Page 1

U S TRAF Ano XVII - Nº 270 - 25/10/2012

Jornalista Responsável: Francisco Medeiros - MTE/SP 14.904

- Editorial -

Caros companheiros e companheiras A campanha salarial deste ano está se tornando um evento cheio de surpresas sob vários aspectos; a começar pela pauta da empresa que tem quase tantos itens quanto a nossa. Esta situação lembra o dito popular do “bode na sala”, onde alguém reclama da situação em que vive e o terapeuta recomenda que seja colocado um bode fedorento na sala durante 15 dias. Depois o bode é retirado e fica uma sensação de alívio, como se tudo tivesse melhorado na vida da pessoa. Sobre a nossa negociação, ainda estamos aguardando qual vai ser a atitude da empresa depois de duas rejeições. Mas como dissemos acima, a situação parece com o caso do bode. Pelo jeito, a Souza Cruz está tão segura das suas análises e do poder que tem, que parece querer colocar vários bodes na negociação. E não é para retirar depois não! É para que nós ainda fiquemos satisfeitos de cuidar dos bodes dela. Bem, deixemos de lado essa seção do globo rural, para discutirmos de outra forma. A maioria dos trabalhadores da fábrica – aí incluídos muitos que estão nos grupos 24 a 26 – reprovaram a proposta da empresa por vários motivos: - Alguns por acharem pouco atraente o ofertado, pois 9% ou 10% em um salário baixo continua sendo pouco; - A maioria não aceita perder o aviso prévio extra (APAC); - A maioria não aceita o fim do fracionamento das férias (15x15);

- Os que estão para se desligar da empresa querem aumento na base para aumentar a indenização; - Alguns trabalhadores dos grupos 28 a 33 não gostaram de ficar de fora do enquadramento – além do mais, num passado recente, estes grupos já estiveram 20% acima do mercado; - Por fim, alguns rejeitaram a proposta por solidariedade e contra a divisão dos trabalhadores, contra a “parada da fábrica”, contra o arrebanhamento dos colegas como se fosse gado tangido para a assembléia, contra o patrulhamento e a cara de pau de certos coordenadores que, abusando do direito de participar da assembléia, vêm observar como se comportam os colegas de trabalho, para depois “vendê-los” covardemente. Enfim, não dá para cercar todos os motivos. O fato é que acreditamos no bom senso e esperamos melhor análise da empresa neste momento, mesmo porque estamos vivendo um momento nacional de valorização dos trabalhadores, bem diferente do tempo em que os trabalhadores que tinham emprego queriam ser “invisíveis” para se livrar do facão. Depois da assembléia, alguns trabalhadores têm questionado: “será que a empresa vai retaliar?”, “Será que a empresa vai só trocar os números de lugar?” Nós sinceramente esperamos que ela tenha mudado, porque hoje, como dissemos, é diferente de ontem, e o mercado está muito propício a quem, além de um trabalho, também almeja dignidade.

Por outro lado, percebemos que a empresa tem dificuldades nos procedimentos de natureza política com os trabalhadores porque a mesma parece que entregou o grosso das decisões ao departamento jurídico e esse pessoal vê inimigo em tudo. Um gerente só gerencia se for acionado remotamente por um advogado. Vamos aguardar, acreditando que nosso gesto contribui para que a empresa seja melhor do que é. E não aceitando o padrão de mercado que a Souza Cruz quer para nós enquanto exige diariamente um padrão de excelência para ela. Por fim fazemos um convite para que todos os sócios do sindicato façam seu recadastramento ou se associem, aqueles que ainda não o são. Sindicato é isso pessoal, um órgão coletivo que existe para organizar e defender os que são assalariados. Como todos podem perceber, ele se faz necessário tanto em empresas ruins como nas que se dizem boas. Romualdo Bezerra p/ Sintraf.

Lucro do 3º trimestre A Companhia divulgou seus resultados preliminares. A Souza Cruz reportou um lucro líquido de R$ 1,258 bilhão até setembro deste ano, o que corresponde a um crescimento de 6%, na comparação com o mesmo período do ano passado. O lucro operacional consolidado atingiu R$ 1,811 bilhão, alta de 7%, por influência do desempenho do segmento cigarros e fumo exportação.


2

S

U TRAF

Informativo nº 270

Campanha de Sindicalização 2012 Fortaleça seu sindicato e concorra a vários prêmios Veja como é fácil participar: Você não é sindicalizado? Sindicalize-se: preencha a ficha de sindicalização ao lado e entregue para um dos diretores do Sintraf ou na secretaria do sindicato. Você já é sindicalizado? Recadastre-se: use a ficha de sindicalização ao lado e entregue para um dos diretores do Sintraf ou na secretaria do sindicato. Período da campanha 25/10/2012 até 14/12/2012 Sorteio dos prêmios Segunda quinzena de dezembro, na sede do SINTRAF. Aberto a todos os trabalhadores sindicalizados.

2 câmeras digitais

2 smartphones

2 Tablets

1 TV 42" LED

2 Notebooks

SORTEIO EXCLUSIVO PARA OS TRABALHADORES SINDICALIZADOS (NOVOS E ANTIGOS). ATENÇÃO: AS FOTOS ACIMA SÃO MERAMENTE ILUSTRATIVAS.

Algumas perguntas e respostas para saber o que é sindicato Você sabe realmente o que é sindicato? Existe trabalhador que acha que sindicato só serve para arrancar o imposto sindical da gente. Outros acham que sindicato é um “cabide de emprego” ou que só existe para jogar “água na fervura” na hora que a situação fica quente na fábrica... Ambas as visões têm uma coisa em comum: o trabalhador parece não ter nada a ver com o sindicato. No máximo, ele usa o salão de cabeleireiro ou outro serviço, mesmo assim se ficar sócio da entidade e pagar mais uma taxa. Mas será que sindicato é isso mesmo? Será que todo sindicato é igual? Sindicato é uma coisa muito diferente... Na verdade, o sindicato não pertence nem ao governo, nem aos patrões, nem à sua diretoria. Ele é a união permanente dos trabalhadores de uma mesma empresa ou de várias empresas, regido por um Estatuto e criado para defender os seus interesses, quer sejam eles econômicos, morais, sociais ou políticos. Por que então os sindicatos ficaram tão mal vistos? O tipo de sindicato de que falamos no início realmente existiu (e ainda existe). Esse tipo de sindicato, chamado de “pelego” ou “corporativista”, foi criado por Getúlio Vargas, por volta de 1930, para controlar as lutas dos trabalhadores. Sua principal característica é ser atrelado ao Estado (antigamente era submetido às ordens do Ministério do Trabalho, hoje obedece ao governante de plantão); ser ‘‘assistencialista’’ (prioriza a prestação de serviços, como corte de cabelo, tratamento dentário, convênios etc); ter uma estrutura anti-democrática (tem horror a trabalhador ‘‘sindicalizado’’); e ser inteiramente dependente do imposto sindical recolhido e distribuído pelo governo (além de criar uma porção de taxas e contribuições compulsórias, sem o conhecimento ou aprovação dos trabalhadores).

E o Sintraf? Que tipo de sindicato é? O Sintraf foi criado em 1994, por iniciativa dos trabalhadores da Souza Cruz. O Sintraf é hoje um sindicato moderno e democrático, onde todas as deliberações importantes são tomadas em Assembléia Geral, com a participação de todos os interessados. E onde a direção do sindicato é eleita de maneira democrática, com a participação de todos os trabalhadores sindicalizados. O Sintraf é filiado a alguma central sindical? O Sintraf é filiado à Central Única dos Trabalhadores - CUT desde a sua criação. A CUT foi fundada em 1983 com o objetivo de ser uma central sindical classista, autônoma e organizada pela base. A sua proposta é defender os interesses da classe trabalhadora como um todo e não apenas de uma ou outra categoria de trabalhadores. Por isso, a CUT não substitui o sindicato nas negociações com as empresas. Mas ela defende, em nível nacional, estadual e regional, os interesses de todos os trabalhadores que fazem parte dos sindicatos a ela filiados. Para quê serve o sindicato, então? Os trabalhadores dependem exclusivamente do seu salário para sobreviver. Quando estão isolados, eles ficam completamente dependentes dos patrões. O sindicato serve para organizar os trabalhadores e para por fim a este isolamento. Serve para acabar com a fragilidade do trabalhador frente à exploração patronal. O papel do sindicato é ajudar os trabalhadores a discutirem os problemas que enfrentam nos seus locais de trabalho e acharem soluções. É ele que representa os trabalhadores nas negociações e convenções coletivas, que garantem condições mais humanas nas relações entre trabalhador e empresa.


U S TRAF

FENTIFUMO / CONTAC

SINDICATO FILIADO

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DO FUMO DE UBERLÂNDIA

PROPOSTA DE SINDICALIZAÇÃO

PARA USO DO SINTRAF

/ matrícula sindical

matrícula na empresa

/

data de admissão no sindicato

DADOS CADASTRAIS nome

nome da mãe

/

/

data de nascimento

sexo

RG

estado

natural de

CTPS

estado civil

/

série

estado

estado

PIS

cargo na empresa

/

ramal

Intermediária equipe de folga

turma

data de admissão na empresa

DADOS PARA CORRESPONDÊNCIA endereço residencial (rua, av. pça. etc)

complemento (casa, andar, apto. etc)

bairro

cidade

estado

email pessoal / celular

/

Uberlândia,

/

local e data

assinatura

FENTIFUMO / CONTAC

SINDICATO FILIADO

telefone

cep

visto da diretoria

U S TRAF

AUTORIZAÇÃO PARA DESCONTO EM FOLHA DE PAGAMENTO

De conformidade com a legislação vigente, autorizo a empresa a descontar na folha de pagamento a minha mensalidade como associado do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Fumo de Uberlândia - SINTRAF.

nome

Uberlândia,

/ local e data

matrícula na empresa

/ assinatura

O que faz um sindicato forte é a participação da sua base!

Sindicato fraco...

Sindicato forte!


DEPENDENTES NOME

DATA DE NASCIMENTO

/ / / / / / / / /

GRAU DE PARENTESCO

/ / / / / / / / /

Preencha esta ficha para recadastramento ou sindicalização e entregue para um dos diretores do SINTRAF ou na secretaria do sindicato

Arcivaldo Ferramentaria 3ª Turma - Equipe A

SINDICATO FILIADO

Reginaldo SMD 1ª Turma - Afastado

Sebastião Mauro PMD 2ª Turma - Equipe C

U S TRAF

Jeosmar Manutenção SMD Intermediária

FENTIFUMO / CONTAC

Walterson SMD 1ª Turma - Equipe C

Jorge Engenharia 3ª Turma - Equipe A

José Arnaldo Expedição 3ª Turma - Equipe B

Romualdo Seção de Filtros Liberado p/ SINTRAF

Eliane SMD 2ª Turma - Equipe C

Ulisses SMD 3ª Turma - Equipe C

Jeferson (Loirinho) SMD 3ª Turma - Equipe B

DIRETORIA SINTRAF GESTÃO 2010 / 2013

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DO FUMO DE UBERLÂNDIA

Boletim 270  

Boletim informativo numero 270

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you