Page 1

Jornal do

Informativo dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do MPU no MA - Ano XIX - Nº 151 - Jan/2018

ESTES DEPUTADOS JÁ VOTARAM PARA RETIRAR SEUS DIREITOS TRABALHISTAS

ALBERTO FILHO PMDB

ZÉ REINALDO PSDB

ALUÍSIO MENDES PODEMOS

JUNIOR MARRECA PEN

ANDRÉ FUFUCA PP

JUSCELINO FILHO DEM

CLEBER VERDE PRB

HILDO ROCHA PMDB

PEDRO FERNANDES VICTOR MENDES PSD PTB

ELES ESTÃO JUNTOS COM TEMER PARA ATACAR

JOÃO MARCELO SOUZA PMDB

SARNEY FILHO PV

WALDIR MARANHÃO PTDOB

SUA APOSENTADORIA:

VENHA PARA A LUTA E NÃO PERMITA ISSO! VEJA O QUE VOCÊ PODE PERDER CASO ELES APROVEM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA: •

Como aconteceu com a reforma trabalhista, que serviu para impedir que o trabalhador acesse seus direitos e oficializa a possibilidade de ele receber menos de um salário mínimo, a reforma da Previdência irá impedir que a maioria dos brasileiros se aposente: Para garantir o benefício integral a que teria direito, o trabalhador terá que contribuir por 40 ANOS com a Previdência, e ter, no mínimo, 65 ANOS DE IDADE. A trabalhadora terá que ter no mínimo 62 ANOS DE IDADE, e ter trabalhado os mesmos 40 anos. Caso atinjam a idade e não tenham acumulado 40 anos de contribuição, o benefício será proporcional, podendo ser de pouco mais da metade do que teria direito (60% do benefício). Isso não leva em conta a expectativa de vida que varia entre as regiões do país - o Maranhão é o Estado com uma das mais baixas expectativas de vida - nem a dificuldade para

se manter um emprego, que é o que assegura a contribuição ao INSS.

• •

As regras de transição AUMENTAM o tempo previsto para que os trabalhadores se aposentem. Professores, servidores públicos e pensionistas do INSS estão entre os mais atingidos, mas as regras pioram a aposentadoria de todos. A ideia de combater privilégios não se sustenta: quem diz que está combatendo é beneficiado, como políticos corruptos e sonegadores, como os grupos de mídia que a todo dia anunciam que a reforma é inevitável. Os trabalhadores devem se unir para barrar todos os ataques dessa turma aos seus direitos!

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: SE VOTAR, NÃO VOLTA! (adesivo da campanha disponível na Sede do Sindicato)


Em Assembleia, servidores avaliam manutenção das ações unificadas com outros trabalhadores para barrar ataques do Governo A Assembleia Geral realizada pelo Sintrajufe às vésperas do recesso do Judiciário (14 de dezembro) serviu para demonstrar que a categoria deve seguir alerta para defender a Previdência, o serviço público e os direitos sociais. Na ocasião, foi fechada questão quanto a continuidade da sua participação nas ações unificadas com outras categorias e realização de atos contra a reforma da Previdência, para pressionar os deputados a votar contra a proposta. Mesmo avaliando que a votação ficaria para o ano que vem, como acabou acontecendo (havia possibilidade de ser votada ainda antes do final de 2017), os servidores julgam imprescindível manter a mobilização. Dessa forma, resolveram realizar ainda um ato público no dia 19 de dezembro em frente à Sede da Justiça Federal, ao qual compareceram vários servidores. Outras ações foram feitas nesse período por outras categorias para manter a mobilização, que deve ser fortalecida ainda este início do ano para lembrar aos deputados: se votar, não volta!

SOLIDARIEDADE: Prosseguem doações à Biblioteca comunitária idealizada por servidora da Justiça do Trabalho

Como publicado em nossa última edição, Telma Brito, servidora da Justiça do Trabalho, coordena um projeto social na Vila Maranhão, zona rural de São Luís: é a Biblioteca Comunitária “Vale ler, Ana e Joaquim!”. Ela continua recebendo doações em forma de brinquedos e livros infantis a serem distribuídos na região e que também comporão o acervo da biblioteca e da brinquedoteca do Projeto. Todos podem se unir a essa iniciativa, entregando as doações para Telma, na Primeira Vara Trabalhista, no Fórum Astolfo Serra, na Areinha, em São Luís (contatos pelo telefone 2109 9470)!

2

Jornal do Sintrajufe 151 - JAN/2018

EXPEDIENTE O Jornal do Sintrajufe é uma publicação do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal e do MPU no Maranhão - SINTRAJUFE/MA - Ano VXIII Nº 151 - Jan/2018. Sede Administrativa - rua de Santaninha, 100 - Centro - São Luís 65010-580 E-mail: atendimento@sintrajufema.org.br Site: www.sintrajufema.org.br Fone: (98) 3232 6023 Para se cadastrar no grupo de WhatsApp do Sindicato, enviar e-mail com número do telefone. Informes Sintrajufe via e-mail Para receber o Sintrajufe Extra On Line, enviar e-mail e logo entrará na lista do Sindicato. Toda quarta-feira tem Plantão da Assessoria Jurídica na Sede Administrativa do Sindicato: Entre em contato com a Secretaria do Sindicato para agendar: secretaria@sintrajufema.org.br SINTRAJUFE/MA Gestão “Resistência, Unidade e Luta” 2016-2019 Coordenação Geral: Liliane Melo (Eleitoral de Paço do Lumiar), Saulo Arcangeli (MPU), José Joaci (Oficial de Justiça/Justiça Federal) Coord. Adm e Finanças: Francisco Emerson S.Costa (Eleitoral) e João Marcelo (MPU) Coord. Políticas Sociais: Terezinha Souza (JT/F. Astolfo Serra) Esporte e Lazer: Raimundo Castro (Eleitoral) e Epaminondas dos Santos (Agente Segurança Justiça Trabalhista) Assuntos Jurídicos: Fidélis Santos (Eleitoral) Formação Política: José Raimundo Santos (F.Astolfo Serra) Comunicação e Cultura: Gisélia Castro (TRT) SUPLENTES: Francisco Florêncio (JF), Fabiana Mendes Paiva Brito (TRE), Denise Reis (Astolfo Serra) Conselho Fiscal: Marlon Freire, Paulo Roberto e Telma Maria Matos Brito Diretoria de Base: Maria Suely (TRT) Enésio José Matos (TRE) Vanessa Neiva (Fórum Eleitoral) Jesuélio Wolff (Procuradoria República) Francisco Fontenele (PRT) Luciano Linhares (JF Imperatriz) Walber Cruz Leão Filho (Proc.Repúb.) Luiz Arnon Milhomem (VT Açailândia) Carlos Eduardo Pereira (JF Bacabal) Jornalista Responsável: Claudio Castro- MA00671JP Tiragem: 1200 exemplares


TRABALHADORES ENCERRAM 2017 MOBILIZADOS CONTRA REFORMA DA PREVIDÊNCIA CSP-CONLUTAS chama demais centrais a organizar nova GREVE GERAL caso a PEC287 entre em votação e alerta:

SE BOTAR PRA VOTAR O BRASIL VAI PARAR No dia 05 de dezembro diversas categorias de trabalhadores saíram novamente às ruas de forma unificada contra o desmonte do Estado Brasileiro, a destruição dos serviços públicos e a retirada de direitos sociais. Essas são as bandeiras que unificam judiciários, previdenciários, professores, técnicos, estudantes, donas-de-casa, pedreiros, enfim, aqueles e aquelas que a cada dia dão literalmente o sangue e o suor do seu trabalho e que também, a cada dia, veem seus direitos ameaçados sob a falsa justificativa do governo e das redes de TV de que é preciso diminuir (pra não dizer destruir) o serviço prestado à população para gerar lucros para os bancos pois isso significaria aumentar a credibilidade do Brasil, como se isso adiantaria alguma coisa caso nada restasse à população.

Em 2017 mais de uma dezena de grandes mobilizações ocorreram pelo país, em que se destacaram as realizadas no 8M - 8 de março, Dia Internacional da Mulher, seguidas da greve geral de 28 de abril - a maior greve da história do país - e da ocupação de Brasília em 24 de maio - a maior ocupação de Brasília já feita por trabalhadores, com mais de 100 mil pessoas enfrentando todo o aparato policial. Infelizmente, no dia 30 de junho, na segunda greve geral marcada, houve recuo das direções nacionais das centrais (CUT, Força Sindical, CTB, entre outras), algumas tentando fechar acordo com o governo Temer para a volta do imposto sindical e outras priorizando as eleições diretas para presidente, facilitando a vida do Temer para aprovar a Reforma Trabalhista. No dia 5 de dezembro, em São Luís, houve nova ocupação da Barragem do Bacanga e atos nos órgãos do Judiciário Federal, além de ações em unidades

da Previdência, do IFMA e da UFMA em outras cidades, acompanhadas de atos públicos junto a outras categorias. Nessa data, A CSP-Conlutas, mesmo com o recuo de grandes centrais como CUT e Força Sindical, buscou manter a mobilização em vários estados. Para 2018, a ordem é manter a mobilização, pois os ataques não param: além do risco da aprovação da reforma da Previdência, para a qual a CSP Conlutas, central a qual o SINTRAJUFE é filiado, já chamou as demais centrais a organizarem juntas novamente grande greve geral na data que for pautada a reforma - prevista para dia 19 de fevereiro. Há ainda a questão dos cortes de salários no serviço público, através do adiamento de parcelas de reajustes previstas em lei e do aumento da contribuição previdenciária (nesta questão, tais medidas somente não foram adotadas pelo governo ao final do ano em razão de liminar concedida pelo ministro Lewandowski, mas o governo deve retomar a tentativa logo em breve) e o PLS 116/17 que quebra a estabilidade no serviço público. Também tem a promessa do governo Temer ao mercado de enviar uma reestruturação das carreiras do serviço público para retirar benefícios e CARMEN LÚCIA RECEBE alterar tabelas de remuneração. REPRESENTANTES DA CATEGORIA Em razão de tantas ameaças que, para piorar, são vendidas a toda hora na TV como algo benéfico com o intuito de jogar a população contra os servidores e quebrar a unidade dos trabalhadores na luta, é hora não apenas de manter, mas aumentar urgentemente o estado de mobilização: participe das Assembleias e filie-se ao seu sindicato imediatamente a fim de somar forças nessas lutas urgentes!

Sintrajufe, desde 1991 organizando a luta dos trabalhadores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Estado do Maranhão

Em dezembro, a presidente do STF e do CNJ, ministra Carmen Lúcia, recebeu representantes da Fenajufe para tratar de pautas específicas da categoria. Saulo Arcangeli, da coordenação do SINTRAJUFE, participou da reunião como membro da diretoria da Federação. No encontro foi tratada a necessidade de se retomar os trabalhos da Comissão de Carreira (que já conta com itens de consenso, como ingresso de nível superior para técnicos) e se avançar em outros pontos, como a questão salarial, já que a última parcela de um acordo rebaixado integraliza em 2019; a jornada de 30h e a necessidade de se evitar o esfacelamento da carreira, não criando carreiras específicas nos tribunais superiores. Emergencialmente, apontou-se a necessidade de atualização dos valores de benefícios (auxílios saúde, creche, alimentação, diárias), já que existia orçamento, conforme estudo do assessor econômico Washington Luiz, do Sintrajud, para reajustar benefícios retroagindo a janeiro/17 . A ministra ficou de analisar os assuntos durante o recesso e retomar o contato com a Federação logo após a retomada dos trabalhos. Jornal do Sintrajufe 151 - JAN/2018

3


MOMENTOS DA CONFRATERNIZAÇÃO DE FINAL DE ANO!

Participe do seu Sindicato!

SIGA-NOS NAS REDES, ACESSE NOSSO SITE E CADASTRE-SE PARA RECEBER NOSSAS MENSAGENS

www.facebook.com/sintrajufema

@sintrajufema

atendimento@sintrajufema.org.br 2

acesse:

envie-nos um e-mail e se cadastre para receber nossas notícias

www.sintrajufema.org.br

Profile for Sintrajufe Ma

Jornalsintrajufe151  

Jornal do Sintrajufe Maranhão - ed. 151 - jan/2018

Jornalsintrajufe151  

Jornal do Sintrajufe Maranhão - ed. 151 - jan/2018

Advertisement