Issuu on Google+

SINTONIA R E V I S TA

Lago Sul - Brasília Edição 165 - Fevereiro/2012

Atualidades e fé

Papa visita Cuba A ilha caribenha que já foi lugar de hostilidade à fé acolhe o pastor universal da Igreja pela segunda vez

Big Brother

Saúde Pública

Novo Cardeal

Rádio FM


Colégio Nossa Senhora do Perpétuo Socorro Fazendo história, acompanhando a tecnologia

www.perpetuosocorro.com.br

A geração atual já nasceu sob influência da tecnologia e a encara com a maior naturalidade, tem acesso a diferentes recursos tecnológicos em casa e um mundo de informações pela internet, e isso não pode ser ignorado. É por isso que o Colégio Nossa Senhora do Perpétuo Socorro busca e programa meios para atender aos anseios das "crianças e jovens digitais", conectando todos às redes sociais, website e mobilesite. Fazer parte dos tempos modernos não depende apenas de novas tecnologias, mas de como gerenciá-las para dar sentido à produção de conhecimento. Enriquecendo o ambiente educacional, propiciando a construção de conhecimentos por meio de uma atuação ativa, crítica e criativa. Com tantas novidades na área e a contínua valorização das tecnologias da informação e comunicação, o Perpétuo utiliza, também, lousas interativas e o novo sistema de livros digitais. É de vital importância para nossa instituição de ensino a inserção no mundo globalizado, portanto, todo usuário de Tabletes e Smartphone pode adicionar nosso ícone na tela do seu aparelho móvel e acessar nossa página com todas as informações sobre o colégio, tarefas, desempenho do aluno, informativos, comunicados, fotos e vídeos, de onde estiver.


Sintonia. Fevereiro 2012

N

3

ossa revista paroquial volta às edições normais depois de dois números especiais. Em dezembro, para homenagear o saudoso Papa João Paulo II, proclamado beato no mês de maio, bem como para ajudar a todos na meditação necessária sobre o sentido do Natal, resgatamos trechos de todas as homilias pronunciadas por ele durante os 27 anos do seu pontificado. Em janeiro, para celebrar o terceiro ano do falecimento do Pe. Júlio Negrizollo, líder inesquecível da comunidade, trouxemos textos sobre vários temas redigidos por ele durante o ano do seu noviciado. Agora, ao retomar a publicação normal, decidimos promover duas mudanças: uma na periodicidade, que passará a ser mensal; e outra no conteúdo editorial da revista, que foi dividido em duas partes, de modo que metade das matérias cubra a vida interna da comunidade e a outra metade seja preenchida com o olhar sobre os grandes assuntos da sociedade. Nesta segunda parte, nossa atenção está voltada para o trabalho realizado na Rádio Lago Sul FM

e para a participação de Antonio Augusto dos Reis Veloso com resenhas de livros interessantes. Na evangelização, razão de ser da Igreja, precisamos nos convencer sempre mais de que não é somente nos templos que se realiza o anúncio esperançoso da nossa fé. É preciso nos entregar inteiramente aos valores explícitos e implícitos do testemunho e da palavra de Cristo presentes no mundo, nos fatos, nas pessoas. Aqui na paróquia, na rádio mantida pela associação criada pelo Pe. Júlio, na revista paroquial e em qualquer outro espaço, tudo deve nos levar a refletir sobre a nossa vida, crescer na fé, melhorar nossa consciência sobre o mundo e aprofundar nossa fidelidade ao Evangelho. Nossa equipe de missionários redentoristas despediu-se, agradecida, do Ir. Michael Goulart, que foi trabalhar em Goiânia; e recebemos dois novos membros: o Pe. Vanilson e o Ir. Diego. Boa leitura! Missionários Redentoristas

Nova linha editorial


4

Sintonia. Fevereiro 2012

SUMÁRIO Cuba

O povo cubano recebe o Papa no próximo mês depois de mais 50 anos da revolução que conduziu o país ao regime comunista Pág. 6

Big Brother

Fernando Antunes, irmão do Zico, primeiro entrevistado da Rádio Lago Sul FM

As últimas confusões do reality show obrigam a colocar em debate a responsabilidade do público no sucesso desse tipo de programa Pág. 7

Protestos saudáveis

Catequese

A coordenação da catequese preparou o programa de formação para catequistas para o mês de fevereiro e inclui a Semana Catequética do Setor

Já foram realizadas duas edições da corrida contra a corrupção em Brasília e o fato mostra que se pode fazer protestos de modo mais saudável Pág. 8

Pág. 11

Que rádio é essa?

Campanha da Fraternidade

Dona Terezinha Blayer conta as motivações que levaram um grupo de paroquianos a formar uma associação e a se candidatar ao trabalho de radiodifusão Págs. 9 e 10

Na espiritualidade quaresmal sobressai o chamado à conversão que pede mudanças no acesso a saúde pública em todo o Brasil Pág. 16

A arte do Café

O desfile de Páscoa

Até chegar à xícara, a preparação do café percorre um itinerário que exige dedicação e extremo cuidado Pág. 10

Antonio Augusto Reis Veloso brinda o leitor com um aceno muito interessante sobre o conteúdo de um livro novo Pág. 22

SINTONIA R E V I S TA

Endereço: SHIS EQ QL 6/8 Conjunto A CEP 71620-400 Brasília/DF Fone: (61) 3248-0430 Jornalista responsável:

Pe. Rafael Vieira, C. Ss. R. (JP0180GO) Colaboração:

Maria Helena T. Hermida, Diogo Junio e Sônia Fernandes Fotografia:

Copyright free da internet Arquivo paroquial Agência Brasil - EBC Diagramação & Arte:

Carlos Augusto Carvalho Revisão:

Marcia Lyra Nascimento Egg Impressão: Scala Editora


Sintonia. Fevereiro 2012

5 CAPA

A ilha caribenha que foi lugar de hostilidade à fé acolhe o pastor universal da Igreja pela segunda vez

Visita do Papa a Cuba O

embaixador de Cuba junto ao Vaticano, Eduardo Delgado Bermúdez, assegurou que ‘a máxima aspiração’ dos cubanos é que o Papa Bento XVI ‘deixe Cuba contente com a visita, feliz como o Beato João Paulo II’. Em diálogo com o grupo ACI no Vaticano, em 18 de janeiro último, o diplomata explicou que a viagem do Papa - prevista para os dias 26 a 28 de março - ‘tem uma grande importância para a região, para a América Latina, e Cuba’. O embaixador assegurou que na ilha esperam o Papa ‘com alegria, com afeto, com respeito, todos os cubanos e incluindo o governo, com muita alegria e com muito respeito’. ‘Para as autoridades vai ser uma oportunidade de receber o chefe da Igreja Católica, o Supremo Pontífice, e de conversar. Penso sempre que o efeito vai ser positivo no marco de uma relação entre o Estado, o Governo e a Igreja em Cuba, e com a Santa Sé’, acrescentou. Delgado recordou os frutos da histórica visita que o Beato João Paulo II fez à ilha em 1998. Foi ‘o primeiro Papa que visitou Cuba e foi um marco nas relações com a Igreja. Por exemplo, um resultado daquela

visita é que o Natal voltou a ser um feriado institucionalizado na nação’. ‘O resultado da visita de João Paulo, que deixou nele um rastro muito profundo, como o confessou em testemunhos que deixou posteriormente, deixou também em Cuba um rastro muito importante’, indicou. Uma delegação do Vaticano chegou ontem a Cuba, para continuar os preparativos da visita que o papa Bento XVI fará ao país em março, anunciou a Chancelaria cubana. O Pontífice chegará em 26 de março a Santiago de Cuba para uma viagem que terminará em Havana, no dia 28. De acordo com uma nota publicada no site do Ministério das Relações Exteriores, o coordenador de Viagens Apostólicas, Alberto Gasbarri, lidera a delegação. Em sua segunda viagem pela América Latina, o Papa também visitará o México. A primeira vez que Bento XVI esteve no subcontinente foi em 2007 para participar da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, realizada no Brasil. As informações são do Serviço de Informação Religiosa da Conferência Episcopal Italiana.


Pe. Rafael

Vieira

6

Sintonia. Fevereiro 2012

pároco e jornalista profissional

Big Brother V

amos, todos, deixar de hipocrisia: um programa sensacionalista de TV que já ganhou 12 edições, com audiência suficiente para garantir, ano a ano, recordes de faturamento, não pode, do ponto de vista moral, ser de responsabilidade estrita e exclusiva da empresa que o coloca no ar. De algum modo, os milhões de telespectadores do Big Brother Brasil são “cúmplices” daquilo que ocorre no âmbito dessa idiota aventura televisiva. E não somente o cidadão que gasta seu tempo vendo o movimento dos corpos desnudos e a sucessão de conversas fúteis, mas também a imprensa que repercute cada detalhe, por mais estúpido que seja, em colunas e em páginas – cada vez mais numerosas – que se ocupam em cobrir entretenimento e o chamado mundo das celebridades. Quando se teve notícia, de maneira mais ampla pelo mundo afora, do aparecimento desse formato de programas televisivos chamados de reality shows, há mais de uma década, eu tive a oportunidade de fazer uma longa investigação sobre o fenômeno. Tive uma experiência concreta com a preparação da primeira turma que protagonizou o programa da Rede Globo. Em seguida, li mais de 150 textos a respeito do assunto, incluindo matérias, artigos e entrevistas em português, inglês e italiano. Naquela época, a sensação da chegada desse tipo de

produção causava certa perplexidade. Havia duas ideias instigantes na receita: o conceito de “grande irmão” que observava e controlava tudo, como na ficção crítica sobre o regime do Leste Europeu de George Orwell em seu livro “1984” e as reações que um grupo de seres humanos pode ter em condições de privação e confinamento. Parecia, naquele tempo, algo merecedor de atenção e estudo. O tempo passou e virou tudo um jogo, sujo. O show é de péssima qualidade, e a nossa responsabilidade está no fato de fazermos parte da audiência capaz de garantir financiamento da produção. Um programa que não dá lucro se encerra sem olhar para o conteúdo. Sem moralismo, a única medida capaz de dar uma resposta a tudo o que o BBB tem representado e que, nesta semana, tem sido levantado com gritos de repúdio é mudar de canal. Ainda fico com uma opinião interessante que encontrei na época da minha pesquisa em 2001 e foi emitida por Carlos Heitor Cony: “as realidades que eles mostram não me interessam. Não me comovo com elas, nem me revolto pelo fato de um cara dormir de boca aberta ou fechada, de determinada mulher ser assim ou assado. A realidade desses programas é óbvia, e a interação que provocam, excitando o público a torcer por um ou outro, é primária. Ou como se dizia antigamente: ‘coisa de quem não tem o que fazer’”.


8

Sintonia. Fevereiro 2012

PROTESTOS SAUDÁVEIS

Correr contra a corrupção Aparecem modalidades novas de protesto que, além de passarem mensagens sérias, valorizam a saúde dos manifestantes

J

Valter Campana/Abr

A Esplanada dos Ministérios sediou a 1ª Corrida contra a Corrupção, evento com o objetivo de chamar a atenção da população para a importância do controle social sobre o uso do dinheiro público

á se realizaram duas edições nos últimos dois anos. A corrida contra a corrupção tem apoio tanto do governo como de organizações não governamentais. Os participantes aprovaram a iniciativa. Esse tipo de protesto muda as tradicionais cenas mais sisudas, às vezes agressivas, de se manifestar contrariedade a respeito de irregularidades na vida pública. Esse

novo tipo de protesto não destoa da seriedade do grande movimento contra a corrupção que teve grandes manifestações em 2011. No ano passado, a Ordem dos Advogados do Brasil, a Associação Brasileira de Imprensa e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil reuniramse com senadores do movimento contra a corrupção e a impunidade e pensaram formas de engajar a sociedade na questão. Em matéria publicada pela Agência Brasil, o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, considerou importante que as entidades e os políticos aproveitassem

aquele momento de mobilização social para chamar a atenção para temas de combate à corrupção, que ainda geram baixo engajamento popular. Entre esses temas que as organizações elegeram como importantes nos debates a respeito do combate à corrupção estão: o fim do voto secreto no Congresso Nacional, a celeridade no julgamento de casos de corrupção, o fim de emendas parlamentares individuais, a redução de cargos comissionados, a transparência nos gastos públicos e a declaração imediata da constitucionalidade da Lei da Ficha

Limpa, que aguarda julgamento definitivo no Supremo Tribunal Federal. A ideia é que essas demandas componham uma carta de princípios. “Na mobilização pela aprovação da Lei da Ficha Limpa, já tínhamos uma lei em tramitação para dar um respaldo jurídico à demanda. Agora queremos que essas demandas também não fiquem em um campo vago. Queremos a mobilização popular na Marcha contra a Corrupção, mas estamos preocupados com o day after, em como colocar esses projetos para andar”, disse Ophir.


GRUPO SANTA HELENA

Sintonia. Fevereiro 2012

9

O Grupo Santa Helena oferece serviços terceirizados para você ter tranquilidade em seus negócios. Por que terceirizar com o Grupo Santa Helena?

43

Anos de experiência

24h

Central de Atendimento

Portfólio

Grandes redes varejistas e atacadistas, condomínios comerciais e residenciais e hospitais de referência.

Terceirizamos

Soluções em Segurança, limpeza e conservação, apoio administrativo e operacional, dentre outros.

www.gruposh.com.br

Projetos Personalizados

Telefone: (61) 3252-0002 Quadra 01 Conj. ‘B’ lote 12 Núcleo Bandeirante e-mail: comercial@gruposh.com.br


10

Romoaldo de

Souza

Sintonia. Fevereiro 2012

editor do blog Café & Conversa

Para um bom entendedor, uma xícara só, não basta! C om exceção do vinho, não conheço outro alimento que demande tanto trabalho artesanalmente especializado quanto o café. A primeira etapa é a escolha do local onde será plantado o cafezal. O terroir (termo importado do cultivo das vinhas) precisa apresentar

características como altitude, mineralidade do solo, umidade do ar e a qualidade da água. Em seguida, é preciso escolher o tipo de café a ser plantado, que são basicamente dois: o Robusta e o Arábica. O cafeicultor ainda terá que contar com o clima, a quantidade de chuva, a quantidade de sol, a ocorrência de pragas etc. Tudo isso até o dia ideal da colheita. O principal aspecto dessa etapa é que o fruto do café deve ser colhido maduro e jamais tocar o

solo. Além disso, esse tipo de colheita estende-se por dias e até semanas, pois os frutos ainda verdes continuam no pé amadurecendo e aguardando serem colhidos. A etapa seguinte é a despolpação, que é feita de duas maneiras: secagem ao sol e meia estufa ou em água. No Brasil, utiliza-se a secagem ao sol com meia estufa, uma cobertura deslizante para proteger da chuva. Uma pequena quantidade de grãos é torrada em graus diferentes. Nesta etapa, que

já está sendo considerada uma das mais complexas e sensíveis de todo o processo, entra outro profissional. O mestre de torra é o responsável por descobrir o ponto certo para cada tipo de grão. O café torrado é então moído, preparado e experimentado por provadores profissionais. Uma curiosidade é que os provadores experimentam o café frio e, assim como fazem os sommeliers com o vinho, não engolem a bebida, cuspindo

em seguida. A etapa seguinte é na cafeteria, que fica nas mãos do barista, profissional especializado em “tirar” o espresso em máquinas profissionais, e o responsável por colocar na xícara todas as qualidades preservadas pelas etapas anteriores. Como em qualquer uma das etapas anteriores, também aqui um erro pode ser fatal. E a última etapa é você consumidor, que precisa conhecer esse processo e exigir qualidade.


Sintonia. Fevereiro 2012

11

SINTONIA JOVEM

A batida perfeita Três jovens da paróquia apresentam programa com as músicas que estão nas baladas

A

Lago Sul FM apresenta o Sintonia Jovem a partir deste mês. Trata-se de um espaço dedicado para que o público jovem possa ouvir as suas músicas favoritas, além de comentar sobre o que é sucesso na atualidade. Essa é a proposta da equipe do programa, composta por três jovens que frequentam a paróquia, sob a supervisão do radialista Ir. Diego Joaquim. A primeira a se interessar pela

proposta de apresentar um programa de rádio com esse formato foi Bruna Toscano, que é do grupo de acólitos da paróquia. “Quando soube do projeto de um programa jovem na rádio produzido por jovens, fiquei entusiasmada e resolvi aproveitar essa oportunidade”, conta Bruna. Aluna do 1º ano do Ensino Médio, espera que o programa seja uma boa opção de entretenimento. “Vamos trazer um estilo mais jovial para a rádio da

nossa comunidade para conquistar, principalmente, os jovens”. Junto com ela está Felipe Pavoni, cuja voz já é conhecida na equipe de canto da missa das 19 horas dos domingos. Ele sempre ouviu dizerem que tinha potencial para ser locutor de rádio. “Agora quero tirar isso a limpo”, desafia Felipe, que fala de sua expectativa com o programa. “Trata-se de uma oportunidade única de vivenciar uma

Bruna Toscano

Felipe Pavoni

nova experiência de comunicação”. Para completar o trio, está a doce Eduarda Toscano, que no rádio assume o carinhoso pseudônimo de Dudinha. Ela também faz parte do grupo de acólitos da paróquia e sempre teve curiosidade de colaborar com a Lago Sul FM. “Resolvi participar para colaborar com a Rádio, para ajudar minha tia (Lena Toscano). Mas também vi a oportunidade de colocar algumas músicas

Dudin

ha

que eu gosto, e meus amigos também. Então, ela fez o convite, e estou muito entusiasmada”. O programa vai apresentar, entre outras atrações, o Top Five do aplicativo iTunes, além de trazer uma sequência com a biografia e as músicas de um determinado artista. Sintonia Jovem vai ao ar todos os sábados, das 10 às 12 horas, e aos domingos, das 15 às 17 horas. A estreia será em 11 de fevereiro.


12

Sintonia. Fevereiro 2012

APOIO CULTURAL

A rádio da comunidade Entidade retoma um sonho que só pode sobreviver com o apoio de todos

A

Sociedade Sol e Vida, fundada por lideranças do Lago Sul por iniciativa do Padre Júlio Negrizollo, retoma o projeto da emissora de rádio comunitária. A partir deste mês de fevereiro, a Lago Sul FM apresenta a sua programação, contando com a colaboração de profissionais, voluntários e instituições parceiras, com a finalidade de

colaborar para o desenvolvimento da nossa região, divulgar eventos culturais e sociais e de utilidade pública. Para manter a programação da emissora no ar, a Lago Sul FM necessita do compromisso da comunidade local. Além da audiência e da possibilidade de colaborar de alguma forma com a sua produção, também é preciso ajudar a pagar as contas.

De acordo com a legislação, uma emissora de rádio comunitária pode receber patrocínio de estabelecimentos ou instituições sob a forma de apoio cultural. No final do ano passado, foram feitos investimentos na reconstrução dos estúdios e aquisição de novos equipamentos, instalados no prédio do Centro Catequético Totus Tuus. Por não ter

fins lucrativos, uma emissora comunitária não pode veicular propagandas como em uma emissora comercial. A rádio comunitária só pode colocar no ar o apoio cultural de entidades e empresas que estejam dentro do raio de alcance do sinal da emissora. A Lago Sul FM conta com uma equipe engajada na captação de recursos para a

emissora, bem como para a revista Sintonia. Tais recursos contribuem não apenas para a continuidade da emissora e da revista, mas também para a manutenção de um importante canal de comunicação dedicado inteiramente aos interesses da nossa comunidade. Para mais informações, entre em contato conosco pelo telefone 3364-4557.


14

Sintonia. Fevereiro 2012

ENTREVISTA

Comunicação e cidadania Terezinha N Bleyer fez parte da equipe que batalhou pelo surgimento da Rádio Lago Sul FM e, nesta entrevista, ressalta a importância da emissora para a comunidade

o final da década de 1990, um missionário gaúcho passou pela paróquia do Perpétuo Socorro, em busca de uma concessão de rádio junto ao Ministério das Comunicações para a sua comunidade, na periferia de Porto Alegre. Ele sugeriu que essa iniciativa seria interessante também para o Lago Sul. A Drª Terezinha Bleyer, que teve participação importante nesta conquista, conta detalhes da origem da Sociedade Sol e Vida e da Lago Sul FM, e sua importância para a promoção da cidadania.


Sintonia. Fevereiro 2012

Como surgiu a ideia de criar uma rádio comunitária no Lago Sul? O padre Pedrinho Guareschi, um redentorista, PHD em comunicação, veio a Brasília em 1997 para tratar da concessão de uma rádio comunitária para a comunidade Mãe do Perpétuo Socorro, que fica na periferia de Porto Alegre. Pediu o meu auxílio no acompanhamento do processo. Sugeriume conversar com a comunidade do Lago Sul, acenando com a possibilidade de instalarmos uma rádio comunitária também aqui, o que seria muito importante para a elevação do nível cultural de todos. E a comunidade abraçou imediatamente a iniciativa? Tivemos uma ótima recepção. Padre Abdon, na época nosso pároco, apoiou

15 de imediato e nos deu total ajuda nas providências para a instalação da rádio. Somos muito gratos a ele pelo grande estímulo recebido. Padre Rafael, nosso atual pároco, redentorista e jornalista com ampla experiência na área, foi aclamado presidente da futura rádio. Padre Júlio, entusiasmando, batizou logo de “Sol e Vida” a entidade mantenedora a ser criada. A comunidade do Lago Sul, os colégios, professores e alunos louvaram a ideia. Padre Júlio, sempre que podia, se mostrava um incentivador do que chamamos conceitualmente de “democratização dos meios de comunicação”. A senhora acredita que a rádio comunitária pode ser um desses instrumentos? O padre Júlio foi

um apoiador da rádio comunitária, conclamando a todos o dever de participação. A rádio comunitária deve ser um instrumento valioso de democratização dos meios de comunicação, porque compete a ela conscientizar o cidadão de seu dever de participação na defesa dos valores morais e intelectuais, nos quais está construída a nossa sociedade. Ao contrário das periferias menos favorecidas de Brasília, a Lago Sul FM está numa região privilegiada. Como essa rádio pode fazer com que o morador desta região entenda essa situação social de desigualdade e contribua para que não se torne uma ilha isolada da cidade? Através de um programa de ação comunitária, abrindo espaço para a cultura

de cada região e a oportunidade de exposições, aqui no Lago Sul, do “fazer regional”. É importante que cada cidadão ou cidadã desta privilegiada região se compenetre da sua responsabilidade social. Quanto mais temos, mais responsabilidades recaem sobre os nossos ombros. Os comunicadores populares reclamam que muitas emissoras comunitárias estão a serviço de igrejas ou líderes políticos. Como a Lago Sul FM deve atuar para cumprir a sua missão? Usar-se de uma rádio comunitária para outros objetivos é um erro lamentável que merece a cassação da outorga da concessão da rádio, de acordo com a lei. A Rádio Comunitária Lago Sul deve estar a serviço da comunidade,

convocando todos os participantes de grupos organizados, como colégios, faculdades, músicos, cantores, artistas e outros profissionais, para que apresentem suas propostas de programação, objetivando a elevação do nível educacional, espiritual, artístico e cultural da população. A Sociedade Sol e Vida deve participar da seleção dos programas radiofônicos. Brasília tem muitas rádios públicas, mas que pouco ou nada fazem pela comunidade. Como a Lago Sul FM pode preencher essa lacuna? A Lago Sul FM deve ser a difusora da arte, da cultura, da saúde, esporte, educação, do aprimoramento espiritual, e especialmente do resgate dos valores cívicos e morais da nossa gente.


16

Sintonia. Fevereiro 2012

QUARESMA

Saúde pública A Campanha da Fraternidade promovida pela Igreja levanta os desafios da assistência de saúde

D

om Leonardo Steiner, bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da Conferência dos Bispos (CNBB), no texto que apresenta o material da Campanha da Fraternidade, lembra: “ao recebermos a imposição das cinzas, no início da quaresma, somos convidados a viver o Evangelho, viver a Boa Nova. A Boa Nova que recebemos é Jesus Cristo. Ele abriu um novo horizonte para todas as pessoas que nele creem. Crer no Evangelho é crer em Jesus

Cristo, que, na doação amorosa da cruz, nos deu vida nova e nos concedeu a graça de sermos filhos do Pai. Com sua morte transformou todas as realidades, criando um novo céu e uma nova terra. A quaresma é o caminho que nos leva ao encontro do Crucificadoressuscitado. Caminho, porque processo existencial, mudança de vida, transformação da pessoa que recebeu a graça de ser discípulomissionário. A oração, o jejum e a esmola indicam o

processo de abertura necessária para sermos tocados pela grandeza da vida nova que nasce da cruz e da ressurreição”. A CNBB, prossegue Dom Leonardo, promove a Campanha da Fraternidade, desde o ano de 1964, como itinerário evangelizador para viver intensamente o tempo da quaresma. A Igreja propõe como tema da Campanha deste ano: ‘A fraternidade e a Saúde Pública’, e com lema: ‘Que a saúde se difunda sobre a terra (cf. Eclo 38,8)’.


Sintonia. Fevereiro 2012

17

VATICANO

Cardeal Dom João Braz de Aviz P

refeito da Congregação para a Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica desde o início de 2011, Dom João Braz de Aviz recebe o título de cardeal no Consistório convocado pelo Papa Bento XVI para o dia 18 deste mês, em Roma. Ele faz parte de um grupo de 22 novos cardeais, excluindo quatro que têm mais de 80 anos, que serão, portanto, possíveis eleitores do próximo papa. O grupo está composto do seguinte modo: 10 cardeais, como

Dom João, já são autoridades do Vaticano e 12 atuam na Itália e no resto da Europa. John L. Allen Jr, vaticanista conhecido, repórter do National Catholic Reporter, dos Estados Unidos, fez uma análise do grupo, dirigiu palavras elogiosas a Dom João e destacou o exemplo do arcebispo italiano Fernando Filoni, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, e Giuseppe Bertello, presidente do governo do Estado da Cidade do Vaticano. Ambos são diplomatas

veteranos que atuaram em todo o mundo. Filoni foi nomeado para vários pontos do Sri Lanka, Irã, Brasil, Jordânia, Iraque e Filipinas, além de ter passado os anos de 1992 a 2001 em Hong Kong, à frente de uma missão de estudos na China. Bertello atuou no Sudão, Turquia, Venezuela, México, Gana, Togo, Benin e Ruanda. Padre Rafael Vieira, pároco da Perpétuo Socorro, estará presente, em Roma, para acompanhar a entrega do barrete cardinalício a Dom João.

Antonio Cruz/Abr

O único brasileiro da lista de 22 cardeais que serão nomeados no Consistório deste mês de fevereiro é o ex-arcebispo de Brasília

Dom João Braz de Aviz no dia da posse como arcebispo de Brasília.


18

Sintonia. Fevereiro 2012

PASTORAL

Conselho Paroquial O novo Conselho Paroquial Pastoral tem 37 membros, já se reuniu uma vez e tem agenda cheia para 2012, contando com representantes de todos os grupos

P

e. Rafael Vieira Silva, CSsR / Pároco – Presidente; Pe. Abdon Dias Guimarães, CSsR / Vigário; Pe. José Hilton Bezerra de Sousa, CSsR / Vigário ; Pe. Vanilson Silva / Vigário; Ir. Diego Joaquim Pereira de Sousa / Rádio Lago Sul FM; Luzimar Augusto / Articuladora das pastorais; Maria Célia de Santos Souza / Ministério da Palavra; Helena Cláudia Camurça Freitas / Curso de Noivos; Rosemarie Ramos Freitas/ Curso de Batismo; Bendita Maria de Moura Trigueiro / Apostolado da Oração; Lígia Guerra / MESCE; João Batista Pereira dos Santos/ Irmãos do Santíssimo e Terço da Família; Marcia Barbosa Coutinho de Souza / Catequese e Crisma; Mateus Gonçalves Borba Assunção/ Feixe, EPA, Past. da Alegria/D. S. Geraldo; Diogo Serôdia Pimentel/ VIPS; Sonia Mariza Bertin de Carvalho / Renovação Carismática e Adoração; Diana Maria Rocha/ EPAF; Camila Cantarino Mesquita / VEM; Danielle Toscano Jarjour / Segue-me; Marcelo Correia Leal de Melo / Viajem; Elizabeth Regina Lopes Manzur / Promovida; Maria Elizabeth Costa Cavalcanti / Alfabetização de adultos; José Regis Marques / Vicentinos; Adecy Luiza Doberstein Magalhães / Centro Social da Costura; Maria Amélia Trindade (Melinha) / Past. da Alegria – Diaconia Santo Afonso; Maria Conceição Rocha Pinheiro / Past. da Alegria – Diaconia São Clemente; Carolina Alves Viana / Grupo de Acólitos São Tarcísio; Marcelo Augusto K. N. Pereira / Ministérios de Música; Albanisa Resende Andrade / Terço Meditado; Ir. Inês Mendes de Jesus / Comunidades religiosas e Grupo de N. Sra. do Sagrado Coração; José Paulo Gonçalves / Grupo São Rafael; Jorge / Grupo Maternidade sacerdotal; Julia Rodrigues Gontijo / Missionários Leigos Redentoristas; Celina Rodrigues Alho / Convidada do Pároco; Ana Amélia Leão/ Convidada do Pároco; Kátya de Fátima Fernandes / Convidada do Pároco; Marta Pena / Convidada do Pároco.


Sintonia. Fevereiro 2012

19

MINISTÉRIO

Catequese para crianças, jovens e adultos e Crisma Recomeçam os encontros de educação da fé, e a coordenação da Catequese oferece as principais orientações

O

mês de fevereiro é marcado pelo início de nossas atividades pastorais, e a Catequese/ Crisma não poderia ficar de fora. As inscrições já estão abertas para a Caminhada na Fé Cristã, na secretaria da Paróquia. Para a inscrição na Catequese, são necessários os seguintes documentos: formulário de inscrição; foto 3x4

recente; cópia do certificado do batismo; cópia da certidão de nascimento; transferência da paróquia em que fez a primeira etapa, no caso de não ter sido nesta Paróquia; pagamento da taxa anual para material didático no valor de R$ 200,00. No caso da Crisma, são necessários os seguintes documentos: formulário de inscrição; foto 3x4

recente; cópia do certificado do batismo e comunhão; cópia da certidão de

nascimento ou identidade; pagamento de taxa anual para material didático no valor de R$ 100,00.

Formação Você poderá, ainda, nos ajudar como catequista! Então, corra para fazer o curso de formação e capacitação de catequistas, nos seguintes dias do mês de fevereiro: Data:

Horário:

Local:

04/02

8h às 12h

Sala 12, Totus Tuus, Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

10/02

19h às 22h

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

11/02

8h às 12h

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

12/02

8h às 12h

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

25/02

8h às 12h

Sala 12, Totus Tuus, Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro


20

Sintonia. Fevereiro 2012

MESCE

Nova coordenação O grupo dos ministros da Eucaristia conta com novas coordenadoras com mandato de dois anos e agradece pelo trabalho extraordinário da coordenação anterior

M

arcos e professor Durval prestaram um trabalho valoroso cuidando da coordenação dos ministros extraordinários da Sagrada Comunhão Eucarística. A comunidade agradece a dedicação. O pároco convidou duas ministras para assumirem a coordenação e a vice.

Depois de um tempo de discernimento, elas aceitaram os encargos com alegria, dando um belo testemunho de abnegação e generosidade. Lígia Guerra e Marta Pena assumiram essa tarefa e já estão preparando a caminhada de formação e orientação para o novo ano.

Desde o início, fornecendo o material que sua obra precisa Pioneira em Brasília, desde 1959, a Pappas agora atua no ramo de material para construção. Venha conhecer nossa loja, nosso atendimento especial, nossos planos e condições para sua obra ou reforma. Lago Sul, Park Way, Núcleo Bandeirante, Asa Sul ou aonde for no Distrito Federal, nós entregamos para você (consulte condições).

Aceitamos cartões de crédito e débito, Construcard e boleto bancário (cadastro prévio)

Av. Central, Área Especial 12 lote A Núcleo Bandeirante email: pappasmateriais@gmail.com

(61) 3967-2400 (61) 3386-0715 (61) 3386-0701


Sintonia. Fevereiro 2012

21

REFORMAS

Auditório do Totus Tuus Grande parte do esforço feito durante todo o ano de 2011 pela comunidade para arrecadar recursos financeiros foi para a renovação do auditório do Centro de Pastoral Reforma do autório do Totus Tuus

A

Festa da Padroeira do ano passado, realizada no final de junho, e o Jantar da Família, em agosto, foram realizados com o propósito de reunir fundos e dar condições para a reforma do Auditório do Totus Tuus. Apesar do sucesso extraordinário das duas iniciativas, foi necessário mudar os planos da reforma que se fazia

necessária. Uma ampla remodelação daquele espaço, equipando-o para encontros e proporcionando mais conforto às pessoas, iria exigir o investimento de valores impensáveis. Desse modo, ficou acertado no Conselho Paroquial que a reforma seria bem mais modesta e iria responder a cinco urgências: recuperação do

forro; instalação de equipamentos para melhorar as condições de climatização interna; reforma do sistema de som; novo piso e reforma geral das poltronas. Espera-se que até o início de março as obras já estejam terminadas no auditório, deixando-o em condições de uso para os grupos de pastoral. Outras pequenas reformas

realizadas durante os últimos meses podem não ter sido percebidas, mas eram bastante importantes para a manutenção do patrimônio paroquial: reparos em vários pontos do prédio da igreja que têm infiltrações; reforma total das instalações que servem de base aos funcionários, cuja copa e banheiros estavam em péssimo estado

de conservação; depósitos; jardins internos e sala do pároco; pinturas externas; escada de acesso à igreja; no Totus Tuus: reforma de parte do telhado, limpeza das calhas, limpeza e pintura das esquadrias, vários consertos externos e internos e pintura. Em todo esse serviço, contamos com a ajuda preciosa do Candinho e sua equipe.


22

Antonio

Veloso

Sintonia. Fevereiro 2012

economista, ex-diretor do Banco Central

O desfile de Páscoa

E Confira “O desfile de Páscoa” Richard Yates Editora Alfaguara, 1976/2010 22l páginas

stou iniciando o ano de 2012 com um texto de alta qualidade, fruto da descoberta pessoal de um escritor americano requintado, Richard Yates. Romance admirável, emocionante, a despeito da “dureza” da história: “O desfile de Páscoa”, de Richard Yates. Autor falecido em 1992, é hoje reconhecido como um dos maiores escritores americanos do século XX e vem sendo redescoberto pelos leitores e pela crítica. Escreveu sete romances e duas coletâneas de contos, três deles

já publicados no Brasil: “Foi apenas um sonho (Rua da Revolução)”, 1961-1989/2009, filmado e adaptado sob a direção de Sam Mendes, com Leonardo Di Caprio e Kate Winslet; “Desfile de Páscoa”, 1976/2010; e “Uma providência especial”, 19651969/2011. O texto de “O desfile de Páscoa” é vibrante, delicado, envolvente, melancólico: é a história de Sarah e Emily, duas irmãs muito ligadas e diferentes. “Nenhuma das duas irmãs Grimes teria uma vida feliz e, olhando em

retrospecto, sempre pareceu que o problema começou com o divórcio dos pais. Isso aconteceu em 1930, quando Sarah estava com nove anos e Emily, cinco.” A irmã mais nova, Emily, quer ser como a mais velha, Sarah, “bonita e extrovertida, e tem ciúmes da relação da irmã com o pai”. Sarah se casa logo cedo com um jovem arrojado, que parece o marido ideal. Emily prefere uma vida mais solta e independente, interessada no sucesso profissional. Os seus relacionamentos

são mais instáveis e acidentados, nunca a satisfazem inteiramente. No fundo de tudo, a vida de ambas esconde grandes conflitos de família e de relacionamentos, descrevendo trajetórias tumultuadas e tempestuosas. Para o leitor, é um grande e vibrante envolvimento, às vezes dolorido e melancólico. Como assinalou o escritor Kurt Vonnegut: “Poucos homens, desde Flaubert, mostraram tanta simpatia por mulheres cujas vidas são um inferno”. Em síntese, trata-se de “um livro corajoso, brilhante” (Sunday Herald).



Revista