos Regionais que passaram a vigorar desde 1º de março, com retroatividade a 1º de janeiro. O novo piso regional para os teleatendentes é de R$ 918,25. O deputado, que em 2003 incluiu os teleatendentes na Lei dos Pisos Regionais, falou com exclusividade ao Jornal do Sinttel. JS – Deputado, o que o levou a apresentar essas emendas? Gilberto Palmares - O principal

ser rebaixado. Com a aprovação dessa nova emenda, o governo do estado tem a obrigação de incluir nos editais de licitação uma cláusula determinando que a empresa vencedora não pode pagar salários abaixo do piso regional. Até porque é contraditório que os próprios órgãos estaduais desrespeitem uma lei estadual. É como diz o ditado: “casa de ferreiro, espeto de pau”.

Gilberto Palmares (de pé), autor da emenda

objetivo era assegurar uma melhoria salarial para os teleatendentes. Boa parte da categoria ganha hoje perto do salário mínimo nacional, o que eu considero um absurdo,

DIRETOR DE IMPRENSA Marcello Miranda marcellomiranda@sinttelrio.org.br EDIÇÃO Socorro Andrade Reg. 460 DRT/PB socorroandrade@sinttelrio.org.br ASSESSORIA DE IMPRENSA Rosa Leal Reg. 740 DRT/DF rmleal@globo.com REDAÇÃO Socorro Andrade e Rosa Leal ILUSTRAÇÃO Alexandre Bersot www.alexandrebersot.com.br

DIAGRAMAÇÃO L&B Comunicação Ltda ESTAGIÁRIA Camila Palmares IMPRESSÃO

Valdir Tedesco Impressor CIRCULAÇÃO Semanal TIRAGEM 12 mil exemplares

R. Morais e Silva, 94 - Maracanã - RJ - CEP 20271-030 - Tel.: 2204-9300 - Fax Geral 2567-1589 E-mail Geral sinttelrio@sinttelrio.org.br - Site http://www.sinttelrio.org.br E-mail Jurídico juridico@sinttelrio.org.br - E-mail Imprensa imprensa@sinttelrio.org.br

bersot

humor

já que há uma série de exigências para uma pessoa exercer essa função, como ter o Ensino Médio completo. Ora, se a pessoa precisa ser qualificada, o salário não pode

JS - E quais são os próximos passos? Gilberto Palmares - Agora nós vamos procurar a Prefeitura do Rio, para que ela adote a mesma iniciativa. A categoria lembra que na campanha eleitoral de 2012 o prefeito e então candidato, Eduardo Paes, esteve no Sinttel a nosso convite e assinou um Ter-

mo de Compromisso de incluir a obrigatoriedade de pagamento do piso regional nas licitações da Prefeitura. É a hora de cobrar que isso se torne realidade. Nós queremos seguir justamente na contramão da atitude que está sendo tomada pelas empresas de call center, aproveitando-se do fato de que alguns órgãos públicos quererem ajustar os contratos por causa da desoneração tributária. Não dá pra aceitar que as empresas beneficiadas com a redução de impostos queiram reduzir o salário dos teleatendentes. A desoneração de tributos é uma medida para beneficiar a todos, não para prejudicar os trabalhadores. Se as empresas vão gastar menos com impostos, nada mais justo que respeitem o piso salarial. É por isso que estamos brigando.

1.354


Jornal do Sinttel-Rio nº 1354