Issuu on Google+


Você pode trabalhar na ASP

Editorial A Revista ASP cada vez mais tem a preocupação em proporcionar ao leitor não apenas relatos sobre o que a Ação Social do Paraná tem realizado, mas sim uma leitura agradável sobre as temáticas de solidariedade e amor ao próximo. É este o sentimento que nos inspira na realização dos nossos projetos e é também o sentimento que move esta Revista. Nas ações voltadas às crianças, como as atividades no CEI Brilho do Sol e na Brinquedoteca, destacamos nesta edição como o simples ato de incentivar o 'Brincar' nas crianças contribui para a sua formação cidadã. No projeto Alimentação Gerando Renda apontamos como as mulheres poderão ser empreendedoras e fortalecer a comunidade. As ações com os idosos também estão destacadas na Revista a partir de uma reflexão sobre como defender os direitos da pessoa idosa. Em todas as ações realizadas pela ASP, lá está a solidariedade. Esta edição da Revista ASP foi lançada no mês de dezembro de 2013 e portanto não poderia deixar de trazer uma mensagem inspirada no Natal. Por isso os artigos desta edição trazem mensagens sobre o Natal. E como diz o Frei Estevão no artigo desta revista, façamos com que o clima de paz, harmonia, tranquilidade, solidariedade, fraternidade, continue o ano inteiro, e transforme não só nossa casa, mas toda a nossa sociedade, para que possamos cantar com verdade: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados”.

A Ação Social do Paraná é uma organização sem fins lucrativos, atuante nas áreas da Assistência Social, Educação e Segurança Alimentar e Nutricional. Mantêm diversos projetos e unidades de atendimento a crianças, jovens, adultos e idosos. Nossas oportunidades são divulgadas através do site www.aspr.org.br, na seção “Trabalhe Conosco”. Mais informações através do telefone: (41)3330-6234.

Conheça algumas de nossas oportunidades: Auxiliar de Serviços Gerais Para trabalhar no Restaurante Popular Unidade Rui Barbosa Cuidadora de Idosos (FEM) Para trabalhar no Asilo São Vicente de Paulo Bairro Cabral Auxiliar de Enfermagem (FEM) Para trabalhar no Asilo São Vicente de Paulo Bairro Cabral

Boa leitura!

Alimentação

Gerando Renda

Expediente Publicação bimestral da Ação Social do Paraná. Coordenador geral: Pe. José Aparecido Pinto Coordenadora Administrativa: Giceli Stoco Comunicação: Karine Carvalho

02

:: Publicação produzida pela Sintática Comunicação Jornalista Responsável: Téo Travagin – 5531 – DRT-PR Fotos: Arquivos ASP :: Outobro/Novembro 2013


Artigo

O NATAL ESTÁ CHEGANDO Diz a Sagrada Escritura, em linguagem simples e direta: “Deus criou o homem à sua imagem e semelhança”. Isso explica essa sede de infinito, mesmo inconsciente, que existe em cada um de nós e que nos faz viver inquietos e insatisfeitos, como diz Santo Agostinho, enquanto não O encontrarmos. Até o pecado acaba sendo uma prova disso, porque a satisfação e o prazer, que pode trazer, só deixam depois de si um vazio e uma insatisfação maior ainda. Eis aí o horizonte da dignidade do ser humano: sem limites, como sem limite é Deus. Enquanto está em vida, pode crescer e crescer, na direção do infinito de Deus. Daí que reconhecer essa dignidade, respeitá-la e fazê-la respeitada em quem quer que seja, rico ou pobre, forte ou fraco, velho ou jovem, branco ou negro, é dever elementar de cada um. Se quiser ser respeitado também!

do trabalho e a dificuldade da sobrevivência. E continua hoje, mergulhado em tudo isso, enquanto não aceitar o que o Deus-Menino lhe oferece: na fragilidade de uma criança, a presença do próprio Deus em sua vida, a certeza de que foi feito à imagem e semelhança de Deus. Se o ser humano não fosse por própria natureza assim tão grande, se não pudesse subir na direção do infinito, Deus jamais se teria feito criança igualzinho a nós (em tudo, menos no pecado!).

Eis uma dimensão do Natal, sobre a qual a gente quase não pensa. Se Deus se fez homem, em Jesus Cristo, - “O Verbo se fez carne, e montou entre nós a sua tenda” - foi para nos pegar pelas mãos e nos levar de volta a essas alturas para as quais nos criou. Jesus, a face humana de Deus e a face divina do homem, é Deus que se abaixou até o nosso nível para nos elevar até o seu. Verdadeiro absurdo que só o amor divino pode explicar.

Quem não tem esta certeza e não busca galgar essas alturas, quem está satisfeito dentro de limitações tão acanhadas e não aspira para o infinito, não poderia celebrar o Natal. Para muita gente o Natal não será cristão, mas apenas uma ocasião de buscar satisfações tão insignificantes, na comida, na bebida, na troca de presentes; isso é pagão! E quem não é cristão não tem o direito de usar o nome do Menino que nasceu na gruta de Belém para nos elevar ao grau maior de nossa dignidade humana. E quem não respeita a dignidade do outro, qualquer outro que cruza seu caminho, e faz dele um objeto de uso e abuso, ou passa por ele sem atentar que é um irmão, também não tem direito de celebrar o Natal.

O homem tinha decaído de sua dignidade primitiva, quando quis se colocar no lugar de Deus, como juiz do certo e do errado, do bem e do mal. Foi obrigado a fazer a triste experiência de suas limitações próprias, e conheceu o sofrimento, a dor, a morte, a violência de Caim, a confusão da torre de Babel, a desgraça do dilúvio, o peso

Para que o nosso Natal seja cristão, façamos com que este clima de paz, harmonia, tranquilidade, solidariedade, fraternidade, continue o ano inteiro, e transforme não só nossa casa, mas toda a nossa sociedade, para que possamos cantar com verdade: “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados”.

Frei Estevão Nunes op. Pároco da Igreja de Santo Antônio, no Boa Vista, Curitiba-PR

03


As novas empreendedoras do ramo alimentício Alimentação Gerando Renda é um projeto que envolve mulheres moradoras do bairro Tatuquara, em Curitiba, em três diferentes etapas. A primeira etapa do projeto incluiu 63 mulheres em capacitações relacionadas à qualificação profissional para o setor alimentício. Atualmente o projeto está em sua segunda etapa, na qual 16 participantes realizam novas capacitações, agora voltadas para o empreendedorismo, cooperativismo e associativismo. A proposta é apontar caminhos para estas mulheres aprenderem a gerir uma empresa, cooperativa ou associação do ramo alimentício. A supervisora de projetos da ASP, Daiana Sprada, explica que os temas trabalhados nestes encontros são focados na prática do empreendedorismo. “Já tivemos encontros com temas como: como iniciar um negócio, o que é ser empreendedora, primeiros passos da empreendedora, planejamento estratégico, entre outros”, comenta Daiana.

próprio negócio, pois agora já tenho muitas informações importantes para ir em frente”. Algumas participantes relatam que o sucesso do projeto é resultado da forma como a equipe leva as informações: “eu gosto muito de como os instrutores nos trazem explicações de forma engraçada. Dessa forma fica fácil para a gente entender”, diz a participante Patricia Aparecida.

Alimentação

Há o caso também de mulheres que já trabalham com alimentação e estão aproveitando a oportunidade para qualificar a sua atuação, como a participante Franciele Ferreira Pinto: “O projeto tem sido de muita impor tância para eu alavancar meus negócios. Toda semana coloco em prática os conhecimentos adquiridos” .

Gerando Renda

Para a participante Débora Cristina, os conteúdos desta etapa estão contribuindo para que as mulheres se tornem de fato gestoras de empreendimentos: “Eu estou me sentindo muito animada para montar meu

04

O Projeto Alimentação Gerando Renda é patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Desenvolvimento e Cidadania, e executado pela Ação Social do Paraná. Os encontros nesta segunda fase acontecem na Escola Municipal Oswaldo Arns aos sábados de manhã, durante os meses de outubro, novembro e dezembro de 2013. Após esta fase haverá nova etapa, em que as mulheres serão responsáveis por gerir um estabelecimento alimentício, recebendo consultoria para seu funcionamento.


Artigo

1. Deus surpreende Deus-Pai surpreendeu o mundo com infinita generosidade, incansável perdão e incondicional amor a cada pessoa ao nos dar seu Filho Jesus como:

   

o Salvador, filho de Maria como Homem completo (Lc 1, 31). o filho de Maria é o Filho de Deus, completamente divino (Lc 1, 32). Será também filho de Davi, por descendência (Lc 1, 32). Será Deus conosco (Emanuel em hebraico) igual a Deus (Lc 1, 35).

Sem Deus, somos e seremos infelizes. O pai não ama os filhos à distância: quem ama quer ficar perto, junto.

2. Deus não me ama de longe “Deus criou o céu e a terra”. Criou-os como se fossem uma coisa só e do mesmo valor. É perigoso separá-los e cair na tentação de supervalorizar um e desvalorizar outro! Só o céu ou só a terra, só o espiritual ou só o material. Nenhum de nós é só espírito ou só matéria, só sagrado ou só profano, só Deus ou só mundo. Jesus mostra como viver este equilíbrio, esta união. Não mais:

   

Deus no mundo do Criador Eu no mundo das criaturas Deus me vê de cima Eu o olho de baixo

Deus lá Nós aqui Deus lá Nós aqui

Na “plenitude do tempo” (Gl 4, 4), Deus rompe o silêncio, elimina o abismo entre nós e ele e vem pessoalmente ao nosso planeta, como um ser humano, em tudo igual a nós, menos no mal. Todo o mal é falta de amor e Deus nunca deixa de nos amar. Deus pede a uma moça, Maria, para dar corpo e vida humana ao seu Filho Jesus, unindo assim o mundo do Criador e o mundo das criaturas. Jesus traz Deus e o Céu para a terra. Agora Deus não me vê de cima, mas de igual para igual. Jesus une em mim o espiritual e o material.

3. Deus não precisava fazer-se homem Ele é o Criador e não criatura. Então o Senhor de Maria se forma no seio dela, nasce, vive e morre como criatura. O Deus de Maria agora é também Filho de Maria. E José, o noivo de Maria? Pela fé ele sabe que é possível à divindade se unir à humanidade, formando uma Pessoa só. José assume a paternidade legal do Filho de Deus e Filho de Maria. Agora, o rosto de Jesus é o rosto de Deus. O jeito de Jesus viver é o jeito do Pai do céu estar entre nós, no “meio de nós” e pode nos perdoar, curar, santificar, salvar e nos acolher na “casa do Pai onde há um lugar para cada um de nós”. (Jo 14) Jesus rompeu o silêncio de Deus e a distância infinita entre nós e o Pai.

4. Deus vence o mundo Já ao nascer, Jesus vê que só por ter nascido e ter pisado o nosso chão, mesmo sem ter feito nada, pessoas dominadas pelo dinheiro, poder, prestigio e até religião, querem eliminá-lo. Quando adulto, o cercam de todos os jeitos para impedir de criar entre nós o Reino do Pai: a justiça, a igualdade, a fraternidade e a paz, que é o ideal dele. Com este ideal, ele se dedica, dia e noite. É com a “Força do Alto” pode dizer no fim da vida. “Eu venci o mundo”

Pe. Anacleto Ortigara – MS Santuário N. Sra. da Salette Curitiba – Pr Fone: (41) 3256-3625 E-mail: santuarionssalette@missasalette.com.br

05


Passear de trem pela Serra do Mar do Paraná é sinônimo de apreciar belas paisagens, em que se apresentam cataratas, grotões, casas coloniais e rica vegetação. Fazer este passeio em um dia de sol e com poucas nuvens, então, significa aproveitar ao máximo esta experiência. E foi exatamente o que aconteceu no dia 18 de outubro, dia em que a ASP promoveu este passeio com as crianças e adolescentes das Brinquedotecas do Tatuquara e do Boqueirão e os idosos da Moradia João Paulo II. O passeio foi uma cortesia da empresa Serra Verde Express, que realiza os passeios pela Serra do Paraná. O trem parte de Curitiba e atravessa 70 quilômetros até Morretes. Alguns dos atrativos que agitou principalmente as crianças no passeio foram os 14 túneis pelos quais o trem passa ao longo do percurso, revelando a cada passagem novas paisagens. Entre os trechos mais apreciados, esteve o trecho iniciado na queda d'água Véu de Noiva, que segue passando pelo Pico do Diabo, um dos mais altos deste trecho da Serra do Mar e por uma fresta entre morros chamada de Garganta do Diabo. A jovem Grazielli, de 11 anos, participante da Brinquedoteca do Tatuquara, estava maravilhada com o passeio de trem, “era o meu sonho andar de trem e achei muito interessante, principalmente quando vi a cachoeira (referindo ao véu da noiva)”. Já Andriele, 11 anos, da Brinquedoteca do Boqueirão, se divertiu bastante com os túneis: “Gostei dos túneis porque tinha gente que ficava com medo da escuridão”. A alegria das crianças foi um atrativo a mais para os idosos da Moradia João Paulo II, como afirma o idoso Gabriel Bento Hanusiack: “Para mim foi um dia especial, além do lindo passeio de trem, vendo a natureza e a serra do mar, foi muito bom contar com a alegria e diversão das crianças que foram conosco”.

06


Chegando à estação de trem de Morretes todos os participantes da atividade desceram e fizeram um passeio pela cidade, conhecendo o Rio Nhundiaquara e centro histórico da cidade, onde tomaram sorvete e fizeram piquenique. Para a gestora das Brinquedotecas, Fabiane Ceccon, o passeio foi maravilhoso pois além de ver as paisagens e passear por Morretes, os participantes da atividade puderam conhecer um pouco da história do Paraná. “Para as crianças e adolescentes das Brinquedotecas, em especial, foi mais uma oportunidade de ofertar acesso a espaços nunca antes frequentados por elas e desta forma ampliar a visão de mundo, como também contribuir com novas vivências e socialização com outros grupos e bens culturais”, comenta Fabiane, afirmando também que acredita que o passeio ficará na lembrança das crianças e adolescentes por toda suas vidas. “Os comentários eram o tempo todo de muita surpresa a cada nova paisagem!”

Confira mais alguns depoimentos Gostei, porque nunca havia andado de trem e não conhecia a cidade de Morretes. Luan Candido, 12 anos – Brinquedoteca Tatuquara Gostei das montanhas, do Pico do Marumbi, do véu da noiva, foi tudo interessante e eu nunca tinha visto de tão perto. Natan, 13 anos – Brinquedoteca Boqueirão. Para mim foi muito bom. Andar de trem foi maravilhoso. Foi um passeio nota 10, não tenho o que reclamar. A assistência que recebi dos funcionários da empresa Serra Verde foi ótima, gostei muito. João de Oliveira, Moradia João Paulo II. O passeio foi aprazível, falamos e aprendemos sobre o Paraná, sobre o transporte e esse trajeto de trem que é um dos pontos turísticos mais importantes do Brasil. É a segunda linha férrea mais antiga do Brasil. Foi um passeio de muita história, turismo e cultura. Antônio Afonso - Moradia João Paulo II.

07


Asilo São Vicente

Conheça a incrível história das netas que não viam a avó há 44 anos e a encontraram no Asilo São Vicente de Paulo

Reencontrar as netas depois de mais de 40 anos sem contato algum foi algo que Dona Geralda - como é chamada Geralda Penha Araújo, 89 anos - não poderia imaginar. A senhora, mãe de um homem e de cinco mulheres, morava no asilo há mais de 10 anos e nesta época já tinha perdido contato com as filhas e pouco via ainda o filho. Mas no dia 15 de novembro de 2013 se concretizou a grande surpresa para ela e para toda a equipe do Asilo São Vicente de Paulo: Dona Geralda recebeu a visita de suas netas, Maria de Lurdes Santana e Ana Lucia Santana.

As netas são irmãs entre si e haviam perdido o contato com a avó Geralda quando saíram da cidade de Guarací-PR junto com a mãe delas, há 44 anos. Elas moraram em Magé-RJ, Maringá, Londrina, Sarandí, Marialva (Paraná) e retornaram para Magé–RJ, onde a filha de Dona Geralda faleceu e as netas moram até hoje com mais três irmãos. Maria de Lurdes e Ana Lúcia tinham a curiosidade de localizar a avó, saber o que tinha acontecido com ela. Buscaram por informações por carta com familiares, rádio, televisão e localizaram na internet uma reporta-

08

gem do jornal Gazeta Povo, realizada no Asilo São Vicente de Paulo. Elas identificaram o nome da avó e daí para localizar o contato do Asilo foi fácil. Por telefone foi possível perceber a alegria e vibração com a notícia de que a neta havia encontrado sua avó, comentou a equipe do Asilo ao receber a ligação de Ana Lúcia. Todos os procedimentos de checagem da veracidade da história foram realizados para constatar que realmente se tratavam das netas da Dona Geralda. Assim, no feriado de 15 de novembro deste ano, elas vieram de Magé-RJ para

Curitiba/PR. O encontro da avó com as netas foi emocionante. Dona Geralda sorria e as netas falavam quem eram e da alegria de terem reencontrado a avó. Passaram sexta, sábado e domingo vendo fotos, relembrando historias, contando dos netos, bisnetos e tataranetos que dona Geralda agora poderá conhecer. O desfecho é ainda mais feliz do que o reencontro. Geralda quer conviver com os familiares no Rio de Janeiro, bem como os familiares querem receber a idosa para o convívio familiar e as medidas para o possível desligamento do Asilo já foram providenciadas.


Mais do que um simples lazer, as brincadeiras infantis podem auxiliar no desenvolvimento das crianças e no modo como elas podem explorar e refletir sobre mundo em que vivem. Este pensamento é a base da metodologia do Brincar, em que os momentos de diversão tornam-se uma semente para a educação e crescimento. “As brincadeiras servem como meio de construção do indivíduo. Elas contribuem para o equilíbrio emocional, a afetividade, orientação espacial e percepção motora. A brincadeira é de fundamental importância para o desenvolvimento infantil”, afirma a pedagoga Salete Greschechem, do Centro de Educação Infantil (CEI) Brilho do Sol. A Ação Social do Paraná aplica esta metodologia tanto no CEI Brilho do Sol quanto no Projeto Brinquedotecas em Ação nas Unidades Tatuquara e Boqueirão. A gestora das Brinquedotecas, pedagoga Fabiane Ceccon, explica que por meio do Brincar as crianças têm a oportunidade de experimentar, descobrir, inventar, interagir e trocar. “Brincar é indispensável para o pleno desenvolvimento da criança. É natural, espontâneo e propicia o amadurecimento emocional que aos poucos constrói novas formas de interagir com o mundo que a cerca”. Para ela, o simples ato de brincar traz muitos benefícios: “Estimula novas habilidades, a criatividade e a concentração de uma forma mágica e preciosa, reforçando laços afetivos”. Nas Brinquedotecas do Tatuquara e do Boqueirão, todas as atividades são proporcionadas de modo a incentivar esta metodologia. “Brincar é o que mais fazemos nas Brinquedotecas e as atividades socioeducativas desenvolvidas buscam utilizar dos momentos das brincadeiras para suavizar conflitos vivenciados pelas crianças e adolescentes e para aprender através das relações e das trocas de conhecimen-

to”, diz a gestora das Unidades. Nestes espaços a brincadeira é entendida como uma forma de manter a criança ativa e participante em todo o processo, com o direto de ter “voz” e “vez” em todos os momentos de discussão e reflexão, estabelecendo assim um elo entre cidadania e o ser criança.

como carrinho de rolimã e casinha; e o Maternal II está com um resgate das cantigas de roda que eram ensinadas aos pais das crianças, pois a maioria não conhecia as canções. A conclusão do semestre contará com exposição das atividades, em um momento de integração com as famílias.

Da mesma forma que nas Brinquedotecas, no CEI Brilho do Sol o Brincar também é assunto sério. Por isso o tema foi escolhido como o eixo de trabalho do segundo semestre de 2013, envolvendo todas as turmas da unidade. A proposta de trabalho da equipe envolveu as crianças em brincadeiras antigas com a finalidade de resgatar e manter na memória o prazer proporcionado por estas opções de brincar, mostrando às crianças que há diversão além dos jogos eletrônicos. Além de brincadeiras antigas as crianças participaram também da construção de brinquedos.

O brincar é um direito que foi legitimado e incorporado na rotina dos pequenos!

Recomendamos para educadores: Site AVISA LA - www.avisala.org.br – o site conta, na seção 'Creche', com artigos/cursos para Educação Infantil. Vídeo “A Importância do Brincar”, entrevista com a professora da Faculdade de Educação da USP, Tizuko Morchidadisponível no youtube.

Antes de começar estas atividades a equipe do CEI realizou através das rodas de conversas levantamento com as crianças para saber que conhecimentos elas tinham sobre brincadeiras da época de seus pais. Brincadeiras como “Cinco Marias” e “Perna de Pau” eram desconhecidas por todas. Na percepção da pedagoga Salete, muitas brincadeiras acabaram sendo substituídas por novas tecnologias, como celular, internet e televisão (entretenimento/filmes). Neste segundo semestre de 2013 cada turma do CEI conta com atividades diferenciadas: no Berçário, as atividades envolvem os brinquedos e brincadeiras cantadas, como canções de ninar, lendas, a aprendizagem de verbalizar e a identificar objetos; o Maternal I está abordando as brincadeiras antigas, com o objetivo de ampliar o conhecimento da cultura, estabelecendo relações de semelhança em diferentes situações e mostrando brincadeiras

09


SAN

Alimentação de qualidade ao alcance de todos Você sabe o que é Segurança Alimentar e Nutricional (SAN)? Ou qual a importância de uma alimentação saudável? De acordo com a Lei Orgânica de Segurança Alimentar e Nutricional – LOSAN nº 11.346, SAN é a garantia do direito de todos ao acesso regular, de modo permanente, a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, que promovam a saúde e respeitem a diversidade cultural, além de serem sustentáveis nos âmbitos cultural, ambiental, social e econômico. Este tema é um dos eixos de trabalho da Ação Social do Paraná (ASP), entendido como uma das formas de promover a vida. Atualmente a ASP é responsável pelo preparo de mais de 8 mil refeições diárias. São 1670 nas unidades mantidas pela instituição (Asilo São Vicente de Paulo, Centro Dia, Centro de Educação Infantil Brilho do Sol e Brinquedotecas em Ação – Tatuquara e Boqueirão) e 6500 somadas dos Restaurantes Populares que a ASP administra, servindo à população uma alimentação equilibrada e nutritiva. A ASP é responsável pela administração dos Restaurantes Populares de Curitiba (Matriz, Fazendinha, Pinheirinho e Sítio Cercado), Ponta Grossa e Maringá. Em todas as refeições preparadas a instituição demostra um cuidado especial em relação à SAN, seguindo um manual de boas práticas pautado na legislação brasile-

ira. Para oferecer alimentos de qualidade, as várias etapas do processo – desde a escolha do fornecedor e da matéria prima até a distribuição do alimento pronto – passam por rigoroso controle de qualidade. Nos Restaurantes Populares, até as fichas técnicas, ou seja, as receitas detalhadamente escritas, possuem uma padronização para garantir a qualidade dos ingredientes, do modo de preparo e até o sabor característico de cada refeição oferecida. A nutricionista e responsável pelo projeto Central de Distribuição da ASP, Tammy R. Kochanny, explica que uma refeição saudável deve conter todos os nutrientes, como proteínas, carboidratos, vitaminas, minerais e até gorduras. Ela aponta como um bom exemplo a popular combinação brasileira de arroz com feijão, acrescida de uma porção de carne e verduras e legumes variados. Tammy ainda destaca outras dicas: “O segredo é escolher bons ingredientes, minimamente processados. Abusar dos legumes, frutas, verduras, grãos e cereais estes integrais. Ao preparar suas refeições, usar de forma moderada o sal, óleos e açúcares, além de também considerar hábitos de higiene enquanto prepara seu alimento”, completa.

ASP no Dia Mundial da Alimentação Com o objetivo de conscientizar a população e os governos sobre a importância em se investir em segurança alimentar e nutricional, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Mundial da Alimentação, celebrado em 16 de outubro. Em Curitiba o evento foi organizado pelo Conselho Municipal de Segurança Alimentar Nutricional – em que a ASP é integrante – em conjunto com a Secretaria Municipal de Abastecimento, com diversas mobilizações sendo promovidas, inclusive na Boca Maldita, onde a ASP realizou um trabalho de conscientização.

10


LOMBO TRANÇADO Com inspiração nas festas de Natal, apresentamos a receita de lombo trançado, que pode ser utilizada nesta festividade e também uma ótima dica para qualquer outra ocasião.

1 kg de lombo de porco 1 copo de vinho branco (250 ml) 2 dentes de alho amassados 2 ramos de alecrim sal a gosto 1 lata de abacaxi em calda 1 lata de pessêgo em calda 1 lata de figo 1 vidro pequeno de cerejas em calda 200 g de ameixa

Faça um vinha d'alhos com o vinho branco, o sal, o alecrim. Deixe descansar de véspera. Leve ao forno coberto com papel alumínio por 30 minutos. Retire o papel e deixe por mais 20 minutos aproximadamente, ou até que ele fique dourado. Retire da forma, coloque em uma travessa e disponha as frutas em volta. Decore a gosto e sirva com arroz branco e farofa.

Receita por Cidinha Santiago (Culinarista) http://www.band.com.br/receitas/framedd.html

11


Prevenção a acidentes Com o slogan “Segurança não é responsabilidade de um, e sim responsabilidade de todos”, a ASP realizou em todas suas unidades a III SIPAT – Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho. A ação já havia contemplado os colaboradores dos Restaurantes Populares de Curitiba, Ponta Grossa, Maringá e Londrina, do Asilo São Vicente de Paulo, CEI Brilho do Sol e Brinquedoteca em Ação. De setembro a 4 de outubro foi a vez dos colaboradores da Sede Administrativa que receberam palestras sobre os temas “Organização passo a passo”, “Qualidade de Vida” e “Valores Humanos”. Para a gestora de Recursos Humanos da ASP, Márcia Dalavechia Rink, a capacitação proporciona uma semana de reflexão e também de desenvolvimento de toda a equipe, não apenas cumprindo com a legislação, mas criando um momento de integração entre os colaboradores. Jackson Jocelei Lucas, também do setor de Recursos Humanos, destaca que a importância do evento foi em caracterizar dentro da ASP o atendimento humanizado, considerando além do dia-a-dia dos profissionais, e se estendendo a outras dimensões da vida de cada um dos participantes. Márcia e Jackson afirmam que os conhecimentos transmitidos na SIPAT já são aplicados nas unidades. “Uma das palestras que gerou ótimos resultados foi a de organização: o pessoal conseguindo organizar melhor sua agenda, seu espaço. Este é um exemplo só, outras também já tiveram resultado”, relatam. Além das palestras, em cada unidade foram realizadas atividades especiais como sorteio de brindes, concurso de desenho com os filhos dos colaboradores e confraternização.

Caros amigos e amigas leitores da Revista ASP, queremos pedir sua atenção a algo especial. Temos uma longa e bonita trajetória, caminhando para os 70 anos. A Ação Social do Paraná é uma organização social que atua com 16 projetos sociais e unidades de atendimento. São crianças, adolescentes, adultos e idosos sendo atendidos com dignidade e zelo! Muitas ações precisam ser fortalecidas e outras ampliadas para garantir a promoção da vida, que é nossa missão. A ASP pede seu apoio para que os projetos e programas de Assistência Social, Educação e Segurança Alimentar e Nutricional cresçam e atendem mais e mais famílias em situação de vulnerabilidade social. Para tal, convidamos vocês a conhecer mais nossos projetos sociais e unidades, programando uma visita ou um clicando em nossos sites e redes sociais: www.aspr.porg.br, www.asilosaovicente.org.br, www.facebook.com/acaosocialdoparana.

Precisamos de vocês como aliados. Existem maneiras acessíveis de contribuir, como: • Utilizar a ferramenta PagSeguro no site www.aspr.org.br e fazer doações; • Enviar roupas, móveis e utilidades em bom estado para os bazares da ASP e Asilo; • Encaminhar materiais de higiene, vestuário, alimentos, etc., para as unidades de atendimento, como o Asilo São Vicente de Paulo; • Destinar seu Imposto de Renda como pessoa física e/ou jurídica para os projetos que temos cadastrados em conselhos municipais e estaduais, como o Idoso e da Criança (nos solicite como fazer a destinação); • Repassar essa informação a outras pessoas de seu meio pessoal e profissional; • E ampliar sua vontade de ver transformações sociais possíveis e palpáveis.

Caminhar com a comunidade, promover a vida! 12

Contamos com sua participação e disseminação. Fale com a gente (41) 3330 6200 asp@aspr.org.br


Oficinas Socioeducativas

Projeto Oficinas Socioeducativas é exemplo de sucesso no IV Workshop do Terceiro Setor O projeto das Oficinas Socioeducativas foi apresentado no IV Workshop do Terceiro Setor: Práticas Compartilhadas, realizado no dia 9 de outubro, em Curitiba. Promovido pelo Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial, o evento contou com a exposição de ações de sucesso de instituições do terceiro setor, entre elas o projeto da ASP.

apresentado e pela tecnologia social desenvolvida”, afirma. A supervisora ainda comenta que ações assim, de troca de experiências de sucesso, possibilitam a replicação de projetos e a realização de um trabalho em rede entre as entidades para o fortalecimento do setor a partir destes conhecimentos.

A apresentação das Oficinas Socioeducativas foi realizada supervisora de projetos da entidade, Daiana Sprada. Ela apontou como funciona a metodologia das Oficinas e como ela pode ser aplicada em outros contextos. Explicou que as oficinas são realizadas de modo a incentivar a participação das mulheres nos assuntos de interesse da comunidade e a exercitar a democracia em seu dia a dia, além de permitir a construção coletiva do conhecimento, utilizando-se do lúdico, de rodas de conversa e dinâmicas para integrar as participantes. As Oficinas Socioeducativas têm a proposta de fortalecer os vínculos familiares e comunitários e o protagonismo de mulheres referenciadas pelos Centros de Referência Assistência Social – CRAS. As atividades buscam promover reflexões em torno do projeto pessoal de vida em cada uma das integrantes, incentivar a participação efetiva nas problemáticas da comunidade e envolvem também as participantes em conhecimentos voltados à geração de renda, como a confecção de artesanatos. Para Daiana, o interesse de outras instituições no projeto da ASP comprova a qualidade e seriedade da entidade. “Demonstra que tivemos sucesso em nosso trabalho, dando credibilidade e reconhecimento à nossa instituição pelo trabalho

No Asilo sua doação é muito benvinda! Sabe aqueles objetos que você não utiliza mais, mesmo ainda estando em bom estado? Você pode doar para o Bazar do Asilo São Vicente de Paulo! Móveis, utensílios domésticos, roupas, sapatos, são exemplos de doações que podem contribuir para as moradoras do Asilo. Vamos buscar suas doações em domicílio: ligue 41 3330 6221 ou mande um e-mail para cd@asilosaovicente.org.br 13


Asilo recebeu V Encontro Nacional pelos Direitos das Pessoas Idosas Com o tema central “A Pessoa Idosa na Luta pela Cidadania”, foi realizado no Asilo São Vicente de Paulo o V Encontro Nacional do Fórum Permanente da Sociedade Civil pelos Direitos da Pessoa Idosa, nos dias 17, 18 e 19 de novembro. O encontro reuniu representantes dos Fóruns Permanentes Estaduais, que são coordenados pela sociedade civil, para fortalecer e articular a luta pelos direitos dos idosos no Brasil.

A proposta do Encontro Nacional foi dar continuidade às discussões sobre os direitos dos idosos no Brasil, fortalecendo as conquistas em prol da garantia de direitos e dignidade do idoso, na perspectiva da construção de locais públicos de controle social, e alertando para as diversas formas de violência contra a pessoa idosa, inclusive a estatal e institucional.

A pessoa idosa na luta pela cidadania A ASP tem uma preocupação especial com a pessoa idosa, em especial aqueles em situação de vulnerabilidade social, desenvolvendo projetos com o objetivo de promover a qualidade de vida e o resgate à dignidade desta população. Para promover uma reflexão sobre os direitos da pessoa a Revista ASP selecionou alguns trechos da palestra Magna do V Encontro Nacional do Fórum Permanente da Sociedade Civil pelos Direitos da Pessoa Idosa, realizada pela Dra. Cecília Minayo, que discursou sobre o tema “A pessoa idosa na luta pela cidadania”: “As potencialidades das pessoas idosas são uma base sólida para o desenvolvimento do futuro, permitindo que a sociedade conte cada vez mais com suas competências, suas experiências e sua sabedoria”. Com esta fala inicial a Dra. Cecília iniciou a palestra. Ela explicou que o envelhecimento humano sempre foi uma preocupação da sociedade, mas que se deu de maneira quase de exclusão. “A ideia que a sociedade mais enfatiza sobre o envelhecimento, é de que é a população idosa é um grupo, uma bananeira que deu cacho, um grupo a ser desgastado, um grupo que já não tem mais função, por isso não tem muita importância. Esse é o preconceito”, declara. Enquanto no caso específico das pessoas idosas doentes, pobres e dependentes, a preocupação é baseada a concepção de caridade pública. Ela apresentou dados de 2011 que indicam que o número de idosos no Brasil era neste ano de 23 milhões e 500 mil, afirmando que com esta quantidade “é impossível tratar apenas como um descarte ou apenas como objeto da caridade pública”.

14

No evento ocorreram oficinas temáticas, discussões, a plenária do Fórum e um Ato Público, além de atividades culturais. O encontro ainda deu a oportunidade para as pessoas e setores interessados no tema da pessoa idosa para participarem dos seminários e oficinas para acompanhar o movimento dos fóruns e se constituir como parceiras no estímulo à criação de novos fóruns.


A palestrante contextualizou sobre as ações mundiais em relação à população idosa: Em 1982 foi realizada a primeira Assembleia Mundial sobre Envelhecimento, que tornou o assunto uma questão política por colocá-lo em evidência, transformando-o em questão prioritária. Porém, a tônica deste evento foi totalmente voltada para os países desenvolvidos, que já apresentavam um crescimento na população idosa maior do que em comparação aos em desenvolvimento. Em 1999 a ONU decretou o Ano Internacional da Pessoa Idosa, com o lema 'Uma sociedade para todas as idades'. Este conceito diz que o ciclo de vida, como um todo, deve ser o foco do envelhecimento humano. Não mais os velhos só, mas desde quando a criança nasce nós já temos que pensar para ela um envelhecimento saudável. E a nossa sociedade, se não for boa para os idosos não será boa para ninguém. Diferentemente da anterior, a segunda Assembleia Mundial sobre Envelhecimento foi mais abrangente, com maior participação dos países e de instituições da sociedade civil, e teve o objetivo de rever o plano anterior, observando que a questão do envelhecimento era um fenômeno mundial. Nesta assembleia três assuntos foram considerados prioritários: 'Pessoas idosas e desenvolvimento'; 'Promover a saúde e bem estar na velhice'; e 'Assegurar um ambiente propício e favorável à pessoa idosa'. Foi também reafirmada a ideia de uma sociedade para todas as idades, pensando a solidariedade intergeracional, e criado um plano de ação que inspirou as políticas públicas do mundo inteiro. No Brasil, em 1961 a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia já abordava o envelhecimento não apenas como questão médica, mas social. Segundo a palestra da Dra. Cecília, o primeiro movimento governamental para as pessoas idosas começou com o Ministério da Previdência, que privilegiava, sobretudo, os idosos que tinham renda e os aposentados, e tinha preocupação para que os idosos não se tornassem dependentes e, assim, um ônus a mais para a previdência. No entanto, não havia uma política para a pessoa idosa pensando o país como um todo. Isso só foi acontecer com a grande contribuição, a grande luta da sociedade civil nos anos que antecederam a Constituição Federal. Após a constituição, houve avanços na questão, como na Lei Orgânica de Assistência Social de 1990 sobre o benefício de prestação continuada e em 1994 com a Política Nacional do Idoso, entretanto o foco maior da política ocorreu em 2003 com a promulgação do Estatuto do Idoso. “O estatuto do idoso um documentos mais bem feitos do mundo”, declara a palestrante, comentando que os benefícios garantidos por esta lei não podem ser desprezados. Todavia, na prática, poucas ações são realizadas em relação às necessidades concretas das pessoas idosas. Quatro pontos da luta política apontados pela palestrante como prioritários para melhorar as condições dos idosos no Brasil: - Investir no envelhecimento saudável e na positividade da contribuição da pessoa idosa, tratando-a não como vítima, mas sim como ator da transformação social; - Reconhecer e apoiar o papel das famílias nas diretrizes das políticas públicas, apontando a necessidade de se readequar as casas onde residem os idosos, sensibilizar as famílias para que os idosos sejam valorizados como úteis colaboradores e o apoio social às famílias que não tem condições para cuidar de seus idosos; - Tornar os espaços públicos mais amigáveis, com políticas de urbanização, de mobilidade, adaptação a prédios e de habitação para idosos de baixa renda; - E investir em ações e políticas de pessoas dependentes, que são considerados como os mais violentados. Deve-se investir na saúde da pessoa idosa, dando-lhe atenção especial. “O envelhecimento não é um problema, ele é um bônus para a sociedade brasileira”

15


Contribua

Faça sua doação para o Asilo São Vicente de Paulo BANCO ITAÚ: Ag. 0274 CC 77798-6 BANCO BRADESCO: Ag. 2394-9 CC 14293-0 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL: Ag. 1633 CC 2854-8 BANCO DO BRASIL: Ag. 3007-4 CC 28267-7 Acesse nosso site www.aspr.org.br e veja outras formas de doação e também mais informações sobre nossos projetos.

Foto: Ruy R. Prado

AÇÃO SOCIAL DO PARANÁ Baltazar Carrasco dos Reis 1787. CEP: 80230070 Curitiba -PR. TEL: (41) 3330-6200. www.aspr.org.br


Revista ASP novembro