Page 1

Medida Provisória 905 www.sindsaudern.org.br

SINDICATO DOS SERVIDORES EM SAÚDE DO RN Desde 9 de abril de 1991.

www.cspconlutas.org.br

COORDENAÇÃO GERAL Breno Coutinho Abboutt Flávio do Nascimento Gomes João Morais Pereira

ATENDIMENTO JURÍDICO Distribuição de senhas por turno. (Manhã: 8h30 - 12h. | Tarde: 14h - 17h. Pela manhã SEG. QUA. SEX. - Trabalhista À tarde SEG. QUA. SEX. - Trabalhista e Cível (Cível às quartas, a partir de 13h30.

ÁREAS DE LAZER

MEDIDA PROVISÓRIA 905:

“CARTEIRA VERDE E AMARELA” DE BOLSONARO REDUZ AINDA MAIS OS DIREITOS TRABALHISTAS A MP 905/2019 foi publicada pelo governo no dia 12 de novembro e deve ficar em vigor por 60 dias, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. A Medida Provisória 905/2019 é o mais novo ataque de Bolsonaro contra os trabalhadores. A MP modifica 132 pontos das Leis do Trabalho e diminui encargos trabalhistas para os patrões que contratarem jovens entre 18 e 29 anos. A tal “carteira verde e amarela” é uma cilada que cria um trabalhador de “segunda categoria”, com contrato de até 2 anos por um salário e meio. Com essa MP 905, as empresas não pagam a contribuição do INSS, de 20% sobre a folha de pagamento. A medida

Bolsonaro vai acabar com mais direitos trabalhistas

PÁGINA 4

UM ANO DAQUELES...

ainda reduz de 8% para 2% o depósito do FGTS na conta do trabalhador. Ela também diminui de 40% para 20% a indenização paga nas demissões sem justa causa. Dessa forma, o governo dá isenção de impostos para favorecer os empresários às custas da redução de direitos dos trabalhadores. Bolsonaro chega ao absurdo de taxar até mesmo aqueles que estão sem emprego. A MP define que os desempregados paguem até 8,14% sobre o seguro-desemprego para bancar a mamata aos patrões.

Reserva por telefone. Sorteio para os feriados prolongados. Sócios e seus convidados têm acesso à área externa, apresentando contracheque em dia. PIUM - Área verde, salão de jogos, piscinas, quadra, 14 chalés, estacionamento. Como ir: à direita antes da feira. REDINHA - Piscina e campo de futebol, chalé e quartos (suítes), churrasqueira. Como ir: entrar à esquerda no Portal das Dunas. Em seguida, 2º rua à direita.

SERVIDORES DA SAÚDE cobram pagamento dos salários atrasados.

SINDICALIZE-SE

QUE NÃO DESISTIRAM!

A força e a capacidade de mobilização do Sindsaúde, depende de cada um de vocês, servidores e servidoras da saúde. Fortaleça a nossa luta e a defesa da saúde pública! Lute por seus direitos!

2019 foi um ano de muitos ataques aos nossos direitos, mas também de muita luta e resistência dos trabalhadores. Seja contra Bolsonaro ou Fátima, o Sindsaúde/RN mostrou que o caminho é a mobilização e a independência de diante qualquer governo. Que venham as batalhas de 2020!

O SINDICATO SOMOS NÓS, NOSSA FORÇA, NOSSA VOZ!

EXPEDIENTE Publicação bimestral do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde do Rio Grande do Norte, editado pela Secretaria de Comuni cação (Secom) . Jornalista: Fernanda Psoa. Estagiários: Thalia Varela e Tiago Silva. Diagramação: Poti Comunicação. TELEFONE 3027-2830 WHATSAPP 99984.0152 SITE www.sindsaudern.org.br E-MAIL secretariasind@hotmail.com FACEBOOK SINDSAÚDE/RN

4

CONFIRA NESTA EDIÇÃO MOBILIZAÇÃO E GREVE GERAL Para Rosália Fernandes, da CSP-Conlutas, a MP 905 é a cruel reforma trabalhista de Bolsonaro, que aprofunda os ataques feitos por Temer e Dilma. “Essas isenções só servem para garantir os lucros dos empresários à custa da redução de direitos dos trabalhadores. Essa medida precisa ser revogada. No dia 18 de março, teremos um dia nacional de lutas unificado. Vamos precisar unificar toda a classe trabalhadora e realizar uma nova Greve Geral para impedir esta MP e todos os ataques”, afirmou Rosália.

SINDICATO COMBATIVO Sindsaúde avalia lutas e se prepara para 2020

GOVERNO FÁTIMA Após 1 ano, qual o balanço da ex-sindicalista do PT?

PREVIDÊNCIA NO RN Fátima apresenta reforma dura contra servidores

Sindicato participou de forma ativa das lutas no RN e seguirá mobilizando a categoria contra Bolsonaro e Fátima. PÁGINA 2

Governadora diz que é popular, mas só ataca direitos dos mais pobres e mantém privilégios de ricos e poderosos. PÁGINA 3

Confira o informativo especial do Sindsaúde explicando os principais ataques que teremos de enfrentar no início de 2020.


UM SINDICATO QUE NÃO SE RENDEU A NENHUM GOVERNO Em 2019, o Sindsaúde e a base estiveram na linha de frente contra os ataques dos governos Bolsonaro e Fátima. Em 2020, será necessário lutar ainda mais em defesa dos direitos. Em 2019, o Sindsaúde/RN participou ativamente das lutas contra os ataques de Bolsonaro e Fátima. Diante da crise econômica, governos e patrões querem arrancar ainda mais o couro dos trabalhadores para salvar a própria pele. O que eles sempre querem é reduzir direitos para aumentar os lucros das grandes empresas e bancos. Bolsonaro, Mourão e Paulo Guedes estão destruindo o que sobrou do país, depois dos governos do PSDB, MDB e PT. O atual governo está vendendo as empresas estatais, cortando verbas da educação pública, acabando com o meio ambiente e os direitos trabalhistas. Além disso, aprovou no Congresso corrupto praticamente o fim da aposentadoria. A governadora passou 2019 dando calote nos servidores ao não pagar os salários atrasados. Está fechando os hospitais Ruy Pereira e os de Canguaretama e de Santo Antônio, o que vai piorar a superlotação do Walfredo Gurgel e do Deoclécio Marques. Fátima e os deputados ainda negaram um reajuste de 16,38% para todos os servidores estaduais e deram o aumento só para os procuradores, que recebem R$ 30 mil. O Sindsaúde mobilizou os servidores contra tudo isso ao longo do ano. “Estivemos nas ruas com os estudantes em defesa da educação e com milhares de trabalhadores na greve geral de 14 de junho. O Sindsaúde foi o único a fazer uma greve de 53 dias para cobrar do governo do PT os salários atrasados”, lembra Breno Abboutt, coordenador do sindicato. Foram diversos protestos também contra o fechamento dos hospitais e meses de mobilizações na Assembleia Legislativa para exigir reajuste igualitário a todos os servidores. “Para o governo, só existe calamidade financeira com os direitos dos pobres. Não vamos esquecer a traição de Fátima e dos deputados.”, avisa Carlos Alexandre, do Sindsaúde.

Em 2020, os sindicatos devem ampliar a luta em defesa dos direitos, já que os trabalhadores vão continuar na mira desses governos. Será preciso lutar ainda mais para derrotar a guerra social de Bolsonaro contra o povo pobre e também a Reforma da Previdência de Fátima Bezerra contra os servidores. Se não há sossego para nós, não haverá paz para nenhum governo.

2

1º SEMINÁRIO SOBRE SAÚDE DO TRABALHADOR

Sindicato debate o adoecimento dos servidores e prepara campanha de luta

UM ANO DE GOVERNO FÁTIMA:

E O QUE ELA FEZ? Além de organizar as lutas dos servidores, este ano o sindicato também esteve preocupado com os fatores sociais que levam ao adoecimento da nossa categoria no local de trabalho. Por isso, no dia 18 de outubro, o Sindsaúde realizou o 1º Seminário da Saúde do Trabalhador, no Sindicato dos Bancários, em Natal. O evento contou com palestras de psicólogas e pesquisadoras em saúde e foi um espaço importante para trocar muitas experiências. Os servidores da saúde puderam discutir o adoecimento em razão de uma permanente sobrecarga de trabalho, opressão e assédio moral que ocorrem nos hospitais e unidades básicas, bem como por causa do atraso salarial e da falta de valorização. Durante o seminário, também foi exibido um mini-documentário sobre assédio moral e depressão (vídeo no site e facebook). Ao final do encontro, a categoria aprovou a reprodução deste seminário e de outros debates nas regionais do estado e a realização de uma campanha sobre o tema. “Este foi um passo importante para tornar esta luta mais visível e fortalecer a defesa das condições de saúde e trabalho da categoria.”, destacou a diretora Thelma Ribeiro.

Fátima Bezerra já foi professora e sindicalista. Era defensora dos trabalhadores, do direito de greve e contrária ao corte do ponto dos servidores que lutavam contra os ataques de governos. Mas Fátima e o PT mudaram. E muito! Embora mantenha o discurso que parece de esquerda, a hoje governadora, na prática, age da mesma forma que Robinson, Rosalba, Wilma e José Agripino. Após um ano de governo, suas medidas apenas prejudicaram os trabalhadores e os mais pobres, enquanto beneficiam os ricos e os poderosos. O povo não aguenta mais os corredores superlotados, a estrutura precária das unidades, equipamentos quebrados e a falta de remédios. A governadora do PT reduziu leitos, fechou hospitais e cortou R$ 4,5 milhões que seriam destinados para a implantação de laboratórios de informática nas escolas. Além disso, não podemos esquecer que os servidores ainda estão com pagamentos atrasados

e que Fátima agora prepara outra reforma da previdência, depois de ter apoiado a de Bolsonaro. A verdade é que a governadora trabalha para que os mais pobres paguem a conta da crise dos ricos. Corta dos trabalhadores e garante privilégios para as elites. Fátima afirma que o RN não tem dinheiro, mas permitiu que os deputados estaduais levassem 13º salário e férias retroativas. A governadora diz que o Estado passa por uma calamidade financeira, porém, ela oferece a empresários bilionários isenção de impostos. Como se isso não bastasse, o governo ignora a dívida de R$ 7 bilhões que grandes empresas têm com o RN, embora pague em dia à OAS os cerca de R$ 12 milhões mensais pelo contrato fraudulento da Arena das Dunas. É neste cenário, no qual repete os governos anteriores e só piora a vida da população, que Fátima não pensa duas vezes em atacar o sindicato e a categoria que ousam lutar em defesa de seus direitos.

Ex-sindicalista que não respeita direito de greve Em 2019, Fátima criminalizou a luta dos servidores públicos por duas vezes. No início do ano, ela pediu na justiça a ilegalidade da greve da saúde, que cobrava os salários atrasados. Agora, ela e o secretário capataz Cipriano Maia atacaram a categoria com o corte de ponto e pedido de ilegalidade das paralisações que o sindicato estava fazendo todas as sextasfeiras pelo direito de receber os meses trabalhados. “No passado, Fátima e o PT até defendiam os trabalhadores na luta por seus direitos. Mas depois que se misturaram com as elites, passaram a governar igualzinho as velhas oligarquias de sempre. Isso vindo de uma professora e ex-sindicalista é injustificável.”, diz Flávio Gomes, do Sindsaúde.

É HORA DE UNIR OS TRABALHADORES CONTRA BOLSONARO E FÁTIMA Os sindicatos no Brasil não devem se acovardar diante de nenhum governo, muito menos ajudá-lo a nos atacar. Para o Sindsaúde, as entidades do RN precisam lutar contra Bolsonaro e Fátima. É necessário unir os trabalhadores pelo pagamento dos salários, contra a reforma da previdência da governadora e em defesa dos serviços públicos e das liberdades democráticas. É hora de uma greve geral no RN e no país! 3

Profile for sindsaude-RN

Sindnotícias DEZ/2019  

Publicação bimestral do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde do Rio Grande do Norte, editado pela Secretaria de Comunicação...

Sindnotícias DEZ/2019  

Publicação bimestral do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Saúde do Rio Grande do Norte, editado pela Secretaria de Comunicação...

Advertisement