Page 1

EM

CENA

Ano XI - Número 11 Maio/Junho/2008

Se você tem uma Conta-salário precisa conhecer as regras deste serviço Araras - os encantos da cidade que conquistou a rainha da Suécia Saiba o que define a sua Personalidade Feijão - os segredos para um bom preparo Caderno Vip - Sinsaúde distribui 20 mil rosas no Dia Internacional da Mulher

MITOS E VERDADES DA CERVEJA

Conheça os beneficios desta bebida milenar que tem muito a oferecer quando consumida com moderação


índice

Maio/Junho 2008

4 5 6 11 12

EDITORIAL CARTA DO LEITOR REPORTAGEM ESPECIAL Cerveja ECONOMIA Conta-salário SAÚDE/COMPORTAMENTO Personalidade

14

SAÚDE/BEM-ESTAR Acupuntura

15

CADERNO VIP Dia Internacional da Mulher

31

BELEZA Transformação

32

NUTRIÇÃO Feijão

34

MODA E ESTILO Outono/Inverno 2008

36

LAZER E TURISMO Araras e Pirassununga

38

ECOLOGIA Desastres naturais

39 40 41

NA INTIMIDADE Afrodisiacos e eretógenos DICA CULTURAL FATOS E FOTOS Araraquara maio/junho 2008 - EM CENA - 3


editorial

Presente para todos os trabalhadores O trabalhador da saúde. É para ele que esta edição da revista Em Cena é dedicada. Suas matérias, direta ou indiretamente, estão ligadas ao cotidiano desse trabalhador que em maio tem todo seu esforço reconhecido no dia 12, Dia Estadual do Trabalhador da Saúde. Uma conquista do Sinsaúde de Campinas e Região, que mais uma vez chama a atenção de toda a sociedade para essa categoria que luta dia após dia em benefício da população. São trabalhadores que atuam diuturnamente em diversas áreas da saúde, como administração, enfermagem e funções de apoio e que se preocupam sempre com o bom tratamento e cuidados com os pacientes. Também homenageamos a mulher trabalhadora, que não tem uma face ou nome definido, mas que, acima de tudo, assume a postura de guerreira e vencedora a cada dia que passa. Em esquema de mutirão, foram distribuídas 20 mil rosas vermelhas para todas as trabalhadoras da saúde. A matéria especial fala sobre uma bebida que está no gosto da maioria das pessoas: a cerveja. Vista atualmente como uma bebida para ocasiões informais, a cerveja, no passado, já foi usada como remédio e até como recompensa em sistemas de troca. A abordagem feita na matéria é totalmente diferente, uma vez que buscamos mostrar o lado histórico e cultural dessa popular e interessante bebida. Fomos até a Cervejaria Universitária, em Barão Geraldo, Campinas, falar com o mestre-cervejeiro Reynaldo Fogagnolli, que há 17 anos estuda a cerveja

4 - EM CENA - maio/junho 2008

e procura aprimorar os paladares de diversas pessoas que ali freqüentam. Visitamos Araras para mostrar as peculiaridades dessa pequena cidade de 150 mil habitantes, mas que chama a atenção pelo fato de ainda hospedar a rainha da Suécia, Sílvia Renata de Toledo Sommerlat, que quando criança já tinha o hábito de passar férias na Fazenda Belmonte, de sua família. A conta-salário, uma segurança para as empresas e que muitos trabalhadores usam atualmente, também foi analisada, tudo para que ninguém seja lesado com cobranças indevidas de taxas neste serviço oferecido pelos bancos. Na questão da saúde, dois assuntos foram abordados de forma descontraída e curiosa: a acupuntura, uma prática chinesa milenar, que a cada dia ganha mais adeptos; e um estudo sobre a personalidade, traço psicológico que todos temos, mas que ainda gera muito debate na medicina e psicanálise por não existir uma fórmula padrão para sua definição. Em nutrição, mostramos que o bom e velho feijão, alimento tão popular na culinária brasileira, guarda segredos para o seu cozimento. Já, no quesito moda, apresentamos, descontraidamente, as tendências do outono-inverno. Os desastres naturais no Brasil também são assuntos de uma matéria para lá de especial, assim como os lançamentos no cinema em 2008. Tudo para que vocês, trabalhadores da saúde e leitores, possam aprimorar seus conhecimentos, descontrair e ficar sempre EM CENA. Boa Leitura! Edison Laércio de Oliveira


expediente - cartas do leitor

“Caiu-me à mão o último exemplar da revista Em Cena e eu não poderia deixar de cumprimentar toda a equipe que a produz pela escolha dos temas abordados e pela maneira de fazê-los. Excelente a matéria com o presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira. É bom saber que o Sindicato se preocupa também com a saúde do nosso Planeta, que anda tão precária justamente pela falta de eventos como a Ofisaec. As reportagens sobre os problemas decorrentes dos financiamentos longos, cada vez mais acessíveis, sobre os perigos das dietas radicais e, principalmente, sobre o risco de perda da audição, gerado pelas novas tecnologias (MP3, MP4, iPod, etc.) sonoras tornam a revista Em Cena uma verdadeira prestadora de serviço. Parabéns a todos os colaboradores!” Lúcia Helena Lahoz Morelli – Campinas

“Sempre procuro uma edição da Em Cena quando vou à clinica da minha médica. O tempo na fila do consultório até voa quando começo a ler! A revista me traz informações importantes, relativas à saúde, como os riscos causados pelos aparelhos de MP3. Parabéns pela matéria! As dicas de cinema e lazer no final também são bem interessantes. A revista é uma ótima alternativa!”

“Recebi a revista Em Cena no HMCP (Hospital e Maternidade Celso Pierro – PUCC). Adorei! Estava aguardando para colher material para exames e aproveitei a leitura. Gostaria muito de participar da coluna ‘Transformação’. Estou em um momento que gostaria de mudar o visual para positivar o ano de 2008 e melhorar a auto-estima.”

Adriana Ribeiro - Campinas

“Recebi uma mensagem de e-mail falando sobre os cuidados com o Planeta, o que vem de encontro com o que eu li na revista Em Cena, editada pelo Sindicato, que traz a reportagem ‘Cuide do Planeta’. Muito legal e importante. Parabéns ao presidente do Sinsaúde, Edison Laércio de Oliveira, e aos responsáveis pela publicação da revista, com meus cumprimentos pela reportagem sobre o meio ambiente.” Tânia Mara - Campinas

Rafael Melo - Campinas

“Estive lendo a matéria sobre a quinoa e achei muito interessante. Eu a conhecia e uso para meu consumo, porém não sabia da necessidade de ferver a quinoa. Eu costumo pedalar longas distâncias, 60 a 90 quilômetros, e durante este percurso costumo consumir a quinoa + gergelin, ambos torrados. Pela sua experiência será que seria interessante lavar a quinoa antes de torrá-la?” Thiago A. Lucatto – Campinas Edina Sakamoto responde: “Sim, a recomendação para lavar ou aferventar a quinoa antes do consumo é devido a presença de fatores antinutricionais. Para atividades físicas de longa duração, o consumo de alimentos, como a quinoa e o gergelim podem suprir a demanda de energia. Uma outra opção são as barrinhas de quinoa e frutas desidratadas, encontradas em lojas de produtos naturais.”

EXPEDIENTE Esta é uma publicação do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Campinas (Sinsaúde) site: www.sinsaude.org.br e-mail: sinsaude@sinsaude.org.br Tiragem: 20 mil exemplares Presidente: Edison Laércio de Oliveira Diretora Departamento de Comunicação: Sofia Rodrigues do Nascimento

Redação e Criação: Domma Editorial site: www.domma.com.br e-mail: domma@domma.com.br Editora responsável: Sirlene Nogueira - Mtb 15.114 Redação: Sirlene Nogueira/Vera Bison - Mtb 12.391 Colaboração: Marcus Sousa Projeto Gráfico: Javé Editoração: Felipe Teixeira Fotografia: Ari Ferreira Capa: Ari Ferreira/Jones Stecca

maio/junho 2008 - EM CENA - 5


reportagem - especial

Um brinde à cerveja! Apreciada por milhões de pessoas e produzida em larga escala no mundo inteiro, a cerveja também é considerada a bebida dos amigos. Consumida com equilíbrio ela traz benefícios para a saúde, mas o uso abusivo dela e de outras bebidas alcoólicas é apontado como a causa da maioria do acidentes de trânsito. Conheça mais sobre essa curiosa bebida milenar.

O

país que mais a consome é a República Tcheca, com 156.9 litros per capta por ano. Em seguida vem a Irlanda, com 131.1 litros e a Alemanha, com seus 115.8 litros consumidos. Os dados são do World Drink Trends que mostra o Brasil no 33º lugar do ranking, com 47.6 litros consumidos por pessoa anualmente. A cerveja é uma bebida produzida a partir da fermentação da cevada maltada com outros cereais e acredita-se que tenha sido uma das primeiras bebidas alcoólicas a ser desenvolvida pelo homem. Embora na atualidade esteja associada a festas e diversão, em sua origem a cerveja desfruta de um conceito cultural consolidado a partir da troca de experiências e dedicação de muitos mestres-cerReynaldo Fogagnolli vejeiros. Um dos poucos mestres mestre-cervejeiro existentes no Brasil, Reynaldo 6 - EM CENA - maio/junho 2008

Fogagnolli, se dedica ao estudo da cerveja há 17 anos. Com formação na Alemanha – no Brasil, o único curso em nível técnico é oferecido pelo Senai de Vassouras/ RJ, Fagagnolli, além de produzir a bebida, dedica-se a elaborar projetos e prestar consultorias a microcervejarias no País. Ferrenho defensor da bebida, ele se arrisca a dizer que a cerveja deve ser vista como um complemento alimentar e não como uma bebida qualquer. “Se você a vê assim, saberá que só com moderação é possível apreciar uma boa bebida”, acentua ele. Ainda que possa parecer contraditório, o mestre-cervejeiro se posiciona de forma contrária à propaganda nos moldes em que é mostrada hoje no Brasil. “O apelo é para o excesso. A publicidade, em geral, induz ao consumo de álcool e sempre mostra situações de alto consumo. Isto não é bom”, define Fagagnoli. E se o objetivo é esse, os números mostram que o mercado da bebida é promissor. De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv), por ano, o mercado cervejeiro movimenta no Planeta mais de R$ 200 bilhões. Somente no Brasil são R$20


bilhões que as empresas faturam por ano. Nos últimos cincom Pasteur, possibilitando a destruição de indesejáveis co anos, as indústrias cervejeiras brasileiras investiram mais microorganismos) e com a mecanização do processo de R$ 3 bilhões, com dez novas indústrias entrando em produtivo, dá-se um grande desenvolvimento da indústria operação, além de ampliações e mocervejeira. dernizações em fábricas já existentes. Hoje, o mercado das cervejas, maior que o O setor gera 37 mil empregos dos vinhos, possibilita um negócio globalizado diretos, além de outros 100 mil e é composto por grandes marcas de grandes indiretos. Hoje, existem 42 fábricas empresas multinacionais, incluindo também espalhadas por todo o País, configumilhares de pequenos produtores locais. rando um parque industrial que, por realizar investimentos em expansão e Os tipos de cerveja modernização cada vez mais intenCom a atual produção de cerveja no mundo sos, desfruta de elevado prestígio inteiro é possível diversificar seu formato e sua internacional. Quando se fala em composição, o que as diferenciam em seus tipos. consumo nacional de bebidas, a De acordo com Reynaldo Fogagnolli, no mundo cerveja está em segundo lugar no existem mais de 300 tipos. Dentre eles, os mais ranking, perdendo apenas para os populares são “ale” e “largers”. A “ale” é um tipo refrigerantes. O tipo Pielsen fica com de alta fermentação, muito popular na Grã-BreJones Stecca apreciador 97,1% da preferência brasileira. tanha e Irlanda, incluindo suas derivações, como as mild (meio amargas), bitter (amargas), pale ale Ninkasi, a deusa da cerveja (ale clara), porter (cerveja escura muito apreciada por estivaNão se sabe ao certo quando a cerveja foi inventada. Os dores) e stout (cerveja preta forte). Para o apreciador e coleestudiosos acreditam que vem de 2600 a 2350 a.C., pois cionador de garrafas premium, Jones Stecca, as cervejas de desta época, arqueólogos encontraram indícios, escritos alta fermentação possuem um sabor diferenciado. “Elas são em uma placa de barro com o Hino a Ninkasi, a deusa da mais saborosas, pois incluem uma variedade de sabores de cerveja, de que os sumérios já produziam a bebida. cereais e ésteres que são produzidos durante a fermentação, Os egípcios produziam cervejas há mais de 5.000 anos, conferindo-lhes aroma frutado. São também de baixo teor e foram os primeiros a regulamentar a venda da bebida. Os de gás carbônico, fermentadas e servidas idealmente numa babilônios já fabricavam mais de 16 tipos de líquidos deritemperatura mais elevada do que as largers”, diz Jones. vados de cevada, trigo e mel há mais de 4.000 anos a.C. Na Em seguida, têm as cervejas de baixa fermentação, América do Sul, séculos antes da chegada dos espanhóis, os conhecidas como “largers”, onde a levedura utilizada sediincas já bebiam cerveja de grãos de milho. menta e se deposita no fundo do tanque. Uma derivação O mais antigo código de leis conhecido, o de Hamurabi deste tipo são as cervejas “pilsen”, altamente consumidas da Babilônia (cerca de 1770 a.C.), declara que a pena de no Brasil. É uma cerveja do tipo lager, amarga, de colomorte poderia ser imposta àqueles que diluíam a cerveja ração dourada e bastante transparente. Para o também que vendiam. Na Idade Média, a apreciador de cervejas, Antoine Rovis, as pilsens bebida foi utilizada como mercapossuem um sabor mais leve, boas para ocasiões doria para comércio, pagamento e informais. “Eu gosto da pilsen, principalmente impostos. Os monges aprimoraram a alemã, por possuir um sabor mais encorpado, a tecnologia de produção da cerveja menos aguado”. Antoine nasceu em Bruxelas, e, de certa forma, foram os primeina Bélgica, e desde criança cresceu apreciando ros vendedores por atacado desse a bebida. “Sempre ia com meu pai em lugares produto. nos arredores de Bruxelas, onde provávamos No século 14, a cidade de Hamvários tipos de cerveja, cada um com seu gosto burgo, no norte da Alemanha, torespecial, peculiaridade do cervejeiro que a fazia”, nou-se o centro cervejeiro da Europa, diz Antoine. com mais de mil mestres-cervejeiros. Também existem as cervejas de fermentação Considera-se Gambrinus o patroespontânea, onde as leveduras selvagens existenno dos cervejeiros em todo o mundo. tes no ar ambiente fornecem a fermentação, e a Já, o lendário Rei de Flandres, região cerveja sem álcool, cujo álcool é suprimido pelo Antoine Rovis apreciador da França, possuía grandes habilidavácuo. des em produzir a cerveja fermentada Na busca por novos sabores, Reynaldo e é considerado, hoje, o inventor da bebida. Fogagnolli desenvolveu na Cervejaria Universitária (Barão No século 19, com a pasteurização (a partir de 1857, Geraldo, distrito de Campinas) onde é proprietário há

maio/junho 2008 - EM CENA - 7


reportagem - especial

seis anos, inúmeros tipos de cervejas. Uma delas é a “Expresso Curto”, escura, de alta fermentação e um diferenciado paladar de café. Outra produzida por ele é a “Vermelho 27 (Índia)”, como o próprio nome já diz, tem uma cor avermelhada e um acentuado gosto amargo. O nome Índia foi batizado em virtude de que na época da Índia-Colônia, tudo vinha da Inglaterra por navio, até mesmo a cerveja. Esta, devido o tempo no transporte chegava azeda. Para que ela chegasse em bom estado, o cervejeiro duplicou o lúpulo, impedindo bactéria de interagir na bebida, conservandoa. E, por fim, tem a Kings, que é mais suave e delicada no sabor, sendo a cerveja mais consumida na Cervejaria Universitária. Antioxidante e antibiótico natural Como qualquer outro produto de fabricação natural, a cerveja também oferece benefícios ao organismo. Claro que o consumo deve ser feito de forma moderada; o exagero, sim, trás malefícios. No 2º Simpósio de Saúde e Cerveja, realizado em 2001 na cidade de Bruxelas, Bélgica, foram apresentadas aos membros do Parlamento Europeu, imprensa e público em geral as pesquisas científicas sobre os benefícios do consumo moderado de cerveja. De certa forma, não surpreendentemente, um dos importantes benefícios da cerveja, principalmente aquela produzida com malte de cevada, é a ação antioxidante, uma vez que cereais e grãos são uma ótima fonte de elementos não suscetíveis à oxidação, os polifenóis que contribuem para a prevenção do envelhecimento precoce. Outros benefícios são fornecidos por um ingrediente essencial na composição da cerveja: o lúpulo. Responsável pelo aroma e amargor, característicos da cerveja, e apreciado por matar a sede, o lúpulo e seus derivados também agem como antibiótico natural, além de outras propriedades medicinais. A composição da cerveja também pode ser considerada benéfica para a saúde humana. Ela é livre de microorganismos patogênicos, que não sobrevivem nela, possui compostos com ação antiinflamatória e sedativos que combatem o estresse e induzem o sono, além de possuir compostos amargos (lúpulo) que estimulam a digestão, devido o aumento da produção de ácidos. Também é atribuída à cerveja o estímulo do fluxo de sangue, facilitando a digestão e estimulando o apetite, benéfico para pessoas com dificuldades nutricionais, além de possuir compostos com ação diurética e efeitos benéficos nos problemas de bexiga. Cientistas alemães acreditam que a cerveja poderá ajudar a emagrecer, prevenir o câncer ou mesmo retardar o envelhecimento em um futuro próximo. Eles afirmam que, no futuro, cervejas transgênicas poderão conter calorias que não serão absorvidas pelo corpo humano. Como a cerveja tem um efeito diurético, a bebida poderia ajudar no emagrecimento. De acordo com uma rede de televisão inglesa, a Universidade de Weihenstephan, no sul da Alemanha, também acredita nos benefícios da bebida à saúde. A universidade desenvolveu uma cerveja com ingredientes que podem prevenir o câncer. Para a Associação de Cervejarias Alemãs, beber cerveja é saudável, mesmo sem a adição de outros ingredientes. Ela faz bem

8 - EM CENA - maio/junho 2008


Estudo acaba com o mito da barriguinha Pesquisadores do Reino Unido, da República Checa e Espanha alegam que não há razões para culpar a popular bebida pelo aumento do tamanho da barriga. Segundo eles, se existe um responsável por isso, não é a cerveja, que é pouco calórica em relação a outras bebidas alcoólicas. O fato de a cerveja gerar aquela barriguinha é um mito infundado, segundo recentes estudos científicos. Uma equipe de pesquisadores do Reino Unido e da República Checa fez um estudo, para o qual entrevistaram um grupo de checos, considerados os maiores consumidores de cerveja do mundo, não encontraram nenhuma relação científica entre a quantidade de cerveja consumida e as dimensões da barriga. O estudo foi feito pelo especialista Martin Bobak, da University College, de Londres, e seus colegas do Instituto de Medicina Experimental e Clínica de Praga e envolveram 891 homens checos e 1.098 mulheres, com idades entre 25 e 64 anos. A queda do mito da “barriga de cerveja” se vê reforçado por outro estudo de especialistas espanhóis, segundo o qual o consumo moderado de cerveja não altera o peso, nem a massa corporal. A especialista Ascensión Marcos, do Departamento de Metabolismo

para o coração e ajuda na prevenção de osteoporose, entre outras doenças. Para tanto, o consumo deve ser moderado - no máximo dois copos médios de cerveja por dia, ou 800 ml. Quem bebe mais do que isso ingere muito álcool, o que acaba prejudicando o organismo. A cerveja tem revelado, em estudos laboratoriais, clínicos e epidemiológicos, propriedades benéficas ou protetoras no que se refere à osteoporose, obesidade e câncer da mama, doenças que afetam particularmente as mulheres. O silício, mineral que existe em abundância na cerveja, favorece o processo de formação dos ossos e pode prevenir a osteoporose. Um copo de cerveja por dia (com ou sem álcool) fornece, aproximadamente, 6 ml de silício, cerca de 20% da dose diária recomendada. O álcool (se ingerido em doses moderadas) demonstra proteger o organismo contra a doença coronária, através da modulação das moléculas de colesterol. Por reduzir os níveis de insulina, pode prevenir o aparecimento de diabetes do tipo 2. Entretanto, é extremamente importante ressaltar a importância do consumo moderado para que se possa alcançar esses benefícios. A recomendação é de, no máximo, três copos diários (800 ml), preferencialmente às refeições. Mais que isso é prejudicial à saúde. O consumo regular e moderado pode se tornar um estilo saudável de vida, juntamente com uma alimentação equilibrada. Consumo excessivo traz doenças O consumo irracional de qualquer bebida alcoólica causa problemas sérios à saúde e à sociedade. De acordo com pesquisas realizadas por nutricionistas brasileiros, tomar cerveja de estômago vazio provoca hipoglicemia (baixas taxas de açúcar no sangue) com sintomas de palidez, tontura, fraqueza e mal-estar geral. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas aumenta a diurese e a desidra-

e Nutrição do Conselho Superior de Pesquisas Científicas espanhol, ressalta que “a cerveja é uma bebida composta por quatro ingredientes naturais, que contêm muito pouco álcool, nada de gordura e 45 calorias por cada 100 mililitros ingeridos”. Segundo a pesquisadora, o problema do sobrepeso é a quantidade de calorias ingeridas: “As recomendações dietéticas asseguram que o consumo de 2.000 calorias para as mulheres e de 2.500 para os homens está dentro da normalidade, por isso, uma cerveja ao dia equivaleria a 3,5% da ingestão calórica diária recomendada.” Para a especialista espanhola, o aporte calórico da cerveja é similar ao de bebidas refrescantes à base de cola ou sucos de fruta. Além disso, é muito inferior a de outras bebidas alcoólicas, como as 312 calorias do anis, as 244 do uísque ou as 60/80 do vinho de mesa. “De qualquer maneira, a cerveja sempre deve ser consumida com moderação, ao passo que o princípio de uma alimentação saudável e equilibrada, que aporte todos os nutrientes necessários para satisfazer as necessidades metabólicas, deve ser respeitado”, destaca Ascensión Marcos.

tação, levando com isso à perda de importantes vitaminas hidrossolúveis (C e Complexo B) e minerais, como cálcio, zinco e magnésio. O uso crônico pode causar problemas no fígado, no aparelho digestivo (gastrite, úlcera, etc.), e o consumo excessivo pode atrapalhar na fertilidade, além de aumentar os riscos de doenças cardiorrespiratórias e infartos. O uso contínuo pode levar ao alcoolismo, o que afetará o convívio social da pessoa. Este, com certeza é o problema mais grave que o consumo sem moderação da cerveja pode ocasionar. As pessoas consomem bebidas alcoólicas cada vez mais cedo e o alcoolismo está mais que presente na sociedade. A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica a doença do alcoolismo como síndrome de causas múltiplas. E, fora do âmbito da ciência, o termo mais usado é ainda o que mais fere e humilha o alcoólatra, o vício. Em 1998, uma pesquisa feita por especialistas da USP e do IML revelou que entre 5.700 pessoas que morreram de causas não naturais na Grande São Paulo, 48% estavam submetidas ao efeito do álcool. Não é difícil supor que tal média se repita em outras grandes regiões metropolitanas do País. Em 1999, cidades como Curitiba e São Paulo elegeram o álcool como principal inimigo público na luta contra a criminalidade, lançando planos para reduzir o consumo de bebida em situações de risco. Curitiba executou uma operação para fechar bares que trabalhavam sem licença, após ter 58 mortes na região metropolitana em três meses - alta de 38% em relação ao mesmo período do ano anterior. Quase um quarto das mortes ocorreu dentro de botecos da periferia ou nas proximidades. Na cidade de Belém, para conter arruaças promovidas por gangues de adolescentes, a polícia obrigou os bares a funcionar somente até a meia-noite nos finais de semana. A restrição foi derrubada na Justiça,

maio/junho 2008 - EM CENA - 9


reportagem - especial

mas as autoridades continuaram fechando ou impondo sanções a estabelecimentos em situação irregular. Como resultado, os casos de desordem nas ruas foram reduzidos a um terço e os homicídios caíram pela metade. Na época, estimou-se que 30% dos crimes no Brasil fossem cometidos sob influência da bebida. As capitais com maiores porcentuais de consumo de álcool em excesso eram Salvador, Recife e Teresina. Os menores índices estavam em Boa Vista, Curitiba e São Paulo. Entre todos os menores de idade, 16% confessaram abusar da bebida. Assustada com os níveis atuais de consumo de álcool, a Organização Mundial de Saúde (OMS) começou a traçar estratégias internacionais para combater o abuso da bebida, principalmente entre os jovens. Em março de 2001, ministros da Saúde dos países europeus lançaram uma declaração conjunta em uma conferência sobre o assunto em Estocolmo, na Suécia, visando à redução dos efeitos nocivos do alcoolismo, que, de acordo com a OMS, tem alto custo para a saúde pública. Para o indivíduo, o difícil mesmo é saber quando a cervejinha da refeição ou o uísque da happy hour passam a constituir algo mais sério e viram doença. A cerveja e a publicidade A publicidade de bebidas alcoólicas no Brasil é um assunto que tem sido muito discutido atualmente. Visando evitar o estímulo ao consumo por parte dos jovens menores de idade, as autoridades criam restrições que tentam proteger as crianças e adolescentes e tirá-los do foco das produções publicitárias. Para o Congresso Nacional, a publicidade de bebidas alcoólicas estimula o consumo desenfreado, que pode causar acidentes e problemas para a população. Em função disso, em 2003, o Conselho de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar) passou a desestimular o uso de animais humanizados em propagandas de bebidas alcoólicas e cigarros, assim como orientou que as pessoas que aparecem na propaganda devem ter e aparentar uma idade superior a 25 anos. Em abril de 2008, o estímulo ao consumo exagerado ou irresponsável, argumentos que associem a bebida à coragem, maturidade ou êxito profissional também foram desestimulados, assim como o apelo sexual, para sugerir a ingestão do produto. Para a publicitária e professora da PUC-Campinas, Claudia Trevisan, a Cláudia Trevisan publicidade de bebidas publicitária

10 - EM CENA - maio/junho 2008

alcoólicas estimula a venda do produto, mas não é responsável pelo consumo inconseqüente. “Vale lembrar que a publicidade impulsiona a venda do produto. O consumo inconseqüente ocorre da parte daquele sujeito social que não compreende seu papel junto à sociedade, como, por exemplo, venda do produto para menores, consumo indevido do produto ou ainda quem dirige embriagado”, diz Claudia. Somente no Brasil, o segmento de cervejas mo-

vimenta R$ 20 bilhões por ano. A cifra gasta por este setor com publicidade em 2006 ultrapassou a marca dos R$ 700 milhões. No rádio e na televisão, elas estão restritas ao horário entre 6 horas e 21h30, sempre contendo frase de advertência sobre os riscos da ingestão desse tipo de bebida. Tais regras contemplam o Código Brasileiro de Auto-Regulamentação Publicitária. As empresas que não cumprem podem receber uma advertência do Conar e os meios de comunicação devem suspender a veiculação. Ainda que restritivas, essas medidas são melhores do que correr o risco de sanções previstas em projetos de lei que estão no Senado e na Câmara dos Deputados, em Brasília. Na maioria das vezes, esses projetos sugerem a retirada das propagandas de bebidas dos meios de comunicação, assim como foi feito com a indústria de cigarros. Para Cláudia, a publicidade de bebidas alcoólicas no Brasil tende a encontrar um novo caminho. “Com restrições ou não, outras estratégias de comunicação e de marketing serão criadas para se atingir os resultados esperados pelo cliente-anunciante. Novos conteúdos nas mensagens publicitárias, novos formatos de anúncios, novos mecanismos de divulgação, entre outros”, diz Cláudia.


economia - conta-salário

Conta-salário Uma segurança para as empresas, mas que às vezes se torna uma dor de cabeça para os trabalhadores

R

eceber o salário todos os meses no banco é uma forma segura e prática de gerenciar o próprio dinheiro. As grandes empresas em geral optam pelo pagamento de seus funcionários por meio da rede bancária, o que lhes garante segurança e praticidade dado ao grande número de funcionários contratados. Na maior parte dos casos, é utilizada uma modalidade de serviço bancário denominado conta-salário, um tipo especial de conta de registro e controle de fluxo de recursos. Por meio dela é possível receber salários, proventos, soldos, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares. Os depósitos feitos nas contas-salário só podem ser efetuados pelas entidades pagadoras, ou seja, as empresas. Dessa forma, o trabalhador não precisa se preocupar com esse tipo de transação. “Dentre os benefícios oferecidos pelas contassalário está a possibilidade do empregado transferir o seu salário para outra conta diferente daquela aberta pelo empregador, sem precisar pagar tarifa por isso. Caso o empregado formalize o pedido no banco contratado pela empresa pagadora, os recursos devem ser transferidos para o banco escolhido pelo empregado, no mesmo dia do crédito, até às 12h”, explica Anselmo Bianco, diretor do Departamento Jurídico do Sinsaúde Campinas e Região. O empregado também pode optar pelo saque dos recursos da própria “conta-salário” ou pela sua transferência para conta-corrente de depósitos aberta no mesmo banco. “Porém deve-se manter grande atenção sobre esse serviço, já que muitas empresas utilizam as contas-salário de forma errada, descaracterizando o serviço e os bancos, por sua vez, cobram taxas que por lei, não devem ser cobradas”, esclarece Onirde Aparecida da Silva, advogada do Sinsaúde. Nem toda conta usada para recebimento de salário é uma contasalário. Se o contrato foi assinado Anselmo Bianco entre o banco e o correntista, diretor jurídico do Sinsaúde mesmo que a pedido da empresa

empregadora, trata-se de conta-corrente normal, sujeita à cobrança das tarifas permitidas pela regulamentação em vigor. “A abertura da conta-salário é função do empregador e não do empregado”, diz Anselmo. Nessas contas, o contrato é firmado entre a instituição financeira e a empresa, que também é responsável pela identificação dos beneficiários. Nas contas-salário, é vedada a cobrança de tarifa nas transferências dos recursos para outro banco, além de também ser proibida a arrecadação tarifária nas transferências dos recursos em contas da mesma instituição financeira. No fornecimento de cartão magnético, só é permitida a cobrança nos casos de pedidos de reposição decorrentes de perda, roubo, danificação e outros motivos não imputáveis à instituição financeira. Algumas operações podem ser realizadas pelos trabalhadores mantendo-se a isenção de tarifas. É o caso da realização de até cinco saques, ou seja, por cada depósito feito pelo empregador. Outra possibilidade para o trabalhador é o acesso a pelo menos duas consultas mensais ao saldo nos terminais de auto-atendimento ou diretamente no guichê do caixa. Também é garantido, por meio dos terminais de auto-atendimento ou diretamente no guichê de caixa, de pelo menos dois extratos com toda a movimentação da conta nos últimos 30 dias. Por fim, a manutenção da conta, inclusive no caso de não haver movimentação por parte do titular na mesma, também é totalmente isenta de tarifas nas contassalário. “O funcionário deve estar atento, pois se ele extrapolar os limites estabelecidos no serviço, a conta passa a ser considerada ‘normal’, permitindo aos bancos engordarem seus gordos cofres com a cobrança de tarifas”, conclui Anselmo Onirde Aparecida da Silva advogada do Sinsaúde Bianco. maio/junho 2008 - EM CENA - 11


saúde/comportamento - personalidade

Por que

você é assim?

A personalidade humana é alvo de estudo há muito tempo e só agora as respostas começaram a aparecer

D

e acordo com o dicionário Houaiss, a palavra personalidade pode ser definida como aquilo que diferencia alguém dos demais, uma qualidade essencial de uma pessoa, a identidade pessoal, o caráter e a originalidade de um ser. Ao longo do tempo, cientistas, filósofos, psicólogos, neurologistas e vários outros profissionais tentam decifrar um campo que gera intrigas, mas que até hoje abriga muitos mistérios: a individualidade humana. Como ela é formada? O que determina o caráter de uma pessoa? Como seu comportamento é regido dentro de seu cérebro? Freud define a formação da personalidade por três vertentes. A primeira é a Id (identificação), que é formada por instintos, impulsos orgânicos e desejos inconscientes, regidos pelo princípio do prazer. A Id, a princípio, responde às necessidades do indivíduo ao nascer, ou seja, ao nascer, a pessoa está voltada para as suas necessidades básicas. A segunda é o Superego, que é o inconsciente, a censura das pulsões que a sociedade e a cultura impõem ao Id, impedindo-o de satisfazer plenamente os seus instintos e desejos. Por fim, o Ego, ou o “Eu”, sendo o centro da consciência, a soma total de pensamentos, idéias, sentimentos, lembranças e percepções sensoriais, e submetido ao Superego e à Id. Os estudos realizados ao longo dos tempos por todo o Planeta tentam desvendar o que se passa dentro da mente humana e sua reação aos estímulos externos, como a educação vinda dos pais ou a influência de amigos. Já se sabe que a genética não determina o comportamento Savéria Eliete D´Onofrio humano. O DNA possibilita psiquiatra e psicoterapeuta e favorece determinados

12 - EM CENA - maio/junho 2008

tipos de comportamento, mas não os determina. A genética não é um destino, mas sim uma possibilidade. Ela não define o caminho, mas oferece predisposições de acordo com as influências ambientais. Na definição de Freud, a genética se enquadra no campo da Id. Também se sabe que os pais influenciam, pela educação, na formação da personalidade dos filhos. Mas isso ocorre de maneira totalmente imprevisível. É certo que é com os pais que o bebê recémnascido começa a ter


contato com o mundo e aprende os limites entre o certo e o errado, as regras morais e as convenções da civilização. “Os pais têm grande importância na formação da personalidade dos filhos pelo fato de ser com eles que a criança aprenderá a sobreviver e a reproduzir o que aprendeu”, explica a psiquiatra e psicoterapeuta Savéria Eliete D’Onofrio. Por isso, a maioria das pessoas conclui que os pensamentos são construídos a partir das relações externas, ou seja, só há personalidade se houver interação com outro ser e, na maioria das vezes, esse outro ser são os próprios pais. Outro fator que também influencia fortemente na formação da personalidade é a influência das amizades. Um grande desafio encontrado pelo ser humano, socialmente, é o destaque entre seus iguais. Ao se identificar com um determinado grupo de pessoas, a criança tende a agir conforme as regras daquele grupo, tentando encontrar uma posição que lhe renda um bom lugar entre os membros. Cada um tem sua forma de destaque e aceitação na turma. A identificação com o grupo e a aceitação ou rejeição por parte dele deixam marcas permanentes na personalidade. No final, os pais não estão errados em se preocupar com as companhias dos filhos. Para a psiquiatra Savéria, os valores da sociedade influenciam muito no comportamento humano e sofrem variações no decorrer dos tempos. “É como a questão do homossexualismo, que antigamente era interpretado como doença. Hoje já não é mais, pois a sociedade entende isso como uma opção pessoal”, diz. Os estudos também apontam que a educação influencia na formação da personalidade, mas não é determinante, já que os traços do comportamento dependem de fatores

As irmãs gêmeas Thaísa e Fernanda Franco foram criadas de forma diferente para que cada uma pudesse desenvolver sua própria personalidade

totalmente imprevisíveis. Por isso, nem sempre os pais devem ser culpados por atos errôneos cometidos pelos filhos, o que acontece constantemente. Em muitos casos, filhos que recebem a mesma educação acabam seguindo caminhos diferentes. Porém, até hoje a ciência não sabe explicar a diferença entre irmãos. Gêmeos ou não, muitas vezes eles desenvolvem personalidades totalmente distintas. Um pode ser extremamente extrovertido e dinâmico, enquanto o outro é mais tímido e recluso. É o caso das irmãs gêmeas Thaísa e Fernanda Franco. Quando crianças foram criadas pela mãe de forma diferente, sob orientação do pediatra, para que cada uma pudesse desenvolver sua própria personalidade. A mãe nunca as vestiu de forma igual e sempre explorou seus talentos individuais. Na escola, Thaísa era melhor em Matemática, Física e Língua Portuguesa, enquanto Fernanda se destacava em Química, História e Geografia. Hoje, ambas têm gostos totalmente opostos. Thaísa é mais caseira e mais paciente com assuntos delicados e Fernanda é mais extrovertida, dinâmica e adora uma ‘balada’. “A única semelhança é que nascemos no mesmo dia”, brinca Thaísa. Uma coisa é certa: é possível mudar de personalidade. Na verdade, todos fazem isso a toda hora, de acordo com o meio e situações em que se encontram. O comportamento também é diferente com pessoas de idade, sexo ou posição social diferentes. Não existe uma regra geral que dita a formação do comportamento humano. “Não se tem regras ao se definir o ser humano. Todos estão sujeitos a vários tipos de influências e isso vai definir seu comportamento e sua personalidade”, diz a médica Savéria. Ter a consciência de si próprio, conhecer a própria personalidade e entender sua origem é um trabalho que dura a vida toda. Mas talvez o caminho do autoconhecimento, a mudança do que é possível e o contentamento consigo mesmo pode ser o grande desafio da vida. Fonte: Savéria Eliete D´Onofrio - (19) 3524-0849

maio/junho 2008 - EM CENA - 13


saúde/bem-estar - acupuntura

Acupuntura A técnica chinesa que invadiu o ocidente

N

a correria do dia-a-dia atual é inevitável o estresse e a preocupação em função das várias tarefas que as pessoas agregam. Família, trabalho, compromissos, finanças, enfim, tudo contribui para o desgaste emocional e físico. Buscando equilibrar essa rotina e evitar resultados mais drásticos, as pessoas encontraram diferentes soluções, principalmente no campo medicinal alternativo. Uma delas é a acupuntura, uma técnica terapêutica milenar que utiliza agulhas, moxas e outros instrumentos para liberar substâncias químicas no organismo com efeito analgésico ou antiinflamatório e, assim, aliviar dor e outros sintomas decorrentes de determinadas doenças. A fisioterapeuta e acupunturista Karen Oliveira ressalta que a acupuntura não só serve para combater dores e enfermidades, mas também para ajudar a melhorar a saúde corpórea. “Os benefícios da acupuntura atingem níveis físicos e emocionais. Ela é usada para combater dores e promover um tratamento geral do corpo, além de criar resistências para prevenir futuros desgastes”, define ela. A acupuntura é um método terapêutico antigo, utilizado há aproximadamente 5 mil anos no Oriente. Foi desenvolvida na China e mais tarde incorporada ao arsenal terapêutico da medicina em outros países orientais, como Japão, Coréia e Vietnã. A origem do termo é atribuída a um jesuíta europeu do século 17, que adaptou os termos chineses Zhen Jiu, juntando as palavras latinas Acum (que significa agulha) e Punctum (picada ou punção). Evidências científicas acumulam-se acerca da eficácia desse tratamento e a Karen Oliveira fisioterapeuta intimidade de seu mecanismo de ação

14 - EM CENA - maio/junho 2008

é pesquisada em muitos centros médicos do mundo, incluindo escolas médicas e hospitais universitários na China e no Brasil. Além de prover um efeito analgésico, a acupuntura provoca múltiplas respostas biológicas. Estudos em animais e humanos mostram que o estímulo por acupuntura pode ativar a melhora do fluxo sanguíneo e também a estimulação da função imunológica. Edison Laércio de Oliveira, presidente do Sinsaúde, é um usuário da acupuntura e se diz muito satisfeito com o tratamento. “A acupuntura ajuda a aliviar o estresse do dia-a-dia e me sinto muito mais saudável e disposto. É um tratamento muito bom e eu recomendo”, diz Edison. No Brasil, a acupuntura foi recentemente considerada uma especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB), tendo sido realizado, em outubro de 1999, o primeiro concurso para o Título de Especialista em Acupuntura, no qual mais de 800 médicos foram aprovados. Uma indicação para o uso da acupuntura é para mulheres grávidas. Além de aliviar as dores da gestação, o tratamento também diminui a ansiedade da futura mamãe, mantém a tranqüilidade e a saúde ao bebê; benefícios que serão refletidos na personalidade da criança após o nascimento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) lista mais de 40 doenças para as quais a acupuntura é indicada. Para os chineses tradicionais existem cerca de 300 doenças tratáveis pela acupuntura, entre elas, sinusite, rinite, resfriado, dor no peito, palpitações, bronquite crônica, asma, gripe, diarréia, entre tantas outras. De acordo com Karen Oliveira, a única ressalva para o tratamento na acupuntura é para pacientes com uso de cortisona, pois o efeito do remédio oculta e dificulta o diagnóstico feito pelo acupunturista. Fonte: Karen Oliveira - (19) 3829-4610


beleza - transformação

Nova cor e escova

renovam visual

“Sinto-me bonita e de bem com a vida quando olho no espelho.”

R

adiante com o novo visual, Ana Paula Ferreira dos Santos, técnica em contabilidade e funcionária do Hospital Dr. Cândido Ferreira, foi só sorriso ao sair da sessão ‘Transformação’. Ela viveu um dia de conto de fadas, “pois a alegria que os profissionais do salão me proporcionaram, fez-me sentir uma cinderela”, comenta a profissional da saúde. Toda essa alegria é de responsabilidade da equipe do Salão Afro Brasil, onde Ana Paula passou por uma transformação radical nos cabelos pelas mãos mágicas de Carlos Alberto Pereira dos Santos, o Beto. Primeiramente, o profissional fez uma escova definitiva nos cachos de Ana Paula. Em seguida, fez uma tintura especial na cor magenta. “Este produto, utilizado no cabelo, dá um efeito especial e muda de tonalidade conforme a luz”, explica Beto, que ficou satisfeito com o resultado. Para completar o look, Claúdio Leandro fez uma maquiagem leve e natural em tons prata e rosa na região dos olhos, uma base bronze no rosto e gloss para finalizar. “Uma maquiagem leve, própria para o dia a dia”, diz o maquiador. Mas o trabalho não estava completo. Faltava um

toque final nas mãos e a manicure Stela se encarregou de fazer as unhas. Feliz, Ana Paula agradeceu o presente que recebeu do Sinsaúde e o belíssimo trabalho feito pela equipe do Salão Afro Brasil. “O profissionalismo e a simpatia dos profissionais são impecáveis”, atesta Ana Paula, agradecida com o resultado. Fonte: Salão Afro Brasil - Av. João Jorge, 164 Campinas - fone (19) 3272-7882

PARTICIPE Se você quer participar da coluna ‘Transformação’ entre em contato com a Diretoria de Comunicação do Sinsaúde pelo e-mail: srodrigues@sinsaude.org.br ou escreva para: Av. João Jorge, 170, Vila Industrial - CEP: 13035-680 - Campinas/SP. O atendimento será feito por ordem de inscrição.

maio/junho 2008 - EM CENA - 31


nutrição - feijão

Feijão

a arte de cozinhar este rico alimento O grão, que é da família das leguminosas, faz bem ao paladar e à saúde e não há quem resista a um feijão bem temperado! Combinado com o arroz, faz a alegria gastronômica de muitos brasileiros. Se acrescentar paio e carne-seca, aí vira festa, ou melhor, feijoada!

U Edna Sakamoto nutricionista

m dos alimentos preferidos pelos brasileiros, o feijão reduz o mau colesterol em virtude de suas fibras e atua na prevenção de câncer e doenças cardíacas. Por ser rico em carboidratos complexos, ele sacia a fome e queima energia de forma lenta e constante, o que o credencia a estar presente em regimes alimentares. O feijão, alimento do grupo das leguminosas, parente do grão-de-bico, da lentilha, ervilha, soja e do amendoim, é, dentre os alimentos presentes na mesa do brasileiro, o mais rico em

32 - EM CENA - maio/junho 2008

nutrientes. Mas você sabe como prepará-lo para que ele não cause distúrbios desagradáveis, como, por exemplo, gases? Antes, porém, saiba que isso ocorre porque o feijão contém alguns carboidratos, como oligossacarídeos e fitatos (também conhecido como ácido fítico), considerados antinutricionais, que não são digeridos no trato gastrointestinal humano, porque o organismo não produz enzimas para estes compostos. Então, estes carboidratos acabam sendo fermentados por bactérias presentes no intestino, gerando gases, os flatos. “Eliminar o feijão da alimentação não é uma solução adequada para quem quer reduzir a produção de flatos, já que este alimento constitui uma fonte importante de proteínas, fibras e outros nutrientes”, aconselha a


nutricionista Edina Sakamoto. Uma dica com bons resultados “é deixar o feijão de molho na noite anterior na geladeira durante cerca de 12 horas. Pela manhã, trocar a água por mais três vezes com intervalo de uma hora entre as trocas. Após este processo, coloque nova água e leve ao fogo até levantar fervura, quando novamente a água deve ser trocada e aí sim o feijão está pronto para ser cozido e de preferência com algumas folhas de louro”, ensina a nutricionista. Ela explica que este procedimento ajuda a eliminar os oligossacarídeos e fitatos, reduzindo a formação de gases. Todos os alimentos com compostos não digeríveis produzem gases e, além do feijão, fazem parte desta lista ervilha, lentilha, soja, maçã, damasco, cereais, brócolis, couve-de-bruxelas, couve-flor, repolho, ovo, berinjela, cebola, entre outros. “Mas estes alimentos não devem ser excluídos da alimentação, pois são importantes fontes de vitaminas, proteína e minerais. Ao melhorar a mastigação e o processo de digestão, a produção de gases diminui consideravelmente”, explica Edina. Flatos x infarto Muita gente entra em desespero ao sentir dor no peito que irradia para o resto do corpo. Geralmente, a suspeita é de infarto e para ter certeza, o melhor é

procurar um hospital. Depois de alguns exames, muita gente tem a surpresa: a dor era causada por gases! A gravidade do infarto nem se compara com a dos gases, mas a sensação é bem parecida e o temor, justificado. Segundo os especialistas, os flatos pressionam o diafragma e a dor pode ser irradiada para o tórax, o que causa a sensação parecida com angina, que provoca dor no peito em virtude da insuficiência de oxigênio no músculo cardíaco. Quem tem histórico de gases, problemas digestivos, disfunção da flora intestinal e distensão do abdome deve ficar atento para não ser pego de surpresa por um ou outro problema. Tratar os distúrbios dos flatos requer um pouco de disciplina para reeducar o intestino, tratar a prisão de ventre e analisar a combinação dos alimentos ou possíveis intolerâncias. O feijão é um dos alimentos que provocam gases em algumas pessoas, “mas por ser uma excelente fonte de proteína e minerais, como o ferro, não deve ser retirado do consumo diário”, diz Edina Sakamoto. Se você tem problemas de flatos quando come feijão, não abra mão deste rico alimento, cozinhe-o conforme ensina a nutricionista Edina Sakamoto. Outra opção para combater os gases, segundo os ‘antigos’, é beber chá de hortelã ou erva-doce todos os dias. Fonte: Edna Sakamoto (esakamoto@terra.com.br)

Arroz com feijão: uma dupla perfeita As leguminosas e os cereais (arroz, milho, cevada, trigo), se consumidos em uma mesma refeição, faz com que o organismo aproveite parte das proteínas (aminoácidos) destes dois alimentos. Como os aminoácidos das leguminosas são diferentes dos presentes nos cereais, juntos eles constituem uma proteína completa, daí a importância nutricional desta combinação tipicamente brasileira: ‘arroz com feijão’. Um prato que está perdendo espaço nas mesas brasileiras por sanduíches, pizzas, salgadinhos e outros alimentos comercializados nas redes de fast-food, que são geralmente pobres em fibras e nutrientes. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde os anos 70, o consumo de feijão caiu 31% e o arroz, 23%. Muita gente acha que esses alimentos engordam. Mas os nutricionistas defendem a combinação e dizem, inclusive, que ela é indicada para quem está de dieta.

maio/junho 2008 - EM CENA - 33


lazer/turismo - araras e pirassununga

Interior

tem seus encantos Viajar para praia em feriados prolongados ou férias tornou-se tradição para muitos. Que tal sair da rotina e desvendar cidades como Araras e Pirassununga? Estas cidades têm muitos lugares mágicos que, aos poucos, começam a ser revelados.

S

aiba que Araras, por exemplo, foi a primeira cidade do Brasil a libertar seus escravos, antes mesmo da promulgação da Lei Áurea, em 1888, e também a primeira da América Latina a fazer manifestação ecológica e de preservação do meio ambiente com a realização da Festa das Árvores em 1092, levando o título de ‘Cidade das Árvores’. A cidade também hospedou por muitas vezes o rei e a rainha da Suécia, Carl Gustaf Folk Hubertus Bernadotte e Sílvia Renata de Toledo Sommerlat. A rainha Sílvia, nascida na Alemanha, é filha de pai alemão e mãe brasileira. Quando criança morou no

Araras

Parque Ecológico e Cultural Gilberto Rüegger Ometto Onde acontecem a Festa do Peão, na segunda quinzena de agosto; a Feira das Nações, em outubro; e a Festa Italiana, em maio. Além de promoção de festas, o parque é um local para se fazer caminhada e praticar exercícios físicos. Acesso: Avenidas Loreto ou Washington Luiz/Av. da Saudade/Av. Melvin Jones

Casa da Cultura Em estilo dos castelos medievais, abriga acervo de obras de arte e, nos finais de semana, exposições de trabalhos artesanais. Onde: Na Praça Barão de Araras, no Centro. Entrada é franca. Mais informações pelo telefone (19) 3541-5763. Igreja Matriz de Nossa Senhora do Patrocínio Cópia autêntica, em dimensões menores, da Basílica de São João do Latrão, de Roma. Onde: Na Praça Barão de Araras. Informações pelo telefone (19) 3541-2145.

Cachoeira de Emas

36 - EM CENA - maio/junho 2008

Brasil, mais precisamente em São Paulo, dos 4 aos 13 anos. Nesta época, suas férias eram registradas na Fazenda Belmonte, em Araras. Mesmo depois de casada com o rei Carl Gustaf Folk Hubertus Bernadotte (Carlos XVI Gustavo da Suécia), ambos visitaram a Fazenda Belmonte por várias vezes. “O rei da Suécia, durante sua primeira estada na fazenda, encantou-se com as belezas naturais da região e voltou várias vezes para apreciar as belas terras”, comenta João de Mello, conhecedor da história de Araras. Para quem quer conhecer a região elogiada pelo principado sueco, na zona urbana de Araras há boas

Aeroporto Municipal Armando Américo Fachini No local acontece em outubro a Expo Aero Brasil (EAB), Feira Internacional de Aviação, com a participação de expositores de mais de 20 países, com tudo o que se pode pensar em tecnologia aeronáutica. Mais informações pelo telefone (19) 3541-2755.

Esquadrilha da Fumaça fotos: divulgação

Cachoeira de Emas


opções de turismo, que mistura cultura, história e contato com a natureza, gastando-se pouco ou nada, uma vez que os principais pontos turísticos dão acesso gratuito ao público. Uma boa sugestão de roteiro começa, sem dúvida, pelo principal cartão-postal, o Parque Municipal Dr. Fábio da Silva Prado, no centro da cidade. Mais conhecido como ‘Lago’, o parque possui um lago artificial povoado de peixes que atrai dezenas de pescadores nos finais de tarde, além de pista de cooper, minizoológico, restaurante panorâmico e muito mais. Quem aprecia um bom peixe e quer sabroreá-lo tendo uma paisagem paradisíaca pela frente, deve andar mais 45 quilômetros pela Via Anhangüera até Pirassununga. Lá, visite a Cachoeira de Emas, um dos lugares mais conhecidos e freqüentados por turistas, principalmente pelos seus restaurantes com especialidade em peixes. Apreciar a exuberância de sua cachoeira, passear de barco pela represa e visitar a

Parque Municipal Dr. Fábio da Silva Prado

Academia da Força Aérea, famosa pela Esquadrilha da Fumaça, são atrativos imperdíveis. Confira outros pontos turísticos dessas belas cidades do interior paulista no quadro abaixo.

Pirassununga Ecomuseu Municipal Primeiro museu de peixes de água doce do Brasil. Abriga um conjunto de aquários com espécies do ecossistema dos rios Mogi Guaçu, Pardo e Grande, além de amplo acervo sobre a região, sua gente, animais, lendas indígenas, etc. Onde: Rodovia Prefeito Euberto Nemésio Pereira de Godoy, s/nº. Aberto de terça-feira a domingo, das 9 às 18 horas. Visitas especiais mediante agendamento pelo telefone (19) 3565-3770. Centro Cultural de Eventos Além da área para exposições e encontros de projetos culturais, equipamentos ferroviários e peças antigas podem ser observados. Onde: Rua Duque de Caxias, 2.259, Centro, telefone (19) 561-1950. Aberto às sextas-feiras, das 17 às 21 horas; aos sábados, das 10 às 22 horas; e aos domingos, das 10 às 14 horas. Parque Municipal “Temístocles Marrocos Leite” Centro de lazer e recreação, com lago, pedalinhos, quiosques, quadras poliesportivas, parques infantis e circuitos para exercícios e caminhadas. Onde: Avenida Painguás, s/nº, Jd. do Lago, telefone (19) 561-1521. Aberto de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 11 horas; sábados, domingos e feriados, das 7h30 às 12 horas e das 13h30 às 19 horas.

Casa da Cultura

Cidade da Criança Reúne dois espaços: área de cultura e lazer, com parque infantil, praças do avião e da árvore, casa na árvore e minicastelo; e área Parque Municipal de educação, onde se desenvolvem atividades educacionais de ciências, telecomunicações, trânsito, preservação ambiental, etc. Onde: Rua Siqueira Campos, 2.000, Centro, telefone (19) 561-5214. Área de cultura e lazer fica aberta aos sábados, domingos e feriados, das 8 às 12 horas e das 14 às 20 horas. Academia da Força Aérea Conhecida como “Ninho das Águias”, é um estabelecimento de ensino de nível superior, nos quadros de aviadores, intendentes e de infantaria, que integra o sistema de formação e aperfeiçoamento do Ministério da Aeronáutica. Desde 1996, conta em seu efetivo com cadetes do sexo feminino. Além da formação profissional militar, oferece atividades extracurriculares, como vôo à vela, línguas inglesa e espanhola, estudo da história militar, de informática e de aeromodelismo. Onde: Estrada de Aguaí, s/nº, Campo Fontenelle, Seção de Comunicação Social, telefones (19) 565-7200 e 565-7237, fax (19) 565-7001, e-mail: cmtafa@siteplanet.com.br. Visita com agendamento.

maio/junho 2008 - EM CENA - 37


ecologia - desastres naturais

Brasil em risco

Característico por não sofrer com catástrofes naturais, como furacões, vulcões e terremotos, o Brasil, infelizmente, começou a sentir os efeitos das ações humanas. E isso não é nada bom.

O

Brasil, nos últimos anos, tem sofrido muito com desastres naturais. Em dezembro de 2007 houve um tremor de terra de 4,9 graus na escala Richter na cidade de Itacarambi, em Minas Gerais, que deixou uma criança morta e várias casas destruídas. A geógrafa Milena Brolesi explica que o Brasil está localizado no meio da placa sul-americana, ou seja, um local estável, que não está sujeito a grandes terremotos, porém sujeito a algumas falhas geológicas, que são como rachaduras que se movimentam na superfície terrestre, levando a tremores de terra menores, mas mesmo assim, sentidos pela população de algumas localidades. Os desastres naturais que constantemente afetam o Brasil são inundações, deslizamentos, secas e erosões. As regiões mais afetadas por inundações são, respectivamente, Sudeste, Sul, Nordeste, Norte e Centro-Oeste. Chuvas intensas ocorreram no verão de 2004, ocasionando enchentes e danos humanos e materiais nas áreas urbanas e rurais em 1.224 municípios de 20 unidades federadas. Pelo menos 378.556 pessoas foram afetadas, representando 0,24% da população brasileira. “Isto porque nos últimos anos as cidades vêm crescendo e as únicas áreas disponíveis às pessoas que chegam em busca de melhores condições de vida são

38 - EM CENA - maio/junho - 2008

as margens de rios. Nesses locais, as enchentes sempre Milena Fogliarini Brolesi geógrafa ocorreram, porém, não havia habitantes, por isso nunca houve problemas. Agora, as pessoas começaram a morar em suas margens e também sofrer as graves conseqüências das inundações”, explica Milena. Outros desastres um tanto quanto incomuns no Brasil também já afetaram o País. Em 2005, o Estado de Santa Catarina foi atingido por um ciclone extratropical, batizado de ‘Catarina’. Os municípios de Criciúma, Laguna e Torres foram severamente castigados pelos fortes ventos. Em Criciúma, 1.200 mil pessoas ficaram desalojadas, mais de 100 casas foram destelhadas e 20 caíram. Em toda a região, 20 mil residências foram atingidas. A rede elétrica teve 250 transformadores destruídos e mil postes derrubados pela ventania. Neste mesmo ano, um tornado passou pela cidade de Indaiatuba, no interior do Estado de São Paulo, amargando para a cidade um prejuízo de R$ 97 milhões. Recentemente, a Amazônia foi atingida por uma seca sem precedentes, fruto do aquecimento global, que precipita a chuva no Oceano Atlântico e causa baixa do nível dos rios, como o Amazonas e o Rio Negro. Famílias foram atingidas e o governo precisou decretar estado de calamidade. Em fevereiro de 2008, a cidade de Tubarão, no Estado de Santa Catarina, foi atingida por um outro tornado. Duas casas tiveram seus telhados destruídos e uma moradora foi atingida por uma porta, arrancada pela força dos ventos. Em abril, um tremor de terra de 5,2 graus na escala Richter foi sentido em São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Os desastres naturais não podem ser evitados, porém, quando têm ligação com ações humanas, não passam de reflexos da intransigência e intolerância do homem perante o próprio Planeta. É necessário ter consciência de que muitos desastres são frutos do aquecimento global, da busca desenfreada por novas riquezas, da agressão forte contra a natureza. No final, quem acaba arcando com as conseqüências são as futuras gerações, que nada tem a ver com essas atitudes. Fonte: Milena Fogliarini Brolesi - milenabros@hotmail.com


coluna - na intimidade

Afrodisíacos e eretógenos Joaquim Zailton Motta

As técnicas milenares de estimular a sexualidade na carne e no consumindo ervas, plantas, frutas, carnes e outros chocolate, libera óxido ingredientes que compõem receitas consideradas nítrico, necessário afrodisíacas continuam na moda, mesmo depois do para desencadear o boom dos remédios que avalizam a resposta sexual. mecanismo da ereção; A culinária mundial tem oferecido muitas ostras possuem zinco, sugestões que, além de uma alimentação saudável e que ajuda na produção de testosterona; a vitamina Peças pequenas, mas com muita classe, equilibrada, podem promover a energia e os nutrientes B3, encontrada em peixes, aspargos e amendoins, desenhos e recortes para e se necessários para a satisfação e aescolher saúde erótica. facilita a irrigação dos genitais. A nutricionista divertir são a“afrodisíaco”, pedida para o próximo O verbete utilizado desde oano século também destaca o poder estimulante de alimentos embaixo do sol. I a.C., significa o que excita ou restabelece os desejos que podem provocar o desejo sexual por semelhança sexuais (conforme o dicionário Houaiss). A palavra aos órgãos genitais, como ameixa, pêssego, para o é derivada de Afrodite, deusa do amor na mitologia feminino, e banana, pepino, para o masculino. grega, depois cognominada Vênus, entre os mitos O selênio da castanha-do-pará colabora com a romanos. Nas lendas gregas, Afrodite teria nascido fertilidade; o zinco do gérmen de trigo ajuda na da espuma do mar, depois de Cronos castrar o seu pai produção hormonal; a vitamina C das frutas frescas, e lançar os genitais na água. Na fabulação romana, principalmente as amareladas e as cítricas, com sua seria filha do deus maior, Júpiter, e Diana. ação antioxidante, protege o sêmen. No universo real e charmoso da gastronomia, os Na esteira dos efeitos benéficos sobre a saúde geral, alimentos afrodisíacos, isolados ou participando de muitos nutrientes promovem o desempenho sexual, receitas, teriam a capacidade de aumentar o apetite conseqüentemente: o ácido ômega-3 do salmão e sexual. Uma iguaria só poderia ser adjetivada de da semente de linhaça tem ação antiinflamatória; afrodisíaca quando resultasse em uma facilitação o licopeno do tomate e da goiaba destrói diversos erótica. Seja por seu efeito sistêmico, objeto de estudos radicais livres; o ferro dos vegetais verde-escuros, o que ainda não chegaram a conclusões definitivas, seja magnésio do trigo integral, o potássio da banana pelo valor místico nela embutido por crendices, pelo diminuem a fadiga, previnem a câimbra. folclore, enfim, o seu contexto psicológico. A insuficiência de certezas científicas nos Os especialistas em nutrição têm mostrado a alimentos e nas suas decorações com expectativas importância nem sempre valorizada das cores de cada afrodisíacas, felizmente, não tem impedido que as nutriente e do visual das refeições. Gil Felippe indica: pessoas desfrutem dos climas eróticos que esses enlevos “Para ser considerada afrodisíaca, uma receita precisa promovem. ter pelo menos um ingrediente com esse ‘poder’ e tem Depois do advento dos eretógenos, produtos de de ser atraente ao olhar.” enorme valia e grande sucesso comercial, que oferecem Mesmo que ainda não se tenham confirmações melhoria indiscutível das respostas sexuais, tais como científicas quanto aos efeitos afrodisíacos de certos o Viagra, o Cialis, o Levitra, a magia e o charme dos alimentos, não se pode discordar de um fato: um afrodisíacos poderiam ser desfeitos. prato bonito e saboroso é realmente estimulante para Para gáudio dos bons amantes, essa incerteza o amor. romântica subjetiva suportou a garantia da prescrição Há algumas perspectivas de ratificação da ciência médica objetiva. sobre os devaneios folclóricos. A feniletilamina, mediador neuroquímico que participa ativamente da sensação de prazer, foi encontrada em muitos Joaquim Zailton Bueno Motta . Médico psiquiatra, psicoterapeuta e sexólogo. Escritor, com sete livros alimentos apontados como afrodisíacos, tais como publicados; o mais recente em maio de 2007, articulista do jornal Correio alecrim, amendoim, carambola, catuaba, ginseng, Popular há sete anos, com a coluna Sexualidade e professor do curso de especialização em Sexualidade Humana da Unicamp e da UniAraras. hortelã, tomate. Michelle Passos refere que a larginina, presente Faça comentários ou envie dúvidas pelo site: www.blove.med.br maio/junho 2008 - EM CENA - 39


dica cultural - cinema

Continuações vão emocionar o público Grandes produções voltam com suas sagas

O

ano de 2008 com certeza é o ano das continuações. Grandes sucessos do cinema estão de volta, com novos, antigos ou até com os mesmos atores. A começar pelo clássico filme Indiana Jones IV, que na nova continuação se chama “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”, contando com a tríplice aliança de sucesso, composta pelos diretores George Lucas, Steven Spielberg e o ator e protagonista Harrison Ford. Após 19 anos desde o último filme (Indiana Jones e a Última Cruzada), o arqueólogo aventureiro volta mais uma vez com seu famoso chapéu e chicote em uma produção que deu o que falar. Com reforços de peso, como o novato, mas já famoso ator Shia LaBeouf, interpretando o filho de Indiana e a ganhadora do Oscar, Cate Blanchett, como uma agente soviética, o filme esteve em produção desde o ano 2000 e seu roteiro já foi reescrito várias vezes, a pedido dos diretores que buscam fazer dessa a melhor aventura da série. Porém, o ator Sean Connery não volta como o pai do prota­ gonista, já que está aposen­ tado. A estréia nos Estados Unidos e no Brasil aconteceu no dia 22

40 - EM CENA - maio/junho 2008

de maio. Seguindo a linha das continuações, um dos filmes mais aguardados é Batman – O Cavaleiro das Trevas, continuação do sucesso lançado em 2005. Com o ator Christian Bale novamente no papel principal, o filme ainda conta com a indicação ao Oscar, Heath Ledger (que faleceu recentemente por overdose acidental de remédios), no papel de um dos maiores vilões dos quadrinhos, o Coringa. Outra superprodução, que contará com cenários brasileiros, é o novo Hulk, continuação do filme lançado em 2003. Com cenas gravadas no Rio de Janeiro, nas praias de Ipanema e Copacabana, e também na favela Tavares Bastos, a nova produção conta com um novo protagonista, o ator Edward Norton. Para os fãs de contos infantis, em 2008 haverá o lançamento do 5º filme da série Harry Potter: “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”, estrelado com todo o elenco original. Para quem gosta de ficção científica, lançamentos como “A múmia 3” e “Star Trek” são promessas de bilheteria para este ano. E a última estréia aguardada, mas não menos importante, é o filme “007 - Quantum of Solace”, continuação da saga do espião inglês. Com Daniel Craig novamente no papel principal, o filme chamou a atenção por convidar atrizes brasileiras, como Juliana Paes e Cléo Pires, para fazerem o teste para a nova Bond Girl. Mas infelizmente, quem faturou o papel foi a ucraniana Olga Kurylenko. Aguarde, pois ainda são muitas as continuações de filmes para estrear nas telas de cinema até o final do ano.

Um é pouco, dois é bom, três é demais! Sejam por sucesso ou previamente planejadas, as trilogias também fazem parte da história do cinema. Em muitos casos, o primeiro filme faz tanto sucesso que o público clama por continuações. Os casos a seguir são um exemplo disso: O Poderoso Chefão Esta trilogia, que marcou a história do cinema americano, conta a saga da mafiosa família Corleone, comandada por Don Corleone. O elenco conta com Marlon Brando (no auge de sua carreira), Al Pacino, Diane Keaton e Robert Duvall. Star Wars Famosa trilogia de ficção científica que conta a história do cavaleiro jedi Luke Skywalker, determinado a livrar a galáxia do domínio do Império, comandando pelo malévolo Darth Vader. Teve uma segunda trilogia produzida no final dos anos 90, que se tornou a prévia da trilogia original. Jurassic Park Dirigido por Steven Spielberg, a trilogia conta a história de uma ilha que abriga um parque temático criado pelo magnata John Hammond, que conta com dinossauros vivos, gerados a partir da clonagem. Porém, uma falha no sistema de segurança libera os animais e os visitantes da ilha são obrigados a correr contra o tempo para sobreviver. Matrix Matrix tem como tema a luta do ser humano, por volta do ano de 2200, para se livrar do domínio das máquinas que evoluíram após o advento da inteligência artificial. Em uma realidade virtual chamada Matrix, os seres humanos estão presos, e submetidos às vontades dos computadores. Senhor dos Anéis A saga mística do “hobbit” Frodo para destruir um poderoso anel, em meio à luta com elfos, anões e orcs, foi dirigida por Peter Jackson com base na obra-prima homônima de J.R.R. Tolkien. Piratas do Caribe Inspirado em uma atração do parque de diversões americano Walt Disney World, a trilogia conta a história do pirata Jack Sparrow, do ferreiro Will Turner e de sua amada, a bela Elizabeth Swann. No elenco estão Johnny Depp, Orlando Bloom, Keira Knightley e Keith Richards. Fonte: 100% Video


sinsaúde 70 anos - araraquara

N

Saúde em fatos e fotos

ano em que o Sinsaúde comemora o septuagésimo aniversário, a revista Em Cena abriu espaço para homenagear os trabalhadores da saúde que contribuíram para fazer sua história. Na edição anterior (nº 10) foi dada a partida com os trabalhadores da saúde de Tupã e nesta é a vez dos profissionais da cidade de Araraquara e região, que colaboraram para que o Sinsaúde se mantivesse por quase 70 anos evoluindo e conquistando melhorias no setor da saúde. São profissionais dos mais variados setores, que, juntos, integram uma só equipe com o objetivo de cuidar da saúde da população. Cada um desses profissionais leva consigo os valores de honestidade e transparência no trabalho, justamente por amarem incondicionalmente o que fazem e enfrentarem os desafios diários com a cabeça erguida e a vontade constante de vencer. Entre ganhos e perdas, dores e alegrias, os profissionais da saúde de Araraquara mostram que são capazes de enfrentar os problemas que a vida profissional lhes impõem e nem por isso deixam a guarda baixar. Homenageá-los nessa página da revista é uma forma singela de agradecer a dedicação e o esforço em prol do bem-estar da população.

maio/junho 2008 - EM CENA - 41


Revista em Cena 11  

Revista em Cena 11

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you