Issuu on Google+

FILIADO À 3227-7900 sinttelgoto@uol.com.br www.sinttelgoto.org.br

CUT

Boletim Informativo do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações, Telefonia Móvel, Centros de Atendimentos, Call Centers (Centro de Atendimento a Distancia), Transmissão de Dados, Correio Eletrônico, Serviços Troncalizados de Comunicação, Rádio Chamadas, Telemarketing, Projetos de Telecomunicações, Construção de Rede de Telecomunicações, Instalação e Operação de Equipamentos e Meios Físicos de Transmissão de Sinal, Similares e Operadores de Mesas Telefônicas no Estado de Goiás

03/10

DATA:

29/01/2010

OI SINDICATOS UNIDOS EM DEFESA DOS TRABALHADORES E CONTRA A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO TERCEIRIZADO Diretores dos Sinttel´s membros da Federação Nacional dos Trabalhadores em Telecomunicações (Fenattel), dos estados do Acre, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia, preocupados em defender os direitos e benefícios dos funcionários terceirizados da OI, reuniram-se no dia 19 de janeiro - em Campo Grande (MS) - para debaterem sobre as mazelas que os trabalhadores de cada estado sofrem como conseqüência das terceirizações e quarteirizações. Com a compra da Brasil Telecom pela Oi, esta situação - que já era ruim - piorou, pois esta empresa propôs reduzir o valor do contrato para terceirização dos serviços de manutenção das plantas interna e externa, aumentando a precarização, da já tão desgastada, relação trabalhista dos funcionários terceirizados. A Oi está promovendo novo processo de licitação para contratação dos prestadores de serviços em sua rede, mas se recusa a permitir que os representantes sindicais acompanhem essa mudança, em um flagrante desrespeito aos direitos da categoria e à lisura do processo. Com isso, o principal prejudicado é sempre o trabalhador, que só recebe as porradas e os prejuízos no final de cada alteração dos contratos de terceirização. Quando a Oi assumiu a BrT, garantiu aos dirigentes sindicais que não iria aceitar quarteirização. Mas, em seu último golpe, quando questionada sobre a renovação destes processos, afirmou que não havia nenhuma definição sobre os mesmos para o mês de janeiro. No entanto, nos dias 14 e 15 deste mês, a MM Telecom (empresa quarteirizada) já deu aviso prévio a todos seus funcionários, sem comunicar esta decisão aos sindicatos (sorrateiramente na calada da noite). Esta atitude demonstra a habilidade dos patrões em infringir os direitos dos trabalhadores e descumprir os

compromissos firmados com as entidades sindicais. Até o momento foi confirmado apenas que a Alcatel, atualmente terceirizada para a manutenção da planta interna, continuará prestando este serviço. A situação da planta externa permanece sem definição, ficando a Telemont com um contrato temporário. Esta situação dificulta as negociações de acordos e convenções coletivas nas datas base, que começam em maio. Isso tornará ainda mais precária as condições de trabalho da categoria. Afinal, o problema maior do processo de terceirização é a transferência das responsabilidades sobre os direitos dos trabalhadores à outra empresa que nem sempre se preocupa em atender as reivindicações dos funcionários de maneira adequada e justa, sob a alegação dos baixos preços pagos pela operadora nos contratos de terceirização. Além disso, há grande sucateamento da rede, o que demonstra que a Oi não tem compromisso com os assinantes. O pior é que não há nenhuma previsão de investimento para melhorias, fato que aumenta consideravelmente o volume de defeitos. E as empresas ainda insistem em reduzir mão-de-obra, penalizando os trabalhadores que ficam na empresa. Porém, os sindicatos se uniram para evitar que isso ocorra. Mas, para que isso seja possível, é necessário que os trabalhadores lutem com o SINTTEL contra esta tentativa de manipulação da empresa. Todos devem ficar mobilizados e preparados para impedir que ela retroceda com importantes direitos e benefícios que foram conquistados ao longo do tempo e com muita luta, os quais são resultados da união dos trabalhadores e da mobilização dos mesmos com um único objetivo: a preservação e conquista de direitos e benefícios.

Veja no verso a ata da reunião dos sindicatos, com as decisões tomadas pela comissão

Participe. Lute! Unidos somos fortes!


nยบ 03/10

29 de janeiro de 2010


2010 - 73