Page 1

.


Opinião

Aproveite a crise para planejar e mudar os rumos Um artigo publicado na Revista Caderno de Seguros, assinado por Bruno Kelly e Ligia Nascimento Cardoso, trata das perspectivas que corretores de seguros podem ter diante da crise e da insegurança quanto à manutenção do crescimento do setor nos próximos anos. Os especialistas destacam que o cenário é desafiador e que as oportunidades continuam a aparecer. O corretor, dizem eles, deve ficar atento. O texto aborda também a relação entre corretores e clientes, num tempo em que as margens de ganhos se estreitam, a crise atinge todo mundo e muitos questionam se o corretor de seguros é mesmo necessário. Eles apontam vários motivos para a perda de clientes, que vão desde as estruturas muito enxutas diante do crescimento do trabalho e o atendimento pouco personalizado e ineficiente. A opinião dos especialistas não está sozinha, visto que, como presidente do Sincor-ES, tenho manifestado, frequentemente, minha preocupação com os rumos da profissão e com a necessidade cada vez mais urgente dos corretores de seguros diversificarem suas áreas de atuação e se prepararem para enfrentar os desafios do mercado de seguros e da economia como um todo. Corretores de seguros, não canso de insistir, devem ser mais do que simples vendedores de apólices. Muitos corretores que querem vender a todo custo e quando ocorre um sinistro deixam que o cliente resolva tudo sozinho junto à seguradora. Essa atitude de alguns desqualifica o mercado como um todo, porque pode passar a falsa ideia de que “corretores de seguros não são necessários”. O Estudo Socioeconômico das Empresas Corretoras de Seguros, realizado pela Fenacor, em todo o território nacional, aponta que a carteira de automóvel – a de maior concentração de negócios – apresentam uma tendência à diminuição. Ao mesmo tempo, o estudo aponta que, das 1954 empresas, 78% acreditam ser muito importante vender outros produtos para os clientes já existentes como forma de superar os desafios econômicos e financeiros do país. Os dados do estudo parece apontar para um caminho que já vem sendo apontado mas que ainda parece não ter ganhado a adesão da maioria dos profissionais, visto que muitos insistem numa espécie de jogo “rouba monte”, ou seja, insistem no segmento de automóveis mesmo sabendo que ele não comporta mais volumes de negócios do que o já existente. Parece claro, então, que o caminho para continuar crescendo passa pela diversificação da carteira e investimento em outros segmentos como pessoas, que conta com pouca participação dos profissionais de corretagem. Mas, nesse momento, sou obrigado a levantar um outro desafio que não costuma ser muito abordado por diversos motivos. Trata-se da forte concorrência de bancos, financeiras e outras instituições que transformam os produtos de pessoas em “penduricalhos”, vendidos de forma casada com seus produtos. Não é novidade que os bancos na tentativa de bater metas cada vez mais audaciosas “empurram” seguros de vida e de acidentes pessoais goela abaixo dos clientes a cada vez que eles precisam de algum produto oferecido pelo banco. Além disso, temos as lojas de departamentos, verdadeiros fastfoods de seguros de todo tipo, inclusive, de automóveis. Podemos dizer que há ainda muito caminho a ser percorrido e o corretor de seguros ainda tem um universo amplo a ser explorado. Mas, isso não depende apenas dele, como não depende apenas das instituições que representam o mercado ou do governo, responsável por regular e fiscalizar. As mudanças dependem de ações conjuntas, de trabalho árduo, de seriedade na consolidação de uma cultura do seguros. Ainda há a ideia de que o seguro é caro ou de que não é serio. E, temos que admitir, o corretor sozinho pouco pode fazer em relação a isso. Temos algumas vitórias, como os vários projetos que tem sido apresentados e votados que tornam mais transparente a relação do seguro no mercado e, de certa forma, favorecem o corretor. Mas temos por outro lado associações comercializando seguro-pirata, seguradoras se aliando a bancos e driblando os corretores para que os clientes fecham os negócios no balcão e ajudem o gerente a bater metas. Obviamente, que as seguradoras que têm no corretor de seguros seu principal canal de vendas têm feito investimentos no sentido de tornar a atividade mais ágil e melhorar os canais de atendimento aos clientes. Em todo o país, são mais de 60 mil corretores de seguros pessoas físicas, mais de 33,5 mil empresas corretoras de seguros. E as seguradoras têm apostado na consultoria desses profissionais para o crescimento do mercado segurador brasileiro. Então, volto a dizer, o corretor de seguros deve estar preparado para esse novo momento em que deve reavaliar suas práticas e investir na profissão. De outro modo será muito difícil crescer, no máximo continuará disputando uma carteira estável com um grupo de profissionais que não para de crescer. A crise não é o momento de parar e lamentar; é o momento de planejar. Tenham todos uma boa leitura e lembrem-se: a união de uma categoria profissional faz a diferença na conquista de direitos e na melhoria das relações institucionais.

José Rômulo da Silva Presidente do Sincor-ES

2

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

EXPEDIENTE

SEDE PRÓPRIA Endereço:- Rua Frederico Lagassa, Nº 30 Conj. 509/512 - Edf. Scheila - Bairro Gurigica, Vitória, Espírito Santo Site: www.sincor-es.com.br E-mail: sincor-es@sincor-es.com.br Diretoria Presidente: José Rômulo da Silva 1º Vice-Presid.: José Alexandre Cid Pinto 2º Vice-Presid.: Leovigildo José Bello 1º Secretário: Renato Silva de Bittencourt 2º Secretário: Antonio Nelson B. Fortunato 1º Tesoureiro: Antonio José Alvarenga Imperial 2º Tesoureiro: Leonardo Souza Bergamini Diretor Social: Luiz Amaury Gontijo Dir. Marketing: Paulo Henrique Rocha Latado Dir. Informática: Jaime Balbino de Oliveira Dir.Rel.c/Merc.: Neudon de Almeida Valadão Suplentes Ana Júlia Merotto e Luiz Cláudio Firme Pina Conselho Fiscal Maria Angélica Batista, Luiz Carlos da Silva Porto e Rene Neves Farias Suplente Nicolau Marino Calabrez Delegados Representantes junto a Fenacor-Efetivos José Rômulo da Silva e José Alexandre C.Pinto Delegados Representantes junto a Fenacor-Suplentes Deusdete Mantovanelli e Santa de Luziê Laiber Oliveira Jornalista Marcilene Forechi Diagramação Ivo Tadeu Basilio Impressão GM Gráfica e Editora Ltda

Telefones para Contato SINCOR-ES Geral....................................... 2125-6666 ................................................ 2125-6667 Deptº Adm./Financ.................. 2125-6669 Cadastro Corretor................... 2125-6676 Atend. D.P.V.A.T..................... 2125-6674 Fax......................................... 2125-6672 Revista Sincor-ES.................. 2125-6671 Clube Vida em Grupo ............ 2125-6670 Empresas Coligadas CREDICORES....................... 3315-5027 ............................................... 3315-5028 FUNENSEG-ES..................... 2125-6673 ............................................... 2125-6683 ASSESSORIA JURÍDICA...... 2125-6675 (MOSCON E ASSOCIADOS ADVOCACIA)


Sumário

Índice 04 - Notícias 09 - Sala de visitas 10 - Roubo de veículos 12 - Qualificação 14 - Mercado 17 - Entrelinhas 18 - Social 19 - Artigo jurídico BILHETE DO PRESIDENTE

“Ah, essas mães!” (homenagem do Sincor-ES) Quando nos vem à mente uma figura de mãe, sempre surge acompanhada de um misto de divino e humano. É muito rara a pessoa que não se comova diante da lembrança de sua mãe. Meninos que abandonaram o lar por motivos variados e vivem nas ruas, quando evocam suas mães, uma onda de ternura lhes invade o ser. Por que será que as mães são essas criaturas tão especiais? Talvez seja porque elas têm o dom da renúncia... Uma mãe consegue abrir mão de seus interesses para atender esse serzinho indefeso e carente que carrega nos braços. Mas as mães também têm outras características muito especiais. Um coração de mãe é compassivo. A mãe sempre encontra um jeito de socorrer seu filho, mesmo quando a vigilância do pai é intensa. Ela alivia o castigo, esconde as traquinagens, defende, protege, arruma uns trocos a mais. Sim, uma mãe sempre tem algum dinheiro guardado, mesmo convivendo com extrema necessidade, quando se trata de socorrer um filho. Mães são excelentes guarda-costas. Estão sempre alertas para defender seu filho do coleguinha terrorista, que

quer puxar seu cabelo ou obrigá-lo a emprestar seu brinquedo predileto... Quando a criança tem um pesadelo no meio da noite e o medo apavora, é a mãe que corre para acudir. As mães são um pouco fadas, pois um abraço seu cura qualquer sofrimento e seu beijo é um santo remédio contra a dor... Para os filhos, mesmo crescidos, a oração de mãe continua tendo o poder de remover qualquer dificuldade, resolver qualquer problema, afastar qualquer mal. No entender dos filhos, as mães têm ligação direta com Deus, pois tudo o que elas pedem, Deus atende. O respeito às mães perdura até nos lugares de onde a esperança fugiu. Onde a polícia não entra, as mães têm livre acesso, ainda que seja para puxar a orelha do filho que se desviou do caminho reto. Até o filho bandido respeita sua mãe, e lhe reverencia a imagem quando ela já viajou para o outro lado da vida. Existem mães que são verdadeiras escultoras. Sabem retirar da pedra bruta que lhe chega aos braços a mais perfeita escultura, trabalhando com o cinzel do amor e o cadinho da ternura. Ah, essas mães! Ao mesmo tempo em que têm

algo de fadas, também têm algo de bruxas... Elas adivinham coisas a respeito de seus filhos, que eles desejam esconder de si mesmos. Sabem quando querem fugir dos compromissos, inventam desculpas e tentam enganar com suas falsas histórias... É que os filhos se esquecem de que viveram nove meses no ventre de suas mães, e por isso elas os conhecem tão bem. Ah, essas mães! Mães são essas criaturas especiais, que Deus dotou com um pouco de cada virtude, para atender as criaturas, não menos especiais, que são as crianças. As mães adivinham que a sua missão é a mais importante da face da Terra, pois é em seus braços que Deus deposita Suas jóias, para que fiquem ainda mais brilhantes. Talvez seja por essa razão que Deus dotou as mães com sensibilidade e valentia, coragem e resignação, renúncia e ousadia, afeto e firmeza. Todas essas são forças para que cumpram a grande missão de ser mãe. E ser mãe significa ser cocriadora com Deus, e ter a oportunidade de construir um mundo melhor com essas pedras preciosas chamadas filhos...

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

3


Notícias

Sindicato reúne corretoras para prestar esclarecimentos

Responsáveis técnicos de 33 empresas corretoras de seguros associadas foram convidados pelo presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, para uma reunião de esclarecimento sobre o teor de um e-mail encaminhado pela corretora de seguros Josinete Maria de Vasconcelos, responsável técnica da JMV Corretora de Seguros. Participaram da reunião, no dia 31 de março, além do presidente, diretores do sindicato e o consultor jurídico. Apenas duas das 33 empresas confirmaram presença.

De acordo com o presidente José Romulo, Josinete “resolveu insuflar um pequeno grupo de profissionais” contra a campanha ‘Auto em Ação’, desenvolvida por uma seguradora. O problema, segundo José Romulo, não foi o questionamento à ação da seguradora e, sim, a forma desrespeitosa com que a responsável técnica se refere ao Sincor-ES no e-mail que distribuiu. Entre outras coisas, ela diz que o Sincor-ES só serve para atender as necessidades das seguradoras. “Espanta-me uma profis-

sional que não participa da vida sindical fazer esse tipo de afirmação, irresponsável, caluniosa e desrespeitosa. A profissional, provavelmente, nunca viu um sindicato para corretores por não participar e não saber o que ocorre neste sindicato”, afirmou José Romulo. O presidente disse lamentar o fato, principalmente, por esta mesma corretora já ter procurado o Sincor-ES para relatar problemas e ser prontamente recebida e acolhida em sua demanda. “Eu sempre digo que o pior cego é aquele que não quer ver. Nossa preocupação é com toda a categoria e, por isso, nossas ações beneficiam a todos, sejam eles associados ou não. O que o sindicato não faz é porque não compete a ele fazer”, esclareceu. O presidente lembra que os corretores têm o direito de escolher trabalhar com as seguradoras que lhes oferecem condições melhores para colocação de seus riscos. Também por parte das seguradoras, elas podem decidir suas estratégias comerciais e oferecer benefícios aos profissionais que atuam de forma fiel e que as procuram apenas quando os riscos foram negados em outras companhias. José Romulo dá algumas sugestões aos profissionais: “Unam-se e tomem uma posição, parem de operar com seguradoras que não lhes dão valor aceitando o fato de serem pequenas e atuarem de forma mais localizada. Outra sugestão é que passem a operar com poucas seguradoras, pois assim terão melhores condições de negociar. Não fiquem procurando empresas que não os reconhecem como parceiros”.

Recadastramento de corretores começa em maio O recadastramento de corretores de seguros pessoa física deve começar no dia 2 de maio e prosseguir até o dia 31 de agosto deste ano. Já as empresas corretoras de seguros serão recadastradas de 1º de novembro de 2017 a 31 de abril de 2018. O calendário foi divulgado após a Superintendência de Seguros Privados (Susep) assinar o Acordo de Cooperação Técnico Operacional para implementação, em parceria, do Plano de Trabalho

4

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

para o Recadastramento dos Corretores de Seguros e Distribuição de suas Identidades Profissionais. O acordo foi assinado pelo superintendente da Susep, Joaquim Mendanha de Ataídes, e o presidente do Ibracor, Gumercindo Rocha Filho. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, destaca que o corretor de seguros responsável técnico pela empresa corretora de seguros dever estar recadastrado como pessoa física antes do

twitter.com/sincores

recadastramento da empresa. José Romulo lembra que o recadastramento é uma reivindicação dos corretores de seguros, por meio dos sindicatos e da Fenacor. “A retomada do recadastramento dos corretores de seguros vai permitir que tenhamos uma dimensão real do mercado de corretagem no Brasil”, afirma. As identidades profissionais serão liberadas para os profissionais que fizerem o recadastramento.


Notícias

Presidente do Sincor-ES participa de encontro em SP

O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, participou, de 3 a 5 de abril, do “1º Encontro de Líderes do Mercado de Seguros”, na cidade de São Paulo, a convite da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor) e da direção da Bradesco Seguros. Dentre os temas abordados no evento, José Romulo destaca aquele que tratou da economia do ano de 2016, incluindo o setor de seguros. José Romulo diz que, diante do que foi exposto, tem motivos para acreditar que o ano de 2017 será de muitos desafios e que o mercado de seguros no Brasil ainda tem muito potencial para crescer. Esses desafios, segundo

Susep defende união para combater seguro-pirata O superintendente da Susep, Joaquim Mendanha, diz estar dando prioridade, desde que assumiu o cargo, ao encaminhamento dos processos contra o mercado marginal ao Ministério Público Federal. Mas, o superintendente destaca que a Susep tem limitações jurídicas e, por isso, é importante o empenho do mercado no combate ao seguro-pirata. Mendanha afirmou que pretende discutir com o presidente da Fenacor, Armando Vergílio, e com o presidente da CNseg, Márcio Coriolano, um enfrentamento conjunto do problema, de forma a proteger o consumidor e o mercado de seguros como um todo. Esse empenho sugerido por Joaquim Mendanha já pode ser observado nas ações do Sincor-ES há alguns anos. Para o presidente José Romulo da

Silva, o seguro-pirata pode ser considerado uma praga que traz sérios problemas para os corretores de seguros. Durante os últimos anos, José Romulo já encaminhou várias denúncias que acarretaram o encerramento da atividade de mais de trinta associações que vendem seguro-pirata. Ele destaca, no entanto, que não tem feito o encaminhamento das denúncias à Susep. “Temos como norma não fazer qualquer encaminhamento de denúncias à Susep, pois, como disse o superintendente, a autarquia tem limitações. Ao tomarmos conhecimento da prática ilegal, juntamos o máximo de documentos e, por meio do nosso Jurídico, encaminhamos as denúncias diretamente ao Ministério Público Federal, à Delegacia de Defesa do Consumidor e à Polícia Federal”, afirma.

o presidente pôde perceber, não estão relacionados apenas ao mercado mas a atitudes dos próprios profissionais. “Deve haver uma atitude proativa de levar ao cliente o que ele precisa, oferecendo segurança e possibilidades de planejar o futuro”, afirmou. Durante o período em que esteve em São Paulo, José Romulo teve ainda a oportunidade de conhecer as novas instalações da Bradesco Seguros, visita que foi acompanhada pelo diretor da companhia Leonardo Pereira de Freitas.

Falecimento O Sincor-ES comunica com pesar o falecimento do corretor de seguros Salvador Silva, ocorrido no 10 de abril. O corpo foi sepultado no Cemitério Jardim da Paz, em Laranjeiras, no município de Serra.

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

5


Notícias

Sincor-ES participa de campanha contra acidentes de trânsito

O Sincor-ES foi convidado mais uma vez a participar da campanha Maio Amarelo, promovida no Espírito Santo pelo Detran-ES, e que tem como objetivo chamar a atenção para a necessidade de um trânsito mais humano e para a redução de acidentes. O sindicato irá oferecer os laços amarelos (símbolo da campanha) para seus funcionários e propor às seguradoras parceiras que iluminem suas fachadas com a cor amarela. O “Maio Amarelo” é um movimento internacional de mobilização e conscien-

tização para a redução de acidentes e para um trânsito seguro em qualquer situação. Em todo o mundo, diversas instituições participam da campanha, desde organizações da sociedade civil até órgãos governamentais e empresas. A cor amarela, no trânsito, é a cor que pede atenção. Levada para a campanha faz o apelo a toda a sociedade para que tenha mais atenção ao trânsito. Foi no dia 11 de maio de 2011 que a ONU decretou a Década de Ações para a Segurança no Trânsito (20112020), que tem como meta a redução de 50% dos acidentes no Brasil e no mundo. No Brasil, o número de mortes no trânsito é de aproximadamente 23 por 100 mil habitantes. Também em maio é realizada, desde 2013, a Semana Mundial de Segurança do Pedestre. Até o encaminhamento desta edição para impressão, haviam aceitado o convite do Sincor-ES para participar do Maio Amarelo as parceiras: Banestes Seguros, Bradesco Seguros, HDI Seguros, sucursal de Vitória e da região Norte/Noroeste e Porto Seguro Seguradora.

Segurado autoriza débito, mas banco cancela seguro A situação é comum: o cliente procura o corretor de seguros para renovar seu seguro ou contratar uma nova apólice. Até o fechamento do negócio, o processo corre sem qualquer dificuldade, mas quando o segurado entra em contato com banco para autorizar o débito automático das parcelas, o pagamento é cancelado. No atendimento das instituições bancárias, a alegação quase sempre é a mesma: “erro no sistema”. Há casos em que o cliente foi até a agência bancária e autorizou pessoalmente o

6

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

débito na conta. Mas, no dia previsto para o pagamento a operação não se concretizou porque o banco devolveu a cobrança. O presidente do Sincor-ES acredita que essa dificuldade se deve ao fato de bancos serem também donos de seguradoras e empresas corretoras de seguros. “O que ocorre é uma relação em que o banco parece forçar uma situação que leve o segurado a contratar o produto a preços menores dentro da agência. É uma prática que vemos todos os dias”, diz ele.

twitter.com/sincores

Devolução

Os corretores de seguros que estão recebendo uma cobrança extrajudicial da seguradora Mutual não devem devolver as comissões recebidas dessa companhia. A recomendação foi feita pelo Sincor-ES com base em parecer elaborado por seus advogados. Segundo o presidente do sindicato, José Romulo, há normas da Susep e do Código Civil que dispõem sobre a devolução das comissões em caso de cancelamento do seguro, mas esse não é o caso da Mutual. Os seguros foram cancelados por que a empresa entrou em liquidação extrajudicial e não por iniciativa do cliente ou responsabilidade do corretor de seguros.

Dependentes

A Receita Federal anunciou que pessoas com mais de 12 anos, declaradas como dependentes no Imposto de Renda de Pessoa Física, precisarão estar registradas no Cadastro de Pessoa Física (CPF). A exigência valia apenas para dependentes maiores de 14 anos. A tendência é que, em alguns anos, todas as pessoas declaradas como dependentes no Imposto de Renda precisem ter número de CPF.

Beneficiários

O mercado de saúde suplementar contabilizou 69,9 milhões de beneficiários em dezembro de 2016, com redução de 1,7% na comparação com dezembro de 2015. Os planos de assistência médica totalizaram 47,9 milhões de beneficiários (68,5% do mercado) e tiveram retração de 3,1%. Nos últimos meses de 2016, o setor de saúde suplementar perdeu 1,5 milhão de beneficiários de planos de assistência médica. Vale ressaltar que nos planos de assistência médica, o resultado demonstra que o ritmo de desaceleração permanece estável, considerando que a taxa de variação foi de 3,1% nos últimos doze meses terminados em dezembro de 2016 comparando-se a taxa de -3,1% no igual período terminado em setembro de 2016.


Notícias

Começa Campanha do Agasalho 2017 temos algo a doar a nossos irmãos menos favorecidos merecem estar aquecidos nos dias frios. A campanha sempre conta com muitas adesões”, afirma. As doações podem ser novas ou usadas, desde que em bom estado. Neste ano, são parceiras do Sincor-ES na campanha com postos de recolhimento das doações, as seguintes seguradoras: Banestes Seguros, Bradesco Seguros, HDI Seguros (Vitória e Colatina), Icatu Seguros e Porto Seguro Seguradora. Além disso, as doações podem ser entregues na sede do Sincor-ES, que fica na avenida Leitão da Silva. No dia 20 de março, o presidente do Sincor-ES recebeu doações de uma pessoa não ligada ao mercado de seguros e que, sabendo da campanha por meio do site do sindicato, fez questão de colaborar, tornando-se o primeiro doador de 2017.

Começou a Campanha do Agasalho 2017 e as doações podem ser entregues na sede do sindicato ou nos postos de recolhimento instalados nas sedes das sucursais das seguradoras parceiras. O objetivo da campanha é arrecadar agasalhos e cobertores que serão distribuídos para ins-

tituições cadastradas no Sincor-ES e outros beneficiários indicados por associados ou pelas parceiras. A campanha é realizada todos os anos e o presidente José Romulo diz que se trata de uma ação que faz parte da tradição do sindicato. “Costumo dizer que sempre

Corretora comemora 25 anos

A Inelta Corretora de Seguros, empresa associada ao Sincor-ES, comemorou seu jubileu de prata no mês de março. A empresa, sediada na cidade de Guaçuí, no Sul do Estado, tem como sócio-gerente o corretor de seguros Iran Cardoso Soares. O evento de aniversário de 25 anos contou com a presença de representantes da Banestes Seguros e da Allianz Seguros.

Onde levar as doações

Banestes Seguros; Bradesco Seguros; HDI Seguros em Vitória e em Colatina; Icatu Seguros; Porto Seguro Seguradora; Sincor-ES.

Ragi corretora de seguros reúne colaboradores

No dia 3 de abril, a Maximus Ragi Corretora de Seguros promoveu uma palestra e treinamento sobre seguro saúde para seus colaboradores. O evento, antecedido por café da manhã, ocorreu no Auditório Pedro de Paula Pinto, na sede do Sincor-ES. A Ragi é uma corretora de seguros associada ao Sincor-ES.

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

7


Notícias

CVG-ES faz reunião mensal

A diretoria do CVG-ES fez sua reunião mensal no dia 6 de abril, na sede da HDI Seguros, uma das mantenedoras do Clube e que ofereceu o café da manhã aos presentes. As reuniões do CVG-ES são realizadas em locais diferentes, a depender de qual mantenedora irá oferecer o café da manhã. As mantenedoras que não possuem espaço para reuniões marcam o encontro em um café que possa acomodar todos

os presentes. Neste mês de abril, a reunião deveria ter acontecido na sede da Porto Seguro, o que não pode ocorrer devido a uma viagem da gerente da seguradora. A reunião foi conduzida pelo diretor-presidente da instituição, Antônio Santa Catarina. A pauta foi diversificada e envolveu desde a programação de cursos e palestras até as últimas movimentações do mercado e que são de interesse dos mantenedores e profissionais do seguro.

Envelhecimento Vitória está entre as dez melhores cidades do país para envelhecer, segundo um estudo elaborado pelo Instituto de Longevidade da Mongeral Aegon, que avaliou aspectos como custo de vida e lugares para vivência. Já entre as capitais, Vitória é a 3ª melhor do país. A pesquisa foi desenvolvida em parceria com a Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-Eaesp). Vitória – que aparece na 9ª colocação – é a única cidade do Estado a figurar entre as 10 melhores. Entre as capitais,Vitória perde apenas para Florianópolis (SC) e Porto Alegre-(RS). A primeira cidade da lista é Santos, em São Paulo, seguida de Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS).

Hora de se planejar para os eventos de 2017 O Sincor-ES já começou a executar a sua programação de eventos para o ano de 2017 e o presidente José Romulo pede aos associados que fiquem atentos à divulgação de datas e condições de participação. Este ano não será realizado o Encontro de Congraçamento nas Montanhas, em função da baixa procura. Após o lançamento, em janeiro, apenas 31 acomodações, das 234 disponibilizadas, haviam sido reservadas. As palestras mensais, realizadas em parceria com o CVG-ES e patrocínio da Escola Nacional de Seguros, são divulgadas no Sincor on Line e por meio de mensagem eletrônica encaminhada a todos os associados. O mesmo ocorre com outros eventos, como treinamentos, solenidades, apresentação de produtos por seguradoras. Dois eventos importantes do mercado de seguros capixaba e que já se tornaram tradição são a Feijoada do Club Gourmet Sincor-ES e a Festa de Encerramento das Atividades do Mercado, ambas realizadas pelo Sincor-ES em parceria com seguradoras e instituições do mercado. Confira informações sobre os dois eventos e marque na sua agenda.

8

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

Os eventos que vêm por aí Feijoada do Club Gourmet e Feijoada do Dia dos Pais – Já foi

fechado o contrato com o Cerimonial Oásis, no bairro Santa Lúcia, em Vitória, para a realização do evento, que deve reunir mais de 300 pessoas no dia 20 de agosto. Como ocorre todos os anos, as camisas-convite são oferecidas aos corretores associados e às seguradoras parceiras, que poderão distribuí-las entre seus colaboradores desde que associados ao Sincor-ES.

Festa de Encerramento das Atividades do Mercado de Seguros Capixaba – Diante da satisfação dos participantes – conferida por

pesquisa feita pelo Sincor-ES – a festa continuará a ser realizada no Cerimonial Le Buffet, em Jardim Camburi. O evento, que reúne mais de 600 pessoas, será realizado em dezembro, em data a ser confirmada em breve. Este ano, a banda Trilha vai animar os participantes com músicas para dançar e se divertir. Cada associado terá direito a um convite, desde que esteja em dia com suas contribuições sindicais e poderá adquirir mais um. Os detalhes serão informados em breve por meio de mensagem eletrônica aos associados e parceiros.

twitter.com/sincores


Sala de visitas

Visita de dirigentes do CVG-RJ

O presidente do Sincor-ES recebeu, no dia 18 de abril, a visita de Marcelo Teixeira de Hollanda e Carlos Ivo de J. Gonçalves, respectivamente presidente e vice-presidente do CVG-RJ. Na oportunidade, os executivos estavam acompanhados dopresidente do CVG-ES, Antonio Santa Catarina, e do diretor do Sincor-ES Luiz Amaury Gontijo. A visita reforçou os laços de amizade entre as Instituições e seus repectivos dirigentes.

Visita de cortesia e negócios

A diretora da MetLife Seguradora Denise Carvalho visitou o presidente José Romulo da Silva, no dia 30 de março, acompanhada da gerente da sucursal Vitória, Josmara Campos. Eles conversaram sobre a possibilidade de retomarem a parceria já existente entre o sindicato e a seguradora e sobre o mercado capixaba.

Parceria para atender vítimas de acidentes

O presidente do Sincor-ES recebeu, no dia 6 de abril, a visita do médico fisiatra Marcio Margotto Cotta, pai do piloto capixaba Guido Cotta, que desenvolve um projeto social visando a reabilitação de vítimas de acidentes de trânsito. O atendimento às vítimas de acidentes ocorre na Clínica SIM. (Serviço de Inclusão em Medicina Física e Reabilitação), que fica localizada no município de Serra, região Metropolitana de Vitória. A nova parceria permitirá o atendimento às vitimas e beneficiárias do Seguro DPVAT.

Seguro viagem e remuneração

O gestor Nacional – Corretores da Affinity Seguro Viagem/Sompo visitou o presidente José Romulo no dia 17 de abril para tratar de assuntos diversos, entre eles capacitação de corretores para a comercialização de seguro viagem. Também foi discutido com o presidente José Romulo da Silva uma forma de remuneração diferenciada para corretores de seguros que comercializarem o produto.

Diretores do Sincor-ES e CVG-ES visitam vice-presidente

Após a palestra do dia 11 de abril, nas dependencias do Hotel Bourbon, diretores do Sincor-ES e do CVG-ES visitaram o vice-presidente do Sincor-ES, Leovigildo José Bello, que se recupera de enfermidade. Também esteve presente sua esposa e corretora de seguros associada ao sindicato Glória Duze Simonetti Bello. Na oportunidade, eles puderam conversar descontraidamente, relembrando fatos do passado não só de suas vidas pessoais como também do Sincor-ES desde sua fundação.

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

9


Roubo de veículos

Aumento no roubo de veículos no ES em pauta

Preocupado com o aumento no número de carros roubados e furtados no Espírito Santo durante o aquartelamento da Polícia Militar, em fevereiro, o presidente José Romulo convidou o delegado-adjunto da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, Erico Mangaravite, para participar de uma reunião na sede do Sincor-ES, no dia 30 de março. Foram convidados a participar executivos de seguradoras parceiras, dire-

tores do sindicato e o assessor jurídico, Elias Moscon. O delegado expôs a situação, falou dos números e das medidas que vêm sendo tomadas pelo Governo do Estado para diminuir o número de roubos e furtos. Ele também respondeu às perguntas feitas pelos presentes. O presidente José Romulo diz que o aumento do número de roubos e furtos de veículos é um elemento que impacta o mer-

cado de seguros e atinge diretamente os corretores de seguros que têm no seguro de automóveis sua maior carteira de clientes. Também estiveram presentes à reunião, o diretor Regional RJ/ES da Tokio Marine, Antonio Carlos Melo Costa, o representante da CNseg, Ricardo Tavares Pereira (prevenção e combate à fraude), e o gerente Auditor Técnico da SulAmérica Seguros, Anderson Mendonça.

Índices alarmantes no aumento de veículos roubados na Grande ROUBO DE VEÍCULOS CPOM - REGISTROS 2016/2017

ROUBO DE VEÍCULOS CPOM - 2017

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

FURTO DE VEÍCULOS CPOM – MARÇO/2017

FURTO DE VEÍCULOS CPOM – MARÇO/2017

ROUBO DE VEÍCULOS CPOM – MARÇO/2017

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

FURTO DE VEÍCULOS BAIRROS COM MAIOR NÚMERO DE REGISTROS 2017 (JANEIRO A MARÇO)

ROUBO DE VEÍCULOS CPOM

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

FURTO E ROUBO DE VEÍCULOS E VEÍCU MÊS A MÊS 2017 (JANEIR 906

268

283

332

322

Jan

Fev Furto

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

10

www.sincor-es.com.br

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

Roubo


Roubo de veículos

Comandante do CPOM-PMES fala sobre segurança pública na sede do Sincor-ES

O coronel falou, entre outras coisas, sobre o grande prejuízo causado à população capixaba e ao mercado de seguros com a onda de violência, roubo de veículos e saques a lojas. Ele iniciou sua exposição mostrando dados sobre o Espírito Santo, como divisão em regiões, população e efetivo da Polícia Militar. De acordo com os dados, o Espírito Santo conta hoje com uma população de 3,9 milhões, o que representa um crescimento de mais de 40% nas últimas décadas.

A convite do presidente do Sincor-ES, o comandante do Policiamento Ostensivo Metropolitano (CPOM) da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo, coronel Alexandre Ramalho, fez uma palestra sobre segurança pública e roubo de veículos, além de abordar o aquartelamento dos policiais no mês de fevereiro. O encontro ocorreu no Auditório Pedro de Paula Pinto, no dia 12 de abril, e reuniu diretores do sindicato, e representantes de seguradoras parceiras e do Sindiseg-RJ/ES.

Ramalho destacou o número do efetivo da polícia e como funciona a organização dos comandos. A PM, segundo ele, trabalha com eixos estruturantes divididos da seguinte forma: repressão qualificada, planejamento, integração, coordenação e ostensividade. Após apresentar dados indicativos de criminalidade, principalmente, roubo de veículo, o coronel encerrou sua apresentação, que foi precedida de café da manhã, e se colocou à disposição para responder às perguntas dos presentes.

e Vitória, apresentados pelo Cel Ramalho durante a sua palestra ROUBO DE VEÍCULOS BAIRROS COM MAIOR NÚMERO DE REGISTROS 2017 (JANEIRO A MARÇO)

– MARÇO/2017

VITORIA JARDIM DA PENHA

267 34

CARIACICA CAMPO GRANDE

FURTO DE VEÍCULOS CPOM - REGISTROS 2016/2017

405 49

JARDIM CAMBURI

33

VILA CAPIXABA

26

PRAIA DO CANTO

27

CARIACICA SEDE

19

SANTA LUCIA

23

JARDIM AMERICA

17

JUCUTUQUARA VILA VELHA

22

SANTA BARBARA

16

445

GUARAPARI

70

BARRA DO JUCU

27

CENTRO

12

PRAIA DE ITAPARICA

22

PRAIA DO MORRO

7

ITAPOA

21

ZONA RURAL

7

PONTA DA FRUTA

21

MUQUICABA

7

COBILANDIA

21

ITAPEBUSSU

4

SERRA

708

BAIRRO DAS LARANJEIRAS

VIANA

56

MARCILIO DE NORONHA

11

PARQUE RESIDENCIAL LARANJEIRAS

52

VILA BETHANIA

10

JARDIM LIMOEIRO

39

UNIVERSAL

7

ENSEADA DE JACARAIPE

35

CANAA

4

NOVO HORIZONTE

28

PIAPITANGUI

4

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

57

FURTO DE VEÍCULOS CPOM - 2017

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

Fonte dos dados primários: BI_CAD /E-cops Elaboração: CPOM/PMES

ULOS RECUPERADOS - CPOM RO A MARÇO)

570

516

335

103

Mar Recuperados

Fonte: Relatório de Abordagens COPOM Elaboração: CPOM/PMES

Fonte: Relatório de Abordagens COPOM Elaboração: CPOM/PMES

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

11


Qualificação

A longevidade e o envelhecimento da sociedade

A longevidade e o envelhecimento da sociedade foram abordados pelo presidente da FenaPrevi e vice-presidente da CNseg, Edson Franco, durante a palestra Radiografia da Economia e do Sistema Previdenciário Brasileiro. O evento ocorreu no dia 28 de março, na cidade do Rio de Janeiro, e foi promovi-

12

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

do pelo CVG-RJ. O presidente do CVG-ES, Antonio Santa Catarina, participou da palestra. Em sua abordagem, Franco destacou o aumento na expectativa de vida em 7,5 anos, ocorrido entre 1993 e 2013. Como consequência do envelhecimento, temos, segundo ele, aumento dos

twitter.com/sincores

gastos com saúde. Ele ainda destacou que a reforma da previdência proposta pelo governo federal, para ser duradoura e eficaz, deve se estruturar sobre quatro pilares: PILAR 01: Renda básica dos idosos com situação socioeconômica comprovadamente desfavorecida. Trata-se de um tipo de beneficio assistencial não relacionado a contribuições e financiado por impostos; PILAR 02: Parte das contribuições dos indivíduos e das empresas deve ser acumulada em contas individuais, em regime de capitalização, enquanto outra parte deve direcionada para a cobertura aos eventos de morte prematura e invalidez; PILAR 03: Similar ao INSS, a nova previdência deve ter uma característica de redistribuição de renda financiada por contribuições de indivíduos e das empresas e gerar uma renda de aposentadoria em sistema de repartição; PILAR 04: Previdência complementar voluntária, empresarial ou individual, no formato dos PGBL E VGBL, ou a criação de entidades fechadas de previdência complementar;


Qualificação

Segredos para sua corretora crescer

“Vendas – O segredo para sua corretora crescer” foi o tema da primeira palestra do ano, realizada no dia 12 de abril, pelo Sincor-ES em parceria com o CVG-ES e patrocínio da Escola Nacional de Seguros. O tema foi desenvolvido pelo professor Andre Gustavo de Paula Fonseca, que abordou um novo método de vendas, chamado de Método Pacto. Segundo ele, o método envolve quatro ações – planejar, agir, checar, transformar e otimizar –, que abrangem os períodos de pré-venda, de venda e do pós-venda. O planejamento pode ser considerada a etapa mais importante, pois ela envolve fazer um diagnóstico inicial do que o profissional deseja para ele e para sua empresa. Essa etapa envolve definir objetivos futuros, avaliar o seu presente e definir o lugar onde deseja chegar. Uma vez feito o planejamento, parte-se para a ação, que é o momento em que ocorre, de fato, a abordagem do cliente utilizando-se de técnicas de vendas diversas. Checar, a terceira ação do método, é uma espécie de continuidade da anterior: ou seja, você vende o produto e continua acompanhando o cliente nas necessidades dele.

A etapa transformar é aquele momento em que a observação se volta para o mercado e para os indicadores. A última etapa, otimizar, envolve planejar novos contatos com o cliente, novas abordagens e novas vendas. “Crie um PACTO de oferecer sempre o melhor ao seu cliente e ele será seu cliente para sempre”, é que diz o professor. André Gustavo de Paula Fonseca é economista, graduado pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com MBA na FGV e especialização na George W. University, nos Estados Unidos da América. Ele possui mais de 20 anos de experiência como executivo de grandes empresas, liderando e desenvolvendo equipes com mais de 300 profissionais. É professor de pós-graduação na FGV, Escola Nacional de Seguros e Senac. As palestra oferecidas pelo Sincor-ES são realizadas mensalmente gratuitamente para corretores de seguros associados e mantenedores do CVG-ES. A única exigência é que a inscrição seja feita com antecedência. Os 40 primeiros inscritos têm direito a participar do almoço após a palestra, no Hotel Bourbon (antigo Bristol Century Plaza), na Praia de Camburi.

Dificuldades

O presidente da FenaPrevi e vice-presidente da CNseg, Edson Franco, disse que há dificuldade em encontrar corretores de seguros que se dediquem a comercializar seguros de vida, destacando que apenas 5% dos profissionais cadastrados na Susep se dedicam a este segmento. Segundo ele, um produto que terá preferência em futuro próximo é o Universal Life, seguro de vida que mescla acumulação e recursos para o futuro e indenização para a família. A liberação, no entanto, ainda depende de adequação, pois existe conflito tributário entre o produto de sobrevivência e do risco.

Biblioteca

A edição de número cinco (novembro/2016) da “Revista Jurídica de Seguros” foi adquirida recentemente pela Biblioteca de Seguros, que funciona na sede do Sincor-ES. Essa e outras publicações estão disponíveis para consultas e empréstimos aos associados e outros profissionais do mercado. Faça uma visita e conheça o acervo e as condições de uso e empréstimo.

Endereço

A partir deste mês de abril, a Superintendência Regional do Trabalho no Espírito Santo passa a funcionar em novo endereço: na Reta da Penha, nº 555, em frente ao Centro da Praia Shopping. O órgão vai funcionar nesse endereço até o término da reforma no prédio definitivo, que fica na Rua Vinte e Três de Maio, no Centro de Vitória.

Inscrições abertas para palestra de maio “Técnica de vendas: construindo a sua” é o tema da segunda palestra que o Sincor-ES, com patrocínio da Escola Nacional de Seguros, e apoio do CVG-ES, realiza no dia 9 de maio, no auditório do Hotel Bourbon (antigo Bristol Century Plaza), na Praia de Camburi, em Vitória. O evento terá como

palestrante o professor André Ricardo de Sá Cuenca. Para participar, é preciso enviar e-mail para dagmar@sincor-es.com.br. Os primeiros 40 inscritos receberão uma senha para almoçar no local do evento. Os participantes que doarem um quilo de alimento não perecível irão participar de

sorteio de brindes. André Ricardo de Sá Cuenca é graduado em Comunicação Social pela Universidade do Estado da Bahia, com habilitação em Relações Públicas. É professor da Escola, consultor independente e palestrante nas áreas de Educação Financeira e Vendas.

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

13


Mercado

Justiça Federal acolhe pleito do Sincor-ES e publica edital de intimação Conheçam o Edital da Justiça Federal na integra- Processo:- 000176805.2017.4.02.5001) Ação Civil Coletiva Réu:- União Federal e outros.

14

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Foco nos seguros de vida e previdência A venda de automóveis vem sofrendo queda nos últimos meses e o mercado de seguros A “Fenabrave aponta uma queda de 40% na venda de veículos Zero quilômetro, ou seja, o Mercado de Seguros incluindo-se aí o Corretor de Seguros, não pode e nem deve depender exclusivamente da comercialização de Seguro Auto. Rivaldo fez uma breve análise do atual momento do mercado e disse que, além da queda na venda de veiculo, acontece uma mudança de comportamento. As pessoas não se preocupam mais em ter seu próprio veiculo, alertou. A Seguradora em questão, tem se preparado para oferecer uma série de novos produtos, visando ajudar os Corretores de Seguros a não ficarem reféns do Seguro Auto, devendo como dissemos anteriormente, que o profissional da área de corretagem deve olhar para o mercado de Vida e Previdência, dentre outros, produtos inclusive que geram fidelidade dos clientes/segurados. Finalizando sua fala, Rivaldo acrescentou: A Porto Seguro cresceu muito graças aos Corretores de Seguros. Queremos continuar valorizando estes profissionais, que são nosso maior canal de distribuição, sendo responsáveis por cerca de 97% de nossas vendas.


Mercado

Investimento em novos corretores

A Porto Seguro realiza diversas ações para os corretores em início de carreira com o objetivo de contribuir para o seu desenvolvimento profissional e para mantê-los informados sobre os produtos e novidades da empresa. Um exemplo disso é a Escola de Corretores da Porto Seguro, em funcionamento desde 2012 e que disponibiliza diversos cursos e treinamentos presenciais e a distância. De acordo com o Diretor Geral de Produção da Porto Seguro, Rivaldo Leite, a plataforma é intuitiva e de fácil navegação. Além disto, oferece mais de 100 vídeos e 40 cursos online para os corretores. “O mercado segurador está em constante evolução e, para acompanhar as mudanças, é importante que os corretores se mantenham atualizados sobre os produtos e novidades”, explica. Para ter acesso ao conteúdo dos cursos é preciso que o corretor faça o seu cadastro através do portal www.

portoseguroeducacao.com.br. A partir daí, ele passa a visualizar os treinamentos oferecidos pela escola e tem acesso irrestrito aos materiais disponíveis. Rivaldo diz ainda que, além do portal da Escola de Corretores, a Porto Seguro tem diversos programas, sempre com o objetivo de ser um apoio para o desenvolvimento do profissional. A Porto Seguro também realiza diversas outras ações para os corretores que estão iniciando sua carreira. Segundo Rivaldo, a companhia participa das oficinas de formação na Escola Nacional de Seguros, interagindo com os corretores recém-formados e apresentando seus produtos e serviços. Corretores cadastrados na seguradora também têm a oportunidade de participar do “Bem-Vindo Corretor”, um encontro realizado mensalmente para apresentar os benefícios de se trabalhar com a Porto Seguro. Fonte: CQCS, por Juliana Leite, em 11/04/2017.

Seguro de vida fácil de contratar

A Tokio Marine lançou um seguro de vida individual, que se diferencia das opções disponíveis no mercado pela customização, na medida em que oferece opções personalizadas de coberturas para homens, mulheres e público sênior, e pela ampla gama de serviços oferecidos aos segurados. O produto conta com coberturas específicas para doenças graves, diagnósticos de câncer, diárias para internação (quarto e UTI) e as assistências, além das coberturas tradicionais de morte e invalidez. O diretor executivo de Produtos Massificados da companhia, Marcelo Goldman, diz que o seguro pode ser usufruído pelos segurados em vida, com o enfoque na qualidade em vida. “Trata-se de um lançamento em linha com nossa meta de ser uma seguradora que oferece soluções para todas as necessidades de nossos clientes em todas as etapas de suas vidas”, explica. Os clientes poderão contar ainda com benefícios como o Aplicativo

Vida Saudável, que fornece o suporte de profissionais especializados para o cuidado com o corpo e a alimentação; o Farma Assist, serviço de conveniência que oferece praticidade e economia por meio do uso de farmácias conveniadas; a Rede de Descontos, em que parceiros garantem vantagens exclusivas; e a Assistência Funeral Familiar para o titular, cônjuge e filhos. As opções de produtos são customizadas de acordo com o perfil de cada pessoa e sua finalização é feita por telefone com a realização da teleentrevista. O produto também permite a realização da cotação por meio da seleção das coberturas e capitais desejados ou simplesmente por meio da informação do valor de pagamento mensal desejado pelo cliente. Nessa última opção, o próprio sistema fará a adequação das coberturas do seguro. A proposta é transmitida eletronicamente e envio do kit da apólice é realizado por e-mail.

Refinanciamento

A Receita Federal publicou, no dia 1º de fevereiro deste ano, a regulamentação e as datas para adesão ao Programa de Regularização Tributária do governo, conhecido como REFIS. Pessoas Físicas também poderão usufruir do parcelamento de débitos. O prazo para parcelamento de dívidas tributárias e previdenciárias por pessoas físicas, empresas e órgãos públicos se estende até o dia 31 de maio de 2017 e não prevê perdão de multas e juros. A medida foi desenhada como forma de dar alívio a grandes empresas com dificuldades de caixa em razão da crise econômica e para reforçar os cofres públicos, contribuindo para fechar as contas este ano. A expectativa do secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, é de arrecadar cerca de R$ 10 bilhões.

Mulheres

Segundo o relatório “Mulheres no Trânsito”, da Seguradora Líder-DPVAT, as mulheres responderam por apenas 25% das indenizações pagas por acidentes em 2015, contra 75% dos homens. Já os dados do Denatran mostram que apenas 11% dos acidentes de trânsito são provocados por mulheres. Os números refletem características como maior cautela e prudência. Além de estarem em vantagem em relação à segurança no trânsito, as mulheres são mais atentas quando o assunto é a manutenção do automóvel e costumam seguir corretamente o agendamento das revisões determinadas pelas montadoras.

Irreguladidade

A Comissão de Estudos Tributários da OAB-ES faz um alerta sobre a irregularidade da realização de Blitz com a finalidade de apreender veículos com atraso no pagamento do IPVA. Para exigir o pagamento do tributo, é possível recorrer a outras formas de cobrança sem precisar ofender o direito à propriedade. O cidadão lesado tem direito de buscar a liberação de seu bem junto ao Poder Judiciário.

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

15


Mercado

Projeto de lei prevê multa a bancos

O Projeto de Lei PLS 33/2017, da senadora Rose de Freitas, do PMDB capixaba, prevê multa para bancos que incluírem clientes em suas promoções – venda de produtos de seguros, por exemplo – sem autorização. Conforme reportagem publicada no site da Agência Senado, no dia 3 de março, o texto prevê a proteção dos consumidores contra dívidas causadas por produtos que não foram solicitados por eles. A prática da “empurrologia” é muito comum dentro das agências bancárias. Muitas vezes, o cliente é informado mas não são passadas a ele todas as informações sobre o produto, que poderiam garantir uma compra consciente. “Os clientes são muitas vezes induzidos a comprar um produto que não precisam. Essa prática só é boa para os bancos”, afirma o presidente do Sincor-ES

José Romulo da Silva. A prática de cobrar do cliente o prêmio de um seguro sem que tenha sido solicitado por ele á é considerada ilegal e vedada pelo Código de Defesa do Consumidor. José Romulo lembra que o consumidor que pagar por produto ou serviço não solicitado deve receber o que pagou em dobro, podendo ainda pleitear indenização por danos morais na Justiça. O consumidor deve estar atento às condições de vendas e não se deixar levar pelo preço baixo ou comodidade. A contratação de um seguro deve ser feita através de um corretor de seguro que irá oferecer a ele condições de acordo com suas necessidades. “O cliente tem que saber que o seu gerente quer cumprir metas comerciais e não atendê-lo. Quem atende é o corretor de seguros”.

Mais projetos em tramitação na Câmara - Proposta que obriga hospital a encaminhar pacientes a outras unidades – Em análise na Câmara, o Projeto de Lei 5706/16 do deputado Hildo Rocha, obriga o serviço social das unidades privadas de saúde a encaminhar o paciente que não puder ser atendido para outros hospitais. Pelo texto, o atendimento prestado e todo o processo envolvido em seu encaminhamento deverão ser registrados em relatório a ser arquivado no serviço social do hospital, sob sigilo profissional. Na avaliação do deputado, é de extrema relevância haver estruturas que se responsabilizem por assegurar que os pacientes sejam encaminhados de forma adequada a serviços que tenham condições para prestar-lhes o atendimento necessário. - Seguradora deve informar recusa de contrato em 48 horas – A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou proposta que obriga as seguradoras a informar o motivo da recusa na contratação do seguro, no prazo máximo de 48 horas. O prazo começara a ser contado a partir do prazo solicitado pela seguradora para avaliação da proposta de seguro. A medida está prevista no Projeto de Lei 5541/16, do deputado Rômulo Gouveia. A informação

Residencial

Dados divulgados pela Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) mostram que a porcentagem de domicílios com seguro residencial cresceu no último ano. Enquanto em 2015 eram 12,3% do total, no ano seguinte 2016, saltou para 14,5%. Isso significa um aumento em torno de 800 mil novas apólices. Em 2016, foram comercializadas 9,9 milhões de apólices ante 0,1 milhão no período anterior. O total de domicílios nos dois períodos permaneceu em 68 milhões de unidades, e conforme projeções da entidade, o valor em prêmios será 10% maior em 2017.

Artificial

Robôs ocupando postos de trabalho que antes pertenciam a humanos. Isto não é ficção; é uma realidade que chegou ao mercado de seguros no início de 2017 na seguradora Japonesa Fukoku Mutual Life. A empresa está substituindo 34 de seus funcionários humanos por robôs. O sistema de inteligência artificial será usado para funções como pesquisa de histórico médico de pacientes, ajudando no cálculo de indenizações de seus segurados. A seguradora prevê que a medida causará aumento em 30% de sua produtividade.

deverá ser prestada por escrito ao segurado, sendo permitido o envio da mensagem para endereço eletrônico comprovadamente fornecido pelo contratante. - Proteção ao direito de segurado em caso de falência da seguradora – Tramita na Câmara o Projeto de Lei Complementar 220/16, da Comissão de Defesa do Consumidor, que protege os direitos dos segurados de planos operados pelas seguradoras, operadoras de planos previdenciários e sociedades de capitalização. O objetivo da proposta é fortalecer o segmento financeiro, com a possibilidade de redução ou eliminação do impacto financeiro para o consumidor no caso de falência da empresa seguradora. A proteção, pela proposta, é feita pela afetação de uma parte do patrimônio das empresas, ou seja, da separação de parte dos bens que a seguradora tenha, exclusivamente, para quitar eventuais obrigações com os segurados. A Susep, ainda de acordo com o texto, será responsável por definir qual parte do patrimônio da seguradora irá garantir recursos para indenizar os segurados. Ela também irá estabelecer regras de contabilização para não confundir esse patrimônio e outros das seguradoras. - Cobertura de automóvel – A comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou proposta que obriga as seguradoras a cobrirem as despesas com danos em veículo segurado, mesmo que este tenha sido transferido para outra pessoa sem comunicação prévia. A iniciativa, que está prevista no Projeto de Lei 1012/11, do deputado Geraldo Resende (PMDB-MS), exime a seguradora dessa obrigação se, em função da transferência, tiver sido agravado o risco de acidentes ou se for comprovada má-fé do segurado ou do comprador. A proposta ainda será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Finanças e Tributação (inclusive quanto ao mérito); de Constituição e Justiça; e de Cidadania.

16

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Confiança

O setor de seguros voltou a acreditar na recuperação da economia brasileira. Pesquisa da Fenacor aponta que as seguradoras, os corretores e as resseguradoras têm boas expectativas para o semestre. Depois de quatro meses consecutivos em queda, o Índice de Confiança do Setor de Seguros (ICSS) voltou a subir, marcando 105,5 pontos em janeiro de 2017. Para o presidente da Fenacor, Armando Vergílio, esse resultado é fruto da percepção do mercado de que a economia começa a dar sinais de recuperação e que o setor de seguros tem, mais uma vez, a chance de superar expectativas e colaborar com a retomada do crescimento.


Entrelinhas

Ética: sentidos diversos ou palavra vazia? Por Marcilene Forechi * Já parou para pensar no sentido da palavra ética? Esse é o convite que faço, mas não se trata de pensar numa abordagem teórica, do tipo que rende artigo acadêmico e publicação em revistas conceituadas. Trata-se de pensar que, mesmo sendo uma palavra de uso corriqueiro em nossas vidas, dedicamos pouco – ou nenhum tempo – para refletir e promover alguma discussão sobre o assunto. O filósofo e professor da Universidade de São Paulo (USP), Clóvis de Barros Filho, diz que há mais ou menos 30 anos, ética era uma palavra que integrava o repertório de professores de filosofia. De lá pra cá, a palavra transbordou os muros das universidades e chegou às nossas casas, ao nosso cotidiano e às nossas vidas, trazida pelos meios de comunicação, principalmente. A ética, atualmente, faz parte da agenda pública e isso pode nos fazer pensar que seu significado é compartilhado por todos. De um lado, se a ética invade os espaços públicos e privados e se torna assunto corriqueiro, podemos supor que estamos caminhando rumo a uma sociedade melhor, a convivências mais harmônicas e justas, uma vez que são éticas. Por outro lado, o uso indiscriminado da palavra, e destituído de significados, pode levar – e eu acredito que isso já está ocorrendo – ao seu esvaziamento. Então, ética pode significar qualquer coisa e igualmente servir para qualquer coisa. Ética, lembra o professor Clovis de Barros Filho, é uma palavra invocada para se referir a decisões importantes que temos que tomar ao longo da vida. Invocamos a ética para tomar decisões quando nos encontramos frente a um dilema, que só nos oferece duas possibilidades como resposta. Ao tomar decisões, lançamos mão de códigos de referência que são aprendidos e incorporados ao longo da vida. São esses códigos que nos permitem localizar um modo de agir e uma forma de pensar. Esses códigos não são fixos, apesar de acreditarmos que sim, e nos são fornecidos pela família, pela escola, pela forma de governo, pela comunidade.

Para os gregos, ética era sinônimo de felicidade. Ser ético era fazer aquilo que levasse o indivíduo ao pleno desenvolvimento de seus talentos. Ser ético era viver a plenitude da vida, era encontrar o lugar que lhe cabia no Cosmos. Nos dias de hoje, ética está relacionada a condutas e modos de ver o mundo. No meio empresarial – e pessoal também – a ética deixou de ser uma avaliação da vida (como propunham os gregos) e passou a ser a avaliação de uma conduta, cujo valor não está mais na conduta em si, mas no resultado que ela provoca. Essa é uma ideia disseminada fortemente no meio empresarial, principalmente em áreas nas quais a competitividade e a corrida pelo alcance de metas é uma espécie de termômetro para o sucesso. Na perspectiva da ética baseada na consequência de uma conduta, o que importa não é a satisfação do cliente ou a sua satisfação individual. O que importa é se o seu trabalho resultou em lucros, em números, em aumento de produtividade. No mundo do capital isso é chamado de “ética de resultado” e pode ser resumida da seguinte forma: se você vendeu muito, o resultado foi bom; logo, a sua conduta foi boa. Ocorre que o mundo é mais complexo e parece não caber no binarismo bom-ruim. Entre o bom e o ruim há sutilezas que envolvem o momento

que vivemos e a pessoa que somos. Do pensamento grego aos dias atuais, as referências para os nossos modos de ser e estar deixaram de ser inscritas no Cosmos e passaram a ser fixadas de forma artificial e de modo temporário. Passamos a tomar decisões a partir de critérios não estabelecidos de modo universal, mas fixados em valores compartilhados pela sociedade em dado momento e contexto histórico. Então, pensar em ética é pensar sobre os sentidos e valores que compartilhamos. Serão esses valores que nos darão os códigos para tomar decisões e para, posteriormente, avaliá-las como boas ou ruins. São esses códigos também que nos levam a considerar ou ignorar o outro no momento em que tomamos decisões. *Jornalista, mestre em Educação e Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Produz conteúdo e presta consultoria na elaboração de projetos de comunicação, educação corporativa e relacionamentos profissionais. Ministra cursos e palestras voltados para o aperfeiçoamento pessoal e profissional, redação criativa, mídias sociais e comunicação organizacional. E-mail: marcileneforechi@terra.com.br

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

17


Social

CVG-SP tem novo presidente

O Clube Vida em Grupo de São Paulo (CVG-SP) tem novo presidente. Em fevereiro, Silas Kasahaya tomou posse para a gestão 2017-2018, tendo como foco de seu mandato a comunicação e a formação profissional. O produto Universal Life

e previdência privada também entrarão entre as preocupações da nova direção. Durante a cerimonia de posse, Kasahaya deixou registrado que irá divulgar as ações do CVG-SP visando atrair jovens do mercado, esclarecendo que a entidade pretende aumentar presença nas mídias sociais. A formação profissional, presencial e a distancia também deverão ser reforçadas. Alguns outros pontos devem marcar a nova gestão, como a discussão do produto Universal Life e a reforma da previdência. O universal Life é um plano de acululação (tipo PGBL ou VGBL) junto com um seguro de vida. O principal ponto é que se trata de um produto resgatável e está sendo aguardado ansiosamente pelo mercado.

Diácono permanente

O corretor de seguros Pedro Chrisostomo da Trindade foi ordenado Diácono Permanente da Paróquia São Francisco de Assis, em celebração eucarística presidida pelo arcebispo Dom Luiz Mancilha Vilela, no dia 21 de abril, na Catedral Metropolitana de Vitória. Os Diáconos Permanentes são homens casados ou celibatários, que, chamados para seguir Jesus Cristo Servidor, recebem o Sacramento da Ordem do Diaconato através da imposição das mãos do Bispo.

Por Boris Narjack

Giro pelo mercado Sincor-PA – Realiza no dia 11 de maio, o Ciclo de Palestras 2017 e a solenidade de comemoração aos 30 anos do sindicato. Os eventos ocorrerão no Espaço Usina, na cidade de Belém, sendo que o ciclo de palestras tem início às 15h30 e a solenidade de comemoração será às 20h. Sincor-PR – Realiza o 8º Simpósio Paranaense de Seguros, de 17 a 19 de maio, no Espaço Torres, em Curitiba. Congresso de Corretores de Seguros do Nordeste – A segunda edição do evento será nos dias 8 e 9 de junho, no Hotel Summervillie, em Porto de Galinhas, Pernambuco. Sincor-MS – Pelos próximos quatro anos, o Sincor-MS será comandado pelo corretor de seguros Arnol Lemos Filho, eleito presidente da entidade no dia 15 de fevereiro deste ano. Ele substitui Pedro Bonacina.

Novo comandante no 1º Batalhão da PMES O 1º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo tem novo comando: o tenente-coronel José Augusto Piccoli de Almeida, que assumiu o cargo no dia 11 de abril, às 16 horas. A troca de comando foi presidida pelo subcomandante-geral da corporação, e contou com a presença do comandante do CPOM, coronel Alexandre Ramalho. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, e o diretor-presidente do CVG-ES, Antonio Santa Catarina, prestigiaram a solenidade, além dos amigos, Luiz Carlos da Silva Porto e Celso Muniz.

18

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Artigo jurídico

“Qual o prazo que o segurado têm para reclamar uma negativa?” Art. 206. Prescreve: § 1º Em um ano: (...) II - a pretensão do segurado contra o segurador, ou a deste contra aquele, contado o prazo: a) para o segurado, no caso de seguro de responsabilidade civil, da data em que é citado para responder à ação de indenização proposta pelo terceiro prejudicado, ou da data que a este indeniza, com a anuência do segurador;

O segurado e o beneficiário possuem um determinado tempo para reclamar um sinistro ou a negativa, e quando eles não exercem o seu direito dentro de um determinado prazo previsto em lei, em virtude da inercia, ocorre a prescrição. A prescrição é o fenômeno que extingue a pretensão que segurado ou o beneficiário, possa exercer contra seguradora, tanto na esfera administrativa como judicial. O artigo 189 do Código Civil dispõe o seguinte:

“Art. 189 – Violado o direito, nasce para o titular a pretensão, a qual se extingue, pela prescrição, nos prazos a que aludem os artigos 205 e 206”. O prazo prescricional a que se sujeita o segurado para exigir da seguradora o cumprimento do contrato de seguros é de um ano, contado de formas diferentes. No caso de seguro de responsabilidade civil, o prazo prescricional pode ser contado de duas formas diferentes, ambas prevista na alínea “a” do inciso II do artigo 206 do Código Civil:

A primeira hipótese, é quando o segurado é citado para responder uma ação de responsabilidade civil movida pela vítima do dano, recebendo a citação o segurado tem o prazo de um ano para comunicar a seguradora a existência do processo judicial, facultando a ela o direito de intervir no processo, se assim desejar. A segunda hipótese, é quando o processo chega ao fim e o segurado efetua o pagamento da indenização, feito o pagamento, o segurado tem um ano para exercer sua pretensão de reembolso em face da seguradora. Nos demais seguros, o prazo prescricional de um ano é contado a partir da ciência do fato gerador da pretensão, conforme disposto na alínea “b” do inciso II do artigo 206 do Código Civil:

Art. 206. Prescreve: § 1º Em um ano: (...) II - a pretensão do segurado contra o segurador, ou a deste contra aquele, contado o prazo: (...) b) quanto aos demais seguros, da ciência do fato gerador da pretensão;

*Por Elias Moscon

A ciência do fato gerador da pretensão pode variar, dependendo do ramo de seguro e circunstancias. No seguro automóvel, o fato gerador da pretensão do segurado em exercer o seu direito inicia-se a partir do acidente, onde o segurado tem o prazo de um ano para requerer que a seguradora conserte ou indenize os prejuízos causados no veículo segurado. Já no seguro de pessoas, quando a cobertura pretendida pelo segurado de invalidez, seja por doença ou acidente, o prazo para iniciar a contagem da prescrição é a data em que o segurado teve ciência inequívoca da sua incapacidade. Em todos os casos, o aviso de sinistro é causa suspensiva da prescrição, ou seja, feito o aviso, o prazo prescricional é suspenso, voltando a contar novamente, somente após ciência do segurado da decisão da seguradora. Quanto ao beneficiário, especialmente naqueles casos de seguro de vida, o prazo para exercer o direito de pleitear a indenização em decorrência da morte do segurado é de 03 anos, assim como, no caso de terceiro prejudicado, que possui direito de receber indenização prevista no seguro de responsabilidade civil obrigatório. O tema, prazo prescricional, é de grande importância para o corretor de seguros, pois, cabe a ele orientar os seus clientes quanto ao prazo que eles possuem para exercer o direito junto a seguradora. A ausência de conhecimento ou uma orientação errônea, pode atrair para o corretor de seguros responsabilidades desnecessárias, pois ele legalmente tem a obrigação de prestar ao seu cliente todos os esclarecimentos que possam influir nos resultados de sua incumbência.

Artigo elaborado por Elias Moscon, Assessor Jurídico SINCOR-ES, Professor da Escola Nacional de Seguros (Unidade-Vitória/ES) e advogado especialista em direito do seguro sócio do escritório Moscon Advogados, e-mail: eliasmoscon@moscon. adv.br; site: www.moscon.adv.br.

Revista Sincor-ES

.

ABRIL 2017

19


20

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Revista Sincor-ES nº 235 Abril 2017  

Sincor-ES, Seguradoras Parceiras, Policia Civil e Militar, irão se unir no combate ao roubo de veículos no Espírito Santo.

Revista Sincor-ES nº 235 Abril 2017  

Sincor-ES, Seguradoras Parceiras, Policia Civil e Militar, irão se unir no combate ao roubo de veículos no Espírito Santo.

Advertisement