Page 1

R E V I S TA

Edição nº80 Mar/Abr 2013

Café e Seguros inaugura novo diálogo entre corretores e seguradores Encontro em Anápolis, que abriu série de eventos do 1º Café e Seguros realizado por SINCOR-GO e SINDSEG marca o início de um novo tempo para o setor em Goiás. Página 10

MERCADO

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

COMUNICAÇÃO

Crescimento do setor de seguros no Estado está bem acima da média nacional, considerando todos os segmentos. Página 22

SINCOR-GO é palco de palestra promovida pela Sicoob Credseguro. Página 23

Diálogo da entidade conta com novas ferramentas comunicacionais. Página 25


SUMÁRIO

10

06

ARTIGO JURÍDICO

Reflexões sobre o Código de Defesa do Consumidor.

08

ARTIGO CONTÁBIL

A nova lei do empregado doméstico no Brasil.

18

AÇÃO SOCIAL

Unidade do CRER tem trabalho apoiado pelo SINCOR-GO.

20

DIA DA MULHER

Veja como foi a comemoração preparada pelo SINCOR de Goiás.

Diálogo produtivo em Anápolis Município sediou primeiro encontro do Café e Seguros, projeto idealizado pelo SINCOR-GO e SINDSEG que percorrerá delegacias do sindicato ao longo de 2013.

04

22

MERCADO

Estatísticas demonstram bom desempenho de Goiás em relação ao restante do País

25

NA REDE

SINCOR-GO prepara novo site e amplia comunicação nas redes sociais.


EDITORIAL

PALAVRA DO PRESIDENTE

NÃO TEMOS RESPOSTAS PRONTAS, MAS QUEREMOS CONVERSAR Joaquim Mendanha de Ataídes Presidente do SINCOR-GO

Caro corretor, A reportagem de capa desta edição da REVISTA SINCOR-GO faz o registro daquele que consideramos um dos momentos mais significativos da recente história de nosso sindicato, que neste ano completa 27 anos: a realização do primeiro encontro da série de eventos que estão programados para ser realizados ao longo de 2013 dentro do projeto Café e Seguros. O evento realizado em Anápolis, no mês de abril, inaugura, sem dúvida alguma, um novo ciclo para o mercado segurador goiano. Um ciclo voltado para o fortalecimento das relações institucionais entre as entidades de classe que congregam os agentes deste mercado; para a busca de soluções inteligentes e duradouras para este segmento; e para a consolidação de um setor que cresce, se desenvolve e amadurece aceleradamente. No Estado de Goiás, como um todo, o volume de vendas, considerando os mais variados segmentos, vem apresentando consecutivas altas, com índices de crescimento bem acima da média nacional, mostrando-nos um mercado consumidor aquecido. O setor imobiliário goiano permanece em franco crescimento, com avanços significativos no número de novas unidades lançadas. A

produção industrial goiana aumenta em proporções superiores ao que é observado na média do País. Foi a que mais cresceu no Brasil neste início de ano em comparação com 2012, mostrou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): mais de 9%, enquanto nacionalmente houve recuo na produção de 2%, em média. Com índice de crescimento do PIB três vezes maior que o verificado em relação ao PIB do Brasil, Goiás se destaca na elevação da renda e dos postos de emprego formais. Este cenário, longe de nos parecer confortável, é, antes de tudo e sobretudo, instigante e provocador. Todos estes resultados impõem, a nós, que integramos o mercado de seguros, uma carga de responsabilidade crescente. Um país, um Estado, uma região que cresce e se desenvolve de forma tão acelerada e pujante, oferecendo a seus habitantes melhores condições e vida e de consumo, espera, deseja e necessita proteção. Preparar-se para esta demanda é medida imposta a cada um de nós. E o caminho traçado pelo SINCORGO e pelo Sindseg para alcançar este objetivo foi o caminho do diálogo. Bons amigos conversam. Bons amigos sen-

tam-se à mesa e buscam soluções conjuntas com vistas a resultados que se deseja coletivos. E é este o conceito do Café e Seguros: um espaço para o diálogo aberto, franco, de quem se propõe colaborar para crescer. O que ficou bem claro neste nosso primeiro encontro é que não temos respostas prontas e acabadas para todas as questões que esperam de nós atitude. Caso as tivéssemos, não haveria razão para nos apresentarmos para o debate, como estamos fazendo. Temos, sim, um objetivo comum: a busca de soluções para um mercado cada vez mais forte. Ainda nesta edição, o corretor confere artigo do Departamento Jurídico do SINCOR-GO com informações relevantes sobre os direitos do consumidor brasileiro; reportagem sobre o desempenho do mercado de seguros no Estado de Goiás em comparação com os resultados nacionais; informações sobre as atividades desenvolvidas pelas companhias seguradoras parceiras do SINCOR-GO, no quadro Rápidas do Mercado; e muito mais. Boa leitura!

05


ASSESSORIA JURÍDICA

Lei em defesa do consumidor Ao ensejo da passagem do Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, comemorado no dia 16 de março, aproveito este espaço para destacar os principais direitos dos consumidores brasileiros. Antes, porém, é importante informar que o ex-presidente dos Estados Unidos, John Kennedy, instituiu no ano de 1962 o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor com o objetivo de oferecer proteção aos interesses dos consumidores.A Assembléia Geral das Nações Unidas, somente após 23 anos adotou os Direitos do Consumidor como Diretrizes das ONU, passando referida data comemorativa a ter legitimidade e reconhecimento internacional. Embora tenhamos muito a comemorar do ponto de vista do reconhecimento e regulamentação dos direitos dos consumidores no Brasil, observamos que muitas vezes os consumidores brasileiros são vítimas de abuso e ilegalidades praticadas por fornecedores de produtos e ou de serviços, por ainda desconhecerem o alcance da proteção que lhe é dada pelo Código de Defesa do ConsumidorCDC (Lei nº. 7.078, de 11/09/1990), o qual se encontra em vigor há mais de duas décadas. Importa destacar que consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como destinatário final e que equipara-se a

06

consumidor a coletividade de pessoas, ainda que indetermináveis, que haja intervindo nas relações de consumo, conforme estabelece o artigo 2º e seu respectivo parágrafo único do CDC. Os direitos básicos do consumidor estão consubstanciados no artigo 6º do CDC que assim estabelece: Art. 6º São direitos básicos do consumidor: I – a proteção da vida, saúde e segurança contra os riscos provocados por práticas no fornecimento de produtos e serviços considerados perigosos ou nocivos; II – a educação e divulgação sobre o

consumo adequado dos produtos e serviços, asseguradas a liberdade de escolha e a igualdade nas contratações; III – a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem; IV – a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços;


ASSESSORIA JURÍDICA V – a modificação das cláusulas contratuais que estabeleçam prestações desproporcionais ou sua revisão em razão de fatos supervenientes que as tornem excessivamente onerosas; VI – a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos e difusos; VII – o acesso aos órgãos judiciários e administrativos com vistas à prevenção ou reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos ou difusos, assegurada a proteção Jurídica, administrativa e técnica aos necessitados; VIII – a facilitação da defesa de seus direitos, inclusive com a inversão do ônus da prova, a seu favor, no processo civil, quando, a critério do juiz, for verossímil a alegação ou quando for ele hipossuficiente, segundo as regras ordinárias de experiências;

forma de pagamento, quantidade etc.É necessário considerar as particularidades do produto e ou serviço comercializado, proporcionando liberdade de escolha ao consumidor, além de igualdade nas contratações. No caso de produtos ou serviços que requeiram observância de leis ou outras normas, é vedado ao fornecedor vender produtos ou realizar serviços que não obedeçam a essas leis, em obediência ao direito à vida, saúde e segurança do consumidor. O fornecedor também não pode condicionar a venda de um produto à compra de outro (prática conhecida como venda casada) em que, para levar um produto, o consumidor é obrigado a comprar outro, posto que proibido por lei (art. 5º, II, do CDC). O direito à informação adequada e

IX – (Vetado); X – a adequada e eficaz prestação dos serviços públicos em geral. Importa observar que os direitos básicos elencados no dispositivo legal acima é apenas exemplificativo, pois o artigo 7º do CDC acrescenta: Art. 7° Os direitos previstos neste código não excluem outros decorrentes de tratados ou convenções internacionais de que o Brasil seja signatário, da legislação interna ordinária, de regulamentos expedidos pelas autoridades administrativas competentes, bem como dos que derivem dos princípios gerais do direito, analogia, costumes e eqüidade. Pela redação do CDC podemos observar que o consumidor tem direito ao fornecimento de produtos e serviços de forma segura, a garantir sua vida, saúde e proteção.O fornecimento de produtos e serviços deve ser feito de forma clara, dando-se publicidade às características e condições desta contratação. Toda informação relevante deve ser levada a conhecimento do consumidor, quer seja quanto à natureza do contrato e ou do produto, quer seja quanto ao uso adequado ou perigos existentes, assim como de informação correta e precisa quanto à

especificação correta da oferta impede que o fornecedor esconda um produto ou diga que o produto está em falta, sob pena de ofensa à legislação em vigor. Se algum fornecedor enviar produto ao consumidor, quando esta não o pediu, o mesmo deve ser considerado como se fosse amostra grátis, pois o consumidor não pode ser compelido a adquirir produto ou serviço que não solicitou ou que não queira, cabendo ao consumidor o direito de se negar ao pagamento de produto ou serviço não contratado, conforme prevê o artigo 39 do CDC. É vedado ao fornecedor prevalecerse da fraqueza ou ignorância do consumidor, tendo em vista sua idade, saúde, conhecimento ou posição social, para impingir-lhe seus produtos ou serviços,

assim como exigir do consumidor vantagens exageradas ou desproporcionais em relação ao compromisso que ele esteja assumindo na compra de um produto ou na contratação de um serviço.É assegurado ao consumidor o direito de obter orçamentos, contendo preço de mão-de-obra, material a ser utilizado, forma de pagamento e outros eventuais custos, antes da realização de um trabalho, conforme estabelece o artigo 40 do CDC. Em obediência aos direitos e princípios do consumidor brasileiro, o fornecedor é obrigado a marcar um prazo para entregar um produto ou terminar um serviço, sendo vedado elevar seu preço sem justa causa, pois o aumento do preço de um produto ou serviço só é possível se houver uma razão justificada para tanto. Igualmente, não se pode aumentar o valor do produto ou serviço se o aumento não estiver previsto no contrato ou em oferta anunciada. Para o efetivo cumprimento às regras ditadas pelo Código de Defesa do Consumidor, o legislador elencou também como básico o direito do consumidor à efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais, individuais, coletivos e difusos. Cabe ao consumidor exigir seus direitos tanto a órgãos administrativos de defesa do consumidor, quanto ao judiciário, lhe sendo garantido acesso a tais órgão, assim como a facilitação na defesa dos seus direitos e interesses. Pode, inclusive usufruir da inversão do ônus da prova, o que implica dizer que o fornecedor do produto ou do serviço é que deverá comprovar que cumpriu regularmente o contrato, ou que observou a legislação e ou não deixou de cumprir regras ou legislação em vigor em detrimento do consumidor, garantindo-se ao consumidor o direito de ter seus danos efetivamente reparados pelo fornecedor. Vemos, portanto, que o CDC tornou-se a principal ferramenta do consumidor brasileiro, ferramenta esta que precisa ser mais e melhor utilizada por cada cidadão para o aprimoramento das relações de consumo, de modo a forçar os fornecedores a observá-la, para impor o cumprimento de deveres e obrigações nela descritos, para fazer valer os direitos do consumidor reconhecidos pelo Código de Defesa do Consumidor.

07


CONSULTORIA CONTÁBIL E FISCAL

EMPREGADO DOMÉSTICO Consultoria Contábil do SINCOR-GO analisa nova legislação que rege o trabalhador no Brasil É a lei 5.859, de 11 de dezembro de 1972, que rege o regime de contratação do empregado doméstico no Brasil. Seus direitos estão elencados no parágrafo único do artigo 7º da Constituição Federal, alterado recentemente pelo Congresso Nacional através da emenda constitucional nº 72, publicada no Diário Oficial da União em 3 de abril de 2013, com o objetivo único de instituir os direitos iguais entre os trabalhadores domésticos e os trabalhadores urbanos e rurais. Todo trabalho é trabalho. Portanto, todos devem ter os mesmo direitos. Isso é sabido e é legal. O que não é legal é os legisladores aprovarem leis de impacto imediato e não estabelecerem prazos para os órgãos competentes se prepararem para absorver a demanda. Experimente demitir hoje uma empregada doméstica e verá o transtorno que a medida lhe causará. Não devemos esquecer que os direitos e deveres são bilaterais. Não existe contrato unilateral, portanto, na mesma proporção que lhes são dados os direitos lhes são cobradas as suas obrigações. Assim como existe o empregado que dorme no emprego, existe o que sai às 14 horas. E todos, indistintamente, te-

08

rão que cumprir as 8 horas diárias ou 44 horas semanais de trabalho, entre outras exigências. Está na lei: o empregado doméstico é aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família no âmbito residencial destas (artigo 1º da Lei nº 5.859/1972). A exemplo dos cozinheiros, governantas, mordomos, copeiros, babá, lavadeira, faxineiro, arrumadeiras, vigia, motorista particular, jardineiro, acompanhante de idosos, damas de companhia, caseiro, entre outras. O que diferencia o empregado doméstico é o caráter não lucrativo da atividade exercida. Quando a atividade é exercida por caseiros especialmente para fins de lazer, como nas fazendas, sítios e casas de campo, locais estes que não possuem finalidades lucrativas, são considerados empregados domésticos. Existe, porém, uma grande diferença entre trabalhador doméstico que presta serviço de natureza contínua e que goza de todos os direitos estabelecidos no parágrafo único do artigo 7º da Constituição Federal e cria vínculos empregatícios com aquele que presta serviço de natureza eventual, o qual chamamos de diaristas, que por sua vez não fazem jus

aos mesmos direitos. A prestação de serviço do diarista ocorre de forma eventual e não habitual. O trabalhador que organiza, dirige, executa suas atividades sem subordinação, sendo o patrão de si mesmo. Para evitar o vínculo empregatício, a atividade de diarista não pode ter características como periodicidade e habitualidade. É recomendável que o empregador contrate a diarista por apenas uma ou duas vezes por semana, em dias alternados de trabalho, e pague por dia trabalhado e não mensal, e que tenha todos os recibos dos pagamentos referentes à prestação de serviço. O termo diarista abrange também as atividades de jardineiros, babás, cozinheiras, tratadores de piscina, pessoas encarregadas de acompanhar e cuidar de idosos ou doentes e também os prestadores de serviços que cobrem as folgas semanais das empregadas domésticas O empregador deve, por ocasião da contratação do empregado, solicitar a Carteira de Trabalho e Previdência Social, atestado de boa conduta, atestado de saúde, e o comprovante de inscrição no INSS. Caso o empregado não possua, o empregador deverá providenciar. O empregador também deverá preencher corretamente os recibos de pa-


CONSULTORIA CONTÁBIL E FISCAL

gamento dos salários, inclusive adiantamentos, sejam mensais ou semanais, solicitando assinatura do empregado no ato do pagamento, o qual deverá ser feito o mais tardar até o 5º dia útil do mês subsequente ao vencido (artigo 459, § 1º, CLT). E o recebido de pagamento deverá ser feito em duas vias, ficando a primeira via com o empregador e a segunda com o empregado. Fazer as anotações necessárias na Carteira de trabalho do empregado e devolver devidamente assinada, no prazo máximo de 48 horas após a entrega do documento pelo empregado, quando da sua admissão, tambémé medida exigida. Na carteira do empregado deverá constar o nome, CPF ou CEI e endereço completo do empregador; a espécie do estabelecimento (como por exemplo, residência); o cargo do empregado (babá, doméstica, motorista particular e outros); a classificação brasileira de ocupação (C.B.O); data de admissão; remuneração e posteriores alterações salariais; assinatura do empregador; e data do desligamento do empregado. As Classificações Brasileiras de Ocupações mais comuns são: babá 5162-05; cuidador de idoso 5162-10; doméstica 5121-10; motorista particular 7823-05; cozinheiro 5132-10; caseiro 5121-05; e mordomo 5131-05. Em qualquer caso, orienta-se confeccionar contrato de trabalho discriminativo das funções do empregado, do horário contratado das folgas semanais e implantar controle de ponto, deixando bem transparente os seus direitos e suas obrigações. DIREITOS TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIOS A partir da emenda constitucional n° 72, são direitos também dos trabalhadores domésticos: salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado; irredutibilidade do salário; garantia de salário, nunca inferior ao mínimo; décimo terceiro salário com base na remuneração integral; proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa; duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensa-

ção de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho; repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos; remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal; gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal; licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cento e vinte dias; licença-paternidade, nos termos fixados em lei; aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta dias, nos termos da lei; redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança; aposentadoria; reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho; proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de cri-

tigo 7º da Constituição Federal de 1988. “O aviso prévio é recíproco, aquele que quiser denunciar o contrato de trabalho por prazo indeterminado deverá conceder ou indenizar o aviso prévio, a outra parte”. O empregado doméstico tem direito ao aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de 30 dias, nos termos da lei. Ocorrendo a rescisão do contrato de trabalho, sem justa causa, por iniciativa do empregador, ou a pedido do empregado, a concessão do Aviso Prévio poderá ser trabalhado ou indenizado. É proibido ao empregador efetuar anotações desabonadoras à conduta do empregado em sua Carteira de Trabalho e Previdência Social, inclusive por ocasião da demissão por justa causa, uma vez que este ato iria dificultar, ou mesmo inviabilizar, que o trabalhador conseguisse um novo emprego (Artigo 29, parágrafo 4º, da CLT). DIREITOS QUE DEPENDEM DE REGULAMENTAÇÃO

tério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil; proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência; proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos”. Ao doméstico também se estende o direito ao vale-transporte, independente da quantidade de vezes que ele se apresenta para trabalhar, conforme determina o Decreto nº95.247/1987, artigo 1º, inciso II: O direito a férias de trinta dias aplica-se aos períodos aquisitivos iniciados após o dia 20.07.2006. O pagamento da gratificação salarial ou décimo terceiro salário consiste no pagamento de um salário extra ao trabalhador e é um direito garantido pelo ar-

Porem, ainda dependem de regulamentação, no que tange a “Relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos; seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário; fundo de garantia do tempo de serviço - FGTS; remuneração do trabalho noturno superior à do diurno; salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei; assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 anos de idade em creches e pré-escolas; seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa”. O empregador doméstico deverá exigir recibo devidamente assinado de todas as verbas trabalhistas que forem pagas ao seu empregado doméstico, porem, não há modelo padrão de recibo a ser adotado. O importante são as verbas trabalhistas e a incidência do INSS estarem discriminadas.

09


CAPA – CAFÉ E SEGUROS

ANÁPOLIS ABRE SÉRIE DE ENCONTROS EM 2013 Evento contou com presença expressiva de corretores da região. Representantes das companhias seguradoras destacaram pioneirismo da ação proposta pelo SINCOR-GO e Sindseg O Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Capitalização e Previdência Privada do Estado de Goiás (SINCOR-GO) e o Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Capitalização, de Resseguros e de Previdência Complementar nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal (Sindseg MG/GO/MT/ DF) abriram com chave de ouro a primeira edição do Café e Seguros, evento que levou a Anápolis, nos dias 18 e 19 de abril, amplo debate sobre o mercado segurador. Os corretores da região atenderam ao chamado do SINCOR de Goiás e compareceram em peso ao auditório do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ), onde foi realizadoo encontro que abriu a série de eventos no Estado em 2013.O evento tem o apoio da Escola Nacional de Seguros e Cooperativa de Crédito Credseguro. “Ousaria dizer que esta noite marcará um novo ciclo para o mercado de seguros em Goiás. Um ciclo voltado para o fortalecimento das relações institucionais entre as entidades de classe que congregam os agentes deste mercado”, afirmou o presidente do SINCORGO, Joaquim Mendanha de Ataídes, ao discursar no evento. O presidente citou indicadores econômicos de Goiás e da Região do Centro Goiano, onde Anápolis está inserida, para reforçar a importância de se fortalecer o segmento de

10

seguros no Estado. Presente na abertura do encontro, o presidente do Sindseg, Augusto Frederico Costa Rosa de Matos parabenizou o presidente Joaquim Mendanha e seus delegados sindicais pela iniciativa em realizar o Café e Seguros. “O que é mais significativo é que este encontro nos define como deve ser: como um mercado único e não dois mercados. Por isso, a busca de melhorias também deve ser conjunta”, destacou o presidente do Sindseg. Augusto Matos disse, ainda, que a presença maciça dos corretores de seguros de Anápolis e região no evento demonstra o compromisso da categoria com a melhoria do setor e com o próprio mercado. “O SINCOR de Goiás sempre foi “atrevido”, ousado. Nossa diretoria ousou mais uma vez e por causa disso obtivemos, considero, um resultado muito positivo”, disse Joaquim Mendanha de Ataídes, presidente da entidade, no encontro. “Considero este evento um verdadeiro marco para a evolução do relacionamento entre corretores e seguradores em Goiás. Foi, de fato, uma grata surpresa o que encontramos em Anápolos”, completou o presidente do Sindseg, Augusto Frederico Costa Rosa de Matos. O delegado sindical do SINCOR-GO em Anápolis, Ronaldo Luiz de Miranda,

agradeceu o empenho dos corretores da região. “Anápolis cresce muito acima da média e temos muito o que fazer”, disse. Segundo Ronaldo Luiz, a prestação de serviços no ramo de seguros é uma das principais preocupações da categoria em Anápolis e por isso o tema foi abordado à exaustão durante o encontro. “Nota máxima merece esta iniciativa e sua execução”, reforçou o corretor de seguros Ronaldo Chaveiro, da Alô Brasil Corretores de Seguros, de Anápolis. O evento, na opinião do corretor, contribuirá com o segmento porque trouxe para os profissionais informações novas e relevantes; provocará mudanças de hábitos; e fortalecerá o relacionamento entre corretores e seguradores e entre as entidades que os representam”, sugeriu. Cláudio Dias Costa, proprietário da Edifica Seguros, também de Anápolis, destacou o fato de que o Café e Seguros propiciou que os corretores da região chegassem mais próximo dos representantes das companhias seguradoras, “de quem resolve o que é preciso resolver”, frisou. “E foi interessante perceber que tanto corretores quanto seguradores enfrentam condições semelhantes e também que podemos contribuir com propostas de melhoria”, acentuou. O corretor de seguros Adamilson Correa Gama, da Roma Corretora de Anápolis, considerou extremamente significativa a iniciativa do SINCOR de


CAPA – CAFÉ E SEGUROS Goiás e Sindseg de promoverem o encontro na região. Segundo ele, com o crescimento do município de Anápolis e o surgimento de mais indústrias nos últimos anos, o mercado de seguros, muitas vezes, enfrenta dificuldades em fechar os contratos em função da aceitação de riscos, por serem, estes, vultosos, muitas vezes. “Tenho sempre esperança de que eventos como este possam melhorar este cenário”, reforçou. Compareceram à solenidade de abertura do Café e Seguros em Anápolis o presidente da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia), Luiz Medeiros; o diretor-superintendente da Cooperativa de Crédito Credseguro, Ubiratan da Conceição Seixas; e o coordenador-geral da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Afrêni Gonçalves Leite, que representou o governador Marconi Perillo na ocasião.

Abertura da primeira etapa do café e Seguros


CAPA – CAFÉ E SEGUROS Palestras Na primeira noite do evento, os participantes foram brindados com duas importantes palestras para o segmento. No auditório lotado do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade, Fabiano Faria, da Federal Soluções Técnicas, e Alexandre Vicente, da Liberty Seguros S/A falaram sobre oportunidades para o corretor de seguros na carteira de transportes e sobre o futuro do seguro de pessoas, respectivamente. Alexandre Vicente trouxe, logo no início da sua fala, uma reflexão: “O grande desafio, hoje, é saber o que realmente é importante para o seu negócio num cenário onde não falta informação”, afirmou. O cenário de que fala o palestrante é composto por fatores como inovação; excesso de informação; exigência do mercado; luta por sustentabilidade; alta competitividade; globalização; e mudanças tecnológicas. “Temos a oportunidade de amadurecer diante deste mercado que se transforma velozmente”, frisa. O palestrante comparou o mercado brasileiro de seguros com mercados desenvolvidos, apresentando problemas e oportunidades. Segundo ele, ainda vivemos o predomínio do seguro de automóvel, enquanto nos mercados desenvolvidos, oferece-se aos clientes um mix de produtos equilibrado; há, nos mercados desenvolvidos, uma regulamentação consolidada, algo que no Brasil ainda tem pouco tempo em vigor. Também tem-se, no Brasil, que se conviver com uma cultura que ainda não valoriza adequadamente a cultura do seguro. O diretor de Produtos Vida da Liberty Seguros citou cinco tendências que estão intimamente ligada ao mercado de seguros e para as quais deve-se estar atento: o poder ascendente do consumidor; os múltiplos canais de distribuição ? “O consumidor está na internet. O corretor também terá que estar” -; a atração de novos nichos de mercados; nova demografia, com inversão da pirâmide populacional e aumento do contingente de pessoas idosas e consequente avanço da previdência privada; e interatividade e internet. “A pergunta é: estamos pre-

parados para este futuro, para este novo consumidor?”, questionou o palestrante. Fabiano Faria trouxe para discussão as implicações da entrada em vigor da Lei 12.619/2010, a nova Lei do Condutor Profissional. Segundo ressaltou o especialista, falta informação às empresas transportadoras e conhecimento da nova legislação, cenário onde o corretor de seguros e os seguradores necessitam entrar. O palestrante apresentou críticas

à nova lei, tendo em vista a realidade brasileira envolvendo os condutores profissionais. O proprietário da Federal Soluções destacou a exigência, trazida pela nova lei, do seguro obrigatório para condutores cujo valor é dez vezes o piso pago aos trabalhadores. “Temos no Brasil 3 milhões de condutores autônomos”, acentuou, ressaltando o campo de atuação do mercado segurador.

Alexandre Vicente, diretor de produtos vida da Liberty Seguros

Fabiano Faria, da Federal Soluções Técnicas, falou sobre seguros na carteira de transportes

12


CAPA – CAFÉ E SEGUROS

Seguradores destacam pioneirismo da ação idealizada pelo SINCOR de Goiás Representantes das principais companhias seguradoras com atuação no Estado de Goiás reforçaram, durante o I Café e Seguros, em Anápolis, o caráter pioneiro da iniciativa e a importância do evento para o futuro do mercado segurador. Para o coordenador de Produção da Porto Seguro Seguros, Juarez da Luz Barros Júnior, “esta era uma necessidade que havia, de termos a oportunidade de entender a realidade do mercado local nesta região para juntos propormos melhorias”, disse. “Nossas expectativas com os resultados do encontro são as melhores possíveis”, citou. Francisco Vidigal, gerente da Filial da HDI Seguros S/A, acompanhou de perto a formatação desta primeira edição do Café e Seguros. “Não conhecíamos este formato de debate, que nos pareceu muito apropriado para os objetivos do evento”, afirma. Segundo Francisco Vidigal, o Café e Seguros propiciou a discussão não apenas da particularidade desta ou daquela companhia, mas garantiu aos participantes a oportunidade a uma conversa franca em busca de melhorias. O gerente da Filial da Zurich Minas Brasil Seguros, Gilberto Martins dos Santos, lembrou que a maioria dos eventos que discute, na atualidade, o mercado segurador é realizada na capital. “Estamos entusiasmados com o fato de podermos conversar com os corretores em suas próprias regiões, como o que se propôs em Anápolis”, frisou. Anderson Mundim Martins, superintendente da Bradesco Seguros Auto/RE, considerou que a informalidade proporcionada pelo formato do World Café foi uma escolha acertada do SINCOR-GO e do Sindseg. “Nos sentimos mais à vontade para conversar, para nos manifestar em relação a questões que envolvem nosso mercado”, afirmou. Para o supe-

Técnica do World Café foi utilizada no segundo dia do encontro, pela diretora execultiva da Explain Institute, Magda de Paula

rintendente, o Café e Seguros exercerá importante papel em Goiás, de aproximação entre corretores e seguradores. Também presente ao evento, a gerente de Compras da Allianz Seguros S/A, Simone de Paula Silveira afirmou que o Café e Seguros servirá para que os seguradores possam conhecer mais profundamente o mercado em suas diversas regiões do Estado “para, a partir daí, reportar os anseios dos agentes deste mercado às companhias seguradoras”, destacou. Gerente Regional da Marítima Seguros, Marcilene Pinheiro Rocha reforçou o pioneirismo da iniciativa. “O evento proporcionou igualdade de oportunidade aos dois lados desse mercado, segurador e corretor, com foco nos temas e situações que enfrentamos de maneira comum”, ressaltou. “O SINCOR de Goiás já se destaca no País como entidade vanguardista nas discussões que envolvem o mercado de seguros”, acentuou Rildo Clésio Sousa, da Generali Brasil Seguros. “Importante lembrar que quem ganha com tudo isso, no final, é o segurado. E tanto compa-

nhia como corretores desejam isso”, defendeu. Clóvis Machado, da Liberty Seguros, disse não ter dúvida dos frutos que o Café e Seguros dará. “Não fomos a Anápolis para dividir, mas para somar. O segundo encontro será ainda melhor”, estimou. Representante da Mapfre Vera Cruz, Edson Shimojo acredita que a realização de um evento da magnitude do que foi realizado em Anápolis faz toda a diferença. “É altamente louvável esta iniciativa do SINCOR de Goiás e do Sindseg. E se ainda não existe este formato de debate em outros lugares, o Café e Seguros deve ser copiado, espelhado por outros sindicatos do Brasil”, sugeriu. O gerente regional da SulAmérica Seguros e Previdência, José Carlos Cândido de Oliveira, reforça a importância deste tipo de iniciativa para o crescimento do mercado. “E aqui não estamos falando do crescimento voltado para corretores ou seguradores, separadamente, mas a melhoria do mercado como um todo. Este diálogo contribui neste sentido”, destaca. “Vamos encontrar caminhos juntos”, afirma.

13


CAPA – CAFÉ E SEGUROS

UMA MANHÃ DEDICADA AO DIÁLOGO A manhã do dia 19 de abril, dentro da programação do I Café e Seguros, foi dedicada ao diálogo. Para facilitá -lo, colocou-se em prática a técnica do World Café. Sentados à mesa, temas que envolvem o mercado foram postos em debate. Diretores do SINCOR-GO atuaram como facilitadores das discussões realizadas, sempre na companhia de um dos representantes das companhias seguradoras. A partir da discussão travada, foi proposta a redação de um documento com metas a serem colocadas em prática de agora em diante visando ao fortalecimento do segmento no Estado. Magda de Paula, consultora da Explain Institute, coordenadora-técnica do evento, explicouaos participantes como funciona a metodologia para que pudessem tirar aproveitamento pleno das discussões.Segundo a consultora, o objetivo do World Caféera promover um

diálogo colaborativo visando a um resultado produtivo. Focar a discussão em discussões macro, de acordo com Magda, será sempre necessário, em todas as etapas do Café e Seguros, para que corretores e seguradores possam obter os resultados esperados. Perguntas relevantes sobre o mercado segurador foram lançadas ao debate para serem discutidas profundamente. Conceitos como interação, contribuição e escuta foram colocados à mesa. “Estamos no mesmo barco. Isto deve ser levado em consideração para que possamos ter o melhor proveito do encontro”, frisou Magda durante as discuss ões. “Este não é um café de cobrança, de acusação, mas um momento em busca de novas possibilidades, pensando no futuro”, acentuou a consultora. Representantes das companhias seguradoras e do SINCOR-GO atuam

como anfitriões e facilitadores do debate. Pelo SINCOR-GO estiveram presentes o presidente Joaquim Mendanha e os diretores Henderson de Paula Rodrigues; Hailton Costa Neves; Amaury Gonçalves da Cunha; Roney Almeida Macedo; Wagner Paulo de Oliveira; Júnio Marcos Andrade de Sousa; Deivid Pereira; e Paulo César Fernandes Rosa. Pelas companhias seguradoras participaram do World Café Juarez da Luz Barros, da Porto Seguro Seguros; Francisco Vidigal, da HDI Seguros S/A; Gilberto Martins dos Santos, da Zurich Minas Brasil Seguros; Anderson Mundim Martins, da Bradesco Seguros Auto/RE; Simone de Paula Silveira, da Allianz Seguros S/A; Marcilene Pinheiro Rocha, da Marítima Seguros; Rildo Clésio Sousa, da Generali Brasil Seguros; e Edson Shimoji, da Mapfre Vera Cruz.

GOVERNADOR ENVIA MENSAGEM Leia íntegra da mensagem encaminhada pelo chefe do Executivo Estadual por ocasião da abertura do I Café e Seguros em Anápolis, no dia 18 de abril

“Prezado senhor Joaquim, Na ocasião do coquetel de abertura da 1ª etapa do Café e Seguros - Soluções para um mercado cada vez mais forte, agradeço o honroso convite e envio meu abraço caloroso e minhas mais efusivas congratulações, que estendo aos demais diretores deste notável Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Capitalização e Previdência Privada do Estado de Goiás e aos parceiros do Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Capitalização, de Resseguros e de Previdência Complementar nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal. Apresento ainda saudações especiais a todos os palestrantes de reconhecido saber, que apresentarão cenários referentes ao mercado de seguros em nossa região e a todos os participantes. Faço votos ao pleno êxito deste evento de renovada importância, que, estou certo, vai contribuir sobremaneira com o desenvolvimento e o fortalecimento de um segmento que gera emprego, renda e riqueza para nosso Estado e nosso País.”

14


CAPA – CAFÉ E SEGUROS

Rio verde recebe segundo encontro Corretores, sócios de corretoras e colaboradores que atuam em Rio Verde e e em outras 19 cidades da região de abrangência da Delegacia do SINCORGO no município reuniram-se nos dias 16 e 17 de maio para o segundo encontro do projeto I Café e Seguros. Estiveram presentes corretores de Rio Verde, Jataí, Mineiros, Quirinópolis, Rio Verde, Santa Helena de Goiás, Acreúna, Caçu, Paranaiguara, São Simão, Jussara, Piranhas, Americano do Brasil, Firminópolis, Iporá, Montes Claros de Goiás, Mossâmedes, Paraúna, Palminópolis e São Luis de Montes Belos. A cobertura completa do evento o associado poderá conferir na próxima edição da REVISTA SINCOR-GO. Rio Verde, no Sudoeste do Estado: segundo encontro do Café e Seguros


RÁPIDAS DO MERCADO MARÍTIMA SEGUROS REALIZA COQUETEL EM GOIÂNIA O Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Previdência Privada e Capitalização do Estado de Goiás (SINCOR-GO)abriu suas portas para coquetelpromovido pela Marítima Seguros, companhia que integra o Projeto Parceiro do SINCOR-GO, no dia 14 de março. O evento reuniu dezenas de corretores e seguradores que integram a companhia. O objetivo do encontro era informar o mercado goiano sobre a aquisição do controle acionário da Marítima Seguros pela Yasuda, subsidiária do grupo Sompo Japan, de origem japonesa. Para

tanto, o evento contou com a participa- mercados fora do Japão e o Brasil repreção dos principais executivos das duas senta 60% de todas as suas operações no exterior. seguradoras. Dentre os presentes, o vice-presidente da Marítima, Francisco Vidigal Filho, o Kiko. O executivo comentou as novidades e as perspectivas da seguradora após o anúncio da aquisição do controle acionário da empresa pela companhia japonesa. O Grupo Sompo tem estratégias de crescer em Representantes da Marítima para encontro na sede do SINCOR-GO

Dia da Mulher com a Porto Seguro A seguradora Porto Seguro promoveu, no dia 8 de março almoço em comemoração ao Dia da Mulher, ocasião

Corretoras reunidas para evento no Dia da Mulher

em que foram homenageadas corretoras e seguradoras. O evento, bastante prestigiado, foi realizado no restaurante do Castro’s Park Hotel, em Goiânia. Em torno de 35 corretoras e sócias de empresas corretoras de seguros compareceram ao almoço festivo. Cada uma das homenageadas recebeu de presente uma

rosa e uma necessaire. “O evento, exclusivo para as mulheres, foi um importante momento de descontração e integração entre corretoras e as representantes da companhia”, frisou Cristiane Machado, coordenadora-administrativa da filial da Porto Seguros em Goiânia. O encontro contou com a presença da gererente-regional da companhia, Adriana Benezatti; e das gerentes-comerciais Geisy Reis; Ana Paula Soares; Alessandra Melo; e Débora Maria. Este é o segundo ano em que a companhia reúne as mães do mercado segurador para a comemoração.

NOVA GERENTE DA METLIFE VISITA O SINCOR-GO A executiva de Contas Lúcia Helena Silva de Mesquisa, que recentemente assumiu o cargo de gerente da filial da companhia Metlife Seguros em Goiânia, fez uma visita de cortesia para o presidente do SINCOR-GO, Joaquim Mendanha de Ataídes, no dia 23 de abril. A executiva está de volta à capital após oito anos de atuação na companhia Mongeral Seguros e Previdência. “Amo Goiânia. Por isso, o convite da Metlife me deixou muito feliz”, resumiu Lúcia Helena. Segundo a executiva, o objetivo da visita foi estreitar o relacionamento com o SINCOR-GO e co-

16

locar-se à disposição das atividades do sindicato, tendo em vista que a Metlife é parceira da entidade em suas ações e projetos. Lúcia Helena diz encarar a nova missão como um desafio. “Esperamos contribuir com o crescimento ainda maior da companhia nesta região”, destaca, lembrando que a seguradora prioriza fortemente o segmento de vida em grupo. “Estamos de volta e de portas abertas para receber o corretor de seguros de Goiás, que estão entre os mais atuantes do Brasil”, destacou. Joaquim Mendanha e Lúcia Helena, da Metlife


RÁPIDAS DO MERCADO Liberty realiza café em Itumbiara A Filial da companhia Liberty Brasil em Itumbiara promoveu, na tarde do dia 9 de abril, um café que reuniu corretores que atuam no município e região. Na ocasião, Cléber Alves, que acaba de assumir a gerência da filial em Itumbiara pelo Grupo Liberty Brasil apresentou-se como novo responsável pelo atendimento dos parceiros que trabalham nas Regiões Sudeste e Sudoeste do Estado de Goiás. Segundo ressaltou o gerente, o objetivo da Liberty Brasil é dar prosseguimento ao trabalho que já vinha sendo desenvolvido pela companhia na região, trabalho este voltado para o crescimento do mercado de Itumbiara e demais municípios que integram o Sudeste e Sudoeste de Goiás. “Nosso compromisso é continuar atuando com protagonismo, pró-atividade e proximidade com nossos

parceiros corretores de seguros”, frisou Cléber Alves. Cerca de 30 corretores que atuam nas principais corretoras de Itumbiara atenderam ao convite da companhia e compareceram ao encontro. Estiveram presentes, ainda, o delegado do Sin-

dicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Capitalização e Previdência Privada do Estado de Goiás (SINCOR-GO) em Itumbiara, Agnaldo Custódio de Paiva, e do ex-delegado local, corretor Antônio Aparecido, o Toninho.

Os corretores de Itumbiara participaram de evento da Liberty

O SulAmérica Odonto é o produto ideal para atender empresas a partir de três vidas na hora de cuidar da saúde bucal dos seus colaboradores. Além de fácil de vender, conta com diversas vantagens e benefícios, como: • Opções de planos com cobertura para ortodontia, prótese e implante. • Rede credenciada nacional. • Reembolso em todos os planos. • Atendimento personalizado. • Flexibilidade de contratação.

Não deixe de oferecer o novo SulAmérica Odonto para seus clientes. Para saber mais, acesse portaldocorretor.com.br

ANS nº 417815

SulAmérica Odonto. O plano ideal para todo tipo de sorriso.


AÇÃO SOCIAL

SINCOR-GO APOIA TRABALHO DESEMPENHADO PELO CRER EM GOIÁS Sindicato incentiva a participação de corretores e de sócios de corretoras na rede de parceiros do Centro de Reabilitação, que já realizou 7 milhões de procedimentos Desde que abriu as portas, no dia 25 de setembro de 2002, o Centro de Reabilitação e readaptação Doutor Henrique Santillo (Crer) prezou em oferecer excelência no tratamento aos pacientes que buscavam no Hospital uma oportunidade de superação. Para isso, priorizou o atendimento humanizado e a modernidade técnica para alcançar o patamar de referência em instituição de reabilitação e readaptação. Uma história que tem oferecido uma nova oportunidade a quem necessita da unidade, trabalho que conta com o reconhecimento do Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Capitalização e Previdência Privada do Estado de Goiás (SINCOR-GO). Nesta década de serviços prestados, o Crer fez a diferença na vida de milhares de pessoas. Foi superada a marca de 7 milhões de procedimentos realizados. Essa conquista é compartilhada com todos aqueles que acreditam e contribuem com a missão e a história do Hospital, a exemplo dos “voluntários que creem”.

18

O projeto de voluntariado do Crer foi criado em 2005 a partir do compromisso e sensibilidade de pessoas dispostas a ajudar e oferecer atenção e cuidados aos pacientes. O objetivo é contribuir com a população e dedicar tempo e esforços em tornar cada vez melhor a vida de quem mais precisa. O voluntário do Crer não atua em áreas técnicas, estágio curricular ou de aperfeiçoamento, mas somente em ações sociais como Posso Ajudar, Recreação, Arteterapia, Corte de Cabelo, Manutenção de Cadeiras de Rodas, Apoio Espiritual e Oficina de Artesanato. O trabalho voluntário não é remunerado e também não possibilita ingresso ao quadro de colaboradores do Hospital. Os motivos que impulsionam o interessado em praticar o trabalho voluntário são múltiplos. Mas, o sentimento que prevalece, segunda Márcia Nunes, responsável pelo projeto ‘Voluntários que Creem’, é a vontade de ajudar o próximo. Ela ainda ressalta que a contribuição dos voluntários é imensurável. “O

trabalho é diferenciado, traz qualidade para a Instituição e acolhimentos para os pacientes”, diz. Para se tornar voluntário do Crer alguns requisitos são necessários, como ter mais de 18 anos, condição e aptidão física para realizar o trabalho, estabilidade emocional, facilidade de comunicação, adaptação do trabalho em equipe, responsabilidade, discrição, comprometimento, dedicação ao trabalho e disponibilidade para, no mínimo, uma vez por semana. O Crer é administrado pela Associação Goiana de Integralização e Reabilitação – Agir, Organização Social sem fins lucrativos, certificada como Entidade Beneficente de Assistência Social na área da saúde, segundo a portaria n°. 611, de 28 de junho de 2012. Desde outubro de 2011, os atendimentos prestados pelo Crer passaram a ser integralmente voltados para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). A Agir reinvestiu todos os seus recursos na manutenção, inovação e am-


AÇÃO SOCIAL pliação dos serviços prestados. A área construída do Hospital foi ampliada de 8.823 metros² para 27.089,97 mil metros². Foram construídos novos ginásios, consultórios, piscinas, laboratórios, entre outros espaços que passaram a fazer parte da nossa estrutura física. A expansão também contemplou a inaugura-

ção de 20 leitos de Unidade de Terapia Intensiva e um novo e moderno centro cirúrgico para procedimentos de alta complexidade. Também foram ampliados os serviços prestados, que são distribuídos em quatro grupos principais: Reabilitação, Internação, Centro Diagnóstico e Ofici-

na Ortopédica. Tudo isso soma, diariamente, mais de 4, 5 mil procedimentos realizados no Hospital.

- Possibilidade de dedução do valor doado no imposto de renda da empresa:o Crer possui agora a certificação CEBAS (Certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social) que foi concedida pelo Ministério da Saúde, o que proporciona aos nossos parceiros a dedução de 1%sobre o lucro real da empresa, ou de doação feita por pessoa física; - Divulgação de sua logo na paleta da CRER em Revista(publicação trimestral, com tiragem de 5 mil exempla-

res, distribuída gratuitamente a autoridades, empresários e sociedade em geral); - Divulgação de sua logo no site do Crer(www.crer.org.br); - Direito de utilizar o selo de empresa socialmente responsável Empresa Mantenedora em todo seu material de divulgação; - Além de outras formas de contrapartidas (ações diversas) em função do perfil de cada empresa mantenedora.

Informações sobre o projeto de voluntariado do CRER: voluntariado@ crer.org.br / (62)3232-3054.

Parcerias No desempenho de suas atividades, o Crer conta ainda com parceiros de toda a sociedade organizada que, sensíveis a sua missão, colaboram com o Hospital ao serem incluídos no projeto “Empresas Mantenedoras”. Trata-se de uma contribuição financeira, no valor de R$ 1 mil reais mensais, repassados à instituição, em dez parcelas, totalizando o valor de R$ 10 mil. A vigência da parceria é, a priori, de 12 meses. Em contrapartida, a empresa parceira receberá:


DIA DA MULHER

Palestrante Carlos Antônio Toledo em palestra do Dia da Mulher

PALESTRA MARCA COMEMORAÇÃO PREPARADA PELO SINCOR-GO O Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Previdência Privada e Capitalização do Estado de Goiás (SINCOR-GO) promoveu no dia 6 de março evento em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, celebrado todo dia 8 de março. Na ocasião, as corretoras goianas e as esposas dos corretores associados ao SINCOR-GO participaram também da palestra Sensualidade e Feminilidade, ministrada pelo jornalista, teólogo e filósofo Carlos Antônio Toledo. O profissional, que atua como palestrante motivacional, conselheiro matrimonial e como integrante de um projeto de fidelização do amor para jovens católicos, propiciou às participantes um evento descontraído, em que temas como o resgate da autoestima e relacionamento estiveram presentes. “Para nos relacionarmos bem com as outras pessoas, é preciso estar bem conosco, em primeiro lugar”, diz. “O que procuramos, com essa palestra, é provocar uma mudança de atitude por parte das pessoas”, completa. O evento do SINCOR-GO em comemoração ao Dia Internacional da Mulher foi

20

realizado no Carlota Live Music, no Setor Sudoeste, em Goiânia. Após a palestra, as

homenageadas curtiram um show com a Banda Carlota.


DIA DA MULHER


MERCADO

VOLUME DE NEGÓCIOS EM SEGUROS EM GOIÁS SUPERA MÉDIA NACIONAL Considerando todos os ramos de seguros, crescimento em 2012 em relação a 2011 no Estado foi de cerca de 38%. Previdência privada registrou 60% de aumento no ano passado Estatísticas da Superintendência de Seguros Privados (Susep) demonstram que o mercado de segurosem Goiás fechou 2012com desempenho superior à média nacional. Considerando todos os ramos comercializados no Estado, o volume de negócios em seguros comercializados pelos corretores goianos no ano passado foi 37,99% superior ao registrado em 2011. A modalidade que registrou maior crescimento foi a de seguro de pessoas, com destaque para a previdência privada. No geral, os seguros de pessoas cresceram 48,63% em 2012 em Goiás em relação a 2011, com prêmio da ordem de

aproximadamente R$ 2,817 bilhões - importância paga pelo segurado à seguradora para que esta assuma o risco a que o segurado está exposto. Os seguros relativos à previdência planos individuais e coletivos - aumentaram 60,08%. Já os seguros de vida e acidentes pessoais, entre outros aumentaram no mesmo período o equivalente a 10,31%. Um dos tipos mais comuns de seguro, o de automóvel, cresceu entre 2011 e 2012 11,17%, com prêmio direto registrado no valor de R$ 636,3 milhões em dezembro do ano passado.

Outra modalidade de seguro que tem crescido fortemente em Goiás nos últimos anos é o seguro rural e suas variáveis. Desde 2006, o prêmio deste tipo de seguro em Goiás subiu mais de 250%, chegando a R$ 67,7 milhões em dezembro do ano passado, valor 28,32% maior que o registrado em 2011. O seguro agrícola sem cobertura do Fundo de Estabilidade do Seguro Rural (FESR) foi o tipo que mais cresceu neste ramo: 107,43% entre 2011 e 2012.

CONHECIMENTO E TREINAMENTOS PARA CORRETORES: FOCO DA MARÍTIMA SEGUROS EM 2013 A equipe da Filial Goiás da Maritima Seguros realizou uma Palestra de Riscos Diversos na cidade de Rio Verde em 09/04/13, que foi ministrada por Alexsandro Silva, da matriz SP, onde foi abordado os diferenciais do produto e também sobre a forma de liquidação de sinistros na Cia. Contamos com a presença de 40 corretores, que elogiaram muito a iniciativa. Estiveram acompanhando os corretores o delegado do SINCOR Sul do Oeste, Samuel Borges, o diretor Marcelo Braz, as equipes da Marítima das Filiais Goiás, Brasília e Uberlândia. Após o treinamento, os convidados fizeram uma visita na Feira Tecnoshow, onde foi oferecido um belo almoço para os participantes.


EDUCAÇÃO FINANCEIRA

PARA ECONOMISTA, SUCESSO NÃO ESTÁ EM QUANTO SE GANHA, MAS EM QUANTO SE POUPA Economista Paulo Borges Campos Jr reúne na sede do SINCOR-GO corretores interessados no bom equilíbrio das contas pessoais e da empresa Uma plateia atenta e interessada acompanhou, no dia 21 de março, a palestrado economista Paulo Borges Campos Jr., professor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), que falou para corretoresassociados ao Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Capitalização e Previdência Privada do Estado de Goiás (SINCOR-GO) e cooperados da Cooperativa Cooperativa de Crédito de Livre Admissão das Micro Regiões de Goiânia e Anápolis Ltda (Sicoob Credseguro) sobre educaçãofinanceira. Em sua palestra, o economista trabalhou o tema sob a ótica do uso adequado e saudável do dinheiro, ensinando um pouco mais de responsabilidade social e ética, tanto no ganho, quanto no gasto dos recursos financeiros. “A questão é: ganho mal ou gasto mal?”, provocou o economista. A partir desta questão, Paulo Borges Campos Jr. desenvolveu o tema exemplificando com comportamentos do cotidiano falhas cometidas na prática do consumo e apontando alternativas para consumir melhor sem comprometer o orçamento familiar. Segundo o economista, o consumo é uma prática muito mais ligada à emoção do que à razão. “E, nesse sentido, a vaidade, a ostentação e o impulso consumistas são três emoções destrutivas para a nossa trajetória financeira”, alerta o especialista. “Todo mundo conhece o efeito demonstração: é aquele em que a pessoa ostenta o que não cabe em seu padrão de vida”, exemplifica. De acordo com Paulo Borges, o meio em que vivemos influencia muito nossa prática de consumo. Por isso é importan-

te passar conceitos de poupança e investimento de pai para filho. “O consumismo é perverso e precisa ser controlado. E educar nossos filhos para consumir de maneira responsável e equilibrada é um gesto pedagógico”, diz. O mesmo vale, segundo ele, no casamento. “O casal precisa conversar sobre questões financeiras”, sugere. A corretora de seguros Ilda Marcelino Ribeiro já pratica em casa os ensinamentos do economista. Inclusive levou consigo, para assistir a palestra, na sede do SINCOR-GO, os dois filhos, Lucas, de 20 anos, e Wanessa, de 17. “Lucas sempre foi muito atento a esse assunto, se interessa. Foi ele quem me convenceu, por exemplo, a ter um único cartão, e não vários”, cita a corretora. “Em casa todos ajudamos a equilibrar o orçamento, economizar, poupar”, reforça o rapaz. A educaçãofinanceira, de acordo com o economista Paulo Borges, nunca deve ser um projeto individual, mas familiar. “Todos devem ser envolvidos, de uma forma ou de outra”, afirma. “E se as despesas estão maiores que a renda, é preciso ajustá-las ao orçamento da família”, ensina. “O sucesso não está em quanto ganha, mas em quanto poupa”,

Economista Paulo Borges Campos Jr durante palestra no SINCOR-GO

acentua. O vice-presidente da Sicoob Credseguro, Ubiratan da Conceição Seixas, ressaltou que a cooperativa tem como objetivo dar continuidade a projetos desta natureza. A ideia, agora, é levar para outra etapa os filhos dos corretores de seguros cooperados. “Temos, entre nossos objetivos, um específico voltado para a educação de nossos associados. Vamos, portanto, continuar buscando alcançar esse objetivo.”

Os dez mandamentos da Educação Financeira 1 – Organizar as despesas; 2 – Pagar a fatura do cartão na íntegra 3 – Jamais incorporar o cheque especial à renda 4 – Acumular reserva igual ou superior a três meses de despesas correntes 5 – Seguir à risca o planejamento orçamentário 6 – Comparar preços 7 – Não atrasar o pagamento de prestações 8 – Poupar regularmente 10% da renda 9 – Procurar comprar à vista 10 – Estar precavido para despesas extraordinárias

23


INSTITUCIONAL

SINDSEG ELEGE NOVA DIRETORIA No dia 21 de março, foram realizadas as eleições para escolher a composição da diretoria do Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Capitalização, de Resseguros e de Previdência Complementar nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal (Sindseg MG/GO/MT/DF) para o triênio 2013 / 2016. O pleito foi definido pelas 31 seguradoras associadas, que enviram um representante, pessoalmente, à sede do sindicato para a votação. Cada empresa tem direito a um voto e é necessária a participação de, no mínimo, de dois terços das associadas para legitimar a eleição. Confira, ao lado, a listagem de membros eleitos para a nova diretoria do Sindseg, que toma posse neste mês de maio:

24

DIRETORIA SINDSEG MG/GO/MT/DF - 2013 / 2016 Efetivos:
 Augusto Frederico Costa Rosa de Matos – presidente 
Angelo Vargas Garcia - vice-presidente
 Luiz Carlos Ferreira Gomes - vice-presidente
 Ronaldo Pinho Rodrigues - diretor
 Rogério Gebin - diretor
 Marcelo Araújo Braz - diretor
 Raphael Bauer de Lima - diretor Suplentes:
 Márcia Ilena Radaveli
 Gustavo Miranda Pocai
 José Márcio Barbosa Norton
 João de Lima Géo Neto
 Claudio Marcio Dias Ministério
 Carlos Eduardo Silvestre
 Valdecir Mochi



Conselho Fiscal:
 Edi Alves de Amorim Saturinino, Juliana Maria Queiroz Luiz Roberto Coelho de Vasconcellos Suplentes: Waldyr Dias Vieira Júnior Elizabet Clemente da Fonseca Emerson Edgard Rossi Delegados representantes junto à Federação:
 Augusto Frederico Costa Rosa Matos
 Suplentes: Luiz Carlos Ferreira Gomes


COMUNICAÇÃO

REDES SOCIAIS DO SINCOR-GO INTEGRAM ASSOCIADOS Sindicato prepara inauguração de novo site que privilegiará assuntos de maior interesse dos corretores de seguros de Goiás Uma nova modalidade de comunicação com seu filiado foi colocada em prática na atual gestão do presidente do Sindicato dos Corretores e das Empresas Corretoras de Seguros, Capitalização e Previdência Privada (SINCOR-GO), Joaquim Mendanha de Ataídes. Uma comunicação que privilegia a informação de qualidade trabalhada nos vários canais disponíveis atualmente. Presente nas principais redes sociais, o SINCOR-GO tem servido de referência para vários outros sindicatos do

Brasil. Em sua página oficial no Facebook, aproxima-se de 700 seguidores. No Twitter, já quase 500. Diariamente, as redes sociais do SINCOR, bem como seu site na internet são alimentados com notícias que traduzem a atuação do sindicato, bem como informam o corretor das principais ações do segmento. O site do SINCOR-GO passará agora por mudanças. Um novo portal estará em breve disponível ao associado, que encontrará à sua disposição um canal de comunicação que privilegiará os as-

suntos de maior interesse do setor e que trará para a web o que há de mais novo em navegabilidade. O novo site do SINCOR de Goiás permitirá uma navegação perfeita por meio de equipamentos móveis, como smartphones e tablets, e apresentará layout moderno e funcional. Para fazer parte da rede do SINCORGO no Facebook acesse www.facebook. com/sincor.go. No Twitter, o endereço é www.twitter.com/sincorGO.


ANIVERSARIANTES

Ainda não inventamos seguro contra quem não oferece Zurich Seguros.

Não corra o risco na hora de oferecer seguros para seus clientes. Com Zurich Seguros você tem a certeza de oferecer o melhor. Eles ficam mais tranquilos e você fecha mais negócios. A Zurich Seguros é um dos maiores grupos seguradores do mundo, com mais de 140 anos, atuação em 170 países e que valoriza muito o Corretor de Seguros. Conte sempre com a Zurich Seguros para o que você precisar.

• Seguro Auto

• Seguro de Vida

• Seguro Residência

• Previdência Privada

Para mais informações, acesse www.zurichseguros.com.br

26


Revista SINCOR GOIÁS - Edição 80  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you