Page 1

Revista do Sindec | Edição nº 09

PRIMAVERA CORES E AROMAS ANUNCIAM A ESTAÇÃO DAS FLORES

Porto Alegre

Saúde

Turismo

Projeto de Lei cria Museu do Gaúcho na capital

Campanha busca apoio para Postos 24 horas

Confira a programação de roteiros e divirta-se SINDEC EM AÇÃO


EDITORIAL

somente com união vamos avançar nas conquistas

A participação expressiva de dirigentes sindicais na 5ª Conferência Internacional, que ocorreu de forma paralela ao 7º Congresso Nacional da Força Sindical, realizado no mês de julho, em São Paulo, estreitou as relações entre lideranças sindicais de diferentes continentes. Entre os países presentes estiveram Brasil, China, Venezuela, Argentina, Cuba e EUA, além de representantes do mundo árabe, África e Europa. A Conferência serviu para reafirmar que o intercâmbio de experiências é fundamental para promover o avanço nas conquistas trabalhistas e fortalecer o movimento sindical em todo o mundo. Ainda em São Paulo, a participação dos trabalhadores e sindicalistas do país no 7º Congresso Nacional da Força Sindical foi um marco que ficará na história do movimento sindical no país e deixou claro que a união é fundamental em nossa luta! Aliás, foi está união que esteve presente no dia 30 de agosto, quando a categoria foi à rua novamente para reafirmar a pauta trabalhista e pedir mais seriedade de nossos governantes na conduta de nosso país. Acreditamos que os movimentos sociais são saudáveis para a democracia de todas as nações e a presença do movimento sindical é fundamental em qualquer ato, como o foi no dia 30 de agosto e também no dia 11 de julho. O Sindec-POA, juntamente com outros sindicatos do país, está engajado na luta pelos direitos de todos os brasileiros! Por aqui, nossa luta ganhou mais um item: a Campanha Salarial (2013-2014)! Ela foi lançada, em uma noite fria do final de agosto, quando a categoria lotou o salão de eventos Pompeia para participar da Assembleia Geral. Mostramos que nem mesmo o frio pode nos acomodar e que, somente com a união, poderemos avançar nas conquistas. O engajamento de cada um é importante para consolidarmos fortemente esta campanha, buscarmos salários mais dignos, trabalho decente e garantirmos melhores condições de qualidade de vida. Com nossa união, conquistaremos e consolidaremos de forma real nossas reivindicações!

Nilton Neco Presidente do SINDEC/POA Secretário Nacional de Relações Internacionais da Força Sindical Membro do Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT)

SINDEC EM AÇÃO

SINDEC EM AÇÃO

03


FIQUE POR DENTRO

expediente

05 06 08 10 11 12 14 16 22 24 25 26

Brasil:

FIQUE POR DENTRO

Saiba mais sobre os raios e como se proteger deste fenômeno natural

país com maior incidência de raios

PORTO ALEGRE

Museu do Gaúcho preserva a cultura do Rio Grande na capital

ENTREVISTA

A localização continental somada à extensão do território – que fica dividido entre regiões equatorial, tropical e subtropical – dão ao Brasil o título de país com maior incidência de raios. De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI), são registrados cerca de 57 milhões desse fenômeno natural, por ano, no país.

Dra. Rafaelina: há 40 anos cuidando da saúde bucal dos comerciários

RECEITA

Feijão campeiro: aprenda como fazer este prato típico brasileiro e delicie-se

SAÚDE

Campanha defende Postos 24 horas na capital. Participe desta luta!

TURISMO

Programe-se para muita diversão com as dicas de roteiros da CS Turismo

ESPECIAL

Primavera: a estação mais colorida e cheirosa do ano está chegando. Prepare-se!

SINDEC

Confira as ações do Sindicato e da Força Sindical na defesa dos seus direitos

EXPEDIENTE Presidente: Nilton Neco Fotos: Daiana Rodrigues, Cintia Rodrigues, Ana Labres e Claus Essen Jornalistas: Ligiane Brondani, Gabriella Oliveira, Fernando Rosa e Andreia Sarmanho Jornalista Responsável: Carmem Carvalho MTB/RS 12.263 Diagramação: VERAZ SINDEC - Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre Rua General Vitorino, 113 - Porto Alegre/RS CEP: 90020-171 Fone: (51) 3254-5500

É uma descarga elétrica de grande intensidade que conecta as nuvens de tempestade na atmosfera ao solo. A intensidade típica de um raio é de, aproximadamente, mil vezes a intensidade de um chuveiro elétrico. Ele pode ser negativo (quando traz carga negativa da nuvem para o solo) e positivo (nesse caso, traz carga positiva). O raio se diferencia do relâmpago por que esse último é descarga elétrica gerada por nuvens de tempestades, independentemente se conectam ou não ao solo. O curioso é que apesar de poder causar a morte de uma pessoa, os raios podem estar ligados ao surgimento da vida na Terra. Há evidência de que eles tenham quebrado moléculas de amônia, metano, hidrogênio e vapor de água, formando os aminoácidos que são indispensáveis à vida existente no Planeta.

Gatos e sua relação com os seres humanos ao longo dos anos

Fé e devoção a Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil

O que é um raio?

Raio & vida

QUATRO PATAS

CURIOSIDADE

Devido à densidade populacional, a Região Sul é a campeã de raios. No entanto, o maior número de mortes ocorre na Sudeste. Levantamentos do Inpe mostram que, em média, 130 pessoas perdem a vida atingidas por raios em nosso país, durante o ano.

FAÇA PARTE DA REVISTA: Envie suas sugestões de pautas, piadas, charadas ou receitas para: revistaemacao@sindec.org.br

ENTRETENIMENTO

Dom Pedro I e os apuros do 07 de setembro

Dicas de filme e livros sobre a história brasileira

DICAS

* Evite sair à rua ou permanecer nela durante tempestades. Se precisar sair ou se estiver na rua, procure abrigo em locais como veículos (não conversíveis); moradias ou prédios (de preferência com para-raios), evitando topos de prédios. * Ainda na rua evite áreas abertas como campos de futebol; e não estacione próximo a árvores ou rede de energia elétrica. Também evite segurar objetos metálicos longos como varas de pesca e tripés; empinar pipas e aeromodelos com fio. Não fique próximo de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos. * Em casa, evite usar o telefone com fio ou celular ligado à rede elétrica; não fique próximo de tomadas e canos, janelas e portas metálicas; e não toque em qualquer equipamento elétrico ligado à rede elétrica.

Mitos & Verdades Talvez para evitar acidentes e mortes ocasionados por raios, ao longo dos anos, surgiram mitos sobre tempestades e, principalmente, raios. Confira abaixo alguns mitos e verdades sobre este fenômeno natural.

Espelho atrai raios? Não. Acredita-se que a crença surgiu na época em que os espelhos tinham grandes molduras metálicas. Já, as molduras – por serem feitas de metal – atraiam.

Um raio atinge duas vezes o mesmo lugar?

Inpe aposta na prevenção para evitar acidentes Para orientar as pessoas na prevenção de acidentes com raios, o Inpe criou a cartilha ‘Proteção Contra Raios’, que está disponível no endereço eletrônico www.inpe.br.

CULTURA

!

www.sindec.org.br

Sim. Um exemplo é a estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. O local é atingido por, aproximadamente, seis raios por ano.

Para-raios protegem os equipamentos eletrônicos? Não. Os para-raios protegem apenas a construção. Para garantir a segurança de equipamentos eletrônicos é preciso instalar supressores de surto de tensão.

FONTES: http://www.inpe.br

04

SINDEC EM AÇÃO

SINDEC EM AÇÃO

05


PORTO ALEGRE Vereador, o que motivou o senhor a elaborar a proposta da criação do Museu do Gaúcho? Primeiro, devo dizer que a proposta inicial tratava-se de instituir o Museu Farroupilha. Como tenho por hábito trocar informações e discutir minhas propostas com a sociedade, acabei convencendo-me, por óbvio, em substituir a proposta inicial pela criação do Museu do Gaúcho, por ser mais abrangente. O que me motivou na proposta de criar o Museu do Gaúcho é esta necessidade que temos aqui em Porto Alegre, que eu chamo de Capital Internacional do Gaúcho, em poder contar com este equipamento onde poderá ser mostrada toda a evolução histórica da formação do povo gaúcho, contemplando todas as etnias.

Hoje, devido a rotina das grandes cidades, alguns gaúchos se distanciaram de sua história e raízes, além de terem perdido o contato com o campo. O senhor acredita que através da implantação do Museu do Gaúcho será possível buscar diminuir está distância? Sim. O espaço vai diminuir as distâncias das pessoas com a tradição e os costumes do Estado. O Museu do Gaúcho vai promover a identificação de todos os gaúchos que construíram e constroem o Rio Grande do Sul e, sobretudo, perpetuar o autorreconhecimento das novas gerações. BAI 0796 – Fotografa Bárbara Barbieri

Capital ganha

Museu do Gaúcho

No mês Farroupilha, capital ganha Museu do Gaúcho. Além de contar as histórias de Porto Alegre, o espaço vai agregar momentos que construíram e constroem a história do povo gaúcho. A Lei que cria o MuseuEMdo Gaúcho na capital é de SINDEC AÇÃO autoria do vereador porto-alegrense Bernardino Vendruscolo e foi sancionada pelo prefeito José Fortunati, no início de setembro. O vereador, que concedeu entrevista à Revista Em Ação, enfatizou que a proposta pretende reunir objetos e utensílios que contem a história da formação do povo gaúcho, oferecendo espaço para todas as etnias. Quer saber mais sobre a criação do Museu? Então, confira a entrevista com o idealizador do espaço.

06

SINDEC EM AÇÃO

O que poderemos encontrar no Museu? Todos os utensílios e ferramentas usados no início da povoação para o cultivo da subsistência. As armas usadas nas guerras, fotografias antigas, documentos históricos e tudo aquilo que possa representar a arte, os usos e costumes do gaúcho. Não haverá uma limitação. Não se pode esquecer que o nosso Estado foi povoado inicialmente pelos índios e por homens brancos e negros de várias origens. É necessário lembrar que temos regiões bem distintas dentro do próprio Estado, com culturas e costumes diferentes. Basta compararmos as Missões com o Litoral, com a Campanha, a Serra e o Planalto.

O Museu do Gaúcho será instituído e ficará à disposição de toda a sociedade, independente de segmento social ou cultural.

Agora, também sou autor da Lei nº 11.309/2012, que institui o Parque Temático da Cultura e Folclore Gaúcho. Não sou contra que o próprio Museu do Gaúcho faça parte do próprio parque. Da mesma forma, outro Projeto de Lei, de nº 160/2010, de minha autoria, que busca instituir o Memorial em Homenagem ao Chimarrão.

Qual será a função do Conselho responsável pelo Museu? A função vai ser praticamente aquela que o Prefeito determinar na regulamentação da Lei do Museu do Gaúcho, Lei nº 11.475. Veja o conteúdo no meu site.

Como os tradicionalistas receberam a notícia da criação do Museu do Gaúcho? No dia da Sanção (3 de setembro de 2013), algumas lideranças do tradicionalismo me elogiaram de forma muito intensa. Mas tenho que salientar que o Museu do Gaúcho será instituído e ficará à disposição de toda a sociedade, independente de segmento social ou cultural.

Há previsão para abertura do local e onde ele ficará?

A proposta contou com o apoio dos demais vereadores?

Esta parte, evidentemente, vai depender exclusivamente do Executivo e das parcerias que ele irá buscar. Saliento que, quando um Projeto de Lei parte do Legislativo, ou melhor de um parlamentar, como é o caso, não se tem capacidade para determinar o local. Podemos sim, nas exposições de motivos, apontarmos sugestões.

Sem sombra de dúvida, todos sabem que sou um eterno defensor da valorização dos nossos usos e costumes. Se fosse baiano, certamente, defenderia as baianas. Temos que defender, divulgar e cultuar o que é nosso.

Defendo que o local ideal deveria ser o prédio do Grêmio Gaúcho com 115 anos de história, fundado por João Cezimbra Jacques, em 1898; chamado de “Berço do Tradicionalismo”, localizado no quarteirão formado pelas Ruas Bispo Laranjeira, Sepé Tiaraju, Niterói e Carlos Barbosa. Tenho um Projeto de Lei, de nº 51/2013, que propõe o tombamento deste prédio.

Inicialmente, alguns vereadores tinham algumas resistências. Mas, hoje, não as vejo mais. Todos sabem que tenho vários projetos tratando de questões culturais, como também, na área tributária. E assim, vamos levando a vida: todo o dia “peleando” para justificar os votos que recebemos. Chega um determinado momento que nós, parlamentares, precisamos nos ajudar, um colaborando com o outro. Ninguém faz nada sozinho.

SINDEC EM AÇÃO

07


ENTREVISTA

É ótimo trabalhar aqui. Somos uma família.

A senhora pode dar algumas dicas para ajudar as mães e os pais a cuidarem, ainda mais, os dentes da garotada?

Doutora Raffaelina:

Sim. Sempre peço para que a mamadeira com açúcar seja evitada. Isto ajuda a reduzir a criação de cárie nos dentes. O melhor é oferecer o alimento sem açúcar e acostumar desde cedo as crianças a uma alimentação saudável. Também é importante cuidar dos dentes de leite das crianças. É na infância que se cria o hábito da boa escovação.

40 anos dedicados aos comerciários

Mas, criança pode comer doce? Claro. Mas, tem que escovar os dentes logo depois. É fundamental tomar esses cuidados para garantir um lindo sorriso!

Com simpatia e uma disposição de despertar admiração para os seus 70 anos (ela não revela a idade), a dentista Raffaelina Garcia recebeu a equipe da Revista Em Ação, em seu consultório – no prédio em que está sendo realizado, temporariamente, o atendimento de Odontologia aos associados do Sindec-POA, na Avenida Borges de Medeiros, nº 430. Doutora Raffa – como é carinhosamente chamada pelos colegas – já foi logo dizendo que adora o que faz! “São 40 anos de casa. Somos uma verdadeira família”, ressaltou. Na entrevista, doutora Raffa revelou o que mais gosta no Sindec e também como é a relação dela com sua família. Também contou como foi a emoção de ser premiada na última edição do Troféu Semear – premiação concedida para pessoas que dedicam a vida ao Sindicato. Durante o bate-papo, a dentista aproveitou para dar algumas dicas de como manter a saúde bucal de adultos e crianças em dia, contar como é o dia a dia no consultório e falar como escolheu a profissão.

08

SINDEC EM AÇÃO

Com o dia a dia corrido e o almoço rápido, às vezes, fica fácil descuidar com o sorriso. Qual sua dica para manter a saúde bucal dos adultos? Como é trabalhar há tanto tempo para o Sindec? É ótimo trabalhar aqui. Somos uma família. Costumo dizer para meu marido que tenho duas paixões: o Sindicato (Sindec) e o Internacional. Aqui, temos um bom entrosamento entre os colegas e, também, um bom relacionamento com a diretoria. Somos atendidos em todos os nossos pedidos. Por exemplo, se solicitamos algum tipo de material, logo é providenciado. Outro ponto que me chama atenção é o cuidado que o Sindicato tem com os associados por oferecer médicos e dentistas. É tudo feito pensando nos comerciários. E, com certeza, o entrosamento garante o bom atendimento!

Para os adultos, recomenda-se uma boa higiene bucal após todas as refeições. Deve-se demorar de 15 a 20 minutos realizando a limpeza e também utilizar fio dental. Uma boa solução é levar o fio dental e a escova para o trabalho. Aqui (no consultório), chegam pessoas que não tomaram todos os cuidados necessários e, hoje, precisam fazer tratamento de canal.

Como a senhora escolheu sua profissão? Sempre tive muitos médicos na família, entre eles meu pai. Costumava ajudá-lo com seus pacientes. Aplicava injeção e também aprendi a fazer a medicação. Naquela época, não existiam remédios prontos. Era preciso usar a balança para medir cada ingrediente das fórmulas.

Por que a senhora escolheu ser dentista ao invés de médica? Quando algum dos pacientes de meu pai morria, ficava muito triste. Chorava muito. Como queria trabalhar na saúde, escolhi a odontologia. Fiz faculdade na UFRGS.

Foi na universidade que a senhora conheceu seu marido? Sim, foi lá na UFRGS. Estamos juntos há 53 anos. Ele é ótimo marido e um excelente pai. Sou de descendência italiana. Família é tudo. Estamos sempre juntos. Tenho uma ótima relação com meus filhos, noras e netas.

Como foi receber o troféu Semear? Foi uma surpresa. Fui à festa com meu marido. Havia dito para ele que, após, íamos para a casa da minha irmã. Ele dizia, vamos ficar mais um pouco, pois já sabia da premiação. Estava escondendo de mim. Ele queria me fazer surpresa e conseguiu (risos).

Em média quantas pessoas a senhora atende por dia? Geralmente, são atendidos oito pacientes e a consulta dura em torno de 20 minutos.

Como estão os dentes dos comerciários? Estão bem melhor do que há alguns anos atrás. Aqui, buscamos fazer o melhor para garantir a boa saúde bucal. Lembro que, na universidade, tive um professor que costumava dizer: ‘Nunca se joga um dente no lixo!’. Ele ainda falava que se faz de tudo para salvá-lo.

E, como estão os dentes dos filhos dos comerciários? Hoje, as crianças recebem um maior cuidado. A escovação está bem melhor. Dá para dizer que de 80 a 90% delas estão com uma ótima saúde bucal.

SINDEC EM AÇÃO

09


saúde

RECEITA

De onde vem o feijão?

Feijão: um prato tipicamente brasileiro

Apesar da riqueza da culinária brasileira - herança da miscigenação entre índios, europeus, africanos e asiáticos - é quase impossível chegar para o almoço na casa de um amigo ou de um familiar e deixar de encontrar o mais típico dos pratos de nosso país: o feijão. Seja carioquinha, preto, de corda, jalo, branco, rosado, fradinho, rajado ou bolinha, ele está na mesa do brasileiro! O grão possui alto valor nutritivo, principalmente ferro; sais minerais como potássio, fósforo e cálcio; e boa quantidade de fibras. Estima-se que o brasileiro consome, aproximadamente, 16 kg de feijão por ano. Confira ao lado uma receita deliciosa de feijão campeiro.

Ninguém sabe ao certo. Há relatos que na Grécia Antiga e no Império Romano, os grãos eram utilizados para votar; e, tanto gregos como egípcios cultuavam o feijão como símbolo de vida. Os antigos romanos também eram adeptos do alimento. Nas ruínas da Antiga Tróia foram encontradas evidências de que o feijão era o prato favorito dos robustos guerreiros, por isso, historiadores chegaram à conclusão de que o grão deve ter sido distribuído pelo mundo durante as guerras. Para eles, o feijão era o prato básico dos guerreiros e mais tarde dos navegadores! Por outro lado, uma pesquisa arqueológica defende que o feijão já existia na América do Sul por volta de 10.000 anos a.C. Arqueólogos acharam vestígios do grão no Peru e no México. Aqui no Brasil, os índios já comiam feijão e o chamavam de ‘comanda’. E claro, eles o comiam com farinha! Os espertos portugueses, por volta de 1.540, levaram grãos para a Europa. O resultado foi o combate à fome e o aumento da expectativa de vida da população.

Feijão Campeiro

(esta receita é para 08 porções) INGREDIENTES: 1 kg de feijão-preto 1/2 kg de carne-seca cortada em pedacinhos 100 g de toucinho 1/2 kg de linguiça fina, cortada em rodelas 3 ossos com tutano 4 folhas de louro 1 pimentão sem sementes 1 cebola picadinha 6 dentes de alho MODO DE PREPARO: Coloque de molho o feijão e a carne, separados, por 24 horas. Escorra o feijão, cubra com água e leve ao fogo. Escorra a carne. Frite o toucinho. Após, doure a cebola e o alho. Junte a carne seca e a linguiça, refogue e junte ao feijão. Acrescente o osso com tutano. Quando o feijão estiver quase pronto, acrescente as folhas de louro e o pimentão picado. Assim que o feijão estiver cozido, esmague um pouco os grãos, para engrossar o caldo. Tempere a gosto e deixe cozinhar até amolecer os grãos. SUGESTÃO: Sirva com arroz branco, salada de tomate, couve refogada e farinha de mandioca.

FONTES: www.receitastipicas.com / www.mercadodefeijao.com.br / www.granfino.com.br

10

SINDEC EM AÇÃO

Campanha defende

Posto de Saúde 24 Horas A campanha pela abertura dos Postos de Saúde 24 horas ganhou às ruas com o objetivo de garantir atendimento à saúde dos trabalhadores. A Força Sindical, junto com o Sindec-POA e outros sindicatos, já arrecadou mais de 100 mil assinaturas. Ao mesmo tempo, o vereador Clàudio Janta apresentou na Câmara de Vereadores da capital um projeto com esse objetivo. O serviço de saúde em Porto Alegre chegou à beira do caos, que já resulta em mortes nas ruas da cidade, por falta ou atraso no atendimento, denunciam os trabalha-

dores. Por outro lado, a prática de desmonte dos serviços prestados à população atinge diretamente os Postos de Saúde. Ainda soma-se a isso a falta de médicos nos Postos de Saúde. “Esta é uma luta de todos os porto-alegrenses, moradores dos bairros, trabalhadores de todas as categorias, cidadãos comprometidos com a vida dos seus irmãos”, convocou a Central. Para a Força Sindical, “a saúde da população está acima de tudo e, portanto, os postos devem abrir 24 horas por dia e também nos finais de semana”.

Sindicalistas participam de debate sobre saúde no Legislativo A Força Sindical-RS participou, no dia 17 de setembro, do Seminário Saúde ‘Um bem que se quer’, promovido pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente (COSMAM), da Câmara Municipal de Porto Alegre. O evento enfocou os 25 anos de luta na construção do Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil e temas de relevância em Saúde Pública. “A Central defende o Trabalho Decente que inclui transporte de qualidade, segurança, educação e principalmente a prestação de serviços da saúde com qualidade”, disse o diretor Marcelo Furtado durante o evento. “Temos mais de 100 mil assinaturas no abaixo-assinado para os Postos de Saúde 24 horas por dia, inclusive finais de semana e feriados. Quem ganha é a população!”, salientou. O sindicalista e vereador, Clàudio Janta, enfatizou que é importante promover o debate sobre a saúde que se quer em Porto Alegre. “Hoje, os Postos de Saúde fecham às 17h e não abrem em final de semana. Acreditamos que o investimento da Saúde 24h é apenas um dos passos que devemos dar para melhorar o acesso e o atendimento, mas com certeza deve ajudar o trabalhador e sua família e diminuir as filas, trazendo dignidade ao atendimento”, afirmou Janta.

SINDEC EM AÇÃO

11


TURISMO

Roteiros garantem

diversão e lazer

ilidade.

otes

* Os pac

ujeitos à

estão s e valores

Aproveite as dicas de viagem preparadas pela CS Turismo para você passar momentos inesquecíveis com a família e os amigos. Diversão, lazer e cultura são os ingredientes destes roteiros.

disponib lteração e

a

Para maiores informações:

(51) 3072.3314 - (51) 3072.3317 carla@turismo.tur.br

Beto Carrero World Diversão garantida em parques, shows e zoológicos. Com viagens programadas para todos os finais de semana! Saídas: sexta-feira, às 21h20, e retorno domingo, às 11h. Pacote inclui: passagens de ida e volta em ônibus de turismo com serviço de bordo e guia; um pernoite em hotel categoria turística com dois cafés e um jantar (sem bebidas); ingresso no Parque; um almoço no retorno da viagem. Investimento: a partir de R$ 398,00 à vista ou 01 + 05 de R$ 74,00, no cartão Visa ou Master. * Este pacote oferece 10% de desconto para sócio do Sindec. ** Consulte valores para feriado de 15 de novembro, com dois pernoites.

Nordeste Aproveite a baixa temporada que vai até novembro (exceto feriados) para conhecer as praias do Nordeste! Inclui: aéreo desde Porto Alegre; sete noites de hospedagem com café; city tour quando informado; transfer in/out; apartamento DPL. Investimento: Confira (abaixo) os valores por pessoa, nos cartões Visa ou Master! A partir de: * Porto Seguro (sem city tour): R$ 179,00 + taxas + 9 vezes R$ 79,82 * Natal (com city tour): R$ 279,60 + taxas + 9 vezes R$124,22 * Salvador (com city tour): R$ 239,60 + taxas + 9 vezes R$ 106,48 * Porto Galinhas (com city tour): R$ 295,60 + taxas + 9 vezes R$ 131,77 * Este pacote oferece 5% de desconto para sócio do Sindec.

Termas Nova Prata - Veranópolis Desfrute das águas termais do Complexo Hidrotermal Caldas de Prata. O local, em meio à natureza, tem rio e cascata, além de cinco piscinas cobertas, duas piscinas externas, duchas, quedas para hidromassagem. Saídas: 20/09 a 29/11 (sexta a domingo) Inclui: transporte em van/micro/ônibus de turismo; serviço de bordo; city tour; guia acompanhante; dois jantares; três almoços; dois ingressos no Complexo Caldas de Prata; duas noites de hotel com café da manhã. NÃO INCLUI: Despesas de caráter pessoal; bebidas; refeições; taxas; ingressos em pontos turísticos; e quaisquer outras despesas que não estejam mencionadas como incluídas. Investimento: Confira (abaixo) os valores por pessoa, nos cartões Visa ou Master! A partir de: * R$ 550,00 à vista ou 1 + 9 vezes R$ 63,00 (duplos/triplos) – micro-ônibus - ( 18 a 24 pessoas ) * R$ 770,00 à vista ou 1 + 9 vezes R$ 85,00 (single) * R$ 650,00 à vista ou 1 + 9 vezes R$ 72,00 (duplos/triplos) - van - (6 a 10 pessoas) * R$ 870,00 à vista ou 1 + 4 vezes R$179,00 ou 1 + 9 vezes R$ 93,00 (single)

Espetáculo “A alma imoral” Theatro São Pedro Há mais de sete anos em cartaz, volta aos palcos de Porto Alegre, o espetáculo “A Alma Imoral”, uma adaptação de Clarice Niskier para o livro homônimo de Nilton Bonder. A peça foi escrita com o intuito de mobilizar o pensamento e a emoção do espectador moderno. Para contar as histórias e parábolas da tradição judaica, Clarice fica em contato direto com a plateia. Data: 04 e 05 de outubro às 21h; 06 de outubro às 18h. Investimento: Plateia: R$ 60,00 Camarote Central: R$ 50,00 Camarote Lateral: R$ 40,00 Galeria Central e Lateral: R$ 30,00 * Informações: (51) 8108.5631 San Lopez Produções ** Este evento oferece 10% de desconto para sócio do Sindec. ** Menores de 18 anos somente acompanhados por responsáveis.

* O roteiro, passeios e horários poderão ser alterados em virtude da programação ** Saída mínima: 06 pessoas (Van) e 18 pessoas (Micro) *** Este pacote oferece 5% de desconto para sócio do Sindec.

Oktoberfest Saídas: de 11 a 25/10 (sempre de sexta a domingo) Inclui: viagem em ônibus de turismo com ar; serviço de bordo; guia; hospedagem em Camboriú; hotel categoria turística em apto DPL ou TRL. Além das passagens; um pernoite em hotel com dois cafés; um almoço; translado Camboriú-Blumenau; ingresso e serviço de bordo. Investimento: a partir de R$ 360,00 à vista por pessoa, ou 01 + 05 de R$ 66,00, no Visa ou Master. * Este pacote oferece 10% de desconto para sócio do Sindec.

12

SINDEC EM AÇÃO

SINDEC EM AÇÃO

13


ESPECIAL

Primavera: estação da inspiração Inspiração de poetas, compositores e pintores, a Primavera tornou-se palco de músicas, histórias, poesias e telas de arte. Quem não lembra Tim Maia soltando a voz e abrindo o coração ao cantar “Te amo. É Primavera”? E, o que dizer da dobradinha na composição de Vinicius de Moraes e Carlos Lyra, em “Primavera”? Entre os pintores que se renderam à estação está o artista renascentista Sandro Botticelli (1445-1510) que retratou “A Primavera”. A obra traz a deusa do amor Vênus e o cupido em campos castigados pelo inverno em contraste com o florescer da Primavera. Seja em letras musicadas ou em pinturas famosas, o certo é que a estação das flores mexe com o coração e o imaginário humano, fazendo despertar os cinco sentidos de cada um de nós. Os dias ficam com temperaturas mais amenas e o sol começa a aparecer com maior

frequência. As flores abrem-se em uma diversidade de cores; pássaros e borboletas dividem espaço no céu, que parece estar mais azul; e muitos animais reaparem com o ‘calorzinho’. Tudo indica que o tempo de hibernação acabou e que é tempo de renovar! Infelizmente, o Inverno – a Primavera inicia, neste ano, oficialmente às 17h44 do dia 22 de setembro - deixou algumas marcas nada agradáveis. Os jardins sofreram com geadas, chuvaradas, baixas temperaturas e, em algumas cidades do Sul, neve. Apesar de algumas plantas terem resistido e mostrarem que irão aflorar é hora de mexer no jardim para dar aquela forçinha. Para ajudar você a recuperá-lo ou se animar para construir um, a Revista em Ação conversou com a bióloga Janine Fregapani Barbosa. Confira também quais são as melhores plantas para se ter dentro de casa.

E, no verão, que cuidados podemos tomar para que elas mantenham sua beleza?

E, para deixar a casa com aquele cheiro de Primavera, tem alguma dica (aromatizadores...)?

Em épocas de muito calor, os jardins externos necessitam de rega duas vezes ao dia e no mínimo uma. O ideal é pela manhã e a tardinha, nos períodos menos quente. Já as plantas de interiores necessitam, aproximadamente, em cada dois ou três dias dependendo do tipo de planta.

Os aromas naturais são recomendados para deixar aquele cheirinho gostoso no ar, além de ajudar as pessoas a se concentrar, ficar calma, equilibrar os hormônios, etc. Para primavera, sugiro os aromas florais romântico de gerânio, rosas e lavanda e para alegrar os ambientes aromas cítricos como laranja, tangerina, mandarina e litsia cubeba.

Quais as principais plantas que florescem agora na Primavera? Temos árvores, arbustos e trepadeiras nativas como Pata de vaca (Bauhinia variegata), Sibipiruna (Caesalpinia peltophoroides), Guapuruvu (Schizolobium parahyba), Manacáde-cheiro (Brunfelsia uniflora), Primavera (Bougavillea spectabilis) e Brinco de Princesa (Fuchsia regia). Esta última é a flor símbolo do Rio Grande do Sul.

Para quem mora em apartamento e não tem muito tempo para se dedicar as plantas, quais são mais indicadas e quais cuidados são recomendados? É recomendado que, uma vez ao ano, se insira uma ou duas colheres de sopa de terra preta no vaso conforme o tamanho. Vasos maiores recomenda-se aproximadamente cinco colheres de adubo orgânico.

?

As plantas mais indicadas são:

ENTREVISTA Como recuperar o jardim que sofreu tanto com o inverno e, principalmente, depois das chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul nos últimos meses? Primeiro observar o que restou do jardim, principalmente, as plantas herbáceas*, que são mais sensíveis. Depois, analisar o solo para ver o grau de umidade e compactação, recomendando-se adubar as floreiras e os canteiros, revirando o solo para o bom desenvolvimento das plantas. Algumas terão que ser replantadas e outras terão que ser plantadas para repor aquelas que morreram. Essas espécies devem ser escolhidas de acordo com a época de

14

SINDEC EM AÇÃO

plantio e formato de jardim pretendido. * Plantas herbáceas são aquelas com caule não lenhoso ou semi-lenhoso. Podem adquirir a altura de um arbusto. Elas são usadas na ornamentação.

Como podemos manter a saúde das plantas? Observar o tipo de planta e adequar à manutenção em relação à adubação, regar, podar, escolher local apropriado conforme a espécie. Além de necessitarem de um bom ambiente com a paz e tranquilidade, elas se desenvolvem maravilhosamente em lugares onde se pratica mantras, meditações e orações.

Lírio da Paz – Ótima para manter a paz nos relacionamentos. Recomenda-se regar duas vezes por semana em ambiente claro. Jade – Recomenda-se uma vez por semana a rega, porém caso precise viajar pode ficar até 20 dias ou mais sem rega. Ambiente claro (uma dica, colocar a planta próxima a janela). Zami – Muito resistente e adapta-se bem na sombra, rega uma vez por semana. Erva tostão - Ambiente meia sombra, luz indireta e requer mais água duas vezes por semana. Pau-dágua – Rega uma vez por semana. Ela gosta de ambiente meia sombra bastante adaptável ao lugar.

Só para lembrar: Primavera (Vinicius de Moraes) O meu amor sozinho É assim como um jardim sem flor Só queria poder ir dizer a ela Como é triste se sentir saudade É que eu gosto tanto dela Que é capaz dela gostar de mim E acontece que eu estou mais longe dela Que da estrela a reluzir na tarde Estrela, eu lhe diria Desce à terra, o amor existe E a poesia só espera ver Nascer a primavera Para não morrer Não há amor sozinho É juntinho que ele fica bom Eu queria dar-lhe todo o meu carinho Eu queria ter felicidade É que o meu amor é tanto Um encanto que não tem mais fim E no entanto ele nem sabe que isso existe É tão triste se sentir saudade Amor, eu lhe direi Amor que eu tanto procurei Ah, quem me dera eu pudesse ser A tua primavera E depois morrer

SINDEC EM AÇÃO

15


SINDEC

Dia Nacional de Mobilização

Beijing (China):

Levando para as ruas de Porto Alegre a mesma força já demonstrada no dia 11 de julho, a Central, juntamente de seus sindicatos filiados, realizou um grande ato no dia 30 de agosto. No início da manhã, às 6h, cerca de 500 pessoas se concentraram na Estação Rodoviária com bandeiras em punho e faixas que destacavam as principais reivindicações da classe trabalhadora.

O presidente do Sindec-POA, Nilton Neco, participou do Fórum Internacional sobre Globalização Econômica e Sindicatos “Desenvolvimento e Ganhos Compartilhados”, em setembro, na China. Ele é secretário de Relações Internacionais da Força Sindical e membro do Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

e Luta reafirma reivindicações dos trabalhadores

Após trancarem o cruzamento da Rua Conceição, os militantes bloquearam os principais acessos à capital: Avenida Mauá e Castelo Branco e Farrapos. Nos locais permaneceram por cerca de três horas. O presidente da Força Sindical no Rio Grande do Sul e secretário-geral do Sindec-POA, Clàudio Janta, afirmou que o Movimento Sindical propõe uma agenda de desenvolvimento e crescimento do Brasil. “A população, em sua grande maioria, entendeu que o protesto é pelo fim do fator previdenciário, isenção de R$ 6 mil no Imposto de Renda, 10% orçamento para a saúde, jornada de trabalho de 40 horas semanais (sem redução de salários), não ao projeto de terceirização, PEC 300, e em apoio ao estatuto do motorista. Essa é uma luta digna e de todos trabalhadores”.

Essa é uma luta digna e de todos trabalhadores

O diretor Marcelo Furtado, ainda, anunciou que se o governo federal não negociar com a classe trabalhadora as centrais sindicais irão realizar novos atos em todo o País. Ao encerrar o ato, o presidente da Força Sindical-RS conclamou toda a população. “Seguiremos unidos e mobilizados até sermos ouvidos pelo governo federal”, destacou Janta. Em Porto Alegre, o ato contou com a participação de todas as categorias filiadas à Central, que levaram para a manifestação os dirigentes dos sindicatos, sócios e trabalhadores. Porto Alegre, a Região Metropolitana e o Rio Grande do Sul deram mais uma vez, exemplo de mobilização e luta.

A Greve Geral de 2011 e o compromisso histórico dos trabalhadores Os trabalhadores de Porto Alegre, da Região Metropolitana e do Estado do Rio Grande do Sul, novamente, deram exemplo de luta nas manifestações realizadas nos últimos dias 11 de julho e 30 de agosto. Atendendo à convocação das lideranças sindicais, os comerciários e todas as categoriais pararam totalmente Porto Alegre, em especial, e a região metropolitana. Especialmente na Greve Geral do dia 11, os trabalhadores confirmaram a tradição dos gaúchos de combatividade, de compromisso com as pautas trabalhistas e com o desenvolvimento do país. A ampla e profunda

16

SINDEC EM AÇÃO

* Clàudio Janta

paralisação do dia 11 foi a mais importantes manifestação grevista da vida sindical moderna brasileira, sem comparação na história recente do país. Antes da Greve Geral do dia 11, Porto Alegre, o Rio Grande do Sul e o Brasil tinham vivido um momento semelhante na chamada “greve geral de 83”, realizada naquele ano. Mesmo sem o mesmo volume de adesão, a greve geral de 1983 cumpriu o papel histórico e heroico de afirmar definitivamente o repúdio dos trabalhadores à ditadura militar, ainda em vigor naquele momento.

Central participa do Fórum sobre Globalização e Sindicatos

Em seu discurso, Neco agradeceu o convite dos organizadores do evento, a Federação Nacional dos Sindicatos da China (FNSCH). O presidente do Sindec enfatizou que foi uma honra participar, novamente, de uns dos maiores eventos sindicais internacionais que acontece anualmente na China. A globalização foi um dos temas centrais de seu discurso. “Consideramos que a atual crise econômica mundial é consequência dos desmandos e descontrole da economia global e é de responsabilidade daqueles que só pensam nos lucros fáceis e sem limites, comprometendo os processos democráticos e avanços sociais em muitos países, em particular nos países em desenvolvimento”, enfatizou. “Embora o cenário a médio e longo prazo seja de muitas incertezas, o Brasil avançou nos últimos 20 anos. A estabilidade econômica, os avanços sociais, a manutenção dos direitos, o emprego, e o diálogo social tem sido fundamental para o fortalecimento da democracia, e uma expectativa de uma vida mais digna para todos em nosso país”, afirmou Neco. Ele também ressaltou a luta dos trabalhadores brasileiros para defender seus direitos e continuarem com suas conquistas. “Podemos afirmar que o movimento sindical brasileiro tem sido protagonista das mudanças e avanços sociais no Brasil”, acrescentou.

!

Sindicalistas participam de evento nos EUA

O presidente do Sindec - juntamente com Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos SP; Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da Federação dos Químicos SP; e o assessor da Força Sindical, Ortélio Palácios - participa da Convenção da AFL-CIO no Centro de Convenções de Los Angeles (LACC) em Los Angeles, EUA. O evento ocorreu em setembro e entre os assuntos debatidos esteve a questão de prosperidade compartilhada na economia global. (Força Sindical)

Dia do Comerciário é incluído no calendário oficial de Porto Alegre A medida protocolada pelo sindicalista e vereador Clàudio Janta, no início de setembro, inclui a efeméride Dia Municipal dos Comerciários no calendário oficial de Porto Alegre. A data dedicada à categoria é 30 de outubro, fazendo referência ao dia estabelecido pela lei federal que regulamenta a profissão. Na justificativa do projeto, o vereador Clàudio Janta, que também é secretário-geral do Sindec-POA, destaca que o comércio é o terceiro setor em número de trabalhadores da capital, representando 16% da força de traba-

lho do município, atrás apenas dos setores de serviços (42,7%) e da administração pública (27,5%). Atualmente, 10% da massa salarial do município pertence à categoria comerciária, responsável por expressiva parcela do consumo de Porto Alegre, impactando positivamente nas vendas e arrecadação de impostos. O que o projeto prevê: Fica estabelecido no Calendário de Datas Comemorativas do Município de Porto Alegre, o 30 de outubro como Dia Municipal dos Comerciários.

SINDEC EM AÇÃO

17


SINDEC

SINDEC

Campanha

Congresso da Força

salarial

inicia mostrando unidade da categoria Mostrando a unidade da categoria, os comerciários atenderam o chamamento do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre (Sindec-POA) e compareceram em peso na assembleia geral, no final de agosto. Com o salão de eventos Pompéia lotado, a categoria participou das discussões e definiu encaminhamentos, dando início oficialmente ao processo da Campanha Salarial 2013-2014. “É muito importante a unidade da categoria nessa etapa. Precisamos que todos estejam engajados para consolidarmos fortemente esta campanha, na busca por salários mais dignos e trabalho decente”, ressaltou o presidente do Sindec-POA, Nilton Neco. CRESCIMENTO - Durante a assembleia, a técnica do Dieese, a economista Daniela Sandi, apresentou dados importantes sobre a política salarial do setor, mostrando um panorama de expansão nos últimos anos. Segundo a técnica, o número de novas vagas demonstra crescimento nos últimos 12 meses. Foram geradas mais de 19 mil vagas no Rio Grande do Sul e cerca de 1.900 em Porto Alegre e Região Metropolitana. Na sequência o tesoureiro-geral da entidade, Luis Carlos Barbosa, apresentou a pauta de reivindicação da campanha salarial. A categoria votou e aprovou, por unanimidade, as 153 cláusulas apresentadas para o acordo coletivo, que incluem aumento real mais correção do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) da data.

18

SINDEC EM AÇÃO

Para o secretário-geral do Sindec-POA, Clàudio Janta, ver a assembleia lotada é uma vitória para os comerciários. “A categoria dos comerciários de Porto Alegre está dando uma prova muito grande de que está engajada. Teremos uma grande campanha salarial porque vamos seguir avançando mais”, disse. Janta, ainda, mencionou a mobilização ocorrida no ano passado, quando em cinco dias de passeatas e manifestações pelo centro da capital, a categoria garantiu importantes conquistas e enfatizou que é o momento de união com o seu Sindicato para enfrentar a intervenção sofrida pelo Ministério Público. “O MP quer acabar com o movimento sindical e nós não podemos nos curvar para isso. Temos que nos unir e ter em mente que a trincheira dos trabalhadores sempre foi e sempre será o seu Sindicato”, disse.

!

Terceira turma de informática

recebe certificados de conclusão

Em uma tarde de confraternização, a terceira turma de informática para a terceira idade comemorou a conclusão do curso e recebeu os certificados de formatura realizada no final de setembro. Os alunos foram recepcionados no auditório do Sindec-POA pelos diretores Hilza Moraes, Sandra Medeiros, Leandro Alécio e Luis Carlos Barbosa. “É um prazer receber vocês aqui no Sindicato. Todos estão de parabéns pelo interesse em se atualizar e pela persistência nessa fase da vida”, disse o diretor Barbosa em nome de toda a diretoria. Barbosa enfatizou que o curso é uma mostra do investimento que o Sindec-POA faz com a contribuição dos associados. A aposentada Marlene Bohousch se emocionou ao agradecer pela oportunidade. “Foi bacana ter convivido com todos. Adorei o curso. A paciência que o professor foi importante para o nosso aprendizado”. Os sete alunos formandos iniciaram o curso no dia 19 de agosto e as aulas foram ministradas pelo professor Alfredo Dantas.

reúne mais de 4 mil sindicalistas O 7º Congresso Nacional da Força Sindical, no início do segundo semestre do ano, em Praia Grande, São Paulo, foi marcado por momentos importantíssimos para os trabalhadores. O encontro contou com mais de 4 mil sindicalistas, dos quais 3,5 mil delegados. O evento, ainda, contou com a presença de 90 dirigentes estrangeiros de 51 países, um marco histórico. Para o presidente nacional da Força, Paulo Pereira da Silva, Paulinho, o número de participantes reflete a vontade dos trabalhadores de manter o foco na pauta unificada e continuar a luta para garantir os direitos dos trabalhadores. O Rio Grande do Sul esteve representado no Congresso por 120 delegados, juntamente com o presidente da Força Sindical-RS Clàudio Janta. Durante seu discurso, Janta manifestou o descontentamento da classe trabalhadora com a conduta do Governo Federal, que vem mostrando falta de atenção com as pautas defendidas pelas centrais e, muitas vezes, se posicionando a favor do empresariado como no caso da redução de tarifas do transporte público, onde não houve diálogo com as em-

presas de ônibus para alternativas concretas, apenas isenção fiscal. Janta enfatizou que o evento representou o avanço nas políticas da central e fortaleceu a defesa da pauta trabalhista. ELEIÇÃO – Durante o Congresso ocorreu eleição para a diretoria da Força. Nela, o Rio Grande do Sul ampliou sua participação no quadro nacional da Força Sindical. Agora, o Estado está representado por 29 diretores nacionais, um conselheiro fiscal e nove na executiva nacional. No pleito, ainda, houve a recondução do presidente Paulo Pereira da Silva, Paulinho, e de Miguel Torres, vice-presidente. Entre os reeleitos estão: o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves (Juruna); o tesoureiro, Luiz Carlos Motta; o secretário de Relações Sindicais, Geraldino dos Santos Silva; secretário de Relações Internacionais, Nilton Neco da Silva; e o secretário da Juventude, Jefferson Tiego. Uma das resoluções do Congresso foi histórica: pela primeira vez foi cumprida a cota de 30% de mulheres na direção da Força Sindical.

! Encontros marcam Congresso Entre os momentos marcantes do Congresso estiveram o Encontro Nacional das Mulheres da Força Sindical - no auditório da Colônia de Férias do Sindicato dos Têxteis de São Paulo - e o Encontro Nacional de Saúde do Trabalhador - auditório da Colônia de Férias do Sindicato dos Químicos de São Paulo. O diretor da Federação dos Comerciários do RS e do Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre, Valdir Lima, integrou a mesa de debates do evento. Na oportunidade, ele divulgou a Convenção Inédita em Segurança e Saúde dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Farmácias e Drogarias gaúchas. O documento foi assinado pela Federação e pelo Sindicato do Comércio

Varejista de Produtos Farmacêuticos no RS (Sinprofar), no início de julho. “A convenção representa um avanço e nasce da necessidade de adequação de normas nacionais e internacionais referentes ao trabalhador”, salientou o dirigente. As sindicalistas acompanharam os debates ocorridos durante a Plenária das Mulheres, onde foram levantados temas como ocupação de espaço para as mulheres no mercado de trabalho, igualdade nos lugares de poder e a participação dentro do Movimento Sindical. Para a presidente da Força Sindical da Bahia, Nair Goulart, é necessário incentivar mais as mulheres para estarem dentro dos setores do movimento.

SINDEC EM AÇÃO

19


SINDEC

Sindec-POA chega aos seus 81 anos A festa de aniversário dos 81 anos do Sindec-POA aconteceu no domingo do Dia dos Pais. A confraternização reuniu a família comerciária na Casa do Gaúcho. “Os 81 anos de história foram construídos com sacrifício, unidade da categoria e muita determinação da diretoria. Chegamos aos 81 anos como se fossemos um jovem de 20 anos, com muita força e determinação para continuar na luta pelos direitos dos trabalhadores comerciários de Porto Alegre, do Rio Grande do Sul, do Brasil e do mundo”, afirmou o presidente do Sindicato, Nilton Neco. A comemoração foi marcada por diferentes atrações que animaram a festa da família comerciária. O chimarrão foi garantido pela distribuição de erva-mate e água quente. Para a criançada foi preparado um espaço exclusivo com brinquedos infláveis, pipoca,

churros, algodão-doce e muitas outras guloseimas. A música ficou por conta do samba de raiz que embalou a festa. Durante o almoço, o show ficou por conta da Banda Estandarte do Samba. “Este é um dia muito especial. Nosso Sindicato tem um papel muito importante para os comerciários. É uma entidade amiga, parceira e sempre disponível a ajudar, seja na hora da saúde, entretenimento e, principalmente, para melhorar a vida das pessoas”, ressaltou o secretário-geral do Sindec-POA e presidente da Força Sindical-RS, Clàudio Janta. “A diretoria escolheu esse dia, muito especial para a comemoração, porque se juntou uma homenagem aos pais e ao Sindicato, que é também o pai dos comerciários de Porto Alegre e vem avançando nas conquistas para a categoria”, concluiu Janta.

Entrega do Troféu Semear 2013

Mobilização evita votação do PL da terceirização Massivo, convicto e unido, o movimento sindical compareceu no dia 3 de setembro à Câmara dos Deputados para acompanhar, debater e evitar que fosse votado o PL 4.330/04, que trata da regulamentação da terceirização. A pressão resultou no cancelado da reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A mobilização começou cedo, mas mesmo assim os sindicalistas encontraram todas as entradas da Câmara bloqueadas. No entanto, o grupo conseguiu furar o cerco e tomar a Comissão de Constituição e Justiça, a fim de evitar que o projeto entrasse na pauta do colegiado. O presidente da CCJ, deputado Décio Lima (PT-SC) disse que não colocará a matéria em votação, uma vez que não é de interesse da população brasileira neste momento. Ainda durante a manhã, os sindicalistas da CTB-DF fizeram ato no aeroporto de Brasília para recepcionar os deputados. O grupo distribuiu bananas e carta aberta contra o projeto em tramitação para os passageiros que chegavam à capital federal. À tarde foram à CCJ junto com representantes de outras centrais e com a Força Sindical para não permitir que o projeto fosse pautado. VIGILÂNCIA - A mobilização conquistou uma vitória importante para os trabalhadores e demonstra que

marca festa

O ponto alto da festa de comemoração dos 81 anos do Sindec-POA foi a entrega do “Troféu Semear 2013”. Ele é concedido a pessoas que dedicaram sua vida ao Sindicato, estiveram ao lado dos comerciários ou foram destaque no sindicalismo. Este ano, a homenagem estendeu-se a quatro agraciados, que ficaram emocionados com o reconhecimento. O sindicalista Adão Eduardo Haggsträn recebeu o troféu dos diretores Luis Carlos Barbosa e Hilza Moraes. Os diretores Américo Cordeiro e Marcelo Furtado entregaram o troféu para o comerciário aposentado Artur Lencini. A doutora Raffaelina Garcia (entrevista desta edição da Revista Em Ação) foi homenageada. Ela recebeu o troféu das mãos do presidente Nilton Neco e do secretário-geral, Clàudio Janta.

20

SINDEC EM AÇÃO

Finalizando as comemorações, o vice-prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, foi agraciado com o troféu, recebido por toda a diretoria executiva do Sindec: presidente Nilton Neco, secretário-geral, Clàudio Janta, diretores Marcelo Furtado, Cláudio Correa, Valdir Lima, Luis Carlos Barbosa, Sandra Medeiros, Tania Ruchinsque e Hilza Moraes.

Dia Nacional de Lutas contra PL 4330 ocorre na capital

a unidade do movimento sindical poderá ajudar a aprovar um texto que trate adequadamente o tema. Entretanto, é preciso manter a vigilância, a mobilização e a pressão, pois do contrário a pressão empresarial e dos deputados que apoiam o projeto poderá se aproveitar da dispersão para incluí-lo na pauta e votá-lo à revelia dos trabalhadores. O Grupo de Pesquisa Trabalho, Constituição e Cidadania diz que “o projeto de lei, a despeito de se auto intitular regulamentador da terceirização de serviços, da forma como redigido, para permitir a terceirização do ‘conjunto das atividades empresariais’, em verdade, está a autorizar o ingresso da figura da intermediação de mão-de-obra no ordenamento jurídico brasileiro”. FONTE: Força Sindical Nacional

O Sindec-POA, juntamente com a Força Sindical-RS, foi às ruas da capital gaúcha para integrar o Dia Nacional de Luta conta o Projeto de Lei (PL) 4330. Participaram do ato, que ocorreu em agosto, outros sindicatos filiados à Força e militantes. Todos protestaram contra a aprovação do projeto que visa ampliar as terceirizações e retirar os direitos da classe trabalhadora. O presidente da Força Sindical no Estado, Clàudio Janta, acompanhou a mobilização. Para ele, o projeto acaba com todos os direitos dos trabalhadores e é “usada por maus empresários e maus políticos que se

aproveitam enquanto o país discute outras questões para propor medidas como esta”. TERCERIZAÇÃO - O Projeto de Lei 4330/2004 é de autoria do deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO) e autoriza a terceirização relacionada à atividade-fim da empresa. Além de não resolver os problemas dos mais de 10 milhões de terceirizados no Brasil, o PL traz para os demais 45 milhões de trabalhadores formais o risco iminente de se tornarem prestadores de serviços eventuais e em condições precárias.

SINDEC EM AÇÃO

21


quatro patas

Gatos: entre mimos e perseguições

Bichos encantadores, com ar enigmático, olhar profundo e comportamento peculiar. Brincalhões, carinhosos ou, em alguns casos, classificados como antissociais. Assim são os gatos: animais que despertam amor em muitas pessoas e desconfiança em outras. Esses felinos convivem com os seres humanos há tempo. Talvez, por isso, existam tantas histórias, lendas e supertições envolvendo esses bichanos. Quem nunca ouviu falar que eles têm sete vidas ou que são traiçoeiros? De onde vêm essas e outras crenças? Credita-se à expansão do cristianismo, que ocorreu na Idade Média, a construção de muitas crenças. O professor do Museu Nacional do Rio de Janeiro, Antonio Brancaglion Júnior (em entrevista à Revista Galileu) explicou que o gato só passou a ser visto de forma ameaçadora nesta época. Para o alto clero da religião católica daquele período, tudo que era tido como ameaça deveria ser destruído. Infelizmente, muitos deuses pagãos eram representados na forma de gatos. “No antigo Egito, temos o caso da deusa da fertilidade: Bastet. Ela tinha corpo de mulher e cabeça de gato”, salienta a terapeuta holística, Dirlei Steinke.

Xô preconceito: gato é bicho do bem

Além de serem relacionados aos deuses pagãos, os gatos passaram a ser relacionados com as bruxas. “As casas da maioria delas ficavam no campo, local ideal para os gatos que se alimentavam de ratos e podiam viver livremente”, explica Dirlei. Daí, a relação: gatos, deuses pagãos e expansão da igreja católica foi um pulo para o preconceito e o nascimento das crenças contra os bichinhos. “Eles foram incluídos na lista de animais satânicos pelo Papa Inocêncio VIII. Muitos animais acabaram queimados ou mortos de outra forma”, conta. Com o intuito de proteger os animais, muitas pessoas escondiam os bichanos em porões ou sótãos. “Foi o que os protegeu da extinção. É necessário dizer que: nenhum animal pode ser causador de azar ou sorte. É irracional acreditar nisso!”. Ela enfatiza que é necessário ter respeito pelos bichos, lembrando que os gatos são animais especiais. “Eles sempre tiveram uma grande visão. Acredito que eles podem ver seres desencarnados. Podemos, ainda, observar as atitudes dos felinos com o olhar distante que, por vezes, se aproxima”. Para ela, a devoção aos gatos pelos antigos egípcios chama a atenção. “Sua importância era tão grande que estes animais eram embalsamados com os faraós. Na Índia, Grã-Bretanha e todo o território da escandinava, os felinos eram considerados animais sagrados. A perseguição estava ligada ao fato de gerar medo nas pessoas e, assim, conseguir o poder”, ressalta.

!

saiba mais

Defensor ilustre Um dos mais famosos defensores dos felinos na época foi Leonardo da Vinci - cientista, inventor, pintor, escultor. Ele escreveu: “chegará o dia em que um crime contra um animal será considerado um crime contra a humanidade”.

Peste Bubônica Com a diminuição dos gatos, aumentou a população de ratos da Europa. Para piorar a situação, as ratazanas estavam infectadas pela bactéria causadora da peste bubônica ou peste negra. A doença dizimou praticamente um terço da população europeia.

Preconceito & Caça ás bruxas Para banir de vez os cultos pagãos à grande deusa da antiga religião dos povos que viviam na Europa, o clero católico da Idade Média decretou a caça às bruxas. O Papa Gregório IX fundou o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição. Pessoas, a maioria mulheres, que possuíam algum conhecimento sobre ervas medicinais, essenciais para curar enfermidades da época, foram acusadas de feitiçaria. “Na Idade Média, criou-se um preconceito muito grande em torno de pessoas que tinham conhecimento sobre a natureza e também sobre como tratar enfermidades que acometiam o ser humano. A bruxaria era e é praticada para o bem. Este é o seu princípio. Infelizmente, para ganhar espaço ou-

22

SINDEC EM AÇÃO

tra religião colocou medo no povo e, a partir disso promoveu a caça às bruxas”, enfatiza Dirlei, que além de terapeuta holística é bruxa. Outras pessoas que participavam de rituais como o solstício de troca de estação – até então rituais sagrados – corriam o risco de serem pegas pelo tribunal da inquisição. A maioria dos condenados acabou na fogueira ou com a cabeça cortada. Enfim, qualquer pessoa que se mostrasse contra a religião católica podia ser condenada pela inquisição caso do cientista e filósofo italiano Galileu Galilei. Ele foi perseguido após afirmar que a Terra girava ao redor do sol, contrariando a teoria de que a Terra era o centro do Universo.

Fontes: www.revistagalileu.globo.com / www.infoescola.com

SINDEC EM AÇÃO

23


ENTRETENIMENTO

CURIOSIDADE

muito além do Dia das Crianças Para a garotada, o Dia das Crianças é aguardando com expectativa. No entanto, o 12 de outubro também é o dia que se comemorar a Padroeira do Brasil: Nossa Senhora da Conceição Aparecida. A história de devoção e fé à Padroeira iniciou, em 1717, quando pescadores retiraram do Rio Paraíba (SP) uma imagem. Após a pescaria, a imagem - já identificada como sendo de uma santa ficou na casa de Filipe Pedroso (um dos pescadores), por quinze anos. Com o aumento no número de devotos e curiosos, que procuravam o local para rezar e conhecer a santa ou ainda agradecer as graças alcançadas, foi necessário construir uma capela maior. Após, em 1834, construiu-se uma igreja – que hoje é a atual Basílica Velha. O espaço foi inaugurado em 8 de

!

dezembro de 1888. Como o número de devotos cresceu novamente, em 1955, houve a construção da Basílica Nova. A obra foi edificada em forma de cruz grega e tem 173m de comprimento por 168m de largura; as naves com 40m e a cúpula com 70m de altura. Um pouco antes, em 16 de julho de 1930, Nossa Senhora da Conceição Aparecida, por decreto do Papa Pio XI, foi proclamada Rainha do Brasil e sua Padroeira Principal. Como explica a catequista Sirlei Paulina de Carvalho, Maria - Mãe de Deus - recebeu e continua recebendo títulos. “Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora das Graças e Nossa Senhora da Conceição Aparecida, por exemplo, são títulos. A Mãe de Deus é apenas uma”, enfatiza.

Você sabia que?

Nem sempre se comemorou o Dia da Padroeira em 12 de outubro. Antes, as festividades aconteciam no segundo domingo de maio junto com o Dia das Mães; após, no Dia da Independência do Brasil. O dia da Padroeira foi fixado em 12 de outubro, em 1953. A data foi escolhida porque é a mais próxima ao descobrimento da imagem no Rio Paraíba. Dom Pedro I teria visitado o local, juntamente com sua comitiva, em 20 de abril de 1822, época que era príncipe regente do Brasil. A princesa Isabel – neta de Dom Pedro I - visitou o local por duas ocasiões. Na segunda, em 1888, como pagamento de uma promessa, levou para a imagem uma coroa de ouro cravejada de diamantes e rubis; e um manto azul, ricamente adornado. A coroação da imagem aconteceu, no

O glamour de

Dom Pedro I Uma das grandes datas da história brasileira é comemorada no dia 7 de setembro: a Independência do Brasil. O episódio foi marcado pelo grito de Dom Pedro I “Independência ou morte!”. O momento ficou imortalizado na famosa obra ‘O Grito do Ipiranga’, de Pedro Américo. O quadro – que tem 7,60 m de comprimento e 4,15 m de altura - foi pintado entre 1886 e 1888, em Florença, na Itália. A Independência aconteceu em 1822. A gravura – quase uma fotografia - é encontrada em livros de história e está em exposição permanente no Museu

Paulista da USP, em São Paulo. Nela, o artista retrata o grito de Independência com glamour e heroísmo. Dom Pedro I e sua tropa estão vestidos com roupas de galã; os cavalos são belíssimos; e a paisagem mostra todos às margens do riacho Ipiranga. No entanto, há controvérsias para todo o glamour da cena. Segundo a historiadora Cecília Helena de Salles Oliveira, autora do livro ‘O Brado do Ipiranga’, a cena foi bem outra.

PIADAS dia 8 de setembro de 1904. Foi usado o presente de princesa Isabel. A Lei Federal nº 6.802 de 30 de junho de 1.980 decretou oficialmente feriado da Padroeira o dia 12 de outubro. Rosa de Ouro: Nos 250 anos da devoção, o santuário ganhou a ‘Rosa de Ouro’, do papa Paulo VI. Durante a viagem apostólica ao país do Papa Bento XVI, em 2007, o santuário ganhou outra Rosa. João Paulo II, em 4 de julho de 1980, consagrou a Basílica de Nossa Senhora Aparecida, o maior santuário mariano do mundo. Em maio de 2004, durante as comemorações do centenário da coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida, João Paulo II concedeu indulgências aos devotos da Padroeira do Brasil. A história da imagem de Nossa Se-

FONTES: www.guiadoscuriosos.com.br / http://curiosidadescatolicas.blogspot.com.br

nhora Aparecida foi contada de forma fictícia na novela global ‘A Padroeira’, entre 2001e 2002. A novela foi inspirada no romance ‘As Minas de Prata’, de José de Alencar.

???

?

12 de outubro:

Visita ao Museu Imperial Zezinho visita o Museu Imperial com os pais. O menino se distancia dos pais e vai dar uma volta pelo Museu. Logo depois, os pais escutam o guarda dizendo: — Não pode sentar aí, moleque! É a cadeira do Dom Pedro! Ao se virarem já escutam a resposta do filho: — Quando esse Dom Pedro chegar, eu saio!

Rio Amazonas: Sabendo que seu filho não gostava de assuntos religiosos, a mãe estranha ao ver o filho ajoelhado no quarto, ao lado da cama, de mãos juntas. - O que está fazendo, meu filho? - Pedindo para o Papai do Céu que o rio Amazonas vá para a Bahia! - Por que menino? - Porque foi isso que eu escrevi na prova de Geografia.

Pesquisas mostram que Dom Pedro I e sua tropa vinham da casa da Marquesa de Santos em jumentos – animais mais resistentes para viagens mais longas. Eles também vestiam roupas mais leves e discretas já que Dom Pedro viajava secretamente. E, o grito aconteceu no alto da colina, próxima ao riacho Ipiranga e não nas margens. Outro detalhe: Dom Pedro estava com problemas intestinais, realizando várias paradas durante a viagem!

o que é o que é

1. ... quanto mais se seca, mais molhada fica? 2. ... quanto mais a gente perde, com mais a gente fica? 3. ... quanto mais se tira mais a gente tem? 4. ... falta em uma casa para formar um casal? 5. ... vermelho e mora debaixo do céu? 6. ... que pega pelo corpo, escuta pela cara e fala pelo pé? 7. ... uma casinha branca, sem porta, sem tranca? Mais charadas: 8. O que o tomate foi fazer no banco? 9. O que a galinha foi fazer na igreja?

No mercadinho da esquina

10. O que é um pontinho amarelo no oceano?

Paulo chega ao mercado e pergunta para o vendedor: - Quanto é meia dúzia de ovos? Com um olhar de admiração e meio assustado, o vendedor responde: - Seis ovos.

11. Qual é o país que cabe na geladeira? Respostas: 1. A toalha. 2. O sono. 3. A fotografia. 4. A letra L. 5. A língua. 6. O telefone. 7. O ovo. 8. Foi tirar extrato. 9. Assistir a Missa do Galo. 10. O Bob Esponja. 11. O peru.

FONTES: www.oqueeoquee.com / www.historiadigital.org SINDEC EM AÇÃO

25


CULTURA

FILME Animação mergulha na história brasileira “Uma História de Amor e Fúria” é um filme de animação que mergulha na história do Brasil e retrata a saga de um herói imortal e sua paixão, de 600 anos, por uma mulher mortal. O início da trama se passa durante a dizimação dos tupinambás pelos portugueses, por volta de 1500. É nesta época que o herói – um guerreiro da tribo - se descobre imortal. Ao se apaixonar pela índia Janaína, a imortalidade se torna um problema para ele. Num pulo de 200 anos na história, o herói participa da Balaiada – revolta de escravos – no Maranhão. Em um novo salto, o protagonista se encontra em meio à repressão da ditadura militar. A trama dá um novo salto na história e aterrissa no ano de 2096. No futuro, o herói enfrenta a guerra e os problemas pela falta de água. Em meio aos saltos de um período a outro, ele descobrirá que seu amor encarna em diferentes mulheres. A animação é dirigida por Luiz Bolognesi e conta com a dublagem de Selton Mello, como protagonista; Camila Pitanga, como a índia Janaína; e Rodrigo Santoro, como cacique Piatã. O longa brasileiro foi o grande vencedor do festival de Annecy, na França, uma conquista para a animação brasileira: nenhum filme do país havia sido selecionado antes para participar do evento. E, depois das salas de cinema, “Uma história de amor e fúria” já está disponível em DVD.

LIVRO Trilogia conta história do Brasil

Para contar a história do Brasil, o escritor e jornalista Laurentino Gomes fez uma investigação intensa e minuciosa dos fatos que marcaram a trajetória do país. O resultado é a trilogia: “1808”, “1822” e “1889”. O primeiro livro,“1808”, narra a fuga da corte portuguesa de Dom João para o Rio de Janeiro durante o período das guerras napoleônicas, revoluções republicanas e escravidão. O segundo livro, “1822”, tem como fundo a Independência do Brasil, proclamada por Dom Pedro, após o retorno da corte de Dom João para Lisboa, em 1821. Nas páginas do livro, o leitor pode conferir os eventos que acabaram com o desenrolar do Grito do Ipiranga; verificar as dificuldades enfrentadas por Dom Pedro em seu reinado; saber mais sobre a abdicação – em 1831 – e a ida para Portugal, onde acabou morrendo em 1834. Fechando a trilogia surge “1889”. Nele, o autor narra a surpresa da tripulação de um navio de guerra brasileiro ao saber, nas últimas semanas de 1889, que o império brasileiro – considerado o mais sólido da América Latina e com 67 anos de história – tinha chegado ao seu fim. O imperador Dom Pedro II havia deixado o país com toda a família imperial e estava exilado na Europa. O Brasil tinha se tornado uma república e estava sobe o comando do alagoano Manoel Deodoro da Fonseca, um ex-monarquista e também amigo do imperador.

26

SINDEC EM AÇÃO

SINDEC EM AÇÃO

27


SINDEC EM AÇÃO

Profile for Sindec-POA

Revista em Ação (out/13)  

Edição de outubro de 2013

Revista em Ação (out/13)  

Edição de outubro de 2013

Advertisement