Issuu on Google+

Espaço

Ano 7 - Nº 40 | Maio / Junho - 2013

SINDIMETAL promove ações em prol do meio ambiente Página 09

05 Movimento FIERGS

08 SIPAT Comunitária Novo Hamburgo

10 10º Encontro de Negócios

16 INDFEMA na VITRINE

Ano internacional da água

www.sindimetalrs.org.br


Ponto de Vista

QUAL O NOSSO Pedro Vicente Isquierdo Gonçales Vice-Presidente

E

stamos num momento que requer

PAPEL? minimizem os impactos governamentais.

longe”.

muita “Atenção!”. O panorama não

O SINDIMENTAL, por exemplo,

Além do associativismo, também

é dos mais favoráveis. Os estoques

tem criado comitês, que facilitam o acesso

podemos encontrar respostas através da

tanto na indústria, quanto no comércio

de empresários ao mercado, às novas

educação, em todos os níveis. Sabemos

serão renovados e a instabilidade do dólar

tecnologias, ao meio corporativo ligado a

que o sistema educacional não acompa-

afetará os preços, agravando ainda mais o

economia, marketing, legislação, comércio

nhou como deveria a evolução e as exi-

fantasma da inflação. Unindo a falta de

exterior e gestão de pessoas, entre outras

gências do mercado. Existem vagas para

infraestrutura, a esse pacote de aconteci-

tantas possibilidades. Novas lideranças são

profissionais de diferentes segmentos e

mentos, a perda de competitividade deve-

incentivadas a fortalecer a sua conduta e a

poucas pessoas, com conhecimento espe-

rá aumentar. Possivelmente, as vendas

encontrar um “norte”. Profissionais da área

cífico, para ocupar estas oportunidades e

serão menores. Conforme opinião de

de recursos humanos podem reciclar a sua

assim reduzir o gargalo de anos sem inves-

grandes economistas, como Delfim e Car-

atuação, quebrando paradigmas. Empre-

timentos no ensino técnico. Agora, corre-

los Bresser, o dólar deveria estar entre

sas que nunca exportaram já começam a

mos atrás do prejuízo, tentando adequar a

R$2,80 e R$2,90.

sonhar com este mercado. Tudo isto com

oferta com a demanda do mercado de

apoio de entidades fortes e bem orienta-

trabalho.

Contudo, ficar a mercê deste ciclo, que se repete de tempos em tempos, não

das, focadas no seu time de empreende-

é a melhor alternativa. Portanto, vamos

dores.

Estamos diante de um novo tempo, onde os sindicatos patronais passam a

continuar parados, somente observando?

É com satisfação que acompanho o

exercer seu papel de fomentar o desenvol-

Existem alternativas? Encontrar respostas

crescimento de algumas empresas, que

vimento, com melhorias contínuas, repen-

para essas perguntas é fundamental, pois

chegaram tímidas ao mercado e agora

sando o modelo tradicional. O novo sindi-

as dificuldades são visíveis em diferentes

estão firmes e fortes, desafiando os limites

cato deve operar como indutor do cresci-

segmentos.

e buscando capacitação para as suas equi-

mento do setor, buscando permanente-

A máxima de que na crise, se cria,

pes. Participam de palestras, cursos, mis-

mente desenvolver novas tecnologias,

deve ser um bálsamo para as empresas.

sões empresariais e visitas técnicas, sem

além de inovar os processos de gestão e

Entretanto, não podemos esquecer que

esquecer as exposições que, com o apoio

incentivar a busca permanente pela edu-

esta é uma tarefa de todos os níveis da

dos seus sindicatos, levam produtos e

cação.

sociedade, seja na busca por menores

serviços variados para outras cidades e

impostos, seja a partir de ações simples,

Estados brasileiros.

Enfim, penso que cada um deve cumprir o seu papel na sociedade. O

Quem participa de um sindicato

governo deve suprir as áreas de saúde,

tem acesso a uma intensa agenda de even-

segurança e educação. As entidades

Algumas dessas respostas podem

tos, criados com o objetivo de discutir a

necessitam fazer a ligação entre as lideran-

ser encontradas através das entidades de

conjuntura e as principais tendências do

ças e o governo. Os empresários devem

classe, como Federações de indústrias e

mercado. Com o networking, a sua rede de

preparar suas equipes para as adversida-

sindicatos patronais, que podem e devem

contatos com interesses comuns e infor-

des, tendo o suporte do sindicato patronal

onde o consumidor apenas exerce os seus direitos.

servir como fomentadores da economia,

mações relevantes fica ampliada e ganha

e as melhores práticas de administração. E,

argumentando com o governo, mostran-

rapidamente novos acessos. Seguramente

quanto ao cidadão, temos visto nos últi-

do os impactos que as ações ou a falta

um dos principais benefícios também é a

mos dias, que ele está fazendo a sua parte,

delas causa nas empresas. Os sindicatos

troca de experiências e o fortalecimento

deixando claro para todos que não anda

devem orientar e trabalhar junto com os

da categoria tendo como ideia principal a

satisfeito com o que vem acontecendo

empresários na busca por soluções, que

expressão “juntos é possível chegar mais

neste País.

2

Espaço SINDIMETAL | Nº40


Editorial

Chegamos a 40ª edição!

O

ESPAÇO SINDIMETAL está presente bimestralmente entre os associados e filiados há 40 edições. O primeiro informativo circulou no final de 2006, com o objetivo de dar mais transparência às ações e projetos em andamento na entidade. Sempre buscando interagir com o seu público alvo, este veículo de comunicação continua cumprindo importante papel de informar e registrar a história do SINDIMETAL. Como o próprio nome diz, este é um espaço para divulgar as boas práticas e valorizar o

D iretoria

time de empreendedores, que constitui esta valorosa entidade, que reúne 1388 filiados, sendo 172 associados, numa base territorial composta por 35 municípios. Ao chegarmos à edição nº 40 mantemos o compromisso de fortalecer o elo entre a entidade e as empresas dos diversos segmentos que representamos, divulgando o trabalho que vem sendo realizado pelo sindicato e, ao mesmo tempo, promovendo as associadas e filiadas através da socialização das suas conquistas.

| Gestão 2013 - 2015

Q u e o i n f o r m a t i v o E S PA Ç O SINDIMETAL tem sido vital para a interlocução do sindicato com as empresas é fato, evidenciado inclusive na pesquisa de satisfação realizada recentemente. Desejamos então, além de agradecer a parceria e o apoio, seguir cumprindo o nosso papel, contribuindo para que a entidade encontre eco junto à categoria econômica.

Boa leitura e até a edição nº 41!

ova Associada

N

A

empresa Exatadez Metalúrgica Ltda., de São Leopoldo passou a integrar o grupo das associadas do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico e Eletrônico de São Leopoldo. Bem-vinda ao SINDIMETAL!

PRESIDENTE Raul Heller VICE – PRESIDENTES Arno Tomasini Celso Luiz Rodrigues Marcelo Fleck Norberto Cossio Dias Pedro Vicente Isquierdo Gonçales Roberto Dauber SECRETÁRIO Marcelo Mariani TESOUREIRO Sérgio de Bortoli Galera DIRETORES Ademir Luiz Costella Christine Lange Daniel Weber Brun Darlan Geremia Emílio Neuri Haag Gilmar Antônio Rabaioli José Eduardo Moraes Leonardo Pedroso Filho Paulo Roberto Jacobsen Pedro Paulo Lamberty Roberto Alexandre Schroer Ronei Feltes Silvino Geremia Valdir Luiz Huning Vitor Fabiano Ledur CONSELHO FISCAL TITULARES Luiz Antônio Gonçalves Marcelino Leopoldo Barth Roberto Petroll SUPLENTES David Florindo Cardoso Ramon Ariel Bonilla Cabrera Ruben Antônio Duarte

DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À FIERGS TITULARES Raul Heller Marcelo Fleck SUPLENTES Celso Luiz Rodrigues Norberto Cossio Dias DELEGADOS REPRESENTANTES Sapucaia do Sul/Esteio Ademir Luiz Costella Sapiranga Emílio Neuri Haag São Sebastião do Caí/Montenegro Vitor Fabiano Ledur Estância Velha/Dois Irmãos/Ivoti Marcelino Leopoldo Barth Morro Reuter Ronei Feltes Vale Real Roberto Petroll COMITÊS Desenvolvimento de Lideranças Sofia Copé Heller Michel MetalValley Darlan Geremia Recursos Humanos Heloisa Gaelzer Müller Saúde, Segurança e Meio Ambiente Ana Cristina Curia Valemetalsinos Marcelo Mariani

E E xpediente Diretor Executivo: Valmir Pizzutti Redação: Jornalista Neusa Medeiros (Mtb 5062) Criação e arte: Claudionor Oliveira Gomes Junior Relacionamento institucional - Andrea Maganha Informativo bimestral Tiragem: 1750 exemplares Circulação: gratuita e dirigida Fotos: divulgação Edição e Produção: Edição 3 Comunicação Empresarial Ltda. Gráfica: Impressos Portão Ltda. Endereço Rua José Bonifácio, nº 204 - 5º andar- Centro das Indústrias São Leopoldo/RS - Fone (51) 3590.7707 relacionamento@sindimetalrs.org.br www.sindimetalrs.org.br Frases do rodapé: Programa Nas Ondas do Ambiente Os trabalhos assinados são de responsabilidade de seus autores.

100% OS EM

PAPEL

ADO NO

PRESS

DOS IM

FABRIC

BRASIL PROVÊ

LORES M DE F

PLAN

TA S

TA D A

S

O PAPEL DESTE INFORMATIVO É PROVENIENTE DE ÁRVORES DE FLORESTAMENTO.

AME • PRESERVE • RECICLE

"Preservar as matas ciliares é garantir a existência dos rios".

Nº40 | Espaço SINDIMETAL

3


Institucional

RESULTADOS DA

Pesquisa de Satisfação

E

ncerrada em abril, a pesquisa de satisfação, realizada pelo SINDIMETAL, apontou resultados positivos sobre o relacionamento das empresas associadas com a entidade, tendo um expressivo retorno de 37,79%. Estes resultados somam ao trabalho que vem sendo realizado pelo sindicato, uma vez que fortalecem o vínculo associativo. Os associados apontaram uma maior satisfação no que tange ao local onde são realizadas as atividades; os veículos de divulgação utilizados para propagar as ações, bem como a qualidade dos serviços prestados, destacando-se as

assessorias jurídicas Trabalhista e Tributária. Já a ação exposição em feiras foi a que apresentou maior índice de satisfação, mostrando que o SINDIMETAL vem proporcionando boas oportunidades para as empresas ofertarem seus produtos e ser viços, em diversos ambientes de negociação. Quanto aos meios de comunicação utilizados, a entidade vem atuando de forma assertiva, pois as empresas mostraram-se satisfeitas com a divulgação. As melhores avaliações foram atribuídas ao e - m a i l e a o i n f o r m a t i v o E S PA Ç O SINDIMETAL. A atuação da equipe de

trabalho também apresentou destaque na avaliação das empresas, com um alto nível de satisfação, principalmente quanto à cordialidade com relação ao atendimento. Entre as sugestões, as empresas mencionaram a importância da realização de mais capacitações e palestras, bem como a busca de parcerias junto às diversas entidades, promovendo sempre, o desenvolvimento das categorias metalmecânica e eletroeletrônica. O próximo passo será a avaliação das sugestões e necessidades indicadas, a fim de que sejam verificados possíveis encaminhamentos.

SINDIMETAL REÚNE PRESIDENTES DOS

Conselhos Consultivos SESI e SENAI

C

om a presença de empresários, coordenado pelo presidente do SINDIMETAL, Raul Heller, teve lugar, no Centro as Indústrias, dia 29 de maio, a segunda reunião dos presidentes dos Conselhos Consultivos do SESI e SENAI em 2013. Na pauta do encontro, troca de informações sobre os Conselhos das Escolas e CATs da região. Um assunto que tem merecido destaque é a necessidade de atrair mais jovens para a indústria, com mão de obra qualificada e interessada num

permanente aprimoramento profissional. “A troca de informações entre os par ticipantes destes encontros, que ocorrem a cada dois meses, bem como o levantamento de demandas e o alinhamento de ações em benefício das empresas e dos seus colaboradores, têm contribuído e f a v o re c i d o u m a s i n e rg i a e n t re o s Conselhos”, avalia o diretor Executivo do SINDIMETAL, Valmir Pizzutti. A próxima reunião dos presidentes dos Conselhos Consultivos do SESI e SENAI está prevista para o dia 31 de julho.

Reunião com os presidentes dos Conselhos Consultivos

Serviço oferecido pelo SINDIMETAL

PERÍCIA EM CÁLCULOS TRABALHISTAS

A

empresa AMS – Perícias Contábeis Ltda., sob a direção da contadora Ana Maria Strack presta serviços às empresas associadas ao SINDIMETAL, de segunda a sexta-feira, em horário comercial. A assessoria auxilia as associadas, sem ônus, na elaboração de cálculos, nas

4

Espaço SINDIMETAL | Nº40

liquidações dos processos trabalhistas, além da retificação e revisão de cálculos. O escritório está localizado no Centro das Indústrias, rua José Bonifácio, nº 204, 10º andar, em São Leopoldo. Mais informações poderão ser obtidas através do telefone 3590-7780. Contadora Ana Maria Strack


FIERGS

FIERGS e AEB divulgam manifesto para

a “reindustrialização” das exportações Entidades solicitam uma força-tarefa envolvendo o governo federal

A

produtos manufaturados vêm perdendo espaço no mercado, sobretudo em função do acirramento da concorrência decorrente da crise internacional. Entendemos que esse é um problema significativo e que requer atenção especial por parte do poder público”, afirmou o presidente da FIERGS, Heitor José Müller. O manifesto solicita a urgente constituição de uma força-tarefa, reunindo o governo federal e as entidades privadas, para aumentar a participação de produtos manufaturados na pauta das exportações do País e, assim, alinhar a trajetória nacional com as principais economias mundiais. O texto também salienta que apesar do Brasil

redução da participação industrial na pauta exportadora nacional, que alcançava 59% em 2000 e recuou para apenas 37% em 2012, e a consequente queda de 10% no número de empresas voltadas ao comércio exterior, levaram a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul e a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) a fazer um manifesto conjunto dia 06 de junho, sobre a necessidade de “reindustrialização” das exportações do Brasil. "Ao longo dos últimos anos, perdemos uma importante janela de oportunidade para tornar o processo de exportação menos burocrático e oneroso. Como resultado, nossos

ter o sétimo Produto Interno Bruto (PIB) mundial, ocupa a 22ª posição no ranking dos exportadores. A FIERGS e AEB argumentam que “em vez de gerarmos empregos nos outros países, precisamos de uma agenda de impacto para introduzir a reindustrialização das exportações de manufaturados como fator de alavancagem rápida do desenvolvimento brasileiro a curto prazo, beneficiando toda a sociedade”. E lembram que, nos últimos 12 anos, ocorreu uma elevação acima de 50% das empresas importadoras, que passaram de 28.300 para 42.500, representando mais que o dobro das exportadoras.

Manifesto na íntegra

É URGENTE A “REINDUSTRIALIZAÇÃO” DAS EXPORTAÇÕES DO BRASIL

A

associação de Comércio Exterior do Brasil - AEB - e a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul - FIERGS - alertam, através deste manifesto conjunto, para a inadiável e urgente constituição de uma força-tarefa reunindo Governo Federal e entidades privadas, visando aumentar a participação de produtos manufaturados na pauta das exportações do País e, assim, alinhar a trajetória nacional com as principais economias mundiais. É evidente que o Brasil está se distanciando das grandes potências globais, especialmente no que se refere ao modelo expor tador. Ainda que detenha o sétimo PIB mundial, o País ocupa apenas a 22ª posição no ranking dos exportadores (2012). Os 14 maiores

expor tadores mundiais são países primordialmente vendedores de manufaturados, e o Brasil, infelizmente, não está nesse grupo. Até quando será possível manter o atual parque fabril, resistir ao acirramento da concorrência mundial e ao alarmante crescimento das importações estimuladas pela sobre valorização do Real? Torna-se urgente reconhecer a ameaça do modelo atual que, levado às últimas consequências, reduzirá drasticamente o número de consumidores brasileiros, porque estarão desempregados. Não há mais tempo a perder. É hora de corrigir a redução contínua da participação industrial na pauta exportadora, que alcançava 59% em 2000 e caiu

para apenas 37% em 2012. Como reflexo, a quantidade de empresas exportadoras diminuiu 10% no mesmo período, em contrapartida à elevação acima de 50% das empresas importadoras, que passaram de 28.300 para 42.500, representando mais que o dobro das exportadoras. Acreditamos que a conhecida agenda estrutural e de longo prazo do País está sendo debatida e considerada. Porém, em vez de gerarmos empregos nos outros países, precisamos de uma agenda de impacto para introduzir a reindustrialização das exportações de manufaturados como fator de alavancagem rápida do desenvolvimento brasileiro a curto prazo, beneficiando toda a sociedade.

"Defender a água é valorizar a vida".

Brasil, 06 de junho de 2013. Nº40 | Espaço SINDIMETAL

5


Comitês

MEETING GESTÃO DE PESSOAS

MOVIMENTOU O CENTRO DAS INDÚSTRIAS

Professor Gretz sinalizou caminhos para o sucesso profissional

N

o dia 08 de maio, pela manhã, t e v e l u g a r, n o C e n t ro d a s Indústrias, em São Leopoldo, o Meeting Gestão de Pessoas. A promoção do SINDIMETAL, através do seu comitê de Recursos Humanos, em parceria com o IEL/ FIERGS reuniu diretores, executivos e profissionais, atuantes na área de gestão de pessoas, das empresas associadas e filiadas. O encontro, que iniciou com a saudação do diretor Executivo do SINDIMETAL, Valmir Pizzutti, contou com aproximadamente 150 pessoas, inscritas antecipadamente, representando mais de 60 empresas da região. O tema Mudança: o único paradigma permanente em nossos dias foi abordado pelo professor Gretz, formado em História e Administração de Empresas. Conferencista reconhecido em todo o Brasil, Gretz ministrou, nos últimos 30 anos, mais de cinco mil palestras, sendo autor de 13 livros sobre produtividade, excelência de

serviços e qualidade de vida. Durante a sua carreira já exerceu cargos de liderança e assessorou empresas em programas motivacionais para a qualidade. “Devemos ser estrategistas e trabalhar com entusiasmo e energia”, afirma o professor Gretz. “Penso que quando alguém, não produz adequadamente a culpa é do gestor, que não sinalizou as possibilidades concretas de melhoria, bem antes da demissão”, enfatiza o palestrante. “Já a qualidade é transparente, por esta razão elogiamos tão pouco e, em geral em particular, enquanto que as críticas muitas vezes são em público”, afirma. “Está totalmente errado, pois o reconhecimento, em todas as atividades é fundamental”, justifica. Para Gretz “sábio é quem dá valor ao que tem, antes de perder”, por esta razão, destacou, é indiscutível a importância da atividade física, em todas as idades, bem como de uma boa alimentação. “Os

bons hábitos vão auxiliar inclusive na tomada de decisões, pois o risco de errarmos aumenta muito quando estamos cansados e mal alimentados”, afirma. “Trabalhe motivado dentro da sua zona de força, investindo nos seus talentos pessoais e terceirizando onde for mais fraco”. E lembra: “somos contratados pelas qualidades e vamos permanecer na empresa pelas nossas atitudes”. Ao finalizar o evento, a coordenadora do comitê de Recursos Humanos, do SINDIMETAL, Heloisa Gaelzer Müller agradeceu aos parceiros e colaboradores e convidou para o próximo Meeting Gestão de Pessoas, que ocorrerá no mês de novembro e contará com a presença do conferencista e professor Gustavo Martins, que abordará O oceano azul.

Na visão da coordenadora HELOÍSA GAELZER MÜLLER

A

coordenação do comitê de Recursos Humanos, do SINDIMETAL, está a cargo da psicóloga Heloísa Gaelzer Müller. Conheça o trabalho que vem sendo realizado e os projetos futuros. Informações: 3590-7710 1 - Perfil das empresas, que integram o comitê de RH. Integram o comitê de RH empresas de médio e grande porte, associadas ao SINDIMETAL e que têm uma área de RH que participa e trabalha voltada aos objetivos estratégicos da organização. 2 - Quais as atividades que são pertinentes ao comitê? O comitê de RH tem como orientação o desdobramento do planejamento estratégico do SINDIMETAL no que se refere à gestão de pessoas, seguindo sua própria missão, visão e valores. São ações que visam à busca das

6

Espaço SINDIMETAL | Nº40

melhores práticas em gestão de pessoas, compartilhando ferramentas e conhecimento com os demais comitês e empresas associadas ao SINDIMETAL. 3 - Que iniciativas têm sido mais relevantes para o fortalecimento do comitê de RH? O comitê de R H tem trazido palestras semestrais de gestão de pessoas, abertas aos associados do SINDIMETAL e também promovido ações de benchmarking, visitando empresas com programas inovadores nas áreas de desenvolvimento, remuneração e benefícios aos colaboradores. Temos também trabalhado com pesquisas e troca de informações relativas aos diversos processos que envolvem a gestão de RH, além de procurar uma integração com as entidades que promovem ensino e qualidade de vida aos funcionários das empresas (Universidades, SENAI, SESI, IEL). A questão legal, que suporta as

atividades do R H, Heloísa Gaelzer Müller também tem seu destaque através do apoio jurídico de Garcez Advogados, presente em todas as reuniões do Comitê. 4 - Ações e projetos previstos. No segundo semestre de 2013 temos duas visitas agendadas em empresas de expressão no RS, uma palestra de gestão voltada a RHs e diretores, gerentes e supervisores de empresas, além de trabalhos na área de visão sistêmica de processos de RH e Ética Profissional. 5 - Receita para manter o grupo focado nos objetivos propostos. Trabalhar com gestores de RH que atuem estrategicamente em suas organizações, comprometidos com o autodesenvolvimento e com o crescimento de suas empresas e motivados em compartilhar conhecimento.


Comitês

AGENDA DO COMITÊ

DE RECURSOS HUMANOS Visita à empresa Marelli

E

Comitê de RH na Marelli

I

ntegrantes do comitê de RH e demais convidados estiveram realizando uma visita técnica à indústria de móveis Marelli – Ambientes Racionais, em Caxias do Sul, no dia 14 de junho. Na ocasião, os participantes tiveram oportunidade de conhecer algumas práticas de gestão de RH, além do processo de industrialização da empresa.

Mudanças

O

MetalValley, coordenado pelo diretor do SINDI-METAL, Darlan Geremia a partir deste mês, passa a operacionalizar como um Portal de Negócios, vinculado ao site do SINDIMETAL. A ferramenta digital é disponibilizada para as empresas associadas. As reuniões periódicas foram substituídas por encontros com o objetivo de reunir os usuários do portal para propor novas iniciativas

visando o desenvolvimento desta ferramenta digital. Também serão priorizadas ações para capacitar empresas e melhorar a utilização do serviço oportunizado através do SINDIMETAL.

www.metalvalley.com.br

Pesquisa de salários e benefícios

stá sendo negociado com a empresa Fioravanzo a realização de uma pesquisa de salários e benefícios, oportunidade que será estendida para pequenas, médias e grandes empresas associadas. A pesquisa será aberta e, dependendo das informações, poderá ser separada por ramo de atividades. Todas as empresas que participarem da pesquisa terão

acesso às informações, que não serão comercializadas. Ainda estão sendo negociados os valores para participação por empresa, a formatação e o prazo de realização da pesquisa. As empresas associadas interessadas em par ticipar poderão solicitar informações pelo e-mail secretarioexecutivo@sindimetalrs.org.br ou através do telefone 3590.7710.

Pauta do

Valemetalsinos

Comitê Metalmecânico

O

s empresários do comitê Valemetalsinos visitaram o Laboratório de Metalurgia Física (LAMEF), na UFRGS, no dia 23 de abril. A iniciativa integra o planejamento do comitê e visa ampliar o conhecimento na área de projetos inovadores e melhorias nos processos e produtos das empresas. *No dia 21 de maio, ocorreu a visita ao Instituto Tecnológico em Ensaios e Segurança Funcional (IT T-FUSE), da Unisinos. Na oportunidade os

integrantes do Valemetalsinos conheceram o laboratório metalúrgico para testes e a n á l i s e s d e p ro d u t o s e processos. A iniciativa contribuiu para fortalecer o conhecimento sobre novas possibilidades de trabalho. *O Valemetalsinos, no dia 28 de agosto, estará visitando os Laboratórios Especializados em Eletroeletrônica (L ABELO), da PUC, onde também estarão conhecendo os recursos oferecidos às empresas.

Projetos para Captação de Recursos

T

eve início, no dia 21 de maio, a capacitação em Projetos para Captação de Recursos, que conta com a participação de 10 empresas associadas ao SINDIMETAL. O trabalho está sendo desenvolvido pela empresa Adamski Captação de Recursos. A capacitação visa nos próximos 90 dias preparar as empresas e as equipes para elaboração de projetos e levantamen-

to de documentação que possibilite aprender a identificar, montar, escrever e preparar projetos que visem captar recursos dos órgãos de fomento ao desenvolvimento e modernização das empresas, como FINEP e BNDES, bem como projetos de inovação. Par ticipam desta iniciativa as seguintes empresas: Alu-Cek Indústria e Comércio Ltda., Sapucaia do Sul; CRK

Automação Industrial Ltda., São Leopoldo; Lamaço Artefatos de Aço Ltda., São Leopoldo; Metalúrgica Mariani Ltda., São Leopoldo; Metalúrgica Preciuse Ltda., São Leopoldo; RD-Flex do Brasil Acoplamentos Ltda.,São Leopoldo; Sanlarte Ltda., São Leopoldo; Sebras Indústria e Comércio Ltda., São Leopoldo; Spheric Componentes Ópticos Ltda., Novo Hamburgo; e Wietti Metalúrgica Ltda., Novo Hamburgo.

"O desperdício de água é o grande responsável pela escassez desse recurso".

Nº40 | Espaço SINDIMETAL

7


SIPAT

Segu

ranรง

a

SIPAT 2013

SIP

AT

Trab

alho


Pedro

Luis

Rodrigo

Bauer

Jandir


Jurídico Trabalhista Assessoria Jurídica Trabalhista

Estabilidade da gestante no curso do aviso prévio *Rodolfo Assis Bordinhão OAB/RS 85.811

Em 17 de maio de 2013, foi publicada no Diário Oficial da União, a Lei nº 12.812, de 16 de maio de 2013, que acrescentou o art. 391 - A a CLT, para dispor sobre a estabilidade provisória da gestante: "Art. 391-A. A confirmação do estado de gravidez advindo no curso do contrato de trabalho, ainda que durante o prazo do aviso prévio trabalhado ou indenizado, garante à empregada gestante a estabilidade provisória prevista na alínea b do inciso II do art. 10 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias." A estabilidade provisória da gestante a qual o artigo supracitado faz menção, garante a manutenção no emprego da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até 5 (cinco) meses após o parto. Importante registrar aqui, também, que nos termos da recém-alterada Súmula 244 do TST, é garantido o emprego da gestante, independentemente da modalidade de contrato de trabalho existente, aplicando-se, também, aos contratos por prazo determinado (contrato de experiência, por exemplo). Esta alteração legislativa só veio a consolidar a posição dos tribunais trabalhistas do país, que, em sua maioria, já vinham proferindo decisões nesse sentido. Tal posicionamento decorre da interpretação do art. 487, §1º da CLT, onde assegura que o aviso prévio, ainda que indenizado, integra o tempo de serviço do empregado para todos os efeitos. Assim, entende-se que até o término do período de aviso prévio o contrato de trabalho não se expira. A colaborar com este entendimento, está a Orientação Jurisprudencial 82, da SBDI – I do TST, que prevê que a data de saída a ser anotada na CTPS deve corresponder à do término do prazo do aviso prévio, ainda que indenizado. Ou seja, a condição essencial para que seja assegurada a estabilidade à gestante é que a gravidez tenha ocorrido durante o transcurso do contrato de trabalho, não sendo exigido nem o conhecimento da gravidez. A intenção do legislador ao acrescentar este artigo à CLT, garantindo o emprego da gestante ainda que no curso do aviso prévio, é de garantir a proteção ao recém-nascido, não deixando a mãe sem emprego e, consequentemente, o recém-nascido desamparado nos primeiros meses de vida. Desta forma, nos termos do novo artigo consolidado, se a concepção da gravidez se der durante o curso do aviso prévio, seja ele indenizado ou trabalhado, a empregada terá direito à garantia de emprego prevista no art. 10, “b”, da ADCT, não cabendo alternativa ao empregador, senão reintegrar a empregada ao emprego, ou indenizá-la do período correspondente a estabilidade provisória.

*Advogado da equipe Garcez Advogados Associados. Assessoria Jurídica do SINDIMETAL, na área Trabalhista.

12

Espaço SINDIMETAL | Nº40


Jurídico Tributário

* Carlos Comerlato *Marciano OAB/RSBuffon 18.112 OAB/RS 34.668

Com frequência, os meios de comunicação produzem matérias que visam examinar a questão da tributação e desvendar a “caixa-preta” fiscal. Infelizmente, muitas vezes, essas matérias se alicerçam em dados infundados - fornecidos por conhecidos organismos públicos e privados - e contêm o reprovável sensacionalismo como objetivo subliminar. Se isso serve para chamar atenção sobre esta importante questão, também auxilia para lançar um véu que encobre e torna o sistema tributário mais insano e incompreensível. Não obstante, há de se reconhecer que alguns tributos alcançaram um grau de complexidade que, mesmo com informações tecnicamente confiáveis, não se consegue elucidar seus pontos mais complexos. Com isso, abre-se, por um lado, o indesejável espaço da discricionariedade, do arbítrio e da ilegalidade e, de outro lado, estimula-se condutas que têm por norte a evasão fiscal. A situação é tão esdrúxula que, nos dias atuais, nenhum contribuinte, por mais que aja de uma forma que entenda ser ética é lícita, tem a certeza de não estar cometendo alguma irregularidade. Parece, pois, ser este o caso do ICMS - tão conhecido por todos, mas cada vez mais impossível de se compreender. São tantos os problemas que permeiam o ICMS que, neste pequeno espaço, seria inviável catalogá-los à exaustão. Por isso, faz-se necessário optar pela abordagem daqueles que mais colaboram para que um sentimento de angústia e descrença progressivamente se instale naqueles que diariamente têm a árdua tarefa de compreender, explicar e operacionalizar a incidência deste imposto estadual, sem mencionar aqueles que efetivamente arcam com o ônus de sua cobrança. A questão da denominada “guerra fiscal” ocupa um espaço de destacado neste contexto, pois ela é a origem de uma parcela expressiva dos problemas em questão. É indiscutível que as Unidades da Federação possam adotar políticas públicas para atração de investimentos, com vistas a desenvolver, social e economicamente, seus territórios. Todavia, da forma

Workshop

Tributário

ICMS E SEUS DILEMAS como isto está acontecendo, corre-se o risco de se transformar a já desgastada Federação Brasileira num amontoado de republiquetas, cada qual buscando prosperidade exclusivamente para os seus limites territoriais, como se fosse possível isolar-se da eventual degradação do vizinho. Em vista dessa fratricida guerra travada por todos os Estados da Federação – sem exceção – criam-se situações inconstitucionais, arbitrárias e ilegais e, do lado do contribuinte, estimula-se a evasão fiscal, com todos os ônus dela decorrentes (afronta a livre concorrência, principalmente). O caso mais grave diz respeito à substituição tributária de ICMS que, paulatinamente, vai transformando este imposto em monofásico, cuja incidência concentra-se na saída da mercadoria do estabelecimento industrial. Em face disso, o montante do imposto incidente em determinadas operações (ICMS próprio + ICMS substituição) alcança percentuais confiscatórios e representa para as empresas optantes pelo SUPERSIMPLES valores que às impulsionam à inviabilização. Sem contar o fato que estes valores precisam ser recolhidos aos Cofres Públicos muito antes de os clientes/adquirentes pagarem suas duplicatas. Ainda sobre a substituição tributária de ICMS, é difícil imaginar algo que possa ferir mais a Federação do que a prática usual, em quase todos os Estados, de exigir o denominado diferencial de alíquotas nas entradas de mercadorias em seus territórios. Tudo isso feito à margem da lei (por decretos/instruções normativas, etc.) e da constituição, a qual assegura a livre circulação de bens e pessoas no Território Nacional (art. 150, V), sem a exigência de tributos para tanto. Quanto aos princípios constitucionais que fundamentam o ICMS, melhor sorte não lhes assiste. Veja o caso do princípio da seletividade em função da essencialidade, segundo o qual, singelamente, as mercadorias e serviços tributados pelo imposto teriam suas alíquotas fixadas de acordo com seu grau de importância à vida do cidadão. Como explicar, então, que se tribute ainda tão fortemente a energia elétrica, as comunicações, os alimenNuma iniciativa do SINDIMETAL, ocorreu no dia 29 de maio, às 17h, a palestra ICMS Unificação da Alíquota, no Centro das Indústrias, em São Leopoldo. Na pauta, informações sobre o início do prazo para confecção da Ficha de Conteúdo de Importação; decisões judiciais

tos etc.? No caso do princípio da nãocumulatividade, que historicamente visa evitar o denominado “efeito cascata” na tributação, é inadmissível que, após mais de vinte e cinco anos da Constituição, ainda se discuta quais itens ensejam direito a crédito fiscal do imposto. É inegável que os Estados estão em uma situação economicamente fragilizada e isto vem progressivamente se agravando ao longo dos anos. No entanto, a forma como o ICMS vem sendo tratado, ao invés de colaborar na solução deste inercial processo, colaborará para aprofundar a crise ora vivenciada, pela a maior parcela das Unidades da Federação. Em vista disso, é necessário que os projetos que ora tramitam no Congresso Nacional, visando enfrentar a questão do I C M S alcancem o consenso necessário para sua aprovação. Notadamente, a unificação da alíquota interestadual de todos os produtos (importados já é assim desde o início do ano) pode representar um importante passo neste sentido, especialmente para minimizar os efeitos da denominada guerra fiscal. Não que isso signifique uma melhora considerável no cenário descrito, mas representa um alento a servir como marco divisor de um tempo. É fundamental, enfim, que se possam reconstruir relações de confiabilidade, coerência, lealdade para não dizer legalidade e igualdade entre Estado e contribuinte, pois se, de um lado, o primeiro tem o legítimo direito de desempenhar sua função fiscal - na plenitude de suas possibilidades jurídicas -, o segundo também tem o direito de não se submeter à exigência de tributos em descompasso com as normas que vinculam a todos – inclusive e principalmente ao próprio Fisco. Normas essas, cuja gravidade do desrespeito seria menor, se não estivessem formalmente consagradas em algo que deveríamos, com orgulho, denominar de CONSTITUIÇÃO! Advogado da equipe Buffon e Furlan Advogados Associados I Assessoria Jurídica do S I N D I M E TA L, na área Tributária.

relativas a não informação do valor da importação na nota fiscal; e demais assuntos relevantes na área tributária. A palestra foi ministrada pelos advogados Marina Furlan e Marciano Buffon, da assessoria Tributária do SINDIMETAL.

"Conscientização é o começo; importante mesmo é mudar atitudes para melhorar nossas águas".Nº40 | Espaço SINDIMETAL

13


Participação

MISSÃO EMPRESARIAL COM DESTINO

À FEIRA FEIMAFE EM SÃO PAULO

U

m grupo formado por 40 empresários, de 24 empresas da região, par ticipou da missão à feira Feimafe, nos dias 05 e 06 de junho, em São Paulo, numa iniciativa do SINDIMETAL, em parceria com o SEBRAE. Dois grupos, com empresas vinculadas ao SINDIMETAL e ao Sinmaq Sinos/ Abrameq, tiveram acesso a inovações tecnológicas, num mercado em constante transformação. A 14ª Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura aconteceu no Pavilhão de Exposições do Anhembi, no período de 03 a 08 de junho. Além da missão empresarial, foi agendada uma visita técnica à empresa

Participação expressiva na missão à Feimafe

Festo Brasil, em São Paulo. Líder mundial no fornecimento de tecnologia de automação, treinamento industrial e programas de ensino, a Festo está presente em 176 países. Para o diretor Executivo do

SINDIMETAL, Valmir Pizzutti “a oportunidade de participar com um grupo de empresários tão expressivo trouxe ganhos relevantes em todos os aspectos para os participantes, que além de ampliar a sua rede de contatos, tiveram acesso direto as novidades e lançamentos do setor”, avalia. As empresas que participaram da missão empresarial foram as seguintes: Açoreal; Concórdia; Copé; CRK; Usieme; Delga; Delta Frio; Dimenlab; Ernesto Müller; Ifla; Máquinas ERPS; ISA; Manutec; Máquinas Kehl; MM Máquinas Industriais; Metalúrgica Loth; Metalúrgica Rio dos Sinos; Sanlarte; Sulmaq; Tavelli; Tec-Inova; Trescê; Usitork; e WDS Pneumática.

CAFÉ COM METAL

REÚNE EMPRESÁRIOS

O

SINDIMETAL e o SEBRAE promoveram no dia 28 de maio, o Café com Metal, no Centro das Indústrias, em São Leopoldo. A iniciativa contou com a presença do economista André Filipe de Azevedo, que abordou questões per tinentes ao cenário econômico, bem como tendências do setor metalmecânico. O público alvo foram as empresas que integram os projetos: Desenvolvimento de Fornecedores da Cadeia Metalmecânica;

PDF Gerdau e Metalvale Sinos - Polo Setorial Metalmecânico. Segundo André Filipe, a economia brasileira não conseguiu se recuperar, após a crise de 2009, na mesma velocidade, apresentando uma das maiores desacelerações de crescimento do PIB. "O aumento da inadimplência e a elevação do endividamento das famílias têm contribuído para inibir a retomada", avalia, "e, mesmo a elevação dos níveis de emprego, não compensou a estagnação

MERCOPAR E FENAF Espaços disponíveis para expor

P

ara os empresários que desejarem participar como expositores das feiras Mercopar, em Caxias do Sul, e Fenaf, em São Paulo, o SINDIMETAL informa que ainda existem espaços disponíveis. Com relação à Mercopar, que inicia dia 04 de outubro, a equipe do SINDIMETAL avisa que estão na fase final de organização. Até o momento são 35 empresas inscritas para participar, sendo que inda há disponibilidade de quatro espaços no estande coletivo e duas áreas individuais. Para expor na Fenaf, em São Paulo, com o grupo do SINDIMETAL, estão inscritas, até o momento, oito empresas, sendo que há disponibilidade para mais dois espaços no coletivo e, se necessário, uma área conjunta aos 100m², com 25m². Interessados podem contatar pelo telefone 3590-7710 ou através do e-mail secreatrioexecutivo@sindimetalrs.org.br

14

Espaço SINDIMETAL | Nº40

Empresários no Centro das Indústrias

da produtividade", afirma o economista. A inflação ainda preocupa, pois se encontra acima da meta. Já com relação ao setor metalmecânico, o mesmo vem crescendo mais que a média do Estado. "Embora ainda não esteja como o desejado, o mercado de trabalho está aquecido", destaca.

Visita técnica na

Castertech Fundição

U

ma visita às instalações da Fundição Castertech, empresa do Grupo Randon, foi realizada no dia 15 de maio. O grupo foi recepcionado pelo engenheiro responsável pela operação da unidade, Glauco Alonso Coutinho. Os empresários, que participaram da iniciativa, conheceram uma indústria da fundição moderna, com processos automatizados, com alto padrão de qualidade e controle de produto. Acompanharam a visita as empresas: Brasil Sul; CBM Química; Ernesto Müller; Ferrocast;; FundiForm; Highlub; JSE Usinagem; Modelação Pires; Sanlarte; Sul Magnéticos e Técnica Crija.


Mercado

HIGRA CONQUISTA PRÊMIO NACIONAL DE INOVAÇÃO

R

eferência mundial no segmento de Bombas Anfíbias e Aeradores, a Higra Industrial Ltda., com sede em São Leopoldo, é uma das 12 empresas que recebeu o Prêmio Nacional de Inovação 2012. A Higra foi destaque na categoria Modelo de Negócio, com o seu Sistema

participou da cerimônia de entrega, que ocorreu no dia 23 de abril, em Brasília. O Prêmio Nacional de Inovação é uma iniciativa da CNI, em parceria com o Movimento Brasil Competitivo, apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação.

Integrado de Gestão da Sustentabilidade (SIGS). “Este é um modo de trabalhar focado na personalização de soluções conforme a necessidade do cliente, na qualificação de fornecedores e e n g a j a m e n t o d e p rof i s s i o n a i s d a empresa”, diz Alexsandro Geremia, que juntamente com diretor, Silvino Geremia,

Amplia linha de produtos

D

ando continuidade aos contatos realizados em Taichung, Taiwan, em outubro de 2012, após visita a Canton Fair, a empresa TorkFort inicia sua ampliação da linha de produtos especializados em torque, com a parceria da AOK Industrial Co., empresa com destaque mundial, que atua no ramo de ferramentas profissionais desde 1979. Esta parceria foi formalizada na Feira Internacional de Autopeças, Equipamentos e Serviços Automotivos Automec 2013, realizada no mês de abril, no Anhembi, em São Paulo. Segundo Daniel Seewald, da TorkFort, a expectativa de negócios é muito boa dada à qualidade dos produtos e a aceitação do público.

Novos investimentos

A

Brudani, fundada em 1999, completa 14 anos consolidando Indústria de Matrizes Ltda. sua marca no setor metalmecânico do Estado. Referência em qualidade e compromisso na fabricação de moldes e matrizes para as áreas mais exigentes da indústria, a empresa está ampliando os negócios, através de novos investimentos no segmento de injeção de termoplásticos, oferecendo para seus clientes desde o projeto até o produto acabado. A empresa, sob a direção de Eduardo Chini e Edenilson Michel, atua em São Leopoldo como fornecedora de moldes para as indústrias de embalagens PET, automotiva, alimentícia, construção civil, elétrica e eletrônica entre outras, juntamente com o fornecimento de peças injetadas tendo como diferencial a conservação do uso dos moldes oferecidos pela Brudani matrizes.

BRUDANI

PRÊMIO MÉRITO EMPRESARIAL

do Rio Grande do Sul 2013

A

s a s s o c i a d a s R D - F l e x , Va l g e e Metalúrgica SS receberam o prêmio Mérito Empresarial do Rio Grande do Sul

- 2013, no dia 03 de junho, no Restaurante Panorâmico da Fenac, em Novo Hamburgo. Representando a diretoria do SINDIMETAL

esteve o diretor Executivo, Valmir Pizzutti, parabenizando as empresas pelo merecido destaque.

R

A

empresa RD-Flex do Brasil Acoplamentos, com sede em São Leopoldo, desde o ano 2005, recebeu o prêmio Administrativo Comercial e Industrial. Sob a direção dos empresários Rubén Duarte e Sílvia Duarte, é responsável pela fabricação de acoplamentos flexíveis para transmissão de Potencia por Torque, atendendo diversos segmentos da indústria. Segundo a direção, está em fase de desenvolvimento, um projeto inovador que deverá trazer benefícios principalmente para o meio ambiente, equipamentos e na redução de custos às empresas. Este novo produto levará a marca Ideal-Flex.

A

empresa Valge, com sede em São Leopoldo, fabrica Bombas Helicoidais de cavidades progressivas para os diversos segmentos da indústria, agricultura, meio ambiente. Também produz equipamentos e peças de borracha para a indústria do Petróleo. Segundo o diretor Valdir Geremia, “estamos com vários projetos em andamento, como o desenvolvimento de uma bomba para projeção de argamassa e gesso (reboco); bombas para extração de petróleo; e a ampliação de linha de bombas helicoidais”. Por ocasião do Mérito Empresarial, a Valge foi contemplada com o prêmio Adminis-

A

SS Usinagem, empresa genuinamente leopoldense, especializada em usinagem de produção, recebeu o prêmio na categoria de Empresa Metalúrgica. Segundo os diretores Mauro Dutra, Douglas Colpani e Ronaldo Corange para destacarem-se num mercado tão competitivo, investem na modernização do parque fabril e numa estrutura de trabalho enxuta. Recentemente a empresa adquiriu um equipamento importado, com duplo spindle e ferramentas acionadas, capaz de usinar peças complexas, com operações de torneamento e fresamento em uma única operação, economizando tempo e set up. Com esta aquisição a SS Usinagem pretende disponibilizar ao mercado produtividade e qualidade, aliada à redução de custos.

"A proteção da água depende da proteção das árvores". Nº40 | Espaço SINDIMETAL

15


Vitrine

35

F

investindo em qualidade

undada em 1978, a Indfema, localizada em São Leopoldo, é reconhecida por ser uma das empresas com maior experiência na fabricação de ferramentas de corte de alta precisão para madeira. Com mais de mil pontos de venda espalhados pelo Brasil, a Indfema ganha destaque no segmento por possuir um maquinário de alta tecnologia, proporcionando qualidade superior em seus produtos, que seguem um rigoroso controle de qualidade e são comercializados no mercado nacional e internacional. A história destes 35 anos de sucesso teve início no dia 15 de junho de 1978, com o fundador Airton de Oliveira Nunes. Um ano depois ingressaram na sociedade Carlos Alberto Bedin e Feliciano dos Santos, permanecendo esta composição por muitos anos. Atualmente, além de Carlos Alberto Bedin, somando profissionalmente estão também os filhos Fabiana Bedin Monlleo e Rafael Bedin, sócios da Indfema. Em 1997, Bedin, empreendedor por natureza, buscou pessoalmente, na Europa, uma parceria. Na ocasião, uma empresa italiana correspondeu às expectativas. A iniciativa contribuiu para que alcançassem um padrão de qualidade de nível europeu, possibilitando a importação de maquinário de última geração, além de novas tecnologias e treinamento diferenciado para funcionários. No ano de 2002, a fim de complementar a gama de produtos, lançou sua linha de serras circulares de widea e, desde então, vem concentrando seus esforços na

busca da excelência. Atualmente, o catálogo Indfema é composto por um mix de produtos como serras circulares, fresas, cabeçotes, facas e brocas. Além de contar com uma ampla linha Standard, a Indfema também fabrica ferramentas especiais sob encomenda, atendendo às necessidades de seus clientes, sempre com rigor técnico e agilidade.

Qualidade em 1º lugar Os produtos Indfema representam o resultado de grandes investimentos na aquisição de novos equipamentos, de intensas pesquisas e de um dedicado trabalho de parceria com conceituados fornecedores. Antes de chegar ao consumidor final, passam por um longo processo de desenvolvimento e fabricação, que resulta em alta qualidade, com um melhor desempenho e durabilidade, de acordo com as exigências do mercado mundial. Para a sócia Fabiana, Gerente Comercial “fornecer ferramentas de corte de alta qualidade, com um menor prazo de entrega resume bem a filosofia e o método de trabalho da empresa”, afirma. “Trabalhamos focados na qualidade, na atualização tecnológica, mantendo um parque fabril moderno e a garantia de entrega rápida” informa a administradora. Um diferencial da empresa tem sido desde a sua fundação o estoque de mercadorias, que durante todos estes anos contribuiu para trazer segurança para quem produz, comercializa e recebe a mercadoria. “Este cuidado, que herdamos do pai, nos mantém sempre preparados para

www.indfema.com.br

possíveis crises cambiais ou mesmo a falta de algum componente no mercado, além de contribuir para que a empresa possa desenvolver igualmente encomendas especiais com rapidez e qualidade, inclusive para o Equador e Uruguai, além do mercado interno”, afirma. “A política clara de negociação, independente do porte do cliente, tem sido elogiada e caracteriza um diferencial importante da Indfema, que conta com a fidelidade dos clientes e também da equipe de trabalho. Temos um quadro enxuto de funcionários, alguns estão conosco há 30 anos e já fazem parte da história da empresa”, destaca Fabiana. Com a marca consolidada, a empresária aponta como divisor de águas em São Paulo o trabalho de Nicolas Suarez, casado com Alessandra Bedin, “Ele abriu muitas portas como vendedor e tem sido um parceiro estratégico no centro do País”, destaca. “Na realidade a família tem no seu DNA o dinamismo do fundador. O meu pai é a alma da empresa e nos contagia com o seu empreendedorismo”. Segundo Fabiana “a Indfema está num dos melhores momentos”, mas os desafios continuam. “A meta é o aperfeiçoamento permanente, reduzindo custos e ampliando o mix de produtos importados, além da possibilidade de abrirmos novas revendas”. O SINDIMETAL, que acompanha a história dessa importante associada, acredita que os resultados positivos seguirão sendo um for te estímulo para investirem em tecnologia de ponta e capacitação. Parabéns à direção e equipe pelos 35 anos de permanente renovação!


Espaço SINDIMETAL Nº 40