Issuu on Google+

SALVADOR, BAHIA - 18 DE JANEIRO DE 2005 - ANO VI - Nº 90

www.sindesp-ba.com.br

INFORMATIVO A SEMANA DO SINDESP-BA

SINDICATO DAS EMPRESAS DE SEGURANÇA PRIVADA DO ESTADO DA BAHIA

INFORMATIVO DO SINDESP-BA MOSTRA MAIS UMA HISTÓRIA DAS ASSOCIADAS Teve boa repercussão a edição passada do Informativo, quando iniciamos a série de matérias mostrando a história de uma das nossas associadas. Nossos leitores ficaram conhecendo um pouco da mais antiga empresa de segurança privada do mundo, e em seguida mandaram mensagens parabenizando a iniciativa. Logo depois, os empresários de outras das nossas filiadas se movimentaram enviando a história das suas empresas para publicação nas próximas edições. Dando

continuidade,

neste

número

focalizaremos

uma

empresa

genuinamente baiana que, desde 1988 presta com qualidade, serviços de segurança privada atendendo clientes da esfera particular e de órgãos públicos. Página 02

EMPRESAS SE UNEM PARA CRIAR A COMISSÃO DE CONCILIAÇÃO PRÉVIA POR GRUPO Depois de esperarem 04 anos pela concordância dos laborais para criação da CCP Intersindical, empresários decidem com o apoio dos empregados, criar a comissão por grupo de empresas. Página 03

CRÔNICA “OUVIR COMO OS ELEFANTES” Página 04

INTERVIG É A MAIS NOVA ASSOCIADA DO SINDESP-BA Página 04

DIA 31 DE JANEIRO TODAS AS EMPRESAS DEVEM PAGAR A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL Página 03

VIGILÂNCIA COM MOTOS É PROIBIDO EM GOIÂNIA

SINDESP´S DEVEM ENTRAR COM AÇÕES JUDICIAIS CONTRA LEGISLAÇÃO DO DESARMAMENTO

PONTO DE VISTA Administrador prevê o fim das pequenas empresas.

Página 03

CONTRATAR CLANDESTINAS PODE VIRAR CRIME Página 04

Página 04

Página 05

SINDESP-BA ESTÁ MODERNIZANDO O SEU SITE Página 05


02

RONDA. DESDE 1988 SERVINDO A BAHIA Quem consultar a Junta Comercial do Estado da Bahia JUCEB, vai verificar que a empresa registrada naquele órgão sob nº 29.200.832918BA, é a RONDA SERVIÇOS DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA, que no dia 21 de abril de 1988, conseguiu seu registro para atuar no segmento de segurança privada patrimonial no Estado da Bahia. Naquela época, o empresário José William Andrade Santos juntou-se a alguns amigos e apostando no potencial do mercado, criou a empresa que hoje é um referencial no segmento de segurança da Bahia. Contando com trinta empregados e com sede na Ladeira da Barra (Av. 07 de setembro, 2792), a Ronda iniciou suas atividades trabalhando apenas com vigilantes

fazendo segurança e vigilância patrimonial para pequenas empresas particulares. Em 1994, o empresário Mauro Freire de Carvalho Oliveira, adquiriu o controle acionário da empresa. O novo dirigente, investiu em tecnologia e em treinamento de pessoal, fazendo com que a empresa se credenciasse no mercado. Dessa forma, conquistou clientes de maior porte, passando inclusive a prestar serviços também para órgãos públicos. Mais tarde, a Ronda se especializou nos serviços de escolta armada e em 31.03.1999, acreditando no novo mercado de segurança eletrônica que surgia na época, se tornou uma das empresas mais conhecidas nesse setor.

Vigilantes bem treinados e veículos dotados de modernos equipamentos, garantem a excelência nos serviços prestados pela Ronda.

Hoje a Ronda possui um quadro de pessoal composto de 450 empregados, entre vigilantes e pessoal operacional, além de três empregados no quadro administrativo. Sua sede fica localizada na Rua Dr. Barreto, quadra C lotes 3 e 4 Jardim Aeroporto Lauro de Freitas Bahia. Atende pelo telefax (71) 362-9708 e pode ser também contatada através endereço eletrônico ariel@atarde.com.br É dirigida pelo empresário Mauro Freire, que devido a sua longa e eficiente atuação no mercado de segurança conquistou importantes cargos nos sindicatos das empresas do setor e hoje responde pela presidência do SIESE-BA Sindicato das Empresas de Segurança Eletrônica do Estado da Bahia e pela Diretoria Financeira do SINDESP-BA. Mauro exerce também, o cargo de diretor regional Norte/Nordeste da ABESE - Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança, tendo sido no período de março de 2001 até setembro de 2004 o primeiro presidente do

INSEG-BA Instituto Profissional de Segurança Privada do Estado da Bahia.

A RONDA SERVIÇOS DE SEGURANÇA E VIGILÂNCIA LTDA, é associada ao SINDESP-BA, desde 22/01/1993 sob registro nº 02.01.93.005.

Mauro, apostou no segmento e colocou a Ronda entre os destaques do mercado

No próximo número a filiada em Guardsecure Segurança Empresarial

destaque

será

a


03

FENAVIST ALERTA EMPRESAS PARA O PAGAMENTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A

Federação

Nacional

das

mais 2% a cada mês, além de 1% ao

Empresas de Segurança Privada e

mês

Transportes de Valores

monetária.

FENAVIST,

está alertando todas as empresas do segmento

(associadas

associadas),

e

não

sobre

A

de

mora

e

contribuição

a

correção

CEF para que todas as empresas possam efetuar o pagamento em tempo hábil.

é

Em caso de dúvidas, a orientação

obrigatória para todas as empresas

sindical

é entrar em contato com o setor

a

e está prevista nos artigos 607 e 608

financeiro do Sindesp-Ba, (71) 450-

obrigatoriedade do pagamento da

da CLT. O valor a ser pago por cada

0411.

Contribuição Sindical 2005 na data

empresa é estabelcido com base no

do vencimento, previsto para 31 de

capital social, obedecendo tabela

janeiro de 2005.

que se encontra à disposição para

Dessa forma, evitarão atrasos e consequentes

multas

e

juros.

consultas nos SINDESP´S em todo o Brasil.

Nesses casos, será cobrada nos

O SINDESP-BA, já enviou através

primeiros 30 dias multa de 10%,

correios, os boletos bancários da

Federação Nacional das Empresas de Segurança e Transportre de Valores

SINDESP´S DE TODO O BRASIL DEVEM ENTRAR COM AÇÕES JUDICIAIS CONTRA A LEI DO ESTATUTO DO DESARMAMENTO Após um ano de trabalho junto ao Ministério da Justiça e ao Departamento de Polícia Federal, tentando sem sucesso, minimizar os problemas gerados pelo Estatuto do Desarmamento e adequar a nova legislação aos processos das empresas de segurança privada, a Fenavist

decidiu em Assembléia Geral, orientar os sindicatos estaduais para entrarem com ações

judiciais contra a Lei 10.826/03. Para isso, a Consultoria Jurídica da Federação, encaminhou para todos os Sindesp´s do País, um documento contendo os fundamentos legais para que sejam iniciadas as ações judiciais. Em assembléia geral extraordinária realizada no dia 17.12.2004, o SINDESP-BA aprovou a medida e já está acionando sua assessoria jurídica para iniciar o processo.

CRIADA CCP POR GRUPO DE EMPRESAS. Bem que o SINDESP-BA tentou junto aos laborais, a criação da Comissão de Conciliação Prévia Intersindical. Afinal, a CCP assinada com o laboral dos vigilantes de

formar com a aprovação de seus empregados, a Comissão de Conciliação Prévia por grupo de empresas. Diante do impasse a ASCOP, CENTAURUS, FORTALEZA,

transporte de valores em 2002, tem alcançado sucesso,

GUARDSECURE,

deixando empresas e empregados satisfeitos e contribuído

NORDESTE, RONDA, PROTECTOR, SEVIBA, VERSEGUR e

bastante para esvaziar a pilha de processos trabalhistas

VIGSEG,

existentes na justiça do trabalho.

amplamente divulgado, os membros titulares e suplentes

Apesar das convenções coletivas de trabalho, dos últimos 04 anos preverem nas suas cláusulas, a criação da

elegeram

MF no

SEGURANÇA, dia

MULTISERVI,

16.12.2004,

em

pleito

representantes dos trabalhadores, formando dessa forma a CCP por grupo de empresas.

CCP Intersindical, assim como as constantes solicitações do

As comissões de conciliações prévias estão respaldadas

patronal, os laborais sempre se mostraram contrários à

pela Lei 9958 de 12 de janeiro de 2000 e tem como objetivo

idéia. Empresários de 12 empresas do mercado, cansados de esperar, resolveram no dia 03 de dezembro do ano passado

principal

facilitar o entendimento entre empresas e

empregados em assuntos trabalhistas.


04

CRÔNICA Uzel Duplat Dir. Superintendente do Sindesp-Ba Sindespba@terra.com.br

“DESLIGAR PARA SE LIGAR” Lendo sobre a tragédia asiática ocorrida no apagar das luzes do ano de 2004, tomei conhecimento de que uma das regiões mais afetadas pelas tsunamis-ondas gigantes foi a ilha de Sri Lanka. E que bem no meio dessa ilha, fica o Yale National Park, com 19 km de praias habitadas por centenas de animais, de grande e de pequeno portes. Esse parque foi inundado pela violência das águas. Sabem quantos animais morreram com essa tragédia? Nenhum animal foi encontrado morto após a chegada da calmaria. Espantoso não?. Estupefactos os jornalistas procuraram cientistas em busca de alguma explicação lógica para esse “milagre”. Entrevistados pela BBC e pela National Geographic, os estudiosos afirmaram que, antes da chegada das ondas gigantes, os animais já tinham se “impirulitado” dali. É verdade. Bateram em retirada e salvaram seus couros, peles e penas. Comenta-se até mesmo, que perto da chegada da onda, um turista passeava no dorso de um elefante. Ao pressentir o perigo o animal derrubou sua montaria e saiu em desabalada carreira procurando seu refúgio. Nenhum bicho (irracionais ?) foi apanhado pelas águas. E olhem, que o mar adentrou 3 km no Yale National Park. Mas não encontrou qualquer animal para engolir, como fez com milhares de seres humanos (racionais?) no Sri Lanka e nas regiões das proximidades. Esses animais se deslocaram das praias e das regiões mais baixas da ilha para pontos mais altos do parque, ao sentirem vibrações, no solo e no ar, e as rally waves que prenunciavam a tragédia. São freqüências de som produzidas pelo terremoto, mais baixas do que nossos ouvidos captam e que os animais tem a capacidade de sentir. As rally waves também seríamos capazes de sentir, se não tivéssemos as mentes congestionadas de informações, pois apesar dessas ondas chegarem até nós, simplesmente os deletamos da nossa já invadida consciência. Lamentando pela terrível tragédia que ceifou a vida de aproximadamente 150.000 dos nossos irmãos asiáticos e refletindo bastante sobre isso, podemos observar o quanto aprendemos com as tsunamis. Por que só os animais estavam conectados com a natureza? Enquanto ligados, ganharam tempo para se livrar da violência das ondas enfurecidas. E os humanos “bateram a caçoleta”. Conectados apenas em outras fontes sonoras frente a aparelhos de TV, rádios, videogames e naqueles terríveis trios elétricos de automóveis, nada ouviram nem sentiram. Resta-nos um consolo. No Brasil talvez leve muitos anos para uma tragédia dessas acontecer por aqui. Espero que, daqui prá lá, as pessoas tenham se utilizado dos controles remotos para desligar esses infernais aparelhos ou pelo menos diminuir seus volumes. Somente dessa forma poderemos passar a ouvir melhor a exemplo dos elefantes.

DEPUTADO DESEJA QUE CONTRATAÇÃO DE CLANDESTINAS SEJA CRIME A contratação de serviços clandestinos de vigilância patrimonial e de proteção de clientes, assim como de trabalhadores sem treinamento e registro na Polícia Federal poderá ser considerado crime. Pelo menos é o que deseja o Deputado Irineu Mário Colombo (PTPR), que elaborou o Projeto de Lei 4594/2004. O projeto prevê também, que a prática poderá ser punida com prisão de um a dois anos, além de multas para quem desrespeitar as determinações. Acredita o parlamentar que esta legislação iria desestimular empresas, condomínios, hotéis, boates e residências que contratam segurança irregularmente para fazer a vigilância patrimonial de seus clientes. “Esse tipo de segurança contrata guardas sem qualificação, alguns deles com antecedentes criminais. Não é incomum que tais guardas pratiquem crimes, como agressões e furtos, durante o trabalho”, afirma Irineu. Aprovado, esse projeto, virá ao encontro da luta desempenhada pela Fenavist e pelos Sindesp´s de todo o Brasil, que há muito tempo vêem brigando contra essa danosa prática.

JUIZ PROÍBE USO DE MOTOS EM VIGILÂNCIA O juiz federal Carlos Augusto Tôrres Nobre da 6ª Vara em Goiás, manteve proibição imposta pela Polícia Federal ao serviço de vigilância motorizada prestado em muitos bairros de Goiânia. A Cooperativa dos Vigilantes Autônomos de Goiás, com cerca de 160 cooperados, impetrou mandado de segurança questionando autuação pela PF, argumentando que o cooperativismo tem grande importância no ordenamento jurídico e que o ato da polícia fere a liberdade do exercício profissional. Ao apreciar o pedido, o juiz entendeu que não é possível permitir a atividade privada de vigilância nas ruas sem a autorização do Departamento de Polícia Federal, órgão competente para isso na estrutura do Ministério da Justiça. O MPF deu parecer nesse sentido ao analisar o caso. O juiz negou o mandado de segurança e extinguiu o processo. A cooperativa pode ainda recorrer ao TRF da 1ª Região. Fonte: Jornal O Popular de Goiânia

SINDESP-BA GANHA UMA ASSOCIADA

MAIS

A INTERVIG INTERNACIONAL VIGILÂNCIA LTDA, é a mais nova associada do SINDESP-BA. Em reunião realizada no dia 15 de dezembro de 2004, a diretoria do sindicato aprovou o pedido de filiação da Intervig, que a partir daquela data, passou a ser a trigésima segunda empresa a pertencer a galeria de associadas do Sindesp-Ba. A Intervig fica localizada na cidade de Ilhéus, no Loteamento Santa Felicidade, Lote 03, Quadra D, nº 386, no Bairro de São Francisco. A nova filiada, atende através telefax nº (73) 632-9000 ou pelo telefone (73) 632-4292 e pode também ser contatada através e-mail intervig@hotmail.com.


05

ADMINISTRADOR TEME PELAS PEQUENAS EMPRESAS “Hoje em dia as grandes empresas desempregam mais que contratam. São as pequenas e médias que geram emprego, aqui e mundo afora. Mas, em vez de fortalecer a pequena empresa, quase todos os governos do Brasil a ignoram ou a enfraquecem. As pequenas e médias empresas são tipicamente dirigidas pela classe média alta, em torno de 10% da população brasileira. Se cada membro da classe média empregasse dez funcionários, não teríamos desemprego neste país. Teríamos 100% da população empregada, por definição. Hoje, com os inúmeros cursos disponíveis de administração, gerenciar uma empresa com dez pessoas não é coisa do outro mundo. O difícil é abrir e manter uma pequena ou média empresa no Brasil. A maioria das leis, voltadas para conter a grande empresa, acaba contendo a pequena e a média. Entre no Google e pesquise os assuntos mais tratados pelos nossos economistas e governantes os temas mais freqüentes são juros, inflação e câmbio. “Pequenas e médias empresas” raramente fazem parte do temário de discussão. Ajudar a pequena e a média empresa a crescer, nem pensar. Estamos assistindo a uma sistemática destruição desse setor no Brasil e, de roldão, de nossa classe média. Os ricos com suas grandes empresas já não criam mais empregos e os pobres não têm como gerá-los. Denegrir e dizimar a classe média por seus “valores pequeno-burgueses” pode ser uma grande vitória política, mas será um enorme suicídio econômico. De vinte anos para cá, além de

SINDESP-BA ESTÁ REFORMULANDO O SEU SITE Os milhares de visitantes do site do SINDESP-BA, estão temporariamente sem poder acessá-lo. É que o nosso site foi retirado do ar para uma total reformulação. O site está sendo modernizado e ganhará um novo perfil que facilitará a sua leitura e seus links de consultas. “O site do Sindesp-Ba ficará bonito e funcional”, garantiu Guiga Matos, responsável pela criação e reformulação do site.

aumentarem os impostos, reduziram os prazos de pagamento desses impostos de 120 para quinze dias . Hoje, as empresas precisam pagar 40% de sua receita ao governo antes de receber de seus clientes. O capital de giro dessas empresas sumiu; em vez de financiar a produção, financia o governo. Não é a economia informal que está crescendo, é a economia formal e a classe média que vêm sendo destruídas, e rapidamente. Estudo realizado pelo Sebrae, e apresentado por Alencar Burti, estima que 31% das pequenas empresas quebrarão em 2005. Ou seja, não somente não irão empregar ninguém como vão desempregar aqueles que já tem emprego. Não é exatamente uma previsão fora de propósito, porque a grande maioria dessas empresas não obtém lucro há mais de três anos, e 90% delas não possuem mais capital de giro. Se levarmos em conta os encargos fiscais em atraso, os Refis, os processos trabalhistas a pagar, a maioria está com patrimônio negativo, ou seja, encontra-se literalmente quebrada. Muitas não fecham imediatamente porque não podem pagar os elevados custos de demissão dos funcionários. Vão levando, na esperança de que as coisas melhorem. A maioria dos pequenos e médios empresários nem pensa mais em crescer, mas em vender suas empresas assim que a economia melhorar. Até recentemente as empresas médias sobreviviam sonegando um ou outro dos 46 impostos a pagar. Sonegavam o suficiente para se manter vivas. Hoje não dá mais para sonegar. Ou se sonega tudo, devido ao

excelente controle e amarrações entre os órgãos arrecadadores, ou não se sonega nada. Como sonegar todos os impostos dá cadeia, e não sonegar nenhum significa falência em alguns anos, a saída é fechar a empresa assim que for possível. Ainda segundo estimativas de Burti, 59% das pequenas e médias empresas fecharão as portas em 2009. Essas estatísticas não são exageradas. O número de insolvências nesse segmento sempre foi elevado, só que antigamente cinco novas empresas eram criadas para cada quatro que quebravam . Hoje não. Não vejo mais aquela vontade de ser empresário e empreendedor no Brasil, muito pelo contrário. Entre abrir uma pequena empresa e arrumar um emprego público, os filhos de classe média estão preferindo a opção mais segura. E eles tem razão. Quando baixarem os juros dos empréstimos, nossos intelectuais vão descobrir que não haverá mais classe média para tomá-los, não haverá administrador de empresas querendo administrá-los, não haverá engenheiro querendo empregá-los. Em sua opinião , quem tem mais condições de gerar os empregos de que este país necessita? Nossos intelectuais, nossos economistas, nosso governo ou nossa classe média? É uma interessante questão para ser discutida” . “Stephen Kanitz é administrador por Harvard”. (Colaboração de Lauro Santana empresário da Guardsecure)

UTILIDADE PÚBLICA A Polícia Rodoviária Federal criou um serviço para registro de carros roubados e/ou furtados. Se seu veículo foi roubado e você fizer o cadastro no site abaixo, será enviado um e-mail para mais de 400 locais de blitz da Polícia Ro d o v i á r i a Fe d e ra l . O site para a denúncia é http://www.dprf.gov.brta.asp.


06

PARA REFLEXÃO “Só uma pessoa que nada aprendeu não modifica suas opiniões ” (Emil Zatopeck)

Feliz

Aniversario

ANIVERSARIANTES DO MÊS No verão de janeiro festejamos os aniversários de Rosângela Menezes / Fenavist (01) Reinaldo Silva Bittencourt / Seviba (06), Jaldo Machado Mendes / Fortaleza (07), Mauro Freire de Carvalho Oliveira / Ronda (08), Cláudio da Silva Neves / Conselheiro do Sindesp-Ba (12) e Paulo Sérgio Macedo /Nordeste (27) .

AGRADECIMENTOS Agradecemos a: Convention News, Revista Security, Revista Segurança Privada, Empresa Brasil, Jornal do Sindesp - ES, Informativo ACB - Associação Comercial da Bahia, RB Comunicações, Boletim da APAEAssociação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de Salvador, CNC Notícias, pelo envio dos seus exemplares de jornais e revistas.

EMPRESÁRIOS ACREDITEM NO TRABALHO DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIAS. DÊ-LHES UMA CHANCE DE PARTICIPAREM DO PROCESSO DE SELEÇÃO DA SUA EMPRESA: INFORMAÇÕES NAS ENTIDADES: ABC – Associação Baiana de cegos - Telefone (71) 328-0661 APAE – Associação de pais e Amigos dos Excepcionais - Telefone – (71) 313-8879 APADA – Ass. de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos - Telefone (71)334-1468 ABADEF – Associação Baiana de Deficientes Físicos - Telefone (71) 321-5550 CAPAZ – Centro de Treinamento Profissional de A e Z VIDA BRASIL - Telefone (71) 3214382 NIOBA - Telefone (71) 329-8421

EXPEDIENTE Informativo do SINDESP-BA Idealização:

Necessitando de segurança privada para sua empresa, consulte o SINDESPBA Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado da Bahia e a Polícia Federal, para contratar uma empresa legalizada. Cuidado, pois o CNPJ não é prova de que uma empresa seja legalizada na Polícia Federal. Logo, ela não pode operar com segurança armada ou desarmada, nem mesmo trabalhar com policiais do Estado ou da União.

Odair de Jesus Conceição Redação: Uzel Manélio Duplat Neto Projeto Gráfico: Clerivan Mascarenhas

INFORMAÇÕES:

Revisão jornalística:

Comissão de Vistoria da Polícia Federal da Bahia (71) 319 - 6129

(71) 450-0411 (71) 450-0563

RB Comunicações


info90jan2005