Page 1

Revista

.


Opinião

Uma grande perda para o cidadão Por mais de uma década, o Sincor-ES, como os demais sindicatos da categoria, tem operado no atendimento às vítimas de acidentes e seus beneficiários do Seguro DPVAT, com o objetivo de orientar e pré-regular processos de acidentes causados por veículos automotores que trafegam em vias terrestres. No caso especifico do Sincor-ES, o trabalho sempre foi desenvolvido de forma gratuita, por dois funcionários especializados que, além de atender os cidadãos interessados em fazer valer seus direitos, acompanhavam os processos até que o crédito das indenizações fossem depositado nas contas dos favorecidos. Para que o convênio com a Seguradora Líder fosse cumprido à risca, disponibilizamos uma sala totalmente equipada e confortável, com telefones e outros equipamentos. Ao final de cada mês, encaminhávamos relatório dos atendimentos realizados e das indenizações pagas; já ao final de cada exercício, sempre fazíamos chegar às mãos da Seguradora Líder, devidamente encadernado, um relatório detalhado contendo, além dos dados sobre indenizações e atendimentos, relato das ações de divulgação do Seguro realizadas junto aos nossos parceiros, que cito aqui: Polícia Militar – Batalhão de Polícia de Trânsito, Polícia Rodoviária Federal, Detran, DML, Rotary Clube e muitos outros. Destaco ainda a nossa participação anual no projeto Ação Global e nas campanhas da Semana do Trânsito. Para tanto, inclusive de sua representação em nosso Estado, a Seguradora Líder DPVAT remunerava o Sincor-ES com valor que atendia, em parte, nosso trabalho. Acredito que todo nosso trabalho não contou com o reconhecimento da Líder, uma vez que o convênio foi encerrado no dia 1º de julho deste ano por não termos condições de manter os atendimentos diante das novas condições impostas, de forma intransigente, pela Seguradora Líder. Com relação ao assunto enfocado, o sindicato enviou comunicado aos corretores de seguros, associados e não associados, dando conta que a seguradora como alternativa e usando o material que lhe foi disponibilizado, passou a procurar diretamente os corretores para cadastrá-los mediante celebração de contrato de parceria, que tem como finalidade, o recebimento de processos de regulação e indenização de sinistros DPVAT, o que já estávamos esperando. A aceitação desta prática por nossos representados, poderá acarretar, nesta forma individualizada e isolada de atendimento pelo corretor de seguros não somente a descaracterização de sua atividade laboral principal, mas pode trazer consequências danosas, além de transtornos no atendimentos e orientações às pessoas. É preciso cuidado pois nós no Sincor-ES não atendíamos despachantes e advogados, tampouco procuradores. Apenas os beneficiários diretos eram atendidos por nós. Acreditamos que os profissionais por nós representados, sejam eles associados ou não associados, poderão se tornar inocentes úteis em caso de qualquer tipo de investigação sobre fraudes no seguro, trazendo-lhes sérios aborrecimentos, além da tarefa que lhes serão atribuídas e o público que terão que atender, para serem remunerados em R$ 70,00 por processo liquidado. Nossa orientação, com uma experiência de décadas no assunto, é que não aceitem o encargo, pois certamente irão se arrepender e talvez seja tarde demais.

2

José Rômulo da Silva Presidente do Sincor-ES www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

EXPEDIENTE

SEDE PRÓPRIA Endereço:- Rua Frederico Lagassa, Nº 30 Conj. 509/512 - Edf. Scheila - Bairro Gurigica, Vitória, Espírito Santo Site: www.sincor-es.com.br E-mail: sincor-es@sincor-es.com.br Diretoria Presidente: José Rômulo da Silva 1º Vice-Presid.: José Alexandre Cid Pinto 2º Vice-Presid.: Nicolau Marino Calabrez 1º Secretário: Renato Silva de Bittencourt 2º Secretário: Deusdete Mantovanelli 1º Tesoureiro: Antonio José Alvarenga Imperial 2º Tesoureiro: Leonardo Souza Bergamini Diretor Social: Luiz Amaury Gontijo Dir. Mark. e Eventos: Antonio Nelson B. Fortunato Dir. Informática: Jaime Balbino de Oliveira Dir.Rel.c/Merc.: Neudon de Almeida Valadão Suplentes Ana Júlia Merotto, Luiz Cláudio Firme Pina e Guilherme Moraes Rueda Conselho Fiscal Maria Angélica Batista, Rene Neves Farias e Reginaldo Correa da Costa Suplentes de Conselho Fiscal Santa de Luziê Laiber de Oliveira, Dagmar Alves Mauricio Machado e Luiz Ferdinando Zanette Delegados Representantes junto a Fenacor-Efetivos José Rômulo da Silva e José Alexandre C.Pinto Delegados Representantes junto a Fenacor-Suplentes Nicolau Marino Calabrez e Antonio José Alvarenga Imperial Jornalista Marcilene Forechi Diagramação Ivo Tadeu Basilio Impressão GM Gráfica e Editora Ltda

Telefones para Contato

Geral....................................... 2125-6666 ................................................ 2125-6667 Deptº Adm./Financ.................. 2125-6669 Cadastro Corretor................... 2125-6676 Atend. D.P.V.A.T..................... 2125-6671 Fax......................................... 2125-6672 Revista Sincor-ES.................. 2125-6671 Clube Vida em Grupo ............ 2125-6670

Empresas Coligadas

FUNENSEG-ES..................... 2125-6673 ............................................... 2125-6683 ASSESSORIA JURÍDICA...... 3232-4800 (MOSCON E ASSOCIADOS ADVOCACIA)


Sumário

Índice 04 09 10 13 17 18 19

-

Notícias Sala de Visitas Combate a pirataria do Seguro Mercado Entrelinhas Social Artigo Jurídico

Bilhete

do Presidente

“Quanto Custa um Milagre” Uma garotinha esperta, de apenas seis anos de idade, ouviu seus pais conversando sobre seu irmãozinho mais novo. Tudo que ela sabia era que o menino estava muito doente e que estavam completamente sem dinheiro. Iriam se mudar para um apartamento num subúrbio, no próximo mês, porque seu pai não tinha recursos para pagar as contas do médico e o aluguel do apartamento. Somente uma intervenção cirúrgica muito cara poderia salvar o garoto, e não havia ninguém que pudesse emprestar-lhes dinheiro. A menina ouviu seu pai dizer a sua mãe chorosa, com um sussurro desesperado: Somente um milagre poderá salvá-lo. Ela foi ao seu quarto e puxou o vidro de gelatina de seu esconderijo, no armário. Despejou todo o dinheiro que tinha no chão e contou-o cuidadosamente, três vezes. O total tinha que estar exato. Não havia margem de erro. Colocou as moedas de volta no vidro com cuidado e fechou a tampa. Saiu devagarzinho pela porta dos fundos e andou cinco quarteirões até chegar à farmácia. Esperou pacientemente que o farmacêutico a visse e lhe desse atenção, mas ele estava muito ocupado no momento. Ela, então, esfregou os pés no chão para fazer barulho, e nada! Limpou a garganta com o som mais alto que pôde, mas nem assim foi notada.

Por fim, pegou uma moeda e bateu no vidro da porta. Finalmente foi atendida! O que você quer? Perguntou o farmacêutico com voz aborrecida. Estou conversando com meu irmão que chegou de Chicago e que não vejo há séculos, disse ele sem esperar resposta. Bem, eu quero lhe falar sobre meu irmão. Respondeu a menina no mesmo tom aborrecido. Ele está realmente doente... E eu quero comprar um milagre. Como? Balbuciou o farmacêutico admirado. Ele se chama Andrew e está com alguma coisa muito ruim crescendo dentro de sua cabeça e papai disse que só um milagre poderá salvá-lo. E é por isso que eu estou aqui. Então, quanto custa um milagre? Não vendemos milagres aqui, garotinha. Desculpe, mas não posso ajudá-la. Respondeu o farmacêutico, com um tom mais suave. Escute, eu tenho o dinheiro para pagar. Se não for suficiente, conseguirei o resto. Por favor, diga-me quanto custa. Insistiu a pequena. O irmão do farmacêutico era um homem gentil. Deu um passo à frente e perguntou à garota: Que tipo de milagre seu irmão precisa? Não sei. Respondeu ela, levantando os olhos para ele. Só sei que ele está muito mal e mamãe diz que precisa ser operado. Como papai não pode pagar, quero usar meu dinheiro.

Quanto você tem? Perguntou o homem de Chicago. Um dólar e onze centavos. Respondeu a menina num sussurro. É tudo que tenho, mas posso conseguir mais se for preciso. Puxa, que coincidência, sorriu o homem. Um dólar e onze centavos! Exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos. O homem pegou o dinheiro com uma mão e, dando a outra mão à menina, disse: Leve-me até sua casa. Quero ver seu irmão e conhecer seus pais. Quero ver se tenho o tipo de milagre que você precisa. Aquele senhor gentil era um cirurgião, especializado em neurocirurgia. A operação foi feita com sucesso e sem custo algum. Alguns meses depois, Andrew estava em casa novamente, recuperado. A mãe e pai comentavam alegremente sobre a sequência de acontecimentos ocorridos. A cirurgia, murmurou a mãe, foi um milagre real. Gostaria de saber quanto deve ter custado. A menina sorriu. Ela sabia exatamente quanto custa um milagre... Um dólar e onze centavos... Mais a fé de uma garotinha... situação, por pior que seja, que resista ao milagre do amor. Quando o amor entra em ação, tudo vence e tudo acalma. Onde o amor se apresenta, foge a dor, se afasta o sofrimento e o egoísmo bate em retirada.

Revista

.

JULHO/2018

3


Notícias

CVG-ES realiza reunião mensal A Diretoria do CVG-ES realizou sua reunião mensal no dia 12 de julho, na sede HDI Seguros, que teve como anfitrião o gerente da companhia Sandro Torres. Já há algum tempo, as reuniões têm sido realizadas nas sedes das mantenedoras, que oferecem o café da manhã.

O presidente do CVG-ES, Antonio Santa Catarina, falou sobre a importância da realização da “Primeira Jornada Capixaba do Seguro de Vida” e destacou que é necessário dar continuidade ao projeto, com novas ideias e planejamento para novas realizações.

Tecnologia As seguradoras tradicionais ficaram atrasadas na comparação com seus pares bancários no atendimento às demandas dos clientes, deixando-os “vulneráveis” aos concorrentes não tradicionais. Enquanto as companhias de seguros lutam para oferecer uma melhor experiência aos clientes, as BigTechs – grandes empresas de tecnologia como a Amazon e o Google – estão prontas para entrar no setor de seguros. No entanto, se as seguradoras forem capazes de melhorar sua agilidade digital e desenvolver modelos operacionais prontos para o futuro, elas terão a oportunidade de atrair e reter clientes para competir com essa disrupção. A conclusão faz parte do World Insurance Report 2018 (WIR ou Relatório Mundial de Seguros, em tradução), concebido pela Capgemini em colaboração com a Efma, que entrevistou segurados e empresas de 20 países, entre eles o Brasil.

Mais publicações para a biblioteca O acervo da Biblioteca do Seguro, na sede do Sincor-ES, foi ampliado com a aquisição de novas publicações. A Biblioteca é uma referência em assuntos ligados ao mercado de seguros e conta com mais de 600 publicações, entre especializadas, resultados de pesquisas e títulos de áreas afins, como administração e finanças. Corretores de seguros associados, seguradoras parceiras e respectivos funcionários podem ter acesso e tomar empréstimos. Confira no quadro as novas aquisições.

4

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

As novas aquisições – Condicionantes para a Aplicação da Sanção Administrativa de Multa Sobre o Infrator Pessoa Física, no Mercado de Seguros Privados Fiscalizados pela Susep; – Métodos Estatísticos Básicos em Seguros Gerais; – Princípios Jurídicos do Contrato de Seguro; – Revista Jurídica de Seguros; – Aspectos Atuariais e Contábeis das Provisões Técnicas; – A Cadeia de Saúde Suplementar no Brasil – Avaliação de falhas de Mercado e Propostas de Políticas; – Cadernos de Seguros, com as seguintes temáticas: Fraude - A Antítese do Seguro; O Novo Desafio em Seguros - “Piratas do Asfalto” ; e - Eventos Climáticos Extremos.

.

twitter.com/sincores


Notícias

Plano de saúde tem reajuste de 17% no mês de julho

O contrato do plano de saúde Unimed Norte será reajustado em 17% (dezessete por cento), após negociações feitas

com a operadora e representantes do Sincor-ES, por meio da Benevix Administradora de Benefícios, que é gestora do contrato. Os reajustes anuais são aplicados no mês de julho. As negociações tiveram início em abril, com proposta inicial de reajuste de 28,76%, encaminhada pela operadora. O reajuste tem por objetivo manter o equilíbrio do contrato e foi acordado após análise do histórico de utilização do plano em 2017. O valor reajustado será cobrado na mensalidade de julho.

Supremo Tribunal Federal suspende resolução da ANS

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, suspendeu na manhã do dia 16 a resolução da Agência Nacional de Saúde (ANS) que estabelece novas regras para a cobrança de coparticipação e de franquia em planos de saúde. A ANS havia publicado no final de junho a decisão que estabelece cobrança de coparticipação e de franquia em planos de saúde. Segundo a resolução normativa nº 433, os pacientes deverão pagar até 40% no caso de haver cobrança de coparticipação em

cima do valor de cada procedimento realizado. A ministra atendeu pedido de decisão liminar (provisória) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Segundo a entidade, a norma da ANS “desfigurou o marco legal de proteção do consumidor” e só poderia ser editada com aprovação do Congresso. Segundo a OAB, a resolução poderia ainda levar o consumidor a pagar até 40% do valor de consultas e exames, na forma de coparticipação, reajuste que considera “abusivo”. A entidade alegou que uma norma anterior, de 2008, do Conselho de Saúde Suplementar, órgão ligado à ANS, proibia coparticipação que caracterizasse “fator restritivo severo ao acesso aos serviços”. A OAB pediu uma liminar em razão de um “manifesto prejuízo aos consumidores”. Na decisão, Cármen Lúcia considerou que a “tutela do direito fundamental à saúde do cidadão é urgente”, assim como “a segurança e a previsão dos usuários de planos de saúde”. Fonte: G1, em 16/07/2018.

Educação

Como parte do seu rol de iniciativas voltadas à educação financeira, a Superintendência de Seguros Privados (Susep) desenvolveu um conteúdo customizado sobre seguros e capitalização para a plataforma de orientações para o consumidor financeiro do Banco Central do Brasil. Intitulada ‘É da Sua Conta’ e criada com o apoio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), a plataforma reúne casos práticos com informações didáticas sobre serviços financeiros em um curso online exclusivo para quem trabalha com a defesa do consumidor.

Resseguro

O segundo estudo divulgado pela Associação Brasileira das Empresas de Corretagem de Resseguro (Abecor-RE) aponta que 71% das empresas avaliadas acreditam que, nos próximos seis meses, a economia brasileira se manterá igual a atual, enquanto 29% acredita que piorará. Em março, entretanto, as companhias de resseguro se mostravam mais otimistas: 73% acreditavam que a situação melhoraria, enquanto 27% que se manteria igual. O índice também avaliou a percepção das Corretoras em relação à alteração da Resolução 168/2007 da Susep pela Resolução 353/2017, que apresenta novos parâmetros para a distribuição do resseguro no país.

Eletrônicos

Smartphones, tablets, notebooks e até câmeras fotográficas: além de manter as pessoas conectadas, o que esses equipamentos eletrônicos têm em comum é que podem ser incluídos em um seguro para garantir que você não fique no prejuízo em caso de roubo ou dano material. De acordo com o levantamento do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – (Idec) e da Market Analysis, o celular possui o menor tempo de vida útil em comparação a outros aparelhos eletrônicos, durando em média de três a cinco anos.

Revista

.

JULHO/2018

5


Notícias

Capemisa reformula seguro de vida para PME A Capemisa passou a comercializar o Seguro de Vida para Pequenas e Médias Empresas (PME) com ampliação nas garantias e assistências oferecidas. O PME é um seguro de vida flexível e de contratação imediata para funcionários de empresas de pequeno e médio porte. São oferecidos planos sob medida para diversas áreas de negócios e a contratação é feita pela internet, o que simplifica o processo. O plano oferece cobertura por morte qualquer causa (acidente ou doença), assistência funeral, invalidez permanente por doença ou acidente, despesas médicas hospitalares e cobertura para doenças graves, entre outros. Um dos diferenciais do plano é a extensão das coberturas a familiares e cobertura de doenças congênitas, além de assistência nutricional e uma rede de descontos em mais de 5 mil estabelecimentos em todo o país. O novo produto também oferece assistência vítimas de crimes, com atendimento médico e orientação no caso de roubos e furtos de documentos. E é possível contar, ainda, com a Assistência Flex, que oferece serviços de reparos domésticos, como encanador, chaveiro e eletricista.

O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, pôde conhecer o novo PME quando visitou o espaço da Capemisa no Congresso dos Corretores da Região Nordeste, realizado em Maceió. Na oportunidade, José Romulo foi recebido pelos executivos, Laerte Tavares Lacerda e Fábio dos Santos Meziat Lessa, respectivamente, presidente do Conselho de Administração e diretor Comercial da seguradora.

Previdência

O Fórum Nacional de Seguro de Vida e Previdência Privada, realizado pela FenaPrevi, debateu as principais mudanças que podem ocorrer a partir de uma eventual reforma previdenciária. Como a proposta ainda não foi aprovada, o Brasil possui uma idade mínima baixa para a aposentadoria (53 anos para homens e 48 anos para mulheres), o que preocupa líderes do setor. Segundo dados da pesquisa FenaPrevi-Ipsos, 43% da população brasileira dizem que a reforma da previdência é necessária; em contrapartida, 38% dizem o contrário, e 19% não souberam responde à questão.

Previdência 2

O estudo da FenaPrevi registrou que 48% dos brasileiros pretendem se aposentar antes dos 60 anos. Outro dado que chamou a atenção é que 17% dos entrevistados disseram não saber com qual idade se aposentar. “Em alguns países desenvolvidos, principalmente na Europa, as pessoas se aposentam após os 65 anos de idade. Aqui, elas querem começar a receber os benefícios da aposentadoria e continuar trabalhando.

Sincor-ES apoia missa para vítimas de acidentes de trânsito No dia 5 de agosto é comemorado o Dia Estadual em Memória das vítimas de acidentes de trânsito e os fiéis se reúnem para fazer orações por elas e também para chamar a atenção para a necessidade de respeito à vida, às leis e aos limites de velocidade. A missa foi realizada no Campinho do Convento da Penha, em Vila Velha, e tem o Sincor-ES como um dos co-patrocinadores da organização. O Espírito Santo é o 2º colocado em número de vítimas de acidentes de trânsito.

6

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Notícias

Churrasco da Confraria das Quintas

Punição

A Susep aplicou multa no valor de R$ 3 milhões à Associação Amigos Clube de Benefícios por julgar subsistente processo administrativo instaurado pela Coordenação-Geral de Julgamentos da autarquia. Essa associação descumpriu normas previstas no Artigo 17 da Resolução 243/11 do CNSP, que estabelece o valor das multas para quem realizar operações de seguro sem a devida autorização. A associação foi notificada do seu direito de interpor recurso ao Conselho de Recursos do Sistema Nacional de Seguros Privados, de Previdência Privada Aberta e de Capitalização – CRSNSP, o que deverá fazer no prazo de até 60 dias.

Benefícios

A Confraria das Quintas segue cada vez mais animada. O grupo reúne corretores de seguros, seguradores e outros convidados todas as quintas-feiras, no Shopping Vitória, para um almoço descontraído em que cada um paga suas próprias despesas

e escolhe onde quer comer. No dia 13 de julho, no entanto, a reunião foi um pouco diferente, pois foi realizada na casa do corretor de seguros e diretor do Sincor-ES Jaime Balbino, que serviu aos membros um delicioso churrasco.

Susep alerta para golpes No dia 12 de março, em função de novas denúncias sobre tentativas de golpe relacionados a contratos de seguro, a Susep divulgou nota em que reitera a importância do cuidado com a contratação de propostas aparentemente vantajosas, efetivadas sem a comprovação de uma fonte confiável. Há alguns anos, estelionatários vêm causando prejuízos a cidadãos, oferecendo o resgate de seguros e de planos de previdência adquiridos no passado, mediante o pagamento prévio de valores para a liberação de benefícios. Na nota a Susep informou que já encaminhou denúncia ao Ministério Público Federal (MPF) e à Polícia Federal com o objetivo de coibir tal prática. Segundo a Superintendência, na maioria das vezes, quando os estelionatários entram em contato com os consumidores, as empresas nas quais os seguros

foram contratados já encerraram suas atividades, encontrando-se em regime de liquidação extrajudicial. A nota esclarece, ainda, que o contato para o recebimento de valores é feito de maneira formal – por carta ou edital. Além disso, os liquidantes designados pela autarquia para vender os ativos das empresas em liquidação, com o objetivo de pagar seus credores, incluindo segurados e beneficiários, não solicitam, em hipótese alguma, pagamento prévio de qualquer valor para a liberação de direitos. A Susep alerta que qualquer ligação telefônica, e-mail ou contato feito por pessoa se identificando como seu representante, do CNSP e/ou de outros órgãos e entidades do setor de seguros, quando solicitado um pagamento prévio, trata-se de uma tentativa de golpe e deve ser denunciada imediatamente.

Os custos da saúde vêm aumentando ano a ano no mundo todo. De acordo com o Relatório Global de Tendências Médicas da Aon, realizado em 99 países, a inflação médica de 2018 deve chegar a 18% no Brasil. O estudo mostra que dentre as principais patologias que mais impactam os custos de saúde do País estão o câncer (68%), doenças cardiovasculares (66%), pressão arterial (54%), diabetes (48%) e doenças respiratórias (44%). A Pesquisa de Benefícios Aon, que contou com a participação de mais de 530 empresas, revelou que 70% das empresas redesenharam seus pacotes de benefícios no último ano.

Expansão

A expansão da Tokio Marine Serviços (TMS) segue em ritmo acelerado com a conclusão de sua implementação no Nordeste, mercado estratégico para a seguradora. Com uma receita que corresponde a 10,5% do mercado de seguros brasileiro, segundo números da CNseg, a Região foi a escolhida para integrar a segunda etapa da internalização do serviço de Assistência 24 horas. A implementação da TMS começa pela carteira de Automóvel, com a oferta de serviços como guincho, auxílio em pane seca, troca de pneus e carga de bateria, entre outros.

Revista

.

JULHO/2018

7


Notícias

Sem convênio sem atendimento Levantamento do DPVAT a população Os sindicatos de corretores de seguros, reunidos em Assembleia geral, decidiram, por unanimidade, interromper o atendimento ao público no que diz respeito à orientação, recepção de documentação, formatação e pré-regulação dos processos de sinistros. A decisão se estende às ações de seus conveniados que prestavam informações por meio de material de divulgação fornecido pelos sindicatos. A decisão de não mais atender às vítimas de acidentes de trânsito passou a valer no dia 1º de julho. A descontinuidade desse serviço de extrema relevância social, prestado pelos órgãos de representação dos corretores de seguros por cerca de duas décadas, foi motivado pela decisão da Seguradora Líder de mudar os termos do convênio que era mantido com as instituições. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, diz que a atitude da seguradora foi considerada intransigente, pois as novas condições propostas são incompatíveis com a estrutura necessária para a manutenção do serviço gratuito à população.

José Romulo destaca que a sociedade perde com a decisão da Seguradora Líder. “Foi uma posição unilateral e intransigente da Seguradora Líder e, com isso, perde toda a sociedade, especialmente os mais necessitados que, ao sofrerem um acidente de trânsito não terão a quem recorrer para receber suas indenizações. Na minha opinião, o caminho está aberto para a ação de atravessadores e aproveitadores, que nós combatíamos como o atendimento gratuito e de qualidade que prestávamos”, afirmou. Os sindicatos presentes à Assembleia acreditam que a Seguradora Líder também perde com o rompimento dos convênios, tanto na imagem quanto na própria gestão e credibilidade do Seguro DPVAT. No Espírito Santo, o Sincor-ES mantinha uma rede de parceiros para a divulgação da importância do seguro DPVAT e para o atendimento gratuito. “Nós tínhamos como parceiros a Política Militar, o Detran, Corpo de Bombeiros, Procons, Polícia Rodoviária Federal e muitos outros órgãos e instituições, entre eles, hospitais e escolas.

Atendimento realizados pelo Sincor-ES até junho

Uma pesquisa recente realizada pela consultoria de gestão de operações em segurança ICTS Security apresentou o panorama das empresas nas questões relacionadas à segurança corporativa. O levantamento conversou com 105 companhias brasileiras, sendo 79% de grande porte. Embora grande parte delas tenha um sistema de segurança em funcionamento, não há um planejamento que o torne eficaz. Em caso de fatores externos, cuja ocorrência foge ao controle das empresas, 72% das companhias ouvidas afirmam ter um plano de emergência preventivo, porém apenas 52% treinam seus colaboradores de acordo com as diretrizes do plano de emergência.

Premiação

A Unimed recebeu, em Nova Yoque, o prêmio World Branding Awards, que reconhece as principais marcas do ano globalmente. A empresa foi a única brasileira eleita na categoria Planos de Saúde do National Award, que é destinado àquelas que foram julgadas excepcionais em cada país participante. O World Branding Awards é realizado anualmente pelo World Branding Forum (WBF) entidade sem fins lucrativos que se dedica à avaliação e condecoração das marcas mais reconhecidas por consumidores de todo o mundo.

Confiram os números relativos aos atendimentos prestados pelo Sincor-ES relativos ao Seguro DPVAT neste primeiro semestre de 2018.

Insatisfação

CONFIRA O NUMERO DE PROCESSOS E VALORES INDENIZADOS

8

Meses de referência

Valores pagos creditados-R$

Processos liquidados

Observações

Janeiro

599.017,35

98

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

Fevereiro

423.113,97

66

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

Março

471.053,45

86

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

Abril

276.752,32

59

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

Maio

658.971,49

107

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

Junho

448.654,62

119

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

TOTAL

1.769.937,00

309

Pré-regulados pelo Sincor-ES e creditados pela Líder

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Usuários de planos de saúde em todo o Brasil demonstram insatisfação crescente com o setor. Além de desejarem trocar de operadora, buscam preços menores. Estudo da CVA Solutions mostra que 77% dos entrevistados mudariam de plano de saúde, sendo que 80% desses buscariam preço mais baixo. O setor de saúde privada segue perdendo beneficiários. Foram 3 milhões na crise. Ao final de março, eram 47,152 milhões de usuários. No seu auge, ao final de 2014, passou da marca de 50 milhões.


Sala de Visitas

Visita de comandos

Visita de negócios

O presidente do Sincor-ES recebeu, no dia 11 de julho, a visita do tenente-coronel José Augusto Picoli de Almeida, à época, comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar, que responde pelo policiamento ostensivo da Capital Vitória, e do futuro comandante daquele Batalhão, tenente-coronel Geovânio Silva Ribeiro. Os dois oficiais entregaram ao presidente José Romulo o convite, feito pelo comandante-geral da PM, coronel Alexandre Ofranti Ramalho, e pelo comandante do Comando de Polícia Ostensiva Metropolitano, coronel Antônio Marcos de Souza Reis, para a solenidade de Passagem de Comando do 1º Batalhão, realizada na quadra do 1º BPM, no bairro São Cristóvão, em Vitória.

Jean Wagner Reis Pereira, coordenador de Relacionamento da Benevix, visitou o presidente José Romulo da Silva, na sede do Sincor-ES, para discutir aspectos do convênio entre as duas instituições.

Quem também visitou o Sincor-ES nos meses de Maio e Junho Nelson Rodrigues de Morais e Eremar Moraes Viana, respectivamente, consultor Comercial e superintendente Comercial Regional da Capemisa, em uma visita de cortesia. Na oportunidade, o presidente José Romulo recebeu o representante comercial da Patrick Ribeiro Show, Matheus Tetzlaff, que formalizou o convênio entre as duas empresas.

Também visitou o sindicato, a gerente de Vendas da Seguradora JMalucelli, Kathywska Tavaresm, que estava acompanhada do corretor de seguros Fernando de Melo.

Revista 6119_CAMPANHA_LYOTO_Anuncio Revista_SincorES_180x40.indd 1

.

JULHO/2018 02/05/18 17:53

9


Combate à Pirataria do Seguro

Projeto de Lei Complementar aprovada na Câmara

De autoria do deputado federal Lucas Virgílio, o Projeto de Lei Complementar originário do PL 3139/15, que trata da regulamentação da proteção veicular, foi aprovado na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, no dia 22 de maio. O projeto tem sido considerado de grande importância para o mercado de seguros e, especialmente, para os corretores de seguros. Mas, ainda não se estabeleceu de que modo o corretor poderá comercializar esse tipo de produto e em que condições.

A lei aprovada, cria na prática, regra claras para a atuação das associações veiculares, que comercializam coberturas securitárias à margem da Lei. Essas associações passam a ser equiparadas às seguradoras, tendo os iguais deveres e obrigações. Com as mudanças, as associações terão que comprovar a constituição de fundos especiais, reservas técnicas e provisões garantidoras, além de ter como responsável pelas contratações, os corretores de seguros. O texto prevê que essas associações paguem impostos como as seguradoras tradicionais e sejam submetidas à fiscalização da Superintendência de Seguros Privados (Susep). As cooperativas também precisarão cumprir as leis de proteção do consumidor. O deputado Vinicius Carvalho (PRB-SP), relator do projeto de lei, diz que as regras serão as mesmas com as devidas ponderações em função do tamanho das cooperativas e associações.

O que estão dizendo sobre o projeto A Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg) e a FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais) emitiram nota sobre o tema, reforçando a importância da medida. “A regulação das cooperativas de proteção veicular é fundamental conquista para a preservação dos direitos do consumidor e a manutenção da justa concorrência”, diz o texto assinado pelas entidades, que também reforçam a importância da participação dos corretores nessas associações e cooperativas. Em conjunto com a Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor) e a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), a CNSeg e a FenSeg elaboraram uma cartilha para explicar os riscos de quem adquire produtos oferecidos por associações e cooperativas. Em síntese, o documento explica que esse modelo de negócios não é fiscalizado. Um

cenário que deve mudar caso a atuação dessas entidades seja mesmo regularizada. “O cerco às associações que vendem a chamada “proteção veicular” está se fechando e a PL 3139/15 do deputado Lucas Vergílio é o mais novo aliado nesta causa que afeta a comercialização de seguros”, disse o presidente Jayme Torres, em almoço realizado com os associados. Ele lembrou o “poder de lobby” destas empresas, que já chegam a 45 mil em todo Brasil e contam com 7 mil associados. Gustavo Doria, diretor executivo do CQCS, falou sobre o assunto no programa Pare e Pensa. Segundo ele, ainda há um longo caminho a ser percorrido e as associações ainda terão um prazo de 180 dias para se adequarem à nova legislação. “É preciso esperar para ver quais associações e cooperativas irão conseguir se enquadrar às mudanças”, disse.

Recusa

A juíza de Direito Débora Maria Barbosa Sarmento, da 7ª vara Cível do Rio de Janeiro, julgou improcedente pedido de família para que uma seguradora fosse condenada ao pagamento de indenização decorrente de seguro de vida contratado pelo falecido. A magistrada reconheceu que o evento causador da morte não estava coberto pelo contrato. Consta nos autos que o homem faleceu em decorrência de doença crônica e degenerativa e que a família teve negado o pagamento de indenização de seguro de vida pela seguradora sob a alegação de que contrato não previa a cobertura em decorrência de doença, mas sim de acidente pessoal, aquele que o segurado pode sofrer de forma súbita, violenta, imediata e involuntária.

Mídias sociais

A Federação Nacional de Capitalização (FenaCap) lançou no dia 16, nas mídias sociais e em portais noticiosos, a campanha “Você é o melhor amigo do seu dinheiro”. A iniciativa é parte dos esforços de educação financeira desenvolvidos pela entidade no âmbito do Programa de Educação em Seguros, da Confederação Nacional de Seguros Gerais (CNseg). As ações estão alinhadas à Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), criada pelo Governo Federal, que rapidamente obteve o engajamento de instituições como a CNSeg e das quatro federações empresariais a ela vinculadas.

Minorias

A Seguradora Zurich vem se destacando com ações de inclusão de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros. A companhia acaba de se consagrar como parte da rede Stonewall’s Top Global Employers – organização de direitos humanos que advoga em favor da causa LGBT+. A empresa é a única seguradora do mundo a receber o selo e, agora, faz parte do seleto grupo de 13 empresas que atingiram o feito.

Seguro de Vida e

Acidentes em Grupo para atender as

exigências sindicais 10

www.sincor-es.com.br

.

4000-1989 facebook.com/sincores

.

- comercial@pasi.com.br - www.pasi.com.br twitter.com/sincores

/seguroPASI


Combate à Pirataria do Seguro

“Não podemos achar que será fácil” esse produto, serão beneficiados, não tenho dúvidas.

O Sincor-ES, já há algum tempo, vem alertando a população e seus representados sobre os riscos de contratação de proteção veicular com associações e cooperativas. Além disso, tem sido protagonista de um intenso movimento de denúncia da prática irregular de comercialização de produtos securitários sem a devida autorização e fiscalização da Susep. O presidente José Romulo da Silva, vê com otimismo a aprovação do projeto de lei de autoria do deputado Lucas Vergílio, que regulamenta a comercialização das proteções veiculares. Mas, ele destaca que, apesar do ganho legal, ainda há muito “chão” a ser percorrido até que os “seguros-piratas” deixem de existir. Nessa entrevista, José Romulo fala sobre o assunto e sobre o que acredita ser um grande desafio para essa regulamentação. REVISTA SINCOR-ES – O senhor acredita no fim da comercialização ilegal de seguros com a aprovação do PL 3139/15? José Romulo da Silva – Eu acredito que a legislação é uma conquista do mercado de seguros e, principalmente, dos corretores de seguros e dos consumidores. Ela vem em boa hora e é fruto de muita discussão. Não há dúvidas que uma legislação que estabelece regras claras para a comercialização dos produtos e prevê punições para o descumprimento oferece mais segurança jurídica e comercial. Os corretores, sendo os únicos com autorização para comercializar também

As associações, pela lei, serão equiparadas às seguradoras e terão que se adequar. Que desafios o senhor vê para que isso se efetive? Eu vejo um problema aqui. A lei está certíssima em fazer tal equiparação. Afinal, se as associações vendem produtos securitários, elas devem ter regras para isso, inclusive do ponto de vista da tributação e das exigências de reservas técnicas. Mas, penso que é preciso encontrar formas de adequação. Há muitas associações que não terão condições de cumprir tudo o que a lei manda no prazo estabelecido para isso. Não vejo uma solução a curto prazo e de forma simples. Acho que ainda há um longo percurso, há muito chão ainda a ser percorrido para que consigamos chegar a algo perto do ideal. O senhor acha que acaba o mercado marginal de seguros? Nossa expectativa é que sim, que acabe, e que consumidores tenham mais tranquilidade ao adquirir uma proteção veicular. Mas, não podemos achar que isso será fácil. Assim como as associações encontraram um jeito de comercializar à margem da lei, não há garantias de que elas irão simplesmente fechar as portas se não se adequarem. É possível que se criem alguns arranjos, que haja fusões, mas também é possível que o mercado marginal apenas fique mais fácil de ser identificado. Os corretores ganham com isso? Esse é outro ponto que vejo com reservas, apesar do otimismo do mercado. As associações não terão apenas que se adequar do ponto de vista legal, das reservas e dos impostos; elas terão que investir em estrutura de atendimento do corretor e isso exige não apenas custos como conhecimento. Será preciso investir em tecnologia, em atendimento, em sistema de comissionamento. Se tudo ocorrer conforme manda a legislação, os corretores, com certeza, terão um novo nicho a explorar. Mas, a legislação apenas não garante a solução do problema.

Mais uma associação que é intimada A Susep publicou, no Diário Oficial da União do dia 2 de julho, mais uma intimação para uma cooperativa que comercializa a chamada “proteção veicular”. Desta vez, o alvo da autarquia foi a Associação Conquistense dos Transportadores de Carga (ACONTRAN), acusada de atuar irregularmente como seguradora sem a devida autorização legal. A associação terá, a partir da notificação, 30 dias de prazo para apresentar sua defesa. Além disso, a Susep informou que, acolhidas as razões da representação, a associação estará sujeita à penalidade de multa. O acesso ao processo se encontra à disposição dos dirigentes da associação na sede da Susep, que fica na cidade do Rio de Janeiro. Fonte: CQCS, em 03/07/2018.

Capitalização

Nos cinco primeiros meses do ano, as 17 empresas representadas pela Federação Nacional de Capitalização (FenaCap), faturaram, juntas, R$ 8,6 bilhões. Em comparação ao mesmo período do ano passado, o montante representa um crescimento de 8,1%, num universo de 17 milhões de clientes com títulos ativos. Ainda de acordo com os dados divulgados pela FenaCap, o valor das provisões técnicas – os recursos acumulados e, posteriormente, resgatados pelos clientes antecipadamente, ou no fim da vigência – também cresceu, fechando o período com R$ 29 bilhões, aumento de 2,7%. A cada dia útil do período, as empresas de Capitalização pagaram o equivalente a R$ 4,3 milhões em sorteios. O Sudeste foi a região que recebeu o maior volume de prêmios. Ao todo, foram R$ R$ 199 milhões distribuídos para os clientes dos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Revista

.

JULHO/2018

11


12

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Mercado

Programação do 18º Conec está no site do evento do seguro” e “Todos juntos construindo o nosso futuro!”. Além das palestras, o evento ainda vai oferecer os shows dos cantores Thiaguinho e Luan Santana, a Exposeg, feira de negócios com as principais empresas do mercado de seguros, uma alimentação diferenciada no Parque Gastronômico e diversos sorteios de automóveis. As informações podem ser conferidas no hotsite do evento (http://conec2018.com.br)

1º dia - 27 de setembro

19h00 - Entretenimento – Pré-abertura 20h00 - Cerimônia de Abertura 20h30 - Abertura Exposeg

2º dia - 28 de setembro O Sincor-SP divulgou a programação da 18ª edição do Conec, que vai abordar temas com foco no futuro da corretagem de seguros. O evento acontece entre 27 e 29 de setembro, no Transamerica Expo Center, em São Paulo. Serão abordados: perspectivas sobre as mudanças no ramo de automóvel com a chegada dos carros autônomos, novo formato de negócios com as insurtechs, desafios da longevidade nos seguros de pessoas e empreendedorismo. No primeiro dia do evento, os congressistas vão acompanhar uma atração de entretenimento, seguida da cerimônia de abertura. No segundo dia, o 18º Conec apresentará as palestras “Papel do mercado de seguros na construção do futuro”, “O carro do futuro e o mercado de seguros”, “Visão de futuro para um Brasil melhor” e “Empreendedorismo de futuro”. Já no terceiro dia, os profissionais devem assistir aos temas “Insurtech: tecnologia do presente, preparando o futuro da corretagem de seguros”, “Longevidade: Vida, Previdência, Saúde – O homem e o futuro

09h00 - 1º Sorteio 09h10 - Papel do mercado de seguros na construção do futuro 10h30 - Coffee Break 11h00 - 2º Sorteio 11h10 - O carro do futuro e o mercado de seguros 12h00 - Almoço 14h00 - 3º Sorteio 14h10 - Visão de futuro para um Brasil melhor 15h30 - Coffee Break 16h00 - 4º Sorteio 16h10 - Empreendedorismo de futuro 20h30 - Show com Thiaguinho

3º dia - 29 de setembro

09h00 - 5º Sorteio 09h10 - Insurtech: tecnologia do presente, preparando o futuro da corretagem de seguros 10h30 - Coffee Break 11h00 - 6º Sorteio 11h10 - Longevidade: Vida, Previdência, Saúde – O homem e o futuro do seguro 12h00 - Almoço 14h00 - 7º Sorteio 14h10 - Todos juntos construindo o nosso futuro! 15h30 - 8º Sorteio 15h40 - Cerimônia de Encerramento 16h30 - Coffee Break 20h30 - Jantar e show de encerramento com Luan Santana

Pós-graduação Voltados para profissionais que ocupam cargos de gestão ou buscam construir carreiras executivas no mercado de seguros, os programas de MBA da Escola Nacional de Seguros estão com inscrições abertas no eixo Rio-São Paulo. São três opções, com aulas a partir de agosto. O MBA Gestão de Seguros e Resseguros visa aprofundar os conhecimentos dos gestores das áreas de Seguros, Resseguro, Previdência Privada Aberta e Saúde Suplementar. O curso está com vagas para a turma do Rio de Janeiro (RJ), com início das aulas previsto para 9 de outubro. As inscrições estão abertas até 24 de setembro e aqueles que efetuarem matrículas até 10 de agosto têm 10% de desconto no valor do curso.

Pós-graduação 2 Realizado no Rio e em São Paulo, o MBA Gestão Jurídica do Seguro e Resseguro apresenta conhecimentos técnicos e jurídicos direcionados ao mercado de seguros e resseguro. Na capital fluminense, os alunos inscritos até o dia 19 de agosto têm desconto de 5%. Também com vaga nas duas cidades, o MBA Gestão de Riscos e Seguros explica os processos de tomada de decisão referentes ao gerenciamento de riscos, as alternativas para o seu tratamento e mitigação e variados problemas de cobertura securitária. Para todos os programas, a Escola oferece 10% de desconto para empresas sindicalizadas e 5% para as não sindicalizadas. Para se inscrever e obter mais informações sobre os MBAs, acesse mba.escolanacionaldeseguros.com.br

Amigo do Seguro

Mais de 10 mil ped idos de recadastramento indeferidos Do total de 55.337 pedidos de recadastramento de corretores de seguros, pessoas físicas, recebidos pela Susep, 19% (10.493) foram indeferidos pela autarquia. Na contrapartida, outros 44.010 profissionais já estão com sua situação regularizada e podem operar normalmente, além de estarem aptos a pedir a sua carteira de identidade profissional. Segundo o último levantamento feito pelo Ibracor – que foi divulgado no dia 16 de julho – há ainda 339 processos em “exigência preliminar” ou “revisão segunda exigência”. Além desses, 318 não foram finalizados. De acordo com a autorreguladora, os corretores cujos pedidos foram indeferidos estão, neste momento, sem registro profissional e assim permanecerão até que regularizem sua situação na autarquia, o que deve ser feito através de uma nova solicitação de recadastramento por meio do seguinte endereço eletrônico: https://www2.susep.gov.br/safe/ menumercado/CadastroCorretores/inicioPesFis.asp?modulo=RF

“Um jogo onde todos ganham”. É desta forma que o gerente regional de São Paulo da Escola Nacional de Seguros, Ronny Martins, define o programa Amigo do Seguro, promovido pela Instituição. O projeto foi tema de palestra conduzida pelo executivo no Congresso Nacional de Inovação, Trabalho e Educação Corporativa (Conitec 2018), realizado no Rio de Janeiro (RJ), no dia 5 de junho. O evento é bianual e debate temas relevantes sobre capacitação, desenvolvimento e educação de trabalhadores. Martins apresentou os resultados do programa Amigo do Seguro, que oferece qualificação profissional a jovens de escolas públicas, com idade entre 16 e 20 anos. Revista

.

JULHO/2018

13


Mercado

Contratação via assinatura digital A Icatú Seguros comercializa seguros de vida individuais por meio de assinatura digital, que utiliza a criptografia e vincula o certificado digital do documento eletrônico assinado, dando garantias de integridade e autenticidade ao processo. No Projeto Mobilidade, a plataforma está integrada à Casa do Corretor, portal em que o especialista apresenta os produtos da companhia, faz simulações e

acompanha o processo de aceitação e contratação dos planos. A tecnologia está disponível também por APP e pode ser aplicada a todos os produtos do portifólio de Vida da empresa. As formas de pagamento são as mesmas neste formato. Brevemente a seguradora trará novas funcionalidades para a Casa do Corretor, para contratação de planos de previdência privada.

Sul América reúne corretores para falar de seguro de vida A SulAmérica Seguros reuniu corretores de seguros na sede do Sincor-ES, no dia 12 de julho, para falar sobre novidades do Seguro de Vida e DIT. O encontro, que reuniu profissionais de todo o Estado, contou com a presença de executivos locais e da equipe de relacionamento dos produtos apresentados.

Vanessa Coleto e Rodrigo Alfredo de Souza, que apresentaram os diferenciais de seus produtos aos profissionais presentes, foram acompanhados do principal executivo da SulAmérica no Espírito Santo, Pietro Masello. A seguradora ofereceu um café da manhã para os participantes do encontro.

Novo diretor A Sompo anunciou o nome de Rogério Santos como novo Diretor Técnico do Produto Automóvel. O executivo assume a posição com o desafio de contribuir com as políticas e estratégias voltadas à essa carteira. Formado em Administração de Empresas (UNICEP) e com MBA em Gestão de Mercado de Seguros (CUML/Funenseg), Rogério Santos tem 23 anos de experiência em cargos executivos de grandes companhias nacionais e multinacionais do segmento de seguros. O executivo foi responsável por projetos de desenvolvimento e reestruturação de equipes de vendas. Ele está na Sompo Seguros desde 2016, quando assumiu a Superintendência Regional do Interior de SP.

Simples Nacional Mais de 312 mil negócios excluídos do Simples Nacional, em janeiro, terão a chance de retornar ao regime ainda este ano. O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou em junho o Projeto de Lei Complementar 500/18 que trata desse assunto. De acordo com a lei, para retornarem, os empresários deverão aderir ao Programa Especial de Regularização Tributária da microempresas e empresas de pequeno porte. A lei entrou em vigo em abril deste ano.

Mercosul Até 1º de dezembro, novas placas, padrão Mercosul, devem ser instaladas nos veículos que forem registrados e que estejam em processo de transferência de município ou de proprietário. A troca é opcional para os veículos já emplacados, mantendo os números originais no cadastro. Até 2023, toda a frota nacional terá placa revestida com película retrorrefletiva e fundo branco com margem superior azul. É bom preparar o bolso, porque o preço vai subir.

14

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Mercado

Banestes Seguros vence mais uma vez Recall de A Gazeta

A Banestes Seguros é pela décima terceira vez a campeã do Recall de Marcas do jornal A Gazeta no segmento Seguros. A pesquisa é a mais importante do Espírito Santo e está na sua 26ª edição. A seguradora recebeu o prêmio no dia 28, em festa promovida pela organização do recall. Vale destacar que, nos 14 anos

em que o segmento de Seguros é incluído no Recall, a Banestes Seguros ganhou 13 vezes, competindo com as maiores seguradoras do Brasil. A aferição da preferência do capixaba foi feita pelo Instituto Futura, sendo analisados outros 70 segmentos e determinando, em cada um deles, a marca prefe-

Seguros de vida teve crescimento em 2017 O mercado de seguro de pessoas, que inclui seguros de vida, de acidentes pessoais, viagem e educacional, entre outras modalidades de proteção, fechou o ano de 2017 com R$ 34,53 bilhões em prêmios, resultado 10,90% superior na comparação com os R$ 31,13 bilhões registrados em 2016. O valor se refere ao montante pago pelos segurados na contratação de coberturas de seus riscos pessoais, de acordo com dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida

(FenaPrevi). Com a retomada do crescimento econômico, nossa expectativa é manter o ritmo da expansão, com mais brasileiros contratando seguros para proteção pessoal e familiar, disse Edson Franco, presidente da entidade. Os seguros coletivos de empresa oferecidos em forma de benefício aos colaboradores, de sindicatos e associações de classes para adesão de seus associados, responderam por 77% do total do resultado do segmento. Os seguros individuais contratados por pessoas física, representaram 23%.

rida do público. Para o diretor-presidente da Banestes Seguros, Otacílio Pedrinha de Azevedo, o resultado do Recall é um reconhecimento da “solidez, credibilidade e presença da empresa na vida do cliente, a quem são apresentados produtos desenvolvidos especificamente para os capixabas e para o Espírito Santo”. Pedrinha avalia que “ser a marca mais lembrada é uma conquista para poucos e, por isso, merece de fato reconhecimento”. Ele vê o resultado do Recall de Marcas como uma demonstração de confiança dos capixabas na seguradora. “É uma forma de o capixaba afirmar que confia na Banestes Seguros, vendo sua atuação em favor do Espírito Santo e seu envolvimento na economia estadual”, declara. A pesquisa Recall de Marcas é espontânea, com o pesquisador solicitando ao entrevistado que cite as marcas de sua preferência. Como não há apresentação dos nomes das marcas, o pesquisado cita aquelas que efetivamente estão na sua lembrança. A Banestes Seguros está há 47 anos no mercado e é a única seguradora 100% capixaba. Em 2017, o lucro líquido obtido pela empresa foi de R$ 23 milhões, aumento de 30% comparado com o ano anterior.

Inovação

A cidade de São Paulo sedia, nos dias 1º e 2 de agosto, o maior encontro em Inovação de Seguros da América Latina: o CQCS Insurtech & Inovação. O evento internacional acontece no Villa Blue Tree São Paulo e reúne as mais modernas seguradoras do mercado, insurtechs, aceleradoras, investidores e empreendedores do setor. O evento tem como objetivo estimular o desenvolvimento do market place de inovação e insurtech no Brasil e América Latina. Para isso, a dinâmica do CQCS Insurtech & Inovação será muito similar à praticada no InsureTech Connect (ITC), maior encontro sobre tecnologia de seguro e inovação digital do mundo.

Revista

.

JULHO/2018

15


PRF-ES

Número de mortes e acidentes nas rodovias federais diminui durante o 1º semestre de 2018

A Polícia Rodoviária federal é responsável não só pela fiscalização nas rodovias federais, como também pela segurança viária, atuando na fiscalização de veículos, pessoas, irregularidades, apreensões, prisões, atendimentos a acidentes e toda estrutura necessária a cumprir seu papel ostensivo nas rodovias federais. Durante os seis primeiros meses de 2018, a PRF apontou diminuição no número de acidentes, mortos e feridos, em comparação ao mesmo período do ano anterior. As rodovias federais no Espírito Santo apresentaram diminuição de 16,24% em acidentes, ou seja, 242 ocorrências a menos com relação a 2017. Já na quantidade de feridos, houve queda de 14%.

A PRF apresenta queda expressiva na quantidade de mortes nas rodovias federais do estado, reduzindo-se em quase 50%, tendo como observação, que em 2017 houve o registro de 41 mortes a mais, em comparação ao ano de 2018. RANKING DAS 10 PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES 2017/2018

Os tipos de acidentes elencados são considerados os 10 mais graves no primeiro semestre de 2017 e 2018, tendo como a causa principal, a falta de atenção à condução, que apesar de ter diminuído em 15,20% nos acidentes e 18,18% no número de mortes em relação ao ano passado, ainda continua sendo um fator altamente preocupante, já que atenção e concentração são requisitos fundamentais aos que conduzem veículos. Usar o celular para conversas ou troca de mensagens enquanto dirige é um risco, já que esse comportamento, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) aumenta em até 400% a chance de acidente. Mas, além do uso do celular ao volante, outros comportamentos também devem ser evitados pelo motorista consciente. Por exemplo, comer, beber, maquiar-se ou realizar qualquer outra ação que o distraia da tarefa principal quando está ao volante. Ao fazer qualquer outra atividade o condutor passa a usar uma única mão para dirigir e seu tempo de reação acaba sendo reduzido. Para contribuir no sentido de que acidentes sejam evitados, a PRF recomenda atenção total à direção e aconselha aos motoristas as seguintes posturas:

• Jamais use o celular para falar ou trocar mensagem enquanto dirige. Mais do que multa e pontos no prontuário, utilizar o equipamento ao volante pode significar a possibilidade de acidente de graves proporções. Desconecte. Só atenda ou envie mensagem com o veículo estacionado em local seguro. • Deixar o celular no viva-voz ou usar fone de ouvido não garante maior segurança como se pode supor. Esses equipamentos roubam até 40% de sua concentração. • Nunca use os espelhos do veículo para maquiar-se ou arrumar o cabelo. • Não acenda cigarro ou fume enquanto estiver dirigindo. Embora fumar enquanto dirige não seja proibido pelo CTB (Código de Trânsito Brasi-leiro), essa ação vai te distrair. Além disso, é comum que motoristas fumantes deixem o braço para fora na tentativa de evitar fumaça no interior do veículo ou para jogar fora a cinza, passando a segurar o volante com apenas uma das mãos. Isso é proibido pelo CTB. • Evite conversas acaloradas ou discussões com outros ocupantes do veículo. • Procure não deixar aparelhos como rádio em alto som. Além de distraílo, o alto som pode impedir de que sejam ouvidos eventuais barulhos que o veículo possa emitir indicando algum problema. • Dirija quando estiver descansado e depois de ter se alimentado e dormido bem. • Placas de publicidade podem também distrair motoristas. O mesmo se dá quando se está dirigindo e procurando um endereço. Essas distrações respondem por 7% das colisões traseiras.

Ao longo dos anos, a PRF vem trabalhando com ações de educação para o trânsito buscando atingir todas as gerações, não só com preceitos legais, mas também, com o incentivo a atitudes e responsabilidades que contemplem aspectos de ética à cidadania. O trânsito é dever e direito de todos. Adotar atitudes prudentes e compatíveis com as normas de trânsito é necessário para a segurança de todos.

16

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Entrelinhas

Sobre cabelos brancos e histórias * Por Marcilene Forechi

Quando era criança, ouvia minha mãe falar de como seria o mundo no ano 2000. Na verdade, ela falava sobre o fim do mundo. “Mil passarão, mas dois mil não chegarão”, era o que dizia. E eu fazia as contas para saber quantos anos teria no ano 2000. Trinta e cinco… “seria uma velha”, pensava. A velhice era algo assustador, e o temor de envelhecer era alimentado diariamente pela minha mãe. Lembro-me dela, em frente ao espelho, passando base e pó de arroz: “Velhice é uma praga, não sei porque temos que envelhecer”… E seguia o ritual de maquiar, passar batom, pentear os cabelos, sempre tendo o cuidado de arrancar os brancos. Não me lembro muito bem o que eu pensava na época. Fosse hoje, diria para ela que envelhecer é parte da vida e a única alternativa à morte prematura. Minha mãe foi uma mulher bonita, de cabelos pretos, que passou a tingir de louro pouco depois dos 40, quando os brancos começaram a incomodá-la. Ela já tinha trinta e dois anos quando nasci, a segunda entre quatro filhas. Não se preparou para envelhecer. Desejava tanto ser eternamente jovem que passou a acreditar nisso. Não posso julgá-la. Ao chegar aos 50, me vejo diante do

espelho perguntando o que eu fiz nesses anos todos. Vejo minha história sendo contada ali, na minha cabeleira preta que insiste em branquear. Ao contrário da minha mãe, não penso em clarear os cabelos. Decidi assumi-los, para horror de algumas amigas. E assumir os brancos é, decididamente, assumir que estou envelhecendo. Nessa horas, sempre me pergunto o que, de fato, isso significa e por que as pessoas temem algo do qual não somos capazes de escapar. Há pouco tempo, li em algum lugar, que não vou me lembrar agora (um sintoma da velhice que se aproxima?), que os humanos irão viver cada vez mais e que isso fará com que sejamos obrigados a conviver com a velhice, com a idade e com as limitações que ela nos impõe. Não necessariamente. Em uma conferência realizada em Nova Iorque em 2013 (Global Future 2045 World Congress), o engenheiro do Google Ray Kurzweil afirmou que o avanço da tecnologia permitirá reprogramar células para se “livrar” de doenças e, também, gerar tecidos em impressoras 3D. A tecnologia não promete apenas nos livrar dos efeitos da velhice como nos tornar seres imortais. Essa ideia subverte a lógica com a

qual estamos acostumados a pensar a velhice: não mais como aquela que nos anuncia o final da vida, mas como uma parte significativa dela. Mais tempo de vida pode sugerir mais tempo para realizar, para produzir, para vivenciar experiências que não nos foram permitidas em tempos de juventude. Ainda assim, a tecnologia não nos diz o que fazer com nossas vidas velhas. Também não mostra como iremos resolver questões como relacionamentos, trabalho, lazer, convivência. Talvez, haja avatares, como no filme Substitutos, ou cérebros sendo reprogramados para “viver” como sistemas operacionais... Se a velhice não nos levará mais a pensar na morte, resta saber para que servirá viver tanto tempo assim.

*Jornalista, mestre em Educação e Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Produz conteúdo e presta consultoria na elaboração de projetos de comunicação, educação corporativa e relacionamentos profissionais. Ministra cursos e palestras voltados para o aperfeiçoamento pessoal e profissional, redação criativa, mídias sociais e comunicação organizacional. E-mail: marcileneforechi@terra.com.br

Revista

.

JULHO/2018

17


Social Por Boris Narjack

Presidente participa de solenidade da PMES A convite do comandante-geral da PMES, coronel Alexandre Ofranti Ramalho, e dos tenentes-coronéis José Augusto Piccoli de Almeida e Geovânio Silva Ribeiro, o presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, participou da solenidade de

Passagem de Comando do 1º Batalhão da corporação. O evento foi realizado no dia 13 de julho, na quadra de esportes do próprio Batalhão, no bairro São Cristóvão. O 1º Batalhão da PMES é responsável pela segurança Ostensiva de Vitória.

Torneio de Futebol do Mercado Segurador ES Luiz Amaury Gontijo, Jair Rogério de Carvalho e Marcos Henrique Sales, todos membros do CVG-ES, estiveram reunidos na sede do Sincor-ES para começar os preparativos do Torneio de Futebol do Mercado Segurador Capixaba, este ano o troféu será uma homenagem ao ex-diretor do Sincor-ES, Wilson Hirata.

Altas competências O presidente do Sincor-MA, Lúcio Araújo da Cunha, inscreveu sua poesia denominada “Desespero” no “Primeiro Congresso Mundial da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores”, que será realizado em São Luiz, no mês de setembro. Lúcio Cunha recebeu o título de Lions Internacional, elevando-o a exercer o cargo de Assessor Especial da Presidência do Conselho de Governadores do Distrito Múltiplo LA Brasil 2018/2019.

18

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Torcedores do futuro O Brasil perdeu a Copa, mas a Revista Sincor-ES não perde a oportunidade de mostrar aos leitores a animação dos jovens torcedores da Seleção Brasileira. Guarde esses nomes: Beatriz D’ Lá Guardia, neta do presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva; Antonio Mateus e Beatriz, neto e neta do presidente do CVG-ES, Antonio Santa Catarina.


Artigo jurídico

“A importância do RC Profissional para o corretor de seguros” * Por Elias Moscon

A responsabilidade do corretor de seguros, a cada dia que passa, vem aumentando consideravelmente, estando ele passível a responder judicialmente por falhas na prestação de serviços, inclusive, por erros na transmissão de informações à seguradora ou até mesmo por uma negativa da seguradora em indenizar o segurado ou seu beneficiário. O art. 723 do Código Civil, é bem claro ao dispor que “o corretor é obrigado a executar a mediação com diligência e prudência, e a prestar ao cliente, espontaneamente, todas as informações sobre o andamento do negócio”, sob pena de responder por perdas e danos. Daí, a contratação do seguro de responsabilidade civil é justamente para garantir cobertura securitária ao corretor para os casos em que o mesmo venha responder por prejuízos causados ao segurado em função de ações ou omissões no exercício da sua atividade. Somente os corretores que já passaram por situações em que tiveram que reparar prejuízos causados ao segurado, sabem o quanto foi importante nesta hora ter um contrato de seguro RC PRO-

FISSIONAL, que lhe garante o reembolso dos valores despendidos não só com a reparação de danos, mas, também com gastos necessários para sua defesa, como honorários de advogados, depósitos judiciais, fianças, contratação de perito, entre outros. Não podemos esquecer o corretor de seguros lida com patrimônio de terceiros e que normalmente envolvem valores significantes, podendo inclusive, em alguns casos, superar o valor do patrimônio do próprio corretor. É nesta hora que a contratação de seguro de Responsabilidade Civil faz a diferença, vem amenizar os efeitos econômicos negativos que tais eventos podem causar. A contratação do seguro de RC PROFISSIONAL, por parte do corretor, deve guardar relação com a média dos valores das importâncias seguradas contratadas por seus clientes. Isso porque, em uma eventual condenação judicial, o corretor se encontraria precavido. Afinal de contas, essa é a função do seguro: proteção de risco. Análise da sua carteira influenciará diretamente no valor a ser contratado,

devendo cada qual escolher o valor que mais se aproxima a média dos contratos de seus segurados, acrescendo ainda valores para eventuais reparações de danos morais, despesas com advogado e custas de processo. Chegar ao valor ideal da importância segurada não é fácil, pois depende muito do tipo de carteira que o corretor possui, por exemplo, o corretor que trabalha com seguro automóvel, para se chegar a uma média, ele tem que levar em consideração não só o valor do veículo segurado, mas também a soma das importâncias das coberturas para terceiro. Infelizmente, tenho visto que na prática, a maioria não contrata ou quando contrata, o valor da indenização nem sempre é o valor ideal, considerando a carteira que o corretor possui. Não restam dúvidas quanto à importância do seguro de RC PROFISSIONAL para o corretor de seguros, sendo que todos deveriam contratar, mas, é bom lembrar que não basta contratar apenas por contratar, deve ser uma decisão inteligente, com analise criteriosa do risco que está sujeito.

Artigo elaborado por Elias Moscon, Assessor Jurídico SINCOR-ES, Professor da Escola Nacional de Seguros (Unidade-Vitória/ES) e advogado especialista em direito do seguro sócio do escritório Moscon Advogados, e-mail: eliasmoscon@moscon.adv.br; site: www.moscon.adv.br

TORNE-SE UM CORRETOR ESPECIALISTA. VOCÊ SÓ TEM A GANHAR. Como Corretor Especialista você dispõe de um pacote de vantagens e condições exclusivas como sorteios mensais e bônus anual. Entre em contato com o seu gerente comercial ou fale conosco: 0800 285 3002 | Filial Vitória: (27) 3314-6620 SAC Seguros e Previdência: 0800 286 0110. SAC Capitalização: 0800 286 0109. Ouvidoria: 0800 286 0047, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, exceto feriados. Revista

.

JULHO/2018

19


20

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Revista Sincor-ES nº250 Julho 2018  

Projeto de Lei Complementar PL 3139/15 aprovada pela Câmara dos Deputados.

Revista Sincor-ES nº250 Julho 2018  

Projeto de Lei Complementar PL 3139/15 aprovada pela Câmara dos Deputados.

Advertisement