Page 1

FILIADO À

CUT Boletim Informativo do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado de Goiás Fone: (62) 3227-7900

e-mail: sinttelgoto@uol.com.br

site: www.sinttelgoto.org.br

Nº 26/12 DATA: 19/06/2012

TRABALHADORES APROVAM GREVE GERAL A partir da próxima segunda-feira (25), categoria paralisa as atividades por tempo indeterminado

Em assembleia realizada na última segundafeira (18), os trabalhadores de rede de Goiás rejeitaram, por unanimidade, a proposta rídicula apresentada pelas empresas para a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2012. A categoria também decidiu iniciar GREVE GERAL, por tempo indeterminado, na próxima segunda-feira (25), a partir das 7h30 da manhã. A concentração será realizada na sede do SINTTEL (conforme edital abaixo). A proposta apresentada pelo Sinduscon (sindicato patronal) foi rejeitada porque é insuficiente e não atende às necessidades da classe trabalhadora (confira no verso). Além disso, o acordo proposto não condiz com a realidade do setor. Em outros estados, os trabalhadores de rede conquistaram muitos benefícios após a paralisação geral da categoria. No Distrito Federal, por exemplo, o reajuste no vale-alimentação foi acima de 25%, com pagamento nas férias, e ainda foi incorporada uma cesta básica aos benefícios. Eles também vão receber 80% da locação do veículo durante as férias e terão direito ao plano de saúde Bradesco Flex e PPR (Programa de Participação nos resultados) no valor de R$ 600, dentre outras conquistas. A Alcatel, EGS, GVT, Nextel, Claro e outras

empresas de telecomunicações pagam vale-alimentação acima de R$18 por dia, com cesta básica incluída na maioria delas, e participação de aproximadamente 5% no PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), sendo que nas empresas de rede essa participação é de 18%. Sendo assim, os trabalhadores de Goiás não devem aceitar essa proposta ridícula das empresas. Afinal, com a qualificação que os profissionais têm, não podem obter reajustes abaixo da realidade do setor. É por isso que o trabalhador de rede que não esteve presente na última assembleia deve somar força com seu sindicato durante a greve. Esse é o único meio legal para a categoria conquistar reivindicações que atendam às suas necessidades. E, com a finalidade de legalizar o movimento, o SINTTEL já publicou edital de convocação para a greve na edição desta terça-feira (19), de um jornal de grande circulação no estado. Quanto àqueles que nunca participaram das ações promovidas pelo sindicato, está na hora de lutar junto com as pessoas que sempre lutaram por tudo o que é oferecido hoje pelas empresas. Não fique de fora! A responsabilidade é de todos. E a categoria tem o direito de protestar e fazer uma greve organizada, em busca das conquistas que precisa para ter dignidade e qualidade de vida no trabalho.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO O Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações no Estado de Goiás, no uso de suas atribuições legais que lhe confere o Artigo 29, V, do Estatuto em vigor, CONVOCA OS TRABALHADORES DE REDE DE GOIÁS para participarem de ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a realizar-se no dia 25 DE JUNHO DE 2012 na sede do sindicato (localizada na Avenida Circular, Qd. 126 Lt. 14, Setor Pedro Ludovico, Goiânia-GO), a partir das 7h30, para início da Greve Geral, por tempo indeterminado. Goiânia, 19 de junho de 2012 Joaquim Alves de Castro Presidente - Sinttel-GO


Pag 02

ORELHINHA Nº26/12

Confira abaixo a proposta do Sinduscon (sindicato patronal) para o acordo e tire suas próprias conclusões: # Reajuste: 5,37% para salários, vale alimentação e locação de veículo; # Adicional de periculosidade: a empresa propôs que, no caso de faltas não justificadas, o trabalhador tenha desconto proporcional ao número de faltas; # Banco de horas: foi proposto que a jornada excedente seja compensada em banco de horas. Agora veja abaixo a proposta do SINTTEL e compare: ¢ Data-base: 1º de setembro; ¢ Reajuste salarial: 100% do INPC (índice da inflação) mais 5% de ganho real para salários acima de R$1,100,00; ¢ Vale-alimentação: R$ 21,00, por dia; ¢ Cesta básica: R$ 260,00, por mês; ¢ Aluguel do veículo: R$ 900,00; ¢ Assistência médica e odontológica de qualidade; ¢ Reajuste do pagamento de produção; ¢ Pagamento do vale-alimentação e aluguel do veículo nas férias; ¢ Jornada de 44h semanais, distribuídas de segunda a sexta-feira; ¢ Os trabalhadores também não abrem mão de terem seus salários reajustados com ganho real. Viu só como a proposta das empresas está distante das reivindicações da categoria? O reajuste proposto, de 5.37%, não chega a meio por cento além do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor - que é a taxa de inflação). Além disso, os patrões se recusaram a oferecer os benefícios de aluguel do veículo e vale-alimentação nas férias, que são GESTÃO 2009/2013 PARTICIPE! LUTE!

19/06/22012

as principais cláusulas solicitadas pelos trabalhadores. A proposta é tão mesquinha que as empresas tiveram a ousadia de propor que a jornada de trabalho fosse distribuída em 48 horas semanais, ou seja, quatro horas além da carga horária normal da categoria. Assim, essas horas extras seriam compensadas na semana seguinte. No entanto, a compensação poderiam ser feita em até 30 dias, sendo que as horas fariam parte de um banco de horas. Acontece que a reivindicação da categoria é justamente contrária a isso. Atualmente, parte dos trabalhadores de rede trabalham somente de segunda a sexta-feira e o objetivo do SINTTEL é que essa carga horária seja distribuída a todos. Quanto ao banco de horas: jamais! Sobre a periculosidade, o sindicato sequer cogita a possibilidade de negociar este item, pois trata-se de direito conquistado pela categoria e previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), sobre os quais não cabe modificação alguma por parte das empresas. Na verdade, a diretoria do sindicato discorda de todas as cláusulas propostas pelas empresas, pois entende que elas representam uma ameaça aos direitos já conquistado pelos trabalhadores e precarizam ainda mais as condições de trabalho, impedindo que os empregados tenham uma convivência familiar e social. Diante dessa postura retrógrada dos patrões, os trabalhadores decidiram unir forças, por meio da greve, para lutar por melhores condições de salários e benefícios. Lembre-se: a concentração para a greve será realizada na sede do sindicato, a partir das 7h30 da manhã da próxima segunda-feira (25). Todos deverão estar presentes, pois esta é a única forma de mostrar às empresas que os trabalhadores não vão recuar até verem seus direitos garantidos. Jornalista responsável: Aline Cruz MTB 2573/GO

Orelhinha-26-Greve-Telemont  

Assembleia-convocacao-greve

Advertisement