__MAIN_TEXT__

Page 1

Dezembro – 2018

CAMPANHA SALARIAL DE SÃO PAULO - 2018

APESAR DAS TENTATIVAS, PATRÕES NÃO CONSEGUEM RETIRAR NOSSOS DIREITOS DA CCT! Fotos: Paulo Rogério “Neguita”

A

luta do nosso Sindicato para manter os direitos e conquistas na nossa Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), assim como para garantir aumento real nos salários e nas cláusulas econômicas não foi fácil. Os patrões, além de não aceitarem a nossa proposta de reajuste acima da inflação, queriam acabar, praticamente, com tudo que havíamos conquistado ao longo dos anos. Apesar das dificuldades impostas pelo governo e pelos empresários por força de leis aprovadas nos últimos anos contra os interesses dos trabalhadores, o nosso Sindicato tem conseguido reverter essas ofensivas na nossa categoria. Aliás, é bom que os trabalhadores tomem consciência de que, se não fosse a incisiva atuação do nosso Sindicato, a nossa categoria já teria perdido inúmeros direitos. Leia todo o desdobramento da Campanha Salarial de São Paulo nas páginas 4 e 5.

assembleia de fechamento da campanha salarial 2018

Sindicato não faz a Festa de Natal e prioriza as lutas dos trabalhadores!

C

om muita consternação, infelizmente, o nosso Sindicato teve que cancelar a tradicional “Festa de Natal da Família Padeiros.” A nova Lei trabalhista, em vigor desde novembro do ano passado, proíbe as contribuições sindicais obrigatórias e, apesar de muitos trabalhadores da categoria terem assinado as autorizações para os devidos descontos, a nossa prioridade será investir nas ações do Sindicato. O momento exige muita mobilização e inúmeras formas de lutas para preservar e ampliar os direitos da nossa categoria. Para

A distribuição dos brinquedos das crianças será realizada de 17 a 21 de dezembro!

A

isso, o nosso Sindicato irá investir, por exemplo, em seminários e cursos para conscientizar os trabalhadores da importância de realizar as grandes lutas em defesa das conquistas e direitos dos trabalhadores da panificação!

tradicional distribuição dos brinquedos das crianças com até 10 anos, filhos dos associados e das associadas do nosso sindicato será realizada de 17 a 21 de dezembro, no horário comercial, na sede e nas subsedes do sindicato e você já pode fazer a inscrição dos seus filhos. Para adquirir os brinquedos, as trabalhadoras e trabalhadores sindicalizados devem fazer o cadastro, preenchendo a “carta convite” que receberam em suas residências e entregar na sede ou subsedes do nosso sindicato. Outras alternativas são: pre-

encher o cadastro através do nosso site www. padeiros.org.br ou ainda através do telefone (11) 3116.7272.

A casa abrigo “boto rosa” tem o apoio do nosso Sindicato!

A

Casa Abrigo Boto Rosa nasceu da união de duas mães que precisavam trazer seus filhos para tratamento de câncer em São Paulo. A Casa hospeda crianças e jovens com seus acompanhantes durante o tratamento ambulatorial, que residem em cidades da região do norte do país e a proposta da casa, além de muito amor, carinho e dedicação para aqueles que buscam tratamento em São Paulo, é oferecer um ambiente com as características daquela região do Brasil, proporcionando um ambiente mais familiar aos usos e

costumes dos pacientes e seus acompanhantes. Para continuar funcionando, a “Casa Boto Rosa” depende exclusivamente de doações. E você pode ajudar de várias maneiras. O nosso Sindicato faz parte desse processo, venha você também! Para compra de Camisetas ou outros tipos de doações entre em contato: Rua Santa Marcelina, 586 – Vila Carmosina – Itaquera. Telefones: (11) 3804.0469 - (11) 94616.8954 (whatsapp) ou através do e-mail: casabotorosa.thaina@gmail.com

FACEBOOK: Casa Abrigo Boto Rosa INSTAGRAM: CASAABRIGOBOTOROSA Dezembro – 2018

Sindicato em apoio a Casa Abrigo “Boto Rosa”

A SOLIDARIEDADE, ALÉM DE AJUDAR QUEM PRECISA, FAZ BEM À ALMA! 1


Editorial

PRÓXIMO CONGRESSO NÃO SERÁ FAVORÁVEL AOS INTERESSES dos TRABALHADORES! I

nfelizmente, poucos foram os defensores da classe trabalhadora eleitos para a Câmara dos Deputados e para o Senado. Dos 513 deputados federais eleitos que irão assumir o mandato em 2019, apenas 33 são sindicalistas. Já para o Senado Federal, dos 81 senadores (54 eleitos em 2018 e 27 eleitos em 2014 - que irão cumprir mais 4 anos de mandato), nenhum tem perfil de sindicalista. Ao contrário, a esmagadora maioria tem histórico de defender os interesses do grande capital. O perfil político do futuro Congresso Nacional parece ser bem pior do que o atual. Infelizmente, Isso significa que os trabalhadores e o povo irão enfrentar grandes desafios para os próximos anos, já que muitos desses congressistas foram eleitos para defender os interesses das grandes corporações. Ou seja, seus mandatos estarão a serviço do capital financeiro, das indústrias e, especialmente, do agronegócio em detrimento dos interesses e das necessidades dos trabalhadores e do povo. O pior é que a grande parcela desses deputados e senadores, além de terem compromisso com os patrões, pouco se incomodam com as dificuldades das grandes massas. Muitos são insensíveis à drástica realidade em que a maioria do povo vive. Enxergam outro Brasil. Na verdade, enxergam o Brasil dos ricos, das celebridades e dos poderosos. Na cabeça dessa gente, o povo pobre que

produz as riquezas desse país é considerado um entrave para seus objetivos. Para muitos desses parlamentares os trabalhadores e o povo incomodam o bom andamento do Estado Brasileiro, pois necessitam dele para sua sobrevivência, exigindo políticas eficazes que atendam os seus interesses coletivos como o acesso a educação e saúde públicas de qualidade, segurança, emprego, moradia e a garantia de uma vida digna. Para eles, isso é um contrassenso, um absurdo, pois o Estado deve servir aos interesses do Mercado Financeiro e não aos interesses do povo. Há muito tempo, o nosso Sindicato tem alertado os trabalhadores da necessidade do envolvimento com a política e da impor-

tância de analisarem e votarem em candidatos comprometidos com os interesses da nossa classe. Infelizmente, não conseguimos fazer com que muitos tomassem essa consciência. Os trabalhadores precisam aprender que não adianta votar em quem faz milhares de promessas durante a campanha eleitoral e depois de eleito ignora as demandas dos trabalhadores, e aprova projetos de Leis que só beneficiam os patrões, deixando de fora as políticas públicas que atendem as necessidades da população.

Pedro Pereira DE SOUSA, Presidente interino do Sindicato dos Padeiros de São Paulo

Portanto, lamentavelmente, o resultado dessas eleições de 2018 não aponta um futuro promissor para os trabalhadores. Ao contrário, estamos diante de um futuro para o Brasil e sua população preocupante, repleto de incertezas. Aliás, a única certeza que está sendo desenhada pelo futuro presidente e sua equipe é a de que os trabalhadores correm o risco de perderem mais direitos trabalhistas e sociais. Por isso, os trabalhadores se preparem e “coloquem as barbas de molho”, pois poderemos ter que enfrentar grandes batalhas para preservar os nossos direitos e defender a soberania do país, ameaçada por ideias entreguistas e de total submissão aos interesses do grande capital, principalmente do capital internacional que, de certa forma, tem prejudicado a capacidade do Brasil de se tornar uma grande potência latina americana.

Agradecemos aos trabalhadores pelo apoio e os votos ao nosso companheiro Chiquinho Pereira

A

diretoria do nosso Sindicato agradece o apoio e os votos que os trabalhadores e os amigos depositaram ao nosso companheiro Chiquinho Pereira, candidato a Deputado Federal nas eleições de 2018. A candidatura de Chiquinho Pereira é uma forma de ocupar o espaço da política como mais uma trincheira das lutas dos trabalhadores e do povo de São Paulo, no sentido de ampliar as conquistas dessa gente que se dedica, de sol a sol, para construir esse estado e essa nação. Chiquinho Pereira sempre dedicou a sua vida para defender, além dos direitos dos trabalhadores, a construção de um país desenvolvido, sustentável, democrático, soberano onde os trabalhadores e o povo tenham emprego, acesso à educação de qualidade, a

saúde pública, com o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), moradia, transporte e segurança. Esse é o Brasil que o Chiquinho Pereira quer construir. Os trabalhadores precisam ter seus representantes ocupando os espaços de poder para defender suas ideias e suas necessidades políticas como, por exemplo, a Norma Regulamentadora Número 12 (NR 12), que é constantemente ameaçada no Congresso Nacional pelos deputados que estão a serviço dos interesses dos empresários. Infelizmente, não foi possível eleger o nosso companheiro, mas a luta continua e sempre estaremos firmes nesse propósito: conscientizar os trabalhadores que a participação de cada um nos processos políticos e nas lutas do país é fundamental para construir um futuro melhor para todos nós!

Subsede Santo Amaro - Rua Brasílio Luz, 159 Telefone: 5686-4959 Edição e redação: Suely Torres (MTb - 21472) Edição de arte e diagramação: R. Simons Fotografia: Paulo Rogério “Neguita” Tiragem: 50 mil exemplares - Impressão: UNISIND

e x pediente

Publicação do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Panificação e Confeitaria de São Paulo. Diretor responsável: Pedro Pereira de Sousa Presidente licenciado: Francisco Pereira de Sousa Filho (Chiquinho) 2

Presidente interino: Pedro Pereira de Sousa

Secretário adjunto de finanças: Fernando Antonio da Silva

Secretário-geral: Valter da Silva Rocha (Alemão)

Sede - Rua Major Diogo, 126, Bela Vista, São Paulo/SP - CEP: 01324-000 Telefone: 3116.7272

Secretário de assuntos jurídicos e serviços: José Alves de Santana

Subsede Santo André - Travessa São João, 68 Telefone: 4436-4791

Secretário adjunto: Geraldo Pereira de Sousa

Secretário para cultura, formação e educação: Ângelo Gabriel Victonte

Subsede São Miguel - Av. Nordestina, 95 Telefone: 2956-0327

Secretário de finanças: Benedito Pedro Gomes

Secretário de comunicação e imprensa: José Francisco Simões

Subsede Osasco - Rua Mariano J. M. Ferraz, 545 Telefone: 3683-3332

www.padeiros.org.br padeiros@padeiros.org.br Dezembro – 2018


A VIOLÊNCIA TOMOU CONTA DO PAÍS! P

arece exagero, mas, infelizmente, não é. Segundo informações do Índice Nacional de Homicídios criado pelo G1 que acompanha os dados de vítimas de crimes violentos mês a mês no país, pelo menos 26.126 pessoas foram assassinadas no primeiro semestre deste ano no Brasil. Porém, o número de vítimas é ainda maior que esse, porque a estatística não contém os dados totais de três estados: Maranhão, Paraná e Tocantins, que não divulgaram todos os números. No entanto, o número consolidado até agora contabiliza todos os homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, que, juntos, compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais. Houve uma média de 4.350 casos por mês.

A situação é realmente grave, no entanto, qualquer país que pretenda acabar com a violência de forma séria e contundente sabe que deve atacar a base dessa questão como promover o acesso da população a educação, ao emprego de qualidade, a saúde com políticas sociais eficazes e resolutivas. A alternativa de facilitar o uso de armas para a população não irá acabar com a violência. Ao contrário, vários estudos e pesquisas comprovam que em países onde a compra de armas é livre, a prática da violência só tem aumentado, deixando um número de mortes, chegando a ser maior do que as mortes causadas por algumas guerras. E essa alternativa deve ser rejeitada por todos os brasileiros. Educação, saúde, emprego e qualidade de vida digna são as alternativas viáveis ao combate à violência!

PREVIDÊNCIA SOCIAL: REFORMAR PARA PRIVATIZAR

A

Reforma da Previdência, proposta inicialmente apresentada pelo governo Temer, pode se tornar, assim como com a Reforma Trabalhista, o “bode espiatório” para outros fins mais perversos, bem além do que se apresenta. Segundo a equipe do governo recém-eleito, a proposta é aumentar ao máximo a idade e os anos de contribuição, condenando os trabalhadores a trabalharem até morrer, abrindo o caminho para a Previdência Privada, semelhante a que ocorreu no Chile, que tem a simpatia e concordância do todo poderoso Paulo Guedes, principal mentor intelectual e político do novo governo. Para se ter ideia, a privatização da Previdência Social Chilena está exigindo esforços cada vez maiores de quem já trabalhou a vida inteira. O fundo, transferido para a iniciativa privada na década de 1980, na época em contrato elogiado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), enfrenta um dos momentos mais complexos dos últimos 30 anos.

A redução no valor das pensões e aposentadorias está provocando uma onda crescente de suicídios no país. O Ministério da Saúde, em parceria com o Instituto Nacional de Estatísticas (INE), publicou estudo mostrando que entre 2010 e 2015, 936 adultos maiores de 70 anos tiraram sua própria vida. No caso dos maiores de 80 anos, em média, 17,7 a cada 100 mil habitantes recorreram ao suicídio. Com isso, o Chile ocupa atualmente a primeira posição entre número de suicídios na América Latina. Os estudos são alarmantes e se dão, sobretudo, por uma conta simples. Quanto mais avançada à idade, maior a necessidade de cuidados específicos com a saúde. Mas, como se sabe, o acesso aos sistemas públicos de saúde (semelhante a do Brasil) e até mesmo ao setor particular, é complicado e caro. Trocando em miúdos, é preciso ter uma situação financeira organizada para atravessar a última etapa da vida. Infelizmente, essa é a proposta e intenção do

governo que tomará posse em 1º de janeiro de 2019. Para ele não importa se os trabalhadores aposentados e pensionistas terão condições de viver com valores miseráveis, que não conseguirão cobrir as despesas nem dos medicamentos necessários à essa etapa da vida humana, muito

menos conseguirão pagar as despesas com aluguéis, água, luz, transporte e alimentação. O aposentado no Brasil está fadado a morrer de fome e viver nas ruas, pois não terá condições à uma vida digna, mesmo depois de ter trabalhado a vida toda para construir as riquezas do país.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO DECIDE QUE o custeio SINDICAL DEVE SER APROVADo EM ASSEMBLEIA

A

Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público do Trabalho (MPT), instância interna que determina a posição final do órgão sobre diversos temas, decidiu, no dia 28/11, que as assembleias realizadas pelos trabalhadores e trabalhadoras são soberanas, portanto, se a categoria aprovar, o sindicato pode cobrar o custeio sindical de associados ou não. “A contribuição sindical será fixada

Dezembro – 2018

pela Assembleia Geral da categoria, registrada em ata, e descontada da folha dos trabalhadores associados ou não ao sindicato, conforme valores estipulados de forma razoável e datas fixadas pela categoria, desde que regularmente convocados, cujo prazo inicia-se a partir da vigência do correspondente Acordo ou Convenção Coletiva de Trabalho”, diz a orientação da CCR-MPT, que é responsável

por revisar a atuação dos procuradores do trabalho de todo o país. Para o Procurador Regional do Trabalho e Coordenador Nacional da Coordenação Nacional de Promoção da Liberdade Sindical (Conalis), João Hilário Valentim “A assembleia regularmente convocada é fonte legítima para a estipulação de contribuição destinada ao custeio das atividades sindicais, podendo dispor sobre

valor, a forma de desconto, a finalidade e a destinação da contribuição.” “Essa posição do MPT valoriza a decisão dos trabalhadores em assembleia e reafirma a importância do sindicato na defesa dos direitos da categoria, além de reforçar os entendimentos da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Conalis sobre o assunto.” Afirma João Hilário Valentim.

3


CAMPANHA SALARIAL

APESAR DA GANÂNCIA DO TRABALHADORES LUTAM E GARAN C

omo é do conhecimento de todos, além de atrasar o processo de negociação da Campanha Salarial da nossa categoria em São Paulo, o sindicato patronal ignorou a pauta de Reivindicações dos Trabalhadores e levou para a Mesa de Negociação a sua própria Pauta, reivindicando o impossível e inaceitável: os trabalhadores deveriam abrir mão de 12 cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho, e mais, queriam que aceitássemos como reajuste salarial 60% do INPC. Ou seja, não queriam nem repor a inflação do período que foi de 4%. Ora, o que mais essa gente pretende tirar dos trabalhadores? Apesar de termos uma política de valorização constante dos nossos salários, não dá para arcarmos com o alto custo de vida, pois todos os dias os preços dos produtos básicos para as necessidades humana sobem, o acesso à saúde e à educação de qualidade fica cada vez mais escasso e mais difícil. Será que essa drástica realidade vivida pelos trabalhadores e o povo não basta? Será que os patrões não veem que são os trabalhadores que estão pagando, e muito

caro, pela crise econômica que se instalou no país, sobre a qual não temos qualquer responsabilidade? O pior é que mesmo sabendo da situação de penúria em que vivem os seus empregados, os patrões se utilizando da nova Lei Trabalhista, na maior cara de pau, queriam que a categoria aceitasse, por exemplo, deixar de fazer a Homologação no Sindicato e perder o direito ao abono pelo Dia do Trabalhador da Categoria (Dia do Padeiro), como você pode ler no ofício abaixo, que o sindicato patronal enviou ao nosso Sindicato. Essa era a proposta do sindicato patronal, rejeitada pelo nosso Sindicato e pelos trabalhadores que, com muita luta, conseguiram manter todas as cláusulas na CCT e um reajuste de 4,10% nos salários e 4,50% nas outras cláusulas econômicas. Portanto, abrir mão das conquistas e direitos que temos está e sempre estará fora de cogitação. O nosso Sindicato continuará conversando com as trabalhadoras e trabalhadores para conscientizá-los, cada vez mais, da vital importância de lutarem pelos seus direitos.

Trabalhadores aprovam a Convenção Coletiva de Trabalho 2018-2019

Leia abaixo as aberrações propostas pelo patronal que foram rejeitadas pelo nosso Sindicato

Leia as nossas São Paulo (a partir

REAJUSTE SALARIAL = 4,10% para todos INFLAÇÃO PELO INPC/IBGE = 4%.

PISO SALARIAL = Piso Salarial Corrigido co Empresas com até 60 trabalhadores passa de Aumento real = 0,10% Empresas acima de 60 trabalhadores passa d Aumento real = 0,10% DIA DO PADEIRO = Passa de R$ 95,00 para

PLR (Participação nos Lucros e Resultad Corrigido com 4,50% - Aumento real = 0,50% Empresas com até 20 empregados passa de R Empresas a partir de 21 até 35 empregados p Empresas acima de 36 empregados passa de Os pagamentos serão efetuados no 5º dia útil

CESTA BÁSICA Empresas com até 45 empregados, a Cesta B Empresas acima de 46 empregados, a Cesta B Haverá o desconto de R$ 2,92 por mês.

CRITÉRIOS PARA A PERDA DO BENEFÍCIO Faltas injustificadas, cinco (5) atrasos mensai

HOMOLOGAÇÃO COMPARTILHADA Por ocasião da negociação coletiva foi acorda Contrato de Trabalho (TRCTs) no sindicato do ano de vigência. Essa homologação será com

HORÁRIO DE DESCANSO E ALIMENTAÇÃ Poderá ser reduzido para 30 minutos diários, adicional de 55% ou a concessão de folga jun

MANUTENÇÃO DE 4

Dezembro Dezembro – 2018 – 2018


L DE SÃO PAULO 2018

OS PATRÕES, SINDICATO E NTEM OS DIREITOS DA CATEGORIA!

principais conquistas em r de 1º de novembro de 2018)

s os salários a partir de novembro de 2018.

om 4,10%. e R$ 1.332,24 para R$ 1.386,86

de R$ 1.438,77 para R$ 1.497,76 R$ 99,27 - Aumento de 4,50%

dos) % R$ 268,21 para R$ 280,27 passa de R$ 385,55 para R$ 402,90 R$ 511,25 para R$ 534,25 l de abril e 5º dia útil de agosto de 2019.

Básica passa de R$ 52,83 para R$ 55,21 - Aumento de 4,50%; Básica passa de R$ 72,22 para R$ 75,46 - Aumento de 4,50%;

CIO DA CESTA BÁSICA is ou 60 minutos, cumulativamente.

ado a obrigatoriedade da homologação dos Termos de Rescisão de os trabalhadores para os empregados com contrato a partir de um mpartilhada (assistida).

ÃO desde que as empresas paguem o tempo restante do intervalo com ntamente com a folga semanal a cada 15 dias trabalhados.

E TODAS AS CONQUISTAS ANTERIORES Dezembro Dezembro – 2018 – 2018

Leia as conquistas da categoria no abc (a partir de 1º de junho de 2018) INFLAÇÃO DO PERÍODO = 1,76% – REAJUSTE SALARIAL = 2,56% (aumento real de 0,80%) Piso salarial = Empresas com até 60 trabalhadores = R$ 1.375,57 Empresas com mais de 60 trabalhadores = R$ 1.480,19 PLR (ABONO) = Pagos em duas (2) parcelas: 1ª parcela em março de 2019 e 2ª parcela em maio de 2019 Empresas com até 15 funcionários = R$ 228,21 Empresas com 16 até 40 funcionários = R$ 413,98 Empresas acima de 40 funcionários = R$ 605,05 DIA DO PADEIRO = permanece o valor de R$ 160,00 VALE REFEIÇÃO = R$ 16,45 MANUTENÇÃO DE TODAS AS CLÁUSULAS ANTERIORES 5


Artigo

NOVEMBRO AZUL SAÚDE DO HOMEM: PRÓSTATA E SEXUALIDADE Do que depende a saúde do homem? A saúde deve ser entendida em sentido mais amplo, como componente da qualidade de vida. A saúde do homem depende do bem-estar físico, psicológico e social. Devemos sempre buscar uma boa qualidade de vida. Ela depende principalmente de nós mesmos, da nossa auto estima e da nossa dinâmica de vida. Outros fatores importantes são relacionamento familiar estável, lazer, esportes, alimentação e uma sexualidade plena.

tas infecções estão associadas a doenças da próstata. Próstata: o que é e qual a sua função? É uma glândula do homem localizada na parte inicial da uretra (canal do pênis), logo abaixo da bexiga. Ela desempenha a função de produzir grande parte do líquido seminal, que é eliminado na ejaculação, transportando os espermatozoides. A partir dos 45 anos de idade ela pode crescer no homem, sem se saber a causa.

Quando consultar um urologista? Todo homem, independentemente da idade, deve consultar um urologista uma vez ao ano. A idéia central é a prevenção, orientação e tratamento de possíveis doenças. Deve ser investigado o desenvolvimento físico, a função renal, a fertilidade, os órgãos genitais e a função sexual. Quais as doenças dos rins? Os rins são importantes filtros do nosso corpo. Os cálculos (pedras) nos rins e tumores são comuns e devem ser tratados de imediato ao diagnóstico. Infecções agudas e Crônicas podem afetar a função renal. Muitas des-

A

Câncer de próstata: Como tratar? Quanto mais precoce o diagnóstico mais eficiente é o tratamento. Temos os tratamentos por via oral, injetável, radioterapia, cirurgias. Todos os tratamentos têm efeitos colaterais específicos, mas os mais comuns afetam a potência sexual e a capacidade de segurar a urina, em graus variados em cada paciente. A cura é comum em muitos casos da doença. O que é andropausa? É uma síndrome. Ela pode produzir muitas mudanças e muitos sintomas. Estes atingem o emocional: irritabilidade, inquietação e depressão. Aos 60 anos, quase a metade da população masculina apresenta os sintomas: emagrecimento; diminuição dos músculos e aumento de gorduras; esquecimento; diminuição do desejo sexual e impotência sexual. O urologista irá pedir exames.

DR. CELSO MARZANO (11)4232.2435

Reposição hormonal para o homem. Existe? Sim e deve feita pelo urologista quando ocorrer diminuição da testosterona. O tratamento é feito por injeções, com poucos efeitos colaterais, e muito eficientes. Recupera o prazer de viver, dá energia vital e sexual. Previna-se, verificando seus hormônios uma vez ao ano. A qualidade de vida do homem depende de seu equilíbrio hormonal. Queixas sexuais: Quem consultar? Sexo é vital para a qualidade de vida de todos nós. Queixas sexuais vão aparecer na vida de homens e mulheres. As mais comuns são diminuição de desejo, alterações da potência e ejaculação precoce. As causas são físicas e emocionais. De imediato uma consulta ao urologista e ginecologista é indispensável. Descartadas as causas físicas entram em ação a psicoterapia e a terapia sexual. O sexo é uma fonte de felicidade. Não tenha vergonha. Vá atrás da sua felicidade. A PREVENÇÃO É O SEGREDO DA SAÚDE.

www.celsomarzano.com.br youtube: DR CELSO MARZANO DR DO SEXO

que diminuir e, de preferência, acabar com os sindicatos no Brasil. É uma desgraça o sindicato no Brasil, é uma pequena minoria que vive da profissão para atazanar o proprietário.” Ou seja, os patrões. Acabar com os sindicatos é o sonho do governo e da maioria do empresariado brasileiro, pois, com os sindicatos quebrados, sem condições financeiras para travar as lutas os patrões ficam com a “faca e o queijo nas mãos” para retirar direitos, explorar e

até escravizar seus trabalhadores sem serem incomodados. E esse objetivo já está em andamento, através da famigerada Reforma Trabalhista que proíbe as contribuições sindicais. Sua proposta, também, é acabar com os Movimentos Sociais, tentando criminalizar. Além disso, facilita para o agronegócio e condena a agricultura familiar, e nas áreas urbanas facilita a vida dos especuladores imobiliários, em detrimento da falta de moradia para a população pobre.

Sindicato realizará Seminário para enfrentar os desafios dos trabalhadores em 2019!

nosso Sindicato irá realizar no mês de dezembro o Seminário de Planejamento para determinar as ações e as formas de lutas dos trabalhadores para 2019. Essa já é uma tradição do nosso Sindicato há décadas, pois, é preciso preparar a categoria para enfrentar os desafios que possam surgir durante o próximo ano. “Temos alertado os trabalhadores e trabalhadoras sobre os riscos da perda de direitos e conquistas, particularmente nos últimos períodos com as ofensivas que o governo e os patrões têm efetivado através da Reforma Trabalhista que está em vigor há um ano e as ameaças da Reforma da Pre6

Como prevenir estas doenças? O crescimento da próstata não pode ser evitado, mas os seus sintomas podem ser controlados. Existem medicamentos com excelentes resultados, evitando a cirurgia. O Urologista é o médico a ser consultado uma vez ao ano. A prevenção do câncer é feita pelo exame de sangue PSA e pelo toque retal (indispensável). O toque retal dura 5 a 7 segundos e pode salvar a sua vida. O câncer de próstata é

o tumor maligno mais frequente no homem. Tratar a Próstata melhora a sexualidade do homem.

ATAQUES ÀS ORGANIZAÇÕES DOS TRABALHADORES E AO MOVIMENTO SOCIAL

s concepções do governo recém-eleito sobre os direitos individuais e coletivos são preocupantes. Nas várias entrevistas e nas atividades que tem participado o governo eleito afirma que irá aprofundar a Reforma Trabalhista, fazendo mudanças que irão piorar a vida do trabalhador, cortando mais direitos. Além de prometer retirar mais direitos dos trabalhadores, o presidente eleito promete acabar com as organizações dos trabalhadores. Segundo ele “tem

O

Quais as doenças da próstata? Temos a infecção (prostatite com dor, febre e ardor ao urinar), o tumor benigno (crescimento da próstata sem câncer), e o tumor maligno (câncer). Provocam sintomas de entupimento do canal fazendo o homem urinar muito a noite, jato fraco e dificuldades para esvaziar a bexiga. Às vezes sangramento na urina. Fique atento, pois o câncer de próstata é silencioso, sem sintomas.

vidência que, se aprovada, irá dificultar a aposentadoria dos trabalhadores.” Diz Pedro Pereira, presidente interino do nosso Sindicato. Além do debate e deliberações sobre as ações e lutas para o ano de 2019, o Seminário irá definir e organizar a realização de Cursos de Qualificação das equipes na área de sindicalização para aumentar o quadro de sócio da entidade (atualmente com 23.500 sócios), bem como, munir toda equipe com informações sobre as consequências nefastas que a nova Lei Trabalhista causará à vida dos trabalhadores e trabalhadoras, pois ela retira vários direitos e conquistas.

Todos os Seminários de Planejamento que realizamos nas últimas décadas foram importantes, pois nos ajudam a definir e planejar as ações da nossa entidade para as lutas que os trabalhadores enfrentarão no ano seguinte. No entanto, o Seminário que Encerramento do Seminário de Planejamento de 2017 – Caraguatatuba vamos fazer em dezembro desse ano é fundamental e essencial Trabalho e das possíveis alterações não sabemos o que o governo eleito para enfrentarmos os desafios que que possam surgir com a Reforma da pretende fazer para acabar com a crise Previdência, vamos ter no comando econômica instalada no país e com o possam surgir o ano que vem. Para Chiquinho Pereira, presidente do país um presidente recém-eleito desemprego, por exemplo. Portanto, licenciado do nosso Sindicato, “além e temos que nos preparar para os os trabalhadores têm que estar muda Reforma Trabalhista, que trás uma novos desafios, muitos dos quais nidos de informações para travar as série de mudanças para o Mundo do não estão claros ainda. Na verdade, lutas necessárias.” Afirma o dirigente. Dezembro – 2018


Edição nº 63 – Dezembro de 2018

AS ELEIÇÕES E O FUTURO DOS JOVENS O

cenário de descrença para os jovens é especialmente preocupante diante da expectativa que recai sobre as futuras gerações frente às mudanças políticas que estamos vivenciando, especialmente com os resultados das últimas eleições. É preciso compreender que as decisões feitas durante o processo eleitoral foram fundamentais para definir o futuro da juventude. Regina Madalozzo, Coordenadora do Mestrado Profissional em Economia do Instituto de Educação e Pesquisa (Insper), afirma que o país terá que pagar uma conta cara no futuro se não

conseguir oferecer caminhos para seus jovens no presente. “O jovem que não está aprimorando sua formação nem trabalhando não está sendo preparado para a vida adulta”, afirma a coordenadora. É preciso avaliar quais caminhos levaram ao atual cenário em que o desemprego atinge de forma tão impactante os jovens, levando a falta de perspectiva, sendo que o país necessita do trabalho deles para que a economia continue girando. Senão,

quem que irá pagar a conta depois? Para Madalozzo, embora políticas para jovens figuraram em alguns dos programas de governo apresentados, o problema não tem tido espaço proporcional à gravidade da situação. “O debate ficou centrado em questões que não tangem esse assunto, como a questão da segurança ou da posse de armas, e não alcançou profundidade

para debater questões tão importantes e ao mesmo tempo sutis como essas”, afirma. É preciso implementar programas de governo que garantam a inclusão da juventude no mercado de trabalho, levando em consideração a educação, questões sociais e serviços públicos como, por exemplo, meios de transporte acessíveis.

Dica de leitura Manual da Faxineira Contos escolhidos

Divulgação

Sinopse: Lucia Berlin teve uma vida repleta de eventos e reviravoltas. Aos 32 anos, já havia vivido em diversas cidades e países, passado por três casamentos e trabalhado como professora, telefonista, faxineira e enfermeira para sustentar os quatro filhos. Lutou contra o alcoolismo por anos antes de superar o vício e tornou-se uma aclamada professora universitária em seus últimos anos de vida. Desse vasto repertório pessoal, Berlin tira inspiração para escrever os contos que a consagraram como uma mestre do gênero. Com a bravura de Raymond Carver, o humor de Grace Paley e uma mistura de inteligência e melancolia, Berlin retrata milagres da vida cotidiana, desvendando momentos de graça em lavanderias, clínicas de desintoxicação e residências de classe alta da Bay Area. Autora: Lucia Berlim – Editora: Companhia das Letra

Dica de cinema Divulgação

Chacrinha (o Velho Guerreiro) Sinopse: A história de José Abelardo Barbosa (Stepan Nercessian) é narrada desde a época de sua juventude, quando fazia faculdade de medicina e larga tudo para se aventurar como locutor em uma rádio. Depois de então, acompanhamos a transformação de sua vida e a criação de seu alter ego, Chacrinha, nosso velho guerreiro. Gênero: Biografia. Direção: Andrucha Waddington. Elenco: Stepan Nercessian, Eduardo Sterblitch, Gianne Albertoni. Dezembro – 2018

7


UM SINDICATO PARA ALÉM DA LUTA EM DEFESA DOS DIREITOS! C

omo já citamos, o objetivo do nosso Sindicato é lutar para defender os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras da categoria. Direito à saúde, à justiça, ao descanso e ao lazer, por exemplo, são questões fundamentais para a nossa entidade de classe. No entanto, além de muita luta, o nosso Sindicato tem o compromisso de oferecer aos seus associados uma série de benefícios que, muitas vezes, não são garantidos nem pelo governo e pelos patrões. Na sede do Sindicato o associado irá

ógico Atendimento Odontol às 18 horas 8:30 s da ta, sex a da de segun

encontrar, por exemplo, atendimento médico, odontológico e jurídico e nas subsedes ele conta com atendimento odontológico e jurídico. Além desses serviços, a entidade dos trabalhadores oferece convênios em faculdades com desconto a partir de 10%. O nosso Sindicato valoriza o lazer e o descanso dos associados que podem usufruir da nossa Colônia de Férias em Caraguatatuba, que é uma excelente opção de lazer no litoral norte de São Paulo. Lá tem tudo para você relaxar e se divertir com sua família. Confira!

Atendimento de segunda a sexta co ídi Jur

Atendimento Médico de 8 às 17:30 horas segunda a sexta, das

Homologação de segunda a sexta

Colônia de Férias em Caraguatatuba: lazer e diversão para os associados e sua família

A IMPORTÂNCIA DE FORTALECER AS AÇÕES DO SINDICATO E A SUA ESTRUTURA

V

ocê sabia que os sindicatos são organizações que representam os interesses dos trabalhadores e foram criados para compensar o poder dos patrões na relação contratual, que é sempre desigual e conflituosa, entre capital e trabalho? Isso mesmo. Eles surgiram na primeira metade do século XIX como reação às precárias condições de trabalho e remuneração em que são submetidos os trabalhadores no capitalismo. O reconhecimento da importância das organizações sindicais ocorreu em 1919, com a criação da Liga das Nações, que é uma entidade tripartite que deu origem à Organização Internacional do Trabalho (OIT). E, desde então, têm exercido papel fundamental na organização da classe trabalhadora para a luta por uma sociedade justa e democrática, pressionando pela ampliação dos limites dos direitos individuais e coletivos ainda hoje estreitos em muitos países, entre os quais o Brasil. Uma das principais atribuições das entidades sindicais é a prática de negociações

coletivas, que asseguram aos trabalhadores por elas representados a possibilidade de ampliar direitos garantidos por lei e adquirir novas conquistas. Nesse sentido, para que os trabalhadores, como parte estruturalmente mais fraca na relação capital-trabalho, tenham chances de sucesso nos processos negociais, suas entidades representativas precisam dispor de recursos, políticos e financeiros, para se contrapor ao poder das corporações empresariais. Não é coincidência que o governo e os empresários utilizem a nova Lei Trabalhista para destruir os Sindicatos, quando propõem o fim das contribuições financeiras às entidades sindicais. Afinal, a organização sindical dos trabalhadores é a principal ferramenta para impedir que os governos e os patrões apliquem políticas e leis que explorem, ainda mais, a classe trabalhadora. Foram os sindicatos, juntamente com os trabalhadores que representam que, ao longo das últimas décadas, lutaram e conquistaram direitos essenciais para melhorar

a vida dos homens e mulheres que, dia a dia, constroem as riquezas desse país. O nosso Sindicato, nesses 87 anos, tem cumprido o papel de defender os interesses dos trabalhadores, obtendo resultados significativos para a categoria. Historicamente, os trabalhadores da nossa categoria têm a marca de intensa exploração. E muitas batalhas foram travadas para superar essa realidade, onde conseguimos garantir o direito ao Registro em Carteira, Carga Horária de 8 horas, Folga Semanal, Cesta Básica, PLR, Seguro de Vida, Convênio Médico, Abono do Dia do Padeiro, Vale Refeição e tantos outros benefícios, que hoje são garantidos nas Convenções e Acordos Coletivos de Trabalho que realizamos. Nos últimos dez anos, a categoria conquistou reajustes bem acima da inflação. No ABC, o aumento real chegou a 24,31%. Em São Paulo, foi de 33,74%. Em algumas empresas, o aumento real neste mesmo período chegou a 61,70%, quando comparado com o INPC.

Porém, o nosso Sindicato não tem desempenhado apenas o papel de defesa dos interesses imediatos dos trabalhadores. O seu compromisso vai muito além, pois seus dirigentes têm a compreensão da necessidade de lutar por um país desenvolvido que garanta saúde, educação, moradia, transporte, emprego e qualidade de vida para os trabalhadores e suas famílias. Um país democrático e soberano, com desenvolvimento sustentável e que valorize o trabalho. Não é por acaso que o nosso Sindicato é reconhecido e respeitado nacionalmente por sua luta contra a corrupção, as altas taxas de juros, a terceirização, a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso Nacional, o trabalho escravo, entre outras mazelas que têm afetado imensamente a vida dos trabalhadores e do povo. Sua luta para defender a previdência social, a justiça e Ministério do Trabalho, da CLT e por reformas que ampliem os direitos, bem como pelo desenvolvimento do Brasil, é constante.

CAMPANHA DE SINDICALIZAÇÃO!

Seja sócio do seu Sindicato e fortaleça as lutas para garantir e ampliar suas conquistas, além de usufruir dos Serviços Prestados nos Atendimentos Odontológicos, Médicos, Jurídicos, da Colônia de Férias e, em breve, da sua Escola de Panificação e Confeitaria!

www.padeiros.org.br FACEBOOK.COM/SINDPADEIROS 8

Dezembro – 2018

Profile for Sindicato dos Padeiros de São Paulo

Jornal A MASSA - Dezembro/2018  

Jornal A MASSA - Dezembro/2018  

Advertisement