Page 1

.


OPINIÃO

Para quem trabalha a Susep? Esse espaço chamado Opinião da Revista Sincor-ES tem sido usado, todos os meses, para tratar de algum assunto específico considerado importante para a categoria e o mercado de seguros. Nesta edição de setembro, quero tratar de dois assuntos que, num primeiro momento podem parecer bastante distintos, mas que, acredito, remetem à atuação do corretor de seguros do mercado e sua importância para o sucesso dos negócios nesse segmento econômico e social. Temos acompanhado pelo noticiário especializado que a Susep tem tomado providências contra as associações de proteção veicular, e que nós nomeamos “seguradoras piratas”. A mais recente notícia que tivemos conhecimento, nos chegou às mãos por meio de um e-mail proveniente do Clube das Luluzinhas. No material constatamos as providências adotadas pela autarquia do Governo Federal, publicadas no Diário Oficial da União do dia 25 de agosto. Informa a Susep que foram feitas várias intimações às seguradoras piratas e aplicadas multas tanto às instituições quanto aos seus dirigentes. O texto informa ainda que as representações foram feitas sem que se pudesse localizar o endereço das empresas-associações e que as guias de recolhimento das multas deveriam ser retiradas ser retirados na sede da Susep. A medida tem a pretensão de ser eficiente, uma vez que prevê que, o não recolhimento das multas no prazo de 60 dias, acarretará a inclusão na dívida ativa da União. Não posso deixar, diante do exposto, de tecer dois comentários: o primeiro é que considero louvável que a Susep tenha tomado alguma medida contra a ação das seguradoras piratas; o segundo comentário é que considero absolutamente inócua a medida adotada. Vejam bem: as instituições foram multadas e devem buscar a guia para pagamento na sede da Susep. Se a Susep não conseguiu localizar o endereço das instituições para enviar essa guia, conseguirá fazer com que as mesmas sejam retiradas e pagas? Tenho motivos para duvidar. Após a publicação no Diário Oficial da União, teria a Susep um levantamento sobre quantas associações a procuraram dispostas a pagar as multas? Ou quantas se prontificaram a encerrar suas atividades? Ou ainda, quantas estão preocupadas com a inclusão de seus nomes na dívida ativa, uma vez que já houve casos de atividades encerradas e iniciadas logo em seguida com novo CNPJ, sem que a Susep tivesse qualquer controle sobre a movimentação? Gostaríamos de acreditar que a Susep tem boas respostas para nos dar, mas não nutrimos esperanças. Tudo nos leva a crer que se trata de um jogo, um espetáculo para “inglês ver”, algo como jogar para a plateia, afinal, nenhuma medida, de fato, foi tomada. Perguntamos: por que a Susep não fez como o Sincor-ES e ingressou com ações junto à Polícia Federal e Ministério Público Federal contra as associações. Fizemos isso e conseguimos provocar o encerramento das atividades de cerca de 30 associações, sendo as ações encaminhadas à Justiça Federal, inclusive, contra os sócios. Nessas ações, eles foram obrigados a firmar acordo de que não mais operar em qualquer outra época no segmento. Não acreditamos que, com boa vontade, as associações irão decidir encerrar suas atividades por estarem atuando à margem da lei. Elas só irão deixar de operar como piratas no mercado, mediante ações sérias e eficazes, por meio de determinação judicial. Parece brincadeira, a Susep acreditar que alguma das que operam fora da lei irão buscar seus boletos e pagar suas multas. Causa-me espanto um órgão ligado ao Ministério da Fazenda, agira de forma tão amadora diante de uma situação tão séria e sobre a qual lhe compete a fiscalização e a regulação. Se nós, sindicato, conseguimos êxito nas nossas ações, por que não conseguiria a Susep? Só posso crer que falta vontade política de atuar com mais rigor contra as piratas. Aplicar multas que nunca serão pagas não se constitui em medida eficaz contra as irregularidades do mercado. Parece-me mais um deboche com os corretores de seguros e com os consumidores dos produtos, os mais prejudicados com a situação. O segundo assunto a ser tratado aqui nesse editorial diz respeito ao recadastramento dos corretores de seguros, que era realizado pela Susep a cada dois anos e que deixou de ser feito, na gestão de Luciano Portal Santanna, a partir do momento em que a autarquia rompeu a parceria existente com os sindicatos de corretores. Sob o risco de estarmos fazendo “chover no molhado”, temos alguns motivos para insistir nesse assunto. Vejamos: 1. Antes da obrigatoriedade de registro para os corretores de Vida, Capitalização e Previdência, os registros eram solicitados pelas companhias seguradoras e os profissionais eram credenciados diretamente por elas. Bastava comercializar os produtos para obter o registro, sem fazer o curso de corretores de seguros, que hoje é obrigatório para a conquista do registro. 2. Corretores responsáveis por empresas corretoras, que vieram a falecer, não tiveram solicitados os cancelamentos de seus registros como pessoa física, o que leva as empresas a atuarem no mercado de forma irregular, sem um corretor de seguros que seja responsável por elas. 3. Determina a Circular Susep 429 de 15/02/2012, em sua seção IV-Artigo 10, que o corretor pessoa física e as sociedades corretoras de seguros deverão manter atualizadas suas informações cadastrais perante a Susep, encaminhando por meio digital o formulário próprio e a documentação pertinente, observando-se os prazos contados a partir da data das ocorrências. Ocorre que isso não tem sido feito, conforme pudemos comprovar por meio de correspondências devolvidas pelos Correios em função de inexistência do destinatário ou insuficiência de endereço. 4. Outra questão, muito grave, por sinal, que decorre do fim do recadastramento é a diminuição do recolhimento do imposto sindical. Como não há exigência por parte da Susep de manter esse imposto atualizado, muitos não pagam e as seguradoras não exigem comprovante de quitação para pagamento de comissões. Você pode estar perguntando qual a relação entre o primeiro e o segundo assunto. E eu digo que a relação encontra-se no descaso da Susep com o profissional corretor de seguros, único agente legalmente autorizado a comercializar apólices de seguros. Ora, se a Susep não se empenha em acabar com o comércio ilegal de seguros, se não promove o cadastramento e o recadastramento periódico dos profissionais e se não exige que eles mantenham suas contribuições (imposto sindical) em dia, podemos supor que ela não se importante com o mercado. Então, a pergunta se resume a isso: para que e para quem existe a Susep?

José Romulo da Silva Presidente do Sincor-ES

2

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

EXPEDIENTE

SEDE PRÓPRIA Endereço:- Rua Frederico Lagassa, Nº 30 Conj. 509/512 - Edf. Scheila - Bairro Gurigica, Vitória, Espírito Santo Site: www.sincor-es.com.br E-mail: sincor-es@sincor-es.com.br Diretoria Presidente: José Romulo da Silva 1º Vice-Presid.: José Alexandre Cid Pinto 2º Vice-Presid.: Leovigildo José Bello 1º Secretário: Renato Silva de Bittencourt 2º Secretário: Antonio Nelson B. Fortunato 1º Tesoureiro: Antonio José Alvarenga Imperial 2º Tesoureiro: Leonardo Souza Bergamini Diretor Social: Luiz Amaury Gontijo Dir. Marketing: Paulo Henrique Rocha Latado Dir. Informática: Jaime Balbino de Oliveira Dir.Rel.c/Merc.: Neudon de Almeida Valadão Suplentes Ana Julia Merotto e Luiz Cláudio Firme Pina Conselho Fiscal Maria Angélica Batista, Luiz Carlos da Silva Porto e Rene Neves Farias Suplente Nicolau Marino Calabrez Delegados Representantes junto a Fenacor-Efetivos José Romulo da Silva e José Alexandre C.Pinto Delegados Representantes junto a Fenacor-Suplentes Deusdete Mantovanelli e Santa de Luziê Laiber Oliveira Jornalista Marcilene Forechi Diagramação Ivo Tadeu Basilio Impressão GM Gráfica e Editora Ltda

Telefones para Contato SINCOR-ES Geral....................................... 2125-6666 ................................................ 2125-6667 Deptº Adm./Financ.................. 2125-6669 Cadastro Corretor................... 2125-6676 Atend. D.P.V.A.T..................... 2125-6674 Fax......................................... 2125-6672 Revista Sincor-ES.................. 2125-6671 Clube Vida em Grupo ............ 2125-6670 Empresas Coligadas CREDICORES....................... 3315-5027 ............................................... 3315-5028 FUNENSEG-ES..................... 2125-6673 ............................................... 2125-6683 ASSESSORIA JURÍDICA...... 2125-6675 (MOSCON E ASSOCIADOS ADVOCACIA)


SUMÁRIO

04

Notícias

10

20º Encontro do Mercado de Seguros Capixaba

12

Qualificação

14

Mercado

17

Entrelinhas

18 19

Social Artigo

BILHETE DO PRESIDENTE

“Educação: A arte de formar caracteres” A prática e as pesquisas realizadas por psicólogos demonstram a necessidade de se repensar a questão da educação dos filhos. Depois que as experiências provaram que o método do autoritarismo, aplicado por nossos pais, estava ultrapassado e de certa forma foi ineficiente, optou-se por outro método menos eficaz e até danoso: o da liberdade sem responsabilidade. Considerada por alguns psicólogos como prejudicial ao desenvolvimento sadio da criança, a palavra não foi banida do vocabulário de muitos pais, que hoje amargam profundamente a total falta de controle sobre a prole. Sem examinar a questão com mais cuidado, os pais modernos aceitaram a filosofia do tudo pode, não levando em conta a necessidade de se estabelecer limites para que haja harmonia dentro do lar. Depois de perder o controle da situação, muitos apelaram para outro método desastroso: o da barganha.

Impotentes diante da teimosia dos filhos, criados sem as normas básicas de disciplina, os pais se perdem nos labirintos das compensações, em que tudo é negociado. Se é hora de ir para a cama e o filho não obedece, a mãe logo lança mão de algum motivo para a negociata: Se for dormir a mamãe deixa você jogar aquela fita de “game” violenta, de que tanto gosta. Nesse caso, bastaria que a mãe, consciente da sua missão de educadora, tomasse seu filho pela mão e o conduzisse com carinho e firmeza para a cama. Ou, ainda, se é hora do banho e o anjinho faz corpo mole, a mãe logo faz outro trato, esquecendo-se de que quanto mais se negocia com a criança, mais ela exigirá para cumprir sua obrigação. Alguns psicólogos defendem a volta do autoritarismo na educação dos filhos, mas isso já ficou provado que não dá bons resultados. Seria domesticação ao invés de educação. Considerando-se que a educação é a arte de formar caracteres, temos de convir que a barganha somente servirá para deformar os caracteres dos nossos educandos. Ademais, se levarmos em conta que nossos filhos são Espíritos encarnados que vêm do espaço para progredir, trazendo em si mesmos as experiências de outras existências, boas ou não, entenderemos

que a grande missão dos pais é conhecer-lhes a intimidade e ajudá-los a caminhar para Deus. Nossos filhos são seres inteligentes, que não aceitam somente um não como resposta. Eles merecem e precisam de uma explicação coerente. Não falamos de justificativas, mas de diálogo. Se existe um horário para dormir, se é preciso tomar banho, se não podemos comprar este ou aquele brinquedo, a criança tem o direito de saber porquê. Dizendo, por exemplo, que não compramos o brinquedo que ela tanto queria porque o orçamento não comporta, ela entenderá, ao passo que se dissermos um não somente, ela ficará revoltada, pensando que não compramos por má vontade. Tudo isso requer muito investimento, que não quer dizer perda de tempo, como muitos pais afirmam. Investimento de tempo, paciência, afeto e carinho. A tarefa não é tão difícil e certamente é mais eficaz. * * * Santo Agostinho fez a seguinte advertência em O Evangelho segundo o Espiritismo: Lembrai-vos de que a cada pai e a cada mãe perguntará Deus: que fizestes do filho confiado à vossa guarda? Se por culpa vossa ele se conservou atrasado, tereis como castigo vê-lo entre os Espíritos sofredores, quando de vós dependia que fosse ditoso.

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

3


NOTÍCIAS

Processos do DPVAT de janeiro a agosto de 2016 Como ocorre mensalmente, o Sincor-ES apresenta um balanço dos atendimentos gratuitos prestados às vítimas de acidentes de trânsito e beneficiários do Seguro DPVAT, na sede da instituição e por meio de corretores de seguros parceiros. Esta prestação de contas, que também é encaminhada à Seguradora Líder e à Centauro-ON, serve para mostrar a importância e seriedade do trabalho desenvolvido pelo sindicato. O presidente José Romulo da Silva destaca que essa importância se dá em função da oferta de um serviço gratuito e que livra os beneficiários da ação de atravessadores. “Não temos como afirmar

com exatidão, mas acreditamos que o nosso trabalho de divulgar e encaminhar os processos deixa um número menor de pessoas à mercê de inescrupulosos, que ficam com parte do dinheiro que deveria ser recebido pelas vítimas”, afirma. De janeiro a agosto deste ano, foram gerados 1.061 processos do Seguro DPVAT por meio dos atendimentos prestados pelo Sincor-ES, totalizando R$ 4.453.637,33 em indenizações pagas. Desse total, R$ 1.742.185,11 foram pagos em indenizações por morte. O mês de julho foi o que registrou o maior número de pagamentos: R$ 729.702,32

POR MORTE-R$

POR INVALIDEZ-R$

POR DAMS-R$

JANEIRO

116

185.625,00 (16)

339.718,61 (73)

21.469,26 (27)

546.812,87

114

290.250,00 (27)

213.069,97 (54)

23.602,45 (33)

526.922,42

MARÇO

108

194.544,64 (22)

194.576,85 (55)

24.428,23 (31)

413.549,72

ABRIL

63

126.677,31 (11)

114.405,73 (30)

16.854,80 (22)

257.937,84

MAIO

123

175.177,28 (22)

274.142,43 (66)

18.095,54 (35)

467.415,50

JUNHO

142

292.245,59 (26)

341.874,70 (74)

24.036,41 (42)

658.156,70 729.702,32

JULHO

178

319.488,52 (33)

386.751,34 (99)

23.462,46 (46)

AGOSTO

217

343.801,77 (32)

469.968,61 (128)

39.369,83 (57)

853.140,21

TOTAL

1.061

1.742.185,11

2.334.508,44

191.318,98

4.453.637,33

O presidente do Sincor-ES, visitou no dia 30 de agosto, o comando do Batalhão de Trânsito (BPRV) da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo. Na ocasião, ele manteve conversas com os oficiais: tenente-coronel Rodi, major Bongestab e major Scotá. Na oportunidade, José Romulo da Silva, entregou ao comandante do BPRV material alusivo à atividade do Batalhão e ao trabalho gratuito realizado pelo Sincor-ES às vítimas de acidentes de trânsito e beneficiários do Seguro DPVAT. Para José Romulo, a parceria mantida já há alguns anos com o BPRV é de extrema importância para o trabalho de redução dos acidentes de trânsito e conscientização para um trânsito mais humano. “O BPRV é um importante parceiro na divulgação do Seguro DPVAT e o Sincor-ES apóia as ações de educação no trânsito”, disse. O comandante do BPRV autorizou a colocação dos banners no setor de ocorrências e determinou ainda que todos os boletins recebam a capa, fornecida pelo Sincor-ES, com informações sobre o Seguro DPVAT.

4

TOTAL DAS INDENIZAÇÕES

FEVEREIRO

Visita ao Comando do BPRV

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

No site da Secretaria de Estado da Segurança Pública (www.delegaciaonline.sesp.es.gov.br/deon/xhtml/ boltimtransito.jsf) é possível solicitar a impressão gratuita de boletins de ocorrência, informando o CPF do condutor e a placa do veículo. No corpo do boletim, constam informações sobre o Seguro DPVAT, dando conta de que para solicitar a indenização não é necessário buscar intermediários ou qualquer tipo de pagamento. Informações podem ser obtidas pelos telefones 2125-6666, 2125-6674 ou 2125-6671.

Garantia

Atendimento do Seguro DPVAT Nº PROCESSOS MESES/ANO 2016 PAGOS

Boletim de Ocorrência gratuito

A Comissão de Defesa do Consumidor aprovou proposta que define novas regras para a garantia estendida que alguns fabricantes e lojistas oferecem aos produtos, prevista no Código de Defesa do Consumidor. O texto original obriga fabricantes e lojistas a contratar uma seguradora para amparar a cobertura estendida. A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pela Comissão de Constituição de Justiça e Cidadania.


NOTÍCIAS

Sincor-ES apoia evento nacional O Sincor-ES vai copatrocinar, na categoria “Bronze”, o deslocamento da equipe de militares da 2ª Companhia Independente do Corpo de Bombeiros Militar, localizada na cidade de Aracruz, para participar do World Rescue Challenge, que será realizado de 19 a 23 de outubro, na cidade de Curitiba, capital do Paraná. A equipe capixaba foi uma das selecionadas para compor a delegação brasileira. No total, irão participar 38 países. O World Rescue Challenge é a maior competição mundial envolvendo resgate veicular e reunirá as melhores equipes de resgate do mundo. O evento promove a troca de experiências, estimula a adoção de novas técnicas e novos equipamentos e prepara profissionais para agirem na redução da mortalidade em acidentes de trânsito. A

programação conta com atendimentos simulados, em que as equipes mostrarão suas técnicas nas provas de resgate e salvamento, realizando o atendimento como se fossem situações reais, abordando os cuidados com os pacientes durante o resgate, educação e outros temas referentes. O Brasil figura entre os países com o maior número de mortes no trânsito, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), sendo o 5º mais violento no trânsito no mundo. Estima-se que ocorra um acidente de trânsito a cada 57 segundos. No espírito Santo, o número de acidentes também é grande. Veja na tabela, os locais na capital e cidades da região metropolitana com os maiores números de acidentes, segundo informações do Detran-ES.

Os acidentes de trânsito no ES

Foto de acidente na Av. Dante Michelini em Vitória

Nº DE ACIDENTES

CIDADES

LOCAIS

Vitória-Capital Vitória-Capital

Av. Dante Micheline Av. Fernando Ferrari

Vila Velha

Av. Carlos Lindenberg

411

Vitória-Capital

Enseada do Suá

311

Ações para o trânsito

O Sincor-ES participou, nos dias 19 e 20 de setembro, do 1º Seminário de Combate à Violência de Trânsito, patrocinado pelo DER. O evento ocorreu no auditório da instituição. Representou o sindicato na ação, o funcionário Ronaldo Fagundes, que prestou informações sobre o Seguro DPVAT e o atendimento gratuito prestado pelo Sincor-ES, às vitimas de acidentes de trânsito e seus beneficiários. Dentre as várias apresentações, destaque para: Psicologia do Trânsito, com Andréa Nascimento; Segurança Viária, o papel do Profissional, com a engenheira Lucélia Fehlberg/DER-ES. A Porto Seguro cedeu um veículo sinistrado, que ficou exposto no local do evento, de forma a chamar atenção dos participantes sobre os danos causados aos veículos e aos seus ocupantes em um acidente de trânsito.

484 416

Serra

Rodovia Norte-Sul

248

Serra

Av. Eudes S. de Souza

234

Vila Velha

Av. Champagnat

213

Vitória-Capital

Av. Saturnino de Brito

209

Vitória-Capital Colatina-Região Noroeste

Av. Maruípe Av. Silvio Avidos

188 182 Fonte: DETRAN-ES

O caminho das doações O Sincor-ES tem recebido várias doações entregues por associados, parceiros, colaboradores e pessoas que não têm qualquer ligação com o mercado de seguros. De acordo com o presidente José Romulo da Silva, são doações de roupas, sapatos, toalhas, lençóis, brinquedos, livros e alimentos. Tudo o que foi recebido até o dia 29 de agosto foi entregue à Comunidade Espírita Esperança, localizada no bairro Morada de Camburi. A instituição é uma das muitas cadastradas pelo Sincor-ES. As doações recebidas são direcionadas às comunidades mais necessitadas. “Nós nem sempre sabemos para onde direcionar aquilo que não nos serve mais e que pode ser muito útil para alguém. Nossa campanha tem esse objetivo: permitir que as pessoas pratiquem o desapego e a compaixão. Ao entregarmos as doações a uma instituição, sabemos que elas chegarão a quem, de fato, necessita”, diz José Romulo.

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

5


NOTÍCIAS

CVG-ES discute novas ações O CVG-ES realizou no dia 1º de setembro sua reunião mensal de diretoria, acompanhada de um café da manhã, na sede da Recordista Corretora de Seguros, em Jardim Camburi. Entre os assuntos pautados, a diretoria discutiu a continuidade do projeto Café com Seguro, que pretende, em parceria com o Sincor-ES, fazer parte do calendário anual dos cursos e palestras oferecidos aos corretores associados, principais executivos das mantenedoras e seus funcionários. Além disso, os diretores discutiram a proposta de correção da contribuição mensal dos mantenedores para o exercício

de 2017, os novos orçamentos das placas de homenagem que serão entregues pelo Clube a personalidades indicadas pelas mantenedoras, a Campanha do Agasalho e ainda formas de captar novos associados. No mês de outubro, a reunião terá o patrocínio da Sompo Seguradora, representada no Espírito Santo pela diretora do CVG-ES Marcelle Altoé Boldrin. O encontro será na padaria Monte Líbano, em Santa Lúcia. A pauta da reunião será divulgada pelo presidente Antonio Santa Catarina, com base na reunião do mês anterior e em novas demandas que surgirem.

Recuperação Visando recuperar valores pagos a maior nos últimos 05 anos para o INSS, o Sindicato firmou convênio com a Consultoria Oliveira & Carvalho, encaminhando a mesma, toda documentação de recolhimento de contribuição para a Previdência Social, tomando como base os pagamentos realizados a Unimed Vitória -(Plano de Saúde), ou seja, cópias das Notas Fiscais de recolhimento dos valores em contrato por ele estipulado.

Capitalização De janeiro a maio, os títulos de capitalização distribuíram 18.1% a mais em prêmios que em igual período de 2015, atingindo R$ 456 milhões. O valor equivalente ao pagamento de R$ 4,4 milhões em prêmios por dia útil, tendo sido contemplados 50.379 títulos, com valor médio de premiação de R$ 9 mil, para um tíquete médio dos títulos da ordem de R$ 28,00.

Confraria das Quintas muda rotina Excepcionalmente, os membros da Confraria das Quintas realizaram seu almoço semanal na área de lazer da residência do diretor do Sincor-ES Jaime Balbino de Oliveira, em Vila Velha. A reunião, que aconteceu no dia 26 de agosto, teve ainda como finalidade, inaugurar o salão de festas da mansão dos Balbino’s fazendo entrega de placa em madeira de lei para marcar a data festiva. Estiveram presentes a grande maioria dos membros da confraria. Eles apreciaram um churrasco, ouviram música e assistiram a filmes no telão instalado no local. A Confraria das Quintas não tem estatuto ou qualquer outra formalidade. Para participar, é suficiente que os interessados compareçam à Praça de Alimentação do Shopping Vitória, a partir das 11h30 e paguem suas próprias despesas. A única norma da Confraria é que, semanalmente, um dos membros

6

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

pague o café para os demais. Hoje a Confraria, criada há aproximadamente 21 anos, congrega em torno de 20 amigos, em sua maioria, corretores e seguradores. “Como o próprio nome diz, nossos almoços são realizados sempre às quintas-feiras de cada semana, exceto feriados. Para realizarmos o encontro em outro local é preciso que isso fique acor-

twitter.com/sincores

dado no encontro anterior. São poucas regras, mas tem funcionado bem”, afirma José Rômulo da Silva, presidente do Sincor-ES e um dos participantes da Confraria.


NOTÍCIAS

Sincor-ES firma novas parcerias Com a finalidade de atender às necessidades dos associados e promover o reconhecimento institucional, o Sincor-ES vem, ao longo dos anos, firmando parcerias com empresas e órgãos públicos. Nesta edição da Revista Sincor-ES, registramos algumas parcerias e convênios firmados ao longo de 2016. Projeto associativo PASI (Plano de Amparo Social Imediato) – O PASI – Plano de Amparo Social Imediato – é o mais novo parceiro da Revista Sincor-ES, tendo aderido à publicação no dia 21 de julho. Com a adesão, passa a contar com a divulgação de sua marca e ações na revista mensal, além de ter sua logo com link no site do Sincor-ES (www. sincor-es.com.br). Com a adesão, o PASI passa a constar no clipping eletrônico Sincor on Line, enviado para 7,8 mil endereços de e-mail cadastrados. SIT (Segurança, Inteligência e Tecnologia) e VIG Auto/Tecnologia e Segurança Automotiva – Foi firmada em 5 de setembro uma parceria entre o Sincor-ES e as Empresas SIT e Vig Auto Tecnologia e Segurança Automotiva), com vistas a inserir anúncios de seus produtos na Revista Sincor-ES. Ao longo do período contratual, as empresas terão suas logomarcas divulgadas em todas as edições da revista, em rodapés de páginas internas. Através de sorteio, as empresas terão ainda direito a uma página em que será veiculada peça promocional produzida por elas. O Sincor-ES também divulgará em seu clipping eletrônico matérias de interesse das parceiras que forem encaminhadas via e-mail por suas respectivas administrações ou assessorias de imprensa. CVC Comercial de Veículos – Visando atender aos interesses dos associados, o Sincor-ES firmou convênio com a General Motors do Brasil-(GMB), que tem representação nas seguintes cidades: Vitória, Serra, Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim, Guaçui, Colatina e Nova Venécia. Tal parceria ou convênio proporcionará um bom incentivo de descontos na compra de um Chevrolet zero quilômetro, desde que fique comprovada a associação do corretor de seguros ao Sincor-ES. LVR Software (Sistema de Multicálculos) – O Sincor-ES acaba de firmar parceria que vai permitir aos corretores de seguros associados operar com o sistema de Multicálculos da Lavoro em condições especiais. A parceria foi firmada com a LVR Software, empresa que está no mercado há 25 anos e oferece sistemas de multicálculos e administrativo para empresas de seguros. Os corretores e as empresas corretoras associadas ao Sincor-ES que desejarem operar com o sistema podem entrar em contato pelo telefone (11) 2028-7175 ou ainda por e-mail (comercial@lavoro.com.br). Mais informações podem ser obtidas no site www.multicalculoauto.com.br.

A SIT já nasceu com fama de boa Em 5 de setembro firmamos parceria com as Empresas SIT e Vig Auto Tecnologia e Segurança Automotiva). A SIT – Segurança, Inteligência e Tecnologia – nasceu com todo o conhecimento e a experiência, de mais de 15 anos da VIGAUTO, no mercado de segurança eletrônica de veículos com alarmes, rastreamento, monitoramento, proteção e gestão de frotas. Graças a todo este know how, a VIGAUTO – que agora é SIT – passa a atuar com um amplo portfólio de soluções e sistemas na segurança física e eletrônica de residências, lojas, empresas, indústrias, edifícios e condomínios.

A linha de serviços e produtos para veículos trabalha com o que há de mais moderno em tecnologias para rastreamento e proteção de automóveis e motos particulares, e também na logística de caminhões, frotas, barcos, aeronaves, máquinas agrícolas, transportes públicos e containers. Já o novo leque de soluções da SIT chega ao mercado com serviços e produtos inovadores, que incluem alarmes inteligentes, CFTV com transmissão em tempo real, Central de Pronta Resposta 24 Horas, Barreiras Eletrônicas e Cercas Perimetrais. Tudo que seja capaz de inibir e detectar problemas como assaltos, invasões e até

mesmo incêndios. O Sistema de Portaria Virtual da SIT oferece gerenciamento remoto de controle de acesso em condomínios e edifícios proporcionando a máxima segurança, privacidade e, principalmente, economia. O sucesso da SIT também está na sua rede de parceiros, que indicam seus produtos e serviços, gerando mais negócios e mais rendimentos. Esta é a SIT, comprometida com a excelência. Superando sempre as expectativas na proteção de bens pessoais e patrimoniais. Afinal, segurança se faz com inteligência e tecnologia!

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

7


NOTÍCIAS

Corretores ignoram instruções da Susep A Circular Susep 429, de 15 de fevereiro de 2012, entre outras coisas dispõe sobre o registro de corretor e das sociedades corretoras de seguros e sobre a atividade de corretagem de seguros. Em sua seção IV, que trata das instruções sobre as alterações de dados Cadastrais, registra-se no seu artigo 10 que tanto corretores de seguros quanto sociedades corretoras de seguros deverão manter atualizados, perante a Susep, seus dados cadastrais. Esses dados, ainda segundo o artigo, devem ser encaminhados por meio digital ou em formulário próprio, sendo em 30 dias, no caso do corretor, e de 60 dias, no caso da sociedade corretora. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, tem chamado a atenção para o fato de que muitos profissionais do mercado não têm dado a devida importância para este dispositivo legal. Segundo ele, tem sido recorrente a mudança de endereço ou de qualquer outro dado cadastral sem o comunicado à Susep. “Temos recebido devolução de correspondências por nós encaminhadas, cujos endereços encontram-se em nossos cadastros. Como atualizamos nosso cadastro conforme o da Susep, o que podemos deduzir é que os profissionais mudaram de endereço e não comunicaram”, afirma. Os corretores de seguros que quiserem se informar sobre o assunto, devem procurar o Sincor-ES, que mantém um setor especializado estando apto a oferecer orientações necessárias ao cumprimento do que determina a legislação. Os interessados devem procurar por Dagmar ou encaminhar e-mail para (dagmar@sincor-es.com.br)

O que diz a Susep Art. 10: O Corretor e a Sociedade Corretora de Seguros, deverão manter atualizadas suas informações cadastrais perante a Susep, encaminhando por meio digital o formulário próprio e a documentação pertinente, observando-se os seguintes prazos, contados a partir da data de sua ocorrência: trinta dias, se corretor; e sessenta dias, se sociedade corretora. Parágrafo único: As alterações contratuais ou estatutárias da sociedade corretora de seguros deverão ser encaminhadas com a devida comprovação de arquivamento no registro competente, na forma do Caput deste artigo.

Imposto Sindical é obrigatório Baseados na legislação vigente, o Sincor-ES encaminha aos corretores de seguros pessoa física ou jurídica, a cada ano, as guias para recolhimento do Imposto Sindical. Os pagamentos devem ocorrer em janeiro para pessoas jurídicas e em fevereiro para pessoa Física), tomando como base os valores informados pela CNC e Fenacor. O Imposto Sindical é devido por todas as categorias profissionais, independente de associação sindical. Determina ainda a Susep, por meio da Circular 447/2012, em seu Artigo 2º,

8

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

que as companhias seguradoras devem exigir a comprovação do recolhimento do Imposto Sindical para liberar os valores devidos a título de comissões pagas a corretores de seguros e empresas corretoras de seguros. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, chama a atenção para o fato de que tanto uma determinação quanto outra estão sendo descumpridas. Ele acredita que pode estar ocorrendo falta de informação ou, simplesmente, desinteresse. “Alia-se a isso a falta de fiscalização por parte da Susep, que retirou do rol de documentos necessários para cadastramento

twitter.com/sincores

e recadastramento a comprovação de pagamento do imposto”, afirma. Para o presidente, diante do quadro, o sindicato não vê outra forma de cobrar se não a feita por meio da Justiça. Os corretores de seguros e as empresas corretoras de seguros podem procurar o Sincor-ES para regularizar suas situações e efetuar o pagamento do imposto, conforme determina a legislação. “Nós acreditamos que se trata de um importante tributo, que contribui em muito para a manutenção da atividade sindical. Como as seguradoras não fazem qualquer tipo de cobrança e a Susep não se manifesta, essa é a nossa ação”, afirma. Mais informações sobre o imposto e formas de regularizar a situação podem ser obtidas pelos e-mails financeiro@sincor-es. com.br ou dagmar@sincor-es.com.br.


Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

9


ENCONTRO NAS MONTANHAS

Tradicional encontro de congraçamento reúne co Boa comida, atividades esportivas, descontração e bom humor. Esses foram os ingredientes que fizeram o sucesso do Encontro de Congraçamento do Mercado de Seguros Capixaba, evento tradicional organizado pelo Sincor-ES e que neste ano ocorreu nos dias 23, 24 e 25 de setembro, no Hotel Eco da Floresta, em Domingos Martins. O encontro reuniu 245 convidados, entre corretores de seguros e representantes de seguradoras, além de funcionários de seguradoras e de corretoras, familiares e parceiros do Sincor-ES. A programação foi intensa e agradou a todos os públicos. “Nós sempre procuramos diversificar, mas há algumas partes da programação que não podem ficar de fora, como o coquetel de boas vindas, realizado na recepção aos convidados, no primeiro dia do encontro”, destaca o presidente José Romulo da Silva. O encontro de congraçamento já integra o calendário permanente do Sincor-ES e começa a ser organizado logo no início do ano. Assim que a equipe de eventos do sindicato fecha o pacote com o hotel, começa a comercialização das acomodações. José Romulo lembra que os interessados em participar do próximo encontro, devem ficar atentos à data divulgada. “temos muita demanda todo ano e o número de acomodações é limitado. Então, quem reserva primeiro garante a diversão”, afirma.

10

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


ENCONTRO NAS MONTANHAS

orretores e seguradores em hotel nas montanhas Confira como foi a programação

23 de setembro, sexta-feira – Coquetel de boas-vindas, jantar, sessão de cinema, recreação infantil, noite country com a banda Léo & Money. Este último evento teve premiação para o casal melhor caracterizado. 24 de setembro, sábado – Futebol de cinco, recreação infantil e adulta, torneio de dardos, torneio de bocha, academia de tênis, churrasco à beira da piscina com música eletrônica, chá da tarde, noite de queijos e vinhos com música de Tony Ribeiro e Banda, além da premiação para os vencedores. 25 de setembro, domingo – Passeio na fazenda seguido de almoço. Atividades livres em todos os dias – uso das piscinas adulto e infantil e da piscina coberta e aquecida; sauna seca e úmida, atividades nas quadras poliesportivas, salão de jogos, musculação. Todas as atividades infantis contaram com a supervisão de equipes de recreação.

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

11


QUALIFICAÇÃO

Mapfre realiza palestra no Sincor-ES SEGUROS, que se prontificaram a encaminhar técnicos especializados no assunto, e que estes estariam falando de forma institucional e ao final, após debates, apresentariam os seus produtos. Na primeira etapa do evento, que foi realizado nas dependencias do Sindicato, mais precisamente no Auditório Pedro de Paula Pinto, recebemos o Gerente Territorial de Seguros Gerais, Sr.Paulo Henrique Marchezine Melo, acompanhado do Gerente

Face ao desastre ocorrido com a àrea de lazer e garagens do Condominio do Edificio Grand Parc Residencial e Resort, fizemos encaminhamento as Seguradoras Parceiras via e-mail, solicitação para que pudessem ministrar palestra sobre Seguros para Condominios aos Corretores interessados em se aprofundar no assunto. O Sincor-ES recebeu respostas afirmativas da MAPFRE SEGURADORA e da SOMPO

12

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

responsável pela Sucursal ES, Elson Azevedo Junior. Posteriormente, através de pesquisa realizada com os cerca de 30 profissionais presentes, pudemos constatar que foi total o grau de satisfação com a apresentação, tanto pelo conhecimento do palestrante assim como pela facilidade em transmiti-los e em responder os questionamentos apresentados quando do debate ao final da palestra, que foi antecedida por café da manhã.


Educação Financeira: Planejar para um futuro melhor

A palestra “Educação Financeira: planejando o hoje, o amanhã e o depois de amanhã”, foi proferida no dia 13 de setembro, pelo consultor Andre Sá, dentro da programação mensal de eventos do Sincor-ES em parceria com o CVG-ES e patrocínio da Escola Nacional de Seguros. O encontro reuniu profissionais do mercado capixaba no Hotel Bristol Century Plaza, na Praia de Camburi. André Sá começou sua palestra com uma série de perguntas para o público presente: O que é ser rico? Quem, precisa de dinheiro? Quem precisa ter mais dinheiro? Quem tem dinheiro investido? E mostrou um dado perturbador: apenas 1% das pessoas detém metade de todas as riquezas do mundo. A partir daí, ele usa mecanismos que levam as pessoas a refletirem sobre sua própria condição e suas motivações financeiras e pessoais. Ele sugere, como caminho inicial para um bom planejamento financeiro, que se reflita sobre a trajetória nos últimos dez anos. “Onde você estava há 10 anos e qual era a sua projeção para o dia de hoje? Onde você imagina estar daqui a outros dez anos? Não seria lógico supor que se continuar fazendo as coisas do mesmo jeito que sempre fez, continuará a ter os mesmos resultados? André Sá levou os presentes a refletirem sobre sua relação com o dinheiro e a pensar no quanto guardam de tudo o que ganham. Além de levá-los a refletir sobre a possibilidade de terem que parar de ganhar dinheiro e a forma como sobreviveriam caso isso ocorresse. Para planejar, diz o

consultor, é preciso fazer uma equação que leva em consideração o tempo que se dispõe para essa tarefa. E também é preciso, levar em consideração que gastar menos do que ganha é uma estratégia eficaz. No final, ele propôs um pequeno teste para saber qual o nível de comprometimento e disciplina com os ganhos e gastos. É preciso, de acordo com o palestrante, pensar a curto, médio e longo prazo. E nunca é demais fazer uma planilha, deixando bem claro não apenas quais são os gastos, mas como são feitos esses gastos. Nessa hora, é importante definir o que é importante no curto prazo e o que é necessário economizar para o futuro. André Sá é palestrante e consultor, professor da Escola Nacional de Seguros. Atuou nas áreas de marketing, vendas e seguros em instituições financeiras, como banco Itaú e HSBC. Foi a partir de sua experiência nesta instituição que aprendeu como pessoas que têm muito dinheiro lidam com ele e gerenciam seus ganhos com planejamento financeiro.

QUALIFICAÇÃO

Eletrônicos

A Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) lançou a cartilha “Entenda os Seguros para Celulares e Equipamentos Eletrônicos e Portáteis: orientações para o consumidor”. Com viés didático, a publicação elenca os principais conceitos, benefícios e cobertura para celulares, notebooks, tablets e bens eletroportáteis. Também esclarece duvidas a respeito da contratação do produto e do funcionamento do seguro. O material conta com versão impressa, que será distribuída para seguradoras, sindicatos de corretores, órgãos de defesa do consumidor e varejo; e online, disponível para leitura no portal da FenSeg, no hotsite www.osegurogarantiaestendida.org.br e nas mídias digitais e rede sociais.

Cibernéticos

A Escola Nacional de Seguros realizará, em São Paulo (SP) o curso técnico inédito Riscos e Seguros Cibernéticos. O programa apresentará os riscos inerentes ao segmento de informática e analisará as bases de coberturas atualmente disponibilizadas para o setor. O conteúdo abrange os aspectos jurídicos fundamentais do Direito Cibernético e da jurisprudência do setor, além de gerenciamento de riscos informáticos, segurança da informação, cybercrime e os modelos de coberturas securitárias comercializadas no exterior e no Brasil. A aula inaugural será no dia 6 de outubro. O investimento é de R$ 1.300,00, podendo ser parcelado em duas vezes. Inscrições e mais detalhes estão disponíveis no www.funenseg.org.br.

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

13


MERCADO

SulAmérica lança Seguro Auto Compacto Com o slogan “Um Novo Produto Está Chegando”, a SulAmérica Seguradora convidou os corretores de seguros para conhecerem um seguro de automóvel na medida para seus clientes, o SulAmérica Auto Compacto. O evento ocorreu no dia 31 de agosto, em duas apresentações. A primeira delas, às 9 horas e a segunda, às 14 horas, no Auditório da Filial Vitória, na Praia do Canto. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, atendendo o convite do executivo local da seguradora, Tony Crepaldi, esteve presente ao lançamento do seguro auto e participou do café da manhã oferecido pela seguradora aos corretores de seguros.

Ibacor abre para associações O site do Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, Resseguros, Capitalização e de Previdência Complementar Aberta (Ibracor) já está aberto para inscrição dos associados. O Sincor-ES é um dos associados fundadores e mantenedores do Instituto, um órgão auxiliar da Susep, junto com outros sindicatos de corretores e instituições do mercado. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, destaca que o Instituto, como órgão auxiliar da Susep, tem o compromisso de buscar atuações cada vez mais eficientes e transparentes. Para isso, oferece orientação e apoio na tomada de decisões relativas às atividades do seguro. Ele esclarece que não existe qualquer obrigatoriedade de associação. “Cada um decide se quer ou não, a partir de uma avaliação muito pessoal e o Instituto pode ser um parceiro importante no desenvolvimento profissional”, afirma. De acordo com o presidente do Ibracor, Paulo dos Santos, o processo

14

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

de associação é muito simples. “Para se associar ao Ibracor, o corretor de seguros deve acessar o site da instituição e se cadastrar. A partir daí, o próprio sistema gera uma senha, que será remetida de volta ao e-mail informado”, explica. Com a senha, o corretor pode entrar no portal, procurar o cadastro em “associados” e solicitar sua associação ao Ibracor. Um detalhe importante, na visão do presidente José Romulo da Silva, é que os dados informados pelo profissional devem estar atualizados junto ao cadastro da Susep. Também é necessário que o corretor interessado tenha aderido ao Código de Ética da categoria. “Essa última exigência poderá ser cumprida eletronicamente no momento em que enviar o pedido de associação”, informa Paulo dos Santos. Quem se inscrever até o final deste ano estará isento das contribuições inicial e de manutenção dos exercícios de 2016 e 2017, seja pessoa física ou jurídica. Mais informações sobre o Ibracor poderão ser obtidas no portal (www.ibracor.org.br), local onde também constam perguntas e respostas sobre as dúvidas mais comuns.

twitter.com/sincores

Transferência A Porto Seguro concluiu a transferência da carteira de seguros de automóveis celebrado entre a companhia e a Chubb do Brasil, conforme anuncio feito na noite de 29 de agosto. No início de maio, a Porto Seguro havia anunciado a compra da carteira da Chubb. A intenção da empresa era reforçar o seu posicionamento no segmento de veículos de alto valor, com incremento do seu portfólio no produto Porto Auto Premium. A carteira adquirida representa 2,7% dos prêmios da carteira de auto do grupo Porto Seguro.

Patrocínio O IRB Brasil RE, empresa líder em resseguros no Brasil, dá continuidade à prática de promover e democratizar o acesso à cultura no país e patrocina o Teatro Maison de France, no Rio de Janeiro. Por meio do patrocínio Naming Rights, o espaço recebe o nome de Teatro Maison de France IRB Brasil RE. A companhia tem se firmado como grande incentivadora da cultura nacional e, somente entre 2015 e 2016, já apoiou mais de 30 ações culturais e esportivas, com investimentos que giram em torno de R$ 15 milhões.


MERCADO

Sompo faz palestra no sindicato A Sompo Seguradora realizou, no dia 13 de setembro, uma palestra institucional voltada para o segmento de Seguro de Condomínio. O palestrante foi o técnico da seguradora Welington Carlos. Participou ainda a gerente local Marcelle Altoé Boldrin. A palestra foi realizada na sede do Sincor-ES, no Auditório Pedro de Paula Pinto, com a seguinte programação: Wellington Carlos abordou o potencial do mercado para a penetração do Seguro Condomínio, as características do produtos e sua coberturas. Além disso, ele falou sobre legislação aplicável no caso da cobertura para incêndio, na perspectiva dos contratos para condomínios. Outro aspecto abordado foi a responsabilidade civil e criminal de síndicos ou empresas de administração de condomínios no caso de omissão na contratação do seguro obrigatório.

Aniversário de promessa não cumprida No dia 12 de outubro, será comemorado o 1º aniversário da promessa formal do ex-superintendente da Susep Roberto Westenberg de que a autarquia voltaria a emitir as carteiras de identidade profissional dos corretores de seguros. A promessa foi feita pelo então superintendente na abertura do Congresso Brasileiro de Corretores de Seguros, em Foz do Iguaçu, em 2015, e presenciada por pelo menos 3,5 mil congressistas. A identidade profissional, na visão do presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, é um documento importante pois atesta o valor do corretor de seguros no mercado como o intermediário legalmente autorizado a comercializar seguros. A emissão das identidades foi suspensa na gestão de Luciano Portal Santanna. “Até aquele momento, as identidades eram emitidas em parceria

com a Fenacor e os sindicatos de corretores. Nós e os outros sindicatos recebíamos e encaminhávamos a documentação para cadastramento e recadastramento dos corretores de seguros. A Susep cancelou o convênio mas não passou a fazer esse

trabalho”, afirma José Romulo da Silva. No caso do recadastramento que era feito a cada dois anos, conforme aponta José Romulo, o cancelamento deixou uma grande lacuna no que diz respeito ao número de profissionais que atuam no mercado,

pois não há como os sindicatos conhecerem a realidade exata de seus estados. “O número de corretores em atividade fornecido pela Susep não condiz com a realidade, face à desistência de atuação principalmente daqueles corretores que tinham o cadastro solicitado junto às seguradoras para atuarem no ramo de pessoas, os conhecidos como Susepinha”. José Romulo acredita que, com a chegada de um corretor de seguros à Susep, Joaquim Mendanha de Ataídes, o relacionamento com a categoria venha a ser melhor. “Acreditamos que ele irá rever algumas atitudes da autarquia que foram nocivas à categoria e ao mercado de seguros como um todo. Queremos crer que chegou a hora e o momento para firmar convênio com o Ibracor e a Susep passe a se ocupar de fiscalizar o mercado”.

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

15


MERCADO

Campeã no Recall de marcas

Supensão Desde o dia 9 de setembro, 23 planos de saúde de oito operadoras tiveram sua comercialização suspensa pela ANS em função de reclamações relativas à cobertura assistencial, como negativas e demora no atendimento. A medida faz parte do monitoramento periódico realizado pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento da ANS.

Previdência A Banestes Seguros foi a seguradora campeã no Recall de Marcas do Jornal A Gazeta 2016, por sua marca e seus produtos. Nos 12 anos em que o segmento de seguros foi incluído no prêmio, a Banestes Seguros ganhou 11 vezes. Para o diretor-presidente da seguradora, Élcio Álvares, o prêmio é uma demonstração da preferência do capixaba pela marca, um reconhecimento do papel exercido na economia local. O diretor de Operações, Fernando Rodrigues Azevedo, que recebeu o prêmio em nome da empresa, diz que o reconhe-

cimento é importante também por ser o mercado de seguros um dos mais concorridos do Brasil. “No Estado, contamos com a concorrência das maiores seguradoras do Brasil e do mundo. O reconhecimento da Banestes Seguros é emblemático”, afirma. Neste ano, a seguradora também ganhou pesquisas regionais de preferência da marca em Colatina e Linhares. Em 2015, a Banestes Seguros foi apontada pelo IDEIES como uma das maiores empresas capixabas e reconhecidas pelo Valor 1000 e oitava mais rentável do Brasil, dentre as seguradoras de seu porte.

Dados recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apresentados em 2015, mostram que em 2030 teremos cerca de 41,5 milhões de idosos no País. No ano de 2000, esse número era de 14,2 milhões. Haverá, segundo as projeções, uma drástica redução no número de jovens com idades de 15 a 29 anos. Em 2000, a população nessa faixa etária correspondia a 28,2% do total e, em 2030, esse percentual deverá ser 21%. O contingente de idosos é o segmento populacional que mais cresce e exigirá, no futuro, mais cuidados previdenciários, de proteção e de saúde.

Programação do 17º Conec é divulgada Os temas dos painéis e os palestrantes do 17º Congresso dos Corretores de Seguros (Conec) já foram definidos. O evento, realizado pelo Sincor-SP, acontece de 6 a 8 de outubro, no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo. Em sintonia com o tema do evento, “Aprender, Empreender e Ser: Corretor, o caminho seguro da distribuição”, o Palácio das Convenções contará com três auditórios: Aprender, Empreender e Ser, nos quais serão discutidas questões relevantes ao setor de seguros e ao aprimoramento profissional da categoria. O 17º Conec reunirá para a palestra magna de abertura os jornalistas William

16

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

Waack e Mara Luquet, além do professor Marco Antonio Villa. O tema será “Passando o Brasil a limpo”. A grade de palestras ainda conta com as presenças do professor doutor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Leandro Karnal e dos publicitários Roberto Justus e Dado Schneider. Eles irão falar sobre a busca pelo sucesso e o empreendedorismo. Os temas relacionados a seguros serão abordados por especialistas do setor em relação aos ramos de responsabilidade civil, garantia, transportes, saúde, agronegócios, vida e automóvel. Haverá também pautas relacionadas a tecnologia, certificação digital, empreendedorismo e distribuição de seguros no país. Além de

twitter.com/sincores

grandes palestras, o evento ainda conta com a Exposeg, feira de negócios que reúne as principais seguradoras e empresas relacionadas ao ramo. O Sincor-ES, representado pelo vice-presidente José Alexandre Cid Pinto, vai participar do evento junto com diretores do sindicato e corretores de seguros. Segundo Rômulo, trata-se de um evento importante, pois possibilita fortalecimento das questões voltadas para os corretores de seguros e para o mercado. “O Espírito Santo, apesar de pequeno no número de corretores em relação a outros estados, se mostra muito ativo e representativo no país”, destaca.


ENTRELINHAS

Reconhecer para superar: o segredo do sucesso Por Marcilene Forechi* Era um dia qualquer de novembro no ano de 2014. Fiz anotações no caderninho que carrego comigo para onde vou, sempre na esperança de que uma boa ideia me tome de assalto e eu não a perca por não ter onde escrever. Ah, claro que sempre carrego meu smartphone comigo, mas ele é tão impessoal que não me animo a usar seu bloco de notas. Teclar não me soa da mesma forma que escrever, penso eu. Estava em um café e duas professoras conversavam num tom que me permitia ouvir claramente o que diziam. Uma delas contou à outra que pediu aos alunos, ao final do trimestre, que se atribuíssem uma nota pelo seu desempenho. Essa nota seria acrescentada às outras, de forma a compor a média final. Eles deveriam considerar, segundo ela, a participação nas aulas, o cumprimento das tarefas propostas e o rendimento nas provas. A nota deveria variar de 0 a 1. Seguindo em seu relato, a professora diz que a nota atribuída a si mesmo por um dos alunos a deixou intrigada. Ele se deu nota 0,5 apesar de ser considerado por ela um bom aluno. Quando questionado sobre o motivo o garoto disse achar que não participava muito das aulas, porque era tímido. Já outra aluna, do tipo que falta muito, não participa, não faz os trabalhos no prazo, conversa em demasia, tira notas abaixo da média, se atribuiu nota 1. A partir daí, a conversa das duas girou em torno da dificuldade que os alunos

têm de falar de si mesmos, o que, na visão delas, demonstra falta de intimidade com a atitude reflexiva e ainda baixa autoestima. O episódio relatado pela professora e apresentado por mim não se apresenta nesse momento para que façamos alguma avaliação sobre escola, desempenho de alunos ou de professores. Ele é bom para pensar sobre a forma como nos comportamos diante de nós mesmos – e dos outros – quando somos desafiados a nos autoavaliar. O menino que se reconhece tímido e se atribui uma nota mediana, apesar de ser considerado um bom aluno pela professora, talvez, tenha mais chances de ser feliz, de vencer obstáculos do que a menina que aparenta ser mais descolada e ter mais autoestima. E é esse é o ponto que me interessa abordar. A nossa capacidade – ou incapacidade – para compreendermos quem somos e nos narrarmos diante dos outros. Essa compreensão, eu diria, está diretamente ligada à nossa capacidade de ser feliz, uma vez que ela permite perceber limitações e desejos. E, apesar de expediente comum nos manuais de autoajuda, a crença de que somos bons e “podemos tudo” não é suficiente. Mas, não é minha pretensão negar que há poder nos bons pensamentos e que eles nos impregnam e ao ambiente que nos cerca. Bons pensamentos e atitudes positivas devem ser cultivados sempre. O que quero dizer é que

apenas isso não basta. A ideia de que tudo depende de você, que há liberdade para escolher e que o sucesso está ao alcance de quem acredita nele não se sustenta por um motivo simples: estamos conectados a uma série de fenômenos e circunstâncias; e estamos também condicionados às nossas ações e às ações dos outros. As nossas emoções são o único elemento capaz de ser controlado. A simples constatação de suas limitações pode ser capaz de te dar a dimensão daquilo que te limita e daquilo que você é capaz de realizar. Pensar apenas no que você gostaria de conquistar, sem pensar no “como” você vai conquistar, pode ser uma perda de tempo e de energias. Pode ainda provocar frustrações no futuro. Admita que há limites, admita que há fenômenos incontroláveis e admita que é preciso reconhecer para ultrapassar. O exercício proposto pela professora, que eu narro no início desse texto, pode ser feito por você em diversas situações. Não precisa se atribuir alguma nota, mas apenas fazer uma reflexão sobre quem você é... Lembre-se de colocar em destaque que você é alguém no momento em que se pergunta sobre isso. Na medida em que começa a pensar e a escrever sobre isso, algo já muda. Então, em vez de pensar que vai conquistar algo – seja um novo emprego, um novo contrato, uma nova qualificação profissional, um novo amor –, pense no motivo pelo qual precisa dessa conquista... E para chegar a uma resposta é preciso voltar-se para si mesmo, para sua interioridade, para o que te constitui e para o lugar que ocupa no mundo. As respostas podem ser mais simples do que você imagina. * Jornalista, mestre em educação e doutoranda em Educação na UFRGS. Produz conteúdo e presta consultoria na elaboração e desenvolvimento de projetos de comunicação e educação corporativa. Atua como facilitadora em cursos e treinamentos em comunicação organizacional, relacionamentos interpessoais, redação empresarial e mídias sociais. marcileneforechi@terra.com.br

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

17


SOCIAL

Por Boris Narjack

Esporte e diversão garantidos Durante o 20º Encontro do Mercado Segurador nas Montanhas, foram realizados torneios e competições que proporcionaram momentos de descontração e integração entre colegas e familiares. O Torneio de Futebol de Cinco foi coordenado pelo diretor Luiz Amaury Gontijo. Cada participante recebeu um colete patrocinado pela Dekra. Já o artilheiro e goleiro menos vazados receberam um prêmio do Sincor-ES. O Torneio de Bocha também é uma tradição, sendo realizado todo ano durante o encontro. Em dupla ou individualmente, a diversão foi garantida e os participantes com o melhor desempenho receberam um prêmio. O torneio foi coordenado pelo corretor de seguros Luciano Bonitão, também conhecido como Paraíba. Teve ainda Torneio de Dardos, sob a coordenação do diretor Renato Bittencourt, e a Clínica de Tênis, a cargo do presidente do CVG-ES Antonio Santa Catarina e do consultor de seguros Joaquim Cunha. Todas as premiações foram entregues na noite de sábado, durante o jantar oferecido pela organização do encontro.

18

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Recreação para garotada


ARTIGO

“CORRETOR DE ALUGUEL”

Recentemente li um artigo publicado pelo site CQCS cujo o título era “Alugar o registro de Corretor é ilegal, diz advogado”, tendo o seguinte conteúdo.

O Corretor de Seguros que aluga o seu registro na Susep corre sérios riscos. “Essa é uma prática ilegal”, alerta o advogado Gilberto de Jesus, especializado na defesa de consumidores de seguros. Segundo ele, o Corretor que adota essa prática pode responder profissionalmente, se ocorrer algum problema com o segurado e também financeiramente, dependendo do contrato, e ser executado para pagar a dívida da corretora. Além disso, quem aluga o registro também pode enfrentar sérios problemas: “Em Salvador (BA), houve o caso de um corretor de seguros que assinava contratos para 11 corretoras e faleceu. Com isso, todas essas empresas ficaram impossibilitadas de trabalhar, com grande prejuízo”, revela o advogado. Com a experiência de quem está há mais de 40 anos no mercado de seguros, primeiro trabalhando na área técnica e depois, na última década, como advogado, Gilberto de Jesus afirma que a ilegalidade dessa prática “salta aos olhos” e faz comparação com outras atividades profissionais. “Imagine se um advogado vai aceitar assinar uma ação para um leigo ou um médico deixar que outra pessoa faça uma cirurgia usando o seu nome”, frisa. Como o CQCS noticiou esta semana, um corretor de seguros de São Paulo colocou em um jornal online anuncia de aluguel do seu registro cobrando o equivalente a 2/3 (66%) do salário mínimo por mês, ou seja, pouco mais de R$ 586,00. Ele se apresentou como um corretor de seguros habilitado “há mais de 30 anos”, experiente e que atuou, inclusive, como gerente de grandes seguradoras. O autor do anúncio explica ainda que pode “assinar” como técnico responsável (aluguel do registro na Susep) para “pessoas idôneas”. Fonte: https://www.cqcs.com.br/noticia/alugar-o-registro-de-corretor-e-ilegal-diz-advogado/

Parece que o tema “corretor de aluguel” está voltando a ser debatido no mercado de seguros, uma prática antiga e considerada ilegal por maioria dos profissionais e formadores de opiniões. Apesar de ser unânime o entendimento de que se trata de uma prática ilegal, a SUSEP, até o presente momento, não disciplina tal atitude como infração administrativa, deixando apenas para punir, os casos que configuram infrações previstas nos artigos 29 a 35-B, da Resolução CNSP nº 243 de 2011. Infelizmente, se não ocorrer qualquer uma das infrações previstas na Resolução CNSP nº 243 de 2011, a SUSEP não tem como impedir a prática, apesar de se tratar aparentemente de uma prática ilegal. É importante lembrar que para a nomeação do corretor de seguros responsável técnico da corretora junto à SUSEP, sequer há necessidade do mesmo ser sócio da Corretora, tendo como exigência apenas a existência de um ato administrativo de nomeação, registrado na Junta Comercial. O corretor de seguros responsável técnico da corretora junto a SUSEP, tem responsabilidade profissional, administrativa, civil e penal, perante todo o mercado de seguros, a ainda, responsabilidade Tributária, quando ele figurar como sócio da corretora, podendo responder pessoalmente pelos débitos fiscais da corretora. A responsabilidade do corretor que atua como responsável técnico perante a SUSEP é solidaria com a corretora e demais sócios, respondendo ele com seus bens pessoais na recomposição dos prejuízos causados aos segurados e seguradoras. Nos casos de punição administrativa, se o “corretor de aluguel” sofrer punição de suspensão ou cancelamento do registro, automaticamente será suspensa a inscrição da SUSEP de todas as corretoras

que o corretor figurar como responsável técnico, impedindo inclusive recebimento de comissões, enquanto perdurar a punição ou ocorrer a substituição do corretor. Não tenho dúvida de que a prática de utilização de “corretor de aluguel” para criação de corretoras de seguros é lesiva ao mercado, causando prejuízos ao consumidor que deixa de ter em seu favor um profissional técnico no momento da contratação do seguro. Falta por parte da SUSEP disciplinar a matéria de uma forma mais pontual, impedindo que o corretor de seguros seja responsável técnico de diversas corretoras, sem que tenha um limite e punições para os casos comprovadamente de “corretor de aluguel”. A discussão sobre o tema é muito salutar para o mercado, pois, talvez faça crescer um movimento que venha contribuir e incentivar uma melhor disciplina da matéria, criando mecanismo que impeça este tipo de prática, que muito prejudica o mercado. Não podemos esquecer o papel importante do corretor de seguros na intermediação, identificando corretamente as necessidades dos seus clientes e orientando sobre os tipos de seguro que deve contratar, ajudando impulsionar e disseminar a cultura de seguro. Diante disto, o debate sobre o assunto “corretor de aluguel” é importante e salutar, pois, poderá ajudar a melhorar e disciplinar o tema, criando mecanismo que impeça esta prática, refletindo em uma melhor qualidade técnica dos serviços prestados, garantindo maior segurança ao consumidor e a todo o segmento. Por Elias Moscon, Assessor Jurídico SINCOR-ES, Professor da Escola Nacional de Seguros (Unidade-Vitória/ES) e advogado especialista em direito do seguro sócio do escritório Moscon Advogados. e-mail: eliasmoscon@moscon.adv.br site: www.moscon.adv.br

Revista Sincor-ES

.

SETEMBRO 2016

19


20

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Revista SINCOR-ES nº 228 Setembro 2016  

20º Encontro do Mercado de Seguros Capixaba

Revista SINCOR-ES nº 228 Setembro 2016  

20º Encontro do Mercado de Seguros Capixaba

Advertisement