Page 1


Sindicomércio-JF

MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro(a) leitor(a), Fechamos o primeiro trimestre deste ano com resultados abaixo do esperado no setor do comércio de bens e serviços. A confiança depositada na política econômica está instável e o ano de 2015 sinaliza que grandes obstáculos estão por vir, o que irá exigir muita criatividade do empresário. Com mais de 50 milhões de consumidores inadimplentes, inflação em alta, aluguéis crescentes e custos operacionais, tributários e trabalhistas cada vez maiores, fica evidente que estamos em um cenário de mar revolto. Contudo, precisamos ser criativos e fazer a nossa parte, trabalhando de forma enxuta no quadro de colaboradores, sem arriscar na contratação de empréstimos com juros altos para “apagar incêndios” e conduzindo os negócios com restrições de alguns investimentos. Sabemos que não é fácil, mas é possível. Afinal, é importante contar com o que temos e não com meras expectativas. Conduzir uma embarcação em um mar revolto exige muito, não só de seu comandante, como dos tripulantes e de sua estrutura. é preciso continuar o percurso, porém com cautela e de forma mais segura. Nessa direção é que gostaria de desenvolver uma linha de pensamento com o prezado(a) leitor(a)... Ficar parado não é o caminho, pois as correntezas podem nos jogar para fora do jogo do mercado. Por outro lado, se mantivermos a mesma velocidade na qual estávamos antes da tempestade, que, a meu ver, vem desde 2014, a força dos ventos contrários podem tombar nosso navio. O importante é que o empresário, ao reduzir o tamanho de sua estrutura para tentar novamente crescer, não analise a situação como uma derrota, mas sim como uma estratégia prudente. A história ensina que nos fortalecemos quando aglutinarmos forças. Então, se estamos por enfrentar um ajuste, imposto por condições que não esperávamos, é importante pensar em formas de enfrentar e suportar esta onda, a fim de ajustar os planos e buscar o crescimento. Acredito que vamos voltar a crescer e que o empresário deve, na primeira oportunidade que tiver, pensar na possibilidade de comprar o imóvel no qual está instalado. é a segurança da raiz que precisa estar presente. Afinal, os antigos comerciantes ensinam que o empresário pode até morar de aluguel, mas o imóvel comercial onde o mesmo conquista o seu sustento deve ser visto como prioridade máxima. Termino com uma frase que reflete os meus pensamentos: “O lado do bom da tempestade é descobrir que podemos ser mais fortes que ela.” Boa leitura!

O lado do bom da tempestade é descobrir que podemos ser mais fortes que ela.”

emerson Beloti de Souza Presidente do Sindicomércio - JF


expediente:

Índice

Conselho Editorial emerson Beloti de Souza Sergio costa de Paula Aline Furtado

04

Jornalista Responsável Aline Furtado – mtb 09105/mg

06 Reportagem Especial País desperdiça 37% de toda água distribuída

Colaboradores cíntia leal cristiane Biaso daniel Jannotti lili erik Penna Fernando Agra Sergio costa de Paula talita cristina Freitas A revista conexão comércio não se responsabiliza por ideias e conceitos emitidos em artigos assinados, já que os mesmos expressam apenas o pensamento dos autores, não representando, necessariamente, a opinião da direção da revista. caso necessário, a direção se reserva no direito de resumir os artigos. os espaços publicitários são de inteira responsabilidade dos anunciantes. Fotografias Algumas fotografias utilizadas nesta edição foram gentilmente cedidas por entidades creditadas. As fotografias utilizadas nos espaços publicitários são de responsabilidade dos anunciantes.

26 Capa dia das mães - expectativa é de aquecimento do comércio para a data

01 – mensagem do Presidente 04 – notas 10 – coluna do Advogado 11 – Artigo especial 12 – coluna do economista 13 – coluna do rH 42 – comportamento 45 – espaço Saúde 46 – Ações de representatividade 50 – novos Associados 51 – História dos Associados 52 – motivacional

Imagens Shutterstock.com Departamento Comercial Sana Keller (32) 9198-0535 Projeto Gráfico e Diagramação ArtWork Propaganda (32) 3215-7075 Periodicidade: trimestral Tiragem: 5.000 exemplares Impressão: gráfica central Contato telefone: (32) 3215-1317 e-mail: sindicomerciojf@sindicatodocomercio.org.br Site: www.sindicomerciojf.org.br Facebook: Sindicomércio-JF twitter: @sindicomerciojf endereço: Avenida rio Branco 2.588/5º andar centro - Juiz de Fora – mg Funcionamento: de segunda a sexta, de 8h30 às 18h30

diretoria 2014 / 2018 emerson Beloti de Souza Presidente nício Fortes garcia 1º Vice-presidente

Espaço do Leitor contribua com a conexão comércio. envie sugestões, críticas e comentários sobre os diversos assuntos publicados na revista. nosso e-mail é jornalismo@ sindicatodocomercio.org.br. Participe!

rui mussel da Silva 2º Vice-presidente oddone Villar turolla 3º Vice-presidente Paulo roberto lopes 4º Vice-presidente

carlos Alberto martins de Pinho 2º Secretário lucimar las casas oliveira 3º Secretário Alexandre tassi Brugiolo 1º Tesoureiro gilson guimarães Peixoto 2º Tesoureiro Zênio Fernandes Filho 3º Tesoureiro

marcelo rodrigues Sepúlveda Sergio costa de Paula 1º Secretário Superintendente


NOVAS REGRAS DA TELEFONIA ESTÃO EM VIGOR As novas regras previstas no Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações, aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), estão em vigor desde o dia 10 de março. Com isso, as empresas da área de telecomunicações devem disponibilizar um espaço em suas páginas na internet para que o consumidor acesse dados como contrato e plano de serviço, cobranças dos últimos seis meses, histórico de demandas, perfil de consumo e registro de reclamações – inclusive com a opção de solicitação de gravação. Nesta área reservada na internet, o consumidor poderá ter, ainda, um relatório detalhado, com informações como o número chamado, com a área de registro, data e horário das comunicações. De acordo com o regulamento, que vale para empresas de telefonias fixa e móvel, internet e TVs por assinatura, as prestadoras também deverão disponibilizar na internet um mecanismo de comparação de planos de serviços e ofertas promocionais. Neste caso, o cliente poderá ter acesso ao seu perfil de consumo, o que permitirá ao consumidor saber como utilizar os serviços de telecomunicações contratados, os planos e promoções oferecidos e escolher, de forma consciente, aquele que lhe parecer mais interessante. Fonte: Portal EBC

CELULARES DE MINAS GANHAM DíGITO 9 EM OUTUBRO Os números de telefones móveis de Minas Gerais serão alterados, a partir de 11 de outubro, para o formato de nove dígitos, com a inclusão do 9 antes do número. A medida cumpre a resolução da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) n° 553, de 14 de dezembro de 2010, que tem como intenção aumentar a disponibilidade de números na telefonia celular e dar continuidade ao processo de padronização da marcação das chamadas. Segundo o cronograma, juntamente com Minas, os estados de Sergipe e Bahia também adotarão o formato. Na primeira fase de implantação as chamadas para telefones celulares realizadas com apenas oito dígitos ainda serão completadas, mas o usuário ouvirá uma mensagem orientando sobre o novo formato. Depois do período de transição, as discagens com oito dígitos não serão mais completadas. A alteração no formato do número telefônico se aplica somente ao Serviço Móvel Pessoal (SMP). Fonte: Estado de Minas


Notas 07

SUPERMERCADOS E HIPERMERCADOS DEVEM ORIENTAR qUANTO AO USO DA LACTOSE Está em vigor em Juiz de Fora, desde fevereiro, a lei municipal nº 13.102, que determina que supermercados e hipermercados devem expor aos consumidores a informação sobre quais produtos alimentícios são produzidos sem a utilização de lactose. O não cumprimento da medida implica em multa, que pode variar entre R$ 500 e R$ 5 mil, podendo o valor ser dobrado em caso de reincidência. A lei foi criada a partir de projeto de lei de autoria do vereador Roberto Cupolillo (Betão-PT). Com informações da Prefeitura de Juiz de Fora

RENDA MéDIA DOMICILIAR PER CAPITA DO BRASILEIRO é R$ 1.052, DIz IBGE No ano passado, o rendimento nominal domiciliar per capita médio do brasileiro foi R$ 1.052. Os dados foram divulgados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tendo por base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua. Os maiores rendimentos nominais domiciliares estão concentrados nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste. Em São Paulo, que tem o maior parque industrial do país, o valor é R$ 1.432. Goiás tem rendimento nominal domiciliar, por pessoa, de R$ 1.031. O Distrito Federal tem o maior rendimento nominal domiciliar per capita entre as 27 unidades da federação, com R$ 2.055. A menor renda por pessoa foi registrada em Alagoas (R$ 604). Fonte: Agência Brasil


Reportagem Especial 08

PAíS DESPERDIçA 37% DE TODA A ÁguA diStriBuÍdA O Brasil desperdiçou 6,53 bilhões de metros cúbicos de água devido às perdas na rede de distribuição em 2013, segundo dados da pesquisa do Instituto Trata Brasil, divulgado no final do mês de março. Esse volume representa 37% de toda a água distribuída e equivale a 6,5 vezes a capacidade do Sistema Cantareira, que abastece a Grande São Paulo, ou a 7.154 piscinas olímpicas. Em termos financeiros, as perdas na distribuição representam 39%, o equivalente a R$ 8,015 bilhões. O valor representa 80% dos investimentos feitos em água e esgoto no período analisado. O levantamento, com base no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento de 2013, do Ministério das Cidades, mostra que a Região Norte é a que mais perde água no processo de distribuição. Mais da metade (50,7%) da água usada no abastecimento é desperdiçada em razão de vazamentos, falta de hidrômetros ou ligações clandestinas. O estado do Amapá, com uma população de 734,9 mil pessoas, é o campeão nacional de perdas, com índice de 76,54%. “O Norte tem os piores indicadores de saneamento. é uma região que descuidou do setor. Tem a maior capacidade hídrica do país e usa os rios para diluir os esgotos”, destaca o presidente executivo do Instituto Trata Brasil, édison Carlos. As perdas também são altas no Nordeste, com 45,03%. O destaque é Sergipe, com 59,27%. A melhor situação é a da Paraíba (36,18%), seguida pelo Ceará (36,52%). O Sudeste é a região que tem o menor índice de perdas, com 33,35% na média estadual. O Rio de Janeiro é o estado com menos perdas, 30,82%, seguido pelo Espírito Santo (34,39%). As demais regiões apresentam índices próximos ao do Sudeste: Sul (35,06%) e Centro-Oeste (33,4%). O Distrito Federal tem o melhor índice do país, 27,27%.


Reportagem Especial 10

EVOLUçÃO BAIXA

PROJEçÃO

Em comparação com 2004, o Instituto Trata Brasil avalia que as perdas na distribuição não diminuíram a contento. Houve redução de 8,7 pontos percentuais nos últimos dez anos, o que equivale a menos de um ponto percentual por ano. O índice passou de 45,6%, em 2004, para 36,9%, em 2013. “Os dados confirmam a necessidade de acrescentar esforços na redução de perdas para atingir níveis condizentes com a situação hídrica atual”, informa nota do instituto. De acordo com o presidente executivo, o cenário é fruto de descaso. “A gente viveu até hoje com a sensação de ter muita água, então nunca ninguém olhou esse indicador com cuidado. Apesar de isso ser algo absurdo, pois é uma perda financeira, já que uma empresa que perde 30%, 40% da água que trata perde dinheiro também.” Segundo Carlos, a esperança é que a atual crise hídrica que o país está enfrentando seja um “divisor de águas”. “Essa crise pode servir para colocar pressão não apenas nas empresas, para que haja uma troca das redes antigas de água, mas também nos prefeitos, que são responsáveis pelas concessões de serviço; nos governadores, que precisam passar metas mais ousadas para as empresas estaduais; e no governo federal, que tem que pressionar para conseguir indicadores melhores.”

O estudo faz uma estimativa de redução das perdas para 2033, considerando três cenários: otimista, base e conservador. Em uma situação considerada otimista, o país chegaria com 15% naquele ano, uma redução de 62%. Um cenário base propõe que as perdas na rede de distribuição de água fiquem em 20% e uma posição conservadora sugere índice de 25%. Se o país alcançasse o cenário base, ao longo dos cinco primeiros anos, isso representaria ganho financeiro de R$ 2,61 bilhões. Ao longo de 20 anos, o ganho acumulado chegaria a R$ 26,73 bilhões, o que equivale, por exemplo, a 9% do investimento estimado pelo Plano Nacional de Saneamento Básico até 2033 para alcançar a universalização da água e esgoto. O instituto indica soluções que devem ser adotadas hoje para obter índices menores de perda de água. Entre eles, estão: estabelecer contratos com incentivos para a redução de perdas, gerenciar o desperdício, criar programas para reduzir perdas sociais (ligações clandestinas), usar hidrômetros de maior precisão e direcionar maior financiamentos para iniciativas que contribuam com essa política.


JUIz DE FORA PODE TER RODízIO DE ABASTECIMENTO ATé O FIM DO ANO Em Juiz de Fora, a Cesama trabalha com a possibilidade de manter o rodízio de abastecimento de água até o fim deste ano. De acordo com o diretor-presidente da companhia, André Borges de Souza, a preocupação é com a possibilidade de estiagem, provocada pelo outono, que teve início no dia 20 de março. Historicamente, as precipitações devem voltar a ocorrer só no mês de outubro. A principal fonte de distribuição de água na cidade, a represa de João Penido, está com índice insatisfatório para esta época do ano. O acumulado de água no manancial, segundo dados da Cesama emitidos no dia 23 de março, está em torno dos 42%. No mesmo período do ano passado, o índice estava em 85%. “Começamos neste patamar e ela declinou para 18%. Conseguimos elevar um pouco, mas 42% é um índice preocupante.” Diante, disso, torna-se fundamental a conscientização para a economia de água. A represa de São Pedro acumulava 97% da sua capacidade, enquanto Chapéu D’Uvas, 53%, conforme os dados da companhia referentes ao dia 23 de março. Segundo Souza, apesar do rodízio, a população tem economizado pouco. Assim, o diretor-presidente aponta para a possibilidade de intensificar o rodízio em algum momento do ano.

Para tentar driblar a crise, a previsão é ampliar o uso do manancial de Chapéu D`Uvas, que deverá contribuir com 450 litros por segundo, e não mais 250 litros por segundo, ao longo de 2015. Além disso, passar a operar o Ribeirão Espírito Santo em sua capacidade máxima, o equivalente a 600 litros por segundo. Souza aponta que para que não haja desabastecimento, Juiz de Fora precisa produzir cerca de 1.500 litros de água por segundo. Assim, o restante viria de São Pedro, 100 litros por segundo, e da João Penido, com 350 litros por segundo.

DENÚNCIA Para denunciar o desperdício de água, basta ligar para 115. quem desperdiça pode receber uma visita de uma equipe da Cesama, a fim de conscientizar sobre a importância da economia. A cidade conta com a Lei nº 13.049, que está em vigor desde novembro do ano passado, proibindo o uso de água potável para lavação de calçadas, fachadas de estabelecimentos públicos, residenciais e comerciais com mangueiras. Contudo, foram identificados, inclusive por parte da Cesama, problemas quanto à aplicabilidade da lei, como dúvidas sobre como e por quem seria feita a fiscalização e dúvidas sobre destinação dos valores arrecadados a partir da aplicação de multas.


coluna Advogado 12

Arquivo pessoal

AS POSTAGENS EM REDES SOCIAIS COMO MEIO DE PROVA EM PROCESSOS

Daniel Jannotti Lili Advogado sócio da Rubens Andrade Advogados; Consultor e instrutor do SEBRAE MG, nas áreas de legislação aplicada, comercial e licitações - OAB/ MG: 99.587

Atualmente, a internet tem papel de grande relevância em nossa sociedade, com grande ressalva das redes sociais que detêm papel principal nesta realidade contemporânea. Sob esta ótica, nossa justiça tem, cada vez mais, aceitado postagens em Facebook e demais redes sociais como meio de prova para dirimir controvérsias em processos. Com certa recorrência, a justiça do trabalho discute a difamação de empresas originadas de comentários dos próprios funcionários e até mesmo de exfuncionários. Nestes casos, a justiça entende que caso a manifestação ultrapasse certos limites, atingindo e difamando a empresa, deverá ser ressarcida pelos prejuízos sofridos, penalizando, inclusive, em indenização o infrator. Outra situação reiteradamente tratada tem como pano de fundo o fato de funcionário que, ao se manifestar de forma pejorativa a empresa, inclusive curtindo posts que denegriam a imagem da empregadora, teve a aplicação de penalidade de justa causa, sendo posteriormente confirmada pela justiça do trabalho. Os casos relatados são exemplos de ocasiões já vivenciadas pela justiça, mas que não são únicas, eis que outras situações experimentadas pelas empresas também podem ter as redes sociais como meios comprovação de suas alegações, como por exemplo o funcionário que apresenta atestado médico como justificativa para falta ao trabalho e posta fotos e comentários em viagens, atividades esportivas e demais. Assim, as empresas devem ficar atentas à possibilidade de uso das redes sociais como meio de prova em processos judiciais, como forma de buscar fortalecer eventual tese jurídica a ser discutida em âmbito dos tribunais.


Artigo especial 13

Há muito tempo a famosa frase “O cliente tem sempre razão” ganha espaço como lema para um bom atendimento, mas até que ponto essa afirmação realmente é atrativa para o mundo dos negócios? No acirrado mercado em que vivemos, cada vez mais as empresas pressionam os seus funcionários a trabalharem como máquinas, com atendimentos padronizados, e que, em sua maioria, favorecem a quantidade em detrimento da qualidade, gerando perda de cliente e aumento de custos para reconquistar mercado a longo prazo. Acatar a afirmativa que “o cliente tem sempre razão” é deixar com que a organização se molde a todo e qualquer perfil de cliente, ignorando sua missão, visão e valores para se corromper a usuários que nem sempre têm razão e estão dentro de seus direitos. As organizações devem ter como premissa que o cliente é um indivíduo suscetível ao erro, assim como todos nós, e, por essa razão, pode sim acreditar que possui direitos que legalmente não os tem. Vemos constantemente no mercado empresas que tiveram grandes prejuízos e até chegaram a falir em função de uma má gestão da carteira de clientes, por valorizarem aqueles que não trouxeram o retorno esperado, causaram desconforto aos funcionários por terem que acatar todo e qualquer comportamento do cliente e ainda denegriram sua imagem com os stakeholders. A empresa pode e deve escolher o cliente a quem ela quer atender, e esta é uma tarefa primordial para valorizar a qualidade do seu atendimento perante a concorrência e, principalmente, valorizar o seu funcionário quando o mesmo presta seu atendimento com qualidade, não sendo coagido a aceitar qualquer comportamento por parte do cliente. Para que esta gestão da carteira seja efetiva e possibilite resultados. é necessário que a organização seja firme quanto a sua estratégia de mercado, para que o cliente perceba desde o início da relação comercial que ambas as partes possuem direitos e deveres que devem ser cumpridos por todos os envolvidos. Além disto, deve desenvolver o que chamamos de Marketing de Relacionamento, onde a organização irá atrair aqueles clientes potenciais ao seu negócio, criando uma base de dados que possibilite a empresa conhecer o cliente ao qual está atendendo, sendo abastecida de informações que nortearão a negociação, podendo esta ser aceita ou recusada pela organização. A empresa que realiza uma gestão eficiente da sua carteira de clientes aliada às informações eficazes de uma base de dados confiável e a um atendimento de qualidade voltado a atender as expectativas de seus clientes pode, sim, dar-se ao luxo de demitir seus clientes e abolir de vez a máxima de que o cliente tem sempre razão.

Arquivo Pessoal

JÁ PENSOU EM DEMITIR O SEU CLIENTE?

Cíntia Leal Administradora, pós- graduada em Gestão de Recursos Humanos, especialista em Marketing de Pós-Vendas


coluna do economista

Divulgação

14

Fernando Agra Palestrante nas áreas de Educação Financeira e Aplicações Financeiras; Economista (UFAL), Doutor em Economia Aplicada (UFV), Professor da Universo (Campus Juiz de Fora) e Economista do CRITT/UFJF

EM BUSCA DA SAÚDE FINANCEIRA Há algumas semanas, um programa semanal de TV apresentou uma reportagem que mostrava uma correlação direta entre endividamento e doenças, ou seja, a matéria mostrou que pessoas que perderam o controle das finanças pessoais e veem suas dívidas crescendo exponencialmente têm adoecido mais e apresentado alterações do sono, do humor, do apetite, ansiedade em demasia, chegando a causar até depressão. Caro leitor, como anda a saúde das suas finanças pessoais? E o que dizer para os 54 milhões de brasileiros endividados atualmente (40% dos adultos com mais de 18 anos) que devem, no total, R$ 218 bilhões? A escolha do termo “Saúde Financeira” foi providencial para compor o título deste artigo. A reportagem mostrou que problemas financeiros contribuem para o adoecimento das pessoas. Isso gera um círculo vicioso, ou seja, o indivíduo, endividado e doente, vai precisar gastar com o tratamento para recuperar sua saúde (consultas médicas, exames, remédios, terapias etc.). Gastos esses que poderão agravar mais ainda a saúde das suas finanças, comprometidas com pagamento de juros exorbitantes, que giram em torno de 208,7% ao ano no cheque especial e 334% no rotativo do cartão de crédito anualmente, em média, segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (ANEFAC). São juros de dar dor de cabeça a quem não tem uma Educação Financeira. A partir de uma pesquisa realizada pela Associated Press-AOL Health poll, nos Estados Unidos em 2008, confirma o quão prejudicial para a saúde é a perda de controle das finanças pessoais e o consequente endividamento.

DOENçAS OBSERVADAS EM PESSOAS COM ENDIVIDAMENTO 44% tinham enxaquecas ou dores de cabeça de outro tipo; 29% sofriam de ansiedade severa; 27% tinham úlceras ou problemas no trato digestivo; 23% sofriam de depressão severa; 6% reportaram ataques cardíacos; 51% apresentavam tensão muscular.

Fonte: Press-AOL Health poll (2008)

Arquivo pessoal

E você, caro empresário, percebeu como é importante que seus funcionários estejam com suas finanças pessoais organizadas? Problemas financeiros, como mencionado acima, agravam a saúde do trabalhador e aumentam o número de faltas ao trabalho, atrasos, bem como comprometem a produtividade (conforme será confirmado no quadro 2). Pessoas doentes e com problemas financeiros em casa conseguem, realmente, atingir o máximo de sua produtividade? Com certeza, não! Assim, palestras e treinamentos com o intuito de levar Educação Financeira aos funcionários são muito importantes, tanto para o trabalhador quanto para a empresa. Pessoas que têm um orçamento doméstico bem administrado, que sabem diferenciar desejos de necessidades e priorizar estas, que têm consciência do padrão de vida, que poupam parte de sua renda, que pagam suas contas em dia e integralmente, que não fazem uso do cheque especial etc., são funcionários mais felizes, mais produtivos e mais saudáveis. De acordo com um estudo realizado em 2012 pela Society for Human Resource Management (EUA), 83% de todos os funcionários têm seu desempenho no trabalho afetado por problemas financeiros pessoais.

Talita Cristina Freitas Formada em Administração de Empresas

IMPACTOS NO DESEMPENHO DO TRABALHADOR DEVIDO A PROBLEMAS FINANCEIROS PESSOAIS 47% Dificuldade de concentração no trabalho 46% Estresse 26% queda na produtividade 24% Absenteísmo (afastado do trabalho) e atrasos

Fonte: Press-AOL Health poll (2008)

Enfim, pode-se concluir que trabalhadores saudáveis física, emocional e financeiramente vivem e trabalham melhor, bem como são mais produtivos; enquanto isso, os clientes ficam mais satisfeitos e a empresa lucra mais.


REDES SOCIAIS

coluna do rH 15

Boa parte da população encontra-se conectada ao mundo virtual por um longo período do dia. São várias as redes sociais, páginas e blogs. A cada dia nos deparamos com informações diversas, e da mesma forma as transmitimos. Mas será que tudo que postamos em nossas redes sociais, influencia direta ou indiretamente na busca por uma oportunidade de trabalho ou no exercício de nossas atividades? Pesquisas apontam que na contratação de candidatos, por exemplo, boa parte das empresas brasileiras já utiliza das informações postadas nas redes sociais para desclassificar um candidato. Por mais que uma página social seja pessoal e que hoje em dia tenha se tornado muito comum aos usuários dessas ferramentas compartilhar, curtir e postar variados assuntos relacionados a todos os âmbitos de sua rotina, é possível descrever e identificar o perfil comportamental de cada indivíduo. As redes sociais são ferramentas indispensáveis nos dias de hoje, e são poderosos meios de comunicação para alavancar uma carreira. Porém, é necessário cautela ao expor sua vida. Fazer desabafos a respeito de seu chefe, sua empresa atual ou anterior, criticar colegas de trabalho, inserir posts de baladas exaltando o quanto se consome de diversas substâncias, postar fotos comprometedoras, fazer comentários ofensivos a outras pessoas, pode denegrir a imagem de um candidato a uma vaga de emprego ou até mesmo do colaborador já efetivado. Claro que não há necessidade de ocultar o que se faz, mas sim de prezar por uma boa imagem. Todos têm vida social! Um happy hour com amigos, um bom momento, expor sua opinião, postar uma foto pessoal, declarar-se para alguém, tudo é permitido em uma rede social. E é esta a sua função. Socializar. O que observamos atualmente é que não existe uma preocupação ou um cuidado com o que se faz nestes meios de comunicação, principalmente, por parte dos jovens, que são ou serão futuros candidatos a uma vaga de emprego. A exposição exacerbada de sua vida pessoal pode ser prejudicial. é de extrema importância se preocupar sim. Uma página social vai além de entretenimento, é um perfil. São características, qualidades, informações pessoais, enfim, é a forma mais simples de se tornar visível e acessível, tanto a outras pessoas quanto ao mercado de trabalho. zelar por uma boa imagem e ter bom senso ao se expor nestes meios é necessário e não somente uma questão de ética. Tudo o que se publica em uma rede social, mesmo de forma inconsciente, pode gerar danos, causar constrangimento, criando uma imagem negativa da pessoa. Manter sempre um perfil claro e atualizado contribui muito para o olhar do outro a seu respeito. Principalmente no que tange à busca pela inserção no mercado de trabalho, afinal, a cada dia, mais empreendedores adotam essas ferramentas para buscar novos potenciais para o mercado de trabalho.

Foto Sindicomércio

A INFLUÊNCIA NO TRABALHO

Cristiane Biaso Departamento de Recursos Humanos do Sindicomércio-JF


especial Juiz de Fora 16

Arquivo Pessoal

JUIz DE FORA

E SEUS 165 ANOS Sergio Costa de Paula Superintendente do Sindicomércio-JF

RELEMBRANDO FATOS DA NOSSA HISTóRIA

Ao completar 165 anos, ainda é muito bom relembrar alguns aspectos de nossa história. Não é desafio quando se pode consultar os registros coletados por Albino de Oliveira Esteves, Paulino de Oliveira, Wilson de Lima Bastos e muitos outros. Juiz de Fora tem sua origem ligada a dois marcantes fatos da história do Brasil, e por que não de Minas Gerais? Um, o Caminho Novo, batizado de Estrada Real de Vila Rica, aberto no princípio do século XVIII, por Garcia Pais, que, por muito tempo, foi passagem obrigatória da Corte à sede da Província de Minas, Vila Rica; o outro, na estratégia de povoar a região, fez nascer as sesmarias, terras de grandes extensões distribuídas entre os nobres e súditos que prestavam serviços à Coroa, em uma das quais se formou o povoado de Santo Antônio do Paraibuna. Sem detalhar os marcos significativos destes dois empreendimentos, não se pode deixar de comentar sobre a influência dos mesmos no povoamento da nossa região, retratado no surgimento do núcleo urbano a partir da velha e histórica fazenda do “juiz de fora”, assim chamada porque seu proprietário era um magistrado da Comarca do Carmo de Vila de São João Del Rey do Rio das Mortes, fazenda esta citada por muitos historiadores como a mais antiga e histórica habitação da região, sendo referência e usada, por muitos anos, como sua identificação, cuja alcunha serviu de topônimo para o novo município. é bom que se lembre que o Caminho Novo passava do outro lado do rio Paraibuna, onde hoje estão os bairros Santo Antônio, Vitorino Braga e adjacências. quisera a história mudar o rumo dos acontecimentos, pois, a partir de 1836,

nomeado engenheiro da província, entra em cena Henrique Guilherme Fernando Halfeld, que recebe a incumbência de melhorar o traçado da Estrada Real. Este, aproveitando a maior parte do Caminho Novo, alterou sua rota a partir da região hoje chamada Benfica, trazendo, com isso, o desenvolvimento para a margem direita do rio, em direção à colina dos Passos. Como consequência, a estrada que passava ao pé do morro da Liberdade foi sendo ocupada em suas margens, no trecho do Milheiros (Largo do Riachuelo) à colina dos Passos (Alto dos Passos), ocupação que tomou forma, virou povoado, sendo elevado à vila com o nome de Santo Antônio do Paraibuna, em 31 de maio de 1850. Seis anos após ter sido reconhecida como vila, Santo Antônio do Paraibuna passou à categoria de cidade, com o nome de Paraibuna, para somente em 1865 receber o nome de Juiz de Fora. O que de fato mais contribuiu para o progresso da vila, nos primeiros anos de sua formação, foi a construção da Estrada União e Indústria, encetada pelo mineiro Mariano Procópio Ferreira Lage, em 1852, obra autorizada pelo Imperador D. Pedro II, seu grande amigo, visando à melhoria e à conservação da Estrada do Paraibuna, com direito a sua exploração comercial, já que eram seus os recursos financeiros. Mariano, promovendo novo traçado para a estrada de rodagem, retoma a orientação do rio Paraibuna, faz surgir uma obra admirada e considerada, na época, como a melhor estrada do Brasil, mas que amargou prejuízos para seu idealizador.


Juiz de Fora em 1964 Foto do acervo pessoal de Mauricio Lima Correa

Da esquerda para a direita: 01 – Rua Halfeld/Av. Getúlio Vargas; 02 – Av. Barão do Rio Branco / Parque Halfeld; 03 – Av. Barão do Rio Branco; 04 - Rua Halfeld – 1896; 05 - Estrada de ferro D.Pedro ll (foto de 1881); 06 - Estação Central do Brasil; 07 - Parque Halfeld; 08 - Rua Santo Antônio. Créditos (da esquerda para a direita): 02 – Acervo Marcelo Lemos; 03 – Acervo Ramon Brandão; 04 - Acervo Arquivo Mineiro; 05, 06 e 07 - Acervo Pessoal de Mauricio Lima Correa ; 08 - Maria do Resguardo

Na década de 1870, a Estrada de Ferro D. Pedro II atraía atenção de muitos empreendedores, entre eles Mariano Procópio que, refazendo seus planos para a Cia. União e Indústria, articula e obtém autorização para a construção da linha tronco e ramais que iria ligar o vale do Paraíba ao rio das Velhas. A chegada da estrada de ferro, nos anos de 1875, impulsionou Juiz de Fora, transformando a pequena cidade num interessante polo comercial. Rodovia e ferrovia consolidaram a cidade, no final do século XIX, como marcante polo de investimentos e negócios, fortalecido com a instalação da primeira Usina Hidroelétrica da América, idealizada pelo fundador da Cia. Mineira de Eletricidade, o industrial Bernardo Mascarenhas, inserindo um futurista cenário de progresso,

o que favoreceu a expansão e o crescimento do comércio, da indústria e da agropecuária. Num crescendo de empreendimentos, o progresso realmente tornou-se inevitável. Seus empresários, os anônimos trabalhadores não registrados na história, quase todos vindos de outras regiões, fizeram parte da construção deste progresso, adotando este pedaço de terra cercado de montanhas, às margens de um rio barrento, como seu torrão natal. Hoje, 165 anos depois, a cidade perdeu um pouco da pujança de ser a primeiríssima em muitos empreendimentos. Ainda assim, avança no tempo, mergulhando num futuro que vai depender dos novos empreendedores.


Notícias 18

Setor de SerViÇoS TEM RETOMADA NO PAíS O setor de serviços do Brasil deixou para trás quatro meses de contração e cresceu com força em fevereiro, impulsionado por um sólido aumento no volume de novos negócios, de acordo com a pesquisa índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), divulgada no mês de março. O Markit, que compila os dados, informou que o índice subiu a 52,3 em fevereiro, ante 48,4 em janeiro, indo acima da marca de 50 que separa crescimento de contração pela primeira vez em cinco meses. A leitura também é a mais alta em 15 meses, já que iguala a de novembro de 2013. Diante desse cenário, o grau de sentimento positivo registrado em fevereiro foi o mais forte desde junho, com expectativas de demanda melhor, investimentos em infraestrutura e planos de expansão de negócios. Apesar de o PMI indicar melhora na atividade de serviços, a confiança do setor apurada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) renovou em fevereiro o menor patamar histórico ao cair 5,4 por cento. Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados no dia 17 de março, o setor de serviços iniciou 2015 com crescimento de 1,6. é o menor valor da série, iniciada em janeiro de 2012. Em dezembro, o avanço havia sido de 4,0% e em novembro, de 3,7%. No ano, os serviços acumulam alta de 1,6% e, em 12 meses, de 5,4%.

em JF Em Juiz de Fora, a exemplo do país, o setor de serviços apresentou recuperação no mês de fevereiro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O segmento, juntamente com a indústria, foi o principal responsável pelas novas vagas abertas. O saldo resultante da diferença entre as admissões e as contratações no ramo de serviços foi de 285, enquanto no segmento da indústria o resultado foi de 239 novos postos.

Com isso, a cidade, que havia iniciado o ano com perda de 733 postos, contabiliza a alta de 319 empregos com carteira assinada no mês de fevereiro. Na comparação com 2014, o saldo deste ano é maior, visto que no mesmo mês do ano passado, foi verificado saldo negativo de 82 vagas. De acordo com o presidente do Sindicomércio-JF, Emerson Beloti, a recuperação do setor de serviços pode ser explicada com base no Carnaval. “A data festiva acaba movimentando empresas de hotelaria e gastronomia.”


notícias

mulHereS DEVERÃO REPRESENTAR

48

%

DE TODOS OS noVoS FrAnqueAdoS EM 2015

As mulheres já representam 42% de todos os franqueados do país e em 2015 alcançarão quase a metade. Ao todo, são 56 mil mulheres no Brasil operando franquias de diversos setores e a maioria delas tem entre 46 e 55 anos. Esses são alguns dos resultados da recente pesquisa da Rizzo Franchise, consultoria especializada em pesquisas sobre o Franchising em toda a América Latina. Além do crescente número de mulheres, a pesquisa também revela que elas faturam 35% a mais do que os homens em seus negócios próprios. Segundo o especialista em Franchising e autor da pesquisa, Marcus Rizzo, os principais motivos que levam as mulheres a procurarem cada vez mais as franquias e, posteriormente, ter um desempenho maior do que os homens são foco, motivação e poder de decisão. “As mulheres participam integralmente dos programas de treinamento e são mais disciplinadas para aprender do que os homens. Além disso, elas têm uma postura mais estável com a equipe de funcionários, gerando, assim, menor rotatividade de pessoal e estão mais presentes no dia a dia do negócio, ao passo que os homens se ausentam mais e tendem a delegar a franquia para funcionários”, explicou Rizzo em entrevista ao portal Administradores.com.

19


Notícias 20

PEC do ICMS do comércio eletrônico É APROVADA

Diferença diminuída Segundo a redação aprovada para a nova regra, além da alíquota interna, será usada a interestadual. A diferença entre

elas será gradualmente direcionada ao estado de destino do bem ou serviço, conforme as seguintes proporções:

• 2015: 20% para o estado de destino e 80% para o estado de origem; • 2016: 40% para o estado de destino e 60% para o estado de origem; • 2017: 60% para o estado de destino e 40% para o estado de origem; • 2018: 80% para o estado de destino e 20% para o estado de origem; • a partir de 2019: 100% para o estado de destino.

Comércio em crescimento “O comércio on-line é o que mais cresce no Brasil, a Constituição de 1988 não previa que chegasse a esse nível. É necessário corrigir a legislação”, avaliou o relator. Segundo ele, a mudança é uma vitória e o início da reforma tributária no Brasil. Em seu parecer, Macêdo avaliou que as novas regras trarão mais equilíbrio fiscal, sem prejudicar os principais estados vendedores, como São Paulo, que serão beneficiados pela renegociação de suas dívidas. Fonte: Câmara dos Deputados

Luis Macedo / Câmara dos Deputados

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, em segundo turno, no mês de fevereiro, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 197/12, do Senado, que fixa novas regras para incidência do ICMS nas vendas de produtos pela internet ou por telefone. Devido às mudanças, a matéria retornará ao Senado para nova votação. De acordo com o parecer do relator da PEC, exdeputado Márcio Macêdo (PT-SE), os estados de destino da mercadoria ou do serviço terão direito a uma parcela maior do tributo se o consumidor final for pessoa física. As novas regras valerão a partir do ano seguinte ao da promulgação da futura emenda, observada a noventena, período de 90 dias para vigência a partir da publicação. Atualmente, quando uma loja virtual vende ao consumidor final pessoa física de outro estado, ela tem de recolher o ICMS todo para o estado em que está localizada. Essa alíquota varia entre 17% (maioria), 18% (São Paulo, Minas Gerais e Paraná) e 19% (Rio de Janeiro). O Fisco do estado do comprador não recebe nada. O parecer de Macêdo copia fórmula negociada no âmbito do Conselho Nacional de Políticas Fazendárias (Confaz) em março de 2014, com o aval de todos os secretários estaduais da Fazenda.


Informe Publicitário 21

VocÊ SABiA que o comPortAmento de

GERENTES E COLABORADORES

de umA emPreSA Pode inFluenciAr diretAmente no curSo de SeuS negÓcioS? Com base nesta pergunta-afirmação, a DomIneSCo utiliza o questionário “D.I.S.C.” (Dominância, Influência, Estabilidade e Conformidade), uma metodologia capaz de auxiliar na análise de tendência comportamental. A partir da resposta a algumas perguntas, é possível mapear perfis comportamentais e auxiliar, de forma efetiva, a definição de estratégias destinadas ao público empresarial. “Grande parte das demissões em empresas não ocorre em função do trabalho desenvolvido pelo colaborador ou do seu conhecimento, mas sim devido a comportamentos

que não condizem com determinadas funções”, destaca o sócio diretor da DomIneSCo, Luís Otávio Loures da Conceição. Por isso a importância da ferramenta “D.I.S.C.”, que auxilia a geração de um plano de ação de forma individualizada, que irá considerar as peculiaridades de cada empresa. O questionário permite mapear até 72 perfis de padrão comportamental, identificando pontos fortes e fracos, o que auxilia na estruturação e no planejamento empresarial.

quer participar? Envie um email para contato@dominesco.com.br e participe da Pesquisa do Perfil do Empreendedor de Juiz de Fora e Região. Esta pesquisa consiste no preenchimento do questionário online, onde você marcará palavras que ajudam na descrição de perfis. São duas perguntas e menos de cinco minutos para preencher. Após a finalização, você ganha, como cortesia, um relatório referente ao seu perfil. Em agosto de 2015, após uma quantidade relevante de empreendedores terem preenchido, serão apresentados os resultados e as sugestões de ações para melhorar a vida dos empreendedores.

(32) 3015-1977 (JF) / (31) 3515-0477 (BH) / (11) 3506-5977 (SP) / (21) 3514-7376 (rJ) contato@dominesco.com.br


Notícias 22

Cinco ações para motivar sua equipe (sem precisar gastar) As pessoas trabalham para conseguir dinheiro. É difícil fugir dessa regra do mercado. Mas não é apenas incentivo financeiro que vai garantir o melhor desempenho dos profissionais. Além disso, nem sempre é possível dar bônus e aumentos de salário, principalmente em tempos de crise. Ser capaz de motivar a equipe e estar atento às necessidades é qualidade essencial para um líder. “Muitos são capazes de administrar coisas e atingir resultados, mas liderar pessoas não é para qualquer um”, afirma a gerente de desenvolvimento de lideranças e engajamento da LHH, consultoria especializada em carreira, Geovana Magalhães, em entrevista para o Uol.

Segundo ela, primeiro o líder tem de estar atento ao que motiva cada pessoa, abrindo um diálogo muito franco com os subordinados, para perceber e perguntar de forma direta o que as pessoas apreciam, o que as deixam motivadas e mais felizes. “Cada pessoa se motiva por uma razão diferente. Para algumas é dinheiro, outras querem liberdade de atuação, qualidade de vida ou grandes desafios para que possam se desenvolver.” Saber o que estimula cada pessoa é o primeiro passo. Confira outras cinco ações básicas para manter a equipe sempre em busca do melhor resultado.


Reconhecer

Delegar

A primeira medida para motivar a equipe pode ser a mais simples: reconhecer o sucesso e o bom trabalho. “O ser humano não é nada sem reconhecimento”, afirma o sócio-diretor da Crescimentum, consultoria especializada em desenvolvimento de líderes, Jonas Duarte. Como resolver isso? No dia a dia, pode ser o elogio e o retorno em uma avaliação, conhecido na linguagem corporativa como feedback. Mas outros gestos também podem mostrar sua satisfação. “Se o profissional desenvolveu um determinado projeto e o chefe o leva junto na hora de defender [esse trabalho] para a diretoria, ele se sente valorizado”, afirma Geovana Magalhães.

Sabe o ditado “se quer algo bem feito, faça você mesmo”? Pois então, um bom líder não deveria dar ouvidos a ele. Centralizar tarefas é uma opção ruim. Saber delegar funções é uma habilidade essencial do bom chefe. “Delegar funções que o líder entende que seu funcionário pode fazer é uma forma de motivar”, afirma Duarte. “O profissional naturalmente vai se sentir reconhecido.”

Inspirar

A rotina e a mesmice podem ser outros fatores que destroem a motivação do funcionário. Cabe ao gestor, também, colocar desafios e tarefas novas à sua equipe, que fujam da atividade normal de cada um. O líder deve saber se o funcionário gosta de se sentir desafiado e é capaz de desempenhar a tarefa, mas a ideia, afirma Duarte, é justamente desafiar seu profissional. “É um obstáculo, no bom sentido, para que o funcionário consiga se conhecer. Quando ele percebe que fez algo diferente, que não fazia, se sente motivado”, afirma.

Liderança é incentivar, cobrar e passar funções, mas também inspirar sua equipe, sendo um modelo. “[O chefe] precisa ter coerência entre o que fala e o que faz”, afirma Geovana Magalhães. É preciso também que sua equipe entenda os valores e missões da companhia ou de sua área. “É comum o funcionário estar trabalhando e não saber o objetivo, a missão dentro da empresa”, diz Jonas Duarte. Segundo ele, o gestor deve falar individualmente com cada funcionário, para entender se os valores e objetivos da empresa estão de acordo com o funcionário. E não basta que aconteça apenas na hora em que ele é contratado. “Isso tem de ser lembrado mensalmente, se possível”, afirma Duarte.

Desafiar

Ouvir Os profissionais desejam ser ouvidos. “A participação das pessoas nas soluções também motiva os grupos. Mas não basta escutar. Tem de ouvir e considerar aquela resposta como uma possibilidade real”, afirma Geovana Magalhães.


Notícias 24

2015 e seus feriados

De posse do calendário de 2015, muitas pessoas comemoraram, ainda no ano passado, o fato de o ano contar com diversos feriados prolongados. Só no primeiro semestre, são seis feriados caindo nas quintas-feiras (Confraternização Universal – 01/01 - e Corpus Christi – 04/06), nas sextas (Paixão de Cristo – 03/04 - e Dia do Trabalho – 01/05), no sábado (Santo Antônio, feriado municipal – 13/06) e na terça-feira (Tiradentes – 21/04), além do Carnaval, que embora não seja considerado feriado, acarreta folgas para muitos trabalhadores. Já no segundo semestre, serão quatro feriados prolongados, sendo todos caindo em segundas (Independência do Brasil – 07/09, dia de Nossa Senhora Aparecida – 12/12 – e Finados – 02/11) e sexta (Natal – 25/12), além do fechamento do comércio no dia 24 de agosto, em Juiz de Fora, em função do Dia do Comerciário, previsto no Acordo de Condições Especiais de Trabalho anexo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). Para diversos setores da economia, o número elevado de feriados impacta, de forma negativa, a lucratividade. De acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio (CNC), o prejuízo deverá ser de R$ 15,5 bilhões para o setor em todo país, resultado 22,5% maior do que o de 2014, já descontada a expectativa de inflação para este ano. Segundo avaliação da CNC, além de perdas parciais de vendas, o fechamento dos estabelecimentos ou a opção pela abertura das lojas nos feriados compromete a lucratividade do setor por meio da “elevação extraordinária dos custos trabalhistas decorrentes das operações nesses dias”. De acordo com a CNC, tendo como base dados do Ministério do trabalho e Emprego (MTE), verificou-se que em 2014 a ocupação e o rendimento médio real dos trabalhadores formais do comércio cresceram 2%


e 1,8%, respectivamente. “Ou seja, a massa de rendimentos do setor expandiu 3,8%, acima do volume de vendas, mantendo o crescimento da relação folha de pagamentos/receita operacional líquida, o que vem ocorrendo desde 2009.”

PARA AMENIzAR OS IMPACTOS De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio de Juiz de Fora (SindicomércioJF), Emerson Beloti, a redução no faturamento causada pelos feriados que caem quintas, sextas ou segundas-feiras pode chegar a 20%. Para reduzir os impactos no comércio por conta destes feriados e garantir os direitos dos trabalhadores, é possível um estabelecimento comercial abrir suas portas nestes dias. A CCt, assinada pelas entidades patronal e laboral, em suas cláusulas 47ª e 48ª, estabelece as regras para o funcionamento do estabelecimento nos feriados, mediante a aquisição gratuita do Certificado de Regularidade, com validade na vigência da referida Convenção Coletiva de Trabalho. O certificado deve ser solicitado ao Sindicomércio-JF, por meio de requerimento próprio e apresentação dos seguintes documentos: apresentação de cópia do contrato social ou última alteração se houver; cópia das contribuições sindicais (previstas em Lei) patronal (empregador) e laboral (empregados). “As entidades buscaram uma alternativa para amenizar o impacto das datas sem ferir o direito dos trabalhadores”, aponta Beloti. Hoje, cerca de 60 lojas do comércio de rua, incluindo supermercados, possuem o Certificado de Regularidade, estando habilitadas a funcionarem nos feriados. “Os empresários de Juiz de Fora ainda não têm este hábito. Mas é importante a mudança visto que a cidade é pólo da zona da Mata, o que revela a importância de ter o comércio aberto também nos feriados.”


Notícias 26

FériAS TIRE SUAS DÚVIDAS

Algo comum na rotina das empresas, as férias dos colaboradores ainda costumam gerar dúvidas entre os empregadores. Para auxiliá-lo, recorremos ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Confira as perguntas e respostas. que valor o funcionário tem direito a receber quando sai de férias? De acordo com o art. 19 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), todo empregado tem direito às férias sem prejuízo no salário. Além disso, a Constituição Federal de 88 prevê, em seu art. 7° § XVII, que o funcionário deve receber uma remuneração de férias com valor superior a, pelo menos, um terço do salário normal. o trabalhador tem direito a quantos dias de férias? O empregado tem direito a trinta dias corridos de férias, caso não tenha faltado ao trabalho (sem justificativa) mais de cinco vezes. Caso tenha faltado de seis a 14 vezes, as férias devem ser de 24 dias corridos. Se as faltas injustificadas forem de 15 a 23 dias, o trabalhador terá direito a 18 dias corridos de férias, conforme previsto no artigo 130, III da CLT. Caso o número de faltas seja superior a 32 dias, o trabalhador não terá direito a férias. quando o trabalhador deve sair de férias? O direito a férias se divide em dois períodos: o “período

aquisitivo”, que tem início no dia em que a pessoa começa a trabalhar. Ao final desse período, ou seja, após doze meses, o funcionário tem mais doze meses subsequentes para tirar 30 dias de descanso. Vale lembrar que quem escolhe a data é o empregador. As férias devem ser autorizadas em um período determinado pelo contratante, após 12 meses de trabalho do funcionário, o chamado “período concessivo”. quando o pagamento deve ocorrer? O pagamento da remuneração deverá ser efetuado até dois dias antes do início do período fixado pelo empregador para as férias do empregado. o trabalhador pode “vender” suas férias? Caso seja da vontade do trabalhador, ele poderá converter 1/3 das férias em dinheiro. é o conhecido “vender férias”. Esse valor não poderá ultrapassar um terço do período de gozo determinado pela lei, ou seja, dez dias, e o empregado deverá informar ao contratante sobre esse interesse até 15 dias antes do fim do período aquisitivo. Trata-se do abono de férias.


27


Capa 28

DIA DAS MÃES EXPECTATIVA é DE AqUECIMENTO DO COMéRCIO PARA A DATA A segunda melhor data em termos de faturamento, superada apenas pelo Natal, está se aproximando. Mesmo diante de um período de crise financeira, a expectativa é que o Dia das Mães, celebrado, este ano, no dia 10 de maio, movimente o comércio de Juiz de Fora. “Trata-se de uma data que carrega consigo um forte apelo sentimental, o que tem feito com que as vendas sejam positivas no período. Para este ano, esperamos que o consumidor arrume um jeito de presentear, driblando o momento difícil que financeiramente estamos vivendo”, destaca o presidente do Sindicomércio-JF, Emerson Beloti. Para quem planeja homenagear as mães, a variedade de produtos é grande no comércio de Juiz de Fora. Entre os itens mais procurados para presentear as mães, de acordo com as pesquisas sobre intenção de compras realizadas em anos anteriores pelo Sindicomércio-JF, estão roupas, cosméticos, flores e eletrodomésticos, itens que, com certeza, farão parte da pesquisa em andamento, com foco neste ano. Mas, como a oferta é grande, como agir, diante da concorrência, para sair à frente com seu negócio, fazendo com que seu produto chegue ao consumidor? Uma pesquisa realizada recentemente pela revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios aponta que 61% dos consumidores afirmam que ser bem atendido é mais importante do que o preço ou a qualidade dos produtos. O estudo, que ouviu 1.350 pessoas de todas as classes sociais, em cinco capitais do Brasil, revelou, ainda, que depois de avaliar o atendimento, 26% dos consumidores se preocupam com a qualidade e 24% disseram comprar de acordo com a imagem da empresa no mercado. Apenas 12% dos entrevistados consideram o preço o item mais importante na hora da compra. Confirmando a tendência nacional, na pesquisa de intenção de compras para o Dia das Mães, realizada pelo Sindicomércio no ano passado, 44,03% dos consumidores informaram preferir comprar em estabelecimentos onde o vendedor é cortês e educado. Em seguida, 28,69% dos entrevistados disseram escolher o local de compras onde têm atenção exclusiva por parte do vendedor. Por isso, destaca-se a importância do setor buscar capacitação e desenvolvimento de habilidades e competências que são diferenciais para o consumidor. Além disso, com foco na data, o empresário deve aproveitar a oportunidade de vendas, enaltecendo as qualidades da mãe e da mulher, destacando o que ela representa na família. Como? Oferecendo, no momento da compra, comodidade e produtos.


CARINHO E AMOR Assim como o Dia das Mães é uma data cercada de muito amor e carinho, o Dia dos Namorados acaba fazendo com que o início do mês de junho seja de muitos corações em tom vermelho nas vitrines do comércio. E, diante da expectativa de aumento no movimento em função do Dia das Mães, a intenção é manter o fôlego para o 12 de junho, terceira melhor data para o comércio, atrás do Natal e do Dia das Mães. “Assim como o Dia das Mães, o Dia dos Namorados também apresenta o apelo emocional, o que nos faz confiantes.” Entre os presentes mais procurados para namoradas e namorados, de acordo com as pesquisas realizadas pelo Sindicomércio-JF em anos anteriores, estão roupas, cosméticos, joias e flores.

DIA DE SÃO VALENTIM No mundo, o Dia dos Namorados é conhecido como Dia de São Valentim, no qual se celebra a união amorosa dos casais com a troca de presentes. Diz a lenda que na Idade Média existia um bispo chamado Valentim, que lutou contra as ordens do imperador Cláudio II, que, naquela época, havia proibido o casamento durante as guerras, pois acreditava que os solteiros eram melhores combatentes. Valentim continuou celebrando casamentos e até ele mesmo casou-se secretamente, mesmo diante das proibições. Valentim foi descoberto, preso e condenado à morte, porém, enquanto estava preso, muitos jovens davam flores e bilhetes, dizendo que ainda acreditavam no amor. Enquanto aguardava na prisão o cumprimento da sua sentença, ele apaixonou-se pela filha cega de um carcereiro e, milagrosamente, devolveu-lhe a visão. Antes da execução, Valentim escreveu uma mensagem de adeus para ela, na qual assinava como “Seu Namorado” ou “De seu Valentim”. Na Europa e nos Estados Unidos, o Dia de São Valentim é comemorado em 14 de fevereiro. Já no Brasil, a data é celebrada em 12 de junho. A versão romântica da história explica que o dia foi escolhido por ser véspera do dia 13 de junho, Dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro. Porém, a versão oficial é que o Dia dos Namorados foi inventado no Brasil em 1949 pelo publicitário João Dória, que criou a data para promover, na época, uma loja que funcionava no centro de São Paulo e turbinar as vendas do então fraco mês de junho. A loja distribuiu presentes para centenas de casais, sob o slogan “Não é só com beijos que se prova o amor”. Desde então, a data virou tradição para os casais apaixonados e para o comércio brasileiro.


Notícias 30

LANçA GUIA PARA AJUDAR USUÁRIO A

APerFeiÇoAr PerFil

A rede profissional LinkedIn resolveu criar e disponibilizar uma espécie de guia para que os seus usuários possam explorar todo o potencial da rede, com objetivo de construir a sua identidade profissional online e ampliar sua rede de relacionamentos. Ao acessar a página, os novos membros contam com um passo a passo para criar um perfil mais completo e interessante. Porém, não só os novatos poderão aproveitar a ferramenta. Usuários já cadastrados também poderão utilizar o guia para obter melhor aproveitamento da rede social. “Diferentemente do currículo tradicional, o perfil do LinkedIn é dinâmico. Ele acompanha o crescimento de cada pessoa e traz outras informações, além da experiência profissional, que nos ajuda a conhecer o usuário de maneira mais completa. Ele pode - e deve - ser atualizado com frequência”, afirma a gerente de comunicação do LinkedIn na América Latina em matéria publicada no portal Aministradores.com, Fernanda Brunsizian. Abaixo você confere seis dicas rápidas do LinkedIn para tornar o seu perfil mais atrativo, conquistando a atenção dos empregadores de plantão.

1 Foto corporativa: um perfil com foto é 14 vezes mais visto que um perfil sem foto. é a imagem que dá credibilidade ao perfil, portanto, prefira imagens que traduzam a imagem que você quer passar em um ambiente profissional. A dica é colocar uma foto que transmita seriedade e profissionalismo sem perder a sua essência.

2 Cabeçalho: preencha sua posição atual ou então escreva uma mensagem que reflita sua inspiração profissional.

3 Tenha uma URL personalizada: será mais fácil de encontrar seu perfil em sites de busca.

4 Capriche no resumo: o que você faz como profissional e

as suas conquistas devem caber em aproximadamente 300 palavras e no máximo dois parágrafos. O resumo deve ser escrito em primeira pessoa, com verbos ativos, em forma de narrativa e tom pessoal.

5 Experiência: descreva sua função com palavras-chave, isso ajuda na indexação do perfil nas buscas. Evite copiar e colar do seu currículo.

6 Conteúdo: adicione seu portfólio ao perfil com apresentações, vídeos ou infográficos.


Notícias 32

ASSinAdA mP

qUE ESTENDE MODELO ATUAL DE REAJUSTE DO

mÍnimo Até 2019


A presidente Dilma Rousseff assinou, no dia 24 de março, medida provisória, que foi enviada ao Congresso Nacional, prorrogando até 2019 o atual modelo de reajuste do salário mínimo. A atual regra de valorização do mínimo, em vigor desde 2011, vale somente até o fim deste ano. O mecanismo de atualização do salário mínimo atualmente é calculado com a correção da inflação, medida pelo índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores. Segundo a presidente, o conteúdo da nova MP é o mesmo. O novo texto substituirá o projeto de lei aprovado no início do mês de março pela Câmara, que estende, até 2019, as atuais regras de correção anual do salário mínimo. Na votação, porém, não houve acordo sobre o reajuste do mínimo para os aposentados que ganham mais que o mínimo, e a análise desse item foi adiada. A MP assinada por Dilma, não se refere aos aposentados que ganham mais que o mínimo, cujo reajuste é feito com base na variação da inflação. Embora a Câmara tenha aprovado projeto com o mesmo conteúdo da MP, Dilma enviou uma medida provisória após acordo, no dia 24 de março, com lideranças partidárias

da base aliada do governo. Diante de um impasse com os partidos da oposição para votação da questão dos aposentados, a estratégia do governo é deixar de lado o projeto de lei, a fim de evitar que a matéria se arraste durante todo o mês de abril sem votação e chegar ao Dia do Trabalho (1º de Maio) sem uma definição sobre o reajuste do mínimo. Além disso, a edição da MP previne o risco de uma derrota do governo na Câmara, com a eventual aprovação da extensão do reajuste do mínimo para os aposentados, o que traria impacto aos cofres públicos. Segundo a presidente, o Dia do Trabalho (1º de Maio) está próximo e, “tradicionalmente”, é o governo que envia o texto que reajusta o mínimo. Além disso, com a aprovação do Orçamento da União, também em março, pelo Congresso, “para poder computar qualquer variação do salário mínimo eu preciso ter essa medida aprovada”. “Não estamos atropelando nada nem ninguém. [...] Estamos exercendo o direito de iniciativa em algo que gera despesas”, afirmou a presidente. Durante a assinatura da MP, Dilma defendeu as medidas de ajuste fiscal do governo e ressaltou que o momento é de “crise” e “dificuldade conjuntural”. Mas disse que, apesar do cenário econômico, os direitos trabalhistas devem ser mantidos. “Os ajustes não têm um sentido em si. Eles têm um sentido de se adaptar a circunstâncias. Isso significa que certas políticas têm que ser mantidas. é importante o Brasil continuar com a política de valorização do salário mínimo porque é o reconhecimento que o crescimento econômico não se dá em detrimento do trabalhador nem tampouco se dará sem que a gente reduza políticas sociais.”

TRAMITAçÃO Depois de publicada no “Diário Oficial da União”, a MP passa a valer como lei e vigora por até 120 dias. Com a publicação, uma comissão especial formada por deputados e senadores passa a analisar o texto e pode fazer alterações. Se o Congresso não votar a MP em até 45 dias, a medida tranca a pauta de votações até ser analisada. Se a comissão fizer modificações, o texto passará a tramitar no Congresso como Projeto de Lei de Conversão (PLV). Tanto no formato de MP ou de PLV, o projeto precisará ser aprovado pelos plenários da Câmara e do Senado. Em seguida, a presidente da República sancionará ou vetará a lei. Com informações do G1


Notícias 34

PEDIDO DE Seguro-deSemPrego DEVE SER FEITO PELO EMPREGADOR Para tornar mais rápido o atendimento ao pedido e dar maior segurança às informações sobre os trabalhadores, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) determinou que as empresas passem a preencher o requerimento do segurodesemprego de seus empregados pela internet. A medida começou a valer no dia 1º de abril. Os empregadores só poderão preencher o requerimento do segurodesemprego e a comunicação de dispensa de trabalhadores por meio do aplicativo Empregado Web, disponível no Portal Mais Emprego, do MTE. Com isso, já não são mais aceitas as entregas dos formulários impressos. Segundo o ministério, o sistema dará maior rapidez à entrega do pedido, além de garantir a autenticidade dos dados, e possibilitará o cruzamento de informações sobre os trabalhadores em diversos órgãos, facilitando consultas necessárias para a liberação do seguro-desemprego. Foto: Frederico Haikal


35


Notícias 36

noVA lei AntiFumo VISA À PROTEçÃO DO TRABALHADOR EXPOSTO AO FUMO

A nova lei antifumo, publicada em dezembro de 2014, tem como objetivo proteger a saúde da população contra os malefícios da fumaça do tabaco e conscientizar os donos de bares, lojas e restaurantes que está proibido fumar tanto em locais totalmente fechados como em locais parcialmente fechados. Ou seja, além dos ambientes fechados, como restaurantes, shoppings, boates, universidades, museus, locais onde normalmente já era proibido fumar, agora também é proibido fumar quando houver um toldo, um telhado, como é comum, por exemplo, em bares. Os estabelecimentos comerciais destinados especificamente à comercialização de produtos fumígenos e os ambientes fechados onde o fumo será permitido – tabacarias, locais de pesquisas e sets de filmagens – precisarão se adequar para atender às regras da portaria. A novidade tem como objetivo garantir a proteção à saúde dos trabalhadores expostos ao fumo. Esses locais devem possuir uma área exclusiva para o consumo, com sistema de ventilação por exaustão, capaz de reduzir o acúmulo de emissões de fumaça no seu interior e evitar a contaminação dos demais ambientes. Nesses ambientes não será permitida a venda e fornecimento de alimentos e bebidas. Os fumantes, no entanto, poderão levar para o interior do local o que forem consumir. O sistema de ventilação deverá ser mantido em operação após a desocupação e desativação da área exclusiva, sendo desligado automaticamente, para exaurir os resíduos e odores que podem permanecer no ambiente fechado. Os revestimentos, pisos, tetos e bancadas dessas áreas deverão ser resistentes ao uso de desinfetantes, com o menor número possível de ranhuras ou frestas. O mobiliário deve ser de material não combustível, de fácil limpeza e que minimize a absorção das partículas. Os serviços de limpeza e de manutenção das instalações e equipamentos só poderão ser feitos somente quando os locais não estiverem em funcionamento. “Esta não é uma ação isolada, que começou agora, é uma luta histórica.


Estamos acumulando sucessivas conquistas no controle do tabaco, que impacta na saúde, na vida e na morte do brasileiro. O tabagismo é um desafio para toda sociedade, não somente para o sistema público de saúde. O impacto sobre a mortalidade da população brasileira mostra a necessidade de construir ações protetivas do cidadão. A lei não está cerceando o direito do fumante de acender o seu cigarro, ela está garantindo o direito do não fumante de não ser exposto à fumaça e aos malefícios do fumo passivo”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro, na época da publicação da medida. Os estabelecimentos já existentes deverão se adaptar às normas até o dia 1º de junho. O descumprimento constitui infração de natureza sanitária, com previsão de multa que varia de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão em caso de desrespeito às normas sanitárias. O desrespeito pode acarretar, ainda, a interdição e a cassação do alvará de funcionamento do estabelecimento. As vigilâncias sanitárias dos estados e municípios e as Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego ficarão encarregadas de fiscalizar o cumprimento da legislação.

LEGISLAçÃO A regulamentação das regras para proteger o trabalhador já estava prevista no Decreto 8.262/14, popularmente conhecido como Lei Antifumo. A legislação proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, charutos, cachimbos e outros produtos fumígenos, derivados ou não do tabaco, em locais de uso coletivo, públicos ou privados, mesmo que o ambiente esteja só parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou até toldo. Os narguilés também estão vetados. A norma também extingue os fumódromos e acaba com a possibilidade de propaganda comercial de cigarros nos display dos pontos de venda. Outra obrigatoriedade prevista é o aumento dos espaços para os avisos sobre os danos causados pelo tabaco e a presença de advertências em 30% da parte frontal das embalagens dos produtos a partir de 2016.

Fonte: Blog da Saúde - Ministério da Saúde


Notícias 38

onde é Permitido e onde nÃo é Permitido FumAr onde nÃo é Permitido

onde é Permitido

Interior de bares, boates, restaurantes, lanchonetes, escolas, universidades, museus, bibliotecas, espaços de exposições, áreas comuns de condomínios, casas de espetáculo, teatros, cinemas, hotéis, pousadas, casas de shows, açougues, padarias, farmácias e drogarias, supermercados, shoppings, praças de alimentação, centros comerciais, bancos e similares, em ambientes de trabalho, estudo, de cultura, de culto religioso, de lazer, de esporte ou entretenimento, repartições públicas, instituições de saúde, hospitais, veículos públicos ou privados de transporte coletivo, viaturas oficiais e táxis.

Em casa, áreas ao ar livre, parques, praças, vias públicas, tabacarias, estúdios e locais de filmagem quando necessário à produção da obra, locais destinados à pesquisa e desenvolvimento de produtos fumígenos. Nesses casos, é necessário adotar condições de isolamento, ventilação e exaustão do ar, bem como outras medidas de proteção dos trabalhadores ao fumo.

NÚMERO DE FUMANTES CAI Pesquisa do Ministério da Saúde e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que o índice de pessoas que consomem cigarros e outros produtos derivados do tabaco é 20,5% menor que o registrado cinco anos atrás. Do total de adultos entrevistados, 14,7% disseram que fumam atualmente. Esse índice era 18,5% em 2008, conforme a Pesquisa Especial de Tabagismo do IBGE (PETab). A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) revela que os homens são os que mais usam produtos do tabaco. Entre a população masculina 19,2% fumam contra 11,2% das mulheres. A faixa etária com maior prevalência é de 40 a 59 anos, com 19,4%, enquanto os jovens de 18 a 24 anos apresentaram a menor taxa, de 10,7%. O uso regular do tabaco é maior ainda em pessoas com menor escolaridade. A prevalência naqueles com nível fundamental incompleto é de 20,2%. Já para a população que possui o ensino superior completo é de 8,8%. Preocupa ainda o alto percentual no Sul, cujos três estados lideram o índice de usuários de tabaco e derivados. Paraná registra 18,1% de fumantes, seguido por Santa Catarina (16%) e Rio Grande do Sul (14,2%).

Fonte: Blog da Saúde - Ministério da Saúde

Também foi analisado pela PNS o índice de pessoas que não fumam, mas estão expostas à fumaça dentro de casa: 10,7% da população. Neste caso, os jovens de 18 a 24 anos são os mais atingidos. No trabalho, o percentual de pessoas que estão sujeitas ao fumo passivo é ainda maior, de 13,5%. A PNS contabiliza 63 mil entrevistados a partir de 18 anos. Os resultados foram divulgados em dezembro do ano passado.

200 MIL MORTES O cigarro é responsável por cerca de 200 mil mortes por ano no Brasil e a Organização Mundial de Saúde reconhece o tabagismo como uma doença epidêmica. A dependência da nicotina expõe os fumantes continuamente a mais de quatro mil substâncias tóxicas, que são fatores de risco para aproximadamente 50 doenças, principalmente as respiratórias e cardiovasculares, além de vários tipos de câncer como o de pulmão e brônquios. O fumo responde hoje por 90% dos casos de câncer de pulmão e 25% das doenças vasculares, como infarto. Com informações do Ministério da Saúde


Notícias 39

Enquadramento Sindical e SUA importância NAS relações

empregador e empregado

Definido na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o enquadramento sindical é o instrumento que ordena as categorias econômicas e profissionais, servindo como base para a constituição dos sindicatos. As atividades dos setores são representadas no quadro referido pelo Artigo 577 da CLT. A arrecadação é feita com base na(s) atividade(s) econômica(s) exercidas pelas empresas, presente(s) no objeto social do contrato social da empresa. Para acompanhar os avanços tecnológicos e a globalização, que criam novas demandas profissionais, essas classes e funções podem ser revistas. Tais atividades estão descritas na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (Cnae). Conforme o advogado do Sindicomércio-JF, Rubens de Andrade Neto, “a descrição correta e real das atividades das empresas no contrato social em compasso com o informado no cadastro nacional das pessoas jurídicas são essenciais para definição da representatividade sindical.

Como exemplo de um desdobramento, temos que a multiplicidade de atividades em uma mesma empresa pode acarretar a obrigatoriedade de contribuição a mais de um ente sindical, caso determinada atividade não convirja para a atividade preponderante.” Diante disso, é possível destacar a importância do enquadramento sindical para o desenvolvimento das relações entre empregador e empregado, que só podem ser representados pelos organismos das categorias em que se encaixam. “Por meio do enquadramento sindical, profissionais e empresários conhecem as entidades que os representam e as normas coletivas às quais estão sujeitos, bem como os recebedores da contribuição sindical”, destacou o coordenador do Jurídico Sindical da Fecomércio-MG, Júlio Linhares, durante palestra realizada recentemente na sede do Sindicomércio-JF.


Notícias 40

DICAS PARA UM FEEDBACK CORRETO E SEM TRAUMAS Dar feedback é algo comum na vida de um líder. Mas quem disse que é fácil? Para que a ação cumpra o efeito desejável, é preciso ter bastante cautela para não traumatizar o funcionário receptor e comprometer toda a carreira dele. Segundo a coach Bibianna Teodori, em entrevista ao portal Administradores.com, alguns profissionais podem encarar a mensagem como uma crítica e, claro, se abalar com a atitude se ela não for feita da forma correta. “Muitos ficam na defensiva e se sentem humilhados ou envergonhados. Mas normalmente isso acontece quando o feedback não foi aplicado corretamente”, afirma a especialista. Segundo ela, a ação só surte o devido efeito se o receptor encará-la como um estímulo, utilizando-a assim para o seu crescimento.

“quando o feedback leva o profissional a se sentir encorajado a encontrar soluções, melhorar ou adotar uma postura proativa, é sinal que o processo foi bem feito pelo líder.” Para ela, é necessário que o emissor do feedback aponte os caminhos produtivos e enriquecedores para o funcionário, para que, assim, o aprendizado possa ocorrer. “Deve-se encorajar o colaborador, esclarecer pontos da situação atual e visar à solução dos problemas, além do aprimoramento de habilidades.” A especialista lista, então, sete regras para você dar o “feedback ideal”, sem causar traumas ou más impressões.


Notícias

notícias 41

92

%

DOS CONSUMIDORES DESCONFIAM DE

PreÇoS muito BAiXoS

Os consumidores estão mais conscientes e sabem a importância de comprar apenas em lojas confiáveis. Esse foi o resultado da pesquisa feita, recentemente, pelo site zoom, que teve o intuito de medir o comportamento e o conhecimento dos e-consumidores sobre seus direitos. O estudo foi realizado com 9.253 mil pessoas. Os resultados revelam que três de cada quatro pessoas entrevistadas verificam informações, como endereço físico, telefones, emails, serviço de atendimento ao consumidor ou CNPJ antes de efetuar sua compra pela primeira vez. Além disso, 92% afirmam desconfiar quando o preço de um produto está muito abaixo do que o praticado pelo mercado. A maioria dos entrevistados (60%), quando se depara com ofertas muito discrepantes da realidade, pesquisa se existem reclamações sobre a loja em sites, como o Reclame Aqui. Verificar os comentários de outros consumidores que já compraram na varejista é também um recurso para 58% deles. Checar informações sobre a credibilidade da loja também é uma das alternativas mais procuradas, representada por 54% dos respondentes da pesquisa do zoom. Além de mais informadas sobre como se precaver de fraudes nas compras online, as pessoas também estão mais conscientes de seus direitos. Na pesquisa, 64% dos entrevistados afirmam conhecer a lei de proteção ao consumidor, representada pelo Decreto 7962/13, que estipula um prazo de sete dias, contados a partir do dia do recebimento do produto comprado em uma loja online, para que o cliente possa devolvê-lo e ser ressarcido, mesmo que esse já tenha sido usado ou não apresente defeito.

Entretanto, a maior parte dos entrevistados (55%) não sabe da existência do Dia do Consumidor, comemorado no dia 15 de março. A data surgiu em 1962, quando o então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, fez um discurso em favor dos direitos do consumidor. “Os lojistas fazem promoções especiais nesse dia, mas essa não é só mais uma data comercial. é um momento para comunicar ou reforçar a todos os consumidores seus direitos”, explica o diretor executivo do site zoom, Thiago Flores.


notícias 42

A IMPORTâNCIA DA CONTABILIDADE NA GESTÃO DE UMA EMPRESA A contabilidade é uma das profissões mais antigas do mundo e também uma das mais importantes para a manutenção do sistema econômico. Desde os primórdios, é possível perceber a necessidade de obter informações precisas sobre o patrimônio e as finanças – daí sua essencialidade. Com a abertura do comércio internacional e o processo de integração econômico mundial, o contabilista se tornou mais importante. Prova disso é que, em 2007, o país adotou as Normas Internacionais de Contabilidade para acompanhar todas as mudanças econômicas da época. E foi-se o tempo em que a contabilidade era vista apenas como forma de apuração e cálculo de impostos. E é justamente por ter aberto seu espaço de atuação que a contabilidade foi aumentando, com o passar do tempo, seu grau de importância para as empresas, visto que, atualmente, ela tem papel fundamental no crescimento da empresa. Isso porque é a contabilidade que traz as informações necessárias para o balanço de sua empresa ao final de períodos. quanto a empresa vendeu? quanto recebeu? quanto comprou?


notícias 43

quanto pagou? quais foram seus débitos e quais foram seus créditos? quanto foi empenhado nas despesas com funcionários? quanto foi pago de imposto? Para ajudar a responder a essas questões, temos a contabilidade gerencial, responsável por gerar informações que respondam às perguntas acima, contribuindo de forma decisiva na gestão empresarial. é a contabilidade gerencial que contém informações extremamente úteis para a sobrevivência da empresa, podendo fazer provisões futuras, relacionando gastos e recebimentos, o que auxilia, inclusive, na preparação para possíveis surpresas desagradáveis. O empresário, esteja ele à frente de uma empresa de pequeno, médio ou grande porte, deve procurar na contabilidade uma fonte de informações úteis para melhor gerir sua empresa, por meio de um bom planejamento tributário. A contabilidade é o instrumento que auxilia a administração na tomada de decisões. Na verdade, ela coleta todos os dados econômicos, mensurando-os monetariamente,

registrando-os e sumarizando-os em forma de relatórios ou de comunicados, que contribuem para a tomada de decisões. Algumas vantagens de uma contabilidade adequada: • oferece maior controle financeiro e econômico à entidade; • Facilita acesso às linhas de crédito com bancos e fornecedores; • Prova aos sócios a verdadeira situação patrimonial; • demonstração do resultado do exercício; • demonstração de lucros ou Prejuízos Acumulados; • demonstração de origens e Aplicação de recursos; • Balanço Patrimonial. Uma entidade que possui uma contabilidade completa, que dê toda a assessoria, pode evitar a perda de capital, e mais, pode conseguir gerar capital com mais tranquilidade. Com informações de Fecomércio-MG, Contábeis.com


Comportamento 44

AutoconHecimento Pode Ser cHAVe PArA o SuceSSo, Segundo PSicÓlogA Fazer autoanálise não é algo fácil. Afinal, fazer uma reflexão com intuito de se conhecer mais a fundo não é uma tarefa fácil e rápida de se cumprir, pois o autoconhecimento é um processo “de toda a vida” e não algo que vem da noite para o dia. No entanto, essa proeza pode abrir um mundo de oportunidades ao nosso redor. Segundo a consultora e psicóloga Heide Castro, especialista em psicologia organizacional, “autoconhecer-se não é só dizer que se acha bom nisso ou naquilo, mas sim também saber seus limites pessoais. Perguntas fáceis como: ‘qual foi a última vez em que me expus? Devo me arriscar? Errei? ou ainda treinamentos específicos da Psicologia Cognitiva – Metacognição, que consiste em pensar sobre os meus pensamentos e entender as funções cognitivas Input, Desenvolvimento e output - Coaching, Terapia, Livros e Teatro, conseguem dar um norte para o que estamos procurando”, explica a psicóloga em entrevista ao portal Administradores.com. De acordo com ela, no início deste processo não devemos dar tanta importância para descobrir de cara a nossa jornada ou a busca, mas sim dar o primeiro passo, visando, assim, um crescimento desejado. Confira algumas dicas da especialista Heide Castro para que você se conheça melhor e possa crescer na sua vida profissional.


1 2 3 4

Conversar consigo mesmo, refletir sobre os pensamentos e sentimentos; Não reprimir sentimentos, principalmente os negativos; Seja flexível; aprenda com as dificuldades; Descubra o que mais o motiva, bem como o que desmotiva também;

5

Procure pautar quais foram os seus maiores aprendizados, bem como as suas maiores realizações até o momento;

6

Faça uma lista de desejos do que pretende realizar para curto, médio e longo prazo;

7

Peça um feedback para pessoas próximas, em quem confia, para te ajudar a perceber os “pontos cegos” de seu comportamento;

O autoconhecimento exige uma autoavaliação. é preciso voltar a si mesmo e perceber suas qualidades, seus defeitos, seus limites, o que liga seu sinal de alerta e o que o deixa inseguro. Enfim, abrir as portas para fazer todas as perguntas possíveis e encarar todas as respostas”, conclui a consultora Heide Castro.


Notícias 46

MINHA EMPRESA PRECISA ESTAR NO TWITTER? De acordo com dados fornecidos pelo Twitter ao analisar o público brasileiro, quatro em cada cinco usuários acessa a internet pelo celular. A grande maioria dos entrevistados, o equivalente a 82%, usa os smartphones para checar as redes sociais. Além disso, 76% dos entrevistados acessam o Twitter para procurar produtos e 73% para se informar. Diante dos dados, vale a pergunta: “Minha empresa precisa estar no Twitter?” Se o seu público está lá, a resposta é sim. Mas, para isso, é importante conhecer um pouco sobre a ferramenta e, como qualquer outro meio de comunicação requer, planejar. Veja as dicas apresentadas pela Fecomércio-MG, que auxiliam nesse planejamento.

PLANEJAMENTO

Antes de começar a utilizar o Twitter, pergunte a si mesmo: “O que pretendo divulgar?”, “Como os meus concorrentes atuam?”, “Como o meu público se relaciona com a ferramenta?”

CONTEÚDO

imagens nos posts. Você pode inserir até quatro delas, formando um mosaico. Pode também marcar até dez usuários em um mesmo post – uma ótima forma de atrair a atenção do seu público ou de dar uma resposta coletiva sobre um tema comum.

INTERAçÃO

O Twitter suporta textos de até 140 caracteres. Ainda assim é preciso planejar bem a forma como o seu conteúdo será apresentado. Escreva sempre de maneira clara e objetiva para que a mensagem não fique incompleta e desperte a atenção dos seus leitores.

O mínimo que o usuário espera quando envia uma mensagem é uma resposta. Não deixe seus seguidores falando sozinhos. Interaja com eles, responda aos questionamentos, agradeça os elogios e, acima de tudo, aceite as críticas com paciência e educação.

LINKS

CRIATIVIDADE

Utilize encurtadores de links para aproveitar o espaço e também para mensurar o número de cliques em suas publicações.

FUNçõES DA FERRAMENTA

O Twitter disponibiliza ferramentas que tornam os posts mais atrativos e funcionais. Entre elas, a que permite inserir

Aliado ao twitter, use recursos para deixar seu posts mais interessantes e atrativos. Você pode, por exemplo, fazer uma enquete no Google Docs e compartilhá-la no Twitter da empresa. Se a enquete tiver apenas duas opções de resposta, ela será incorporada à plataforma e seus seguidores poderão escolher a que preferem sem precisar clicar em links externos ou sair da página.

Lembre-se: o perfil da sua empresa no Twitter pode ser uma extensão das notícias importantes já divulgadas em outros canais, um canal de relacionamento com os clientes eE uma fonte de consulta constante sobre o que o seu público anda comentando.


Espaço Saúde 47

DENGUE JUIz DE FORA ESTÁ NA LISTA DE MUNICíPIOS EM SITUAçÃO DE RISCO DE EPIDEMIA

O Ministério da Saúde divulgou, recentemente, uma lista de 340 municípios onde foi realizado o Levantamento Rápido de índices para Aedes aegypti (LIRAa), que se encontram em situação de risco para ocorrência de epidemias. Outras 877 cidades estão em estado de alerta. Um total de 627 municípios apresenta índice satisfatório. No total, 1.844 municípios brasileiros realizaram o levantamento, entre janeiro e fevereiro deste ano Juiz de Fora faz parte da lista de das cidades em situação de risco. A lista apresenta dados d o Liraa realizado no mês de janeiro, quando Juiz de Fora apresentou 4,16% das residências com foco do mosquito. Contudo, segundo o levantamento realizado na cidade entre os dias 2 e 12 de março, o índice de infestação do Aedes aegypti é de 6,8%, com 491 focos positivos, conforme apresentado pela Secretaria de Saúde em 17 de março. O Ministério da Saúde preconiza que os índices satisfatórios sejam de até 1%. Durante o Liraa, foram vistoriados 5.937 imóveis em 201 bairros. Os bairros mais infestados foram o Borboleta (Cidade Alta), com 33 focos; o Monte Castelo (zona Norte), com 21 focos; e o Distrito Industrial (zona Norte) e Alto Vila Ideal (região Sudeste), ambos com 11 focos cada.

Para a realização do levantamento, Juiz de Fora é dividida em 13 estratos. No estrato que inclui bairros das regiões Norte e Centro Oeste (Monte Castelo, Jardim Cachoeira, Fábrica, Mariano Procópio, Democrata, Borboleta, Neo Residencial, Jardim Glória, Santa Catarina, Vale do Ipê, Bosque Imperial e Morro do Imperador), o índice de infestação chegou a 14,5%. “Muitas pessoas começaram a armazenar água, devido ao período de estiagem, mas se esqueceram de cobrir os recipientes, principalmente em canteiros de obras. Isso ajudou no alto índice”, aponta a subsecretária de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora, Magda Ferreira. Ela destaca que equipes de endemias já estão atuando nessas localidades para evitar que os focos se alastrem.

PREVENçÃO O Ministério da Saúde recomenda algumas medidas de prevenção, entre elas: manter as caixas d’água e outros recipientes de armazenamento de água fechados, colocar as garrafas com a boca para baixo, não deixar água acumulada sobre a laje ou calhas, manter a lixeira fechada, colocar areia nos pratos das plantas, entre outras.


Ações de Representatividade 48

PALESTRA SOBRE MOTIVAçÃO, VENDAS E ATENDIMENTO é REALIzADA NO Sindicomércio-JF O Sindicomércio-JF promoveu, no mês de fevereiro, um workshop sobre motivação, vendas e atendimento, ministrado por Felipe Alvim quinet, palestrante e diretor de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Barbacena Na ocasião, foram abordados temas como: comprometimento; motivação para vendas; trabalho em equipe; novas técnicas de atendimento; novos argumentos em venda; excelência em atendimento; atendimento e encantamento de clientes; recepção eficaz; empatia e importância de entender o cliente; comunicação eficaz; erros mais comuns no atendimento; linguagem corporal; frases proibidas em vendas e atendimento.

Felipe Alvim quinet ministra workshop no auditório do Sindicomércio-JF Divulgação/Sindicomércio-JF

Sindicomércio-JF PARTICIPA DA SOLENIDADE DE TROCA DE COMANDO DO 2º BPM E DO 27º BPM O Sindicomércio-JF esteve representado, no mês de fevereiro, na solenidade de passagem de comando do 2º Batalhão de Polícia Militar e do 27º Batalhão de Polícia Militar, realizada no 27º BPM. Pela entidade, estiveram presentes o vice-presidente, Nício Fortes Garcia, e o superintendente, Sergio Costa de Paula.

O 2º BPM, antes sob comando do tenente coronel Renato Sampaio Preste, passou para o comando do tenente coronel Wagner Adriano Augusto. Já o 27º BPM, antes sob comando do tenente coronel Alexandre Nocelli, passou para o comando do tenente coronel Sebastião Perpétuo Justino. Solenidade de troca de comandos da PM Divulgação/Sindicomércio-JF


Sindicomércio-JF é RECOMENDADO À CERTIFICAçÃO ISO 9001 O Sindicomércio-JF foi recomendado, no mês de março, após realizar auditoria baseada na Norma NBR ISO 9001:2008, à certificação. A ISO 9001 – Sistema de Gestão da qualidade assegura que serviços e produtos oferecidos pela organização atendam aos requisitos dos clientes e do mercado, sendo avaliados constantemente e melhorados quando necessário.

diretor do Sindicomércio INTEGRA qUADRO DE DELEGADOS DO PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE JF O diretor tesoureiro do Sindicomércio-JF, Alexandre Tassi Brugiolo, foi eleito delegado representante da entidade no Plano Diretor Participativo de Juiz de Fora (PDP-JF). Além da entidade, outras 33 foram eleitas no final do mês de fevereiro, completando o quadro de 109 delegados para representar a população juiz-forana. O superintente do Sindicomércio, Sergio Costa de Paula, é suplente no PDP-JF.

A primeira capacitação dos delegados eleitos ocorreu no dia 14 de março. Na ocasião, foram apresentadas temáticas de saneamento, mobilidade, habitação, meio ambiente e uso e ocupação do solo. Além disso, foi realizado um levantamento de proposições por parte dos participantes, que, divididos em subgrupos, externaram suas críticas e sugestões a respeito da elaboração do Plano. Com informações da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF)

Solenidade de troca de comandos da PM Divulgação/ PJF


Notícias 50

Decreto deve reduzir espera por troca de produto com defeito a até 12 dias O governo e o setor produtivo chegaram, finalmente, a um acordo sobre a lista de produtos que devem ter a troca acelerada em caso de defeito. Foram necessários dois anos para a Secretaria Nacional do Consumidor, a indústria e o comércio entrarem em um consenso sobre as mercadorias consideradas essenciais e sobre os prazos em que os itens devem ser trocados. O jornal O Estado de S. Paulo obteve o decreto que está na Casa Civil, pronto para ser assinado pela presidente Dilma Rousseff. Telefone celular, televisão, máquina de lavar roupas, geladeira, fogão e produtos para saúde que devem ser definidos pelo Ministério da Saúde - estão elencados como itens essenciais, que terão de ser trocados quando tiverem “comprometimento de características ou funcionalidades que impeçam sua adequada utilização”. O decreto, que entra em vigor logo após a assinatura pela presidente, regulamenta o artigo 18 do Código de Defesa do Consumidor (CDC). A Lei diz que, em caso de defeito de produto essencial, o consumidor pode trocar a mercadoria imediatamente por outra em perfeitas condições. Hoje, quando há defeito ou vício, o consumidor precisa enviar a mercadoria à assistência técnica e pode aguardar até 30 dias para a troca. O decreto vai diminuir o prazo para reparo de produtos essenciais em duas etapas. Nos seis primeiros meses em que o decreto estiver em vigor, o prazo será de dez dias úteis nas capitais, regiões metropolitanas e no Distrito Federal e de 15 dias nas demais cidades. Depois desse período, os prazos serão reduzidos para 8 e 12 dias úteis, respectivamente.


Atraso Quando lançou o Plano Nacional de Defesa do Consumidor, em 15 de março de 2013, a presidente prometeu baixar o decreto em um mês. As negociações, porém, demoraram muito mais. O anúncio da presidente, que chegou a afirmar no discurso que os problemas deveriam ser solucionados “na hora” em que fossem notificados, fez com que indústria e comércio trocassem farpas. Em um primeiro momento, o varejo repassou a responsabilidade à indústria, que, por sua vez, avisou ao governo que o custo do aumento dos estoques para casos de devolução seria transferido ao cliente, com impacto na inflação. A advertência preocupou a equipe econômica e colocou a lista em “banho-maria”. O governo se viu obrigado a reconhecer que não poderia exigir troca imediata por questões de logística. Por isso, os prazos variam de acordo com a proximidade de grandes centros urbanos. Além disso, o setor produtivo argumentou que não poderia fazer a troca imediata sem vistoria técnica - principalmente nos produtos com softwares. Foi preciso também entender a peculiaridade do comércio eletrônico e a forma como são entregues as compras online. “É o ótimo? Não. Mas estou convencida de que é o bom e a melhor saída que conseguimos depois de um trabalho árduo de negociação”, afirma a titular da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão ligado ao Ministério da Justiça, Juliana Pereira. “Aguardo ansiosamente para que esse decreto se torne realidade normativa.” O acordo se aproxima do que é feito na União Europeia, segundo a secretária. Lá, os produtos têm garantia de dois anos e há uma presunção normativa de que, se o problema ocorrer nos seis primeiros meses, é provável que seja falha na fabricação. Em todos os casos, a empresa faz uma análise. Já nos Estados Unidos, o modelo de negócio permite que as trocas sejam feitas imediatamente quando o consumidor não está satisfeito com o produto, mesmo que a mercadoria não tenha defeito. A grande maioria da indústria e do comércio já segue os primeiros prazos estabelecidos no decreto, diz Benjamin Sicsú, da Samsung. Ele participou das negociações como representante da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros). “Fazer leis para serem seguidas é mais demorado do que fazer regras que não serão cumpridas”, afirma. Fonte: O Estado de S. Paulo


Novos Associados 52

Frangolândia 7J&D Avenida Doutor Simeão de Faria 1878, Santa Cruz Uma empresa familiar, conduzida pelo pai, pela mãe e pela filha. Trata-se da Frangolândia 7J&D, que está há um ano e meio no mercado, atendendo, principalmente a moradores do bairro Santa Cruz. Os produtos oferecidos, apesar do nome do negócio, não estão restritos aos frangos. “Trabalhamos com frango de várias formas e oferecemos, ainda, itens de mercearia”, explica o proprietário, Omero Dias. Segundo ele, o diferencial do estabelecimento é oferecer, além do frango resfriado, o frango assado, inteiro ou em as partes separadas. “Trabalhamos, ainda, com maionese, farofa, lombo, costela e mais uma infinidade de produtos. Tudo para servir bem nosso cliente.” Segundo ele, a associação ao Sindicomércio ocorreu devido ao plano de saúde.

Divulgação / Sindicomércio-JF

Cathita Festas Rua Marília 510, loja 106, Benfica No mercado há cinco anos, a Cathita Festas é uma empresa especializada em aluguel de artigos para festas infantis, oferecendo ornamentação por meio de pacotes que incluem montagem e desmontagem de festas. “Trabalhamos com artigos para festas em geral, mas nosso forte são as festas infantis”, explica a proprietária, Cathia Azevedo Moreira. Ela conta que para abrir seu negócio, fez um plano de negócios, com estudo de mercado. “Estava na faculdade e comecei a levantar dados, que me auxiliaram a abrir o estabelecimento com foco nos moradores do bairro e da região.” Pensando nisso, Cathia trabalha com pacotes diferenciados, que se adéquam ao bolso de cada cliente. “A preocupação engloba também o padrão dos enfeites disponíveis e, principalmente, o atendimento. O cliente merece ser bem atendido.” Cathia aponta que fez a associação da Cathita Festas ao Sindicomércio para usufruir dos benefícios oferecidos, como o plano de saúde, por exemplo. Divulgação / Sindicomércio-JF


História dos Associados 53

História dos Associados

BAHAMAS O ano era 1983. O mês era março. De lá para, são 32 anos de mercado. Tudo começou com um bar, localizado no bairro Santa Luzia. A partir do bar, surgiu uma mercearia. O tempo foi passando, a mercearia começou a oferecer o serviço de entrega, o que proporcionou certo crescimento. Foi aberta, então, a primeira filial. O negócio foi crescendo e a mercearia já tinha formato de supermercado, ainda no bairro Santa Luzia. Desde o início de suas atividades, a direção da hoje Rede de Supermercado Bahamas Ltda. está nas mãos dos sócios Jovino Campos Reis e Paulo Roberto Lopes. Atualmente, a rede é composta por 33 lojas, sendo 19 em Juiz de Fora, estando as outras localizadas em cidades como Viçosa, Ponte Nova, Cataguases (duas unidades), Ubá, Além Paraíba, Barbacena (duas unidades), Leopoldina, Muriaé, São João del-Rei e Uberlândia (três unidades). Até setembro, o Triângulo Mineiro ganhará mais três lojas da rede, duas estão sendo construídas em Uberlândia e uma em Uberaba. A meta é chegar, nos próximos anos a cinquenta unidades comerciais. O relacionamento do Bahamas com as comunidades onde estão inseridas suas lojas é pautado no slogan “Orgulho de ser mineiro”, por meio do qual busca valorizar as coisas das Minas Gerais, apoiando as iniciativas da sociedade. A Rede de Supermercado Bahamas gera, diretamente, pouco mais de seis mil postos de trabalho, distribuídos em suas unidades comerciais, um centro de distribuição e no escritório central. Além disso, outras centenas de empregos são gerados de forma indireta, por meio de prestadores de serviços, promotores, seguranças, pessoal de apoio etc. O Bahamas oferece um mix em torno de 12 mil itens, garantindo aos consumidores uma grande variedade de produtos. O Grupo Bahamas é composto por três bandeiras de lojas e o Bahamas Card, cartão de crédito da rede. A principal bandeira do grupo é também a mais antiga, o supermercado Bahamas. A partir das mudanças de conceitos de mercado, foi criada a bandeira Empório Bahamas, com mix selecionado e lojas conceituais. A mais recente bandeira do grupo é o Bahamas Mix, que trabalha com conceitos de vendas no atacado e no varejo, o chamado “atacarejo”. Colaborou: Nélson Júnior, gerente de Marketing do Grupo Bahamas

Fachada da primiera loja Bahamas

Loja Bahamas Empório Verde

Divulgação

Divulgação


Motivacional 54

o que é

Divulgação/Erik Penna

imPortAnte

PArA VocÊ?

“O tempo é a única riqueza que é distribuída igualmente por todos os homens” - Saint-John Perse Erik Penna Palestrante motivacional e autor de livros, como “Motivação Nota 10” e “A Divertida Arte de Vender”

Certa vez, uma mulher caminhava pela floresta carregando seu filho no colo e se preocupou ao perceber que não se lembrava mais do caminho de volta. Além disso, a fome e a sede já incomodavam bastante. Neste instante ela se deparou com uma caverna mágica. A caverna era mágica, pois ao se aproximar ela escutou uma voz que dizia: “Entre. Seja bem vinda! Esta caverna é mágica, aqui dentro há maravilhas, tudo que há de bom neste mundo, você pode aqui encontrar.” A mulher ficou interessada, adentrou a caverna e ficou boquiaberta com tantas coisas que viu, e perguntou: “Posso pegar tudo o que eu quiser?” E escutou a resposta que dizia: “Sim, você pode pegar o que conseguir levar para fora da caverna, mas preste atenção que você só terá cinco minutos, e, ao findar esse tempo, a porta se fechará e nunca mais se abrirá.” Ela olhou no relógio e prontamente começou a correr para pegar o que mais lhe interessava. Como estava com muita fome, logo avistou um pote com muita comida, iguarias finas e rapidamente levou para fora da caverna. Voltou para dentro da caverna e, como a sede já era grande, abraçou um galão grande cheio de água e o empurrou ligeiramente para fora da caverna para ter tempo de voltar e pegar mais coisas. Ao retornar à caverna, seus olhos brilharam quando viu uma caixa cheia de roupas de grife, mantimentos para casa e uma chave de um carro zero quilômetro. A caixa era extremamente pesada, mas ela conseguiu transpor para fora, garantindo, assim, o direito de levá-la pra casa. Por fim, olhou no relógio, viu que lhe restavam apenas poucos segundos, rapidamente entrou na caverna pela quarta e última vez e, ao se deparar com um saco cheio jóias, moedas de prata, diamantes e barras de ouro, percebeu que era ainda mais difícil, mas ela num esforço sobrenatural conseguiu empurrar o saco pra fora da caverna e, imediatamente, ao sair, viu a porta da caverna se fechar. A mulher estava bem cansada, sentou-se para admirar suas conquistas e aparentemente realizada, começou a avistar as preciosidades que havia conquistado e, com um sorriso enorme no rosto, fitou os olhos no pote de comida, no recipiente com água, nas roupas de grife, na chave do carro, na prata, nos diamantes, no ouro. Neste momento começou a procurar o seu filho e desesperadamente percebeu que o havia esquecido dentro da caverna. Este texto, inspirado na estória de Frances Jenkins Olcott, é um convite para refletirmos sobre o que é importante para nós. Seu trabalho, os bens materiais ou sua família? A pergunta é: Será que temos alinhado o que falamos ao que fazemos? Eu penso que sempre encontramos tempo para o que julgamos que é realmente importante para nós. Lembre-se: estamos aqui de passagem. E muito mais do que acumular riquezas materiais, apartamentos, jóias, fazendas, carros, saiba que a nossa família precisa de nós, e o amor, carinho e tempo a eles destinados, não há dinheiro que pague. E olha que alguns deixam para fazer isso sempre amanhã, e em alguns casos, o amanhã é tarde demais. é evidente que precisamos trabalhar, ultrapassar as metas, superar desafios e promover nosso crescimento profissional, mas não perca o foco, não esqueça das pessoas que te amam, tenha em mente o tempo que destina ao que é importante para você e busque, continuamente, o equilíbrio, afinal o verdadeiro sucesso é ser feliz. E não há sucesso profissional que compense o fracasso familiar.


Revista 21 web  
Advertisement