Issuu on Google+

Encarte especial do

Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região

Publicação anexa à edição 1.026 do Jornal do Metalúrgico

-

Abril de 2013

Vem aí o 11º Congresso dos Metalúrgicos! Fotos: Tanda Melo

O Sindicato realizará, nos dias 19, 20 e 21 de julho, o 11º Congresso dos Metalúrgicos. Esta será uma das atividades mais importantes da categoria que vai decidir a atuação da nossa organização sindical no próximo período. Como de costume, o Congresso será realizado na Colônia de Férias do Sindicato em Caraguá. O espaço, propício para a realização de atividades como esta, tem auditório, salas de reuniões e acomodações para que os metalúrgicos possam se reunir e discutir os caminhos que a categoria deve seguir. Este ano, o tema do Congresso é “O Sindicato somos nós. Nossa força, nossa voz”. E o lema “Organizados nas fábricas, somos fortes!”. Mais uma vez, a ideia é reforçar a organização de base e a participação efetiva dos trabalhadores no comando do seu Sindicato.

O que é Congresso e para que serve? O Congresso é um evento que reúne trabalhadores de várias fábricas para discutir temas importantes da categoria, como por exemplo, a sua organização, a luta por empregos e a defesa dos direitos trabalhistas. É fundamental, porque define os rumos que o Sindicato tem de tomar. Esses metalúrgicos são eleitos pelos demais companheiros

no interior das fábricas, em assembleias democráticas. Uma vez eleitos, estes trabalhadores se transformam em “delegados” do Congresso, já que receberam a “delegação” de representar o conjunto dos trabalhadores. O número de delegados eleitos em cada fábrica depende da quantidade de trabalhadores empregados. Essa proporcionalidade garante que

O que você tem a ver com isso? O Congresso tem tudo a ver com cada trabalhador, já que, durante a sua realização, são discutidos temas relativos ao dia a dia na fábrica, a exploração sofrida na linha de produção e as investidas dos governos contra os direitos. Tarefa ainda mais importante do que fazer uma “radiografia” da realidade da categoria é definir que medidas tomar. No

Congresso, todos os delegados têm direito a voz e voto. Podem ir ao microfone e defender suas posições. As discussões dos delegados são baseadas em “teses”, textos que podem ser apresentados por qualquer trabalhador, contendo as políticas e tarefas que o Sindicato cumprirá no próximo período. Com o Congresso, vence a democracia operária.

diferentes setores da categoria sejam representados, com suas realidades específicas, seja um metalúrgico da GM ou de uma pequena empresa da Zona Sul. O Congresso é uma das instâncias de decisão mais importantes do Sindicato. Ele é convocado justamente para que a atuação do Sindicato seja marcada pela vontade da categoria.


Fique por dentro dos temas que serão discutidos Vários temas relativos à vida dos trabalhadores, como as lutas específicas nas fábricas e a questão da atual crise econômica mundial, devem ser discutidos no 11º Congresso. Alguns assuntos, no entanto, devem receber maior atenção dos delegados, entre eles o da necessidade de aumentar a organização dos trabalhadores em seus locais de trabalho. Essa é uma bandeira que vem sendo levantada pelo Sindicato nos últimos anos, mas é preciso avançar ainda mais. Quanto mais organização existir por parte dos metalúrgicos dentro das empresas, mais força terá a categoria para promover suas lutas. Outro tema importante a ser discutido neste Congresso é o da continuidade da luta contra a burocratização, fenômeno que afasta o dirigente sindical de sua base e cria privilégios. O dirigente nada mais é do que um representante dos trabalhadores e, por isso, é preciso combater eventuais privilégios e garantir um Sindicato combativo e atuante em defesa da classe trabalhadora.

Seja um delegado ou delega

da

Qualquer associado ou associada do Sindicato pode participar do próximo Congresso na condição de deleg ado ou delegada. Basta se candidatar e ser escolhido na assembleia que será convoc ada pelo Sindicato nas fábricas e na sede. Tra balhadores de terceiras, aposentados e desem pregados metalúrgicos também podem pa rticipar. O Congresso é realizado no final de semana (noite de sexta, sáb ado e domingo) justamente para garantir a participação dos metalúrgicos. Não há custo algum para os trabalhadores, que terão garantido o transporte para a Colônia, hospedagem, alim entação, creche para as crianças, tudo pa ra que a única preocupação dos delegados( as) seja o futuro do seu Sindicato.

Ao longo de décadas, Congressos fazem história 1º Congresso (julho de 1991) Por ser o primeiro Congresso foi um marco. O principal desafio era combater a política neoliberal inaugurada pelo então presidente Fernando Collor. 2º Congresso (setembro de 1992) Além dos ataques aos trabalhadores, o governo era inundado por escândalos de corrupção. Nesse encontro, metalúrgicos aprovaram o “Fora Collor”. 3º Congresso (novembro de 1993) Metalúrgicos votaram contra as Câmaras Setorais, mecanismo que priorizava a negociação com patrões e governo e só trazia prejuízo ao trabalhador. Manuel Pereira

7

4º Congresso (julho de 1995) Um dos congressos mais polêmicos. A direção majoritária da CUT apoiava a política de flexibilização de direitos, e o MTS (atual diretoria) era contra. 5º Congresso (junho de 1999) Em uma conjuntura na qual o governo FHC investia contra os direitos dos trabalhadores, o Congresso organizava a resistência àqueles ataques.

Manuel Pereira

6º Congresso (agosto de 2001) “Contra o neoliberalismo, globalizar as lutas”. Este era o tema do Congresso, sobre a importância da união dos trabalhadores de todo o mundo. Manuel Pereira

7º Congresso (abril de 2004) Os delegados desse Congresso exigiram ao então presidente Lula que retirasse as reformas Sindical e Trabalhista, que ameaçavam os direitos trabalhistas. 8º Congresso (agosto de 2005) Esse Congresso abordou a luta contra os ataques aos direitos e referendou a construção da Conlutas, após o rompimento com a CUT.

Tanda Melo

9º Congresso (agosto de 2007) De forma clara e aberta, o Congresso discutiu o problema da burocratização, que afasta a direção sindical dos interesses da base, e definiu medidas para combater o problema. 10º Congresso (abril de 2010) O último Congresso focou o fortalecimento da organização dos trabalhadores em seu local de trabalho, uma tarefa que deve se renovar a cada dia.

Expediente

Encarte especial do órgão informativo do Sindicato dos Metalúrgicos de S. J. Campos, Caçapava, Jacareí, Santa Branca e Igaratá • Rua Maurício Diamante, 65 - 12209-570- (12) 3946.5333 - Fax: 3922.4775 - site: www.sindmetalsjc. org.br - e-mail: comunicacao@sindmetalsjc.org.br - São José dos Campos - SP - Responsabilidade: Diretoria do Sindicato - Colaboração: Conselho Editorial - Edição: Ana Cristina Silva - Redação: Rodrigo Correia. Editoração e Ilustração: Bruno Galvão - Fotolito e Impressão: UniSind Gráfica Ltda (11) 3271-1137


Encarte 11º Congresso - JM 1026