Page 1

BIS - Nº 59 Maio 2013

Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico, Fotográfico e Cinematográfico no Estado de São Paulo

O que você deve considerar para organizar sua loja e atrair mais clientes página 4 Agenda de palestras do Sindióptica-SP

Quer vender mais no Dia dos namorados? Aproveite as dicas da página 3

página 5

Sindióptica-SP preparando o futuro página 9

Comércio Varejista X desoneração da folha de pagamento

página 12

A entrevista desta edição é com o Sr. Leandro Luiz Fleury Rosa, Presidente do SINDIÓPTICA-GO e um dos autores do Manual de Boas Práticas dos Estabelecimentos de Comércio, Adaptação e Dispenção de Armações, Lentes Ofálmicas, Óculos de Proteção Solar e Acessórios Ópticos. página 6

Siga o SINDIÓPTICA-SP no Twitter www.twitter.com/sindiopticasp

1


editorial

Olá amigos! Sejam bem vindos!

É

sempre um contentamento unirmo-nos com os colegas, tomando conhecimento de todos os anseios e buscando os melhores meios para satisfazê-los. Essa é a nossa meta. Este Sindióptica-SP estará sempre na vanguarda buscando o que melhor há de fazer para desenvolver não só o comércio, mas os subsídios em seu desenvolvimento. Estamos cotidianamente combatendo a ilegalidade a pirataria as infrações que possam denegrir ou aviltar nossos trabalhos sérios de uma classe honesta e laboriosa que preza sua profissão. Para tanto, além das convenções com autoridades, com a Federação, com a Câmara Brasileira de Óptica, assistida pela Confederação do Comércio, e outros Órgãos Oficiais, temos mantido contato com cursos e escolas para otimizar o nível de nossos profissionais. Assim é que não descuidamos de nossos Seminários, pelos quais temos muito que aprender e ensinar. Um novo quadro que instituímos será um ciclo de cinco palestras por profissionais de alto gabarito, trazendo para nós conhecimentos sobre o desvendamento do comércio no dia a dia. Nossos Seminários técnicos terão sua continuidade nor-

mal, com toda a programação já elaborada para 2013. Desta forma esperamos colaborar com alguma parcela para o aperfeiçoamento profissional de cada participante. Gostaríamos de receber sugestões quanto ao aproveitamento e temas de maior interesse. Nesta edição dedicamos um espaço para esclarecimentos sobre a Desoneração da Folha de Pagamento do Varejo, com entendimento técnico do jurídico do SINDIÓPTICA-SP com respaldo da Federação do Comércio do Estado de São Paulo. Confira o artigo: “Comércio Varejista X Desoneração da folha de pagamento”. E muito nos apraz, saber que o Sindióptica-SP está ajudando a Classe Óptica a crescer e fulgurar na sociedade como um astro que é, na saúde pública, enfocando, principalmente, a qualidade da vida através do restabelecimento da visão. Muito Obrigado! Akira Kido Presidente

SUGESTÕES DE LEITURA DOBRE SEUS LUCROS Autor: Bob Fifer Editora: Ediouro Sinopse: Você acredita que a sua empresa já gera todo o lucro de que é capaz? Acha que reduzir energicamente custos e maximizar lucros significa sacrificar o moral dos funcionários e o valor da sua empresa? Então prepare-se para uma revelação chocante. Nas poucas horas necessárias para ler este livro, você descobrirá que pode, de forma fácil e rápida, dobrar seus lucros e ao mesmo tempo potencializar o ânimo, o dinamismo e o valor da sua empresa.

2

COMO FAZER AMIGOS & INFLUENCIAR PESSOAS Autor: Dale Carnegie Editora: Nacional Sinopse: Com mais de 30 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, “Como Fazer Amigos e Influenciar Pessoas” é considerado um dos principais livros no genêro, influenciando com ótimos conceitos a todos no âmbito pessoal e profissional. Esta obra está dividida em 4 partes: Técnicas fundamentais para tratar com as pessoas; Seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você; Como conquistar as pessoas a pensarem do seu modo; Seja um líder.

O Boletim Informativo Sindióptica - BIS - é uma publicação do Sindióptica-SP - Av. 9 de Julho, 40 - 11º andar cjs. 11 - D/F - São Paulo - SP - CEP 01312-900 - Tel.: (11) 3259.3648 - 3259.5826 - 3256.6011 e-mail: sindioptica@sindioptica-sp.com.br - www.sindioptica-sp.com.br Tiragem 6.000 exemplares - Distribuição gratuita - Comite editorial: Sr. Akira Kido, Luis Alberto P. Alvez, Dra. Maracy Marquez Ferraz. Diagramação: Alexandre P. Campos Fº - Produção gráfica: Cyan Artes Gráficas


1 - KITS PROMOCIONAIS: As pessoas gostam de conjuntos prontos como um combinado ou kit promocional. Faça kits por grupo de produtos, por faixa de preço, por perfil de namorados: conservadora, moderada, arrojada. Assim, você poderá incrementar suas vendas sem aumentar seus custos de divulgação.

gestão

Quer vender mais no Dia dos namorados pessoas comprarão de sua empresa e considerarão conveniente fazer negócios com você.

8 - REDES SOCIAIS E SMS: As redes sociais com maior audiência são as mais usadas e indicadas para empresas – Twiter, Facebook, My Space, Pinterest, Orkut, YouTube, Flickr, Linked in.

2 - PARCERIAS COM O COMÉRCIO LOCAL: Já pensou em fazer parceria com a floricultura? Que tal promover um desfile de moda? E montar um kit promocional com uma loja de bijuteria ou de calçados?

3 - EMBALAGEM: Extremamente necessária e vital. Uma forma de comunicação constante e direta com o seu consumidor/cliente. Tenha embalagens pré-prontas para facilitar o pacote e embalagens especiais e diferentes para cada data específica.

4 - VALE-PRESENTE: Comprar presente não é uma tarefa fácil. Que tal então oferecer um vale-presente para facilitar a tarefa do comprador e do presenteado?

5 - EXTENSÃO DE HORÁROS: Observe o comportamento de seus clientes e se necessário estenda o horário de funcionamento de sua loja. Além da nova clientela, possivelmente fidelizará a já existente.

6 - BRINDES: Um brinde alegra, promove, facilita a venda e ainda faz o cliente carregar sua marca onde quer ele esteja. Oferte-os também como vantagem extra e dê desconto para compras acima de determinado valor. É uma ótima maneira de atrair mais clientes.

7 - NO CAIXA: Facilite o pagamento. Aceite cartões de crédito. Mais

O que você esta fazendo nas redes sociais? Promova a data. Escreva um texto sobre o Dia das Mães. Convide seus seguidores para visitar a loja virtual. Convide também para a loja física e dê uma senha para garantir um brinde ou um desconto especial. SMS: De baixo custo, é uma forma rápida, dirigida e prática de comunicação com seu cliente para divulgar data comemorativa, ação de promoção, cupons de descontos e outros.

9 - ATENDIMENTO GERAL: Facilite a circulação dentro da loja. Organize a fila do pacote. Preocupe-se com o caixa. Não deixe nada para última hora. Faça um check-list dos equipamentos antes de abrir o estabelecimento.

3


gestão

O que você deve considerar para organizar sua loja e atrair mais clientes

01

FACHADA: Explore a área frontal da loja, muros, paredes, luminosos, iluminação, etc. Atenção especial às cores, luminosos e letreiros. Valorize o significado da data utilizando o espaço com criatividade.

02

VITRINE: Elemento mais importante para atrair consumidores. Uma vitrine tem 30 segundos para provocar o interesse, despertar o desejo e levar à ação. Ouse na composição da vitrine, mas evite excessos para não gerar poluição visual.

03

ACESSO/MOBILIDADE: Facilite a circulação e o acesso de clientes e de cadeira de rodas com instalação de rampas.

04

LAYOUT: Livre circulação permite a visão plena da loja aos clientes. Planeje o layout a partir da porta de entrada e evite obstáculos e bloqueios visuais.

05

ARRANJO DOS PRODUTOS: Planeje a localização dos produtos nas gôndolas, prateleiras, expositores, cabides, araras, ilhas e pilhas. Considere características físicas, tamanho, peso, cor, numeração e a necessidade ou não de cuidados especiais como refrigeração.

06

APRESENTAÇÃO DOS PRODUTOS: Exponha e preserve produtos com seus atributos físicos, iluminados e à vista dos consumidores. Mantenha embalagens sempre em boas condições.

4

Imagem: Manual de Boas Práticas de Óptica

07

ILUMINAÇÃO: Use a iluminação artificial e natural internas para destacar mercadorias, decorar espaços especiais e acompanhar o estilo e a personalidade da loja.

08

PROVADORES: Fundamentais para incentivar as compras, devem ser bem iluminados, climatizados e com segurança necessária para o cliente poder experimentar/provar mercadorias.

09

CLIMATIZAÇÃO: A temperatura ideal situa-se entre 22°C e 26°C. Isso reflete diretamente no tempo de permanência do cliente no interior da loja e, por extensão, no volume de vendas.

10

PROMOÇÃO DE VENDAS: Determine prazos para manter a atratividade e o forte apelo da oportunidade. Incentive e divulgue para o público-alvo com comunicação interna e externa uniformizada.

Fonte: SEBRAE-SP


marca lançamento do Circuito de Palestras Gratuitas para Empresários do Varejo Óptico, na Sede do SINDIÓPTICA-SP.

E

mpresários do ramo óptico participaram de palestra gratuita realizada na quinta-feira, 11 de abril, na sede do SINDIÓPTICA-SP com parceria com o Escritório Regional do SEBRAE-SP, apoio especial da Empresa MULTFOCO e da divulgação do site OPTICANET (www.opticanet.com.br). O Circuito de Palestras Gratuitas para Empresários do Varejo Óptico do Estado de São Paulo faz parte do Projeto: Desenvolvimento do Comércio Varejista de Material Óptico do Estado de São Paulo – que tem como objetivo aumentar a competitividade e o faturamento das empresas participantes, atuando em novos procedimentos gerenciais, técnicos, legais e éticos, gerando empregos, garantindo aos consumidores produtos e serviços de qualidade.

seminários

Palestra sobre custos despesas e preços de venda

As inscrições estão abertas para todo ciclo de palestras na sede do SINDIÓPTICA-SP (Av. 9 de Julho, 40 4º andar – São Paulo – SP), veja no quadro agenda completa.

Data: 09/05/2013 Palestra: COMO FAZER MARKETING DE RELACIONAMENTO Palestrante: Beatriz Cristina Micheletto Horário: 14:30 às 16:30 Data: 13/06/2013 Palestra: PROMOÇÃO DE VENDAS E DIVULGAÇÃO Palestrante: Beatriz Cristina Micheletto Horário: 14:30 às 16:30 Data: 27/06/2013 Palestra: PROCESSO DE ADMINISTRAÇÃO DE ESTOQUES Palestrante: Domingos Cavallini Neto Horário: 14:30 às 16:30

ABRIL 01 ANA PAULA ROSALES TEIXEIRA 03 CARLOS JOSÉ DE O.SOARES 06 BENEDITO REGINALDO MANFREDINI 08 CARMEM SILVA G.V.DOMINGUES 08 DIONISIO FERNANDES LUCAREZI 13 APARECIDA RUGANI SILVA 15 GILSON SADAO KANAZAWA 15 CELSO MINORU IDERIHA 17 ROSANGELA DE FATIMA MURER 21 MARIA BERNADETE OLIVEIRA RAMOS 29 EDISON KEN-ITI ARAHAWA 30 MARCO AURÉLIO PINHEIRO DOMINGUES

MAIO 09 JUDITH GARCIA GROEGEL 12 EDUARDO RECHE FEITOSA 26 JOSÉ LUIZ DA SILVEIRA ARANTES JUNHO 09 DANIEL VIEIRA LEITE 18 CARLOS ALBERTO RIBEIRO DA SILVA 22 CLOVIS CHERUBIM 25 ANDRE LUIZ DA SILVEIRA ARANTES 26 REGINA KAUACAB NUNES SIQUEIRA CANDIDANI 28 MILTON ALMEIDA SANTOS

aniversariantes

Maiores informações falar com André/ Sandra pelos telefones: 11 3259-5826 / 3256-6011 através do e-mail: contato@ sindioptica-sp.com.br ou acesse o site: www.sindioptica-sp.com.br

5


entrevista

Sr. Leandro Fleury Rosa, Presidente do Sindióptica-GO Óptico Optometrista, Empresário e coautor do Manual de Boas Práticas dos Estabelecimentos de Comércio, Adaptação e Dispensação de Armações, Lentes de Contato e Acessórios Ópticos

E

6

ntrevista desta edição será com um dos autores do Manual de Boas Práticas dos Estabelecimentos de Comércio, Adaptação e Dispensação de Armações, Lentes de Contato e Acessórios Ópticos – (MBP de Produtos Ópticos) – lançado pela Confederação Nacional do Comércio - o Sr. Leandro Luiz Fleury Rosa (Presidente do SINDIÓPTICA-GO) que tem o Sr. Luis Alberto Perez Alves (Diretor do SINDIÓPTICA-SP) como coautor. BIS – Em primeiro lugar gostaríamos de agradecê-lo pela gentileza em ceder a entrevista ao Boletim Informativo do SINDIÓPTICA-SP, salientamos que é um imenso prazer estar diante de um ícone da Óptica brasileira. Mais uma vez parabenizamos por esta obra que com certeza trará novos rumos a nossa classe. Neste inicio de entrevista diganos por que escolheu a área do varejo óptico para ser profissional e

empresário e nos conte sobre suas experiências neste segmento? Sr. Leandro – É uma satisfação ser entrevistado pelo informativo BIS/ SINDIÓPTICA-SP, um dos principais e mais tradicionais órgãos de notícias do setor óptico brasileiro. A escolha do segmento varejista se deu em função da carência que o setor terciário de óptica tem de informações adequadas sobre o funcionamento de uma empresa óptica. Há muita coisa errada praticada no mercado e muito disso deve-se à atuação inadvertida de empresas ópticas, que patrocinam procedimentos de venda cada vez mais precarizados, que empobrecem o setor óptico, pouco se importando com a ética e boas práticas. Uma das metas da publicação do MBP, que pretende ter 03 versões (básica, avançada e excelência), é informar sobre as práticas adequadas às ópticas brasileiras. Minha experiência no ramo óptico vem da empresa

onde iniciei meu trabalho. Trata-se de uma empresa familiar, que hoje sou proprietário e responsável técnico, ÓTICA CRISTAL, que foi fundada por meu pai, Joaquim Rosa Filho, em 1962. Aprendi tudo o que sei com ele e duas outras pessoas, por coincidência, de São Paulo: Avelino de Melo, já falecido, formado no SENAC São Paulo, que foi sócio de meu pai e Francisco de Melo, hoje com 93 anos, que foi proprietário por muitas décadas da ÓTICA PANÓTICA no largo do Belenzinho, também formado no SENAC São Paulo, sendo também representante comercial da Bausch & Lomb à sua época. Ambos são tiosavôs. Antes de fundar a empresa, meu pai aprendeu o ofício com eles e isso me foi repassado. Sou feliz na carreira de óptico optometrista e administrador, e tenho muita satisfação de ter ingressado nesse segmento. BIS – Quais as dificuldades que enfrentaram para a concretização deste extenso trabalho e quais são as perspectivas que tem com o lançamento do MBP de Produtos Ópticos realizado pela CNC e como será sua absorção pelas Ópticas em todo o Brasil? Sr. Leandro – Acho que a maior delas foi definir qual o perfil do MBP. Felizmente escolhemos um formato orientador, que apresenta as experiências de ambos os autores sem transparecer algo que não fosse apenas sugestivo. Entendemos que a busca por qualidade é uma das obsessões que as empresas de óptica devem perseguir, sempre. Mas isso ainda não é uma realidade entre todas as empresas de nosso setor. E é aí que se encontra uma das maiores dificuldades das enti-


duras penas, e são muito criticados por isso. Os procedimentos ópticos devem acompanhar a tecnologia de serviços e produtos, que anda a passos largos. Estamos atrasados. Hoje existem empresas fabricantes de lentes que tratam as pessoas que atuam no setor óptico comercial como profissionais de saúde visual. Isso é certo, sem dúvida. A pergunta que deve ser feita é: será que estamos valorizando os procedimentos ópticos de nosso dia-a-dia, de tal forma que possamos de fato merecer receber essa titulação de profissional de saúde visual? Certamente nem todos podemos receber esse tratamento. Os SINDIÓPTICAS defendem essa uniformização, essa postura de valorização do setor, que, aliás, é a tradição secular da óptica brasileira. Mas ao longo das últimas décadas, vem sofrendo inúmeras críticas e ações contrárias. Vejam essa postura não é algo ultrapassado como muitas empresas e pessoas difundem. Não estamos nos referindo à defesa da estagnação do setor óptico. Pelo contrário. Acreditamos e defendemos a evolução e inovação do setor óptico, e essas bandeiras são veementemente defendidas pelos SINDIÓPTICAS. Mas o que ocorre é que existem empresários que enxergam o cumprimento dessas prerrogativas como algo ultrapassado. Esse é problema central. A CBÓptica/CNC é a voz nacional que defende essa posição, apoiada pelas Federações de Comércio e pela entidade máxima do varejo e atacado brasileiro: a Confederação Nacional do Comércio. A meu ver não basta recebermos titulação de profissionais de saúde. Precisamos fazer por merecer. E isso infelizmente uma boa parte de nosso mercado ainda não está apta a receber essa titulação, pois não se preocupam o suficiente com qualidade, saúde e bem-estar de seus consumidores. Não no nível em que se encontra a tecnologia de produtos ópticos. E a óptica somente estará alinhada com essas inovações se incrementarem seu nível de prestação de serviço, alcançando níveis de acreditação e certificação reconhecidos.

BIS – É de conhecimento dos Senhores o descaso por parte dos órgãos públicos fiscalizatórios principalmente as Vigilâncias Sanitárias, em inspecionar as empresas do comércio varejista de material óptico, com isso, encontramos um cenário de proliferação de ópticas ilegais. O MBP de Produtos Ópticos chegará para auxiliar estes departamentos em seu trabalho de fiscalização. Qual a opinião dos senhores? Sr. Leandro – Assim como ocorre em outras áreas da saúde, o setor óptico se precarizou também devido à falta de atuação dos órgãos regulatórios. Por muitos anos, e isso ainda ocorre em diversos municípios brasileiros, alguns secretários de saúde negligenciam o setor óptico por desinformação. Sempre existiram regras obrigatórias, que agora foram compiladas na versão inicial (básica) do MBP. Mas não são cumpridas na íntegra, por razões diversas. A principal é vontade. Quando os gestores públicos se deparam com assuntos de óptica, que são complexos e afetam interesses econômicos, eles preferem não colocar a mão na cumbuca. Deixam a coisa seguir “pelo mercado”. O resultado é essa bagunça que a gente observa. Tem que ter muita coragem e competência para fazer valer as leis de óptica. São raros os gestores que assumem esse papel. Conheço duas pessoas que assumiram esse papel como gestores públicos de saúde: Dra. Mirtes Bezerra, farmacêutica e Paulo Elian, veterinário. Ambos foram diretores da VISA de Goiânia. A primeira deixou um legado ao setor óptico brasileiro, pois no período em que esteve nessa função, enfrentou todos esses interesses alicerçada na lei. Implementou uma visão técnica e não política. O resultado foi uma mudança de comportamento do setor óptico goiano. Seu trabalho influenciou positivamente a atuação de outras VISAS do Estado de Goiás e também de outros Estados. Somos gratos pela sua coragem, dinamismo e ousadia. BIS – O MBP de Produtos Ópticos em detalhes destrincha de maneira clara e objetiva como

entrevista

dades que patrocinaram esse MBP: a de convencer que é necessário se adequar às transformações do mundo e às exigências do cliente, cada vez mais sofisticada. Esse é o principal desafio a ser superado. Outra dificuldade foi a produção de fotos e o design do MBP. Felizmente a CNC disponibilizou uma fotógrafa de altíssima competência, Carolina Braga, que produziu fotos fantásticas dos equipamentos, assim como um excelente designer e programador visual, Marcelo Vital, que fez um trabalho irretocável. O manual alcançou uma elevadíssima produção graças a eles. Penso que o MBP é um guia sugestivo voltado a um tema central: a qualidade na óptica. Esse é o ponto central, melhorar a qualidade de nossos processos, estrutura, serviços e produtos. As ópticas precisam se aperfeiçoar e o MBP pode ser um instrumento de orientação para essa finalidade. BIS – Sabemos que este maravilhoso projeto iniciou-se em meados de 2008 através da Câmara Brasileira do Comércio de Produtos Ópticos (CBÓptica/CNC), com participação ativa de todos os SINDIÓPTICAS através de seus dirigentes, sendo esta câmara um braço consultivo da CNC para o fortalecimento do setor óptico no Brasil. Do ponto de vista de vocês qual a importância hoje do CBÓptica/CNC e dos SINDIÓPTICAS para o empresário e profissional óptico brasileiro? E quais as ferramentas oferecidas por essas entidades que podem auxiliar o empresário adequar seu negócio de acordo com o Manual de Boas Práticas? Sr. Leandro – Os SINDIÓPTICAS brasileiros representam os interesses dos empresários que vivem da óptica, a respeitam e reconhecem que ela não pode ser desenvolvida sem a devida capacitação e preparação da empresa e de sua equipe para essa atividade. A ciência óptica é a essência das atividades de óptica, seja ela qual for: indústria, comércio, serviços. É a mola que nos conduz a ofertar soluções ópticas de qualidade aos nossos clientes. Os SINDIÓPTICAS defendem isso, a

7


entrevista 8

os estabelecimentos do comércio varejista de material óptico devem funcionar na área administrativa, com profissionais especializados, equipamentos específicos, serviços de atenção em óptica, contatologia, tecnologia da informação, compras, assistência técnica entre outros. As ópticas estão preparadas para a implantação do manual de boas práticas? Sr. Leandro – Estão sim. Mas é preciso partir para a ação. Basta às empresas iniciarem esse processo. Obviamente, muitas delas ainda estão longe de alcançar o que foi apresentado pelo MBP versão básica. Mas isso não deve ser encarado como um desestímulo, mas um desafio a ser superado. O MBP versão básica é o mínimo que uma empresa tem que cumprir para poder ofertar produtos e serviços de qualidade, além de estar sob as normas existentes. Todos os

processos desenvolvidos pelas ópticas devem ser rigorosamente supervisionados, pois estamos lidando com saúde visual e como já foi dito, não basta nos intitularmos profissionais ou estabelecimentos de saúde visual. É preciso conquistar essa meta. BIS – Sr. Leandro, queremos agradecer pela entrevista que nos foi concedida e para finalizar – gostaríamos que deixasse aos nossos leitores empresários e profissionais ópticos uma mensagem sobre suas expectativas do setor óptico daqui para frente. Sr. Leandro - Sou eu quem agradeço pela oportunidade. É uma satisfação poder falar com vocês e uma honraria a minha pessoa ser entrevistado pelo BIS/SINDIÓPTICASP. A tradição do Sindicato de Ópticas de SP é reconhecida por milhares de empresários brasileiros e valorizo-a não apenas por pertencer a uma en-

tidade coirmã. Na verdade penso que há uma gratidão que deverá sempre ser atribuída ao SINDIÓPTICA-SP, pois o que o setor óptico brasileiro deve a essa instituição jamais poderá ser pago. Em outros tempos, a defesa patrocinada por essa entidade em favor das lentes de contato, do comércio óptico e de outras importantes bandeiras, foi decisiva e teria comprometido nosso setor se não houvesse a atuação dessa entidade. Mas ainda assim hoje existem pessoas e entidades que criticam sua atuação e de outros SINDIÓPTICAS. O que posso dizer é que a divulgação do MBP é mais um capítulo de valorização do setor óptico brasileiro patrocinado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Trata-se de um posicionamento institucional importante e corajoso que enaltece as ópticas do Brasil.


É

o momento da estrada do conhecimento, onde vencem as entidades que não param de treinar. Treinamento Non Stop. Nossos treinamentos são criados para fazer com que as empresas não parem. Porque nessa estrada quem não é veloz corre o risco de ser atropelado A grande revolução do século 21 é a da informação. Uma nova forma de riqueza está se impondo – O conhecimento e seu instrumento, a inteligência. Trabalho é cada vez mais a capacidade de gerar e gerir idéias, de conectar-se a outras entidades e ao mercado. Esta é a sabedoria do Sindióptica-SP, mentalidade global, aberta e dinâmica. Na nova economia é preciso adaptar-se e mudar. A NOKIA, que há algumas décadas produzia papel, é agora líder do mercado de telefones celulares. O Sindióptica-SP seguiu esta visão e não precisou de mudanças radicais, apenas priorizou uma de suas vocações que é a difusão do conhecimento. O Sindióptica-SP incentiva a Educação continuada com cursos livres, presenciais e virtuais e recolhe os lucros em forma de maior fidelidade

dos empresários em contribuições associativa, sindical e assistencial. Na busca por alavancar e proteger o ramo óptico, o Sindióptica-SP tem participação ativa na CBÓpticaCNC, onde além de conviver com todos os Sindiópticas do Brasil, tem trocas de experiências e colaboração com diversas entidades nacionais e regionais que buscam a excelência. Em um mundo em que o bem mais importante é o conhecimento, rapidez adquire valor de mercado. “Inovar é estar um passo à frente”. É com esta visão de futuro que o Sindióptica-SP está de olho no varejo do século 21. A história da vida de qualquer projeto obedece a uma curva sigmóide (em forma de S). “Começa lento, experimental e vacilante, cresce e depois declina. O Sindióptica-SP defende que a hora certa para iniciar um segundo projeto não é quando o primeiro apresenta sinais de declínio, mas quando ele está chegando perto do ápice. Hoje o ponto mais importante para nós, não é criar uma cultura de conhecimento, mas uma cultura de aprendizado, que vai gerar conhecimento. O Sindióptica-SP busca a sustentabilidade com foco em sua vocação, que é a prestação de serviços

especializados no mercado de varejo óptico e fotográfico principalmente os treinamentos técnicos e de gestão de negócios. Se a entidade do futuro tem de ser adaptável a novas situações, sua diretoria deve ser capaz de promover a mudança. Para a liderança de uma entidade, deve-se promover a especialização. A verdadeira liderança requer que se assumam riscos consideráveis e se faça coisas que os outros não estão dispostos a fazer. A Diretoria do Sindióptica-SP tem garra para ir mais longe, para uma responsabilidade maior, fazer o que os outros não estão dispostos a fazer. Em poucas palavras, um sacrifício maior. RESPONSABILIDADE, PAIXÃO, HONRAR COMPROMISSOS, TOMAR DECISÕES SÁBIAS. Siga você também este caminho, treine seus funcionários, pois eles dependem de seus conhecimentos para melhor desempenharem suas funções.

informe

Sindióptica-SP trabalhando para o futuro

Boas vendas! Luis Alberto Perez Alves perezalves@sindióptica-sp. com.br

Você tem dúvidas sobre o mercado óptico? Sobre ópticas? Assuntos jurídicos? Visite nosso site:

www.sindioptica-sp.com.br 9


informe

Seminário em Óptica 2013 – Santo Amaro e Região Sucesso de avaliação pelos participantes – confiram os índices! DADOS DO EVENTO

O Seminário em Óptica, contou com patrocínio da Empresa MULTFOCO e apoio institucional do SENAC-SP. Nossos agradecemos, aos ópticos de SÃO PAULO, pela participação em mais um evento realizado pelo SINDIÓPTICA-SP.

Data: 21 de Março de 2013 Horário: 19h00 às 22h00 Endereço: R. Dr. Antonio Bento, 393 Palestrante: Prof. Luiz Amorim, é engenheiro, escritor (cinco títulos publicados), conferencista e instrutor de vendas. Iniciou sua carreira de vendedor aos 12 anos, e hoje aos 60 é um dos maiores especialista do Brasil em atendimento. Palestra: O SEGREDO PARA VENDER + ÓCULOS (Aprenda as melhores técnicas, para vender óculos com um especialista em atendimento)

Termômetro Econômico INDICADOR

MÊS REF.

VALOR

ICF - INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS(SP) – pontos (*)

MARÇO

129,6

TENDÊNCIA

COMENTÁRIO O resultado de março mostra que os paulistanos ainda estão se mantendo no seu emprego, mas a inflação está atingindo o orçamento doméstico. Isso parece estar induzindo os consumidores para um comportamento defensivo em relação à expansão de seu consumo.

PEIC – ENDIVIDAMENTO (SP) - % famílias endividadas

Apesar da alta de 1,1 p.p em relação a fevereiro, houve forte queda na

MARÇO

52,0

inadimplência. Em fevereiro o percentual de famílias com contas em atraso era de 17,6% e passou para 13,7% em março. Isso é sinal de maior controle do orçamento ainda mais em momento de instabilidade economica e aumento de preços. O grupo de alimentos continua pressionando o indicador. No mês o impacto foi quase 60% na variação mensal. O IPCA acumula

IPCA – valor mensal

MARÇO

0,47%

em 12 meses 6,59% e, portanto, se posicionando acima do teto estabelecido pelo BC de 6,5%, o que foi motivo para o aumento da SELIC em 0,25 p.p. na última reunião do COPOM.

TAXA DE JUROS PF – taxa ao ano

Segunda alta consecutiva o que demonstra que o mercado está se

FEVEREIRO

35,1%

ajustando a um cenário menos positivo. Inclusive já houve também redução do prazo médio das concessões de 0,6 p.p. Inflação em alta e menor geração de empregos provoca esta cautela no sistema financeiro. A forte redução nas concessões em fevereiro se deu por conta do menor

CONCESSÃO CRÉDITO PF – variação mensal

FEVEREIRO

-7,8%

número de dias úteis em relação a janeiro. Entretanto, o importante que em relação a fevereiro de 2012, que também contou com o Carnaval no mês, houve aumento de 17,8%.

EMPREGO RMSP – taxa de desocupação

O mercado de trabalho está desacelerando. A taxa de fevereiro é 0,4 p.p

JANEIRO

6,5%

maior quando comparado com o mesmo mês de 2012 e 0,1 p.p na variação mensal. Muito embora a tendência atual da desocupação seja de alta, a taxa ainda está abaixo da média dos últimos 10 anos que foi cerca de 10%.

10

Fonte: FecomercioSP / Banco Central / IBGE Elaboração: FFA Consultoria e Pesquisa Econômica (*) Acima de 100 pontos o índice indica grau de satisfação das famílias. ICF – Indice de Intenção de Consumo das Famílias; PEIC – Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor; IPCA – Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo; PF – Pessoa Física; RMSP – Região Metropolitana de São Paulo


Ficou interessado? Agende uma visita com nossos representantes, pelo Tel.: (11) 3259.3648 e-mail: contato@sindioptica-sp.com.br

Linhas de Crédito

convênios

Previdencia Privada

Disponibilização de linhas de crédito, pela DESENVOLVE SP às empresas associadas ao SINDIÓPTICA-SP.

Escolas de Idiomas

Colônia de Férias

Aparelhos Auditivos

Planos de Saúde

Certificação Digital

Paraencontrar saber mais, entre em contato conosco: Não sabe onde o Livro de Óptica? Entre em contato conosco, telefone e-mail contato@sindioptica-sp.com.br através do(11)3259-5826 E-mail: contato@sindioptica-sp.com ou Fone: (11) 3259.5826

11


jurídico

Comércio Varejista X Desoneração da folha de pagamento (MP nº 601, de 28 de dezembro de 2012)

O

programa troca a cobrança dos 20% de INSS sobre a folha de pagamento por uma alíquota de 1,0% ou 2% sobre o faturamento de algumas empresas do comércio varejista, conforme o CNAE – Classificação de Atividades Econômicas.

Críticas: 1. Prejudica empresas que têm buscado aumento sistemático de produtividade do trabalho, ou aquelas que dispõem dos melhores recursos humanos, pois a folha de pagamentos neste caso é relativamente pequena se comparada ao faturamento. Não parece razoável instituir um sistema tributário que iniba o ganho de produtividade ou o investimento em qualificação da mão de obra; 2. Parte do princípio de que todas as empresas de um determinado setor têm estruturas de custos semelhantes, o que está muito longe do fato. Desta forma, a proposta, ainda que beneficie algumas empresas ou mesmo a maior parte delas, pode – com grande probabilidade – representar uma injusta perda de competitividade para outras;

Simulação Fecomercio A tabela abaixo mostra o limite da folha de pagamento em relação ao Faturamento Bruto para que a empresa, abrangida no Anexo, calcule as perdas ou ganhos com a nova fórmula de tributação. Alíquota de 1% sobre o faturamento bruto x 20% sobre a folha de pagamento Faturamento Bruto

R$100.000

Nova Fórmula: 1,0% sobre faturamento bruto

R$ 1.000

Folha de pagamento = 4,0% do faturamento bruto R$ 800 Folha de pagamento = 5,0% do faturamento bruto R$ 1.000 Folha de pagamento = 6,0% do faturamento bruto R$ 1.200

12

De acordo com as regras atuais, uma companhia com faturamento de R$ 100 mil, cuja folha de pagamento representa 4% do faturamento, desembolsa R$ 800 de contribuição previdenciária. Esse valor aumenta para R$ 1 mil, se o gasto com pessoal representar 5% do faturamento, e para R$ 1,2 mil, se corresponder a 6% da receita. Com a nova fórmula, no entanto, o pagamento de tributo seria de R$ 1 mil, ou seja, atrativa apenas para as empresas cuja folha de pagamento representa mais de 5% do faturamento bruto. Pela FECOMERCIO estamos pleiteando desde o inicio do ano através dos Deputados Guilherme Campos,

Arnaldo Faria de Sá e Laércio Oliveira. Com as seguintes providências:

Texto da MP - Art. 8º Até 31 de dezembro de 2014, contribuirão sobre o valor da receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, à alíquota de um por cento, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991,...

Texto proposto (Emenda) Pleiteamos a atribuição da faculdade de opção de regime tributário para cada empresário. Redação do artigo 8º passará a vigorar com a expressão “poderão contribuir” em substituição a expressão “contribuirão”. Desta forma antes de solicitar a inclusão do varejo óptico, pleiteamos que a atribuição da faculdade de opção de regime tributário para cada empresário, deste modo a redação do artigo 8º passará a vigorar com a expressão “poderão contribuir” em substituição a expressão “contribuirão”, visando assim deixar a cargo de cada empresário o sistema tributário que melhor lhe atenda. Maiores informações, através dos telefones 11 32595826 / 3259-3648 ou pelo e-mail: jurídico@sindiopticasp.com.br Atenciosamente, Assessoria Jurídica

BIS nº 59  
BIS nº 59  

Boletim Informativo SINDIÓPTICA-SP nº 59 - Entrevista com o Sr. Leandro Luiz Fleury Rosa

Advertisement