Issuu on Google+

nº 43 Maio 2009

Entrevista com o Deputado João Caramez pág 3

Sindicato específico X eclético pág. 5

CBÓptica f or talece parcerias em reunião no RJ pág. 8

VISITE NOSSO SITE PARA VER MATÉRIAS IMPORTANTES PARA O VAREJO ÓPTICO E FOTOGRÁFICO.

www.sindioptica-sp.com.br 1

bis 43.pmd

1

11/05/2009, 16:51


Estamos em 2009 “e nove – renove” prestigiando ou parodiando a mídia, “sem pagar royalt”, mas achando interessante o jogo de palavras, aproveitamos a idéia para intuir, sobre a necessária e proveitosa citação. Nessa inovação ou renovação vamos, sacudindo as teias, alijando velhas teorias e acomodações, aspirando novas metas de progresso e acesso a níveis mais claros, e caros(queridos). Porque todos nós queremos atingir os mais altos degraus na escada evolutiva. No caso evoluir, também, na vida material e econômica. Começando por uma avaliação nas fontes de seu poder aquisitivo. Com muita acuidade vejamos como pode ser reformulado seu comércio, seu estabelecimento. A apresen-

tação do espaço físico, o acolhimento aos clientes, o trato com os funcionários. Veja também a continuidade de tudo isso. Ainda estamos nos bens materiais. Reavalie suas mercadorias estocadas. Espaços ocupados por produtos inúteis, valem dinheiro. Renove, reforme, mude e transmute para melhor.

outras experiências. Tudo é pertinente. E nossa profissão requer e merece essas atenções. Nós precisamos e devemos valorizar nossa Classe. Temos que provar o quanto é necessária a capacidade do técnico para complementar ou corrigir algumas receitas nem sempre tão acertadas.

Agora, pense nos bens que não tem preço e que na realidade são os mais palpáveis, porque responsáveis pela fidelização de sua clientela; a capacidade técnica, a dedicação e a perseverança.

Por isso a preocupação do nosso Sindióptica/SP em disseminar conhecimentos e habilitação. Esteja sempre conosco. Nós queremos cuidar de você.

Estude, pesquise, esteja sempre atualizado: tanto nas novas técnicas profissionais, nos equipamentos de tecnologia de ponta, quanto às exigências da moda, em acessórios e materiais.

Muito Obrigado Akira Kido Presidente Sindióptica - SP

Não perca oportunidade por mais cursos, novos aprendizados,

0 3 Entrevista com o Deputado João Caramez 0 4 Aprender sem medo 0 5 Sindióptica de São Paulo cedia Reunião Nacional

0 5 Aumento no prazo para pagamento de tributos 0 6 Programação do SENAC Tiradentes 0 7 Vamos vender melhor 0 8 A ME ou EPP optante pelo Simples deve recolher a contribuição sindical

O Boletim Informativo Sindióptica - BIS - é uma publicação do Sindióptica-SP - Av. 9 de Julho, 40 - 11º andat cj. 11 - D/F - São Paulo - SP 01312-900 - Tel.: (11) 3259.3648 - 3259.5826 - 3256.6011 - e-mail: sindioptica@sindioptica-sp.com.br - www.sindioptica-sp.com.br Tiragem 5.000 exemplares - Distribuição gratuita - Comite editorial: Sr. Akira Kido, Luiz Perez Alvez, Dra. Maracy Marquez Ferraz. Diagramação: Alexandre P. Campos Fº - Produção gráfica: Cyan Artes Gráficas 2

bis 43.pmd

2

11/05/2009, 16:51


Entrevista com o Deputado João Caramez Em 09/03/2009, estiveram na Assembléia Legislativa de São Paulo, recepcionados pelo Deputado João Caramez, em seu Gabinete, os senhores Akira Kido Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Material Óptico Fotográfico e Cinematográfico no Estado de São Paulo, o Diretor Sr. Luis Alberto Perez Alves e o Sr. Nivaldo Martins representando a Ótica Revista para uma entrevista cujo teor resumimos abaixo: Vivência Política: • Ex-Prefeito Municipal de Itapevi • Ex-Chefe da Casa Civil no Governo Mário Covas • Eleito Deputado Estadual desde 1993 ora em seu terceiro mandato. Como representante no Poder Legislativo tem estado a par das situações dificultosas que obrigam cada setor das comunidades. Assim, ouvindo as reivindicações do setor óptico o nosso Deputado compreendendo serem os óculos os acessórios de saúde mais usados pela população assumiu o compromisso de lutar em favor dos usuários de óculos e da valorização dos profissionais habilitados em Óptica. Recentemente conseguimos evitar que produtos ópticos fossem incluídos na Substituição Tributária com uma emenda a um Projeto de Lei encaminhado à Assembléia pelo Governo do Estado. Mas nós temos o PL 897/2005 já aprovado na Assembléia Legislativa, que além de proibir a comercialização de lentes oftálmicas e de óculos em Estabelecimentos não credenciados permite que sejam

vendidos, em Estabelecimentos idôneos apenas óculos de sol que tenham certificados emitidos pelo INMETRO. É preciso que todos comerciantes, fabricantes, importadores se unam nessa luta para que o Governador sancione e passe a vigorar essa Lei que vai pro- Presidente do Sindióptica/SP, Akira Kido; Deputado João Caramez e o teger o povo na elaboradas há muitas décadas e atusaúde visual. Precisamos também almente precisamos adequar às regulamentar as vendas, dos ócunecessidades do dia-a-dia. É fundalos de proteção solar, porque eles mental a presença de um óptico não são apenas acessórios de moda que possa orientar o consumidor e se não tiverem qualidade garantiusuário dos óculos de grau, mas da podem prejudicar os olhos com para os óculos de proteção solar o uso de produtos duvidosos. torna-se necessário à intervenção A maior divulgação que se faz do controle de qualidade feito por em relação aos danos causados órgãos competentes com a emispelas radiações UV se restringem são de certificado de garantia. às doenças de pele, esquecendoPara defender o comércio tese dos efeitos negativos na estrumos o Código de Defesa do Contura ocular, causando cataratas, tusumidor, mas precisaríamos esclamores e até cegueira. recer o público que os preços mais Nem todas as Lentes possuem baixos de um produto de origem proteção UV adequada. Para isso, duvidosa podem causar sérios pretemos o INMETRO – Instituto de juízos, por exemplo, os óculos de Metrologia Normatização e Qualimá qualidade podem causar inúmedade Industrial – que é o órgão ras doenças oculares. Volto a insiscompetente para o estabelecimentir, somente com uma Lei que exija to e fiscalização das normas refecertificado de qualidade é que os rentes a serviços essenciais e proconsumidores poderão saber o teção dos cidadãos nas suas relaque estão comprando e os órgãos ções de consumo, o que inclui os fiscalizadores do governo terão óculos de sol. Na verdade existem condições de coibir práticas ilegais leis como o Decreto Lei 8829/46, e abusivas. o Decreto Lei 24.492/37, coibindo Se existe Lei, ela deve ser a comercialização das Lentes – de cumprida E se não for cabe degrau ou solares – fora dos estabenúncia. Os ópticos por sua forlecimentos oficialmente regularizamação e habilitação são os res- â dos. Porém essas normas foram 3

bis 43.pmd

3

11/05/2009, 16:51


â ponsáveis

técnicos dos estabelecimentos ópticos. Por isso minha luta para que todo Estabelecimento Óptico tenha seu técnico responsável e esteja sob a fiscalização da Vigilância Sanitária, ganhando o Estado como importante parceiro. A concorrência ilegal e desleal diminui seus custos sonegando, vendendo produtos sem procedência garantida, porém sujeita à fiscalização da Receita Federal que pode apreender e destruir essas mercadorias pirateadas. A meu ver esse comércio só vai ter solução quando for instituído o certificado de qualidade, sobre esses produtos ópticos. Terminada a entrevista o Deputado João Caramez encerrou com as seguintes palavras: Em primeiro lugar quero agradecer a oportunidade de estar, mais uma vez, ao lado daqueles que defen-

dem o setor óptico e os profissionais que atuam na área. Conhecemos de perto o trabalho desenvolvido pelo Sindióptica que, graças à atuação dinâmica e competente do Sr. Akira, foi o primeiro a nos procurar para expor as dificuldades e as necessidades do setor. E o meu

recado aos ópticos é que estamos juntos nessa luta. Vamos continuar nos empenhando para que o consumidor possa ter o produto de qualidade e a devida assistência de um profissional habilitado, pois só assim podemos falar em proteção à saúde visual.

Sr. Akira durante expõe os problemas do ramo óptico ao Deputado João Caramez

Aprender sem medo Uma campanha que terá início neste ano, num esforço global para acabar com a violência no meio escolar. Entre as principais ações está o desenvolvimento de oficinas em escolas-piloto para estimular nos alunos, princípios de cidadania. Na opinião de professores entrevistados os fatores que mais contribuem para agressividade e evasão dos alunos são: a dissociação entre

pais e mestres, a desigualdade social, a crise familiar, a televisão obcena e a Internet corrosiva. Está mais do que na hora de tomarmos resoluções na tentativa de resguardar o futuro. “Não dá para esperar que o vizinho faça sua parte. A responsabilidade é de todos nós” Senador Romeu Tuma

Cur sos e Seminár ios Cursos Seminários Visando atualização e aperfeiçoamento profissional dos nossos ópticos o Sindióptica/SP promoverá, neste ano, cursos e seminários, gratuitos utilizando a disponibilidade de espaços das Escolas Senac e ainda de nossa sede. Fiquem atentos Inscrevam-se! Acesse o nosso site e vejam as nossas programações www.sindioptica-sp.com.br 4

bis 43.pmd

4

11/05/2009, 16:51


Sindióptica de São Paulo sedia Reunião Nacional No dia 03/04/2009 por ocasião da Feira-Óptica em São Paulo reuniram-se na sede do Sindióptica/SP os Presidentes das Sindiópticas dos seguintes estados Sr.Akira Kido – Presidente do Sindioptica/SP; Sr. Luis Alberto Perez Alves – Diretor do Sindióptica/SP; Sr. Leandro Luiz Fleury Rosa – Presidente do Sindióptica/GO; Sr. André Roncatto – Presidente Sindióptica/RS; Sr. José Bezerra da Silva – Presidente Sindióptica/CE; Sr. Hamilton César Junqueira Guimarães – Presidente Sindióptica/ DF; Sr. Juarez Gonçalves da Hora – Presidente Sindióptica/BA. Para debater assuntos de vital importância para o segmento óptico varejista foram acertadas estratégias em relação as ações desenvolvidas regionalmente pelos Sindiópticas sobre óculos de sol sua regulamentação de vendas fora da óptica e sua proibição nas bancas de camelôs também foram debatidos acertos quanto ao Manual de Boas Práticas em adaptação de Lentes de Contato a ser editado pela CBÓptica/CNC.

Cartões de crédito O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, mostrou-se indignado com a informação dada por Claudio Conz, Presidente da Anamaco (Associação dos Comerciantes de Material de Construção) de que as operadoras de cartões de crédito aumentaram de 2,8% para 3,6% a taxa de administração cobrada sobre as operações de cartões de crédito nos últimos 20 dias. As duas grandes operadoras, Redecard e a Visanet negaram tal reajuste à equipe do Jornal Folha. Devemos ficar atentos a essas taxas, a Fecomércio através de seu Presidente, vem lutando para que o pequeno e micro varejo tenham taxas menores, pois esse privilégio no momento é apenas para os grandes. Fonte: Folha de São Paulo 09/04/09 http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/ MostraMateria.asp?page=&cod=544501

Aumento no prazo para pagamento de tributos Mais uma conquista da FECOMERCIO. As micro e pequenas empresas que fazem parte do Simples Nacional vão ter um prazo maior para o pagamento mensal dos tributos incluídos no programa. Atualmente, o pagamento é feito no último dia útil da primeira quinzena do mês seguinte. Agora, passará a ser feito no dia 20 ou no primeiro dia útil seguinte. A medida já passa a valer para o próximo vencimento. O recolhimento de tributos relativos aos fatores geradores ocorridos em março será no dia 20 de abril. Fonte: Inf. no 73 01/04/09 FECOMÉRCIO

Sindicato específico x eclético À luz da Constituição Federal Art.8º, inciso II o enquadramento sindical deve ser feito por categoria – profissional ou econômica – observando o Quadro de Atividades e Profissões a que se refere o art. 577 da CLT no qual as atividades estão distribuídas por diversos grupos. O que define o enquadramento sindical é a atividade preponderante da Empresa nos termos do art. 58l parágrafo 2º da CLT. Pela legislação vigente a regra para a contribuição de um Sindicato é a especificidade da categoria. O sindicalismo empresarial nasce da solidariedade de interesses econômicos dos que empreendem atividades idênticas, semelhantes ou conexas, diz o art.511 § 1º da CLT. Considerando-se que a atividade preponderante de uma Empresa é a comercialização de material óptico, essa Empresa deve ser enquadrada na categoria econômica “Comércio Varejista de Material Óptico Fotográfico e Cinematográfico” do 2º grupo “Comércio Varejista” do plano da CNC – considerando a prevalência da Entidade Estadual Específica, em detrimento da Entidade Municipal Eclética. 5

bis 43.pmd

5

11/05/2009, 16:51


Pr amação - ÓPTIC A SEN AC Proogr gramação ÓPTICA SENA Maio / Junho • Oficina de Lensometria - Duração: 8 horas Turma I – 9/5 - sábado das 8h30 às 17h30 Turma II – 27/6 - sábado das 8h30 às 17h30

• Vitrinismo Aplicado à Loja de Óptica Duração: 21 horas 20/6 a 4/7 - sábado das 9 às 17 horas

•Técnicas de Vendas Módulo I Conhecimentos Básicos em Óptica Duração: 16 horas 23 e 30/5 - sábado das 8h30 às 17h30

• Técnicas de Vendas Módulo III Consultor Óptico - Duração: 16 horas 20 e 27/6 - sábado das 8h30 às 17h30

•Técnicas de Vendas Módulo II Vendas Técnicas em Óptica - Duração: 16 horas 15/6 a 16/6 - de 2ª a 6ª das 19 às 22h15

• Técnico em Óptica - Período Vespertino Duração: 1.200 horas (aproximadamente 18 meses) Matrículas Abertas Início – 4/5 2ª a 6ª das 13h30 às 17h30

INFORMAÇÕES e INSCRIÇÕES: Senac Tiradentes - Av. Tiradentes, 822 - Luz - São Paulo-SP (próximo ao metrô Tiradentes) - Tel.(11) 3336.2000 e-mail: tiradentes@sp.senac.br - www.sp.senac.br/tiradentes

01 02 04 05 08 15 15 15 17 17 18 19 20 29 30 31 31

MARÇO

ABRIL

-

01 03 06 06 08 08 13 15 15 16 17 21 29 30

ELZA TOMIE IDERIHA CIRO CHERUBIM DEJANIR TIAGO MAIA KARLA REGINA CANTISANI ROUSSEAU OSWALDO COSTA FILHO DENISE NAMUR JOSÉ ERASMO PEREIRA PEIXOTO FLAVIO ROSSI DE ASSUMPÇÃO SUSSUMO NAKAMURA ELCIO MITANI RAQUEL R.M.MITANI JOSÉ BAFFI LEILA GARCIA ANGELINA G.AZEVEDO OZIAS BUENO CIRO MARTINS MOREIRA ESTER LEAL DAS NEVEZ GUIARO

-

ANA PAULA ROSALES TEIXEIRA CARLOS JOSÉ DE O.SOARES RUBENS GOMES CAMACHO BENEDITO REGINALDO MANFREDINI CARMEN SILVA G.V.DOMINGUES DIONISIO FERNANDES LUCAREZI APARECIDA RUGANI SILVA GILSON SADAO KANAZAWA CELSO MINORU IDERIHA MARIA RITA DE ABREU ROSSI ROSANGELA DE FÁTIMA MURER IZEPOM MARIA BERNADETE OLIVEIRA RAMOS EDISON KEN-ITI ARAHAWA MARCO AURÉLIO P.DOMINGUES

6

bis 43.pmd

6

11/05/2009, 16:51


Vamos vender melhor Estudos realizados pelo SEBRAE apontam a falta de Marketing como uma das principais causas de mortalidade das pequenas empresas. Mas afinal o que é marketing? É a atividade que envolve relações de troca entre produtos e mercado, conquistando e mantendo clientes. As lojas de óptica, normalmente multimarcas em relação ao produto, diferenciam-se pouco entre si (quando a analisamos dentro de um mesmo segmento de mercado), então temos que ter a competência de criar diferenciais competitivos e mostrar através de seus funcionários e instalações, evidências concretas e objetivas de nossos pontos fortes, competência e valores, de modo a construirmos um relacionamento saudável e duradouro com nossos clientes. O treinamento é a condição primordial em nosso negócio. O produto é avaliado pelo serviço que ele presta, e não por suas características físicas.

Correção visual, uma decisão de alto retorno Regras para seu negócio de óptica. 1- Conheça seu cliente; 2- Focalize sua loja para a especialidade; 3- Ofereça produtos de qualidade e valor agregado; 4- Explique o custo/beneficio; 5- Reforce as vantagens/benefícios (faça demonstrações); 6- Atualize-se sempre.

Seja um profissional da visão Realize a anamnese de seu cliente: • Procurando saber sua real motivação para o uso de óculos; • Seu sucesso ou não, com óculos anteriores; • Suas necessidades profissionais;

• Seu lazer; • Seu estilo de vida. Desta forma você estará municiado de informações úteis para realizar a satisfação de seus clientes.

Identificando pontos de qualidade • É muito difícil ao cliente julgar a qualidade do nosso produto ou serviço; • Ao escolher um profissional da visão; inconscientemente o cliente vira detetive em busca de evidências de competência, atenção e integridade. Pistas dessas evidências: • Maneira de contratar e treinar equipe. • Arquitetura de suas instalações. • Forma de cuidar do cliente. • Mostrar aos clientes evidências concretas e convincentes de seus pontos fortes e de seus valores. Gerenciamento de evidências: • O tratamento oferecido pelo profissional da visão e sua empresa deve ser em função do cliente e não da agenda da empresa. • Ex: “Meu óptico liga para minha casa para saber como estou com meus novos óculos multifocais.” O produto armação é tangível, pode ser visto, tocado, medido. No caso de óculos (armação + lente) é produto mais serviço, então precisamos cuidar de dois fatores: Imagem e atendimento. Os clientes querem ter experiências agradáveis e exigem ser surpreendidos, para isso precisamos de produtos e serviços fundamentalmente novos. Luis Alberto Perez Alves

Internet: quem não é visto... ajuda o concorrente! O pequeno empresário em geral resiste em investir em publicidade. Compreensível pois a margem de lucro não é tão grande quanto todos gostariam. Porém, num mundo globalizado, quem não investe não aparece. Com a internet, aparecer ficou muito mais acessível. Sua loja está lá? Mesmo um web site simples, se bem elaborado, fará sua empresa ser encontrada por clientes internautas. Alguns cuidados são importantes: - evite páginas coloridas e pulsantes. A usabilidade deve ser considerada na criação.

- conteúdo relevante. Um web site não é um espelho do cartão de visitas. - solicite e cheque referências. - meu sobrinho faz site. Desenvolver um web site é trabalho de Profissionais. Qualquer economia é sempre louvável, mas medidas tomadas sem critério geram resultados desastrosos. Quer maximizar os seus recursos? Contrate profissionais. O resultado é eficaz, os prazos são cumpridos e seu dinheiro estará bem investido. Leia na íntegra www.sindioptica-sp.com.br Luciani Solci contato@tiwaconsultoria.com.br 7

bis 43.pmd

7

11/05/2009, 16:51


A ME ou EPP optante pelo Simples deve recolher a contribuição sindical As micro e pequenas empresas optantes do Simples estão obrigadas a efetuar o recolhimento da contribuição sindical patronal. Com esse entendimento, a Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (TRT/PR), por unanimidade, deu provimento ao recurso ordinário interposto pelo sindicato. Após apresentar um histórico da legislação, assim concluiu “O histórico é necessário para mostrar que o legislador quando pretendeu isentar os optantes do SIMPLES do recolhimento da contribuição sindical o fez de modo expresso como no inc. II, do art. 53, da Lei Complementar 123/ 2006, o qual foi revogado com efeitos retroativos. Logo, a Instrução Normativa n° 608 da SRF, ao instituir isenção não prevista na lei, ultrapassou o seu poder regulamentar e interferiu na organização sindical ao retirar a receita prevista no

art. 8°, inc. IV, da CF/1988 para as entidades sindicais. A contribuição sindical tem natureza tributária, mas o inciso I do art. 8° da CF/ 1988 veda a interferência ou intervenção do Estado na organização sindical. Portanto, a Secretaria da Receita Federal, ao isentar as empresas optantes do SIMPLES da contribuição sindical, não atentou para o fato dessa receita não compor o caixa único da União e, sim, ter destinação específica de manutenção dos sindicatos, tendo a Instrução Normativa interferido na organização sindical com a inviabilização econômica das entidades. Desta forma, as empresas optantes pelo SIMPLES não estão isentas do pagamento da contribuição sindical. (TRT9, 1ª TURMA, PROC. 06141.2007.021.09.00.2, ACORDÃO 25212/2008, REL. DES. EDMILSON DE LIMA, J. 01/07/2008, DJ 15/07/2008)

Para superar a crise: diversificação de produtos O Senhor Akira Kido, Presidente do Sindióptica/SP estava presente à reunião plenária da Fecomércio do dia 28/04/ 2009 que contou com as participações dos Senhores Fiori Mangone Diretor de vendas de serviços da Nokia Brasil e Marco Amaro, Presidente da Amaro Participações. O Senhor Mangone destacou o serviço de mensagem de texto por celular o SMS como ferramenta para aumentar produtividade no varejo. Também que as pessoas estão mudando

seus hábitos em função de celular que está nas mãos de 4 bilhões de pessoas no mundo. Para Marco Amaro (que também é acionista da TAM) o setor óptico brasileiro precisa de diversificação de produtos com qualidade. Foi uma palestra muito proveitosa com citações bastante pertinentes e interessantes para o ramo óptico e que muito elucidaram nas possibilidades de gestão de negócios.

CBÓptica fortalece parcerias em reunião no RJ Durante encontro no último dia 4/3, a Câmara Brasileira do Comércio de Produtos e Serviços Ópticos (CBÓPTICA) fortaleceu parcerias para o aprimoramento do campo de lentes de contato no Brasil. Os representantes da Câmara debateram a possibilidade da realização de cursos pós-técnicos nesta área específica, contando com o apoio do Senac e da International Association of Contact Lens Educators (IACLE). “Sentimos a demanda e o crescimento no ramo de lentes de contato diáriamente. Estruturar novos meios de capacitação trará benefícios tanto ao varejo quanto aos consumidores”, disse André Roncatto, vice-coordenador da CBÓPTICA.Além

dos membros da Câmara, estavam presentes no encontro os senhores Guillermo Carrillo Ori Huela, coordenador da IACLE na América Latina, e Sidney Cunha, Diretor Geral do Senac. O Presidente da CNC, Antonio de Oliveira, que participou de parte da reunião, será homenageado pelo grupo, pelo apoio dado ao setor a partir da criação da CBÓPTICA, com a criação de um prêmio que levará seu nome

8

bis 43.pmd

8

11/05/2009, 16:52


BIS nº 43 l SINDIÓPTICA-SP