Page 1

Florianópolis, 24 de julho de 2012 - número 08

Manter e fortalecer a Greve Esta foi a decisão da Assembleia de Greve Unificada entre os servidores do Ministério da Saúde e Anvisa realizada nessa segunda-feira, dia 23 de julho, em Florianópolis. Os servidores avaliaram que não há nada de concreto e que o momento não é de recuo, mas de fortalecimento da Greve, pois o governo além de não receber o Comando Nacional de Greve, também trata com descaso e de forma truculenta os trabalhadores. Para dar apoio à luta dos servidores do MS e da Anvisa, estavam presentes na Assembleia representantes do Assibge, sindicato dos servidores do IBGE que também estão em greve, e da CSP-Conlutas. Os servidores da Anvisa informaram que a Greve em Santa Categoria atinge 100% da categoria

e avaliaram a necessidade de realizar um Ato Estadual Unificado com o MS em Itajaí, onde a mídia local está dando boa cobertura à Greve. Os servidores do MS avaliaram a necessidade de mais unidade na luta nacional da categoria, de realizar visitas e reuniões nos locais de trabalho onde há servidores federais da Saúde para dar mais visibilidade à Greve e chamar os companheiros que ainda não estão na Greve a aderirem ao movimento. A Assembleia também colocou a necessidade de se buscar audiência e apoio da base parlamentar catarinense e das lideranças de partidos políticos. Foi lembrado que o prazo para o governo apresentar uma proposta para as categorias dos federais em Greve foi o dia 31 de julho. Foi aprovada a participação nas

lutas nacionais e no calendário de lutas estadual e nacional que prevê atos unificados dos SPFs nos estados no dia 2 de agosto e a construção de nova Marcha a Brasília no dia 9 de agosto, chamada pelas centrais sindicais. Foi avaliado que a Greve está crescendo a cada dia e que o governo já dá sinais, através de matérias veiculadas na imprensa, de que começa a se preocupar com

a repercussão do movimento. O Comando de Greve reuniuse após assembléia e deliberou por realizar um Ato Público nesta quinta-feira, dia 26 de julho, a partir das 10 horas em frente ao prédio do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde/PO, em Florianópolis. É preciso seguir fortes e unidos no movimento! Só a luta muda à vida!

Ato Público de Greve dia 26/07 Venha fortalecer a greve dos servidores do Ministério da Saúde e da Anvisa, nesta quinta-feira, dia 26 de julho. Concentração em frente ao Núcleo Estadual do Ministério da Saúde, em Florianópolis, a partir das 10 horas.

Judiciário em Santa Catarina aprova indicativo de greve para 8 de agosto Em paralisação com Assembleia realizada na sexta-feira, dia 20 de julho, na sede da Justiça Federal, em Florianópolis, foi aprovado o indicativo de Greve a partir do dia 8 de agosto e Estado de Greve a partir do dia 20 de julho. O indicativo será discutido no dia 2 de agosto, quando os servidores irão fazer paralisação de duas horas, das 15 às 17 horas, com Ato/Assembleia no TRE-SC. Na Assembleia foram dados os informes sobre o reajuste salarial, visto que o Congresso votou a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentária) sem os valores do PCS da categoria. Matéria publicada na Agência Brasil no dia 18 de julho informa que o presi-

dente do STF, ministro Ayres Britto, disse que o Poder Executivo deve respeitar as propostas de orçamento apresentadas anualmente pelo Poder Judiciário, evitando vetá-las ou alterá-las antes mesmo que sejam devidamente analisadas e discutidas no Congresso Nacional. A declaração do ministro foi dada um dia depois de o Congresso Nacional aprovar a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2013 sem prever os valores para a revisão salarial dos servidores do Judiciário Federal, prevista no PL 6613/2009. Ao defender o reajuste da categoria, Ayres Britto teria dito que a carreira está se desprofissionalizando em decorrência da perda de atratividade quando comparada a outras carreiras jurídicas. Fonte: Sintrajusc

Persistências I Seria a palavra Persistir? Resistir? Desistir? Quem sabe buscar, Ou entregar... Todos os pontos. E continuar esquecidos, Massacrados, Explorados, Em prol daquelas poucas categorias, Cuja força de barganha É política ou “monetariamente” maior. Ou, talvez, Sobrevoar o pensamento, A análise, O questionamento E não mais precisar perguntar. E da nossa força Não permitir o duvidar. Zu/2012


Servidores mostram poder de mobilização ao governo Durante uma semana de intensa atividade política, no período de 16 a 20 de julho, os servidores públicos federais em Greve e estudantes, com apoio dos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, acamparam em Brasília realizando Marcha Nacional com mais de dez mil servidores. Para romper a inflexibilidade do governo que se recusa abrir negociações, os servidores no dia 19 de julho, ocuparam e bloquearam o Ministério do Planejamento e obrigaram o próprio Ministério a receber as entidades representativas dos servidores para discutir as reivindicações. Esta ação dos servidores em greve demonstrou a disposição dos trabalhadores em lutar intransigentemente pelo atendimento das reivindicações. Os representantes do governo confirmaram que as análises do orçamento estão sendo concluídas e estarão buscando antecipar resposta à pauta, entregue pelos servidores, antes do prazo previsto de 31 de julho. Os servidores em greve dos Estados DF, MG, PR, SC, SP, RS, PA e RN, que estavam participando da Marcha Nacional dos Servidores Públicos, no dia 20 de julho, ocuparam a Diretoria Geral de Recursos Humanos do Ministério da Saúde e da Funasa, para impedir a realização do trabalho para o corte de ponto com desconto dos salários de

todos os servidores em Greve. Uma comissão de servidores foi recebida pela Diretora de Recursos Humanos, Heloisa Marcolino, que informou nova ordem da Presidenta Dilma ordenando aos Ministérios o imediato corte de ponto, inclusive para os trabalhadores da Educação. É a comprovação do desrespeito de como o governo do PT trata os grevistas e os movimentos sociais. E numa recaída autoritária a Presidenta quer interferir também na autonomia das Universidades. Diante da ameaça do corte de ponto, no dia 20 de julho, os grevistas ocuparam o setor onde funciona os serviços de Gestão de Pessoas, desde as 7 horas até o final do dia, tentando impedir que fosse realizado o desconto dos salários dos grevistas. Os participantes da ocupação não recuaram nem mesmo com ameaças de serem retirados à força pela Policia Militar e Federal. Como o Ministério da Saúde não conseguiu realizar suas atividades normais no setor, o serviço sujo foi realizado por servidores que ocupam cargos de confiança no Ministério do Planejamento. No apagar das luzes do dia 20 de julho, os representantes do Comando Nacional de Greve tomaram conhecimento de que alguns servidores receberam a surpresa desagradável nas prévias dos contracheques, com descontos do período da Greve referente ao mês de junho. Após muita pressão, a Diretora de Recursos Humanos do Ministério da Saúde, explicou à Comissão dos grevistas que não teria outra forma de impedir o corte dos salários a não ser que pedisse exoneração do cargo de confiança. Os representantes das

entidades, de forma dura, acusaram o Ministério da Saúde de não honrar nenhum acordo feito com os trabalhadores, lembrando o fiasco do Ministro Padilha que assinou e enviou Aviso Ministerial para Ministério do Planejamento, que foi devolvido sem sequer ser analisado. Esta atitude de descontar dos trabalhadores que ganham os mais baixos salários do Serviço Público Federal, que somente foram à Greve porque não há negociação para atender as reivindicações é um absurdo, sendo que a Greve sequer foi julgada pela Justiça. A comissão de grevistas, a Fenasps e demais sindicatos alertaram o governo que a Greve continuará e as entidades não se responsabilizarão por atos de radicalização por parte dos trabalhadores. A assessoria Jurídica da Fenasps discutirá a questão do desconto na Justiça Federal. Os Servidores Públicos Federais estão demonstrando a capacidade de lutar para atendimento das reivindicações e responder aos ataques do governo que destina bilhões de reais para o pagamento de juros da Dívida Pública, anistia os barões da indústria e destina zero por cento de rea-

juste para os trabalhadores. A Greve do funcionalismo ganhou importante força com a adesão dos servidores das Agências Reguladoras, que estão paralisando portos, aeroportos e fronteiras em todo o País. Na luta estamos desmascarando o governo que retira verbas da saúde e da educação para financiar a agiotagem do sistema financeiro internacional. Essa política neoliberal, mantida e aprofundada nos governos Lula e Dilma, dita o tom do modo petista de governar, dão esmolas para os pobres e bilhões para os ricos. Para fazer frente aos ataques é fundamental o fortalecimento e o crescimento da Greve dos trabalhadores da Saúde. A Fenasps avalia que é importante que os sindicatos enviem militantes para fortalecer o Comando Nacional de Greve e que a categoria permaneça com o espírito aguerrido, pois quem é de luta nunca desiste. Somente na luta conseguiremos conquistar nossas reivindicações e o respeito que merecemos. Firmeza companheiros, a Greve continua até a vitória! Fonte: Comando Nacional de Greve da Fenasps

Boletim de greve nº 8  

Manter e fortalecer a Greve

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you