Page 1

R E V I S TA

Ano XI - n° 74

WORKSHOP CORRETOR DE SEGUROS cenários e tendências


SUMÁRIO CAPA

Desenvolvimento do mercado de seguros motiva diálogo com a categoria

10

Cumprindo uma das metas previstas em seu Planejamento Estratégico, o Sindicato dos Corretores de Seguros de Goiás coloca em prática ações para promover uma maior aproximação com a categoria, ouvindo os profissionais em suas próprias bases de trabalho. O primeiro encontro é o de Itumbiara, no dia 17 de maio. Esses eventos previstos para importantes cidades do interior do Estado são necessários face às mudanças do mercado de seguros, justifica a Diretoria Técnica do SINCOR-GO, além da expansão dos negócios e perspectivas de crescimento do setor, conforme mostra a análise especial publicada nesta edição.

Assessoria Jurídica

4

Cidadania: Seguro DPVAT

Nova Circular passa a regular o registro e as atividades dos corretores de seguros

Consultoria Contábil e Fiscal

6

Carga tributária nas Corretoras de Seguros

Qualificação

8

A profª Hilda Sayuri discorre sobre a pós-graduação em seguro, uma realidade para os profissionais de Goiás

19

Parceria do SINCOR-GO com Procon Municipal chega a Aparecida de Goiânia

Artigo Especial

20

Confira a colocação da psicóloga Magda de Paula: “Quer melhoria em seu desempenho profissional? “Cara, tá na tua mão!!!”

Viva Melhor

21

Veja as dicas do antropólogo Luiz Marins para viver com mais entusiasmo

EXPEDIENTE administrativo@sincorgo.com.br

Ano XI - N° 74 - Março/Abril 2012

Antônio Oliveira Durães

Ubiratan da Conceição Seixas

DIRETORIA PLENA/GESTÃO 2010/2013

ASSESSORIA JURÍDICA Drª Magdalena Candida da Silva (OAB-GO 17.561) CONSULTORIA CONTÁBIL E FISCAL Pedro da Silva Pita (CRC-GO 6.827)

Ubiratan da Conceição Seixas

PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO Otacílio Henrique FOTOGRAFIA Otacílio Henrique IMPRESSÃO: Art 3 TIRAGEM: 2.700 exemplares A Revista SINCOR-GO não se responsabiliza pelas opiniões emitidas em artigos assinados. Paulo César Fernandes Rosa


EDITORIAL

PALAVRA DO PRESIDENTE Sindicato pronto para ouvir

U

m raio-x do cenário atual com a identificação das tendências e anseios do mercado de seguros constitui o foco do Fórum de Debates Regionais que o SINCOR-GO promoverá em várias cidades do Estado neste ano. Previstos para Goiânia, Anápolis, Rio Verde, Itumbiara, Catalão, Jussara e Uruaçu, os workshops têm como finalidade trabalhar as aspirações dos corretores de seguros e colaborar para sanar os problemas que a categoria enfrenta no desempenho da atividade cotidiana. A maior aproximação da entidade com os corretores no Estado permitirá que os fatores críticos sejam analisados a partir das ferramentas disponíveis e à luz da representatividade que o SINCOR-GO detém junto às companhias seguradoras, oficinas, transportadoras e outras entidades classistas, além da própria credibilidade que desfruta junto à comunidade consumidora. Constitui um importante esforço para aumentar o desempenho e gerar melhores resultados nas condições de atuação dos associados e filiados da nossa entidade em Goiás. O Fórum consistirá na apresentação de temas montados conforme a necessidade especificada em cada região onde vai acontecer. Os workshops poderão versar, por exemplo, sobre a auto-regulação do mercado de seguros, rastreadores, vistoria prévia, proteção veicular, formação de mão de obra para o setor, entre outros assuntos, que serão abordados por especialistas em seguros, convidados para tirar dúvidas apresentadas pelo público durante os eventos. Além da programação, esse projeto - cuja execução é de responsabilidade da Diretoria Técnica do SINCOR-GO - em sua essência contempla o duplo desafio atualmente vivenciado pelo mercado de seguros como um todo: atrair pessoas para formar mão de obra, e qualificar as que já atuam no setor para elevar a produtividade e multiplicar seus resultados, uma tarefa que ao longo de sua existência o SINCOR-GO vem tratando como prioritária, mediante a prática de cursos, palestras e especializações voltadas para o setor. Essas e outras ações previstas no planejamento estratégico de nossa entidade contribuem para o crescimento da categoria e para a construção de um SINCOR-GO cada vez mais forte e aprimorado. Naturalmente esperamos contar com o respaldo de uma autarquia que prime pela transparência e eficiência no trato das questões pertinentes ao mercado nacional de seguros, do qual todos fazemos parte e dependemos para o nosso efetivo desenvolvimento e conquistas futuras.

Joaquim Mendanha de Ataídes Presidente do SINCOR-GO

A maior aproximação da entidade com os corretores no Estado permitirá que os fatores críticos sejam analisados a partir das ferramentas disponíveis e à luz da representatividade que o SINCORGO detém junto às companhias seguradoras, oficinas, transportadoras e outras entidades classistas, além da própria credibilidade que desfruta junto à comunidade consumidora.

REVISTA

3


ASSESSORIA JURÍDICA

Nova Circular passa a A REGULAR O REGISTRO E AS ATIVIDADES DOS CORRETORES DE SEGUROS

N

Magdalena Candida da Silva é assessora jurídica do SINCORGO, advogada, especialista em Direito Processual Civil e Trabalhista e Direito Penal, cursando LLM em Direito Corporativo/IBMEC e MBA Executivo em Seguros e Resseguro-ESNS, OAB-GO 17.561

este mesmo espaço destinado ao Departamento Jurídico do SINCORGO, na edição de Janeiro/Fevereiro de 2012 da Revista SINCOR-GO foi publicado artigo que informava à comunidade dos Corretores de Seguros as diversas infrações tipificadas na Resolução CNSP nº 243, de 06 de dezembro 2011, que dispõe sobre sanções administrativas no âmbito das atividades de seguro, cosseguro, resseguro, retrocessão, capitalização, previdência complementar aberta, de corretagem e auditoria independente e disciplina o inquérito e o processo administrativo sancionador no âmbito da Superintendência de Seguros Privados – SUSEP e das entidades autorreguladoras do setor de corretagem de seguros.

É obrigatório constar Corretor Associado: O SINCOR-GO disponibiliza o serviço de assessoria e consultoria jurídica às segundas e sextas-feiras, das 8h às 12h, e de terças à quintas-feiras das 14h às 18h. Necessário agendamento prévio: (62) 3945-0808.

uma das expressões 'Corretora de Seguros' ou 'Corretagem de Seguros', mesmo que intercaladas por outra(s) atividade(s), na denominação social Várias das obrigações destacadas naquele artigo tinham como base a Circular SUSEP n° 127/2000, que foi revogada em 15 de fevereiro de 2012, logo após a criação daquele artigo, sendo relevante destacarmos novamente aos corretores de seguros suas obrigações perante a SUSEP, desta vez considerando a Circular SUSEP N° 429, de 15 de fevereiro de 2012, que passou a dispor sobre o “registro de corretor e de sociedade corretora de seguros, sobre a atividade de corretagem de seguros”. Alertamos, assim, que a não observância aos dispositivos da Circular SUSEP n° 429/12, que serão destacados a seguir, pode gerar graves e desagradáveis consequências aos infratores.

4

REVISTA

Além da observância às obrigações legais e perante aos demais órgãos da Administração Pública que toda e qualquer pessoa jurídica deve ter, é obrigatório às sociedades corretoras de seguros constar de seus estatutos ou contratos sociais que o seu Administrador Técnico é um Corretor de Seguros registrado na SUSEP, a quem caberá “o uso do nome da empresa, relativamente aos atos de corretagem e aos documentos encaminhados à SUSEP”, conforme determina o Artigo 5°, §1° da Circular SUSEP n° 429/2012. Destaca-se, neste particular, que “Em nenhuma hipótese a sociedade corretora poderá operar sem a participação do administrador técnico” e, “no caso de afastamento, o administrador técnico deverá ser imediatamente substituído”, nos termos do Art. 9°, §§ 1° e 2º, da Circular SUSEP n° 429/2012. No tocante ao uso do nome,“É obrigatório constar uma das expressões 'Corretora de Seguros' ou 'Corretagem de Seguros', mesmo que intercaladas por outra(s) atividade(s), na denominação social” das sociedades corretoras de seguros, consoante dispõe o Artigo 7° da Circular SUSEP supracitada. Outra regra destinada às sociedades corretoras de seguros refere-se, também a denominação social, pois “Não é admitido, a nível nacional, o registro de corretora com denominação social idêntica a outra já existente ou que inclua ou reproduza em sua composição siglas ou denominação de órgãos públicos, da administração direta ou indireta, bem como de organismos internacionais” (Art. 8º, Cir. SUSEP n° 429/2012). Destacam-se, a seguir, obrigações referentes à escrituração em registro obrigatório: “Art. 11. O corretor ou sociedade corretora deve escriturar em registro obrigatório, em ordem numérica e cronológica, as propostas que por seu intermédio forem encaminhadas às empresas seguradoras. §1° Admitir-se-ão registros obrigatórios distintos para cada ramo de seguro. §2° Os registros de que trata o caput deste artigo


ASSESSORIA JURÍDICA devem ter suas folhas numeradas sequencialmente, conter termos de abertura e de encerramento datados e assinados pelo corretor responsável, indicando os ramos a que se destinam e a quantidade de folhas neles contidas, fornecendo os seguintes dados mínimos: I – No cabeçalho: a) nome do corretor; b) local, mês e ano de emissão; e c) ramo (no caso de registro distinto para cada ramo). II – No corpo: a) número da proposta; b) dia da emissão; c) nome do segurado (ou estipulante no caso de seguro coletivo); d) nome ou código da seguradora; e) ramo (quando o registro se destinar a vários ramos); f) importância segurada ou limite de importância segurada (podendo ser omitido quando se tratar de seguro coletivo de pessoas); g) prêmio (ou prêmio depósito, quando for o caso); h) data de recebimento da proposta pela seguradora; e i) data da recusa da proposta por parte da seguradora (quando for o caso). §3° O corretor ou a sociedade corretora com receita mensal inferior a R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) fica dispensado da determinação contida no caput deste artigo.” (grifos nossos). É importante observar que “A sociedade corretora que empregue sistema eletrônico ou mecanizado de processamento de dados fica autorizada a escriturar, mediante relatório fornecido pelo sistema em páginas numeradas sequencialmente, o movimento da matriz e das filiais, sucursais, agências ou representantes”, conforme estabelece o Art. 12 da indigitada Circular (negritos nossos). Os pedidos de alteração dos contratos também devem ser registrados “em ordem numérica de suas respectivas propostas, ao final do registro mensal e sob o título “Pedidos de Alteração” (Art. 13, Circular SUSEP N° 429/2012). As propostas encaminhadas às sociedades seguradoras devem ser numeradas pelo próprio corretor ou sociedade corretora de seguros, os quais devem mantê-las em arquivo na mesma ordem seqüencial, sendo que as propostas devem ser emitidas em três vias, destinando-se a primeira à seguradora, a segunda ao corretor e a terceira ao segurado, consoante Art. 14 da referida Circular. Nos casos de recusa de proposta ou do pedido de alteração por parte da

seguradora, os respectivos comprovantes devem ser anexados à proposta, como determina o parágrafo único, do Artigo 15 da Circular em exame. É importante observar que as “vias das propostas destinadas à seguradora e ao corretor ou sociedade corretora, bem como a dos

pedidos de alteração, devem conter, necessariamente, dados de protocolo que caracterizem o recebimento pela seguradora” (Art. 15, Circular SUSEP n° 429/2012 – negritos nossos). Destaca-se: Os registros ou arquivos obrigatórios ora informados devem estar à disposição da fiscalização da SUSEP, na sede da sociedade corretora, conforme determina o Art. 16, da Circular em espeque. Finalmente, e não menos importante, alertamos que os corretores e as sociedades corretoras de seguros “deverão manter atualizadas suas informações cadastrais perante a SUSEP, encaminhando, por meio digital, o formulário próprio e a documentação pertinente”, observando-se o prazo de “30 dias, se corretor” e “de 60 dias, se s o c i e d a d e corretora de s e g u r o s ” , contados a partir da data da ocorrência, sendo que as alterações contratuais ou estatutárias das sociedades corretoras “deverão ser encaminhadas com a devida comprovação de arquivamento o registro competente”, conforme prevê o Artigo 10 da Circular SUSEP n° 429/2012. Algumas corretoras de seguros no Estado de Goiás estão sendo fiscalizadas ou respondendo a processos administrativos sancionadores perante a SUSEP no ano de 2012, razão pela qual alertamos que a não observância às obrigações ora destacadas, previstas na Circular SUSEP n° 429/2012, podem ensejar aplicação de severas penalidades estabelecidas na Resolução CNSP n° 243/2011. (Goiânia, em 17/04/2012)

REVISTA

5


CONSULTORIA CONTÁBIL E FISCAL

Carga Tributária nas

Corretoras de Seguros

Pedro da Silva Pita é contador e consultor contábil fiscal do SINCOR-GO; pósgraduado em Auditoria e Análise de Balanço pela PUC-Goiás – CRC-GO: 6827

Corretor Associado: O SINCOR-GO disponibiliza o serviço de consultoria complementar às quartas e sextas-feiras, das 8h às 12h. Agendamento prévio: (62) 3945-0808.

A

carga tributária de um País representa a parcela arrecadada pelo governo retirada das pessoas e das empresas para financiar as suas ações, em comparação com o PIB Nacional (Produto Interno Bruto) - que representa, em valores monetários, a soma de todos os bens e serviços finais produzidos no País em um determinado período. Hoje, essa carga gira em torno dos 34%, segundo os estudos tributários mais recentes. Entre a maioria dos brasileiros, a queixa mais recorrente é a carga tributária excessiva que contribui com os altos custos nas vidas das pessoas e das empresas, muito embora saibamos que, na verdade, quem paga é sempre o consumidor. As empresas apenas repassam ao governo os tributos incidentes sobre os produtos e serviços adquiridos e ou consumidos pelos próprios consumidores, com exceção do que recai sobre os lucros das mesmas. E para as Sociedades Corretoras de Seguros não é diferente. Vejamos alguns tributos e contribuições mais corriqueiros incidentes sobre as corretagens de seguros: O IRPJ - Imposto de Renda Pessoa Jurídica e a CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Liquido incidentes sobre o resultado positivo das empresas optantes pelo Lucro Presumido incidem sobre uma base de cálculo de 32% do faturamento trimestral.

6

REVISTA


CONSULTORIA CONTÁBIL E FISCAL 1. PIS FATURAMENTO - sua alíquota é de 0,65% sobre a receita bruta mensal para as sociedades tributadas pelo regime de tributação do Lucro Presumido; 2. COFINS – desde 1º de setembro de 2003 a alíquota da COFINS é de 4% incidente sobre a receita bruta mensal; 3. CSLL - CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LIQUIDO - pelo sistema de tributação do Lucro Presumido é aplicado o percentual de 9% sobre base de cálculo de 32%, o que equivale a 2,88% da receita bruta oriunda da corretagem de seguros e recolhida em regime trimestral; 4. IRPJ - IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA - pelo sistema de tributação do Lucro Presumido é aplicado o percentual de 15% sobre base de cálculo de 32%, o que equivale a 4,80% da receita bruta oriunda da corretagem de seguros e recolhida em regime trimestral; se a base de cálculo encontrada for superior a R$ 60.000,00, no trimestre, incidirá adicional de 10% sobre o excedente; 5. ISSQN – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - por se tratar de um tributo municipal, a alíquota depende de cada município, e varia entre 1% a 5%. Por força de acordo entre o SINCOR-Goiás e a prefeitura de Goiânia/GO, através de Decreto municipal foi concedida a todas as Sociedades Corretoras de Seguros sediadas no município de Goiânia, redução da base de cálculo em 60%. Portanto, no município de Goiânia o ISSQN equivale a 2%. Para as Sociedades Corretoras de Seguros sediadas no município de Goiânia, o montante representa uma carga tributária equivalente a 14,33% ao mês. Vale ressaltar ainda que para as Sociedades Corretoras de Seguros, em relação às APLICAÇÕES FINANCEIRAS incidem também os tributos (PIS, COFINS, CSLL e IRPJ) sobre os rendimentos brutos sem redução de base de cálculo. E para o INSS - sobre pró-labore e autônomos 33,5%, sendo 22,5% a parte do empregador e 11% a parte do sócio e ou do prestador de serviços. Sobre a folha de pagamento da sociedade incide 26,2% (representada por 22,5% a parte do empregador; 2,7% a parte de terceiros e 1% para acidente de trabalho).

REVISTA

7


ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS

Pós-graduação em seguro, realidade

PARA OS PROFISSIONAIS DE GOIÁS Hilda Sayuri Sumizono Rafael*

P

enso que uma vez iniciado um projeto, dois finais são permitidos: o sucesso e o fracasso, e qualquer que seja o resultado, cada um possui um pouco do outro. Mas, no que se refere ao projeto da primeira pósgraduação em Goiás pela Escola Superior Nacional de Seguros/Funenseg, encerro no quartinho escuro do esquecimento qualquer fracasso que possa ter ocorrido, isso em razão de que o sucesso alcançado ao longo da trajetória da primeira turma de MBA Executivo em Seguros e Resseguros em Goiânia ofuscou nossos pequenos fracassos. Encerramos no mês de março de 2012 as atividades da primeira turma de MBA-GO(foto), iniciadas em setembro de 2010. Os encontros ocorreram em finais de semana alternados, contando com a presença dos mais conceituados nomes do saber do seguro nacional: Francisco Galiza, autor de diversos títulos na área do seguro, Cláudio Roberto Contador, diretor acadêmico, e outros tantos. Contamos também com palestrantes de setores relacionados à auditoria, ao controle interno e da ambientação do setor de seguros em nível internacional, como: Horácio Sabóia Viera auditor técnico de carreira do Tribunal de Contas da União. Assim, me permito afirmar, o primeiro curso em nível de pós-graduação em seguros em Goiás foi um sucesso indiscutível! Sucesso promovido pelo compromisso dos alunos, profissionais do mercado local que, com empenho gigantesco, 8

REVISTA

demonstraram seu compromisso com a busca do “saber do seguro”. Os alunos foram dignos de compor essa turma que, sem dúvida, deixará marcas na história do ensino e da pesquisa do seguro em nosso Estado, quiçá Brasil. Não poderíamos deixar de mencionar a colaboração de toda equipe da Unidade Goiás da Funenseg: Duaine, Vanessa, Çica e Bruna. Por isso, o sucesso! O êxito do projeto de uma pós-graduação em nossa cidade se tornou concreto, e já é quase um passado no que diz respeito à primeira turma. Demonstramos, com esses alunos, possuirmos profissionais altamente qualificados, ávidos por mais saber. Nossos alunos foram fiéis ao compromisso de busca de novos conteúdos e práticas, visando o aperfeiçoamento do exercício de suas funções nas diversas atividades relacionadas à indústria do seguro em nosso Estado. E tal foi o sucesso do projeto que encerramos a primeira turma estando autorizados a ofertá-lo novamente ao mercado, uma vez que contamos com 20 inscritos antes mesmo de oficializar o anúncio do curso. Esse fato confirma o que sabemos: o mercado goiano conta com profissionais, na sua maioria, graduados nos mais variados cursos, em diferentes áreas e prontos a ingressar em cursos específicos na área do seguro. E quando esses cursos são ofertados por uma instituição como a Funenseg, reconhecida por sua excelência no ensino, esses profissionais ingressam certos de obter novas perspectivas


ESCOLA SUPERIOR NACIONAL DE SEGUROS para sua atuação. O resultado de projetos na área do ensino e pesquisa em nossa Capital é sempre sinônimo de sucesso em razão da busca constante pelos profissionais sérios e comprometidos com o seguro. Constato então, com o coração e o espírito de gratidão pelo que me foi outorgado: o privilégio de ser a coordenadora da primeira turma de MBA-GO Executivo em Seguro e Resseguro pela Escola Nacional de Seguros em Goiânia.Verifico que meu nome se inscreve definitivamente aos nomes de homens e mulheres gigantes, que lutaram contra seus inúmeros e volumosos compromissos e encontraram o tempo, fizeram o tempo, para construir o que, atualmente, é uma realidade, pois, não raras vezes, percebi que os trabalhos foram enviados por esse alunos/gigantes nas horas roubadas de seus sonos, nas primeira tenras horas das madrugadas; por vezes, de lugares diversos do Brasil, entre uma conexão e outra de vôos; nos domingos, nos feriados. Encerro citando Isaac Newton: “Se eu vi mais longe, foi por estar de pé sobre ombros de gigantes”. E os gigantes dessa história foram: Alberto Felipe Nogueira de Almeida, Aline Catiurcia de Oliveira, Allinne Rizzie Coelho Oliveira Garcia, Claudinéia Santos Pereira, Dauto de Queiroz, Doriane de Fátima Azevedo Zvolinski, Eduardo Roberto Pires da Paixão, Fabiano da Silva Faria, Fernando Honório Vasconcelos, Francisco de Assis Vidigal, Hailton Costa Neves, Henderson de Paula Rodrigues, Hugo Veríssimo Vendramini da Silva, Jacó Carlos Silva Coelho, Joaquim Mendanha de Ataídes, Jonh Kenedy Alves dos Santos, Juarez da Luz Barros Júnior, Júnio Marcos Andrade de Sousa, Luciene Alves Leão, Lucimer Coelho de Freitas, Magdalena Cândida da Silva, Rildo Clésio de Andrade e Sousa, Roberto Ângelo Rafael e Simone Rodrigues Queiroz. A todos, o meu carinho e agradecimento por me permitiram essa caminhada vitoriosa. Tornei-me maior em razão da companhia dos senhores!

*Hilda Sayuri Sumizono Rafael (direita) é advogada especializada na área de Seguros, mestranda em Educação pela PUC-Goiás, pós-graduada em Docência Universitária, Processo e Direito Civil, e coordenadora do MBA Executivo em Seguros e Resseguros pela Escola Superior Nacional de SegurosFunenseg.

Há outros horizontes a conquistar. Temos iniciado, juntamente com o atual presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de Goiás, Joaquim Mendanha de Ataídes, estudos e pesquisas visando à graduação pela Escola Superior Nacional de Seguros na área de seguros em Goiânia. Acreditamos que o mercado regional necessita e comporta um curso dessa envergadura; estamos conscientes das dificuldades, no entanto, acreditamos no potencial de nosso mercado e nos profissionais que aqui atuam para afirmar que estamos prontos para receber a faculdade do seguro em nossa cidade. REVISTA

9


ATUAÇÃO REGIONALIZADA CAPA

SINCOR-GO REALIZA WORKSHOPS COM

CORRETORES DE SEGUROS EM TODO O ESTADO

pertinentes àquela localidade. A finalidade da regionalização das discussões é saber quais são estes problemas. Uma vez identificados tais problemas de uma região, torna-se menos onerosa e mais eficiente a busca por soluções personalizadas”.

S

e fosse necessário definir o objetivo do Workshop Corretor de Seguros, Cenários e Tendências em uma só frase, o presidente Joaquim Mendanha de Ataídes diria que o realinhamento da entidade com os interesses da categoria em Goiás está na própria essência do projeto: “Vivenciamos o momento mais importante desta nova fase do SINCOR, que é o realinhamento da entidade com sua missão, visão e valores. Esse entendimento fazse ainda mais importante à medida que acompanhamos a performance econômica do País, quando se sabe que o crescimento da economia goiana está acima da média nacional. Sendo assim, o SINCOR-GO tenta mostrar ao corretor de seguros que o mercado goiano é altamente rentável pois tem uma economia pujante. Isso significa mais dinheiro em

10 REVISTA

circulação e, consequentemente, mais negócios para o corretor, representando uma grande oportunidade”. O workshop é uma ação concreta do SINCORGO que possibilita uma ampla discussão aberta à participação democrática de todos os corretores de seguros do mercado (associados ou não) no Estado. “Tão importante quanto identificar os problemas regionais é captar as várias visões do mesmo problema ou as diversas nuances de soluções”, destaca Mendanha. Além disso, prossegue ele, “é de se supor que alguns problemas sejam os mesmos em qualquer lugar quando a atividade é a corretagem de seguros, mas é sabido também que em cada região existem problemas

O presidente do SINCOR-GO está convicto de que para obter resultados efetivos, é fundamental que o projeto conte com o envolvimento de todos os segmentos correlacionados. “Daí que nossa proposta inicial é que, após identificados e tabulados os problemas, os diversos personagens como Sindiseg, sindicato das oficinas, empresas de vistorias, etc., sejam convocados a participar da busca de soluções”, acrescenta o líder sindical. Diante desse pensamento macro, o projeto dos workshops regionais foi estruturado tomando por base a realidade comum ao mercado como um todo e que afetam os negócios do setor. Para exemplificar, o diretor Técnico Hailton Costa Neves (coordenador do projeto) detalhou, de forma resumida, alguns dos principais assuntos que norteiam a pauta de discussão a ser observada no projeto dos workshops elaborado pela direção do Sindicato. Acompanhe os principais:


ANÁLISE ATUAÇÃO REGIONALIZADA CAPA

Crescimento das vendas de automóveis: - O aumento da venda de automóveis é um fator econômico forte e que reflete diretamente e de forma imediata no cotidiano dos corretores. Este fato é positivo para o corretor de seguros.

Aumento da renda das classes C e D: - Estes segmentos têm sustentado o crescimento da economia brasileira, refletindo diretamente na expansão de mercado para os corretores de seguros. E esse crescimento traz um ciclo virtuoso, aumentando a venda de seguros de auto, de vida, residências, saúde, etc.

Formação de grandes corretoras locais: - Tem sido constante o surgimento de grandes corretoras de seguros locais; isso pode ser um sinal que os corretores independentes devem estar atentos e terem em mente suas ações neste contexto.

Abertura do mercado de resseguro: - A chegada de novos resseguradores é um ponto importante para o corretor pois tem dificultado a aceitação de riscos e trazendo transtornos na colocação dos mesmos. Por outro lado, pode significar uma grande oportunidade de inovação e de criatividade para novos negócios.

·Redução da taxa básica de juros: - Esta redução pode significar uma virada no setor de seguros. Com tais taxas mais baixas, o ganho com a operação de seguro deverá ser regra. Isso pode trazer mais criatividade e oportunidade para o setor.

O Brasil como sede da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016: - Este dois acontecimentos fazem com que as obras que precisam ser erguidas tragam ao corretor de seguros grandes oportunidades de negócios.

Vendas via internet: - O surgimento de sites de venda de seguros pode representar um novo competidor, que surge para disputar com o corretor na busca por negócios.

Carência de mão de obra para o setor da corretagem de seguros: - A carência de mão de obra para a corretagem de seguros é histórica. Mas o Sindicato está buscando incansavelmente suprir esta deficiência e, identificar onde esta carência é maior, e adotar ações específicas é o objetivo dessa identificação.

REVISTA

11


COMITÊ DE ÉTICA

CORRETOR DE SEGUROS,

PROFISSIONAL LEGAL!

O

Comitê de Ética do SINCOR-GO, em caráter preventivo, alerta os corretores de seguros em relação a circulares e resoluções emitidas pelos órgãos competentes, que visam fiscalizar a atividade de corretagem de seguros, e em especial informa que a partir do dia seis de março de 2012, a –Resolução CNSP 60, de 03 de setembro de 2001, e a –Resolução CNSP 186, de 29 de abril de 2008, estão revogadas, e as matérias nelas tratadas foram unificadas, desde então, através da –Resolução CNSP 243, de 06 de dezembro de 2011. A mesma dispõe sobre sanções administrativas no âmbito das atividades de seguro, cosseguro, resseguro, retrocessão, capitalização, previdência complementar aberta, de corretagem e auditoria independente; disciplina o inquérito e o processo administrativo sancionador no âmbito da Susep e das entidades autorreguladoras do mercado de corretagem e dá outras providências. Esta Resolução entra em vigor no prazo de noventa dias, contados de sua publicação, ficando revogadas as Resoluções CNSP Nº 60 e CNSP Nº 186, como visto inicialmente, explica Júnio Marcos Andrade de Sousa, presidente do Comitê de Ética do SINCORGO. Conforme a norma, a prática das infrações sujeitará a pessoa natural ou jurídica responsável à sanções administrativas. São elas: advertência; multa de R$ 5 mil a R$ 1 milhão; multa no valor igual à importância segurada ou ressegurada, no caso das operações de seguro, cosseguro ou resseguro sem autorização; suspensão do exercício de atividade ou profissão pelo prazo de 30 a 180 dias; inabilitação para o exercício de cargo ou função no serviço público ou em empresa pública, sociedades de economia mista e respectivas subsidiárias, entidades de previdência complementar, sociedade de capitalização, instituições financeiras, sociedades seguradoras e resseguradoras, pelo prazo de dois a 10 anos; e cancelamento de registro de corretor de seguros, pessoa natural ou jurídica. As sanções previstas poderão, sempre que couber, e de forma fundamentada, ser aplicadas cumulativamente. Não haverá infração quando o descumprimento de norma ocorrer por motivo de caso fortuito, ou força maior, devidamente comprovado. Não comprovado o dolo, o órgão encarregado pelo julgamento dos processos sancionadores no âmbito da Susep, considerando a gravidade da infração e os antecedentes do infrator, poderá deixar de aplicar sanção prevista nesta Resolução quando, a seu juízo, concluir que uma recomendação ao agente 12 REVISTA

supervisionado seja suficiente ao atendimento dos objetivos da regulação setorial, hipótese na qual dará ciência ao órgão que instaurou o procedimento apuratório. Em caso de dúvida e esclarecimentos adicionais sobre essa matéria, envie seu e-mail para: comitedeetica@sincorgo.com.br.


Personalidade - João Furtado de Mendonça Neto “O seguro é o mais eficaz

meio de proteção

de nossas conquistas”

J

oão Furtado assumiu a pasta da Segurança Pública e Justiça em Goiás no início de 2011

com o intuito de desenvolver um trabalho que promova a união da classe policial no Estado, descentralizando, assim, as ações policiais. O Secretário pretende fazer

também com que o policial esteja cada vez mais próximo da população, proporcionando uma segurança de qualidade à população. O titular da SSP-GO afirma que o seu trabalho será voltado para a comunidade, procurando servir a todos independentemente de posição social, buscando sempre parcerias para efetivar essas ações. Acompanhe a entrevista exclusiva que ele concedeu à Revista SINCOR-GO no início deste ano:

1 – Comente sobre a incidência de casos de furtos e roubos de veículos em Goiânia. A situação é extremamente preocupante. Os números, crescentes, indicam que essas modalidades criminosas alimentam ou são alimentadas por diversas cadeias de atividades lícitas e ilícitas. É preciso chamar a atenção para a questão, pois essas ocorrências traduzem a existência de uma persistente demanda, geradora de violência real e potencial, além de graves danos econômicos a segurados e seguradoras 2 – Que ações poderiam reverter a situação atual e baixar o número de ocorrências registrado em Goiás? Além das ações educativas e preventivas, como a conscientização das pessoas para que não adquiram veículos de procedência duvidosa ou com documentação irregular, e de ações repressivas das atividades ilícitas e criminosas, um debate ético deve ser instaurado. Certas condutas comerciais, baseadas em brechas da legislação, têm contribuído para o incremento dos furtos e roubos . de veículos. 3 – Em sua gestão à frente da SSPJ pretende retomar a discussão em torno da possibilidade de uma ação unificada das polícias Civil e Militar em Goiás? Qual a sua visão a respeito? Esse é um objetivo diariamente renovado, um compromisso público de gestão. A integração operacional será tão mais exitosa quanto se respeitar as diferenças essas instituições. Cada uma deve cumprir seu papel constitucional com autonomia.

A inclusão social e econômica da chamada classe C, o seu ingresso no mercado de crédito de consumo, a falta de planejamento urbano, a opção histórica e deliberada pela construção de rodovias, são algumas das causas que explicam as vias de trânsito cada vez mais congestionadas. A opção pelas modalidades de transporte de massa de baixo custo e de baixo impacto, sem dúvida, se constitui em alternativa viável, mas deve ser precedida de maior conscientização do paradoxal individualismo que desenvolvemos. 5 – Qual a importância do seguro em um mercado com mais de um milhão de veículos circulantes, como no caso da Região Metropolitana da chamada Grande Goiânia? O seguro é o mais eficaz meio de proteção de nossas conquistas, de nossas famílias e do nosso patrimônio. 6 – O estado precário de conservação de ruas e estradas sabidamente provoca mais acidentes; buracos nas pistas, agravados principalmente no período chuvoso, também danificam carros e prejudicam suas condições de uso dos veículos, maximizando a chance de ocorrer acidentes. Sob esta ótica, a boa preservação das vias públicas incide na qualidade da mobilidade urbana e, indiretamente, pesará mais ou menos nos cálculos de custo do seguro e no valor do produto final oferecido aos cidadãos/consumidores: manifeste seu comentário. Vivemos num eterno déficit estrutural, que aumenta o "custo Brasil". Mas também devemos cobrar melhor aplicação dos impostos que pagamos. 7 – Fique à vontade para deixar uma mensagem a nossos leitores.

4 – De que maneira um transporte público mais efetivo (com medidas emergencias, além da implantação, por exemplo, do VLT no médio prazo e outros providências) poderia contribuir para reduzir o fluxo de veículos particulares e, consequentemente, o número proporcional de acidentes de trânsito?

Fico honrado em ter a oportunidade de me comunicar com tão seleto público. Nos poucos meses em que pude conviver com o mercado de seguros e com todos os seus operadores, aprendi a respeitar esses brasileiros e brasileiras, empreendedores natos, que construíram tamanha riqueza. O corretor de seguros é, sobretudo, um forte. Um abraço fraterno a todos. REVISTA

13


Rápidas do Mercado Diretor de Automóveis da HDI Seguros faz palestra em Goiânia Com a presença de mais de 100 corretores reunidos no Mercure Hotel foi realizada, no dia 25 de abril, a palestra “As Perspectivas do Seguro de Automóveis no Brasil”. A apresentação foi conduzida por Fábio Leme (foto), Diretor de Automóveis da HDI Seguros, contando também com a participação de Angelo Garcia, Diretor Regional da companhia, e do diretor tesoureiro do SINCOR-GO, Henderson Rodrigues. Os dados estatísticos e as análises apresentadas demonstraram o enorme potencial a ser explorado pelas seguradoras e corretores de seguros na carteira de Automóveis nos próximos anos. As projeções de crescimento da venda de veículos e seu reflexo na frota circulante no País, o aumento da renda da população e os investimentos já anunciados das principais montadoras mundiais de veículos aqui no Brasil são apenas alguns dos fatores que justificam esta expectativa altamente positiva para o segmento de seguros e que Fábio Leme transmitiu aos participantes do evento. A utilização da Internet e das Mídias Sociais e seus possíveis impactos no mercado de seguros também foram temas discutidos durante a apresentação, assim como foram debatidos os desafios e oportunidades que tais ferramentas poderão trazer aos corretores de seguros em sua atuação, inicialmente como um novo canal de comunicação e relacionamento com seus clientes e, futuramente, como forma de captação de novos negócios. Fábio Leme aproveitou a ocasião para ratificar a importância do mercado de Goiás para a HDI Seguros e comunicar aos presentes as próximas iniciativas da empresa na área do Relacionamento Digital com os corretores.

Marítima realiza encontro com corretores em Goiás No dia 17 de abril, a Marítima Seguros promoveu um evento de relacionamento na churrascaria Lancaster Grill, em Goiânia, para 54 corretores de seguros (foto). Na ocasião, estavam presentes a equipe da Filial de Goiânia, o diretor regional Marcelo Braz e o diretor de Automóvel, José Carlos de Oliveira, que conduziu uma apresentação sobre a operação da Companhia no segmento, discorrendo sobre os diferenciais dos produtos e serviços. A partir de maio, Goiás poderá contar com novidades no produto Auto, estando a Marítima Seguros no início de uma nova regionalização no Estado. Após o encontro, foi oferecido um almoço aos participantes.

Executivo da Pottencial Seguradora visita o SINCOR em Goiânia No dia 23 de março, o diretor Técnico da Pottencial Seguradora, Fábio Carvalho (foto), esteve presente em um almoço realizado pelo SINCOR-GO, na presença do presidente do Sindicato, Joaquim Mendanha de Ataídes, acompanhado dos diretores José Antônio de Oliveira Júnior, Henderson de Paula Rodrigues e Hailton Costa Neves. Durante o encontro, o executivo fez uma apresentação da Pottencial Seguradora, empresa mineira que vem se destacando no segmento de seguro garantia devido a seus vários diferenciais, dentre eles, a qualidade do serviço prestado e a rapidez na emissão das apólices. Segundo Fábio Carvalho, “o objetivo da reunião foi estreitar o relacionamento da companhia com os corretores de seguros do estado de Goiás”.

14 REVISTA


ANÁLISE

Negócios aquecidos no

mercado nacional de seguros

E

statísticas sobre a performance do mercado brasileiro de seguros mostram que o valor arrecadado em prêmios somou R$ 104,664 bilhões em 2011, ante o PIB/Brasil, que foi de R$ 4,143 trilhões, significando que o setor de seguros representou 2,53% do PIB nacional no exercício passado. Somando-se a movimentação em seguro saúde, essa participação sobe para aproximadamente 4%. Na área de seguros, especificamente, Goiás produziu R$ 2,723 bilhões em 2011, representando 2,60% do total de prêmios arrecadados no País no mesmo período. Esse resultado significa que Goiás cresceu 18,90% sobre 2010, portanto um desempenho superior ao crescimento de 16,69% verificado em nível nacional. Registre-se ainda que nos

últimos cinco anos Goiás tem crescido mais que a média nacional, refletindo a expansão da economia estadual neste período. Em 2011, a previdência privada representou 53,54% do total movimentado em seguros no Estado; a carteira automóvel, 21,15%; seguro de benefícios (vida, acidentes pessoais, prestamista etc.), 11,83%; seguro DPVAT, 4,24%; e outros ramos (a exemplo de capitalização), 9,23%.

empresas corretoras; mais de 46 mil corretores profissionais, pessoas naturais que geram mais de 180 mil empregos e são responsáveis por 85% da produção de seguros no País, gerando reservas importantes para serem aplicadas no desenvolvimento da economia nacional.

Os números comprovam a expansão do mercado de seguros no Brasil, uma atividade produtora de riquezas e milhares de postos de trabalho. Recentemente, o deputado federal Armando Vergílio, presidente da Fenacor, destacou que hoje são mais de 70 mil corretores de seguros no Brasil inteiro; mais de 25 mil

REVISTA

15


Você sabia? Comunicação interna aperfeiçoada O SINCOR-GO disponibilizou a Intranet para uso de seus colaboradores. Essa ferramenta permite que as informações estejam alinhadas para que possam ser compartilhadas de forma ainda mais ágil e sem ruídos. A Intranet denota a preocupação da atual gestão do SINCOR-GO em modernizar sua comunicação interna para continuar aprimorando o atendimento prestado aos associados e ao mercado de seguros como um todo.

Assembléia Geral aprova contas A Diretoria do SINCOR-GO realizou, no dia 26 de abril, Assembléia Geral Ordinária para apresentar as contas da entidade e o relatório das atividades relativas ao exercício de 2011. As contas apresentadas na reunião, já previamente acatadas pelo Conselho Fiscal sem ressalvas, também foram aprovadas, sem objeções, pela unanimidade dos presentes.

16 REVISTA


GIRO NOS MUNICÍPIOS

DELEGACIA REGIONAL DE RIO VERDE Ministrada palestra sobre rastreamento veicular em Rio Verde

A

Delegacia do SINCOR no Sudoeste Goiano realizou no dia 28 de março, no Gelps Hotel, a primeira palestra do ano de 2012, tendo como tema “Rastreamento Veicular”, proferida por Fabiano da Silva Faria (foto), profissional de grande conhecimento sobre o assunto. Em sua mensagem, o palestrante trouxe para o público novidades e informações bem detalhadas sobre o tema. Estiveram presentes, além dos corretores da região, funcionários de corretoras e clientes das mesmas. “Ficamos muito satisfeitos com o resultado dessa primeira palestra e já estamos trabalhando para as próximas programadas em nossa agenda de eventos”, adiantou Samuel Borges Coelho, titular da Delegacia do SINCOR-GO em Rio Verde.

DELEGACIAS REGIONAIS DE ANÁPOLIS E ITUMBIARA

O

circuito de palestras sobre o tema: Rastreamento Veicular deverá percorrer as demais delegacias regionais do Sindicato, em Anápolis e Itumbiara, sob o comando de seus titulares, Ronaldo Luiz de Miranda e Agnaldo Custódio de Paiva, respectivamente.

REVISTA

17


NOSSA GENTE

ATIVIDADE RURAL É HOBBY PARA EMPRESÁRIO DA ÁREA DE SEGUROS A pedido da Revista SINCOR-GO, o corretor de seguros e empresário tradicional da área, Jason de Melo Abreu, redigiu de seu próprio punho o depoimento que se segue, descrevendo a sua paixão pela agropecuária, atividade a qual vem se dedicando nos finais de semana há duas décadas

T

rabalho com seguro desde 26/03/1986 sempre em Goiânia e cidades da região; tive a Fortaleza Corretora de Seguros Ltda. em 1991 (sócio) e em 1996 montei a Fortcor Corretora de Seguros Ltda., sempre trabalhando com a família; desde então, nunca deixei de atuar nesse ramo, mas sempre tive uma atividade paralela com intuito de diminuir o estresse, nos finais de semana, e com isso fui tomando gosto pelo negócio. Comprei minha primeira fazendinha no município de Itaberaí-GO em 1991, depois outra em 1996 em áreas separadas e trabalhando com confinamento de bois; vendi todas e adquiri uma na cidade de SilvâniaGO em 2000; continuo tendo uma verdadeira paixão pela terra e sempre participo com a família em cavalgadas em todo o Estado, mas uma destas, e a preferida, onde saímos da cidade de Vianópolis a Trindade na festa do Divino Pai Eterno, percorrendo uma distância de aproximadamente 130 km em três dias. Já estou no sexto ano consecutivo e pretendo fazê-la até quando Deus me permitir. ARQUIVO PESSOAL

Gosto da vida do campo pois a cada final de semana reforço minhas energias para trabalhar sempre de bom humor e fazer bons negócios: a principal qualidade do homem sertanejo é a sua simplicidade e sua humildade”. (Goiânia-GO, 30/04/2012, por Jason de Melo Abreu, casado, natural de Luziânia-GO, nascido em 09/06/1960).

18 REVISTA


CIDADANIA: SEGURO DPVAT Parceria do SINCOR-GO

COM PROCON MUNICPAL

CHEGA A APARECIDADE DE GOIÂNIA

F

oi firmado acordo no dia 20 de abril que garante atendimento gratuito às vítimas de acidentes de trânsito que buscam resgatar o Seguro DPVAT em Aparecida de Goiânia. No ato de assinatura do termo de cooperação técnica entre o SINCOR-GO e o Procon de Aparecida de Goiânia realizado na sede do Procon Municipal, no Bairro Vera Cruz, o Sindicato esteve representado pelo presidente Joaquim Mendanha de Ataídes, os diretores José Antônio de Oliveira Júnior, Henderson de Paula Rodrigues e o assessor Administrativo, Luiz Olmando de Melo. Com este, já são nove os postos do SINCOR-GO efetivados em parceria com Procons nos municípios, verificando-se uma média de mais de mil atendimentos/mês, mencionou Joaquim Mendanha. Ainda na mesma oportunidade também foi lançado o telefone 156, exclusivo para atendimento ao consumidor. “Com essa parceria firmada com o Sindicato dos Corretores de Seguros, o consumidor aparecidense não precisará recorrer a advogados para resgatar o seu DPVAT. Já pelo telefone 156, serão atendidos prontamente pela nossa equipe para tirar suas dúvidas quanto à relação de consumo”, explicou o presidente do Procon Aparecida, Marinho Resende, em entrevista ao Jornal Aparecida Agora. Estima-se que em até 25 dias, após o protocolo, o cidadão receba o seguro.

Notícia veiculada na Newsletter do SINCOR-GO Seguros nada óbvios que valem muito à pena

C

oberturas menos conhecidas que têm bom custo-benefício e poupam o segurado de fortes dores de cabeça

Seguro de carro e planos de saúde médicos e odontológicos são proteções já consideradas obrigatórias pelos brasileiros. O custo-benefício é alto, pois é quase certo que o beneficiário vai precisar acionar o seguro em algum momento da vida. Quem tem família também costuma considerar fazer um seguro de vida, para amparar seus entes queridos no evento inevitável de sua morte. Mas existem seguros menos conhecidos que podem livrar o segurado de imensas dores de cabeça e verdadeiras facadas no bolso. Eles acabam valendo a pena porque são muito baratos em relação ao valor do bem segurado, ou então porque o custo absoluto do prêmio é baixo em comparação à exposição dos bens segurados a ladrões e acidentes. Veja exemplos de seguros que não deveriam ser dispensados: Seguro-residencial O seguro residencial é um dos que têm melhor custo-benefício no mercado, pois normalmente não chega a custar mais do que 1% do valor do

imóvel. O seguro não é barato em termos absolutos, mas é uma mão na roda para quem tem um imóvel exposto a desastres naturais ou assaltos. Reformar um imóvel danificado ou repor os bens roubados será, certamente, muito mais caro. A cobertura básica inclui danos ao imóvel e ao seu conteúdo provocados por incêndio, explosão e fumaça, mas é uma boa ideia proteger os bens contra roubo e furto. Até aparelhos eletrônicos estão cobertos. Há outras coberturas adicionais, como vendaval, danos elétricos (provocados por raios), quebra de vidros, impacto de veículos e aeronaves, home office e responsabilidade civil familiar (cobertura para danos provocados por pessoas da família a terceiros dentro e até fora da residência). O valor da apólice é calculado sobre o custo de reconstrução da casa e o valor real dos bens em seu interior, e não pelo valor do imóvel ou o valor de nota dos objetos. Na Porto Seguro, por exemplo, um seguro com a cobertura básica (sem franquia), danos elétricos, subtração de bens e responsabilidade civil familiar no valor total de 245.000 reais custará, anualmente, 189,76 reais para um apartamento localizado em São Paulo. Isso corresponde a 0,07% do

4ª edição - publicada em março de 2012 valor da cobertura. Já para uma casa, o custo seria de 495,34 reais por ano, ou 0,20% do valor da apólice. Mesmo se decidir incluir as assistências 24 horas – chaveiro, reparos elétricos e hidráulicos e conserto da linha branca – o cliente da Porto Seguro ainda pagaria um pequeno percentual do valor da apólice no seu seguro. O mesmo apartamento com a mesma cobertura sairia por 309,07 reais anuais, ou 0,12% do valor da apólice. E a mesma casa custaria 637,29 reais, ou 0,26% do valor da cobertura. Seguro para cartões de banco O seguro para cartões de crédito e débito pode valer muito a pena para quem mora em metrópoles como Rio e São Paulo, onde assaltos e sequestros relâmpagos são recorrentes. Por um valor mensal inferior ao das tarifas mais básicas de manutenção de conta, o correntista fica coberto por saques feitos mediante coação – caso dos sequestros relâmpago – ou compras e saques realizados após roubo ou furto do cartão. Em geral, compras indevidas feitas pela internet não são cobertas. (Fonte de consulta: *Sincor Espírito Santo On Line) REVISTA

19


ARTIGO ESPECIAL Quer melhoria

em seu desempenho profissional?

Cara, tá na tua mão!

Arquivo Pessoal

Magda de Paula*

O

mercado de seguros tem se tornado cada dia mais concorrido. Novos profissionais adentram ao mercado rapidamente. O fácil acesso ao aprendizado tem promovido uma corrida desses novos entrantes para a busca de formação e conhecimento como forma de diferenciação. Cada vez mais rápido as pessoas se formam em cursos de graduação, pósgraduação, MBA's e tantos outros. Em nosso trabalho, ao frequentarmos as reuniões, eventos e cursos, era comum encontrarmos somente os velhos colegas, os de sempre. Agora, há uma galera nova surgindo e, por incrível que pareça, ela é cada vez mais nova! O conhecimento está sendo buscado avidamente por esta geração, que foi criada com a internet na mão e nunca viu uma TV sem controle remoto. E eles aprenderam logo cedo a dar as respostas rápidas, seja por meio de buscas ágeis, network ou pela qualificação. Eles são os grandes usuários das tecnologias atuais, usam tablets e redes sociais como nunca. E você, onde fica nisso?!?!?

20 REVISTA

É momento de repensar o que você tem feito para melhorar a sua qualificação, e, como dissemos no título dessa matéria: CARA, TÁ NA TUA MÃO!!! A sua iniciativa já foi fantástica ao escolher a profissão de Corretor de Seguros. Então, está na hora de você avaliar se está levando esse desafio realmente a sério! Tá na mão, não adianta se você não tomar uma ATITUDE EMPREENDEDORA: ·Tenha autonomia nas suas decisões; ·Explore mais o seu comportamento inovador; ·Esteja preparado para assumir riscos; ·Seja próativo; ·Exerça sua competitividade direcionada a resultados. E não se esqueça que um Empreendedor sempre: -Busca o Aprendizado Contínuo; -Capacidade de Organização, Planejamento e Monitoramento; -Disciplina e Comprometimento;

-Bons relacionamentos; -Conhecimento Técnico. Então, pegue a lista acima e: Avalie o seu resultado atual; Identifique claramente o que você quer; Estabeleça um Plano de Ação; E coloque este Plano realmente EM PRÁTICA! Entre as ações, não perca a oportunidade de participar de encontros, debates e palestras de seu Sindicato! Você tem aí um grande parceiro! Cara, tá na sua mão!!! *Magda de Paula é psicóloga e diretora executiva da Explain Institute, mestre em Gestão da Qualidade pela Faculdade de Engenharia Mecânica – Unicamp/SP, com especialização em Gestão da Qualidade Total pela Fieg/CNI/ Sebrae; lead assessor pela MCG Qualidade para ISO 9000 e ISO 14000 (Associada à Pe Batalas da Inglaterra), auditora para certificação ISO 9000 credenciada pelo Bureau Veritas Certification; executive coach formada pela Sociedade Brasileira de Coaching SBC/SP. Atua desde 1984 na área de Desenvolvimento de Pessoas, Liderança e Qualidade Total, tendo desenvolvido palestras, treinamentos e workshops em todo o Brasil.


VIVA MELHOR

10 dicas para viver com ENTUSIASMO Luiz Marins*

1.Afaste-se de pessoas e fatos negativos; Se você se deixar contaminar por pessoas e fatos negativos irá jogar para dentro de você toda a negatividade alheia. Você é responsável por

2.Acredite em você. Valorize suas ideias e intuições; Há pessoas que só valorizam as ideias alheias. Quantas ideias boas você já teve e que foram postas em prática por outras pessoas? Pense nisso!

tudo o que joga dentro de você e aquilo que você pensar fará seu modo de agir; 3.Não reclame. Não fale mal dos outros; Além de tudo, reclamar e falar mal dos outros não resolve a maioria

4.Ilumine bem sua casa e seu trabalho. Luz traz alegria; Conheço pessoas que trabalham e vivem em lugares mal iluminados, escuros. Ora, isso só pode trazer depressão. A escuridão traz depressão;

dos problemas. Falo de pessoas reclamonas que vivem a murmurar e a reclamar da vida e falar mal dos outros. Não caia nessa; 5.Tenha foco. Decida o que quer e concentre sua energia; Uma das principais razões do sucesso é o foco. Pessoas sem foco não podem ter sucesso. É preciso não perder tempo com coisas acidentais; 7.Comprometa-se! Participe! Faça mais do que os outros esperam;

6.Invista em você. Tenha uma atitude de aprender sempre; Viver é aprender. Velhice é quando uma pessoa perde o desejo de aprender. Conheço velhos de 20 anos e jovens de 90. O que vale é a cabeça. Se você deixar de querer aprender será um morto vivo; 8.Preste atenção aos detalhes. Um detalhe faz a diferença;

Pessoas pouco comprometidas não têm sucesso. É preciso participar,

Um detalhe pode salvar e um detalhe pode matar. Sem dar atenção

se comprometer com o sucesso das pessoas. É preciso andar o

aos detalhes vivemos como mulas sem cabeça sem prestar atenção

quilômetro extra, fazendo mais do que os outros esperam de você; 9.Cuide-se. Goste de você. Vista-se bem; Se eu não investir em mim perderei o direito de querer que outras pessoas invistam em mim. Eu devo investir em mim primeiro e responder pela minha imagem;

ao que fazemos e nossa qualidade de vida vai para o buraco; 10.Pare de chorar! Aja! Erre! Só não erra quem não faz! Não fazer é a melhor receita para não errar. Mais vale se sujar um pouco andando que morrer sentado, já dizia Lebret. Só as pessoas que agem podem construir um mundo melhor.

Luiz Marins, da Anthropos Consulting, é antropólogo, autor de vários livros e publicações, e parceiro tradicional do mercado brasileiro de seguros.

REVISTA

21


Divirta-se Nestes tempos de crise de energia, um grande shopping passou a racionar o uso de sua escada rolante. Um dia, uma loira daquelas bem dondocas e burrinhas vai lá fazer compras. No final da tarde ela se encontra com uma outra loira, tão intelectual quanto ela, para um happy hour.

Uma loira entra numa loja e vê uma coisa brilhante. O que é isso? - pergunta ela. - Uma garrafa térmica responde o vendedor.

- Menina, que demora! - Diz a perua, quando vê chegar a companheira, atrasadíssima. - Nem te conto, menina... - Responde a outra - Eu estava no meio da escada rolante do shopping quando, de repente, ela parou! - E você, o que fez? - Pergunta a oxigenada pontual. - Fiquei lá, parada, em pé, feito uma estátua, esperando a porcaria da escada rolante voltar a funcionar! A colega faz uma cara de surpresa. - Parada lá, em pé, por uma hora? Mas essa escada rolante não tinha degraus?

- E o que ela faz? pergunta ela. O vendedor explica: - Ela mantém frias as coisas frias e quentes as coisas quentes. A loira compra a garrafa térmica. No dia seguinte ela a leva para o trabalho. Seu chefe, estranhando esse objeto brilhante, pergunta - O que é? - Uma garrafa térmica - responde ela. - E o que faz? - pergunta o chefe. - Mantém quentes as coisas quentes e frias as coisas frias - responde a loira. O chefe pergunta: - E o que tem dentro? A loira, satisfeita, diz: - Duas xícaras de café e um suco gelado

- Tinha! - responde a outra. - Então, tolinha? Porque você não esperou sentada?

Um jovem executivo, daqueles bem yuppies, que passam por cima de qualquer um pra vencer, estava saindo do escritório quando vê o presidente da empresa em frente à máquina de picotar papéis, com um documento na mão. O jovenzinho corre, arruma a gravata, abre um sorriso falso que nem uma nota de trinta reais e oferece seus préstimos. - Por favor - diz o presidente - isto é muito importante! A minha secretária já saiu. Você sabe como funciona esta máquina? - Lógico! - responde o jovem executivo. Ele liga a máquina, enfia o documento e aperta um botão. - Excelente! Muito obrigado - agradece o presidente - Eu preciso só de uma cópia. Onde sai??

22 REVISTA


Feliz Aniversário! Abril 2 - SINHORINHO LEANDRO DE SOUSA 6 - ANA MARIA MARTINS DE OLIVEIRA ANDRADE 8 - REILA PATRICIA ESPERIDIAO MORENO 9 - ALESSANDRO DINIZ CARNEIRO 9 - HAILTON COSTA NEVES 13 - VANIA DAURA DA FONSECA 14 - DEMERSON GONCALVES DE MELO 15 - VINICIUS DE ARAUJO PORTO 15 - UEBESSON RIBEIRO DOS SANTOS 17 - ROMULO DA SILVA VARGAS RODRIGUES 19 - LEANDRO VIEIRA BASTOS 22 - GENILSE RODRIGUES BARBOSA 21 - OTAIR SANTANA FERNANDES 24 - AMAURY GONCALVES DA CUNHA

Maio 3 - HELOIZA MARIA CARVALHO E SILVA 4 - PAULO DE TARSO MONTEIRO RIOS 9 - IVAN RIBEIRO AMARINS 10 - LUIZ CARLOS HARTERY 13 - IRAEL PEREIRA JUNIOR 18 - ADELANA RIOS CAMPELO MORAES 19 - JOSE CARLOS DE QUEIROZ SILVERIO 19 - JOSE EDUARDO DE CARVALHO MAIA 20 - AGUIMARIO AUGUSTO DA SILVA 21 - MARCOS REZENDE SOUZA 23 - MARIA DE LOURDES MONCAO GOMES 24 - NADIR CLEMENTE DA SILVA ROCHA 25 - JOAO BARBOSA DA SILVA 29 - CRISTIANO DE OLIVEIRA ARAUJO 30 - MARCOS ANTONIO ROCHA CALVACANTI JUNIOR 31 - MILTON CARLOS MOHN 31 - JAIRO CIRILO AMARAL

Junho 1 - LUCIENE ALVES LEÃO 1 - GETÚLIO AIRES DA SILVA 2 - GETULINO OLIVEIRA NARCÍZO 6 - VALDEDI GOMES DOS SANTOS 7 - ELIANE MARIA CAIXETA 7 - FLÁVIO PEREIRA DOS SANTOS 7 - DEIVID PEREIRA 7 - ANGÉLICA BORGES ALVES MENEZES 9 - JASON DE MELO ABREU 9 - FLÁVIO SAULO FLORES 11 - DORIS MARTINS PEDRO DO NASCIMENTO 11 - CARLOS ANTONIO FESTA 12 - WEYNE DANTAS COELHO 14 - JUVAIR GONÇALVES FERREIRA 14 - OSWALDO ANTONIO MOREIRA 16 - TERESINHA ROSA TAVARES 17 - RENNER ARAÚJO FIDELIS 17 - NATANAEL PIRES DA SILVA 19 - ANTONIO SÉRGIO MEDEIROS 19 - CELSO BUENO DE OLIVEIRA 22 - WALDIVINO JOSÉ BORGES 22 - GESIEL FREITAS DA COSTA 24 - JOÃO HÉLIO BARROS SILVA 29 - OSMAR SILVA E SOUZA

REVISTA

23


O que mais um filho deseja de sua mãe é o amor e o que mais uma mãe deseja de seu filho é a felicidade!

Feliz Dia das Mães!

Uma homenagem

Revista SINCOR GOIÁS - Edição 74  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you