Page 1

em ação Dezembro de 2018 | Número 27| Ano 7

AUGUSTO PIAZZA: DEDICAÇÃO E SUPERAÇÃO, PARA TRANSFORMAR A AUDITORIA GERAL DO ESTADO Desde 2011, Augusto Puhl Piazza ocupa o cargo de Diretor de Auditoria Geral da Secretaria de Estado da Fazenda. De lá para cá, a profissão de Auditor Interno do Poder Executivo passou por importantes transformações que consolidam a carreira como uma das mais promissoras da Administração Pública. É unânime o entendimento que o trabalho de Piazza é um divisor de águas, que serviu para desenvolver uma outra lógica de trabalho: deixar de apenas fiscalizar, para colaborar na prevenção. Gaúcho de Caxias do Sul, mudou-se para Florianópolis em 1992 com a família. Formou-se em Administração de Empresas pela Univali (Universidade do Vale do Itajaí) e trabalhou por algum tempo no setor privado. Ele chegou na DIAG em 2007, junto com os outros auditores internos que passaram no concurso realizado em 2006. “Nos primeiros anos, fomos bastante reativos para apagar incêndios. Com a nossa gestão, estamos trabalhando mais na assessoria, apontando caminhos. A abordagem meramente fiscalizatória que era característica da grande maioria dos trabalhos realizados, foi sendo transformada em trabalhos de orientação e gestão. Posicionando a DIAG ao lado do gestor, como um parceiro que fornece informações e subsídios que facilitam a tomada de decisão e tornam a administração pública mais eficiente, indo ao encontro do conceito contemporâneo de auditoria interna de agregar valor a gestão, governança e gestão de riscos”, compara. Atualmente ele coordena uma equipe de cerca de 50 pessoas, uma diretoria que é composta por 5 gerências. Fazer essa transição do setor privado para o setor público não foi uma tarefa simples. Piazza costuma dizer que as esferas trabalham em ritmos diferentes. “A velocidade com que as respostas precisam ser dadas aos problemas na administração privada é muito maior. Na administração pública ainda temos muitos desafios e entraves burocráticos para que as coisas funcionem de maneira mais lenta”, explica. Mas ele não se deixa abater pelos obstáculos. Aliás, superação é uma palavra importante na vida de Augusto. Ele sofreu um acidente de carro aos 23 anos de idade, que ocasionou uma lesão na medula deixando-o tetraplégico, além de permanecer um longo período na UTI e hospital. Ele mantém uma rotina de trabalho intensa, com

expedientes que começam às 7 horas - com as sessões de fisioterapia - e terminam às 19 horas. Durante esses sete anos, os números também são expressivos. De 2011 até 2017, a DIAG gerou uma economia real de mais de R$ 179,21 milhões, entre retornos financeiros viabilizados, desembolsos evitados e créditos a ressarcir aos cofres públicos. O valor é resultado do trabalho de acompanhamento rigoroso da equipe chefiada por Piazza, por meio de relatórios, revisões de contrato e editais, inspeções e atendimentos. São diversos projetos e atividades coordenados com o apoio de Piazza, dentro das estruturas do Governo do Estado. Para citar os mais recentes, destaca-se os projetos Aluno Auditor, em parceria com a Secretaria de Educação; e Auditoria Cidadã que tem por objetivo antecipar as irregularidades para evitar um estrago maior nos cofres públicos. Existem também iniciativas internas, como as atividades do DIAGrupando que serve para melhorar a integração, a motivação pessoal e a troca de ideias entre os servidores. Na bagagem também algumas homenagens, como por exemplo em 2016 quando o então Governador do Estado, Raimundo Colombo, entregou uma placa de agradecimento, em comemoração ao Dia do Auditor Interno. O ato ocorreu durante a reunião técnica do Conaci (Conselho Nacional de Controle Interno) organizado naquele ano em Florianópolis, assim como outros eventos que Piazza teve a oportunidade de coordenar: Seminário Auditoria, Controle Interno e Gestão de Riscos e o Congresso Estadual de Combate à Corrupção. No próximo ano, Piazza deixa a Diretoria de Auditoria Geral e passa a integrar o quadro de auditores em uma outra posição. “Gostaria de agradecer cada um que passou pelo meu caminho nessa jornada como diretor. Muito obrigado aos colegas auditores, aos amigos da Fazenda e todos os parceiros que contribuíram para a consolidação da Auditoria Geral no Estado. Temos um longo caminho pela frente ainda e estarei sempre disponível para colaborar”, afirma. Hoje aos 44 anos, casado com Lisandra, nas horas vagas, gostam de passear juntos e se divertir com o bulldog inglês Johnnie, membro da família. Ele é também apaixonado pelo mar e o humor inteligente é uma marca forte da sua personalidade.


2

SINDIAUDITORIA em ação

ESPECIAL

Aluno Auditor: projeto forma cidadãos de hoje e de amanhã Os alunos que cursam o 8º e 9º anos do Ensino Fundamental da EBB Simão José Hess, na Capital, estão dando novos passos de cidadania. Eles fazem parte do projeto-piloto Aluno Auditor e participam de uma formação sobre técnicas de auditoria simplificadas, com o apoio dos auditores internos do Poder Executivo, servidores da Diretoria de Auditoria Geral da Fazenda (DIAG/SEF). O objetivo é estimular o controle social e o aprimoramento da gestão pública, em sintonia com professores e a direção. A iniciativa é inédita em Santa Catarina e pode tornar-se realidade nas escolas da rede pública estadual a partir de 2019. No dia 9 de novembro, por exemplo, os cerca de 60 estudantes visitaram o prédio da Receita Federal para conhecer de perto o trabalho e a forma de atuação da instituição. Na oportunidade, eles aproveitaram para entregar aos delegados da RF um relatório de auditoria que eles mesmos realizaram sobre as condições da unidade onde estudam. O documento elaborado pelos estudantes teve como objetivo a avaliação da infraestrutura oferecida pela escola. “Os alunos avaliaram cuidadosamente o ambiente escolar, averiguando se estão de acordo com normas estabelecidas. Dentre a verificação, avaliação das salas de aulas, biblioteca, pátio, ginásio, cozinha, coletados diretamente em um aplicativo de celular, o que proporcio-

nou aos estudantes uma experiência pedagógica, de modo a despertar neles o senso de observação e os padrões de qualidade desejáveis, elevando o grau de criticidade”, explicou o coordenador do projeto Jaime Luiz Klein. Além da avaliação, os educandos discutiram com os professores soluções para os problemas e construíram um plano de ação, sempre focando em medidas criativas, de baixo custo e com envolvimento da comunidade escolar. O trabalho realizado pelos Alunos Auditores indica as oportunidades de melhorias detectadas em cada um dos ambientes auditados e servirão de norte para as ações que serão implementadas pelos responsáveis, sendo monitoradas pelos estudantes. “O projeto enfatiza o papel dos estudantes nas ações da escola em relação aos direitos e deveres da sociedade com o Estado”, comenta o diretor de Auditoria Geral, Augusto Piazza Pull. A DIAG é a unidade responsável do projeto dentro da SEF e trabalha em parceria com a Secretaria de Estado da Educação. O projeto Aluno Auditor foi inspirado no modelo desenvolvido pela Controladoria Geral do Distrito Federal (CGDF) e do Município de Belo Horizonte (CGTM-BH). No decorrer do projeto, com a participação da educação fiscal, a parceira com a Receita Federal foi concretizada com o apoio da auditora Roseli Fabrin.


SINDIAUDITORIA em ação

3

ESPECIAL

COMO FUNCIONA?

1 - Os estudantes respondem questionários, por meio de uma aplicação para para celular, sobre as condições dos ambientes escolares, como salas de aula, cozinha/ refeitório, banheiros, entre outros.

2 - São gerados relatórios preliminares com os problemas encontrados, definidos como oportunidades de melhoria para os ambientes auditados.

3 - Os estudantes discutem com os professores soluções para os problemas, focando em medidas criativas, de baixo custo e com o envolvimento da comunidade escolar.

4 - As propostas de soluções são colocadas em prática e os próprios estudantes, em conjunto com toda a comunidade escolar, realizam o monitoramento das ações.

RESULTADOS ESPERADOS Promoção da cidadania ativa e o fomento à participação e ao controle social; Experiência real de auditar com a difusão do conhecimento de técnicas simplificadas e o estímulo à utilização de recursos tecnológicos; O aprimoramento da gestão pública, levando os alunos à reflexão-ação sobre problemas, causas e soluções no contexto escolar; Difundir nos alunos uma cultura de valorização e respeito ao patrimônio público; Fortalecimento do sentimento de pertencer à comunidade escolar e valorização do protagonismo juvenil.

OS ALUNOS SÃO CONVIDADOS A PENSAR, COM O APOIO DOS PROFESSORES E DA DIREÇÃO , SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS ENCONTRADOS NA UNIDADE DE ENSINO, SEMPRE FOCANDO EM MEDIDAS CRIATIVAS, DE BAIXO CUSTO E COM ENVOLVIMENTO DE TODA A COMUNIDADE ESCOLAR.


4

SINDIAUDITORIA em ação

RECURSOS ANTECIPADOS

Capacitação sobre o módulo Transferências do SIGEF em seis cidades A Diretoria de Auditoria Geral (DIAG) da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) em parceria com a Federação Catarinense de Municípios (FECAM), a Escola de Gestão Pública Municipal (EGEM) e as associações de municípios, promoveram no mês de setembro capacitações aos Gestores Municipais de Convênios e demais agentes envolvidos na gestão de convênios estaduais. Foram capacitados centenas de agentes estaduais e municipais em seis encontros regionais que ocorreram em Araranguá, Blumenau, Maravilha, Luzerna, Florianópolis e Lages. As capacitações foram focadas na utilização do módulo Transferências do Sistema Integrado de Gestão e Planejamento Fiscal (SIGEF) e abordou também aspectos relevantes da legislação. Mais informações referentes aos convênios e instrumentos congêneres celebrados pelo Estado de Santa Catarina podem ser acessadas pelo Portal Sctransferências (www.sctransferencias.sc.gov.br).

Presidente Luciana Bernieri Pereira O SCtransferências é um canal exclusivo para a transferência voluntária de recursos do Governo do Estado para municípios, entidades sem fins lucrativos, consórcios públicos e pessoas físicas. O portal é utilizado também para informar a sociedade a respeito da aplicação dos recursos públicos. As transferências voluntárias financiam direta ou indiretamente a quase totalidade de áreas de atuação do Estado: Obras e serviços nos municípios (FUNDAM); Financiamento do Sistema Socioeducativo (Cases e Caseps); Financiamento da Educação Especial (APAES); Bolsas de Estudos (Art. 170 CE); Financiamentos da Saúde OS (Contratos de Gestão); Apoio às áreas da cultura, turismo e esporte; e apoio à pesquisa científica.

Dia 20 de novembro, Dia do Auditor Interno, um profissional que nem sempre aparece em destaque entre as carreiras da Administração Pública, mas que merece todo o reconhecimento, por uma razão simples: são os olhos do cidadão sobre o gasto público. Esse servidor é um importante aliado na árdua tarefa de combater a corrupção, mesmo que essa (difícil) missão seja um compromisso de todos, enquanto sociedade. O Sindiauditoria parabeniza todos os colegas que se dedicam diariamente a profissão!

AUDITOR INTERNO O cidadão catarinense tem um aliado!

Informativo do Sindicato dos Auditores Internos do Poder Executivo do Estado de Santa Catarina - SINDIAUDITORIA

Vice-Presidente Daniela Potrich Oliveira Diretor de Comunicação Rafael Lima Palmares Diretora Administrativo-financeiro Simone de Souza Becker Diretor Jurídico Valdor Angelo Montagna Diretor de Relações Sociais e Intersindicais Marcio Cassol Carvalho Secretária Alcione Teresa Costa Conselho Fiscal Caio Jamundá, Isadora Castelli e Ricardo Cavalcanti Peixoto Filho Suplentes do Conselho Fiscal Cristiano Socas da Silva, Clóvis Renato Squio e Leda Candida L. P. Cipoli Ribeiro

Texto e edição Jaércio da Silva (DRT|SC 4026) CONTATO assessoria@sindiauditoria.com.br www.sindiauditoria.org.br

SINDIAUDITORIA em ação - Dezembro 2018  

Informativo do Sindicato dos Auditores Internos do Poder Executivo do Estado de Santa Catarina - SINDIAUDITORIA.

SINDIAUDITORIA em ação - Dezembro 2018  

Informativo do Sindicato dos Auditores Internos do Poder Executivo do Estado de Santa Catarina - SINDIAUDITORIA.

Advertisement