Page 1

EDIÇÃO 90 | 2018

GRANDE FESTA DE FINAL DE ANO 2017 NA MODA O que você acha do “Netflix do carro”?

PERIGO! Você sabe quais os riscos do seu negócio?


TEMA

2

Revista SINDLOC-MG


EDITORIAL

EXPEDIENTE Presidente Marco Aurélio Gonçalves Nazaré Vice-Presidente Gustavo de Paula Botelho Penna 1º Diretor Tesoureiro Emerson Eduardo Ciotto 2º Diretor Tesoureiro Marcelo Elian Moreira 1º Diretor Secretário Antônio Mansueto Caldeira 2º Diretor Secretário Luís Fernando Memória Porto Diretor Relações Públicas Leonardo Soares Nogueira da Silva Diretor de Eventos Saulo Tomaz Fróes Diretor de Relações Institucionais Luiz Henrique Franco Junior Conselho Fiscal Francisco Salles Campos Júnior Flávio Bittencourt Tavares Frederico Fonseca Martins de Barros Coordenação Administrativa Patrícia Morais Gerente Comercial Lielson Dias Assessoria Jurídica em Trânsito Dra. Luciana Mascarenhas luciana@mascarenhaseassociados.com.br Jornalista Responsável Leandro Lopes DRT 1179/SE Projeto Gráfico e Editoração Nativa Comunicação contato@nativabh.com.br (31) 3261-7346 Público-Alvo Locadoras e redes do estado de Minas Gerais e do país, agências de turismo, hotéis, autoridades e jornalistas especializados. Tiragem 3.000 exemplares Impressão Gráfica Atividade Todos os textos assinados são de inteira responsabilidade de seus devidos autores. A REVISTA SINDLOC-MG não se responsabiliza pelo conteúdo e declarações neles contidos.É permitida a reprodução total ou parcial das reportagens, desde que sejam citadas as fontes. das reportagens.

Rua Pernambuco, 353 - Sala 201 (Pilotis). Funcionários. CEP: 30130-150 - Belo Horizonte, MG. Telefone: (31) 3337-7660. sindlocmg@sindlocmg.com.br www.sindlocmg.com.br

REVISTA NOVA, ANO NOVO, NEGÓCIOS A MIL... A chegada de 2018 é um alento. Não apenas pela ideia de renovação, de recarga, de recomeço. Muito pelo que as perspectivas apontam. A macroeconomia já vem revelando desde os últimos meses de 2017 uma melhora significativa. Os números são empolgantes após tanto tempo de tempestade. Sabíamos que essa hora chegaria e, por isso, estamos nos preparando desde o início dessa nova gestão. Fizemos planos com metas ousadas, com visão de curto, médio e longo prazo. Uma hora, como gosta de dizer Paulo Nemer, ex-presidente da ABLA, o avião iria embicar. Ao que tudo indica, é hora de colher os frutos, para quem se preparou. Vocês já devem ter percebido, nossa revista mudou! Estamos de cara nova, com um novo projeto gráfico, organização dos temas, fontes mais propícias para uma leitura mais leve, anúncios mais eficientes, tons mais claros e textos menores, mais dinâmicos e objetivos. Bem-vindos a nova Revista SINDLOC-MG! E agora, na edição 90, você acompanha um pouco de tudo que foi feito ao longo do ano passado no sindicato, lendo o texto do balanço das nossas atividades. Veja também uma discussão fundamental sobre o chamado “Netflix do carro” e conheça a nossa proposta de integração das entidades de classe, o Sistema Nacional de Locação de Veículos – SNLV. Nesta edição, você ainda pode se aprofundar na Nova Lei Trabalhista e ver as fotos da nossa Confraternização de Final de Ano. Bem-vindo 2018, que os negócios estejam a mil...

SIGA O SINDLOC-MG Fo to: S

IND

Marco Aurélio Nazaré

LO C

-M

G

ito éd : cr

to Fo

PRESIDENTE DO SINDLOC-MG Revista SINDLOC-MG

3


ÍNDICE

EDIÇÃO 90 | 2018 BALANÇO “É rigorosamente tudo que foi prometido”, afirma Marco Aurélio

7

5

NOTAS

6

CARTA

10

UNIÃO

12

NOVA LEI TRABALHISTA

16

PROCAP

18

CAPACITAÇÃO

20

ARTIGO

24

MERCADO

25

DICAS

28

POR DENTRO DA LEI

30

PARCERIA

32

REFLEXÃO

42

TURISMO

CONFRATERNIZAÇÃO

GRANDE FESTA DE FINAL DE ANO

34

REPORTAGEM Carro por assinatura. E se a moda pega?

22

4

Revista SINDLOC-MG

Carta às locadoras de veículos de Minas Gerais

Abla, sindicatos e Fenaloc se unem para fortalecer o setor

“Os empregados poderão ter vontade própria”

Associados aprendem sobre contabilidade

Modelo de Workshop revelou eficiência e conquistou os associados

Prepare-se para a retomada do crescimento em 2018

Dias melhores à vista!

Você sabe quais os riscos do seu negócio?

Pontos na carteira nacional de habilitação: todo cuidado é pouco!

30 mil itens à disposição

Mudança

Onde fica o mar de Minas?


NOTAS

CRESCIMENTO

RECORDE EM NOVOS ASSOCIADOS Foto: Banco de imagens

Finalizamos 2017 com crescimento de 34% no quadro de associados! Agradecemos a todos pela confiança e que em 2018 o resultado seja ainda melhor!

PARTICIPE

Fique por dentro das novidades e benefícios em ser um associado SINDLOC-MG, mantendo seu cadastro sempre atualizado. Essa simples atitude possibilita continuarmos buscando a excelência no seu atendimento e comunicarmos os vários

benefícios que somente associados possuem. Para mais informações sobre a atualização cadastral de sua empresa entre em contato com o SINDLOC-MG pelo telefone (31) 3337.7660 ou por e-mail: atendimento@sindlocmg.com.br.

Agora é com o SINDLOC-MG! Conheça os benefícios da parceria com a empresa Infoco. Para mais informações entre em contato com o SINDLOC-MG pelo telefone (31) 3337.7660 ou por e-mail: atendimento@ sindlocmg.com.br.

s

ATUALIZAÇÃO CADASTRAL

CERTIFICADO DIGITAL

imag en

FIQUE POR DENTRO

INFOCO

co de

Foto: Banco de imagens

Em 2018 teremos vários temas e novidades para enriquecer ainda mais seu conhecimento. A sua sugestão é muito bem-vinda. Participem!!!

Foto: Ban

CURSOS

Revista SINDLOC-MG

5


CARTA

Carta às locadoras de veículos de Minas Gerais

O

SINDLOC-MG alinhado as recentes mudanças do mercado, da economia e das novas legislações, tomou medidas para adotar uma gestão profissional, mais voltada ao atendimento das demandas dos associados. Sendo assim, deixa de efetuar a emissão das guias de Contribuição Sindical em 2018. Nos últimos anos, o SINDLOC-MG fez uma grande reestruturação na organização interna com a criação de um departamento comercial, inserindo uma gama maior de produtos e serviços e, como consequência, ampliamos o quadro de associados em mais de 30% somente em 2017. Porém, para equilibrarmos nosso orçamento, mantermos a representatividade institucional e disponibilizarmos produtos e serviços cada vez mais eficazes, precisamos crescer ainda mais a base de associados que participem, utilizem e tenham o SINDLOC-MG como referência para o seu negócio. Entre os benefícios criados, podemos citar: • Sede própria, patrimônio financeiro de todos os associados; • Assessorias jurídica e contábil; • Clipping de licitações; • Consultas ao SPC e Serasa; • Planos de saúde e odontológico; • Parceria com empresas de sistemas de gestão de frotas; • Despachantes e placas automotivas; • Parcerias com bancos e financeiras; • Desconto na compra de veículos;

6

Revista SINDLOC-MG

• Consórcios com taxas diferenciadas; • Workshops e cursos de capacitação; • Certificados digitais; • Consultas de informações otimizadas pelo CNPJ via Detran-MG; • Parceria com empresas de telemetria e rastreamento; • Parceria com operadoras de cartão de crédito e débito; • Convênio com empresas fornecedoras de autopeças e acessórios; • Parceria com empresas de seguros; • Sala e auditório para reuniões, treinamento e eventos. O SINDLOC-MG é o representante do setor perante os órgãos públicos e instituições, monitorando e atuando em prol do segmento junto aos poderes Executivo e Legislativo, nas ações (leis) que influenciam e podem penalizar o segmento. Convidamos você associado e não associado para que se informe melhor sobre a entidade que legalmente representa seu negócio, cuja as decisões influenciam diretamente em suas atividades e utilizem nossos produtos, serviços, programas de capacitação e tenham acesso as nossas ferramentas e meios de comunicação, calculando assim as reais vantagens de pertencer ao sindicato referência no segmento de locação de veículos do Brasil.


BALANÇO

“É rigorosamente tudo que foi prometido”, afirma Marco Aurélio

E

m uma conversa rápida e prática, Marco Aurélio Nazaré, Presidente do SINDLOC-MG, levantou de memória algumas das principais ações do sindicato ao longo dos últimos meses. Não demorou para chegar a conclusão de que tudo que foi feito é nada mais do que o resumo do que foi prometido em seu discurso de posse, em março. “Veja. É rigorosamente tudo que foi prometido”, afirma ele sorrindo satisfeito e olhando sua lista de anotações que o guiava nas lembranças de 2017. De fato, Marco Aurélio administra cuidadosamente o sindicato e vai de uma forma prática e rápida, como suas reuniões, cumprindo o prometido.

Foto: Le

andro

Lopes

ESTATUTO O sindicato e seus diretores finalizam a nova versão do Estatuto do SINDLOC-MG. Há alguns meses o documento vem sendo estudado e debatido entre os diretores. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Durante alguns dias, toda a diretoria se colocou reunida para responder perguntas como: quais são os objetivos do SINDLOC-MG? Quais suas metas e seus prazos? Na época, Marco Aurélio em depoimento para a Revista SINDLOC-MG afirmou: “Isso é um comRevista SINDLOC-MG

7


promisso dessa nova diretoria. Planejamento Estratégico é essencial para qualquer coisa na vida. Saber como e onde se quer chegar é uma premissa para mim. Agora a gente só está colocando em prática essa promessa”.

claro. Atuamos muito com visitas de porta em porta e isso resultou em um sindicato mais forte numericamente e qualitativamente”.

ENGAJAMENTO DOS DIRETORES

“Aumentamos o mix de produtos e serviços para os associados e oferecemos importantes novidades como o convênio com o Detran-MG”, lembra Marco Aurélio. Trata-se de um projeto de pesquisa otimizada de veículos, via web, que permite consulta ao banco de dados do Detran-MG. A partir dele, os associados terão acesso de forma produtiva as várias informações como situação do licenciamento, impedimentos, multas e relatórios com estatísticas da frota. “Além dele, tivemos o convênio com a CDL-BH, que possibilita consultas ao SPC-Serasa a preços abaixo do mercado, além do Consórcio Volkswagen”, cita Marco Aurélio.

Atualmente, reuniões periódicas entre os diretores são feitas para demandar trabalhos, organizar conquistas, sistematizar dados. “Boa parte da atuação da diretoria é constante. Em um modelo de criação de comissões, os diretores se tornam verdadeiros colaboradores do processo de crescimento do SINDLOC-MG”, afirma Marco Aurélio. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL “Passamos por uma mudança brusca. Hoje, quase todo o corpo funcional do sindicato é feito de pessoas com sangue novo, novos objetivos e força de vontade. Nesse quesito, passamos por um vendaval”, brinca Marco Aurélio. RESTRUTURAÇÃO DO COMERCIAL Promessa de discurso, a forma de atuação do departamento comercial mudou. Com a chegada de Lielson Dias, o setor ganhou força e gerou resultados positivos imediatos. “Poderíamos citar vários, mas o fundamental foi o nosso crescimento no corpo associativo. Em um ano, o SINDLOC-MG conquistou 34% de novos associados”, festeja. REPRESENTATIVIDADE “O aumento no número de associados cria um novo peso para nossa representatividade,

8

Revista SINDLOC-MG

PRODUTOS E SERVIÇOS

COMUNICAÇÃO “Passamos por uma reformulação e já nessa edição da Revista SINDLOC-MG, como vocês podem ver, criamos um novo formato comunicacional”. De fato, a revista apresenta uma nova cara, com um design mais moderno e otimizado.


TEMA

CAPACITAÇÃO O SINDLOC-MG adotou um novo modelo de capacitação com os workshops, onde as apresentações ganharam redução de tempo e o debate, a conversa, conquistou mais espaço. O ciclo de debates com duas atividades provou que o modelo foi um sucesso. Auditório sempre lotado! “Também firmamos a parceria com a Uniabla e trouxemos para o auditório do sindicato o maior número de público de todo o país!”, festeja Marco Aurélio. SISTEMA NACIONAL DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS Eis o mais ambicioso dos projetos do ano: o Sistema Nacional de Locação de Veículos. “Resumidamente, a proposta é unir SINDLOC-MG com a Abla e Fenaloc em um sistema onde seja possível reposicionar as atividades de cada uma das instituições, somar esforços para fortalecer os pontos positivos das entidades representativas e aproveitar as sinergias corporativas existentes. Acabamos de aprovar esse projeto na Abla!”, festeja mais uma vez Marco Aurélio. Que venha 2018!

Foto: Banco de imagens

Revista SINDLOC-MG

9


UNIÃO

Abla, sindicatos e Fenaloc se unem para fortalecer o setor

O

SINDLOC-MG é um sindicato. A Abla é uma associação. A Fenaloc, uma federação. Do ponto de vista jurídico são três entidades que exercem papéis diferentes. Operacionalmente, trabalham para um mesmo objetivo: fortalecer o setor de aluguel de automóveis no Brasil. No dia a dia, as três já atuam em parcerias em diversas ações: fazem curso de capacitação, promovem encontros, realizam debates, sentam à mesa para encontrar soluções comuns para seus associados, filiados e sindicalizados. Porém, a partir de agora, elas deixarão de atuar informalmente unidas para trabalharem juntas de uma forma sistematizada. Está sendo criado o Sistema Nacional de Locação de Veículos – SNLV. “A proposta é unificar as entidades dentro de um único objetivo e metas, sem que elas percam suas identidades originais. O SNLV irá delinear as ações de cada uma individualmente e principalmente as ações em conjunto do setor”, explica o responsável pelo projeto Carlos Faustino, da Consulting Company. Afinal, o que muda para o associado do SINDLOC-MG a partir desse sistema? “As locadoras que vierem a se incorporar ao sistema, passam a fazer parte de todas as entidades simultaneamente. Haverá um planejamento da transição para que as já associadas hoje dos SINDLOCs e da Abla se integrem ao sistema, mas as novas associadas já estarão fazendo parte dele”.

10

Revista SINDLOC-MG

A expectativa, segundo Carlos Faustino, é que o piloto do SNLV entre em ação no primeiro trimestre de 2018 e, se tudo correr bem, será oficialmente disponibilizado ainda no ano que vem. “Temos certeza que com esta unificação nosso setor ficará ainda mais forte, pois todos nós como entidades, estaremos imbuídos em um só objetivo e em busca cada vez mais do crescimento, capacitação e reconhecimento do mercado onde nossa representatividade se expandirá pelo Brasil e pelo exterior”, resume Faustino. Para Marco Aurélio Nazaré, Presidente do SINDLOC-MG, o SNLV irá proporcionar uma potencialização das sinergias já existentes nas entidades e aproximará ainda mais os associados dos debates e projetos importantes para o crescimento do setor. “As entidades ganham e os associados também. Não existe caminho melhor do que isso”, festeja.


TEMA

“A proposta do SNLV é para fortalecer, deixar o setor ainda mais firme, unido e consistente para batalhar pelos nossos direitos”, afirma Paulo Miguel, Presidente da Abla. Todos os canais de comunicação do SINDLOC-MG estarão atentos ao passo a passo dessa construção. Para saber mais, basta nos seguir pelo facebook.com/sindlocminasgerais ou sindlocmg.com.br.

Foto: Banco de imagens

Revista SINDLOC-MG

11


NOVA LEI TRABALHISTA

Alberto Nemer “Os empregados poderão ter vontade própria”

N

o dia 19 de outubro, o SINDLOC-MG promoveu a primeira etapa do Ciclo de Debates que naquela oportunidade debateu os aspectos jurídicos e tributários do setor de aluguel de carros. Entre os palestrantes convidados, o advogado Alberto Nemer, falou da nova Lei Trabalhista e detalhou as principais mudanças da legislação.

Fo to: o

est

ad

oe

s.c om

.br

Nemer é graduado pela Faculdade de Direito de Vitória – FDV, especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Escola Superior de Advocacia. É sócio do escritório Da Luz, Rizk & Nemer Advogados Associados , membro titular da Comissão do Comitê Gestor no Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região, além de fazer parte da Comissão de Assuntos Trabalhistas – CAT, da Confederação Nacional do Transporte. Participou ativamente na elaboração da reforma trabalhista, “sendo que 87% de nossas sugestões/reivindicações foram contempladas na Lei”. A Revista SINDLOC-MG aproveitou a passagem dele por Belo Horizonte e conversou sobre o tema. Ninguém melhor para falar dela! Quem: Alberto Nemer Perfil: Graduado pela Faculdade de Direito de Vitória – FDV, especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Escola Superior de Advocacia. É sócio do escritório Da Luz, Rizk & Nemer Advogados Associados , membro titular da Comissão do Comitê Gestor no Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região, além de fazer parte da Comissão de Assuntos Trabalhistas – CAT, da Confederação Nacional do Transporte.

12


No dia 11 de novembro a nova Lei Trabalhista entrou em vigor. De um modo geral, qual a importância dessa alteração?

A Modernização da Legislação Trabalhista é de suma importância. Frisa-se que com a nova legislação, empregados e empregadores, terão novas formas de se relacionar e com segurança jurídica. A referida legislação trouxe aos empregados uma oportunidade que nunca tiveram em 74 anos de Consolidação das Leis do Trabalho: os empregados poderão ter vontade própria e negociar, algumas questões, diretamente com o seu empregador. Dessa forma, haverá uma ruptura cultural que vejo com bons olhos, ao passo que o diálogo será o norteador das relações trabalhistas. Como isso funcionará? E, de fato, com o nível de escolaridade do brasileiro, você acredita que isso seja justo?

Primeiramente, vale registrar que antes da modernização da legislação trabalhista, o empregado não tinha voz e nem vontade própria. Com a nova Lei, o empregado, em alguns pontos, poderá negociar diretamente com o seu empregador. Importante lembrar que não existe qualquer obrigação nessa negociação. Seguem alguns exemplos: banco de horas para compensação em até seis meses; parcelamento de férias – em até três vezes; horário do intervalo de descanso para trabalhadora lactante; demissão em comum acordo; etc; Ao entrar em vigor, a nova Lei altera os contratos já vigentes de trabalho? Ou apenas os novos contratos assinados a partir do dia 11 de novembro?

A nova legislação se aplica a todos os contratos, inclusive os que estavam em vigor antes do dia 11 de novembro. Todavia, vale sublinhar que as modernidades trazidas pela nova Lei não poderão retroagir, apenas ser aplicadas da sua vigência em diante.

Quais são os pontos mais importantes de alteração?

Poder concedido aos sindicatos de poder negociar sobre o legislado, desde que em sintonia com a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988; Dividir as férias em até três vezes; Terceirizar qualquer atividade da empresa; Trabalho parcial; Rescisão contratual em comum acordo; Banco de horas sem necessidade de negociação coletiva; Fim do imposto sindical obrigatório; O preposto em audiência não precisa ser mais empregado da empresa.

o s e m p re g a d o s poderão ter vontade própria e negociar, algumas questões, diretamente com o seu empregador.

O que não muda?

Direito ao seguro desemprego; Direito ao 13º salário; Direito ao FGTS; Remuneração do trabalho noturno superior à do diurno; Remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal; ou seja, todos os direitos garantidos pela Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 no artigo 7º permanecem e não podem ser negociados. A partir de agora, as ações trabalhistas também sofrem alterações. O que de principal muda?

A principal mudança da modernização da legislação trabalhista é trazer às partes, empregados, empregadores e advogados, mais responsabilidade

Revista SINDLOC-MG

13


Em médio, longo prazo, as alterações realizadas irão trazer uma nova harmonia de diálogo e negociação entre empregado e empregador, bem como irá trazer segurança jurídica.

14

Revista SINDLOC-MG

quando do ajuizamento de uma Reclamação Trabalhista. A partir do dia 11 de novembro, a parte que perder pagará honorários sucumbenciais, custas judiciais e eventuais custos com perícias. Essa medida é de suma importância, pois, irá afastar àqueles que buscavam na Justiça do Trabalho a sorte grande, fazendo desta um palco para aventuras judiciais. Algumas polêmicas continuam em debate, como o dano extrapatrimonial e a questão em torno das gestantes. Explica sobre esses dois pontos. Além disso, você acredita em alterações nessas questões?

São dois pontos controversos. No que tange ao dano extrapatrimonial, o Presidente editou a Me-


TEMA

dida Provisória alterando substancialmente o seu teor. Contudo, entendo que nesse aspecto, a tarifação do dano moral, por exemplo, vai de encontro aos princípios da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988; Em relação ao labor da gestante em ambiente insalubre, o texto original da Modernização Trabalhista era excelente para a empregada, vez que o seu labor somente poderia ocorrer se fosse apresentado um laudo de um médico de confiança da empregada. Caso não apresente o referido laudo, a empregada deveria ser trocada de local de trabalho, mas sem prejuízo de receber o adicional de insalubridade. Todavia, o Presidente, atendendo pedido de partidos da oposição, alterou a forma de trabalho da gestante, por meio da Medida Provisória 808. Essa alteração, na minha opinião foi prejudicial ao trabalhador, pois, caso não possa trabalhar em ambiente insalubre, perderá o adicional de insalubridade.

C

M

Y

CM

MY

Por fim, o que essas alterações criarão a médio e longo prazo para um país como o Brasil?

Em médio, longo prazo, as alterações realizadas irão trazer uma nova harmonia de diálogo e negociação entre empregado e empregador, bem como irá trazer segurança jurídica. Além disso, irá propiciar o mercado de trabalho brasileiro se adequar às tendências da globalização, permitindo, por exemplo, a contratação por hora.

CY

CMY

K

É de suma importância evidenciar que Lei não gera emprego. O que gera emprego é uma economia estável e forte. Acredito que a modernização da legislação do trabalho irá trazer segurança para os empreendedores investirem no Brasil e, por via de consequência, fortalecer a economia e gerar empregos.

Revista SINDLOC-MG

15


PROCAP

Associados aprendem sobre contabilidade

Não é um curso técnico, muito menos acadêmico. É um curso direto ao ponto”. Assim, Paulo Henrique Souza, instrutor do curso “Contabilidade para não contadores” define a atividade que aconteceu no dia 14 de novembro no SINDLOC-MG. Promovido pela Universidade Corporativa do Setor de Locação de Veículos – Uniabla, da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis – Abla, com apoio do SINDLOC-MG, o evento se prolongou ao longo de todo o dia e a participação foi gratuita. Segundo Paulo Henrique, é um curso que promove muitas provocações aos donos das locadoras. “Por que a sua empresa está no SIMPLES, por exemplo? Você tem inscrição estadual? É uma pergunta que a gente faz aqui. Tem muito dono de locadora que não sabe responder coisas básicas como essas”, explica. Para Paulo Henrique, é importante se pensar que o governo é sócio da sua empresa. “Todos os meses ele aparece para retirar seus lucros, que são os impostos”, alerta ele. “Por isso, é preciso entender como a Receita Federal atua na labuta do dia a dia. Esse curso mostra muito disso”. Ou seja: não se tratou de um treinamento com detalhamentos contábeis, mas de uma atividade que abordou a contabilidade como experiência cotidiana das locadoras. Por isso mesmo a participação do público foi constante. Muito se

perguntou e muito se respondeu ao longo de toda a atividade. O auditório estava, mais uma vez, cheio. “É um tema que interessa a muitos empresários. No final, 1/3 do que você produz será revertido em pagamento de impostos. Por isso, é preciso entender o que pagar, como pagar, para que isso se torne justo e correto”, resume Paulo Henrique.

16

Revista SINDLOC-MG

Foto: Leandro Lopes

Como vem acontecendo nas atividades da Abla, o curso adotou a estratégia de realizar um investimento solidário. Os associados Abla e SINDLOC-MG levaram cinco quilos de alimentos não perecíveis. Já os não associados, uma cesta básica. As doações foram entregues a Creche Tio Iolanda.


TEMA “O curso foi muito útil, pois a todo momento fazia comparativos com a minha realidade na empresa. Está me ajudando a ter mais argumentos e conhecimentos para colocar em prática no meu dia a dia” | Flávia Perché, Raja Aluguel de Veículos.

“Curso foi de grande aprendizado, orientações na análise e interpretação de procedimento contábil. Agradeço a oportunidade em aprimorar e desenvolver minhas atividades na empresa. Parabéns ao senhor Paulo Henrique, muito presente em nossas dúvidas e debates. Obrigada” | Sueli Rocha, Raja Aluguel de Veículos.

Foto: Leandro Lopes

“Foi de muita valia, bem esclarecedor e dentro do tempo disponível, foi muito bem exposto” | Melck Guilherme, MCK Locadora de Veículos.

“Fiquei muito satisfeita com o curso. O palestrante tinha domínio do assunto e clareou para todos, de uma forma técnica e dentro da realidade das nossas atividades rotineiras. Agregou assim, muito conhecimento” | Renata Pereira, Locarcity.

“Achei muito válido o conteúdo principalmente sobre o Lucro Simples. Inclusive o conteúdo foi analisado e elogiado pelo contador que presta serviços à Lokamig” | Saulo Fróes Jr., Lokamig.

Revista SINDLOC-MG

17


Foto: Leandro Lopes

CAPACITAÇÃO

Modelo de Workshop revelou eficiência e conquistou os associados

No segundo encontro, Regina Helena, falou do cenário econômico e as previsões para 2018. Flávio Tavares, do Instituto PARAR, apresentou as expectativas para o futuro da mobilida18

Revista SINDLOC-MG

Foto: Leandro Lopes

Em ambas as oportunidades, auditório lotado! Funcionava assim: três palestrantes eram convidados. Cada um fazia uma apresentação de 40 minutos e, no final, uma roda de conversa com os presentes promovia um debate entre público e instrutores. Desse modo, no primeiro dia, o advogado Alberto Nemer Neto ministrou uma apresentação a respeito das mudanças na Lei Trabalhista. Adriano Castro, consultor jurídico, tratou das vantagens tributárias da locação. Luciana Mascarenhas, consultora do SINDLOC-MG, falou de contratos e multas de trânsito.

Foto: Leandro Lopes

A

partir de uma dinâmica que estabelecia uma unidade temática. Primeiro, no dia 19 de outubro, com o Workshop Jurídico e Tributário; depois, no dia 21 de novembro, com a temática de Gestão e Resultados, o Ciclo de Debates promovido pelo Programa de Capacitação Profissional do SINDLOC-MG, revelou eficiência e conquistou os associados do sindicato.


“Gostaria de parabenizá-los por este evento incrível! Foi maravilhoso participar. Passaria o dia inteiro ouvindo o Flávio Tavares e o Carlos Caixeta. Conteúdo extremamente importante, atualizado com palestrantes que possuem domínio do assunto” | Renata Pereira, Locarcity. “Gostei muito do workshop, as palestras foram muito ricas e com pessoas realmente preparadas para transmitir seus conhecimentos. Muito bom!” | Marta Pinheiro, Yes Aluguel de Carros.

Foto: Leandro Lopes

Foto: Leandro Lopes

de urbana e as inovações. E, fechando o ciclo, Carlos Caixeta tratou de gestão e resultados. Entre uma conversa e outra, pausa para o network com coffee-break e happy hour ao final do evento. “Consagramos o nosso ano! É o quarto evento seguido que a gente lota o auditório. Isso quer dizer que estamos atuando no caminho certo. É visível que investimos no melhor formato de apresentação e trouxemos os melhores palestrantes possíveis para cada tema. Estamos felizes e orgulhosos”, festeja Lielson Dias, Gerente Comercial do SINDLOC-MG. “A gente tem uma satisfação imensa em ver esse auditório lotado, mas é importante perceber que mais essencial que isso é, de fato, fazer com que os grandes números de casa cheia resultem em resoluções práticas para as locadoras. A gente sempre quer que desde já, desde o instante em que esse evento termine, que os empresários e seus colaboradores coloquem em prática o que aprenderam aqui. É pra isso que o sindicato existe. Nosso trabalho é cuidar do setor como um todo, mas nossa grande obra é sempre cuidar de cada um”, afirma Marco Aurélio, Presidente do SINDLOC-MG. Revista SINDLOC-MG

19


ARTIGO

início do ciclo da retomada econômica brasileira.

Foto: Divulgação

Prepare-se para a retomada do crescimento em 2018 Carlos Caixeta

A

recuperação sustentada da economia brasileira, a partir de 2018, é praticamente certa de acordo com as principais consultorias, bancos de investimentos, institutos de estatística e escolas de negócios nacionais e internacionais: Banco Mundial, FMI (Fundo Monetário Internacional), bancos de investimento e de varejo, relatório Focus do Banco Central, OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e outros. Após 2 anos de quedas sucessivas do PIB em 2015 e 2016 – pior resultado dos últimos 100 anos –, o crescimento econômico entre 0,7% e 1% em 2017, com previsão de alta entre 2,5% e 2,9% em 2018, evidencia o

20 Revista SINDLOC-MG

Não se trata de “ideologia” mas sim de estatística e conhecimento da realidade empírica dos ciclos econômicos. Ao longo de 115 anos de medições do PIB nacional, após as grandes quedas ocorridas o país se recuperou no segundo ou terceiro ano subsequente. Felizmente, a dinâmica econômica tem suas engrenagens próprias e o grau de correlação com a política e poder judiciário são importantes, mas não preponderantes. Nesse cenário, as empresas precisam desenvolver uma estratégia clara para definirem os resultados prioritários, seus indicadores e metas no curto, médio e longo prazos. Devem aproveitar suas forças competitivas, trabalhar as deficiências e fraquezas, identificar as oportunidades externas e preparar para as potenciais ameaças. Essa iniciativa possibilita um aprendizado seletivo sobre o passado, a boa gestão do presente e a projeção do futuro, implementando-se as ações e projetos que irão construí-lo. Reitero os pilares gerais para 2018: austeridade, efetividade operacional, foco no mercado e busca da lucratividade. Complementarmente, as organizações devem estreitar os laços de confiança com todos os públicos (stakeholders) relacionados ao desempenho dos seus negócios, identificar onde podem ser mais eficientes e fazer um bom gerenciamento dos custos e processos, aumentando a produtividade e a lucratividade. Para cada área que compõe a organização, é preciso diagnosticar os problemas e diferenciais, as vantagens competitivas e áreas de oportunidade de melhoria na cadeia de valor, incluindo os ativos tangíveis e intangíveis. A gestão deve ser profissional, meritocrática, medir o desempenho geral e individual com indicadores e metas claras, reconhecendo e bonificando os melhores, desenvolvendo equipes e líderes que possam consolidar uma cultura baseada em resultados e apoio mútuo. As áreas de gestão de pessoas e comunicação interna precisam atuar de forma alinhada e coordenada, implementando workshops e treinamentos constantes para fortalecer essa cultura profissional. “Primeiro quem, depois o restante”, esse é o principal pilar segundo líderes empresarias como Jack Welch, Jeffrey Immelt, Fábio Barbosa, Bill Gates e o trio fundador da Ambev: Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles.


Ainda nesse contexto, a percepção positiva em torno da marca é importantíssima, bem como a confiança vinda da forte reputação construída no dia a dia com os clientes e demais stakeholders, tendo os funcionários como os responsáveis diretos pela entrega do valor prometido. Agir com coerência e consistência, alinhando a prática ao discurso corporativo, constrói e mantém uma reputação forte ao longo do tempo, atraindo talentos, clientes, investidores, credores, fornecedores, admiradores, apoio da mídia etc.

financeira, lucidez e humildade, clareza estratégica, disciplina na execução e meritocracia se destacam em seus respectivos setores. A crise nos ensinou a fragilidade geral diante de um cenário de queda na confiança e incertezas sobre o futuro, bem como o alto risco de se ignorar esses itens da excelência em gestão e desempenho.

Para analisar e gerenciar os resultados, um diagnóstico estratégico competitivo (DEC) recomenda oito dimensões: criar e manter uma proposição de valor importante; explorar um mercado em alto crescimento; ter clientes rentáveis como principal fonte de receitas; potencializar alianças com grandes marcas e empresas; conseguir retornos exponenciais; ter excelência em liderança interna e externa; ter diretoria e líderes especialistas em valores essenciais; investir em infraestrutura.

Existem aqueles que observam passivamente, os que simplesmente analisam e os que decidem fazer acontecer. Qual será a sua escolha? Lembre-se que o tempo não volta e que as grandes oportunidade geralmente aparecem pouquíssimas vezes.

Em meus estudos como professor, experiências como executivo e consultor para mais de 150 organizações, aprendi que aquelas que se pautam pelo profissionalismo (decisões baseadas em fatos, dados e evidências), forte liderança, austeridade

Em épocas de grande ansiedade, centenas de startups surgindo por semana, promessas de ganhos rápidos, euforia tecnológica e dinamismo das redes sociais, nunca é demais lembrar que “genialidade” sem boa gestão dificilmente traz bons resultados.

Carlos Caixeta é consultor, escritor, palestrante e professor de gestão estratégica, liderança, reputação e vendas nas melhores escolas de negócios do país. Autor de vários artigos e dos livros “DOBRE SEUS RESULTADOS: implemente estratégia, alto desempenho, liderança e decisão profissional” e “DOBRE SUAS RECEITAS: dicas poderosas de marketing, vendas, estratégia e persuasão”. www.carloscaixeta.com.br Presente especial para o associado Sindloc: desconto de 30% na compra dos livros pelo site de Editora. CÓDIGO DO CUPOM DESCONTO: sucesso • Dobre seus resultados: implemente estratégia, alto desempenho, liderança e decisão profissional: http://bit.ly/2yk4E5Q • Dobre suas receitas: dicas poderosas de marketing, vendas, estratégia e persuasão: http://bit.ly/2zmuo1V Revista SINDLOC-MG

21


REPORTAGEM

Carro por assinatura. E se a moda pega?

É

um caminho sem volta. Ninguém discorda que os hábitos estão mudando e que as pessoas têm trocado cada vez mais o desejo de ter pela necessidade do usar. Nesse campo o setor de aluguel de veículos já atua desde o seu nascimento, mas existem formas e formas de negócios para isso. Recentemente, a seguradora Porto Seguro e a Unidas lançaram a locação do automóvel nos modelos de um serviço de assinatura. Conhecido como o Netflix do carro, o serviço consiste em que o cliente fique com o automóvel e pague mensalidades fixas a partir de R$ 1.156 por períodos que vão de 12 a 36 meses, sendo que os custos com documentação, impostos, seguro e manutenção sejam da empresa. O serviço é calculado individualmente para cada pessoa. O cliente pode escolher qualquer veículo, de qualquer montadora no Brasil e de qualquer potência ou modelo. Depois, ele se-

22 Revista SINDLOC-MG

leciona o período do contrato e a quilometragem que deve percorrer por ano. Atenção: tanto na Unidas quanto na Porto Seguro, caso ultrapasse a quilometragem contratual, haverá cobrança de taxa extra. Segundo a Revista Exame, o plano mais simples, para um carro 1.0 básico, como o Fiat Mobi, por exemplo, por um prazo de 12 meses, sai por cerca de R$ 1.200 por mês na Unidas. No caso de um carro mais top de linha, como o Toyota Corolla 1.8 GLI, por exemplo, a mensalidade de um plano de 12 meses gira em torno de R$ 3.500. Em 24 meses, cai para cerca de R$ 3.000. E, no período de 36 meses, fica próxima de R$ 2.800, segundo a Unidas. Qualquer veículo é possível de ser contratado, mas a Unidas realiza uma análise de crédito considerando principalmente que o valor da mensalidade não ultrapasse 30% da renda do cliente. De acordo com informação da Exame, caso o usuário queira desistir do serviço antes do término do contrato, a multa pelo cancelamento equivale a quatro mensalidades ou a quantidade de parcelas restantes para o fim do prazo, caso sejam menos de quatro.


TEMA

Foto: Banco de imagens

Na Porto Seguro, a contratação do serviço deve ser feita por um ou dois anos e tem quilometragem definida: a mínima é de 25 mil quilômetros e, a máxima, de 55 mil quilômetros por ano. E se a moda pega? Para Saulo Froes, da Lokamig Rent a Car, o surgimento de novos modelos de negócio é natural, uma tentativa de atualizar o mercado. “No entanto, é preciso contar com muitos fatores positivos para acertar. No caso do novo serviço denominado “Netflix do carro” é mais uma tentativa que não é nada muito diferente do que já praticado do mercado”, diz ele. Para Saulo, a empresa que lança esse produto terá muito esforço para pouco retorno. “Muitos serviços hoje viraram “moda” numa tentativa de fazer diferente. É como usar os mesmos mecanismos com nomes diferentes para se disfarçar de novidade”, afirma. Mas Saulo faz questão de ressaltar: “Não vejo com entusiasmo essa proposta porque é muito parecida com o que o mercado já pratica, mas isso não quer dizer que não é preciso alternar e inovar, ao contrário, os empresários precisam ficar atentos e pensar em outras possibilidades desde que elas sejam, de fato, novas”, provoca.

Revista SINDLOC-MG

23


MERCADO

Dias melhores à vista!

A

taxa de desemprego e a Selic entrarão em queda, o rendimento real, o consumo das famílias e a confiança do consumidor voltará a subir. O setor automobilístico já apresenta resultados positivos. O crédito já ganha mais oferta. Sim, dias melhores estão logo ali. 2018 será mais calmo.

Em um cenário macroeconômico assim, os empresários só podiam replicar otimismo na microeconomia. Marco Aurélio, Presidente do SINDLOC-MG, acredita que essa retomada influencia diretamente nos negócios do setor do aluguel de veículos. “2017 foi um tempo de oxigenação para se preparar para os bons momentos que estão por vir. 2018 será de uma economia mais fortalecida e, portanto, de bons negócios”, afirma. Para Paulo Miguel, Presidente da Abla, existe um outro fator fundamental. A economia co24

Revista SINDLOC-MG

“As previsões apontam para uma certeza em 2018: o mercado de aluguel de carros vai crescer. Percebo que as empresas estão cada vez mais preocupadas em deixar de ser patrimonialistas para serem usuárias do serviço da locação de veículos. Por isso, os próximos meses serão de oportunidades”, prevê Tássio Santiago, da Otimiza Aluguel de Carros. “Estamos muito esperançosos para 2018. Vejo um crescimento significativo para os próximos anos! Acredito e muito em nosso setor para 2018”, festeja João Victor Rocha, da MasterLok Locadora. Marco Aurélio acredita que o otimismo já colabora. “É um alívio perceber os empresários acreditando em dias melhores. Isso, por si só, já traz animação e força para as nossas rotinas. Que bom que a tempestade ficou pra trás. Que venha 2018!”.

Foto: Banco de imagens

De acordo com a economista Regina Helena Couto, do Bradesco Investimentos, que esteve presente no workshop Gestão e Resultados, promovido pelo SINDLOC-MG em novembro, as perspectivas para o novo ano são empolgantes. PIB da indústria, por exemplo, que zerou em 2017, terá um crescimento de 3,2%. O PIB da construção civil que fechou o ano passado com queda de 4% terá, em 2018, aumento de 4%. Os índices de investimento, que também fecharam em queda de 3%, chegarão aos 6% positivos este ano. O PIB Brasil, por fim, atingirá 2,8% de crescimento, sendo que em 2017, não chegou nem a 1%.

meça a se tornar menos depedente da política. “Nós sentimos que a economia anda a descolar da política e isso faz com que o mercado possa crescer independentemente. Esse ano será de crescimento, sem dúvida, e os associados da Abla e do SINDLOC-MG terão aumento de receita, mais geração de emprego e um Brasil melhor”, avalia.


DICAS

Você sabe quais os riscos do seu negócio?

M

ultas, furtos, roubos, apropriação indébita, inadimplência, reposição de veículos, legislações equivocadas. A lista dos riscos que cotidianamente ameaçam o segmento é vasta. Nem todo empresário consegue mensurar os perigos que rondam a atividade do setor de aluguel de carros. Para relembrar, desvendar como evitar e apresentar soluções possíveis, a equipe de reportagem da web.TV SINDLOC-MG conversou com alguns empresários e consultores jurídicos e formulou a série #riscosdosetor. No primeiro episódio, o Vice-Presidente do SINDLOC-MG, Gustavo Penna, falou da inadimplência. Segundo ele, esse risco é capaz de gerar os maiores índices de fechamento de locadoras no Brasil.

caixa que consiga segurar”, exemplifica Gustavo. Ele lembra que é muito comum casos de concentração em poucos clientes e isso é muito arriscado. “Quando um desses clientes enfrenta uma crise, a locadora quebra junto”. Gustavo lembra que existe uma diferença na inadimplência entre contratos públicos e privados. No caso do público, ainda que inadimplente, é impossível recuperar o bem de imediato. “Isso é um complicador. Muitas vezes seu principal argumento para receber é justamente o veículo e nesses casos isso não é possível”, lembra. Para ele, o SINDLOC-MG é uma importante ferramenta para assessoria e ou parceria. “É preciso lembrar disso sempre! Eu mesmo, enquanto empresário, já fiz parcerias com empresas que atuam nesse campo e foram fundamentais para o recebimento de algumas dívidas. Além disso, nossos consultores jurídicos podem auxiliar na construção de um contrato sólido”. Conheça os outros temas e outras dicas do sindicato nas redes sociais. Visite a web.TV SINDLOC-MG no youtube!

“Algumas dívidas são possíveis de serem recebidas no futuro, mas para isso, é preciso promover uma ação judicial e o processo é sempre lento. Existem demandas judiciais que demoram dez anos. Isso é incompatível com o nosso mercado que é sempre muito dinâmico. A gente fecha um contrato e isso está atrelado a um financiamento desses veículos. Aí se algumas inadimplências coincidem, não existe Revista SINDLOC-MG

25


Em situações de risco, você quer ao seu lado pessoas em que possa confiar. TEMA

A ST Corretora de Seguros oferece uma combinação diferenciada de produtos e serviços sob medida para a realidade de cada Locadora, baseada no compromisso com a qualidade e preço justo, por meio de parcerias com Seguradoras de reconhecida idoneidade e solidez, comprometidas com o bom atendimento às Locadoras.

Seguro Total Frotas | Assistência 24H | Seguro Acidentes Pessoais para Ocupantes de Veículos Responsabilidade Civil Frotas | Seguro Empresarial para Locadoras | Seguro Vida Empresa Seguro Obrigações Contratuais | Seguros para Funcionários das Locadoras Desmobilização de Frotas | Regulação de Sinistros 26 Revista SINDLOC-MG


TEMA

Solicite agora uma cotação personalizada:

www.segurototal.com.br 0300 788 7676

entidade parceira

MG

Revista SINDLOC-MG

27


POR DENTRO DA LEI

F

oi editada em maio de 2016 a Lei nº 13.281/2016 (que entrou em vigor em novembro de 2016 tendo, portanto, completado um ano de validade em novembro de 2017), sendo que essa aumentou os prazos das penalidades dos Processos Administrativos de Suspensão do Direito de Dirigir.

: Div Foto ulga ção

Pontos na carteira nacional de habilitação: todo cuidado é pouco! Luciana Mascarenhas

A penalidade mínima aplicada anteriormente era embasada na Resolução nº 182/2005 e era de 1 (um) a 12 (doze) meses, mas, a partir de novembro/2016 as infrações cometidas e que vierem a somar ao prontuário dos condutores 20 (vinte) pontos ou mais no período de 12 (doze) meses, gerarão um Processo Administrativo de Suspensão do Direito de Dirigir cuja penalidade mínima será de 6 (seis) meses a 1 (um) ano e, nos casos de reincidência em um período de 12 (doze) meses, a penalidade mínima será de 8 (oito) meses a 2 (dois) anos. De outra feita, para as infrações que individualmente vierem a gerar um Processo Administrativo de Suspensão do Direito de Dirigir (essas previstas nos arts. 165 e 165 “a”, 170, 173, 174, 175, 176, 191, 210, 218 “III”, 253 “a”, 244 incisos: I, II, III, IV e V, 302, 303, 306, 307 e 308 do CTB), o prazo mínimo de penalidade será de 2 (dois) a 8 (oito) meses e nos casos de reincidência, de 8 (oito) a 18 (dezoito) meses. Vejamos: “CTB - Art. 261. A penalidade de suspensão do direito de dirigir será imposta nos seguintes casos: I - sempre que o infrator atingir a contagem de 20 (vinte) pontos, no período de 12 (doze) meses, conforme a pontuação prevista no art. 259; II - por transgressão às normas estabelecidas neste Código, cujas infrações prevêem, de forma específica, a penalidade de suspensão do direito de dirigir. § 1º Os prazos para aplicação da penalidade de suspensão do direito de dirigir são os seguintes: I - no caso do inciso I do caput: de 6 (seis) meses a 1 (um) ano e, no caso de reincidência no período de 12 (doze) meses, de 8 (oito) meses a 2 (dois) anos; II - no caso do inciso II do caput: de 2 (dois) a 8 (oito) meses, exceto para as infrações com prazo descrito no dispositivo infracional, e, no caso de reincidência no período

28 Revista SINDLOC-MG


de 12 (doze) meses, de 8 (oito) a 18 (dezoito) meses, respeitado o disposto no inciso II do art. 263.” Conforme pode ser visto acima, a penalidade mínima de suspensão do direito de dirigir que era de um mês passou para 6 (seis) meses!!! Salienta-se que os condutores que tiverem instaurados contra si Processos Administrativos de Suspensão do Direito de Dirigir poderão apresentar Defesa para o Serviço de Controle do Condutor - SCC, bem como Recurso(s) tanto para a JARI quanto para o CETRAN, mas, se ainda assim vierem a ser penalizados, além de terem que cumprir o prazo da suspensão acima apontado, deverão realizar o curso de reciclagem de 30 horas/aula, com a devida aprovação em prova, para, somente após, reaver a CNH.

a ser editada minorando tais prazos, eles permanecerão em vigor, de forma que se o doce ditado “todo cuidado é pouco” não vier a ser tido como regra, os condutores poderão vir a ser penalizados com a suspensão do direito de dirigir por um período bem amargo. Luciana Mascarenhas é Sócia fundadora - Escritório de Advocacia Mascarenhas e Associados (2001) | Especialista em Direito de Trânsito | Pós-Graduada em Direito Público | Consultora do Jornal Estado de Minas | Consultora do Jornal O Tempo | Consultora da Rede Globo | Consultora da TV Rede Minas | Consultora da TV Câmara | Consultora da Rádio Justiça do Supremo Tribunal Federal. Escritório: (31) 3295.2485 | (31) 3082.4787 www.advocaciadetransito.com.br

O Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN - declarou que para os condutores estarem sujeitos aos novos prazos de suspensão, que a totalidade dos pontos inseridos em seu prontuário deverá advir de infrações cometidas após novembro de 2016, mas os Detran’s ainda não decidiram o que farão quando os Processos Administrativos de Suspensão do Direto de Dirigir que envolverem infrações mescladas (anterior/posterior a Lei 13.281/2016). Os Processos Administrativos já instaurados sob a égide da Lei 13.281/2016 ainda são mínimos, haja vista que a aludida lei completou 1 (um) ano somente em novembro de 2017. É de fato um absurdo a majoração tão elevada do prazo de suspensão do direito de dirigir, considerando-se que não são poucas as pessoas que são multadas devido à indústria de multas existente, sendo que o pagamento dos valores dessas não exclui a pontuação inserida no prontuário, mas, caso uma nova lei não vier Revista SINDLOC-MG

29


PARCERIA

30 mil itens à disposição SINDLOC-MG firma parceria com empresa de autopeças que irá proporcionar comodidade e atendimento personalizado

C

om quase 30 anos de mercado, 30 mil itens de autopeças, entrega em pátio, experiência em atendimento a locadora de automóvel, disponibilidade para produtos nacionais e importados, a Auto Cidade, empresa referência em autopeças, se aproxima dos associados do sindicato oferecendo vantagens essenciais para uma parceria ideal, onde todos ganham. Primeiro por ser especializada em autopeças para várias linhas como veículos leves, pick-ups, utilitários e até vans. Depois, por ter 30 mil itens em estoque entre acessórios,

30 Revista SINDLOC-MG

carroceira, iluminação, injeção eletrônica, lubrificantes e químicos e mecânica em geral. E ainda: a Auto Cidade já conhece como o mercado de locação funciona e sabe bem o dinamismo que o setor exige. “Entre as nossas vantagens está o fato de entregarmos em toda BH, Contagem e Betim com frota própria. Para locadoras do interior temos convênio com transportadoras”, explica Carla Antunes, Gerente Comercial da Auto Cidade.


TEMA

Segundo Carla, a rapidez é um diferencial da empresa. “Essa parceria possibilita ao associado do SINDLOC-MG facilidade e comodidade em encontrar em um só lugar produtos de qualidade e procedência de origem, com um atendimento personalizado”, afirma. Outra importante vantagem são os preços. De acordo com Carla, trata-se de uma tabela de distribuidor. “Muito mais barato do que no mercado de varejo”, diz. Ou seja: só importantes vantagens para os associados. Conheça mais da Auto Cidade. Entre em contato com a Carla Antunes por meio dos telefones 31.98793-6591 ou 3419-3000. Também pelo email carla@autocidade.com.br. Revista SINDLOC-MG

31


reflexão Mudança Clarice Lispector

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa. Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa. Tome outros ônibus. Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos. Veja o mundo de outras perspectivas. Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama… Depois, procure dormir em outras camas. Assista a outros programas de TV, compre outros jornais… leia outros livros. Viva outros romances. Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo. Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua. Corrija a postura. Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias. Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor. A nova vida. Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações. Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria. Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa. Escolha outro mercado… outra marca de sabonete, outro creme dental… Tome banho em novos horários.

32

Revista SINDLOC-MG


Foto: Banco de imagens

Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares. Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes. Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias. Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores. Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus. Mude. Lembre-se de que a vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano. Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo. E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez. Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa. O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda! Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!

Revista SINDLOC-MG

33


CONFRATERNIZAÇÃO

34

Revista SINDLOC-MG


TEMA

Revista SINDLOC-MG

35


2018

será melhor! Nenhum empresário do setor de locação duvida disso. Então, se 2018 está por vir, é preciso festejar a virada do ano! Por isso, no dia 7 de dezembro, o Sindicato das Empresas Locadoras de Automóveis do Estado de Minas Gerais – SINDLOC-MG – reuniu na Boate do PIC, no bairro Funcionários, associados, parceiros, fornecedores, representantes das entidades do segmento, amigos e diretores para brindar os novos sonhos de um ano novo por chegar. Além do porvir, foi uma noite para festejar as conquistas de 2017. Em um ano de uma nova gestão, com o Presidente Marco Aurélio Nazaré, que assumiu o SINDLOC-MG em janeiro, muitas coisas mudaram na entidade. O sindicato cresceu 34% no seu número de associados, fortaleceu sua representatividade com parcerias importantes com a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis – Abla, aumentou o mix de produtos e serviços com fornecedores e promoveu diversas atividades de capacitação ao longo do ano. “2017 começou com o sonho de recuperação econômica e termina celebrativo como um período de concretização desse sonho, ainda que menor do que a gente gostaria. Mas é preciso festejar, sobretudo, os últimos três meses do ano por conta do crescimento das expectativas em torno do Produto Interno Bruto. Essa retomada influencia diretamente nos nossos negócios. 2017 foi um tempo de oxigenação e de preparação para os bons tempos que estão por vir. Portanto, é preciso sim festejar. Dias melhores estão a caminho!”, afirma Marco Aurélio.

36

Revista SINDLOC-MG

Paulo Nemer, Ex-presidente da Abla, faz coro. “Em 2017 o avião começou a embicar pra cima. Estamos terminando o ano com números bem melhores do que do início, inclusive, com aumento de frota. 2018 será, sem dúvida, um ano muito melhor que 2017. Vamos festejar a passagem”. Quem também esteve presente foi o presidente eleito da Abla, Paulo Miguel, que também exalou seu otimismo. “Nós sentimos que a economia anda a descolar da política e isso faz com que o mercado possa crescer independentemente das crises. Próximo ano será de crescimento, sem dúvida, e os associados da Abla e do SINDLOC-MG terão aumento de receita, mais geração de emprego e um Brasil melhor”. “Eu agradeço a todo mundo que fez essa noite acontecer. Uma noite que nada mais é do que a consequência de um ano de arrumação e concretização de alguns sonhos. Por isso, obrigado de coração aos parceiros, amigos, entidades representativas, colaboradores do SINDLOC-MG, fornecedores e, principalmente, associados. A gente trabalha é para cada empresário que faz esse setor ser cada dia mais forte!”, festeja Marco Aurélio. Veja mais fotos no facebook.com/sindlocminasgerais e acesse a web.TV SINDLOC-MG no youtube.


Revista SINDLOC-MG

37


38

Revista SINDLOC-MG


Revista SINDLOC-MG

39


40 Revista SINDLOC-MG


Revista SINDLOC-MG

41


TURISMO

ONDE FICA

42

Revista SINDLOC-MG


TEMA

Foto: blog.turismodeminas.com.br

O MAR DE MINAS?

Revista SINDLOC-MG

43


Foto: mapio.net

CAPITÓLIO Eis o lugar onde o mar mineiro é possível! A cidade, conhecida como a Rainha dos Lagos, a 276 quilômetros de Belo Horizonte, fica localizada entre a Serra da Canastra e o Lago de Furnas, e o encontro desses dois lugares forma algumas das mais incríveis paisagens do país: os Canyons de Furnas.

Foto: Leonardo Augusto de Moura Martins

Foto: Paulo Gusmão

44

Revista SINDLOC-MG


CACHOEIRA LAGOA AZUL

Pelos Canyons é possível encontrar paredões e piscinas naturais de águas cristalinas que fazem parte do lago artificial com mais de mil quilômetros quadrados! O lugar é o maior espelho d’água do mundo. É quatro vezes maior do que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

COMO CHEGAR A distância entre Belo Horizonte (MG) e a cidade de Capitólio (MG) é de 280 km. O percurso de viagem entre as duas cidades é feito pela Rodovia Engenheiro Aimoré Dutra Filho, MG-050. Saindo de Belo Horizonte, basta seguir na BR-262, sentido Betim (MG) até a entrada da MG-050, em Juatuba (MG). Seguir nesta estrada, passando pelas cidades de Divinópolis (MG), Formiga (MG) e Piumhi (MG), até chegar a cidade de Capitólio (MG).

Com imensidões nessa proporção, a paisagem é um convite as aventuras, mas também ao descanso. A lista do que fazer é quase infinita: cachoeiras, piscinas naturais, trekking, mountain bike, cavalgadas, motociclismo e muitas outras modalidades do turismo de aventura. O “Onde ir, o que fazer” listou algumas delas. Veja!

Revista SINDLOC-MG

45


TEMA

CANYON LAGO DE FURNAS

46 Revista SINDLOC-MG


Foto: clicsdeviagens.com

PARAÍSO PERDIDO Verdadeiro patrimônio da natureza de exuberante beleza cênica, localizado em um vale cortado pelo ribeirão Quebra Anzol com "canyons", 18 piscinas naturais e oito quedas de águas límpidas e cristalinas, que correm sobre pedras de quartzito predominantemente branco, numa região de cerrado próxima e com as mesmas características da Serra da Canastra.

CASCATA ECO PARQUE O atrativo principal é uma trilha que leva por um passeio, na ida por cima das cachoeiras e na volta por dentro d’água, passando por lindas quedas d’água e piscinas naturais.

CACHOEIRA LAGOA AZUL Beleza exuberante, água cristalina com piscinas com tons de verde, azul e dourado. Conta com restaurante e passeio de escuna. Para conhecer a cachoeira é cobrada uma taxa para preservação ambiental. Revista SINDLOC-MG

47


CANYONS Imagine-se aventurar entre enormes fendas e paredões com mais de 20 metros de altura à procura do desconhecido, à procura dos canyons? De repente, as fendas e os paredões se abrem e dão espaço a um cenário maravilhoso: cachoeiras com sucessivas quedas. Um lugar encantador e de beleza rara. Um passeio tranquilo que leva você ao encontro da natureza que comove pela sua grandeza.

MORRO DO CHAPÉU Um dos pontos mais altos da cidade, com altura de 1.293 metros. Seu topo é formado por um planalto com vegetação rasteira, com várias espécies de flores silvestres, diversas nascentes de água límpida correndo em pedra e lageados, formando verdadeiras cachoeiras. Sua fauna é rica em lobos, tatus e tamanduás. De seu topo tem uma visão privilegiada de grande extensão do Lago de Furnas, do Município de Capitólio, Guapé, Alpinópolis e São José da Barra.

48 Revista SINDLOC-MG


Foto: tripaddicts.com.br

TEMA

Vai renovar o seguro? Conte com uma empresa especialista no assunto. Conheça as soluções Fleet e garanta maior proteção para a sua frota e mais tranquilidade para o seu cliente.

Para saber mais informações, acesse: www.icmbio.gov.br/parnacaparao

Fleet Wecare Venda de veículos

Assistência 24 horas

Anunciamos, negociamos e você só entra para concluir a venda dos seus seminovos!

Conte com um atendimento rápido e eficiente sempre que você necessitar.

Seguro Auto Frota

Seguro Roubo e Furto

Garantimos, com agilidade e tecnologia, a seguraça da sua frota.

Seus veículos protegidos por meio de tecnologia para bloqueio e rastreamento.

ENTRE EM CONTATO:

www.segurosfleet.com.br

sindlocmg@segurosfleet.com.br 4003.4543

Atendimento exclusivo Revista SINDLOC-MG 49 em Minas Gerais: (31) 99309.6458


CACHOEIRA DO LOBO Possui completa estrutura para receber o turista, além de uma belíssima cachoeira. Está localizada no Município de Guapé, mas o acesso é mais fácil por Capitólio, a 14km do centro, sendo 6km de estrada de terra.

CACHOEIRA TRILHA DO SOl Belezas naturais, estrutura para a prática de esportes de aventuras: trekking, rapel, marcha aquática.

50

Revista SINDLOC-MG


PJ N C / F P C o Consultar icou f s e t n e i l c dos seus

. L I C Á F MAIS . o t a r a b  s Emai

A nova parceria entre o SINDLOC-MG e a CDL/BH começou com tudo! Agora, as locadoras associadas poderão realizar consultas com informações a nível nacional em uma base que reunirá informações dos 2 maiores bureaus de crédito do país: SPC e SERASA EXPERIAN. Veja os benefícios exclusivos para associados do SINDLOC-MG: | Pagamento apenas sobre as consultas efetuadas no período. | Sem cobrança de valor fixo mensal. | Sem qualquer pacote mínimo.

MAXI

RELATÓRIO COMPLETO

REGISTRO

Análise e Concessão de Crédito

Análise e Concessão de Crédito

Negativação de Clientes Inadimplentes

R$ 3,82

R$ 9,25

-

por consulta

por consulta

Gostou? Entre em contato com o SINDLOC-MG e faça sua adesão: sindlocmg.com.br ou (31) 3337-7660.

Consulte condições


m u e u q o d s Mai . o r i e c r a p sindicato: um O SINDLOC-MG po

sua locadora precis de dar o apoio que a

1 ASSESSORIA JURÍDICA 2 LICITAÇÕES 3 CAPACITAÇÃO: 4 PARCERIAS:

tudo que sua locadora precisa com as melhores condições.

com quem mais entende do assunto.

e outras oportunidades de negócios.

os melhores cursos, palestras e workshops para sua equipe.

a para crescer.

5 INFRAESTRUTURA COMPLETA: 6 7 MERCADO CANAL DE ATENDIMENTO exclusivo para associados do SINDLOC-MG.

auditório, sala de reunião e muito mais à disposição dos associados.

Integração com o

Seja um associado e aproveite todas as vantagens. Acesse www.sindlocmg.com.br/associe-se e preencha o formulário.

(31) 3337-7660 | www.sindlocmg.com.br Rua Pernambuco, 353 - Sala 201 (Pilotis) - Funcionários - Belo Horizonte/MG

Revista Sindloc-MG nº90  
Revista Sindloc-MG nº90  
Advertisement