Page 1

12

IMPRESSO

resultados 2008

Produção de calçados cresce novamente em Birigüi As indústrias do Pólo Calçadista de Birigüi comemoram mais um ano de crescimento na produção. Em 2008, um total de 63,5 milhões de peças foram produzidas no ano, melhor número em cinco anos seguindo tendência ascendente. Em termos percentuais, houve crescimento de 3,63% em relação a 2007, quando foram produzidos 62 milhões de pares/ano. A pesquisa realizada pelo Sinbi

junto às 187 empresas produtoras de Birigüi apontou outros resultados positivos. O total de trabalhadores empregados nas indústrias de calçados aumentou 5,5%, chegando a 19 mil, melhor número também desde 2003. Outro fato positivo foi o crescimento de 7,23% no faturamento anual. Os números não foram maiores porque houve nova queda na exportação, tendência verificada desde 2004. Em

comparação com 2007, Birigüi registrou recuo de 8,2% para 5,7% este ano. “A queda nas exportações estão totalmente dentro das previsões, em razão das variações de câmbio”, explicou o presidente do Sinbi, Wagner Aécio Poli, que ressaltou: “É muito gratificante verificar o crescimento dos números de pares produzidos e também a geração de emprego que as indústrias de calçado infantil de Birigüi estão possibilitando”.

Informativo do Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigüi Ano V • Nº 60 • Dezembro/2008 - Janeiro/2009 • www.sindicato.org.br

Pólo Calçadista de Birigüi apresenta as novidades do inverno na Couromoda 2009 Indústrias de Birigüi produziram 63,5 milhões de pares/ano

O Pólo Calçadista de Birigüi será representado por um total de 32 empresas, de todos os portes, na Couromoda 2009. Elas apresentam as novidades em calçados infantis para o inverno, mostrando a qualidade, design e conforto dos produtos da Capital Brasileira do Calçado Infantil. São 16 empresas no estande coletivo, que reúne micro e pequenas empresas, numa parceria entre Sinbi e Sebrae. Outras seis no estande do Projeto Incubadora, subsidiado também por Sebrae e Prefeitura. Dez empresas apresentam seus produtos em estandes individuais. A expectativa dos empresários é boa para a feira, que será o termômetro das vendas de 2009. Páginas 4 e 5

Sinbi mobiliza ajuda a vítimas de Santa Catarina

Desempenho Pólo Calçadista de Birigüi 2003 230 mil pares/dia 2004 250 mil pares/dia 2005 235 mil pares/dia 2006 250 mil pares/dia 2007 255 mil pares/dia 2008 263 mil pares/dia

53milhões/ano

13,7% exportado 19 mil trabalhadores

60 milhões/ano

14,4% exportado 19 mil trabalhadores

55 milhões/ano

14,1% exportado 17,5 mil trabalhadores

57 milhões/ano

11,7% exportado 18 mil trabalhadores

62 milhões/ano

8,2% exportado

18 mil trabalhadores

63,5 milhões/ano 5,7% exportado 19 mil trabalhadores

Parte dos mantimentos arrecadados

O Sinbi realizou, em parceria com a Fiesp e por meio do Sesi e Senai Birigüi, uma campanha para ajudar as vítimas de Santa Catarina. O Sindicato conseguiu mobilizar as empresas associadas e colaboradores para doarem calçados, produtos de higiene pessoal e mantimentos para os desabrigados. As doações foram recolhidas até o dia 5 de dezembro na sede do Sesi e do Senai e foram encaminhadas para Santa Catarina pelo Sinbi. Página 9

Birigüi registra crescimento na produção e no emprego Os números de 2008 da Capital Brasileira do Calçado Infantil são motivo de comemoração. A produção cresceu, totalizando 63,5 milhões de pares/ano. O total de trabalhadores empregados nas indústrias de calçados de Birigüi também aumentou, chegando a 19 mil. A pesquisa foi realizada pelo Sinbi junto às suas 187 empresas associadas. Os números só não foram maiores porque houve nova queda na exportação, tendência verificada desde 2004. Página 12

2008:

263 mil pares/dia; 63,5 milhões/ano; 5,7% exportado; 19 mil trabalhadores

RETROSPECTIVA 2008 Importantes ações e projetos foram realizados pelo Sinbi em 2008 para ajudar as empresas associadas a melhorarem seus negócios e sua competitividade e também proporcionar aos colaboradores das empresas e a comunidade bem-estar e muita alegria. Para isso, o Sindicato contou com o apoio de grandes parceiros. Aconteceu o evento Birifest – A Festa do Trabalhador. Foram iniciadas as atividades do projeto ambiental EcoSinbi

e realizado o 5º Projeto Comprador Birigüi. O primeiro Convênio APL de Calçados Infantis de Birigüi encerrou suas atividades com resultados positivos. A indústria de calçados infantis de Birigüi comemorou seu Cinqüentenário. O Sinbi, a Prefeitura Municipal e o Sesi realizaram mais uma edição do Brinca Birigüi e o evento Semana do Sapateiro levou conhecimento aos empresários associados, entre outras atividades. Páginas 6 e 7

Empresários do Incubadora APL de Birigüi vão termina ano com a encontro em SP ótimos resultados Página 3

Página 10


2

EDITORIAL

E x p e d i e n t e

Um 2009 de grandes colheitas!

Estamos encerrando mais um ano, de muito trabalho e dedicação, com um sentimento de dever cumprido e com uma imensa alegria pelas conquistas que alcançamos. 2008 foi o primeiro ano de trabalho da diretoria eleita para o biênio 2008/2009 e pudemos realizar importantes projetos e eventos, como pode ser conferido nas páginas 6 e 7, que geraram grandes benefícios para nossas empresas associadas. Neste ano, vimos o crescimento das micro e pequenas empresas do APL, o amadurecimento por meio das consultorias e treinamentos desenvolvidos pelo convênio e as metas que alcançaram. Também realizamos uma grande festa voltada a nossos colaboradores e iniciamos um trabalho para estender às empresas de

vestuário associadas ao Sinbi os mesmos benefícios e oportunidades que as empresas calçadistas recebem. Além disso, completamos 50 anos de trabalho com o calçado infantil em Birigüi, uma marca histórica que foi comemorada com muita alegria, emoção e honra àqueles que construíram o que o Pólo é hoje. O que estamos vivendo hoje no Cinqüentenário de nossa indústria é um sonho realizado para aqueles que começaram a produzir sapato infantil em Birigüi, mas também é o início de uma história que tem tudo para ter proporções ainda maiores. Essas ações trouxeram muita satisfação para a diretoria e equipe interna do Sinbi e os resultados positivos de todas elas nos motivam a dar continuidade a todo o trabalho que temos desenvolvido para que 2009 seja também um ano extraordinário, cheio de motivos para comemorar e de frutos do trabalho que iniciamos nos dias que passamos em 2008. Agradeço, em nome de toda a diretoria do Sinbi, a todos os empresários pelo empenho e participação em cada projeto; e à equipe do Sinbi pela dedicação para que as ações tivessem êxito e beneficiassem as empresas associadas. Espero que 2009 seja um ano de muito sucesso, que as empresas tenham muitas conquistas e possamos juntos crescer, tornar nossas empresas cada vez mais competitivas e assim mostrar para todo o Brasil e no exterior que Birigüi é a Capital Brasileira do Calçado Infantil. Wagner Aécio Poli, presidente do Sinbi

projetos

11

Pró-Criança Birigüi encerra curso de extensão em Birigüi

Diretoria 2008/2009 Wagner Aécio Poli Presidente Sérgio Gracia José Roberto Colli Carlos Alberto Mestriner Samir Nakad Vice-presidentes José Luiz Fernandes 1º Secretário Antenor Marques da Silva Filho 2º Secretário Jacir Migliorini 1º Tesoureiro Antônio Liranço 2º Tesoureiro Antônio Ramos de Assumpção Diretor de Patrimônio Ubiraci Chaves de Oliveira Denilson Eckstein Diretores Sociais Anésio Sorato José Roberto Rodrigues Diretores-Administrativos Membros do Conselho Fiscal: Valdir Lino Pulzato Antônio Carlos Candelária Fábio Madella Membros Suplentes do Conselho Fiscal: Marcelo Ribeiro Moreira Silas Ibanhez Soares José Carlos Bardussi Delegados na Federação: 1- Samir Nakad 2- Carlos Alberto Mestriner Suplente Delegado na Federação: José Roberto Colli Rua Roberto Clark, 460 – Centro 16200-043 Birigüi – SP Fone: (18) 3649-8000 Fax: (18) 3649-8022 E-mail: sindicato@sindicato.org.br Projeto gráfico Pontual Propaganda Fone: (18) 3624-3366 Reportagens: Karen Silva imprensa@sindicato.org.br Jornalista responsável Paulo Mantello – MTb 24.441 Impressão e fotolitos Arte Mídia Gráfica e Editora Fone: (18) 3641-5550

Ao todo, 23 crianças foram O Instituto Pró-Crianatendidas no último semestre ça de Birigüi encerrou no sendo acompanhadas pela psiúltimo dia 6 de dezembro o cóloga Vanessa Cristina Sanches curso de extensão “TDAH – e aprendendo como suprir as Uma visão interdisciplinar”. necessidades que têm por causa O trabalho foi realizado no do déficit. segundo semestre de 2008, O Projeto Recriando reem parceria com o Sesi Bicebe recursos oriundos de dorigüi e a Unitoledo e apoio ações do Imposto de Renda do Instituto de Apoio Social feitas ao Conselho Municipal (IAS Araçatuba), Microlins, da Criança e do Adolescente Studio Luna e Filme Vídeo. de Birigüi por pessoas físicas ou O curso teve o objurídicas da cidade. As doações jetivo de promover uma recebidas em 2007 auxiliaram discussão entre profisno trabalho durante este ano sionais de diversas áreas, e possibilitaram os bons resulcomo neurologistas, psitados. “As pessoas e empresas copedagogos, psicólogos Profissionais renomados na área da saúde encerraram o curso de extensão sobre TDAH em Birigüi que doaram parte de seu ime bioquímicos, sobre TDAH posto de renda para o Conselho – Transtorno de Déficit de professores das redes pública estadual e indicaram o Pró-Criança para Atenção e Hiperatividade, as melhores formas de cuidar de crian- e municipal, particular, profissionais da receber a doação nos ajudaram muito. Esperamos que em 2009 também ças com o déficit e como ajudá-las a saúde e serviço social. O trabalho com crianças com possamos contar com as doações para superar as dificuldades que têm. Nos meses de curso, foram rea- TDAH no Instituto Pró-Criança em Birigüi darmos continuidade a esse trabalho lizados oito encontros, totalizando 32 vem sendo realizado desde o início de tão proveitoso”, afirmou o presidente horas/aula. Participaram das aulas 200 2008, por meio do Projeto Recriando. do Pró-Criança, Valdir Mestriner.

Assintecal finaliza 1° Projeto Comprador com ótimos resultados A Assintecal (Associação Brasilei- Projeto Comprador e as indústrias Malu Flowers, Metal Art, Palmilhas ra das Empresas de Componentes para puderam atrelar seus interesses com Call Marte e Starsalto. A Oficina de Criação, além de Couro, Calçados e Artefatos) realizou as empresas de componentes e negonos dias 26 e 27 de novembro, na sede ciar os produtos com mais eficiência discutir as novas tendências, tem o do Sinbi, o Projeto Comprador de Com- e rapidez. desafio de fazer com que as empreponentes e Rodada de Negócios. As empresas perceberam a di- sas se tornem mais competitivas e O evento fez parte da 1ª Oficina ferença e sentiram os resultados, pois que os produtos passem a ser cada de Criação, que visa orientar os profis- com esse projeto adquiriram novos vez melhores, com o consumidor sionais da moda a finalizar e decifrar as clientes e o efeito foi positivo, com tendo mais opções e variedade. Esta novas tendências, atualizando e expe- os negócios em alta. As empresas iniciativa se tornou de grande imporrimentando novas coleções e lançando Jantar que aderiram à iniciativa foram Alta tância, pois com esta ação, as empreObelisco retrata o ciclo do calçado reuniu associados ao Sinbi para comemorar o Dia do Sapateiro linhas inovadoras. Trançados, Amazonas, Cifa Têxtil, sas poderão criar novos conceitos de infantil em Birigüi Esta foi a primeira edição do J.Shayeb, JR Dublagens, Magma, moda e empreendedorismo.


10

Senai é a primeira entidade visitada por comitê de empresários do Vestuário

O comitê de empresários formado no Projeto Confecção e Vestuário, que levantou as necessidades do setor, fez sua primeira visita a entidades para fazer reivindicações. A falta de treinamento de mão-de-obra foi apontada como uma das principais necessidades. A proposta é visitar outras entidades como Sesi, Senac e Sebrae. O trabalho faz parte do fortalecimento das empresas associadas Comitê de empresários do setor de Vestuário ao setor de Vestuário e Confecção. e Confecção se reúne com o diretor do SENAI Durante a visita ao Senai, Birigüi, Hélio Uchiyama ficou claro que as indústrias do segO diretor do SENAI Birigüi, promento não estão sendo contempladas fessor Hélio Hideyo Uchiyama, recebeu nas atividades da entidade. O grupo as reivindicações e elogiou o trabalho entregou uma carta do Sinbi, ratificada dos empresários e do Sinbi. “Essa sopelo CIESP, solicitando auxílio para o licitação de formação de mão-de-obra treinamento de Costureiras, Mecânicos será encaminhada para a administração de Máquinas, Cortador/Infestador e Mocentral do SENAI-SP e poderá ser atendelistas para o setor de Confecção.

dida por um plano que o SENAI –SP tem para 2009 de atender e formar gratuitamente 5.000 pessoas para trabalhar na indústria de confecção em todo o Estado de São Paulo”, afirmou o professor Hélio. Foi colocado à disposição do grupo, o trabalho desenvolvido pelas Escolas Móveis do Senai e pela Escola de Confecção localizada no Bom Retiro (São Paulo), que oferece além dos cursos de formação continuada solicitados, Curso Técnico e Curso Superior na área, além de técnicos que podem assessorar e consultar empresas interessadas na ação. O SENAI e o grupo de empresários aguardam uma resposta da administração central da entidade, quando uma nova reunião será marcada para tratar das decisões tomadas.

Projeto Incubadora termina 2008 com crescimento O Projeto Incubadora teve grande importância no ano de 2008, com o atendimento do número máximo de empresas, que participaram de feiras especializadas e ampliaram seus faturamentos. A coordenação desses trabalhos é feita pelo Sindicato, Prefeitura e Sebrae. A partir desta edição, o Sinbinforma terá um espaço especial reservado para mostrar e incentivar os trabalhos realizados pelo Projeto Incubadora. O crescimento que as empresas estão tendo neste projeto tem se revelado por meio de números e estatísticas. Um dos exemplos é o aumento de 32% no faturamento geral e o crescimento

de 20% dos postos de trabalho em relação a 2007. Além deste acréscimo, 2008 teve participação significativa das empresas em feiras. Na Francal 2008, 5 participantes, sendo 4 residentes e 1 graduada. Na Couromoda em 2009, o objetivo é levar 6, sendo que 4 são residentes e 2 associadas. Também em 2009, 5 empresários participarão do Empretec, que premia os melhores planos de negócios do ano. Durante 2008, foram administradas 200 horas de cursos para ações tecnológicas, como cronoanálise, cronometragem, layout e 5S. Também nas áreas de marketing, planejamento estratégico e finanças, foram feitas 375

3

APL

senai

horas de consultorias durante o ano, sempre para manter a qualidade. No segundo semestre do ano, 20 palestras foram ministradas gratuitamente. Além disso, a montagem e utilização do showroom e a instalação de sinalização interna para o pátio também foram feitas. O Projeto Incubadora tem a capacidade de atender 6 empresas associadas e 11 empresas residentes, sendo que todas essas vagas estão completas e muito bem administradas, o que para o projeto é um importante resultado, já que utiliza toda sua capacidade, investe e proporciona o crescimento das empresas.

Empresários do APL participam de missão empresarial do Sebrae em São Paulo Empresários integrantes do convênio APL de calçados infantis de Birigüi participaram do 3º Encontro de Arranjos Produtivos Locais do Estado de São Paulo, realizado dia 24 de novembro, em São Paulo, no Memorial da América Latina. O evento foi realizado pela Secretaria de Desenvolvimento, em parceria com a FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e o SEBRAE para discutir a expansão da política de apoio à competitividade das micro, pequenas e médias empresas inseridas em APLs no Estado de São Paulo. O vice-governador e secretário de Desenvolvimento, Alberto Goldman, e o presidente nacional do Sebrae, Paulo Okamoto, participaram da abertura do evento. Paulo Okamoto elogiou a iniciativa de realização do encontro e disse que o Governo do Estado de São Paulo dá o exemplo ao incentivar a discussão sobre o papel dos Arranjos Produtivos Locais. O encontro também marcou a assinatura do convênio para o Programa de Capacitação de Agentes de Inovação para APLs, firmado entre a Secretaria de Desenvolvimento, Fiesp, Agência de Inovação da USP e Sebrae, com o objetivo de formar agentes voltados à elaboração e disseminação de projetos com foco em inovação.

Birigüi tem maior comitiva no evento O Pólo Calçadista de Birigüi

Poli, junto com os diretores do sindicato Samir Nakad e Antônio Liranço, também estiveram presentes no encontro. A comitiva de Birigüi foi a maior no encontro e a participação teve o objetivo de reforçar o pedido e a articulação para a renovação do convênio APL junto ao Sebrae. “A presença desses empresários no encontro, além de mostrar o comprometimento deles com o trabalho realizado através do APL, mostrou a força do nosso Pólo. Mostramos que nossos empresários participam, que eles darão o retorno que o Sebrae espera para a realização do projeto e que, com certeza, ele trará resultados muito positivos”, afirmou o presidente do Sinbi.

foi representado no evento pelos empresários Alexandre Garcia Batista (Kirteens), Antenor Marques da Silva (Speel Calçados), Mário Rogério Martins (Bergo e Martins), Cláudio Adriano Varoni (Broonk’s), Márcia Adriana Panassi (Dhara), Cleide Olinda Chiderolli de Souza (G.L. Chiderolli Calçados), João Carlos Marin (Kemp), Ellem Martins e Nelson Cervantes Perez (Lig Le Baby), Abel Cisero Vasques (Mania de Moça), Ana Paula Demarque Burato (Pamenina), Edna Lopes Bernecoli e Igor Fernando Lopes (R.E. Birigüi), Carlos Luciano Barducci (Calçados Clipassos), Ana Maria de Lima (Tokpé), Roberto Antônio da Silva (Viccam) e José Vande Giarin (Wande Ind. e Comércio), graduados na primeira fase do convênio APL e integrantes do novo grupo formado para a segunda fase, e também Cássio Betine (Incubadora de Empresas). Além dos empre- Comitiva de Birigüi foi a maior no evento. sários, o presidente do Empresários foram reforçar proposta de renovação S i n b i , Wa g n e r A é c i o do convênio por mais dois anos

Reservado p Arte Mídia


4

Birigüi lança moda para os pés da criançada na Couromoda 2009 As empresas do Pólo Calçadista de Birigüi apresentam na Couromoda 2009 – Feira Internacional de Calçados, Artigos Esportivos e Artefatos de Couro – as novidades em calçados infantis para o inverno. Trinta e duas empresas, de todos os portes marcam presença na feira, mostrando a qualidade, design e conforto dos produtos da Capital Brasileira do Calçado Infantil. Lojistas de todo o Brasil e importadores vão conhecer o que há de melhor em calçados para crianças nos estandes de Birigüi. A expectativa dos empresários é boa para a feira, que será o termômetro das vendas de 2009.

Estande coletivo

As micro e pequenas empresas de Birigüi mostram suas coleções no estande coletivo do Pólo e contam com subsídio de 40% do Sebrae. O estande tem 360 metros quadrados e vai acomodar 16 empresas. Confira as marcas que estarão no espaço:

de uso ção da arca

de Utilização

9

história do calçado de birigüi

couromoda 2009

Calçados Menopé inicia atividades com 5 funcionários A Indústria de Calçados Menopé, empresa formada por Marcos Antônio Noale e André José de Andrade, iniciou suas atividades, em 1975, em Birigüi. A empresa localizada inicialmente em um prédio alugado na rua Silvares (tradicional bairro da cidade), iniciou com 5 funcionários, produzindo diariamente entre 30 e 50 pares de sandálias infantis. Um dos sócios da empresa, Marcos Antônio Noale, tinha muita experiência no setor, pois era gerente de uma outra empresa de calçados do município – a Indústria de Calçados Ibelca – de propriedade de seu pai, Antônio Noale. A experiência de Marco Noale

colaborou para impulsionar em pouco tempo o desenvolvimento da Menopé. Em 1979, a empresa precisou ampliar seu espaço físico, mudando-se para rua Euclides da Cunha, época em que a produção alcançou 400 pares/dia. Na década de 80, a empresa acelerou seu crescimento, investindo no lançamento de novos produtos, em propagandas e na participação freqüente em feiras, entre as quais: a Couromoda e a Francal. Foi a época em que a empresa comercializou os seus famosos produtos Baby Bel e Adarines, sucessos de vendas. Posteriormente, em 1989, um amplo e moderno prédio próprio foi construído na rua Guanabara. Neste período, a empresa atingiu uma produção diária de 1.200 pares. Na década de 90, as dificuldades oriundas dos ajustes na economia brasileira acarretaram alguns problemas para a empresa. E, após percorrer um longo caminho produzindo calçados e gerando

empregos em Birigüi, a Menopé encerrou suas atividades na segunda metade dos anos 90, deixando registrada sua passagem na História do setor calçadista da cidade.

Calçados Menopé – Produtos comercializados nos anos 80

Sinbi mobiliza empresas em campanha de ajuda a vítimas da enchente em Santa Catarina

Empresas e colaboradores doaram materiais e calçados para vítimas

O Sinbi realizou em parceria com

a Fiesp, por meio do Sesi e Senai Birigüi, uma campanha de ajuda às vítimas da enchente ocorrida em Santa Catarina em novembro. O Sindicato mobilizou suas empresas associadas para doarem calçados para as pessoas desabrigadas e os colaboradores para doarem alimentos, materiais de higiene pessoal e materiais de limpeza. As doações das empresas e dos colaboradores foram recolhidas nas unidades do Sesi e Senai de Birigüi. Ao todo foram recolhidas 12 toneladas de gêneros alimentícios, calçados, material

de higiene e limpeza, água, roupas de cama, mesa e banho. As doações foram arrecadadas até dia 5 de dezembro e depois encaminhadas pelo Sinbi à Santa Catarina. O Sindicato agradece a participação das empresas associadas e o pronto atendimento à solicitação da entidade. “Mais uma vez nossas empresas mostraram que unidas podem fazer grandes ações e ajudar as pessoas que precisam. Agradeço a todos os que participaram conosco desta campanha”, disse o presidente do Sinbi, Wagner Aécio Poli.


8

Coluna

couromoda 2009

Jurídica

Incubadora

A prisão civil do depositário infiel em alienação fiduciária Ao que tudo parece o Supremo Tribunal Federal (STF) colocou, nesse mês de dezembro, uma pá de cal na questão que vinha há anos sendo debatida nos Tribunais Pátrios, qual seja, a proibição da prisão civil do depositário infiel em contratos de alienação fiduciária. Decidiu o pleno do STF, em rejeitar dois recursos e estender a vedação da prisão civil por dívida, prevista no artigo 5º, inciso LXVII, da Constituição Federal (CF), à hipótese de infidelidade no depósito de bens e, por analogia, também à alienação fiduciária, tratada nos dois recursos. Para dar efetividade à decisão, o Plenário revogou a Súmula 619/STF, que admitia o tipo de prisão aqui discutido. De efeito. A CF, em seu artigo 5º, inciso LXVII, ainda admite esse tipo de prisão como uma das exceções, isto é, quando vislumbra-se a possibilidade da prisão por dívida – a outra é a do responsável pelo inadimplemento voluntário e

inescusável de pensão alimentícia. Essa é uma tendência que já vinha há, um tempo, sendo desenhada, pelo precursor do entendimento, Min. Marco Aurélio, e, agora, está sendo seguida por seus pares. Em que muito pese a Constituição Federal prever essa modalidade de prisão, o Brasil é signatário de diversos tratados e convenções onde está desautorizada essa modalidade de prisão civil. Os direitos humanos são direitos fundamentais com primazia na Constituição. “O corpo humano, em qualquer hipótese (de dívida) é o mesmo. O valor e a tutela jurídica que ele merece são os mesmos. A modalidade do depósito é irrelevante. A estratégia jurídica para cobrar dívida sobre o corpo humano é um retrocesso ao tempo em que o corpo humano era o ‘corpus vilis’ (corpo vil), sujeito a qualquer coisa”, foi com esse argumento que o Min. César Peluso proferiu seu voto.

Tratados e convenções proíbem a prisão por dívida A decisão proferida pela maioria dos 11 ministros que integram o STF vem de encontro ao que preconiza os tratados e as convenções internacionais sobre direitos humanos de que o Brasil é signatário. Para ilustrar, menciona-se dois casos: o Pacto de São José da Costa Rica e do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, em que o Brasil aderiu na década de noventa e só agora é aplicada. Para se ter uma idéia, de como o Brasil ainda engatinhava nessa questão, cita-se o exemplo da Declaração Americana dos Direitos da Pessoa Humana, firmada em 1948, em Bogotá (Colômbia), com a participação do Brasil, já se previa esta proibição naquela época, enquanto a Constituição brasileira de 1988 ainda recepcionou legislação antiga sobre o assunto.

Software gratuito Empresários associados ao Sinbi participaram, dia 9 de dezembro, do evento Software Gratuito, realizado pela Gigatron Software e Treinamentos e a Pesquisa & Produto, empresas especializadas em softwares. O evento foi realizado na sede do Sinbi e apresentou informações sobre softwares gratuitos, como CAD/CAM, força de vendas, pesquisa de tendências e EDI (troca de informações eletrônicas). Na ocasião também foi divulgada a realização de um treinamento profissionalizante administrativo para o setor calçadista, com data ainda não definida. 10º Enffocc Dia 7 de dezembro, aconteceu

em Birigüi mais uma edição do Enffocc – Encontro de Fabricantes e Fornecedores de Calçados e Componentes. O evento foi realizado na Chácara Geareta e reuniu 450 pessoas, entre empresários do setor de calçados e de componentes e seus familiares. Segundo um dos organizadores da festa, o empresário Edson Geareta, o intuito este ano foi que a família dos empresários também comparecessem à festa. “Nós montamos uma estrutura para as crianças brincarem para que toda a família dos empresários participassem do nosso evento”, afirmou. Durante a festa, foram realizados torneios de truco, bilhar e futebol. Além da diversão, no Enffocc foram arrecadados 350 quilos de ali-

mentos não perecíveis para serem doados ao Solar Eunice Weaver, entidade que atende famílias de portadores do vírus HIV. As doações ajudaram a compor cestas básicas entregues às famílias atendidas no mês de dezembro.

Dra. Cláudia E. Fraga N. Ferreira é advogada e assessora jurídica do Sinbi

As empresas que estão iniciando suas atividades na Incubadora de Empresas de Birigüi também apresentam suas novidades na Couromoda. O estande, de 40 metros quadrados, traz produtos das empresas By Tata, Clipassos, Gato & Gatas, Kepy Calçados, Lopy’s Pé e Paz no Pé. A participação coletiva dessas empresas tem subsídio do Sebrae e da Prefeitura Municipal.

Os lojistas também encontram muita alegria e novidades para os pés da garotada nos estandes individuais do Pólo de Birigüi. O setor dos calçados infantis na Couromoda tem o brilho todo especial das empresas Bical, Brink, Adrun (Bronk’s), Finobel, Kidy, Klin, Pampili, Pé com Pé, Tiptoe e Z Kids.

(Broonk’s)

Evento reuniu empresários do setor calçadista e familiares

5


6

7

R E T R O S P E C T I VA 2 0 0 8 EcoSinbi O Sinbi iniciou as atividades do EcoSinbi, seu projeto ambiental, com o objetivo de estimular os empresários e colaboradores das indústrias associadas a terem atitudes que beneficiem o meio ambiente. Entre as ações do EcoSinbi em 2009 foram realizados um concurso de redação, em parceria com o Sesi e a Unitoledo; a criação de uma área verde no Distrito Industrial de Birigüi e uma exposição sobre a situação da mata ciliar nas margens do Ribeirão Baixotes. Crianças atendidas pelo Instituto Pró-Criança plantaram as mudas na área verde

Projeto Comprador As empresas do Pólo Calçadista de Birigüi comercializaram seus produtos durante o 5º Projeto Comprador Birigüi, realizado pelo Sinbi com apoio da Abicalçados e da ApexBrasil. Pela primeira vez, o projeto contou com a participação de compradores nacionais, além dos importadores. Participaram do evento compradores da França, Colômbia, Espanha, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiás, Ceará, Amazonas e Sergipe. O projeto foi considerado sucesso pelos empresários e pelo Sinbi. 5º Projeto Comprador trouxe, pela primeira vez em rodadas de negócios compradores nacionais a Birigüi

APL O convênio APL de Calçados Infantis de Birigüi, firmado entre o Sinbi e o Sebrae, foi encerrado em setembro de 2008 com resultados muito positivos. Após dois anos de treinamentos e consultorias individuais nas áreas de finanças, produção, marketing/ vendas, design estratégico e comportamental, as micro e pequenas empresas integrantes do projeto se tornaram mais maduras e competitivas. Nos dois anos, as empresas registraram aumento de 11% no volume de pares comercializados e o aumento de 24,8% no volume de pares exportados. O Sinbi está articulando junto ao Sebrae a renovação do convênio para mais dois anos. Para a nova fase, a proposta é atender 45 empresas, sendo 16 graduadas, 15 novas empresas e 15 terceirizadas. Empresas participantes do convênio foram acompanhadas de perto por consultores

Cinqüentenário A indústria de calçados infantis de Birigüi completou em 2008 o Cinqüentenário de suas atividades e o Sinbi realizou uma grande festa para marcar a data. As empresas calçadista associadas, junto com a Prefeitura Municipal, presentearam os recém-nascidos na cidade com sapatinhos desenvolvidos especialmente para comemorar o Cinqüentenário. O Sinbi e a Camara Municipal de Birigüi também homenagearam os pioneiros do calçado infantil na cidade numa sessão solene. Foram momentos de grande emoção. Sapatinhos desenvolvidos especialmente para comemorar o Cinqüentenário foram distribuídos para todos os recém-nascidos em Birigüi

Doação de calçados para creches As empresas associadas ao Sinbi mais uma vez se uniram para presentear crianças carentes da cidade com calçados infantis. Ao todo, 38 empresas de todos os portes doaram calçados que beneficiaram mais de 2.300 crianças atendidas pelas creches da cidade. A doação de calçados é tradicional em Birigüi e acontece desde outubro de 2000.

Empresas de Birigüi doaram juntas mais de 2 mil calçados para crianças das creches da cidade

Brinca Birigüi Em 2008 o Sinbi, a Prefeitura Municipal e o Sesi realizaram mais uma edição do Brinca Birigüi, festa que comemora o Dia da Criança na cidade. O evento contou com o apoio de diversos parceiros e teve como grande atração um parque de diversões completo, montado no Recinto de Rodeio Espora de Ouro. Além do parque, as crianças se divertiram com palhaços, malabaristas, pintura de rosto, escultura de bexigas, entre outras atividades. Nos dois dias de festa passaram pelo recinto 28 mil pessoas e foram distribuídos gratuitamente 17.400 lanches, 274 quilos de pipoca, 140 quilos de algodão doce, 20 mil saquinhos de água e 5 mil litros de refrigerante. Festa atendeu 28 mil pessoas

Semana do Sapateiro A Semana do Sapateiro 2008 levou conhecimento aos empresários associados ao Sinbi e ,além disso, marcou as comemorações do Cinqüentenário da Indústria do Calçado Infantil de Birigüi. Durante a Semana, foram realizadas palestras sobre comunicação empresarial e gestão comercial; os pioneiros do calçado infantil na cidade foram homenageados na sessão solene da Câmara Municipal; e foi comemorado o Dia do Sapateiro com um jantar dançante e a inauguração do obelisco comemorativo do Cinqüentenário. Palestras atualizaram conhecimento dos empresários. Semana também marcou homenagem aos pioneiros do calçado e instalação do obelisco

Ação Associados A diretoria do Sinbi realizou um projeto de aproximação das empresas de calçado, vestuário e componentes associadas. A Ação Associados aconteceu durante todo o ano por meio de encontros entre os empresários e os diretores do Sinbi, em que foram apresentadas as ações do Sindicato, os convênios e benefícios disponíveis às empresas. Sinbi realizou ação para aproximar empresas associadas à entidade

Sinbinforma - Ano VI - nº 60 - Dezembro de 2008 e Janeiro de 2009