Page 1

.


Opinião

Tempo de expectativas e incertezas! Em dezembro do ano passado, foi encerrado, pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), o processo de Recadastramento Obrigatório dos Corretores de Seguros Pessoa Física. Mesmo não tendo qualquer participação no processo, o Sincor-ES colaborou, quando solicitado, com a emissão do comprovante de que o profissional se encontrava em dia com o pagamento do Imposto Sindical nos últimos cinco anos. Também prestou informações voluntariamente a todos os corretores que procuraram a instituição com dúvidas sobre os procedimentos a serem tomados durante o recadastramento. E devo dizer que foram muitas as dúvidas e dificuldades apresentadas pelos profissionais, que encontraram, muitas vezes, o site da Susep fora de operação, ou tiveram que tentar, sem sucesso, completar uma ligação para a autarquia. Essa situação nos levou a disponibilizar o nosso Setor de Cadastro, de responsabilidade da funcionária Dagmar Alves, para prestar atendimento a todos os corretores de seguros que nos procuraram e não apenas aos associados. E fizemos isso por um motivo bem simples: acreditamos no nosso papel importante na atuação dos corretores de seguros dentro do mercado. E acreditamos também que já estava passando da hora de ser feito um levantamento que aponte para o real tamanho do mercado de corretagem de seguros no Brasil. Diante dos resultados preliminares do recadastramento, que apontaram para um número pequeno de profissionais, não tenho certeza se teremos essa resposta por parte da Susep. Mas, vale lembrar alguns fatos que se relacionam ao tema “recadastramento”. Quando o atual presidente da Fenacor, Armando Vergílio dos Santos Júnior, assumiu a Susep para o mandato de 2007 a 2010, ele deixou funcionando dentro da Federação um setor responsável pelo cadastramento e recadastramento dos corretores de seguros. O setor funcionava com agilidade e eficiência, inclusive com a emissão das Identidades Profissionais, oferecendo aos corretores um documento que os identificasse junto aos seus clientes e o mercado. Na gestão de Armando Vergílio, tanto na Fenacor como na Susep, nós corretores de seguros sempre nos sentimos valorizados como deveríamos ser. Isso foi um fato. Mas, infelizmente, esse período acabou e tudo mudou quando Luciano Portal Santanna assumiu a Susep. Penso que foi um grande período de azar para a categoria, pois o então superintendente se julgava acima do bem e do mal, demonstrava ter antipatia pelos corretores de seguros e as instituições que os representam, como se os considerassem desnecessários. Como dizem no popular, ele se julgava a “última cereja do bolo. Uma de suas primeiras medidas foi desarticular o setor de cadastramento e recadastramento da Fenacor, que era também responsável pelo atendimento aos sindicatos de corretores de seguros em todo o país. A alegação do superintendente foi de que aquela era uma obrigação da Susep e que os serviços, até então prestados, passariam a ser realizados pela autarquia, sem que os corretores tivessem que efetuar qualquer pagamento. Ocorre que, naquela época e ainda hoje, a Susep não tinha estrutura para realizar tais serviços. Após a saída de Luciano Portal Santanna, assumiu o comando da autarquia Roberto Westenberger. Suas atitudes iniciais nos sinalizaram para mudanças na relação com os corretores de seguros, principalmente no tocante à valorização da nossa participação no mercado de seguros como um todo. Mais uma vez, fomos enganados. Ele até tentou ser simpático. No Congresso Brasileiro realizado em Foz do Iguaçu, no ano de 2016, ele sacou do bolso uma Identidade Profissional, diante de um auditório lotado, afirmando que estas seriam emitidas a partir daquela data. Foi aplaudido pela categoria, eufórica. Logo em seguida, no estilo “bate e assopra”, anunciou que seria criada, em breve, a figura do agente de seguros. Felizmente, em julho de 2016, foi nomeado para o cargo de superintendente da Susep, o corretor de seguros, ex-presidente do Sincor-GO e secretário da Fenacor, Joaquim Mendanha de Ataídes. Foi o momento em que a categoria se sentiu valorizada novamente e voltou a sonhar com mudanças nas relações e novas propostas que melhorassem, de fato, as condições de atuação da categoria. Dentre as várias medidas adotadas pelo novo superintendente, uma de extrema importância foi a realização do Recadastramento Obrigatório, iniciando-se com os corretores pessoa física para depois ser realizado com as empresas corretoras e seguros, o que deve ocorrer em março deste ano. A importância do recadastramento obrigatório, como já mencionei, seria permitir que saibamos o número real de profissionais em atuação no mercado. Ainda não tivemos acesso aos números de todo o país, mas o levantamento feito no Espírito Santo nos deixou estarrecidos. Foram 1.117 corretores de seguros que não se recadastraram e apenas 554 fizeram o recadastramento, sendo, portanto, considerados ativos. Dentre os não recadastrados, apuramos que 26 haviam morrido. Entre os demais, há vários em atividades e profissões diversas, como engenheiros, professores, bancários, servidores públicos e comerciantes, entre outros.

José Rômulo da Silva Presidente do Sincor-ES

2

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

EXPEDIENTE

SEDE PRÓPRIA Endereço:- Rua Frederico Lagassa, Nº 30 Conj. 509/512 - Edf. Scheila - Bairro Gurigica, Vitória, Espírito Santo Site: www.sincor-es.com.br E-mail: sincor-es@sincor-es.com.br Diretoria Presidente: José Rômulo da Silva 1º Vice-Presid.: José Alexandre Cid Pinto 2º Vice-Presid.: Nicolau Marino Calabrez 1º Secretário: Renato Silva de Bittencourt 2º Secretário: Deusdete Mantovanelli 1º Tesoureiro: Antonio José Alvarenga Imperial 2º Tesoureiro: Leonardo Souza Bergamini Diretor Social: Luiz Amaury Gontijo Dir. Mark. e Eventos: Antonio Nelson B. Fortunato Dir. Informática: Jaime Balbino de Oliveira Dir.Rel.c/Merc.: Neudon de Almeida Valadão Suplentes Ana Júlia Merotto, Luiz Cláudio Firme Pina e Guilherme Moraes Rueda Conselho Fiscal Maria Angélica Batista, Rene Neves Farias e Reginaldo Correa da Costa Suplentes de Conselho Fiscal Santa de Luziê Laiber de Oliveira, Dagmar Alves Mauricio Machado e Luiz Ferdinando Zanette Delegados Representantes junto a Fenacor-Efetivos José Rômulo da Silva e José Alexandre C.Pinto Delegados Representantes junto a Fenacor-Suplentes Nicolau Marino Calabrez e Antonio José Alvarenga Imperial Jornalista Marcilene Forechi Diagramação Ivo Tadeu Basilio Impressão GM Gráfica e Editora Ltda Telefones para Contato SINCOR-ES Geral....................................... 2125-6666 ................................................ 2125-6667 Deptº Adm./Financ.................. 2125-6669 Cadastro Corretor................... 2125-6676 Atend. D.P.V.A.T..................... 2125-6671 Fax......................................... 2125-6672 Revista Sincor-ES.................. 2125-6671 Clube Vida em Grupo ............ 2125-6670 Empresas Coligadas FUNENSEG-ES..................... 2125-6673 ............................................... 2125-6683 ASSESSORIA JURÍDICA...... 3232-4800 (MOSCON E ASSOCIADOS ADVOCACIA)


Sumário

Índice 04 - Notícias 10 - PRF-ES Balanço de Atividades 2017 14 - Mercado 17 - Entrelinhas 18 - Social 19 - Artigo Jurídico

BILHETE DO PRESIDENTE

“Ação de paz” A paz é um dos tesouros mais desejados nos dias atuais. Muito se tem investido para se conseguir um pouco desse bem tão precioso. Mas, será que nós, individualmente, temos feito investimentos efetivos visando tal conquista? O que geralmente ocorre é que temos investido nossos esforços na direção contrária, e de maneira imprópria. É muito comum se desejar a paz e buscá-la por caminhos tortos, que acabam nos distanciando dela ainda mais. O Espírito Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, escreveu, certa feita, uma mensagem que intitulou Ação de paz: Aflição condensada é semelhante à bomba de estopim curto, pronta a explodir a qualquer contato esfogueante. Indispensável saber preservar a tranquilidade própria, de modo a sermos úteis na extinção dessa ou daquela dificuldade. Decerto que, para cooperar no estabelecimento da paz, não nos seria lícito interpretar a calma por inércia. Paciência é a compreensão que age sem barulho, em apoio da segurança geral. Refletindo com acerto, recebe a hora de crise sem qualquer ideia de violência, porque a violência sempre induz ao estrangulamento da oportunidade de auxiliar.

Diante de qualquer informação desastrosa, busca revestir-te com a serenidade possível para que não te transformes num problema, pesando no problema que a vida te pede resolver. Não afogues o pensamento nas nuvens do pessimismo, mentalizando ocorrências infelizes que, provavelmente, jamais aparecerão. Evita julgar pessoas e situações em sentido negativo para que o arrependimento não te corroa as forças do Espírito. Se te encontras diante de um caso de agressão, não respondas com outra agressão, a fim de que a intemperança mental não te precipite na vala da delinquência. Pacifica a própria sensibilidade, para que a razão te oriente os impulsos. Se conservas o hábito de orar, recorre à prece nos instantes difíceis, mas se não possuis essa bênção, medita suficientemente antes de falar ou de agir. Os impactos emocionais, em qualquer parte, surgem na estrada de todos; guarda, por isso, a fé em Deus e em ti mesmo, de maneira a que não te afastes da paz interior, a fim de que nas horas sombrias da existência possa a tua paz converter-se em abençoada luz. As palavras lúcidas de Emmanuel nos sugerem profundas reflexões em torno da nossa ação diária. Importante que, na busca pela paz, não venhamos a ser causadores de de-

sordem e violência. Criando um ambiente de paz na própria intimidade, poderemos colaborar numa ação efetiva para que a paz reine em nosso lar primeiramente, e depois possa se estender mundo afora. Se uma pessoa estiver permanentemente em ação de paz, o mundo à sua volta se beneficiará com essa atitude. E se a paz mundial ainda não é realidade em nosso planeta, façamos paz em nosso mundo íntimo. Essa atitude só depende de uma única decisão: a nossa. A nossa paz interior é capaz de neutralizar o ódio de muitas criaturas. Se mantivermos acesa a chama da paz em nossa intimidade, então podemos acreditar que a paz mundial está bem próxima. Porque, na verdade, a paz do mundo começa no íntimo de cada um de nós.

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

3


Notícias

Diretoria nomeia assessores A primeira reunião do ano da Diretoria do Sincor-ES ocorreu no dia 9 de janeiro, na sede da instituição. Nessa reunião os principais pontos de pauta foram as nomeações dos Assessores de Diretoria e da Comissão de Ética, além da definição de valores a título de ajuda de custo para a presidência da instituição. Também foram nomeados os diretores que irão atuar como porta-voz do sindicato em assuntos técnicos e no relacionamento com a imprensa. O corretor e funcionário do Sincor-ES Ivo Tadeu Basílio foi nomeado Assessor da Diretoria de Marketing e Dagmar Alves Mauricio Machado, diretora e funcionária

do Sincor-ES, irá assessorar a Diretoria Social. Para a Regional Sul do Sincor-ES, em Cachoeiro de Itapemirim, foi nomeado o diretor Luiz Ferdinando Zanette. Os demais delegados para as regiões Norte e Noroeste do Estado, em Colatina e Linhares, serão indicados posteriormente. Já os diretores José Alexandre Cid Pinto, Nicolau Marino Calabrez, Neudon de Almeida Valladão e Luiz Amaury Gontijo foram escolhidos como porta-vozes do sindicato para o relacionamento com a imprensa. Apenas no caso de assuntos que envolvam o Seguro DPVAT, o funcionário e assessor de Diretoria Ivo Tadeu Basílio será responsável por atender as demandas.

Outros assuntos de pauta

Apresentação dos novos diretores – Guilherme Moraes Rueda (suplente de Diretoria); Reginaldo Correa da Costa (Conselho Fiscal efetivo); Dagmar Alves Mauricio Machado e Luiz Ferdinando Zanette (Conselho Fiscal suplentes); Contribuição Sindical 2018 – As cobranças estão sendo feitas por meio de boletos do Sicoob e não mais da Caixa Econômica. De acordo com a nova legislação trabalhista, o valor deixa de ser considerado um imposto, isentando o sindicato de realizar repasse para o Ministério do Trabalho. Cursos, Palestras e Eventos 2018 – A agenda com as atividades para o ano está em fase final de elaboração e deve ser encaminhada em breve aos associados e parceiros. A demora se deve à falta de resposta por parte da Escola Nacional de Seguros quanto ao apoio à realização das atividades. Reorganização do Quadro Social do Sincor-ES – O diretor Social Luiz Amaury Gontijo e a diretora Dagmar Alves Mauricio Machado farão um levantamento sobre o quadro social sindical, de modo que possam ser tomadas medidas para ampliar a base, uma vez que são poucos os profissionais associados em relação à quantidade de corretores em atividade no Espírito Santo. Festa de Encerramento das Atividades do Sincor-ES em 2018 – A Diretoria definiu que a festa será realizada no Cerimonial Le Buffet, levando em conta pesquisa realizada pelo sindicato junto às parceira co-patrocinadoras do evento e de alguns dos diretores. A festa será realizada a partir das 21horas. Quanto à banda que irá animar a festa, será feito um levantamento para se chegar a uma definição.

Plano de saúde

Os planos de saúde Unimed, contratados por associados junto ao Sincor-ES sofreram reajuste de 14,89%, aplicados a partir de janeiro, mês de aniversário do contrato. O percentual foi fechado após várias rodadas de negociação, tendo como intermediários o Sincor-ES e a Benevix Administradora de Benefícios, responsável pela gestão do contrato. As tabelas de participação, os contratos de planos odontológicos e o SOS Unimed não serão reajustados. Já o contrato Unimed Sul Capixaba, cuja gestão é da Vital Administradora de Benefícios, sofreu reajuste de 19,39%. Os benefícios SOS, Plano Medicamento e Proteção Familiar foram reajustados em 13,55%. Nesse plano, o reajuste foi aplicado na mensalidade de dezembro.

Longevidade

Pesquisa realizada pela FenaSaúde e Datafolha, com 1.110 entrevistados com mais 60 anos, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, concluiu que 64% dos idosos detentores de planos de saúde têm percepção de estado de saúde “bom ou ótimo”. Esse índice cai para 53% para quem não dispõe do serviço. “A maioria não pretende mudar de plano nos próximos seis meses”, revela Solange Beatriz Pinheiro Mendes, presidente da Federação. Outro dado interessante é que o clínico geral é a segunda especialidade mais procurada.

Congraçamento nas montanhas será em outubro no Parque do China O Sincor-ES vai realizar, em outubro deste ano, o tradicional Encontro de Congraçamento nas Montanhas, voltado para corretores de seguros e funcionários de seguradoras parceiras, além de seus familiares. Neste ano, o encontro será no Parque do China e, até o encerramento desta edição, já haviam 51 acomodações reservadas. Os interessados em participar devem entrar em contato com diretora responsável pelo evento, Dagmar Alves, pelos telefones 2125-6666 ou 2125-6667. As reservas podem ser feitas também por e-mail (dagmar@sincor-es.com.br). O pagamento será parcelado, sendo que a última parcela deverá ser quitada até setembro de 2018.

4

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Retrospectiva 2017

Atendimentos DPVAT em janeiro Nesta edição, são apresentados os números referentes aos atendimentos gratuitos realizados pelo Sincor-ES às vítimas de acidentes e seus beneficiários no Seguro DPVAT. Esse é o primeiro relatório do ano de 2018, sendo que os relatórios são publicados mensalmente na Revista Sincor-ES. Apenas no primeiro mês do ano, foram pagos 98 processos, totalizando R$ 599.017,35 em indenizações. Confira os processos e os valores pagos.

CONFIRA O NUMERO DE PROCESSOS E VALORES INDENIZADOS Meses de referência

Valores pagos creditados-R$

Processos liquidados

Observações

Janeiro

599.017,35

98

Seguradora Líder

TOTAL

599.017,35

98

Apoio a Corrida Rústica do BPTran No dia 25 de fevereiro, o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) realizou a “X Corrida Rústica” em comemoração ao seu 26º aniversário e contou com o apoio do Sincor-ES. Assim como em anos anteriores, além da promoção do trânsito seguro e preservação da vida, a corrida teve caráter beneficente. Cada atleta inscrito contribuiu com um pacote de fralda geriátrica, destinadas ao Asilo dos Idosos de Vitória. O evento contou com a participação de cerca de mil inscritos que percorreram os 10,5 quilômetros do percurso. Eles sa-

íram da Praia de Camburi, em frente ao Clube dos Oficiais da Polícia Militar, no bairro Jardim da Penha e cruzaram a linha de chegada em frente à sede do BPTran, no Parque Moscoso, Centro de Vitória. Os atletas que se inscreveram receberam um kit contento uma camisa alusiva ao evento, tendo em seu verso a logo dos patrocinadores, dentre eles o Sincor-ES. O presidente José Romulo da Silva diz que já se tornou uma prática comum patrocinar eventos da Polícia Militar. “É uma parceria que produz bons frutos e todos têm a ganhar”.

Operação Verão

O Sincor-ES colaborou com a Operação Verão, realizada pela Polícia Militar no Espírito Santo, na operação realizada no dia 12 de janeiro em 53 pontos das cidades de Vitória, Serra, Vila Velha, Cariacica, Viana e Guarapari. A operação foi iniciada no dia 26 de dezembro de 2017 e contaram com a participação de mais de 200 policiais. As operações são focadas no público que está saindo das praias e o objetivo é inibir o consumo de álcool e os crimes patrimoniais. Para as abordagens, foram utilizadas 49 viaturas que resultaram na abordagem de 20.402 pessoas. O Sincor-ES ofereceu os lanches para os envolvidos nas blitze.

CNH digital

A partir deste mês de fevereiro, é possível portar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) eletrônica. A emissão do documento em formato eletrônico foi aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em julho do ano passado. A CNH digital funciona em aparelhos de telefone celular e tablets com sistema operacional IOS ou Android e terá a mesma validade do documento físico.

Superintendente

A Sompo Seguros contratou Edson Toguchi como novo Superintendente de Grandes Riscos, para contribuir com as perspectivas da companhia de expandir a atuação e desenvolver soluções estratégicas para a área. Edson Toguchi conta com mais de 25 anos de experiência em grandes companhias de seguros. Aliás, seu início de carreira foi na Yasuda Seguros, uma das companhias que deu origem à Sompo no Brasil. Ao longo de sua carreira, atuou no desenvolvimento e lançamento de novos produtos de seguros e liderou projetos de reposicionamento para atingir objetivos estratégicos comerciais para as linhas de produto sob sua responsabilidade.

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

5


Notícias

Em 2018, mais festas na Casa Lar O apoio do Sincor-ES e do CVG-ES à manutenção da Casa Lar Walter Barcelos, em Vila Velha, continuam em 2018. Durante todo o ano, além das comemorações de aniversário dos meninos que moram no local, o sindicato e as instituições parceiras continuarão o trabalho de apoiar as atividades da instituição. No mês de dezembro, os meninos receberam com empolgação a tradicional festa de Natal, em que cada um deles recebeu um kit-presente. “Esse é um momento de

muita satisfação, porque eles esperam o ano todo por esses presentes. E temos o cuidado de encaminhar exatamente o que eles pediram”, diz o presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva. Os presentes são arrecadados entre os associados e parceiros do Sincor-ES. Estiveram presentes à festa, que contou com muita diversão e guloseimas: Sandro Torres, da HDI Seguros, acompanhado de sua filha; Luis Amaury Gontijo, diretor do CVG-ES; e Antonio Santa Catarina, presidente do CVG-ES.

Happy Hour

A Seguradora Mitsui Sumitomo realizou um happy hour, no dia 1º de fevereiro, no By Rock, em Vitória. O encontro reuniu corretores de seguros para um descontraído bate-papo. Nesse dia, um pouco mais cedo, o presidente José Romulo da Silva, recebeu na sede do sindicato o diretor comercial da segurador, Gustavo Rey de Carvalho, acompanhado da gerente de filiais Luciana Bacellar e do executivo local Celso Luiz Mattos Magalhães.

Beneficios do Sesc para todos os corretores associados

O pagamento dos impostos devidos ao Sincor-ES bem como a contribuição sindical é fundamental para que os corretores de seguros possam se beneficiar do convênio com o Sesc. O benefício vale tanto para o corretor pessoa física quanto para pessoa jurídica e

pode ser usufruído por funcionários de seguradoras e seus familiares. Confira os benefícios e os locais onde eles são oferecidos. Mais informações podem ser obtidas no setor financeiro do Sincor-ES pelo telefone 2125-6669 ou por e-mail (financeiro@sincor-es.com.br).

Intervenção

A intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro, anunciada no dia 16 de fevereiro pelo presidente Michel Temer, vai impactar o mercado de seguros fluminense. A opinião é do presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Jayme Torres. Ele acredita que se a ação militar alcançar o objetivo de recuperar a eficácia da segurança pública, o mercado pode esperar uma volta à “normalidade” do nosso setor”. Em 2017, o volume de roubos e furtos de veículos cresceu 16,6% no Rio, chegando a um total de 70 mil casos, o maior registrado pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) desde 2003.

IPVA SAÚDE: Odontologia e Clínica Médica TURISMO SOCIAL: Centros de Turismo de Guarapari, Aracruz-(Praia Formosa), São Matheus, Linhares e breve em Domingos Martins. CULTURA: Atividades Culturais nas áreas de Teatro, Música, Artes Plásticas e Literatura. LAZER: Ginástica, Musculação, Hidroginástica, Natação, Escolinha de Futebol, Aluguel de Quadras Esportivas/Campos de Futebol.

6

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Os boletos de pagamento do IPVA 2018 devem ser acessados no site do Detran-ES ou da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), pois não haverá envio pelos Correios. No site também é possível conferir as datas limite para pagamento e os valores do parcelamento em até quatro vezes. Para pagamentos à vista, haverá desconto de 5%.


Notícias

Campanha solidária o ano todo A Rede solidária, que denominamos “Ninguém é tão pobre que nada tenha para doar” e “O que não serve para você, serve para nós”, recebe doações de roupas, agasalhos, cobertores e eletrodomésticos usados e em bom estado. As doações são encaminhadas para instituições cadastradas pelo Sincor-ES e que atendem pessoas em situação de vulnerabilidade social. As Campanhas Solidárias recebem doações o ano todo e não apenas em datas como Natal ou Dia das Crianças. Também são recebidas cestas básicas, alimentos não-perecíveis e produtos de higiene pessoal e limpeza. “No inverno, intensificamos

a campanha do agasalho e no dia das crianças arrecadamos brinquedos. Mas, sabemos que as pessoas têm necessidades o ano todo”, afirma o presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva. Recentemente, dados divulgados pela imprensa mostram que a fome no mundo voltou a crescer. Após uma década em queda, o número de desnutrição subiu e, hoje, cerca de 815 milhões de pessoas estão passando fome no planeta, perto de 11% da população mundial. O maior problema encontra-se na África, mas no Brasil, estima-se que haja pelo menos 7 milhões de pessoas que não têm o que comer.

Biblioteca

O Sincor-ES mantém em sua sede uma biblioteca com títulos relativos ao mercado de seguros, administração e áreas afins. O espaço é destinado a consultas de qualquer pessoa interessada e oferece a possibilidade de empréstimo a associados. O acervo da biblioteca não conta com grande quantidade de livros, mas possui importantes obras especializadas, entre elas teses e dissertações, artigos científicos, balanços e estatísticas.

Biblioteca 2

A Biblioteca Desembargador Homero Mafra, localizada no andar térreo do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, encontra-se aberta a toda a comunidade para consulta, contando com espaço ideal para leitura e estudos. O empréstimo de livros, no entanto, é destinado apenas a magistrados, servidores e estagiários do Poder Judiciário. O acervo possui 7 mil títulos. A Biblioteca atende de segunda a sexta-feira, de meio-dia às 19 horas.

Embriaguez

Mais de 40 mil motoristas perderam o direito de dirigir no Espírito Santo, em 2017, sendo 1.158 por embriaguez ao volante ou por se recusar a fazer o teste do bafômetro. Do total de infratores punidos, 38.391 tiveram a carteira de habilitação suspensa e devem entregar o documento ao Detran-ES para cumprir a sanção. O condutor pode ter a carteira suspensa por dois motivos: ao atingir 20 pontos em 12 meses ou cometer infrações com previsão de suspensão direta, como dirigir sob efeito do álcool ou se recusar a fazer o teste com bafômetro.

Plataforma ZIM

O ZIM e a Fenacor decidiram estender até o dia 31 de março o período de gratuidade na adesão do serviço. Esse período é uma oportunidade para que os corretores de seguros conheçam a plataforma e o modo como o ZIM funciona. O sistema já conta com oito seguradoras e mais de 2,5 mil corretores de seguros. Para informações sobre o serviço e condições de adesão, basta acessar o site zim.com.vc.

Embriaguez 2

A pena para quem for flagrado dirigindo embriagado passa a ser de reclusão de 5 a 8 anos, além da suspensão do direito de obter carteira de motorista. A nova regra entra em vigor nos próximos meses. Antes, o tempo de detenção para esse tipo e infração era de 2 a 4 anos.

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

7


Notícias

Regularização de cadastro O Sincor-ES, tem se preocupado com as empresas corretoras de seguros que não cumprem a determinação legal de manter atualizados seus endereços e informações junto à Susep. Assim, após ter encaminhado correspondências que

retornam por estarem os endereços errados ou insuficientes, o presidente José Romulo decidiu convidar as empresas a comparecerem ao sindicato para regularizarem seus cadastros. Confira no BOX, as empresas convidadas e seus responsáveis.

– Brisa Leve Administradora e Corretora de Seguros. Responsável: Ademir Rangel; – WHF Corretora de Seguros Ltda. Responsável: Wendel Herculano Franco; – Radiun Corretora de Seguros Ltda. Responsável: Diogo de Souza; – BCS Boechat Corretora de Seguros. Responsável: Michel Bicalho Belmock; – Globalcar Corretora e Administradora de Seguros Ltda. Responsável: Sérgio Augusto de Magalhães e Souza;

O que diz a Lei

Instrução Susep nº 19/1999, enunciado 42 – A falta de comunicação à Susep de mudança de endereço por parte do corretor de seguros, seja ele pessoa física ou pessoa jurídica, constitui embaraço ao exercício regular de fiscalização. Circular Susep nº 127/2000. Artigo 11 – É requisito fundamental para a re-

gularidade do registro, que a empresa corretora de seguros mantenha atualizadas as informações cadastrais perante a Susep, procedendo à entrega de todas as alterações contratuais ou estatutárias devidamente arquivadas no Registro Público de Empresas Mercantis e Atividades Afins da Unidade da Federação de sua sede no prazo de até sessenta dias, contados da data da alteração. Parágrafo Único – O corretor deve comunicar quaisquer alterações dos dados cadastrais, no prazo máximo de trinta dias contados a partir da data de sua ocorrência.

Recadastramento

Os profissionais que perderam o prazo para o recadastramento obrigatório junto à Susep e tiveram seus registros suspensos podem acessar o site da autarquia, na seção “Informações ao Mercado/Corretores de Seguros/Recadastramento” e regularizar a situação. O mesmo procedimento deve ser adotado por corretores responsáveis técnicos por corretoras e que não cumpriram o prazo. De acordo com a Susep, os corretores que fizeram o recadastramento dentro do prazo e suas situações continuam pendentes não serão prejudicados, pois os registros continuam ativos até a finalização da análise.

Ato de amor

O número de doadores de medula óssea vem caindo. Em 2017, pouco mais de 280 mil novas pessoas se dispuseram a doar, a pior estatística dos últimos três anos. Essa redução é um drama a mais para quem vive a expectativa de receber um transplante.

Obrigatoriedade do Imposto Sindical O Jornal “A Gazeta”, do dia 26 de janeiro de 2018, publicou nota, com o título “Fim da Contribuição Sindical Vira Ação”, em que informa ter a Confederação dos Servidores Públicos ajuizado ação direta de inconstitucionalidade contra dispositivos da reforma trabalhista, introduzidas pela lei 13.467/2017, que torna facultativa a Contribuição Sindical e dispõe sobre seu recolhimento. Segundo a entidade, a contribuição tem “natureza tributária” e seu pagamento não poderia e nem pode ocorrer por livre deliberação do contribuinte. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, após a realização de Assembleia Geral Ordinária, realizada em novembro de 2017, e por concordância e determinação dos que ali compareceram, aprovaram a expedição de Guias de Recolhimento do Imposto Sindical, cujo vencimento ocorreu no mês de janeiro de 2018. José Romulo diz que seu entendimento é o mesmo da Confederação dos Servidores Públicos. Ele alerta que o recadastramento obrigatório das empresas corretoras de seguros, previsto para ser iniciado em março, terá a mesma exigência de apresentação da guia de recolhimento do Imposto Sindical dos últimos cinco anos, inclusive do exercício 2018 para àqueles Pessoa Física que tiveram seus registros autorizados pela Susep em 2017. O Sincor-ES está estudando junto ao seu Departamento Jurídico um meio de impetrar ação na Justiça para fazer valer seus direitos na cobrança do tributo. O presidente José Romulo chama a atenção para a natureza tributária da contribuição sindical, o que impede que ela seja alterada para facultativa. “É importante verificar alguns aspectos como o próprio histórico do sindicalismo no Brasil e o decorrente papel da contribuição sindical”, afirmou. Na próxima edição da Revista Sincor-ES, voltaremos a esse tema.

8

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


Notícias

Confraria das Quintas volta a se reunir Novo nicho

Como acontece todas as quintas-feiras, a Confraria das Quintas voltou a se reunir para o já tradicional almoço e o famoso cafezinho na praça de alimentação do Shopping Vitória. O encontro ocorreu no dia 25 de janeiro e não faltou assunto, em meio a muita descontração. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, diz que o encontro semanal é bastante apreciado e realizado de modo bastante espontâneo há mais de 20 anos. “Não há regras ou obrigatoriedade de participar. É

aberto a todos do mercado que só precisam chegar por volta de meio-dia e aproveitar”. Durante os encontros, cada um escolhe o local onde irá servir sua refeição e é responsável por pagar por ela. Apenas o cafezinho ao final é pago em formato de rodízio, sendo que novos membros sempre irão pagar a rodada para todos. De uns encontros para cá, tem sido feita a cada reunião o sorteio de um brinde. “Quem recebe o presente, se encarrega de presentear na próxima semana”, diz José Romulo.

Visita de apresentação

O presidente do Sincor-ES recebeu, no dia 26 de janeiro, a visita do presidente da ALM SEGURADORA, uma das mantenedoras do CVG-ES, Paulo Roberto S. Galindo. Na oportunidade, ele estava acompanhado do diretor do CVG-ES Joaquim Cunha. Galindo substituiu Marcos Acildo, que se desligou da empresa por motivos de saúde.

Um importante nicho de mercado pode surgir para o corretor de seguros neste ano, caso seja aprovado o projeto de lei de autoria do deputado Lucas Vergílio, que disciplina a participação deste profissional em processos licitatórios das estatais, na condição de administrador de seguros. Essa participação é uma antiga aspiração da categoria, que sempre esteve excluída dos seguros das empresas públicas, já que o Decreto-Lei 73/66 impede o corretor de intermediar seguros de estatais ou de participar de processos licitatórios. A alternativa criada pelo deputado foi criar a figura do administrador de seguros, que poderá angariar e participar, intervir e figurar em qualquer fase do processo licitatório em conjunto com a seguradora. As incumbências, obrigações e responsabilidades deverão ser definidas nos editais e o corretor de seguros que irá atuar será de livre escolha do órgão licitante.

Faça da distância um mero detalhe! Que tal se capacitar sem sair de casa e no horário que preferir? Para você que prefere estudar no seu próprio ritmo, sem perder tempo em grandes deslocamentos, a Escola Nacional de Seguros proporciona diversos cursos na modalidade de Ensino a Distância. A mesma qualidade do ensino presencial com mais conveniência!

Para mais informações, acesse:

funenseg.org.br/ead Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

9


PRF-ES Balanço de Atividades 2017

PRF Registra redução na gravidade de acidentes no Espíri O número de óbitos em 2017 foi igual ao de 2016, apesar dos acidentes trágicos na BR 101

A Polícia Rodoviária Federal registrou redução nos índices que medem a violência no trânsito em rodovias federais no ES. Em números absolutos houve redução de acidentes graves e na quantidade de feridos. A quantidade óbitos ficou inalterada. No ano passado foram registrados 2.979 aci-

dentes, que deixaram 3.401 pessoas feridas e levaram a 201 óbitos. Em relação ao ano de 2016, esses números representam uma queda de 10,8% no total de acidentes e 9,2% no de feridos. Para que houvesse um maior controle dos índices da letalidade nas rodovias

Ano de Referência

Quantidade de Acidentes

Qtd. Acidente Grave

Qtd. Env. Morto

Qtd. Env. Lesionado

2016

3.342

1143

201

3746

2017

2.986

890

201

3401

%

- 10,7%

- 22,1%

--

- 9,2%

Acidentes trágicos As rodovias federais do ES vivenciaram acidentes de grande repercussão nacional e mundial, nos quais, infelizmente, foram vitimadas 40 pessoas. Em dois deles, houve envolvimento de veículos de transportes de rochas ornamentais (Bloco e Chapas Serradas). No dia 22 de junho de 2017, na BR 101, KM 343, em Guarapari/ES, uma carreta com pedra de granito tombou e colidiu frontalmente com ônibus. 23 pessoas morreram no acidente; No dia 10 de setembro de 2017, na BR 101, KM 450, em Mimoso do Sul/ES, a carga de chapas serradas de granito de um caminhão caiu na pista, atingindo um micro-ônibus, que perdeu controle e colidiu frontalmente com carreta. O acidente causou a morte de 11 pessoas; No dia 26 de dezembro de 2017, na BR 262, Km 184, em Irupi/ ES, dois automóveis colidiram frontalmente, após um deles invadir contramão de direção. O acidente causou a morte de 06 pessoas.

Principais tipos de acidentes / Rodovias Federais ES / 2017

10

federais, ações em diversas frentes foram executadas e contribuíram para que reduções fossem registradas ano após ano. Investimento em tecnologias, como câmeras de videomonitoramento e radares, aliado às análises estatísticas que identificam as características dos acidentes proporcionaram a otimização e maior eficiência do trabalho policial. Por outro lado, o endurecimento da legislação aumentou o rigor das punições e elevou o valor das multas para as infrações relacionadas às ações que podem resultar em acidente mais graves, se tornando um importante elemento na conscientização dos condutores. Em consonância com a missão de promover segurança com cidadania, os projetos de educação para o trânsito da PRF alcançaram mais de 32 mil pessoas no ES em 2017. Essas ações têm por objetivo provocar mudanças de atitudes em todos os usuários das rodovias, sejam pedestres, condutores ou passageiros, priorizando a segurança e a cidadania no trânsito.

Tipo do Acidente

Qtde. Acidente

%

Colisão traseira

571

9,3

Colisão transversal

489

8,0

Colisão lateral

440

7,2

Saída de leito carroçável

320

5,2

Tombamento

309

5,0

Queda de ocupante de veículo

209

4,7

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores


PRF-ES Balanço de Atividades 2017

ito Santo Comportamento no trânsito

Acidentes e Vitimas / Rodovias Federais no ES / 2017 Causa do Acidente

Qtde Acidente

%

1.260

42,2

Desobediência à Sinalização

331

11,1

Velocidade Incompatível

301

10,1

Não guardar distância de segurança

215

7,2

Ingestão de Álcool

201

6,8

Defeito Mecânico no Veículo

116

3,9

Falta de Atenção do Pedestre

101

3,4

Pista Escorregadia

100

3,4

Condutor Dormindo

78

2,6

Ultrapassagem Indevida

64

2,1

Defeito na Via

41

1,4

Avaria no Pneu

40

1,4

Animais na Pista

30

1,0

Mal Súbito

27

0,9

Carga Mal Acondicionada

26

0,9

Restrição de Visibilidade

22

0,7

Obstáculo Estático sobre a Via

18

0,6

Fenômenos da Natureza

11

0,4

3

0,1

Falta de Atenção à Condução

A maioria dos acidentes ainda é ligada ao comportamento humano. Das ocorrências que resultaram em mortes, as principais causas que puderam ser detectadas pelos policiais foram a falta de atenção (42,2%), a desobediência à sinalização (11,1%), a velocidade incompatível (10,1%), não guardar distância de segurança (7,2%) e ingestão de álcool (6,8%). A colisão traseira é o tipo de acidente que mais acontece. É causada principalmente pela falta de atenção, por não se guardar distância de segurança e por se manter uma velocidade incompatível. Entretanto, o tipo de acidente que mais gera acidentes graves é a colisão frontal, causada, especialmente, pelas ultrapassagens forçadas ou em locais sem visibilidade.

Deficiência ou não Acionamento do Sistema de Iluminação/ Sinalização do Veículo Sinalização da via insuficiente ou inadequada TOTAL

1

-

2.986

100

Principais infrações Considerando quase 100 mil infrações flagradas pela PRF ao longo dos doze meses do ano, verificou-se que os condutores infratores não respeitam os limites de velocidade, fazem ultrapassagens proibidas, não usam o cinto

de segurança e não cuidam de seus veículos. Os números comprovam que a fiscalização tem sido direcionada para as infrações que provocam ou intensificam a gravidade da maioria dos acidentes: Ao longo dos 12 meses do ano, a PRF fiscalizou

175.674 pessoas e realizou 55.595 testes de alcoolemia, isso representa mais de 6 testes realizados por hora. Como resultado 312 condutores foram multados por dirigir sob influência de álcool, dos quais 137 foram presos pelo crime de embriaguez ao volante.

PRINCIPAIS INFRAÇÕES 2017 / 2016, RODOVIAS FEDERAIS NO ES Descrição Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20% Em movimento de dia, deixar de manter acesa luz baixa nas rodovias.

2016

2017

33.393

13.689

5.641

12.699

Ultrapassar pela contramão linha de divisão de fluxos opostos, contínua amarela

12.993

11.291

Transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 20% até 50%

16.554

7.353

Conduzir o veículo registrado que não esteja devidamente licenciado

3.017

4.868

Deixar o condutor de usar o cinto segurança

6.041

4.251

Conduzir o veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurança

2.257

3.307

Conduzir o veículo com equip obrigatório em desacordo com o estab pelo Contran

1.460

2.663

Desobedecer às ordens emanadas da autorid compet de trânsito ou de seus agentes

236

2.488

Dirigir veículo sem possuir CNH/PPD/ACC

363

2.304

Conduzir o veículo c/ equip do sistema de iluminação e de sinalização alterados

1.791

2.193

Conduzir veíc com vidro total/parcialmente coberto por película, painéis/pintura

2.624

2.026

Transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 50%

3.961

1.386

Deixar o passageiro de usar o cinto segurança

1.294

1.379

Conduzir o veículo com qualquer uma das placas sem legibilidade e visibilidade

871

1.308

Deixar de conservar nas faixas da direita o veículo lento e de maior porte

684

1.056

Conduzir o veíc c/ com defeito no sist de iluminação, sinaliz ou lâmpadas queima

787

1.015

Dirigir veículo com validade de CNH/PPD vencida há mais de 30 dias

548

987

1.210

962

Avançar o sinal vermelho do semáforo Conduzir o veículo com equipamento obrigatório ineficiente ou inoperante

888

956

Evadir-se para não efetuar o pagamento do pedágio

159

900

Dirigir veículo com CNH/PPD/ACC com suspensão do direito de dirigir Conduzir o veículo sem equipamento obrigatório

72

782

576

777

Dirigir o veíc usando calçado que ñ se firme nos pés/comprometa utiliz pedais

380

750

Permitir posse/condução do veículo a pessoa sem CNH/PPD/ACC

123

737

Estacionar na pista de rolamento das rodovias Ultrapassar veículos motorizados em fila, parados em razão de sinal luminoso Conduzir o veículo com característica alterada Conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatório referidos no CTB

767

654

1.239

543

353

533

1.070

474

Transitar pela contramão de direção em via com duplo sentido de circulação

455

474

Transitar com o veículo em marcas de canalização

795

453

Transitar com o veículo com excesso de peso PBT/PBTC

273

420

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

11


PRF-ES Balanço de Atividades 2017

Criminalidade na mira da PRF Em 2017, Policiais Rodoviários Federais interceptaram 644 kg de maconha, 538kg de cocaína, além de crack, haxixe e LSD. 107 Armas e 751 munições de diversos calibres foram apreendidas em 2017. Considerando os crimes diversos, tais como Crimes de Trânsito, Roubo/Furto de Veículos, Tráfico de Entorpecente e Uso de Documento Falso, 1.907 pessoas foram detidas pela PRF no ES em 2017, mais de 05 prisões por dia. FISCALIZAÇÕES ESPECÍFICAS

INFORMAÇÕES CRIMINAIS Descrição

Quantidade

Pessoas Detidas - TOTAL GERAL

Quantidade

1.907

pessoas

Alcoolemia - Pessoas Fiscalizadas

8.695

unidades

Veículos - Adulterados

71

unidades

Alcoolemia - Veículos Fiscalizados

8.650

unidades

Veículos - Apreendidos

515

unidades

Cargas Especiais - Veículos Fiscalizados

1.165

unidades

Veículos - Recuperados

262

unidades

Entorpecente - Veículos Fiscalizados

3.153

unidades

13

pessoas

Equipamento Obrigatório - Veículos Fiscalizados

5.809

unidades

143.392,00

Dolares

Estabelecimento - Pessoas Fiscalizadas

3

unidades

52.474,15

Reais

Estabelecimento - Venda de Bebidas Alcoólicas

1

fiscaliz.

11

gramas

711

unidades

538.734

gramas

25.873

gramas

709

unidades

Drogas - Ecstasy

2

unidades

Drogas - Haxixe

2.100

gramas

Crianças/Adolescentes Autores de Crimes Outros Crimes Dinheiro - Dólar Dinheiro - Real Drogas - Anfetaminas/Barbitúricos Drogas - Cocaína Drogas - Crack

Drogas - Lança-Perfume Drogas - LSD Drogas - Maconha Meio Ambiente - Animais Silvestres Mortos

Excesso de Peso - Pessoas Fiscalizadas Excesso de Peso - Veículos Fiscalizados Identificação Veicular - Veículos Fiscalizados Medidor de Transmitância Luminosa - Veículos Fiscalizados

2.054

unidades

563

unidades unidades

161

litros

52

pontos

Motocicleta - Pessoas Fiscalizadas

2.599

644.928

gramas

Motocicleta - Veículos Fiscalizados

2.449

unidades

1

unidade

16.490

unidades

Ônibus - Pessoas Fiscalizadas

28

unidades

Ônibus - Veículos Fiscalizados

654

unidades

Meio Ambiente - Pescados

1.400

k/gramas

Apreensões Contrab./Descaminho - Cigarros

1.654

pacotes

Radar Estático (Fotográfico) - Imagens Capturadas

45.768

unidades

Apreensões Contrab./Descaminho-Eletrônicos

1

unidade

3.475

unidades

Radar Estático (Fotográfico) - Tempo de Operação

Armas - Arma Branca

6

unidades

Armas - Carabina

2

unidades

Armas - Espingarda

8

unidades

Armas - Outros

29

unidades

Armas - Pistola

27

unidades

Táxi - Veículos Fiscalizados

Armas - Revólver

35

unidades

Ultrapassagem - Veículos Fiscalizados

Meio Ambiente - Animais Silvestres Vivos

Apreensões Contrab./Descaminho - Outros

12

Fiscalizações

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

1.009,80

horas

Radar Portátil - Tempo de Operação

88,9

horas

Radar Portátil - Veículos Autuados

3.54

unidades

44

unidades

36

unidades

6.943

unidades

Táxi - Pessoas Fiscalizadas


Mercado

Claudio Contador deixa a Escola Nacional de Seguros Após 17 anos atuando em cargos diretivos na Escola Nacional de Seguros, o diretor do Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), Claudio Contador, deixou a instituição no início de fevereiro para se dedicar a projetos pessoais. Simplicidade, bom-humor e inteligência. Assim o presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, descreveu o profissional e amigo. “Tenho certeza que Contador será bem-sucedido onde quer que vá. E nós do mercado vamos sentir sua falta”, afirmou. Claudio Contador chegou à Escola em março do ano 2000 para ocupar o principal cargo executivo. Posteriormente, comandou as áreas de Ensino Superior, de Pesquisa e, desde 2014, o CPES, do qual foi um dos idealizadores. Ph.D. em Economia pela

Universidade de Chicago (EUA) e membro de conselhos de instituições e empresas no Brasil e exterior, Claudio Contador foi um dos primeiros a vislumbrar a necessidade de se criar uma graduação específica em seguros. Isso se concretizou em 2006 com a criação do Bacharelado em Administração com Linha de Formação em Seguros e Previdência. Nos anos seguintes, começariam a surgir os primeiros MBAs ministrados de forma independente pela Escola. Atualmente, o elenco de produtos e serviços educacionais abrange todas as etapas de formação e capacitação dos profissionais de seguros. Muitos desses programas têm grande contribuição de Contador. A equipe do CPES será incorporada à Diretoria de Ensino Superior, liderada por Mario Pinto.

Treinamento

O processo seletivo para quem deseja participar do programa de treinamento sobre “gerenciamento de riscos e seguros”, em Londres, já está aberto. O Programa de Treinamento no Exterior será desenvolvido pela Escola Nacional de Seguros neste ano de 2018. Os interessados deverão enviar currículo para análise até o dia 2 de abril, no e-mail parcerias@funenseg.org.br. A divulgação do resultado será no dia 4 de abril. Mais informações sobre o conteúdo didático estão disponíveis no site da Escola (www.funenseg.org.br). O curso ocorrerá de 3 a 7 de setembro na sede do The Chartered Insurance Institute (CII).

Pós-graduação

As aulas para o curso de pós-graduação Gestão Comercial do Seguro, oferecido pela Escola Nacional de Seguros, estão previstas para começar no dia 16 de março, em oito cidades: Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP). O curso foi lançado no ano passado para preencher uma lacuna na capacitação desses profissionais. A pós-graduação engloba, além da técnica de seguros, o planejamento, o controle e a gestão do ambiente e dos recursos envolvidos no processo de comercialização. Para participar, é necessário ter ensino superior completo ou experiência comprovada na área de conhecimento.

Sincor-ES não entrega certificados de habilitação de corretores este ano

Pela primeira vez em uma década, o Sincor-ES não fará cerimônia de entrega festiva dos certificados de conclusão aos alunos do Curso de Formação de Corretores de Seguros, aprovados na turma de 2017. A solenidade, geralmente é feita até o mês de março com a participação das seguradoras.

O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, lamenta, pois o evento é o momento no qual os novos profissionais são apresentados ao mercado e à estrutura do sindicato. José Romulo esclarece que a Escola nacional de Seguros enviou os certificados diretamente aos alunos.

Jornada

Será no dia 15 de março a Primeira Jornada Capixaba do Seguro de Vida no Espírito Santo, realizada no Cerimonial Oásis, em Santa Lúcia. As indicações dos corretores que irão participar da jornada serão feitas pelas seguradoras parceiras. Os diretores do Sincor-ES que não tiverem seus nomes indicados serão convidados pela organização para que possam participar.

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

13


Mercado

Primeira Jornada Capixaba do Seguros de Vida

Representantes do Sincor-ES, do CVG-ES e de seguradoras parceiras estiveram reunidos, no dia 21 de março, para na primeira reunião conjunta em

que puderam discutir a realização da Primeira Jornada Capixaba de Seguros de Vida, que será realizada em Vitória, no dia 15 de março. A reunião ocorreu

Ecomomia global crescerá 3,7% em 2018 Pesquisa realizada pelo Serviço de Estudos da MAPFRE aponta que a economia global pode crescer até 3,7% este ano, um décimo a mais do que o esperado em 2017, e reforça que a atividade econômica global mostra sinais de estabilização. O relatório “Panorama econômico e setorial 2018” prevê ainda para este ano uma aceleração na contribuição para o crescimento mundial de mercados desenvolvidos (acima de 2%) e de mercados emergentes (4,9%) puxados pela China e pela saída da recessão do Brasil e da Rússia. De acordo com o levantamento, a inflação tende a permanecer contida, embora seja mantida entre os objetivos dos bancos centrais e, com as taxas de juros de longo prazo crescendo, com tímidas melhoras em seus prêmios por prazo. Além

14

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

disso, o prognóstico do estudo aponta que a taxa de juros oficial dos Estados Unidos fique em aproximadamente 2% até o final de 2018, enquanto a taxa do Banco Central Europeu (BCE) se manterá em 0%. O estudo revela, ainda, que a economia brasileira consolidou sua recuperação, tendo crescido mais do que o esperado em 2017. Essa tendência de crescimento sustenta expectativas positivas no que diz respeito a estabilidade financeira e inflação. “Apesar de todo desenvolvimento, o Brasil passa por um momento crítico, no qual precisa reposicionar-se para enfrentar desafios a longo prazo e apresentar novas perspectivas de investimentos para o futuro”, explica Manuel Aguilera, Diretor-geral do Serviço de Estudos da MAPFRE.

twitter.com/sincores

no Auditório Pedro de Paula Pinto, na sede do Sincor-ES. Durante o encontro foram discutidos aspectos relativos ao evento, como definição de palestrante, composição das mesas, material a ser distribuído. O objetivo foi alinhar pontos de vista e aspectos da organização de forma que o evento possa ocorrer sem quaisquer transtornos. O presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, ao final do encontro, informou que iria encaminhar aos que não etiveram presentes as decisões e os encaminhamentos sobre o evento.

Reforma Trabalhista

Apresentada como uma das prioridades do atual governo, a esperada Reforma Trabalhista foi promovida por meio da Lei 13.467/2017, que entrou em vigor no mês de novembro de 2017. A lei chegou à sociedade com grandes polêmicas em relação às novidades na relação entre empregados e empregadores. A promessa seria aumentar a geração de empregos e garantir maior segurança jurídica para empregados e empregadores. Foram alterados mais de cem pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Destaca-se, como já informamos na edição da Revista Sincor-ES de novembro, a inconstitucionalidade da alteração que torna a contribuição sindical facultativa.


Mercado

Banestes Seguros lança aplicativo para clientes do seguro automóvel A Banestes Seguros lançou, no dia 5 de fevereiro, o aplicativo Banestes Segurado, exclusivo para clientes dos seguros de Automóvel, Residencial, Bilhete de Acidentes Pessoais (BAP) e VGBL Banestes. A nova ferramenta está disponível para dispositivos Android e IOS e pode ser baixada gratuitamente na Play Store e na Apple Store ou, ainda, acessada via web no site da seguradora (www.banestesseguros.com.br/segurado). No aplicativo, seja no smartphone ou na web, o segurado encontrará as principais informações de seu contrato, incluindo condições gerais e cláusulas do seguro, relação completa das coberturas e serviços de assistência, valores de franquias, situação de parcelas, impressão de boletos e dados de contato de seu corretor e com a seguradora. No caso do segurado do Seguro Auto Banestes, a lista de facilidades é maior, con-

tendo também a versão virtual do Cartão do Segurado e uma seção para o acompanhamento de processos de sinistro. “Estamos entregando ao cliente uma ferramenta moderna, que permite acompanhar o seu relacionamento com a Banestes Seguros de forma mais dinâmica. O aplicativo é também um dos passos da seguradora no caminho do mundo digital”, afirma o diretor-presidente da Banestes Seguros, Otacílio Pedrinha de Azevedo. Pedrinha ressalta ainda o esforço e os investimentos que a seguradora está fazendo para ampliar a participação da Banestes Seguros no mercado do Espírito Santo. “Em 2017 aumentamos nossa presença nos segmentos em que atuamos e, em 2018, com a melhora da economia, esperamos ampliar ainda mais as fatias de mercado de nossos produtos”, declara.

Veja como é fácil acessar Após baixar o aplicativo, o segurado deve utilizar no primeiro acesso (cadastro) o número de seu CPF e escolher um meio para receber o código de validação, que permite criar a senha de acesso: mensagem SMS ou e-mail. O código deve ser inserido no aplicativo, habilitando a criação da senha e o registro do usuário, liberando as facilidades do Banestes Segurado. Atualizações – Em breve o aplicativo vai ganhar mais facilidades. Estão previstas atualizações para inserção de aceite eletrônico de propostas, abertura de aviso de sinistro e o envio de alertas via SMS e e-mail para os segurados. Esses serviços se encontram em fase final de desenvolvimento e testes.

Porto lança produto combinado

A Porto Seguro Seguradora lançou o “Proteção Planejada”, que reúne em um único produto as coberturas de um seguro de vida com os benefícios de um plano de previdência. As parcelas são fixas do início ao fim da vigência e o cliente pode resgatar o dinheiro e manter o seguro ativo. As estatísticas do mercado de seguros mostram que o setor está aquecido. De acordo com dados da FenaPrevi, o seguro de vida registrou 5,15% de aumento frente ao primeiro semestre de 2016. Na Porto Seguro, a alta de janeiro a setembro

de 2017 foi de 16,5 em seguro de pessoas, que inclui vida, educacional e viagem, entre outros. O Porto Seguro Proteção Premiada tem vigência mínima de cinco anos e parcelas fixas do início ao fim do contrato, o que ajuda no planejamento familiar de longo prazo. Uma parte do valor pago garante o seguro de vida e a outra forma a reserva de previdência. Assim, se durante o período contratado o cliente precisar de dinheiro, poderá resgatar dessa reserva para quitar parcelas atrasadas do seguro por até 12 meses consecutivos.

Crescimento

O Grupo Bradesco Seguros encerrou o exercício de 2017 com faturamento de R$ 76,3 bilhões, o que representa crescimento de 6,8% sobre o ano anterior, nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta. Esse resultado levou o Grupo a ampliar seu market share para cerca de 26%, o maior registrado nos últimos anos, com mais de 53 milhões de segurados, participantes, clientes e contratos – aumento de 4% em relação a 2016. O crescimento da produção foi influenciado principalmente pelos segmentos de Vida e Previdência, cuja receita evoluiu 8,7%, e Saúde, com cerca de 7%. Em Seguro de Vida, especificamente, a expansão foi de 16,4%.

Concierge

O Bradesco Saúde Concierge assegurou em 2017 mais um ano com índice de satisfação acima de 90% na avaliação dos clientes. Desde 2011, o plano mantém esse resultado, sendo que, neste ano, a pesquisa de satisfação Concierge indicou que 92% dos entrevistados se mostram satisfeitos com o atendimento. O Bradesco Saúde Concierge é uma série de serviços diferenciados, que confere ainda mais comodidade e tranquilidade aos clientes do seguro saúde de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador. Os serviços vão desde coleta de documentos para reembolso de despesas médicas até internações no exterior.

Seguro garantia

A Lei 13.467, que entrou em vigor com a Reforma Trabalhista, prevê a aceitação do Seguro Garantia Judicial em processos trabalhistas. O seguro passa a ser expressamente previsto nos artigos 882 e 899 da CLT, pacificando a aceitação da modalidade na esfera judicial. A grande novidade da lei refere-se à possibilidade de utilização do seguro como garantia em depósitos recursais.

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

15


Mercado

Arbitragem: mais rapidez na solução de conflitos Ainda é pouco utilizado na Grande Vitória, e também em todo o estado do Espírito Santo, o serviço arbitral, que tem como objetivo resolver conflitos nas áreas civil ou comercial de forma extrajudicial. A grande vantagem desse sistema é a possibilidade de soluções mais rápidas para os conflitos, sem que haja necessidade de processos judiciais, o que pode ser bem mais demorado e burocrático. Além da agilidade, com prazo máximo previsto de seis meses para a sentença, o sistema arbitral tem o mérito de “desafogar” o Sistema Judiciário. Entre os problemas que podem ser resolvidos no sistema arbitral estão a dissolução societária, inadimplência, casos imobiliários e descumprimento de contratos, entre outros. O mercado de seguros do Espírito Santo conta com uma Câmara de Mediação e Arbitragem (Camaseg), criada especialmente para atuar em demanda relacionadas a conflitos que envolvam seguros. A

Camaseg conta com árbitros formados em curso oferecido pelo Sincor-ES em parceria com instituições reconhecidas na área e aptos a atuar na mediação de conflitos. Importante destacar que, para usar os serviços da Camaseg, é preciso que os contratos alvo do conflito contenham cláusula compromissória que permita a arbitragem. “Essa é uma questão importante, pois a cláusula é fundamental para que a Camaseg possa atuar e suas decisões tenham força de lei”, afirma o presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva. O presidente lembra que no único caso em que houve demanda, a Camaseg resolveu o processo, relativo a uma indenização de Seguro de Vida, em apenas vinte e cinco minutos. “Nós temos um sistema bom e eficiente. Basta que haja mais contratos com a cláusula compromissória para que possamos fazer esse trabalho pelo mercado de seguros”, afirma José Romulo.

Previdência é bom para o corretor O segmento de Vida e Previdência é um dos mais promissores, mas ainda não conta com a simpatia de boa parte dos corretores de seguros. A avaliação é do presidente do Sincor-ES, José Romulo da Silva, diante dos números apresentados pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi), referentes ao terceiro trimestre de 2017. Naquele período, o ramo de Previdência Privada fechou com expressiva evolução no volume de novos aportes. As contribuições aos planos somaram R$ 9,58 bilhões em setembro de 2017, resultado 28,94% superior ao verificado em igual mês do ano anterior. “Os números mostram que mais pessoas estão acreditando no setor e investindo seu dinheiro”, afirma José Romulo.

16

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

O presidente lamenta, no entanto, que essa não seja uma prioridade entre a categoria. Ele acredita que os corretores perdem para os bancos, que transforma o produto em barganha entre seus correntias e não oferecem boas condições de aquisição. “Os corretores são os profissionais que podem comercializar previdência e seguros de vida com propriedade, pois têm como entender as demandas e propor algo que atenda, de fatos, seus clientes”, afirmou. De acordo com o presidente da Fenaprevi, Edson Franco, o setor vem atingindo um crescimento consistente. No nono mês do ano passado, 13,7 milhões de pessoas tinham planos de previdência privada no país.

twitter.com/sincores

Cibernética

No ano de 2017, US$ 172 bilhões foram roubados de 978 milhões de consumidores em 20 países, por meio de ataques cibernéticos. Os dados foram constam no relatório Norton Cyber Security Insights Report 2017, divulgado hoje pela Norton by Symantec (NASDAQ: SYMC). O Brasil é o segundo pais mais perdeu financeiramente com ataques cibernéticos, atrás apenas da China, e o país em que mais crianças sofrem com bullying, na mesma posição que a Índia. Em 2017, cerca de 62 milhões de brasileiros foram vítimas de cibercrime, o que representa 61% da população adulta conectada do país. As perdas totalizaram US$ 22 bilhões.

Multas

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) tem registrado aumento na arrecadação de multas aplicadas às operadoras de planos de saúde. Somente em 2017, até setembro, a ANS arrecadou R$ 303,6 milhões. Em 2016, foi batido um recorde em arrecadação de multas: R$ 371,6 milhões, valor 126% superior ao apurado em 2015. As infrações mais comuns registradas em 2016 e ao longo de 2017 se referem a multas por negativas individuais de coberturas, suspensão ou rescisão de contrato, descumprimento de cláusulas obrigatórias no contrato e violação à legislação em vigor.

Vistorias

O Porto Seguro Auto apresentou uma nova solução para facilitar o dia a dia dos corretores de seguros e seus segurados: o Aplicativo Sinistro Digital. A tecnologia, que está disponível para download no Google Play e App Store, permite fazer análise e orçamento de sinistro em tempo real via smartphone. O uso da plataforma é intuitivo. Ao comunicar um sinistro, o segurado recebe um SMS com um link para baixar o aplicativo no seu smartphone. Na sequência, o próprio cliente captura as imagens do seu automóvel a partir de instruções dadas por um inspetor da seguradora.


Entrelinhas

Cinco motivos para começar a escrever

– Por que você escreve? Foi a pergunta que me fizeram. A resposta possível foi outra pergunta: – Por que não deveria escrever? Escrever me permite registrar momentos, contar histórias, envolver pessoas, despertar a curiosidade. Muitas pessoas não escrevem, simplesmente porque acreditam ser a habilidade de escrever – e escrever bem – uma espécie de “dom divino”, disponível para uns poucos escolhidos. Você pode pensar que escrever não é tão necessário assim, num mundo em que as imagens e os vídeos no Youtube parecem dominar o cenário da comunicação contemporânea. Eu diria, diante dessa crença muito comum, que só escreve bem quem se dispõe a escrever. E quando falo em escrever, não me refiro apenas a uma escrita profissional, desenvolvida por jornalistas, escritores e roteiristas. Mas, falo naquela escrita necessária, corriqueira, do bilhete, da história para o filho dormir, da apresentação de um produto, do discurso de formatura ou de aniversário dos pais. Essa escrita comum é também aquela que antecede a produção de um vídeo para postar nas redes sociais. Então, eu insisto que pessoas comuns “escrevem” textos orais todos os dias, em vários momentos, para as mais diversas situações. A hesitação corre na hora de colocar esses textos no papel. Voltando ao início desse texto, reuni cinco motivos que poderiam responder à pergunta: “Por que você

escreve?”

1. Para contar a sua história

Há algum tempo descobri que posso narrar pequenos acontecimentos aparentemente insignificantes da minha vida na forma de pequenas crônicas. Poderia dizer que eu, simplesmente, escrevo. Talvez, você já tenha se visto diante de uma situação em que precisou fazer um relato sobre uma situação e não soube por onde começar. Ou, começou a contar uma história, mas sentiu que, no meio do caminho, ela ficou sem graça e não fez justiça à emoção do que foi vivido? Quem domina a arte da escrita, domina a arte de contar uma boa história.

2. Para contar a história dos outros

Não se trata, obviamente, de se entregar ao pecado da intriga e da fofoca. Contar a história dos outros é o que fazem, todos os dias, profissionais que transformam a vida das pessoas ao registrarem suas histórias. A escrita permite a você contar a história da sua família, dos seus filhos, do seu artista predileto. E você não precisa ser um grande escritor ou um roteirista de sucesso. Você pode ter um blog, colaborar com um projeto social, escrever para o jornal da sua empresa... Há muitas histórias por aí à espera de serem contadas. Escrever é um modo de demonstrar interesse pelos outros.

3. Para deixar registradas suas memórias

Já parou para perceber que estamos mudando nossa relação com a memória

* Por Marcilene Forechi

e o passado com o uso das tecnologias e da internet? Deixamos de escrever e tudo o que queremos dizer – que não seja em voz alta para alguém que está bem próximo – é dito por meio de uma inscrição na tela do computador ou do smartphone. Ali, na palma da mão ou na tela do laptop estão inscritas nossas histórias. Tudo devidamente guardado na nuvem: das fotos de nossos filhos às nossas impressões sobre os acontecimentos corriqueiros do dia a dia. Com a rapidez com que tudo flui nas mídias sociais, somos levados mais a esquecer do que lembrar. Escrever é um modo de resgatar e preservar memórias.

4. Para ensinar algo que você sabe

Todos nós sabemos muitas coisas, mas poucos de nós acreditamos que temos algo a ensinar. É que muitas das coisas que sabemos são bem triviais, do dia a dia, usadas para nossa sobrevivência no mundo. Já pensou em compartilhar o que você sabe com outras pessoas? Contar como cultivou aquele jardim maravilhoso, como superou o pânico e aprendeu a nadar, como enfrentou o medo de altura e se lançou em uma tirolesa. A cada vez que você conta uma história, ensina algo a alguém. Escrever é uma forma de sistematizar conhecimentos sobre o mundo.

5. Para se conhecer melhor

Escrever é um caminho poderoso para o autoconhecimento. Ao escrever, você se conecta com o seu interior, busca formas de expressar sentimentos, emoções, ideias, conceitos. Escrever é se olhar no espelho e ver muito mais do que apenas um reflexo de si mesma.

*Jornalista, mestre em Educação e Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Produz conteúdo e presta consultoria na elaboração de projetos de comunicação, educação corporativa e relacionamentos profissionais. Ministra cursos e palestras voltados para o aperfeiçoamento pessoal e profissional, redação criativa, mídias sociais e comunicação organizacional. E-mail: marcileneforechi@terra.com.br

Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

17


Social

Nova diretoria do Sincor-RS

Por Boris Narjack

Seja bem-vindo, Bento! Nasceu, no dia 27 de dezembro, Bento Velasco Cunha, primeiro neto do diretor do CVG-ES, Joaquim Cunha. O garoto, que nasceu em Niterói, é filho de Arthur Defanti Cunha e Gisela Carvalho Velasco

A nova diretoria do Sincor-RS tomou posse no dia 11 de janeiro, no salão nobre da Associação Comercial de Porto Alegre. Tendo como presidente Ricardo Pansera, a chapa foi eleita no dia 27 de outubro de 2017, com 71% dos votos válidos. Estiveram presentes à posse, entre outros, representantes da

Fenacor, FenSeg, SindSeg-RS, Susep e Escola Nacional de Seguros. Também participaram políticos, corretores de seguros, dirigentes de outros sindicatos e de seguradoras. Em seu discurso de posse, Pansera fez uma menção especial ao ex-presidente Sérgio Petzhold, falecido no dia 2 de janeiro.

Corretor assume cargo na PMVV O corretor de seguros Nilcio Gilbert Côco assumiu o cargo de presidente do Conselho Municipal de Recursos Fiscais da Prefeitura Municipal de Vila Velha. O Conselho é responsável, dentre outras atribuições, por julgar em segunda instância processos relativos a tributos e taxas municipais. O Sincor-ES parabeniza o corretor associado e o prefeito de Vila Velha, Max Filho, pela escolha. “A comunidade de Vila Velha tem à sua disposição uma pessoa idônea e capacitada para ocupar o cargo tão importante”, disse o presidente José Romulo da Silva.

O Sincor-ES vai co-patrocinar o 1º Sargento Denilson Nunes de Freitas em sua participação Swis an Extreme Triathlon, no dia 23 de junho de 2018. O evento será realizado no Lago Maggiores, na Suíça. O sargento é lotado no Núcleo de Operações e Transporte Aéreo Seção de Operações da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo.

Curtas • Geraldo Cavalcante Ramos se despediu, em dezembro de 2017, da presidência do Sincor-RO/AC. Ele passa o cargo para o novo presidente, José Luiz Soares de Souza, eleito junto com toda a diretoria para o mandato 2018/2021. • O deputado federal Lucas Vergilio tomou posse, no dia 25 de janeiro, como presidente do Sincor-GO. Ele foi eleito para o quadriênio 2018/2021 e assume o lugar deixado por Henderson de Paula Rodrigues.

18

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

Patrocinio a atleta da PM

twitter.com/sincores


Artigo jurídico

“A única certeza é o DPVAT” Num país em que mais de sessenta mil pessoas são assassinadas todo os anos, em que o mesmo número morre em acidentes de automóveis, onde mais seiscentos mil ficam permanentemente inválidos por causa do trânsito, onde milhares de mulheres perdem a vida por causa de abortos clandestinos, onde a violência é parte do cotidiano até das pequenas comunidades do interior, que assistem suas agências bancárias serem explodidas a dinamite por quadrilhas fortemente armadas e onde o poder público se esconde e foge de suas atribuições, a única ferramenta efetiva de reparação de danos à disposição da sociedade é o seguro obrigatório de veículos terrestres, o DPVAT. A verdade é que o brasileiro não recebe qualquer indenização ou ajuda do Governo em função de perdas decorrentes da incompetência, da bandalheira e do nepotismo que grassa no poder público. Ao contrário, poucos povos têm a carga tributária que se abate sobre o Brasil sem oferecer um mínimo de contrapartida para melhorar as condições de vida da população. Não há planejamento, não há fiscalização, não há aplicação da lei, exceto para fazer politicagem em benefício de um ou outro grupo ou abrir espaço para um ou outro demagogo dizer isso ou aquilo, sem nunca pensar seriamente em implementar qualquer ação que reverta o quadro trágico da nossa realidade. As poucas ferramentas de proteção social à disposição do brasileiro são as apólices de seguros, que cobrem uma parte ínfima da população contra prejuízos de todas as naturezas que fazem parte da rotina do planeta.

É preciso salientar que no Brasil ter seguro é a exceção absoluta a todas as regras distorcidas que nos cobram um preço absurdo pelo simples fato de existir. A quantidade de exemplos que demonstram diariamente isso deveria ser suficiente para sensibilizar a classe política, mas não é isso o que se vê. Ao contrário, quantos anos já se passaram desde a grande catástrofe que atingiu a Serra Fluminense sem que até hoje o Governo tenha feito o mínimo razoavelmente decente para minimizar os prejuízos de milhares de brasileiros que perderam tudo quando a montanha veio abaixo? O que o Governo Federal faz para implementar a malha rodoviária aos seus cuidados? Onde o planejamento do traçado, a garantia de qualidade da execução da obra, a sinalização, a manutenção da condição das pistas, os acostamentos? Pois é, não tem. É por isso que, neste cenário de terra arrasada, até hoje, eu me pergunto o que levou o Ministério da Fazenda a decidir reduzir o preço do DPVAT em mais de 30%, retirando da saúde pública mais de um bilhão e meio de reais. Como não consigo uma resposta razoável, sobra a alternativa de que simplesmente não fizeram conta. Ou pior, fizeram um pouco de populismo. só que o tiro saiu pela culatra. Ninguém deu a mínima para a redução do preço do seguro, só que o SUS ficou com menos dinheiro para atender os mais necessitados. O DPVAT é a única ferramenta social que entrega o

* Por Antonio Penteado Mendonça que deve entregar, sem complicação, sem custo extra e rapidamente, para os beneficiários de suas indenizações. O seguro garante para as vítimas dos acidentes de trânsito a possibilidade de recomeçarem, depois do trauma da perda do provedor da família. Nos últimos doze meses, a Seguradora Líder do Consórcio do DPVAT se desdobrou para prosseguir atendendo seu público, basicamente brasileiros de baixa renda, apesar da perda de receita. Neste período, impediu fraudes da ordem de cento e cinquenta milhões de reais. Foram mais de doze mil tentativas desbaratadas, ou 30% a mais do que em 2016. O curioso é que, apesar de ser a única ferramenta de proteção social que funciona no Brasil, com centenas de milhares de vítimas e seus beneficiários atendidos anualmente, tem gente propondo a extinção do DPVAT. O Brasil vive um momento único em sua história. Temos a possibilidade concreta de mudar as más práticas que condenam o país a patinar no subdesenvolvimento. Rever o DPVAT, não para acabar com ele, mas para torná-lo mais eficiente, seria uma boa demonstração de que o Governo acredita nisso.

Artigo publicado no jornal “O Estado de São Paulo” em 13/11/2017

Antonio Penteado de Mendonça é sócio de Penteado Mendonça e Char Advocacia, secretário-geral da Academia Paulista de Letras, comentarista da Rádio Estadão e da Band News TV

Seguro de Vida e

Acidentes em Grupo para atender as

exigências sindicais 4000-1989

- comercial@pasi.com.br - www.pasi.com.br -

/seguroPASI Revista Sincor-ES

.

FEVEREIRO/2018

19


20

www.sincor-es.com.br

.

facebook.com/sincores

.

twitter.com/sincores

Revista Sincor-ES nº 245 Fevereiro 2018  

PRF-ES apresenta Balanço de Atividades 2017.

Revista Sincor-ES nº 245 Fevereiro 2018  

PRF-ES apresenta Balanço de Atividades 2017.

Advertisement