Page 1

BIS - Nº 55 Junho 2012

Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico no Estado de São Paulo

Eventos agitam os ópticos de São Paulo O SINDIÓPTICA-SP realizou dia 24 de maio o Seminário em Óptica 2012 de Campinas e Região. Nos dias 26 e 27 de abril a Câmara Brasileira do Comércio de Produtos e Serviços Ópticos (CBÓptica) reuniu líderes do segmento óptico, na sede do Sindióptica-SP tendo como anfitrião do encontro o Sr. Akira Kido. De 21 a 25 de maio de 2012 o Senac Tiradentes realizou o XVI Seminário de Contatologia. Veja nas págs. 4 e 10

Entrevista com Mariangela de Paula Albertino, Gerente do Senac-Tiradentes

Como usar corretamente o Flash, em suas fotos págs. 7

págs. 3

A Arte de Vender Leia no artigo de Luis Alberto Perez como conseguir o máximo de seus vendedores págs. 6

1


editorial

“Para não dizer que não falei de flores”... E hoje não seria mais tão necessário. A época negra, das perseguições, da repressão, já passou. Por conta da abrangência de idéias politizadas como da Presidenta e alguns companheiros que a antecederam, deixando caminhos abertos e iluminados conseguimos vivenciar um mundo melhor. Afinal, são os primeiros albores do 3º. Milênio. Os brasileiros respiram democracia. A palavra agora é sustentabilidade. Um termo bonito e sonoro. Se quiséssemos escrever um texto em versos, até nos cercaríamos de rimas ricas: solidariedade, fraternidade, fidelidade. Porém, na falta de um veio poético escrevemos em prosa mesmo. Sustentabilidade é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Uso de fontes de energia limpas e renováveis (eólica, geotérmica e hidráulica) para diminuir o consumo de combustíveis fósseis. Esta ação, além de preservar as reservas de recursos minerais, visa diminuir a poluição do ar. Criação de atitudes pessoais e empresariais voltadas para a reciclagem de resíduos sólidos. Esta ação além de gerar renda e diminuir a quantidade de lixo no solo,

possibilita a diminuição da retirada de recursos minerais do solo. Desenvolvimento da gestão sustentável nas empresas para diminuir o desperdício de matéria-prima e desenvolvimento de produtos com baixo consumo de energia. Atitudes voltadas para o consumo controlado de água, evitando ao máximo o desperdício. Adoção de medidas que visem a não poluição dos recursos hídricos, assim como a despoluição daqueles que se encontram poluídos ou contaminados. A adoção de ações de sustentabilidade garante a médio e longo prazo um planeta em boas condições para o desenvolvimento das diversas formas de vida, inclusive a humana. Garante os recursos naturais necessários para as próximas gerações, possibilitando a manutenção dos recursos naturais (florestais, matas, rios, lagos, oceanos) e garantindo uma boa qualidade de vida para as futuras gerações. Em suma, a palavra de ordem para o presente é a salvação para o futuro. O quanto antes devemos implantar esses conceitos na conscientização dos habitantes do planeta. Muito Obrigado!

Akira Kido - Presidente

Você tem dúvidas sobre o mercado óptico? Sobre ópticas? Assuntos jurídicos? Visite nosso site.

Siga o SINDIÓPTICA-SP no Twitter www.twitter.com/sindiopticasp

Trabalho aos Domingos e Feriados: Requerimentos Online O SINDIÓPTICA-SP oferece mais um serviço gratuito aos seus filiados. A solicitação de abertura do trabalho aos domingos e feriados online, acesse: www.sindioptica-sp.com.br

2

O Boletim Informativo Sindióptica - BIS - é uma publicação do Sindióptica-SP - Av. 9 de Julho, 40 - 11º andar cjs. 11 - D/F - São Paulo - SP - CEP 01312-900 - Tel.: (11) 3259.3648 - 3259.5826 - 3256.6011 e-mail: sindioptica@sindioptica-sp.com.br - www.sindioptica-sp.com.br Tiragem 6.000 exemplares - Distribuição gratuita - Comite editorial: Sr. Akira Kido, Luis Alberto P. Alvez, Dra. Maracy Marquez Ferraz. Diagramação: Alexandre P. Campos Fº - Produção gráfica: Cyan Artes Gráficas


BIS - Senhora Mariângela, em nossos arquivos sobre a história da Óptica, consta a importância do Senac São Paulo, que em meados de 1965 iniciou o curso Habilitação de Ótico Prático com certificado reconhecido em todo território nacional, sendo motivo de muito orgulho a todos, principalmente aos diretores desta Casa, que tiveram uma atuação incansável para o acontecimento. Fale-nos como o curso esta atualmente, quantidade de alunos atendidos e a programação de cursos da unidade para o segundo semestre de 2012. Mariângela - A habilitação profissional de Técnico em Óptica continua sendo reconhecida pela qualidade e tradição do Senac São Paulo na área de Óptica. Temos em média 10 turmas em andamento e formamos 4 turmas por ano, em uma média de 90 alunos por ano. Para o segundo semestre, devemos lançar duas turmas do curso técnico e ofertaremos também os cursos livres Técnicas de Vendas I – Conhecimentos Básicos em Óptica, Técnicas de Vendas II – Vendas Técnicas em Óptica e a Oficina de Lensometria. Ainda no primeiro semestre, de 21 a 23 de maio, realizaremos o XVI Seminário de Contatologia. No segundo semestre, de 15 a 17 de outubro, o XXVIII Seminário de Óptica. BIS - O curso de óptica do Senac São Paulo é referência nacional e internacional, pois vários países vizinhos vêm até aqui para buscarem inspiração para seus cursos. Você acha que isto influencia positivamente na formação dos alunos? Mariângela - Acredito que o mercado já reconheça o diferencial do Senac São Paulo pela infraestrutura proporcionada, docentes e metodologia. A percepção positiva de outras instituições é mais um reforço ao reconhecimento da qualidade que o Senac São Paulo conquistou e do constante investimento em processos de ensino diferenciados, infraestrutura e equipe. BIS - Mantendo a tradição de pioneirismo, o Senac São Paulo também foi a primeira escola de óptica do Brasil a introduzir a matéria lentes de contato em seu currículo, isto também vai ocorrer com a optometria? Mariângela - O Senac São Paulo está sempre atento às tendências do mercado no que concerne à absorção

de novas tecnologias, novas propostas sociais, necessidades de empresas e as oportunidades de desenvolvimento de profissionais. Constantemente monitoramos todas as possíveis ampliações nas ações de profissionais das diversas áreas que formamos. A exemplo do que sempre realizamos, continuamos atentos a essas mudanças no mundo profissional.

entrevista

Mariangela de Paula Albertino, Gerente do Senac-Tiradentes

BIS - Qual a relevância da parceria do SINDIÓPTICASP com o Senac São Paulo em relação ao curso de óptica? Mariângela - Muito significativa, pois o Sindicato de São Paulo, por meio do seu apoio, contribui para a constante atualização dos caminhos da profissão e anseios do mercado óptico em relação à formação de profissionais competentes para contribuir com o crescimento da área de óptica. BIS - Gostaríamos que você deixasse uma mensagem para nossos leitores sobre a importância do treinamento e da educação continuada para o sucesso da empresa varejista de óptica. Mariângela - Em um mercado competitivo e em franco desenvolvimento, as empresas que terão destaque e longevidade são as que investirem na contratação de profissionais altamente capacitados, que com seu conhecimento técnico possam garantir a qualidade dos serviços prestados e a fidelidade do cliente, cada vez mais bem informado e exigente. Nesse sentido, as empresas do varejo óptico deverão optar por profissionais cuja educação tenha destaque advindo da qualidade de formação, que buscam constantemente seu desenvolvimento e promover cada vez mais oportunidades para a fixação dos mesmos em seus quadros, para serem reconhecidas pela relevância da sua competência e qualidade na prestação de serviços.

Não sabe onde encontrar o Livro de Óptica? Entre em contato conosco, através do E-mail: contato@sindioptica-sp.com ou Fone: (11) 3259.5826

3


eventos

Seminário em Óptica 2012 - Campinas

Na noite do dia 24 de maio de 2012, nas dependências do auditório do SENAC-CAMPINAS, o SINDIÓPTICASP realizou o Seminário em Óptica 2012-Campinas e Região. O evento dividiu-se em duas partes, sendo na primeira parte a excelente palestra do Professor Luiz Mota Amorim, com o tema “O Segredo para Vender + Óculos (aprenda as melhores técnicas para vender óculos com um especialista em atendimento), em sua segunda parte

iniciou-se uma mesa redonda com perguntas sobre a palestra com interação direta dos participantes. Integraram a mesa como debatedores: Sr. Luis Alberto Perez Alves (Diretor SINDIÓPTICA-SP), Sr. Marcelo Hagop Abrikian (Sócio MULTFOCO), Prof. Alex Dias (Docente SENAC), Prof. Luiz Mota Amorim (PALESTRANTE), Profª. Marcia Andrade de Souza (SENAC-CAMPINAS) e Dr. Celso Mamede Alcântara (Empresário). Conseguimos reunir um público de 100 profissionais, que aproveitaram a oportunidade de obter novos conhecimentos. Agradecimento especial à Empresa MULTFOCO, que patrocinou o evento, acreditando em nosso trabalho. Contamos com o apoio Institucional do SENAC-CAMPINAS, divulgação do site www.opticanet.com.br e cobertura mídia impressa da OTICA REVISTA. Parabéns aos colegas que se interessam pelo progresso de nossa Classe Óptica. Prestigiem nossos próximos Seminários!!

CBÓptica reúne lideranças ópticas em São Paulo

4

Nos dias 26 e 27 de abril a Câmara Brasileira do Comércio de Produtos e Serviços Ópticos (CBÓptica) reuniu líderes do segmento óptico, na sede do Sindióptica-SP tendo como anfitrião do encontro o Sr. Akira Kido. No encontro, assuntos referentes ao comércio óptico, incluindo, o varejo óptico nacional. Na reunião, ficou definido que os demais sindicatos ópticos do país deverão procurar sua federação para estimular a criação de órgãos de discussão semelhantes em suas regiões. Sobre o comércio eletrônico, a CBÓptica fará uma representação na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) propondo normas reguladoras para o comércio de produtos ópticos pela internet. Ainda na pauta, a nomeação da vice-coordenadoria da CBÓptica. O indicado para o cargo foi o presidente do Sindióptica-BA, Juarez Gonçalves da Hora. Ainda, entre

as demandas administrativas, a formação da Comissão de Assuntos Legislativos da Câmara, agora composta pelos integrantes: Juarez Gonçalves da Hora, do SindiópticaBA; Luiz Perez, do Sindióptica-SP; José Bezerra de Sousa, do Sindióptica-CE e, Antonio Josiel Santos Sousa, do Sindióptica-MA. De acordo com o calendário de reuniões, o próximo encontro está previsto para a 2ª quinzena de junho.


5


artigo

A arte de vender Vender é uma arte, pois exige muito talento e motivação, além de paixão e quando se esta apaixonado, todo mundo fica sabendo. Assim como a venda desperta emoções no vendedor, ela se relaciona intimamente com a emoção do cliente. Portanto o vendedor precisa ter a sensibilidade de perceber em cada gesto, palavra, olhar do cliente, suas necessidades e vontades, e quando esta percepção ocorre, as chances de vender são muito grandes. O vendedor precisa sempre estar motivado e esta motivação ocorre de varias formas, por ex. Ambiente de trabalho agradável, respeito entre as pessoas, metas coerentes, os sucessos são reconhecidos, existem programas de recompensas. As empresas em que isto ocorre, tem vendedores bem sucedidos. Você percebe que o vendedor está motivado quando suas vendas sobem, se apresenta no horário para o trabalho e reuniões e persegue suas metas. Enfim, ele acredita, é isso mesmo, vendedor motivado, acredita em si mesmo, no seu trabalho, na empresa, ou seja, ele sempre crê que tudo dará certo. Ele tem vontade de vencer.

Cabe ao líder de vendas conhecer seus colaboradores e seus clientes, pois assim ele poderá motivar sua equipe. Ele deve ouvir seu pessoal, conversar sobre a empresa e demonstrar que a equipe tem importância real para a empresa. Boas vendas a todos. Luis Alberto Perez Alves

Termômetro Econômico INDICADOR ICF - INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS(SP) – pontos (*)

PEIC – ENDIVIDAMENTO (SP) - % famílias endividadas

IPCA – valor mensal

TAXA DE JUROS PF – taxa ao ano

CONCESSÃO CRÉDITO PF – variação mensal

EMPREGO RMSP – taxa de desocupação

6

MÊS REFERÊNCIA

VALOR

ABRIL

145.3

As políticas de redução de juros dos bancos vem animando o consumidor. Aliado a isso o mercado de trabalho continua aquecido o que mantém elevado também o nível da renda. Esses foram os motivos para o aumento da satisfação em abril.

50.6%

Apesar da redução do número de famílias endividadas, o número de inadimplentes se elevou de 12,1% em fevereiro para 21,8% em abril. É importante esperar os próximos resultados para confirmar se é pontual ou tendência.

0.64%

O resultado de abril mostra o indicador pressionado principalmente pelas altas dos grupos despesas pessoais, habitação e alimentação. O índice já acumula no ano alta de 1,87% e 5,10% no período de 12 meses.

42.1%

A taxa apresentada em abril é a menor desde dezembro de 2010. Confirmou-se a tendência de queda, inlfuênciado pela pressão do governo na redução da taxa de juros no setor financeiro.

ABRIL

ABRIL

ABRIL

-1.8% ABRIL

ABRIL

6.5%

TENDÊNCIA

COMENTÁRIO

Como o mês de abril teve dois dias úteis a menos que março, no valor geral ficou 1,8% na variação mensal. Mas o que importa é que neste mês a média das concessões diárias cresceu 8,1% em relação a março. A taxa permaneceu estável em relação a março e manteve o recorde para o mês desde 2002. As políticas de estímulo à economia devem surtir efeito no 2º semestre o que manterá o nível de desocupação baixo.

Fonte: FecomercioSP / Banco Central / IBGE Elaboração: FFA Consultoria e Pesquisa Econômica (*) Acima de 100 pontos o índice indica grau de satisfação das famílias. ICF – Indice de Intenção de Consumo das Famílias; PEIC – Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor; IPCA – Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo; PF – Pessoa Física; RMSP – Região Metropolitana de São Paulo


ABRIL 01 ANA PAULA ROSALES TEIXEIRA 03 CARLOS JOSE DE O.SOARES 06 BENEDITO REGINALDO MANFREDINI 08 CARMEN SILVA G.V.DOMINGUES 08 DIONISIO FERNANDES LUCAREZI 13 APARECIDA RUGANI SILVA

15 15 17 21 29 30

GILSON SADAO KANAZAWA CELSO MINORU IDERIHA ROSANGELA DE FATIMA MURER IZEPOM MARIA BERNADETE OLIVEIRA RAMOS EDISON KEN-ITI ARAHAWA MARCO AURELIO P.DOMINGUES

MAIO 09 JUDITH GARCIA GROEGEL 12 EDUARDO RECHE FEITOSA 26 JOSUÉ LUIZ DA SILVEIRA ARANTES

aniversariantes

MARÇO 01 ELZA TOMIE IDERIHA 02 CIRO CHERUBIM 04 DEJANIR TIAGO MAIA 05 KARLA REGINA ROUSSEAU 15 DENISE NAMUR 17 SUSSUMO NAKAMURA 17 ELCIO MITANI 18 RAQUEL R.M.MITANI 19 JOSE BAFFI 29 ANGELINA G.AZEVEDO 31 CIRO MARTINS MOREIRA 31 ESTER LEAL DAS NEVES GUIARO

JUNHO 09 DANIEL VIEIRA LEITE 18 CARLOS ALBERTO RIBEIRO DA SILVA 22 CLOVIS CHERUBIM 25 ANDRE LUIZ DA SILVEIRA ARANTES 26 REGINA KAUACAB NUNES SIQUEIRA CANDISANI 28 MILTON ALMEIDA SANTOS

Flash, Quando devemos utilizá-los? É muito comum as pessoas me perguntarem quando devem usar o flash de sua câmera, ou por que o flash da câmera dispara mesmo durante o dia com muito sol. O flash é utilizado em situações de baixa luz ou a noite, em locais com muita sombra, mas por muitas vezes vemos as nossas câmeras dispararem o flash em condições de muita luz, durante o dia e isso ocorre por que no programa da câmera existem alguns gatilhos que o fazem disparar, da mesma maneira que eu forço o meu flash a disparar manualmente.

Exemplos: Costumo usar o flash da câmera em dias nublados para trazer de volta a vibração das cores, uma vez que todas as cores ficam muito mais vibrantes com a luz do sol. Em situação de contra luz o que normalmente acontece é que o assunto da sua fotografia vira uma silhueta, para evitar isso, disparo o flash e ele equilibra as duas luzes, obviamente o assunto deve estar próximo a câmera. Quando a luz do sol causa muita sombra no rosto das pessoas podemos utilizar o flash para suavizá-las deixando a imagem menos contrastante. Verifique no site do clube: www.fotoclub.art.br, as datas dos cursos de fotografia básica e avançada. Célio Coscia - Fotógrafo Vice-Presidente do Foto Cine Clube Bandeirante www.fotoclub.art.br www.celiocoscia.multiply.com http://celio-detudoumpouco.blogspot.com.br/

7


jurídico

Prestação de Serviços Vigilância Sanitária O Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico Fotográfico e Cinematográfico no Estado de São Paulo, em busca de propiciar novos benefícios a seus contribuintes acaba de disponibilizar sua assessoria jurídica junto a Vigilância Sanitária com preços abaixo do mercado. Abaixo disponibilizamos os serviços prestados e tabela de preços. Confira!! TABELA DE PREÇOS SINDIÓPTICA/SP – VIGILÂNCIA SANITÁRIA Cadastro Inicial Alteração de dados cadastrais – Ex.: (Endereço, Razão Social) Assunção de Responsabilidade Técnica Baixa de Responsabilidade Técnica Livro de Receituário em Óptica Registro de Livro (Incluso livro)

R$ 250,00 R$ 220,00 R$ 150,00 R$ 70,00 R$ 65,00 R$ 85,00

* Tabela de preços somente para Empresas não associadas.

TABELA DE PREÇOS ASSOCIADOS Alteração de dados cadastrais – Ex.: (Endereço, Razão Social) Assunção de Responsabilidade Técnica Baixa de Responsabilidade Técnica Registro de Livro (Incluso livro)

Gratuito Gratuito Gratuito R$ 50,00

Caso sua Empresa esteja irregular na Vigilância Sanitária, não perca essa oportunidade de regularizar seu Alvará Sanitário. Qualquer dúvida, entrar em contato - Tel.: 3259.5826 ou pelo e-mail: sindioptica@sindioptica-sp.com.br Visite nosso site: www.sindioptica-sp.com.br

Arbitragem para micro e pequenas empresas

8

Desde a edição da Lei 9.307, em 1996, a arbitragem vem ganhando contornos cada vez mais expressivos no Brasil. Por meio deste mecanismo de pacificação de conflitos podem ser resolvidas questões que tratem de direitos patrimoniais, como, por exemplo, um contrato de fornecimento de matéria-prima entre duas empresas ou, a venda e compra de um bem entre duas pessoas físicas ou jurídicas. A FecomercioSP, em parceria com a seccional São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas nos Estado de São Paulo (Sescon-SP), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo (Sebrae-SP) e Câmara Internacional de Arbitragem de Paris, lançou a câmara empresarial de arbitragem “Fecomercio Arbitral” com o propósito de oferecer às empresas e à sociedade alternativas para a solução de conflitos de forma célere, eficaz e com o menor custo possível.

Há diversas vantagens para as partes que, espontaneamente, optam por levarem seus desentendimentos à uma câmara de arbitragem ao invés de ao Poder Judiciário. O conflito é resolvido mais rapidamente, o processo é sigiloso e a decisão do árbitro, além de ter força de título executivo, é irrecorrível, além de outros benefícios. Atenta à crescente busca por meios extrajudiciais de solução de conflitos e aos altos custos que estes meios costumam demandar, a Fecomercio Arbitral tem como principal ponto positivo sua capacidade de viabilizar o acesso à arbitragem para as micro e pequenas empresas de forma simples e menos onerosa do que as demais opções de mercado. Para outras informações, acesse o portal www. fecomercio.com.br/arbitral/. Você também pode ter contato direto com a Fecomercio Arbitral pelo e-mail arbitral@fecomercio.com.br ou pelos telefones: (11) 3254-1756 e (11) 3254-1759.


Acidente de trabalho é aquele que ocorre no exercício da atividade a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional e gerando a perda ou a redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho. Em certos casos, um acidente de trabalho pode causar a morte. Também é considerado acidente de trabalho a doença produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade, independente de vínculo empregatício. A seguir, respondemos algumas das dúvidas mais frequentes sobre o assunto.

Como é classificado o acidente de trabalho?

humanos da empresa, que deve garantir que seja prestado todo atendimento necessário ao acidentado. Além disso, o responsável também deve preencher as seis vias da Comunicação do Acidente de Trabalho (CAT), que tem a função de garantir a estabilidade por 12 meses ao trabalhador que permanecer afastado por mais de15 dias, e enviá-las para: 1ª via - o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS); 2ª via - à empresa; 3ª via - o segurado ou dependente;

O acidente de trabalho pode ser classificado como “típico”, aquele que ocorre durante o exercício do trabalho, ou de trajeto, aquele que ocorre no percurso do local de residência para o de trabalho, ou vice-versa.

4ª via - o sindicato da categoria profissional;

Quem são os beneficiários do acidente de trabalho?

É necessária a emissão de CAT no caso de óbito?

As prestações relativas ao acidente do trabalho são devidas ao empregado ou trabalhador avulso, ao médicoresidente (de acordo com a Lei 8.138, de 1990) e ao segurado especial.

Existe carência para o recebimento do benefício ao empregado que sofre acidente? Não. Em caso de acidente de trabalho, o empregado terá direito a receber o benefício previdenciário a partir da data de admissão.

Qual a diferença entre auxílioacidente e auxílio-doença acidentário? O auxílio-doença acidentário é o benefício concedido ao segurado que ficou mais de 15 dias incapacitado para o trabalho em decorrência de acidente de trabalho ou de doença profissional. Já o auxílio-acidente tem natureza indenizatória e é devido ao segurado que, ao retornar ao trabalho após um afastamento motivado por um acidente de trabalho, não apresenta plena capacidade de desenvolver sua função.

O que fazer quando ocorre um acidente de trabalho? Todo acidente de trabalho deve ser acompanhado por um técnico de Segurança do Trabalho, Médico do Trabalho, membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) ou pelo responsável pelos recursos

jurídico

Entenda o que é e como funciona o acidente de trabalho e a CAT

5ª via - o Sistema Único de Saúde (SUS); e, 6ª via - à Superintendência Regional do Trabalho (SRT).

Sim. O óbito ocorrido em decorrência de acidente de trabalho ou doença ocupacional deverá ser comunicado ao INSS por meio da CAT. Nesse caso, também devem ser anexos à CAT a Certidão de Óbito e, quando houver, o laudo de necropsia.

É necessário emitir CAT em caso de acidentes que não afastem o funcionário de sua função? Sim. A empresa deve comunicar o acidente havendo ou não afastamento do trabalho. A comunicação deve ser feita até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, imediatamente.

Como a empresa pode ter acesso ao aplicativo CAT para preenchimento eletrônico? O acidente de trabalho pode ser comunicado por meio de aplicativo próprio, disponível no site do INSS ou nas Agências da Previdência Social.

Após a emissão da CAT, o que o empregado deve fazer? Caso haja necessidade de afastamento por mais de 15 dias, o empregado e/ou seu representante legal deve levar a CAT a uma agência do INSS e agendar a Perícia Médica para, então, poder passar a receber o benefício que é pago por meio do INSS. Fonte: MixLegal Digital nº 26/2012.

9


notícias

XVI seminário de contatologia De 21 a 25 de maio de 2012 o Senac Tiradentes realizou o XVI Seminário de Contatologia, com patrocinio da Bausch+Lomb, Apoio Especial da Solótica e apoio do Sindióptica-SP, Ótica Revista e do site www.opticanet. com.br. Neste evento, os participantes tiveram a oportunidade de estabelecer contato com empresas e profissionais do segmento, atualizar-se quanto a novas tecnologias e técnicas de adaptação de lentes de contato, participar de oficinas e refletir sobre conceitos importantes para o exercício da contatologia. Esteve presente na abertura o Sr. Akira Kido, Presidente do Sindiótica-SP.

Eliane Lopes Wakai, coordenadora da área de Óptica do Senac Tiradentes, Mariangela de Paula Albertino, Gerente do Senac Tiradentes, Sr. Akira Kido, Presidente do Sindióptica-SP e Rafael Vilela da Bausch + Lomb.

Os prós e contras do “dinheiro de plástico” No fim de 2011, o número de cartões de crédito em circulação chegou a 687 milhões. Se considerarmos que a população brasileira tem 192 milhões de habitantes, em média, há pouco mais de 3,5 cartões por habitantes. No mesmo ano, foram feitas 900 milhões de transações

com cartões, movimentando R$ 777 bilhões. Para efeito de comparação, em 2011 foram movimentados somente R$ 83,7 milhões por meio dos cheques. Forma de pagamento que, aliás, tem perdido espaço por conta da burocracia, pelos altos custos operacionais e pela baixa segurança que oferece. O fato é que as despesas com infraestrutura para o uso dos cartões nos pontos de vendas (tarifas bancárias e dificuldade de relacionamento com as administradoras, por exemplo), que deveria ser um custo das administradoras, foram repassadas para os varejistas que, motivados pelas exigências de consumidores, pela presença do concorrente e pela disposição de ampliar suas vendas, aderem cada vez mais aos meios eletrônicos de pagamento. Além do mais, as altas taxas para o pequeno varejista estão bem além do nível razoável e em alguns casos, inviabilizam os negócios. Fonte: Edição maio/2012 -Economix

FICA A DICA! Lei de Acesso à Informação Nº 12.527 A Lei de Acesso à Informação Nº 12.527 de 2011 regulamenta o direito constitucional de acesso dos cidadãos às informações públicas sendo aplicável aos três Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios com vigência a partir do dia 16 de maio de 2012. De acordo com a Lei, qualquer cidadão pode solici-

10

tar documentos sem precisar explicar o motivo. O sigilo passou a ser a exceção e não mais a regra e agentes públicos que negarem ou dificultarem indevidamente o acesso a informações poderão ser responsabilizados. A Lei nº 12.527/2011 na integra, encontra-se disponível no site do SINDIÓPTICA-SP: www.sindiopticasp.com.br


Ficou interessado? Agende uma visita com nossos representantes, pelo Tel.: (11) 3259.3648 e-mail: contato@sindioptica-sp.com.br

Linhas de Crédito

convênios

Previdencia Privada

Disponibilização de linhas de crédito, pela NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO às empresas associadas ao SINDIÓPTICA-SP.

Escolas de Idiomas

Colônias de Férias

Aparelhos Auditivos

Planos de Saúde

Certificação Digital

Para saber mais, entre em contato conosco: telefone (11)3259-5826 e-mail contato@sindioptica-sp.com.br

11


U.Vision - Nova Ferramenta para Análise da Qualidade da Proteção UV dos Óculos de Sol A proteção ultravioleta (UV) dos óculos de sol é um fator essencial para aferição da qualidade. Até o momento não existiam ferramentas que apresentassem a precisão necessária para analisar e classificar os óculos de sol quanto a sua categoria (indicação de uso) e nível de proteção contra os raios UV acessíveis às ópticas. O nível exigido de proteção UV dos óculos de sol está diretamente relacionado com a categoria dos óculos. Esta categorização refere-se ao grau de escurecimento das lentes e, para cada categoria de óculos, é permitida a transmissão de uma porcentagem máxima de ultravioleta. Os óculos de sol são divididos em cinco categorias, de 0 a 4, da tonalidade mais clara para a mais escura, e apresentam certas indicações, como o uso para conduzir veículos, o uso em ambientes com alta exposição UV (praia), ou até mesmo apenas para o uso estético. O que muitas pessoas não sabem é que o uso dos óculos de sol sem proteção UV adequada pode ser mais prejudicial do que o não uso do acessório. Isso ocorre uma vez que ao utilizá-los, uma quantidade menor de luz visível atinge nossos olhos, causando a dilatação da pupila e possibilitando que uma quantidade maior de raios UV atinja as estruturas oculares. Assim, se os óculos de sol não têm a proteção UV adequada, os raios UV atingem uma área maior dos olhos podendo causar danos irreversíveis. Muitas patologias são desenvolvidas em diversas estruturas oculares e estão diretamente relacionadas à alta incidência de radiação UV aos olhos, como a catarata no cristalino, a degeneração macular na retina, o pterígio e a fotoceratite na córnea.

O equipamento U.Vision é o primeiro sistema que possibilita ao óptico verificar se os óculos de sol têm a proteção ultravioleta adequada para sua categoria. O equipamento identifica a categoria a que os óculos testados pertencem e fornece a porcentagem de ultravioleta que está passando por suas lentes, apontando ao final se estes estão protegidos para uso e em que situações e ambientes eles são mais indicados para serem utilizados. O sistema de análise da qualidade de proteção dos óculos de sol – U.Vision – apresenta uma interface touchscreen com navegação intuitiva, design moderno, classificação das categorias dos óculos de sol e faixa de análise UV de 320-400nm. O U.Vision é uma ferramenta inovadora de grande vantagem competitiva para as ópticas. Auxilia em todas as etapas da venda; no momento da compra ajuda na decisão facilitando a escolha dos óculos de sol mais indicado às necessidades do consumidor; fideliza os clientes uma vez que afere a qualidade da proteção UV dos óculos de sol ao passar do tempo; atrai novos clientes interessados em qualidade, saúde e bem estar.

SUGESTÃO DE LEITURA

Livro: Fanopeia ensaios de neurovisão para uma optometria avançada Autor: Profº Leandro David Ortiz Rhein Preço: r$ 40,00 Onde encontrar: editora all print (11) 2478-3413 site: http://www.allprinteditora.com.br

12

Livro: O segredo para vender mais ÓCULOS Autor: Profº. Luiz Amorim Preço: R$ 50,00 Onde encontrar: luiz.amorimescritor@gmail.com

BIS SINDIÓPTICA-SP nº 55  

Boletim Informativo SINDIÓPTICA-SP nº 55

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you