Page 1

CUB OUTUBRO

-0,200% REVISTA BIMESTRAL DO SINDICATO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NO ESTADO DE GOIÁS - SINDUSCON-GO

ANO VI, Nº 71 DEZEMBRO/2016

BOAS PRÁTICAS

PRÊMIO CONSTRUIR MAIS Empresas campeãs recebem troféu, que simboliza a adoção de práticas construtivas inovadoras em Meio Ambiente, Inovação, Responsabilidade Social e em Saúde e Segurança no Trabalho Pág. 20


E

DITORIAL

CONSTRUIR MAIS E MELHOR, SEMPRE Ao longo de quase 70 anos de fundação, o Sinduscon-GO tem evoluído para corresponder aos anseios da comunidade, atuando em defesa da ética, do meio ambiente, da responsabilidade social e na capacitação dos colaboradores da indústria da construção. No final de 2015 tivemos a ideia de realizar ação inédita na entidade – a criação de um certame que estimulasse as empresas a compartilharem as suas melhores práticas construtivas. Lançamos o propósito ao nosso corpo técnico que, prontamente, iniciou as tratativas para a redação do Regulamento Geral e dos Regulamentos Específicos nas áreas de Meio Ambiente, Inovação, Responsabilidade Social e Saúde e Segurança no Trabalho, categorias que foram contempladas no “Construir Mais – 1º Prêmio Sinduscon-GO de Boas Práticas”. Na mesma ocasião, o Sinduscon-GO prestou homenagem ao governador Marconi Perillo e ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em razão das ações realizadas em prol do fortalecimento da cadeia produtiva da Indústria da Construção. O certame foi estruturado baseando-se em critérios técnicos, visando dar total credibilidade na seleção das campeãs. Para tanto, o Sinduscon-GO contou com júri composto por profissionais de reconhecido conhecimento técnico, pertencentes ao quadro de auditores do Instituto de Certificação Qualidade Brasil (ICQ Brasil), que atuaram de forma imparcial e independente, ao ponto da Comissão Organizadora ter enviado para avaliação as boas práticas sem identificar os nomes das empresas. Os auditores não conversaram entre si para o alinhamento das notas e o resultado final foi calculado por meio da média das notas individuais atribuídas por cada um dos seis jurados. Outro detalhe é que o resultado foi guardado em absoluto sigilo entre apenas três integrantes da Comissão Organizadora até o momento da revelação das campeãs, cujo anúncio ocorreu na cerimônia realizada no último dia 18 de novembro. Para a nossa alegria, recebemos nesta primeira edição a inscrição de 40 boas práticas, número considerado extremamente positivo pela Comissão Organizadora, não só pelo quantitativo, mas principalmente pela qualidade das ações implementadas nas empresas, que entenderam que esta se-

CARLOS ALBERTO DE PAULA MOURA JÚNIOR Presidente do Sinduscon-GO

ria uma oportunidade ímpar de demostrar que a indústria da construção em Goiás trilha os caminhos da gestão moderna, voltada ao atendimento dos anseios da sociedade. Para a realização desta atividade, o Sinduscon-GO contou com o patrocínio de empresas e instituições que também enxergaram o alcance positivo desta importante iniciativa – Sistema Fieg, Plano de Amparo Social Imediato (Pasi), Sicoob Engecred-GO e Caixa Econômica Federal. Também precisamos enaltecer os nossos agradecimentos para todas as empresas que se inscreveram, reiterando o convite para que, em 2017, quando realizaremos a segundo edição do prêmio, estejam novamente compartilhando as suas boas práticas. E, para as empresas finalistas fica o nosso registro de orgulho por saber que em Goiás temos construtores criativos, empreendedores e que, mesmo em tempos de crise, não se furtam pela adoção de práticas inovadoras e repletas de sucesso: Cinq Desenvolvimento Imobiliário (Nosso Jeito de Pensar o Urbanismo), Conenge Construções e Engenharia (Caçamba Ecológica e o Transformando em Textura), Consciente Construtora e Incorporadora (Mão de Obra Consciente), Construtora Queiroz Silveira (Projeto de Proteção Prático), EBM Desenvolvimento Imobiliário (Sistema Limitador para Quedas de Altura Complementar), Pontal Engenharia (Construindo um Mundo Melhor), R Diniz Incorporadora e Construtora (Programa Mutirão da Ajuda), RNV Resíduos (Pavimentação Ecológica), Toctao Engenharia (Gestão da Responsabilidade Ambiental e o Projeto Ecoágua) e Vega Construtora e Incorporações (Índice de Segurança no Trabalho). Essa ação inédita do Sinduscon-GO contribuirá, com certeza, para dar visibilidade e propagar a realização de boas práticas na indústria da construção, incentivando que mais empresas sejam protagonistas da mudança e experimentem adotar medidas inovadoras, socialmente e ambientalmente responsáveis. Ao ensejo deste último editorial de 2016, desejamos a todos os construtores de Goiás boas festas, um Feliz Natal e que em 2017 estejamos mais unidos em prol do fortalecimento de nossas atividades. Boa leitura!

DIRETORIA EXECUTIVA DO SINDUSCON-GO (2013/2017) PRESIDENTE: Carlos Alberto de Paula Moura Júnior - 1º Vice-Presidente: Eduardo Bilemjian Filho - 2º Vice-Presidente: Guilherme Pinheiro de Lima - Diretor Administrativo: Manoel Garcia Filho Diretor Administrativo Adjunto: Luís Alberto Pereira - Diretor Financeiro e Patrimonial: José Rodrigues Peixoto Neto - Diretor Financeiro e Patrimonial Adjunto: Ricardo Silva Reis - Diretor da Comissão de Economia e Estatística: Ibsen Rosa - Diretor da Comissão de Economia e Estatística Adjunto: Maurício Figueiredo Menezes - Diretor da Comissão da Indústria Imobiliária: Mário Andrade Valois - Diretor da Comissão da Indústria Imobiliária Adjunto: Eduardo Bilemjian Neto - Diretor da Comissão de Habitação: Roberto Elias de Lima Fernandes - Diretor da Comissão de Habitação Adjunto: Cláudio Jesus Barbosa de Sousa - Diretor da Subcomissão de Legislação Municipal: Renato de Sousa Correia - Diretor de Materiais e Tecnologias: Sarkis Nabi Curi - Diretor de Materiais e Tecnologias Adjunto: Pedro Henrique Borela - Diretor da Comissão de Concessão, Privatização e Obras Públicas: João Geraldo Souza Maia - Diretor da Comissão de Concessão, Privatização e Obras Públicas Adjunto: Humberto Vasconcellos França - Diretora de Qualidade e Produtividade: Patrícia Garrote Carvalho - Diretora de Qualidade e Produtividade Adjunta: Aloma Cristina Schmaltz Rocha - Diretor de Construção Pesada: Sérgio Murilo Leandro Costa - Diretor de Construção Pesada Adjunto: Jadir Matsui - Diretor de Construção Metálica: Cezar Valmor Mortari - Diretor da Construção Metálica Adjunto: Joaquim Amazay Gomes Júnior - Diretor de Assuntos Jurídicos: Ricardo José Roriz Pontes - Diretora de Assuntos Jurídicos Adjunta: Selma Regina Palmeira Nassar de Miranda - Diretor da Subcomissão de Política e Relações Trabalhistas e Sindicais: Yuri Vaz de Paula - Diretor da Comissão de Saúde: Jorge Tadeu Abrão - Diretor da Comissão de Saúde Adjunto: Célio Eustáquio de Moura - Diretor da Comissão de Proteção ao Patrimônio Natural: Gustavo Veras Pinto Cordeiro - Diretor da Comissão de Proteção ao Patrimônio Natural Adjunto: Nelson Siqueira Neto - Diretor do Setor Elétrico e Telefônico: Carlos Vicente Mendez Rodriguez - Diretor Social e de Comunicação: Paulo Henrique Rodrigues Ribeiro - Diretor Social e de Comunicação Adjunto: Ulisses Alcoforado Maranhão Sá - CONSELHO CONSULTIVO: Justo Oliveira d’Abreu Cordeiro, Paulo Afonso Ferreira, Mário Andrade Valois, Joviano Teixeira Jardim, Sarkis Nabi Curi, José Rodrigues Peixoto Neto, Roberto Elias de Lima Fernandes, Alan de Alvarenga Menezes, José Augusto Florenzano, José Carlos Gilberti - SUPLENTES: Bruno de Alvarenga Menezes, Marco Antônio de Castro Miranda,André Luiz Baptista Lins Rocha - CONSELHO FISCAL: Célio Eustáquio de Moura, Guilherme Pinheiro de Lima, Carlos Henrique Rosa Gilberti - SUPLENTES: Paulo Silas Ferreira, Ricardo de Sousa Correia, Paulo Henrique Rodrigues Ribeiro - REPRESENTANTES JUNTO À FIEG: Carlos Alberto de Paula Moura Júnior, Roberto Elias de Lima Fernandes - SUPLENTES: Eduardo Bilemjian Filho, Justo Oliveira d’Abreu Cordeiro - REPRESENTANTE JUNTO À CBIC: Carlos Alberto de Paula Moura Júnior - SUPLENTES: Eduardo Bilemjian Filho, Guilherme Pinheiro de Lima.

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

3


S

U M Á R I O CBIC 5 Espaço “Construção civil discute ética e compliance para

20 MATÉRIA DE CAPA

Prêmio Construir Mais reconhece boas práticas das construtoras goianas

modernizar gestão” é o assunto tratado pelo presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins.

6 Entrevista Para abordar, entre outros enfoques,

Em noite festiva, Sinduscon-GO entrega o Troféu Construir Mais às empresas campeãs nas categorias Saúde e Segurança no Trabalho, Inovação, Meio Ambiente e Responsabilidade Social.

a ampliação da operação da empresa em Goiás, o entrevistado desta edição é o presidente da MRV Engenharia e Participações S/A, Rafael Nazareth Menin Teixeira de Souza.

8 Artigo O sócio-diretor da empresa HG Projetos e Consultoria, Hilton Gordilho, é o autor do artigo “Para novos empreendimentos, novas regras estão no ar”.

Jurídico 10 Espaço “Financiamento coletivo para empreendimentos imobiliários”. Para falar sobre o assunto, a revista apresenta artigo do advogado imobiliário e da construção, Arthur Rios Júnior.

17

Contribuição Sindical Patronal 2017

Leia nesta edição todas as informações sobre o recolhimento da Contribuição Sindical Patronal (exercício 2017), cujo vencimento ocorrerá em 31/01/2017.

REVISTA CONSTRUIR MAIS - Revista bimestral do Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás

(Sinduscon-GO) Sinduscon-GO - Filiado à CBIC e FIEG. Rua João de Abreu, n° 427, Setor Oeste, Goiânia-Goiás - CEP 74120110. Telefone: (62) 3095-5155 / Fax: (62) 3095-5177 - Portal: www.sinduscongoias.com. br | Presidente: Carlos Alberto de Paula Moura Júnior | Diretor Social e de Comunicação: Paulo Henrique Rodrigues Ribeiro | Gerente Executiva: Sebastiana Santos | Edição: Joelma Pinheiro | Reportagem: Joelma Pinheiro (joelma@sinduscongoias.com.br) e Valdevane Rosa (valdevane@sinduscongoias.com. br) | Fotografia: Assessoria de Comunicação Social do Sinduscon-GO e Silvio Simões | Projeto Gráfico e Diagramação: Arcádia Design | Publicidade: Sinduscon-GO - Telefone: (62) 3095-5155 | Impressão: Gráfica Art3 | Tiragem: 6.000 exemplares. Publicação dirigida e distribuição gratuita. *As opiniões contidas em artigos assinados são de responsabilidade de seus autores.

Consciente das questões ambientais e sociais, o Sinduscon-GO trabalha em parceria com a gráfica Art3, que utiliza papéis com certificação FSC (Forest Stewardship Council) na impressão dos seus materiais.

4

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

28

Registro de Eventos

36

Indicadores Econômicos

38

Eu Recomendo

Acompanhe o registro dos principais eventos realizados pelo Sinduscon-GO.

Confira o valor do Custo Unitário Básico (CUB) e o resultado da pesquisa “Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção”, ambos referentes ao mês de outubro/2016.

“Doar: a semente do amor que multiplica frutos” é o título da experiência narrada pela empresária e proprietária do buffet infantil Trique Traque, Anna Paula de Sant’Anna Pinheiro, sobre ação realizada junto ao Núcleo de Proteção aos Queimados (NPQ).

ANUNCIE NA REVISTA

PARA INFORMAÇÕES ENTRE EM CONTATO COM O DEPARTAMENTO COMERCIAL DO SINDUSCON-GO,

TELEFONE (62) 3095-5168,

E-MAIL: comercial@sinduscongoias.com.br


E

SPAÇO CBIC

CONSTRUÇÃO CIVIL DISCUTE ÉTICA E COMPLIANCE PARA MODERNIZAR GESTÃO A conjuntura brasileira impõe desafios e traz oportunidades novas para a construção civil, exigindo de suas entidades representativas e empresas movimentos firmes na direção da modernização da gestão e do aculturamento para atuar em outros segmentos de mercado. Nesse contexto, a disseminação e enraizamento das ferramentas de compliance são o passo necessário para atender aos novos paradigmas criados pelo cenário atual, em que a sociedade exige um novo padrão nas relações comerciais entre o poder público e atores privados; e investidores e parceiros avaliam o perfil de entidades e empresas antes de firmar parcerias e decidir por novos investimentos. No mundo atual, a incidência da corrupção figura como importante inibidor do desenvolvimento econômico. Coerente com sua trajetória e alinhada à sua missão maior de criar conhecimento e ferramental de interesse do setor, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), em correralização com o Sesi Nacional, entregou à construção civil o “Guia de Ética e Compliance das Instituições e Empresas da Construção Civil”, documento orientativo e voltado à prevenção da prática de desvios, que traz as mais modernas premissas de compliance e conduta concorrencial. Também apresentamos propostas para aperfeiçoar marcos regulatórios e práticas em vigor, para prevenir o risco da prática de desvios e corrupção, fomentar a transparência e os mais elevados padrões da livre e ampla concorrência empresarial. Desencadeamos uma agenda de seminário estaduais, mobilizando e unindo esforços com os atores que fomentarão as mudanças que o Brasil exige: com nossas associadas, estamos levando o compliance a todos os Estados brasileiros, iniciando um processo intenso de capacitação de entidades e empresas sobre como fortalecer seus mecanismos de controle interno. A CBIC também aprofundará o diálogo com os Poderes Executivo, Judiciário e Legislativo para sensibilizá-los em torno da pertinência e necessidade de reverter os 12 aspectos que hoje estimulam a prática

JOSÉ CARLOS MARTINS,

presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC)

de desvios e corrupção na relação do setor público com a iniciativa privada. Tais ações, consagradas pelo dia a dia, precisam ser revistas para atender ao novo cenário. Esse debate tem sido conduzido pelo setor desde o início da tramitação da Lei Anticorrupção, em 2013, que criou um novo arcabouço legal, exigindo uma atualização sobre esse tema. O cuidado e o respeito à ética nos negócios não são uma novidade na construção civil e no mercado imobiliário brasileiros, posicionamento reafirmado em todas as oportunidades e, especialmente, agora. Os avanços que devem ser construídos, entretanto, exigem mudança de conduta também nos seus parceiros comerciais, especialmente no setor público. O ambiente gerado pelo avanço das investigações e punição dos envolvidos nos escândalos favorece a mudança esperada pela sociedade. No caso da construção civil, abre espaço para avanços que tornarão o conjunto do setor ainda mais confiável, transparente e preparado para atuar em mercados onde a ética e o controle interno, pela força das circunstâncias, tornaram-se atributos comerciais que podem garantir ou esvaziar a competitividade das empresas e colocar em xeque a atuação de entidades representativas. A construção civil é uma das alavancas importantes da geração de emprego e renda no Brasil, mas também um setor marcado por posicionamentos firmes e contribuições decisivas em diversos dos momentos em que o país viu-se diante de desafios e crises. Atos como o que levaram à formulação de um Código de Ética para o setor em 1992; a contribuição que levou à criação da Lei 8.666; os conceitos apresentados na Carta de Belo Horizonte, que denunciou e rechaçou os desvios praticados pelo governo federal em 1992; e o dia a dia das suas ações colocam a CBIC e suas associadas numa posição de vanguarda também agora, quando o país clama por um novo tempo. Qualidade, transparência e elevados padrões de conduta sempre nortearam a atuação do setor, que hoje coloca seu conhecimento a serviço dos avanços que precisam florescer no Brasil. DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

5


E

NTREVISTA / RAFAEL NAZARETH MENIN TEIXEIRA DE SOUZA

MRV ENGENHARIA QUER AMPLIAR OPERAÇÃO EM GOIÁS Rafael Nazareth Menin Teixeira de Souza é natural de Belo Horizonte. Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais em 2003, ingressou na MRV em 1999, na condição de estagiário de Engenharia Civil, tendo adquirido larga experiência no setor imobiliário residencial e comercial. Durante este período ocupou os cargos de Engenheiro de Obras, Coordenador de Engenharia e Diretor Técnico. Atualmente ocupa o cargo de Presidente da MRV Engenharia e Participações S/A e é membro do Conselho de Administração da Urbamais Properties e Participações S.A. Hoje, pertencem ao Grupo MRV as empresas MRV Engenharia; Urbamais Desenvolvimento Urbano; Log Commercial Properties; Prime, e a MRL Engenharia. Confira, a seguir, entrevista exclusiva que Rafael Nazareth Menin Teixeira de Souza concedeu à revista Construir Mais.

os negócios que não eram focados em construção e incorporação de empreendimentos residenciais econômicos. Adquiriu vários terrenos e áreas para acelerar seus lançamentos, além de iniciar a contratação acelerada de profissionais. Em dezembro de 2006, a empresa vendeu 16,7% de seu capital para um fundo de investimento britânico. Em julho de 2007, a companhia passou a fazer parte do Novo Mercado − mais elevado nível de Governança Corporativa da Bovespa − ofertando 45,9 milhões de ações ordinárias ao mercado, equivalentes a R$ 1,2 bilhão, e passando a ser uma empresa com ações cotadas em bolsa.

QUANDO FOI FUNDADA A MRV ENGENHARIA? QUEM SÃO SEUS FUNDADORES? CONTEXTUALIZE O MOMENTO HISTÓRICO REFERENTE À ÉPOCA DE CRIAÇÃO DA EMPRESA. O Grupo MRV foi fundado em 1979 pelos sócios Rubens Menin Teixeira de Souza e Mário Lúcio Pinheiro Menin, com a Vega Engenharia Ltda., constituindo a MRV Serviços de Engenharia, na cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, com o objetivo de construir e incorporar empreendimentos residenciais na capital mineira. Dois anos após sua constituição, a Vega Engenharia Ltda. se retirou da MRV Serviços de Engenharia. Já no ano seguinte, foram entregues as primeiras casas construídas em Belo Horizonte e, em 1981, os primeiros prédios na mesma cidade. O Plano Cruzado, implementado em 1986, afetou de maneira bastante positiva a empresa. À época, a MRV tinha um pequeno estoque de imóveis, que foi muito demandada. Neste mesmo ano, criamos nossa linha de financiamento próprio. Foi possível, então, capitalizar a Companhia e expandir continuadamente sua operação. Já no início da década de 1990, passamos a atingir uma participação de mercado relevante em Belo Horizonte, partindo assim para a procura de novos mercados para expansão. Nos últimos anos, antevendo a forte expansão do segmento de construção, a empresa vem se preparando para crescer. O grupo inicialmente se reestruturou, excluindo todos

QUAL É A MISSÃO, VISÃO E VALORES DA MRV ENGENHARIA? Nossa missão é “concretizar o sonho da casa própria oferecendo imóveis com a melhor relação custo/benefício para o cliente”. Nossa visão: “ser a melhor empresa de incorporação, construção e venda de empreendimentos econômicos do Brasil”, e os nossos valores: “ética e transparência; pensar como o cliente; geração de valor para o acionista; time comprometido; dividir o sucesso; sustentabilidade”.

6

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

QUANTOS EMPREGOS A CONSTRUTORA GERA DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE? A MRV Engenharia emprega mais de 24 mil colaboradores.

NÚMEROS DA EMPRESA: DESDE A FUNDAÇÃO QUANTAS UNIDADES JÁ FORAM ENTREGUES? QUANTAS ESTÃO SENDO EXECUTADAS? ATUALMENTE EM QUE ESTADOS BRASILEIROS A MRV POSSUI OBRAS? Com 37 anos de atuação, a MRV já vendeu mais de 275 mil imóveis desde a sua fundação. Estão em fase de execução 217 empreendimentos. A MRV Engenharia é a única construtora presente em mais de 142 cidades brasileiras. A empresa − líder no mercado de construção no segmento de imóveis residenciais − possui apartamentos vendidos em 20 estados brasileiros e o Distrito Federal. São eles: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.


Foto: Glacia Rodrigues

RAFAEL NAZARETH MENIN TEIXEIRA DE SOUZA, PRESIDENTE DA MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A

EM QUE SETORES DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO A MRV ATUA? A MRV atua na construção e incorporação de empreendimentos residenciais econômicos principalmente voltados para famílias com renda entre três e dez salários mínimos. COMO TEM SIDO A ATUAÇÃO DA CONSTRUTORA NA ÁREA DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL (PMCMV), QUE SE DESTINA À POPULAÇÃO DE BAIXA RENDA? ESTE É O PRINCIPAL PÚBLICO ALVO DA CONSTRUTORA? O conhecimento adquirido ao longo dos anos na construção de residenciais econômicos e a reconhecida atuação em crédito imobiliário situam a MRV como a principal parceira da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. A equipe de crédito imobiliário da MRV trabalha para viabilizar os processos de financiamento junto aos agentes financeiros e também atua em projetos que permitam aumentar as chances de sucesso dos clientes na compra do imóvel, como financiamento da parcela destinada à poupança. Em 2015, 89% das unidades lançadas pela companhia foram elegíveis o Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). No ano, 30.772 unidades foram colocadas à venda por meio do sistema financeiro. QUE INVESTIMENTOS SOCIAIS (EDUCAÇÃO, SAÚDE, URBANIZAÇÃO E MEIO AMBIENTE) A EMPRESA TEM PRATICADO? A MRV Engenharia tem consciência da importância de sua atuação como agente do progresso e da melhoria da qualidade de vida das comunidades nas quais está inserida. A construtora disponibiliza sua estrutura empresarial e capacidade gerencial para desenvolver projetos sociais transformadores. São vários os procedimentos sustentáveis

que fazem parte da política de atuação da MRV entre eles a construção de praças, escolas, postos de saúde, realização de obras de infraestrutura nas cidades onde possui negócios. Nos últimos sete anos, a companhia destinou mais de meio bilhão de reais nesses investimentos sociais. É prática da empresa ainda, adotar métodos produtivos que agridem menos o meio ambiente como o uso de madeira de reflorestamento, areia artificial, captação de água da chuva, sensores de presença, entre outros. E NA ÁREA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL, QUE PROJETOS A MRV ESTÁ REALIZANDO? Para a MRV, investir em responsabilidade social é tão importante quanto garantir o sonho da casa própria para milhares de brasileiros. Ao longo dos mais de 37 anos de história, a MRV desenvolveu e apoiou inúmeros projetos em todo o país, mas foi com a criação do Instituto MRV que as iniciativas ganharam ainda mais força. Hoje, 1% do total do lucro líquido da construtora é revertido em ações para o desenvolvimento educacional das comunidades onde atuamos. O Instituto MRV é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover a transformação social do país por meio da educação, preparando cidadãos para a vida e formando os realizadores do futuro. Criado pela MRV, o Instituto estabelece parcerias e implanta projetos que podem auxiliar pessoas de todo o Brasil, além de incentivar o voluntariado para os mais de mil colaboradores da companhia. O Instituto MRV apoia diversas instituições que promovem trabalho de grande impacto na sociedade, seja em Minas Gerais, onde está localizada a sede da empresa, ou nacionais, mas que têm em comum promover melhorias na vida das pessoas mais carentes, principalmente por meio da educação. Os principais projetos apoiados pelo Instituto MRV são: Programa Miguilim; Querubins; Cidade dos Meninos São Vicente de Paulo; Jornada Solidária Estado de Minas; e a Reforma da Sede Criança Esperança. NA ATUALIDADE, QUE ANÁLISE FAZ DO MOMENTO VIVENCIADO PELA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO BRASILEIRA? A recessão econômica que o Brasil está passando vem perdendo força e já é possível notar a reação do setor de construção civil. Nosso último balanço, por exemplo, apontou crescimento de 7,7% no 1° semestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2015 e aumentamos em 1,8% o número de lançamentos no 2º trimestre. O momento atual é de manter as negociações com os nossos clientes e fortalecer a concretização das vendas. FAÇA UM BALANÇO DA ATUAÇÃO DA MRV EM GOIÁS E INDIQUE QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS DA EMPRESA NO ESTADO. A MRV Engenharia tem o objetivo de ampliar sua operação no Estado de Goiás e dobrar a participação no mercado local. A empresa que iniciou suas operações em Goiás em 2006 com a chegada em Goiânia, já lançou ao longo de sua história no Estado 6.344 imóveis. A previsão da empresa é lançar, ainda neste ano, cinco empreendimentos no Estado com mais de 1.700 unidades e investimentos de mais de R$ 240 milhões. DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

7


A

RTIGO

PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS, NOVAS REGRAS ESTÃO NO AR Os novos empreendimentos no Brasil devem atender às novas legislações do Comando da Aeronáutica, sobretudo a Portaria nº 957/GC3 de 09/07/2015, a respeito de implantação de Objetos (edificações, torres, etc.) no entorno de Aeroportos, podendo chegar a um raio de até 20 Km – Zonas Aeroportuárias, a depender do tamanho da pista de pouso. Apesar da grande maioria das Prefeituras no Brasil não solicitarem ainda este parecer da Aeronáutica, estas novas legislações do Espaço Aéreo já estão em vigor desde o segundo semestre de 2015 e têm como objetivo maior preservar a segurança das pessoas, tanto as que estão nas aeronaves, como as que estão em terra firme. É muito importante o empreendedor se antecipar e, independente da solicitação da Prefeitura do parecer da Aeronáutica, providenciar a análise técnica destas novas legislações do Espaço Aéreo, quando o terreno estiver localizado nas Zonas Aeroportuárias − podendo chegar até um raio de 20 Km, para evitar ter surpresas desagradáveis, como a demolição da edificação por decisão do Ministério Público, pela comunicação da Aeronáutica, por exemplo. Assim, seguem alguns esclarecimentos para a análise técnica na Aeronáutica: 1. O interessado não necessita ter a propriedade do terreno, mas sim um documento jurídico comprovando que ele pode

8

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

HILTON GORDILHO, sócio-diretor da empresa HG Projetos e Consultoria

assinar pelo empreendimento, a exemplo: Contrato Social, Procuração, etc.; 2. Não é preciso que o projeto da edificação esteja detalhado e sim apenas a volumetria do prédio com as cotas de implantação no terreno e de topo da edificação; 3. O tempo de análise técnica e/ou parecer da Aeronáutica pode demorar dias, algumas semanas ou meses, a depender da localização do terreno, tamanho e altura da edificação pretendida.

COMO CONSULTORIAS PODEM CONTRIBUIR PARA A ANÁLISE TÉCNICA E/OU PARECER NA AERONÁUTICA

A empresa de consultoria pode contribuir para o estudo técnico da altura da edificação e, quando necessário, a prestação de serviço para o acompanhamento da análise do processo na Aeronáutica. Este é um dos trabalhos que a empresa HG Projetos e Consultoria vêm atuando no mercado em todo o Brasil, além de projetos de helipontos, pistas de pousos e aeroportos, com os acompanhamentos para pareceres na Aeronáutica e na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A HG Projetos possui um corpo técnico de arquitetos e urbanistas, engenheiros, piloto de avião/helicóptero e Elemento Credenciado de Segurança de Voo.


RH E V O C Ê

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA: DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO DE PESSOAS Projetos voltados ao desenvolvimento interno dos colaboradores de uma organização, denominados como Universidade ou Núcleo de Educação Corporativa, ganham, cada vez mais, adesão por parte das empresas privadas. A professora e pesquisadora Maria Eboli afirma que hoje são aproximadamente 100 organizações brasileiras e multinacionais, tanto na esfera pública quanto na privada, que já implementaram sistemas educacionais pautados pelo conceito de Universidade Corporativa. Empresas como a Vale do Rio Doce, Natura, Siemens, Caixa Econômica Federal, Sadia, Banco do Brasil, Citibank, Embratel, Volkswagen, Fiat, Carrefour e Bank Boston, investiram e perceberam as vantagens de implementação da Universidade Corporativa, com o objetivo de obter um controle mais rígido sobre o processo de aprendizagem de seus colaboradores, vinculando de maneira mais estreita os programas de aprendizagem às metas e resultados estratégicos da empresa. De forma geral as Universidades ou Núcleos de Educação Corporativa têm enfatizado os seguintes objetivos: • Difundir a ideia de que o capital intelectual será o fator de diferenciação das empresas no próximo milênio; • Despertar nos talentos humanos a vocação para o aprendizado; • Incentivar e estruturar atividades de autodesenvolvimento; • Motivar e reter os melhores talentos contribuindo para o aumento da satisfação pessoal e profissional, dentro de um clima organizacional saudável. E se orientam pelos seguintes princípios: • Prover oportunidades de aprendizagem que deem suporte para a empresa atingir seus objetivos críticos do negócio; • Desenhar programas que incorporem os três C’s: Cidadania, Contexto e Competências; • Estimular gerentes e líderes a se envolver com a aprendizagem, tornando-se também responsáveis pelo processo; • Utilizar a Universidade ou Núcleo de Educação Corporativa para obter vantagem competitiva e entrar em novos mercados; entre outros. Nessa perspectiva o Sinduscon-GO iniciará em 2017 as atividades do seu Núcleo de Educação Corporativa, projeto em andamento, que tem por objetivo sistematizar a realização de cursos de Educação Executiva, focados nas principais necessidades e demandas dos associados ao Sinduscon-GO. A iniciativa prevê uma atuação mais dinâmica, possibilitando a customização dos conteúdos programáticos, a realização

FABIANO SANTIAGO, coordenador de Desenvolvimento Humano do Sinduscon-GO

dos cursos in company, uma execução menos conceitual e mais prática, focando soluções e aplicabilidade no âmbito da Indústria da Construção. A entidade realizará um processo de seleção, visando captar os melhores consultores do mercado, que serão cadastrados em um banco de dados, para atender as demandas solicitadas por seus associados. As cinco macro áreas iniciais de atuação estão pautadas conforme dados identificados na Pesquisa de Satisfação do Associado, realizada pela entidade em julho de 2016: Gestão Financeira, Inovação, Desenvolvimento de Líderes, Legislação Tributária do Setor e Gestão da Cadeia de Suprimentos. O Sinduscon-GO acredita que visão estratégica depende de aprendizagem e esta depende do desenvolvimento das capacidades. Uma administração sistematizada do processo de aprendizado coletivo possibilita desenvolver e explorar competências distintas de cada ser humano, difíceis de serem imitadas, propiciando vantagem competitiva para as empresas da Indústria da Construção.

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

9


E

SPAÇO JURÍDICO

FINANCIAMENTO COLETIVO PARA EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

O financiamento coletivo, conhecido no mercado como crowdfunding, começa a evoluir no Brasil e já chega ao mercado imobiliário. Ao menos duas captações foram concretizadas em 2016, para incorporações imobiliárias, e outras estão sendo anunciadas. Tal forma de financiamento é apelidada de vaquinha virtual, uma vez que consiste na captação pulverizada de valores para determinado projeto – empresarial, político, social ou cultural – através da internet. Recentemente, muito noticiadas foram as doações para políticos através de tal mecanismo. Os projetos imobiliários pilotos no país possuem resumidamente as seguintes características comuns: o investimento foi juridicamente estruturado como um emprés10

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

ARTHUR RIOS JÚNIOR, advogado imobiliário e da construção

timo e o retorno do mesmo corresponde a um percentual da receita líquida do empreendimento – recebíveis menos impostos e comissão. A estrutura de empréstimo afasta do investidor alguns riscos do negócio que o mesmo teria caso entre as partes tivesse sido formalizada, por exemplo, uma sociedade. Na primeira, a variação crescente de custos e despesas é indiferente ao investidor. Por outro lado, no empréstimo há obrigação de pagar imposto sobre o rendimento auferido, o que não acontece na sociedade. As garantias ofertadas aos investidores foram: segregação do patrimônio da sociedade empreendedora via sociedade de propósito específico e patrimônio de afetação, garantia de rentabilidade mínima correspondente à variação da poupança e pagamento trimestral. A captação massificada de investidores, como no caso, implica em fiscalização pela Comissão de Valores Mobiliários. Logo, pressupõe registro ou dispensa de registro naquele órgão. Um dos pressupostos para dispensa é que a captação não pode ser superior a R$ 2,4 milhões. Ambos os projetos analisados se limitaram a captar tal valor. O financiamento coletivo ainda é incipiente no Brasil e precisa evoluir para passar a ser uma fonte de financiamento relevante para o setor. A regulamentação específica pela CVM é primordial para tanto e já vem sendo debatida. Para empreendimentos sem acesso a outras fontes mais baratas e simples de financiamento, já é uma opção real.


CONSIDERAÇÕES SOBRE O 13º SALÁRIO É comum nessa época do ano tanto os empregadores quanto aos empregados consultarem a Assessoria Jurídica do Sinduscon-GO acerca do Décimo Terceiro Salário. Assim, teceremos nesta edição alguns comentários sobre essa gratificação. A gratificação natalina, popularmente conhecida como décimo terceiro salário foi instituída pela Lei nº 4.090, de 1962, regulamentada pelo Decreto nº 57.155, de 1965, com acréscimos introduzidos pela Lei nº 4.749, de agosto de 1965. O décimo terceiro salário poderá ser pago em duas parcelas. O empregador pagará a primeira metade, a título de adiantamento, entre os meses de fevereiro e novembro de cada ano, de uma só vez. O valor do adiantamento do 13º salário corresponderá à metade do salário recebido pelo empregado no mês anterior, sendo pago proporcionalmente ao tempo de serviço do empregado prestado ao empregador, considerando-se a fração de 15 dias de trabalho como mês integral. A primeira parcela poderá ser paga por ocasião das férias do empregado, desde que este o requeira no mês de janeiro do correspondente ano. A importância que o empregado houver recebido a título de adiantamento será deduzida do valor da gratificação devida no final do ano que deverá ser paga até o dia 20 de dezembro. Havendo rescisão contratual, o valor adiantado da primeira parcela (se houver) será compensado com o valor da gratificação devida na rescisão. Cumpre ressaltar que a empresa não poderá fazer adiantamentos e/ou empréstimos a serem descontados quando do pagamento do 13º salário. Isso porque inexiste na Lei nº 4.749/1965, previsão de qualquer outro tipo de desconto que não seja o do valor do adiantamento, que

AMANDA MIOTTO,

advogada e assessora jurídica do Sinduscon-GO

deve ser feito até 30 de novembro do respectivo ano, e dos encargos legais (INSS/IR). A gratificação natalina corresponderá a 1/12 da remuneração mensal, para cada mês de serviço do ano correspondente. A remuneração compreende o salário e seus componentes tais como tarefas, adicionais habituais de hora extra, adicionais noturnos, de insalubridade, de periculosidade e de transferência, entre outros. Assim, para o trabalhador da indústria da construção civil o pagamento do 13º terá como base de cálculo a média dos valores recebidos a título de remuneração variável, nos últimos seis meses, de acordo com a Cláusula 4ª, § 3º da Convenção Coletiva de Trabalho vigente de 1º de maio de 2016 a 30 de abril de 2018. As ausências legais e justificadas não serão descontadas do cálculo da gratificação natalina, sendo que, entre essas ausências incluem-se as decorrentes de acidente de trabalho. Para as ausências injustificadas, essas são apuradas mês a mês, com a finalidade de verificar se houve atividade durante, pelo menos, 15 dias, do início ao final de cada período. Assim, para cada mês, restando um saldo de, no mínimo, 15 dias trabalhados após o desconto das faltas injustificadas nos respectivos meses, assegura-se ao empregado o recebimento de 1/12 de 13º salário. Os empregadores que infringirem os dispositivos relativos ao 13º salário (Lei nº 4.090/1962) são punidos com multa de 160 Unidades Fiscais de Referência (Ufirs), por empregado, dobrada no caso de reincidência. Com a extinção da Ufir, ocorrida em 27/10/2000, a reconversão para o Real dos valores expressos em Ufir será efetuada com base no valor dessa Unidade fixado para o exercício de 2000: R$ 1,0641. (Lei nº 10.192/2001, art. 6º e Anexo I da Portaria MTb nº 290/1997)

O DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO PODERÁ SER PAGO EM DUAS PARCELAS. O EMPREGADOR PAGARÁ A PRIMEIRA METADE, A TÍTULO DE ADIANTAMENTO, ENTRE OS MESES DE FEVEREIRO E NOVEMBRO DE CADA ANO, DE UMA SÓ VEZ”

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

11


C

OMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO

ENSAIO EM ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO QUANDO SUBMETIDA À SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

JEORGE FRANCES RODRIGUES,

engenheiro civil, perito do Ibape-GO, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento de Mercado da Brasil Minérios S/A

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS DE PROTEÇÃO PASSIVA PRODUZIDAS À BASE DE VERMICULITA EXPANDIDA DA MARCA TERMOSIST As estruturas de concreto armado, quando submetidas a elevados acréscimos de temperatura, sofrem profundas alterações em suas características físico-químicas, como perda de massa, redução da resistência do aço, surgimento de esforços solicitantes anormais ao comportamento natural do concreto, culminando com a perda progressiva da resistência característica do concreto. Um fenômeno de incêndio é uma preocupação prevista em normas desde a elaboração do projeto conceitual até o projeto executivo de incêndio e controle de pânico. Em Goiás, a Lei Estadual nº 15.802, de 11 de setembro de 2006, que institui o Código Estadual de Segurança contra Incêndio e Pânico, prevê ações de proteção ativa e passiva das edificações. No entanto, a proteção passiva contra fogo em estruturas de concreto é equivocadamente negligenciada pelos agentes da cadeia e praticamente desconhecida pelos consumidores. Com o objetivo de promover a discussão dessa temática foi realizado um ensaio prático para avaliação do desempenho de argamassas de proteção passiva a base de vermiculita expandida, por se tratar de um mineral utilizado para a construção de sistemas de retardo das ações do fogo, em estruturas metálicas ou de concreto armado. Essa iniciativa foi possível devido à parceria de algumas empresas. O ensaio foi promovido pelo Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO), a coordenação dessa empreitada ficou a cargo do especialista em estruturas, engenheiro Ademar Toyonori Hirata. Houve o apoio institucional da Associação Brasileira do Cimento Portland (ABCP), do Instituto Brasileiro de Perícias de Engenharia de Goiás (Ibape-GO), e das empresas Brasil Minérios, Vibracon, Irontec, ACR Pintura e Proteção Passiva, e Araras Vermiculita. A argamassa definida como alvo da avaliação foi a Termosist, produzida pela empresa Araras Vermiculita, sendo composta de vermiculita expandida, gesso, micas especiais, EPS, fibras e aditivos plastificantes. Para o desenvolvimento 12

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

desse trabalho foram montados 4 elementos, simulacros estruturais pré-fabricados, contemplando seção de laje e viga, com seção em “T”. O local de realização do ensaio foi no Centro Tecnológico de Combate a Incêndio, na Cidade de Anápolis-GO. Um contêiner padrão 40’Dry foi preparado para o ensaio, tendo instalado em seu interior sensores de temperatura para monitoramento do ambiente de ensaio. Assim, foram medidas as temperaturas externas e internas dos elementos ensaiados. A carga de incêndio necessária para simular uma curva de temperatura padrão, segundo a norma ASTM E119-12ª, foi calculada pelos oficiais do CBMGO. No projeto elaborado pelo escritório Hirata e Associados, foram definidos os seguintes parâmetros construtivos: Fck28 = 30 Mpa; Eci = 25 GPa; relação a/c ≤ 0,60; slump = 8 ± 1 cm (valor referencial); dimensão do agregado: 15 mm; aço CA-50 e CA60; taxa de armadura: 104,44 kg/m³. Os cobrimentos de armadura foram definidos na seguinte condição: TRRF 30 min com cobrimento de 2,5 cm; TRRF 60 min com cobrimento de 3,0 cm; TRRF 90 min com cobrimento de 3,5 cm e TRRF 120 min com cobrimento de 4,0 cm. Na ocasião da concretagem foram instalados termopares (TP579-K, produzidos pela empresa Thermomax). Os termopares foram instalados segundo a posição definida pelo projeto, sendo ligados aos controladores modelo N1040, da marca Novus. Salienta-se que as normas adotadas para a validação do ensaio foram: NBR 5628:2001; ASTM E 119-12a; ISO 8341:1999; LPS 1107:2014; ASTM E605-93 (2011).

Resultados

Durante a realização do ensaio o primeiro módulo ensaiado foi retirado após 30 minutos do início de ignição do fogo. O comportamento de isolamento demonstrado encontra-se na Tabela. O estudo permitiu uma previsibilidade de comportamento do material em situações de incêndio, conforme pode ser observado no gráfico.


COMPARATIVO DE TEMPERATURA INTERNA X EXTERNA

Espessura Horário Inicial 10:20 Ignição 10:30 10:40 10:50 11:00

3,5 cm TI (°C) 25 25 28 32 33

TE (°C) 35 414 658 600 807

TI – Temperatura interna na posição do termopar. TE – Temperatura externa – temperatura de vapor.

Conclusão

Com base no exposto, consideramos que a argamassa da marca Termosist atende os requisitos de desempenho de proteção passiva para o TRRF de 30 minutos, em conformidade com as normas citadas. Os demais tempos de resistência deverão ser alvo de avaliação em ensaios posteriores. O ensaio não esgota o vasto e desconhecido campo de estudo das estruturas em situação de incêndio, mas fomenta e incentiva ações, pesquisas e comprometimento dos diversos players e agentes da cadeia construtiva em prol do crescimento do “estado da arte” sobre o assunto.

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

13


S

EGURANÇA DO TRABALHO

Foto: Alex Malheiros

PCMAT OFERECE VANTAGENS QUE VÃO ALÉM DO QUE A LEI EXIGE

DEYD CARLOS DE ARAÚJO, TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO DA TOCTAO ENGENHARIA

De tijolo em tijolo, a indústria da construção civil não para de evoluir e, pela peculiaridade do trabalho, exige atenção redobrada com os processos e com a segurança de seus trabalhadores. Do projeto a equipamentos e até na gestão de pessoal, o Serviço Social da Indústria (Sesi) oferece soluções para garantir a segurança e a qualidade de vida nos canteiros de obras. Dentro do portfólio de serviços da instituição do Sistema Fieg, o Programa de Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção Civil (PCMAT) é um aliado ao mapear as condições e o ambiente de trabalho, descrever os possíveis riscos de doenças e acidentes e apresentar medidas preventivas, entre outras ações. O PCMAT é obrigatório em obras onde trabalham mais de 20 funcionários. O programa está previsto no item 18.3 da Norma Regulamentadora 18 (NR-18) e deve atender também à NR-9, que fala de prevenção e riscos ambientais provocados por agentes físicos, químicos e biológicos, além de acidentes e fatores ergonômicos. Muito mais do que observar exigências legais, empresas como a Toctao Engenharia enxergam no PCMAT uma oportunidade de garantir a segurança dos trabalhadores e se destacar no mercado. “A empresa possui certificações como o Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001 e Gestão de Saúde e Segurança no Trabalho OHSAS 18001. Para que tenhamos esses resultados, precisamos apresentar algo muito além do que é previsto na legislação”, explica Deyd Carlos de Araújo, técnico em segurança do trabalho de uma das obras da Toctao, o Aparecida Shopping, em Aparecida de Goiânia. Do início da construção, em janeiro de 2015, a janeiro deste ano, o Sesi foi responsável pela elaboração do PCMAT 14

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

da obra, em área de 36.247,75 m², na Avenida Independência, no Jardim Ipiranga. O documento com 154 páginas trata de ações como medidas preventivas desde o fechamento da obra e instalação da placa inicial até o pós-obra e instalação de combate a incêndios. Para Araújo, se a construção não tem ou não segue corretamente o PCMAT ela está sendo feita às cegas. “Ele dá uma direção em relação ao trabalho. É uma espécie de bíblia da obra que você deve consultar diariamente para definir quais serão suas ações para aquele dia”, diz ele, observando que, com o PCMAT, é mais fácil seguir e atender as Normas Regulamentadoras. “No documento, as NRs estão detalhadas e destrinchadas em cada fase.” O gerente de Saúde e Segurança para o Trabalhador da Indústria do Sesi Goiás, Bruno Godinho, lembra que a construção civil é um dos segmentos marcados por ocorrências de acidentes de trabalho. “Não é tanto pela quantidade e sim pela gravidade. É uma área que registra muitas vítimas fatais ou que ficam com sequelas. A segurança do trabalho é fundamental para mudar essa realidade”, ressalta. Segundo o gerente, o PCMAT colabora com a diminuição desses índices, pois além de atender à legislação, forma um plano de trabalho para que a segurança do funcionário esteja em primeiro lugar. “Ele obriga a empresa a tomar algumas medidas para prevenir acidentes e manter o ambiente humanizado”.

DOCUMENTOS QUE INTEGRAM O PCMAT • Memorial sobre condições e meio ambiente do trabalho, indicando os riscos de acidentes e doenças de trabalho e suas medidas preventivas; • Projeto de execução dos Projetos de Proteção Coletiva (PPCs), de acordo com cada etapa da obra; • Cronograma de implantação das medidas preventivas definidas no PCMAT, layout inicial do canteiro de obras contemplando previsão das dimensões das áreas de vivência; • Programa educativo sobre prevenção de acidentes e doenças de trabalho, e sua carga horária.

PARCERIA SESI E SINDUSCON-GO O Sesi e o Sinduscon-GO possuem parceria que garante 10% de desconto aos associados do Sindicato para a elaboração do Programa de Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção Civil. Para levar o serviço para sua empresa, entre em contato pelo telefone (62) 3236-6900. Com informações da Assessoria de Imprensa do Serviço Social da Indústria - Sesi


S

INDUSCON JOVEM

CONVITE AO DESCARTE CONSTRUTIVO Responsabilidade social é um dos eixos de atuação do Sinduscon Jovem. Conscientes de que nossas escolhas impactam o coletivo, o grupo busca apoiar projetos que geram o bem à sociedade e que dependem de colaboração externa. Nesta perspectiva, o Sinduscon Jovem criou o “Programa Descarte Construtivo”, com o slogan “Redesenhando Histórias”, que tem por objetivo a arrecadação de materiais novos ou usados da construção, que seriam descartados, e direcioná-los a reconstruções e reformas de unidades de instituições filantrópicas e casas de famílias carentes. A primeira instituição a ser beneficiada pelo programa é o Ministério Filantrópico Terra Fértil. Há 24 anos a ONG atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e trabalha com atividades de prevenção à marginalização e de ressocialização de menores infratores. Entre creches, abrigos e centro de artes, são 22 unidades oferecendo atividades diversas, como oficinas socioeducativas e de cidadania durante 365 dias por ano em período integral, assistindo quase 3 mil crianças e adolescentes por dia. Você pode participar do “Programa Descarte Construtivo” doando sacos de cimento, argamassa AC2, rejuntes (novos ou vencidos), telhas, blocos, portas de madeira, janelas, tintas, pisos, revestimentos, mobílias e outros mate-

MARINA MACEDO DE MOURA,

diretora Social, de Comunicação e de Saúde e Segurança do Trabalho do Sinduscon Jovem

CRECHE SOU FELIZ EM GOIÂNIA TEVE REFORMA REALIZADA EM 2015 COM O APOIO DA ONG TERRA FÉRTIL

riais de construção disponíveis. Materiais novos, em ponta de estoque ou usados são bem-vindos. Manter essa estrutura necessita muito esforço, compreensão, participação e auxílio da sociedade civil organizada, de pessoas e de empresas. Em tempo natalino, com a generosidade e a doação de nossos dons e talentos, somos convidados a somar forças para contribuir com as transformações que devem ocorrer na nossa sociedade, construindo assim um mundo melhor. Contribua com o “Programa Descarte Construtivo” e sua doação permitirá Redesenhar Histórias. Para mais informações entre em contato no Sinduscon-GO, com Fabiano Santiago, telefone (62) 3095-5169.

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

15


I

NOVAR É PRECISO

INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE O Sinduscon-GO, em sua ação como entidade promotora da qualificação das empresas do segmento da construção civil, está articulado em um convênio onde se fazem presentes a CBIC, a UNB por meio do LACIS (Laboratório do Ambiente Construído, Inclusão e Sustentabilidade) e a Building Research Establishment (BRE), uma instituição inglesa voltada para a inovação na construção civil. A BRE construiu uma rede mundial de pesquisa e inovação na construção civil e possui, espalhados pelo mundo, cinco parques de experimentação e difusão desse conceito; os parques de inovação estão localizados em Beijing (China), Ontário (Canadá), Portland (EUA), Ravencraig (Escócia) e no País de Gales, sendo que se encontra em implantação o parque brasileiro localizado no Campus Gama da UNB. O Parque de Inovação e Sustentabilidade do Ambiente Construído (PISAC), no Campus da UNB, contará com diversos protótipos implantados e que serão acompanhados e monitorados, ao longo de dois anos, e as tecnologias ali implantadas, estarão em análise por toda a rede mundial de pesquisa da BRE.

Foi constituído no Sinduscon-GO um grupo de trabalho de mais de 30 profissionais voluntários, com grande qualificação técnica, para o desenvolvimento do projeto “Casa do Futuro”, e que deverá ser implantado a partir do primeiro trimestre do ano vindouro no PISAC; esse protótipo será um grande equipamento para as empresas goianas individualmente, ou associadas entre si, para aplicação de produtos e serviços a serem qualificados na rede mundial. A inovação e a sustentabilidade são as palavras de ordem para o mundo atual e futuro. Esse trabalho em andamento está apoiado na participação da PUC-GO, da UEG e da UNB de forma integrada com a cadeia produtiva da construção civil, quebrando o paradigma da integração “universidade + empresa” e, também, apoiada por profissionais especializados em suas atividades de bem planejar, projetar, construir e monitorar as inovações implementadas nesse empreendimento. Após implantado o protótipo a visibilidade dos profissionais e das empresas goianas envolvidas nesse processo de inovação e sustentabilidade será ampliada e com grande repercussão mundial. Vamos participar dessa proposta inovadora.

A INOVAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE SÃO AS PALAVRAS DE ORDEM PARA O MUNDO ATUAL E FUTURO”

16

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

RICARDO VEIGA,

engenheiro civil, coordenador do Grupo do PISAC em Goiás e diretor da Errevê Engenharia


CNPJ: 01.640.564/0001-51 Cód. Entidade: 001.190.14003-6

NOTIFICAÇÃO PRÉVIA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2017

1

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

2

TABELA PARA CÁLCULOS DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2017

A Contribuição Sindical está prevista na Constituição Federal e nos artigos 578 e 579 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), possui natureza tributária e é recolhida obrigatoriamente pelos empregadores no mês de janeiro de cada ano, conforme o Art. 578 da CLT.

A Contribuição Sindical Patronal devida será determinada pelo Capital Social em reais de sua empresa em conformidade com o Art. 580 inciso III da CLT, conforme enquadramento na tabela abaixo.

CAPITAL SOCIAL EM REAIS - R$

FAIXAS

VALOR DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A PAGAR EM REAIS (R$)

01 02

De De

0,01 15.424,08

a a

15.424,07 30.848,14

03

De

30.848,15

a

308.481,42

04

De

308.481,43

a

30.848.142,02

05

De

30.848.142,03

a

164.523.424,09

06

De

164.523.424,10

Em diante

Contribuição Sindical = 123,39 Contribuição Sindical = capital social 125,00 Contr. Sindical = capital social + 185,09 500,00 Contr. Sindical = capital social + 493,57 1.000,00 Contr. Sindical = capital social + 25.172,08 5.000,00 Contr. Sindical = 58.076,77

NOTAS: 1) As empresas ou entidades cujo capital social seja igual ou inferior a R$ 15.424,07 são obrigadas ao recolhimento da Contribuição Sindical mínima de R$ 123,39, de acordo com o disposto no § 3º do Art. 580 da CLT; 2) As empresas ou entidades com capital social igual ou superior a R$ 164.523.424,10 recolherão a Contribuição Sindical máxima de R$ 58.076,77, de acordo com o disposto no § 3º do Art. 580 da CLT.

3

LOCAL DE PAGAMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL PATRONAL 2017

4

RECOLHIMENTO EM ATRASO E PENALIDADES

A Contribuição Sindical Patronal 2017 poderá ser paga até o dia 31/01/2017, nas casas lotéricas (respeitando os limites de valores recebidos nesses agentes), nas agências da Caixa Econômica Federal ou em qualquer agência bancária pertencente à rede arrecadadora dos tributos federais, através da Guia de Recolhimento de Contribuição Sindical Urbana (GRCSU).

As empresas que não efetuarem o recolhimento da Contribuição Sindical estão sujeitas a multa administrativa imposta pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, conforme Art. 598 da CLT bem como propositura de Ação Judicial perante a Justiça do Trabalho, nos moldes previstos na CLT. Para mais informações sobre a fórmula de cálculo ou qualquer outra dúvida sobre a Contribuição Sindical Patronal, favor entrar em contato com o Departamento de Cadastro do Sinduscon-GO, telefones (62) 3095-5164/3095-5182, e/ou e-mail suelen@sinduscongoias.com.br.

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

17


C

ONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL LEED EDIFICAÇÃO DESTACA PIONEIRISMO E INOVAÇÃO EM GOIÁS Goiânia sedia o primeiro empreendimento da região Centro-Oeste a pleitear a certificação ambiental LEED® – Leadership in Energy and Environmental Design, concedida pelo Green Building Council Brasil (GBC Brasil). Trata-se do inovador Centro de Diagnóstico da Unimed Goiânia, construído pela Bilenge Engenharia Ltda., à Avenida T-7 esquina com Rua T-28, no Setor Bueno. O edifício está buscando a certificação LEED® - GOLD na tipologia New Construction, por se tratar de construção nova, onde todos os materiais, inclusive de acabamento interno como forros, divisórias, pisos, tintas e outros, apresentam certificação que asseguram que foram observadas as boas práticas de preservação ambiental em sua fabricação; e ainda os procedimentos e práticas executivas na obra, desenvolvidos e utilizados pela construtora. A edificação tem como consultoria para certificação o Centro Tecnológico de Edificação (CTE), com sede em São Paulo. O médico Dr. João Damasceno Porto, diretor administrativo da Unimed Goiânia − Cooperativa de Trabalho, destaca a importância da certificação para a Cooperativa. Para ele, “apesar de ser recente, a certificação LEED é o principal selo para construção sustentável no país e reflete nossa preocupação e compromisso com respeito ao meio ambiente. É importante para orientar e avaliar se uma construção atende, de fato, uma série de requisitos em sustentabilidade, contribuindo, assim, para mais qualidade de vida em nossas cidades”, afirmou. Quanto ao Centro de Diagnóstico, o diretor administrativo relata que a Unimed procurou ser coerente com os princípios que defende e, por isso, buscou a certificação na construção da edificação. “Uma vez que se trata de um empreendimento ligado à saúde, nada mais certo do que garantir também a saúde ambiental e oferecer espaços saudáveis para se trabalhar e viver. Almejamos o nível ouro”, declarou. Com este objetivo, a Cooperativa busca oferecer um ambiente melhor tanto para colaboradores como para usuários devido o conforto termo acústico, a qualidade do ar, a iluminação e a ventilação adequadas, além de contar com um bom projeto de comunicação visual. A arquiteta residente Isabela Carpaneda Valle e o arquiteto coordenador Estevão Sarmento Garcia, da Bilenge En18

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

genharia, explicam os detalhes técnicos. O edifício tem área construída de 9.663,48 m² e conta com 14 pavimentos, sendo: três subsolos de estacionamento que abrigam ainda vestiários, subestação com transformador de 1000KVA, além de sistema de reaproveitamento de águas pluviais e de tratamento de águas cinzas para utilização em descargas sanitárias; três pavimentos para atendimento ao público com exames laboratoriais e de imagens, além de radiologia e medicina nuclear; oito pavimentos de uso interno e administrativo da Unimed; 1 laje técnica no 1° pavimento, que abriga equipamentos de ar-condicionado e exaustão, baterias de no-break e dois grupos geradores de 800KVA. Possui ainda, lajes técnicas do 2° ao 10° pavimento para acomodarem as máquinas de exaustão dos respectivos pavimentos. Foi projetado com estrutura híbrida, composta por vigas metálicas, pilares de concreto armado com núcleo em perfil metálico e lajes também mistas de concreto armado e metálicas em steel deck. Em sua fachada foi utilizado o sistema de pele de vidro unitizada, com vidro SKN de alta seletividade e desempenho permitindo grande passagem de luz com redução da passagem de calor e os raios UV. Os diferenciais de sustentabilidade do projeto ocorrem em cinco principais campos:

DR. JOÃO DAMASCENO PORTO, DIRETOR ADMINISTRATIVO DA UNIMED GOIÂNIA


TERRENO SUSTENTÁVEL O edifício está próximo a pontos de ônibus e de seu corredor preferencial, além de contar com vagas de estacionamento prioritárias para veículos “carona” e os de baixo consumo de combustível e emissão de CO². USO RACIONAL DE ÁGUA Há um sistema para tratamento de águas pluviais e águas cinzas (oriundas dos lavatórios) no 1° subsolo, com a finalidade de reaproveitá-las em descargas de sanitários e limpeza dos pavimentos de estacionamento. Além disso, existe uma série de estratégias para reduzir o consumo de água, as bacias sanitárias contam com o sistema Dual Flush, os mictórios e torneiras têm restritores de vazão e ainda são automatizados com sensores para seu acionamento. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Diversos aspectos do empreendimento contribuem para sua eficiência energética. A climatização foi concebida no sistema VRF (Fluxo de Gás Refrigerante Variável), que permite o controle individual de cada evaporadora. O vidro da fachada é de baixa emissividade térmica e alto fator solar, o que auxilia na economia de ar condicionado e iluminação artificial. Para essa última, foram utilizadas apenas lâmpadas de Led, houve também a automação com sensores de presença em locais de permanência transitória e relés fotoelétricos para luminárias externas. MATERIAIS E RECURSOS Em todos os pavimentos foi previsto depósito de resíduos que comporta diversas baias com a finalidade de realizar sua triagem e destinação a locais que irão reutilizar ou reciclar esses materiais. Durante a construção foram adquiridos materiais regionais ou que contenham conteúdo reciclado em seu processo produtivo, além de ser realizada a triagem e destinação dos resíduos gerados em obra. QUALIDADE DO AMBIENTE INTERNO Garantiu-se em projeto a renovação de ar em todos os ambientes do edifício. Na fase de construção, foram adotadas estratégias para redução de pó nas atividades através de aspersão de água, exaustores portáteis ou equipamentos com aspiradores acoplados. Os arquitetos relatam que a construção sustentável exige uma mudança de cultura que foi implantada em toda equipe da Bilenge Engenharia. A principal dificuldade se deu pelo ineditismo da obra, onde foi necessário envolver toda equipe, não só da obra nos processos construtivos, mas também de compras na seleção de fabricantes com certificação ambiental dos materiais adquiridos. Introdução de novos quesitos de contratação de fornecedores de serviços; de emprego de novos equipamentos e ferramentas para a redução do pó nas atividades da obra; a procura de destinatários devidamente licenciados para reciclagem dos diversos resíduos e treinamento da equipe de produ-

FACHADA DO CENTRO DE DIAGNÓSTICO DA UNIMED GOIÂNIA

ção para que esses procedimentos e triagem fossem adequadamente cumpridos. Outro ponto citado como desafio pela equipe de arquitetos da Bilenge foi a falta de indústrias de beneficiamento da mercadoria final, em um raio de atuação de 800 km da obra, pois a maioria das fábricas fica no Sudeste e Nordeste, dificultando o uso de materiais regionais agregados ao edifício. No entanto, ao final do processo, a empresa conseguiu desviar do aterro sanitário mais de 80% dos resíduos gerados, além de empregar boa parte de materiais com conteúdo reciclado e materiais regionais no edifício. O engenheiro civil Eduardo Bilemjian Neto, diretor da Bilenge Engenharia, acrescenta que a busca de certificação de um empreendimento LEED® na tipologia New Construction como é o caso, pioneiro e até então único no Estado de Goiás, desperta nos parceiros fornecedores da cadeia produtiva necessidade de seu aprimoramento com vistas a reduzirem os impactos ambientais nocivos. Mostra que está surgindo um mercado inovador, com uma nova mentalidade de preservação ambiental. Reforça a necessidade da preocupação ambiental no ramo da construção civil, uma das principais atividades que impactam no meio ambiente. Mostra o surgimento de um novo mercado, criando a demanda de qualificação de fornecedores, locais licenciados para destinação de resíduos, e maior treinamento da mão de obra empregada em todos os processos da cadeia produtiva da construção civil. DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

19


M

ATÉRIA DE CAPA

REPRESENTANTES DAS EMPRESAS CAMPEÃS DO PRÊMIO CONSTRUIR MAIS COM SEUS TROFÉUS

PRÊMIO CONSTRUIR MAIS RECONHECE BOAS PRÁTICAS DAS CONSTRUTORAS GOIANAS

O Sindicato da Indústria da Construção no Estado de Goiás (Sinduscon-GO) entregou na noite do último dia 18 de novembro, o Troféu Construir Mais às empresas vencedoras do “Construir Mais – 1º Prêmio Sinduscon-GO de Boas Práticas”, em solenidade festiva realizada no Teatro Sesi, em Goiânia. Na categoria Saúde e Segurança no Trabalho o prêmio foi para a Vega Construtora e Incorporações, com a boa prática “Índice de Segurança no Trabalho”. O projeto consiste na criação de um indicador de segurança que retrata a real situação do canteiro de obras, apontando as áreas de risco e as probabilidades de ocorrência de acidentes ou multas. Com a implantação desta metodologia, a empresa obteve um aumento significativo nas condições de se20

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

gurança dos canteiros auditados e o número de acidentes também diminuiu. O presidente da Vega Construtora, Renato Correia, parabenizou o Sinduscon-GO pela promoção do prêmio que incentiva as boas práticas e demonstrou excelente resultado ao receber 40 propostas de trabalhos inscritos. “Sermos agraciados com o Prêmio na categoria Saúde e Segurança no Trabalho é um orgulho e fazer parte desse movimento em prol da melhoria do setor da construção é muito importante para nós”, declarou Correia. Daniel Seiki, coordenador de Saúde e Segurança no Trabalho (SST) da empresa detalhou o projeto que, segundo ele, tem seu foco em selecionar os principais riscos, realizar o monitoramento e melhorar continuamente, sendo um “deslocamento de pa-


drão”, atendendo mais requisitos a cada período e melhorando os índices de SST continuamente. Essa prática resultou em redução significativa de acidentes e incidentes, com números que registram a melhoria do desempenho. Na categoria Responsabilidade Social a campeã foi a Pontal Engenharia, com a boa prática “Construindo um Mundo Melhor”. Tendo na responsabilidade social corporativa uma ferramenta eficaz para a inclusão, a empresa investe maciçamente na melhoria da qualidade de vida dos colaboradores e de suas famílias; atuando de forma holística nos aspectos relacionados à educação, qualificação profissional, saúde, segurança, educação ambiental, inclusão digital, esporte e lazer, ergonomia e participação nos lucros. Estas e outras ações baseiam-se no princípio do desenvolvimento sustentável, envolvendo os clientes, colaboradores, fornecedores, comunidade, poder público e demais partes interessadas. O diretor executivo da Pontal Engenharia, Ivo Correa Faria, agradeceu ao Sinduscon-GO por incentivar as boas práticas de mercado e também aos colaboradores e parceiros da empresa. Para ele, o Sindicato tem um papel fundamental de promover a união das empresas e principalmente divulgar e disseminar as boas práticas do setor. Agradeceu a oportunidade de contribuir com a disseminação da Responsabilidade Social, pois acredita que este é um dos caminhos para o desenvolvimento sustentável. Ele destacou que recebeu o Prêmio com muita satisfação, pois a Pontal Engenharia é uma empresa goiana com 30 anos de atuação no mercado da construção e incorporação de edifícios e, ao longo deste tempo, identificou o

VEGA CONSTRUTORA FOI A CAMPEÃ NA CATEGORIA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

colaborador como uma peça chave para se ter qualidade e a partir disso passou a investir na melhoria da qualidade de vida de seus profissionais e suas famílias. Assim a empresa desenvolveu uma série de projetos para qualificar, aperfeiçoar, treinar; além de proporcionar também lazer aos trabalhadores. O diretor executivo da Pontal Engenharia finalizou com a citação de uma frase ensinada por seu pai, o diretor presidente da empresa, Ricardo Mortari: “todo investimento no ser humano sempre traz resultados surpreendentes”. A Toctao Engenharia ganhou destaque ao vencer o certame em duas categorias: Meio Ambiente e Inovação, levando assim dois troféus. Na área de Meio Ambiente, a boa prática foi a “Gestão da Responsabilidade Ambiental”. A prática consiste no desenvolvimento de um programa contí-

PONTAL ENGENHARIA VENCEU NA CATEGORIA RESPONSABILIDADE SOCIAL

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

21


M

ATÉRIA DE CAPA

NAS CATEGORIAS MEIO AMBIENTE E INOVAÇÃO A EMPRESA VENCEDORA FOI A TOCTAO ENGENHARIA

nuo de gestão ambiental, que utiliza várias estratégias para a promoção da sustentabilidade, tais como: avaliação do ciclo de vida de suas estruturas de canteiro; identificação e desenvolvimento de formas de produção mais limpa; investimento em inovação e desenvolvimento tecnológico; criação de um sistema de medição do desempenho ambiental; readequação do processo de compras; educação ambiental e treinamento dos colaboradores, dentre outras. Na categoria Inovação a boa prática foi o “Projeto Ecoágua”. A Toctao Engenharia desenvolveu e construiu MiniETE portátil para o tratamento dos resíduos líquidos da construção civil, permitindo o reuso destes para fins menos nobres e que não exijam potabilidade, tais como: produção de argamassas, cura e limpeza de lajes, limpeza de ferramentas e até mesmo rega de jardins. O produto é de baixo custo, atende as necessidades de obras de diversos perfis, contribui para uma menor pressão sobre os serviços de saneamento básico, previne a poluição e reduz o consumo de recursos naturais. Os sócios-diretores da Toctao Engenharia também se sentiram honrados com os prêmios recebidos. Para o diretor Bruno Alvarenga a conquista é motivante, pois espelha exatamente o trabalho que é realizado no dia-a-dia. Ele destacou que a equipe é grande, coesa e desenvolve o trabalho com muita seriedade; parabenizando assim aos profissionais que trabalharam assiduamente e arduamente nestes dois projetos. Geraldo Magela, também diretor da empresa, falou da satisfação em participar, o que em sua visão é mais importante do que ganhar. Parabenizou a equipe da Toctao pelo empenho e o Sinduscon-GO pela iniciativa, manifestando seu desejo de que o Prêmio prossiga anualmente para 22

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

incentivar cada vez mais empresas. A gestora ambiental da Toctao, Cinthia Martins, explicou que o projeto de Meio Ambiente se baseia no Sistema de Gestão Ambiental ISO 14001 da empresa e foi construído desde 2010, tendo também foco na qualidade e saúde e segurança do trabalho. O projeto de inovação foi desenvolvido por meio de uma parceria com o Senai, resultando em um equipamento que não existia no mercado para tratar os resíduos líquidos da obra, reduzindo assim o impacto ambiental da atividade. As empresas vencedoras receberam o Troféu Construir Mais em sua respectiva categoria, assim como Certificado de Participação e os profissionais que coordenam cada uma das Boas Práticas vencedoras do Prêmio Construir Mais, juntamente com um acompanhante, foram agraciados com inscrição, passagem e hospedagem para o 89º ENIC − Encontro Nacional da Indústria da Construção, que será realizado em Brasília-DF, no período de 24 a 26 de maio de 2017. O Prêmio Construir Mais, certame inédito no Estado, recebeu inscrição de 40 trabalhos ao todo, número considerado extremamente positivo pela Comissão Organizadora. O Prêmio foi estruturado com o objetivo de apoiar o desenvolvimento contínuo e sustentável da indústria da construção e criar junto à sociedade uma imagem positiva do trabalho realizado pelo setor, por meio da identificação, reconhecimento e premiação dos esforços e iniciativas de destaque, consideradas Boas Práticas. A seleção das três melhores práticas em cada uma das quatro categorias do certame foi realizada por um júri composto por profissionais de reconhecido conhecimento técnico, pertencentes ao quadro de auditores independentes do Instituto de Certificação Qualidade Brasil (ICQ Brasil).


O TROFÉU CONSTRUIR MAIS A peça exclusiva foi criada pela agência goiana Oficina de Comunicação e executada pela artista plástica e designer paulista Sara Rosenberg, cuja obra é reconhecida nacional e internacionalmente por suas formas orgânicas, associadas à natureza exuberante do Brasil. O troféu é uma estilização da marca do Prêmio Construir Mais e representa um crescimento não limitado, simbolizado pelo cone. As linhas verticais representam cada uma das categorias do Prêmio: Meio Ambiente, Responsabilidade Social, Saúde e Segurança no Trabalho e Inovação. As linhas transversais representam as conexões que o setor possui com os diversos stakeholders que sustentam esse crescimento.

ARTE E MENÇÕES HONROSAS MARCARAM EVENTO DE PREMIAÇÃO A requintada solenidade de premiação agradou ao público ao abrir das cortinas do Teatro Sesi com a apresentação do Hino Nacional pela Camerata Acústica Orquestra e Coral, sob a regência do maestro Eliel Ferreira; grupo que permaneceu no palco executando a trilha sonora da revelação das campeãs e entrega do Prêmio. A abertura do evento com a apresentação do conceito do Prêmio Construir Mais em vídeo elaborado exclusivamente para a ocasião, foi acompanhado com performance artística envolvendo dança, malabares e movimentos em tecido acrobático executada por artistas da Catavento Companhia Circense. Em suas palavras o presidente do Sinduscon-GO, Carlos Alberto Moura, destacou que a premiação vai além do próprio ato, pois as ações vencedoras impactam positivamente não só o tradicional modus operandi da indústria da construção, como também se tornam exemplo para as novas gerações de empresas do segmento. Para ele, essa ação inédita do Sinduscon-GO contribuirá, com certeza, para dar visibilidade e propagar a realização de boas práticas na indústria da construção, incentivando

que mais empresas sejam protagonistas da mudança e experimentem adotar medidas inovadoras, socialmente e ambientalmente responsáveis. “O Sinduscon-GO acredita que independente da situação do País, empresas que incorporam boas práticas em sua gestão estão melhor preparadas para crescer de modo sustentado e em qualquer tempo, seja de crise ou de reconstrução”, afirmou. Na ocasião, Carlos Alberto Moura, entregou Menção Honrosa ao governador do Estado de Goiás, Marconi Perillo; e ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que devido a agenda em Nova Iorque não pode se fazer presente, tendo

CARLOS ALBERTO MOURA, PRESIDENTE DO SINDUSCON-GO

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

23


M

ATÉRIA DE CAPA

GOVERNADOR MARCONI PERILLO E O SECRETÁRIO DE ACOMPANHAMENTO ECONÔMICO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA, MANSUETO ALMEIDA (QUE REPRESENTOU O MINISTRO HENRIQUE MEIRELLES), NO MOMENTO DA ENTREGA DAS PLACAS DE MENÇÃO HONROSA

sido representado pelo secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida. A distinção foi concedida às duas personalidades pelas iniciativas que, nas diversas áreas de atuação do poder público, buscam a adoção de medidas que estimulem o fortalecimento da cadeia produtiva da Indústria da Construção. O governador do Estado de Goiás, Marconi Perillo, enfatizou o posicionamento do Estado frente à crise econômica que atinge o País há dois anos. Segundo ele, Goiás é um dos cinco estados brasileiros que conseguiu manter saldo positivo de emprego neste período, qualificando o Estado como inovador, empreendedor, dinâmico e eficiente em boas práticas. Se mos-

trou confiante quanto à implementação de medidas necessárias para o restabelecimento do equilíbrio econômico no Brasil, pelo governo federal, ajustes estes que devem ser estruturais e não somente conjunturais. Sobre o “Prêmio Construir Mais”, o governador Marconi Perillo elogiou a iniciativa e também enfatizou a honra de receber a homenagem oferecida pelo Sindicato. “O Sinduscon é uma instituição respeitadíssima, criteriosa, tem alavancado o desenvolvimento de Goiânia e de Goiás, é parceiro do Governo do Estado e eu me sinto muito enaltecido como governador por estar aqui na noite da primeira premiação e também ser homenageado”, destacou Perillo. MARCONI PERILLO, GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS

24

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016


ARTISTAS DA CATAVENTO COMPANHIA CIRCENCE E A CAMERATA ACÚSTICA ORQUESTRA E CORAL FORAM AS ATRAÇÕES CULTURAIS DO EVENTO

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, economista Mansueto Almeida, abordou em seu pronunciamento o atual cenário econômico brasileiro e as perspectivas para 2017. Almeida enalteceu o Prêmio Construir Mais, por ser o primeiro certame que ele prestigia, premiando boas práticas e não vendas e lucros. Otimista, o secretário defendeu a formação de uma coalisão pró-reformas e reafirmou a importância da aprovação da PEC 241 (transformada em PEC 55 no Senado), que objetiva o controle gradual das despesas. Para ele, as aprovações da PEC e da reforma da Previdência contribuirão para redução da taxa de juros, o que significará mais investimentos e retomada do crédito e do consumo. MANSUETO ALMEIDA FALOU SOBRE O CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO E AS PERSPECTIVAS PARA 2017

APOIADORES ENALTECEM RESULTADOS O Sinduscon-GO contou com o apoio de diversas instituições como patrocinadoras, que contribuíram de forma decisiva para a viabilidade econômica do certame e com o incentivo às boas práticas na indústria da construção, como o Sistema Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Plano de Amparo Social Imediato (Pasi), Sicoob Engecred-GO e Caixa Econômica Federal. O presidente da Fieg, Pedro Alves de Oliveira, destacou que a Federação das Indústrias esteve junto a essa realização por acreditar que o evento foi de extrema importância para estimular o setor da construção civil a cada vez construir mais e com mais qualidade. “Essa iniciativa do presidente Carlos Alberto Moura foi fundamental e, dessa maneira, estimula as empresas a produzir mais e melhor”, enfatizou ele.

Representando o Sicoob Engecred-GO, Jaqueline Lorenzetti, assessora de Comunicação e Marketing, enalteceu a parceria com o Sinduscon-GO que vigora desde a fundação do sistema cooperativo, tendo mais de 15 anos de parceria efetiva, lembrando que o Sicoob Engecred nasceu no mercado da engenharia, na indústria da construção. Em sua visão, o Prêmio Construir Mais é um marco para a sociedade, é um balizador, que mostra que o mercado está em evolução e a engenharia em constante transformação. “O Sicoob Engecred vê esta iniciativa com bons olhos e quer apoiar sempre este projeto”, finalizou. De acordo com o superintende de Negócios de Habitação Sul de Goiás da Caixa, Cleomar Dutra, a inovação e a preocupação com a sustentabilidade fazem parte da missão do BanDEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

25


M

ATÉRIA DE CAPA

co. “Queremos ver nosso país crescer e desenvolver, mas tendo sempre a preocupação com a preservação da nossa espécie”, afirmou ele. O superintendente finalizou parabenizando o Sindicato e a todas as empresas participantes por manter em seus negócios a preocupação com a preservação do meio ambiente. Para o presidente do Plano de Amparo Social Imediato (Pasi), Alaor Silva Júnior, essa ação que o Sinduscon-GO teve buscou o que realmente acontece nos canteiros de obras e, com essa iniciativa, as empresas conseguiram mostrar seus diferenciais. Em sua opinião, é uma forma da entidade premiar as empresas

que cuidam melhor dos seus colaboradores e dos métodos implementados em seus empreendimentos. “Só o fato de termos sido convidados para patrocinar esse primeiro prêmio de boas práticas nos deixou muito honrados, pois é sinal de que o Sinduscon-GO enxerga a nossa empresa como uma marca responsável socialmente, e é isso que fazemos desde 1991, quando tivemos aqui a primeira empresa aderindo ao nosso propósito. Todos os ex-presidentes do Sindicato contribuíram com o aprimoramento do processo e hoje temos essa relação histórica e de comprometimento entre as partes”, afirmou Alaor Silva.

NO SENTIDO HORÁRIO, NA PRIMEIRA FOTO, ELSON RIBEIRO E PÓVOA (CBIC), DEGMAR JACINTO (SRTE-GO), CARLOS ALBERTO MOURA (SINDUSCON-GO), MANSUETO ALMEIDA (MINISTÉRIO DA FAZENDA) E PEDRO ALVES DE OLIVEIRA (FIEG). EM SEGUIDA, A EQUIPE DO PASI, TENDO AO CENTRO O PRESIDENTE ALAOR SILVA JÚNIOR. NA TERCEIRA FOTO, O SICOOB ENGECRED-GO FOI REPRESENTADO NO EVENTO PELA ASSESSORA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING, JAQUELINE LORENZETTI (AO CENTRO). NA ÚLTIMA FOTO, O SUPERINTENDENTE DE NEGÓCIOS DE HABITAÇÃO SUL DE GOIÁS DA CAIXA, CLEOMAR DUTRA, ADMIRA O TROFÉU CONSTRUIR MAIS.

26

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016


DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

27


R

EGISTRO DE EVENTOS

NÚCLEO DE PROTEÇÃO AOS QUEIMADOS PROMOVE DIVERSÃO EM COMEMORAÇÃO AO DIA DAS CRIANÇAS O supervisor do Parque Mutirama, David Pereira, falou da satisfação da instituição em participar da iniciativa, afirmando que as portas continuarão sempre abertas para eventos do NPQ. Para ele, este foi um dos eventos filantrópicos mais gratificantes sediados pelo Parque, pois a causa de proteção a queimaduras e o tratamento dos pacientes é um trabalho essencial e louvável. Orlaina Araújo César Costa foi uma das pacientes do NPQ a participar do dia de integração e lazer. Ela foi acompanhada das duas filhas, Estefani e Maria Luiza (foto abaixo). Orlaina contou que é atendida pelo NPQ há 11 anos, tendo neste período recebido diversos tratamentos gratuitos por meio da instituição, como a colocação de expansor e retirada recente de uma cicatriz. Ela considera de grande importância o trabalho do Núcleo. “Se não fosse eles eu não estaria viva, No último dia 14 de outubro, o Núcleo de Proteção aos Queimados (NPQ) promoveu, com apoio do Sinduscon-GO e Sinduscon Jovem, um dia de total diversão em comemoração ao Dia das Crianças, no Parque Mutirama, outro parceiro do projeto. Cerca de 150 pessoas entre crianças e adultos assistidos pelo NPQ, acompanhados de seus familiares se divertiram a valer com total liberdade no Parque. O presidente do Sinduscon Jovem, Raphael Andrade Nasser Rocha e a diretora Social e de Saúde e Segurança do Trabalho, Marina Macedo de Moura, compareceram ao evento e destacaram a importância da iniciativa, que privilegia as famílias com um momento único de confraternização, pois sem a ajuda das entidades talvez não acontecesse. A alegria das crianças e dos pais em poder participar do agradável momento com os filhos foi contagiante. Diversos pais agradeceram o NPQ e as entidades parceiras pela realização. A coordenadora geral do Núcleo, Rosa Irlene Serafim, agradeceu imensamente o apoio de todos e destacou a importância das ações de integração e lazer para a entidade.

28

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

pois eu estava com depressão. Depois que eu conheci o Núcleo mudei totalmente, me transformei em outra pessoa”, afirmou agradecida pelo apoio recebido. Eliane Cristina de Sousa veio trazer o filho Crisley Samuel, de 11 anos, que é atendido há 10 anos pelo NPQ, desde que ele sofreu o acidente com queimaduras, com um ano de idade (foto ao lado). Segundo a mãe, se não fosse o Núcleo de Proteção aos Queimados, Crisley não estaria da forma como está hoje. A criança já passou por diversas cirurgias reparadoras, oferecidas gratuitamente pelo NPQ. “Sem o Núcleo ele não teria acesso a estas cirurgias. Hoje ele consegue desenvolver todas as suas atividades normalmente”, comemorou Eliane lembrando que ele recuperou a funcionalidade normal das mãos, o que havia sido totalmente comprometida com o acidente. Ela destacou a importância do evento para integração entre os pacientes, pois conhecer as causas um dos outros gera fortalecimento mútuo.


IRIS REZENDE É PRESIDENTE DE HONRA DO CODESE Na noite de 07 de novembro, o Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Goiânia (Codese), realizou evento no Teatro Rio Vermelho do Centro de Convenções, para prestar homenagem ao prefeito eleito de Goiânia, Iris Rezende, que recebeu o título de Presidente de Honra do Codese. Esta função é destinada ao prefeito do município em exercício. Portanto, Iris Rezende possuirá o título até o próximo prefeito de Goiânia ser eleito. O presidente do Sinduscon-GO, Carlos Alberto Moura, participou do prestigiado evento, juntamente com os representantes de cerca de 40 entidades que compõem o Conselho, diversas autoridades políticas e empresários de vários segmentos. Entre os convidados, o atual vice-prefeito da cidade, Agenor Mariano; o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela; o vice-prefeito eleito Major Araújo; o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Anselmo Pereira; deputados, vereadores, além da família do prefeito eleito. Em suas palavras o presidente do Codese, Renato Correia, destacou a importância da união para se construir um futuro promissor, baseado no planejamento e estratégias efetivas. Para ele, este contexto requer uma reavaliação do conceito de cidadania, sendo que já não é mais aceitável uma população espectadora. Os cidadãos, na visão de Correia, devem ser participativos em uma verdadeira cidadania colaborativa, planejada e efetiva. Renato recordou de boas iniciativas implementadas no passado que podem ser atualizadas para o momento. Ele defendeu que seja restaurado o espírito do mutirão, pois a ideologia prevê o engajamento público e privado em torno de um objetivo comum, o que corrobora com os objetivos do Codese. Por fim, Renato Correia apresentou as 12 prioridades elencadas pelo estudo realizado pelo Codese, sob o título “Goiâ-

nia 2033 – O Centenário” destacando que de todas, três são estruturantes e fundamentais: gestão pública eficiente, educação infantil e atuar na liderança da solução de demandas da Região Metropolitana. Iris Rezende se emocionou com as homenagens recebidas e agradeceu entusiasmado, declarando que o título de Presidente de Honra do Codese “agiganta” sua responsabilidade. Mas compartilhou com o público ser esta a maior emoção de sua vida pública, pois sempre desejou que a sociedade civil assumisse sua posição de protagonismo e apoiadores das iniciativas que visam o bem dos que vivem na cidade. Comprometeu-se em observar todas as necessidades com dedicação e trabalhar em parceria com o Codese para atingir a meta de inserir Goiânia entre as 10 cidades com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em seu centenário, o que pretende realizar com base na humildade e no respeito. Um dos destaques do evento foi a “Cápsula do Tempo”, local em que os participantes depositaram suas expectativas sobre que Goiânia desejam ter em 2033, ano de seu centenário. O recipiente, que é um monumento, irá circular por todas as entidades integrantes do Codese e será aberto somente no centenário da Capital, quando os desejos serão revelados e será avaliado se houve o cumprimento das expectativas. Outra agenda cumprida pelo Codese ocorreu no último dia 24 de novembro, em São Paulo, quando Iris Rezende esteve acompanhado de Renato Correia e do atual vice-prefeito de Goiânia, Agenor Mariano, durante encontro promovido pela Comunitas, que reuniu todos os prefeitos das cidades participantes do projeto “Juntos pelo Desenvolvimento Sustentável”, que integra o eixo de Gestão Pública proposto pelo Codese.

COMPRAS EM CONFORMIDADE COM A NBR 15575 É TEMA DA OFICINA DA NORMA DE DESEMPENHO A Comunidade da Construção de Goiânia realizou no dia 09 de novembro, em parceria com a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e o Sinduscon-GO, o XII Módulo da Oficina da Norma de Desempenho com o tema “Compras em conformidade com a NBR 15575”. O evento foi direcionado a profissionais relacionados direta ou indiretamente à área de compras e suprimentos das empresas, fornecedores e compradores da construção civil. Carlos Eduardo Gilli, gestor de Suprimentos da RMA Construtora, de São Paulo, abordou a aplicação da Norma de Desempenho na cadeia de suprimentos, as responsabilidades deste setor e os desafios para que o processo de compras seja desenvolvido de forma a resultar na obtenção do desempenho projetado nas edificações, entre outros assuntos. DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

29


R

EGISTRO DE EVENTOS

WORKSHOP ABORDA PAREDES DE CONCRETO A Comunidade da Construção de Goiânia realizou, com apoio do Sinduscon-GO, da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e da Universidade Federal de Goiás (UFG), workshop sobre Paredes de Concreto, no último dia 06 de outubro, na sede do Sindicato. O evento atraiu um significativo público que participou atentamente dos debates referentes a conceitos, controles, execução e normas sobre o sistema construtivo em paredes de concreto. O primeiro a se apresentar foi o engenheiro Rubens Monge Silveira, coordenador do Grupo Parede de Concreto da ABCP, abordando o “Cenário atual para Parede de Concreto”; depois a engenheira do Instituto Brasileiro de Telas Soldadas (IBTS), Daniela Felix, discorreu sobre “Telas Soldadas para Paredes de Concreto”; em seguida, o engenheiro Arcindo Vaquero y Mayor, consultor da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (Abesc) palestrou sobre a “Tecnologia do Concreto para Utilização na Parede”; e por fim, o

30

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

engenheiro Arnoldo Wendler, diretor da Wendler Projetos, apresentou sobre a “Norma de Parede de Concreto − NBR 16055, comentada segundo a Norma de Desempenho NBR 15575”. O evento foi encerrado com debate mediado pelo engenheiro Waldir Belisário, representante da ABCP/Centro-Oeste e coordenador regional da Comunidade da Construção.


SINDUSCON-GO APRESENTA BALANÇO DE ATIVIDADES À SUA DIRETORIA No dia 08 de novembro, o presidente do Sinduscon-GO, Carlos Alberto Moura, apresentou juntamente com a equipe técnica da entidade, o balanço de atividades institucionais desenvolvidas durante a atual gestão. O coordenador Administrativo, Leônidas Filho, abordou a reforma que está sendo realizada em todo o telhado da sede do Sindicato; o coordenador Técnico, Wellington Guimarães, apresentou as atividades desenvolvidas pelas áreas de Meio Ambiente, Materiais e Tecnologia e Segurança do Trabalho; a coordenadora do Departamento Jurídico, Amanda Miotto, detalhou sobre as ações e processos executados pela entidade e também dos processos realizados em parceria com outras instituições acompanhados pelo departamento jurídico do Sinduscon-GO, sempre com foco na defesa dos interesses da indústria da construção, na busca da segurança jurídica e na manutenção do equilíbrio das relações comerciais e institucionais que envolvem a entidade e

as empresas representadas pela mesma. O coordenador de Desenvolvimento Humano, Fabiano Santiago, abordou as ações nas áreas de qualificação e responsabilidade social do Sindicato; e o presidente do Sinduscon Jovem, Raphael Rocha, relatou as atividades desempenhadas pelo grupo. O presidente do Sinduscon-GO aproveitou o momento para reforçar a importância da união da Diretoria e de todas as empresas representadas pelo Sindicato, pois várias ações de grande relevância deverão ser desenvolvidas em 2017 e é necessário que a indústria da construção esteja atenta e preparada para apresentar sugestões e críticas. Como exemplos de situações que devem contar com o apoio do Sinduscon-GO no próximo ano, Moura citou a revisão do Plano Diretor da Capital, os processos de parcelamento do solo, assuntos relativos a Meio Ambiente, etc. Ao final foram anunciadas as empresas finalistas do Prêmio Construir Mais.

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

31


R

EGISTRO DE EVENTOS

SINDUSCON-GO FIRMA PARCERIA COM ACIEG PARA OFERTA DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL

O Sinduscon-GO firmou parceria com a Associação Comercial e Industrial de Goiânia (Acieg) por meio da qual serão oferecidos às empresas da indústria da construção serviços de certificação digital como: e-CPF, e-CNPJ e Nota Fiscal Eletrônica. O termo de cooperação foi assinado pelo presidente do Sinduscon-GO, Carlos Alberto Moura, e pelo presidente da Acieg, Euclides Barbo Siqueira, durante a reunião mensal de Diretoria do Sindicato, realizada no último dia 04 de outubro (foto acima). Siqueira destacou a importância da união das entidades e parcerias nas áreas de expertise de cada uma. Os interessados já podem se dirigir à sede da Acieg para receber o atendimento e para mais informações está disponível o telefone (62) 3237-2630. Dentre as presenças de destaque, o presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio (foto ao lado), abordou o tema Insegurança Jurídica. Para o líder regional, esta insegurança “desestimula as pessoas a empreender”. Em suas palavras, Lúcio Flávio propôs uma reflexão sobre o motivo que levou o Brasil a chegar nesta situação de insegurança e de ambiente de negócios ruim. Em sua visão diversos fatores contribuíram, mas destacou três. O primeiro ponto seria o modelo de governo atual com a máquina pública extremamente grande e demasiadamente intervencionista. “Quanto maior a intervenção estatal, mais insegurança jurídica teremos”, afirmou ele. Em segundo lugar, a Constituição Federal que atualmente se apresenta inexequível sobre o ponto das responsabilidades do Estado, por apresentar muitos direitos e poucos deveres aos cidadãos. Por fim, o advogado citou a política brasileira que passa por um processo de criminalização e descrédito. Com essa conjuntura instalada a nação não consegue resolver suas questões nos âmbitos legislativo e administrativo, como está previsto constitucionalmente, chegando à situação que vemos atualmente de o Superior Tribunal Federal intervir e tomar decisões constantes em questões políticas que deveriam ser resolvidas pelo parlamento constituído pelo voto. Finalizando sua reflexão, ele enfatizou que a sociedade 32

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016

não pode permitir a formação de um estado judiciário, de exceção, que aniquile os direitos individuais. Reafirmou que a sociedade precisa estar alerta, buscar a recuperação da credibilidade da classe política e que as lideranças empresariais discutam os marcos legais e constitucionais sob o questionamento “qual Estado queremos?”. Ainda destacou que a saída para os empreendedores no atual cenário é investir na prevenção aos litígios. Outro importante convidado foi o novo titular da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), Degmar Jacinto. Ele falou sobre sua carreira na SRTE e sobre sua proposta de gestão para o órgão em Goiás. O foco de seu trabalho será na solução de problemas; assim propôs uma relação de parceria com o Sindicato a fim de promover a união de esforços para superar as dificuldades. Destacou que é adepto do diálogo e que entende a necessidade de que a indústria da construção volte a crescer, pois é grande geradora de emprego e renda, o que reflete em toda a cadeia. Finalizou propondo a realização de um fórum entre os empresários do setor e os auditores do trabalho para ambos relatarem suas demandas e dificuldades a fim de trabalhar em conjunto. Também participaram da reunião com os diretores do Sinduscon-GO, o professor Dr. Leônidas Albano (PUC-GO), que apresentou o Projeto Casa do Futuro; o diretor do Sinduscon-GO e do Serviço Social da Indústria da Construção (Seconci-GO), Yuri Vaz, que anunciou a criação de um estúdio de Pilates na entidade para oferecer tratamento complementar à fisioterapia; Luiz Queiroz, representante do Clube de Engenharia de Goiás, que abordou as oportunidades para o setor da engenharia em tempos de crise; Paulo Cardoso, representante da empresa Suncomex, que apresentou os serviços na área energética, com ênfase para o Mercado de Livre Energia; e Dario Siqueira e Luiz Otávio, representantes do Senai/Fatesg, apresentando a proposta de criação do curso de “Pós-Graduação Latu Sensu – MBA em Gestão de Obras”, atendendo a pedido de empresários do setor.


V

IVA COM SAÚDE

Assessoria em Desenvolvimento Humano

UM NOVO SECONCI/GOIÁS Atualmente, perguntas e dúvidas são as questões mais presentes e marcantes nas empresas. Como prestar um serviço com agilidade, qualidade e humanidade, em um momento que se paga cada vez menos por eles! Como não perder sua missão e o foco de sua visão quando todos se encolhem para não desaparecer do mercado? Questões duras que marcam uma nova empreitada para a Diretoria do Seconci/Goiás, empossada esse ano. Uma equipe forjada para enfrentar a atual e futura realidade, a qual gostaria de apresentá-la: • Célio Eustáquio de Moura – Presidente; • Jorge Tadeu Abrão – Vice-Presidente; • Moacyr Soares Moreira – Diretor Financeiro; • Yuri Vaz de Paula – Diretor Administrativo; • Patrícia Garrote – Diretora de Comunicação; • Humberto Vasconcellos França – Diretor de Segurança e Higiene do Trabalho; • Bruno Alvarenga de Menezes – Diretor de Saúde. Um pensamento da Diretoria do Seconci é, vamos nos adaptar, reorganizar e reduzir despesas, atendendo os colaboradores de nossos parceiros com a máxima qualidade e presteza que todos merecem no momento em que estão debilitados. Devemos sempre lembrar as raízes que dão base ao Seconci, prestamos um serviço social, um suporte às empresas parceiras do setor da construção. Uma área altamente afetada pela crise e que vive em uma linha tênue entre empreender e sobreviver. Por isso nos fazemos presentes, afinal garantir a saúde do trabalhador do segmento da Construção Civil é mais vantajoso do que se imagina, ao passo em que podem ser colhidos diversos benefícios. Colaboradores com a saúde em dia desempenham melhor suas funções e faltam menos. Se a empresa contribui com sua saúde, aumenta o grau de satisfação em relação à marca, porque percebe o cuidado dispensado a ele. Os reflexos passam pela motivação e fidelização. Promovemos saúde, bem-estar e entendemos isso como forma característica para um melhor desempenho e produtividade dos colaboradores. Um estudo realizado no Brasil e em outros 14 países aponta que corporações engajadas em promover programas de saúde e bem-estar mantêm seus colaboradores três vezes mais propensos a identificar suas organizações como produtivas. Assim podemos enfrentar o momento com cuidado e cuidando daqueles que acreditam na dedicação.

O Sinduscon-GO dispõe das melhores ferramentas para captar e dinamizar o processo seletivo para a sua empresa, atuando no atendimento aos seguintes serviços:

Captação e Seleção de Talentos 1 Levantamento do perfil profissional; 2 Seleção de currículos por meio de software especializado; 3 Entrevistas de seleção com foco em competências, tais como: comunicação, liderança, organização e criatividade.

Triagem de Currículos Avaliação Psicológica Para conhecer mais sobre a atuação do Sinduscon-GO nas áreas de Captação e Seleção de Talentos entre em contato pelo telefone (62) 3095-5170 ou e-mail silvia@sinduscongoias.com.br.

CÉLIO EUSTÁQUIO DE MOURA,

presidente do Seconci/Goiás

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

33


AGENDA DE EVENTOS DEZEMBRO/2016 E JANEIRO/2017

EVENTO

DATA

HORÁRIO LOCAL

Formação para Atendimento de Alta Performance

05, 06, 07, 12,13 e 14/12/2016

18h30 às 22h30

Excel Avançado Macros e VBA

05, 06, 07, 12 e 13/12/2016

18h30 às 22h30

Google Adwords e Estratégias Digitais

05, 06, 07, 12 e 13/12/2016

18h30 às 22h30

Workshop de Encerramento das Atividades do 9º Ciclo de Ações − Incêndio em Estruturas de Concreto e Gerenciamento de Projetos serão temas abordados em evento da Comunidade da Construção. Realização: Comunidade da Construção de Goiânia

06/12/2016

3º Panorama Jurídico

12/12/2016

Cursos de Curta Duração do Ipog

INFORMAÇÕES / INSCRIÇÕES

Unidade 1 do Ipog

(62) 3945-5050 cap@ipog.edu.br Site: http://www.ipog.edu.br/cap/

15h30 às 19h

Sinduscon-GO

(62) 3095-5178 comunidadedaconstrucao@sinduscongoias.com.br

14h30 às 19h

Sinduscon-GO

(62) 3095-5158 adriana@sinduscongoias.com.br

ENDEREÇOS: Unidade 1 do Ipog: Avenida T-1 esquina com Rua T-55, n° 2.390, Quadra 105, Lotes 01/22, Setor Bueno, Goiânia-GO. Sinduscon-GO: Rua João de Abreu, nº 427, Setor Oeste, Goiânia-GO.

34

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016


ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO OUTUBRO DE 2016 INDICADOR DE CONDIÇÕES INFLUENCIA NEGATIVAMENTE O ICEI DA CONSTRUÇÃO

GOIÁS ICEI - ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

INDICADOR DE CONDIÇÕES

INDICADOR DE EXPECTATIVA

Com uma retração de 6,9 pontos na comOUT / 2015 42,6 32,0 48,0 paração com o mês anterior, o indicador de NOV / 2015 43,5 35,3 47,6 condições caiu para 37,6 pontos. Foi o quinto DEZ / 2015 40,1 28,7 46,8 resultado negativo e o segundo consecutivo, bem como o pior resultado do ano. O indiJAN / 2016 48,8 33,9 56,2 cador de condições expressa o sentimento do FEV / 2016 43,6 32,8 48,8 empresário goiano quando indagado sobre a MAR / 2016 44,3 32,0 50,5 atual situação em relação a seis meses atrás. O ABR / 2016 42,3 32,5 47,1 que se percebeu foi uma melhora neste indicador a partir de janeiro/2016 com intensificação MAI / 2016 48,7 38,9 53,6 após junho/2016, chegando a marca de 47,1 JUN / 2016 49,4 32,8 57,3 pontos em agosto. Porém, em setembro e ouJUL / 2016 49,1 37,3 55,1 tubro, os resultados foram negativos revelando AGO / 2016 54,4 47,1 57,9 uma piora no ambiente atual. SET / 2016 56,2 44,5 62,8 O indicador de expectativas também caiu no mês. Queda de 1,3 pontos, após dois reOUT / 2016 53,7 37,6 61,5 sultados positivos consecutivos (2,9 e 4,9, respectivamente). Tal indicador passou a casa OBS: OS INDICADORES VARIAM NO INTERVALO DE 0 A 100. VALORES ACIMA DE 50 INDICAM EMPRESÁRIOS CONFIANTES - FONTE: FIEG dos 50 pontos a partir de maio (57,3 pontos) e, desde então, apresentou tendência de expansão chegando 53,7 pontos. Mesmo com resultado adverso no período, houve manutenção do índice acima do corte da pesquisa, que é à casa dos 62,8 pontos, em setembro/2016. Com a retração 50 pontos e sinaliza uma situação de mais otimismo. Os resulno mês em análise, o indicador foi para 61,5 pontos. A queda tados do ICEI da construção nacional também foi de queda, no indicador de expectativas e no de condições influenciou porém de menor magnitude na comparação com os dados de negativamente o ICEI de outubro. Houve retração de 2,5 pontos na comparação com setembro, interrompendo sequência Goiás. Mesmo assim, os dados de Goiás estão melhores do de dois resultados positivos consecutivos (5,3 e 1,8 pontos, que o nacional fato que vem se consolidando ao longo da série respectivamente). Com a queda, o ICEI regrediu de 56,2 para histórica da pesquisa.

ICEI DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO - BRASIL E GOIÁS

Nota Metodológica: o Índice de Confiança do Empresário Industrial elaborado pela FIEG tem como base os resultados da Sondagem Industrial, e varia de 0 a 100. Valores acima de 50 indicam empresários confiantes. Para outras informações encaminhar e-mail para claudiohenrique@sistemafieg.org.br. FIEG – Rua 200, Qd. 67-C, Lt. 1/5, nº 1.121, Ed. Pedro Alves de Oliveira, Setor Leste Vila Nova, Goiânia/GO - CEP 74645-230 | claudiohenrique@sistemafieg.org.br | (62) 3501-0027 | www.sistemafieg.org.br

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

35


CUB

CUSTOS UNITÁRIOS BÁSICOS DE CONSTRUÇÃO NBR 12.721:2006 – CUB 2006

PROJETOS

ANO 2016

OUTUBRO

PADRÃO BAIXO

-0,200% PROJETOS

PADRÃO RESIDENCIAL PADRÃO NORMAL

R-1

1.236,30

R-1

1.504,61

R-1

1.778,28

PP-4

1.069,16

PP-4

1.387,93

R-8

1.406,28

R-8

1.011,73

R-8

1.203,36

R-16

1.513,34

PIS

797,24

R-16

1.158,97

PADRÃO COMERCIAL*

PADRÃO NORMAL

PADRÃO ALTO

PROJETOS

PADRÃO ALTO

CAL-8

1.370,65

CAL-8

1.447,50

CSL-8

1.204,01

CSL-8

1.303,88

CSL-16

1.600,20

CSL-16

1.729,86

PADRÃO RESIDÊNCIA POPULAR (RP1Q)

1.263,68

PADRÃO GALPÃO INDUSTRIAL (G1)

668,71

*CAL: Comercial Andares Livres - CSL: Comercial Salas e Lojas

VALOR REFERENCIAL (R$/m²) R-16A

VARIAÇÃO MÊS %

VARIAÇÃO ANO %

VARIAÇÃO 12 MESES %

1.513,34

-0,200

4,770

6,740

MATERIAIS

MÃO DE OBRA

EQUIPAMENTO

DESPESAS ADMINISTRATIVAS

TOTAL

575,13

880,74

6,99

50,48

1.513,34

MÃO DE OBRA* PEDREIRO DE MASSA

*Custo médio R$/hora

h

9,0600

SERVENTE

h

5,4586

ENGENHEIRO

h 57,460

PROJETOS-PADRÃO QUE COMPÕEM A NORMA NBR 12.721:2006 Padrão Baixo:

Residência Unifamiliar (RI)

Prédio Popular (PP)

Residência Multifamiliar (R8)

Projeto de Interesse Social (PIS)

Padrão Normal:

Residência Unifamiliar (RI)

Prédio Popular (PP)

Residência Multifamiliar (R8)

Residência Multifamiliar (R16)

Padrão Alto:

Residência Unifamiliar (RI)

Residência Multifamiliar (R8)

Residência Multifamiliar (R16)

Comercial Normal:

Comercial Andar Livre (CAL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-16)

Comercial Alto:

Comercial Andar Livre (CAL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-16)

Residência Popular (RP1Q) Galpão IndustriaL (GI)

Os valores acima referem-se aos Custos Unitários Básicos de Construção (CUB/m²), calculados de acordo com a Lei Fed. nº. 4.591, de 16/12/64 e com a Norma Técnica NBR 12.721:2006 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e são correspondentes ao mês de OUTUBRO DE 2016. “Estes custos unitários foram calculados conforme disposto na ABNT NBR 12.721:2006, com base em novos projetos, novos memoriais descritivos e novos critérios de orçamentação e, portanto, constituem nova série histórica de custos unitários, não comparáveis com a anterior, com a designação de CUB/2006”. “Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido no projeto e especificações correspondentes a cada caso particular: fundações, submuramentos, paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevador(es); equipamentos e instalações, tais como: fogões, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground (quando não classificado como área construída); obras e serviços complementares; urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no Anexo A - quadro III); impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais; remuneração do construtor; remuneração do incorporador”.

INDICADORES ECONÔMICOS ÍNDICES ECONÔMICOS

VARIAÇÃO

MÊS

ANO

12 MESES

INCC (FGV) / OUTUBRO

685,489

0,214

5,587

6,054

INPC (IBGE) / OUTUBRO

4.930,42

0,17

6,36

8,50

IGP-M (FGV) / OUTUBRO

657,927

0,157

6,626

8,778

INFORMAÇÕES: (62) 3095-5162 | www.sinduscongoias.com.br | e-mail: sebastiana@sinduscongoias.com.br (Comissão de Economia e Estatística)

36

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016


CUB

CUSTOS UNITÁRIOS BÁSICOS DE CONSTRUÇÃO NBR 12.721:2006 – CUB 2006

PROJETOS

ANO 2016

OUTUBRO

PADRÃO RESIDENCIAL

PADRÃO BAIXO

PADRÃO NORMAL

1.147,67

R-1

-0,216% PROJETOS

DESONERADO

R-1

1.383,98

R-1

1.647,41

PP-4

998,87

PP-4

1.281,21

R-8

1.304,85

R-8

941,85

R-8

1.107,58

R-16

1.399,42

PIS

736,84

R-16

1.066,91

PADRÃO COMERCIAL*

PADRÃO NORMAL

PADRÃO ALTO

PROJETOS

PADRÃO ALTO

CAL-8

1.263,96

CAL-8

1.339,79

CSL-8

1.107,60

CSL-8

1.204,73

CSL-16

1.471,78

CSL-16

1.597,73

PADRÃO RESIDÊNCIA POPULAR (RP1Q)

1.149,10

PADRÃO GALPÃO INDUSTRIAL (G1)

615,07

*CAL: Comercial Andares Livres - CSL: Comercial Salas e Lojas

VALOR REFERENCIAL (R$/m²) R-16A

VARIAÇÃO MÊS %

VARIAÇÃO ANO %

VARIAÇÃO 12 MESES %

1.339,42

-0,216

4,543

6,352

MATERIAIS

MÃO DE OBRA

EQUIPAMENTO

DESPESAS ADMINISTRATIVAS

TOTAL

575,13

766,82

6,99

50,48

1.399,42

MÃO DE OBRA* PEDREIRO DE MASSA

*Custo médio R$/hora

h

9,0600

SERVENTE

h

5,4586

ENGENHEIRO

h 57,460

PROJETOS-PADRÃO QUE COMPÕEM A NORMA NBR 12.721:2006 Padrão Baixo:

Residência Unifamiliar (RI)

Prédio Popular (PP)

Residência Multifamiliar (R8)

Projeto de Interesse Social (PIS)

Padrão Normal:

Residência Unifamiliar (RI)

Prédio Popular (PP)

Residência Multifamiliar (R8)

Residência Multifamiliar (R16)

Padrão Alto:

Residência Unifamiliar (RI)

Residência Multifamiliar (R8)

Residência Multifamiliar (R16)

Comercial Normal:

Comercial Andar Livre (CAL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-16)

Comercial Alto:

Comercial Andar Livre (CAL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-8)

Comercial Salas e Lojas (CSL-16)

Residência Popular (RP1Q) Galpão IndustriaL (GI)

Os valores acima referem-se aos Custos Unitários Básicos de Construção (CUB/m²), calculados de acordo com a Lei Fed. nº. 4.591, de 16/12/64 e com a Norma Técnica NBR 12.721:2006 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e são correspondentes ao mês de OUTUBRO DE 2016 - DESONERADO. “Estes custos unitários foram calculados conforme disposto na ABNT NBR 12.721:2006, com base em novos projetos, novos memoriais descritivos e novos critérios de orçamentação e, portanto, constituem nova série histórica de custos unitários, não comparáveis com a anterior, com a designação de CUB/2006”. “Na formação destes custos unitários básicos não foram considerados os seguintes itens, que devem ser levados em conta na determinação dos preços por metro quadrado de construção, de acordo com o estabelecido no projeto e especificações correspondentes a cada caso particular: fundações, submuramentos, paredes-diafragma, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevador(es); equipamentos e instalações, tais como: fogões, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, outros; playground (quando não classificado como área construída); obras e serviços complementares; urbanização, recreação (piscinas, campos de esporte), ajardinamento, instalação e regulamentação do condomínio; e outros serviços (que devem ser discriminados no Anexo A - quadro III); impostos, taxas e emolumentos cartoriais, projetos: projetos arquitetônicos, projeto estrutural, projeto de instalação, projetos especiais; remuneração do construtor; remuneração do incorporador”.

NOTA TÉCNICA – tabela do CUB/m² desonerado Os valores do Custo Unitário Básico (CUB/m²) presentes nesta tabela foram calculados e divulgados para atender ao disposto no artigo 7º da Lei 12.546/11, alterado pela Lei 12.844/13 que trata, entre outros, da desoneração da folha de pagamentos na construção civil. Eles somente podem ser utilizados pelas empresas do setor da construção civil cuja atividade principal (assim considerada aquela de maior receita auferida ou esperada) esteja enquadrada nos grupos 412, 432, 433 e 439 da CNAE 2.0. Salienta-se que eles não se aplicam às empresas do setor da construção civil cuja atividade principal esteja enquadrada no grupo 411 da CNAE 2.0 (incorporação de empreendimentos imobiliários). A metodologia de cálculo do CUB/m² desonerado é a mesma do CUB/m² e obedece ao disposto na Lei 4.591/64 e na ABNT NBR 12721:2006. A diferença diz respeito apenas ao percentual de encargos sociais incidentes sobre a mão de obra. O cálculo do CUB/m² desonerado não considera a incidência dos 20% referentes à previdência social, assim como as suas reincidências. Qualquer dúvida sobre o cálculo deste CUB/m² deve ser consultada junto ao Sinduscon-GO, com Sebastiana Santos, telefone (62) 3095-5162 (sebastiana@sinduscongoias.com.br).

DEZEMBRO 2016 • CONSTRUIR MAIS • SINDUSCON-GO

37


EU

RECOMENDO

DOAR: A SEMENTE DO AMOR QUE MULTIPLICA FRUTOS

No dia 1º de dezembro de 2015 recebemos no buffet infantil Trique Traque crianças beneficiadas pelo Núcleo de Proteção aos Queimados (NPQ), juntamente com seus familiares para a realização da segunda edição do “Natal Solidário”, evento promovido em parceria com o Sinduscon-GO e o Sinduscon Jovem. Neste dia, as crianças puderam se divertir livremente em todo o espaço do Trique Traque e ainda foram presenteadas pelos organizadores com a doação de brinquedos. Conheci o NPQ por intermédio do engenheiro Guilherme Ataídes – integrante do Sinduscon Jovem − que presta serviço como RT da parte elétrica dos brinquedos do Trique Traque, já no final do ano de 2015. E, quando recebi a solicitação para sediar o “Natal Solidário” naquele ano me senti muito honrada. Apoiar o Natal das crianças do Núcleo de Proteção aos Queimados foi como acrescentar uma micro célula perante o macro trabalho realizado pela equipe do Núcleo. Nos fez sentir que é possível

ANNA PAULA DE SANT’ANNA PINHEIRO, empresária e proprietária do Trique Traque

a reintegração das vítimas de queimaduras na nossa sociedade. Com essas crianças à nossa volta recebemos mais que doamos. Eu me sinto muito gratificada em poder contribuir com projetos sociais e tenho feito isso há algum tempo. Apoio há cerca de 10 anos o projeto das “Famílias Irmãs” do Externato São José, promovido pela irmã Ana Rita. Por meio deste projeto a escola vai ao encontro das famílias em bairros menos favorecidos e levamos doações de alimentos, entre outros itens. Todo ano, o Trique Traque recebe cerca de 200 crianças participantes deste projeto para a festa do Dia das Crianças. Desenvolver ações filantrópicas gera benefícios não só para quem recebe a ajuda, mas também para aquele que doa algo de si. Quando realizamos este tipo de evento até os colaboradores trabalham mais felizes, é notória a alegria que eles têm em servir as crianças que precisam. E as crianças entendem e recebem esse carinho. Isso foi o que mais me marcou quando realizamos o “Natal Solidário” para as crianças do NPQ. Pude perceber a alegria no olhar delas, a felicidade verdadeira, mesmo naquelas com grandes queimaduras e muitas cicatrizes; a pureza da infância foi preservada. Percebo que essa alegria também é fruto do fundamental trabalho desenvolvido pelo Núcleo que também oferece apoio psicológico às vítimas de queimaduras. Vejo que tudo o que fazemos ainda é muito pouco. Eu poderia fazer mais e sei que muitos poderiam também fazer mais. Nossa sociedade, de modo geral, tem se preocupado com o mercado de trabalho, com a alta competitividade e com sua família, mas precisa se despertar para instituir projetos sólidos e constantes de apoio aos necessitados. Precisamos vencer as nossas limitações, o egoísmo e também o preconceito, que ainda persiste. Percebo que a educação é a única forma de mudarmos, cada ente deve assumir sua responsabilidade para educarmos cidadãos que respeitem a vida e valorizem as diferenças, tanto a escola como a família. Quando abro meu coração para cuidar do próximo me sinto mais feliz. Sem dúvida, ao doar recebemos muito mais do que entregamos em benefícios espirituais, renovação do ânimo, motivação, troca de experiências, aprendizado, etc. Chegou dezembro e o espírito natalino nos instiga a olhar ao nosso redor. Essa é uma oportunidade para o despertar. Desejo que todos nós, empresários, possamos contribuir com essa roda viva que integra o significado do Natal: o transbordar do amor ao próximo, promovido pela renovação e renascimento de Cristo em nosso coração.

SINDUSCON-GO: NOVOS ASSOCIADOS MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A A MRV Engenharia e Participações foi fundada em 04/12/2007 pelo diretor Alexandre Machado Vilela. Atua na área de incorporação de empreendimentos imobiliários. Sua sede fica localizada na Rua 09, nº 1.278, Galeria Via 09, no Setor Oeste, em Goiânia-GO.

38

SINDUSCON-GO • CONSTRUIR MAIS • DEZEMBRO 2016


Revista Construir Mais - Dezembro de 2016  

Revista do Setor da Indústria da Construção do Estado de Goiás - Sinduscon-GO

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you